Quarta-feira promissora em Nova York
Por José Nilton Dalcim
26 de agosto de 2020 às 00:17

Quatro jogos masculinos que prometem ser bem mais equilibrados, quartas femininas com favoritismo delicado das mais experientes. Os torneios combinados de Cincinnati, apesar de tantas ausências, não decepcionaram até aqui.

Como era de se esperar, Djokovic deu um salto de qualidade e massacrou Tennys Sandgren abusando das paralelas e sem sacar ainda tão bem. Apesar de ser um jogador forte em todos os setores da quadra – bate forte, saca bem e voleia com qualidade -, Jan-Lennard Struff terá de mostrar uma consistência que não lhe é habitual. Para ganhar, correr riscos é essencial. Em Melbourne deste ano, o alemão teve ótimos momentos e até roubou um 6/2.

Não menos interessante promete ser o encontro entre Daniil Medvedev e Roberto Bautista, dois gladiadores que adoram bolas retas e a quadra dura. O russo passeou contra Aljaz Bedene e o espanhol virou com sobras em cima do irritado Karen Khachanov. Caso Djoko confirme o favoritismo, terá certamente um adversário com capacidade de incomodá-lo na semi.

Gostei particularmente da conduta de Stefanos Tsitsipas diante do grandalhão John Isner. Cabeça no lugar, sacou bem, devolveu firme, ficou muito centrado e ganhou dois tiebreaks do norte-americano, o que deveria valer um cachê a mais. E depois de tirar Anderson e Isner, terá de se virar contra outro gigante, Reilly Opelka, em duelo inédito. Vale observar que o grego só perdeu 17 pontos com o serviço e anotou 10 aces.

Por fim, dois não pré-classificados se cruzam. Milos Raonic fez outra grande partida. Depois de tirar Sam Querrey e Daniel Evans sem perder set, atropelou Andy Murray. O escocês, é bem verdade, pareceu mais lento e sem energia, com muitos forehandas no meio da rede. Porém, nota 10 para a aplicação do canadense, tanto no saque como no ataque de forehand. Vai pegar Filip Krajinovic, sérvio que continua subindo de qualidade e tem grande poder de fogo em qualquer canto da quadra.

Meus favoritos? Me empolgaria ver um Djoko-Medvedev como prévia do US Open e considero o tênis de Tsitsipas cada vez mais maduro.

Feminino aberto
Com atuações firmes de Naomi Osaka e Victoria Azarenka e nova decepção de Serena Williams, a chave feminina entra nas quartas de final ainda bem aberta. Acho bem difícil Osaka ficar de fora da final, já que é favorita natural diante de Anett Kontaveit, a quem superou em todos os três duelos, e se vencer terá Elise Mertens ou Jessica Pegula, norte-americana vindo do quali e algoz de Aryna Sabalenka.

Serena sacou para o jogo no segundo set, porém Maria Sakkari lutou demais e viu a supercampeã desabar em motivação e físico no terceiro set. Aí foi um festival de match-points desperdiçados e o jogo ficou até engraçado, com a sensação que a própria Serena se irritava com a dificuldade de a adversária concluir o jogo.

Sakkari enfrentará Johanna Konta, que também gosta de pisos rápidos, um jogo sem prognósticos. Vika por sua vez tem uma partida interessante diante da tunisiana Ons Jabeur, jogadora versátil e que usa bem o peso da bola adversária.

Tudo pode acontecer nesta reta final, ótimo aquecimento para o imprevisível US Open.

Adeus brasileiro
E o Brasil teve uma participação bem discreta no primeiro grande torneio pós-pandemia. A esperança de sucesso era, claro, nas duplas, mas Marcelo Melo e seu parceiro Lukasz Kubot fizeram um primeiro set irregular e desperdiçaram a boa vantagem de 3/0 no segundo. Luísa Stefani junto à local Hayley Carter ficaram perto das quartas até o 5-5 do match-tiebreak. Agora, é se preparar para o US Open.


Comentários
  1. Luiz Fernando

    Semis definidas: Djoko franco favorito contra Agut e o grego favorito frente a Raonic, mas quem tem um serviço como o do canadense sempre pode surpreender…

  2. Sérgio Ribeiro

    E não é que Roberto Bautista Agut não deixou mesmo . O subestimado Espanhol , mostrou o porque de nas últimas três vencer duas do N 1. Fez uma partida duríssima contra o Campeão de 2019 , a ponto de termos 88 pontos pra cada. Vai fazer o Sérvio jogar . Novak não tem problema algum com a quadra mais rápida , tratorou o Alemão. Para os que reclamam da lerdeza da Next Gen , que tal o Sérvio de 28 anos que somente agora amadureceu ? . Mudou o treinador ( agora e’ Tipsarevic ) , afinou barbaridade , e está jogando muito. Com tudo isso ainda podemos ter uma FINAL com a presença de um dos representantes. O mesmo que venceu o FINALS 2019 rs. Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      Não, não vejo grande semelhança, embora o tênis atual seja muito baseado em primeiro saque forçado, forte jogo de base dos dois lados e transição à rede. Acho que o Krajinovic é menos consistente atrás e busca mais os voleios.

  3. periferia

    Olá
    Hoje os jogos da NBA foram cancelados em protesto contra o racismo .
    Os jogadores se recusaram a entrar em quadra em protesto ao atentado contra Jacob Blake que levou 7 tiros de policiais brancos (caso sobreviva ficará paraplégico).
    Um esporte como o tênis…as véspera do Us Open ….que esta acontecendo nos Estados Unidos…. conseguiria se posicionar em defesa da luta contra o racismo?

    (O nome da quadra e Arthur Ashe….)

    Abs

    1. Filipe Fernandes

      Periferia,

      Uma tragédia, meu caro.

      Recentemente li no TênisBrasil uma matéria em que o tenista americano James Blake relatava os instantes de terror pelos quais passara certa vez ao ser abordado de forma agressiva por policiais no entorno do complexo de tênis em Nova York, durante um US Open.

      Belíssima atitude dos times da NBA e da própria Associação. Lá nos EUA muitos cidadãos são bem conscientes e nem um pouco letárgicos e indiferentes quando ocorrem atrocidades como esta. Certamente por causa das marcas profundas da guerra civil no séc. XIX para acabar com a bestialidade da escravidão e da longa segregação oficial e escancarada no séc. XX pelas quais eles tiveram de passar.

      Um grande abraço, Periferia.

      1. periferia

        Olá Filipe.

        Bem lembrado…..Blake era o artista daquele “palco”.
        Lembrei de um caso.
        Nos anos 80….no Teatro Maria Della Costa….teria a estreia da peça Otelo do Shakespeare.
        O ator que faria o papel do mouro…antes das cortinas subirem ….muito nervoso pela estreia… resolveu fumar um cigarro perto da entrada do teatro.
        Quando foi abordado por uma viatura policial.
        Ele percebeu que a abordagem tinha ligação com a cor da pele….ele era negro.
        Na inquirição….os policiais perguntavam rudemente….de forma quase violenta.
        O ator apenas “recitava” as falas do personagem Otelo.
        Quando ator disse:
        “Reputação é uma imposição tremendamente falsa e inútil….muitas vezes angariada sem mérito e sem um real motivo ”

        Foi preso.

        Um abraço Filipe….fique bem

        1. Filipe Fernandes

          Caro Periferia,

          Que história, muito obrigado por trazê-la aqui, mesmo distante no tempo, é um episódio que nos abre reflexões importantes. A resposta do ator foi corajosa e honrosa, dada a ocasião indigesta e intimidadora na qual se encontrava.

          Meu caro, em toda a minha vida nunca tive — e reconheço que felizmente — o desprazer de passar por uma situação como esta do ator (e de outras inúmeras pessoas em diversas épocas, seviciadas perenemente), e o simples fato de eu não ser negro é, certamente, uma condição vital para essa ausência de humilhação.

          Tal como esse caso que você descreveu, achei profundamente relevantes e tocantes os depoimentos dos caros William Rodrigues, Gildokson e Alessandro Siqueira na publicação seguinte, trouxeram ao Blog experiências pessoais que ilustram o quão áridas e complicadas eram e são ainda algumas das situações vividas em sociedade, algo sempre enriquecedor para se ler e dar a merecida atenção.

          E a postura digna do mestre Dalcim nas suas respostas a determinados comentários também foi admirável, mostrando uma imensa grandeza de caráter e de princípios.

          Um grande abraço, Periferia, que você também esteja e possa ficar bem.

  4. Sandra

    Dalcim, Djokovic chegou à semifinal de Cincinatti, a mesma fase do ano passado , mas como não está contanto pontos , tantos faz, mas se no ano que vem se ele perder antes da semifinal ele vai perder os pontos ?

  5. Paulo F.

    E eis que caiu mais um Next Gen comedor de fígado do N 1 rsrsrsrsrsrs Abs! Abs! Abs!
    Mas vem pela frente o Agut, que é um dos que mais endurecem contra o Djokovic. O jogo do sérvio não encaixa bem realmente com o espanhol.
    Assim, nenhuma surpresa (para mim) se o Djoko for eliminado amanhã. Para ele, o espanhol é parada dura.

  6. Vitor Hugo

    Novak tem alguma dificuldade contra tenistas que tem um estilo parecido com o dele, como Agut, Medvedev ou Simon. Eu disse parecido, não que sejam melhores.
    Os citados por mim tbm são regulares, sólidos, mas o francês e espanhol com saque fraco e pouca potência nos golpes. Tenistas de contra ataque.

  7. Paulo Almeida

    Foi até melhor DjokoGOAT não fechar o jogo com um pneu, pois no último game ele meteu dois slices baixinhos no quadradinho e outro fundo à la Federer que PUT* QUE PARIU!!! E tive que ler várias vezes aqui o tal do slice “lagartixa”, kkkkk. O sérvio tem uma técnica exuberante, joga o fino, querendo seus haters ou não. O smash, que hoje é nota 7,5 em um bom dia, é o único fundamento que destoa dos outros mesmo.

    E o Agutão da massa deve ser uma pedreira, como tem sido ultimamente. Aliás, uma das besteiras que o Becker andou dizendo e que passou despercebida foi que a semi de Wimbledon do ano passado foi fácil. Djoko esteve pra ser quebrado no terceiro set pelo espanhol, quando então fez aquele ponto maravilhoso mudando a direção pra paralela com o backhand (sua marca registrada) depois de longa troca. Aquele ponto foi o divisor de águas que definiu o vencedor da partida.

  8. Vitor Hugo

    Novak está muito sólido. Pelo pouco que assisti dos jogos, creio que ninguém que ainda está no torneio tem capacidade pra vence-lo.
    Pelo histórico que tem contra Novak, talvez Agut possa complicar um pouco. Talvez vencer um set.

  9. Luiz Fernando

    Mais um treino do Djoko, pois Struff foi pra de medíocre hj, incrível como esses caras q vem jogando bem se apequenam frente só Big3. Nem sei se esse rapaz é nextgen, se for, mais um vexame…

    1. Barocos

      Luiz Fernando,

      Não vou comentar sobre o jogo de hoje porque deu um problema na porcaria do meu receptor da Sky, mas esta afirmação, muito comum aqui, de que os outros jogadores se intimidam com os membros do Big3, bem, pode ser que ocorra aqui e ali, mas na maior parte dos casos, o problema está relacionado ao grau de dificuldade das bolas que Nadal, Djokovic e Federer os obrigam a rebater, porque não é só uma questão de regularidade, a qualidade das bolas dos jogadores do Big3 é, em média, diferenciada. Jogadores profissionais podem devolver onde quiserem se a bola a ser rebatida for fácil.

      Ajde, Djokovic !

      Наперад, Vika !

      Saúde e paz.

  10. Enoque

    Para o Djoko o torneio começa agora, já que tem garantido os 360 pontos do ano passado. Se perder na semi, não acrescenta nada, valerá apenas pela preparação para o USO.

  11. Luiz Fabriciano

    Gostei da redação da matéria (mais uma) sobre Kyrgios hoje.
    Nela se diz que Djokovic está ficando especialista em duas coisas esse ano: somar vitórias e ser alvo das sandices do australiano.

  12. periferia

    Olá…

    Bautista venceu Medvedev….o espanhol é um tenista subestimado……ele tem uma bola reta (meio) que incomoda o Djokovic (assim como Medvedev)…..em um bom dia ele pode vencer o sérvio (já provou que pode).

  13. Luiz Fernando

    Ai ai ai ai, mais um nextgen indo pro curtir a Big Apple, incrível que quando se põe fé nesses caras eles se encarregam de jogar aquilo no ventilador. Medvedev venceu tranquilo o primeiro set 61, teve um caminhão de breakpoints e… perdeu. Vai dizer o q destes caras??? De competitivo só resta o grego, q tem um adversário duro pela frente. O futuro do tênis sem o Big3 não vai ser fácil…

    1. Sérgio Ribeiro

      E este Next Gen que você está como sempre desdenhando , informadissimo L F , é o mesmo que bateu Novak ano passado e levou o Torneio kkkkkkkkkkk. Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Errado mais que desatento L F . : 2 x 4 com Novak fora do Saibro. Acredito que o Guri acompanha um Circuito paralelo rsrsrs Abs!

  14. Oswaldo E. Aranha

    O Medvedev não tem garra e equilíbrio, lembro-me de um torneio anterior em que estava alguns serviços à frente do Nadal e entregou os pontos.

  15. Alessandro Siqueira

    E como diria o poeta, “o jogo só termina quando acaba”. E foi nessa que o russo levou a virada do espanhol. Agut, que parecia morto, ressurgiu para cima de Medvedev. Curioso que os dois marcaram o mesmo número de pontos: 88.

  16. Luiz Fabriciano

    Dalcim, como é essa marcação de bola fora sem juiz de linha?
    Vejo que é muita rápida, em comparação ao Hawk-eye que leva um tempo bem maior para mostrar o resultado.

    1. José Nilton Dalcim

      É um sistema mais aperfeiçoado que o hawk-eye. de origem espanhola. É o mesmo usado no Next Gen. Observe aliás que há vozes diferentes para cada ‘out’, algumas masculinas, outras femininas. O que deixa mais ‘humano’ o sistema.

      1. Luiz Fabriciano

        Sim, observei sim.
        O que chama a atenção é a rapidez da marcação.
        Ou seja, a profissão de juiz de linha “subiu no muro”.

        1. José Nilton Dalcim

          Acho que dá uns 5 segundos de delay, o que é bem pouco. Acho que os grandes torneios podem pensar nessa alternativa, mas ficará difícil para o menores. Além disso, os menores não utilizam tantas quadras e portanto juízes, dá para absorver sem problemas.

          1. Enoque

            Essa questão de marcação de bola fora é bem interessante, estou observando, agora, o tempo de marcação e acho que não leva nem 1 segundo. 5 segundos seria jogar uma ducha fria no jogo. Dizem que uma técnica boa de contar alguns segundos é contar com calma: 0, 1001, 1002, 1003, 1004, 1005. É muito tempo para esta situação.

  17. Miguel BsB

    Dalcim, como pode um tenista que gosta de jogar em quadras mais rápidas e bater reto (agut), ficar pregado na linha de fundo dps de deslocar seu adversário de um lado pro outro várias vezes? (se deixar, o Medvedev fica o jogo inteiro assim sem problemas…). Esse tipo de jogo a que ele se propõe tem que ser acompanhando de um bom jogo de rede.
    Por enquanto, esta sendo tratorado, 1×6.

    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, também acho que falta essa transição. Ou ao menos ela economizaria fôlego em boa parte dos lances mais longos.

    2. periferia

      Olá Miguel

      Bastou o primeiro saque do Medvedev não entrar e o jogo dele virou abóbora……6×4 para o espanhol no segundo set.

      1. Sérgio Ribeiro

        Desculpe , periferia. Ele obteve mais WINERS , menos erros ENFS e marcou os mesmos 88 pontos de AGUT . Este obteve vantagem mínima no aproveitamento de segundo serviço, e em trocas com até 5 rebatidas . Sinceramente, sem tirar os mérito do Espanhol, não me lembro de uma vitória como esta faz tempo. De qualquer modo Agut pode ser considerado um oponente encardido para o N 1. Abs!

        1. periferia

          Olá Sérgio.

          Os números estão turbinafos pelo 6×1 do primeiro set…..os dois jogam da mesma forma (na base com bolas retas e pesadas)……o Medvedev tem mais potência…..o Bautista mais inteligência.
          É o segundo jogo entre eles….2×0 para o espanhol..
          .o Thiem que é a outra grande esperança….3×1 para o espanhol.
          A nova geração não consegue ganhar dos “bons” jogadores…..imagina dos fora de série.
          Tony Nadal está certo…..com esses jogadores (next ) veremos Federer em quadra com 45 anos….Djokovic e Nadal com 40….e ganhando (até de cadeira de roda)
          São garotos supervalorizados….mimados…..e sem aquilo que o jogo pede….regularidade e postura de vencedor.
          A questão dos Big3 tem que ser contextualizada pela completa falta de jogadores competentes.
          (Será que vivemos a época de ouro do tênis? )

          Abs….fique bem

          1. Sérgio Ribeiro

            O Espanhol jamais passou do TOP 9 , e Zero FINALS e MASTER 1000. Veja Zverev , Medvedev, Tisitisipas e Thiem. Muitos dão mais valor ao h2h . Ninguém vence os títulos citados sem bater bons jogadores. Vida que segue … Abs!

  18. Luiz Fernando

    Medvedev vai enfiando 50 goela abaixo do B. Agut, que não é nenhuma galinha morta, é um bom jogador. Se de fato for a semi jogando neste nível, como no ano passado será um adversário indigesto e perigoso p qualquer um!

  19. Carlos Fernando

    Dalcim, o que acha do Opelka? Seguindo a linhagem de Karlovic, Isner e Anderson; penso que ele pode superar seus antecessores. Tirando o saque que é praticamente equivalente nos quatro, vejo o garoto com mais mobilidade que os outros.

      1. Miguel BsB

        Discordo de vocês nessa…pra mim, desses 4, o Anderson tem um jogo de base e voleios superiores aos outros.

  20. Emílio Dias

    Dalcim o que você tem a dizer em relação ao ranking da ATP?
    Me parece meio desanimador o ranking, pois poderá não refletir a realidade, tipo, Federer terminará no top com apenas um torneio jogado

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que foi uma boa solução encontrada e teve apoio praticamente unânime dos jogadores. Porque não obriga aqueles que estiveram receosos a jogar, assim como não prejudica aqueles com problemas de locomoção, como os que estão mais abaixo do ranking.

      1. Emílio Dias

        Também achei, só que não tenho a mínima vontade de acompanhar desse jeito, pois não reflete a realidade.

  21. Paulo F.

    Tópico do 17/08/2020 – Título: Djokovic carrega as baterias

    “Sérgio Ribeiro
    17 de agosto de 2020 às 22:20

    Esse “ esvaziado” USOPEN vai conseguir reunir um número considerável de TOPs , o que garante ao vencedor , todos os louros . Por acaso alguém lembra ao grande Rod Laver que os seus SLAM da Era Amadora são contados no geral , incluindo os AOPEN na época que não ia ninguém, e assim como Court , os venceu pra cima de compatriotas ?… Como o Sérvio sabe disso , foi um dos primeiros a chegar . E ao seu lado a Next Gen com Zverev e tudo que jurou não ir. Algo me diz que um deles vai comer o fígado do N 1 rsrsrs Abs!”

    Aí está, Sérgio Ribeiro, onde tu dá quase como favas contadas que a Next Gen, que não vence o Andy Murray ainda capengueando, vai tirar o US Open do Djokovic.
    Podes crer que não sou leviano e não aponto nada sem estar bem fundamentado para isso.
    Olho os jogos, leios os textos e, melhor ainda, procuro INTERPRETÁ-LOS.
    rsrsrsrsrsrsrs Abs! Abs! Abs!

    1. Chetnik

      Ele nunca admite as porcarias que escreve. Não adianta trazer a citação que ele continua negando igual. Já passei por isso, com citação ipsis litteris e tudo.

        1. Sérgio Ribeiro

          Não precisava entregar né caro Bruno ? Pior é o mane’ do L F apoiando lá embaixo. Esse é mais que baba ovo kkkkkkkk. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        E’ mesmo caríssimo Chatonik ? Desta vez já vi que está postando com seu próprio Nick ( fato raro ) . Mas na boa, em termos de credibilidade o parceiro está de longe em último neste Fórum . Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          E desde quando ” algo me diz ” quer dizer , ” dando quase como favas contadas ” , caríssimo Malaquias kkkkkk. Abs!

    2. Sérgio Ribeiro

      Você jura que leu mesmo , P. F. ? Volte então para a Escola . Além de dizer que o SLAM teria o mesmo valor devido à presença de vários TOPs ( mesmo sem Federer e Nadal ) , todos os LOUROS para o vencedor. Sua infantilidade e fanatismo costumeiros , não perceberam a brincadeira com a Next Gen e o N 1 . Se não fosses tão mane’ , verias que no primeiro Post sobre Cincinatti e o USOPEN, deixei bem claro que o favoritismo de Novak era incontestável. Jura que leu mesmo ? Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps . Post do dia 21 / 08 / 2020. “ E realmente o Sérvio não pode deixar de ser apontado favorito. Novak sempre pareceu sentir menos a falta de ritmo do que Rafa Nadal … Post as 13 : 53 . Jura que leu , caríssimo mane’ ? Em “ NOVAK E ‘ FAVORITO NATURAL CONTRA A NOVA GERAÇÃO “ . José Nilton Dalcim em 21/ 08/ 2020 as 10: 54 . Abs!

      2. Paulo F.

        Nunca disse que tu AFIRMOU que eles (Next Gen) iriam “comer o fígado” (TUAS palavras) do N1 (Novak Djokovic).
        Eu disse, dentro do contexto, que TU DEU A ENTENDER isso.
        Desculpa, Sérgio Ribeiro, mas falta ferramentas de formatação ao blog para eu poder desenhar para ti.

        1. Sérgio Ribeiro

          Na boa , perdeu , perdeu , mane’ . Pede pra alguém ler o texto que está no Post do Dalcim . Já sei que ficou difícil pro rapaz kkkkkk Abs! Que tal repetir o chilique abs ! abs! abs!

      3. Jonas

        Cara, esses dias vc tava aqui metendo o pau no Djoko, dizendo que ia zoar se ele ganhasse, kkkkk. Totalmente contraditório você.

        1. Sérgio Ribeiro

          Se mete pra falar m*rda como sempre , não é mesmo Jonaser ? Me mostre um testo meu dizendo esta asneira. Zoar quem mane’ ?.. Abs!

  22. Miguel BsB

    Raonic, que está com uma leve barriguinha de Chopp, jogou demais contra o Murray…saques animalescos, nenhuma novidade, e uma direita pesadíssima! Até se movimentou muito bem, sempre batendo de forehand nos seus games de saque.
    Achei que faltou variação pro Murray complicar a vida dele. Pouco usou slices, pra fazer o gigante ter que dobrar bem os joelhos e tirar um pouco da potência do forehand dele…

    1. Marcelo

      Miguel,

      O Murray tem uma prótese encaixada entre o fêmur e quadril (creio não seja uma prótese total como era a do Guga), mas mesmo assim não dá mais para cobrar esse desempenho de outro planeta dele. Uma pena, pois desde 2008 sou fã do jogo “sleeper” do Murray.

      Jogou de igual para igual com o Big 3. Todos os elogios possíveis a ele, mas aquele jogo que conhecemos ou muito me engano, ou não volta mais.

      :- D

      1. Miguel BsB

        Claro! Na verdade, merece todos os aplausos por ainda querer competir e mais, conseguir competir e vencer!

    1. Marcelo

      O palco está coberto pelos Beetles, embalados ao som de “Please Please Me”, “From Me to You” e “She Loves You” O restante do espaço/recinto é tomado por uma legião de adolescentes, em uma histeria coletiva. A única diferença é que a qualidade do som e do espetáculo é das melhores, e garantia de diversão do início ao fim, e não aquele negócio morno e chato de assistir.

      E também não importa se eles detém ou não o recorde todos os recordes de mais LPs vendidos, pois sempre estarão lá entre os melhores

      !

  23. Vitor Hugo

    Krajinovic está escondido no canto de baixo da chave. Não é um dos favoritos e também uma estrela, mas vem atropelando seus rivais. Costuma treinar com Djokovic, então seus treinos devem ser de qualidade e grande intensidade. Não me surpreenderia se chegasse a final do torneio.
    Assim como não me surpreenderá se Tsipas cair hj ou amanhã. Apesar da enorme qualidade, não passa confiança alguma.
    No lado de cima da chave tudo caminha conforme o esperado. Medvedev e Novak deverão fazer a semi do MASTERS de NEW YORK.

  24. Marcílio Aguiar

    Sem desconsiderar a ausência de Nada e Federer, a provável semi entre Djoko X Medvedev e Tsitsipas X Raonic seria perfeitamente possível mesmo com a presença do espanhol e do suíço. Vou torcer para essa configuração, mas Bautista Augut e Krajinovic podem surpreender.

    Infelizmente não tenho visto jogos do feminino. Por favor Dalcim, estão sendo transmitidos na TV a cabo? Não consegui encontrar em algum canal da Net.

    1. Marcelo

      Também considero “normais”, num torneio com jogos de melhor de 3. O que deu pra notar até agora (considerando já a volta), é que o Djoko é seríssimo candidato a semifinal do USOPEN (com grandes chances de beliscar a final ou o título, mesmo que não a alcance esta semana…). Mas ainda vejo os demais como incógnitas para o USOpen (considerando que teremos melhor de 5 sets).

  25. Rubens Leme

    O Tsitsipas me parece o mais pronto e completo pra ser futuro número 1. Ontem, ele mostrava uma frieza contra o Isner digna do “pai dele”, um certo Sr. Bjorn.

    Dalcim, o challenger do Stan dá quantos pontos ao campeão, 125? Se for a mesma do primeiro, fiz a contas e ele pode acabar o torneio, ganhando mais duas posições no ranking indo a 13. Nada mal, subir quatro posições, até porque a pontuação dos de ambos os torneios se equivalem a um ATP 250. O homem vem crescendo e ele é uma Praga!

Comentários fechados.