A um passo da eternidade
Por José Nilton Dalcim
28 de agosto de 2020 às 21:08

Foi muito sofrido mas, em seu melhor estilo, Novak Djokovic arrancou forças de onde parecia não haver mais e conseguiu o direito de tentar mais um feito histórico, e dificilmente igualável, em sua carreira. Se obtiver o bi no evento relativo a Cincinnati às 14h deste sábado, será o único tenista a ter ao menos dois troféus em cada um dos nove Masters 1000 ativos. É um feito tão mais espetacular quando se observa que a Rafael Nadal, Roger Federer, Andre Agassi e Andy Murray, os outros quatro grandes colecionadores, faltam dois títulos para uma coleção completa.

O sérvio jogou sua pior partida da semana, pareceu sentir grande desgaste físico e voltou a ter problemas com o pescoço. Isso o levou a intensos altos e baixos, que se somaram ao espirito lutador e às bolas chatas de Roberto Bautista. O espanhol mudou um tanto seu plano habitual, evitou paralelas e insistiu incansavelmente em atacar o backhand de Djoko. Uma tática que aparentemente tinha dois objetivos: evitar erros com as bolas cruzadas e tirar o máximo proveito do problema muscular do oponente.

Não foi um jogo espetacular, mas uma batalha de consistência. Os dois tiveram suas chances no terceiro set e isso resume razoavelmente a partida: Bautista teve 2/1 e saque antes de perder quatro games seguidos. Nole abriu 5/2 e sacou para a vitória em seguida, cedendo também quatro games consecutivos. Com 6/5, o espanhol fez 30-30 e não conseguiu cravar um saque vencedor. Aí o tiebreak o puniu severamente, com um passeio de um Djokovic soberano e agressivo.

O número 1 terá apenas 19 horas para se recuperar antes de encarar um embaladíssimo Milos Raonic, que agradeceu os dois erros cruciais de Stefanos Tsitsipas na reta final do primeiro set e depois deslanchou. O saque afiado, o forehand pesadíssimo e os voleios apurados enfim têm a companhia de um backhand sólido como há muito se esperava do canadense.

Esse arsenal respeitável e as dificuldades físicas do adversário serão enfim suficientes para acabar com o amargo tabu de 10 derrotas para Djokovic? É um desafio mental e tanto. Os dois fizeram outras duas finais, em Indian Wells e Bercy, e mais quatro jogos em quadra dura, incluindo a veloz Cincinnati, e o sucesso sempre foi do sérvio. Apesar de terem disputado oito tiebreaks nesse histórico, até hoje Raonic só tirou um set. E no saibro de Roma.

Milos tem oito pequenos títulos de ATP 250, mas fez três finais de Masters e uma de Wimbledon. Aos 29 anos e com várias interrupções na carreira, pode fechar a semana como o 13º do ranking. Vale todo o esforço do mundo.

Grande final no feminino
Pelo que apresentaram ao longo da semana no piso mais veloz de Flushing Meadows, Naomi Osaka e Victoria Azarenka farão uma justa e promissora final do Premier, às 12 horas deste sábado.

Para melhorar, Osaka ainda se livrou da adversária talvez mais temida, já que ela jamais venceu Johanna Konta em três duelos. E Konta começou bem, antes de permitir a virada de Victoria Azarenka, que vive uma sequência de vitórias que há muito não comemorava.

O grande destaque da vitória de Osaka em cima da belga Elise Mertens foi sua capacidade de lutar nos break-points, tendo evitado 18 de 21 que permitiu. Mertens mostrou um serviço frágil, que foi quebrado cinco vezes, mas igualou a briga nos winners (27 a 30 da japonesa).

Vika perdeu dois dos três confrontos diante de Osaka, mas não creio que isso pese mais do que seu desejo de encerrar o longo jejum de títulos, que vem desde a dobradinha Indian Wells-Miami de 2016 e seu anúncio da gravidez. Desde então, fez uma única final no pequeno WTA de Monterrey no ano passado. O troféu também valerá a volta ao top 30.

A bielorrussa de 31 anos foi a primeira a quebrar o saque de Konta na semana e isso só aconteceu no segundo set. E pouco a pouco subiu de qualidade nas devoluções, algo que pode ser decisivo diante da número 10.

Mais confusão
Os sussurros ouvidos pelos bastidores parecem que se tornarão realidade neste sábado, às vésperas do US Open. Liderados por Vasek Pospisil, uma série de jogadores descontentes com a atual administração da ATP quer dar início à uma entidade paralela.

O afastamento de Guido Pella e Hugo Dellien de Cincinnati e o adiamento da rodada de quinta-feira devido à postura de Naomi Osaka foram o estopim de um atrito que vem desde que Andrea Gaudenzi assumiu o comando. É esperar para ver quem tem mais cartas na mão.


Comentários
  1. Samuel

    Boa noite Dalcim,

    Parabéns pelo seu belíssimo trabalho, principalmente pela oportunidade oferecida ao Dácio Campos.
    Em sua opinião quem está mais próximo e quem está mais distante de conseguir as façanhas seguintes:
    Federer: primeiro golden masters (falta Monte-Carlo e Roma);
    Nadal: primeiro golden masters´(falta Miami e Paris); e,
    Djokovic: terceiro golden marters (falta Monte-Carlo e Cincinnati).

    Samuel

    1. José Nilton Dalcim

      Pela dificuldade do calendário, me parece que seria menos difícil Nadal conseguir ganhar esses dois e mais difícil o Federer ganhar os seus dois.

  2. Daniel

    Djokovic é um monstro.
    Ganhou o jogo de ontem no grito, com catimba, firula, careta, trejeito e tudo o mais que a falta de condição física lhe impôs.
    Hoje mostrou porque sabe tudo e mais um pouco de tênis.
    Sabia que não tinha boas condições físicas e que tinha que ganhar 2 sets (óbvio), por isso entregou o primeiro set.
    Curiosamente quando o placar está a seu favor, desaparecem todos os sintomas e caretas.

  3. Paulo

    Os haters do Djoko, além de ficarem de mimimi com o nome do torneio, queriam que o circuito não tivesse voltado. Kkkkk

  4. Paulo Almeida

    Golden Masters já é um feito absurdo, apenas para o melhor jogador da história do planeta Terra. O que dizer então de um DUPLO Golden Masters???

    Parabéns, DjokoGOAT, você é o MAIOR e MELHOR de toda a galáxia!!!

    Aos antis resta apenas muitos litros de lágrimas, kkkkkkkkk!

  5. Oswaldo E. Aranha

    Vendo Djoković campeão em Cincinnati lembrei-me de Camões: cessa tudo quanto a antiga musa canta que um valor mais alto se alevanta.

  6. Leo Gavio

    Djokovic: Magnus Carlsen do tenis, a engine humana.

    Nadal: Kasparov.

    Federer: Karpov

    Quando eu fiz essa comparação, alguns desavisados achavam que eu me referia ao estilo, mas o assunto era sobre o Game of Thrones do xadrez.

    Se fosse pelo estilo, realmente o Federer seria o Tal, Capablanca ou FIscher e o Nadal um Petrosian ou até o proprio Karpov. Kasparov tá mais pra Sampras, inclusive na aparencia fisica.

    Já o Djoko é o Magnus cagado e cuspido, tanto pela ordem cronologica quanto pela capacidade incrivel de ser bom de inicio meio e final de jogo, seja nas rapidas ou nas pensadas, não tem buraco no jogo, uma maquina.

  7. Luiz Fernando

    Djoko venceu, deu a lógica, Raonic jogou muito bem mas não o suficiente. Surpresa mesmo seria vitorias dessa nextgen medíocre. Quanto ao USO, o cara segue como o maior favorito, mas eu o imaginava mais favorito antes de Cincy…

  8. Willian Rodrigues

    Fênix novamente! Famoso balança-mas-não-cai! Emborca, mas não quebra! Único atleta com a mesma força mental do sérvio é Nadal! Não dá nem pra iniciar uma discussão a respeito da capacidade de contra-ataque e recursos técnicos desse jogador. Compensou as dificuldades físicas (nitidamente, não estava confortável para sacar) com variações no jogo e muitas defesas espetaculares.
    Que chorem bastante os torcedores fanáticos do Federer aqui no Blog! KKKKKKKKKK
    Vamos sugerir que o suíço jogue mais uns 10 anos! Quem sabe assim ele vence em Roma pelo menos uma vez. Quem dirá, vencer duas vezes cada Masters 1000. Esse é mais um dos recordes atrás dos quais Federer e Nadal terão que correr atrás! Só lembrando que o espanhol não tem ATP Finals e Federer tem apenas 28 masters. Abs

  9. Gabi

    Muitos parabéns ao Djokovic pelo Career Golden Masters 2x!!
    E aos torcedores dele!!

    P.S. A taça de Cincy poderia ser mais bonita hein… tá mais com cara de vaso do que de troféu.

  10. Paolo

    Os 35 títulos de Masters 1000 de Novak Djokovic, de maneira nenhuma podem ser comparados com os de Rafael SAIBRAL. O sérvio conquistou todos os possíveis ao menos 2 vezes. Abs!

  11. Jonas

    Mais um big title para o Djoko e mais um recorde quase que inacreditável de tão difícil.

    Agut é um dos jogadores mais encardidos do circuito. Milos é freguês, mas vinha de excelentes atuações e vitórias, o que valoriza ainda mais esse título.

    Djokovic continua um absurdo nos big points. Lembrando que a quadra estava bem mais rápida. Djokovic mostrou muita dificuldade para se adaptar mesmo, rs.

  12. Enoque

    Do ponto de vista da colocação no ranking e possibilidade de manutenção da liderança, esta vitória do Djoko em Cincicnati, já recompensou sua ida para NY, mesmo que não ganhe nada no USO. Acrescentou 640 pontos e abriu 1.010 em relação ao Nadal. Não sei onde e como o Nadal poderá somar mais de 1.000 pontos até o final do ano. O Thiem é que pode somar mais de 6.000 pontos ainda este ano, mas terá que ganhar tudo, a começar pelo USO, para tentar tirar uma diferença, atual, de quase 4.000 pontos. Acho então que já podemos acrescentar mais umas 20 semanas na conta, até o final de AUO.

  13. Jonas

    Partida bem porca do Djoko até o momento. Não é novidade, levando em conta o que aconteceu ontem.

    Raonic fazendo uma partida ótima, mesmo com o Djoko servindo para o set. Independente do resultado final, não acho o boneco de posto favorito para o US Open.

  14. Paulo F.

    Gostei do energúmeno, Vitor Hugo!
    Voltou a ser o velho Marquinhos que conhecemos.
    Caiu a máscara, bem que estava achando muito artificial essa tua fidalguia toda.
    Bem-vindo de volta!

  15. Bruno Gama

    Milos deu uma surra no primeiro set, agora é a hora do Novak sentir aquela dor marota no pescoço e pedir atendimento.

  16. Vitor Hugo

    Nada mais justo que Novak saia do conselho de jogadores, principalmente da presidência do conselho. Um cara que fez o que ele fez, deu péssimo exemplo e quase provocou uma tragédia, não tem respeito ou condições de permanecer, independente de ser o número 1.
    O que não quer dizer que será eternamente punido. Precisa refletir, crescer e depois quem sabe voltar a participar.

    1. Bruno Gama

      Se o cara já tá com 33 anos e até agora não amadureceu, não dá pra esperar que isso aconteça tão logo, quem sabe depois da aposentadoria.

  17. Vitor Hugo

    Vamos deixar algumas coisas claras:

    – Vou continuar falando o que penso, independente de se alguém gosta ou não, sem ofender participantes ou tenistas.
    – Quem partir para o lado pessoal com ofensas, ironias e etc, vai tomar o dobro ou triplo de volta. São apenas uns 3 ou 4 aqui incoerentes, sem educação e provocadores infantis.
    – Como não sou dono da verdade, ignorante ou alienado, se eu ler alguma coisa que seja contrária a minha maneira de pensar, se eu refletir e fazer sentido, eu mudo sem qualquer problema.

  18. Luiz Fernando

    E aquele rapaz q prima pela humildade errou mais uma, talvez mal informado pelo “Propisil” kkkkkkkkkkk. Disse q o Djoko só jogaria lá pela quarta e a ATP já marcou o jogo do cara pra segunda as 20 horas, eu não falo q aqui é diversão garantida…

  19. Vitor Hugo

    Eu só descobri que o sérvio poderia ser o primeiro a ganhar os masters duas vezes lendo o post do Dalcim, inclusive escrevi três dias atrás que o campeão do masters que está sendo disputado seria proclamado campeão do Masters de New York, e é isso mesmo! Nada a ver com o fato de recordes e etc, até porque, masters é masters, ou seja, medalha de bronze se fizer um paralelo com as olimpíadas. Slam é ouro e finals prata.
    Mas fiquem tranquilos. Ano que vem o sérvio poderá ter outra chance quando tudo voltar ao normal.

    1. Alessandro Siqueira

      A ATP diz que é o Master 1000 de Cincinnati, mas o alecrim dourado resolveu que não é. Tá bom, senta lá e siga a contagem. São 35 até aqui.

  20. Willian Rodrigues

    Eu não me sinto no direito de acusar a atleta de “migué”. Pode ser que Osaka tenha realmente se lesionado, o que seria mesmo determinante para sua desistência da final, ainda mais considerando-se a maior importância do torneio que se inicia na segunda. Uma tentativa de jogar essa final no sacrifício, poderia eliminar suas chances no US Open. ENTRETANTO, uma grande atleta como ela tem que ser melhor assessorada! Devido ao protesto pelas questões raciais, seguida de um passo atrás aceitando disputar a semifinal na sexta-feira, coloca duvidas nas cabeças dos fãs de tênis… Registro aqui uma crítica veemente ao fato dela ter aceitado jogar a semifinal. Se decidiu protestar, que levasse isso adiante. Deveria ter permitido o avanço da Elise Mertens que, seguramente, estaria disputando hoje a final contra Azarenka. Ela o fez, provavelmente, porque sentiu-se pressionada por patrocinadores ou pela própria situação, inteligentemente estabelecida pela direção de Cincy, ao usar a estratégia de cancelar as disputas de quinta. Foram muito astutos… E ela, incoerente…

  21. Rafael Azevedo

    Dalcim, estou achando que os atletas estão ficando absurdamente cansados ao fim das partidas.
    Normalmente, já no fim do 2° set, eles estão demonstrando um cansaço altíssimo.
    Estou preocupado com os jogos de 5 sets do US Open. Estou achando que vamos ter muitas desistências e lesões. Espero estar errado.
    Você também está achando isso, ou isso sempre foi uma coisa normal nos torneios americanos (do Norte) dessa época do ano?

    1. José Nilton Dalcim

      Eu já havia alertado que o verão em Nova York é muito desgastante. Felizmente, a previsão é que a média de temperatura na próxima semana será bem mais baixa, na casa dos 28. Os atletas que sofrem mais com umidade precisam tomar cuidado redobrado, caso do Djokovic.

  22. Rafael Azevedo

    Pra mim, Djoko x Bautista foi um grande jogo! Houveram várias situações diferentes enfrentadas por ambos os tenistas, e os 2 souberam tirar cartas da manga em todas elas.
    Claro, o Djokovic estava um pouco menos consistente que o de costume, mas isso parece ter sido algo imposto pelas condições externas (o calor e a humidade do ar). O Bautista também estava demostrando um desgaste altíssimo e uma respiração ofegante (isso deve ter sido a razão de tantos 1° serviços errados, do espanhol). Ou seja, os 2 foram afetados pelas circunstâncias do jogo. Então, considero os erros como “esperados”, nessa partida.
    Eu não acreditei que, pela primeira vez (pra mim), iria ver o Djoko tomar uma virada de 5×2 para 5×7 em um set decisivo (numa semifinal de M1000).
    Quase aconteceu! O Espanhol teve o saque para isso.
    Mas, de repente, o super-sérvio aperta um botão e…BUM (ele deve ter um botão, não é possível)!

    Ps.: Acredito que o Raonic tenha boas chances…Posso estar superestimando o Canadense, mas pelo o que vi nesse tornei, daria uns 40% para ele.

      1. Gildokson

        Eu sempre uso como exemplo uma das milhares de finais de AO em que ele venceu o Murray (não lembro exatamente qual delas) na qual Murray estava super bem no jogo e a milonga master do Djoko acabou com ele kkkkkk

  23. Waldenyr Caldas

    Sinto mesmo é a falta do Federer nesse circuito.

    Além de ser o maior talento do tênis em toda a história desse esporte, é uma pessoa ética, elegante e extremamente respeitosa com com os profissionais da imprensa e seus fãs.

    É respeitoso com todos os fãs do tênis!!!

  24. Orlando

    Gente, perguntem pro Djokovic o que ele prefere , ser amado ou ter o maior número de grande slams. Tenho certeza que é a segunda opção. O que entra para os anais da história de um jogador são seus títulos. Aonde está o pecado em querer ser o maior vencedor. Se vc não almeja ser um vencedor, contente-se em ser um perdedor. No mundo dos esportes os louros serão sempre para os vencedores, e não para os anjinho, se bem que tem uns fanáticos que acreditam que seus ídolos são . Tem sim alguns que fazem teatro para passarem essa imagem, do “politicamente correto,” mas no fundo não passam de fingidos em frente as câmeras e claro, nunca vão admitir.
    Vejo que a maioria aqui, não sabe nada inocentes!

    1. Jonas

      Acho que ele é obcecado em vencer, trabalha muito para isso e tem uma preparação bem específica.

      Torcida ele tem e muita, só que também tem muitos haters, torcedores do Federer há muitos anos que não se conformam com o domínio do Djoko.

      Há muitos torcedores do Nadal q são haters do Djoko, só que neste blog são minoria.

  25. Fabrício Martins

    Olá Dalcin!

    Parabéns pelo post!

    Eu tenho a impressão de que Nole será amassado pelo canadense!!! Não achou estranho esse desgaste físico? Afinal foram 2 dias de descanso e vindo de 2 partidas tranquilas! Ao meu ver o sérvio não tem confiança no seu forjando e isso acaba o sobrecarregando ..no que diz respeito ao seu backhand. Principalmente frente à jogadores bons de fundo de quadra. Concorda?

    Obrigado e um abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Também achei um pouco estranho. E pior que por vezes ele se esforçava muito para alcançar uma bola difícil. Deve ter sido uma grande luta mental.

  26. Oswaldo E. Aranha

    Os que criticam regularmente o Djokovic, não escondem suas frustrações de seus tenistas preferidos não poderem competir com o sérvio; chorem que chorar não faz mal, alivia a alma.

  27. Luiz Fabriciano

    Djokovic ontem deu uma demonstração soberba de condicionamento mental:
    Depois de desperdiçar break-points, sacar para o jogo, se ver novamente em apuros, ao ver o adversário também com a oportunidade de fechar o jogo ao sacar, foi ao tie-break, no qual eu esperava um desfecho completamente diferente.
    Fez três aces em sequência e liquidou a fatura com um pneu, aplicando vários winners.
    Comenta-se da queda de qualidade de saques, mas ontem foram 14 aces. Tomara que o saque melhore mesmo.

  28. Rafael

    Impressionante como tentam desmerecer os feitos do Sérvio. Há que se deixar a idolatria pelo Federer e Nadal de lado e enaltecer os feitos do Djoko.
    Se ele ganhar a final, tenham certeza que nenhum jogador repetirá tal feito (vencer 2 x todos o Masters).
    Gostem ou não o Sérvio é o melhor do mundo e será o melhor da história!
    Djoko vence amanhã. 7/6x 6/2.

  29. Alan Guimaraes

    Grande Dalcim

    Assistindo a transmissão pelo tenisBrasil , ficou claro que djokovic tinha um problema no estomago, tomou remedios para isso, inclusive, fora o já conhecido problema no pescoço.

    Não seria a melhor opção abandonar o torneio e tentar se recuperar para o USopen?

    Um abraço e parabéns pela bela cobertura com os placares comentados!

    1. José Nilton Dalcim

      É sempre uma decisão difícil, Alan. O problema no estômago pode ser algo momentâneo, mas sem dúvida o do pescoço preocupa mais. Acho que ele vai tentar o título, sim.

  30. periferia

    Olá

    Existe um Filme chamado 42 : A HIstória de Uma Lenda.
    Conta a historia de Jackie Robinson … o primeiro negro a jogar na grande liga de beisebol americano.
    Mesmo sendo insultado e sofrendo todo tipo de racismo (a liga não aceitava negros)…conseguiu se estabelecer.
    Mais do que isso….se tornou o maior nome do beisebol.
    Sua camisa (42) foi aposentada em todas as equipes da liga (algo inédito nos esportes americano).
    Foi instituído o dia Jackie Robinson day …nesse dia todos os jogadores da liga usam o número 42 ( para mostrar que todos são iguais).
    O filme é muito bom…tem Harrison Ford (O eterno Indiana Jones) interpretando Branch Rickey …lendário dirigente do Brooklyn Dodgers ( contratou Robinson ).

    O ator principal do filme é Chadwick Boseman ….morreu ontem aos 42 anos (de câncer).

    (Fez filmes como Pantera Negra e Destacamento Blood)

    1. Filipe Fernandes

      Caro Periferia,

      Gostei muito do papel e da atuação que ele fez também no filme “A Grande Escolha” (2014), vivendo um jogador de futebol americano clivado por diversas preocupações pessoais e profissionais e contracenando com Kevin Costner. Até comentamos certa vez aqui sobre este filme. Foi um excelente ator.

      Um grande abraço, Periferia, tenha um bom fim de semana.

      1. periferia

        Olá Filipe

        Tam Bem gosto….o filme retrata os bastidores das escolhas das franquias.
        Certa vez ….com um amigo….discutimos muito esse filme….sobre como o atleta pode ser uma “mercadoria”.

        (Hoje resolvi fazer uma corrida aqui perto de casa ….tentando entrar em forma…..vou voltar de Uber…rss)

        Abs Filipe….fique bem

    2. Barocos

      Periferia,

      Vi o filme, o acho excelente e um lembrete para todos do quão estúpidos e cruéis muitos cidadãos que se consideram boas pessoas (alguns juram até temerem a Deus) podem ser. Se não tiver visto, veja “Race”, sobre o Jesse Owens, outro filme muito bom. Sou suspeito para comentar sobre este último, já que J.O. é um dos poucos heróis que eu me permito ter (o que não impede que eu admire muitas outras pessoas por características particulares). Se não me engano, acho que você já relatou tê-lo visto.

      O racismo no Brasil é muito grande, uma vergonha sem tamanho, mas nem de longe se compara ao que existe e existiu nos USA. Acho que uma parte disto deriva da guerra de Secessão, que causou cicatrizes enormes na sociedade americana que permanecem até os dias atuais.

      Gosto muito de filmes com raízes históricas sobre momentos cruciais e transformadores para as sociedades, mas são raros os filmes que não descambam para uma versão exageradamente amenizada dos fatos quando o assunto é sensível, como em casos de racismo e preconceito. Creio que os fazem assim para permitir que as pessoas tomem ciência das injustiças e, ao mesmo tempo, evitar que fiquem horrorizadas com as barbaridades do mundo. Atingir o ponto de equilíbrio é muito difícil, é preciso causar indignação, mas evitar o ódio. Este, aliás, é um dos problemas que o combate ao preconceito tem no Brasil, nós, em geral, temos uma visão muito condescendente quanto à questão racial no nosso país, como se fosse um problema menor, coisa que definitivamente não é.

      Saúde e paz.

      1. periferia

        Olá Barocos

        A palavra condescendência casa bem com nosso país.
        Muitas vezes as pessoas não gostam de discutir o racismo…..eles falam para vc :
        “É un assunto muito complexo ”
        “Não é lugar para discutir algo assim”
        “Não creio que seja algo pertinente nesse momento”

        Lembra muita vezes aquele casamento onde um dos cônjuges está bem….enquanto o outro está oprimido na relação ….um quer falar sobre os problemas (O oprimido) o outro prefere deixar como está (O confortavel).

        No hall do prédio….na fila do pão….na viela da periferia….qualquer lugar é um bom lugar para falar de coisas que causam desconforto….algumas vezes é necessario confrontar.

        A arte …o esporte….tem o poder de mudanças….os líderes nascem da inspiração de histórias que façam as pessoas pensarem….muitas vezes o esportista ou o artista tem esse poder….não se pode deixar a imagem do esportista ou artista se descolar da figura humana.

        Certa vez um garoto branco (muito novo)….correu em direção do Michael Jordan para pedir um autógrafo para o ídolo.
        Conversando com Jordan….o garoto disse que não gostava de negros……Jordan olhou espantado para o guri e disse :
        “Eu sou negro”
        O garoto respondeu:
        “Não……vc é Michael Jordan”

        É importante saber quem somos.
        (Owens quando voltou para a América teve que correr contra animais para poder se sustentar …não conseguia um emprego digno…como um circo….o cartaz dizia ” o negro mais rápido do mundo contra um puro sangue” )

        Um prazer sempre Barrocas.

        Fique bem

  31. Edson

    Lamentável a postura do sérvio, mais uma vez aliás. Toda vez q está perdendo, aparecem as lesões. No intervalo do set, era evidente o descontentamento do espanhol. Isso acaba desconcentrando o adversário. E não precisa, pois o Novak tm tênis pra ele ganhar de sobra

  32. Sérgio Ribeiro

    Então, meu caro Dalcim . No post anterior teve maluco que teve a cara de pau de dizer que esta foi uma partida épica. Realmente muitos ENFS e o grande Campeão ainda arruma um jeito de deixar até o oponente sem saber o grau de suas lesões. Do nada começa a desferir todos os grandes golpes que possui. Milos Raonic aos 29 , melhorou muito seu arsenal . Tisitsipas sentiu na pele. Segundo o tal h2h não teria chances. Realmente a Excepcional devolução do Sérvio intimida os grandes Sacadores . Vika perdeu para Vênus há duas semanas . E agora mostra um Tênis em condições de encarar Osaka… Duvido que Roger e Rafa apoiem essa pretensão do jovem Propisil . Mesmo que Novak seja a favor. A conferir . Abs!

    1. Paulo Almeida

      Uma partida não precisa ser brilhante tecnicamente para ser épica, embora esta tenha tido várias jogadas excepcionais dos dois lados. Foi SIM um jogo épico, disputadíssimo, com várias reviravoltas e 3 horas de duração. Não negue o óbvio!

      P.S.: ninguém apaga o que o Dácio falou inúmeras vezes quando comentava pelo SporTV.

      1. Sérgio Ribeiro

        Nada de ansioso caro Enoque. Esses são rigorosamente os tópicos do Post do Dalcim. Basta conferir … rs Abs!

    2. Luiz Fernando

      E aí já mandou aquela sua réplica pro site dizendo que o Sampras é um mané???? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Podia emendar dizendo q sua previsão de q um nextgen incomodaria o Djoko em algum momento em Cincy não se confirmou kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!! Claro, talvez vc possa influenciar a ATP a aceitar numa boa o pleito do “Propisil”, vc deve ter grande influencia lá kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs.

      1. Jonas

        Eu não entendo pq o Sérgio sangra tanto com essa opinião do Sampras.

        Vejamos, ele falou algo bem evidente. “Federer não tinha adversários à altura”.

        E tinha?? Até 2007 só no saibro mesmo, o jovem Nadal, que melhorou horrores com o passar dos anos.

      2. Sérgio Ribeiro

        Não porque o Site Oficial de Wimbledon 2017 e’ mais importante. E ali Pete disse o que realmente pensa . O comentarista era um dos que desdenhava de Milos Raonic na mesma idade da Next Gen. Tisitsipas sentiu na pele o quanto o Canadense melhorou até os 29 . Idade que STANIMAL venceu seu primeiro SLAM . Abs!

    3. Bruno

      Partida épica foi dose mesmo,Sérgio!
      Foi um dos piores jogos tecnicamente que já assisti.
      Falando sério ,sem provocação.

      1. Jonas

        Discordo totalmente.

        Agora, é óbvio que muitos jogadores ainda estão longe do seu melhor. O próprio Djokovic voltou bem enferrujado, o que já era de se esperar. Tem uma pandemia acontecendo, sabia?

    4. Enoque

      Desgastado na segunda ? Ele não entra em quadra no mínimo antes de quarta . Na boa , arrumam desculpa pra tudo caro Enoque. Abs!
      Estou só reproduzindo sua colocação.

  33. Paulo Almeida

    Passada a euforia, é hora de encarar a realidade: talvez Novak nem tenha condições de jogo para amanhã, ainda mais com o tempo pífio de recuperação.

    Contra o Milos é um jogo totalmente diferente, mais rápido e logo menos desgastante, mas sei lá se vai rolar…

    De qualquer maneira, ele se salvou de ter perdido a quarta seguida pro Agut no piso duro. Tirou esse outro peso das costas, não obstante já ter se vingado em Wimby, que é o que vale mais.

  34. Vitor Hugo

    Apenas uma correção: Masters de New York, não Cincinnatti. Um torneio não pode ser nomeado disputado em outro lugar.
    Mesma coisa que transferir masters de Roma pra Milão e chama-lo de marsters de Roma
    O clima é outro, a velocidade é outra e etc..
    De qualquer forma, será um titulo inédito para quem vencer o torneio.

    1. Sérgio Ribeiro

      Calma , Vitor . Tiraram Hamburgo mas isso não impediu de Federer ter vencido OITO MASTERS 1000 em Cidades diferentes. E existem NOVE MASTERS 1000. Abs!

    2. Paulo F.

      Que correção, Marquinhos Renato Johnny Vitor Hugo?
      Sinto lhe informar, mas não existe o Masters de Nova York e continua sendo Cincinnati!
      Mesmo quando disputado no seu lugar habitual, como neste maldito ano desta maldita doença, sabia que há muito tempo ele é sediado na cidade de Mason e não na própria Cincinnati?
      Então o lindo e incriticável seria heptacampeão do Masters 1000 de Mason?
      E o Masters 1000 de Monte Carlo em Mônaco, sabias que também não é em Monte Carlo? É, inclusive, em outro país: Roquebrune-Cap-Martin, França.
      Vais dizer agora que Rafael Nadal nunca ganhou em Monte Carlo também?
      Por favor, mantenhas a bela postura que tu andas tendo.
      Um abraço.

      1. Vitor Hugo

        Então, energúmeno, eu vou pela lógica. Um masters em New York não pode ser considerado um masters em Cincci.
        A maneira que vou me referir aqui depende da maneira que vc se referir a mim.
        Saiba disso.

        1. Heitor

          “Um master em Ny não pode ser considerado de Cincinnati”. Não pode mas a atp e o mundo todo está considerando. Qdo convém vc avaliza a tua opinião com a atp e todo o mundo. Qdo não convém, não. Seja coerente.

    3. Luiz Fabriciano

      Querendo ou não, Nova York não tem Masters 1000, que apenas cede o espaço, portanto, o campeão será de Cincinnati mesmo.
      Direção, patrocinadores, publicidade, premiação etc são de Cincinnati. Apenas, o clima será um pouco diferente, por conta daquela não ter condições de abrigar o evento nessa hora, então…
      Ou quem nunca venceu o Masters de Toronto, mas já venceu Montreal não conta como um dos nove?

    4. Emerson Torres

      Western e Southern. Melhor assim? A organização é de Cincinatti, mesmo que ocorra em Nova York. Quanto chilique por pouco. Neste caso o GP de San Marino tem que se chamar GP da Itália então? Isso porquê Ímola fica na Itália, não em San Marino.

    5. Thiago Silva

      Você fala isso só porque o Djokovic pode ser o único a vencer 2 vezes cada master. O nome do torneio é Cincinnati, nos livros vai aparecer esse nome, você deve ser a única pessoa que chama de Masters de Nova Iorque por pura birra.

  35. Luiz Fernando

    E ai Dalcim, qual seria sua previsão p amanha? Vejo Djoko franco favorito, numa proporção de 70×30%. Raonic pode surpreender? Claro, ele vem jogando muito bem, mas é difícil imaginar q irá vencer 2 sets trocando BH com o servio, que é o maestro da devolução de serviço. Parece q o maior adversário do cara é o fisico, pois pareceu bem desgastado hoje…

  36. Emílio Dias

    “Nole abriu 5/2 e sacou para o título em seguida”

    Não confia no Raonic mesmo, num é Dalcim?
    Você não acha que nem com 3 horas jogadas de Djokovic o canadense não tem nenhuma chance?

  37. Vitor Hugo

    Sem qualquer chance do canadense vencer Novak, a não ser que o sérvio entre em quadra de cadeira de rodas.
    6/4 e 7/6. No máximo Raonic equilibra um set.

    1. Marcelo

      Raonic me parece voltou com uma preparação diferente (mais para um fisiculturista). Não sei onde fará a diferença parar ele. Dalcim, tem alguma idéia ou ouviu alguma entrevista dizendo que ele mudou a preparação e se o Raonic ‘abriu’ se houve alguma recomendação na mudança de preparação?

      Para alguns amigos que sempre comentam: Tsitsipas não estava pronto para ser número 1, ou não está mais? rs

      Desde já: muito bom assistir a boas partidas novamente. :- D

    1. Vitor Hugo

      Não, negar isso é uma questão de opinião. Existem várias e várias maneiras de analisar a questão. Se o seu universo é pequeno e parte de princípio limitados, problema seu. Tenho certeza que muitos ex tenistas(muitos já disseram o que pensam) e muitos outros pensam diferente. Para alguns é Nadal, outros Laver, Sampras, Novak e maioria esmagadora Federer.
      Seriam então Meligeni, Sampras, Laver, Backer, Guga, Agassi, Wawrinka, Tsipas e Kyrgios fanáticos!?
      Claro vc pensa de maneira que quiser, é um direito seu.
      Mas não venha querer ofender quem tem opiniões diferentes, coisa que vc covardemente costuma fazer por aqui e sabe por que? Anonimato! Assim é fácil.

    2. Daniel

      Discordo Luiz Fernando. As pessoas não são obrigadas a raciocinar todas do mesmo jeito. Acho que deve haver respeito e não desqualificar outras opiniões. Claro que conquistas, resultados, títulos, etc importam, são fatos, mas existem outros fatores que devem ser colocados na balança que possuem peso maior ou menor dependendo das convicções de cada um. Como por exemplo: padronização dos pisos, concorrência imposta das gerações mais novas, estilo de jogo, habilidade, a forma como o jogador impactou o esporte. Enfim, acho exagero chamar alguém que não ligue apenas para resultados e recordes de fanática. Abs

      1. Luiz Fabriciano

        Se critérios como “padronização de pisos, concorrência, estilo e habilidades – mesmo que estilos antagônicos gerem grande números de conquistas” são fatores na balança para determinar essa alcunha, então podemos dizer que jamais teremos um, porque se o piso deveria ser sempre como era antes, e não voltarão mais, então… mesmo que nasça uma geração que ganhe 30 GS em um piso completamente diferente, não poderá ser exaltada.
        Ademais, o colega falou que o sérvio caminha e não que ele É. E realmente quem nega essa caminhada está resistindo em prestar atenção.
        Daqui a mais duas semanas, provavelmente será o segundo (por enquanto) maior colecionador de semanas na posição #1.
        E o título de GOAT que dizer “o maior de todos os tempos” – nisso eu discordo – e não o mais habilidoso ou mais elegante e mais bonito.
        Saudações.

  38. Chetnik

    Como eu detesto o princeso. Pelo menos saiu de quadra com um TB desmoralizante e com o sentimento de que sacou para fechar o jogo, kkkk. Já falei que ele é detestável?

    Enfim, foi um bom jogo, mas o saque esteve muito irregular, apesar dos aces.

    Depois da palhaçada da organização, que atrapalhou a preparação do GOAT para o USO, ele não deveria nem entrar em quadra amanhã e se recuperar fisicamente para semana que vem.

    Sorte que o Raonic é freguesaço e não exige tanto do físico. Mas nos últimos anos eu vi o Djoko fazendo umas finais estranhíssimas de MS, aparentando esgotamento. Será que vai se repetir amanhã?

  39. Fernando

    Amigo, jamais vi um jogador tão 171 quanto esse Djokovic. Bastava ficar em apuros que o pescoço doía. Já estava com desculpa pronta se perdesse. E essa derrota só não veio porque o Bautista perdeu a paciência com as paradas e armações do sérvio, que é um grande jogador, mas tem uma atitude terrível na quadra quando está perdendo. Por isso, nunca conquistará o prestígio que Rafa e Roger conseguiram.

    1. Willian Rodrigues

      Todo atleta de alto rendimento está habituado a conviver com dores intensas e supera-las em situações mais exigentes. Nadal, Federer e outros tenistas já relataram ter vencido torneios importantes “ás custas” de anti-inflamatórios, analgésicos e laserterapia com essa finalidade. Algumas vezes é possível disfarçar, outras não. Não sei se temos o direito de categorizar Djokovic como mau caráter ou “milongueiro”, como se ele usasse desse artifício para desestabilizar adversários. Analisando toda a carreira e a magnitude dos títulos desse sérvio, eu pergunto: ele precisaria mesmo disso??!!
      Leve em conta que o circuito acaba de ser retomado. Além disso, as dores cervicais manifestaram-se ainda na 1ª partida! Amigo, se ele conseguisse realmente simular aquelas dificuldades para executar os movimentos de saque e alguns outros, ele mereceria o Oscar!!!
      Critique à vontade, mas use bons argumentos e sobretudo, o bom senso.

  40. Geailton

    O Djokovic parece brincar com os adversários e sua torcida. Parece que vai enrolando porque sabe que pode ganhar a qualquer momento. Por isso fica dando falsas esperanças ao adversário e assim vai tirando o foci de quem está do outro lado. Estou começando a acreditar no titulo de milongueiro. Kkkkkn

  41. Lucas Leite

    Parabéns pelo trabalho Dalcim! Sempre ótimas análises!

    Na minha interpretação o Tsitsipas foi para o jogo para não se desgastar. Jogou um primeiro set muito bom e perdeu no detalhe, depois disso achei que ele baixou bem a intensidade como alguém que não estivesse em busca da virada. Para mim, pareceu que ele preferiu então se poupar de olho no primeiro Slam em que entrará como top4. Talvez seja interessante, não sei se o Djokovic está medindo o tanto que esse desgaste físico em Cincinnati pode atrapalhá-lo na busca por mais um Slam na semana que vem. O que você acha Dalcim?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que um Masters seria muito importante para o Tsitsipas, então não acredito muito que ele tenha se poupado. Falhou para fechar o primeiro set e depois o Raonic foi superior. Quanto ao Djokovic, sim, acredito num desgaste maior, mas certamente ele vai estrear na terça e terá tempo para descansar. Além disso, as duas ou três primeiras rodadas dele não assustam.

    2. Paulo Almeida

      Boa justificativa? Não, é uma desculpa pra lá de esfarrapada, que nem as de idade e piso padronizado.

      Quem é o Tsitsipas pra se poupar de um título que ele não tem? Aliás, ele exatamente ZERO Masters 1000. Conta outra!

      Realidade: freguês que nunca tirou um set do Raonic.

    3. Willian Rodrigues

      Fiz um comentário no post anterior do blog a esse respeito. Não vejo no Tsitsipas essa capacidade de entrega que Djokovic ou Nadal têm, por exemplo. Começou a perceber que não dispunha de muitos recursos pra anular a superioridade do Raonic, e meio que se desistiu de lutar no 2º set do jogo. Com esse perfil, não acredito que será tão dominante após aposentadoria do Big3.

  42. Rafael

    Djokovic, apesar de reconhecer sua genialidade, com um.dos ases da história, como homem, ser humano, pra mim é um lixo. Parabéns a Osaka!

    1. Eric

      Que coisa deselegante. O que define uma pessoa como lixo? Ser fascista? Ser autoritário? Fazer todo o jogo político que puder pra salvar o seu clã de filhos marginais?

      Muito cuidado com as palavras. Elas ofendem por apresentar uma visão rasa. Djokovic se apresenta, antes de tudo, como uma pessoa dedicada à família. Sua fundação ajuda milhares de pessoas em condições de miséria.

      Como assim um lixo? Quem dera tivéssemos como presidente um lixo desses. Quem dera tivéssemos dentro do Brasil outros tantos lixos desses (e seria ainda mais legal se um desses lixos fosse tenista).

      1. joao

        O que tem a ver falar sobre Bolsonaro qdo o assunto é tênis?
        Nada a ver o colega acima falar que Djoko é lixo, mas vc vir falar de Bolsonaro e política tb não tem nada a ver

Comentários fechados.