Compasso de espera
Por José Nilton Dalcim
10 de agosto de 2020 às 19:45

Restam apenas 10 dias para começar o qualificatório de Cincinnati e uma nuvem de dúvida permanece. Os top 20 do ranking que pretendem jogar os torneios combinados de Flushing Meadows colocam como exigência maior a desobrigação de cumprir isolamento social quando entrarem ou retornarem à Europa.

Isso se aplica principalmente ao Masters de Roma, não apenas porque teria largada apenas oito dias após a decisão masculina do US Open, mas devido ao fato de que o governo italiano tem exigido quarentena de 14 dias para cidadãos que chegam ao país oriundos de lugares onde a pandemia esteja em situação preocupante.

Jornalistas italianos divulgaram nesta segunda-feira em mídias sociais uma interpretação de nova norma baixada pelo governo que justamente livraria os atletas de alto rendimento desse isolamento obrigatório. Mas tal salvadora notícia não recebeu qualquer comentário até agora, nem da USTA, da ATP ou dos promotores de Roma, todos diretos interessados.

Talvez haja um exagero em tudo isso. Será que não vale a pena se ausentar do Masters italiano para quem atingir quartas ou semifinais do US Open? Além disso, esses jogadores poderiam voar direto para Paris e se preparar calmamente para Roland Garros, sem qualquer restrição de entrada, desde é claro que estejam em plenas condições de saúde.

Se pensarmos bem, apenas jogadores um tanto mais ambiciosos com o calendário, como Dominic Thiem e Daniil Medvedev, fariam tanta questão de disputar uma eventual final do US Open e também tentar a sorte em Roma uma semana depois, considerando ainda que o Slam é feito em melhor de cinco sets e num clima geralmente desgastante. Thiem aliás fala até em disputar Kitzbuhel antes de ir ao Fóro Itálico, sedento por competir em tudo que der e vier.

Kitzbuhel pleiteia no momento pegar a data de Madri e assim abrir oportunidade de contar com algum nome de peso, como Rafael Nadal, além é claro de Thiem. A ATP baixou determinação que impede Nadal e Gael Monfils de competirem em Kitzbuhel se o torneio austríaco acontecer na segunda semana do US Open, como está previsto no momento.

O tempo está ficando apertado para tantas decisões. É hora de todo mundo se posicionar.

Bom exemplo
Palermo realizou o primeiro evento pós-pandemia e deu mostras que é possível realizar um evento profissional bem organizado e seguro. Os promotores foram extremamente cautelosos. A única tenista que deu positivo foi barrada ainda na chegada ao hotel, as poucas que ‘furaram’ a bolha foram severamente advertidas e o WTA italiano terminou sem sustos.

Tenistas e acompanhantes também foram testados a cada quatro dias, tiveram de manusear as próprias toalhas, houve redução para apenas três boleiros por quadra, as máscaras foram obrigatórias o tempo todo e até as entrevistas aconteceram de forma remota. Os banhos no vestiário, antes proibidos, acabaram autorizados, porém apenas dois tenistas foram permitidos no vestiário simultaneamente. Luvas até para entregar os troféus.

Sara Errani definiu bem: “Não é necessária vigilância 24 horas por dia, apenas que cada tenista seja responsável”.

Mais polêmica
Um documento que isenta a USTA e a ATP de qualquer ação judicial sobre a eventual contaminação – e até mesmo morte – de um jogador ou membro de sua equipe durante os eventos de Nova York é mais um ponto polêmico. Todo mundo precisa assinar para jogar os torneios.

A lista dos nomes importantes que já avisaram que não irão a Nova York: Rafael Nadal, Ash Barty, Elina Svitolina, Kiki Bertens, Gael Monfins, Fabio Fognini, Stan Wawrinka, Nick Kyrgios e Jo-Wilfried Tsonga.

China de volta
Os chineses voltaram a competir, mas em torneios regionais, sem torcida e ainda assim com tenistas isolados num só local. Os tenistas não apenas têm de usar máscaras, mas até mesmo lavar suas próprias roupas, já que o resort não está oferecendo esse serviço.


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    É criminosa essa investida do CNMP sobre o procurador natural da lava-jato.

    Vão afastá-lo por mero crime de opinião.

    Um homem que vinha fazendo um trabalho técnico, justo.

    Não por acaso, uma das ações foi movida por Renan Calheiros, uma das raposas mais felpudas da política…

    Responder
  2. João ando

    Começa hoje na tenis routte um torneio que reúne Sakamoto clezar Cristian Oliveira Mattos e outros …vamos ver que ganha…acho de novo que da clezar e pedro

    Responder
    1. João ando

      Fui ver o jogo do filho de um amigo meu …o tenista Daniel schupak contra lindell….deu crsitian 6/3 6/0 …e na próxima semana vai ter outro torneio com os mesmos jogadores na tênis route. …..que fase para o tênis brasileiro

      Responder
  3. Rafael Azevedo

    Dalcim, e essa vitória do Wild sobre o Monteiro, hein?
    Me animei…Acho que o Wild vai fazer um grande USOpen.
    Bom, estou tendo como referência o Monteiro do início do ano, que quase venceu o Isner. Não sei se o Monteiro ainda está em boa fase.

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]

    “Djokovic 29 x Nadal 26 no mano-a-mano.
    Se isso não é equilíbrio, talvez te ajudes a definição do Dicionário Michaelis”

    Beleza!

    Repare então que VOCÊ MESMO admite que o retrospecto total é o que importa.

    Portanto, tudo que o suíço tem a fazer é empatar com o Nadal no retrospecto geral.

    Levando em conta que há 6 anos o Nadal não ganha dele (nem exibição), fora do saibro, quero ver o que você vai dizer caso o suíço o alcance…

    Responder
  5. Marcos RJ

    Dalcim, como vai ser ser a transmissao de Cincinnati (NY) e USOPEN? Vai ter streaming liberada via internet em todas as quadras (como no AO 2020) ou ficamos dependendo de transmissão de TV?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Os promotores não anunciaram, mas o US Open não costuma liberar imagens para o Brasil devido ao contrato com o Sportv. Então acho Cincinnati terá de ser visto pelo Sportv (já está na programação deles) ou pelo app oficial da AT (`que é pago, ou por sites não oficiais de streaming).

      Responder
  6. Vitor Hugo

    Dalcim, vc acredita que vai ter alguma diferença de velocidade de jogo entre Cincinnatti e u.s open, se não pelo piso pelas bolas? Ou acha que vai ficar tudo igual, devido a proximidade de um evento com o outro e para facilitar a adaptação dos jogadores?

    Responder
  7. João ando

    Pedro Sakamoto ganhou do clezar …ou melhor massacrou 6/3 6/3 ,na techset …no Rio …o tenista gaúcho racista perdeu para um nipobrasileiro ….rs

    Responder
    1. João ando

      Dalcim …o Pedro foi o melhor tenista nipobrasileiro. ..ou teve outros …furusho. …jiro sakakibara?acho que em termos de resultado foi o Eduardo …ganhou do Jaime e Alexandre oncins …o Pedro ganhou do berlocq e do robredo mas eles já estavam em final de carreira.Eduardo se não me engano foi 885 ranking atp simples e duplas ..o Pedro acho que está entre os 350

      Responder
  8. Gabriel VAsconcellos

    Há algum tempo atrás, saiu uma conversa que um top 10 seria gay. Muitos diziam ser Novak, alguns Stan e um ou outro dizia ser FEderer ou Nadal.
    Parece que não se confirmou, apesar das evidências em relação ao sérvio.

    Responder
      1. Sandra

        Se ele e ou não e seria problema dele, mas de todos parece ser o mais preconceituoso! Alia essa quarentena fez mal a ele , cada pérola que ele soltou, estava mais parecendo Bolsonaro rssss, ele pelo menos ajudou muitas pessoas

        Responder
      2. Rogério R Silva

        Incrível as pessoas comentando sobre esse assunto como se aqui fosse um blog do Leão Lobo ou Leo Dias.
        O que te interessa a sexualidade do tenista?
        O que acrescenta para você isso?
        Ele perde títulos se for gay?
        Algumas pessoas deveriam utilizar o direito de ficar calado.

        Responder
  9. Gabi

    Jimmy Butler levou pra “bolha” uma série de utensílios de fazer café. Têm muitos tipos de pó, inclusive. Como o serviço do hotel é limitado, ele tá fazendo sucesso.

    Tá cobrando dos jogadores 20 dólares cada xícara/copo

    Responder
  10. Sandra

    Dalcim , esses torneios da ATP vão somar pontos ? Vc não acha que Nadal deixou de ir no Us open na certeza que vai levar Roland Garros ? A propósito Djoko também foi para o Us open na certeza, embora ache mais fácil Nadal levar Paris do que Djoko levar Us open, vai ser interessante Nadal empatar com Federer

    Responder
  11. Emerson

    Dalcim, digamos que se fizesse um torneio hipotetico com os 32 maiores nomes do tênis na era aberta. Seriam classificados os 26 que chegaram ao N1 da ATP, mais Laver, Rosewall, Ashe, Smith e Vilas. A quem você daria a última vaga? Orantes? Chang? Wawrinka? Kodes? Ou a outro?

    Responder
  12. Maurício Luís *

    Sempre torci muito pras irmãs Williams, mas não tô pondo minha mão no fogo pela Serena, não. Suas derrotas inesperadas estão cada vez mais frequentes. Pelo menos agora tem a desculpa que está sem ritmo… mas a Shelby Rogers também… A Venus eu acho que tá fazendo hora extra. Parece que seus golpes já não incomodam mais. Deve estar jogando por hobby, acho.

    ****** Campeonato de mentiras*******
    Nadal, Federer e Djoko apostaram 100 mil dólares pra quem contasse a pior mentira.
    FEDERER:
    ” – Eu não ligo pra recorde de Slam. E já esqueci aquele 40-15.”
    DJOKO:
    ” Eu não ligo que o Federer tem a torcida muito maior do que a minha. ”
    NADAL:
    ” – Eu não fui ao US Open porque queria ficar mais tempo junto da minha sogra!”

    PRONTO. Granhou disparado. 300 mil dólares sem fazer força.

    Responder
  13. Carlos Andrade

    U. S exibição/20 com Djokovid 17 como principal estrela!? Que raio de torneio de várzea !!!
    Sem os gigantes Rafa e Roger se torna um torneio fundo de quintal!

    Responder
  14. periferia

    Olá
    Hoje vimos o fim daquilo que os italianos chamam de “uomo esquadra”….um time em volta de um craque .
    Assim como foi a Argentina de Maradona….Kempes.
    O Real Madri de Cristiano.
    O Brasil de Pelé…Romário…Garrincha.
    O Barcelona de Ronaldinho e Messi.
    O futebol coletivo ….de linhas altas….de passes verticais ..intensidade total ….será a referência.

    O futebol jogado na elite europeia parece outro esporte se comparado com o futebol jogado na América.

    8×2…..um massacre ao craque.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Agora discordo muito , caro periferia. A Seleção Alemã dos 7 x 1 , já jogava assim em 2014 . Quando foi enfrentar a Argentina na FINAL , foi num sufoco danado com Higuain , Palácios e Messi perdendo gols inacreditáveis. Não foi com aquele futebol que a França ganhou em 2018. O TIMAÇO do Real levou a Champions em 2014 , 2016 , 2017 e 2018 . E o TIMAÇO do Barça levou 2015 com o famoso ataque MSN. O TIMAÇO do Liverpool levou 2019 . Hoje vimos um mais que decadente Barça , perder para o melhor Time da Europa do momento. O parceiro garante que ele já levou a Taça ? Nenhum dos citados a meu ver , foi Time de apenas um jogador. ABS !

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        PS. O Flamengo com um vistoso futebol coletivo, deixou os 7 ” Estrangeiros ” do Liverpool de cabelo em pé até a prorrogação rsrsrs ABS !

        Responder
      2. periferia

        Olá Sérgio

        Olá
        Todos os citados foram campeões .

        Apesar de Pumpido…Batista…e Giusti…..Maradona levou a Argentina campeã.

        Apesar de Márcio Santos….Dunga…Branco….Romario levou o Brasil ao titulo de 94.

        Apesar de Orlando …Vavá….Garrincha levou o Brasil ao título de 62.

        Apesar de Puyol …van Bronckhorst e Edmílson..Ronaldinho levou o Barça ao título da Champions

        Apesar de Everaldo….Felix e Brito ….Pelé levou o Brasil ao tetra (aqui estamos falando da seleção de 70)

        Cristiano jogou com Carvajal….Pepê….Nacho..e outros.

        Essas equipes seriam campeãs sem o “uomo esquadra”???

        Os últimos campeões mundiais foram sem o craque ….Italia (06)….Espanha (10)….Alemanha (14)…França (18).
        Nos clubes eles ainda resistiam…..não mais depois de 8×2.

        PS: apenas para polemizar……considero o Suarez do Barcelona um Geraldão (centroavante do Corinthians na década 70) que fala espanhol.

        Abs Sérgio….fique bem.

        Responder
          1. periferia

            Olá Luiz

            Tem o Lewandowski também…..ele é um Jardel que fala polonês .
            Diria Lewandowski:
            “Klasyczny jest Klasyczny i odwrotnie”
            Tradução
            ” Clássico é clássico e vice versa ”

            Abs

        1. Rafael Azevedo

          Estou contigo…Acho o Suarez um centroavante normal. Apenas, alguns momentos em boa fase. Normal para qualquer atleta (assim, como o Gabigol, ano passado).

          Craques são jogadores que estão sempre entre os tops (não dependem de boa fase) e que fazem alguma coisa diferente.

          Responder
    2. Babidi

      Reclamam do estilo de jogo do Corinthians, mas eu tenho toda certeza de que faria um jogo muito mais equilibrado com o Bayern do que esse ridículo que o Barcelona fez. Sinceramente, o time alemão não foi nem testado. Parecia pelada de churrasco

      Às vezes você precisa adaptar seu estilo de jogo para pelo menos competir com um adversário, e isso vale para o tênis também. O Barcelona teve uma semana toda pra trabalhar isso, e pelo visto, não fez a lição de casa. Humilhante!

      Responder
    3. Rafael Azevedo

      Foi assim que o Flamengo ganhou tudo na América, ano passado.
      Acho que um time que consegue jogar dessa forma e, também, ter um craque, é praticamente imbatível.
      O Barcelona de Messi, Xavi e Iniesta era assim. Uma equipe, com o jogo coletivo de alto nível, mas, também, um craque que decidia os jogos difíceis.

      Responder
      1. periferia

        Olá Rafael

        Craque que é craque não se submete a equipe…..a equipe é preparada para ele.
        Cruyff talvez seja o único craque que conviveu com uma equipe tática (e perdeu para Alemanha em 74).
        Não lembro de outro craque a serviço de um estilo de jogo.

        Abs….fique bem.

        Responder
          1. periferia

            Olá Rafael.

            Não….Messi é um et….até no esquema do Carile o argentino se destacaria …..na verdade o esquema do Guardiola no Barcelona tinha muito do DNA dos holandeses (até hoje a influência aparece…desde os anos 70) ….não foi algo original……o Barcelona teve um belo time….o Guardiola não é um treinador original….ele é muito bom…..mas original ele não foi.
            Tivemos Sebes da Hungria (inventou 4.2.4…nos anos 50).
            Rinus Michels nos 70 (O futebol total..como hoje o Bayer).
            O Rappan na década de 30 (um austríaco que inventou a retranca…que inspirou o ferrolho italiano).
            Tem Bela Gutmann (húngaro que contribuiu muito com o futebol brasileiro…foi treinador do São Paulo nos anos 50).
            Telê (foi o primeiro treinador brasileiro a jogar sem ponta…Lembra do Jô Soares….”coloca ponta Telê ” ).

            Sem contar o wm do Chapman (1925) …o esquema que fez do menino futebol em um adulto nos primórdios do jogo.
            Eles mudaram o jogo.
            Guardiola é um pouco de tudo….mas não tem algo para chamar de seu.

            Abs Rafael…fique bem

  15. periferia

    Olá

    Hoje a Associação Portuguesa de Desportos faz aniversário.
    Conhecida como Lusa do Canindé….clube tradicional do futebol brasileiro.
    Teve craques….Djalma Santos…Dener…Enéas…Brandãozinho…Pinga….Julinho Botelho…Noronha..Dicá….foram tantos.
    Uma pena que hoje à Lusa não tem as glórias de outros tempos.
    Aquele Torneio Rio São Paulo vencendo o Vasco de Adhemir Queixada (1952)
    Aquela Fita Azul oferecidas as equipes que representavam bem o Brasil pelo mundo (foram 3 fitas ganhas) .
    Outro Rio-São Paulo ..agora vencendo o grande Palmeiras (1955).
    Um Paulista dividido com o Santos de Pelé (1973)
    Um campeonato brasileiro perdido nos últimos minutos para o imortal Grêmio (1996).
    Ou mesmo na segunda divisão de 2011….sendo campeã …com o ataque mais efetivo da história da série B (82 gols)….na época apelidada de Barcelusa.
    Durante anos roubada…literalmente…em campo e fora dos gramados…..a Lusa resiste….entubada…cheia de aparelhos…em uma espécie de UTI …a paciente sobrevive.
    Portuguesa esta ainda viva….deve ser “culpa” de suas lembranças…..grandes lembranças.
    Parabéns Portuguesa…100 anos.

    Responder
    1. Filipe Fernandes

      Caro Periferia,

      Bela a sua homenagem à gloriosa Portuguesa, clube de grande tradição e história e contribuição no futebol brasileiro. Um século de vida. Meu caro, li agora há pouco a também bela homenagem que o Mauro Beting — novamente dotado de imensa sensibilidade ao reunir as palavras — fez a ela (https://www.instagram.com/p/CD3-mYtHHtF/?hl=pt-br), havendo, entre tantas, uma passagem que é uma ode aos ‘adeptos’ desse clube:

      “Fortes são os que são só Lusa. Não o segundo time do coração de muitos. Mas o único de muitos mais que outros tantos. Não torcem para ganharem campeonatos. Torcem para serem o que são – gente que ama sem pedir nada. Como o verdadeiro e incondicional amor.”

      Viva a Lusa!

      Caro, outro dia você disse (e, aqui do meu cantinho, concordei) que Brinco de Ouro da Princesa era o nome mais bonito que um estádio poderia ter (para a alegria do também glorioso Guarani). Mas qual seria o ‘apelido’ mais bonito de um estádio? Eu arrisco dizer um: O Teatro dos Sonhos, como é também conhecido e chamado o Old Trafford, a lendária casa do Manchester United da Inglaterra. O jogo, além de uma disputa esportiva, como uma verdadeira apresentação artística sendo realizada, mas com a liberdade das infinitas improvisações. Eu sei que há inúmeros outros, mas você teria algum apelido de estádio que considera marcante e belo?

      Um grande abraço, Periferia.

      Responder
      1. periferia

        Olá Filipe
        Teatro dos sonhos é lindo .
        Gosto muito como é chamado o estádio da Ferroviária em Araraquara (Adhemar de Barros).
        Fonte Luminosa.
        Hoje é um novo estádio praticamente .
        Mas o apelido ainda está lá….firme e forte.

        Sobre a nossa querida lusa um querido torcedor escreveu algo muito verdadeiro …ele escreveu:
        ” torcer para Corinthians…Palmeiras ou São Paulo é algo normal…..torcer para lusa e é um ato de amor ”

        Abs Filipe….fique bem .

        Responder
        1. Filipe Fernandes

          Caro Periferia,

          Fonte Luminosa — que apelido lindo esse! Fui ver algumas fotos do estádio e, como um acaso bem vindo, as primeiras que me apareceram o mostraram (por um ângulo interno) banhado de luz. É um estádio muito bonito também, parece ser tão aconchegante e bem cuidado quanto o Independência, do América-MG. Neste ano o meu time (Cruzeiro) vai visitá-lo na Série B.

          E esta frase do querido torcedor da Lusa é estupenda.

          Um grande abraço, Periferia, lhe desejo uma boa semana.

          Responder
  16. Luiz Fernando

    Se todo esse calendário divulgado pela ATP for de fato realizado será algo absolutamente fantástico. Pessoalmente continuo cético…

    Responder
  17. Sérgio Ribeiro

    Nunca entendi o porque dos Alemães aceitarem o rebaixamento do MASTERS 1000 de Hamburgo para 500 , e o de Stuttgart para 250. Ficaram sem Boris Becker e Steffi Graf ? Ou porque o Craque venceu o MASTERS com direito a Pneu em Nadal ? rs . Com uma economia tão sólida , passaram a nova quadra Central para 10000 espectadores. E em vez do ATP 250 de Kitzbuhel, o ATP 500 de Hamburgo é que foi escalado para substituir Madri pela ATP a partir de hoje ( somente este ano ) . Daí que o Touro como não jogou ano passado , pode jogá-lo depois de Roma e antes de RG . O Espanhol deve estar se coçando rsrsrs. Abs!

    Responder
  18. Sérgio Ribeiro

    Quase DUAS horas de jogo para que surgisse a vencedora do duelo entre as irmãs Williams. E para Serena , um dos cinco melhores jogos entre as duas em toda a carreira. “ Muitos pontos longos que me fizeram correr bastante , em alguns momentos pontos rápidos , devido há estarmos sacando bem “ . E tem mane’ que diz que não precisa desenhar que ambas somente jogam por $$$$$$. Esse novo Treinador devolveu a alegria de Vênus, devido a nova mecânica no Serviço ( algo muito difícil de se alterar , ainda mais a essa altura ) . E ao contrário do mane’ , a grande Chris Evert acredita em mais um SLAM pra Rainha. Acredito que não somente ela … Abs!

    Responder
    1. Barocos

      Grande Gabi!

      Humildemente confesso que desconheço grandes poetas australianos e ainda menos algum que tenha tido Melbourne como tema. Mesmo dos escritores, só conheço Markus Zusak, autor de “A menina que roubava livros”, uma estória para lá de interessante e, infelizmente, um triste lembrete da crueldade sempre presente, em qualquer tempo e em todas as sociedades.

      Se, como suspeito, você se refere ao poema de Edwin James Brady, Far and Wide, que a ESPN usou em propagandas turísticas, bem, o controle remoto sempre esteve ao alcance de minhas mãos. 😉

      Brincadeiras à parte, é uma cidade lindíssima, a julgar pelas tais peças publicitárias.

      É sempre bom vê-la por estas bandas. Cuide-se, menina, e mantenha a janela aberta para que a luz possa entrar.

      Responder
      1. Gabi

        Rsrs.
        Tb adorei esse livro!! A ideia de colocar a morte como protagonista foi muito genial.
        Tentei ler outros livros dele mas já não achei tão interessante…

        Sim, mesmo com saudades, o controle remoto precisa estar ao alcance das mãos na hora do poema nas madrugadas do AO!!

        Muito obrigada, vc tb, sempre muito bom ler o que escreve.

        Responder
  19. Luiz Fernando

    Apenas complementando o exposto abaixo, Djoko supera Nadal e Federer em físico e ritmo/volume de jogo, algo q creio q ninguém questiona. Federer supera ambos em técnica…

    Responder
    1. Barocos

      Luiz Fernando,

      A maior parte dos comentários que li sobre os integrantes do Big3 seguem esta linha. De fato, em uma enquete que o Vitor Hugo realizou , acho que 1 ou 2 anos atrás, foi exatamente isto que respondi, que acho o Federer fantástico, a “bailarina” do tênis (no melhor dos sentidos, em graça e leveza dos movimentos), e o Djokovic o mais completo, função também do atleticismo (suponho que os que dizem que ele não é técnico o fazem apenas pela traquinice) que o permite chegar equilibrado, ou quase, mesmo em bolas muito difíceis. Sobre o Nadal, duvido muito que surja alguém como ele: jogador de altíssimo nível técnico, extremamente precoce e inclementemente dominante na sua superfície favorita. Se me perguntassem qual dos três dificilmente será igualado ou superado em suas características, minha respota, sem dúvida, seria: Rafael Nadal.

      As brincadeiras sobre o tal “maratênis” eu também atribuo a necessidade que alguns têm de provocar os torcedores dos rivais dos seus ídolos. Achava o estilo “saque e voleio” meio monótono e ficava torcendo para que os pontos se alongassem um pouco mais. Com a evolução das raquetes, e consequente maior domínio dos tenistas sobre a direção das bolas, o estilo ficou superado, até o Federer, com toda a sua habilidade, demonstrada no seu famoso SABR (“Sneak Attack By Roger”), teve que se render à necessidade de esperar melhor o momento de atacar diante das devoluções desconcertantes do Nadal e do Djokovic.

      Temos muitos frequentadores zombeteiros aqui no Blog do Dalcim, mas acredito que, intimamente, todos concordam que o fato destes três jogadores fantásticos + Murray e Wawrinka, terem ascendido em épocas sobrepostas, fez com que o nível técnico deles, e do tênis em geral, tenha atingido um grau de excelência nunca visto antes e que talvez não se repita por muitos anos. Claro, isto não significa que os jogadores de outras épocas eram “bagres” ou coisa que o valha.

      Continuo na Kombi, pelo menos enquanto ela continuar rodando. Adversários na torcida não torna, per se, ninguém em inimigos a priori. Minha sugestão para alguns dos frequentadores: relaxem e divirtam-se com as gozações e as retribuam com respeito (tudo começa com o respeito, já foi até mote de comercial).

      Saúde e paz.

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Com extremo respeito, ainda atribuo Nadal fisicamente superior a Djokovic. Foram raríssimas vezes que vimos o espanhol cansar mais que o sérvio.
      Lembro-me bem disso acontecer em 2011. Nadal se contunde mais, mas sempre volta forte (2013 é um exemplo inigualável).
      Vimos um sérvio abatido em 2017/2018 pela contusão no cotovelo. Levou um tempão para engrenar.

      Responder
    3. Paulo F.

      Por isso te admiro, Luiz Fernando.
      Um nadalista convicto que nem tu e acha o Djokovic superior fisicamente a um dos atletas mais monstruosos da história neste quesito?
      Admirável.
      Talvez pelo fato do Djokovic ser mais leve do que o Nadal?
      Eu já acho Djokovic e o Nadal muito equivalentes, tanto no aspecto físico quanto no mental.
      Ora um tá melhor e ora o outro, daí o incrível equilíbrio da maior rivalidade do tênis de todos os tempos.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Que equilíbrio , informadissimo Paulo F . ? O Espanhol não vence o Sérvio fora do Saibro desde 2013 . Vocês perceberam que não sendo mais ameaça , passaram a tro car gentilezas desde 2017, e a elogiar o Touro sempre que possível. E vice-versa . Ainda mais quando também perceberam que o Sérvio superou a todos no físico. Agora , como Novak continua também freguês no Saibro , tá arriscado a passar em branco no USOPEN , e assistir o elogiadíssimo Miura chegar primeiro ao Vigésimo em RG. Quero ver se o namoro vai continuar firme kkkkkkkk Abs!

        Responder
        1. Paulo F.

          Djokovic 29 x Nadal 26 no mano-a-mano.
          Se isso não é equilíbrio, talvez te ajudes a definição do Dicionário Michaelis: “Estado de um corpo que se mantém sem se inclinar para nenhum dos lados; aprumo, posição estável”.

          Responder
  20. Luiz Fernando

    Incrível como o nosso país é desestruturado e sem seriedade, na Europa rolaram até o final os campeonatos nacionais e até o momento a UCL sem grandes percalços. Em menos de uma semana de campeonato brasileiro um time já não pode entrar em campo com 10 jogadores testando positivo, o CUrintia com outros 3 impedidos, trocas de acusações entre a CBF e associações de jogadores, que tristeza. Saindo do âmbito doméstico, quase outro vexame do PSG ontem, contra a espetacular Atalanta, com gols aos 45 e 46 do segundo tempo, me parece q o desfecho inevitável foi apenas adiado por alguns dias…

    Responder
    1. Gabi

      Concordo, é muito absurdo o que acontece aqui…

      Mudando de assunto…: às vezes no silêncio de um timeout, eu fico imaginando as pessoas que criticam o Lillard…

      Responder
      1. periferia

        Olá Gabi.

        Hoje o melhor time da bolha (Suns) ou o melhor jogador da bolha (Lilliard) não se classificará para as finais da NBA……ou um ou outro.

        Responder
  21. Rubens Leme

    Rafael Azevedo, só agora vi que foi pai, meus parabéns atrasados. Que essa criança tenha uma vida feliz neste mundo cada vez mais caótico e que, no futuro, possa vir a fazer parte de uma geração superiror a nossa, porque, a gente, com perdão da expressão, cagamos no pau pro planeta. E deu nisso.

    Assim, tudo de bom pra vc, ela e sua família.

    Dalcim, ontem foi aniversário de 49 de anos de Pistol Pete, de William Renshaw (faria 116 anos) e do australiano Harry Hopman, que faria 114 anos e cuja a Copa Hofman foi em sua homenagem. A todos eles, onde quer que estejam, parabéns.

    Responder
  22. João ando

    Rolando um torneio no Rio na techset…clezar .Wilson leite.Cristian Oliveira que já perdeu .lindell. Severino e Pedro Sakamoto.ou da clezar ou pedro

    Responder
    1. João ando

      Vi o jogo do Pedro contra Severino .Pedro ganhou 7/6 6/2. Wilson leite ganhou …clezar ganhou …lindell ganhou .semis Pedro contra lindell. Leite contra clezar

      Responder
  23. DANILO AFONSO

    GOAT POINT

    Se eu fosse narrador da SporTV, ESPN ou canal estrangeiro, teria a audácia de soltar a frase “Goat Point” em uma final de Slam, se Federer, Nadal ou Djokovic tivessem cabeça a cabeça (empatados) no número de Slams e duelando entre si.

    Em 2021 Nadal e Federer já podem nos proporcionar a disputa da dianteria do recorde de Slam, e talvez em 2022 ou 2023 Djokovic e Nadal disputem tal recorde. E por que não Federer x Djokovic daqui a um ou dois anos ??

    Fico imaginando o silêncio no estádio e pressão dos jogadores no Goat point.

    Qualquer um dos duelos seria sem dúvida o ápice do esporte e o jogo mais importante da história.

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Antes que digam que exagerei acima quando disse “ápice do esporte”, eu na verdade quis dizer o ápice do TÊNIS. E onde disse “o jogo mais importante da história”, leia-se o jogo mais importante da história do TÊNIS.

      Eu não conheço todos os esportes e os que conheço tiveram jogos/lutas/corridas memoráveis, não podendo cravar assim que uma final de Slam, por mais relevante que seja, retrataria o ápice do esporte e o jogo mais importante da história. São muitas variáveis para eleger o evento mais impactante do esporte.

      Responder
    2. Jonas

      Posso estar errado, mas acredito que Federer se aposente em 2021. Ele ainda está em condições de ganhar algum Slam, mas não sabemos o dia de amanhã.

      O cara vai estar com 40 anos, quem garante que vai continuar em alto nível?

      Também vale para Djoko e Nadal. Esses caras tem um jogo bastante físico e ficam mais tempo em quadra que o suíço. Aposto em mais três ou quatro temporadas no máximo.

      Responder
      1. Barocos

        Jonas,

        Faz uns 3 ou 4 anos que eu postei que não via o Nadal jogando tênis por muito tempo devido à série de lesões e ao jogo extremamente físico dele. No mesmo texto, eu argumentei que o Djokovic talvez conseguisse ter uma carreira mais longa em parte pela diferença do físico, Djokovic apesar de ligeiramente mais alto é bem mais leve (1,88 x 1,85 m e 77 x 85 kg), e ausência de contusões graves (foi antes do problema do cotovelo tornar-se público).

        Bem, todos do Big3 superaram em muito as minhas expectativas de competitividade com o avanço da idade: Roger, 39, continua batendo jogadores mais novos (muitos, mais de 15 anos mais novos!), idem para Nadal, 34, e Djoko, 33.

        Diante dos fatos, a minha vontade de fazer previsões esmoreceu e a minha torcida para que os mesmos continuem em quadra, pelo mais longo tempo possível, ampliou-se. Quando acontecer do último deles parar, alguém vai produzir um filme grandioso: “O Crepúsculo dos Deuses do Tênis”. Será um clássico.

        Tudo de bom para você, família e amigos, e o mesmo para os desafetos.

        Responder
        1. Luiz Fernando

          E por sinal este filme passou estes dias no TC Cult. Aliás confundi o título, achei q era um com o Marlon Brando jovem no papel de um oficial nazista, cujo título é “Os deuses vencidos”, aliás muito bom…

          Responder
        2. Jonas

          Verdade, Barocos. Sempre me lasquei nessas previsões rs…

          Até por isso eu digo que não acho a next gen ruim. O problema é ganhar Slams e outros títulos revelantes quando se tem o big3 jogando. Esse US Open é uma exceção já que só tem o Djokovic. Pode acontecer dele cair e então teremos uma final “inédita”.

          Forte abraço para você e sua família!

          Responder
  24. Emerson Nogueira

    amanhã neste bate canal vão ver que tudo será adiado,vcs não estão nem ai querem torneios a todo custo.amanhhã 15.30 vai ser dito que tudo estará aiado para Ano que vem,e dependendo nem AO vai ter,reunião de midias de investidores e jogadores .vcs estão no meio da lua querem torneio de qualquer jeito não estão nem ai para olhar o que está acontecendo no mundo.

    Responder
  25. R.P.

    No auge fisico, em 2011, (com 29 é auge ou já está decadente? Kkkkkk) o melhor q o Boca Murcha achou contra o Djokogoat foi uma vitória sobre o piso MAIS LENTO da temporada, mas uns iludidos acham q com aquele revés mequetrefe, ambos sem limitações físicas, Boca Murcha acharia alguma coisa contra o melhor jogador da história.

    De 2015 pra cá, Boca Murcha teve a sorte de achar o Djokogoat avariado no Finals para aliviar um pouco as consecutivas finais perdidas e peias no lombo.

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Porque você não pergunta ao Sérvio ? Depois da FINAL de Wimbledon, e o encontro no FINALS , me sai com “ provavelmente o melhor jogador que já empunhou uma raquete “ . Uma bela demonstração, assim como Nadal , a importância que ambos dão em relação a um h2h contra um Atleta SEIS anos mais velho … Um dia os ocupantes da “ Turbinada “ entenderão o que pensa o Sérvio e o Espanhol. Se e’ que ainda estarão neste Fórum rsrsrs Abs!

        Responder
        1. Jonas

          Respeito a opinião de todos. Só que nem fiz referência a essa afirmação. Você leu? “Será que Federer esteve decadente em TODOS os jogos?”

          É claro que não esteve. Federer é dominado desde os 29 anos, abs.

          Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Não posso responder por todos.

      Mas acho melhor uma boca mucha do que uma de chupar ovo.

      E ter um risco no meio da cara que nem lábio parece… (rs)

      Responder
  26. Oswaldo E. Aranha

    Quando vejo colocações repetitivas no blog, sempre dizendo que seu tenista preferido é o melhor do mundo, tentando depreciar concorrentes, lembro-me de dois ditos: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura” e “uma mentira sempre repetida pode parecer verdade”.

    Responder
  27. Rubens Leme

    Dalcim, uma enquete dificílima. Depois desta notícia publicada quem seria o herói e quem seria o sidekick entre Nadal e Batman?

    Teriamos um Rafael Wayne ou Bruce Nadal? Bat-bull ou Touro-morcego? Na mesma bat-hora ou nada-hora?

    Perguntas perguntas….

    Responder
  28. Rubens Leme

    Você lê, relê, pega dicionário, relê mais uma vez e não acredita. CBF agora libera jogadores com covid, porque após 10 dias isolados, não transmite mais e nem precisa de novos exames, mesmo que o atleta ainda dê positivo por 12, 15 semanas.

    É inacreditável o negacionismo a que chegamos. Tudo para a segunda metade do “pão e circo” retornar.

    Que medo, rapaz, que medo.

    Acho que só quando morrer um jogador de time grande ou um atleta internacional de primeiro nível, é que o pessoal vai acordar e cancelar todos os eventos esportivos de 2020.

    https://globoesporte.globo.com/blogs/bastidores-fc/post/2020/08/12/atletico-go-flamengo-covid-cbf-coronavirus.ghtml

    Responder
  29. DANILO AFONSO

    DJOKOVIC no último dia 11 completou 9 meses de INVENCIBILIDADE, o maior intervalo de um n. 1 do ranking…rsrsrsrs

    A última derrota foi em 11/11/2019 para o FEDERER na fase de grupo do ATP Finals. De lá para cá passou ileso na Copa Davis, ATP Cup, Australian Open e Dubai.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E mais uma indicação de que o Federer, se vivesse o auge físico, levaria vantagem no confronto.

      Se com a idade atual fez o que fez em Wimbledon passado…

      Imagina então o que não faria com um rendimento físico pelo menos próximo do sérvio.

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Defina para nós, menos entendidos, por favor: ele fez o que fez em Wimblendon passado, e ficou com a bandeja, foi por falta de físico?
        Dois dias antes ele deixou Nadal a ver navios, que é bem mais novo e tem físico ainda mais soberbo que o sérvio.
        Não entendi.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Eu nunca disse que era mais entendido, disse? (rs)

          Ele ficou com a bandeja, mas teve dois matchpoints e humilhou o sérvio nas estatísticas.

          Você acha pouco? Eu não acho.

          Abs.

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Acho, bem pouco.

            Depois de tantas explicações para nos fazer entender, o que não entendemos, somos realmente desentendidos. Rsss.

          1. Rodrigo S. Cruz

            Pois é, Sérgio.

            E ainda tem essa também, né! (rs)

            Pra mim, o sérvio já superou FAZ TEMPO o Nadal, no físico!

    2. Sérgio Ribeiro

      Tá de brincadeira, né meu caro Danilo. Aceito que você é fissurado em estatísticas, mas tem algumas que cá pra nós rs . Ficou parado quanto tempo ? Em número de Torneios , Borg e Federer ( só citando esses ) , bateram disparadamente este número. Ou sera’ que o amigo está contando também as Semanas rs. ? Na boa , que tal voltar para a contagem regressiva ? rsrsrs. Abs!

      Responder
      1. DANILO AFONSO

        Claro que estou zoando Sérgio Ribeiro !! Tanto é que no texto inclui “rsrsrsrs” após citar a invencibilidade do sérvio nos últimos 9 meses.

        Essa última “estatística” está fora do padrão das outras estatísticas que postei ao longos dos meses anteriores.

        Responder
  30. Marcelo

    Dalcim, Aproveitando a deixa, estou propondo a vc um desafio carisma, e deixando em aberto a quem quiser opinar sobre os mais carismáticos:
    Agassi ou Sampras
    Graffi ou Sabatini
    Nadal ou Murray
    Noah ou McEnroe
    Djokovic ou Federer
    Sharapova ou Serena
    * Vc pode pular os que considerar provocativos..

    Responder
  31. Sérgio Ribeiro

    Se e’ possível ter um amor verdadeiro pelo Esporte ? O que dizer de uma Atleta de 40 anos , que desde 2017 vinha sofrendo derrotas pra lá de desmoralizantes , e resolve se inscrever em 2020 , em meio à pandemia , numa penca de torneios ? Trocou de Treinador e resolveu alterar a mecânica de seu Serviço. Vênus Willians emociona a todos que acompanharam sua brilhante carreira. E quem pagou o pato foi outra ex-N 1 do Mundo , Vika Azarenka ( saiu de quadra falando sozinha ) . Agora enfrenta a irmã de 39 , e a jogadora que mais enfrentou ( 12 x 18 ) . Serena afirmou ( como previmos ) que a quadra vazia em nada a atrapalhou em sua vitória de virada . “ Ao contrário , fiquei mais calma , e me lembrei dos meus tempos de juvenil rs “ . E ambas já afirmaram que se inspiram em Federer nesta incrível longevidade. Um exemplo pra toda a NextGen. Abs!

    Responder
    1. Marcelo

      Amor pelo esporte ou pelo dinheiro? Fica a pergunta. Para aqueles que perderam alguém, faz todo o sentido que a festa pare ‘agora’. Já mais madura e consciente da importância do trabalho, e do dinheiro fácil que a fama e a consagração lhe trouxeram (com méritos próprios) poruqe não aproveitar os altos caches? Estão aí vários atores mais consagrados fazendo o mesmo (fazendo mais de 10 filmes por ano, e contando moedinhas…)

      Responder
      1. Bruno Gama

        As Williams já estão podres de ricas, a Venus deve faturar mais com a marca de roupa dela do que com o tênis, claro que jogar ajuda a divulgar, mas pra jogar nesse nível com a idade que ela tem precisa de muita vontade, fosse por dinheiro ela teria parado faz tempo.

        Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        Na boa , Marcelo. São mais que Multi- Milionárias . Te asseguro que não precisam mais do Tênis pra coisa alguma. E tem uma imensa exposição em várias mídias . O amigo acompanha o Esporte desde quando ? Abs!

        Responder
        1. Marcelo

          Vamos responder antes tua pergunta: Desde os anos 80, Meu nobre colega. Mas voltando: minha opinião diverege desta mencionada. Vamos aos fatos: atleta de alto rendimento, TOP, via de regra tem um altíssimo senso competitivo. Já foi número 1 do ranking, ganhou SLAMS e não gostam de perder. Não vão continuar seguindo perdendo de primeira em primeira rodada, rodando o circuito, semana após semana. Além do mais, são atletas com mais de 40 anos, já maduras. Amor ao esporte? claro que todas tem (jamais conseguiriam rodar o circuito o ano todo, sem expectativa, se não houvesse). MAs já não é mais o ponto principal da carreira, meu Querido. Pode conversar com qualuqer atleta de outros esportes: após os 35 anos, 99% correm atrás da melhor oportunidade $$$. Se não enxergamos no tênis, veja no futebol basquete, formula 1, filmes (atores de filmes fazendo o mesmo: filme após filme, aproveitando o máximo $$ que a carreira pode lhe dar. Tem certeza que vc mantém esta opinião ingênua, meu caro?

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Eu “ diverejo “ totalmente da tua opinião. Sabes até que idade jogaram Connors , Laver , Martina ? E as citadas pelo grande especialista ainda não passaram dos 40. Quem vai passar é o maior de todos . Pano rápido … Abs!

        2. Marcelo

          No fim e ao cabo, eu respeito a opinião de todos, meus caros (mesmo porque na puberdade EU pensava da mesma forma), mas vou defender a minha posição: ” No início, eu amava o esporte. Ainda amo e respiro este esporte diariamente, pois sem amor não teria chegado onde cheguei. No momento, trabalho por uma transição de carreira. No entanto, enquanto ela não ocorre, prefiro sabiamente continuar ‘praticando’ o que me recomendam meus agentes para manter a exposição da minha imagem na mídia que meus patrocinadores necessitam e nos pedem (principalmente porque alguns dos meus principais contratos reduzem drasticamente ou mesmo cessam no momento em que eu parar de jogar). Afinal de contas, construi uma imagem de respeito no esporte e vou aproveitá-la até o último momento em quadra”. Nobres, essa é a opinião da grande maioria de desportistas que nos chegam, e coloquei em primeira pessoa mesmo, de forma bastante lúdica. Espero que tenham compreendido a mensagem. Abandono aqui esta discussão, e não vou fazer mais nenhuma tréplica, visto que o blog não possui espaço para desenhos…

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            E’ claro que tem espaço, caro Marcelo . E seu argumento não convence a quem já assistiu longevidade em altíssimo nível . Foi o caso dos citados no Post anterior . As irmãs Williams tem todo direito de participar do Circuito nem que fosse somente pra se divertir. Não é o caso de Serena que aos 38 , ainda busca superar Margaret Court . E tem a torcida de milhões de pessoas pelo Planeta. Nada a ver com $$$$$$ Abs!

  32. Luiz Fernando

    Vacina russa vs vacina chinesa, quem dá mais? Embora é claro que torcendo p q essa vacina russa seja um portento, um alívio p todos nós, um bálsamo p o sofrimento de milhões de pessoas, a desconfiança é imensa…

    Responder
  33. periferia

    Ola

    No próximo dia 15/8 terá eleição para presidente da Confederação Brasileira de Tênis.
    A eleição foi antecipada em 9 meses…foi organizada em 11 dias (rapidamente).
    A eleição terá apenas uma chapa …do atual presidente Rafael Westrupp.
    Sendo que das 27 federações….26 o apoiam.
    A eleição está sendo antecipada para que Rafael Westrupp após eleito possa se desligar da CBT para se candidatar a presidência do COB (Comitê Olímpico Brasileiro).
    O novo presidente deve ser o primeiro vice da chapa….o potiguar Aristides Barcellos .
    Lembrando sempre que Rafael Westrupp foi eleito com apoio do ex presidente Jorge Lacerda…condenado pela justiça por desvio de verbas na entidade.

    Fico me perguntando….um esporte como o tênis….será que todos estão satisfeito com a atual gestão que nem uma chapa de oposição tem?
    A Confederação Brasileira Tenis está tão bem administrada que serve de trampolim para um dirigente buscar a presidência de um órgão como o COB ?

    Responder
  34. Marcão

    Apesar da inatividade provocada pela pandemia, achei muito bom o nível técnico do WTA de Palermo. Jogos bem disputados, como é praxe no circuito feminino. E como espanca a amarelinha a italiana Camila Giorgi! Um pouco instável, é verdade, mas uma tenista que gosto de ver (em todos os sentidos).

    Responder
  35. Rubens Leme

    Dalcim, porque a ATP vai impedir Nadal e Monfils de jogarem na Àustria se o torneio acontecer na segunda semana do torneio do Slam se sequer eles vão para lá e já avisaram com muita antecendência? Sem Madrid, é a chance dele somar pontos. Esse impedimento não foi dado quando o M1000 espanhol estava confirmado?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Esta acontecendo algo muito raro, Leme, que é a disputa de um ATP 250 na semana de um Slam. O máximo que se permite são challengers. Certamente, é uma punição a eles. Mas se Kitzbuhel mudar para a data de Madri, não haverá impedimento.

      Responder
  36. Caio Cesar

    Dalcim,
    Qual seria o problema de realizar o US Open mais para frente, em outubro por exemplo???
    Eles chegaram a cogitar isso??
    Grande abraço!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É uma excelente pergunta, Caio. Lembro de eu ter defendido a ideia do US Open trocar de data com Roland Garros ou ser realizado depois, em outubro, como você sugere. Seria muito mais sensato. Acho que deve haver itens contratuais com as TVs.

      Responder
  37. Luiz Fernando

    Não entendi o comentário incoerente e dúbio da “australiana”, que ao mesmo tempo desmerece e depois elogia o Federer. Não tenho nenhuma razão p vir aqui defender o cara, aliás ele não precisa disso, mas desmerecer o Big3 e o q representam é algo absurdo. Por sinal, eu mesmo já fiz isso no passado, já reconheci q errei e tenho procurado ser mais ponderado nos comentários, embora sempre e sempre Nadal…

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Xará, permita-me deixar minha impressão: ela não desmereceu, pelo contrário, disse que tanto Federer quantos os outros dois, foram e ainda são de extrema importância para esse esporte, apenas enfatizou também, que o esporte não se abalará com a retirada do trio. O que concordo com ela.
      Veja o exemplo da F1: Senna morreu há 26 anos. Muitos fãs da categoria ainda não eram nascidos e só sabem dele por meio da Internet ou dos pais, que alguns como eu, prometeram não ver mais corridas. Eu mesmo não vejo mais, não pelo fato que envolveu o Senna em si, mas por entender que o equipamento atualmente fala mais alto que o piloto, mas meu filho, que nasceu no mesmo ano que Senna morreu, assiste à todas as corridas e se empolga com elas.
      Grande abraço.

      Responder
      1. Gildokson

        Luiz, falo por experiência própria que pelo vejo no meu ciclo de convivência. Para cada 3 que dizem não assistir mais F1 tanto pela morte do Senna quanto pelo falto dos equipamentos (no qual concordo plenamente contigo) 1 novo expectador surgiu dos anos 90 pra cá.
        Definitivamente os domingos de manhã não são mais os mesmos de quando eu era adolescente.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Bem Gildokson , quem largou depois de Senna , perdeu de assistir Schumacher, Hamilton ( a família de Ayrton o homenageou in loco quando o Inglês quebrou o recorde de Poles ) , e agora o surgimento de Leclerc e do fenômeno Verstappen. Não perco uma. E nem meu filho de 27 . Aqui na Praia o papo sobre Fórmula 1 continua obrigatório rs Abs!

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            E ia esquecendo da delícia que foi ver Nico Rosberg bater em Schumi de cinta , durante dois anos inteiros na Mercedes rsrsrs ABS !

        2. Luiz Fabriciano

          Os meus, com absoluta certeza, também não são. Saudades de Senna, Mansel, Piquet, Rosberg, Prost, Lauda e um segundo pelotão de encher os olhos.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Pagaram muito $$$$$$$ a Schumi pra que o Alemão desenvolvesse ao máximo o motor Mercedes . Se não tinha mais braço para encarar Nico , Hamilton tinha de sobras . Abs!

  38. Emerson

    Dlacim enquanto estamos na espera que tal um daqueles classicos: escolha um
    Edberg ou Wilander?
    Kafelnikov ou Safin?
    Hewitt ou Rafter?
    Ashe ou Smith?
    Henman ou Rusedski?
    Ferrero ou Moya?

    Responder
  39. GUSTAVO DE ALMEIDA

    Olá, Pessoal

    Bom estarmos voltando.
    Espero q o Thiem seja mais comedido e não jogue tudo. Um torneio de saibro antes de RG tá ótimo.
    Ele é o favorito ou o segundo favorito no saibro. Nadal, lógico, é candidatissimo, mas, a verdade é q só ganhou ano passado pelas chuvas na França.

    Mestre Dalcim, há chance do DF jogar o finals? Ele teria pontuação?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que você se referiu ao Federer. Olha, a ATP diz que vai chamar os oito primeiros do ranking de então – não irá utilizar o ranking da temporada – então há uma chance de ele se qualificar. Mas não acredito que ele aceite jogar.

      Responder
    2. Paulo Almeida

      Não acho que o Nadal tenha ganhado somente pelas chuvas.

      Continuaria bem favorito contra Thiem ou Djokovic na final em condições normais, coisa de 70 a 30 pelo menos.

      Responder
  40. Daniel

    Com a ausência do Federer, o tênis em 2020 não terá a mesma graça. O Thiem e o Tsitsipas que jogam um tênis mais interessante e arrojado podem agradar os amantes do tênis bem jogado, mas ainda assim, não será a mesma coisa. É que finalmente mostrem o salto que se espera deles e não sejam a 3a geração perdida.

    Que venha 2021! É que seja um ano “normal”. Esse “novo normal”é horrível

    Responder
  41. Luiz Fabriciano

    Prezado Mestre Dalcim, me permita responder à Gabi, que no último post perguntou minha idade: fiz 51 no último São João.
    Não sei exatamente minha cara, mas os que convivem comigo me garantem que estou muito bem, rsss.

    Sobre o tênis, estou com um misto de ansiedade e medo para o retorno dos grande eventos. Doido para ver um jogo de verdade e apreensivo quanto a proteção à saúde dos atletas e população global.
    Grande abraço.

    Responder
  42. periferia

    Olá

    “livraria os atletas de alto rendimento desse isolamento”

    Alguns cidadãos tem mais privilégios que outros.
    Alguns segmentos atrapalham o combate a doença.
    Não é apenas o negacionismo ou o terraplanismo.
    Enquanto famílias estão separadas pelo vírus….não podendo pegar um simples vôo…se deslocar de um pais para o outro…..esportista são razão de normas e leis próprias.
    E nem precisa de bolha…..alguns desses tenistas sempre viveram em uma bolha.

    Responder
    1. Marcelo

      Mas não foi sempre assim? Atletas sempre puderam sair da URSS e de outros países comunistas sempre puderam sair para participar de torneios em qualquer modalidade, mesmo com a cortina de ferro a pleno vapor. Em Cuba, idem. A única diferença agora é que não colocam uma arma na cabeça do familiar do atleta para que ele volte (não ainda). Os países da Europa vasta tem experiência quando se fala em segregação, protecionismo e em construir seus próprios muros. Não seria diferente agora.

      Responder
  43. Vitor Hugo

    Qualquer slam vencido por qualquer tenista que seja tem o mesmo valor, independente de quais adversários ou qual época. Um tenista vence um major jogando contra os melhores adversários disponíveis naquele momento, e os melhores daquela época. Se jogador a, b, ou c está machucado, não quis jogar ou perdeu nas primeiras rodadas, não interessa!
    A declaração de Thiem foi infeliz, assim como são infelizes aqueles que querem dar peso pra slam vencidos por outros em outras épocas.
    Bom, é preciso relevar alguns fanfarrões, aloprados ou paraquedistas e fanáticos que aqui escrevem. Melhor ignorar, pois se der ibope……

    O que eu fui ontem não sou mais hj, mas parece que alguns não aceitam essa condição. Querem que eu volte para o ‘clube dos idiotas’.

    Qual o problema de eu elogiar Nadal?! Proibido? O que eu escrevia sobre Novak e Nadal era apenas pra provocar ou rebater alguns fanáticos. Sempre achei os dois GIGANTES do esporte e fiz vários elogios, coisa que um fanático ou outro nunca disse sobre Roger.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Perfeito!

      E só complementando, Vitor:

      Ser um competidor fodão é diferente de conseguir empolgar.

      O Covidão17 é “fodástico” nos resultados, mas reconhecidamente um tenista sem sal ou açúcar.

      E digo isso com propriedade, já que até quem NUNCA polarizou com torcidas aqui afirma isso.

      (exemplo: Rubens Leme)

      Portanto, se os xiitas querem insistir que um major vale mais do que outro, ótimo!

      Fiquem à vontade.

      Até porque, eu acho que ninguém vai dar a mínima… Todavia, lembrar que o sérvio pratica um tênis que atraí moscas, vai.

      kkkkk

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Meu comentário não passou, então vou tentar de novo.

        É desfaçatez sua postar aqui, visto que nunca deixou de provocar/trollar. Agora mesmo acabou de usar Covidão17. E já adianto que não estou te imitando: desfaçatez não é um termo que lhe pertence e eu tinha tentado empregar outro antes.

        Rubens Leme escrachou o sérvio no Adria Tour, deixando claro que não gosta dele. Logo, é uma opinião suspeita que não sustenta seu “reconhecidamente sem sal ou açúcar”. Djokovic tem muito sal, é um cracaço de bola e por isso mesmo tem milhões de fãs pelo mundo, quer você goste ou não.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Não se preocupe – diferente de você, eu trabalho com a verdade.

          Realmente “desfaçatez” não foi imitação.

          Mas você já me copiou aqui em várias oportunidades, como se fosse um fã. Argh!

          E você precisa aceitar que existem pessoas (MUITAS) que acham o jogo do sérvio um cocô.

          Ele é um cracaço pra você, mas pra muita gente não é.

          O Rubens foi só um exemplo que eu dei.

          Portanto, não tem nada a ver essa desculpa de farrapo que você acaba de dar:

          “oh, ele não gosta do meu amorzinho, por isso que falou dele”.

          Isso é uma suposição 100% tua.

          E eu não trabalho com suposições e distorções (muito menos as tuas) Eu trabalho com fatos.

          E fato é: ele disse que o jogo do sérvio é sem-graça.

          Fim de papo!

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Sim, você trabalha com a verdade que lhe convém. Não tenho dúvidas.

            Não foi mais uma “imitação” porque eu já antecipei uma explicação, rs. Do contrário, não sei não…

            Bom, nas várias duas vezes que te “copiei” (caso da contradição e do gado bolsofederista), quis apenas fazer com que provasse do próprio veneno. Muito longe de querer você como meu guru, hahaha!

            Bom, acho que “cocô” é mais para quem tem algum recalque com o sérvio, mas compreendo e aceito sim quem prefira outro estilo de jogo. Da mesma forma, há quem não goste do jogo do Federer.

            Mantenho a minha afirmação de que o Rubens Leme está longe de ser a melhor fonte para endossar seu argumento.

            Por mim, fim de papo também.

        2. Marcelo

          O Sérvio é um ‘baita’ jogador de tênis. É completíssimo e eu o classificaria até o momento entre os três melhores que já surgiram, mas tudo caminha para que ele seja o melhor de todos os tempos, e se nada mudar ainda este ano, tudo indica que ele poderá deter a grande maioria dos principais recordes do tênis, quer as crianças da sala gostem ou não. Talvez eles não esperassem que isso pudesse acontecer e custam a aceitar a realidade. Então, assistem atônitos e com desdém, sem ainda ter percebido o cenário que se desenha onde os ídolos deles serão engolidos pelo Sérvio. Sem a menor sombra de dúvida, esta postura da torcida deve-se ao fato de estarmos falando de uma primeira paixão de adolescência e de uma inexperiência de vida (e quem não teve uma?)

          ps: Mesmo sendo eu um super fã do Suisso, admito que dificilmente ele conseguirá deter os principais recordes que já conquistou. e que a choradeira da torcida será inútil

          Responder
    2. Barocos

      Vitor Hugo,

      Se eu já não disse isso bem antes, vou dizê-lo agora: seja muito bem-vindo ao clube dos que colocam o esporte, a crítica coerente e construtiva e a equidade acima das paixões pessoais.

      Note: isto não quer dizer que brincadeiras não sejam permitidas, claro, dentro dos limites do respeito.

      Grande cumprimento, ainda de cotovelo!

      Responder
    3. Daniel

      Boa, Vitor. Belo comentário e que mostra maturidade! Mas eu sempre recomendo ignorar os fanáticos. Se todo mundo ignorasse, perderiam o interesse e iriam embora para outro lugar onde tivessem mais Ibope.

      Como diz famoso ditado da Internet: “Não alimente os trolls” rsrs

      Aproveitando: por mais que eu não curta muito os estilos de jogo de Nadal e Djokovic, não tem como negar que são gigantes do esporte. Mas essa coisa de “meu ídolo é maior que eu seu”, eu deixo para as crianças…rsrs

      Abs

      Responder
    4. Miguel BsB

      É isso aí Vitor! Segure a onda, vc tá contribuindo muito com o Blog e com o debate saudável nessa sua versão mais “moderada” rs.
      Claro, às vezes uma provocação ou outra, uma brincadeira ou outra, fazem parte, sempre mantendo o respeito…
      O que polui demais é desrespeito contumaz contra tenistas, torcidas, participantes do blog etc…

      Responder
    5. Rafael Azevedo

      Muito boa colocação, Victor.
      Mas, sobre a declaração de Thiem, eu entendo o que ele quis dizer.
      Pensemos bem…na atual geraçao do tênis, Nadal, Federer e Wawrinka são sempre fortes candidatos aos títulos (cada um na sua proporção). E pensando no MOMENTO atual (ou imediatamente antes da Pandemia), o Monfils, pra mim, estava ente os 5 melhores do circuito. E ainda tem o Kyrgios que pode vencer qualquer um em um dia inspirado.
      Entendo que o Federer está lesionado e isso é algo normal em qualquer geração. O torneio não diminui o seu peso por isso.
      Mas, as ausências de Nadal, Wawrinka, Monfils e Kyrgios são por OPÇÃO. Ou seja, eles poderiam estar lá. Na verdade, eles estariam lá, se não fosse a pandemia. E qualquer tenista que almejasse o título teria, inevitavelmente, que derrotar pelo menos um deles.
      Se o Thiem for campeão, por exemplo, algumas pessoas ficarão com a seguinte dúvida: “Será que ele venceria, se o Nadal estivesse lá?”
      Isso não tem nada a ver com o ridículo argumento de entressafra dos haters do Federer. Federer venceu todos os título enfrentando, sempre, os melhores do momento. Mérito dele que estava muito acima de todos. É o mesmo que houve com Pelé. Diminuir Federer por isso, significa diminuir o Pelé.
      Mas, esse USOpen é diferente. Há tenistas muito favoritos que não vão jogar, por “opção”.
      Eu jamais vou considerar que o título desse torneio é “sem peso”, mas compreendo a declaração do Thiem.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Concordo com vc tbm, Rafael! As ausências de Federer, Nadal e Stan tiram muito do brilho do torneio, mas jamais vão tirar os méritos do campeão. Acho que é bem por aí.

        Abs!

        Responder
    6. Paulo Almeida

      Fiquei esperando para ver se respondia ou não ao seu comentário, que a meu ver era desnecessário nessa nova pasta. O assunto deveria ter morrido na outra. Bom, decidi responder.

      Eu, Thiem, Sampras e mais uma penca de gente discorda de você. PARA MIM, houve e sempre haverá torneios (não somente Grand Slams) com grau maior de dificuldade do que outros e, pelo menos simbolicamente, valem mais. Pergunte ao Djokovic se o Australian Open 2012 e Wimbledon 2019 não têm um lugarzinho maior no coração dele ou o Australian Open 2017 no do Federer. Eu aposto que sim. Claro que aumentar ou distorcer faz parte da tiração de sarro entre as torcidas, mas a essência é verdade NA MINHA OPINIÃO. Respeite-a.

      Cara, não queira você também achar que é uma celebridade e que os outros têm que aceitar ou deixar de aceitar qualquer mudança sua de comportamento. Eu, pelo menos, não estou preocupado com isso e acredito que outros membros também não. Contudo, existe uma coisa chamada estigma. Não adianta você querer virar a Madre Teresa de Calcutá de uma hora pra outra, pois não funciona assim. Na publicação anterior, eu e mais alguns membros desconfiamos de você. Sua intenção era boa? Pode ser, mas seu histórico depôe contra e por isso a coisa se desenrolou daquele jeito. Não nos leve a mal.

      Bom, se considero títulos vencidos em cima de Federer e Nadal mais pesados do que em cima dos demais tenistas, automaticamente estou enaltecendo o suíço. Outro dia também elogiei seu slice. Satisfeito?

      Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Sim, é verdade!

            E eu mesmo já usei o termo ” tampouco” em outras frases que postei aqui.

            O que não deixa de ser lamentável ter deixado passar batido qualquer coisa que você pudesse explorar.

            Fora que é bem indigno ser corrigido por alguém com um vocabulário tão restrito!

          2. Paulo Almeida

            Meu vocabulário é rico, acima da média e eu sei disso.

            Desista de tentar me diminuir. Isso só me fortalece e te enfraquece.

      1. Vitor Hugo

        Bom, vamos lá!

        1 Respeito sua opinião. Só acho que muitas vezes suas opiniões são imaturas e infantis, e que muitas vezes são escritas apenas para provocar.
        2- Se vc acha desnecessário o meu comentário ou não, é problema seu, e o que eu escrevo, é meu! Não queira falar por outros aqui. Pouco me importa o que vc pensa ou não. Mas o que alguns outros pensam, me importa sim! Por essas e outras que mudei minha maneira de pensar e agir.
        3- Não quero ser madre Tereza, só não tenho MAIS interesse em desrespeitar participantes, tenistas e etc, ou provocar conflitos por aqui. Me sinto em paz agora. Acho covarde xingar no anonimato, se referir a torcedores adversários como RETARDADOS e etc. Covardia, pobreza, falta de educação ou respeito.
        4- Eu celebridade? Tá com inveja, cara?! Só por que alguns elogiaram minha postura!? Não, não sou e nem quero ser celebridade. Já escrevi muita bobagem por aqui e fui criticado ou ignorado, com toda razão. Só quero respeitar e ter o respeito e consideração dos colegas de blog e o blogueiro. Só isso.

        No mais, vou continua brincando de maneira saudável e dando minha opinião de acordo com o que eu acredito. Se um dia eu mudar minhas opiniãos, vou fazer sem problema.

        Fica em paz!

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Nem vou me alongar, pois não é necessário. Vamos por itens também pra facilitar:

          1 – Foi o que eu disse sobre aumentar ou distorcer;

          2 – Só falei por mim, ora bolas. Logo no inicio do comentário anterior por sinal;

          3 – Que bom. Ainda bem que não xingo ninguém e nem me refiro aos federistas como retardados. Já lhe dei uma explicação sobre o “fedtard”, não se lembra? É um termo que nem utilizo mais de qualquer forma.

          4 – Celebridade foi por dar a entender que alguém tem que aceitar ou deixar de aceitar sua mudança. Falei só por mim, mas acredito que Sérgio Ribeiro, Luiz Fernando, Paulo F. e qualquer outro também não estão arrancando os cabelos por querer sua versão troll de volta. Se eu estiver errado, podem me corrigir.

          É isso. Fique em paz também.

          Responder
        1. Paulo Almeida

          E você queria que eu elogiasse um comentário que me cutucava, mesmo que indiretamente? Um pouco demais, não? Pensei em passar direto, mas no final resolvi responder, como já dito.

          A minha crítica é mais em relação ao local da postagem do que ao conteúdo. Acho que ela poderia ter ficado na outra pasta (como uma resposta ao Enoque, por exemplo). Quanto ao conteúdo, você não precisava se explicar novamente acerca do Nadal. Creio que todos já haviam entendido. O resto está ok, apesar das indiretas. Em todo caso, é só minha visão irrelevante, rs.

          Abs.

          Responder
  44. Rubens Leme

    Ese documento que a USTA e a ATP querem obrigar os jogadores a assinar é uma vergonha. “Venha e jogue, mas se adoecer ou morrer, te vira, cumpadre, veio porque quis, ninguém te pediu!”

    Deste jeito, a pandemia vai demorar muito mais tempo para ser controlada, se é que vai e se teremos, algum dia, uma vacina. Bill Gates acha que até o final de 2022 o mundo volta ao normal. Acho ele excessivamente otimista. A humanidade não está aprendendo nada com o momento.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *