Meio Djokovic basta
Por José Nilton Dalcim
7 de outubro de 2020 às 19:49

O favoritismo de Novak Djokovic para avançar a sua 10ª semifinal de Roland Garros foi ameaçado… por seu pescoço. O líder do ranking jogou talvez 50 ou 60% de sua capacidade na maior parte dos quatro sets, mas ainda assim conseguiu ser superior ao espanhol Pablo Carreño. Segundo a mídia local, ele voltou a sentir o problema que se manifestou em Nova York no aquecimento e entrou em quadra com um extenso emplastro.

Irritado e limitado, perdeu o primeiro set. E aí veio o pecado capital de Carreño, que até então estava determinado a brigar no fundo de quadra, talvez consciente da contusão. Perdeu duas chances de quebra no terceiro game do segundo set, uma delas extremamente fácil quando Djokovic deu um smash de quinta classe. Lembro de ter escrito no Placar UOL que esse desperdício poderia custar caro, e não deu outra. Foi quebrado no game seguinte e levou um passeio do adversário no restante do set.

Carreño não jogou mal, mas faltou o espírito vencedor. Na hora que tinha o domínio emocional da situação, teria de ter apertado. Ao contrário, deu ritmo a Djokovic, que pouco a pouco esqueceu do desconforto e cravou a esperada soberania. Viveu é verdade intensos altos e baixos. Num mesmo game, errou dois forehands no meio da rede, mas enfiou outros dois na linha. A diferença se vê sempre nos pontos importantes. Vai para cima sem medo, quase sempre infalível.

Nole gritou, reclamou, esbravejou com seu time, apressou boleiros. Fez cara feia, de dor, de mau, de orgulhoso, de raiva. E chegou lá. Na entrevista oficial, evitou ao máximo falar do pescoço, garantindo que está tudo bem para sexta-feira, quando tentará chegar pela primeira vez à final desde o título de 2016.

Tsitsipas sobe mais um degrau
Em piso radicalmente oposto, o grego Stefanos Tsitsipas garantiu sua segunda semifinal de Grand Slam, repetindo o feito então inesperado do Australian Open do ano passado, num piso bem veloz.

O resultado é muito expressivo por dois componentes emocionais, já que o grego de 22 anos havia sofrido duas amargas derrotas: a do US Open, quando tinha o jogo nas mãos frente a Borna Coric, e a para o mesmo Andrey Rublev de hoje no saibro de Hamburgo há 10 dias, em jogo que sacou para o título.

E a coisa começou tensa para Tsitsipas, que procurou um estilo agressivo mas foi quebrado e viu Rublev sacar para o primeiro set. Falhou e aí o grego engatou quatro games seguidos e não tirou mais o pé do acelerador, dominando com categoria os dois sets seguintes em que Rublev não fez outra coisa a não ser espancar a bola, sem a criatividade necessária.

O principal nome da nova geração terá chance contra Djokovic? Por ser um tenista agressivo e ousado, sem perder qualidade na base, sim. Aliás, ganhou dois dos cinco duelos já realizados, algo que permitirá jogar mais solto, embora tenha sido dominado por Nole nos dois mais recentes. Se levar à quadra seu vistoso tênis, ao menos haverá garantia de um grande espetáculo.

Cabeça contra zebra
A final de Roland Garros certamente terá de um lado uma campeã de Grand Slam e uma surpresa. Isso porque Sofia Kenin e Petra Kvitova confirmaram nesta quarta-feira e irão duelar entre si. A outra vaga sairá entre as ‘zebras’ Iga Swiatek e Nadia Podoroska.

Num torneio tão marcado por resultados inesperados, Kenin e Kvitova farão apenas o quarto jogo entre cabeças de todas as duas semanas, ou seja, 124 partidas. A canhota tcheca venceu os dois duelos contra a norte-americana já realizados.

Kenin suou mais nesta quarta-feira e viu uma reação notável de Danielle Collins. Mas veio um atendimento médico e Collins sumiu em quadra, tendo vencido apenas 10 pontos no ‘pneu’ imposto pela campeã do Australian Open.

Depois de oito anos, Kvitova volta a uma semi em Paris e sem perder set. Passou sem sustos por Laura Siegemund no seu melhor estilo. Será interessante ver como ela e Kenin se encaram num piso tão lento.

Façanha sul-americana
Há ao menos um representante do tênis sul-americano em cada uma das chaves de Roland Garros nesta reta semifinal. Depois de Diego Schwartzman e Nadia Podoroska, em simples, e Bruno Soares e os colombianos Cabal/Farah na dupla, o quadro ficou completo com a classificação da chilena Alexa Guarachi na dupla feminina.

Soares e o croata Mate Pavic entram em quadra às 7h desta quinta-feira para o duro confronto diante dos colombianos, campeões de Wimbledon e do US Open do ano passado.

Parceria formada há 15 meses, Soares e Pavic venceram uma e perderam outra dos líderes do ranking, sempre na quadra dura e em dois sets. Vale sua torcida.


Comentários
  1. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Dalcim, fugindo do tema RG, não sei se vale a pena um post sobre o assunto, mas eu queria saber sua opinião sobre a modernização do tênis que querem impor, eu digo em regras, querem tirar o let/Net no saque, o iguais nos games para acelerar as partidas, se fala até em tirar melhor de cinco sets nos slam, pois para TV não é tão atrativo isso. E eu vejo a fórmula 1 como um exemplo claro que dá para se modernizar sem estragar as origens, no começo desse século, a categoria estava em baixa, e veio a empresa Americana liberty( acho que é esse o nome dela) e mudou a categoria apostando no marketing, nas redes sociais, a categoria era fechada, agora vc sente que faz parte dela, tanto pelas corridas, como ótimo documentário da Netflix produziu. eu sinto que para o tênis falta isso, explorar mais o marketing, vc não precisa “estragar” o jogo mudando as regras para deixar o jogo mais rápido, eu como apaixonado pelo esporte, quero ver mais partidas, se possível longas, o que difere o tênis dos outros esportes é esse senso de a partida pode durar 10 minutos por alguma lesão ou acabar depois de 6 horas. É fantástico o sentimento. E queria saber oq vc acha de tudo isso, pois as mudanças na minha opinião são precipitadas se acontecer. Eu apostaria no marketing mais forte, aproximar mais o público ao jogadores, do que mudar para tornar mais fácil.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu não acredito numa mudança radical das regrsa nem a médio prazo. É verdade que já houve estudos para se tirar a vantagem e o let, mas não vingaram. Mudar os Slam para três sets seria absurdo. É verdade que a TV não assimila jogos tão longos, por vezes até o espectador médio não aguenta tantas horas diante da TV. Mas quando vemos o sucesso de público nos Slam – 800 mil pagantes na Austrália e no US Open, filas intermináveis em Wimbledon -, você entende que o verdadeiro fã do tênis não se importa com isso. Quer emoção, bons jogos, empenho dos tenistas.

      Responder
  2. Ronildo

    Tsitsipas pode começar a derrubar castelos, sonhos, fazer pessoas verem um mundo mais real. Pode fazer isso em 2 estapas. Sexta-feira e domingo. Muitos sabem que Tsitsipas é capaz, mas tentam ignorar, fingindo não perceberem. Cuidado, a realidade está chegando. Caso Tsitsipas chegue à final e seja vice-campeão, mesmo assim terá ajudado muita gente a enxergar com um pouco mais de nitidez.

    Aguardemos

    Responder
  3. Luiz Fabriciano

    Mestre Dalcim, se me permite uma questão um pouco fora do contexto:
    Ainda não entendi se a regra do Serve Clock é apenas para o primeiro serviço, porque noto que há uma pressão para colocar a bola em jogo dentro dos 25 segundos, mas quando há alguma interferência externa ou quando o jogador vai ao segundo serviço, não há mais o reloginho contando.
    É assim mesmo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ah, você tocou num ponto que me incomoda, Luiz. A regra dos 25 segundos vale a partir do momento que o árbitro ‘canta’ o placar e aí o tenista tem de colocar o primeiro saque em jogo. Mas não há nenhuma regra ou cobrança para o segundo saque, o que acho um absurdo. Não é questão de pressionar demasiadamente o jogador, mas de colocar uma norma. Djokovic e Nadal demoram por vezes um século para dar o segundo saque.

      Responder
  4. Sandra

    Dalcim o que Djokovic vai fazer amanhã em quadra se tudo leva a crer que ele não tem condições , ainda mais com o grego que está jogando muito ! E mesmo que ele passasse como iria enfrentar provavelmente o Nadal ?

    Responder
  5. lEvI sIlvA

    Apenas pra pensar…
    Masters Cup 2000, Lisboa.
    Guga vs Agassi, 1° jogo do RR desta edição.
    O brasileiro ganha a primeira parcial e se machucou, levando a virada de André Agassi.
    Depois disso, apesar de achar que ele iria subir e cumprir tabela saindo após a primeira fase. Continua ganhando e ganhando, derrota a temível Pete Sampras na SF e ironicamente, o próprio Agassi na final por triplo 6-4.

    Indiscutivelmente, Gustavo Kuerten se machucou, e jogou no sacrifício toda a Masters superando tudo e levando a melhor sobre 2 tenistas que nenhum outro jogador, nem ninguém no círcuito ousou fazer antes.

    A pergunta que fica é, alguém seria capaz de questionar aqui a lesão que, mais tarde viria a abreviar a carreira e feitos do brasileiro?

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Teve um momento que ele se irritou tanto com sua limitação, que deu uma raquetada na própria coxa, ficando uma enorme marca por um tempão.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Nada, mas nada a ver, cara!

        Que mania horrorosa de distorcer tudo que os outros falam…

        O Djokovic já foi acusado disto antes: esfriar o jogo, fazer catimba, “valorizar” incômodos físicos.

        Já o Guga NUNCA fez esse tipo de coisa e NUNCA foi acusado de nada disto!

        O exemplo do Levi é bem ruinzinho.

        Principalmente por dar terreno para desonestos intelectuais oportunos feito você.

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Desculpe, Levi.

      Mas nada ver essa comparação tua aí…

      1. Primeiro que a lesão do Guga em 2000 não havia se agravado tanto como depois da final do Us Open 2001.

      2. A lesão do Guga era INCONTESTÁVEL, tanto que no ano seguinte ele operou, e nunca mais foi o mesmo jogador.

      3. Acredito que o Djokovic tenha sentido um incômodo sim, só que não é a primeira vez que ele esfria jogos… tem histórico.

      Responder
      1. Bruno Gama

        Teve uma final de Australian Open contra o Murray que ele tava se arrastando em quadra, fingindo que tava com problema na coxa com uma quebra abaixo no terceiro set, foi só virar o placar que começou a correr igual um doido, o próprio Murray comentou isso no final da partida.
        Também teve a final do US Open 2016 contra o Stan que ele pediu atendimento médico quando tava perdendo o quarto set, mas o Stan não caiu na armadilha e continuou atropelando.

        Responder
      2. lEvI sIlvA

        Rodrigo, meu caro, não comparei as situações no tocante a Djokovic simular e Guga fazer algo do tipo. A comparação tem muito mais a intenção de refutar alguns que, dizem ser impossível o sérvio vencer estando mal fisicamente. Guga também venceu muito com sérias limitações, pois era um verdadeiro leão jogando.
        Se, neste sentido, ainda é uma comparação ruim…
        Outra coisa. A lesão dele começou a se tornar algo sério ali, mas só mais tarde, no USO 2001 é que ficou realmente crítica.
        Abraço e cuide-se por aí!

        Responder
  6. JAN DIAS

    Essas semifinais do masculino vão ser do babado:

    – Muita técnica numa combinação inflamável 🔥: DJOKO x TSIPAS (2 chiliquentos querendo muito ir pra final, se um começar a gritar na cara do outro vai ser um show..kk).

    – Força física e força de vontade 💪: DIEGO x NADAL (O argentino já sabe que pode vencer o espanhol no saibro mas Rafa não entrega nada de graça..então é provável um jogo de 5 sets).

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que poderia ser melhor, Joaquim. Felizmente, existe algumas equipes de iniciativa privada que procuram ajudar nisso, mas acho que falta fortalecer o intercâmbio internacional – aproveitamos muito mal a proximidade com o forte tênis argentino – e realizar mais eventos de base, os chamados ‘futures’, que são a melhor forma de dar essa oportunidade. Também não acho tão custoso montar uma base em Portugal, onde poderíamos levar anualmente um grupo de jogadores. É a porta de entrada da Europa, e acho que o tênis português se beneficiaria desse trabalho conjunto. Enfim, existem várias ações a ser exploradas. Porém, o que mais me incomoda ainda é o minúsculo calendário brasileiro de torneios infantojuvenis e a falta de um ‘olheiro’ que percorresse o país para não deixarmos escapar tantos talentos. Abs!

      Responder
  7. FILIPE

    Acho incrível dizer que o jogador finge. Ninguém chega onde sérvio chegou fazendo corpo mole. Veja, Djokovic é o tenista que mais faturou na história do tênis profissional. Não só pelo número de títulos, mas também porque sempre chega nas fases finais dos grandes torneios. Logo, você que está tomando sua cerveja aí no sofá, faça uma autoanálise antes de dizer que um atleta do calibre do sérvio está fazendo fanfarronice simulando dores. Faz o seguinte: acesse o YouTube e reprise a partida de seis horas que Nadal x Djoko fizeram na final do Australian Open.

    Responder
  8. FILIPE

    Dizer que o sérvio está vertendo desculpas por eventual desclassificação é certamente um chiste. Quem diz isso está de graçola. O jogador ainda não perdeu esse ano. Foi desclassificado, mas ainda não perdeu na bola. É impressionante! Mesmo que seja derrotado na semifinal por 3×0, a performance desse jogador é assombrosa.

    Responder
  9. Paulo F.

    Chiquinho Leite Moreira acabou de relatar no programa em que comentar de que Agassi acusava o Sampras de ser artista na quadra.
    Vão xingar o Sampras também?

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Eu assisti , P F . Sampras raramente pedia atendimento médico. Pouco pedia Toalha e somente foi utilizar munhequeira num dos punhos no Final de carreira . Já Agassi queria que seus oponentes jogassem no SEU ritmo ligeirinho o tempo todo . Como se ele fosse o dono do espetáculo. Não com Pete Sampras. Este ao Final de um ponto caminhava tranquilamente ao SEU estilo . E quando parecia que estava morto , aí de repente disparava uma das melhores direitas na corrida da história. Chiquinho falou e não disse nada . Bem diferente do que vários jogadores fazem , principalmente no segundo serviço. Além dos excessivos pedidos de atendimento em pontos importantes. Abs!

      Responder
    1. ANTONIO GABRIEL

      É o mesmo que pediu atendimento médico no US OPEN depois de tomar um 6×0 do Shapovalov na cara no 4 set. Será que este atendimento foi pra valer ou ele deu um migué ?? Ai faltou um reporter pra perguntar pra ele também, pois se o jogo não tivesse parado talvez, ai sim, o Shapovalov tinha entubado o joga chato do Bustinha.

      Responder
  10. Rubens Leme

    T. REX – THE SLIDER (1972)

    Marc Bolan já era um ícone do rock britânico quando morreu em um acidente de trânsito, duas semanas antes de completar 30 anos, no dia 16 de setembro de 1977. Uma morte irônica, pois embora não soubesse dirigir, tinha vários em sua coleção. O veículo era dirigido por sua namorada – e futura mãe do único filho do casal, Rolan – Gloria Jones, que fraturou um braço e a mandíbula.

    Seu enterro teve as presenças de David Bowie e de Rod Stewart. Suas cinzas foram enterradas no Golders Green Crematorium, em Londres, e o local do acidente virou um santuário e ganhou até um busto de Marc Bolan.

    Como líder do T. Rex (originalmente Tyrannosaurus Rex), Bolan passou por todas as fases do rock do final dos anos 60- de duo folk quase hippie, a ícone máximo do glam rock – posto que o amigo-inimigo-fã David Bowie roubou – até o respeito dos punks. Marc Bolan influenciou dezenas de bandas e artistas e suas músicas foram regravadas por um número imenso de adoradores.

    Aliás, um parêntesis sobre David Bowie: Bolan tinha um programa de televisão chamado Marc, que teve apenas seis episódios e por onde passaram várias bandas novas do então movimento punk: The Jam, Generation X (de Billy Idol), The Boomtown Rats, Eddie and the Hot Rods, além de veteranos como Thin Lizzy, Hawkwind, o baterista do Queen, Roger Taylor, entre outros. Em sua última aparição, Marc e David fecharam o programa tocando “Heroes”, com Bolan caindo do palco no final, enquanto Bowie ria – https://www.youtube.com/watch?v=kDxUAWIkiOg).

    Guitarrista virtuoso, excelente vocalista e extremamente carismático, Marc era uma pessoa muito divertida e admirada por seus colegas. É famoso o vídeo do hit “Get It On”, onde dubla a canção, tendo Elton John no piano , no programa Top of the Pops, em dezembro de 1971 (https://www.youtube.com/watch?v=UDObiBdsdF8).

    Entre os grandes discos do T. Rex, dois se destacam: Electric Warrior (1971), que traz a canção em questão e The Slider (1972), um disco capaz de rivalizar pau-a-pau com The Fall and Rise of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (1972), como o grande álbum do glam rock.

    https://www.youtube.com/watch?v=sfA6ucQE92k&list=PLz6cAheObZchibGOwawEd3eG8msDvVF_s

    Responder
  11. sander

    Dalcim, boa tarde. Gostaria de parabenizá-lo pelos posts muito bem elaborados e sensatos. Sem contar as super sacadas que vc dá, fazendo analogias com filmes e citando letras de músicas. Extremamente divertido e sofisticado… (“duro de matar”, “o inferno é aqui”, etc, etc…) . Agora, o mais importante é o seu espaço para tirarmos as dúvidas e a forma solícita com que responde. Aprendemos mais a cada dia com seus comentários. Não existe espaço igual a esse no seu blog em nenhum outro esporte ou site. Parabéns mesmo e obrigado pelo sensacional blog ( atire a primeira pedra quem não clicou F5 inúmeras vezes após um grand slam, às vezes madrugada adentro, rsrsrrs). grande abraço e felicidades!!
    Ps: por favor, não se aposente cedo…

    Responder
  12. waldir santos

    amigo eu escrevi para voce no / o segundo melhor desafia djokovic / gostei da sua analize…..agora o espanhol carrero disse duas besteiras, que era o melhor naquele piso, talvez o nadal seria pareo para ele e segundo que o djoko estava fingindo de dores…..um imbecil completo, quantos jogadores e jogadoras pediram o medico, varios, é desculpa de perdedor….4 jogos 4 derrotas…se ele é o melhor o que tem se o djoko estava fingindo ou não de dor….era só jogar o seu jogo e nem se preocupar se tinha ele dor ou não….é um perdedor eterno…..obrigado, voce foi perfeito em MEIO DJOKOVIC BASTA….UM ABRAÇO

    Responder
  13. Luiz Fernando

    Vitoria merecida da Kenin, a garota q de fato não é gata de rosto mas tem pernas maravilhosas. Jogou melhor, se defendeu muito bem, enfim, absoluta justiça no resultado. Kvitova, por seu lado, errou demais. Swiatek me parece ter uma bola mais agressiva e mais pesada do q ela, mas ninguem chega numa final dessas sem chance real no feminino…

    Responder
  14. Jeovan dos Santos

    É impressão minha ou este blog “pende” um pouco para o lado do sérvio? Estou chocado com o fato do José dalcim responder de forma ríspida, para não dizer ignorante, os comentários que questionam se o Djokovic estava realmente lesionado. Em algumas respostas que li, o autor chega a tentar calar a boca dos leitores pedindo o suposto “atestado de especialista” da pessoa no assunto, o famoso “quem é você para falar do que não entende?”. Dalcim, você teria atestado de especialista em tênis? Já jogou profissionalmente, obteve posições nos rankings brasileiro e da atp, ganhou troféus, etc? Se você pode falar “daquilo que não entende”, por que os leitores não poderiam? É preciso ter diploma de medicina, etc., para opinar que o sérvio pode estar fingindo lesão? Confesso que agora realmente gostaria de ver os “atestados” do Dalcim que o credenciam… Afinal todos os grandes comentaristas de tênis já foram tenistas ou até mesmo treinadores (Dacio Campos, Matts Wilander, John Mcenroe, Patrick Mcenroe, etc.). Mostre-nos então suas credenciais Dalcim, já que você está a exigi-las dos seus leitores quando eles questionam a catimba ou suposta catimba ( quem sabe?) do Djoko. Quero deixar claro que não tenho nada contra o sérvio, realmente só fiquei abismado com a maneira que o autor responde aos que questionam o Djokovic.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Em primeiro lugar, o Sandro NÃO QUESTIONOU a contusão do Djokovic. Ao contrário, tem uma explicação técnica muito interessante. E eu, como editor do site, gostaria de explorar o assunto. Assim, nada mais justo do que pedir ao Sandro, que tem conhecimento, seu contato para que a redação possa fazer um texto a respeito. Vocês deviam fazer curso de interpretação de texto. E eu raramente sou indelicado com um internauta, a menos que ele mereça. Não foi o caso do Sandro.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Incrível! O analfabetismo funcional GRASSA nesse país! O Sandro escreveu justamente o CONTRÁRIO do que esse rapaz acima afirma. Disse que admira o sérvio por ainda conseguir jogar tendo determinada lesão que ele descreveu muito bem, com profusão de detalhes técnicos que levam a crer, pelo menos aos leigos, que ele possui conhecimento técnico e específico do assunto.
        Dalcim, meu caro Dalcim, que sua paciência permaneça elevada para você continuar interagindo conosco e não resolva bloquear de vez os comentários e essa horda que não consegue interpretar um texto e postam suas verdades cheios de razão!

        Responder
          1. ALEXANDRE ADORNO DA CUNHA

            Ufa, Dalcim, ainda bem que você pode provar….kkk…sinceramente este foi o pior comentário que li aqui e olha que tem cada absurdo…

    2. Rafael Azevedo

      Jeovan, veja bem…
      o blogueiro a quem o Dalcim solicitou o contato defendeu a contusão do sérvio, e, aparentemente, também é torcedor do mesmo.
      Logo, essa sua elucubração perde o sentido. O Sandro estava concordando com a opinião do Dalcim a respeita do contusão do Djokovic, porém com mais detalhes técnicos. Então, por que o Dalcim iria desrespeitá-lo?

      Responder
    3. Fernando Brack

      Putz! Que festival de agressividade e descortesia. Jeovan, se vc não gosta do Dalcim, vc tem todo o direito de não ler seu blog.
      Quanto ao blogueiro, sua vivência na cobertura do tênis o credencia. Ele é um dos melhores articulistas do esporte no mundo.

      Responder
    4. Ronildo

      Eu entendi que o Dalcim estava interessado para o caso de necesssidade, ou para indicar a alguém. Foi o que pareceu. Você foi precipitado Jeovan.

      Responder
  15. EDVAL CARDOSO

    Pode ser que eu esteja falando besteira,e se for é por falta de conhecimento mesmo, mas eu gostaria de entender porquê o Bruno e o Marcelo sempre estão nessa gangorra, quando um está bem o outro está em baixa, sinceramente não lembro de os dois estarem jogando em alto nível no mesmo ano.
    Falei besteira Dalcin?

    Responder
  16. Luiz Fernando

    O vice de Trump, Mike Pence, enrolou e não respondeu quase nada no debate de ontem. Me lembrou Paulo Maluf nos debates aqui no Brasil. Parece q o mundo ficará com um louco a menos na presidencia em Novembro…

    Responder
      1. Lola

        E o velhinho adora apalpar crianças. Tem várias fotos comprometedoras, só ninguém fala nada pq a imprensa assim como aqui é 99% esquerdinha.

        Responder
          1. Lola

            Gabi,
            Os democratas vão entregar a América pra China, no debate de ontem quando Pence falava, ele era tirado do ar pela tv chinesa 😯, vai vendo!

  17. EDVAL CARDOSO

    Dalcin, existem 4 jogadores na atualidade,que tem muito de talento pra jogar tênis,mas com o mental inversamente proporcional, cito Monfins, Gulbis, Fognine e kyrios, os principais,que na minha opinião se tivessem cabeça, estariam brigando com Big three tanto em relação a ranking como em carisma, em outras épocas, houve outros casos de tenistas assim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, sempre houve jogadores com qualidade, mas que pecavam no mental. Como dizem os grandes especialistas, o mental é um diferencial gigantesco no tênis profissional, já que tecnicamente a distância é pequena.

      Responder
      1. periferia

        Olá Dalcim.
        No blog do Mário…ele reproduz uma entrevista da polonesa Swiatek.
        Ela fala da importância de uma psicóloga no jogo dela.
        Nao ouvimos falar entre os tenistas ….a importância do acompanhamento psicológico…algo que vc sempre chama atenção (mental).
        O tênis é igual o futebol….o tenista tem vergonha?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Não, José Cláudio, quase todos os tenistas hoje têm algo tipo de acompanhamento psicológico, incluindo os brasileiros. Pode ser que alguns dêem maior ou menor importância, porém é um elemento essencial na equipe de trabalho.

          Responder
  18. rafael

    Os comentários do Carreno Busta são medíocres. Nem devíamos estar aqui dando atenção a tal fato. Temos que enaltecer a vitória do Servio e torcer para ele estar plenamente recuperado. Assim teremos uma semifinal digna de RG. Só acho que o Servio estando recuperado ele vai “passar o carro” no grego. Anotem ai: 6/3, 6/4, 6/1.

    Responder
  19. AKC

    É um direito do jogador parar a partida para atendimento médico, mas é impressionante como o Djoko usa deste expediente sempre que está perdendo. Óbvio que isso tira o “momentum” do adversário. Não acho ético distorcer a regra a benefício próprio, por mais que isso seja um “direito”.

    Responder
  20. Ronildo

    A jovem polonesa Iga está detonando a esforçada argentina. Já esperava este resultado. Ela é craque sublime do tênis, o que fez com a super-favorita Halep, misericórdia! Todas as vitórias dela foram por placares elásticos! Kvitova ou Kenin vão ter que matar um leão com as mãos na final!

    Sempre na torcida pela Kvitova.

    Responder
  21. Luiz Fernando

    Swiatek, a polonesa fã de carteirinha do Nadal, atropelou a hermana sem dó nem piedade. Que campanha essa menina vem fazendo, sem perder sets em simples e duplas. Nao fosse pela historia de vida da Kvitova teria toda a minha torcida nesse evento; se a final for entre ambas ficarei feliz com qualquer resultado…

    Responder
  22. Mariana Tereza

    Gostaria de ver uma final entre Podoroska e Kvitova, mas Swiatek é muito superior à sul americana e acho que Kenin derruba a Kvitova em fáceis 2 sets. E você, Dalcim, o que acha dessa possível final?

    Aproveitando, quero elogiar seu blog, pois vejo sua postura em relação aos comentários respeitosa e sem censuras, demonstrando paciência e sabedoria. Vida longa!

    Responder
  23. Paulo Almeida

    Qualquer um que sabe que o Djokovic estava realmente com dores no pescoço e que, com o andamento da partida, a musculatura vai relaxando e a dor some por um tempo. Com o corpo já frio, ela retorna.

    Busta é um hipócrita e mau perdedor, apenas isso.

    Quanto ao jogo de amanhã, o GOAT terá chances só se estiver bem. Há pouco tempo de recuperação, mas confio em sua equipe ultraqualificada.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      E o Sandro fez um comentário extremamente técnico mais abaixo, impossível de ser refutado por qualquer leigo no assunto. Imagino que seja ortopedista.

      Responder
    2. Bruno

      Musculatura relaxando durante uma atividade física ,vc deve estar de sacanagem né ,Paulinho ?
      Quer uma aula de actina e miosina ?
      Volta para a música ,aí vc é um pouco melhor ,apesar de que tenho uma impressão que vc curte na verdade é um sertanejo universitário.
      Abraço.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Vá lá, dê uma aula de actina e miosina e também refute a explicação técnica do Sandro, se for capaz.

        Bom, em termos de música, redação, argumentação e mais trocentos outros temas, creio que te dou um banho, mas não que isso seja um grande feito.

        Abração, amigo.

        Responder
        1. Bruno

          Vamos lá ,Paulinho
          Para começar,é Impossível,o cara dar um diagnóstico a milhares de quilômetros.
          O que ele disse ,é uma possibilidade,que só é detectada com exame clínico associado a exames de imagem .
          Procurei ser bem didático e simples para dar para vc entender.
          Um abraço meu amigo .

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Putz, acho que não consegui entender nada.

            Faça um desenho mais fácil aí, por favor!

            E cadê a contração muscular possibilitada pela interação entre actina e miosina e sua relação com a dor? Aprendi alguma coisa no ensino médio e tenho vagas lembranças, mas queria a aula de um PhD no assunto!

  24. Miguel BsB

    Então, esses tenistas, profissionais, os melhores do mundo, precisam, de uma vez por todas, aprender uma coisa:
    Seja fingimento ou não, está nas regras que o adversário pode parar e pedir atendimento médico durante a partida, esteja ele realmente mal ou fingindo para esfriar o jogo em uma situação adversa…aprendam a lidar com isso, preparem a cabeça e o mental, e parem de usar essa situação como desculpa para a derrota!
    Como tb está nas regras que, acertar bolada em qualquer pessoa fora da disputa do ponto, é desclassificação. O sérvio teve que aceitar e lidar com isso. Os adversários tem que aprender a lidar com as paradas médicas.
    Vejam que eu, em nenhum momento, emiti juízo de valor se o Djoko estava ou não realmente lesionado. Eu, pessoalmente, até acho que estava, mas é impossível para nós e seus adversários termos certeza…
    O mesmo vale para a reclamação anterior da Sara Ernani, por exemplo.

    Responder
  25. Paulo F.

    Se é outros jogadores pedindo atendimento, OK, tá machucados/prevenindo lesão.
    Se é o Djokovic, é migué, jogo sujo para esfriar o adversário, mau-caratismo, coisa se “ídolo” dos novos tempos, etc.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Se Rafa ou Djoko pedem atendimento é milonga, fingimento, falta de esportividade etc, mas quando acontece com Federer os mesmos caras dizem na maior cara dura q o “craque tem credibilidade”, como antes do inicio do set 5 do AO 2017 e na amarelada daquele famoso Finals. Coerência, ou melhor, falta dela kkk…

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Pois é, Bruno.

          Também acho lamentável essa parcialidade.

          Os caras têm uma inveja tão inexplicável do Federer que SE JUNTAM para atacá-lo.

          (rs)

          Responder
      1. Fernando Brack

        Bom, do mesmo jeito, quando a coisa é com Federer, os torcedores do Nadal ou do Djoko invariavelmente dizem se tratar de milonga, fingimento, falta de esportividade, etc. Em críticas mais ásperas, dizem que é amarelada. E a vida segue impávida seu rumo.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Exato , caro Brack . E ainda comparam os dois a um Tenista que jamais abandonou um simples confronto. Veremos numa possível FINAL entre ambos os citados , se manterão a orquestra afinada . Abs!

          Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        Essa “ amarelada “ que você posta pra fazer média , demonstra o teu total desconhecimento do Esporte . A Copa Davis era na semana seguinte e Federer com dores nas costas foi varrido da quadra por Monfils. Sua eterna tentativa de ridicularizar o Suíço indo contra os fatos , o torna desde sempre , o maior passador de recibos deste Fórum . Sua única saída depois do odeio Roger Federer de 2017 , foi se juntar aos mesmos … Abs!

        Responder
  26. Rafael Azevedo

    Essa questão de guerra mental está bem interessante neste RG.

    As declarações do Busta tentando aumentar sua confiança e abalar os adversários…o desgaste mental do Thiem e do Wawrinka, ante o Gaston…

    Acredito que as declarações do Djokovic, no início do torneio, dizendo que as condições de RG eram ideais para ele, também foram um tipo de jogo mental. Nadal estava demonstrando um certo medo de perder RG com as reclamaçoes, então Nole aproveitou.

    Agora, o Busta afirma que Djoko está jogando com o mental mais uma vez, fingindo uma lesão. Será mais uma tática, nesse torneio francês de poker??

    Responder
    1. Marcelo

      O próprio Nadal faz esse “jogo mentsl” tirando o favoritismo dele mesmo.

      Faz parte da estratégia de casa um.

      Uns se abalam mais ouvindo, outros menos. Creio Nadal e Djokovic nao se abalam nunca quando iuvem

      Já Federer sequer ouvia: Estava em outra dimensão do tênis.

      Responder
  27. Rafael Azevedo

    Dalcim, você disse que o Tsitsipas é o principal nome da nova geração…
    Por que você considera isso?
    Levando em consideração o ranking e as conquistas, o Medvedev e o Zverev não estariam à frente dele?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nem sei se Medvedev ainda deve ser considerado nova geração, mas independente de ranking e de conquistas – o Tsitsipas tem um Finals – o grego tem múltiplas vitórias sobre o Big 3. E tecnicamente falando, está acima.

      Responder
      1. Barocos

        Dalcim,

        Também considero o grego um tenista excepcional, falta muito pouco no jogo dele e sua principal falha tem sido na parte mental. Outro tenista que me surpreendeu positivamente, e muito, foi o Sinner.

        O tênis estará em boas mãos quando o último do Big3 jogar a toalha.

        Saúde e paz.

        Responder
        1. Cassio

          Dalcim, como.mencionei antes, moro na Argentina. E adoro as transmissões da ESPN quando está comentando o Clerc. Ele é ótimo nos comentarios. Elogiou muito o Stefanos… Mas apontou coisas a melhorar na técnica do Stefanos. Disse que o slice é fraco e que no saque ele deveria corregir o movimentos dos pes e da cintura, onde poderia dar mais potencia ainda ao golpe. Queria saber o que vc acha? Abraço à todos e todas do TenisBrasil, obrigado pela desicação!

          Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Não tenho todo esse conhecimento, Cássio, mas se Clerc falou eu assino dmbaixo. Ele é excelente analista.

      1. Rafael Azevedo

        Também acho que ele é superior tecnicamente. Mas, pra mim, as conquistas estão sempre à frente da técnica, pois o jogo não é só a parte técnica.

        O Medvedev e o Zverev já alcançaram rankings maiores do que o Tsitsipas, possuem mais títulos, possuem títulos de M1000 (que o grego não tem, salvo engano) e já foram finalistas de Grande Slam (o grego nunca foi). Sei que o Tsitsipas venceu o Finals (o Zverev também), mas isso é suficiente para considerá-lo o “principal” Next Gen?

        Até acho que ele tem mais chances de ter uma carreira mais vitoriosa que os outros 2 citados, mas, por enquanto, ele está atrás. A não ser que a gente desclassifique o Medvedev e o Zverev como Next Gen. Aí, tudo bem…

        Responder
        1. Alice

          Belo comentário, Rafael. Estou de acordo, principalmente quando diz que o jogo de um tenista não é feito apenas de elementos técnicos e que isso é refletido em feitos na carreira. Ou seja, uma coisa norteia a outra.

          Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        O fato de você não considerar alguma coisa , caríssimo Piloto , não altera o preço do dólar rs . TISITISIPAS é sim aos 22 , da nova geração ( ONZE a menos que Novak ) , e SINNER aos 19 , um autêntico Next Gen que já bateu 3 TOP 10 , e que fez dois Sets de altíssimo nível contra o Rei do Saibro . Se você não enxerga nada de especial no jogo do garoto não muda nada devido ao seu perfil mais que conhecido rsrsrs Abs!

        Responder
        1. Luiz Fernando

          E sua visão, assim como a minha, igualmente não alteram a cotação de qualquer moeda meu caro. O Dalcim nos dá a liberdade, de forma civilizada, de expormos o q pensamos no espaço dele, apenas isso, e dentro de certos limites é muito difícil expor se A ou B estão certos ou errados, pois cada um pode perfeitamente ter uma visão distinta sobre o mesmo fato. Claro q aqui existem os q se consideram acima dos demais, são uns pobres de espirito, pessoas q talvez tenham tido problemas na infância de rejeição em fases da vida ou coisa parecida. No dia q vc perceber q sua opinião tem o mesmo peso das demais tudo será mais simples. Abs.

          Responder
          1. Alice

            Exatamente, Luiz Fernando. Gostei muito do seu comentário, porque como você disse, todos podemos ter opiniões distintas sobre um mesmo assunto…porque cada um têm seu modo de ver e interpretar às cosias. E está tudo ok.

          2. Sérgio Ribeiro

            E desde quando num Fórum de debates , alguém não pode discordar da opinião dos outros , caríssimo Luiz Fernando ? . O Sr é o rei de repetir que posta o que pensa . Então não vejo nenhum problema. Não concordo com suas opiniões desde quando tentava ridicularizar o Craque . Depois foi a Next Gen . Finalmente parece que começou a assistir os jogos e anda melhorando. Isso é claro , na minha opinião. Fica frio que já arrumaste um lugar na Kombi pós RG rs Abs!

        2. Paulo Almeida

          Ribeiro, o próprio Tsitsipas disse que não se considera mais um NG. E você se contradisse no próprio post, citando aí sim um verdadeiro representante do grupo. Assim fica fácil demais te colocar no bolso, amigão!

          Abs!

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Errado , Paulo Almeida . Tisitsipas tem apenas 22 anos , e obviamente faz parte da nova geração. Assim como SINNER . Não sei se o comentarista que bota todos no bolso rs , sabe quais foram os vencedores do NEXT GENERATION ATP FINALS versões 2018 e 2019 ?…. pela ordem: TISTSIPAS e SINNER . Arrisca um palpite pra 2020 ? Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            E desde quando , cara Alice , você participa de um Fórum de debates pra não poder emitir a sua opinião ? Várias vezes já discordei do próprio dono do Blog e nunca tive nenhum problema . Isto ONZE anos consecutivos. Abs!

  28. Felipe

    Independente de qualquer opinião quanto a carisma, postura ou apego a algum tenista, podemos afirmar que NENHUM tenista fez no curto espaço de tempo o que o Djokovic fez em 10 anos ele tirou toda a diferença para o Nadal e Federer, que continuam jogando e já tinham 70% dos títulos que tem hoje quando Djokovic começou a gahar títulos. A maior hegemonia da história em um período curto de tempo. Já é o segundo em semanas na liderança (o recorde mais importante na minha opinião). E deve passar o Federer no início do ano que vem. Gostem ou não dele, ele já cravou seu nome na história.

    Responder
    1. Marcelo Gomes Monteiro

      Sim, de fato. Não há como negar. assim como Borg, Sampras, Federer, Nadal e Laver. Todos já marcaram seus nomes na história

      Responder
    2. Paulo Almeida

      Felipe, nos últimos 10 anos foram 16 Grand Slams para o Djokovic, 10 para o Nadal e 4 para o Federer.

      O espanhol ganhou muita coisa na melhor década da história do tênis, enquanto o suíço ficou ali em terceiro junto com o Murray.

      Responder
    3. Sérgio Ribeiro

      Atingir o N 2 do Mundo aos 19 ( apenas um ano mais velho que Novak ) , faz de Rafa Nadal aos 34 , um Tenista muito mais regular que o até então imaturo Sérvio. E ainda mantém 2 SLAM a frente . Portanto cada um a seu jeito é grande demais no Esporte . Já o Craque é o cara a ser superado . Várias gerações tentaram ainda sem sucesso. Abs!

      Responder
    4. Marcelo

      Ninguem acertou tantas bolas em juízes de linha em tao curto espaço de tempo também….

      Ninguém fez tantos impersonates da Sharapova quanto ele em tao curto espaço de tempo.. e por aí vai…

      Um verdadeiro monstro do esporte

      Responder
    5. Alice

      Gostei de saber que ti considera o ‘número de semanas como o principal’, Felipe. Eu tenho minha sequência também… temporadas como número #1, depois semanas, depois Grand Slans e títulos/vitórias e etc. Mas o número de Grand Slam ainda no tênis é a maior referência, em tabelas de classificações e etc. É quase como se contabilizasse Ouros Olímpicos… desculpem-me Djokovic (17), Nadal (19) e Federer (20)… mas Phelps continua na frente com 23 conquistas … 😏

      Responder
  29. periferia

    Os três eremitas

    O bispo atravessaria o oceano em direção a uma nova terra.
    Levaria com ele todo conhecimento adquirido durante anos no estudo da fé.
    Durante a viagem ..soube que existia uma ilha onde habitavam três eremitas…eram tratados como deuses…muitos paravam na ilha para pedir conselhos.
    O Bispo pediu ao capitão do navio para visitar a ilha e conhecer os “homens de fé “.
    Na ilha o bispo ficou decepcionado …os homens não tinham nenhuma base teológica.
    Para não perder a viagem …o bispo se dispôs a ensinar o Pai Nosso para os homens (passou o dia na ilha até os homens aprenderem).
    De volta ao barco o bispo não parava de pensar…
    “Como homens maduros …com uma boa base intelectual… podem acreditar em lendas como a dos eremitas?”
    O Bispo prosseguiu sua viagem .
    A noite …uma luz distante…em pleno mar….teimava em se aproximar do barco.
    A imagem foi ficando mais clara….eram os três eremitas correndo sobre a água…como terra fosse.
    O Bispo incrédulo olhou para os três…um dos eremitas disse:
    – Desculpe Bispo….esquecemos uma parte do Pai Nosso….pode nos ajudar?
    O Bispo se recompôs…ensinou novamente o Pai Nosso.
    Agradecidos…os “sábios” voltaram correndo para ilha (sobre o mar).
    O Bispo olhou para o capitão e perguntou quem eram realmente aqueles homens…
    O capitão respondeu:

    Um chama Roger….o outro Novak…e aquele mais calado é o Rafael.

    Responder
    1. Barocos

      Periferia,

      Bela estória. É ótimo tê-lo neste canto da Internet e uma das razões pelas quais eu visito este espaço sempre que posso.

      Saúde e paz à enésima potência, com n → ∞ .

      Responder
  30. Rubens Leme

    É incrível como ninguém do circuito acredita mais nas dores do Covidão sérvio. Busta é outro que colocou em xeque se é dor ou se é migué.

    Acho que isso ainda espanta zero pessoas. E como eu disse, depois ele pega rodinho para secar a quadra para fazer média. Para mim, é realmente a cara do “ídolo dos novos tempos”: talentoso sim, mas mentiroso, dissimulado e marqueteiro e adeptos de teorias estapafúrdias.

    Responder
      1. Rogério R Silva

        Dalcim
        Como um comentário desse passa?
        Fica minha nota de repúdio a alguém que não utiliza nome próprio e levanta tais suposições.
        Totalmente deselegante e inapropriado no que é por muitos considerado o melhor blog de esportes.
        Forte abraço.

        Responder
      2. Miguel BsB

        Leaozinho, vc se refere à familicia mutreteira ou ao impoluto centrao, que acabam de enterrar sua adorada lava a jato, com declaração de extinção proferida pelo seu presidente, que vc provavelmente apoia?

        Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Deve ser verdadeiro mesmo – esse comentário. E ninguém é muita gente.
      Numa coisa tu tens razão: o que deveria realmente repercutir era o fato dele ter fretado um jatinho para levar uma criança da Europa aos EUA para um tratamento de emergência e doar 1 milhão de dólares para instituições médicas italianas no início da pandemia. Infelizmente os italianos deram com a língua nos dentes e divulgaram, o que era para ficar só entre eles.
      Beira o ridículo achar que quem fez um primeiro set como aquele de ontem estava em seu estado normal. Lembra-se da semi final do Australia Open 2016 contra Roger Federer? O suíço ganhou o cara ou coroa e decidiu receber primeiro. Quando piscou o olho estava 6×1 e 6×2 para o sérvio.
      Mas contra Federer não é necessário fingir dor… Contra o grande Busta, sim.

      Responder
    2. Daniel C

      Perfeito, Rubens!

      Triste é perceber que o fato do cara ser muito vencedor, o coloca num patamar de “intocável” em relação à críticas. É comum os fãs passarem pano com a argumentação de “quem nunca se estressou, que atire a primeira pedra”.

      Eu mantenho minha posição. O cara pode ser craque, mas como pessoa é um top 200. E o jogo me dá sono. Se for o detentor dos principais recordes do tênis, parabéns pra ele, e azar do Tênis.

      Abs

      Responder
    3. Rubens Leme

      Fico extremamente orgulhoso quando critico o sérvio e sou atacado pelos seus fãs, basicamente por dois motivos:

      1 – primeiro porque questionam os “políticos que apoio”. Sim, sou de esquerda e com muito gosto.

      2 – porque apenas confirmam o perfil (da maioria) dos fãs do tal “ídolo”. Não vou generalizar falando mal de quem não fala de mim.

      PS: ah, e quando alguém for usar novamente o pronome “Tu” lembre de colocar o S ao final do verbo. Não é “em que tu vota”, mas “em que tu votas”.

      Se for me xingar, ao menos aprenda escrever corretamente. E fiquem à vontade para berrar.

      Responder
      1. André Barbosa

        Caro Rubens,

        Embora reconheça a importância de saber ler e escrever (é de conhecimento da maioria que a educação é pífia no Brasil), esse espaço fala sobre tênis e não sobre gramática.

        Por fim, o seu comentário também possui erros. Então vamos falar sobre o que realmente importa aqui, que é o tênis.

        Abs,
        André

        Responder
  31. Nattan Labatto

    Bom dia, Srs!

    Na ausência de uma derrota do sérvio, os detratores tratam de insinuar que as dores sentidas durante a partida eram simuladas. Como bem disso o Dalcim, o Nole já entrou com um emplasto, o que segundo alguns integrantes deste seleto blog, seria para maquiar uma possível derrota… Tenso!

    A luz da verdade é que um Djokovic meia boca faz estrago em 99% do circuito. Seja pelo seu jogo versátil, mãos talentosas, velocidade, leitura de jogo, inteligência espacial, movimentos plásticos e mente vencedora. Esse conjunto da obra é difícil de se encontrar em um jogador e, pra nossa sorte, temos 3 com essas características.

    Prevejo uma semi duríssima contra o excepcional jogador grego. Tomara que as dores e lesões sejam invenções mesmo e, dessa forma, Djokovic venha jogar e apresentar o tênis mais dominante de todos os tempos. #Regicida #ReidosReis #Toureiro

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Tá aí prezado Nattan.
      Não tinha pensado por esse prisma – fingimento.
      Tomara que tenha sido mesmo, assim o duelo contra o grego será menos perigoso para o sérvio.

      Responder
        1. Luiz Fabriciano

          Uai nobre Rodrigo, deixando de entender ironias agora?
          Ou é a vontade de já chegar dando uma “voadora”?

          Não me perguntaste, mas responderei assim mesmo: jamais aprovarei fingimento. Em qualquer instância.

          Responder
      1. Nattan Lobatto

        Pow Marcelo!!!

        O Djoko tem o BH mais bonito e eficiente do circuito. Lembra uma tacada de golfe aplicada por Tiger Woods: bonita, plástica, eficiente e precisa.

        Abs

        Responder
  32. EDVAL CARDOSO

    Mas é muita cara de pau desse espanhol vir com essa desculpa, se ele mesmo usou desse artifício no usopen no jogo contra o Shapo ,que é legal ,se o tenista está se sentindo desconfortável, com alguma dor ele, pode pedir atendimento. Mas parece uma coisa, sempre que se trata do Djokovic,os antis caem de pau em cima dele.

    Responder
  33. Fernando Peixoto

    Dalcim, você é um cara experiente. O próprio Carreno disse: não tem contusão nenhuma. Djokovic é falso e inventa um problema sempre que o adversário cresce no jogo.

    Responder
  34. Alessandro Siqueira

    Declaração do Shapovalov depois de o Carreno Busta ter pedido atendimento médico depois de ter perdido o quarto ser por 6×0 no US Open 2020:

    ‘No, of course I didn’t expect him to come to life like that, especially after the medical. I mean, he looked dead in the fourth. It’s a little bit shocking.’.

    Hipocrisia que fala, né?

    Responder
    1. antonio gabriel

      Exatamente, o cara faz migué, ou não, mas adora abrir a boca pra acusar os outros. Ele devia é agradecer o Djoko estar contundido, meia boca, se não ia ser uma surra acachapante.

      Responder
  35. Sandro

    Caro Dalcim, pelos sintomas apresentados já no treino e no aquecimento, Djokovic tem uma protrusão na cervical e o pinçamento da medula reflete na dor que se estende até o braço passando pelo trapézio. É muito típico pelos sintomas que ele está apresentando e causa muito desconforto e dor. O cara é um verdadeiro herói de jogar em altíssimo nível nessas condições e ainda manter a concentração com todo esse incômodo.. Não é fácil pra ninguém, mas Djokovic tem um poder incrível de superação.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ah, fala sério né.

      Primeiro que ele não sentiu nem 5% dessa dor toda que você descreveu.

      Pois tenista nenhum do mundo sente isso e continua jogando.

      Teve uma vez que o próprio sérvio abandonou por causa de um cisco no olho.

      Segundo que de herói ele não tem absolutamente nada…

      Responder
      1. Eduardo

        Pessoal por favor… o Dalcim não gosta que coloquem as atitudes do sérvio em questão… entendam de uma vez, o blog é dedicado ao sérvio, quando seu comportamento é colocado em jogo o “professor” dá respostas atravessadas. Bom dia “mestre”…

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Mais uma observação inadequada de sua parte, já estou começando a me acostumar com isso. A intenção é utilizar o conhecimento dele para uma reportagem e explicar a contusão. Um pouco mais de respeito, por favor.

          Responder
      2. Sandro

        Boa Tarde Mestre Dalcim!
        Sou estudante de Educação Física e tenho sintomas idênticos ao do Djokovic e sinto na pele as dores e o incômodo que ele está sentindo por experiência própria.
        Eu tenho uma protrusão discal na coluna cervical. Essa protrusão comprime o saco dural no forame neural, onde toca a raiz nervosa.
        Resumindo: é como se fosse um espinho tocando na raiz nervosa dentro da coluna cervical. Isso provoca dor, incômodo não só no pescoço, mas se estende para o trapézio e o braço também.
        Eu trato as dores e o incômodo com fisioterapia, acumpuntura, RPG, massoterapia, alongamento e Yoga. Fora os analgésicos, pomadas e emplastros que uso sempre que necessário.
        Não me admira que o Djokovic fique muito irritado jogando assim, porque realmente é muito irritante. Seria como se alguém tivesse fazendo um VODU espetando uma agulha no seu pescoço, pode acreditar, essa protrusão tocando a raiz nervosa na cervical incomoda e muito.
        Entendo toda a irritação do Djokovic e compreendo. Quando eu jogo, também fico muito irritado. Mas o que me impressiona no Djokovic é sua enorme capacidade de concentração e superação, realmente ele está jogando incomodado e se superando, acima de tudo.

        Responder
          1. Sandro

            Sim Dalcim, pode utilizar sim.
            Meu relato é uma experiência pessoal, não sou ortopedista especialista no assunto, mas consultei com especialistas no assunto e através de exame de imagem de ressonância magnética foi diagnosticado esse meu problema na cervical que irradia dor do pescoço para o trapézio e o braço. É um problema crônico e tem que se aprender a conviver com ele. No meu caso uso das terapias que citei no post anterior. Sou estudante de Educação Física. Amo a Educação Física e praticar vários esportes e os sintomas que o Djokovic apresenta são muito parecidos com os meus, por isso creio que o problema dele possa ser o mesmo que tenho na minha cervical. E admito que atrapalha e irrita na hora de jogar esse tipo de problema. Até por isso, acho que o Djokovic tem se mostrado irritado e impaciente por essa dor que o está incomodando.

        1. Paulo Almeida

          Ótima explicação!

          Pensei que fosse ortopedista, mas é também um profissional da área de saúde que entende mais do que qualquer leigo.

          Responder
        2. Sandra

          Gostei da opinião , se nós que não somos atletas sentimos que dirá ele ? Acho até que ele não entra em quadra sabendo que não tem condições físicas de jogo

          Responder
  36. Marcelo

    Tae… gostamos do “smash de quinta classe”.

    Nao acredito no argentino contra o Nadal, principalmente pelas 5 horas em quadra.

    E uma pergunta:
    – Dalcim, vocé acha o estilo do grego parecido com o do Guga? Conseguiria comparar ambos (especificamente no saibro)?

    Eu particularmente acho a movimentaçao do Guga lento (para os padroes de tenis de hoje), mas ele tinha uma capacidade de antecipaçao digna de Djokovic. Mas paro por aí nos meus achismos!

    Responder
  37. Chetnik

    Embora o problema físico tenha ferrado o saque e o BH do Djoko, que melhoraram progressivamente durante o jogo – principalmente o saque – o FH continua excelente. Tá andando muito. Tem sido o seu grande golpe.

    Responder
  38. Sérgio Ribeiro

    Pois é Dalcim . Nem eu cravei que o Backhand Simples sobreviveria a uma Semi nesse Saibro lentíssimo. Incrível como sempre insiste em resistir . Ano passado foi com Federer e Thiem . Agora , se realmente Novak estiver com algum incômodo ( seria o milésimo rs ) , o Backhand de Tisitsipas está bastante afiado. Já dava como certa à presença do Sérvio na FINAL , mas 50 % como diz o Post , de longe e’ suficiente pra bater o N 6 do Mundo . Ao menos a meu ver. Abs!

    Responder
  39. Arthur

    Acho bom o Tsitsipas começar a pegar um bloquinho de notas e um lápis, pra poder anotar a placa do caminhão que vai passar por cima dele, Dalcim.
    Esse migué do Djokovic no jogo contra o CB não engana mais ninguém. Aliás, o próprio Carreño Busta disse isso claramente na entrevista.
    Djoko vai vir babando e não espero nada menos que um atropelo sem dó nem piedade na semifinal.
    Tudo indica mais uma previsível final entre Nadal e Djoko em Roland Garros, com o espanhol muito provavelmente levantando mais um tedioso caneco em Paris, só pra variar.

    Um abraço.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Se eu fosse Djokovic, após sobreviver a um jogo no qual estava com problemas físicos, anunciava desistência da próxima rodada, pois, com qualquer melhora e vitória fácil nessa, iriam dizer que inventei na anterior.
      Mas… não sou o sérvio.

      Responder
  40. JAN DIAS

    CARRENO-EMBUSTE 🤡 aprontou de novo…ameaça ganhar do DJOKO mas depois volta à sua conhecida mediocridade mental e tática….. será que os tenistas profissionais não entenderam ainda que pra ganhar do BIG 3 não dá pra ficar empurrando a bolinha ⚾️ pro outro lado sem potência, ângulo e agressividade??

    Responder
    1. Aurélio Passos

      Só que se eles usarem potência, ângulo e agressividade, os Big # devolvem com mais potência, ângulo e agressividade. Esses três não são seres normais.

      Responder
  41. Vitor Hugo

    Assim como o bagre ficou dois anos anunciando para o mundo uma suposta contusão no cotovelo, agora anuncia para todos uma suposta contusão no pescoço.
    Se levar uma paulada nos próximo jogos, vai anunciar pra todos que vai operar o pescocinho, pra justificar a falta de um slam no pós pandemia, e desmerecer as vitórias dos oponentes.
    Modus operandi já conhecidos por todos, mas ainda difícil de ser compreendido pelos cabeças ocas.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      O bagre suíço fingiu lesão contra o Dimitrov no US Open e contra Sandgren e Djoko no Australian Open. E recentemente foi achincalhado pela população suíça por seu péssimo caráter.

      Concorda comigo?

      Responder
  42. Vitor Hugo

    Assim como já disseram Roddick, outros e agora Busta, o bagre Sérgio realmente tem o costume de simular contusões. Somam-se outros fatos que já ocorreram em sua vida dentro e fora de quadra, e é fácil chegar a conclusão que o cara realmente é uma pessoa de péssimo carater, e jamais estará entre os maiores da história.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      O que Andy Roddick disse, já sóbrio dos stresses da vida de atleta de alta performance e que deve realmente ser levado em consideração é: “para se ter h2h contra Novak Djokovic basta se aposentar à tempo de mantê-lo.”
      Entendes isso?

      Responder
  43. Maurício Luís *

    Gostaria que este blog, no intervalo entre os campeonatos, desse destaque às histórias de superação que todo esporte tem. Como é o caso do ‘El Peque’, que além da superação no aspecto físico, fiquei sabendo por internauta aqui de outras dificuldades.
    Serena e Venus foram reveladas em quadras públicas, coisa rara aqui na República das Bananas. Imagino que o Thiago Monteiro também deve ter tido dificuldade, porque o tênis no Ceará deve ser coisa da nata da elite.
    Então é isso. Fica o pedido.
    Acredito que o Nadal só não vai à final se acertar a goela de algum juiz de linha, ou o nariz de algum juiz de cadeira, ou na hora de ajeitar a cueca o calção cair e ele ficar pelado… fora isso, acho que o máximo que o argentino vai conseguir é dar uma canseira no baloeiro.
    Bola diferente, mudança de data, umidade, frio, parece que nada afeta o pouca telha. Deviam mudar o nome do campeonato pra Rafael ‘Balão’ Nadal já duma vez. O Djoko até que daria um aperto, mas agora, com esse pescoço duro aí, sei não…

    Responder
  44. Mário Cesar Rodrigues

    Cara na Boa a maioria é eu só isento o Dalcim por questões óbvias. DJOKOVIC é um cara que não se pode confiar olhem o Curriculum dele ele é um dissimulado e darem aí que ele vai engrossar com Rafa claro se acontecer o encontro Rafa vai pisar na cabeça dele com Rafa ele não faz isto não finge não dá piti.e quer saber vou torcer como louco para o Grego pq Rafa vai atropelar o Peque ele sabe o que está em jogo o Andy disse isto o Fognine .mas amaria ser o zdissomulado e Rafa.

    Responder
  45. RicardoCWB

    Dalcim, não acha a esquerda do grego muito frágil pra enfrentar o Djoko nessas condições?
    Salvo alguma contusão (e sob pena de queimar a língua), vejo um jogo relativamente tranquilo para o sérvio.

    Abs

    Responder
  46. Willian Rodrigues

    Creio que esteja mais para isso:
    Semis
    Nadal 70% Diego 30% (Por ser numa melhor de 5 sets)
    Djoko 50% Grego 50% (Djoko não está lá essas coisas – possível lesão é preocupante…

    Final
    Nadal 60% Djoko 40% (Isso, SE o sérvio estiver com a musculatura em dia!)

    Responder
  47. FILIPE

    Na final do Australian open, Djokovic estava perdendo para Thiem e também pediu atendimento, não foi? Mas e daí? Não está na regra? O jogador não pode pedir atendimento, se assim achar conveniente? Se o contendor vislumbra a possibilidade de vencer o número 1 do mundo e essa perspectiva faz o jogador se desconcentrar mentalmente, paciência. O tênis é mental e a lamúria do Carreno foi deselegante no meu entender.

    Responder
    1. Chetnik

      PBC fez isso no USO contra o Shapovalov, e voltou voando depois do atendimento. Ah, a hipocrisia. É só mais um mau perdedor chorão. Qualquer coincidência não é mero coincidência, não é, “bruno”?

      Responder
  48. Vitor Hugo

    “Smash de quinta classe ” kkkkkkkkk Qual a novidade para um tenista de quinta categoria!?
    😂😂😂😂😂😂

    E depois o Becker estava errado. Tsctsc.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Olha só quem teve coragem de aparecer depois da eliminação do Superesthiemado e de dizer que o Busta venceria “de novo”.

      Se um tenista de quinta categoria tem 11×6 em Slam contra o Federer, então o suíço seria de décima?

      Responder
          1. Paulo F.

            Já não veio quando o melhor saibrista dos últimos três anos e o tenista do momento foi desclassificado….

        1. Bruno

          Vc não respondeu até hj como um aposentado e cansadao ganhou 4 grand slans Inclusive do seu amado .
          Única coisa boa que vc posta aqui é diversão garantida mesmo.

          Responder
    2. Felipe

      Tenista de quinta categoria que DOMINOU o circuito nos últimos 10 anos. Basta fazer a simples comparação. Quando Djokovic começou a ganhar títulos Federe e Nadal já tinham 70% dos títulos que tem hoje. Em 10 anos ele tirou toda a diferença. Já tem o recorde de masters 1000, já encostou nos Slams, já fez o Nadal comer poeira em semanas como número 1 e se mantiver o ritmo passa o Federer no início de 2021. Belo tenista de quinta ein!

      Responder
      1. Barocos

        Felipe,

        Contra fatos … bem, vamos ver o que os torcedores fanáticos do Federer tem a dizer.

        Duvido muito que Roger ou Nadal achem que o sérvio é um jogador de 5ª categoria, e o mesmo vale para o Novak sobre seus principais adversários. Aliás, nunca ouvi ou li nenhum grande jogador atribuir esta classificação a um dos contendores mais temidos no circuito do tênis profissional.

        Saúde e paz.

        Responder
      2. Bruno

        Muito fácil,
        Dominou porque pegou Federer e Nadal já longe dos seus respectivos auges ,um bom jogador Andy Murray ,inclusive mais técnico que ele e uma geração ou 2 terríveis.
        Um bom jogador ,com físico privilegiado com algumas falhas técnicas como o smash ,drop shot ,voleios .
        Fato .

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Nadal longe do auge aos 24/25 anos? Federer velho com 29 anos? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

          Fora que o suíço dos anos 2010 era muito melhor tecnicamente do que aquele dos anos 2000.

          Você é um ótimo piadista, Bruninho!

          Responder
  49. Fernando/MG

    Prezado Dalcim, mais um diz que não acredita nas dores e possíveis contusões do sérvio, acho que ninguém acredita, exceto os terraplanistas xiitas dos torcedores do Novak. Dalcim, o sérvio da bem menos chiliques, menos gritos, menos caras e bocas, enfim menos teatro, quando enfrenta o Federer e o Nadal, isso pode ser alto nível de respeito?

    Responder
  50. Rafael

    Dalcim,

    Eu não acredito no que o Djokovic diz. Lembro até hoje das declarações do Roddick criticando o comportamento do sérvio. Não só ele. Nadal também vive arrumando desculpas pros fracassos. Por isso que o Roger será sempre o maior de todos para o público.

    Responder
    1. Chetnik

      Enquanto isso o Djoko e o Nadal se tornam os maiores tenistas, kkkk. Belo prêmio de consolação para o Frauderer – que fez um monte de teatro no AUSO/17. Tanto contra o Nishikori quanto contra o Wawrinka.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        No saibro o Federer não ganha nunca mais do Nadal.

        Só que dá no mesmo.

        Porque o Nadal já deu mostras que também não ganha mais do suíço, fora dali.

        Perdeu 7 das 8 últimas partidas. Seis vezes na dura e uma na grama.

        Responder
        1. Paulo F.

          Só que, durante as suas carreiras, Nadal surrou Federer seja em Wimbledon, Aberto da Austrália nem se fala, vide o Vale de Lágrimas de 2009, Miami, Indian Wells e até em Cincinnati, onde tanto intensamente o Federer!
          E Federer contra o Nadal no saibro? Mal fez umas coceguinhas em Hamburgo/Madri. Em Roland Garros, Monte Carlo e Roma foram fiascos vergonhosos que mereceriam censura digna de pornografia.
          Sequer o fenomenal melhor de todos os tempos deu conta, já no auge, contra uma criança em 2005 e 2006!

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Quem deve curtir pornografia é você que usa esses termos toda hora,e não o suíço.

            E como assim em “suas carreiras”?

            Pelo que me consta a carreira deles ainda não terminou, certo?

            Portanto, o Federer tem feito a parte dele e reagido a desvantagem que acumulou.

            O que mais você quer dele?

  51. Antônio gabriel

    Dalcim, o que você achou das declarações do Busta, desculpa de perdedor ou o que ? Me pareceu claramente que o Djoko estava sentindo algo e jogou meia boca e de certa forma isso demonstra o quanto ele está uns 2 ou 3 degraus acima dos demais tenistas do circuito. O Busta é um bom jogador, apesar de eu não gostar do estilo de jogo dele, acho até que ele foi longe demais com esse estilo meio chato, que definitivamente quase sempre encomoda o Djokovic, mas sempre leva uma Surra do Nadal por exemplo.

    Responder
  52. Sandra

    Dalcim, estou vendo jogadores e jogadoras vestidos com camisetas de mangas compridas , sei que é por causa do frio, mas com o decorrer da partida não dá um desespero de calor , eles podem trocar trocar a camisa? Ou ou viram torradas? rsss

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Incrível como o caríssimo L . Fa repete a exaustão os problemas sobre interpretação de texto da maioria kkkkkkkkkkkk. “ Você é fantástico, Dalcim . O Título do Post já me deixa satisfeito “ . Se eu entendi direito , bastou meio Novak pra bater Carreño … Isso é pra elevar Novak a que patamar ? Se fosse Nadal precisaria de um terço apenas para bater o mesmo kkkkkkk Esse cara nunca venceu alguém do Big 3 , e já e’ quase trintão. Na boa , e o próprio Blogueiro coloca a seguir as possíveis dificuldades do Sérvio contra mais um Next Gen que já o bateu 2 vezes ano passado. Realmente o parceiro aprendeu bastante no ensino fundamental a nível de interpretação rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Vc criticar interpretação de texto 0por parte de qualquer um é semelhante ao Lula preconizar honestidade na gestão do dinheiro público kkkk. Abs.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Quem diz que os textos dos outros são ” confusos ” , caríssimo ” diversão garantida ” , normalmente és tu. O baba ovo mor do Blog. Mas engraçado que responde todos kkkkkkkk. Abs!

          Responder
      2. Luiz Fabriciano

        Prezado Sérgio Ribeiro, deixe de ser chato rapaz.
        Não, não entendeste direito, para variar.

        E não bastou meio Djokovic para ganhar do espanhol?
        Se fosse Nadal não me importa quanto bastaria. Se precisasse de um e meio ou zero, para mim tanto faz.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Entendi que você achou que o Dalcim elevou Novak a décima potência. Quase teve um orgasmo. Mas a coisa não foi bem assim , caríssimo L . Fabriciano rsrsrs Abs!

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Estás vendo? Continuas o mesmo.
            O Mestre Dalcim, que tem uma visão analítica infinitamente mais precisa que a nossa não elevou o sérvio à 10ª potência, apenas deu o seu devido valor.
            Bastou meio Djokovic para vencer Pablo Carreño Busta – simples e objetivo.
            Vamos fazer um supletivo, que achas?

  53. José Eduardo Pessanha

    Rapaz, achei que o Djokovic entregaria os pontos. Se ele estivesse enfrentando um marreteiro, provavelmente se retiraria da partida. O estilo de jogo “empurrador de bolinhas” do espanhol deve ter feito com que o sérvio pensasse seriamente e decidisse ficar em quadra. Ainda bem. Não consigo me identificar com esses jogadores “blasés”. Tênis é um esporte de paixão, não combina com a indiferença de Bautista Agut, Busta e outros tenistas com o mesmo estilo.
    Abs

    Responder
    1. Alice

      Caramba, eu não sabia que precisava combinar com algum “estilo” pra poder jogar e ser um campeão….

      Amanhã será um dia de inúmeras aposentadorias no tênis.

      #Luto

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Não.

          Mas pelo menos sou homem bastante para assinar embaixo de tudo quanto escrevo.

          No lugar de usar fakes para sustentar que Hewitt e Roddick foram bagres, né?

          (rs)

          Responder
  54. rafael

    Mestre, belo texto mais uma vez. Realmente, meio Djokovic já é muita coisa. O espanhol não soube aproveitar as oportunidades e é aceitável. Esse big ³ é bem indigesto! Eu concordo com o colega acima que mencionou o lado emocional, que possa ter sido um gatilho para as dores do Djoko. Enfim, vamos para as semifinais e torcer para dar Djoko X Nadal para termos uma final histórica!! Ah, e o Carreno Bastante se mostrou péssimo perdedor…

    Responder
    1. Paulo César

      Concordo plenamente! Péssimo perdedor! Como se o Djokovic precisasse de atendimento médico para ganhar do “grande” Carreno Busta. E como se um atendimento médico fosse suficiente para mudar o resultado do jogo. O cara entrou baleado, jogou metade do que pode, e venceu. Por que faria isso se não estivesse sentindo?

      Responder
  55. Daniel C

    O Tsitsipas me surpreendeu e acho que pode sonhar com uma final e quem sabe um titulo. É um jogador com mais recursos entre os 4 últimos.

    Já o Carreno Busta perdeu como o esperado. É como se fosse um Djokovic 1.0, com menos eficiência. Deve ter sido um jogo sonolento daqueles, pra derrubar Ibope mesmo rs. E em relação ao “mal estar” do sérvio, respeito quem pensa diferente, mas pra mim é a famosa milonga que ele adora quando o bicho tá pegando. Mas a dor sempre desaparece milagrosamente quando ele começa a virar o jogo.

    E claro, não faltaram os pitis de sempre e os pobres boleiros foram mais uma vez vítimas do simpático sérvio que manda corações pra galera…Que ironia rs.

    Responder
    1. Marlon

      Eu não entendo a falta de compreensão de algumas pessoas! A gente tem que entender que o tenis pra nós torcedores é entretenimento, mas para os jogadores, seu trabalho. Nós, antes de entrar aqui pra comentar, nos vestimos com uma toga e pefamos no martelo e começamos a julgar alguem q está fazendo seu trabalho. Quem aqui nunca teve seu dia de fúria onse reclamou com todo mundo, cuspiu marimbondos, etc. O tenista tbm faz isso, alias ele está ali executando seu trabalho. E vc, que critica, será que pode atirar a pedra, ou vc é perfeito na sua vida. Temos q aprender a respeitar os contrarios a nos. Nos estamos aqui pra brincar , tirar sarros, analisarmos o jogo; agora, nao temos autorização pra julgarmos o caráter de uma pessoa que está a milhares de km de distância. Se Djoko, Federer e Nadal fossem mal caráter, os proprios colegas os denunciariam. Nem o Kirgios q e doidão nunca ousou falar como alguns torcedores desse site falam. Pô gente, vamos nos olhar um pouquinho. Vamos torcer de forma sadia. E deixe q a história no final diga quem será o maior de todos os tempos.

      Responder
      1. Barocos

        Marlon,

        Estamos vivendo um novo ciclo de intolerância nas sociedades humanas, desta vez, muito facilitado pelo anonimato e distanciamento que a Internet proporciona, cunharam até um termo para isto: “lacração”.

        Quando estas coisas começam, ninguém sabe onde vão desaguar. Espero, sinceramente, que não se repitam, mais uma vez, os deprimentes casos que nos chocam e envergonham quando revisitamos a triste história do homem na Terra. Parece que, de fato, ou nunca aprendemos com o passado, ou então, simplesmente, não damos a mínima para os “outros”.

        Para não correr o risco de ser injusto, devo confessar que concordo com aqueles que dizem que o Djokovic precisa controlar melhor as suas emoções, mas, infelizmente, e pelas declarações do sérvio, Novak está fazendo da busca dos recordes no esporte uma cruzada pessoal, o quê, obviamente, eleva em muitos níveis a já grande tensão que envolve as competições esportivas profissionais. Creio que seja algo bem difícil de administrar.

        Saúde e paz.

        Responder
      2. Gildokson

        “Se Djoko, Federer e Nadal fossem mal caráter os próprios colegas o denunciaram”
        Helloooo!! kkkkkkkkkkk
        Mas se é mais ou menos por isso que todos falamos do cara… ja falam dos (possíveis) migués não é de hoje.

        Responder
    2. Alice

      Tenho de concordar com a ironia. Alguém que não trata muito bem oa boleiros e às vezes destrata..porque ninguém é obrigado a lidar com chilique de um tenista que não sabe lidar com suas emoções e depois manda coraçãozinhos para o público, não me parece muito real, coerente.

      “Quando a vitória se torna obsessiva a ponto de não se importar em competir, a graça acaba…” 😐

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      De fato!

      kkkkk

      Incrível como o Djokovic insiste em ser um babaca com os boleiros…

      Depois reclama porque todo o estádio torce contra ele, quando enfrenta Nadal ou Federer.

      Responder
  56. DANILO AFONSO

    No 1° set Djokovic jogou pouquíssimos com o 1° serviço, apenas 40%, rendimento pior que Cincinnati.

    Se não resolver esse problema do pescoço até sexta e o grego jogar no mesmo nível de hoje, o sérvio ira se complicar.

    Responder
  57. Jonas

    Preocupante a atuação do Djokovic. Esteve bem irregular, com muitos altos e baixos. Mas para quem tinha alguma dúvida, ficou ÓBVIA a diferença técnica entre Djokovic e Carreno Busta.

    Para a SF, em condições normais, acredito que Djoko venceria o grego em sets diretos, mas agora se tornou meio imprevisível devido à atuação bizarra de hoje.

    Enquanto isso o Tsitsipas vem jogando muito bem e com confiança. É perigosíssimo, já venceu Djokovic em duas ocasiões. Se Djoko entrar bem e focado deve levar com alguns sustos, mas o cara está estranho, nem esclareceu direito o problema que tem.

    Só deixando claro uma coisa: Nadal continua sendo o principal favorito para levar RG mais uma vez. A maioria dos torcedores do Djokovic aqui no blog admitem isso, exceção feita ao Léo Gavio. Agora, não é exagero afirmar que o Djokovic é o tenista, teoricamente, mais gabaritado para derrotar o espanhol.

    Responder
  58. Adriano Souza

    Tem alguns dizendo que o Nadal atropelou o Sinner kkkkkkk Fala sério! O Sinner poderia muito bem ter vencido os 2 primeiros sets, se não tivesse falhado nos momentos cruciais . O cueca encravada só teve facilidade no terceiro set

    Responder
  59. Gildokson

    O comportamento do Djokovic quando está sentindo algum problema é totalmente diferente dos outros superstars do tênis. Mas eai? Cada um tem uma personalidade neh? A dele é essa aí que só faz afastar quem não é fã dele.
    Agora falando do jogo, como é fraquinho o Carreño (digo a nível de chegar nessas fases agudas de Slam) o coitado aproveito bem menos do que podia os erros do Djokovic, fez um monte de escolhas erradas e depois foi criticar o sérvio depois do jogo. Pelo amor…
    Agora é só esperar domingo pra assistir o jogão entre os 2 gigantes, apesar de torcer muito por uma final Tisitisipas x Schwartzman kkkkkkk Seria um sonho kkkk

    Responder
  60. Ivan Pellegrino Trefiglio

    Mesmo machucado, Djoko só perdeu nessas condições no Us Open pro Wawrinka … fora Wawrinka (em boa fase) e o outros integrantes do Big 3 … jogando 50% ele ganha !! Incrível a capacidade das três lendas de ganhar jogos sem estar 100% e sem jogar 100% do que podem. Sou fã do Nadal desde 2005, assisti suas partidas em São Paulo em 2013. Mas não tem como não enaltecer os outros dois. Djoko tem espírito de guerreiro. E uma fé gigante. É admirável como você vê ele buscando forças durante os jogos.
    Sigo torcendo pro Nadal, mas isso não me impede de admirar os outros jogadores !!
    Que tenhamos ótimas semi-finais sexta-feira !
    Abraços Dalcim

    Responder
  61. Leo Gavio

    Djokovic só não é o melhor saibrista da historia porque é contemporaneo do Nadal.

    fez trocentas finais em roma. se tivesse vencido uma daquelas partidas do inicio dos anos 2010 em RG (contra Nadal). teria deslanchado mais no torneio.

    talvez o Federer tenha sido o grando aliado do Nadal ao gastar todas as energias pra derrubar Novak naquela semi, aproveitou o desgaste do servio pra ficar de quatro pro papai dele na final.

    Se Djoko tivesse feito aquela final, certamente teria vencido, como venceu Roma, embalo total, Nadal vivia um momento de queda emocional jamais vista, mas eis que o freguesão fez o serviço sujo na semi, a historia teria sido outra nos anos seguintes, Djokovic não teria pressão, e Nadal perderia a confiança exagerada.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não acredito que li esse comentário Léo Gavião. Se foi você mesmo que escreveu essa pataquada , anda se superando como nunca . No Saibro 4 x 4 entre Federer e Novak . E essa babaquice de papai , já deu caríssimo passador de recibos rsrsrs Abs!

      Responder
  62. Rodrigo S. Cruz

    ” Sou feia Kenin” ganhou o Australian Open e é favorita para o título em Paris.

    Mas estou torcendo para as surpresas Swiatek e Podorova…

    Vamos ver se uma delas leva…

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Porra!

        Vejo que realmente existe gosto pra tudo, e ninguém está jogado fora!

        kkkkkkkk

        Porque eu acho aquela moça HORROROSA de rosto! (rs)

        Faça bom proveito, Gavião.

        Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            A jelena não é feia… Nunca disse isso.

            Pelo contrário, ela é bonitinha.

            Só não é aquela beldade toda que costumamos ver acompanhando homens de fama e fortuna como o Djokovic.

            A Mirka também eu sempre achei bonita de rosto…

      2. Sérgio Ribeiro

        Um dia eu teria que concordar com algo postado pelo “ homem das mil faces “rs . Realmente a norte-americana é uma Gata !!!! Abs!

        Responder
      3. Barocos

        Leo,

        Não a acho mega gata, mas está bem longe de ser feia, ela é bonita, e sobre pernas, uma boa parte das tenistas tem pernas muito bonitas, fruto, em parte, da prática esportiva.

        Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      No feminino eu sempre torço pela zebra, mas não tenho como torcer contra a Kvitova ou a Azarenka, por tudo que elas passaram nos últimos anos.
      Abs

      Responder
  63. Marcilio Aguiar

    O maior adversário do Djoko foi o incomodo no pescoço. O Carreño teve sua chance no segundo set, não aproveitou. Se o Djoko estiver nessa situação na provável final contra o Nadal será triturado pelo touro.

    Estou na torcida pela Kvitova e a Nadia na final, mas acho que as adversárias são as favoritas.

    Na torcida também peal dupla do Baruno e Pavic. A parada é indigesta.

    Responder
  64. Carolina

    Thiem jogou contra o Munar na primeira rodada do US Open.
    Tsitsipas jogou (e sofreu um pouco) contra o Munar na primeira rodada do French Open.

    Evidentemente, o Nadal não jogou o US Open, o Djokovic foi desclassificado na R4 e o Schwartzman perdeu para o Cameron Norrie na R1. De qualquer forma, o Munar pode ser o amuleto da sorte. Aguardemos os próximos capítulos.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Minha opinião:
      Nadal 55%, Diego 45%
      Djokovic 80%, 20% Tsitsipas
      Djokovic 75%, Nadal 25%
      Nadal 100%, 0% Tsitsipas
      Djokovic 100%, Diego 0%
      Tsitsipas 100%, 0% Diego

      Claro que o 100% é uma brincadeira, pois o tênis envolve muitas variáveis.
      rs

      Responder
    1. Willian Rodrigues

      Realmente, Tsitsipas tem um repertório bastante completo e vistoso!
      Porém, o fato de não haver sofrimento está BEM relacionado ao menor “armamentarium” do oponente né…
      Rublev é um bom jogador e está numa fase muito boa. Entretanto, as possibilidades de variação são reduzidas. E num saibro mais lento como esse…
      Vejamos se haverá tamanha tranquilidade contra Djokovic… Repetindo, SE o sérvio estiver bem fisicamente…

      Responder
  65. ROBERTO GARCIA SCHWARZ

    Acho que Busta nao errou mesmo… Perdeu pro melhor saibrista kkk… Brincadeiras à parte, se Djoko fosse normal, teria perdido por três sets a zero, achava que não tinha como se reerguer, e estava visivelmente limitado fisicamente, cabisbaixo… Saque horrível e erros bobos de backhand surreais. Soh que aí, Djoko, diferente de 99% dos jogadores, voltou a ser o monstro que é e o resultado…. Todo mundo já sabe o que acontece, torna-se imbatível. Se não houver limitação física, não tem como perder para o Tsitsipas. Já Nadal vai sofrer muito com o Peque, que vai lhe exigir muito esforço, e, quem sabe, conseguir a vitória. Ainda assim, o verdadeiro maior saibrista da história é favorito natural a chegar à final.

    Responder
  66. Antônio Luiz Júnior

    Carreno Busta, de fato, foi infeliz nas suas declarações. Poderia ter dito a mesma coisa, de outra maneira, mais inteligente. Longe de desqualifica-lo, trata-se de um excelente tenista. Na minha opinião, falta-lhe uma mentalidade vencedora. Seu jogo é muito morno, para quem quer ser campeão. Comparando sua atuação de hoje com a do garoto Sinner contra o Nadal eu diria que Sinner falou pouco e jogou muito, e sem qualquer responsabilidade de ter que ganhar o jogo. Carreno teve as suas chances, muitas oportunidades de quebra, mas, não soube aproveita-las. E contra Djokovic, as não aproveitar as poucas chances que ele oferece, um abraço. Tsitisipas é um adversário perigoso. Já venceu o sérvio em duas oportunidades e tem um jogo muito variado. Falta-lhe consistência. Vamos esperar para ver… A propósito Dalcim, achei o título do blog de hoje um tanto parcial demais. Não vejo o sérvio da mesma forma, mas, cada um tem sua opinião. E tenho muito respeito pela sua…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Desculpe se não agradei, mas acho que um título provocativo incentiva a leitura e a discussão, Antonio. E foi uma brincadeira com o ‘50%’ que acredito Djokovic tenha jogado na maior parte do tempo. Abs!

      Responder
      1. Ivan

        Sugestão para o próximo título: “Um meio Djokovic basta, um Busta inteiro não”. Brincadeiras à parte, precisamos mais frequentemente concordar em discordar como sinal de respeito ao próximo e a nós mesmos. Parabéns pela atitude/crítica respeitosa Antônio!
        Abs!

        Responder
  67. Barocos

    Dalcim,

    Preciso e informativo como sempre.

    Não acredito em zebra entre Nadal x El Peque, o valente argentino não tem as melhores armas para incomodar o Rafa e considero um novo triunfo, como em Roma, para lá de improvável. Nas entrevistas, o espanhol reclamou mais uma vez da dificuldade que a combinação entre esta nova bola e o saibro apresenta para que ele possa usar o seu temível top-spin, mas ao contrário do que seus detratores cansaram de sugerir aqui, ele sempre foi muito, muito mais do que um baloeiro marombado.

    Djoko, de fato, jogou muito abaixo hoje. O jovem grego é um adversário muitíssimo perigoso, então, estou de dedos cruzados para que Novak consiga se recuperar plenamente até sexta.

    Estamos vivendo os últimos dias de uma era muitíssimo especial no tênis, seria maravilhoso que os deuses dos esportes nos presenteassem com mais um épico Nadal x Djokovic. Oremos.

    Quantos anos mais teremos algum representante do Big4 competindo? Murray talvez jogue por mais um ano (tomara), Federer também, Djokovic e Nadal?

    Saúde e paz.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Sem dúvida, essa é uma chance de ouro pra Nadal e Djokovic. O Roland Garros de 2021 já promete ser disputadíssimo. Sinner, Shapovalov e Tsitsipas com 1 ano a mais de experiência, Thiem ainda jovem, Zverev talvez com 1 ano a mais de aprendizado com Ferrer.
      Abs

      Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Quem está sonhando com o quê , caro L F ? Pelo que eu saiba foi o sabichão ( chefe do Inss ) que imaginava uma precoce Aposentadoria do Craque Suíço desde 2013 kkkkkkkkkkkkk O que se está vendo agora e’ uma evolução natural da espécie. Tenistas talentosos e jovens surgindo no pedaço. Abs!

        1. José Eduardo Pessanha

          Rapaz, eu estou achando esse Nadal de RG 2020 muito ruim. Tivesse o Sinner um pouco mais de experiência, Nadal teria perdido. rs
          Abs

          Responder
  68. Lucas Leite

    Dalcim, parabéns mais uma vez pelo texto! O que você acha que o grego tem que fazer para dar trabalho ao Djokovic? Quem você acha que tem mais chance de surpreender, Tsitsipas ou Schwartzman?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Scheartzman tem mais, já que ganhou em Roma. O grego precisará muito da famosa combinação primeiro saque-forehand. Aliás, o forehand dele hoje com o Rublev estava sublime. Ele provavelmente vai ser bastante atacado no backhand, então seria importante mesclar alguns slices e tentar virar para a paralela assim que possível. É uma tarefa difícil encarar Djokovic num saibro lento, sem dúvida.

      Responder
      1. Sandra

        Com todo o respeito ao grego, que apesar de arrogante joga sem fazer força, que nem o Federer, mas foi impressão minha ou o Rublev estava errando mais do que o costume ?

        Responder
          1. periferia

            Olá Dalcim

            Não foi um jogo incomum?
            Os dois tiveram mais bolas vencedoras que erros não forçados……não lembro de um jogo assim no torneio.

            Abs

  69. Márcio Augusto

    Boa noite, Dalcim. O que você atribui essa dor no pescoço aparecer inesperadamente, depois de quatro partidas nas quais foi totalmente dominante, não apresentando nenhum problema dessa natureza? Será que é a mística de Roland Garros conspirando a favor do “Rei do Saibro?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não sei exatamente qual é a origem do problema dele, que me parece ser antes de Nova York. O que preocupa é o fato de ele ter voltado, imaginando que Djokovic é super bem ‘vigiado’ por sua equipe médica e física.

      Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O smash dele tinha até dado uma melhorada nos últimos tempos.

      Mas se já era ruim, imagina com esse ombro machucado (rs)

      O slice continua uma ” draga” também.

      Impressionante como é raro ele ganhar o ponto dando slice…

      Responder
  70. Santos

    Espírtio vencedor tem quem já ganhou 20, 19 ou 17 GS além de dezenas de Master 1000 e Finals em todos os tipos de piso. Estes sim. Mesmo com torcicolo, Djokovic mostrou porque é um dos tres melhores da história. Uma história que não acabou ainda. O que faz um jogador espanhol médio a bom que nunca ganhou nada importante, fazer uma declaração antes do jogo que hoje só existe um jogador ( este é Nadal ) melhor que ele no saibro. Tropeçou na sua soberba. Achou que iria ganhar mesmo com o sérvio entregando o primeiro set. Hoje mais uma vez aprendemos sobre superação e espírito vencedor, atributo de poucos e raros campeoníssimos.

    Responder
  71. Sandra

    Dalcim, disse o espanhol que era armação do Djokovic , o que você achou ? Dessa vez eu achei que não era armação , pois tem muito tempo que já vejo ele com essa dor no pescoço!, Vc acha que ele passa pelo grego ? Já estou duvidando!

    Responder
  72. Paulo F.

    Djokovic na semifinal do Grand Slam DO SAIBRO.
    Procurei E NÃO ENCONTREI o segundo melhor saibrista dos últimos três anos.
    Aqui é diversão garantida!

    Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Mas é muita desfaçatez hein…

          Ninguém é obrigador a concordar com vocês, não. De onde que você tirou isso?

          É um completo absurdo você vir com essa de “ah, vamos repetir até você entender”.

          Só que ninguém é obrigado a “entender” o que vocês querem, não.

          A nossa opinião é diferente e pronto.

          Responder
  73. maurício

    Boa noite, Dalcim, gosto muito de suas análises, são sempre imparciais e precisas, parabéns. No jogo de hoje, eu acho que esse problema no pescoço do Djoko tem muito de fundo emocional, explico: isso ja aconteceu comigo, num torneio amador aqui no meu clube, fiz duas partidas excelentes, sem sentir nada, no sorteio da próxima partida peguei um cara que eu ja tinha tido uma discursão séria, quase cheguei as vias de fato, no dia da partida eu tava todo travado, com dores nos ombros e nas costas, resultado: levei uma sova – sei que não foi a mesma situação entre o Djoko e o Busta, mas são situações semelhantes e as vezes a gente esquece que o Big 3 é humano, rsrss. O que vc acha? pode ter acontecido isso que eu acho que aconteceu?, forte abraço e fica em paz.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro, acredito que a parte nervosa realmente trava um atleta e um tenista. Mas Djokovic vem sentindo isso desde Nova York, passou alguns apuros por lá também. Abs!

      Responder
  74. Allan Fonseca

    Boa noite, Dalcim. Li que Djokovic entrou com algumas restrições físicas em quadra, o que atrapalhou o seu rendimento. Todavia, não há exagero no quanto ele faz questão de mostrar a todos que está com limitações, sobretudo em momentos da partida de maior tensão? Cansei de ver Federer, Nadal e outros jogadores disputarem partidas nitidamente baqueados, sem fazer o espetáculo que o sérvio põe na ribalta, em circunstâncias similares. Qual seria a causa de tamanho destempero, levando-se em conta que ele não tem por que o fazer, sendo o número 1 do mundo e claríssimo favorito aos títulos mais importantes do circuito?
    Obrigado pela atenção e parabéns, como de praxe, pelo ótimo trabalho!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Gostaria de conseguir responder, Allan, mas é algo que somente cabe ao próprio Djokovic. Talvez seja automotivação, talvez seja desculpa antecipada, talvez seja mexer com a cabeça do adversário. Mas no caso de hoje acho que ele não gostaria de avisar o adversário que estava com problema, porque isso geralmente é um incentivo.

      Responder
      1. Alice

        Creio que seja fruto da sua personalidade, tentando assim mexer com o psicológico do seu adversário, em outras palavras…tentando tirar ele do foco. Vide, Serena Williams…quando começa perder, só falta abrir a terra no meio hahaha. Começa o show, o drama, missão impossível…e os gritos então? Grita que uma beleza pra intimidar sua adversária. Tomou um winner? Vishi, aja expressões de sofrimento em seu rosto. Sinceramente? Isso é tudo fruto da personalidade de cada pessoa , porque ninguém consegue fingir 100% do tempo…todos temos alguns “desvios de conduta e/ou personalidade”, defeitos.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Das quase mil partidas de Serena Willians você assistiu quantas , cara Alice ? Antes dela , várias Tenistas e vários Tenistas tem o hábito de emitir gritos em quadra . GUGA , Monica Seles , Serena , Azarenka , Sharapova e CIA . Assim como o manezinho da ilha , Serena desde 1997 grita nas partidas . Não entendi sua colocação quanto a intimidação ou quando está perdendo. Em quase 100 % dos golpes contundentes, os gritos surgem naturalmente. Sinceramente não da pra falar em preconceito no seu caso. Prefiro acreditar em falta de empatia . Abs!

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Sérgio, se esforce pelo menos um pouco meu caro.
            O que a Alice disse é que a Serena faz caras quando está em desvantagem, para tentar tirar a adversária do prumo, aí você vem falar de outros, colocando até Guga no meio. Guga sempre fez aquele gemido durante os jogos, que vem com o seu jeito de respirar, independente de ganhar ou perder, jogar com criança ou com idoso. Até na exibição que fez com o Djokovic no Maracanzinho ele soltava os gemidos.
            E outra coisa, tu assististe todas as mais de 1000 partidas da Serena?
            E antes de mais nada NÃO ESTOU DIZENDO QUE CONCORDO ou DISCORDO com a Alice, apenas o que ela de fato quis dizer.

          2. Alice

            Sérgio. Realmente, não entendi sua escrita referente ao “preconceito”. Quantos aos gritos de Serena, falo mais de quando está perdendo, é muito mais latente do que de suas adversárias. É ao natural/força, porque a maioria o faz. Quanto Sharapova faz parte, já sabemos que vem desde o juvenil isso no tênis. E sim, sinto que ela usa pra intimidar também. E pra mim “gemer/urrar” é diferente de gritar pra intimidar, dizer que está ali ou por emoções demais. Consigo bater gritando e não gritando, é uma questão de costume e mental. Hoje, prefiro não fazer. E sempre fui uma fã do jogo da Serena, admiro ela como tenista em quadra, no que tange ao que é capaz de fazer em quadra. Mas, não gosto de sua personalidade em quadra, acho exagerada e que ela não precisa disso. Gosto de tanistas como Kvitova nesse aspecto, mas isso é preferência. E sim, pra mim ela faz um teatro desnecessário quando está a perder, porque quando está ganhar..pose de Rainha. Mas cada um que lute com às armas psicológicas que pode, eu só observo kkkk…

          3. Sérgio Ribeiro

            Eu entendi o que ela disse , L Fa. E acho que quem não entendeu foi você. Intimidar , tirando proveito da situação com gritos ou outros expedientes , quando estava perdendo ou ganhando , quem fazia era Jimmy Connors , não Serena . E’ admirada por todas as suas grandes rivais em quadra. Outro dia as declarações de Azarenka sobre a Rainha foram emocionantes. Todas torcem pra que ela quebre o recorde de SLAM de Court . Tanto Martina quanto Evert ainda acreditam . Na boa , acho que não acompanhas a WTA . E cara , Alice , leia novamente sobre o preconceito. Não te coloquei na estória , mas em relação a Serena no Brasil , beira ao absurdo . Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *