Tango em Paris
Por José Nilton Dalcim
6 de outubro de 2020 às 21:04

Não faltam conquistas de Grand Slam, nem heróis para o tênis argentino. Mas esta terça-feira em Roland Garros foi um momento mais do que especial: o guerreiro Diego Schwartzman derrubou o primeiro grande do saibro que está no seu caminho, Nadia Podoroska foi a verdadeira tenista em quadra e tirou a cabeça 3 Elina Svitolina, aumentando sua série para oito vitórias. Dia de tango em Paris! É de causar saudável inveja.

Dieguito está longe de ser uma surpresa, ainda mais depois de derrubar o todo poderoso Rafael Nadal em Roma, há quatro semanas. Também já havia vencido Thiem em dois dos oito duelos realizados, mas encarava um duplo desafio adicional: chegar enfim a sua primeira semifinal de Grand Slam e realizar o sonho do top 10. Aliás, será o terceiro mais baixo da história do ranking a figurar na prestigiada lista (clique aqui e veja detalhes). De quebra, nunca havia vencido uma partida de cinco sets no estádio Philippe Chatrier.

Para superar tantos desafios, El Peque resistiu a tudo, a começar pela enorme frustração de perder o terceiro set que parecia dominado quando chegou a sacar com 5/3. Aí saiu atrás por 0/2, ganhou quatro games seguidos e ainda permitiu empate, perdendo de novo o serviço na hora mais imprópria, com 5/4 e três chances. E tudo isso numa partida extremamente equilibrada, de pontos e games muito longos, em que era preciso bater diversas vezes na bola até ter alguma chance de definição.

Thiem esteve com a vitória próxima, ao fazer 3-1 nesse terceiro tiebreak da maratona. Desde o final do terceiro set, seu forehand finalmente conseguia produzir winners mais constantes, mas o austríaco falhou na parte mental. Jogou os últimos pontos sem paciência e desabou de vez quando foi quebrado no sexto game do quinto set. Correndo atrás de todas as bolas, à procura de respostas para a potência superior do adversário, Schwartzman tinha mais pernas e aplicação tática ferrenha. Executou deixadas oportunas e voleios inteligentes.

Deu um show de determinação e foi magnífico ao responder Cédric Pioline na entrevista de quadra, quando o genial francês opinou que os dois mereciam vencer. “Acho que hoje eu mereci mais”.

Para quem já discorria sobre a provável muralha que Thiem teria pela frente nas rodadas finais do torneio, Schwartzman ocupa seu lugar com a tentativa de uma façanha ainda maior, quase inimaginável: depois de tirar o número 3 e duas vezes finalista, reencontrará o multicampeão Nadal na sexta-feira e, se repetir a atuação impecável de Roma, poderá lutar pelo título contra Novak Djokovic.

Horas antes, Nadia Podoroska me deixou boquiaberto. Sua postura em quadra diante de Svitolina era de uma veterana acostumada aos grandes palcos. Tomou conta rapidamente do jogo, fez magníficas mudanças de ritmo, ora com curtas, ora com forehand furioso, e de repente a experiente ucraniana estava completamente perdida em quadra, sem saber o que fazer, sem forças de reação.

Nunca uma qualificada havia chegado à penúltima rodada de Roland Garros. Podoroska, que foi capa do diário Olé na vitória anterior, sairá do 131º posto para a faixa das 50 primeiras, ainda aos 23 anos. Relembrou na entrevista oficial a dificuldade que passou há dois anos, quando ficou oito meses afastada por grave contusão no punho e não tinha dinheiro para voltar ao circuito. E revela: o sonho desde criança é ser a número 1 do mundo.

Sua adversária é outra que não estava na lista das favoritas, a jovem e habilidosa Iga Swiatek. Depois de tirar Simona Halep, não tomou conhecimento da canhota Martina Trevisan, e continua sem perder sets.

No final deste interminável dia em Paris, Nadal saiu da quadra à 1h32 da manhã, depois de lutar quase três horas contra o promissor Jannik Sinner. O jovem italiano foi ousado no primeiro set, quando sacou com 6/5, e ainda liderou no início do segundo por 3/1.

Mas o espanhol sempre acha respostas. Ainda estava um tanto irregular até a primeira metade da partida. Quando o forehand se soltou – e a combinação de saque aberto na vantagem com forehand no lado aberto funcionou maravilhas -, ele anulou o adversário. Terminou o jogo bem agressivo, fazendo ótimas transições à rede, e após um primeiro teste real mostrou-se fisicamente muito rápido e resistente nas defesas.

Rafa comemorou sua 100ª partida em Roland Garros com sua 98ª vitória. Assombroso. E está em sua 13ª semifinal. E uma notícia ruim para os adversários: dessa rodada em diante, jamais perdeu.

Saiba mais
– Segundo a estatística oficial, a média de primeiro saque de Schwartzman é a mesma de Petra Kvitova, ou seja, de 160 km/h.
– Apenas três mulheres sul-americanas conquistaram Slam: a chilena Anita Lizana, Maria Esther Bueno e a argentina Gabriela Sabatini, este o último e há exatos 30 anos. As duas primeiras em grama, a outra na dura. Então nenhuma delas em Paris.
– Nadia Podoroska sempre foi presença constante nos torneios promovidos no Brasil alguns anos atrás, tendo vencido dois em São José dos Campos. Era também a parceria de Bia Haddad no título do WTA de Bogotá, em 2017.
– Sinner garantiu salto para o 46º posto e assim a Itália terá agora quatro nomes no top 50, somando-se Berrettini, Fognini e Sonego.
– Andrey Rublev, que reencontra Stefanos Tsitsipas nesta quarta-feira, é outro que pode estrear no top 10. Ele nem precisa vencer o grego, mas Pablo Carreño não pode chegar na final de Paris.
– O espanhol é o adversário de Novak Djokovic, para quem perdeu os três jogos efetivamente encerrados, dois deles no lento saibro de Monte Carlo.
– Petra Kvitova reencontra Laura Siegemund cinco anos depois do único duelo e Danielle Collins, que ganhou uma partida difícil contra Ons Jabeur, levou a melhor nas três contra Sofia Kenin.


Comentários
  1. lEvI sIlvA

    Dalcim, embora sempre repita que cada jogo e adversário são distintos, uma coisa é curiosa ressaltar. Thiem já denotava certa dificuldade em se impor no jogo anterior com Hugo Gaston. (Longe de mim menosprezar ou desmerecer as qualidades do francês que me parece, recebeu convite. Ir tão longe num Slam, mesmo sendo um ilustre desconhecido, mostra quão bom ele é.)
    No outro jogo contra Wawrinka, ele já mostrou ter talento e armas pra incomodar.
    Enfim, a questão é, se abrindo 2 a 0, o austríaco se enrolou e não achou soluções contra o francês, senão no final do 5 Set, como ser tão favorito contra o argentino se, mental e fisicamente ele não sobrou em quadra? Ou seja, havia indícios de que o guerreiro e incansável Shwartzman poderia equilibrar ou até sobrar na balança. Pior, se o pequenino venceu o gigante Nadal em Sets diretos em Roma, por que não poderia superar Thiem em 5 Sets em RG?
    Abraço e muito grato pelo maravilhoso espaço que nos proporciona!

    Responder
  2. Ronildo

    Ansioso para ver o jogo entre Tsitsipas e Djokovic.

    Pra falar a verdade será bem legal acompanhar todos os jogos do Djokovic até o final de sua carreira à partir de agora.

    Responder
  3. Marcelo

    Torcedores chatos!

    Nadal rem 12 títulos em RG.

    Para o servio chegar perto dele, terá que ganhar todos os RG atè os 45 anos de idade (mesmo que ganhe este ano).

    Para nao deixá-los descontentes, vou concordar que é possivel.

    #Nolerumoao30GS
    #Nole400semanasnaliderança
    #Nolerumoamaisumaboladanojuíz
    #Nolerumoaosimpersonatesdanextgen

    : – D

    Responder
  4. Paulo Almeida

    Partida bem ruinzinha do Djokovic hoje, mas, como quase sempre, foi bem nos big points. Acho que está com aquela lesão no pescoço de novo, o que explica o aproveitamento tenebroso de primeiro saque.

    Vai ter que melhorar muito pra encarar o grego, apesar de ser outro tipo de jogo, bem mais rápido. O Busta, assim como o Agut, incomodam demais o sérvio nas trocas.

    Enfim, a chave é bem complicada mesmo e dois jogos duros já foram. Se for finalista, acho que já garante a sexta temporada na ponta.

    Responder
  5. Luiz Fernando

    A Paróquia de São Robin Soderling esteve vazia nestas duas semanas em Paris, parece q a pandemia afastou seus devotos q costumam ir lá na época do torneio de RG…

    Responder
  6. Leo Gavio

    Genio só tem um: DJokovic.

    Incrivel, enquanto Federer erra tudo nos momentos cruciais de aperto, DJokovic faz magica, eleva muito o nivel, e aumenta muito o risco das jogadas.

    Não tem conversa, já Nadal só aumenta o risco quando tudo tá perdido, quando a situação fica apertada ele passa a se defender até aperecer uma chance de arriscar matar o ponto. Djoko, não, ele vai pro all in. É o digno numero 1 do tenis. Nadal carece de um pouco mais de tecnica e Federer de um pouco mais de bolas.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pela primeira vez na vida vou concordar com o Gavião.

      O Federer seria ANOS-LUZ melhor do que o chiliquento, caso jogasse como ele os pontos “vermelhos”.

      Mas quando enfrenta o Djokovic, o sérvio joga com muito mais coragem e acaba premiado por isso.

      Na técnica, no carisma, nos golpes, o Federer sobra para cima dele.

      (basta ver a diferença do número de winners)

      Mas na coragem, firmeza e controle emocional toma um banho!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Anos-luz é a diferença que existe entre Djokovic e Fognini, Kyrgios, Dolgopolov e Gulbis em todos os aspectos. Entre os membros do Big Three não existe e nunca existirá essa distância. Federer é melhor tecnicamente na rede e Djoko melhor no fundo. Ponto.

        Winners não definem sempre quem é o melhor na partida, vide Wimbledon 2019. Melhor é quem vence mais sets. No entanto, o sérvio faz mais winners contra a maioria esmagadora de seus adversários e já equilibrou essa estatística várias vezes contra o suíço.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Na minha opinião o Fognini e o Kyrgios são melhores tecnicamente do que o sérvio.

          Só que no geral:

          técnica + físico+ mental+ trabalho duro, o Djokovic os supera.

          É uma coisa muito simples de entender.

          Você tem o direito de discordar, mas vai continuar sendo como eu penso.

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Ok, pense como quiser.

            Eu não acho que o Fognini faça nada melhor do que o sérvio e o Kyrgios só é superior no saque e no drop, perdendo feio em devolução e esquerda principalmente.

  7. Luiz Fernando

    Busta vai insistindo em trocar BH com Djoko sem arriscar mudar a direção da bola e vai ficando inferiorizado, apenas c regularidade ela terá poucas chances na partida. Um set s um.

    Responder
    1. Fernando FC

      Exatamente isso. O Busta ficava trocando BH até que Djokovic mudava a direção e dominava o ponto. O QI para tomar decisão durante o ponto é horrível.

      Responder
  8. Luiz Fernando

    PCB vai servir p o primeiro set com 54, mas este placar decorre mais de erros do Djoko, irreconhecível ate o momento, do q dos méritos do espanhol. O sérvio esta com um adesivo da região cervical D, em geral algo q libera anti-inflamatórios, o pode significar q deve estar jogando com algum tipo de dor, o q explica sua afobação em alguns momentos e erros em profusão; parece apressado em terminar os pontos. Fosse quem pensa q é, o espanhol, regular mas sem arriscar qualquer mudança de direção da bola, ja teria vencido este set com facilidade, pois Djoko está jogando abaixo do q pode…

    Responder
  9. Luiz Fernando

    Vitoria categórica do grego, que poupou fisico e cabeça, como dizia o Dácio Campos na época do Sportv. Precisará, e muito, de ambos na sexta, quando possivelmente enfrentará Djoko.

    Por falar no sérvio, se aproxima o jg do cara contra o segundo ou terceiro melhor jogador de saibro em RG. Pq a duvida? O espanhol se autoproclamou como segundo, mas como alguns blogueiros de bom senso e isenção postaram q Thiem é o melhor tenista da atualidade, e o austríaco é um excelente saibrista, fico em duvida acerca da posição exata de Busta neste contexto kkkk. Como eu digo, aqui é diversão garantida kkkk…

    Responder
  10. Nattan Lobatto

    Deixa eu colocar a lógica do nobre, icônico e ímpar, colega Vitor Hugo: Se Thiem é o segundo melhor sabrista (a frente do Djokiller), ao perder para o El Peque, que perdeu na final de Roma (em sets diretos) para o Lobo, fica em qual posição??? El Peque é agora o 2º melhor saibrista da atualidade??? Djoko está a frente ou ligeiramente atrás? ?? Onde moram, o que comem e onde vivem????

    hahahaha

    Abs

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Se o nobre VH não responder, tente o Marquinhos, ou o Renato, ou o Johnny ou algum outro q com certeza já deu as caras por aqui kkkk…

      Responder
  11. Luiz Fernando

    Creio q maioria de nos considera o grego superior ao russo. Na apresentação dos jogadores, porem, observamos q o russo, neste ano, venceu mais do q o grego, inclusive recentemente, em Hamburgo, quando o grego sacou p fechar e vencer o torneio e ainda perdeu. No momento ambos vão fazendo uma boa partida, apesar de bem morna. Como esperado, o grego vai vencendo por 2 sets a zero, sem grande desgaste fisico.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Eu não dei bola, mas já que insiste: não, o Nadal estava abaixo técnica e fisicamente, mas não lesionado. Caso diferente do de 2009.

      Mesmo assim, era o sexto do mundo, chegou às quartas de final na sua casa e foi batido em sets diretos.

      Ok, tanto o Soderling quanto o Djoko não venceram o melhor Nadal em RG, mas venceram e o Federer nem isso. É o que fica pra história.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Kkkkkkkkkkkkkk. Na boa , você é uma figura . Então Paulo, Soderling não venceu o melhor Nadal apesar dos Tie-bracks , mas Federer bateu o melhor Soderling kkkkkkkkk Abs!

        Responder
    2. Jonas

      Não sei se o Paulo vai responder, mas Nadal não estava lesionado. O espanhol estava em má fase técnica, que eu lembre, parecido com o Djokovic em 2017.

      A diferença é que o sérvio tinha uma lesão no cotovelo e preferiu abraçar árvores.

      Responder
  12. Miguel BsB

    Vou torcer pros 2 Hermanos sem dúvidas!
    Sou fã demais do el Peque! Fisicamente desfavorecido, mas compensa com muita garra e coragem. O argentino está ficando cada vez maior…

    Responder
  13. Rafael Azevedo

    Dalcim, não sei se você também percebe isso, mas na maioria dos jogos do Nadal eu vejo 2 Rafa em quadra…

    Geralmente, ele começa meio lento, só se defendendo, com bolas curtas, cara feia

    Então, vai chegando o fim das partidas e ele se transforma. Começa a sacar bem, fica super veloz em quadra, começa a subir à rede e fazer, sufocar o adversário e fazer um monte de winner.

    Ontem, ele fez metade dos seus winners só no terceiro set (que só teve 7 games).
    Mesmo quando ele perde, eu percebo o mesmo comportamento. Na final do ATP cup, ele tomou um passeio do Djokovic no primeiro set, mas no segundo começou a fazer pontos incríveis, com muita ofensividade, e quase venceu o set. Contra Dieguito na final de Roma, a mesma coisa, mas quando ele subiu o nível, já era tarde demais.

    Por que isso acontece? Ele vai adquirindo RITMO ao longo da partida e vai se soltando? Ou é questão de CONFIANÇA, mesmo?

    Eu vejo o Nadal com um mental incrível, quando se trata de NÃO DESISTIR, de NÃO ACEITAR A DERROTA. Talvez, o maior nesse aspecto.
    Mas, quando se trata de força mental para a AUTOCONFIANÇA, acho que ele é inferior ao Djokovic nisso.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que isso tem acontecido nesta fase de menor ritmo e confiança. Conforme o adversário, ele até tenta ser agressivo logo de cara, e talvez seja o caso contra Schwartzman.

      Responder
  14. Rafael Azevedo

    Alguns comentários sobre Thiem x Schwartzman:

    – O estrago que o Gaston fez no Thiem foi maior do que esperado. Foi notório o desgaste do Thiem, a partir do 4° set. Pode ser que mesmo em completa forma física e emocional o austríaco perdesse do argentino (embora, eu acredite que ele venceria), mas com certeza ele não teria entregado aquele 5° set tão cedo. Sim! Ele entregou no fim. É só ver o último game da partida. Ele praticamente errou de propósito para terminar logo o sofrimento.

    – Agora eu entendo porque o Thiem não dá muitas curtinhas…As que ele tentou na partida foram ridículas.

    Responder
  15. DANILO AFONSO

    Dalcim, se levarmos em conta que a estatura média dos atletas no geral é majorada a cada década e que a imposição física no tênis é cada vez mais relevante, o feito do argentino Schwartzman é muito mais impressionante quando comparado com os pequeninos Haroldo Soloman e Eddie Dibbs há cerca de 40 anos.

    Como o argentino não tem um saque contundente, longe disso, eu cansava só de vê-lo tendo que lutar para ganhar cada ponto, pois com o 1º serviço a 160 km de média não propiciava pontos de graça. Haja força mental e capacidade física para suportar tamanho desafio.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, sem dúvida alguma considero o feito do Diego superior. Sem falar que seu 1,70m provavelmente não corresponda à realidade. Há quem aposte que não passa de 1,67m.

      Responder
  16. Fernando Brack

    Thiem não deve ficar tão triste por ter perdido ontem, pois livrou-se de levar mais um atropelo de Nadal em RG, situação que costuma criar bloqueios mentais de efeito muito corrosivo.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Atropelo , caro Brack ? Nem Dieguito depois da maratona vai ser atropelado. O favoritismo sim , permanece com o Espanhol na minha opinião. Abs!

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Ele provavelmente teria perdido outra pro Nadal.

      Mas desta vez, não porque o Nadal não fosse “ganhável”.

      E sim porque o austríaco me pareceu bastante cansado.

      Responder
  17. Luiz Fabriciano

    Dalcim, imaginando que tu foste um Dominic Thiem enfrentando o argentino nessa fase, que saca a uma média de primeiros serviços a 160 km/h (o segundo deve ser ainda mais baixa), dono de golpes pesados, tanto de back quanto de forehand, não produziu dividendos melhores?
    Faltou confiança ou mentalidade tática mais eficiente?
    Lembro-me bem do Murray para devolver segundos serviços quase 1 metro dentro da quadra.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, para mim ainda é incompreensível essa postura. Mas você imagina que Nadal fará diferente? Vai ficar lá atrás também, como fez em Roma.

      Responder
  18. Lola

    Uma dúvida, esse blog é de tênis ou de política?
    Escolhas do STF cabem ao presidente da República, assim como coube aos outros presidentes, e as escolhas foram péssimas, como podemos conferir hoje em dia!

    Responder
  19. Gabriel

    Dalcim, você acha que Nadal já está completamente em ritmo de jogo? ontem o achei errando bolas que normalmente não erra, especialmente os forehands e em alguns momentos na rede, ele parecia bastante incomodado com isso.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele teve sim alguns altos e baixos, mas convenhamos que jogar com frio de 10 graus e numa ventania danada não é exatamente algo divertido. Não sei se você percebeu, mas houve inúmeros lances em que os dois jogadores ficaram perdidos com o desvio da bola pelo vento.

      Responder
  20. Rubens Leme

    Dalcim, recomendo a leitura da bio do Woody Allen, Apropos of Nothing. Infelizmente só tem em inglês ainda, mas para nós, fãs, é muito divertido, cheia de relatos de bastidores dos filmes e ele fala muito sobre a questão do assédio e não poupa Mia Farrow.

    Enfim, o livro é caro ainda, na Amazon Brasil – 150 reais -, mas valeu cada centavo. Foi um fim de semana muito divertido.

    Responder
      1. Rubens Leme

        A honestidade e a fala de como acha seus filmes uma grande porcaria é impressionante. Adoro esse lado dele, de quem não se acha nada especial como diretor e roteirista, embora todos discordem dele.

        Responder
  21. Rubens Leme

    SOM IMAGINÁRIO (1970)

    A quantidade de artistas brasileiros esquecidos dos anos 60 e 70 é imensa. Um destes notáveis é o grupo Som Imaginário, que serviu como grupo de apoio para Milton Nascimento no começo de carreira.

    Esse primeiro LP trazia um time de dar água na boca em muitos grupos de fora. Liderados por Wágner Tiso (teclados), Robertinho Silva (bateria), Fredera (guitarra), Zé Rodrix (órgão e voz), Tavito (violão e guitarra) e Luiz Alves. Além deste belo time, o próprio Milton e Naná Vasconcelos (provavelmente o maior percussionista que este planeta já conheceu) abrilhantam ainda mais um disco, que merece ser ouvido várias vezes.

    https://www.youtube.com/watch?v=PCPRYHukYgw&fbclid=IwAR3kw_LI7lxioJC7l8zEXsP3KqvsMIL397GizfWwvh7L16RAx1v7ZbrkL_Y

    Responder
    1. Gume

      Bom dia Rubens.

      Quero aproveitar seu vasto conhecimento em música para perguntar sobre uma banda do início dos anos 70. Chamava -se Moto Perpétuo.
      Não conhecia e um amigo indicou. Procurei e encontrei seu único disco no you tube. Confesso que me surpreendi com o som, bastante progressista, lembrando muito o Yes.
      Somente o Guilherme Arantes eu conhecia.
      Abraços e obrigado.

      Responder
  22. Ulisses

    Dalcim,

    Analisando o jogo do Thiem e o Diego ficou claro que o austríaco abusou dos slices na esquerda do argentino. Não teria tido mais sucesso batendo mesmo na bola? Se fosse contra um Nadal ele perderia rápido com 3 x 0. Mas qual motivo de tanto slice? Falta de confiança em bater na bola? Questão tática? Ou física mesmo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É impossível só ficar batendo na bola com as condições de Paris. O esforço físico é enorme. E o uso exagerado de slices me parece indicar que ele estava realmente cansado.

      Responder
    2. Fernando Brack

      Thiem estava claramente desgastado e o abuso de slices denotou isso. Uma pena, porque ele tem no BH batido uma grande arma, poucas vezes usada na dura partida de ontem.

      Responder
  23. periferia

    O Brasil é o país da “carteirada” e da “diplomada”.
    O indicado para o Supremo Kassio Nunes apresentou divergências no currículo.
    No papel o sujeito é um espetáculo acadêmico …e se comporta com aquela arrogância que só a falta de mérito pode comprar…..mas… na hora de mostrar o que realmente sabe…apresenta um diploma em vez de uma resposta (sendo que o diploma não é muito confiável).

    Sigamos

    Responder
  24. AKC

    Acho que o Thiem fez alterações no jogo dele que não foram boas. Desde o USOpen tem usado muitos slices de backhand, que na quadra rápida contra jogadores altos é uma boa arma, mas questionável no saibro contra jogadores baixos. Além disso, ficou conservador demais ao deixar de arriscar as paralelas, principalmente com o backhand, insistindo demais nas trocas cruzadas. Muitas vezes Dieguito tomou a iniciativa dos pontos por causa destas táticas, na minha modesta opinião, equivocadas.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Rubens,

      o maior medo (e certeza) que eu tinha era justamente uma indicação péssima ao STF.

      Todo mundo já sabia que o Bozo, o estelionatário eleitoral, indicaria alguém com a benção do Centrão!

      Alguém para proteger a ORCRIM dele, e a manutenção da impunidade que já era grande.

      Agora, além de aberrações como: Mendes, Lewandowiski e Toffoli, teremos mais esse cara.

      Triste Brasil…

      Responder
      1. Marcelo

        Nosso presidente nao é um estelionato eleitoral. Foi eleito com voto legítimo e do povo.

        No entanto e entao cabe uma ressalva, foi eleito por um povo que viu nele um igual.

        Faltou base, faltou educaçao do povo. Falta muito ainda que esperavamos fossem resolvidos por governos anteriores, mas ao invés disso se agravaram.

        E se agravaram a ponto de eleger o que temos hoje.

        Portanto, se vc é apoiador dos governos anteriores, faça uma mea culpa antes de termos o que temos no momento.

        Mas tambem concordo q este governo esta entre os piores que ja tivemos (se vc tiver esta opiniao).

        Torço para que podemos funcionar como país e as diferenças possam ser deixadas de lado.

        Guardemos as diferenças para a toecida no esporte

        : – )

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Marcelo,

          eu não sou apoiador dos governos anteriores.

          Inclusive, pra mim, o Lula fica bem próximo do Bolsonaro no quesito canalhice…

          Só que o termo que usei – “estelionato eleitoral” é cunhado para definir aquele cara que promete uma coisa, e entrega o oposto!

          O Bolsonaro foi eleito prometendo combater a corrupção e apoiar a Lava-jato.

          Mas o que ele fez foi nomear um PGR e agora um Ministro do STF que ODEIAM a operação!

          Além de se manter no poder distribuindo cargos bilionários ao Centrão e ainda esconder os crimes do filho.

          Usando até o advogado dele para esconder o tal de Queiroz.

          Também nem preciso comentar o desprezo absoluto desse homem pelas vítimas do Covid-19.

          Ele tirou dois Ministros da Saúde responsáveis e da área, e colocou um paraquedista…

          Pra mim, ele é o pior presidente da história!

          Superou o Lula já.

          Responder
          1. Marcelo

            Meu Caro,

            Se considerarmos sob seu ponto de vista, ambos sao estelionatos eleitorais.
            Um por promessas de postura anti corrupção e o outro por promessas de igualdade e justiçao social.

            Lamentável a postura de ambos os governos (na minha opinião). De um que se apoiou numa ideologia de igualdade (e jamos colocou seus preceitos em prática de verdade, mas apenas um discurso esquizofrénico de proteçao de minorias que nunca existiu de fato), e o outro por um discurso com a retórica da retidão de carater e da moral que nunca teve.

            Nao lamento a eleicao nem de um e nem de outro, pois foram as vontades do povo nas urnas, mas lamento os caminhos que ambos os governos tomaram após as eleiçoes.

            E independente da orientaçao política, estamos todos no mesmo barco!

  25. Marcelo

    Dalcim,

    Com um título destes no post, vc apenas aguarda, então vamos lá:

    – Aguardamos Nadal passar a “cena da manteiga” no Servio caso ambos cheguem a final pois nao sei onde os torcesores do Sèrvio podem enxergar equilíbrio nem igualdade para alguém que nesta comparaçao está perdendo de 12 x 1.

    Chega a ser ridículo o fanatismo….

    Responder
    1. Jonas

      Tá bom. Nadal vencerá o sérvio na final por 3 x 0, placar semelhante à final de 2008. Nem você acredita mesmo nisso, cara. Claro que Nadal é o grande favorito para o título e Djoko o principal candidato a vencê-lo, simples.

      Responder
  26. Sandra

    Dalcim quando a Marion Bartoli ganhou Wimbledon em 2013 , não tenho certeza do ano, ela foi considerada zebra , qual era o ranking dela ? E a curiosidade maior , ela que derrubou as favoritas ou as favoritas que caíram antes ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Serena, Azarenka e Sharapova perderam cedo e Bartoli não enfrentou um grande nome. Mas ainda assim foi surpresa por seu estilo exclusivamente de fundo de quadra.

      Responder
  27. EDVAL CARDOSO

    Na verdade, Nadal só foi ser Nadal mesmo,rei de Paris, a partir do terceiro set, nos dois primeiros, se fosse um jogador mais experiente o italiano, teria levado sem muitas dificuldades,
    Pelo que jogaram nas quartas, acho que da mais um tango em Paris, mas cada jogo é um jogo, e Nadal em Roland Garros, parece ter um pacto com algum ser de outra dimensão.
    Kkkkkkk

    Responder
  28. Efraim Oliveira

    O Busta entrou de vez nessa história de jogo mental. Acho que isso funciona mais pra auto confiança dele fique afetar a confiança de Novak. Lembro da frase que Nadal falou antes do jogo da final de 2014 contra Novak: “ele nunca me venceu aqui”. Achei que essa frase jogou uma pressão enorme em Novak, ali eu passei a achar que Nadal seria o campeão. Talvez se o Busta tivesse grandes resultados no saibro as palavras deles poderiam mexer com o mental de Novak.

    Meu palpite pro jogo é 3×0 pra Novak.

    Responder
  29. Jhonny soares da silva

    Bom jogondo italiano, merece ser aplaudido pelo que fez neste slan, este sim mostro que talento nao tem que vir com arrogancia, porrém precisamos ver se vai ter mais consistência no decorrer da carreira. Para ver se nao sera apenas uma chuva de verao ou um forte candidato a brigar por slans e numero 1.
    Thien e o 2 melhor saibrista ha 3 anos e sequer ganhou um master mil pode isto produção?

    Responder
  30. Paulo F.

    Federer só foi ganhar um Grand Slam aos 23 anos.
    E querem me trovar que ele seria parâmetro logo em Roland Garros aos 19 anos, para justificar o normal Sinner!
    Hahahahahahahaha

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Federer foi N 1 Juvenil do Mundo , mané . Não sei a sua idade . Mas o Suíço era tão imaturo como você . Enquanto ele quebrava raquetes até amadurecer , Sinner vem cumprindo etapas com um grande treinador. Coisa muito difícil para torcedores de arquiba reconhecer. Preferem desdenhar de um jovem talento que pode a vir perturbar o cara do Poster do teu quarto rs Abs!

      Responder
    2. Carlos Reis

      Qual a diferença em 08/1981 e 07/2003? Quase 22 é a resposta. Nadal ganhou aos 19 e Djoko aos 20, parabéns pra eles. Não quer dizer muita coisa, pois o Becker e o Chang ganharam aos 17.

      Responder
  31. RicardoCWB

    Dalcim, vi alguns reclamando do uso excessivo de slices pelo Thiem, mas acho que eles estavam até ajudando o austríaco.
    Ele levou aquele terceiro Set assim, e ia levar o quarto e consequentemente o jogo da mesma forma.
    O Schwartzman cansou de cometer ENF, ora batendo de esquerda, ora fugindo pra bater de direita.
    Mas no quinto, realmente, a coisa desandou pro austríaco. Tava sem perna e sem cabeça, e, claro, Dieguito não tinha nada a ver com isso.
    O que acha?

    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o uso de slice era importante, mas o uso excessivo foi um indicativo da exaustão física do austríaco, já que nessas condições o esforço para fazer a bola andar era muito grande e ficava fácil de perceber isso.

      Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Exatamente. Ele confessou que estava travado no quinto set pelos nervos. Mas no caso do Zverev, que é bem alto e tem um backhand muito perigoso, ainda é mais aceitável.

          Responder
    2. Fernando Brack

      Ricardo, o slice é um golpe essencialmente defensivo. É muito raro ser usado ofensivamente, pois aí precisa ser executado com maestria e com muito veneno. Como disse o Dalcim, seu uso excessivo em geral denota desgaste do jogador. No caso do Thiem, foi ainda mais notável pq ele tem um excelente BH batido, mas ele disparou pouquíssimos golpes fulminantes daquele lado. A meu ver, um claro sinal de estafa.

      Responder
  32. Gildokson

    Quero saber pq o Thiem tava dando tanto slice.
    Nadal com um pé e meio na final, o grande El Peque não vai ganhar 2 vezes seguidas do rei do saibro, e Nadal em final de RG todos ja sabemos oq acontece neh.
    Até quando isso meu Deus!!! kkkkkkkkk

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pra dar uma penca de Slices você precisa se deslocar tanto quanto pra disparar um Backhand potente , Gildokson ? Claro que não. Thiem estava com apenas meio tanque de gás. Daí … Abs!

      Responder
      1. Gildokson

        Verdade Sérgio, e pra mim ta aí o motivo maior da derrote, sem querer desmerecer o argentino. É incrível como só Nadal e Djokovic sempre estão inteiros fisicamente de um torneio para o outro. Mesmo Thiem pulando Roma não adiantou.

        Responder
        1. José Eduardo Pessanha

          Rapaz, você deve ser novo aqui. Eu uso esse apelido aqui há mais de 10 anos. Não é um apelido pejorativo. O Djokovic tem um corpo muito delgado e um cabelo sempre do mesmo formato. Parece mesmo um cotonete. E eu chamo o Nadal de Conan, pois o espanhol é forte, violento (no bom sentido) e impiedoso com os adversários.
          Abs

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            E bota novo nisso , Pessanha . Um pentelho mas que apoia todas do Almeida , P F e outros menos cotados. O famoso torcedor modinha. Abs!

    2. Danilo BR

      Eu tb fico me perguntando até quando vai esse domínio do espanhol em Rolanga, e vejo que é mais pela questão de fraqueza psicológica dos adversários. Eu acho que se Djokovic não chilicar será favorito ao título dessa vez pois é o único capaz de deter Nadal em qualquer piso, Djoko é muito mais jogador que Nadal, porém pode falhar no emocional por ser muito nervoso.

      Responder
  33. Fernando Brack

    Agora, vamos convir, o Thiem cansou de dar dropshots horríveis. Diego chegou bem na bola em mais de 90% deles. No mais, acompanho os colegas que criticaram o excesso de slices no BH do austríaco. Logo ele que tem um golpe tão forte e eficiente ali. Usou pouquíssimo as paralelas, especialmente de BH.

    Responder
  34. Babidi

    Nadal, mesmo caindo pelas tabelas em 2015, ganharia de todo mundo em Roland Garros, exceto do Djokovic. Quando o enfrentou foi atropelado na Philippe Chatrier. A chave acabou os colocando frente a frente ainda nas QF

    O Nadal de hoje não está caindo pelas tabelas e mostra estar em ótimo nível de jogo, mas mesmo com o retrospecto inigualável e absurdo no saibro parisiense (98-2), acho que terá que jogar demais pra superar o Djokovic caso o enfrente em cinco sets

    Responder
    1. Chetnik

      Já que o pessoal adora mandar um off-topic aqui, vou aproveitar o ensejo do teu post para mandar o meu rs. Pessoal baba, com razão, esse recorde do Nadal em melhor de 5 sets no saibro. Cento e não sei quantas vitórias e DUAS derrotas. Impressionante. Bizarro. Inacreditável. Concordo.

      Mas uns anos atrás eu mencionei aqui o Karelin, porque tinha uns incautos colocando Slater, Senna, entre outras parvalhices, como possíveis GOAT de todos os esportes, kkkkk. E ainda tiveram a pachorra de se armar com a ignorância costumeira. Acontece que o Karelin tem, na carreira inteira, as mesmas DUAS derrotas que o Nadal tem em melhor de 5 no saibro. A diferença é que ele teve quase 900 – isso mesmo, NOVECENTAS – vitórias na carreira, kkkk. Num esporte em que um ÚNICO movimento errado pode custar a vitória, e você não vai ter centenas de chances de recuperar o atraso…sem contar a brutalidade intrínseca. Cansou de ser campeão com costela quebrada, joelho moído, músculo rasgado, concussão na cabeça, febre, etc, kkkk.

      E das duas derrotas, uma foi numa seletiva nacional no primeiro ano da sua carreira, para o atual campeão, e a outra na sua última luta, em que inventaram uma regra ridícula para tirarem a sua vitória.

      O Karelin é o GOAT dos GOATs com MUITA distância. Não é nem uma discussão aceitável. A maior aberração esportiva que já competiu nesse planeta – embora ele fosse de outro.

      Responder
      1. Babidi

        Muito boa a sua observação. Esse cara foi um monstro sagrado e deveria ser mais reconhecido. Dificilmente você vai ver um jornalista esportivo colocá-lo ao menos em um top 10 de maiores atletas de todos os tempos, o que me parece injusto. Carisma e apelo popular são importantes sim para criar um ícone do esporte, mas acho que os feitos devem ser considerados em primeiro lugar. Vejo que andam esquecendo muito disso ultimamente..

        Senna foi um gênio e grande ícone do automobilismo, principalmente para os brasileiros. No entanto, eu acho que a forma que ele faleceu acabou supervalorizando incondicionalmente o que ele fez nas pistas, o que transforma uma avaliação racional em emocional.

        Agora, um cara ficar 13 anos invicto e 6 anos sem ceder sequer um ponto, ter um cartel absurdo como esse que você falou, colecionar medalhas olímpicas em sequência, ser o atleta a ser batido por anos e anos.. realmente não tem comparação

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Errado caro Babidi . Senna não foi um ícone apenas de Brasileiros. De onde o amigo tirou isso ? Já eras nascido ? Ele já tinha o reconhecimento ainda em vida , mundial. SIMPLE THE BEST era como o chamavam . Nada a ver como a maneira que morreu. Tem mais admiradores na Itália que o próprio Schumacher. Silvastone ficou conhecida a pista Inglesa. Daí Hamilton não cansar de repetir sua idolatria por Ayrton num País com várias lendas nesse esporte. Abs!

          Responder
  35. Rafael Azevedo

    E o Dalcim cravou todas as suas análises…

    Disse que Thiem tomou um susto na hora errada. Questionado por um colega do blog, ele explicou que o desgaste físico e emocional poderia atrapalhar numa possível batalha com o argentino…BINGO!

    Também, questionado por mim se foi melhor para o Nadal ter o Sinner nas quartas, ele disse que SIM. De fato, acho que o Zeverev, hoje, não teria perdido aquele primeiro set.

    Esse é MESTRE, mesmo.

    Responder
  36. Arthur

    Êêêêêê….Seu Thiem…

    Pelo visto, vamos ficar nessa mesmice de Big 3 até Federer, Djokovic e Nadal se aposentarem, Dalcim.

    O sujeito ganha um US Open mamão-com-açúcar como aquele e depois entrega a rapadura assim, desse jeito, justamente no Slam em cujo piso ele é o mais forte?

    Vou começar a buscar esperança nos juvenis que chegarem ao circuito, porque nem a falecida “nova geração” (Dimitrov, Nishikori e Goffin) nem a “novíssima geração” (Thiem, Zverev e Kyrgios) vão realmente dar sufoco pros totens do circuito.

    Um abraço.

    Responder
    1. Marcelo

      Desculpe, mas nao entendi. Ele entregou sozinho? Nao havia alguém jogando do outro lado da quadra? Fiquei confuso…

      Aliás, acho que o argentino deu um show ontem (apesar de parecer uma abelhinha com aquele uniforme).

      Alguém mais viu o uniforme dele?

      Responder
  37. Daniel C

    Bem, agora só me resta torcer para o Nadal ir para a final e derrotar aquele que grita com boleiros ou acerta juízes de linha. (E que agora quer que todos fiquem desempregados para ele poder fazer as ceninhas dele em paz)

    Mas é claro, se o sujeito perder antes para o Carreno Busta, Rublev ou Tsitsipas, será melhor ainda. Vale a torcida e aí poderei torcer por um novo campeão, o que é sempre mais interessante. Mas se der Nadal, será totalmente merecido. Sou mais Federer, mas não tem como negar que o espanhol é quase um Deus nessa Philippe Chatrier. Impressionante e merece todo o sucesso.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Cara, você não consegue ficar um post sequer sem falar mal do Djokovic?

      Eu já fiquei vários sem falar mal do Federer. Faça o mesmo, na boa!

      Responder
    2. Abel Afonso

      Detalhe: para a sua raiva e com o resultado de hoje, Djokovic será o número 1 do mundo até o final do Masters.
      Pode ainda este ano garantir o recorde de semanas a frente do ranking desde que vença ou chegue na final de RG e vá a final em Viena ou Russia ou apenas vença uma partida a mais no finals…

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Você está enganado, caro fake.

          Dentre os integrantes do BIG 3, realmente eu sou Federer, desde criancinha, não vou negar..

          E ele pra mim é o GOAT.

          Mas tem outros tenistas que eu gostaria mais do que o suíço de ver levantando um troféu de Major.

          Exemplos: Nick Kyrgios e Fabio Fognini.

          Responder
  38. Mário Cesar Rodrigues

    Parabéns ao Italiano,opa espera ele estava jogando contra Rafa .Dalcim disse que agora foi testado ok Rafa precisa de teste em RG.e se tratando de GS mais um.so pode ser brincadeira Rafa joga demais quando falo que o que está em jogo é muito mais do que um GS.Rafa eu sou seu fã! THIEM PAGOU O PREÇO FALEI QUE O USOPEN FOI O DIVISOR OS AQUELAS BOLAS NA LINHA Dueguito vai levar pancada a torto e a direito do Rafa é Rafa vai para final e vai ser campeão. Simples e é assim que vai acontecer queiram ou não.

    Responder
  39. Ronildo

    Eu já não acredito em Zverev e Aliassime como futuros números 1 do mundo. Zverev até joga bem contra os dinossauros, mas quando pega os rapazes promissores, desanda tudo.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Ronildo . Não sei desde quando acompanhas o Esporte . Mas me impressiona como julgam novos talentos como se já estivessem no ápice. Federer , demorou a amadurecer. Não teve a precocidade de Rafa Nadal nem de Sampras . Abs!

      Responder
  40. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    na tua opinião, o que o Pablo Carreno poderia fazer de melhor, para amanhã surpreender o Djokovic?

    Do ponto de vista tático, eu digo…

    Responder
    1. Chetnik

      Só armando de novo com a juíza de linha. De resto, esquece. Vai se frustrar à toa. Eu conheço bem o Djoko. Ele vai entrar mordido e humilhar esse petulante.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        O Djokovic tem um favoritismo na casa dos 70% ou mais, Chetnik.

        Ou seja, o Carreno ganhar seria uma zebraça!

        Mas no US Open, ele chegou a ter o saque para fechar um set.

        Vamos ver…

        Responder
  41. Ronildo

    A pura verdade é que o desgaste físico venceu o Thiem. E agora, como fica? Se Djokovic chegar na final, será campeão, salvo contusão.

    O que eu ví é que o Thiem deixava a bola curta, cedo ou tarde, quando era pressionado. Estava cansado. Já Nadal e Djokovic não farão isso, não estão cansados. Quando sentirem Dieguito pressionando, metererão uma paralela e resolverão o problema.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na mosca , Ronildo. Com esse Saibro lento , o Austríaco tinha a melhor arma . Disparar o Backhand na paralela e as vezes na cruzada. Aquelas trocas exageradas de Slices com Dieguito ( um esperando o erro do outro ) , nada mais era falta de pernas . O Espanhol já viu em Roma aquilo que não deve fazer. E neste quesito tática , Rafa Nadal é praticamente insuperável. Abs!

      Responder
  42. DANILO AFONSO

    Em razão da derrota do Thiem, teremos um novo HEXACAMPEÃO no final do ano, Djokovic ou Nadal, exceto se o austríaco participar e vencer os torneios restantes da temporada, ATP 500 Petersburg, Master 1000 Paris, ATP Finals e um dos dois ATP 250 e desde que o espanhol e principalmente o sérvio não pontuem.

    Como dificilmente o THIEM está inscrito nos ATP 250, o recordista PETE SAMPRAS terá a compamhia de um novo Hexacampeão.

    Dalcim, sabe informar se o Thiem está inscrito no ATP 500 de Petersburg ??

    Responder
  43. Chetnik

    Thiem não aguentou as trocas. Começou a exagerar nas deixadas e por vezes se esqueceu de bater o BH com o topspin. Alguns pontos foram bem feios, era o Diego jogando na esquerda sem parar e o Thiem só batendo slice. Achei meio constrangedora essa insegurança do Thiem. Aliás, aconteceu no 5a set inteiro contra o Zverev. Tem um BH tão decantado, mas, mais uma vez, fica provado que o seu ganha pão é o FH. Esquerda produz uns pontos bonitos, mas não é tão confiável.

    Nunca tinha visto o Sinner jogar. Tirando o 3a set, foi muito bem. Só bobeou no final do 1a set. Lá ele deu uma sentida notória. Mas o Nadal é muita carne de pescoço.

    PS: Sempre bom ver a Svitolina perder.

    Responder
  44. Paulo Almeida

    Eu acho Van Halen um hard rock bem farofa, longe de ser uma das minhas bandas preferidas, mas não há como negar o grande guitarrista virtuoso que o Eddie foi.

    Mais um dia triste no meio do rock…

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Isso Paulo. Também não sou muito fã de bandas muito “comerciais”, que se utilizam, ou utilizaram, de características do movimento headbanger (ou heavy metal), do visual mais agressivo, para vender sons melódicos e pouco criativos, a bem da verdade. Exemplos do “rock farofa” (Aaaargh!): Alice Cooper, WASP, Motley Crue, Kiss, Twisted Sister, Whitesnake, Poison, Europe … Aqui fica difícil saber qual a pior! KKKK
      Mas, apesar de Eddie Van Halen flertar com esse tipo de som durante boa parte de sua carreira, eu sempre o considerei um guitarrista virtuoso.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Dessas daí até gosto de alguma coisa do WASP e do Whitesnake, kkkkkk.

        As piores são aquelas glam mesmo, tipo Poison, Mötley Crue, Ratt etc.

        Responder
  45. Paulo Almeida

    Eu avisei que o Sinner só tinha a marretada de direita como destaque e alguns ainda tiveram a coragem de me satirizar, kkkkkkkkkkkkkkkk. Venha me pentelhar, Ribeiro!

    O garoto vai ter que melhorar MUITA coisa em seu jogo para desafiar os grandes no futuro.

    E o que dizer do SUPERESTHIEMADO??? “Segundo melhor saibrista dos últimos 3 anos”, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

    Já merecia ter sido eliminado antes, mas empurrou até onde deu. O lado positivo da coisa é que não será TETRAELIMINADO consecutivamente pelo Nadal em Rolanga. Vejo o Schwartzman com muito mais potencial para bater o espanhol, mas ainda assim uma tarefa bem improvável.

    Bom, o austríaco pode comemorar seu USO fake, porque o número 1 de DjokoGOAT ele não vai tirar mesmo!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Você jura que o garoto somente tem a direita potente , caríssimo Piloto ? Eu pedi pra você ao menos assistir jogo . Pelo visto ficou na Whats falando o de sempre e não percebeu o número de Winners do Italiano dos dois lados . Na boa , sabe nada. E o melhor Saibrista depois do Rei do Saibro em mais de década é Novak Djokovic . És tão inseguro e fanático que basta um cara repetir a exaustão o contrário que o mane’ compra kkkkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Ribeiro, vi sim e pra falar a verdade nem a direita incomodou muito. Jogo pífio na rede e um outro winner com a esquerda mediana.

        Zé Verev sim sofreu com as pancadas do moleque.

        Responder
  46. Edgard Upinho

    Faltou experiência , golpes e ousadia ao jovem e promissor italiano. Ele forçou demais o jogo no forehand do espanhol, não usou as paralelas e raramente acelerava o backhand e ainda fez opções por curtas descalibradas em momentos de bola curta do touro. Esse é o tipo de jogo que o cara tem que soltar a mão e seja o que deus quiser. Contra o espanhol, no saibro, e em roland garros, o jogo tem que ser jogado no limite, pois a derrota já é quase certa pra esmagadora maioria dos tenistas. Mas o garoto provou que tem muito potencial e tem tudo pra ser um grande do tênis no futuro. Conforme comentei em outras rodadas, vejo o espanhol extremamente ganhável nesse RG em condições inusitadas e o argentino de hoje poderá causar a surpresa que não considero improvável. Abraço, Dalcim.

    Responder
    1. JAN DIAS

      Assino embaixo.. SINNER foi muito conservador e sem agressividade. Ele não tinha nada a perder, tinha que acelerar e espancar a bolinha, mas jogou “com o freio de mão puxado”… não entendi o porquê..

      Responder
    2. Fernando Brack

      Também acho que o Sinner pecou por não explorar mais as paralelas. Ficava na trocação de bola cruzada, em que Nadal é capaz de ficar por dias a fio. Quando tentava uma, quase sempre mandava pra fora. Só acertou umas 2 ou 3. Já Nadal gosta da opção e acerta paralelas fundas e junto das linhas com impressionante frequência.

      Responder
  47. marco

    Dalcim, se tudo ocorrer dentro da normalidade, teremos Nadal vs Djokovic na final de domingo. Quem é favorito, levando-se em conta a questão do clima e da bola?

    Na minha opinião é Djokovic, porque a força mental do sérvio é fora de série? O que me diz, Dalcin?!?!? Parabéns pelo blog!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ainda precisamos esperar as rodadas para avaliar o favoritismo dessa possível final. Eu ainda acho Nadal favorito, se nada acontecer de errado até lá. E obrigado, Marco!

      Responder
  48. Efraim Oliveira

    Tivesse valendo alguma coisa os palpites pro jogos de hoje, o Jonas teria ganhado. Apostou na derrota do Thiem e em dificuldades pra Nadal.

    No jogo Thiem vs Busta, que assisti na Band, o narrador falou sobre uma mensagem do Carlos Reis, dizendo que estava ligado na partida. Fiquei imaginando que talvez fosse o que frequenta o blog.

    Responder
    1. JAN DIAS

      Eu também apostei que o THIEM corria sério risco de perder por conta do cansaço físico e mental, e não deu outra….infelizmente..
      Agora, errei no do SINNER, pois achei que ele poderia ganhar do NADAL, mas não rolou.. Como disse um colega acima, faltou experiência e agressividade.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Desculpe JAN , mas agressividade não faltou . As estatísticas dos dois primeiros Sets mostrou um equilíbrio absurdo de Winners e nas trocas com menos de 5 e mais de 9 rebatidas. Aos 19 , o garoto mostrou que quando se soltar junto à rede , fará estragos . Jogou mais em Paris do que Federer na mesma idade. Obviamente que nos pontos importantes basta qualquer deslize e o Touro toma conta. Vimos hoje a meu ver , um campeão de RG no máximo em TRÊS anos. Abs!

        Responder
        1. Julio Cesar

          O “pecador” jogou bem nos dois primeiros sets. Mas ainda não tem bagagem mental e física pra aguentar 5 sets contra um monstro que é o Nadal. Entregou a rapadura no 3º set, dava pra ver na cara o desânimo, com um monte de ENF’s.

          Responder
        2. JAN DIAS

          Dessa vez vamos discordar, eu achei que faltou sim agressividade, força e potência nos golpes. Contra o !ZVEREV ele foi muito mais incisivo… pra mim faltou aquela atitude de partir pra cima nos pontos decisivos. .

          Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Dessa vez tenho que parabeniza-lo , Jonas . Não levei fé na sua crava devido ao fato de serem dois grandes amigos que se conhecem muito , e os 5 Sets de RG . Dieguito me surpreendeu de novo com algumas subidas à rede em momentos cruciais . E Dominic exageradamente pregado lá no fundo . Mas mantenho o que disse, Novak se quiser levar RG 2020 vai ter que bater Rafa ou Thiem. Não tenho dúvidas que isso vai se concretizar rs Abs!

        Responder
  49. Luiz Fernando

    Como alguns ja disseram, parece q o maior jogador do mundo na atualidade perdeu kkk. Como o fanatismo deixa as pessoas cegas kkk. Como eu digo sempre, se estiver de mau humor dá uma passadinha aqui, vai descontrair e passar rapidinho…

    Responder
      1. Luiz Fernando

        Eu escrevo o que eu quero e vc não tem nada a ver com isso, da mesma forma q nas matérias do site vc escreve corretamente e aqui banca o semi-analfabeto, cada um na sua e não enche o saco!!!

        Responder
  50. Fernando Augusto

    Dalcim, vc comentou nessa matéria o seguinte em relação ao El Peque ” se repetir a atuação impecável de Roma, poderá lutar pelo título contra Novak Djokovic”. Vc acredita mesmo que o Djoko já está na final? Carreno Busta e Tsitsipas não tem a menor chance?

    Responder
      1. Fernando Augusto

        Nesse ponto você está certo, é a mais lógica….mas estou impressionado com o desempenho do Tsitsipas nesse torneio, vejo que aí pode pintar uma boa surpresa

        Responder
  51. Marcilio Aguiar

    Não era difícil prever que o Thiem passaria muito aperto, mas não acreditava na vitória do bravo argentino. Espero que os dois dias de descanso restabeleçam a sua condição física para impor alguma dificuldade ao Nadal.
    Esperava que o Sinner ganhasse um set. Esteve perto.
    Na chave feminina a minha torcida total vai para a Kvitova.
    Amanhã acho que o Busta perde de 1×3 e o Rublev ganha um jogo “gangorra” por 3×2.

    Responder
    1. Barocos

      Marcílio,

      Faço minhas as suas palavras.

      Jannik Sinner, 19 anos e muita habilidade. Acho que tudo o que este garoto precisa é de mais uns jogos contras os melhores para lapidar a sua técnica e tática. Estou na torcida para que ele progrida rapidamente.

      Saúde e paz.

      Responder
  52. Efraim Oliveira

    Dalcim, você diz que se o Diego chegar a final ele enfrentará Novak. Mas a questão é que não há finalista decidido ainda, certo? Portanto, não há como dizer que o jogo será contra Novak. Ou entendi errado?

    Responder
  53. Horácio

    De Diego Schwartzman para Juan Ignacio Chela, seu treinador, no terceiro set quando estava estava cometendo alguns erros no pior momento do jogo: “Não me fale “Vamos”, fale para mim como faço para ganhar o jogo”
    O bisavô de Diego conseguiu escapar do holocausto quando o vagão onde estava ficou desenganchado accidentalmente do resto da trem. O pai dele que era um próspero comerciante teve que falir sua empresa numa das recorrentes crisis argentinas. Quando Diego tinha 13 años o médico falou para sua família para procurar outra atividade porque ele não iria a crescer mais de 1,70 mts. Porém ante a dificuldade continuo jogando e seus pais o acompanhavam nos torneios e vendiam bijouterie para afrontar os gastos. Porque então ele iria a ter medo de enfrentar Thiem ou de Nadal?

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Já era fã do Schwartzman antes de saber dessa história! Agora então, sou argentino desde “pequenininho”! HaHaHa
      Contudo, eu adoraria assistir a mais uma final entre Nadal e Djokovic em Rolland Garros, com ambos em plena forma!
      Talvez seja a última oportunidade… Não sabemos como os dois estarão a partir do ano de 2021, inclusive em termos de ranking.
      Seria um capítulo muito interessante na história dos dois: um jogo sem asteriscos; sem ninguém contundido, e ambos jogando em alto nível.

      Responder
  54. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Estou errado se achar que o jogo do nadal foi tecnicamente melhor que o confronto entre thiem e o Diego, dalcim?teve momentos muito bons thiem e Diego, e foi de um equilíbrio enorme, mas em vários momentos, o jogo não me animava, pois o thiem errava bolas bobas, ou Diego não aproveitava as oportunidades da mesma maneira, claro que a tensão pesou, mas eu esperava mais do jogo tecnicamente falando. Já no jogo do nadal, o italiano foi agressivo, foi gostoso de ver até o fim do segundo set.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu acho o contrário, Vinicius, para mim o jogo do Diego-Thiem foi muito bom na parte técnica e na busca por alternativas táticas. Erros? Claro. Impossível não errar depois de tantas trocas de bola, do desgaste físico. Tensão? Inevitável pela importância do momento para ambos. Abs!

      Responder
      1. Davi Poiani

        Exatamente Dalcim! Este jogo do Thiem vs Schwartzman talvez tenha sido o melhor do torneio. Aliás, o dia de hoje com as quartas de final foi o melhor dia de torneio até agora. O Nadal também foi exigido na primeira metade do jogo e na minha opinião deu uma aula de aplicação tática. O garoto Sinner tem bastante jogo, perigoso o suficiente para proporcionar uma zebra se o oponente não estiver focado. É justamente aí que o Big 3 se diferencia dos demais, com esta consistência absurda!

        Responder
  55. LION

    O problema do El Peque é que ele só terá folego para tentar vencer o Nadal em 3 sets. Mas a probabilidade disso acontecer em RG é a mesma do próprio Schwartzman alcançar 1,80 de altura até sexta-feira…

    Responder
  56. Lott

    Nadia Podoroska ,Argentina será campeã em Rolland Garros no próximo sábado,sabe tudo de tenis agressiva,voleio,odos os recursos,tem tudo para o ano que vem 2021 ser a numero 1

    Responder
  57. LION

    Os torcedores do Federer jamais irão admitir, mas agora tudo o que resta a eles é torcer pelo Djokovic desde pequenininhos! kkk. Entretanto, tristemente eles negarão isso renitentemente e até dirão que “preferem” ver o Nadal campeão!! hahaha… Como os caras estão sofrendo!! kkkkkkk

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pois prefiro UM BILHÃO de vezes que o Nadal seja sim o campeão e mpate com o Federer, amiguinho!

      Um bilhão de vezes isto do que aguentar esse fanatismo insuportável de vocês nolistas!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Jonas, tirando o Pessanha, todos os outros fanáticos pelo Federer torcerão para o Nadal mesmo, pois o Djokovic tomou o lugar do espanhol como o cara que mais os fez chorar.

        Responder
        1. José

          Concordo totalmente. Quando Nadal surgiu, incomodava muito os federistas, porque era o único que conseguia vencer o suiço, ainda que não conseguisse tirar o domínio de Federer em WB, UO, AO, ATP Finals, etc. Mas Djokovic chegou e cometeu uma heresia imensa: desafiar Federer em seus principais palcos. E venceu grandes batalhas em finais e semifinais do US Open, finais de Wimbledon e semifinais do Australian Open. Daí a birra dos federistas foi toda pra cima de Nole. kkkkkkk

          Responder
        2. Rodrigo S. Cruz

          Mais uma mentira na conta… (rs)

          A maioria das pessoas que torcem contra o Djokovic é por ele ter fãs iguais a você.

          Porque o sérvio parece até ser uma pessoa do bem.

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Jura mesmo Rodrigo que tu achas que alguns torcedores não gostam do Djokovic por causa de seus outros torcedores?
            Um dado um tanto quanto interessante para mim.
            De minha parte, sou torcedor do sérvio desde 2007 quando o vi pela primeira vez, o que foi selar minha preferência quando venceu o M1000 de Miami e nem sabia de outro torcedor daquele garoto à época.

          2. Paulo Almeida

            Não, é exatamente pelo que o José disse acima.

            De 2011 a 2013 os federistas até torciam muito pelo sérvio, pois ele conseguiu frear o Nadal várias vezes e as derrotas do suíço diante do Djoko não incomodavam tanto. O problema foi aquela sequência Wimbledon 14/15, USO 15 e AO 16. Aquilo machucou demais vocês.

            Torcedores fanáticos ajudam a criar antipatia, mas o principal foram os resultados em quadra mesmo. E pra piorar teve Wimbledon do ano passado.

          3. Rodrigo S. Cruz

            Pois é, Fabriciano.

            Só que você é um BOM torcedor do Djokovic.

            Eu me referi aos maus torcedores, e acho que tem alguma influência sim.

            Pelo menos aqui, neste espaço, eu tenho reparado isso…

          4. Paulo Almeida

            Ah, você pode me achar um mau torcedor do Djoko, assim como eu também acho que você é um mau torcedor do Federer. Ficamos quites.

          5. Paulo Almeida

            Que mané última resposta.

            Já deixei você ficar com ela outras vezes, mas agora você foi voto vencido, pois meu argumento ainda foi corroborado por outros. Saiba perder também.

          1. Paulo Almeida

            Luiz, o Nadal incomodou muito mais até 2014, mas nos últimos 5/6 anos foi o Djoko e nos palcos preferidos do suíço. Vejo que muitos “se esqueceram” do domínio absurdo que o espanhol teve por causa disso e das quatro vitórias de 2017 e de 2019 em Wimbledon, mas caras como o Pessanha não se esquecem de jeito nenhum.

            Bom, mas não vamos brigar por isso. Podemos dividir a freguesia, rs.

        3. Jonas

          Esse ódio atual pelo Djokovic é exatamente o mesmo que esses fãs nutriam pelo Nadal, pelo menos até 2014.

          Já zoei bastante o Federer aqui, mas tenho que admitir que sempre gostei do suíço e do big3 em geral. Nem de longe consigo odiar o cara e não tenho motivo nenhum pra isso.

          Responder
        4. José Eduardo Pessanha

          Qualquer um dos cenários é catastrófico pra mim.rs rs…. Vou torcer pro Djokovic contra o Nadal em parte por causa do recorde de Slams, mas o principal motivo é que eu acho o Djokovic mais jogador do que o espanhol e que ele deu azar nos sorteios anteriores de Roland Garros, sempre tendo que enfrentar o Thiem. …mas aí é que tá, se o Djokovic vencer, o recorde de semanas vai pro beleléu também. Não tem pra onde correr rs
          Abs

          Responder
  58. Lucas Leite

    Dalcim, parabéns pelo texto! Você acha que a Collins pode surpreender? Apesar de não ser uma “next gen”, ela tem uma carreira jovem, já que veio do tênis universitário norte-americano e se profissionalizou de fato a pouco. Ano passado fez semis na Austrália vencendo a número 2 do mundo Angelique Kerber por 6-2, 6-0. Será que ela pode dar o próximo passo e ser uma campeã de Grand Slam? Já é o segundo ano seguido que ela alcança uma segunda semana de Slam, mas mesmo assim ainda se fala pouco dela no circuito.

    Responder
  59. periferia

    Hoje foi um bom dia….bons jogos
    O garoto Sinner jogou bem um set e meio…..o jogo poderia seguir outro rumo…faltou experiência.
    Schwartzman mostrou força….física e mental….Thiem poderia ter ganho…e nem acho que o austríaco sentiu o esgotamento físico….o argentino mostrou mais “vontade” de ganhar…com isso Thiem ficou sem muitas opções….e o mental foi para o espaço.
    A garota polonesa bate na bola como não houvesse amanhã ….e a italiana tem uma postura proativa mesmo na adversidade….muito simpática.
    Não consegui ver a argentina….ainda.
    Parabéns aos hermanos….a capital do tênis no continente americano (incluído a América do Norte).

    Responder
  60. Jonas

    A previsão do Ronildo irá se concretizar. Thiem será mesmo número 1 do mundo no fim deste ano kkkkkk.

    Brincadeiras à parte, que tenista promissor esse Sinner, bate muito fácil na bola e muda a direção da peluda com maestria.

    Imagino que Nadal se poupou durante o torneio. Mesmo atropelando quem estivesse pelo caminho, era visível que faltava jogar melhor. Hoje subiu o nível, espero que pelo menos o argentino esteja em boas condições físicas contra o espanhol.

    Responder
    1. Lola

      Eu achei o italiano bem meia boca, não tem nenhum golpe f*da.
      Nadal sofreu pra ganhar, um tanto irregular está, se jogar essa bolinha não passa pelo argentino.

      O q impressiona é o tanto de baba nas transmissões pelo nadal 🤤

      Responder
  61. Maurício Luís *

    Dias atrás a minha sogra (não a do Nadal… a minha, tá?) fez uns brigadeiros mas deu tudo errado. Ficaram duros como bolas de gude. Pois o Diego Schwartzman é mais que uma carne de pescoço. É um “brigadeiro de gude”, daqueles de quebrar o dente.
    E o Nadal deve ter comemorado: terá agora pela frente “dos males o menor”, LITERALMENTE.
    Não acredito numa vitória do guerreiro ‘El Peque’ contra o pouca telha, porém torço pra que o argentino ao menos dê uma canseira. Assim o baloeiro chega “amaciado” pra final.
    Isto se chama torcida realista.
    Ah, como eu sou pé-frio, tipo ‘Mick Jagger’, tive uma ideia luminosa! Se eu conseguisse torcer a favor do Nadal, talvez entrasse formiga no açúcar dele.
    Fora isso, pelo visto é outra taça pra ele morder. E caso o invevitável aconteça, quem sabe ele ao menos erra a mordida e quebra algum dente… de preferência o da frente, pra ficar com um sorriso beeeem bonito.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Ah, e olha que diferentemente do “Segundinho” Pablo Carreño, ‘El Peque’ nunca se auto intitulou o segundo melhor do saibro.

      Responder
  62. EDVAL CARDOSO

    Dalcin, oque vc acha que faltou ao italiano,chegar mais a rede talvez? ,até a metade do set 2 ele parecia estar dominando os pontos,as bolas do Nadal curtas e mesmo assim ele não conseguiu tirar set do Nadal.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, ir à rede não era a melhor alternativa, a não ser algumas transições necessárias. Acho que ele começou com uma proposta interessante de atacar o forehand do Nadar e aí parou de fazer isso.

      Responder
  63. Luiz Fernando

    Dalcim não fica bravo comigo, sei q estamos na reta final de RG, mas não resisti a enviar isso a vc, q também foi fã de Ali, e aos amigos q apreciam boxe. A luta entre Ali e Foreman, em 1974, sem dúvida foi o maior evento esportivo isolado de todos os tempos. A luta monopolizou a atenção do mundo: https://www.youtube.com/watch?v=55AasOJZzDE.
    Este link tem o vídeo da luta e a entrevista após seu final. Além da luta em si, vencida pelo inesquecível e legendário Ali, chamado pelo próprio Foreman como um “cara maior do q o boxe”, merecem destaque:
    – no round 5, faltando 1 min p terminar, o narrador diz: “Ali really does look tired”, e 30 segundos após o cara quase nocauteia Foreman e o narrador, com certeza torcedor fanático dele, vai a loucura;
    – após o nocaute, o repórter, com certeza outro torcedor fanático de Ali, diz: este é o momento mais feliz da história do boxe;
    – por fim, a entrevista de Ali após a luta é algo surreal, impagável, espetacular, explicando pq ele é tido por muitos como o maior esportista de todos os tempos.
    Espero q vc goste.

    Responder
  64. Roberto Rocha

    Nadal ainda longe do seu melhor…bolas curtas, muitos erros de direita, saque deixando a desejar…mas no finalzinho do jogo soltou a direita em vários golpes vencedores. Pelo que vi hoje, El Peque é o favorito para a próxima partida. E Thiem mais uma vez terá que esperar mais um ano para vencer Roland Garros…

    Responder
  65. Lejoso

    Mestre, boa noite.
    As 5 horas que o Diego ficou em quadra podem pesar na sexta com o Nadal ou o fato de ter dois dias sem jogos deixa ele praticamente zerado na parte física pra sexta ?

    Responder
  66. Ulisses

    Dalcim,

    Com esses dois dias completos de descanso vc acredita que serão suficientes para deixar o argentino 100% fisicamente contra o espanhol? Ou mesmo assim, caso o jogo se alongue (muita provável que isso aconteça) pode ser prejudicial para o Diego e tornar o Nadal ainda mais favorável?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, os jogos anteriores dele não foram tão exigentes. E Diego tem 28 anos, um tanto jovem. Também é um atleta leve. Tudo isso ajuda na parte física, mas acho que o maior desgaste aí é mental. E hoje foi muito grande. Ele vem da vitória em Roma, e isso dá muita confiança.

      Responder
  67. Danilo BR

    Dalcim, vc não acha que a força mental de Nadal é o maior adversário dos seus oponentes? No aspecto técnico ele até que é superado em alguns momentos das partidas, porém os adversários parecem não acreditar que podem vencer o grande monstro de Roland Garros no seu torneio predileto. E ele não costuma dar mais do que uma ou duas chances nesses jogos especiais. Sinner teve suas chances, mas mostrou que não tem faro de gênio pra repetir o Nadal de 2005 ou o Federer de 2003… resta torcer pra que Dieguito esteja inspirado na sexta, particularmente eu acho muito nocivo para o tênis esse poderio eterno de Nadal em Rolanga. Ainda tenho esperança de que ele possa sucumbir dessa vez.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que falta um pouco de confiança para quem o enfrenta, o que é até compreensível. Sinner estava fazendo um grande jogo até sacar para fechar o set. Aí não jogou absolutamente nada, Rafa nem precisou se esforçar.

      Responder
  68. Rodrigo S. Cruz

    O Dominic Thiem acabou ficando sem paciência,e no quinto set PEIDOU na tanga! (rs)

    Mas isso não tia os méritos do Diego que como sempre foi um guerreiro.

    Muita solidez do fundo e quadra, e muita aplicação tática…

    A notícia ruim é que acho praticamente IMPOSSÍVEL ele vencer em RG o Nadal, e depois o Djokovic.

    Claro que não podemos desprezar o Pablo Carreno que está com a confiança em alta…

    Responder
  69. Paulo F.

    Dominic Thiem, “segundo melhor saibrista dos últimos três anos”:
    – Além de continuar zerado em conquistas importantes no saibro, foi eliminado por quem? Sim, por aquele que foi derrotado por Novak Djokovic em Roma.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Bem lembrado! Um dos grandes guitarristas de todos os tempos foi-se embora hoje…
      Seguiu saudando a todos e celebrando a vida, mesmo diante da doença que o consumiu por longos anos.
      “Jump”! Sem se importar com a opinião de ninguém!
      Abraços

      Responder
  70. Filipe Mota

    Parabéns ao tênis argentino. Dieguito jogou com muita garra. Jamais desistiu. Achava que o Thiem seria o adversário de Nadal. Me surpreendi. Ia ser muito legal que o argentino fosse a final, muito embora a tarefa seja hercúlea. É impressionante o touro miúra. Em Roland Garros, é extremamente poderoso, virtualmente imbatível. Vamos ver se Nadal vai aguentar a correria do argentino. Nadal venceu todos os sets, mas se o argentino tirar sets e os games forem longos, o espanhol vai suar bicas e aí quem sabe. É como você falou, Dalcim. Saudável inveja dos hermanos. Um titulo sul americano seria muito legal hein!?

    Responder
  71. Thiago Silva

    Acho engraçado no outro post o povo falando do Busta como se fosse uma ameaça séria ao Djokovic, tá aí com quase 30 anos e não ganhou nada de relevante no saibro, é só a segunda vez que chega nas quartas, acabou de levar 1-6, 1-6 do Nadal sem nenhum ritmo, nos Masters de saibro sempre foi um fiasco. Se ganhar um set já vai ser um absurdo. O jogo vai ser um 6-3, 6-2, 6-3 pro Djokovic.

    Responder
    1. Jonas

      Os caras se apoiam em qualquer um Thiago. É evidente que o Busta é um jogador regular e tal, mas muito pouco para vencer um Djokovic em um dia normal. Ainda assim, espero um jogo duro, com muitas trocas.

      Responder
  72. efraim santana silva

    acho eu que o Argentino vai atropelar o Nadal… Nadal hoje suo muito pra ganhar do garoto.no primeiro set.. com argentino de.bobear perde…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, eu acho difícil o Diego sustentar o padrão de exigência por três ou quatro sets, ainda mais depois do desgaste de hoje. Mas ele vai tentar, ah se vai.

      Responder
  73. Paulo F.

    Novamente acertei dessa piazada enfrentando o Nadal: independente da qualidade e talento, todos, mas todos, são absolutamente ridiculos, covardes e patéticos enfrentando o espanhol.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Patético e’ o teu comentário. Sempre as mesmas babaquices. Você assistiu um cara com 19 anos enfrentar o Rei do Saibro em seu quintal com um vasto arsenal de golpes e prefere postar essas m**das. Sinner jogou mais que Federer na mesma idade em Paris . Abs!

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Paulo F ,

          você tem mostrado um desconhecimento absurdo!

          O simples fato do Sinner na PRIMEIRA participação dele em RG chegar tão longe, já desmente você.

          Se você assistisse aos jogos veria isso: ele tem golpes bem potentes do fundo da quadra, e um bom serviço…

          Ele também eliminou o Zverev na rodada que precedia ao Nadal.

          Como assim, ele não tem nada demais?

          Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Seu backhand, segundo a ATP, é o quinto mais veloz do circuito e o que tem mais giro na bola. Isso combinado, é um tremendo golpe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *