O tênis te agradece, Osaka
Por José Nilton Dalcim
12 de setembro de 2020 às 20:54

Naomi Osaka é um tanto tímida, não se solta muito em público com as palavras, mas como é especial para o tênis ter uma campeã com suas qualidades técnicas e a personalidade tão madura. Aquela menina que aguentou o destempero de Serena Williams na final de 2018 como uma veterana hoje se engaja na luta contra o racismo, participa de protestos, fica ativa nas mídias sociais e externiza a cada entrada em quadra sua postura pessoal.

E isso tudo sem perder jamais o foco no tênis, o desejo de vitórias, o estilo ofensivo, o respeito pela adversária. Não à toa, a japonesa de meros 22 anos é hoje a atleta mais bem paga do mundo. Com a raquete na mão, é um assombro. Ganhou todas as três finais de Grand Slam que disputou – façanha que apenas Monica Seles a antecedeu – e nesta segunda-feira voltará a figurar no top 3 do ranking, que já liderou por 25 semanas no ano passado.

É preciso também destacar a volta por cima que Victoria Azarenka obtém em sua carreira. O tão sonhado título no US Open escapou pela terceira vez, mas aos 31 anos ela consegue ainda mostrar evolução técnica. Melhorou o saque e voltou a ter pernas ágeis para jogar em cima da linha, impondo ritmo com as bolas golpeadas na subida, direções variadas e profundidade na medida certa. Novamente, se tornou uma adversária muito perigosa sobre a quadra dura. Voltou a uma final de Slam depois de sete anos e meio, o que não é pouca coisa.

A final deste sábado não foi aquele espetáculo, principalmente porque Osaka fez um primeiro set fraco. Vika utilizou muito bem o primeiro saque para se impor e a japonesa sofria para encontrar algum ritmo. Quando perdeu o saque no começo do segundo set, a situação piorou. E então Naomi foi para o tudo ou nada. Fez um game agressivo na devolução, que pareceu surpreender a bielorrussa, e ganhou novo ânimo pouco a pouco.

Mais encolhida, Azarenka esqueceu de utilizar as paralelas que deram tão certo no início. Adepta de golpes pesados e profundos, Osaka fica extremamente perigosa quando confiante em quadra. Disparou no placar e abriu 4/1 no terceiro set. Vika lutou como um leão, evitou break-points fatais e recuperou a quebra e a esperança. Não foi longe. Errou em lances cruciais e Osaka aproveitou. Ironia do destino, a virada e o placar foram idênticos aos que Vika obtivera sobre Serena dois dias antes.

O desafio agora é o saibro. Osaka evitará Roma e irá direto a Paris, onde nunca passou da terceira rodada. Vika manteve inscrição no Foro Itálico e tentará uma adaptação difícil, já que não entrou de cabeça e terá de jogar a primeira rodada, provavelmente na terça. Desde que fez semifinal em Roland Garros em 2013, só ganhou três jogos lá em quatro tentativas seguintes.

Um novo campeão
O tênis verá neste domingo um novo campeão de Grand Slam, porém também será o primeiro desde a ascensão de Rafael Nadal, em 2005, a erguer um troféu desse porte sem derrotar ao menos um dos Big 3.

O austríaco Dominic Thiem, em sua quarta tentativa, tem o natural favoritismo sobre o alemão Alexander Zverev, o segundo representante seguido da chamada ‘nova geração’ a decidir o US Open, sucedendo Daniil Medvedev, que também tinha 23 anos quando perdeu para Nadal há um ano.

Thiem tem todas as vantagens numéricas: 7-2 nos duelos diretos, sendo 3-1 na quadra dura e 3-0 nos Slam, mas ao mesmo tempo precisará dosar a ansiedade para enfim chegar ao tão sonhado título. Zverev está longe de ser um inexperiente. Já derrotou todo o Big 3 e tem na galeria de troféus um ATP Finals em que tirou Roger Federer e Novak Djokovic.

A expectativa é sobre a postura tática que Zverev irá tomar na partida. Se não tiver um percentual alto de primeiro saque ou se optar por enfrentar o austríaco nas longas trocas de bola, sua tarefa deverá ser bem difícil porque hoje o austríaco é muito superior em quase tudo. Na teoria, o risco será sua principal arma, o que pode nos brindar com uma final eletrizante ou nos frustrar com um jogo entediante.

Como assinalou com propriedade o internauta Daniel Cadario, este desafio tem valor dobrado para Thiem. A conquista o encherá de confiança para o saibro, seu piso predileto, onde pode muito bem desafiar Djoko e Rafa, mas uma eventual amarga derrota pode custar também a confiança tão necessária para Roland Garros.

Por isso mesmo, a vitória do ‘Dominator’ me parece ideal para o tênis do momento porque deixará o circuito ainda mais quente. Ao mesmo tempo, acredito que Zverev terá novas chances, desde que deixe a preguiça de lado e continue a trabalhar firme.


Comentários
  1. Fernando

    “Defund the police” na camiseta do namorado da Osaka. Educação, saúde e segurança são as prioridades de um Estado que quer de fato investir no seu cidadão.

    Algumas pautas importantes foram deturpadas pelas pessoas de esquerda, como gender pay e outras desigualdades. São super importantes e não devem ser politizadas. Devem ser tratadas com instrumentos adequados (aka science).

    Infelizmente, essa desgraça pseudo humanista está no mundo inteiro. Diferenciar as pessoas por características do fenótipo é racismo. O que importa é o caráter do indivíduo.

    Responder
  2. Jonas

    A final foi fraca, mas não resume o que foi o torneio. O nível foi bem alto, apesar da pandemia.

    Minha opinião sobre Roland Garros: Nadal, Thiem e Djoko na sequência.

    Claro, vamos ver se o masters de Roma nos mostra alguma coisa de nova, mas a princípio deve ser isso aí.

    Responder
  3. José Eduardo Pessanha

    Rapaz, que jogo bizarro. Sim, continuarei chamando o Thiem de SuperesTHIEMado. Parabéns, mas foi um show de horrores. Haja danoninho, sucrilhos e chandelle pra essa “Nova Geração”. E ainda teve um comentário de um rapaz ralhando quem é fã dos tenistas do Big Three. Vou até reproduzir:

    “Existe uma Gama de torcedores que de tanto idolatrar o big três,se esquecem de olhar que existe tênis pós Federer, Nadal e Djokovic.
    Pra quem gosta de tênis mesmo,deve começar a se desapegar desses caras,temos aí uma geração que claro, ainda precisa se ajustar em alguns aspectos do jogo propriamente dito,e principalmente em relação a carisma,e aí eu acho um pouco mais difícil.”

    DESCULPE, cara, mas desapegar de Federer pra ver isso? rs
    Abs

    OBS: Volta, Rogério. Dá pra ganhar uns 2 GS ainda. Tranquilo.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Mas temos que considerar que houve um período longo de isolamento social, não tem como esperar que eles jogassem como se fosse no ritmo do ano passado. Até que pra quem treinou pouco tempo, achei que iriam cometer muito mais erros não forçados.

      Responder
  4. Jonas

    Tiebreak horroroso. Agora esse Zverev tem o mental de geleia!!kkkkk.

    Finalmente o Thiem ganhou um Slam, parabéns.

    US Open teve o nível altíssimo. A final deveria ter sido Thiem x Novak, mas o sérvio fez merda e mereceu sair.

    E o Zverev, cara…tem que trabalhar MUITO a parte mental.

    Responder
  5. Luiz Fernando

    Incrível q ambos pareciam não querer vencer, claramente desgastados física e mentalmente. Zverev perdeu p um jogador q mancou durante todo o tiebreak decisivo. Thiem venceu seus fantasmas, como muito bem comentou o Dalcim nos comentários ao vivo. Zverev vacilou, serviu p o título mas creio q a maioria não esperava o desempenho q ele teve. Méritos p ambos, claro q mais p o campeão.

    Responder
  6. Gildokson

    Final de terceiro set da final masculina, e podemos dizer com toda certeza que qualquer um dos 2 que sair vice campeão vai ter dado uma amarelada do tamanho do mundo. Um pela campanha e expectativas gerou e o outro por abrir 2×0 com facilidade.
    Nesse momento ja torço para o alemão ganhar, ja que o Thiem continua com essa postura ridícula de receber o saque da arquibancada, mesmo o segundo. Inacreditável!!!!

    Responder
  7. Luiz Fernando

    Se fosse uma luta de boxe, no inicio do set 3 Thiem estava tonto, nas cordas, com quebra abaixo, mas ai Zverev também caiu, talvez igualmente sentindo, pois o titulo estava próximo. Thiem aos poucos melhora seu nível de jogo e principalmente vai errando menos. Paralelamente o alemão caiu, equilibrando as acoes, q ele vinha claramente dominando. Vamos pro set 4…

    Responder
  8. Vitor Hugo

    Que decepção, não? Zverev está engolindo o Thiem sem fazer nada de espetacular, o que diz muito sobre o nível que o austríaco está jogando…

    Responder
  9. Luiz Fernando

    Zverev ainda tentou se complicar, mas Thiem não aceitou a ajuda. O cara esta claramente sentindo a responsabilidade de ter q vencer a final, pois é o favorito do mundo do tenis p vencer. Agora necessita vencer 3 estes, pelo q está jogando parece uma subida ao Everest realizada por um alpinista descondicionado. Exceto pelo pelo game péssimo q jogou ao sacar em 52, o alemão esta bem firme, regular e, incrível dizer isso, totalmente focado. Terceiro set começando…

    Responder
  10. Jonas

    Sinceramente, tanto faz se o Thiem vai ganhar ou o Zverev, mas que final ridícula é essa kkkkk.

    Espero que o Thiem pelo menos empate o jogo e tenha alguma emoção na partida porque não é possível, que vexame.

    Responder
  11. Willian Rodrigues

    Questão não é “entender” de tênis, mas, compreender a cabeça do Zverev!! Cidadão me vira um jogo daqueles na semifinal e agora está derrotando Thiem, com 1×0 e 2 quebras acima no 2º set. Na torcida para que mantenha o nível,, porque assim, Dominic não se aproxima muito do sérvio na pontuação do ranking. Rrrsss…

    Responder
  12. Luiz Fernando

    Set 1 para Zverev, q errou pouco, foi agressivo e sacou muito. Creio q poucos esperavam esse tipo de performance do cara. Thiem parece vitima de uma eterna falta de confiança nos momentos decisivos, quem esperava o cara mandando nos pontos viu o contrario, nem o BH espetacular entrou. O austríaco ainda tem claras chances, mas terá q elevar, e muito, o nível…

    Responder
  13. Fabio Riella Fernandes

    Dalcim vou colar a estatística que encontrei:

    David Nalbandian é o único tenista a conseguir derrotar Rafael Nadal, Roger Federer e Novak Djokovic num mesmo torneio. Isso aconteceu no Masters de Madri de 2007 (piso sintético). Os três eram também os líderes do ranking.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Isso, exatamente. Esse dado é bem conhecido, Fábio, e reforça a notável qualidade técnica dessa argentino. Djokovic ainda não era tão espetacular como se tornaria dois ou três anos depois, mas já jogava um tênis respeitável.

      Responder
  14. Carolina

    Obrigada pela cobertura!
    Eu não estava muito empolgada antes do início do US Open, mas é ótimo voltar a acompanhar tênis.
    Para mim fica a sensação de que a Osaka é a campeã certa no momento certo. Tanto pelo tênis que ela vem jogando quanto pela atitude dentro e fora de quadra.

    Responder
  15. Paulo Sérgio

    Dalcim, Djokovic teve aquele problema no US Open, que pode atrapalhar o seu mental. Nadal está sem ritmo de jogo. Mesmo se chegar à final de Roma, terá jogado apenas 5 jogos, de no máximo 3 sets. Nesse contexto, você não acha que Thiem é o favorito para RG esse ano?

    Responder
  16. EDVAL CARDOSO

    Existe uma Gama de torcedores que de tanto idolatrar o big três,se esquecem de olhar que existe tênis pós Federer, Nadal e Djokovic.
    Pra quem gosta de tênis mesmo,deve começar a se desapegar desses caras,temos aí uma geração que claro, ainda precisa se ajustar em alguns aspectos do jogo propriamente dito,e principalmente em relação a carisma,e aí eu acho um pouco mais difícil.

    Responder
  17. Barocos

    Quase todos sabem que torço pela Vika, gostaria que tivesse alcançado a glória maior, claro, mas não deu. Melhor sorte da próxima vez.

    Vou repetir aqui um argumento que já utilizei muitas vezes: bons tenistas colocam bolas “fáceis” onde querem. A Osaka as forneceu no primeiro set, mas parou de fazê-lo no segundo e o jogo mudou completamente.

    Foi uma grata surpresa ler as declarações da bielorrussa em sua entrevista, ganhou ainda mais do meu respeito e admiração. Quiça o Djokovic, nos próximos anos, também passe a se preocupar mais em se divertir em quadra, como quando ainda era um jovem e promissor tenista no circuito.

    Saúde e paz.

    Responder
  18. periferia

    Olá Dalcim.

    Sempre que posso entro em muitos blogs….sobre diversos assuntos…sempre é bom fazer um comentário (somos vaidosos).
    Seu blog é diferente.
    Vc é uma espécie John Keating….alguém que poderia ficar confortavelmente distante da baixeza humana (existe em quantidade)….mas não fica.
    Pelo contrário…estimula o pensamento crítico e autônomo…ajuda as pessoas enxergarem um mundo de uma forma plural com pontos de vista diferentes (muitas vezes totalmente discordantes) de uma forma ponderada…respeitosa.
    O blog é transgressor (assim como a arte…seu blog é arte Dalcim )…..tira o indivíduo daquela zona de conforto.
    Incentiva e permite …cada participante colocar sua experiência de vida à disposição de todos (mesmo não pedindo).
    Aqui temos tênis….mas temos também literatura…musica….cinema ….política…e se Max Planck estivesse vivo teríamos física quântica.
    É uma confraria…rsss.
    E assim como ocorreu com John Keating……subo na mesa…e digo.

    Ó Capitão! Meu Capitão.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Fico lisonjeado com suas palavras, José Cláudio, ainda mais você que é um dos participantes mais ativos e ponderados. Obrigado pelo incentivo!

      Responder
  19. Eduardo

    Torci pela Azarenka por causa da volta por cima, mas a Osaka tem bola mais pesada, é mais fria e é mais nova tbm, o que faz diferença.

    Com relação ao ativismo contra o racismo, espero que não fique apenas nos discursos e mascarinhas personalizadas. Quanto da bufunfa ela está doando para a causa? Que faça como faz o Federer a abra uma funcadação para angariar fundos para a justa a causa que ela defende.

    Depois daquela palhaçada em Cincy – onde ela “foi convencida” pela direção do torneio a desistir da desistência – só consigo ver lacração oportunista dela e de muitos que fazem a mesma coisa, mas sinceramente espero estar errado, porque ela de fato é uma tenista muito acima da média!

    Responder
    1. Ivethe Albreymann

      Assino embaixo. Desistir na quinta e voltar na sexta… vai ficar nas máscaras. Os 2 milhões ñ verão cheirinho de doações. Também parece que Osaka vive do “destempero” do episódio da maior do WTA, esta sim, a que fez muito pelo tenis, Serena.

      Responder
  20. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, duas coisas:
    – a primeira é que estou solidário contigo não aceitando essas críticas infundadas e agressivas
    – a segunda é uma sugestão de estabeleceres um limite de laudas para as mensagens, melhorando a leitura do blog.
    Abraços.

    Responder
  21. Daniel

    Imagino o Nadal assistindo a Azarenka, ontem.
    O rei da estratégia assistindo uma trintona que ñ sabe o que fazer com a bola, a não ser bater.
    Não tem um saque, uma deixada, um slice na paralela… NADA.
    Por isso que a Serena plus mega size consegue chegar numa semi com quase 39 anos.
    Ñ que ela seja a rainha da variação, mas tem muita força e um pouco mais de malícia.

    Responder
  22. Marcos Minazzi

    Saudações!

    Mantendo a tradição dos últimos muitos anos, a WTA “brinda” o público com mais uma final insossa de SLAM. Salvo raríssimas exceções, são essas coisas aí de 6×1, 6×2, 6×3, 6×2. E números de erros não-forçados estratosféricos. O 1o set dessa final, ou seja, enorme 1/3 do jogo, foi algo dantesco.

    Por isso que o interesse, entenda-se audiência na TV, só cai ano a ano. E ainda exigem ganhar $$$ a mesma coisa que os homens. Só nesse mundo “lacrador” patético mesmo em que vivemos para nivelar coisas tão incrivelmente diferentes.
    Essa OSAKA, aliás, é um belo exemplo do que falo já há algum tempo da maioria das jogadoras: não têm repertório, é bater forte de lá de trás e só. O dia que não está entrando ou o dia que a outra lá consegue bate mais forte, dá nesse tipo de jogo aí que vimos. O que ela fez para ganhar? Nada demais. A bola dela só começou a entrar e da outra, não. Poderia ter muito bem sido 6×1 6×3 Azarenka, o que houve foi só circunstancial. A propósito, quando que o 2º saque das mulheres vão melhorar, hein?! É um festival de winner e bolas que não voltam por conta disso. Diga, qual foi a última vez que viu uma winner de devolução no masculino? Até o super devolvedor DJOKO pouco as consegue! E aqueles tontos daqueles técnicos, que ficam lá nos boxes com aqueles ares blasé, cara de “entendo pra caramba”, não ganham muito bem para ver (e corrigir!) isso, não?! Ô trampinho fácil desses caras, viu?! É de doer! Aliás, faz muito sentido nunca vermos “figurões” treinando mulheres, são sempre esses caras com carreiras medianas pra baixo como jogadores.

    Outra coisa, já que acordei amargo hoje (rs). Os comentaristas brasileiros. Jesus, Maria, José, como são ruins! Em ambos os canais, aliás. Salvo um ou outro (Narck Rodrigues, por exemplo) só falam platitudes, só obviedades. E outra: como fazem (rasos) comentários técnicos. Para quem entende minimamente do esporte, é uma chatice sem fim. Será que é porque entendem muito pouco de tática? É um tal de explicar o que é “top spin”, “slice”, “passe de ajuste” e por aí vai. O que é pronação, não, né?! Será que é por que não sabem bem o que é? E o que falam entre 1os e 2os saques então? É para transmissão de futebol numa rádio que eles pensam estão comentando?
    Sério, como morei fora por um bom tempo (o que não é mérito algum, só estou trazendo um dado que entendo ser relevante pro que vou dizer a seguir), já assisti dezenas (dezenas!) de transmissões de tênis em inglês (dos EUA e da Inglaterra, majoritariamente) e não lembro uma vez sequer que um (ou uma) comentarista ficou falando mil vezes (se é que fala em algum momento!) da parte técnica, de como tal golpe é executado e tal. É sempre da parte tática e/ou mental do jogo.

    E pra terminar, o que eu chamo de “momento MAGUILA”, onde os comentaristas – pateticamente – ficam mandando abraços pros conhecidos, pros amigos, que em via de regra são ex-jogadores medíocres que, mas são celebrados como “jogadoraços”. Quem tá lá em casa ouvindo, e não é muito familiarizado com o esporte (e é a gigante maioria das pessoas!) deve pensar “nossa, mas o Brasil teve tanto jogador bom assim?”. Não, não teve! Dá para contar todos os jogadores que merecem menção nos dedos de uma mão! É de se encolher de vergonha daquilo!

    Era isso. Desculpe aí o “desabafo” a quem se propôs a ler todo esse comentário. 😀

    Abs,

    Responder
    1. Daniel

      Pronto, não preciso falar nada.
      As pernas da Azarenka acabaram no meio do segundo set e eu pensava: enrosca a bola, minha filha, faz um slice, muda esse saque… Faz qualquer coisa!
      Não, eu tenho o plano A (que é sempre o mesmo) se não funcionar, eu vou seguir o plano… A.
      E a Osaka na mesma, só que ela tem pernas.

      Responder
    2. Francisco Vieira

      Pois é amigo. Ninguém fala sobre as mulheres porque é politicamente incorreto. Capaz de receber algum processo por ser machista. Duas mulheres sem graça. Feias por sinal. Patético.

      Responder
    3. Flávio

      Mestre Dalcin desculpa,mas discordo um pouco da sua análise está certo que a Naomi é uma jogadora de muitos recursos,mas a meu ver o que fez diferença nessa final foi a incompetência da Azarenka (até o nome já lembra algo kkk) porque veja ela tinha um 2×0 é favor no segundo set e tinha uma quebra de vantagem, so ela baixou a intensidade e achou que estava ganho, então cometer esse erro contra a Naomi é pedir para perder, só vem o pior o set 3, ou seja ela tinha um 40×0 e tudo para quebrar o saque da Naomi onde a Naomi sacava algumas vezes com o segundo serviço e a Azarenka não aproveitou e quando ela quebra o serviço da Naomi, em seguida ela entrega de presente o seu serviço, então ela mereceu perder com toda a burrice dela o resultado foi merecido, que a Naomi aproveitou bem, é por isso que digo Mestre no auge da Serena e a Steffi elas não perdoam essa chance por isso são consideradas lendas vivas no tênis; coisa que a Azarenka não é, ou seja ela é apenas uma boa jogadora e só.

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Certo, Flávio, mas não foi exatamente assim que andou a virada dela sobre a Serena? Então devo entender que a Serena foi incompetente, ao invés de a Azarenka ter méritos?

        Responder
    4. Maurício Luís *

      Parece que você tem dificuldade de entender que mulher é diferente de homem. Tem peito, menos músculos, algumas passam mal por causa da menstruação, enfim, muita coisa diferente. A Serena, por ex, ganhou o AO 2017 com tudo isso que eu falei e ainda nas primeiras semanas de gestação. Isto não é nada fácil. Tem muita pancada no jogo delas? E os marmanjos, batem fraquinho? Um jogo entre 2 sacadores, tipo John Isner x Ivo Karlovic, é interessante pra você? Pra mim não é.
      A premiação é igual porque o ESFORÇO físico e mental é o mesmo. A Billie Jean King e outras tantas fizeram das tripas o coração, passaram os maiores ‘perrengues’ pra conseguirem essa igualdade, daí vem você sentado numa poltrona dedilhando um teclado dizer que o jogo delas não presta. Quem gosta de andar pra trás é caranguejo.
      Diferentemente da sua pessoa, a quem respeito apesar da diferença de opiniões, acho o jogo das mulheres até mais interessante que o dos marmanjos, porque é mais sujeito a quebras de serviço. E esteticamente são bem mais graciosas.

      Responder
    5. Rodrigo S. Cruz

      Desculpa, mas eu discordo de você.

      Tudo bem você não gostar dos comentaristas em sua maioria.

      Mas daí a dizer que comentar a parte técnica seja algo que os desabona, também não dá, né?

      Há brasileiros que nem sequer entendem bem o jogo de tênis.

      E comentar essa parte técnica é tão importante quanto comentar a parte tática…

      Responder
  23. Fabio Riella Fernandes

    Dalcim, existe informação sobre algum tenista que tenha vencido slam e durante a campanha tenha derrotado o numero 1 e 2 do ranking? Tenho vaga lembrança do Wawrinka quando ganhou o Australian Open em 2014 ter derrotado Djoko e Nadal mas nao sei se estou certo.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não lembro de ter visto uma tabela ou um artigo que comentasse sobre isso, Fábio, então acho que a procura teria de ser manual mesmo.

      Responder
  24. rafael

    Torci para a Vika, principalmente pela sua historia de superação nos últimos anos. Contudo, a Osaka é uma extraordinária tenista e mereceu o título. Quanto à postura da japonesa ela é mais uma ativista política seletiva. Deveria lutar pro todos! All lives matter!

    Responder
    1. Éverton

      “All lives matters” só pode ser ignorância. Quem disse que as outras não importam? Por acaso são todas as vidas que são discriminadas pelas forças policiais? Ela faz muito bem, além de ser uma excelente tenista, não é ignorante. Parabéns, Osaka! E siga desafiando os racistas.

      Responder
  25. Paulo Almeida

    Vi que uma galerinha boa torceu para a Azarenka, mas a Osaka provou em quadra que é mais jogadora.

    O Thiem é claramente um “maratenista” e agora tem gente achando o jogo dele interessante e o do Djokovic não. Que paradoxo! É, mais um da série diversão garantida, rsrsrs.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O Thiem DE MODO ALGUM pode ser chamado de “maratenista”.

      O jogo dele pende muito mais para o ataque do que para contra-ataque e consistência.

      Coisa que até uma criança consegue ver.

      Eu sempre curti o estilo dele, justamente por ser oposto ao estilo Nadal/ Djoko/ Murray.

      Você não manja nada de tênis…

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Outro ponto, Rodrigo: A plasticidade e o spin que o austríaco coloca em seus golpes é algo magnífico. Esteticamente é muito mais bonito que o jogo do sérvio, Medvedev, Zverev e etc….. Com três neurônios na cachola é fácil de entender.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          O jogo do Djokovic é mais estético do que o do Thiem com sobras, principalmente porque bater reto é mais atraente do que com spin.

          Basta ter dois neurônios na cachola para perceber o óbvio.

          Thiem é maratenista, sem muita discussão.

          Responder
      2. Paulo Almeida

        Errado, o Thiem devolve a 10 metros da linha de base, corre feito um louco durante os ralis e cadencia o jogo até achar o melhor momento para atacar. A partida contra o Medvedev e contra o Djoko na Austrália comprovam minha teoria, além do fato de ter se tornado grande no saibro, um piso lento.

        Você precisa comer muito arroz com feijão para poder discutir comigo. Força.

        Responder
  26. Daniel

    É Dalcim, se a Osaka continuar focada e não ficar deslumbrada, deve vencer mais alguns GS (ou muitos). Como vc bem observou, é muito madura para a idade que tem e o retrospecto em finais de GS mostra que ela aguenta bem os grandes palcos psicologicamente.

    PS: Obrigado pela menção no seu nome no seu novo texto, uma honra rs.

    Responder
  27. Chetnik

    Nunca gostei da Azarenka, mas hoje torci para ela. Não vi o jogo porque tava assando carne. Acompanhei pelo livescore do nosso colega mestre em interpretação de texto e de escrita impecável. Vulgo, maior entendedor de tênis do blog.

    Amanhã o jogo vai ser irrelevante. Torneio com um grande asterisco. A maior fraude da história dos esportes. É um GS esvaziado e sem importância. Isso dito, Thiem não vai nem suar.

    Responder
          1. João

            Me referi ao Bruno, não mencionei o Chetnik.
            E vc o considera verdadeiro porque vc concorda com as críticas dele.
            Mas como eu justamente te critico ou critico outros torcedores do RF, aí vc fica ofendido e faz textão e ameaça sair do blog

          2. Rodrigo S. Cruz

            Não adianta você tentar reescrever os acontecimentos da forma que você quer.

            Até porque você nunca criticou o Federer de forma regular.

            Desde o primeiro post teu aqui o que se viu foi você mirar e atacar o meu nome.

            Você é só um perfil fake que o Paulo Almeida (doente-mor) usa para dar uma ” forcinha” para as besteiras que ele escreve.

            A última delas foi falar que o Thiem é “maratenista” kkkkk

          3. João

            Que bom que vê que de fato não critico o federer ou mesmo os torcedores do RF de forma regular. As vezes até elogio. Vai depender do quê e do como a pessoa escreve.
            Agora, daí a vc se achar perseguido é o fim da feira
            E, tb, vc não conseguir enxergar que o Bruno tb pega no pé mas como vc concorda com ele, tudo bem, é ridículo

  28. Reinaldo

    Na torcida para um bom jogo e também pela Vitória do Thiem. Sentindo falta do desafio aqui no site para acertar o placar do jogo. De qq maneira, imagino um 3×0 para o Thiem. 6×3, 7×6 e 6×3. Dalcim, qual outro jogador da nova geração mostrou algum progresso nesse USOpen? Shapovalov? Ou nada significativo até pelas condições do torneio em plena pandemia? Abraços

    Responder
  29. OJR 7

    O que eu mais gosto em ver na japonesa é seu senso de respeito às suas oponentes. Em sua biografia, não lembro realmente de ler sobre ocorrência de “cera”, de gritar exageradamente, intimidar outras jogadoras ou juízes dentro de uma partida, por exemplo. Diria que alguns poderiam seguir o exemplo dessa jovem tenista, mas isso sempre é bem arriscado; as pessoas tem uma tendência cruel de mudar repentinamente, às vezes para pior…
    Quando percebi aquela reação impetuosa levantei a plaquinha do “eu já sabia” porque o roteiro foi praticamente o mesmo da semifinal como elucidado no texto, em que a Azarenka saiu vencedora. Que amanhã tenhamos mais um belíssimo jogo de tênis! Abraço a todos!

    Responder
  30. João ando

    Uma afronipo lutando contra o racismo …agora tem que ver contra os asiático .judeus árabes e sul americanos .hindus e etc …ah esqueci os muculamanod

    Responder
  31. Richard Martins Lourenço

    O blogueiro progressista/esquerdista puxando o saco da jovem tenista que sequer tem visão que está sendo usada pelo partido Democrata dos Estados Unidos. Mas eu entendo a visão do senhor blogueiro, pois está difícil acompanhar os tempos atuais para quem é de uma geração muito antiga e hoje em dia não pinga mais dinheiro público neste site mascarado de patrocínio dos Correios/CBT. Resumindo, uma pessoa que adora meter a mão no dinheiro público. Abraço de São Paulo.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu vou publicar esta ofensa apenas para ter o prazer de processá-lo para que prove o uso de dinheiro público em qualquer ação que TenisBrasil tenha feito em sua longa história de 22 anos. Se é que você realmente existe. Mas seu IP está devidamente anotado.

      Responder
      1. Marcílio Aguiar

        O genial Nelson Rodrigues costumava se referir a determinados tipos como lopras e pascácios. Só podem caber esses adjetivos a alguém que invade um espaço que trata de tênis, no mais alto nível, para lançar um ataque tão baixo. A você Dalcim, minha solidariedade.

        Responder
      2. Igor Simas

        Muito bom Dalcim.

        Por favor, publique a pena deste leitor leviano, tomara que se faça justiça. Chega desse pessoal tentando justificar suas “ideias” com falsas acusações.
        Um abraço e parabéns pelo site e blog.

        Responder
      3. Osorio

        Dalcim, voce sabe que eu raramente escrevo, mas tamanha estupidez nao merece silencio. Reitero minha profunda admiracao pelo excelente trabalho seu e da sua equipe. Como disse o Marcilio, a voces a minha solidariedade.

        Responder
      4. Marcos Minazzi

        Dalcim,
        Se me permite uma opinião.
        Vi que o Sr. se “defendeu” do fato do sujeito acusar o site de atividades ilegais. O que fez muito bem. Mas não se defendeu do fato do sujeito dizer que o Sr. e seu site é esquerdista, progressista, e que essa moça é só uma marionete (o que concordo, é só outra Greta Tumberg, só para não fica em cima do muro).
        O que talvez tenha feito melhor ainda! Antes o nosso STF tivesse esse tipo de discernimento!
        A primeira declaração do sujeito, certa ou errada, é uma opinião dele e acabou!
        A segunda é que não, que sem provas é “espalhar fake news”, caluniar, e portanto passível de ser punida, de processo de reparação, como bem disse.
        Abs,

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sim, enquanto for a opinião dele, e desde que seja respeitosa, não tenho nada contra. É salutar que tenhamos debates, com argumentos. Ofensa e acusação leviana é para o campo jurídico e providências serão tomadas, Marcos. As pessoas precisam ter responsabilidade no que dizem ou escrevem.

          Responder
      5. Barocos

        Dalcim,

        A que ponto chegam os ignorantes, o comentário do sujeito é de uma imbecilidade assustadora. Como o Rafael disse uma vez, “é melhor ler isto do que ser cego”.

        Definitivamente, estamos na “Era das Acusações”. Para que usar argumentos coerentes e bem assentados em fatos ou em indícios verossímeis, se se pode acusar alguém de qualquer coisa com nada mais que “ar quente”?

        Todas essas teorias patéticas que existem por aí e tantos ineptos dispostos a abraçar com fervor apenas o que encontra eco em suas almas pequenas, em suas vidas amargas repletas de ambições frustradas. O lema destes mandriões do pensamento parece ser sempre o mesmo: os meus preconceitos asquerosos devem prevalecer, só existe uma verdade, a minha, e todos que não compactuam com ela devem perecer.

        Tenho esperança que tanta indigência e indolência intelectuais sejam, algum dia, reduzidas às condições que merecem: de escárnio, de ridículo e com ampla divulgação, ainda que prefira que a identificação dos autores seja poupada – loucos são imprevisíveis e perigosos quando acuados.

        Grande Dalcim, ainda que não seja muita coisa, reforço o que já disse algumas vezes, não tenho por ti nada que não admiração.

        Saúde e paz para todos, mesmo para os mentecaptos, embora a segunda bênção seja de difícil realização para estes.

        Responder
      6. Miguel BsB

        Parte pra cima sem dó Dalcim! Desse “direitista conservador” afeito a publicar mentiras e calunias…não deixe barato, essa turma tem que começar a pagar pelo que acusam os outros…

        Responder
    2. Gildokson

      Posso adivinhar em quem você votou na última eleição para presidente? kkkk Deixa pra la….
      Esse tipo de comentário bom pra mostrar para os que votaram igual, o tipo de cidadão que votou no cara. kkkkkkk

      Responder
    3. Luiz Fernando

      Acusações levianas e covardes, seu papel é típico dos fakes nojentos q parasitam este espaço. Faça um favor a todos, ou melhor, a maioria, suma daqui por favor…

      Responder
    4. Rafael

      Uma pena que esse vírus não está reduzindo sua atividade, pelo contrário, parece estar ganhando força. O vírus do ódio, da agressão aleatória , da sabedoria suprema. Esses são apenas alguns dos legados que estão sendo cultivados com essa geração que prega vingança sobre o que nem sabe.

      Responder
      1. Maurício Luís *

        Duvido muito que ele se retrate. Esse tipo de gente – um fanático, ao que tudo indica – não costuma dar o braço a torcer não. Pode ver que ele nem respondeu aos comentários dando o contra nele.

        Responder
  32. lEvI sIlvA

    Thiem, mais que qualquer um, merece o fugidio Spam. Creio que, o austriaco entre com a habitual intensidade e ritmo intenso. Sendo assim, imagino um 1° Set onde Zverev pouco consiga se impor. Um 6-2 e talvez..! Não é a final dos sonjos no US Open, mas foi a melhir opção, com certeza! Continuem se cuidando todos por aí!

    Responder
  33. Filipe Fernandes

    Partida muito legal de assistir, essa final!

    Quando Azarenka abriu 2/0 no segundo set, comecei a achar que o título era questão de tempo, tão exemplares estavam a sua performance e a sua determinação; mas Naomi não esmoreceu naquele momento crucial e conseguiu reagir bravamente. Bela final, um jogo franco e diversificado (“lá e cá”, na linguagem do futebol). Grande atuação das duas, o título ficaria em ótimas mãos fosse quem fosse a campeã.

    Parabéns pela cobertura e pelos textos (atualmente) diários, caro Dalcim, sempre muito prazerosos de se ler.

    Um grande abraço.

    Responder
  34. Marcílio Aguiar

    Grande virada da Osaka. A Azarenka começou muito bem, mas no final ganhou quem é melhor atualmente. Foi uma bela final hoje. Ambas merecem aplausos!

    Torço para um jogo equilibrado amanhã. Acho que o Thiem vencerá por 3×1, mas espero que sejam sets bem disputados. Nada de pneus ou 6×1.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *