Líquido, mas não tão certo
Por José Nilton Dalcim
8 de outubro de 2020 às 19:50

Rafael Nadal e Novak Djokovic têm gigantesca vantagem sobre seus adversários das semifinais de Roland Garros. Combinados, são 36 títulos e 53 finais de Grand Slam, 16 delas no torneio. Diego Schwartzman e Stefanos Tsitsipas não somam sequer 17% da quantidade de vitórias na carreira do Big 2 e, mesmo juntos, na terra ganharam 123 jogos, não muito longe dos 98 que o canhoto espanhol ganhou apenas em Paris.

Então há um abismo entre os pretendentes à vaga na decisão de domingo. Mas se tudo parece tão líquido e certo, existem dúvidas para apimentar as partidas, que dão largada às 9h45 desta sexta-feira. Nadal acabou de ser derrotado pelo argentino em Roma, não se sente à vontade com a nova bola do torneio e, segundo seu próprio treinador, não está 100% fisicamente, culpa da pandemia. Já Djokovic preocupa pelas dores no pescoço que reapareceram repentinamente no jogo de quarta-feira e limitaram sua performance.

Schwartzman fez um jogo magnífico no Fóro Itálico, onde mesclou paciência com agressividade, ingrediente essencial para ser competitivo diante do espanhol. Foi então sua primeira vitória em 10 confrontos e isso obrigatoriamente dá confiança. Mas melhores de cinco sets são outro jogo de tênis, exigem saber dosar a parte física, estar com a cabeça fria para suportar pressão e frustração, e achar motivações em qualquer coisa. El Peque fez tudo isso com maestria no exigente duelo contra Dominic Thiem, porém cinco horas de tamanho esforço cobram um preço.

Imagino que Nadal entrará com outra postura em quadra e evitará dar espaço a Schwartzman. Penso que tentará ser agressivo, principalmente nos primeiros games de bola nova, que fazem essa Wilson andar mais, e vai explorar isso no forehand do adversário, que é menos sólido que o backhand. Com média de primeiro saque a 160 km/h, o argentino oferece oportunidade para ser atacado logo de cara, mas será que Rafa vai deixar a posição excessivamente recuada de devolução de saque? Thiem, que absurdo, não fez isso.

Djokovic é outro que não pode se dar ao luxo de esperar para ver. Tsitsipas é agressivo, adora a combinação de saque-forehand, faz transições oportunas e voleia bem. Então mantê-lo na defensiva pode ser o caminho ideal, ainda mais porque temos visto o grego pecar pela imaturidade ao se ver apertado. Paralelas dos dois lados, ainda que sejam uma alternativa mais arriscada, podem surtir esse efeito. E se a limitação física continuar, pontos curtos ficarão cruciais.

Se esses quatro tenistas tão especiais jogarem seu melhor, ao menos teremos a garantia de espetáculo e emoção. Ah, e como já sei que muitos irão me perguntar, apostaria 3 sets a 1 tanto para Nadal como para Djokovic.

E mais
– Bruno Soares está em sua segunda final seguida de Slam, a nona da carreira, e agora tem ao menos uma decisão em cada grande torneio. Que feito! Sair do veloz US Open e brilhar no lento Roland Garros é para bem poucos. Já com a volta ao 6º lugar do ranking garantida, ele e o parceiro canhoto Mate Pavic enfrentarão no sábado os atuais campeões, os alemães Krawietz e Mies.
– Iga Swiatek, de 19 anos, não deu a menor chance a Nadia Podoroska e. sem perder set no torneio, tentará dar o primeiro troféu de Slam em simples para a Polônia, algo que escapou de Aga Radwanska em Wimbledon em 2012. Sua aplicação tática é tão notável como sua execução técnica dos golpes. Terminou com goleada de winners: 23 a 6.
– Sua adversária será a norte-americana Sofia Kenin, em busca do segundo Slam da temporada, um feito incrível. Ela foi precisa nas devoluções e nunca deixou Petra Kvitova parada, mas quase permitiu reação no final do segundo set. Apenas dois anos mais velha que Swiatek, a experiência deve pesar em favor de Kenin, mas curiosamente elas só se cruzaram no torneio juvenil de Roland Garros de 2016 e a polonesa ganhou.


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    Vou esperar o Dalcim abrir a nova pasta.

    Mas por hora só vou dizer o seguinte:

    deu a lógica…

    Nadal x Djokovic na final.

    E o Djokovic vai perder de novo. (rs)

    Abs.

    Responder
  2. Rogério R Silva

    Boa noite amigos.
    Um eventual título do Djokovic sobre o Nadal vai deixar o cara indestrutível.
    Neste ano só perdeu para ele mesmo.
    Vai ter tempo de sobra para se recuperar.
    E acho que vai começar a final colocando pressão no Nadal.
    Amigos,vai ser épico!
    História sendo feita diante dos nossos olhos.

    Responder
  3. Paulo Almeida

    Que vitória MAIÚSCULA do GOAT Djokovic, provavelmente no MELHOR JOGO do ano!!! Os dois jogaram DEMAIS!!!!

    Apesar de ter aberto a porteira pro grego na hora de fechar, foi um show de curtas, devoluções (3 MONSTRUOSAS no último game), voleios, lobs, SMASHES (aquele do fundo foi ESPETACULAR), saques (3 ACES pra fechar o segundo set), winners de forehand e de backhand e alguns slices.

    Eu acho que o FATOR IDADE pesa muito sim, mas para a garotada! Quanto mais novo, mais o cara sente uma partida longa! KKKKKKKKKKKKKKKK

    E no domingo A MAIOR RIVALIDADE DA HISTÓRIA se repetirá no saibro francês, com o rei desse piso favorito, mas acredito que o sérvio tem chances, coisa de 40-45%.

    A maioria esmagadora da torcida do Federer ficará com o espanhol, o que é bem normal, pois o rei do hard, da grama e do tênis em geral é o maior pesadelo dos caras!

    AJDE!!!

    Responder
  4. Enoque

    Só adiantando o ranking. Mesmo se não ganhar, o Djoko já acrescentou 480 pontos, chegando a 11.740. O Nadal, mesmo ganhando, não acrescenta e fica com os 9.850, ou seja 1.890 atrás. O Thiem mantem os 9.125, com 2.615 atrás.
    Em Paris o Nadal pode acrescentar 640 e no Finals 1.100, ou seja 1.740.
    Já o Thiem pode acrescentar 910 em Paris e 700 no Finals, ou seja 1.610.
    Só falta conferir se este ano vai ter o ATP Cup.
    De qualquer maneira a liderança está praticamente garantida.
    Eu acharia melhor pro Djoko, não jogar em Paris, onde já tem 1.000 pontos garantidos e partir pra Viena onde seria recebido como um Rei e acrescentaria 500 pontos com facilidade.

    Responder
  5. Fernando Brack

    Bem, resta a Djoko procurar se recuperar dessa maratona, porque, jogo por jogo, Nadal deve lhe impor menos dificuldades do que o grego. O problema pra ele vai ser a final se alongar. Ou não? Talvez ele saia da quadra hoje pra ir bater uma bola e relaxar a musculatura.

    Responder
  6. Luiz Fernando

    E deu a lógica (ahhhrrrgggg), por mais incrível q pareça um cara de 33 anos tem mais físico que um de 22, q mal conseguia se movimentar na quadra ao final do quinto set. Claro q o cansaço mental também prejudica, mas 11-12 aninhos de diferença não podem ser tirados da equação, q deveria favorecer o grego. Vejo Djoko com mais chances do q Rafa domingo, embora este nunca possa ser descartado no saibro, ainda mais com as motivações q terá no caso de vencer, e, óbvio, por jogar na sua sala de estar. Mas não vejo Rafa no melhor de sua forma física e com as bolas curtas q tem caracterizado seu jg prevejo um festival de drops q serão utilizados pelo sérvio, algo q tem minado os adversários do cara. Tomara q Moyá q estava na plateia ache alguma solução mágica p aplicar domingo, mas o grande mago, se vencer, será o próprio Rafa…

    Uma palavra final sobre o grego: finalizado o segundo set ele parecia uma completa decepção, falhando nos momentos cruciais de forma repetida, porém se recuperou mostrando nível elevado de jg e personalidade. Perder de um gigante do esporte como o sérvio, o provável GOAT do tenis daqui uns 1.5-2 anos, não é demérito p ninguém, creio q essa partida pode inclusive ser um divisor de águas na carreira do rapaz, pois ele pode perfeitamente aproveitar esta experiência no futuro…

    Responder
  7. Enoque

    Ridículo os comentários, na transmissão da band, além de torcer contra, o camarada diz que o Djoko leva total vantagem no quinto set, pois está acostumado e Tsisipas ainda não jogou muitos. O garoto com 22 ou 23 anos está no auge de sua forma física, contra um veterano cansado e que carrega um monte de problemas físicos ao longo da carreira. Todos os grandes atingiram seu auge na faixa de idade do Tsisipas ou até mais cedo. Não ganhou porque não teve controle mental, quando o cenário lhe era totalmente favorável.

    Responder
  8. Alessandro Siqueira

    E no final um jogador de 22 anos sai se arrastando de quadra. São mais de 11 anos de diferença e Djoko subjuga o grego no aspecto físico. Enquanto isso, a galera do Federer credita todas as derrotas à idade, como se Nole já não ganhasse melhor de 5 no Aberto da Austrália de 2008, quando tinha 20 anos e o suíço 27.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Já vi que dificilmente também lês os comentários, não e ‘ divertidíssimo Siqueira ? . Quantas mil vezes já foi reconhecido que o Sérvio é disparado o melhor físico aos 33 , da história deste Esporte ? Quando ele não está de frescura , ele bota um Next Gen com os 4 pneus arriados no Quinto Set . Federer aos 32 ( 2013 ) passou a temporada TODA avariado … Abs!

      Responder
    2. Alessandro Siqueira

      Desculpem pelo lapso. Federer é de 08 de agosto de 1981. A derrota no Aberto da Austrália a que me refiro ocorreu em janeiro de 2008. O suíço ainda tinha VINTE E SEIS ANOS. Quase um next gen, afinal ainda tem gente chamando Thiem assim.

      Responder
      1. Sandra

        Eu nem consigo ver , fico vendo pelo tablet, quando vejo que está 0/40 com o saque dele eu saio do tablet, quando vejo que está 0/40 para o oponente , prestes ele quebrar o saque eu ligo a Tv , rssss, eu um sofrimento !
        0

        Responder
  9. Jonas

    Mais uma partida de altos e baixos do sérvio. Só que a distância ainda é grande para o resto do circuito, exceção feita a dupla Fedal.

    O grego é excelente. Djokovic é ainda melhor, um ET.

    Óbvio que Nadal é favorito na final, ainda mais depois de hoje, mas é outro jogo e o espanhol não é tão agressivo.

    Que seja um JOGAÇO, dois monstros esses dois. Não haveria final melhor.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Nesse caso, é pior pro Djokovic o Nadal não ser tão agressivo e estar mais descansado…
      Provavelmente, o espanhol vai se aproveitar do maior cansaço do Djoko (na teoria) e tentar alongar os pontos…

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Dois monstros esses dois , não e’ mesmo Co-Piloto da turbinada ? rs . Mas na ânsia de ganharem nos palpites , a Kombi quase INTEIRA cravou Dieguito nos palpites . Vocês pensam que enganam a quem com essa conversa mole ? kkkkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Se é ao sérvio que se referes como Cyborg (aff), aos 22 já tinha um GS na conta. Só não me lembro quem ele derrotou na semi final.
        Me ajude, homem que sabe tudo, please.

        Responder
  10. Gildokson

    E o que dizer do 5° do grego até agora? Jogou 2 games medonho entregando o segundo com dupla falta, justamente na hora do jogo onde se espera que o cara que foi buscar um 0x2 vai estar tinindo. Esses caras são tristes viu.

    Responder
  11. Kiril Araujo

    Líquido, mas não certo, perfeito. Djokovic está 215 a 1 saindo de 2-0 numa melhor de cinco. Por enquanto. 3-1 no quinto, no momento em que escrevo.

    Responder
  12. Fernando Brack

    Independente do resultado de Djoko x Tsitsipas, já podem entregar a 13ª Taça dos Mosqueteiros pro Nadal.
    Deixar escapar a vitória naquele 5/4 no 3º set foi mortal pro Djoko, ganhe ou perca a partida de hoje.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Concordo prezado Fernando!
      Esse ÚNICO match point desperdiçado pelo sérvio ao final do terceiro set pode ter custado o 18º grand slam! Além da 1ª derrota no ano de 2020… Tá certo que o grego jogou demais no 3º e 4º sets, mas não se pode deseperdiçar oportunidades assim. Ao ser obrigado a jogar outros dois sets tão desgastantes física e emocionalmente, a missão contra Nadal que, por si só, já seria muuuito difícil, tornou-se ainda mais complicada!! Apenas lembrando: Nadal permaneceu por uma hora a menos em quadra, teve menor desgaste mental, e já está em trabalho de recuperação da musculatura desde as 13:00h…

      Responder
    2. Leo Gavio

      Mortal por que?

      Djokovic ta muito mais inteiro no ano, não perdeu nenhuma, tem 1 ano a menos que Nadal.

      Djokovic é o favorito, dessa vez nao tem vento e nem chuva, e nem calor.

      Vai ser igual Roma 2011, Nadal tomando um vareio das devoluçoes do Djoko.

      Responder
  13. Luiz Fernando

    Djoko q venceu a maioria absoluta dos pontos quando usou os drops, entregou o quinto set numa deixado há ridícula, que mal chegou na rede. Já o grego conseguiu se manter focado, salvando vários breaks. Nadal torcendo por um 20×18 ou coisa assim…

    Responder
  14. Miguel BsB

    Opa, o que tá acontecendo com o Djokovic? Estava voando, deixando o Tsisipas perdido com os Drop Shots, e, de repente, deixa o grego levar o 3º e meter quebra no começo do 4º…
    Periga ir para o 5º Set.

    Responder
  15. Luiz Fernando

    “Liquido mas não certo”, esse titulo do post reflete esse terceiro set, que parecia se encaminhar p a rotina, com o grego falhando nos momentos decisivos e o Djoko não, mas ai a coisa se inverteu na hora H, quando o sérvio sacou p fechar a partida. Do nada, o grego renasceu, parou de errar nos bigpoints e sabe-se deus como fechou o terceiro set. Vamos ver como a coisa anda no quarto, Djoko ainda favorito, pois é o tipo de jogador q não se abala de forma absurda numa circunstancia dessas…

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Veja como é esse esporte, caro Luiz.
      Djokovic fechou o segundo set com apenas 4 bolas, sendo 3 aces. Não durou 1 minuto sequer o game.
      Chegou na mesma condição ao terceiro, para definir o jogo e falhou feio.
      Dizem que o grego subiu o nível no 3 e 4º sets. No quarto até concordo, mas no terceiro, o sérvio permitiu.

      Responder
  16. Luiz Fernando

    Atuação patética do grego nesse segundo set. E olha q esse rapaz é o principal expoente dessa eterna nextgen. Quanta dificuldade p de fechar um game. Será q teve um curso intensivo com Rafa? Hummmm, o espanhol demora mas pelo menos fecha os games…

    Responder
  17. Gildokson

    Esses caras só vão ganhar algum Grand Slam quando Nadal e Djokovic não aguentarem andar. Podem até ser bons tenistas, mas estão uns 5 degraus abaixo dos 2. Ridículo o que apresenta o grego nesses 2 sets.

    Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Acho que ele vai estar na tv com bandeirinha espanhola. Aliás, eu o convidaria para entregar o troféu.

  18. Luiz Fernando

    Esse game q o grego entregou no 22 do set 2 é o retrato dessa nextgen: jogadores de alto nível mas inconsistentes, q pecam na famosa hora H…

    Responder
  19. Luiz Fernando

    Repito o q disse ha uns dias: se Rafa vencer esse RG vai vencer os próximos 10. Serviço medíocre, erros q normalmente não comete, reviveu o hermano no terceiro set quando deixou de atacar e se limitou q esperar o cara errar, mas disputou um tiebreak de forma soberba, se tivesse mantido esse nível de jogo após o 31 do set 3 teria vencido com muito mais tranquilidade e sem sustos. Vamos pra decima terceira final, com 12 vencidas ate o momento. Pra quem tinha expectativas bem limitadas em relação aos anos anteriores após a pífia participação em Roma chegar nesse ponto sem perder sets e sem grande desgaste fisico, tudo pode acontecer, inclusive o sonhado titulo de maior vencedor de GS de todos os os tempos e a vitoria numero 1000. Sampras q fique de barbas de molho, se Nadal vencer domingo não tenho duvidas q igualara ou superará a marca de 14 GS do magistral americano só com títulos de RG…

    Responder
  20. Sandro

    Caro Dalcim, na chave feminina não tem ninguém à altura da “IGA FURACÃO”, apostaria num duplo 6/2 na final, mas se o fenômeno polonês jogar mesmo o que sabe pode fechar com um duplo pneu contra a esforçada Sofia Kenin…
    Espero que Kim Clijsters volte com todo o gás em 2021, o circuito feminino está carente de uma jogadora como a Clijsters. Ela já curtiu bem a maternidade, agora está na hora de se dedicar ao circuito profissional e ao seu sonho olímpico, o que vc acha Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Gosto demais da Clijsters e acho que a pandemia foi muito ruim para sua tentativa de volta. Vamos torcer. Quanto à final, acho você um pouco otismista demais… rsrs… A Kenin é osso duro.

      Responder
  21. Sandro

    Boa Tarde Mestre Dalcim!
    Algum jogador já conseguiu vencer do Nadal 2 vezes seguidas no saibro?
    Achei que o jogo de mais de 5 horas contra o Thiem minou as forças e a velocidade do Schwartzman. O argentino não estava no mesmo pique que no jogo contra o Thiem.
    Claro que também por méritos do Nadal que cansou o Argentino mais ainda o fazendo correr sem parar…

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sim, Djoko eu tenho certeza. Chequei agora e vi que não foi O Nalbandian (fiquei maluco? rsrs), mas sim o Fognini, também em 2015.

          Responder
  22. Mariana

    A polonesa foi sagaz e tática ao tirar Halep de RG, o que valeu, para mim, voltar a assistir ao torneio com interesse, pois já estava ficando um pouco morno. Kenin, após ganhar seu GS, não manteve o brilho. Acho que ela é apenas esforçada, mas pode se fazer notar se ganhar este GS e CONTINUAR no top 10, mas parece que no feminimo o alcance está difícil. A gente vê uma brilhante Azarenka voltando com tudo e garotas promissoras descendo a rampa. Mas vamos que vamos!

    Responder
  23. Luiz Fernando

    Rafa errático e com serviço medíocre ainda levou o set que pode ter sido decisivo. O gringo agora precisa vencer 3 sets de um cara q só permitiu isso 2 vezes em 15 anos…

    Responder
  24. Marcelo

    Espero que nao levem a sério:

    Mas atualmente, atè Dimitrov pode ser considerado nextgen. Um dia vai vingar (nem que seja como técnico de alguém mais jovem!)
    : – D

    Responder
  25. DANILO AFONSO

    Com a vitória do NADAL no 1º set, o argentino terá que a difícil missão de reverter uma estatística muito favorável do espanhol após vencer a primeira parcial:

    – Nadal venceu 95,98% dos jogos após vencer o 1º set (todos pisos e torneios);
    – Nadal venceu 97,79% dos jogos após vencer o 1º set (todos torneios no saibro);
    – Nadal venceu 100% dos jogos após vencer o 1º set em Roland Garros.

    Responder
  26. Bruno

    Dalcim ,
    Qual foi o motivo que o Nadal abandonou o Roland Garros em 2016?
    Lembro que fez ótimas partidas se eu não me engano 2 ou 3 rodadas .

    Responder
  27. Mário Malan

    DALCIM,
    Tudo bom?
    Uma coisa que me intriga: na sua opinião (se tiver uma a respeito, claro), por que o BRUNO SOARES, mesmo sendo um duplista top já há algum tempo, não fecha patrocínio de vestimenta com marcas famosas, tipo a LACOSTE? Acho que só uma vez que o vi de vestimenta de uma marca mais famosa, que foi a ASICS, e mesmo assim parece ter sido por bem pouco tempo.
    Obrigado!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a questão é a pouca visibilidade dos duplistas no circuito. Até a TV oficial da ATP custa a mostrar jogos de duplas, eventualmente limitando-se a finais. Sem visibilidade, fica difícil ‘vender’ o produto, Mário.

      Responder
      1. Malan

        Obrigado por responder.
        Mas acho que isso só explica parcialmente, pelo menos o caso do BRUNO. Pra ficar só em um, de muitos exemplos de duplistas, veja que o próprio parceiro dele é patrocinado pela LACOSTE.
        Mas a propósito do que sugeriu, está me “cheirando” que nem BANDSPORTS (no qual só assisto em último caso pois, apesar do SARETTA fazer umas brincadeiras constrangedoras, ele é o melhor, disparadamente, comentarista da TV brasileira) não suporto os ultrapassados ÁLVARO JOSÉ e OLIVEIRA ANDRADE ) nem SPORTV vão transmitir a final feminina de duplas amanhã. Eles tinham que mandar as imagens, nem que fosse sem narrador ou comentarista (que eu até prefiro).
        Abração.

        Responder
  28. periferia

    Olá.

    Mas um Slam e a renovação não chega…a chance de Nadal e Djokovic disputarem a final é grande.
    Sendo que em 2020 o Nadal não esta 100% fisicamente e o Djokovic aparentemente machucado (Não conto o USOpen…achei o torneio bizarro).
    Mais de 15 anos …..hoje é o Sinner….ontem foi o Dimitrov….e o domínio continua.
    Impressiona não somente o domínio….mas a incapacidade dos jogadores que aparecem e não conseguem quebrar esse círculo.
    Alguém pode dizer “vivemos um momento único do tênis ” (como dizem)……mas o “momento” já passou.
    Algo está errado na formação dos novos tenistas….eles não buscam a glória.
    E o nível do torneio francês foi fraquíssimo….jogos desinteressantes….na maioria dos jogos ganhou quem errou menos (nunca vi tantos erros não forçados em um slam).
    O que conta é aquilo que vai escrito na pedra…..ninguém lembra como foi escrito.

    abs

    Responder
    1. Daniel C

      Concordo plenamente, periferia. Muito decepcionante as gerações que vieram depois de Federer, Nadal, Djokovic, Murray, Delpo e Wawrinka.

      A minha teoria é que a grana cada vez mais alta das premiações tirou o foco da garotada…

      Abs

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Se acontecer, vai me surpreender, sim. Acho que ele tem estilo para todos os pisos, mas certamente o saibro seria o mais frágil.

      Responder
  29. Marcelo

    Dalcim, vejo o Nadal bastante favorito paea a final (por conta das 5 horas que o argentino passou em quadra).

    Mas nao vejo o Djokovic tao favorito assim (mais por conta do problema físico) e tenho uma pergunta:

    – Se vc orientasse o Tsitsipas num momento como esse, e levando em consideraçao a aparwnte localizacao da contusao do servio, onde você o orientaria a forçar a partida e os golpes para levar alguma vantagem na partida? E se vc acha que o Tsitsipas seria esse johador para seguir um plano tático por horas a fio contra alguèm que faz isso melhor que ele.

    Imagino que o servio, ao evitar o assunto da contusao para a imprensa, nao queira dar muita pista ao adversàrio.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ao que parece, o problema no pescoço pode limitar mais as bolas altas, como o saque. Mas é justamente o único golpe do tênis que não depende do adversário. Acho que o grego tem de entrar com seu plano de jogo, sem considerar possível limitação do Djoko. Caso o serviço do sérvio não esteja funcionando, o que pode acontecer principalmente nos sets iniciais, a chance de atacar com a devolução me parece um bom caminho.

      Responder
  30. Maurício Luís *

    Eu acho que esse desafio aí valendo livro devia fazer igual à Telesena: premiar quem fez menos pontos também. O internauta que der o palpite + “furado” recebe uma fotografia do Nadal de cueca samba-canção amarelo limão estampada com florzinhas pink neon… que ele ganhou da sogra no último niver. Apostei no argentino e no grego, então acho que sou forte candidato a esse “prêmio”.
    Espero que a jovem polonesa leve a taça. Não vou com a cara dessa Sofia Kenin… não sei por que.

    Responder
  31. luis

    Dalcim, estou impressionado com o jogo da Swiatek, faz tempo que nao vejo uma menina jogando tao bem! Com uma tecnica tao bem executada. Abrindo a quadra, com variedade de golpes. Ate parece facil!
    O que voce acha dela? Eh soh uma boa fase ou ela tem todo esse potencial? O que voce acha que ela deveria melhorar ainda?
    Obrigado!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ela já vinha chamando a atenção do circuito, mas parece que achou seu melhor nessa saibro mais lento. Sem dúvida, o potencial é grande, porém hoje em dia é muito importante um grande desempenho nas quadras duras, que dominam o circuito. Tecnicamente, ela me parece ter esse potencial também para a quadra mais veloz. Veja como ela também está indo longe nas duplas.

      Responder
  32. Sérgio Ribeiro

    O Sérvio optou em não falar muito do “ incômodo “ durante a coletiva . Mas sua análise sobre o atual momento do Grego foi perfeito. Inclusive sobre seus golpes contundentes. Novak na ponta dos cascos leva sem muitos sustos. Aquela atuação contra o Espanhol não dá nem pra saída contra Tisitsipas. A conferir. Abs!

    Responder
  33. Daniel C

    Amanhã acredito que se o Tsitsipas conseguir manter a cabeça no lugar e não cair nos migués do Djokovic, tem boas chances. É mais jogador, tem mais recursos.

    Só espero por um bom jogo e que os juízes ou os boleiros não saiam machucados durante algum chilique do sérvio.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      E tome mais um comentário brilhante falando do Djokovic, rs.

      Mais jogador tendo 1 Big Title contra 59? Quais seriam esses “mais recursos”? Só vejo o voleio, caro freguês.

      Responder
    2. Willian Rodrigues

      Amigo, seu vasto conhecimento tenístico acabou de ser comprovado!! Não fosse a coincidência de um momento de desconcentração do sérvio (algo raro) com o melhor momento emocional da vida tenística do grego, naquele match point , o jogo teria sido um sonoro 3 x 0. By the way, são quase 11 anos de diferença de idade, hein?!! Pra vocês que vivem alegando que esse foi o grande problema do Federer contra seus “pais” Djokovic e Nadal, uma diferença de 6 e 5 anos, respectivamente…
      Algo de errado não está certo!! KKKKKKK
      Abs

      Responder
  34. Efraim Oliveira

    Imaginem, a galera toda esperando um Nadal vs Novak e acontecer o que aconteceu no Us Open de 2014? Acho que nesse caso seria mais zebra do aquele fatídico Us Open. Curiosamente, foram eliminados os dois melhores jogadores de quadras duras, e agora seriam os de saibro. Mas acho que isso não acontecerá…

    No geral, quem tem uma carreira melhor no saibro? Novak ou Roger?

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Efraim, isso já foi amplamente debatido aqui nas últimas semanas.

      Os grandes títulos (11×7), as vitórias sobre o Nadal (7×2, incluindo todos os Masters e Roland Garros) e o título de Roma de 2015 em cima do Federer consolidam o sérvio como o segundo melhor saibrista do século 21.

      Responder
    1. Rogério R Silva

      Se isso acontecer, é possível,sabemos,Nole e Nadal irão parabenizar os adversários mas dirão que não estavam 100% fisicamente.
      Isso já aconteceu,também sabemos.
      Nada de novo.
      Acho até normal.
      Guilherme Arantes perdeu a voz antes do show dele no Rock in Rio e culpou a ansiedade,mostrou que é humano como nós.
      Ayrton Senna bateu sozinho em Mônaco e disse que viu Deus…
      Acho que se a gente só se interessar pelas atuações dos artistas,de qualquer área,seria muito melhor.
      Vamos ver o que acontece hoje.
      Uma coisa te garanto :
      A História está sendo feita e temos a sorte de presenciar,não importa o resultado.
      Forte abraço.

      Responder
  35. Eduardo Lima

    Boa noite Dalcim e a todos do blog. Pra deixar claro, sou fã do tênis por conta de Nole, sou novo e comecei a acompanhar tênis em 2014. E adoro ver os jogos do Federer e Nadal, torço sempre pra haver confronto entre eles, afinal estão na fase final de carreira. Não da pra entender os comentários desagradáveis de certas pessoas, dizer que o sérvio simulou as dores. Dalcim, não sei você mas tô torcendo pra mais uma final entre Nadal e nole. Djoko recuperado e Nadal 100% seria uma linda batalha. Abs

    Responder
  36. Mário Cesar Rodrigues

    Boa noite Dalcim e a todos.bem brilhante como sempre o Moya não disse que ele não está 100 por cento.muito pelo contrário hoje em entrevista ele disse que não entrava na cabeça dele em Roma Rafa ter feitos 2 grandes jogos e contra o Argentino caiu bruscamente fisicamente é sem contar que Diego jogou muito.hoje ele disse que com a parada sem ritmo é normal mas agora fez 5 jogos é pode não estar 109 por cento.mas quem está cem por cento.mas disse que o time tem estratégia pronta ele fez questão de ver o jogo do Argentino e Austríaco.e vai por o plano em jogo.agora vamos ver.mas Rafa passa e não perde um set vai ser campeão sem perder um set abs.

    Responder
  37. Miguel BsB

    Falando no circuito feminino, que é simplesmente imprevisível, não consigo ver nada demais no jogo da Sofia Kenin, a não ser sua inteligência tática e seu espírito de luta. Agora, em termos técnicos, não possui nenhum golpe arrebatador ou que se destaque.
    Já sua oponente, assisti o atropelo pra cima da Argentina, e essa sim bate pesado, principalmente de forehand, e saca bem, sabe usar muito bem o saque kick na vantagem pra forçar uma bola curta e dominar com a direita…
    Diante do cenário, e da grande surpresa que seria, no já totalmente surpreendente circuito feminino, gostaria que a polaca ganhasse…pq o jogo da Sofia Kevin é muito sem graça…
    Na verdade, no circuito feminino atual, o único jogo que me encanta é o da Barty, que só volta ano que vem.

    Responder
    1. Marcão

      Olá, Miguel. Posso dizer que acompanho bem mais o circuito feminino do que o masculino pela imprevisibilidade e pela diversidade. Ao contrário do masculino, onde as primeiras rodadas são protocolares para os líderes do ranking, no feminino todos os jogos são difíceis. Não tem moleza. O ranking é quase simbólico. Sair do quali e avançar às rodadas finais acontece com bastante frequência. E há outro detalhe: no feminino cabem todos os estilos, tipos e idades. Aposentou e quer voltar? Sem problemas. Joga desde o século passado e não sonha em parar? Sem problemas. É baloeira de carteirinha e quer competir? Sem problemas. É teenager e sonha erguer troféus? Sem problemas. O tênis feminino é uma grande festa em que todas as convidadas têm licença para brilhar e se divertir, diferente do masculino onde aqueles velhinhos ranzinzas só liberam coca-cola para os meninos.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Concordo em partes Marcão…
        Não acho que o tênis feminino tenha essa diversidade toda não…faltam demais: voleadoras, moças que saibam quebrar o jogo com slices, deixadinhas, backhand de uma mão tem 2 ou 3…a maioria ou é na pancadaria ou é no balão…
        Concordo que a imprevisibilidade é muito maior, agora, porque até poucos anos atrás era Serena pule de 10…
        Acho que falta consistência das jogadoras ditas grandes: Halep. Muguruza, Kerber, Svitolina etc…e só pra você ver, dessas citadas, absolutamente nenhuma tem um jogo que me agrade. Se for pra ver correria e pancadaria, assisto o masculino mesmo que é melhor nesse quesito.
        Por isso me agradam o jogo da Barty, que é bem diferente disso, e gostava muito de assistir a Henin.

        Responder
  38. rafael

    Mestre, belo texto mais uma vez. Tenho a impressão que o Nadal terá mais dificuldades. O grego sempre que começa a falar demais acaba decepcionando. Se ele perder o 1 set então, pode esquecer.
    E acho que o Bruno leva hein?! E, finalmente, alguma notícia dos problemas físicos do Djoko?

    Responder
  39. Miguel BsB

    Que legal ver a Justine dando entrevista! Quanta falta ela faz pro circuito feminino…
    Pensei aqui, na verdade uma viagem, mas ela é uma mistura dos azaroes das semis… petit como Diego e armada com um belo back de uma mão, como Stefanos…rs

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        E depois ainda dizem , cara JAN , que a Rainha também não tinha oponentes. Justine foi a Ex – N 1 que mais deu trabalho. 8 x 6 no Geral e 4 x 4 nos SLAM . Sempre a achei mas completa que sua conterrânea Kim Clijster , outra Ex-N1 de grande categoria. Abs!

        Responder
        1. JAN DIAS

          Com certeza! A HENIN era talentosissima e deu muito trabalho pra SERENA.. Outra da qual sinto saudade de ver jogar é a MONICA SELES, gostava muito dela..

          Responder
  40. Paolo

    Jogos em cinco sets são bem mais difíceis de administrar. Então por isso acredito que Nadal vá ganhar do argentino, e Djokovic do grego.

    Estou na torcida para que a final seja entre Djokovic e Nadal, mas se não der, tudo bem. O resultado positivo do argentino será muito bem-vindo.

    O importante para mim, é o sérvio chegar a final,depois vamos ver o que acontece. Abs!

    Responder
  41. JAN DIAS

    Essas semifinais do masculino vão ser do babado:

    – Muita técnica numa combinação inflamável 🔥: DJOKO x TSIPAS (2 chiliquentos querendo muito ir pra final, se um começar a gritar na cara do outro vai ser um show..kk).

    – Força física e força de vontade 💪: DIEGO x NADAL (O argentino já sabe que pode vencer o espanhol no saibro mas Rafa não entrega nada de graça..então é provável um jogo de 5 sets).

    Responder
  42. Luiz Fernando

    Faço minhas as palavras do Dalcim, vejo Rafa e Djoko favoritos, mas menos do q eu imaginava no início do torneio. Amanhã será o famoso “make or break” p Rafa em matéria de expectativa de título: se vencer bem o número 20 começa a tomar forma…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Bom , desde quando você achava Rafa Nadal favorito em algum momento ? Na boa , guarde os seu comentários para depois relê-los . Antes do Torneio dizias que ele estava sem ritmo , durante que suas bolas estavam curtas e o Serviço fraco . Ao contrário nós colocamos antes de Roma que o Espanhol teria o tempo suficiente pra achar seu jogo. E pra aqueles que acharam errado ele pular o USOPEN ( bota gente nisso ) , estamos vendo o Espanhol em mais uma Semi e sem ceder Sets nem pra SINNER . Dificilmente Dieguito vai impedi-lo de mais uma FINAL . Taticamente o Touro é um estudioso como poucos. Não acredito nem em 5 Sets . A conferir. Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Nós quem kkk? Aquele(s) q disse(ram) disse q haveria 4 nextgen nas quartas e aparecerem 2, lembra? Um errinho de 50% kkk. Serginho, guarde suas historinhas pra quem crê em papai noel e saci perere kkk. Nunca disse q ele não poderia vencer, como ainda não venceu nem sua semi, mas simplesmente q não veríamos o melhor Nadal em RG 2020, ou será q vimos? Abs.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          SINNER + TISITISIPAS + RUBLEV =3. Sabes contar GURI ??? E coloquei que Dieguito poderia atrapalhar. Além de Vaidoso quando contrariado não les com atenção nem seus próprios comentários. Onde está o Alemão com muito mais jogo que Berretini ? Na boa o ” diversão garantida ” é um mais que consagrado passador de recibos. Abs!

          Responder
          1. Luiz Fernando

            Maior passador q vc ainda está p nascer… dito isso vc pode ser o arrogante número UM pq merece este titulo kkkk…

  43. Barocos

    Dalcim,

    Mais preciso que o Big Ben !
    https://www.youtube.com/watch?v=7um6fdwKRvU

    Como de costume, nada a acrescentar e muito para agradecer.

    Repito a súplica que fiz aos deuses do esporte no artigo anterior: por favor, permitam-nos assistir a mais uma batalha épica entre Nadal e Djokovic. Se não for possível que este extraordinário evento aconteça, saberei me conformar, ciente de que os gladiadores que se apresentarem na arena do confronto final, terão conquistado merecidamente o direito a tal honra.

    Ajde Dojokovic !

    Saúde e paz, pois só existe honra e glória em confrontos quando estes ocorrem sob a égide desportiva.

    Alea iacta est!

    Responder
  44. Sandra

    Embora não houve os jogos ainda , Dalcim, você há de convir que essa seria a última chance de Djokovic ganhar Roland Garros , ele realmente não deu sorte, ano passado não tinha teto retrátil e ele teve que jogar dois dias seguidos e não se adaptou ao vento, esse ano essa contusao , será que ele que não deu sorte, ou a sorte para variar em Roland Garros está com o Nadal? Para mim o único que conseguiria ganhar do Nadal mesmo em Paris seria ele , ida que segue

    Responder
  45. Lejoso

    Mestre, sabemos que o fator piso influência muito no tênis individual, vídeo Nadal no saibro, Federer na grama, etc, ao ponto de determinar favoritismo diferentes entre mesmos jogadores de acordo com o piso.
    Nas duplas o tipo de piso TB influencia bastante ou e menos relevante que nas simples?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Influencia, sim. Há quem gosta fod mais velozes ou dos mais lentos. Essa notável transição do Soares e Pavic merece muitis elogios.

      Responder
  46. Rubens Leme

    Sobre o Nadal e o Peque, não acho que ele deixará escapar nova final. Acredito até em 3×0, mas ele continuará recebendo lá atrás. Sempre foi assim, não irá mudar agora. Ah, e se for campeão, iguala ao time dele Real Madrid. Ambos serão recordistas com13 títulos, embora, claro, os dos merengues são campeonatos europeus. Tinha sido superado pelo sua equipe do coração, no último título de Zidane, mas agora pode empatar.

    Responder
  47. Rubens Leme

    Dalcim, quando fui escrever aqui apareceu o vídeo da Justine, mas quando voltei para o texto, sumiu e entrou highlights do jogo do Busta e o da Justine sumiu.

    Responder
      1. Barocos

        Dalcim,

        Quando quiser colocar um link do youtube, clique em “compartilhar” e use o link apresentado, é mais confiável do que o que você pega direto da barra de endereços.

        Saúde e paz.

        Responder
  48. Antônio Luiz Júnior

    Parabéns Dalcim, excelente texto, muito bem fundamentado, e que expressa claramente todas as nuances que envolvem as suas semifinais. De fato pelo conjunto da obra, Nadal e Djokovic, em condições normais são franco favoritos. Mas, sabemos que o tênis nos revela surpresas. Os dois adversários, mesmo sendo considerados não favoritos, devem ser muito respeitados. Gostei muito do título desta vez ” Líquido, mas não tão certo” – fala por si só. Espero dois grandes jogos, com muita aplicação, muita técnica e muita emoção. Vamos esperar para ver. E parabéns mais uma vez pela lucidez…

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        É um fanático xiita mesmo.

        “Surra proporcional” de quem perde de 1 x 3. Primeira vez que inventam isso…

        kkkkk

        Será um imenso prazer ver o Nadal frustrando esses caras de novo, no domingo.

        Ô segmento mesquinho, viu…

        Responder
  49. waldir santos

    amigo, como concordei em tudo na sua ultima publicação, nesta não é discordar, apenas eu acho os dois jogos muito dificeis….vamos esperar e torcer por dois belos jogos….gostaria que fosse 3 x 2 para qualquer dos quatros jogadores….um abraço.

    Responder
  50. Paulo Almeida

    Nação GOATista, a invencibilidade de 2020 pode cair amanhã ou, no mais tardar, no domingo.

    Nunca duvidemos do sérvio depois de todos os buracos dos quais ele já saiu, mas a chance é real, ainda mais se jogar da mesma forma com que jogou contra o hipócrita e medíocre Busta.

    Caso aconteça o pior, é óbvio que ele dará a volta por cima e seguirá competitivo e disputando títulos por muito tempo ainda. A zoação dos rivais será efêmera e tirada de letra por nós!

    Ajde!

    Responder
      1. Willian Rodrigues

        O próprio Dalcim, além de muitos comentaristas esportivos mundo afora, julgam que Djokovic está realmente com problemas musculares!!
        Ele já adentrou a quadra com o emplastro (geralmente, contém substâncias analgésicas) na região dorso-cervical.
        Não se trata de uma “desculpa” pronta!
        Tsitsipas é um jogador bem mais completo… Se Djokovic perder porque não encontrou recursos para anular as armas gregas, paciência! Aceitaremos…
        Agora, se estiver sacando com apenas 50% de sua capacidade, será sim uma JUSTIFICATIVA bem plausível, no caso de derrota.
        Ou alguém aqui acredita mesmo que o cidadão seja capaz de simular uma fragilização tão intensa no saque apenas pra usar como desculpa??!
        Sem 1º serviço contra um grande jogador como é o grego, não dá pra vencer em melhor de 5 sets!

        Responder
      1. Paulo Almeida

        Nação por ser a torcida que mais cresceu nos últimos dez anos e GOATista por torcer para o maior e melhor de todos os tempos.

        E ai, Ribeiro, aprendeu que NG é até 20 anos ou com muito boa vontade até 21?

        Abs!

        Responder
    1. Gildokson

      Mas tu é medroso hein Paulo?! kkkkkkkkkk
      Calma que o Djokovic durante o jogo vai relaxando a musculatura… e de qualquer forma, inteiro ou não a chance dele ser campeão de RG em cima do Nadal inexiste kkkkk É só tu ir no YouTube e ver ele fechando os jogos com duplas faltas em 12 e 14 ou esbarrando em rede na hora de matar ponto crucial… e por aí vai. Vocês tentam fingir, mas ele é freguezaço do espanhol em Paris também ta! kkkkkkkkkk

      Responder
      1. Paulo Almeida

        A chance existe sim, Gildokson, afinal o GOAT foi o ÚNICO capaz de desafiar o melhor Nadal em sua casa (quase o venceu em 2013), além de o ter batido em em sets diretos em 2015, com o jogo terminando em dupla falta também.

        Ninguém finge nada, cara. Todo mundo é freguês do cara no saibro, mas o Djoko tem 7-17 e o Federer 2-14. Acha mesmo que tem comparação?

        Abs!

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *