Invicto, Monteiro tenta nova façanha
Por José Nilton Dalcim
1 de outubro de 2020 às 17:20

Seis sets vencidos e nenhum perdido num Grand Slam tão difícil e sob condições diferenciadas são nova demonstração que Thiago Monteiro vive uma temporada de evidente progresso técnico. Depois de tirar o 33 do mundo, o canhoto cearense teve uma atuação muito semelhante diante de Marcos Giron, ou seja, um primeiro set apertado e vencido no detalhe e depois domínio gradativo do jogo até um terceiro set absoluto.

Ou seja, ‘Ceará’ está não apenas com físico em dia, mas também confiante e focado. E o primeiro saque tem feito diferença. Chegou a acertar 83% no set inicial e terminou com média de ótimos 79%, acima dos já bons 68% da estreia. O forehand agressivo permite que busque a definição e já soma 62 winners no torneio.

Caso consiga superar o húngaro Marton Fucsovics, aquele que tirou Daniil Medvedev na estreia jogando muito bem, Thiago será o primeiro brasileiro nas oitavas de um Grand Slam em exatos 10 anos, ou seja, desde Thomaz Bellucci em Roland Garros de 2010. Mas não devemos esperar facilidade.

Dois anos mais velho, Fucsovics chegou a 31 do mundo no ano passado e disputou duas vezes as oitavas do Australian Open, além de ter ido à terceira do recente US Open. É bem versátil. Campeão juvenil de Wimbledon – e depois número 1 da categoria – somou títulos de challenger no saibro antes de ganhar também na terra seu único ATP até agora, em Genebra-2018. Além de Medvedev, bateu Stan Wawrinka e Grigor Dimitrov, quando ambos eram top 3, e também já venceu Berrettini, Goffin, Khachanov, Shapovalov e Fognini.

A vitória no sábado pode levar Monteiro a seu melhor ranking da carreira, bem perto do 65º posto. Com o descongelamento gradual do ranking a partir de janeiro, é garantia de disputar todos os grandes torneios pelo menos até o final de março.

Financeiramente, também ajudará. Thiago já garantiu o prêmio bruto de 126 mil euros, que poderá ser de 189 mil com a vaga nas oitavas. Mas é bom lembrar que a retenção na fonte na França nunca é inferior a 30% e que o treinador ainda pega outros 10%. De qualquer forma, nada desprezível.

Quem vencer, enfrentará nas oitavas Andrey Rublev ou Kevin Anderson, de estilos e experiências completamente distintas. O garoto russo, que faturou em Hamburgo seu terceiro troféu do ano, já disputou nove sets e se mostrou irritadiço na vitória sobre Alejandro Fokina. O grandão sul-africano é um jogador sempre agradável de se ver. Tirou seguidamente os sérvios Laslo Djere e Dusan Lajovic e tentará chegar pela quinta vez nas oitavas de Paris.

A quinta em poucas palavras
– Como se esperava, Novak Djokovic passeou de novo e chegou ao histórico 70º triunfo em Roland Garros. Agora, só ele e Federer possuem ao menos 70 vitórias em cada Slam. Em sua semana de nível challenger, encara agora o colombiano Daniel Galan, que perdeu no quali e entrou de ‘lucky-loser’.
– As oitavas prometem ser bem mais trabalhosas, seja Cristian Garin ou Karen Khachanov. Agora são cinco sul-americanos na 3ª fase, somando-se Schwartzman e Coria.
– Bautista e Carreño farão imprevisível duelo espanhol, o nono no total. São 4 vitórias para cada lado e 1 a 1 no saibro. O sobrevivente deve enfrentar Berrettini, que viu Struff ser surpreendido pelo quali Altmaier, que não tem nada de excepcional.
– Tsitsipas se recuperou bem e atropelou um irreconhecível Cuevas. Tem ótima chance contra Bedene e aguarda Dimitrov ou Carballes. O espanhol venceu jogo maluco de 5h contra Shapovalov, que não soube vencer tendo sacado duas vezes para a vitória. Mereceu ser eliminado.
– E Ostapenko atropelou a cabeça 2 Pliskova, com placar de 27 a 9 nos winners! Encara a espanhola Badosa, que tirou a instável Stephens.
– Tudo indica que a letã cruzará com Kvitova nas quartas. A canhota está se virando no piso lento, mas tem de tomar cuidado com a leve e defensiva Leylah Fernandez, de 17 anos.
– Kenin não vê cabeças a sua frente nas duas próximas rodadas, mas não anda jogando bem. Cuidado com a local Fiona Ferro.
– Depois do sofrimento de estreia, Muguruza resolveu rápido contra a irmã gêmea Pliskova, deve passar por Collins e cruzar com Sabalenko ou Jabeur. Continuo achando a campeã de 2016 como a mais cotada para estar na final.
– Thiem-Ruud é a melhor promessa da sexta-feira, seguida por Zverev-Cecchinato. Nadal pega o cansado Travaglia e é aposta certa, assim como Schwartzman, Wawrinka e Sinner.
– Halep enfrenta a mesma Anisimova que a tirou das quartas em 2019 e Svitolina joga contra Alexandrova pela primeira vez.


Comentários
  1. Cristiano

    Dalcin, tenho uma dúvida acho que só vc poderá me sanar caro mestre. Em uma eventual semi vc acha que o Djockovic teria alguma chance contra o nosso Thiago?(isso caso ele – o sérvio – chegue até ela)

    Responder
  2. Marcelo

    Uma.pena ver o Wawrinka do nosso “Big 4 and a half” fora.

    Dalcim vc concordaria que o que separa ele do Big 4 seria a falta de regularidade? E o qur mais falta?

    Creio que um dos diferenciais do Big 4 sempre foi: num dia ruim, eles normalmente sempre achavam um jeito de vencer. O Wawrinka nao tem esta performance. Num dia ruim, ele qyase sempre fica pelo caminho… (Há varios exemplos assim, mas Federer no AUSOPEN de 2019 talvez seja um dos exemplos mais claros de como isso ocorria).

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que falta um pouco mais de determinação para ele quando as coisas não estão indo muito bem. Ele costuma insistir num plano tático.

      Responder
  3. Leo Gavio

    Não me surpreenderia se a final fosse Djokovic vs Sinner

    Esse garoto pega muito forte na bola, Nadal vai tomar um couro do moleque, se ficar la atrás dando balaozinho vai dizer adios bem cedo.

    Responder
  4. Paolo

    O cabra(kkk) Satan Wawrinka, enche a cara para aliviar a depressão e vai jogar Tênis? Eu fico absolutamente ofendido, porque acaba desmerecendo o valor e a categoria de um torneio de Grand Slam.

    Tomou pneu de um jovem de 20 anos. Por favor, se é pra continuar assim é melhor ficar em casa levando luz de LED na cara,mofando e ouvindo música.

    Abs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Fica ofendidinho , caro Paolinho ? Será que o guri algumas vez já viu alguém aos 35 fazendo o que mais gosta , mas em final de carreira ? Stan Wawrinka proporcionou nesses três jogos , momentos do mais alto nível de Tênis. Veremos como estará o cara do Pôster do teu quarto na mesma idade . Veja no YouTube como jogava o mane’ do Wilander em suas últimas dez partidas ( perdeu nove ), aos 32 , e jogando como convidado . Mesmo numa fraca Temporada , STANIMAL é Top 17 . E o guri ainda vai ouvir falar muito deste garoto Francês. Espero que ainda esteja por aqui … Abs!

      Responder
  5. Luiz Fernando

    E aquele trio q vem jogando com o nome ha um certo tempo ja era: Cilic, Nishikori e Wawrinka pós contusão. O suíço perdeu p esse rapaz q eu nunca ouvi falar na vida, q entrou a convite da organização, simplesmente lamentável. E alguns blogueiros ja estavam imaginando o cara bi em RG p ser comparado em vantagem com Murray, algumas pessoas de fato tem uma imaginação incrivelmente fértil…

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Luiz Fernando, se você voltar há poucos anos no blog, verás que tudo gira em torno do momento.
      Wawrinka foi campeão de um challenger e desistiu antes da final em outro. Chegou à Roma e perdeu com um pneu.
      Bastou ganhar fácil do Murray para subir ao patamar de postulante ao título.

      Sobre minha primeira frase, excetua-se o Big3.

      Responder
  6. Luiz Fernando

    Mais um treino p Rafa, q valeu pelo segundo set, quando o italiano foi melhor. O detalhe é q neste treino ele foi bem melhor do q no último. Domingo o enredo tende a se repetir. Nadal está conseguindo o q precisava: vitórias fáceis p readquirir ritmo e confiança, sem desgaste físico. Na segunda semana tudo pode acontecer, inclusive o número de sorte do Zagalo…

    Responder
  7. Barocos

    Pôxa, estava ansioso para ver o duelo de backhands de uma mão entre o Thiem e o Wawrinka, paciência.

    Foi muito estranho o 5º set, acho que o Stan deve ter sentido alguma coisa ou, devido ao período de inatividade e não estando em plena forma, esgotou a sua energia. Não que eu ache que ele iria vencer o Dominic, era mesmo muito grande a possibilidade do Stanimal parar na rodada seguinte.

    Bem, tomara que o torneio siga sem mais surpresas e que possamos presenciar a mais uma final entre Djokovic e Nadal, mas desta vez com o sérvio levantando o troféu máximo.

    Ajde Djokovic !

    Responder
  8. Sandra

    Realmente Dalcim, a chave do Nadal bem difícil , mas está uma festa todos os favoritos caindo Stan e Dieguito está Indo pelo mesmo caminho , embora ainda no primeiro set , desse jeito vai chegar a semi provavelmente com o Thiem sem ritmo rssss

    Responder
  9. joao

    E que bela vitoria do Lorenzo Sonego. Salvou 9 set points para mandar o Fritz para casa.
    Ainda mais impressionante, o italiano sobreviveu a 36 pontos no tiebreak que durou 30 minutes.

    Responder
  10. periferia

    O jovem Korda está indo bem….eliminou dois veteranos (Isner e Seppi) …..deve cruzar com o Nadal na quarta rodada.
    E Djokovic tem um “tour” pela América do Sul…tem Colômbia e Chile na agenda.

    Responder
  11. Paolo

    O austríaco passou o trator pra cima do norueguês no 3° set. Espero muito que Semifinal da parte de baixo de chave, seja entre Nadal e Thiem. Tem tudo pra ser um jogaço imperdível!

    Djokovic já está na final.

    PS: Sérgio Ribeiro gosta de ajudar as pessoas a não gostar de Tênis,kkkkkkk. Abs!

    Responder
  12. Sandra

    Dalcim , gostaria de saber a sua opinião ! Embora ache que Nadal e Thiem estão voando , achando pouco provável dos 2 não chegarem a semi final , acho que o Stan e o djoko estão correndo por fora , vide o Australian open que Nadal voou voou e chegou na final perdeu para o Djoko que não estava nenhuma maravilha

    Responder
  13. Rubens Leme

    Pobre Gaston. Resolve sacar aberto no backhand do Stan, para subir à rede e volear e toma uma passada cruzada impressionante, daquelas que te faz querer voltar pro colo da mamãe.

    Nosso Chico Bento deverá fazer o jogo do torneio contra o Thiem, nas oitavas. Pena para o Slam que o Thiem sairá cedo, porque vem jogando muito e passou o rodo no Ruud.

    Sobre Murray x Stan, a carreira do escocês é superior, pois foi número 1, bicampeão olímpico e possui mais Masters, mas o suíço tem um jogo muito mais bonito, especialmente quando está pegando fogo.

    Assim defensivistas, corintianos (especialmente os titescos) ficam com Andy. Nós, os amantes da Academia, do jogo bem jogado, do Divino, ficamos com o discípulo do Beckett.

    Responder
    1. Marcilio Aguiar

      Prezado Rubens, eu concordo com a essência do seu comentário sobre a disputa de estilos entre Stan X Murray, porque também prefiro o estilo do Suiço, embora reconheça a grandeza do jogo e da careira do Escocês, mais constante e vitoriosa. Isto posto, eu não faria qualquer adendo à respeito se não fosse pela generalização que voce incorreu quando mencionou defensivistas (que é genérico), mas especificou corintianos também (embora enfatizando os “titistas”). Toda generalização é sujeita a contestações rsrsrs e eu, corintiano desde os 9 anos de idade, lhe afirmo que uma coisa é torcer para um time e comemorar as suas vitórias, outra coisa é gostar do futebol que esse time pratica. Por fatores que muitas vezes não são racionais, começamos a torcer para um time e levamos essa sina até o túmulo, a despeito dos dissabores que vamos ter. Recordo-me de poucos times do SCCPP que me deram prazer de ver jogar: na época de Sócrates e Casagrande, alguns períodos entre 1995 e 2003 e um pouco do time de 2015. No mais foi muito suor e sofrimento. Mesmo corintiano fanático, apreciava os grandes times do Inter e Cruzeiro nos anos 1970, Flamengo nos anos !980 e o Palmeiras meteórico de 1996. Uma vez na vida torci de verdade para um rival do trio-de-ferro. Torci de coração para o SPFC na final de1992 contra Barcelona em consideração ao grande mestre Tele Santana, estigmatizado pela derrota da grande seleção de 1982, a qual prefiro mil vezes à vencedora de 1994. No tênis, embora o Brog seja a minha “moedinha numero 1” sempre preferi assistir aos jogadores de estilo agressivo como Edberg, Agassi, Sampras, Guga, Federer, Steffi, Jusitne Henan etc.
      Resumindo: “no peito dos desafinados também bate um coração”… Saudações.

      Responder
    2. Marcelo

      É duro ler tanta afirmaçao (parecem verdades absolutas) quando o primeiro ja deu adeus e na última vem falando de uma academia qye ja nao existe desde os anos 70.

      Quanta bobagem, meu Deux!

      Continuo escrevendo sobre música e deixo tênis para o Dalcim porque nao entendo nada de tênis!

      Responder
  14. Luiz Fernando

    Thiem começou errático e afobado, errando muito, principalmente com drops mal feitos, esteve quebra atras, mas depois tomou conta da partida. No momento vence 20 e 41, com tudo encaminhado p ir com força e autoridade as oitavas…

    Responder
  15. Sandra

    Dalcim , qual a diferença que vc acha do jogo do Thiem para o Nadal, ? Vendo um pouco o Thiem contra o norueguês , o Thiem esta imparavel , não erra nada e o norueguês jogando tudo !!! Não sei se uma semifinal com Nadal Thiem não vai amarelar !

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      No saibro, eles jogam até num padrão semelhante. Optam por ficar bem recuados para sempre entrar nos pontos, usam o máximo de rotação da bola para manter o adversário bem afastado das linhas ou numa postura defensiva e esperam bola mais curta para o ataque de forehand. São também excepcionais no contragolpe, como qualquer grande saibrista precisa ter.

      Responder
  16. Vitor Hugo

    É pelo que eu tenho visto, só uma zebra pra tirar o titulo das mãos de Nadal ou Thiem, o rei do saibro e o segundo melhor saibrista dos último três anos e tenista do momento.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Esses dois, e o sérvio chiliquento.

      Com uma chave tão ridícula como a dele, impossível que não esteja entre os favoritos.

      Mas estou sonhando que o Stan cresça mais e mais nesse torneio e nos livre desse desastre… (rs)

      Responder
    2. Paulo F.

      Só que o campeão do único torneio importante disputado até aqui não é o Thiem.
      E isso é um FATO, não uma ilusão saídda de uma mente doente.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É uma disputa muito próxima. Meu predileto é o Becker, mas Sampras, Edberg, McEnroe, Rafter, Cash, Henman… A lista de excepcionais voleadores é imensa.

      Responder
      1. Marcelo

        Eu gostava do estilo de jogo do Edberg. E também acho que o Sampras subia e fechava muito bem a rede, mas tenho a impressao (talvez erronea) que ele fazia um movimento muito estranho de pernas para volear. Vc o colocaria no nivel dos melhores voleadores Dalcim?

        Obrigado!

        Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Então , Miguel. Que tal dar uma olhadinha em BEST ATP DROPS Pete Sampras ??? Ele contra todas as feras , e aí o bicho pega rs . Depois me diz se ainda dá pra ter dúvidas. Abs!

      Responder
    1. Paulo F.

      Vi o início do primeiro set e ele estava realmente sofrendo contra o Ruud.
      Depois, pelo visto, fez uma partida bem mais tranquila e sem desperdício de energia.

      Responder
  17. Chetnik

    Pliskova é uma jogadora bizonha. Pelo tamanho dela, saque e estilo de jogo você imaginaria que seria uma daquelas jogadoras super agressivas, muitos winners, mas irregular. Que nada. Toda vez que eu calho de ver um jogo dela, ou dou uma olhada nas estatísticas, ela toma uma surra no número de winners, às vezes de jogadoras de pouca potência e passadoras de bola. Além de ser da turma “mental de geleia”.

    É um caso a ser estudado. Espero que nunca ganhe um GS.

    Responder
  18. Heitor de Castro

    Mestre Dalcim. Excelente texto! Concordo com todas as suas análises e previsões para a próxima rodada. Estou na torcida pelos jogadores italianos e principalmente pelo Monteiro.

    Uma pena o Wild ter sucumbindo logo na primeira ronda do quali.

    Achas que o Wild pode estar lesionado, está desfocado, não aguentou a pressão ou simplesmente perdeu por fazer parte do jogo? Indago tendo em vista a nova derrota dele nesta semana em um Challenger no qual era favoritaço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Heitor. Pode não ser coincidência o fato de ele ter sido cabeça 1 nas duas situações. Me sugere auto pressão. Mas ele tem jogo e acho que as derrotas serão bem absorvidas.

      Responder
  19. Lucas Leite

    Dalcim, se o Zverev não chegar até as quartas (conhecendo o alemão, um “upset” seria bem possível), o Nadal não enfrentará nenhum Top 70 até chegar nas semifinais. O que você acha disso? A exigência menor seria boa para o espanhol se poupar fisicamente ou poderia atrapalhá-lo por não ter sido devidamente testado?

    Responder
  20. Efraim Oliveira

    Vou torcer pro Monteiro, exceto contra Nadal rsrs.

    Eu já torci a favor da Sloane, mas passei a torcer contra. São intagráveis as viajadas que ela dá no jogo. Também já estou deixando de lado o Shapo com seus golpes desequilibrados e sua afobação pra fechar o ponto.

    Responder
      1. Efraim Oliveira

        Se a pergunta foi pra mim, a resposta é a seguinte: gosto de ver Novak e Roger jogarem pois são excepcionais, mas claro que naturalmente eu não vá torcer a favor deles. Por torcida, além de Nadal eu torço pro Thiem. Cheguei a torcer pro Zverev mas desistir dele. Zverev é teste pra cardíaco. Meu coração tá em dia mas eu tô fora rsrs.

        Responder
        1. Marcelo

          Poxa! E eu me contento em assistir os jogos do pessoal do clube wue frequento e ainda saio feliz. Preciso “subir o meu sarrafo”, meu caro!

          Responder
  21. Sérgio Ribeiro

    E’ claro que vale a torcida . Mas o Post já fez a advertência. O húngaro é extremamente sólido inclusive no mental. Medvedev fez de tudo pra desestabiliza-lo , e ele só subia o nível. As TVs jamais compraram os direitos de transmissão de TODAS as quadras . Considero Massu um ótimo estrategista . Sobre Ferrer é muito cedo pra falar. Mas tanto Thiem quanto Zverev correm riscos , principalmente o Alemão. Agora , a sensação Italiana Jannik Sinner tem tudo pra confirmar. Joga espantosamente focado. A conferir. Abs!

    Responder
  22. Paulo Almeida

    O clássico espanhol Agut X Busta será disparado o melhor jogo da terceira rodada, seguido por Garín X Khachanov.

    É, parece que a chave do Djoko não é essa moleza toda que alguns estão achando.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Rapaz, vocês gostam de jogos feios mesmo. Kkk. Agut x Busta é jogo pra levar uma manada inteira de elefantes para os braços de Morfeu.
      Abs

      Responder
    2. Heitor de Castro

      Exato, Paulo. Desde o sorteio eu disse que a chave do Djoko não era a moleza toda que pintavam. A chave do Nadal era absurdamente tranquila até a semi final, até os jogadores de melhor ranking, tipo Isner, não são bons no saibro. Apesar de Isner já ter levado Nadal ao 5 set uma vez, no que parece ter sido mais uma obra do destino.

      Agora, dureza mesmo, ao menos na teoria, está para o Thiem. Mas ele vem num nível altíssimo. Até pensei que o Ruud poderia complicar, mas foi outro passeio do austríaco.

      Espero que caia pro Wawrinka nas oitavas, se Stan chegar lá

      Responder
  23. Maurício Luís *

    Esse congelamento de pontos criou uma situação interessante. Ficou + tranquilo pra quem está lá na ponta no sentido de não perder posições, já que não há nada a perder, só a ganhar. Por outro lado, ficou + difícil pros que estão atrás ganharem posições.
    Mas achei uma coisa justa, porque estamos num período atípico. Devemos nos dar por muito satisfeitos por ter havido essa retomada das competições oficiais, porque a princípio cogitava-se paralisar tudo, inclusive o próximo Australian Open.
    Enfim, o negócio é ir tocando o barco dentro do possível, tomando o máximo de cuidado. Em tudo na vida, só sobrevive quem se adapta.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o sobrenome dele é Monroe, se você se refere ao duplista que ganhou do Melo. O irmão do Mac é o Patrick, mas já se aposentou também.

      Responder
  24. RicardoCWB

    Sobre os confrontos Djoko x Thiem em RG, é bom fazer algumas ressalvas:

    1) Em 2016, Thiem, ainda em evolução, enfrentou o sérvio no auge;

    2) Em 2017, Djoko, no auge do seu amor por árvores, encarava, talvez, o pior ano da sua carreira;

    3) Ano passado, sim, tivemos um embate equilibrado e foi exatamente o que o placar do jogo mostrou: 5 sets de altíssimo nível (perdão aos fãs do sérvio, mas ventania não é desculpa).

    Enfim, acho que o placar “real” tá 1 a 0 apertado pro Thiem, porque o jogo do ano do passado poderia ter ido pra qualquer um facilmente.

    Responder
  25. Rodrigues

    Dalcim

    Nós, brasileiros, somos carentes de ídolos. Isto se explica porque sempre estamos a procura de um salvador da pátria, seja na política ou no esporte.
    Na política, infelizmente, sempre depositamos nossa fé no “menos pior, no mais ladrão, na mais ignorante e no mais inconsequente e despreparado…
    No esporte, temos a sorte (ou infelicidade) de aparecer um Pelé, um Ayrton, um Guga…Isso fez com que nossos parametros de julgamento ficassem muito altos e seletivos.
    Dessa forma, de Robinho, Ganso, Neymar e outros, esperávamos que fossem o novo Rei. Que Barrichelo, Massa…fossem o novo Senna.
    E o Belluci, coitado…, o garoto tímido que vi treinar no Espéria e em quem não botava muita fé, se tornou a bola da vez. Queriamos, exigiamos que fosse o novo Guga. Principalmente a partir do momento em que ele atingiu o top 20.
    Provávelmente por isso, e por outros motivos, o garoto se sentiu pressionado e sucumbiu…
    Apesar de tudo, ele nos deu muitas alegrias, e decepções, reconheço. Mas a verdade é que nunca deixaram ele ser ele mesmo….
    Portanto, se ele gosta de jogar tênis, que continue com sua carreira, mesmo porque com seu nível de jogo, onde pensam que ele pode jogar? Em algum clube, enfrentando pangarés? Onde iria ganhar o seu sustento, fazer o que gosta e se divertir, sempre procurando melhorar e atingir seu objetivo?
    Sem críticas, por favor, ele merece o nosso respeito.
    Espero que os urubus de plantão não joguem pressão em cima dos ombros das nossas novas esperanças, Bia Haddad e Monteiro….

    Responder
    1. Adriano Souza

      Fui pesquisar sobre o piloto Ayrton Senna (eunão existia na época) O cara era muito veloz , pqp ! Grande piloto!

      Meu esporte favorito é o futebol
      Depois do futebol é a velocidade , Motocross e carros de corrida .

      Depôs vem o Tênis
      Não sou muito fã do Tênis em si, só assisto jogos do Big 3, especialmente jogos do Djokovic. Acho o Djokovic um super atleta , competidor nato, exemplo para qualquer desportista .

      Responder
      1. Miguel BsB

        Adriano, se vc não era nascido na época do Senna, te digo, o cara era excepcional piloto, e um grande ídolo brasileiro, gigante…
        Vc não imagina a comoção que se deu no país com a sua morte. Eu nunca vi nada igual…

        Responder
      2. Luiz Fabriciano

        Apenas um fato para corroborar: foi o único piloto de automobilismo da história a se levantar do cockpit, em movimento, durante uma corrida para um ajuste aerodinâmico em seu carro… e vencer a prova.

        Responder
    2. Heitor de Castro

      Concordo, Rodrigues!

      O Thomaz atingiu um nível altíssimo, ganhou 4 atps 250, mais do que o Fininho por exemplo, e atingiu quartas de olimpíadas, semi de masters 1000, colocou o Brasil no grupo mundial da Davis e fez jogos durissimos com Nadal, Djoko e Murray.

      Thomaz, assim como Rubinho e Massa na fórmula 1, deveriam ser mais valorizados aqui no Brasil, mas infelizmente temos a cultura do campeão. Se não for campeão, se não for o melhor, é taxado de pipoqueiro e isso pesa muito na cobrança interna do atleta.

      Responder
  26. Nattan Labatto

    Simplesmente impressionante!!!

    Simplesmente …. Novak Djokovic!!!!

    Será o primeiro e talvez o único que alcançará 80 vitórias em cada Slam… A conferir.

    ABS e parabéns para o nosso Thiago 🇧🇷🇧🇷

    Responder
      1. Marcelo

        Dalcim, não os provoque. Estamos na “Primavera Nolista”… tem mais torcedor do Nole preparando o novo goat, que aleluias em volta das lâmpadas, e acabaram de sair sa forma de larva, com suas lindas asas…

        Responder
          1. Sandra

            Não consigo entender essa discussão , acho que os três tem meritos de sobra , a
            Única coisa e que Federer tem 6 anos mais ,sendo o jogador que é anormal se ele não estivesse à frente , até porque pouco provável que Nadal e Djoko joguem até os 39

        1. José Nilton Dalcim

          Nadal tem 66 na Austrália, 95 agora em RG, 53 em Wimbledon e 64 no USO. Portanto, está um tanto longe porque 17 vitórias em Wimbledon não será tão fácil.

          Responder
      2. Nattan Labatto

        Uma lenda viva, mestre! Se não fosse o Nadal (saibro) é o Djoko (hard), o suíço teria 100 nos 4.

        Obrigado pela contribuição e informação.

        Abs

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Serena, com 98 em Wimbledon e 106 no US Open, deve repetir a façanha incrível de Federer. E olha que ela disputou bem menos Grand Slam.

          Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Primeiro e único, caro Nattan ? As vezes eu fico impressionado com o total desconhecimento do Esporte como um todo. Como o Dalcim já corrigiu , essa marca que o Sérvio atingiu hoje não pode passar batida. Como sabemos que o grande Guillermo Vilas teve uma carreira muito longeva ( 69 – 89 ) e participou de 18 edições de Roland Garros , o grande Saibrista de 49 Títulos na superfície, não atingiu essas 70 Vitórias que Novak e Federer atingiram em Paris . Daí que não se pode questionar que o Sérvio e o Suíço sejam de fato e de direito dois grandes Saibristas . Abs!

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Nattan . Aqui vai minhas desculpas. Como Roger Federer não vai atingir 80 Vitórias em RG , o Sérvio pode sim ser o ÚNICO a atingir esta marca nos 4 SLAM . Somente precisa combinar com Rafa Nadal kkkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
  27. DANILO AFONSO

    Vamos Monteiro !! Quero ver uma semifinal entre você e o Djokovic.

    Caso o Monteiro perca o próximo jogo, ele pelo menos já garantiu 90 pontos e 143 mil EUROS ( R$ 948 mil). Uma boa grana para amenizar a falta de receita durante a suspensão do circuito por causa da pandemia.

    E se avançar para as oitavas, garante 243 mil EUROS ( R$ 1.611.090).

    Responder
      1. DANILO AFONSO

        Tem razão Dalcim !!! Eu li o seu texto apressado enquanto trabalhava e momentaneamente esqueci que você citou a premiação. Acabei citando erroaneamente a premiação informada em um aplicativo de tênis.

        Pior que ao reler o seu texto e comparar com as palvras que eu usei na minha postagem, fica parecendo que eu quis te corrigir. Nunca que eu teria essa audácia.

        Responder
  28. Jony Marcio

    Vamos torcer muito pelo Monteiro no sábado, Dalcim. Ele é um cara que merece muito essas oitavas. Hoje eu tava lembrando com muito saudosismo daquele Roland Garros de 99, onde faltou muito pouco pra termos uma semifinal brasileira de um lado da chave com o Guga e o Fininho. Se o Medvedv não resolvesse jogar o melhor tênis da vida dele naquelas duas semanas, seria épico. Será que ainda veremos uma situação semelhante, Dalcim?

    Responder
      1. Jony Marcio

        Dalcim, lembra daquela campanha do André Sá em Wimbledon 2002? Essa ficou na história também. Lutando contra todos os prognósticos, o André fez muito bonito naquele ano na grama sagrada.

        Responder
  29. Marcelo Calmon

    Dalcim,

    Quando você cita os percentuais do saque do Monteiro, acho que houve uma falha “79% pouco abaixo dos 68% da estreia”.

    Acordei cedo, mas a Band não passou o jogo na TV e não consegui acessar o site, passou no site ?
    Amanhã deve ser a mesma coisa, se o Medvedev não tivesse sido eliminado não aconteceria isso. Afinal cabeça 4 joga em quadra boa e com TV.

    Djoko treinando. Aliás nem deveria passar esse jogos que parecem treinos, como foi também o do Nadal. Fica monótono.
    Era melhor ver jogos mais disputados. O feminino está bem animado.
    Ontem já tinha escrito sobre a postura da Pliskova. Vi o jogo todo e ela não esboça simplesmente nenhuma reação significante, tanto nos acertos quanto nos erros.
    O meu grande ídolo Borg também não demonstrava, mas também não parecia que estava fazendo um sacrifício por estar jogando, o que é bem diferente.
    Também não vi a eliminação do Melo para uma dupla sem expressão. Ele ainda está com algum problema físico ? Ou essa dupla já deu pro gasto e uma mudança seria benéfica para ambos ?
    Amanhã Monteiro, Soares e Stefani !!
    abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Monteiro jogará no sábado, sempre há um dia de intervalo nas simples. Precisaremos esperar qual quadra ele irá, mas com menos jogos certamente irão colocar numa quadra maior. Já corrigi o engano, obrigado.

      Responder
  30. Luiz Fabriciano

    Mestre Dalcim, nessa frase: “E o primeiro saque tem feito diferença. Chegou a acertar 83% no set inicial e terminou com média de ótimos 79%, pouco abaixo dos 68% da estreia.”

    Não seria “pouco acima?”. Não entendi.

    Responder
  31. Henrique Kira

    Dalcim, só eu achei um absurdo a TV não ter mostrado o jogo? existiu algum empecilho? SporTV só comentou e bandsports só mostrou os pontos derradeiros…. tudo isso pra passar Kenin, Pliskova… como assim???

    Responder
      1. Andre Gomes

        O pior é que na quarta-feira a Bandaports anunciou a transmissão do jogo do Monteiro o tempo todo, incluindo no Ace Bandsports. Ta com cara que eles querem vender aquele app RG ao vivo por 40 reais…só faltava não transmitirem o próximo jogo…Pliskova e Ostapenko foi de doer…

        Responder
  32. Maurício Luís *

    Resolvi plagiar o Danilo. Só que em vez de fazer contagem regressiva pro Djoko assumir a liderança de semanas como número 1, farei uma outra contagem regressiva, bem “pé-no-chão” mesmo: ” Faltam 5 jogos pro Thiago Monteiro ser campeão de Roland Garros”.
    NADAL – Bola diferente, clima frio e úmido, nada está adiantando pra parar o baloeiro. Vou apelar pra São Pedro lá em cima e pedir que providencie uma chuva de pedra, urgenten!
    O que não falta aqui neste conceituado blog são internautas digamos assim… não palpiteiros, isso não. Mas sim A.A.A = Assessores para Assuntos Aleatórios. Como eu…
    Troféu PACIÊNCIA DE JÓ pro Dalcim.
    OBS: se for lançado aquele tradicional concurso de acertar quem vence a final e por qual placar, neste Rolanga o prêmio do vencedor será acompanhar a sogra do Nadal pra escolher roupa nas lojas do shopping. Dormir no sofá da loja NÃO VALE.

    Responder
  33. Sandra

    Dalcim, a chave do Nadal não está muito fácil não? O único perigo dele e só Thiem ? O Djoko tem Bautista , o grego, claro que não é tão difícil quanto a do Thiem , aliás se o Thiem chegar na semi final com o Nadal , difícilmente terá pernas !

    Responder
      1. Rubens Leme

        Ops, eu troquei com Belchior, esse sim um filho de Sobral, como falei no post anterior quando postei o primeiro LP dele. Thiago ê conterrâneo de minha esposa, ambos de Fortaleza.

        Responder
    1. periferia

      Olá Leme.

      Mas trago de cabeça uma canção do rádio
      Em que um antigo compositor baiano me dizia
      Tudo é divino tudo é maravilhoso

      E não tenho um amigo sequer
      Que ainda acredite nisso não
      Tudo muda
      E com toda razão

      Belchior criticando Divino,Maravilhoso de Caetano Veloso…

      Responder
      1. Rubens Leme

        Belchior era demais!

        “Meu bem, mas quando a vida nos violentar
        Pediremos ao bom Deus que nos ajude
        Falaremos para a vida
        Vida, pisa devagar, meu coração, cuidado, é frágil
        Meu coração é como vidro, como um beijo de novela

        Meu bem, talvez você possa compreender a minha solidão
        O meu som, e a minha fúria e essa pressa de viver
        E esse jeito de deixar sempre de lado a certeza
        E arriscar tudo de novo com paixão
        Andar caminho errado pela simples alegria de ser”

        https://www.youtube.com/watch?time_continue=83&v=OKTRc7x-zCM

        Responder
        1. periferia

          Paralelas

          E no escritório em que eu trabalho
          e fico rico, quanto mais eu multiplico
          Diminui o meu amor

          Quer coisa mais atual …..um dia (como bem disse)…Belchior será reverenciado como o grande poeta que foi.

          Responder
    2. Marcilio Aguiar

      Valeu a lembrança de Belchior a quem curti demais nos tempos de minha juventude, nos anos 1970. Uma obra vasta e primorosa. Faço menção também a outro cearense contemporâneo, que não teve uma obra tão grande quanto a de Belchior mas compôs ótimas canções. Falo de Ednardo.

      Responder
      1. Rubens Leme

        Ednardo é uma ótima lembrança assim como Fagner. A música brasileira desta época era excepcional, uma pena a que ficamos reduzidos hoje.

        Responder
  34. Rubens Leme

    Enquanto isso, o Bellucci. Dalcim, o Thomaz está tendo um dos mais melancólicos finais de carreira que já vi. Ele devia largar, até porque ele está é perdendo dinheiro neste momento.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *