Deu a lógica: Nadal fica no saibro, Djoko vai aos EUA
Por José Nilton Dalcim
4 de agosto de 2020 às 20:16

Exatamente como estava previsto, as primeiras listas oficiais de inscritos pós-pandemia para Cincinnati e US Open mantiveram Novak Djokovic e ficaram sem Rafael Nadal. Não é definitivo, mas parece caminhar para a versão final do quadro que veremos nas três semanas de jogo em Flushing Meadows.

Nadal ao menos foi coerente com tudo que vinha dizendo e fazendo. Nunca se mostrou confortável em se arriscar em Nova York, abandonou há semanas os treinos na quadra dura e apostará todas as fichas na conquista do 20º troféu de Grand Slam com a 13ª conquista de Roland Garros.

Claro que os planos do espanhol já sofreram baixas, com o cancelamento de Madri. Não que este saibro veloz seja um bom preparo para Paris, mas Rafa precisará de ritmo de jogo e terá desvantagens óbvias diante de tenistas que estão em atividade há muito mais tempo. Não duvido que Nadal entre em Kitzbuhel, que aliás já pleitea atrasar uma semana e ocupar a vaga de Madri.

Djoko também atendeu às expectativas de momento e manteve-se nas duas listas. O sérvio tem muitas vantagens a considerar: o piso sintético que tanto aprecia e especialmente o fato de já ter contraído o coronavírus e assim, ao menos na teoria, ter chance baixa de reinfecção (ainda não há estudo conclusivo sobre isso, mas tudo indica que a imunização segue ao menos por alguns meses).

Os adversários de Djoko nos dois torneios tendem a ser Dominic Thiem, Daniil Medvedev e Stefanos Tsitsipas, mas observe-se que o russo não jogou uma exibição sequer até agora. E permanecem as dúvidas sobre a presença de Alexander Zverev, Matteo Berrettini e David Goffin, que completariam o quadro de oito cabeças no Masters e consequentemente sairiam adiantados.

Da lista dos top 10, Roger Federer está em recuperação médica e Gael Monfils já havia antecipado desistência. Dos demais 20 primeiros, estão fora Fabio Fognini e Stan Wawrinka. E para os dois torneios, assim como Nick Kyrgios. Já o japonês Kei Nishikori marcará sua volta ao circuito – não joga desde o US Open do ano passado – e Andy Murray ganhou convite para Cincy. A lista do Grand Slam fechou no 127º lugar e os próximos a entrar são exatamente Juan Martin del Potro e Murray.

Feminino oscila
Os torneios femininos de Flushing Meadows têm diferenças importantes na listagem. Simona Halep, Bianca Andreescu e Elina Svitolina só jogarão o US Open, onde a jovem canadense defende o incrível título do ano passado. Mas Bianca não joga desde outubro e só voltou a treinar em março. Halep fez muitas declarações receosas e não me espantaria o recuo.

A grande ausência obviamente é da líder do ranking Ashleigh Barty, por enquanto a única do top 10 fora dos dois torneios. Mais uma vez, todos os olhos ficarão em cima de Serena Williams, que jogará Kentucky na próxima semana e mandou até montar uma quadra idêntica a Flushing Meadows em sua casa para treinar. Karolina Pliskova, Kiki Bertens e Sofia Kenin são concorrentes sérias, mas obviamente questões físicas e de consistência técnica serão enormes incógnitas neste retorno do circuito. Kenin ao menos disputou o WTT na semana passada.

Monteiro e Wild entram
A estreia de Thiago Wild num Grand Slam também foi confirmada e será um bom motivo para os brasileiros torcerem pela realização do torneio sem sustos. Como eliminou o quali, o US Open esticou a lista de inscritos para os 120 melhores do ranking e aí sobrou espaço para o campeão juvenil do torneio de 2018.

Ele fará companhia ao canhoto Thiago Monteiro, que jogará seu terceiro US Open e vinha de atuações animadoras no piso sintético de Melbourne, em janeiro. Monteiro também vai se aventurar no quali de Cincinnati, já que a forte chave do Masters fechou no 45º do mundo.

Marcelo Melo e Bruno Soares têm vaga certa na chave de duplas, já que estão entre os top 30. O US Open será reduzido pela metade, portanto com 64 duplistas, mas provavelmente haverá lugar para Marcelo Demoliner, já que jogadores de simples não poderão usar seu ranking individual para entrar na dupla.


Comentários
  1. Antônio gabriel

    Me parece muito mais que Nadal abandou no Usopen por um critério de chance de vencer a competição do especificamente por conta do Corona. Nadal é um vencedor Nato e duvido muito que ele deixaria de ir em Um GS se tivesse certeza que a probalidade de uma vitória sia é mais certa, fico pensando se Djoko estivesse lesionado e dissesse abertamente que não iria aos EUA. Tenho certeza que Nadal iria se arriscar em NY.

    Responder
  2. Luiz Fernando

    Verstappen venceu ontem de forma espetacular, foi uma vitória “a la Schumi”. Me fez lembrar dos GP da Argentina e da Hungria de 1998, quando a McLaren tinha muito mais carro do q a Ferrari e o cara venceu na estratégia, fazendo mais paradas e com aquelas voltas em ritmo de treino que o consagraram. Ontem foi um pouco diferente, mas lembrou muito https://globoesporte.globo.com/motor/formula-1/noticia/vitoria-de-verstappen-em-gp-dos-70-anos-rende-comparacoes-com-schumacher-de-ex-chefe-da-ferrari.ghtml. Ross Brawn falou com propriedade, era ele quem estabelecia a estratégia e o alemão a executava com precisão…

    Responder
  3. Luiz Fernando

    Estamos vivendo um ano atípico, tomara q 2021 seja normal, embora eu ainda tenha sérias dúvidas acerca disso, por isso achei a declaração do Thiem acerca do USO bem consciente, pois teremos um torneio esvaziado. Mais estranha do q a F1, pex, é impossível, espelha tudo isso, com corridas seguidas nos mesmos circuitos. Claro q no futuro esse USO contará como os demais, mas tudo este ano está fora da curva; antes q venham as criticas de sempre, RG sem torcida, se acontecer, também…

    Responder
    1. Enoque

      Pra quem gosta da F1, independente de ter ou não brasileiro, estas corridas em sequência estão sendo muito interessante. Estamos vendo variações de uma corrida para a outra no mesmo circuíto. O complicado na F1 é a logística de transporte para outros continentes, mas, quando realizado no mesmo circuito, fica tudo mais fácil. Para o piloto, correr toda semana é tudo que ele quer, principalmente se for no quintal de casa. Ninguém é obrigado a assistir, se não gosta, ou está preocupado com o desgaste dos pobres pilotos de F1, coitados.

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Será q vc permite q eu tenha a minha opinião? Será q vc permite q eu ache estranho? Antecipadamente agradeço sua gentil permissão…

        Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, são 40 anos acompanhando Slam então teria de pensar muito para te responder. Mas vamos ficar nos mais recentes. Acho que os Australian Open de 2012 e 2017 foram muito interessantes no masculino.

      Responder
  4. periferia

    Assim como a cidade de Oran…..existe ratos….mas eles não morrem com o início da peste.
    Pelo contrário….se fortalecem desviando verbas da saúde… se aproveitando do momento.
    Com passar dos dias a peste se torna monótona…as pessoas não se escandaliza com mais nada.
    Olham para o noticiário com um certo enfado….como dissesse……” de novo isso “.
    Existe um senso de caridade estranho….se distribui sobras que consola mais a alma dos ricos do que o corpo dos pobres.
    Ser brasileiro não é para qualquer um.
    Um dia olharemos para o passado e teremos vergonha de quem fomos e de quem somos.
    Seremos Esteves sem metafísica.

    Espero que o dia dos pais tenha sido de muito afeto.

    Abs

    Responder
    1. Barocos

      Periferia,

      Não precisamos esperar o futuro para ter vergonha do nosso passado, basta ler com atenção a história do Brasil contada por bons historiadores e que, convenientemente, quase nunca são transcritas para os textos escolares.

      Em nossa defesa, o mesmo ocorre em praticamente todas as outras nações, bem, talvez em uma escala menor em algumas, já que somos gigantes pela própria natureza.

      É com muita satisfação que costumo ler os seus textos.

      Um grande abraço cercado de muita admiração.

      Responder
  5. Rubens Leme

    E os casos de covid vão explodindo no mundo. Além de Goiás x SP, o Atlético de Madrid anuncia dois jogadores dias infectados antes da partida decisiva pelas quartas, na Champions League e causa um problema enorme porque todos os jogos serão partida única em Lisboa.

    É chato repetir o mesmo discurso de sempre, mas não era hora de voltar o esporte, alguns times podem se tornar focos de distribuições e novas propagações. Quero ver se algum país irá receber nossos times na Libertadores.

    Não existe vacina, há uma polêmica e briga imensas sobre testes e se elas funcionarão, mas o negacionismo do ser humano e o desejo desesperado em voltar a vida anterior, vai piorar muito a situação. Assim, o tênis também não deveria retornar.

    Não existe espécie animal mais irresponsável do que a humana.

    Responder
  6. Enoque

    Esta declaração do Thiem, de que o USO deste ano, tem menor valor é um tiro no pé. Está desmerecendo sua geração e a nova também. De repente pode ser o início do domínio de uma nova geração que vai permanecer por uns bons anos. Pode ser que daqui uns 2 ou 3 anos, não tenhamos a participação de nenhum representante do Big 3, mesmo assim, os Slams continuarão a acontecer e terão valor igual. Vai quem pode, ou quer. Continuará a ter 128 jogadores brigando pelo título, todos com suas qualidades e méritos, sem desmerecimentos.

    Responder
    1. Bruno Gama

      Quando o Djokovic se aposentar vai se iniciar uma nova entressafra e os slams voltarão a não valer nada, só valem os que ele participou, na verdade o tênis vai até acabar, um esporte que se iniciou em 2008 e vai terminar em 2023 ou 2024.

      Responder
    2. Paulo Almeida

      Thiem foi infeliz mesmo, já que pelo menos outros quatro nomes fortes estarão no torneio. E três deles (Djoko, Tsitsipas e Zverev) já o fizeram de vice.

      Tudo bem que ele quer um Slam parrudão em cima de um Big 3 (já disse isso após o Australian Open), mas é melhor ir com calma. Pra começar até um cima de um Bagdão da vida está de bom tamanho.

      Responder
  7. Rafael Azevedo

    Parabéns aos papais do blog.
    Esse dia dos pais é especial, pra mim, porque ontem chegou ao mundo meu segundo bebê (e primeira filhinha).

    Sobre o USOpen, acredito que Djoko está lamentando a ausência do Nadal, já que tem sido uma vitória certa, nas hards, nos últimos anos.

    Responder
    1. Barocos

      Rafael,

      Parabéns, ser pai é uma das melhores coisas da vida. Que você possa brincar e passear bastante com os seus filhos, esta é a sua segunda oportunidade de ser, ao menos um pouco, criança novamente.

      Responder
  8. Miguel BsB

    Agora, os dois garotos da base, Patrick de Paula e Gabriel Menino, são uma grata surpresa e ambos tem personalidade e jogam bola.
    Acho que vão longe.

    Responder
  9. Miguel BsB

    Verdão campeão aos trancos e barrancos, mas tá valendo, em cima desse Corinthians que abdica de jogar bola, atacar…o Corinthians é o Cássio no gol, Jô na frente e no meio deles um amontoado de medianos…
    Palmeiras tem que melhorar muito tb…
    Mas incrível, esse é o clássico mais equilibrado do futebol mundial. Se não me engano, está estritamente empatado no número de vitórias…

    Responder
  10. Rubens Leme

    Dalcim, um live pouco valorizado, a primeira excursão de Bruce “The Boss” Springsteen, à Londres, para promover seu terceiro disco solo, Born to Run. O disco aborda os três álbuns iniciais – Greetings from Asbury Park, N.J. e The Wild, the Innocent & the E Street Shuffle, ambos de 1973, além dos já mencionado.

    Uma ótima trilha sonora pra este domingão. Do Verdão.

    https://www.youtube.com/watch?v=0u9zYJj4yk0&list=PLIveWZmYDjBnBjl-DgOPbILfrZaaMkE8u&index=2&t=0s

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Dispenso completamente. Ele deveria cuidar de uma pandemia que gerou até aqui 100 mil mortos ao invés de assistir a jogos de futebol.

      Responder
      1. Sandra

        Nem me fale Dalcim ? Votei nele sabendo que ele era ruim , mas não imaginei que fosse tão ruim! Mudando de assunto , até porque
        não vale a pena tocar no nome dele, você viu esse termo de responsabilidade que o us open está obrigando os jogadores assinarem? Será que os poucos tops que restaram vão assinar ?

        Responder
  11. Rafael

    Parabéns e feliz dia dos pais a todos os pais do blog, aos pais destes, presentes em carne ou em espírito. Espero que o dia de todos seja tranquilo, na medida do possível, e que vocês reflitam sobre o grande passo que deram na vida ao tornarem-se pais. Não deve ser nada fácil, muitas incertezas pelo caminho sobre se estão fazendo a coisa certa, mas a vida é isso, um eterno aprendizado.

    Fui.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E parabéns pelo seu papai da ESPN rsrsrs. E pro filhinho doutrinado ( que babaquice ) , veja os recordes da ATP . Nadal ainda aparece longe em todas as superfícies exceto o Saibro. De todo o modo um ótimo dia pra criança. Na Kombi o parceiro já merece uma promoção kkkkkkkkkk Abs!

      Responder
  12. Rubens Leme

    O importante é voltar a vencer títulos. Neste século somos lanterna entre os Big4 de São Paulo. Se meu levantamento não estiver errado, desde 2001, erguemos 6 taças (descontando as séries B), contra 7 do SP (que não vence desde 2012), 12 do Santos e 18 do Corinthians.

    Se for para jogar feio e ganhar, paciência, até porque a Academia encantava pelo futebol, mas os títulos foram muito menores e exuberantes do que o futebol exuberante que apresentava.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Bem diferente enfrentar aquele timaço do Santos , do que esses atuais pernas de pau. A Academia era a única que encarava o melhor time da história. Abs!

      Responder
  13. Lobovic

    Dalcim, vc pode não acreditar, mas eu jogo melhor do que qualquer jogador do Palmeiras. Bato bem com as duas pernas (não ao mesmo tempo), sou veloz, driblo muito bem no mano á mano, não me assusto com o goleiro. Esses jogadores de hoje são uma vergonha.

    Pelo menos ganharam o título dessa vez.

    Responder
  14. Rodrigo S. Cruz

    “De qualquer forma, o sérvio é o campeão moral de Wimbledon 2020 e, se for preciso, esse título será contabilizado num eventual desempate”.

    Agora o Djokovic vai ser campeão moral de um torneio que não ocorreu? (rs)

    Eu hein…

    Não me espantaria se o Almeida começar a se vestir de Napoleão Bonaparte e chamar pela Josefina…

    Responder
  15. Miguel BsB

    Parabéns ao Gênio Roger Federer!!!
    39 anos em altíssimo nível!
    Detentor de recordes e mais recordes do Esporte…
    Um cracaço do Esporte!

    Responder
  16. Rubens Leme

    Incrível um penal daqueles aos 49.59 minuttos, faltando 1 segundo para terminar. Mas Luxemburgo tem culpa, porque como todo técnico brasileiro, tem a mania de fazer todas as substituições que pode, mesmo sem precisar. Quando tirou o Luiz Adriano e Zé Rafael e meteu o trio soninho – Scarpa, Lima e Veiga – o time morreu na frente e deixou os gambás fazerem o que gostam, que é meter chuveirinho e esperar um erro.

    E o tal Bruno Henrique entrou para quê? Não acerta um passe, um chute de média distância e ainda perdeu o penal. Não fossem os meninos – Gabriel nao merecia sair no intervalo – e o Patrick e teríamos perdido outra final, nos penais, em casa, para eles.

    Que sofrimento, que falta de talento.

    Enfim, é o que temos para agora.

    Responder
      1. Rubens Leme

        Estava revendo aquele time bi Brasileiro com Zinho de 10, mais Edmundo, Evair e Rivaldo na frente… é assustador que fiquemos reduzidos a Luiz Adriano, Zé Rafael e William Bigode.

        É outro esporte. Nunca mais veremos nada parecido como aqueles dias, Dalcim. Ainda bem que o Patrick teve gelo nas veias. Mas que pelada.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Os caras têm medo de chutar no gol. Será que paga imposto? E eu dava o Lucas Lima para quem quisesse levar, sem cobrar nada. Para salário para esse tipo de jogador é um desrespeito.

          Responder
          1. Rubens Leme

            Salário, não. Uma fortuna absurda: são 10 milhões por ano mais 15 milhões de luvas divididos em 60 meses que é contrato dele. Ou seja, em 5 anos ele vai ganhar 65 milhões do clube, mais de 1 milhão por mês.

            Lucas Lima é uma vergonha. Um meia que não arma, não ataca, não da assistência, não faz gol e ganha essa fortuna. Ele, Scarpa, Veiga, Guerra (que está afastado): 4 meias e nenhum deles é titular ou demonstra regularidade.

            É um elenco torto. Temos defesa, mas ataque não.

          2. Rubens Leme

            10 segundos não. O penal aconteceu faltando 1 segundo O Jô dominou aos 58 segundos. Foi o carrinho típico de Jr. Baiano. Isso porque ele chantageou o Palmeiras para conseguir um aumento. Deviam dar uma geladeira nele.

      2. Sérgio Ribeiro

        E o mais incrível , caro Dalcim . O Time foi Campeão sem NENHUMA vitória sobre os outros 3 grandes no campeonato. Pode isso Profexor Luxa ? Abs!

        Responder
      3. Marcilio Aguiar

        Parabenizo ao Dalcim e demais palestrinos do Blog pelo título. O Palmeiras foi menos incompetente na disputa para ver quem joga mais feio. Como corintiano eu temo pelo futuro no campeonato brasileiro. Com esse time é lutar na parte de baixo da tabela. Um ótimo goleiro, boa defesa e um Jô lutador. O resto? Ora, “o resto é silencio!”

        Responder
    1. Jonas

      Sorte do Gustavo Gomez que o Palmeiras foi campeão. Ainda assim, o time joga mal. Esse elenco tem potencial para render muito mais.

      Críticas à parte, que jóia esse Patrick de Paula. Tem tudo para ser um grande jogador.

      Responder
  17. Edgard Upinho

    Dalcim, eis uma grande chance para Djoko vencer mais uma vez cincinnati e ser o único detentor de pelo menos duas conquistas em todos os masters do circuito. Se ele levar cincy novamente e logo depois o RG, terá feito uma dobradinha que nenhum dos grandes do momento conseguiu e certamente o colocará numa posição ainda mais elevada na consideração pelo GOAT.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E por tudo isso hoje é Natal no Mundo dos Extraterrestres. Sem sombra de dúvidas , o Velhinho é o Atleta mais Genial da história deste Esporte. E reconhecido até mesmo por seus maiores Oponentes. Vida longa ao Craque Suíço . ABS !

      Responder
  18. Luiz Fernando

    Para os cinéfilas, neste momento esta passando no TCM o icônico filme “Daqui p a eternidade”, incrível e para a época muito “avançado”. Um comentário q sempre me vem a mente é q há uma menção ao filme no ” O poderoso chefão”, quando o cantor/ator afilhado Johnny Fontane pede ao padrinho Vito Corleone um papel que poderia revitalizar sua carreira, uma referencia obvia a Frank Sinatra, q atua no filme…

    Responder
    1. periferia

      Olá luiz

      O título é conhecido no Brasil como A Um Passo da Eternidade.
      E realmente o filme levantou a carreira do Frank Sinatra.
      Johnny Fontaine é Frank Sinatra.
      A mafia fez consultoria para o filme…..com muitas informações para Coppola e até mesmo Marlon Brando foi influenciado por mafiosos para compor Dom Corleone.
      Frank Sinatra levou o oscar pela atuação do personagem que tinha descendência italiana.
      (Acredito que a cabeça do cavalo seja ficção….mas a ajuda com o sindicato de Hollywood é verdadeira)

      Abs

      Responder
  19. Miguel BsB

    O pessoal tava comentando da beleza das jogadoras e esqueceram da gatíssima Camila Giorgio…
    Uma das mais gatas do circuito com ctz! Classificada pras semis em Palermo….

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        E segundo Novak , provavelmente o maior jogador que já empunhou uma Raquete . Idem para Nadal . Porque será inteligentíssimo Piloto ??? kkkkkkkkkkk Abs!

        Responder
  20. Luiz Fernando

    Aí Gabi, viu o Boston ontem(?), parece uma fênix ressurgida das cinzas. Tatum jogou muito mas me impressionou o q esse Robert Williams, tão criticado no draft, jogou na parte defensiva. Vamos q vamos…

    Responder
    1. Gabi

      Que jogo absurdo faz a franquia Boston Celtics. Independente do desempenho do Raptors, o que me anima é a nossa postura. Defesa sólida, espaçando bem a quadra, atacando o aro, escolhendo bem os arremessos, ligados nos rebotes.
      Estou muito satisfeita.

      Responder
  21. periferia

    Olá

    Na França ontem teve 2288 novos casos do Covid……no dia anterior eram 1600….ao que parece…. o virus é mais resistente que o desejo dos promotores de eventos esportivos….ou apaixonados pelo esporte.
    Nenhum torneio está garantido…..até Roland Garros pode ser cancelado caso continue subindo o número de infectados.
    Os Estados Unido Unidos fará o USOpen ….mesmo sendo o país com mais óbitos e infectados do planeta….celebração?
    “Como saber…” (diria aquele personagem Shakesperiano)

    No Brasil se joga futebol profissional do lado de um hospital de emergência onde pessoas morrem ( o gol é comemorado enquanto o aparelho de sinais vitais informa …traço ).
    Quem decide se deve fazer o teste de covid é o clube e não a vigilância sanitária ( time não pode entrar desfalcado em final ).
    Quando o teste é feito ….se descobre que o resultado positivo foi um engano ( conspiração contra o energético mundial).
    E quando alguém fica horrorizado com tudo isso…alguém logo diz:
    ” isso é o novo normal…..qualquer coisa tem sempre um tratamento a base de ozônio ”
    Fico preocupado….não com o “novo normal”….mas com o azônio…(sou humano).

    Enquanto isso no Brasil…..
    100.000 mortos (cada um …o amor de alguém) .

    O grande filósofo contemporâneo Tiririca diria:
    “Não acredite na mentira porque ela não é verdade” (esse sim…nosso maior expoente).

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Esse cenário é a cara de filme que tenta apresentar um apocalipse. Bem ao modo atual, em que se comenta muito sobre filmes.
      Mas é triste…

      Responder
  22. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    não sei se entendi o motivo do Bellucci ter ficado reduzido ao Future.

    Até o fim do ano não haverá torneio de nível Challenger, é isso?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Vai ter sim, mas são poucos e a maioria com 32 jogadores. Assim, o ranking dele deste momento não permite entrada direta. Mas ele deve conseguir entrar mais para a frente.

      Responder
  23. Rubens Leme

    Legal o podcast com o Bellucci, Thomaz, um dos mais criticados pelo sofasistas. Uma pena que tem apenas um future pra disputar mas tem uma vantagem que é de jogar sem nenhuma pressão, já que ninguém espera mais nada dele.

    Bellucci é muito mal tratado dentro do Brasil, pelos “entedidos” e tem uma carreira excelente. Tomara que possa se aposentar com um ranking mais digno.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Sei que vai ser difícil.

      Mas vou torcer pro Belo ganhar do Wild amanhã. (rs)

      Mesmo sendo uma exibição, isso seria ótimo para sua confiança…

      Responder
  24. Emerson Nogueira

    Boa noite me desculpem mas o Blogueiro renomado dizer que não vai estar vazio o torneio tanto o masculino quanto o feminino e olhe lá alto lá se houver qualquer pessoa que não pense em money teria essa aceitação,mas ficam incitando uma ireesponsabilidade!

    Responder
  25. Oswaldo E. Aranha

    Luiz Fernando, concordo com tua manifestação quanto à beleza da Claudia Cardinali, o que tive a oportunidade de constatar pessoalmente na tribuna do Maracanã; realmente era uma mulher lindíssima.

    Responder
    1. Rubens Leme

      Uma foto de Claudia Cardinale contava na parte interna do LP duplo Blonde on Blonde, de 1966, de Bob Dylan, retirada em futuras reedições por problemas legais. Foi uma foto tão emblemática quanto aquele post de ciclistas nuas do disco Jazz, do Queen ou a capa e contra-capas originais do Electric Ladyland, do Jimi Hendrix.

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Sabe eu imagino a Claudia e a Rachel Welch na mídia com os recursos que hj turbinam a imagem das mulheres, se sem isso elas já eram maravilhosas já pensou na atualidade????

      Responder
  26. Daniel

    Já nas bastasse a fraca concorrência que Nadal e Djokovic enfrentam nos últimos 5 anos pelo menos (me refiro à garotada) ainda vão disputar GS esvaziados por conta da pandemia. Assim é fácil acumular GS após os 30…

    Responder
        1. Gildokson

          Caso ele não consiga? Kkkkkkkkkkkkk Esquece isso camarada.
          Chega ser até engraçado como vocês esquecem o Nadal.
          Parece até que só basta ganhar “apenas” mais 4 e passar o gênio suíço. E o Nadal? Djokovic ja ultrapassou ele Paulo? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Esquecer por quê?

            Apesar da pandemia, o GOAT Djokovic ainda tem tempo para ultrapassar os 20 Slams do rei da entressafra. Não esquecemos do Nadal: ele também pode ser o maior recordista.

            De qualquer forma, o sérvio é o campeão moral de Wimbledon 2020 e, se for preciso, esse título será contabilizado num eventual desempate.

    1. Jonas

      A garotada é excelente. Essa nova geração é ainda melhor que a anterior.

      Só que não há muito a se fazer quando se joga na era big3. Murray que o diga, Delpo…

      O Thiem coitado, baita jogador, já poderia ter alguns títulos em RG fossem outros tempos.

      Discordo quando você diz que é “fácil” ganhar após os 30. Besteira, está cada vez mais difícil. A duríssima final do Australian Open 20 deixa isso claro, assim como a final do US Open 19.

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Já são 3 e 4 anos após os 30 para Djokovic e Nadal respectivamente. E é a primeira vez que temos uma situação como essa.
      Melhor rever essa avaliação.

      Responder
  27. Sandra

    Dalcim , no feminino a grande maioria desistiu do Us Open , e s grande chance da Serena , você acha que s provável vitória dela tiraria o mérito dela ,? Dos homens ainda estarão bastante tops !

    Responder
  28. eduardo Tieppo

    Dalcim,
    Acho que não podemos falar em ‘Pós-Pandemia”, estes torneios irão ocorrer em plena pandemia, inclusive em locais de epicentro como EUA. Djoko ter tido Covid-19 pode aparentemente parecer benéfico (do ponto de vista de infecção), mas tenho alguns amigos (inclusive médicos) que contraíram Corona, se curaram e, mesmo após 2 meses ainda sentem cansaço excessivo em tarefas que antes não tinha cansaço. Claro que Djoko tem por ser atleta uma capacidade física melhor, mas também tem uma dependência física para jogar em alto rendimento maior, será que ele jogará 100%??

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Esse é uma excelente questão, Eduardo, lembrando que Nova York costuma ser muito exigente no verão. Vamos ver como ele se sairá na semana do Masters.

      Responder
  29. Carlos Andrade

    Novak vai ter o público perfeito para seu tênis sem sal e sonolento no U.S OPEN: As moscas!

    Pela primeira vez em muito tempo não teremos nenhum dos cinco melhores tenistas de todos os tempos disputando um slam.

    Responder
  30. Paolo

    Luiz Fernando, você que gosta de faroeste conhece Era uma vez no oeste?

    Nesse excelente filme Charles Bronson é um cara muito duro, que fala as verdades na lata, mas ao mesmo tempo é protetor e territorialista , ensinando homens frouxos e cretinos como lidar com a sua mulher e cuidar dela sem perder a masculinidade, e liderança.

    Outros caras fodas marcam presença no filme como Django(Franco Nero). Tem também vilões cretinos que levam balas no meio da testa. Sei que muitos desse Blog preferem Transformers, mas vejam esse filme. Abs!

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Henry Fonda é o vilao com letras maiúsculas, Jason Robards também excelente, a música é ótima, trata-se de um filme excelente p se ver. Além de tudo, temos Claudia Cardinale, linda. Agora, a bem da verdade, também gostei de Transformers…

      Responder
  31. Luiz Fernando

    Dalcim, no site já há a menção óbvia, vc e eu já até conversamos sobre isso antes, de que Thiem será o principal adversário do Djoko no USO. O austríaco jogou um grande AO, teve grande chance de vencer o torneio, vem disputando torneios seguidos, ganhando a maioria e claramente deve estar com mais ritmo do q o sérvio. Vc julga q sob este prisma a principal vantagem do sérvio seria, no momento, mais a mental e menos a técnica? Eu penso q sim, Thiem, numa hipotética final, certamente sentirá mais…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não tenho dúvida que a parte mental joga muito a favor do Djoko, Luiz, ainda mais numa eventual final, onde o sérvio é muito rodado e o Thiem já criou uma certo fantasma.

      Responder
  32. Rafael Azevedo

    Dalcim, devo ter passado desapercebido nos posts e artigos passados, mas estou com uma dúvida sobre o ranking.
    A ATP disse que o novo sistema de contagem de pontos duraria até 12/2020. O que acontece em Janeiro?
    Por exemplo, se Nadal não jogar USOpen, ele vai manter os 2000 pontos até Dezembro, mas, ele perde em Janeiro?
    Outra dúvida…o novo sistema é válido para os torneios disputados antes da pademia? Como o range é de 22 meses, Nadal poderia utilizar a final do AO 2019, no lugar das quartas de 2020?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, o sistema vale a partir de março de 2019 e basicamente o tenista pode substituir um torneio de 2019 por um de 2020 dentro desse período. E os pontos serão retirados conforme cada torneio for disputado em 2021. Ou seja, Australian Open cairia no final de janeiro mesmo, mas Roma em maio e Roland Garros em junho, desde que obviamente aconteçam nas datas normais.

      Responder
  33. Rubens Leme

    Dalcim, estou vendo a versão (bem ruim, por sinal) do filme em que a Agatha Christie fez sobre tênis: Os Quatro Grandes.

    Já viu ou leu?

    Responder
      1. Rubens Leme

        Só para constar não é sobre tênis, apenas brinquei com o título original: The Big Four.

        Foi uma tentativa dela de fazer um Poirot aos moldes de Sherlock Holmes e até James Bond. Até viagem de submarino acontece. A crítica odiou justamente por causa disso, mas foi um dos primeiros que li dele e adorei na época.

        A versão de tv é uma lástima, mas o livro vale uma tarde.

        Responder
      1. Vitor Hugo

        O forehand do sérvio é muito bom mesmo, mas está longe da eficiência e poder de fogo do suíço e espanhol.

        Sobre os 100 melhores backs, com certeza também é possível 100 golpes espetaculares tanto de Rafa quanto Roger e muitos outros, apesar de não comparáveis com os de Novak.

        Responder
        1. Jonas

          Sim, por isso eu disse que é um golpe muito bom. Acho apenas pouco reconhecido. Quanto ao forehand dos outros dois, é até difícil escolher, mas fico com o do Federer.

          Responder
  34. Vitor Hugo

    Não fiz quaiquer provocação, apenas mostrei os fatos: Federer, apesar de não vencer o u.s open há anos, é o tenista com melhor número de títulos e currículo por lá. Depois vem Nadal. Depois Novak. Da atual geração.

    Responder
  35. Luiz Fernando

    Kyrgios disse q talvez não jogue em 2020, perto das ausências do Big3 é como se o Paulista de Jundiaí não entrasse em campo em algum torneio…

    Responder
  36. Marcelo

    Dalcin,

    Seria muito interessante fazer um post com os ‘candidatos aos títulos dos SLAMs no início deles, já com as chaves definidas, como sempre, mas deixando a porta aberta para comparar com a ‘realidade da volta’ (pós-torneio). Pelo que vejo em outros esportes, há vários esportistas que treinaram pouco ou nada durante a pandemia e será divertidíssmo SE houverem grandes surpresas ou mudanças

    Responder
  37. Rubens Leme

    Bom dia, Dalcim, conseguiu assistir a primeira partida da final, inteira, ou assim como eu, dormiu pesado no segundo tempo e só acordou depois da meia-noite apenas para checar se havia sido realmente um oxo?

    Rapaz, foi de longe, a pior partida decisiva que vi em um Dérbi e olha que o meu primeiro foi aquele do Paulista de 1979, em que o Vicente Matheus parou o Paulistão, e ele foi jogado apenas em 1980, em que o Palmeiras do Telê estava arrebentando.

    Ainda que as duas defesas tenham jogado bem, a indigência técnica e tática foram assustadoras. Luiz Adriano, Rony, Zé Rafael passaram o primeiro tempo sem conseguir acertar uma bola. E, no segundo tempo, sempre entram aqueles de sempre – os soninhos Scarpa, Veiga e o Bigode. Aí é que dormi mesmo!

    Foi um jogo maravilhoso para botar os filhos de castigo e, como punição, os obrigar a assistir, não uma, mas duas vezes seguidas.

    O horrror… o horror!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tive esperança de um gol até o fim, Leme, mas foi um jogo chato mesmo, ainda mais o segundo tempo. Mas quem viu as quartas e a semi dos dois times já não poderia ter esperança de grande futebol.

      Responder
    2. Gildokson

      É por essas e outras que eu não vou no estádio. Imagina pagar 80 ou 100 reias pra ver aquilo?
      Aquele bando de milionários que não conseguem dar um drible num zagueiro e bater pro gol, é o fim do nosso futebol.
      Graças a Deus amanhã tem Champions pra limpar nossas vistas.

      Responder
  38. periferia

    Olá
    Meu filho fez uma malcriação.
    Dei um castigo pesado para ele.
    Vai ter que assistir Palmeiras x Corinthians no sábado .
    O garoto está inconsolável.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pois é, periferia . Já que falaste da sonolência da “ F 1 “ , eu diria que se ambos disputassem o Campeonato Carioca chegariam em TERCEIRO kkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
  39. periferia

    Olá

    Hoje descobri que os estados de Raraima e Amapá não possuem uma máquina de quimioterapia…pessoas diagnosticados com câncer tem que se tratar em outro estado…muitas pessoas não conseguem….morrem.
    O Brasil sempre surpreendendo (negativamente).

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      O Amapá é muito dependente de Belém. Quem fica adoentado acaba sendo quase que obrigado a arrumar ajuda médica no Pará. Triste situação do Brasil.
      Abs

      Responder
  40. Rubens Leme

    Dalcim, vai ser legal ver Wild x Bellucci e a volta da Bia esses dias. Os dois melhores brasileiros da década estão precisando dar a volta por cima. Estou curioso para vê-los? O que se acha que podemos ainda esperar deles?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tenho dito que Wild e Bia são de longe as nossas maiores esperanças de jogar lá no alto nível. Já o Bellucci precisa resolver muitas coisas, especialmente a confiança, e acho que o tempo joga contra ele.

      Responder
  41. Miguel BsB

    Thiem e Tsisipas estão com ritmo de jogo bem maior que o resto dos concorrentes do USOpen…
    Thiem tá batendo em todo mundo nesses “jogos treinos”.
    É cabeça de chave 2.
    Tem jogado bem em quadras duras.
    É uma boa aposta colocá-lo na final do torneio…com grandes chances de bater campeão.

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Pra mim tem tudo para ser um torneio meia-boca, e bem esquecível…

        E o Djokovic conta com amplo favoritismo e experiência.

        Abaixo dele há nomes como Thiem e Medvedev que não podem ser desprezados.

        E portanto, com uma chance de saírem do zero.

        Só que eu, particularmente, não acredito.

        Acho que o sérvio vai faturar sim esse décimo-oitavo título, e com relativa folga.

        Principalmente no caso de ter um sorteio amigo…

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Relativa folga ? Oh , loco rs Pode até levar ( é o favorito ) , mas vai sofrer , Rodrigo. Consigo imaginar o Sérvio argumentando que sua dificuldade em respirar , é devido ao COVID 17 que ele teve rsrsrs … Abs!

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            O Djokovic pra mim, Sérgio, não cheira e nem fede…

            Bato nele sem tréguas aqui, unicamente pelo ranço que nutro do segmento xiita.

            Mas acho muito difícil de alguém pará-lo.

            Verdade seja dita (sempre) .

            Deveras se dependesse apenas da minha vontade, ele não passaria da estréia… (rs)

  42. Rubens Leme

    97 mil mortos, Até sábado passaremos de 100 mil e a continuar neste ritmo de 1200 por dia, passaremos de 250 mil e podemos bater os 300 mil, em 31 de dezembro.

    Gripezinha danada essa! Aja ozónio como quer o prefeito de Injetaí, ex-Itajaí.

    Responder
  43. Luiz Fernando

    Vou retribuir a sinceridade do Vitor abaixo, dizendo desejar q Nadal vença o USO (antes dele anunciar q não vai ao torneio) p se igualar a Federer (aqui é ou não é diversão garantida?????) e vou expor meu desejo guardado a 7 chaves: do fundo do coração quero q Federer vença todos os GS, e a medalha de ouro olímpica, em 2021 kkkk.

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Eu apenas questionei o porque dele não ir pra New York, pois é o segundo torneio favorito do espanhol com currículo apenas inferior a Roger. Seria o favorito pra vencer.
      Cara, vc pode até não acreditar, mas desencanei desse negócio de recorde de slam. Pelo menos estou bem mais relax em comparação com antes.
      Claro que quero que Roger vença mais e mantenha seus números, mas se acontecer de alguém supera-lo, que assim seja! Mais cedo ou mais tarde vai acontecer

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Se acontecer de alguém superá-lo, que então seja o Nadal, porque você obviamente odeia bem mais o Djokovic. Daí essa sua “torcida” pro espanhol.

        Responder
    2. Paulo F.

      Os caprinocultores tanto apanharam e sofreram do Nadal que acabaram se afeiçoando por ele, Luiz Fernando.
      Vivo postando aqui o nome dessa síndrome.

      Responder
          1. Luiz Fernando

            Vc repudia igualmente quando seus amiguinhos de torcida tripudiam ou tripudiaram no passado sobre os adversários? Acho q não, mas aí vale né kkkk. Aqui é diversão garantida…

  44. Wagner froes

    Boa tarde Dalcim
    Quem tem mais chances de ir mais longe no us open e em Roland Garros , Luísa Stefani, Marcelo Melo ou o Bruno Soares?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a Stefani tem menores chances que os outros dois pela experiência. Melo e Soares têm ótimo retrospecto nos dois torneios, então talvez Bruno no US Open e Melo em Paris.

      Responder
  45. Paolo

    Dalcim, porque a maioria dos tenistas não se apega aos seus pontos fortes, da mesma maneira que se apega ao fracos?

    Me parece que focam muito a atenção nas “mensagens enganosas do cérebro”. Deveriam ser desacreditadas sempre que surgirem.

    Esse é o grande diferencial mental de Rafael Nadal, e Novak Djokovic para os demais jogadores-, não importa o o quanto as mensagens pareçam ser verdadeiras, eles sabem que são falsas.Acreditam o tempo inteiro durante a partida que podem vencer o jogo. Abs!

    Responder
      1. Paolo

        Essa foi a pergunta que te fiz: porque a maioria dos tenistas não se apega aos seus pontos fortes, da mesma maneira que se apega ao fracos? Abs!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Os tenistas profissionais sempre se apegam em seus pontos fortes, Paolo. Aliás, é uma regra básica do tênis: num ponto importante, arme o ponto para seu melhor golpe. Claro que a maciça maioria tenta compensar os pontos mais frágeis com treinamento, algumas mudanças de postura técnica ou tática, mas todos se voltam sempre para o ponto forte.

          Responder
          1. Paolo

            É essa a resposta? bom,não é isso que vejo com a maioria dos jogadores na prática. Obrigado por responder.Abs!

          2. José Nilton Dalcim

            Sim, é exatamente isso o que acontece no circuito profissional. Todo jogador trabalha para jogar com seu ponto forte – o amador deveria tentar fazer o mesmo – e protege o seu ponto mais vulnerável.

  46. Arthur

    Vai ser o US Open mais esvaziado da história, Dalcim, em um dos momentos mais tristes da história da humanidade.
    Acho que a grande reflexão que devemos fazer é: vale a pena arriscar a vida de tanta gente (jogadores, árbitros, boleiros, ajudantes, etc.) só por causa do dinheiro?

    Um abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, é uma boa discussão. Mas talvez seja exagerado “arriscar a vida” no caso de atletas desse quilate, não achas?

      Responder
  47. Paulo F.

    Já dão como favas contadas tanto mais um título para o Nadal em RG quanto um campeão inédito em US Open, desconsiderando o poder de Djokovic no piso duro e sua posição no ranking.
    Que Síndrome de Estocolmo desses caprinocultores, beira o ridículo.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ô cara mentiroso! (rs)

      Não vi quase ninguém tirando o favoritismo do Djocovid 17

      O que teve foi nolistas já dando COMO CERTA a vitória do sérvio sem sal.

      E falando até em “slam parrudo”.

      kkkkk

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Qual nolista deu vitória certa pro Djokovic? Dê nome aos bois.

        E outra: se a vitória é tão certa, então não é Slam parrudo. Não caia em contradição.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Quem caiu e cai em contradição quase toda hora é você, cara.

          E acabei de dizer exatamente isso sobre você abaixo.

          Qual a razão de você imitar a minha fala pela enésima vez?

          Incrível essa inveja latente que você tem de algumas pessoas!

          Não gosto de trocar ideia com você, devido ao ranço que eu sinto, mas vamos lá:

          Você SEMPRE defendeu que um “slam qualificado” (para não usar aquele teu termo irritante) necessariamente requer derrotar um Big 3 no torneio.

          Inclusive você usa e abusa do mote para reforçar a falácia da suposta entressafra do Federer.

          Ou seja, ele só teria ganhado 20 slams porque em muitos deles não enfrentou outro Big 3, certo?

          Só que no US Open 2019, quando nem ele e nem o Djoko estavam mais na chave, você mudou a versão.

          Escreveu aqui e eu LEMBRO bem que o Nadal teria um slam qualificado mesmo vencendo o novato Medvedev.

          Um verdadeiro contrassenso!

          Sim, o Medvedev é um bom tenista, mas sequer experiência em finais de slam ele tinha.

          Como então compará-lo a um Big 3?

          Fora que o Nadal além de não enfrentar Big 3 nenhum, ainda pegou um caminho tranquilo.

          Vejamos: Milman, Kokkinakis, Cilic, Schwartzman, Berretini e Medvedev!

          Até rodada bônus com o W.O. do Chung na terceira rodada, o Nadal teve!

          É portanto muita sem-sem-vergonhice intelectual dizer que isso dessas merece ” slam qualificado” – mesmo vindo de você! kkkk

          Já no contexto atual, em que não teremos Federer e nem Nadal em 2020, o Djokovic (segundo você) já pode ter um slam diferenciado se unicamente ganhar de caras como: o próprio Medvedev, o Murray, o Delpo, etc.

          Inclusive os dois últimos citados, como você bem sabe voltam de cirurgias complicadíssimas, e dificilmente irão competir em alto nível.

          Mas nada que vem de você me surpreende nem um pouco.

          Pois quem trabalha com a verdade constrói narrativas adstritas aos limites da verdade.

          Quem trabalha com a mentira, investe em narrativas que a todo tempo mudam.

          Pois assim, elas se adequam às conveniências do momento.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            * errata:

            É portanto muita sem-vergonhice intelectual dizer que isso mereça ” slam qualificado” – mesmo vindo de você.

        2. Paulo Almeida

          Deu rodeios, mudou de assunto e não deu nome aos bois, pois os fatos são que nenhum nolista apontou vitória certa do sérvio e que a sua contradição NESSE POST é clara como água cristalina. As minhas supostas contradições não vêm ao caso aqui, entendeu? E por isso mesmo não irei responder ao seu textão.

          Inveja do quê, cara? Kkkkkkkkkk

          Sério, me aponte algum motivo para eu te invejar, pois não consigo enxergar absolutamente nada.

          P.S.: Percebo que continua sentido depois do esculacho que levou do Jonas. Eu, no seu lugar, teria dado um tempo do blog para refletir e voltar pelo menos um pouquinho melhor…

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Sim, sim.

            É a dupla dinâmica!

            “manhê, sama o Jonas ou o fakezinhu pla me azudar”.

            “manhê, sama o Almedinha pa mi defendê”.

            kkkkk

  48. Marcelo

    Acho que a frase aqui, aparte ao drama em que muitos vivem no momento, seria: “O show tem que continuar”. E é o que está acontecendo de fato: Os núemros da pandemia nunca estiveram piores (em contaminação e mortes). O medo de alguns de sair as ruas já está suplantado a muito pela necessidade de voltar a vida. E com o tênis não é diferente. Um grande aprendizado a uma geração inteira que não passou por guerras ou outra intempérie.

    Responder
      1. Barocos

        Vitor,

        Rapaz, espero que você tenha escrito isto dentro de uma piscina olímpica vazia e depois chamado o pessoal do Butantã para recolher, você iria ficar milionário! Haja veneno !!

        KKKKKKK

        Responder
        1. Vitor Hugo

          Magina, Barrocos! Rs. Segundo o nobre Danilo Afonso, a torcida do sérvio é a que mais cresce no mundo.
          Senti falta dele aqui para contestar o que eu escrevi. Rs

          Responder
  49. Rubens Leme

    Oi Dalcim, dias destes falavam com um colega sobre ex-jogadores do passado, os bons e os pernas-de-pau. Acabamos entrando na F-1 e até no tênis. O ácido corria solto nos nossos comentários e comentei que muitas vezes somos arrogantes ao falar de um ex-profissional e contei a ele a seguinte história.

    Já disse aqui, uma vez, que na minha família tivemos alguns boleiros que deveriam ter sido profissionais, mas que tiveram o sonho destruído por contusões sérias. Um dos meus primos já estava no time profissional da Ferroviária, com 19 anos, quando pisou em um buraco, arrebentou os ligamentos e nunca mais conseguiu ser profissional. Andou deprimido por muito tempo, mas hoje é advogado.

    O outro era ainda melhor, um ponta-esquerda de chute infernal, mas também se ferrou ainda juvenil. Bom, eles contam que estavam com uns amigos, há muito tempo, falando da vida, de futebol, quando surgiu o mesmo tema. A moçada descia a língua para falar daqueles “pernas-de-pau”, “nós cegos” etc e tal, até que um dos meus primos, que tinha participado pouco do papo, lascou:

    – Olha aqui, vocês nunca jogaram bola de verdade, mal sabem dominar, mas eu faço um desafio. Se quiserem, caço na região alguns desses caras que vocês gozam e que estão aposentados e marco um amistoso com o time de vocês. Dou cinco gols de vantagem e duvido que consigam marcar mais do que um. Aposto o que vocês quiserem.

    Foi um bafafá e o desafio foi aceito. Durantes meses, meu primo foi atrás de um monte deles, nas horas livres, e juntou mais de 20, enquanto o outro time fazia treinos diários e contrataram até um técnico e um preparador físico e prometeram maneira na cerveja e na picanha até a partida.

    A fofoca correu tão grossa, que marcaram a peleja para o acanhado estádio municipal, com apoio da prefeitura e ingressos revertido para a APAE e ajuda de custo da prefeitura para trazer os ex-jogadores, com ônibus e almoço depois.

    O estádio encheu e no placar, antes do início, você lia: TIMA RUIM 0X5 TIME DOS CRAQUES. Seria um jogo com dois tempos de 30 minutos.

    Esse era o clima.

    Quando os jogadores entraram, o público riu. A maioria dos veteranos mal cabia nas camisas e uns estavam mancando. Todo mundo achou que meu primo havia enlouquecido. Eu saí de São Paulo e corri para ver a partida e até pensei em fazer uma história pro jornal, que gostou da ideia, mas nunca publicou.

    Bom, com dois minutos de partida “o pior zagueiro da história”, com 20 kg a mais na barriga, subiu e meteu um míssel: 1×5. Com o tempo, o “time ruim”, começou a colocar os “craques”, na roda, que não ganhavam uma dividida, não conseguiam dar três passes certos ou sequer chegar na área adversária. Os volantes veteranos deram umas chegadas mais fortes – nem tanto – e deixaram os meias rivais em pânico.

    Assim, começaram a “brincar em campo” e antes do primeiro tempo terminar, já tinham virado para 6×5. Ao final dos 30 minutos, fizeram 8×5. E ainda tinha o segundo tempo.

    Foi então que meu primo resolveu ser maldoso. Tinha guardado para a etapa final, dois dos jogadores mais criticados na rodinha daquele dia – um ponta-esquerda que “só corre e não sabe pensar” e um centroavante “que não fazia gol nem em goleiro cego”.

    Meu primo tinha os avisado que haviam sido os mais criticados e para azar do “time de craques”, ainda estavam magrinhos, em forma e com vontade de fazerem os rivais engolirem as palavras.

    Quase deu dó do outro time: 22×5!, com sete gols do centroavante, dois do ponta-esquerda. A humilhação foi tão grande que o goleiro do time vencedor sentou em cima de uma bola dentro do gol pedindo para que os rivais chutassem de qualquer distância. Nenhuma bola chegou. Aliás, nenhuma bola foi em direção a ele durante os 60 minutos.

    Até hoje eu conto isto e muita gente me chama de mentiroso. Até meus primos entraram na partida, mesmo sem condições físicas, mas perto dos rivais, pareciam Falcão e Rivaldo desfilando.

    Nunca mais os “sofasistas” falaram mal daqueles caras, sequer quiseram uma revanche.

    Responder
    1. periferia

      Olá Leme.

      Essas resenhas são muito interessantes…homens em uma mesa discutindo preferências….lembrei de uma …musical.

      Em uma mesa com vários conhecedores e estudiosos da música brasileira…regado a muito chopp e whisky.
      Miêle disse:
      ” O maior cantou do Brasil foi o Simonal”.

      Houve um certo desagrado….alguns balançaram a cabeça.
      Miêle então perguntou:
      “Então tá…Quem?”
      Houve um silencio….a pergunta ficou sem resposta.

      O trecho está no ótimo documentário Ninguém sabe o duro que dei.

      Responder
    2. Miguel BsB

      Rubens, que história sensacional! Temos a mania, como fãs de esportes amador, de criticar, muitas vezes pesadamente, atletas profissionais…faz parte…
      Mas é claro que eles tem uma mémoria muscular, cerebral e física, fora habilidade acima da média, gravada em anos e anos e anos de treinos e jogos.
      Jogava em um time de peladeiros em que algum dos caras eram amigos do Amoroso, grandíssimo atacante brasiliense do Guarani, São Paulo, Parma, aliás, foi artilheiro de uma edição do campeonato italiano.
      Os caras armaram com o Amoroso uma pelada de confraternização há 3 anos atrás, e lá fomos nós pra Campinas…Rapaz, jogamos em um campo na casa de um amigo do Amoroso, que ainda trouxe uns caras que tinham jogado com ele na base do Guarani, mas, por diversos motivos, não foram pra frente na carreira. Não vimos a cor da bola, ele brincou…dps ele jogou um tempo no nosso time.
      Um craque como o Amoroso (pra mim entra na definição de craque), estava recém aposentado, é “imarcável” para nós amadores…a velocidade, capacidade de drible e arremate dele é algo muuiitoo acima da nossa, peladeiros amadores. Mas foi demais a experiência e a “resenha” com churrascão depois…
      Trazendo pro tênis, fica aí pra quem gosta de chamar monstros do esporte de baloeiros, entressafra, bagres, bailarinas, cabeça fraca, etc…vai jogar um set contra eles e se fizer um ponto sai no lucro…

      Responder
      1. Rubens Leme

        Quando Zagallo, em 1995, quis adotar o 4-3-1-2, na seleção, e procurava o “1”, que seria o “engache argentino” brasileiro, o primeiro que ele pensou foi no Amoroso, que era muito mais um segundo atacante, um ponta-de-lança espetacular.

        Amoroso jogou muito, se especulava que poderia vir pro lugar do Rivaldo quando o Palmeiras o vendeu para o Deportivo La Coruña. Fez história também no Borussia Dortmund. O Palmeiras só foi campeão brasileiro de 1994, porque ele arrebentou o joelho, justamente antes de pegar o Palmeiras no mata-mata. Sem ele, o time campineiro dependia demais do ainda jovem Luizão. E, acredite ou não, um pouco antes de sair, em 1995, ele jogou num trio com Luizão e Djalminha.

        Imagine hoje uma equipe do interior com um trio destes! Aliás, imagine qualquer equipe atual. Sobrava craque naquela época.

        Responder
        1. alessandro sartori

          Foi o melhor Guarani dis ultimos 30 anos…fui ver um jogo desse time contra o santos que tinha giovani…o placar foi 3 a 1 santos no brinco de ouro, giovani fez um dos gols mais bonitos de sua carreira…ainda que o bugre tinha esse trio de craques, nesse dia nao deu…

          Responder
  50. periferia

    Olá

    Zapeando a TV….assisti um depoimento do jornalista Guga Chacra sobre o Líbano…ele neto de libanês ….morou em Beirute durante um tempo…. fez um depoimento emocionado e emocionante sobre o Líbano (descrevendo os bairros de Beirute….cidades….lugares interessantes).
    Pais que já foi uma pérola do Oriente nos anos 50….com muita pluralidade e beleza.
    Hoje destruído pelo radicalismo e sem condições de voltar a ser o que já foi um dia.
    A explosão de hoje é quase uma pá de cal no país (em grave crise econômica).
    Enquanto descrevia o Líbano….Guga Chacra chorou.
    Nossa aldeia….é sempre nossa aldeia.

    Responder
  51. Alexandre

    Dalcim! Quanto ao Thiago Wild, até onde você acha que ele pode avançar no USO, sem sequer fazer um jogo profissional após pandemia?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que tudo depende do sorteio da chave. Também não sabemos como estão a maciça maioria dos demais inscritos, mesmo os cabeças de chave. Um Kei Nishikori, por exemplo, será cabeça mas está sem jogar há quase um ano.

      Responder
  52. Mário Cesar Rodrigues

    Com todo respeito aos internautas muita gente não irá nem USOPEM e nem RG mas que imbecilidade,é ir para USA é o mesmo de ir para uma Guerra.e outra coisa RG não está oficialmente nada confirmado.me desculpem amo o tênis mas quem ficou 4 meses sem torneio fica até o AO e também no que acontece no mundo vai ser muito perigoso. Mas quem quer ir vai nem Roma está confirmado.abs

    Responder
  53. Vitor Hugo

    Nadal deveria jogar o u.s open. Uma pra empatar com Federer no número de conquistas no slam americano. Outra, e a principal, igualar o suíço no número de majors e ainda com grandes possibilidades de deixar o suíço para trás no slam francês, onde provavelmente vencerá.
    Deveria tentar garantir em New York – onde joga muito bem e é o segundo melhor jogador da atual geração – a igualdade com Roger. Vai que perde RG…. É a chance de ouro e não sei se ano que vem Nadal vai ganhar algum slam.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Concordo que o Nadal é o segundo melhor dessa geração, atrás do GOAT Djokovic. No entanto, é óbvio que ele não seria o maior favorito, mas sim o sérvio rei absoluto do hard court, já que por enquanto está livre de qualquer lesão.

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Afirmação controversa Paulo, nos últimos anos não tem sido assim, mas concordo que neste ano mesmo q Rafa jogasse o Djoko é o principal favorito.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Luiz, pode ser controversa, mas o cara colocar o Nadal como maior favorito é puro haterismo. Não houve nenhum Djoko X Nadal recente no US Open para concluirmos isso, fora que o espanhol não tira um set do sérvio na quadra dura desde 2013.

          Responder
      2. Vitor Hugo

        Não disse isso. Não escrevi em japonês. Federer é o melhor tenista e o melhor no u.s open, seguido por Nadal.
        Cara, parece que vc não cresce, hein? Gosta de um mimimi

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          É porque você tem ser bastante didático, Vitor.

          Do contrário esse elemento distorce tudo que você escreve.

          E com a cara MAIS LIMPA desse mundo…

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Você coloca o Djokovic em primeiro, e o Nadal em segundo.

            Qual o problema então do colega colocar o Federer em primeiro e o Nadal em segundo?

            Desde quando isso é provocar?

            Repare que ele não faz qualquer menção desabonadora ao sérvio.

    2. Sérgio Ribeiro

      Me engana que eu gosto , divertido Vitor . Você quer mesmo que Nadal chegue mortinho em Rolanga , e Novak apanhe da Next Gen. Com isso o Craque mesmo lesionado , se mantém na ponta , e volta com tudo em 2021 kkkkkkkkkk Abs!

      Responder
  54. Efraim Oliveira

    Finalmente voltaremos a ter notícias sobre torneios, acabou o período de fofocas.

    Estou afim de perder dinheiro, vou apostar no Monteiro como um colega tá apostando por aqui rsrs. Vai que ele repete a façanha do Guga… e eu ganhe $$$ rsrs.

    Responder
  55. Sérgio Ribeiro

    Esse “ deu a lógica “ não foi compartilhado por muita gente , caro Dalcim . Nós já vimos antecipando há muito . O Espanhol quando resolveu se inscrever inclusive em Cincy , levou a maioria a pensar o contrário. Quem poderia imaginar que o Espanhol abriria mão de um SLAM , com Federer fora , e seu principal oponente dando pinta que iria aos dois ? Óbvio que nas últimas semanas deu a dica . Mas tem muitos que ainda não se decidiram . Mas não tenho dúvidas que agiu de forma pra lá de inteligente. Deixa o Sérvio se desgastar e vai com tudo para o Saibro. Vai tentar o vigésimo no quintal de sua casa . Abs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Ps. Galvão Bueno já bem grandinho e afirmando que Bottas igualou o feito de Hamilton . A telemetria da Mercedes pegou o Inglês desesperado com Verstappen, com os pneus se deschapando a 230 km/h. Bem diferente de se dirigir ao Box como fez Valtteri…Abs!

      Responder
    2. José Nilton Dalcim

      Mas acho que vocês se enganaram com a ‘falsa’ inscrição do Nadal em Cincinnati. Isso muito provavelmente aconteceu muito antes da paralisação do circuito e simplesmente não foi atualizado, daí a lista estar intacta.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Vocês quem , Dalcim ? Eu afirmei desde abril que o Touro não iria ao USOPEN. E disse várias vezes que TODOS até mesmo a Next Gen , estava se inscrevendo nos Torneios pra decidir depois . Sem problemas, você não tem a obrigação de ler todos os comentários rs ABS !

        Responder
  56. Rubens Leme

    Dalcim, esse US Open tá com uma cara tão estranha que torço pra ver Del Potro e Murray em quadra, porque, de repente, vai que eles avançam, avançam e levam o mais inusitado dos Slams deste século.

    Um delírio, claro, mas como tá todo mundo sem ritmo e desacostumados a jogar cinco sets, então não custa sonhar.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu prefiro bem mais que alguém da nova geração aproveite a brecha tão difícil de acontecer. Poderemos ter apenas um do ‘big 5’ na chave.

      Responder
      1. Rubens Leme

        O que seria inédito, não? Um Slam sem Federer, Nadal, Stan e Murray ao mesmo tempo é inédito. Aiás, todos venceram em NY. Dos mais jovens, o Thiem é o favorito, até porque está com mais ritmo de jogo. Vamos esperar Cincy pra ver como se comportam.

        Responder
      2. Marcelo

        Poxa, considero o Wawrinka um tenista fora de série, um dos maiores dos últimos 10 anos fora do BIG 4. Mas Big 5? Desculpe a minha falta de conhecimento Dalcin, mas se referem a eles desta forma lá fora?

        Responder
          1. Marcelo

            Lendo novamente, talvez eu devesse ter perguntado se foi ele mesmo que vc adicionou ao tal BIG 5. Mas se foi, acho que está bem colocado, pois sou fã do tênis dele (me divirto mais assistindo uma boa partida do Wawrrinka do que 5 decisões de GS com Murray x Djokovic trocando bolas por 4 horas seguidas)….rs

          2. José Nilton Dalcim

            Sim, eu brinquei quanto ao Big 5, incluindo Murray e Wawrinka. Acho que os cinco são os diferenciados do circuito nos últimos 20 anos, Marcelo.

      3. Rubens Leme

        Stan não é Big5 porque nunca número 1 – embora já fosse Big 4 antes de sê-lo – e porque tem poucos titulos: 16. Mas em termos de Slams o Chico Bento merece e muito.

        Responder
        1. Marcelo

          Rubens, e se colocássemos o Wawrinka em um “BIG 4 and a half”? Você acha que caberia? Para mim ficaria de bom tamanho. Tem GS, mas nunca foi número 1. Não foi número 1, mas pode (podia) ganhar de qualquer um em um dia inspirado. Ao invés de escrever as frases de inspiração na mão ele as tatua todas pelo corpo para não se esquecer. Uma espécie de anti-herói. Apartes, sou fã do tênis dele e de quando solta o backhand…

          Responder
  57. Rubens Leme

    Os casos de covid voltaram a crescer muito e preocupar a Alemanha, Espanha, Inglaterra e França, que tornou obrigatório o uso de máscaras mesmo em locais abertos e espaçosos. Mas, tudo isso é bobagem, pois o prefeito de Itajaí já nos deu a solução: aplicar ozônio, via catéter, no rabo, por 2 minutos por dia e, pronto, estamos protegidos!

    Se essa não é a era mais insana da humanidade, espero estar morto quando ela aparecer!

    “É uma aplicação simples, rápida, de dois ou três minutinhos por dia, provavelmente vai ser uma aplicação via retal. É uma aplicação tranquilíssima, rapidíssima de dois minutos com cateter fino, e isso dá uma resultado excelente”, disse o prefeito Morastoni, que também é médico pediatra e homeopata.

    “A pessoa tem que fazer durante 10 dias seguidos, são 10 sessões de ozônio, e isso ajuda muitíssimo, provavelmente, os casos de coronavírus positivo”, completou Morastoni.

    https://istoe.com.br/sugestao-de-prefeito-de-sc-para-ozonio-via-anus-rende-memes-na-web/

    Responder
  58. Marcílio Aguiar

    No post anterior alguns comentaram sobre os filmes da Loucademia de Polícia. Não assisti a todos, mas os primeiros eram muito divertidos. Uma comédia policial que eu curti muito da década de 80 foi ” Tocaia” com Richard Dreyfuss, Emilio Estevez e Madeleine Stowe. Em termos de comédias estou revendo todas as edições disponíveis dos trabalhos de Peter Sellers com Blake Edwards: “Um convidado bem trapalhão” e os vários do Inspetor Clouseau. Ainda hoje, apesar de parecer um humor inocente, não resisto a boas gargalhadas com os disfarces e as confusões armadas pelo famoso policial parisiense. Em um dos filmes ele se disfarçou de um mafioso tipo poderoso chefão, numa das cenas mais hilárias que eu me lembro.

    Responder
    1. Rubens Leme

      Tocaia teve a continuação Uma Nova Tocaia. Tenho os dois em DVD, assim como toda a série da A Pantera Cor de Rosa, espetacular graças ao grande ator tcheco Herbert Lom, que vivia o Inspetor Dreyfuss e morreu em 2012, aos 95 anos. Ele e Peter Sellers formaram a melhor dupla de comédia na minha opinião. É difícil saber quem era melhor.

      Responder
  59. Marcílio Aguiar

    Na minha opinião o futebol no Brasil ainda não deveria ter voltado e penso a mesma coisa sobre os torneios de tênis, no entanto “the show must go on”.
    O futebol sem torcedores não era um acontecimento inédito, mas pouco corriqueiro. Resta a curiosidade de ver que influência terá sobre os jogadores a ausência de torcida a favor ou contra. Parecerá um treino? Outra coisa estranha é ver o torneio de Cincinnati em Nova York.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não entendi , Marcílio . Quantos campeonatos ao redor do mundo já terminaram sem público , e sem maiores ocorrências ? Até o Campeonato Carioca em que mesmo sem torcida , o Fla teve que esquecer o grande favoritismo pra dobrar o Flu . O mesmo vai acontecer com o Paulista . O couro vai comer apesar do favoritismo do Palmeiras . Ou seja , nada do que já não tenhamos visto. O mesmo vai valer para o Tênis. A conferir . Abs!

      Responder
      1. Marcílio Aguiar

        Sergio, pode ser que a ausência de público não tenha afetado a competitividade dos jogos, mas eu ainda acho muito estranho ver um Fla Flu, um Corinthians x Palmeiras, etc. sem torcida. Por enquanto só assisti a 2 jogos do meu time pelo vício do torcedor, mas não tenho o mínimo interesse em assistir a qualquer outro jogo de futebol. Espero que quado começarem os torneios de tênis eu venha a me interessar como antes. A conferir. Saudações.

        Responder
      1. Gabi

        E mesmo com a noite desastrosa de ontem para o Boston…
        O nosso banco é patético? Claro que é. Mas quando vc não usa o que tem de bom no meio da desgraça toda, então a culpa precisa ser invertida: Brad Stevens, estou muito p.!! Dói na alma ver o Waters lá sentando, de agasalho, vendo. Só vendo.
        E mais: será que alguém ainda tem coragem de me criticar por não gostar do Wanamaker?!

        Responder
    2. Barocos

      Marcílio,

      Futebol sem público sempre serviu de palco para peladeiros atribuírem a si inúmeros lances espetaculares, em realidade, bravatas e jactâncias que foram conjuradas sem o crivo de testemunhas idôneas. Felizmente, atualmente, a transmissão televisiva impede o ímpeto dos fanfarrões ou, ao menos, deveria.

      Forte abraço.

      Responder
  60. Emílio Dias

    Dalcim, você acha que Monteiro tem chances de ganhar esse US Open? Tudo um quanto incerto.
    Wild eu diria que tá em 40/60, vejo ele entre os 15 favoritos a ganhar.

    Responder
    1. Enoque

      Quando se fala em chances matemáticas ou de probabilidade de cada um, ganhar USO, temos que saber que a soma de todos eles tem que ser exatamente 100%. Por exemplo:
      Djoko 25%
      Thiem 20%
      Tsitsipas 15%
      Medvedev 12%
      Zverev 10%
      Berretini 7%
      Goffin 5%
      Bautista 3%
      Rublev 2%
      Kachanov 2%
      Shapovalov 1%
      Aliassime 1%
      Para Monteiro e Wild sobraria 0,01%, se tanto.
      Este negócio de 40/60 é uma total falta de lógica matemática.

      Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não tenhas dúvidas , Bruno. A Kombi inteira vai dizer que é mais “ parrudo “ que os da “ entressafra “ . E olha que nesses tinha o Espanhol na maioria rsrsrs … Abs!

      Responder
    2. Paulo Almeida

      Se Djokovic passar por Thiem, Medvedev, Tsitsipas, Zverev, Wawrinka, Del Potro ou Murray pelo caminho, então obviamente será um Slam parrudo.

      Responder
      1. Gildokson

        Ah é Paulo? E qual a diferença de Thiem, Zverev e Medvedev para Roddick, Hewitt e Safin por exemplo?
        Vou responder pra ti. Esses eram campeões de Grand Slam! kkkkkkkkkk
        Tu atira no próprio pé. kkkkkkkkk

        Responder
      2. Jonas

        E ele nem é tão favorito. Será que vai voltar no mesmo nível? Nem jogou bem naqueles torneios que não valiam nada.

        Thiem, Medvedev e Wawrinka são pedreiras. Nadal também seria, mesmo com seu histórico ruim nos últimos anos contra o Djoko. Afinal, o cara é tetracampeão.

        Responder
      3. Bruno

        Vc é uma comédia ,Del potro e Murray vindo de cirurgias e a next gen que ainda não ganhou nenhum Slan.
        Muito fácil contestar seus brilhantes argumentos.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Não.

          E toda hora o cara incorre em contradição, né?

          Inicialmente ele defendia que o “slam parrudo” (termo brega, diga-se rs) só cabia no caso de conquistar o slam, eliminando um Big 3 no caminho.

          Mas como dessa vez ele sabe que não terá Nadal e Federer, aí ele diz que vale.

          (rs)

          Responder
        2. Paulo Almeida

          Freguesão, claro que Delpo e Murray foi pra curtir com a sua cara. Afinal, você veio me provocar.

          Quantos aos outros não terem vencido Slam, foi por causa de Djoko e Nadal e não por causa do suíço.

          Responder
    3. Gildokson

      Putz Bruno, não era pra falar nada meu…
      Deixava acabar pra gente poder pegar ele no pulo kkkkkkkk
      Segundo a teoria medonha que ele vinha pregando à tempos por aqui, esse aí vai ser tipo peso pena pra baixo kkkkkk
      O primeiro em 21 anos sem os 2 titãs do tênis.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro que ainda é muito cedo para saber as condições técnicas e físicas dos envolvidos, mas tanto Djoko como Thiem têm chances reais, ainda é claro Nadal seja favorito sempre.

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        E se o Thiem finalmente cair na chave do Nadal, o Djokovic seria o grande favorito, pois “sobraria” do outro lado? rs. Pra mim RG se define nesse chaveamento.
        Abs

        Responder
  61. Luiz Fernando

    Respondendo a uma indagação da gatinha Gabi no outro post, não vejo a Bouchard como uma menina, mas sim como uma bela mulher de 26 anos. Quanto ao meu critério ele é muito simples: eu achar a mulher atraente, algo que vai alem da beleza, pois alem da aparência inclui espontaneidade, simpatia, inteligência e acima de tudo não ser arrogante, sem nariz empinado como se dizia la em Uberaba. No atual momento prefiro as… quarentonas, convidaria a Katheryn Winnick, a Lagertha do seriado Vikings, pra jantar daqui a 10 minutos se pudesse, pois essa me parece ter tudo isso e muito mais kkk. Das balzacas, quem não gosta de uma bela balzaca q atire a primeira pedra kkk, escolheria 3 pela aparência, sem pensar demais: Scarlett Johansson, Amber Heard e Megan Fox. Destas 3 infelizmente apenas a Scarlett me parece linda e espontânea… Claro, a bem da verdade a Bouchard é uma mulher linda mas deve ter um nariz que mira a estratosfera em matéria de arrogância…

    Responder
    1. Gabi

      Isso é que é resposta!!
      Scarlett como goat?! Nossa, nao, nao, nao e mais não!! Para mim, ela é vulgar, oferecida, cheia das caras e bocas, muito péssima atriz, tem cara e jeito de prostituta e a voz, nem a voz, me atrai (no ‘her” a voz caiu bem mas isso não quer dizer muita coisa ja que li que tem gente se apaixonando até pela voz da Alexia ou da Siri hihihih).
      Mas, claro, respeito teu gosto e te dou a maior força. Só não me convide para um jantar com ela rsrs.

      P.S.: gatinha, uhum…

      Responder
      1. Luiz Fernando

        GOAT pra mim é a KW-Lagertha, mas sinceramente não tenho essa impressão da SJ. Quanto ao jantar, só iríamos nós dois, nada de SJ…

        Responder
          1. Gabi

            45?!
            E qdo é o teu aniversário?
            O meu foi em abril. 41 com cara de 40, corpinho de 39 e cabeça de 70 rsrsrs.

    2. Barocos

      Luiz,

      Não nos esqueçamos das ruivas ! Amy Adams, Bella Thorne, Emma Stone, Bryce Dallas Howard e Julianne Moore, todas feiticeiras da paixão (minhas favoritas são as duas últimas).

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Claro Barocos, gosto cada um tem o seu, veja q essas ruivas não estariam na minha lista mas estão na sua, sem disputa entre nós, melhor assim kkk…

        Responder
      2. Gabi

        Agora sim!!
        Eu casaria com a Emmsa Stone rsrs!! Muito linda, natural, espontânea, parece ser muito querida, muito interessante, charmosa, casual!!

        Responder
        1. Miguel BsB

          Vem cá, nessa discussão de vocês só vale gringa?
          Temos muitas coisas abaixo do resto do mundo, mas, em termos de mulheres sexys e bonitas, acho que nenhum país barra o Brasil. Sem pachequismo….

          Responder
          1. Gabi

            Com todo o respeito, não é porque citamos mulheres estrangeiras que menosprezamos as nacionais…
            Não é porque falei que adoro o vermelho significa dizer que odeio o azul.
            Uma coisa nao tem nada a ver com a outra. E mais: cada um com as suas referências, critérios e gostos.

  62. Sandra

    Dalcim , sua opinião , Djokovic sabe como ganhar de Nadal e Federer , mas quando enfrenta essa garotada toda tem tendência a se enrolar , e o Thiem ,não pegou COVID e está desesperado para ganhar um slam, e e o unico quecesta no ritmo , vc não acha ele o grandevfavoriro?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho Thiem um forte fandidato e agora ele será o cabeça 2 do US Open, o que evita confronto com Djoko antes da eventual final.

      Responder
  63. periferia

    Olá

    Nadal desistiu…..o que chamou atenção foi o cancelamento do torneio de Madri.
    O torneio alegou problema de saúde (pandemia)
    O secretário da saúde espanhol disse que daria para fazer o torneio.
    Disse mais…falou que o diretor do torneio (Feliciano Lopes) pediu uma carta do ministério para justificar o cancelamento ( não foi dado).
    O circuito vai encarar novos tempos.
    O Master de Madri aparentemente está sendo cancelado por medo do prejuizo…sem relação com a pandemia.
    Piquet fez o mesmo com a Davis.
    O USOpen está sendo feito por necessidade (financeira).
    A bolha vai estourar.

    Responder
  64. Luiz Fernando

    Deu a lógica, Rafa confirmou q não irá ao USO, algo q estranhamente me deixa feliz e decepcionado. Feliz pq ele optou em se preservar, o USO ainda é uma completa incógnita e se eventualmente pegar Covid isso destruirá suas chances em RG, ou, pior, poderia até interferir ou até antecipar o final de sua carreira, dependendo da gravidade de uma eventual forma mais grave; decepcionado pois não é todo dia q temos um GS e Rafa já não é mais nenhum moleque com anos de carreira pela frente. Tomara q tenha tomado a atitude certa, o q aparentemente aconteceu…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Há pouquíssimos torneios ITFs (até 125 mil dólares) ainda mantidos no calendário e a maciça maioria na Zona do Euro, onde os brasileiros ainda estão proibidos de entrar. Vi hoje que o João Menezes se inscreveu para um challenger, mas as meninas parecem ainda sem saber o que dará para fazer. Muito triste para elas.

      Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Veja o caso da Halep, que foi impedida de jogar Palermo sem cumprir a quarentena que os cidadãos romenos estão submetidos.

          Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *