Os grandes que não venceram Slam
Por José Nilton Dalcim
28 de junho de 2020 às 20:06

Embora não seja lista inédita, atendi às sugestões de vários integrantes do Blog e estabeleci uma relação dos melhores jogadores, homens e mulheres, que jamais venceram um Grand Slam. Alguns aliás ainda estão em quadra.

Mas para inovar, decidi fazer duas listas diferentes: uma baseada no currículo do tenista, outra no que considero seu potencial técnico. E isso obviamente mudou um pouco a coisa.

No masculino, Nikolay Davydenko e David Nalbandian ganharam ATP Finals, o que por si só justifica estarem lá em cima, enquanto os quatro vices de Helena Sukova e os três de Dinara Safina, que também liderou o ranking, foram mais relevantes.

A questão técnica certamente gera mais polêmica. Marcelo Riós, que nem fica entre os 10 por currículo, lidera a minha lista de competência, que ganhou outros quatro nomes diferentes da outra. Do lado feminino, elevei Aga Radwanska e inclui três nomes que possuem números menores.

Aguardo os comentários. Vamos lá:

Masculino – Por currículo
1. Nikolay Davydenko
2. David Nalbandian
3. Dominic Thiem
4. Miloslav Mecir
5. Robin Soderling
6. David Ferrer
7. Todd Martin
8. Cédric Pioline
9. Kevin Anderson
10. Alex Corretja

Masculino – Por qualidade
1. Marcelo Ríos
2. David Nalbandian
3. Nikolay Davydenko
4. David Ferrer
5. Robin Soderling
6. Jo-Wilfried Tsonga
7. Guillermo Coria
8. Dominic Thiem
9. Miloslav Mecir
10. Tim Henman

Feminino – Por currículo
1. Helena Sukova
2. Dinara Safina
3. Mary-Joe Fernandez
4. Elena Dementieva
5. Andrea Jaeger
6. Vera Zvonareva
7. Karolina Pliskova
8. Jelena Jankovic
9. Agnieszka Radwanska
10. Pam Shriver

Feminino – Por qualidade
1. Agnieszka Radwanska
2. Elena Dementieva
3. Dominika Cibulkova
4. Helena Sukova
5. Dinara Safina
6. Vera Zvonareva
7. Pam Shriver
8. Jelena Jankovic
9. Eugenie Bouchard
10. Madison Keys


Comentários
  1. Luiz Fernando

    Infelizmente não há partido político que não seja suspeito, ou melhor, culpado por falcatruas. Sempre tive uma boa imagem do Serra, que foi inclusive líder estudantil e preso político. Mas aí vem a constatação q essa turma, junto com Genoino, Zé Dirceu e cia limitada não tem nada de honesto. Cadeia nesses corruptos, independentemente de partido. E esses caras ainda recebem um bom $X por terem sido presos políticos…

    Responder
    1. Marcelo

      Hoje tive o prazer de assistir a Distinto Cidadão, com Eddie Murphy. Este filme me passou e por algum motivo não tinha ouvido falar dele. Mas recomendo, pois ensina muito a quem não é do meio.

      Responder
  2. Manuela

    Loooola da Silva em entrevista a Rádio Bandeirantes, disse que quer recuperar seus direitos políticos. Afirmando ter sido roubado.

    Sr Loooola, é o seguinte.

    Eu pensava numa 3a possibilidade pra 2022, mas se o canalhão recuperar seus direitos políticos pra 2022, o que não é impossível com o STF que temos, fecho com o Bozo.

    Bye Looola.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Acho q ele deve recuperar, depois de cumprir todas as penas a q foi e as q será condenado. Agora se isso cair na mão desse stf com vários juízes nomeados por ele, talvez já seja eleito indiretamente após o recesso…

      Responder
  3. Marcelo F

    Dalcim, se me permite, gostaria de fazer uma sugestão pra um post.
    Você poderia listar os 5 melhores tenistas (de sempre) por país.
    Claro que em muitos casos, não tem muita graça. Suíça, Sérvia, Grã-Bretanha, Japão, etc.
    Mas alguns seriam bem interessantes, como EUA, Austrália, França, Espanha, Suécia, Argentina, República Tcheca, Croácia, Alemanha, Itália.
    E outros mais ou menos como Canadá, Rússia, Chile.
    Eu gostaria de saber sua opinião.

    Responder
  4. Luiz Fernando

    E, contra todos os prognósticos, parece q o meu Real vai ser campeão de novo, mesmo c o Sergio Ramos precisando fazer mais gols q o ex-jogador em atividade Benzema…

    Responder
  5. Manuela

    Quanto mais velha fico, mais percebo que não quero estar em meio a dramas, conflito ou estresse. Eu quero uma casa aconchegante, comida gostosa e estar cercada por pessoas felizes

    Responder
  6. Heitor

    Globo acaba de anunciar que rescindiu o contrato com a Ferj. Vai pagar o que deve ainda por este ano, mas não exibirá mais nenhum jogo do Carioca.

    Responder
  7. Rodrigo S. Cruz

    Aqui a gente não é remunerado, mas se diverte!

    Para um pessoal aí só restou distorcer o que eu escrevi.

    Quando eu usei a expressão “gato e sapato” para me referir ao que o Federer faria ao Nole, em tempo algum eu disse que o suíço atropelaria o amorzinho deles!!!

    De onde esses caras pálidas tiraram isso? kkkkk

    Tá bom. Então deixa eu desenhar:

    se o auge físico e técnico deles convergisse, o suíço é quem venceria mais, e nos principais palcos.

    Mas hoje o sérvio goza de uma indiscutível vantagem física.

    Portanto, essa gritaria de “Montreal 2007”, “Plutão 2006” ou “Pólo Sul 2008”, só existiu na cabeça dos senhores… (rs)

    Mas a crise de RISO me veio foi quando um deles disse que jogar com intolerância ao glúten é igual a jogar doente.

    Putz grila!

    kkkkkkkkk

    Olha a que ponto chegaram…Vai ser fanático assim lá em Belgrado!

    Se bem que é natural, né…

    Os caras são tão parciais que mesmo o Djoko tendo feito todo aquele papelão no Adria tour, eles tomam as dores!

    E depois o mesmo cidadão ainda quer reclamar que acha o Federer INCRITICÁVEL !!!

    kkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Vc está certo, Rodrigo sobre a questão de auge e idade.
      Sobre a questão do glúten, realmente parace que foi um “milagre” na carreira do sérvio.
      O sérvio era dominado, não aceitou, ralou, treinou, se disciplinou e se desenvolveu tecnicamente e fisicamente para se tornar o que é hoje motivado pela rivalidade.

      Responder
    2. Jonas

      Todo mundo entendeu. Baseado no histórico entre eles, eu “acho” que o Djoko levaria a melhor, mas a minha opinião n tem relevância alguma.

      Podemos trabalhar com fatos. O auge de um tenista costuma ocorrer aos 25 anos, ou próximo a isso.

      Djoko sempre foi um tenista diferenciado, ganhou Slam aos 20 anos, mas começou a dominar com 23, 24.

      Federer não foge à regra. Era acima da média no início de carreira, óbvio, mas por ser “muito novo” foi dominado. Veja que ele foi vencer seu primeiro Slam em 2003 e começou a dominar o circuito em 2004 (23 anos).

      O que quero dizer é simples. Um Djokovic, número 1 do mundo, no auge, teria a obrigação de doutrinar um “novato” Federer.

      Sendo bem realista, o Djoko, em seus primeiros anos, deu até muito trabalho pro suíço, mas nada perto do que fez o Nadal (outro precoce com auge aos 24).

      Responder
    3. Marcelo

      Respondendo ao Rodrigo S. Cruz (e sem querer botar lenha na fogueira), Eu prefiro o Federer, mas eu acho que mesmo se os auges convergissem, o Djokovic teria todos os recordes possíveis e passaria o Fede nas principais estatísticas. No entanto, acredito que daqui a 20 anos, todos ainda se lembrarão de cada bela jogada do Federer (enquanto o Djoko só será lembrado quando se olham as estatísticas, ou quando mostram algum lance do Federer em que o Djokovic participa, como aqueles do USOpen de 2009)… : – D

      Responder
  8. Luiz Fernando

    Dalcim o q vc achou das criticas desse Harris ao Big3? Posso esta muito enganado mas ao contrário do CS da ONU, no qual 5 países tem poder de veto sobe o resto do mundo, não vejo os 3 com poder de fogo p corrigir as disparidades q existem da noite pro dia, mesmo ciente da força q os 3 possuem. Vejo muito mais possibilidade da ATP e organizadores dos eventos corrigirem ou atenuaram as distorções, se de fato tiverem esse interesse e forem a fundo no problema. Como vc julga q isso poderia ser corrigido?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não deixa de ser estranho que os três não tenham participado diretamente da discussão sobre a volta do circuito e os protocolos do US Open, se é que isso realmente ocorreu. O fato de não estarem na ‘live’ não significa que não se posicionaram. De qualquer forma, eu acho que o Big 3 principalmente poderia sim se envolver mais com as questões dos bastidores. Claro que este não é um momento saudável para falar em premiações, mas sim tentar a volta do circuito em algum grau de competitividade e muita proteção a todos os envolvidos.

      Responder
  9. FERNANDO/MG

    Prezado Dalcim, aproveitando o âmbito das sugestões, já que a bolinha não anda quicando, qual os dois confrontos históricos entre diferente gerações (levando-se em consideração ambos os tenistas no auge da forma física e técnica) você mais gostaria de assistir, caso isso fosse possível.
    No meu ponto de vista seria inigualável uma final de Roland Garros entre Rafael Nadal x Bjorn Borg e também uma final de US Open entre Roger Federer x Jimmy Connors. Na sua opinião quem sairia vencedor desses hipotéticos e grandiosos jogos.
    Abraços e parabéns pelo sempre excelente site/blog.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, no saibro Borg x Nadal, na grama Federer x Laver, no sintético Djokovic x Connors. Seria todos bem legais. Mas quanto a vantagens e resultados, dependeria sempre de qual época se jogaria a partida, porque estamos falando em universos bem distintos em termos de equipamento.

      Responder
  10. Orestes Pimentel

    Dalcim, interessante saber esses dados… mas fiquei curioso em saber quem são os campeões de Grand Slam que tem pior currículo.

    Houve diversos tenistas de enorme qualidade técnica quem não chegaram lá, mas os que venceram e “não mereciam tanto”, isso seria legal de saber.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, para ser sincero a você eu não consigo imaginar um tenista que ganhe sete partidas em melhor de cinco sets, provavelmente vencendo pelo menos dois ou três top 20, e não mereça o título. Mas entendi o que você quer dizer. Vamos ver se consigo algo curioso.

      Responder
      1. Miguel BsB

        De cabeça e sem pensar muito talvez seria o Gáudio, ou o Johanson na Austrália…
        Mas é como o Dalcim falou, difícil tirar os méritos de um vencedor de Slam…
        E, pessoalmente, eu gostava muito do jogo do Gáudio, tinha um back de uma mão muito bom!

        Responder
  11. Fábio Júnior Gonçalves de Araújo

    Boa noite caro Dalcim.
    Você poderia fazer um post da seguinte forma se puder claro.
    Campeões de grande Slam e vice por pais. Desde quando o tênis começou.
    Exemplo. Masculino
    Estados unidos 30 títulos e 10 vocês.
    Pete Sampras 14 títulos e 4 vices
    André Agassi 8 títulos e 3 vices.

    Espanha 20 títulos e 9 vices
    Rafael Nadal 19 titulos e 8 vices
    Davi Ferrer 1 vice .

    Sempre tive essa curiosidade desse levantamento.
    Caso você ache possível e interessante eu agradeço.
    Abraços.

    Responder
  12. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, proponho que faças uma matéria sobre que jogo de tênis o que cada um participante do blog gostaria de assistir. De minha parte coloco dois com aspectos doferentes:
    – mais divertido: Kyrjos x Monfils
    – emocionante: Djokoviv x Del Potro.

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Sem dúvida Djokovic x Potro. Duelo que reúne técnica, títulos relevantes na carreira e muita entrega e coração em quadra.

      Responder
      1. Jonas

        Eu adoraria acompanhar Djoko x Federer de perto. No quesito diversão.

        Já em emoção eu concordo contigo…Djoko x Delpo sem dúvidas.

        Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Finalmente algo que preste , divertidíssimo L F . Um tremendo sacador faria o Cipriota se mexer pra todo lado. Coisa que fazia muito bem . Se acontecesse no AOPEN então, um jogo pra lá de interessante . Abs!

        Responder
  13. Paulo F.

    Não precisa plantar bananeira, Rodrigo S. Cruz.
    Uma vitória do incriticável e incensado melhor de todos em cima de Rafael Nadal em Roland Garros já estaria de bom tamanho.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Xará, viu que não seremos mais ofendidos, né?

      Só em um ambiente sem moderação o dito cujo poderá abusar de impropérios agora.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        E o capítulo final no teu histórico de ad hominem pesado e assédio moral aqui…

        O que me fez lembrar de uma fala do filme “The Dark Knight”, em que o Coringa planta duas bombas em dois navios.

        E aí entrega um detonador na mão de cada um, mas avisa que se um deles não explodir o outro até certo horário, ele explodiria ambos.

        Mas para surpresa dele, nem mesmo o navio repleto de criminosos condenados escolhe detonar a bomba.

        E o Coringa fica perplexo e confuso…

        É quando o Batman vira e diz para ele:

        ” What are you trying to prove? That deep down everyone is as ugly as you?
        You are alone”.

        (rs)

        Responder
          1. Paulo Almeida

            Realmente, o Coringa interpretado pelo falecido Heath Ledger é o gênio daquela película. Obrigado pelo elogio.

            Esses filmes de super-herói geralmente são um besteirol enorme, mas aquele Batman até que é bom.

        1. Paulo Almeida

          Sendo que não tenho nem o capítulo inicial, rs.

          Gosto de utilizar do deboche, da ironia, do sarcasmo (finos e sutis, como bem notado pelo Rafael), mas perder o decoro por aqui? Nananinanão! Disso posso me orgulhar.

          Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      É óbvio que ele nunca vai ganhar do Nadal em Roland Garros.

      Mas do mesmo jeito que ele não ganha lá, atualmente o Nadal não ganha dele em lugar nenhum…

      Responder
    3. Sérgio Ribeiro

      Isso você não vai ver nem daqui a 100 anos. Com back de uma mão , até hoje ninguém fez cócegas no Touro em RG . Dominic Thiem é a última esperança da Terra rsrsrs Abs!

      Responder
  14. Miguel BsB

    Olha, tô até achando bom o Kyrgios arrumando mais inimizades pelo circuito…
    Quando ele joga contra seus “inimigos”, joga com vontade e costuma fazer grandes jogos.
    Ele deveria logo arrumar mais “inimigos” pelo circuito. rs
    Quero muito ver o próximo confronto entre ele e o Zverev.
    E, por incrível que pareça, tenho gostado dos seus posicionamentos durante a pandemia…

    Responder
  15. Rodrigo S. Cruz

    GROF, DANIEL E SÉRGIO,

    o que o pessoal da ala xiita do djokovismo não entende, seja por desconhecimento, é que:

    o tênis jogado antes da padronização era outro.

    Alguns que postam até com ar de entendedores (quem diria rs), sequer compreendem o período.

    São aquelas figuras que nivelam sempre o debate por baixo.

    Acho muito engraçado, portanto, que deem pitaco naquilo que desconhecem:

    ” ah, porque fulano era fraco, cicrano era da entressafra, assim até eu ganho, etc.”

    Só que as bolas eram menores, o material inferior, a adaptação aos pisos mais dificultosa, e por aí vai…

    Não estou dizendo que aquela época foi mais difícil do que agora.

    Estou dizendo é que não é porque você é “fodão” do hoje, que você seria o “fodão” do ontem…

    Hoje o tênis é mais físico, mais potente, porém o material e a medicina esportiva bem superiores ao de antes…

    Ou seja, o “futuro” propiciou o jogo mais físico.

    Mas quem pode afirmar com acurácia que o Roddick e o Hewitt não seriam temíveis hoje em dia?

    Ninguém.

    E a recíproca também é verdadeira.

    O Djokovic é um jogador, dentre TODOS que eu vi, que tem no físico o seu fator precípuo de sucesso!

    Mas o ufanismo e tietagem de alguns já cravam direto que o sérvio reinaria absoluto tanto lá, quanto faz cá.

    Será mesmo?

    Não há substrato para afirmar uma coisa nem outra.

    O que sabemos de fato é que o Roger Federer pulverizou a concorrência do período.

    O que sabemos de fato é que ele é o ÚNICO da história que (mantendo o sucesso) atravessou gerações!

    Logo, que sentido faz se prender ao discurso raso e enfadonho de tornar algo fenomenal em negativo?

    Pelo contrário, né. Eu vou é me RENDER a tão notável feito!

    Hoje, o suíço não tem as pernas do Djokovic, e mesmo assim dá um trabalho e tanto para ele.

    Imagine então, se ele tivesse as pernas que ele tinha em 2006…

    E assim como o Grof afirmou abaixo, eu também acredito nisto:

    que no seu auge, o Federer faria o Djokovic de gato e sapato! (rs)

    Mas aí é apenas a minha opinião…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Editei as ofensas a outras participantes pela última vez… De agora em diante, simplesmente deletarei os comentários de qualquer internauta que abusarem disso. Não vejo motivo para argumentar com ofensas pessoais. Precisamos manter o bom nível do Blog. Obrigado a todos!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Entendo (e concordo) o endurecimento dessas regras.

        Mas só quero deixar registrado que dessa vez eu não havia citado ninguém nominalmente…

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sim, verdade, mas a generalização também não é boa nesse caso, Rodrigo, porque você pode acabar ofendendo um grupo ainda maior. Obrigado!

          Responder
    2. Jonas

      Federer (em seu suposto auge) enfrentou Djokovic diversas vezes. Mesmo assim nunca o fez de gato e sapato, nem perto disso.

      Pela sua lógica, Federer deveria ter atropelado Novak em Montreal 07, US Open 07 e AO 08, no mínimo. E olha que ainda faltavam 4 anos para o auge do Djokovic.

      Responder
        1. Jonas

          Pois é Paulo. Uma coisa é achar, eu respeito as opiniões, mas não podemos brigar com fatos.

          Se Djoko e Nadal, mesmo anos antes de atingirem seu ápice ja davam trabalho pro suíço, o que fica provado fazendo um simples levantamento das partidas, imagine então com os dois no auge?

          Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Ele já liderou por 13 a 6 o confronto – pra mim isso é domínio…

        E o sérvio tem ganhado tudo, logo vive o auge mesmo. Ponto final.

        Sem falar que ninguém nega que ele tem o melhor físico do circuito atualmente…

        Responder
        1. Jonas

          Se ele estivesse jogando mais tênis que em 2015, eu seria o primeiro a dizer que ele está no auge.

          O diferencial do Djoko hoje, a meu ver, é que ele melhorou ainda mais o serviço, porém não o vejo com a mesma solidez de 2015.

          Já que vocês gostam tanto de falar em idade, é fácil constatar que o Djokovic naturalmente não surgiu para o circuito jogando melhor que Federer. Levou alguns anos para ele atingir a maturidade, que veio de fato aos 23 anos.

          Podemos comparar até com o próprio suíço. O que Federer havia conquistado de fato entre seus 19-23 anos? Nem próximo do que ele viria a ganhar após os 24. Vai dizer que ele foi feito de gato e sapato por Sampras e Agassi?

          Responder
    3. Rogerio R Silva

      Boa noite Rodrigo
      Tenho impressão que Federer venceria os quatro torneios,Nadal não venceria os outros três,Djokovic teria dificuldades em Roland Garros.
      Lendl teria conseguido realizar o sonho de conquistar Wimbledon mas Sampras teria dificuldades em Rolanga pois iria pegar Nadal e Federer.
      Borg um caso a estudar,iria pegar Nadal no barro e Federer,Sampras e Nole na grama,mas com certeza iria ganhar algumas.
      Diz aí Dalcim!
      Forte abraço

      Responder
        1. Rogerio R Silva

          Só acredito que o Federer teria mais vantagem em se adaptar às diferenças de piso/velocidade que os demais contemporâneos.
          Com o piso padronizado Lendl teria chances maiores de triunfar em Wimbledon.
          Sampras teria a habitual dificuldade no barro e não seria tão dominante nos dias atuais perante os adversários e o piso bem mais lento.
          E por aí vai …

          Responder
    4. Paulo F.

      Pois então, por que então o incriticável não atropelou o Djokovic em Montreal aos 26 anos de idade em 2007?
      – O incriticável não estava no auge?
      – Montreal era disputada na areia, piso que desfavorece o jogo do incriticável?
      – Mononucleose?

      Responder
      1. Paulo F.

        Acrescentando uma típica desculpa federista – doença:
        – Federer não conseguiu derrotar em Montreal em 2007 um Djokovic que ainda não tinha descoberto sua intolerância ao glúten, ou seja, perdeu para um Djokovic doente.
        Não deveria “atropelar” um adversário doente?

        Responder
  16. Enoque

    Estão estudando alterar a regra dos pontos a serem descartados. Pela regra normal, de descarte, ficaria complicado para o Nadal, então vai ser adotada a regra que prejudique ao máximo o Djoko. O tapetão atuando de novo.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E depois o figuraça “ diversão garantida “ , parabeniza por vocês não chorarem, injustíssimo caro Enoque. Por ser uma Temporada totalmente atípica , a ATP e a WTA estão estudando em conjunto. Nada a ver com Novak e Nadal. O objetivo é não prejudicar principalmente os de ranking mais baixo . O Conselho também está sendo ouvido. Larga um pouco aqueles fanáticos lá do Site rs Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Meu caro que atribui o comentário do Sampras a inveja do Federer (kkkkkk), qualquer coisa é melhor do q ser conhecido aqui por ser confuso, prepotente e arrogante… Grande abraço!!!

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          O ” diversão garantida ” não disse que ia dar um tempo ? Esses atributos a minha pessoa , são utilizados pelo rapaz no grupinho da Whats . Até meu filho morre de rir das suas intervenções . Cresça e apareça mané kkkkkkkkk Abs!

          Responder
    2. R.P.

      Ajudam o Nadal, mas com vistas a proteger números de outro tenista. Se isso se concretizar, será uma das decisões mais lamentáveis da ATP.

      Responder
  17. Henrique Moretti

    Olá, Dalcim.

    Acho que Nishikori, tanto por currículo quanto por talento, mereceria estar na lista.
    Mais currículo que o Anderson e mais talento que o Ferrer, por exemplo, na minha opinião.

    Abraço

    Responder
  18. Marcílio Aguiar

    Não tenho o que acrescentar às listas do Dalcim. Alguns citados como Haas e Berdich poderiam entrar, mas não mudariam muito.
    Lamento por Nalbandian nunca ter ganho. Na minha opinião, Ele e o Rios e o Coria foram os que poderiam realmente ter ganho.

    1) Em wimbledon 2002 não teve chances contra Hewitt mas em USO 2003 fez uma semi duríssima contra Rodick e era melhor que Ferrero. Em RG 2004, depois de bater Guga, tinha todas as condições de vencer Gaudio e Coria.

    2) O Coria foi a maior zebra ao perder para Gaudio de virada.

    3) O Marcelo Rios também não poderia ter perdido para Peter Korda.

    4) Miroslav Mecir foi um azarado. Duas finais contra Lendl, sem chances.

    5) No feminino, lamento pela Elena Dementieva não ter ganho. Era ótima jogadora e lindíssima.

    6) Torço muito pra que Madison Keys ainda vença um Slam, mas não poderia ter perdido a chance do USO 2017.

    Responder
  19. Luiz Fernando

    Quero vir dar os parabéns aos torcedores do Djoko, o cara está com coronavirus e ninguém veio aqui antecipar desculpas e lamentações por eventuais derrotas q ele poderá ter em razão disso. Vamos aguardar o próprio falar da condição médica dele no momento apropriado. Como aparenta de fato estar com uma “gripezinha” nada aponta para grandes prejuízos. Imagino os comentários se fosse outro tenista q contraísse a doença…

    Responder
    1. Vítor Barsotti

      Tá de brincadeira? Djoko está com coronovírus por inocência/irresponsabilidade própria. Se ele, e outros contraíram a doença, ele é um dos responsáveis. O governo autorizou o torneio mas ele escolheu participar, se envolver em eventos e ir pra balada. Esse teu recalque do Federer e babação de ovo de sérvio já deu.

      Bora acompanhar o bom nível do blog nos últimos tempo e elevar o nível dos comentários!

      Responder
        1. Luiz Fernando

          Meu caro, alguns de vcs q torcem p o Federer não são torcedores, são seguidores de seita, pois um desportista sabe q existe derrota e existe vitória, essa minoria a qual vc pertence não aceita a derrota e aí procura desculpas tais como doping, mononucleose q ocorreu seis meses antes e q o próprio suíço disse q estava superada, isso nunca foi surpresa aqui. Agora eu não me referi a torcida do Federer, eu me referi a torcida do Gonzales, do Baghdatis e do “Scud” Phillipoussis kkkkkkkkkkkkkkkkk. Eu não falo q aqui é diversão garantida kkkkkkkkkkkk…

          Responder
          1. Paulo F.

            Basta ver o Sérgio Ribeiro:
            “Ousou” criticar Roger Federer e é aquela surrada tentativa ad hominem de desqualificar a opinião:
            – Tu não sabe de tênis e eu sei.
            – Tu não assiste jogos e eu assisto.

    2. Sérgio Ribeiro

      És um baba ovo de primeiríssima categoria , parceiro. Como odeia Federer segundo suas próprias postagens , já vem insinuar sobre possíveis desculpas de um assunto que não diz respeito ao Suíço. Lamentável como é a grande maioria de suas “ sutis” intervenções rs Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Serginho, depois q vc expôs q o comentário do Sampras não tinha valor pq ele tinha inveja do Federer decidi dar um tempo (minutos kkkk) nas controvérsias c vc. Maior do q sua arrogância e falta de clareza nos comentários só sua falta de bom senso p comentar kkk. Grande abraço.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Meu caro ” diversão garantida ” , suas intervenções não agradam a maioria pois o conteúdo é cheio de recalque. O maior elogio que Federer já recebeu veio exatamente de Pete Sampras ao Site Oficial de WIMBLEDON 2007 . ” E’ o tipo de jogador que nasce a cada 50 anos ” . E você mandou na época ” odeio Federer “. Daí percebe- se que insistir na merda de que o Craque não teve oponentes , fica dentro da sua medíocridade costumeira. Abs!

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Correção: WIMBLEDON 2017. Como em 2018 o Suíço se tornou o mais Velho N 1 da Era Profissional , mexeu com a cabeça de muitos … Abs!

  20. Marcelo B Pereira

    Listas são mesmo difíceis de contemplar todas as alternativas. Essas do Dalcim são bem respeitáveis. Mas confesso que, na lista da “qualidade”, senti falta do francês Fabrice Santoro e do alemão Tommy Haas.

    Responder
  21. Luiz Fabriciano

    Respondendo ao Sérgio Ribeiro aqui, porque não havia mais opção em seu comentário:
    “Onde o Dalcim escreveu isto , caríssimo L . Fabriciano ? A lista apresenta os dez que mais mereceram . Gonzales graças a seu Forehand espetacular possui 3 Medalhas Olímpicas . E quando merecidamente atingiu a FINAL do AOPEN 2007 , depois de tirar Nadal em Sets diretos , deu de cara com o N 1. Assim como aconteceu com Soderling. Abs!”

    Uai, se na lista dos 10 maiores merecedores para vencer um Slam, ele não aparece, precisa dizer que ele não merece?
    Todos sabemos o quanto as olimpíadas se tornaram interessantes aos tops de duas ou três para cá.
    Um abraço.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Depois sou eu que preciso fazer melhorar a interpretação, não é mesmo caríssimo L Fabriciano ? . O Dalcim escolheu somente DEZ pra lista dele. Isso não desmerece em nada Fernando Gonzales . Foi escalado na outra sobre os melhores Forehands da história. Está longe de ser um “ bagre “ , ou jogador da ridícula “ entressafra “ da Kombi , que nunca existiu nem para o dono da respeitável lista. E quanto ao Ouro Olímpico, assim que a NBA deu o exemplo liberando os Profissionais, a ATP e a WTA foram atrás. Segundo Roger, Rafa , Novak e CIA , tem tanto ou mais valor que um SLAM . Gonzales possui Ouro ( duplas ) , Prata e Bronze ( ambas em Simples ). Simples assim rs. Abs!

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Acredito que ainda necessite sim, caro Sérgio, rsss.
        O post tem um título claro: “Os grandes que não venceram Slam”, então…
        Em momento algum citei os termos “bagre” ou “entressafra” e reveja o que escrevi sobre olimpíadas, mas repito, a opção de participar ou não fora independente da ATP liberar ou não, por exemplo, Federer esteve em Sidney 2.000. Não foi campeão, mas levou de troféu Mirka, pois a conheceu lá.
        O que realmente frisei é que esse torneio ficou realmente muito forte de duas ou três para cá.
        A do Rio, só não foi quem “amarelou” alegando Zika vírus ou outro.

        Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Das duas ou três pra cá , Luiz ? Somente Vênus tem quatro OUROS , amigo. Em 88 em Seul , já tivemos as feras presentes. A ITF reconheceu que não atrapalha os SLAM . A Zebra foi o Theco Mecir . Steffi Graf levou com Gabriela Sabatini na Prata. Em Atlanta 96 , Agassi. Será que até nas Olimpíadas o Tênis só começou em 2008 ? rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Miguel BsB

        kkkkkkkkkkkkkk
        Estás equivocado, caro Sérgio…Veja que o tênis nas Olímpiadas ainda não começou, visto que Djokovic ainda não foi campeão…rs
        Ainda é “entressafra”.
        Djokovic foi eliminado na 1ª rodada da Rio 16 por um bagre entressafeiro chamado Juan Martin Del Potro…quem é esse argentino, nunca ganhou nada de relevante…

        Responder
  22. Barocos

    Dalcim,

    Eu entendo que você tenha utilizado uma avaliação da carreira (para aqueles em atividade, até o tempo presente), mas pelo que tem mostrado o Thiem nestes últimos 3 anos, acho que ele mereceria uma posição melhor no ranking, sua evolução tem sido muito grande. Até mesmo porque ele está jogando numa época bastante difícil para qualquer tenista, com o Big4 + Wawrinka + Del Potro. Vejamos:
    – Thiem x Federer – 5 x 2 (ganhou 3 das últimas 4, claro que a diferença de idade é muito grande);
    – Thiem x Djokovic – 4 x 7 (empate nas últimas 4);
    – Thiem x Nadal – 5 x 9 (empate nas últimas 4);
    – Thiem x Murray – 2 x 2 (ganhou as últimas 2);
    – Thiem x Del Potro – 0 x 4 (apenas a 1ª foi no saibro, e todas de 2018 ou anteriores);
    – Thiem x Wawrinka – 1 x 3 (só ganhou a primeira, último encontro em 2017);
    – Thiem x Cilic – 2 x 0 (as 2 em “hards”).

    Nesta lista tem todos os vencedores de slam desde 2006 e, com exceção do Del Potro, ele tem um retrospecto muito bom contra todos os outros (lembrando quem os “outros” são), ainda mais se considerarmos que muitas partidas aconteceram quando ele ainda era muito novo.

    Assim como outros aqui, estou torcendo para que ele fature alguns slams na carreira (ou seja, nada de superesthiemado) e consiga se livrar da sua “bela” lista. 😉

    Grande abraço.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Então, meu caro Barocos. Tivemos que aguentar quase 6 anos de “ superTHIEMado “ . E agora tem vários integrantes da Kombi , que só postam elogios ao Austríaco. E na maior cara de Pau rs . É óbvio que o amigo não tem nada a ver com isso. Daí que se o Dalcim aceitar sua proposta , vale uma chamada nos companheiros da Turbinada rsrsrs Abs!

      Responder
  23. Marco Melo

    Acho que o Rios deveria estar ao menos no top 5 dos currículos tbm. Ganhou 5 masters 1000, uma antiga Grand Slam Cup e fez final no AO. É um currículo melhor que o de Soderling, Ferrer e até Thiem!

    Responder
  24. Vitor Hugo

    Gilmar Mendes será o relator do recurso do MP-RJ para que o processo contra o 01 volte para a 1 instância.
    Será que Gilmar vai seguir o entendimento do supremo e anular o foro do Flávio, ou vai tomar uma decisão monocrática e deixar que ele seja julgado em tribunais superiores!? Não duvido nada daquele que adora deixar um bandido em liberdade.

    Responder
    1. Barocos

      Vitor,

      Não sou nem um pouco “fã” do dito cujo, mas uma coisa que um advogado e professor universitário na UERJ amigo meu costuma ressaltar é que, tecnicamente, as decisões tomadas por ele são irrepreensíveis. Aliás, outra coisa que ele, este meu amigo, vive repetindo é que legalidade e moralidade são coisas bem distintas.

      Grande abraço.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Se ele tomar uma decisão monocrática, irá contra a decisão que o supremo tomou, em conjunto, em 2018. Vai agir conforme seu ego. Mas é aquela história, as leis no Brasil são dúbias.
        De qualquer forma parece que não vai acontecer o que eu temia.
        Abs!

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Então, me desculpe, Barocos.

        Mas esse advogado e universitário amigo seu, devia estar BÊBADO quando te disse isso (rs)

        Não é que o Gilmar Mendes desconheça o Direito.

        Não é disso que se trata – ele sabe dar decisões técnicas sim, mas unicamente quando lhe interessa!

        Só que em 99, 99999% dos casos, ele simplesmente não dá.

        Quase todas as decisões dele são pautadas por tendências políticas, e não por técnica.

        Muito azar nosso logo esse merda ter sido sorteado para algo tão importante!

        Ainda mais o Gilmar que ultimamente anda alinhado com Jair Bolsonaro.

        Já era!

        Responder
        1. Vitor Hugo

          Rodrigo, se ele tomar uma decisão favorável ao Flávio, vai desunir o supremo que estava aparentemente “unido”. Vamos aguardar. Ele gosta e faz questão de tomar decisões contra a opinião pública. Parece birra. Gosta de ser odiado. Suas decisões geralmente são sempre muito criticadas por outros juristas e seus pares no supremo. Por que será?

          Responder
  25. ANTONIO GABRIEL

    Dalcim, você não colocou, mas pela qualidade eu colocaria o falastrão Kyrgios, com a cabeça no lugar e se fosse realmente um atleta, acho até que ele já teria ganhado um Slam, mas do jeito que toca sua vida nas quadras e fora delas dificilmente chega lá, mas…. O que acha mestre?

    Responder
  26. Gabi

    Meu novo passatempo é ver nas lives a casa das pessoas e ficar imaginando se elas limpam a casa… porque têm umas muito lindas, maravilhosas mas entupida de livros, plantas, tapetes, enfeites, quadros e eu só pensando: duvido que elas tirem o pó de tudo isso!!

    Responder
  27. Gabi

    Hoje recebi representação por fraude no Auxílio Emergencial. Alguém que enganou uma pessoa e recebeu no seu lugar. Imaginem isso multiplicado por milhares. Não há justiça que aguente a perversidade humana…

    Responder
  28. Miguel BsB

    No feminino, Elena Dementieva é a mais injustiçada por não ter ganho um Slam rsrs
    Mas tb, gata daquele jeito, you can´t have it all…
    Adorava vê-la em quadra, sempre torcia por ela! Uma das maiores gatas que já passaram pelo circuito.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que os outros listados fizeram um pouco mais na carreira, mas não seria um absurdo porque a diferença é um tanto sutil.

      Responder
  29. Marco Rodrigues

    Era super-fã da linda Dementieva. Acho que se ela tivesse tido a coragem de contratar um treinador que desse jeito no seu saque, teria ganho mais de um slam. Pelo menos ganhou um ouro olímpico.

    Responder
  30. Marcelo Seri

    Dalcim, parabéns por mais uma análise muito interessante e criativa!
    Na minha opinião, eu trocaria o Tsonga pelo Tommy Haas!
    E talvez o Berdych tb apareceria na minha lista!

    Abraço!

    Responder
  31. Hendrix

    Dalcin, não entendi o ranking de currículo do masculino. Como o Davydenko pode estar em primeiro se nunca jogou final de Slam? Diversos outros da lista chegaram, alguns múltiplas vezes, e ficaram atrás dele. Qual o critério?

    Responder
      1. periferia

        Olá Dalcim

        O Nalbadian não tem um curriculo melhor que o Davydenko?
        Nalbadian tem:
        1 Finals
        1 final de SLAM
        5 semi de SLAM
        Tem 3 master 1000
        Foi 3 ° do mundo

        Davydenko
        1 Finals
        0 final de SLAM
        2 semi de SLAM
        3 master 1000
        Foi 3° do mundo

        Responder
  32. Claudio Silva

    Faltaram, com certeza, o checo Berdych, o argentino José Luis Clerc e o britânico Tim Henman!!! Berdych, inclusive, fez semifinal em todos os grand slams e final em Wimbledon, ou seja, um jogador completo, que faturou na carreira quase 30 milhões de dólares em prêmios!!! Não só faltou o checo, como ele talvez fosse o número 1 ou 2 desse ranking!!

    Responder
  33. Maurício Luís *

    O Zverev testou negativo, mas bem que ele está se “esforçando” pra pegar um corona da vida.
    E embora eu não seja nem um tiquinho fã do Nadal, faço-lhe uma menção honrosa. Ele tem sido um bom exemplo de paciência e cautela. E isto é importante, porque todos eles precisam ter consciência de que são ídolos, exemplos para a juventude principalmente.
    O Kyrgios está me surpreendendo. O seu comportamento controverso em quadra é bem diferente de quando se trata de obedecer as orientações das autoridades. Menção honrosa pro australiano também.
    ***** Pra não perder o costume ******
    Espero que a sogra do Nadal saia ilesa dessa pandemia. Se algo acontecer com ela, vou ter que jogar um monte de coisa no lixo que escrevi pra apoquentar a ideia dos fãs do espanhol.

    Responder
  34. Luiz Fernando

    Sinceramente acho q Doria fez uma boa gestão da doença em SP. No inicio da pandemia dizia-se que a saude colapsaria, que não haveria leitos p todos, que seria uma mortalidade absurda, que precisaríamos fazer como na Italia, escolhendo quem viveria e quem morreria e não ocorreu nada disso. Agora ele infelizmente sucumbe a alguns momentos da mais absoluta falta de bom senso, como no caso da ameaça de prender quem descumprisse o rodízio e agora de multar quem não usar mascara. Tais besteiras só servem p uma coisa: desmoralizar, a fundo, quem as institui…

    Responder
    1. Marcelo

      O PSDB já teve políticos melhores, na minha opinião. Alckimin, por exemplo, foi um ótimo gestor em São Paulo, avesso ao politicismo. Antes que petistas ou bolsonaristas levantem a faca (ou a foice), faço aqui um aparte: os mesmos interesses obscuros que movem a política em todo lugar, também moveram o governo dele em São Paulo. No entanto, poderíamos estar passando por isso com menos ideologia, menos vergonha (nacional e internacional) e com menos memes. E lamento, meu caro amigo de cima, mas na minha opinião (e com todo respeito a tua opinião), o governo deste cidadão que citaste não está fazendo gestão de crise nenhuma. O que ele está fazendo, no momento, é gestão destes mesmos interesses obscuros.

      Responder
    2. Heitor

      Eu ja nao acho besteira.Se a consciência e o senso coletivo não fazem as pessoas usarem a máscara com o nariz para dentro, por exemplo, só punindo mesmo…

      Responder
    3. Vitor Hugo

      Acho a gestão dele fraca, confusa, principalmente na questão do rodízio de carros e etc. Deveria ter feito lookdown, já que São Paulo foi o epicentro da pandemia no Brasil por muito tempo.
      Agora o governo dele também está supostamente envolvido na compra de respiradores e outros itens superfaturados. Vamos aguardar.

      Falando em PSDB, como será que andam as investigações de superfaturamento nas obras do metrô de SP, rodoanel e etc?! Se fosse o pt…..
      Não existe Santo em partido nenhum!

      Responder
      1. Miguel BsB

        Se tem um partido que roubou Bilhões e nunca aconteceu nada foi o PSDB, principalmente em SP.
        Não entendo a fixação do povo paulista com esse partido, já estão há uns 30 anos ininterruptos no poder…já aparelharam todas as instituições que podiam aparelhar…

        Responder
        1. Vitor Hugo

          Exato, Miguel! Sem falar que nenhum dos seus ‘caciques’ sequer foram presos. O Aécio, que foi gravado pedindo propina pra JBS, está livre numa boa. Seus inquéritos estão congelados no supremo.

          Responder
          1. Miguel BsB

            Essa proteção ao Aécio, depois de provas contundentes em depoimentos, filmagens, gravações, foi a coisa mais nojenta e descarada que eu vi em termos jurídicos e políticos…
            Enquanto a prisão preventiva comia solta no país, imposta principalmente por BolsoMoro e seus Bluecaps da farsa a jato pra cima dos inimigos, pro Aecim foi obrigar ele a ficar 2 dias trancado em sua casa, de castigo. hahahaha

  35. Rogerio R Silva

    O Miroslav Mecir perdeu duas vezes pro meu ídolo Lendl mas depois ganhou um medalha de ouro olímpica e o Corretja perdeu pro Guga,ídolo de todos.
    Dalcim,o Leconte chegou perto dos 10 aí?
    Gostava do tênis dele

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Chegou a duas finais de Slam, mas a meu ver era tecnicamente inferior ao Anderson, Pioline e Corretja, já que dependia muito de um piso veloz.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Incrívelmente Finalistas nos mesmos SLAM ( USOPEN e WIMBLEDON ) e Quadrifinalistas também nos mesmos . A diferença são duas a mais em RG para Anderson ( 4 a 2 ) , e uma a mais para Mark no AOPEN ( 4 a 3 ) . No total , 2 ATPs a mais para Philipoussis . Ou seja , muito parelhos a meu ver. Nada de ” bagres ” como afirmam os de sempre rsrsrs Abs!

  36. Groff

    Ótimas listas, Dalcim. Na de qualidade do masculino, eu jogaria o Ferrer para sexto e subiria, nessa ordem, Soderling e Tsonga para quarto e quinto respectivamente, mas são todos grandes nomes. Também acho o Thiem melhor que o Coria, mas o Thiem não só ainda tem espaço para mostrar (bem) mais como acho que já deveria ter feito mais do fez até aqui, então acho que está bom assim.

    Responder
  37. Marcos

    Uma pena ver a Radwanska nesta lista. Merecia um GS.
    E talvez houvesse espaço para Dimitrov e Zverev. Têm Masters, Finals, SF de GS.
    E a Bouchard teve um ano (acho que 2014) sensacional, mas pelo conjunto da obra, top 10 só fora das quadras. kkk

    Responder
  38. Sérgio Ribeiro

    E assim como nas outras , o famoso h2h não é o que decide nada. Soderling 10 x 4 pra cima de Ferrer . Mas as conquistas do Espanhol com 27 x 10 em ATPs , prevalece . O talento de Rios aliado ao fato de ter sido N 1 , são indiscutíveis. Eu daria umas mexidinhas na turma da velha guarda , mas muito pouco. Agora Eugenie Bouchard com apenas UM WTA meu caro Dalcim , somente em homenagem ao charme e a beleza da Gata rsrsrs Abs!

    Responder
  39. Vitor Hugo

    Tenho doutorado na faculdade marciana das constelações e pós doutorado na faculdade jupetiriana dos anéis. Será que posso ser ministro do governo?

    Responder
  40. Oswaldo E. Aranha

    Também acho interessante fazer uma observação sobre o Finals. Quem ganhou Dalcim e estão na tua lista: Davidenko e Nalbadian e quem nunca ganhou: Nadal.

    Responder
  41. Isaías

    Dalcim, creio eu que faltou currículo e um forehand para Gasquet ser ao menos cogitado certo??
    E o Magnus Norman esteve na sua cabeça e foi cogitado Dalcim??

    Responder
  42. Miguel BsB

    Essa lista é um pouco polêmica Dalcim, se não vejamos:
    Em termos de currículo, Dimitrov venceu 1 Finals e 1 Master 1000, fez semis em 3 Slams, foi nº3, então talvez pudesse compor entre os 10…
    Em termos de talento, ninguém nega que o Búlgaro é talentoso, mas concordo que não entra entre os 10…
    ———————-
    O Rios me parece um pouco com o Kyrgios, desperdício de talento, poderia ter alcançado mais do que alcançou, meio “louco” das ideias.
    Aliás, seria exagero incluir o Kyrgios na lista de telento? E olha que não tenho simpatia nenhuma por suas atitudes, mas não há como negar que o cara é talentoso.

    Responder
    1. Marcelo

      Talvez Kirgios e Dimitrov pudesse compor uma lista dos tenistas que mereceriam ter um lugar ao Sol a partir da momento da chegada do Big 4. Seria interessante, pois homenagearia nossos leitores mirins. O que acham?

      Responder
  43. Arnaldo Luiz Pires

    Gostei muito do post.
    Davydenco e Nalbandian, encabeçam a lista com todo mérito, jogaram muito anos com qualidade e muitas vezes superando Federer e Nadal em suas melhores fazes, sou fãn do carequinha.

    Responder
  44. Marcelo

    Bem justa tua lista, e quando olhamos para os nomes que estão nela, lembramos do que jogaram e vemos que mesmo assim não conseguiram chegar lá, mais valor temos que dar ao Guga pelo que alcançou. Que momento foi aquele do tênis brasileiro!! (foram 43 semanas de número 1, 3 GS, 1 MC, Terminou ano em 1o. na corrida, ganhou de muitos tenistas TOP). SDDS!!! Será que há alguma chance (alguma luz no fim do túnel), para a torcida reviver aqueles momentos?

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Não entendi o que quis dizer sua sigla MC, mas se for relativo aos Masters 1000, foram cinco do manezinho, entre eles, dois Monte Carlo, mais um Roma, um Hamburgo e um show sobre Patrick Rafter em Cincinatti.

      Responder
  45. Daniel

    Jogadores como Davydenko e Nalbandian não devem nada a Djokovic e Nadal em matéria de recursos técnicos, sendo inclusive melhores em alguns fundamentos. Realmente um dos maiores mistérios do esporte esses dois não terem conquistado nenhum GS, enquanto Nadal e Djokovic conquistaram mais de 10 cada….

    O Federer foi muito cruel mesmo com os tenistas da geração dele…

    Responder
    1. Groff

      Pefeito, Daniel! Acho, ainda, que não só o Federer foi cruel (Safin tinha tudo para ser dos melhores da história; Hewitt era um monstro e certamente teria ganho mais Slam – acho que foram sete derrotas para o suíço nesse nível) como a alteração do circuito foi muito custosa, especialmente para tenistas como Nalbandian de mais habilidade do que físico. Digo e disse sempre que a adaptação é o fator maior aqui e nisso o Federer não tem comparação (ah, aquele saibro azul, que só confirma minha teoria…).

      Responder
      1. Daniel

        Bem colocado, Groff. Concordo com tudo. E sobre o saibro azul, enquanto o Federer se adaptou e dominou, temos dois tenistas que espernearam, choraram e ameaçaram nunca mais jogar…rs.

        Sobre o Nalbandian, ele poderia ter se adaptado a essa transição para um Tênis mais físico se focasse mais nos treinos físicos e menos nos churrascos…rsrsrs.

        Abs

        Responder
          1. Paulo Almeida

            Federer já reclamou até de Wimbledon e do Finals, enquanto Djokovic se adapta com facilidade a qualquer piso.

        1. Groff

          Sim, eu errei. Ele, na verdade, era um pangaré que só ganhou dois Slam, sendo um deles o mais importante título do circuito. Também não vale nada o Sampras dizendo que perdeu pra ele porque o australiano jogou demais e o americano ficou sem resposta, tendo sido dominado. Reconheço que não entendo nada, mesmo. Assim como o Steve Tignor, de Tennis.com, que o coloca entre os 25 maiores tenistas da história: https://www.tennis.com/pro-game/2018/02/50-greatest-players-open-era-m-no-22-lleyton-hewitt/71838/. Esse então não sei como fala tanta besteira. Os entendidos de verdade fazem comentários aqui no blog.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Não perca seu tempo , caro Groff . Somente pelo fato de Nadal falar abertamente que se inspirou no mais jovem N 1 de Toda a Era Profissional , já seria o suficiente. Mas pra esses caras cujo o único intuito é desconstruir a história, o mane’ tem a coragem de postar que o Esporte somente começou em 2008 . E o pior é que consegue enxer uma Kombi kkkkkkkkk. Abs!

          2. Daniel

            Groff, não perca seu tempo. Tem gente que começou a ver tênis somente em 2008. Eu suspeito que é uma galera que veio do futebol (pela forma de se expressar) e passou a gostar de tênis com a transmissão cada vez maior de torneios na tv fechada nos últimos anos. Eu costumo pular os comentários. Abs

          3. Paulo Almeida

            Sampras já estava com sérios problemas nas costas no fim da carreira e perdeu para vários pangarés de fato. Aliás, o sábio Gavião mandou um post matador acerca desse assunto há pouco tempo. Sugiro que o procure.

        2. Marcelo

          O pessoal da teoria da entresafra que me perdoe, mas eu também acredito que o Hewitt (na minha opinião) tenha sido um monstro sim, e dos maiores que apareceram. . Um jogo de muita perna (pré-Nadal). Teve uma carreira relativamente longa, mas assim como o Guga, o apogeu foi abreviado por contusões, mas que como todos os demais, foram atropelados com o fenômeno do FEderer à época, além das contusões, pelo que ouvi. Mas eu não me recordo qual foi a(s) contusão dele. Alguém saberia dizer?

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Marcelo que tal ” o homem das mil cirurgias ” , como ficou conhecido o Australiano ? Se não estiver equivocado , coluna , joelhos e pés não escaparam. Mas no quadril a lá GUGA tenho certeza que não. Abs!

          2. Groff

            Caros Sérgio, Daniel e Marcelo: muito legais as considerações! o/

            Quanto a esse pessoal da “entressafra”, eu não ligo. Na verdade, eu me divirto com esse povo e também acho que eles vieram do futebol. Têm o mesmo comportamento pueril. Abraços!

        3. Sérgio Ribeiro

          Prove que Federer reclamou , oportunísta Almeida. Que tal chamar o Sábio Gavião pra te ajudar . O Leozinho G. postou aquela bobagem sobre as dores de Sampras e o Norte-americano se aposenta ganhando seu último SLAM ? E tome de Aces nos 7 jogos até o Título. Sabe nada rsrsrs Abs!

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Desmemoriado Ribeiro, você não precisa voltar muito no tempo.

            Federer reclamou da velocidade da grama sagrada em 2019 e da quadra dura da O2 Arena em 2018 logo após a derrota pro Nishikori.

            Abs!

      1. Paulo Almeida

        Philippoussis, Baghdatis, Blake e outros entressafreiros foram preteridos, kkkkk.

        Pelo menos Roddick e González receberam um alento.

        Responder
      2. Paulo F.

        HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA !!!
        Até o Kevin Anderson, que foi o adversário mais “fácil” que Djokovic venceu em final de GS, foi listado.
        Mas esses dois “jenius” que o Federer derrotou em finais não apareceram!
        kkkkkkkk
        E ainda querem desqualificar as opiniões do xará Almeida.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Xará, agora vieram com esse papo furado de torcedor de futebol, mas contra-argumentar que é bom, nada!

          Só dando risadas mesmo…

          Responder
    2. Paulo Almeida

      Errado. Nalbandian não supera Novak nem nos seus melhores fundamentos, que são backhand e devolução. E o Davydenko, é melhor em quê?

      Você estava em coma nas últimas publicações sobre golpes? Parece que sim, rs.

      Djokovic e Nadal conquistaram quase 20 Grand Slams e eles nenhum porque são jogadores infinitamente superiores, sendo inclusive os dois melhores da história. Não há mistério algum aí.

      Sorte do Federer que teve a entressafra 2003-2007 à disposição, porque depois seus arquirrivais é que foram muito cruéis com ele. Aliás, o moleque Nadal já era impiedoso no saibro a partir de 2005.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Não cansa de repetir as mesmas bobagens. Sem essa de Saibro. O N 2 de 2005 já tinha batido o N 1 em 2004 em Miami. E terminou a temporada com DOIS MASTERS 1000 nas DURAS em 2005. Se repetir esta asneira a vida inteira , acreditas que mudarás a história , caríssimo Piloto ? rsrsrs Abs!

        Responder
          1. Groff

            Não contraponho fatos contra opinião. Federer nasceu em1981. Roddick (H2H positivo contra Djoko), Safin (igualmente), Hewitt, Nalbandian, Feña Gonzales, Davydenko, todos jogadores sensacionais que tiveram a “sorte” de cruzar com o suíço e são todos da mesma geração (nascidos no mesmo ano ou com meses ou um ano de diferença). Isso é fato, não é uma opinião. Não sou torcedor do suíço, como não sou torcedor de jogador algum (torci para o Guga, mas foi só). Uma das questões que sempre foi relatada pelos especialistas é a capacidade de dominar os rivais de uma mesma geração. Federer o fez com maestria, pois subiu o nível do jogo de modo absurdo. Teve que vir uma geração nova para tentar suplantá-lo e ele, bem mais velho, não é dominado por nenhum deles da maneira que ele dominou seus rivais de geração. A exceção é o Nadal no saibro, mas quem é páreo para o espanhol ali? Na história? Aliás, também Sampras dominou seus maiores rivais (Agassi que o diga). O Djokovic só agora cresceu o H2H contra os seus. É um jogador sensacional, mas há que respeitar o contexto. Ele provavelmente seria dizimado pelo Federer de 2003-2008, como todos os outros jogadores o foram (de novo, só Nadal no saibro quebrou a regra), mas isso fica no campo da hipótese e da opinião, e eu trabalho com fatos.

            Eu queria ter ficado no post do Dalcim, mas vocês insistem no papo de torcedor fanático. Get a life, you guys!

          2. Jonas

            Sampras: “Por alguns anos Roger não teve rivais que pudessem lhe fazer frente e por isso vencia tão fácil. Não quero desrespeitar Mark Philippoussis e Andy Roddick, mas eles não eram Rafael Nadal”

            Esses são os fatos Groff. Já que você citou idade, não se esqueça que entre 2004-2008 Djoko e Nadal ainda estavam longe do auge, embora o espanhol seja mais precoce que o sérvio.

            Não há como afirma que “em 2008 eles seriam dizimados” porque não foram, simples assim. O Djoko, aos 20 anos, fez uma final de US Open extremamente equilibrada com o Federer.

        1. Paulo Almeida

          Na verdade eu choro de rir é com a desculpa esfarrapada de idade. Pela sua lógica o arquirrival do suíço é o Roddick então, kkkkkkk.

          Você falou aquela bobajada que os 14 Slams do Sampras valiam mais do que os 17 do Djokovic. Achei que fosse torcedor do americano, mas acabo de constatar que é mais um do gado federista, assim como o Daniel.

          Responder
        2. Paulo F.

          Sendo que um destes “arquirrivais” já humilhava o todo-poderoso, adulto e consolidado Federer quando ainda era um adolescente.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Meu Deus do céu!

            Será que você não consegue pensar em NENHUMA outra forma de contribuir com o blog que não seja repetindo isso?

            ” o Nadal humilha Federer, o Nadal humilha Federer, o Nadal humilha Federer…”

            O Federer ganhou 7 dos últimos 8 jogos contra o espanhol.

            O que mais ele poderia fazer pra te agradar?

            PLANTAR BANANEIRA em quadra?

          2. Sérgio Ribeiro

            Prove essa bobagem , Paulo F . Já discutimos várias vezes sobre o Saibro. E parece que o grande “ analista “ se faz de bobo . Outro que não sabe nada rsrsrs Abs!

        3. Luiz Fabriciano

          Não tive mais campo para responder em sua resposta à mim, por isso estou fazendo aqui.
          Você diz não contrapor fatos contra opinião, mas o arquirrival de Federer é Nadal ou não? Isso não é um fato?
          Não necessitamos entrar no mérito da idade.
          Se há um velhinho e um novinho se degladiando todos os dias, independente de quem vença mais, são ou não arquirrivais?
          Citar h2h entre Djokovic e Roddick para que? Nunca foram arquirrivais.
          Nem precisava você rir tanto.
          Saudações.

          Responder
          1. Paulo F.

            É uma piada.
            Federer já não fazia frente ao Nadal criança, aí é lógico que seus fãs se agarram à diferença de idade, quando mais velhos, para “desculpar” o Federer de não fazer frente ao Nadal e depois ao Djokovic.

        4. Paulo Almeida

          Você não trabalha com fatos, mas com factoides e opiniões extremamente clubistas, pra dizer o mínimo.

          Nem o torcedor mais ferrenho da ala federista vai concordar com esse ABSURDO de que Djokovic e Nadal não são os arquirrivais do Federer, pois isso sim é um FATO INQUESTIONÁVEL.

          Djokovic só cresceu agora no h2h contra seus rivais? Não, ele tem tido amplo domínio (21×10 contra Federer e 22×10 contra Nadal) há 9 anos e meio. Pesquise um pouco antes, a fim de não passar vergonha.

          Teria sido dizimado pelo Federer de 2003 a 2008? Mais um factoide, pois nem o moleque Djokovic desde o primeiro confronto em 2006 foi dizimado uma vez sequer. Aliás, ele venceu a final do Masters de Montréal 2007, deu muito trabalho na final do US Open 2007 e depois meteu 3×0 na semifinal do AO 2008. Na verdade, acho que teria acontecido o contrário: um Djokovic da mesma idade e já um jogador maduro teria vencido a maioria dos confrontos.

          Fácil demais te colocar no bolso, rs.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            ” fácil demais te colocar no bolso”

            ” pesquise mais para não passar vergonha”.

            Pfff!

            Depois o cara não entende porque ninguém gosta dele.

            É muita pobreza de espírito viu…

      1. Sérgio Ribeiro

        Federer foi cruel com o seu novo ídolo , meu caro. Ser Heptacampeão de WIMBLEDON e perder para um moleque de 19 no quinto Set , deve doer. Assim como Nadal deixou Federer falando sozinho em 2008 . O Suíço quebraria todos os recordes da Grama Sagrada. Em vez de falar as merdas de Pete , convidou o Touro pra quebrar o recorde de público da história numa exibição. Por despeito , Sampras arrumou um lugarzinho nesta Kombi assim como o nobre penetra kkkkkkkk Abs!

        Responder
        1. Luiz Fernando

          Com sua habitual humildade vc deve julgar q sua opinião tem mais peso do q a do cara. Mas não tem, talvez apenas no seu mundinho restrito e particular. Desculpe a sinceridade, mas é a realidade, aceita q dói menos. Quanto a ser penetra, por favor, menos no seu mundinho “Peter Pan” kkkkk. Grande abraço.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Luiz,

            o Pete Sampras é um dos grandes do tênis.

            Mas os títulos dele também não o isentam de quando em vez falar merda.

            E essa teoria da entressafra é um bom exemplo.

            Você queria que o Federer simplesmente não jogasse aquelas finais, é isso?

            Outra perguntinha:

            se fosse o Nadal ou o Djoko que estivessem no lugar dele, vocês iriam diminuir o feito também?

          2. Sérgio Ribeiro

            Pra variar somente repetiu o papo de falta de humildade e outras babaquices. Se têm preguiça de ir ao Site oficial de Wimbledon 2017 , quando Sampras afirma categoricamente que Federer é o tipo de jogador que nasce “ a cada cinquenta anos “ , vá ao Bola Amarela. Ele completa afirmando que sua volta em 2017 vencendo Nadal no AOPEN 2017 e a seguir Wimbledon, foi a mais espetacular que já se viu. Ou seja , nada a ver com sua infeliz declaração dois anos depois. Você se apega a ela pois é o que te sobra depois de dizer que “ odiava “ o Suíço após o feito extraordinário kkkkkkkkkkk Abs!

  46. Valmir da Silva Batista

    Olá Dalcim. Achei que as listas estão bem postas em seus dois aspectos, ou seja, curricular e de qualidade, e isto tanto em relação ao tênis masculino quanto ao feminino. Mas quero aproveitar o ensejo para sugerir que você faça também listas com aspectos opostos aos destas que publicou, a saber: sugiro que o teor das opções que proponho tenha jogadores e jogadoras que ganharam um ou outro grand slam, mas seus currículos e qualidade não eram ou não são grande coisa, já citando dois casos como exemplo: Gastón Gáudio e Flavia Pennetta. Fica a dica. Obrigado…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado pelo sugestão, Valmir! Mas acho que infelizmente isso vai mostrar muito do Australian Open dos 20 primeiros anos, quando as chaves eram naturalmente mais fracas.

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Teve um jogador, que nunca o tinha visto antes e também no o vi mais depois. Naturalmente não venceu um Slam.
        Foi o que foi o adversário do Ferrero em Roland Garros quando este foi campeão. Sei que era holandês.
        Tem uns casos esquisitos assim.

        Responder
      2. Valmir da Silva Batista

        Pode ser, Dalcim, o que conta é o aspecto história, e então seria interessante que ver publicada minha sugestão. Se algum dia for possível, pensa com carinho, ok?

        Responder
  47. Luiz Fernando

    Djoko já reconheceu q se precipitou, assunto encerrado. O detalhe é q alguns ficam repetindo as coisas a exaustão cobrando o cara, me parece q já ficou pro lado pessoal no caso de alguns jogadores e blogueiros…

    Responder
  48. GUILHERME MARTINS DE SOUZA

    Bom dia Dalcin! Legal as listas, especialmente a lembrança da Andrea Jaeger (apesar de vc ter colocado jogadoras de qualidade bem inferior na frente dela).

    Legal tb a lembrança ao Miroslav Mecir. Porém senti falta do que considero melhor de todos a não ganhar um Slam: Brian Gottfried.

    Dos anos 70 tb tinha o Raul Ramirez, que jogou d+.

    Anos 80 o Leconte jogou mto e jogou bonito.

    Nós anos 90 o Andrei Medvedev tb foi duríssimo. Qdo tava jogando bem no saibro…

    Cito esses nomes só para complementar. No mais só elogiar seu blog e o Tênis Brasil, ótimo conteúdo. Um abç!

    Obs: tb daria uma lista excelente “os melhores a ganhar só 1 GS”…ia render ótimas polêmicas. Ahahahha

    Responder
  49. Nathanael

    Excelente Lista Dalcim, não tenho o que discordar
    Talvez acrescentaria o berdych por cv, fez final e várias semis,
    Muito prejudicado pelo big four

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Nathanael, mas acho que faltou ao Berdych introduzir novos elementos no seu jogo, o que ele acabou fazendo só depois da séria contusão, quando passou a tentar mais a rede. Se tivesse feito isso antes, acho que teria feito bem mais.

      Responder
  50. Rafael Azevedo

    Dalcim, faltou o Bellucci na sua lista!
    Ele, com certeza, não é top 10 em currículo nem em qualidade…
    Mas, é brasileirooo. Coloca ele aí! kkk

    Responder
  51. Rafael Azevedo

    Nossa…essa lista é dolorosa. O sentimento que eu tive ao ver esses nomes foi de frustração e revolta, kkk. Como esses caras não venceram GS??
    Mereciam…grandes atletas!

    Responder
  52. diego adrian

    Dalcim, a Gabriela Sabatini não merece estar em nenhuma das 2 listas? Jogou numa epoca que estava a imbativel Graf, e tambem Navratilova, Seles, Evert, Sanchez. Mesmo assim jogou varias finais, e ganhou um slam. E as grand willys q fazia eram lindas de se ver.

    Responder
  53. Robso Gonzaga de Morais

    Na questão de Slam faltou a ele ir nais longe, mais na qualidade e talento talves nao5 caberia o Nishikori tb nessa lista?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, eu o considerei sim, Robson, mas como só cabiam 10, acabei tirando. Porém acho totalmente válido colocá-lo lá.

      Responder
    1. Luiz Fernando

      Fortíssimo candidato mesmo, e olha, ficarei relativamente feliz se ocorrer, apesar da torcida total pra Rafa. Thiem joga muito…

      Responder
  54. Emerson

    Ola Dalcim. Algumas perguntas sobre sua lista
    Nao acha que o fato de ter sido numero 1 do mundo já é suficiente para por Rios na lista do curriculo? Ninguem chega ao n1 por nada.
    Nishikori nao merecia estar em uma dessas listas? E Monfils na lista dos talentos.
    E quanto a nomes do passado como Salomon, Tanner e Dibbs?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Já respondi sobre algum desses nomes, Émerson. Sobre Solomon e Dibbs, bons jogadores mas não os colocaria tecnicamente acima dos demais. Monfils é um dos meus tenistas prediletos, mas não acho que no geral estaria acima dos outros.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Haas foi um tenista de grande qualidade técnica, Luciano. Fez quatro semi de Slam e ganhou um Masters no saibro, um belo currículo.

      Responder
  55. Luiz Fernando

    Como estamos numa fase mais light do blog, não vi nessa lista o Baghdatis, o Gonzales e o Philipoussis, por isso mesmo me lembrei do… Sampras e do seu comentário sutil. Claro q aqui nada fica sem resposta, mas se perguntarem pelos o nomes do Puerta e do Medvedev, pex, nos GS q esses caras fizeram finais Federer e Djoko já estavam NO AUGE, algo bem diferente…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      O comentário de Sampras não teve nada de sutil , meu caro. Foi de inveja pura e contraditório . Já sei que não entraste no Site Oficial de WIMBLEDON 2017. Quanto a ele desconsiderar Safin , Hewitt , Nalbandian , Davidenko , Agassi e principalmente o N 2 ( desde 2005 ) , Rafa Nadal , vai pro espaço qualquer tese. Ele perdeu uma grande invencibilidade , como então heptacampeão , para um Next Gen chamado Roger Federer. E tinha apenas 30 anos quando apanhou pra Safin e Hewitt. O resto é somente o mais que conhecido recalque rs . E o parceiro insiste rs Abs!

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        PS. Mark ” Scud ” Philipoussis e Fernando ” Mano de Piedra ” Gonzalez , não estão ali mas não ficam nada a dever. Na boa , não vistes a maioria dos citados jogarem rsrsrs Abs!

        Responder
      2. Luiz Fernando

        Vc tem sua opinião, outros tem outra, simples assim, pena q vc teima em não entender isso. Da mesma forma q vc “acha” q o cara tem ciúmes do Federer e eu tenho “recalque”, outros observam fatos que não há como desmentir e o post do Dalcim não põe nenhum destes adversários portentosos em destaque. Quem será q está c a razão: sua suposição ou os fatos kkk???

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Quem realmente assistia o Esporte antes de Rafa Nadal se tornar N 1 , sabe que os citados por mim chegaram por MÉRITOS as Finais dos SLAM. Se você assistiu as outras listas , os viu representando os melhores golpes em gerações. Pouca coisa ? Claro que não. Pete Sampras fez um depoimento ao Site oficial de Wimbledon 2017 , que é o oposto desta declaração estupida em que desmerece oponentes pra quem ele mesmo perdeu. Na boa , esse teu papo já deu. Consegue esquecer que o Suíço assumiu o N 1 em 2004 ( ano em que Nadal já o bateu em Miami ) ? E que o Espanhol era o N 2 ao Final de 2005 ? . Se Sampras esqueceu fo….ele. Abs!

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Ps. Mark Philippoussis 6 x 4 , 7 x 6 , 7 x 6 Sampras , Oitavas AOPEN 96 ; Philippoussis 4 x 6 , 7 x 5 , 7 x 6 , 4 x 6 , 8 x 6 Sampras , Roland Garros 2000 . Na única vez que se encontraram , Gonzales 7 x 6 , 6 x 1 Sampras , MASTERS 1000 Miami 2002 . head to head Sampras x Safin , 3 x 4 ; Sampras x Hewitt , 4 x 5 . Realmente eram muito fraquinhos . Sampras 0 x 0 Rafa Nadal ( sorte dele ter se aposentado rsrsrs ). Abs!

    2. DANILO AFONSO

      Luiz Fernando, ontem tive o mesmo pensamento que você acerca dos 3 primeiros nomes citados, mas como o blog está na paz, eu não tive coragem de postar…kkkk

      Responder
      1. Vitor Hugo

        É o que tinha para aquele momento, Danilo. Mas Gonzáles foi eleito o melhor forehand dá história. E antes de chegar a final pra enfrentar Roger, meteu 3 x 0 no Rafa Nadal fácil fácil… Se não me engano nas quartas de final..
        Já o australiano entrou entre os grandes sacadores segundo o Dalcim. Sacava muito, foi 3 do mundo e final em Wimbledon.
        Mas repare que ‘gigantes sacadores raramente entram em lista de melhores da história. Vivem de saque e forehand, mas com movimentação pífia não tem como vencer slam.

        Responder
        1. Luiz Fabriciano

          Vitor, os gigantes sacadores não entram como melhores da história simplesmente porque seus saques são seus únicos atributos.
          Karlovic é o maior expoente desse universo.
          Fernando Gonzales tem o melhor forehand, mas veja, não foi o suficiente. Segundo o Dalcim, não mereceu um Slam.
          E isso sempre nos levará a premiar e admirar o conjunto, pois só isso produzirá grandes campeões.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Onde o Dalcim escreveu isto , caríssimo L . Fabriciano ? A lista apresenta os dez que mais mereceram . Gonzales graças a seu Forehand espetacular possui 3 Medalhas Olímpicas . E quando merecidamente atingiu a FINAL do AOPEN 2007 , depois de tirar Nadal em Sets diretos , deu de cara com o N 1. Assim como aconteceu com Soderling. Abs!

      2. Luiz Fernando

        Danilo uma coisa é provocar, outra é constatar um fato, quem elaborou a lista não fui eu nem vc. Mas claro, os infantis de sempre não resistem aos fatos e respondem na base do “eu acho” kkkk, mais q previsto, veja q eu já cantei a bola antes!!!

        Responder
      3. Sérgio Ribeiro

        Deveria ter postado meu caro , Danilo. Inclusive que assistiu as 10 maravilhas de Federer no Site TênisBrasil ? Outro dia , lembra ?Tentar desmerecer os oponentes anteriores a 2008 , parece ser norma da turbinada Kombi rsrsrs Abs!

        Responder
  56. Carlos

    Olá Dalcim,
    Lembrou bem em colocar o Cédrid Pioline por currcículum, mas poderia colocar por qualidade tb, sem nenhuma dúvida.
    Um cara que chegou a 2 finais de slam (US Open e Wimbledon) e só perdeu para o maior daquela geração (Sampras), ganhou master 1000 e duas Copas Davis, além de ser uma autêntica carne de pescoço pro Guga, que nunca o venceu e o tirou de uma semi de US Open quando o Guga estava voando nas quadras duras e era um dos favoritos pra ganhar o US Open.
    Outro cara que poderia constar na lista da qualidade era o Magnus Norman, que senão fosse o problema que teve, poderia ter ido muito mais longe na carreira. Mas no geral a lista é boa e de todos esses o que acho que mais merecia um slam era o Nalbandian, um baita, imenso e talentossímo jogador,

    Responder
  57. Márcio

    Mestre , Berdych cabia nessa lista aí ! Davydenko msm talvez até tenha carreira pior q ele em Grand Slam , várias semifinais , vitórias de Big 3 e final em Wimbledon, e por isso muitos acham q ele até amarelou por ter conseguido muita coisa ! E o Thiem Questão de talento dele tá abaixo de alguns outros é por ter carreira menor ainda Tbm ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acredito que naturalmente o Thiem subirá nessa lista de qualidade, Márcio. Pouco a pouco, o vejo mais versátil na quadra dura e isso é muito importante.

      Responder
  58. Bruno Costa

    O pessoal tá falando que o Thiem e terá muito tempo pela frente para vencer um Slam. Discordo! Primeiro pq Thiem fará 27 anos este ano. Está, portanto, bem mais próximo dos 30 do que dos 20; Vencer Majors depois dos 30 não é algo rotineiro e frequente. Federer, Nadal e Novak Djokovic nos acostumaram mal. Mas eles são exceções. Dito isso, que a cada temporada as chances do Thiem diminuem. MInha opinião!

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Depende. Wawrinka venceu três slam próximo ou depois de completar 30 anos.
      Kevin Anderson chegou a final de slam depois dos 30.
      Fato é que, existe uma tendência atualmente dos tenistas estenderem suas carreiras mais do que antigamente, devido a evolução da preparação física, nutrição e etc. Então será cada vez mais comum jogadores com 35 anos ou mais jogando em ótimo nível. Vai ser cada vez mais comum um tenista chegar em seu auge próximo ou depois dos 30.
      Quem imaginava Nadal e Novak jogando depois dos 32!?
      Atualmente ter 30 Não é mais ser velho para o esporte, tanto no tênis quanto em vários outros esportes.

      Responder
  59. periferia

    Olá Dalcim.

    O Todd Martin tem títulos na grama….no saibro e na quadra dura (bons titulos).
    Por 10 vezes esteve entre os 8 em um slam.
    Com tanta versatilidade ele não entraria por qualidade?

    Abs

    Responder
  60. Mário Cesar Rodrigues

    Concordo,mas vi o Nalbsdian jogar contra Federer o cara jogou muito e tem uma classe e Federer higiu bem.Mas se não foi engano meu li um comentário que o Ferrer fez duas finais em GS só me lembro com Rafa a outra não lembro.abs

    Responder
  61. Vitor Hugo

    Se o mestre está valorizando o finals, por que Dimitrov não está na lista?! Rs. De quebra, o búlgaro ainda venceu Cincinatti e fez semi em Wimbledon…

    Responder
  62. Sergio

    Eu retiraria Thiem da lista. É jovem, está na ativa e tem uma longa carreira pela frente. Seguramente vai ganhar um Slam.
    Soderling se não fosse a mononucleose, para mim, iria bater forte no big four e talvez até mais que isso. Pena, o cara era um animal batendo na bola.
    Da lista, eu colocaria Davydenko e Nalbandian como os que mereciam (pouco mais que os outros) um Slam. Rios era de uma técnica absurda, mas a cabeça era fraca.

    Responder
  63. Anderson Nues

    Ferrer na qualidade é bem contestável. Acho que o que aconteceu com Federer foi o inverso do que aconteceu com Ferrer.
    Se Federer ganhou 30% do que poderia ganhar, Ferrer ganhou 170%. Jogador muito limitado, porém muito raçudo, não a toa foi 6 anos seguidos top 10

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Acho que só 30% é exagero, vai…

      O Federer tem dois arquirrivais fortíssimos.

      No saibro, o Federer não sabe mesmo como jogar contra o Nadal ali.

      Uma coisa que ele mesmo declara:

      nem sequer um tenista que nos treinos emule o jeito de jogar do espanhol, ele consegue achar…

      Em relação ao Novak – a maior parte dos triunfos do sérvio são merecidos.

      E as vitórias que ele não mereceu constituem exceções.

      Creio que o suíço realmente perdeu sozinho duas finais de Wimbledon contra o sérvio. (rs)

      O exemplo de 2019 foi para mim o mais incrível. Putz!

      Eu fiquei de queixo caído naquele dia – não apenas pelo duplo matchpoint, com saque.

      Mas por outras duas razões:

      1. os dois pontos anteriores tinham sido aces.

      2. tão logo o Federer perdeu as duas chances, ele entregou o resto do game, de graça!

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Rodrigo, até hoje me regozijo com aquele duplo match point, especialmente quando lembro do meu desespero vendo aquela senhora(ita) com o dedinho levantado indicando 1.
        Mas o quero dizer com tudo isso: Federer vacilou mesmo. A partir do momento que ele conhece bem o adversário.
        E veja: estava revendo as zebras que rondou Wimblendon nos últimos anos, pelo Youtube, Nadal foi vítima quatro vezes e incrivelmente, nas quatros vezes, ao chegarem aos match points, seus adversários o converteram através de aces.
        Ainda bem que Federer não viu o dedinho da moça, rsss.

        Responder
  64. Augusto Fortuna

    Olá, Dalcim! Discordo apenas do Marcelo Rios não constar no top 10 da lista do curriculum. Ele venceu 5 Masters 1000, mais do que todos do top 10 dessa categoria, e foi o único que chegou a número 1 do mundo. É verdade que fez ”apenas” uma final de Slam, mas o Davidenko (1o da lista) nunca o fez. O Kevin Anderson fez duas mas jamais chegou perto de vencer um título de master 100 e tem apenas 6 titulos de atp. David Ferrer tem um Master 1000 e apenas uma final de Slam- não vejo muito sentido em ele estar na frente do Rios que , jogando por muito menos tempo, venceu 5 master e fez final de Slam. Tim Henman venceu um master 1000 e nunca fez final de Slam e mesmo assim consta na lista. Enfim, poderia citar outros. Com a lista de talento, concordo plenamente! É uma pena que o Nalbandian nunca tenha ganhado um slam, tinha um talento absurdo. Abs,
    Augusto

    Responder
  65. Mauro Márcio Oliveira

    Olá Dalcim…. gosto muito deste site, vejo-o diariamente. Rigorosamente todos os dias.
    .
    Dalcim, as percepções podem ser diferentes, certamente. Mas creio que cabia alguém aí que não foi colocado “Tomas Berdych”
    O cara foi um ‘monstro’ que nunca ganhou Slan. Fisicamente grande atleta, um tênis primoroso e golpes firmes além de um saque excelente.
    .
    Faltou-lhe ser coroado com um Slan…

    Responder
  66. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,deixando claro também que meu intuito não é criticar,hehe…Mas com exceção de 2 finais de slam contra 1,no currículo o ferrer é melhor que o soderling…e isso que acho que soderling era melhor tecnicamente

    Responder
  67. Vitor Hugo

    Prezado Rodrigo Cruz,

    Só pra deixar claro, não estou querendo fazer média com Djokovistas, Nadalistas ou com qualquer um que seja, apenas estou tendo o mínimo de respeito em primeiro lugar com o espaço, depois o Dacim e todos os colegas do blog, além dos jogadores, sendo paciente e aceitando opiniões contrárias as minhas. Elogio quando acho que devo e o mesmo quando tenho que criticar. E posso te garantir que, estou muito mais em paz agora do que antes. Não passo raiva, fico de boa.

    É claro que fica meio esquisito minha ‘nova versão’ para quem não está acostumado. Alguns devem pensar se é hipocrisia, apenas passageiro ou algo forçado mesmo. Mas estou bem assim.

    Até quando? Só por hoje! Um dia de cada vez.

    Abs

    Responder
    1. Rafael Azevedo

      Vitor, ninguém está achando que é hipocrisia ou média com nolistas, fique tranquilo. Você é bem sincero em suas colocações.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Eu não acho que você está fazendo média.

      Só alertei para o fato de você não deixar de se expressar como pensa.

      Ainda que seja impossível que se agrade a todos sempre.

      Até para não soar como “phony”, já que ninguém muda da água para o vinho.

      Abs.

      Responder
  68. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,para entender os critérios…imagino que a carreira como um todo seja analisada,e não apenas as finais de slam(porque dividenko não tem final de GS)…com isso Berdych não deveria entrar na lista?!…Com exceção de “apenas” 1 final de slam contra duas do Anderson,ele tem um currículo MUITO melhor ao meu ver(número muito maior de vitórias,maior quantidade de semi e quartas de slam,mais tempo no top 10,mto mais títulos,4 finais com 1 título de Masters 1000,enquanto o Anderson não tem nenhuma final…)

    Responder
  69. Vitor Hugo

    Lembro do sueco enfiando o dedo no traseiro e imitando Rafa Nadal, em Wimbledon, em um jogo ótimo entre os dois. Foi uma cena patética, mas hilária ao mesmo tempo.
    Mas foi bem desrespeitoso com o oponente.

    Responder
  70. periferia

    Olá Dalcim.

    O Robin Sterling …..daqueles que estão na relação é o cara que fez o feito mais espetacular do tenis.
    Perdeu duas finais de Slam para o Federer e o Nadal (2008/2009)
    Sendo que quando fez final com o Nadal eliminou o Federer (então 1 do mundo com todos Slam no bolso)
    Quando fez final com o Federer eliminou o Nadal (em Roland Garros….um feito e tanto).
    Daqueles que nunca ganharam um Slam….Soderling foi o cara.

    Abs

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Problema do Soderling era a movimentação, backhand fraco e pouca variação. Mas concordo que o feito de ter chegado duas vezes seguidas na final de RG, eliminando o maior saibrista de todos os tempos e no ano seguinte o maior da história, foi algo sensacional! Um dos maiores feitos dos ‘sem slam’ de todos!

      Responder
      1. periferia

        Olá Victor.

        Realmente ele pode não ter sido o melhor…..mas o feito foi extraordinário.
        Nalbadian tem um feito similar…..ele ganhou do Federer…Nadal….e Djokovic no mesmo torneio (1 ..2 …3…do mundo)

        Abs

        Responder
  71. Vitor Hugo

    Pra falar das mulheres, Dinara Safina foi uma das tenistas com jogo mais sem graça que eu vi até hj, apesar de não acompanhar muito o feminino. Quer dizer, eu não presto muito a atenção nos aspectos técnicos(hehehehe).

    Responder
  72. Vitor Hugo

    Na questão curricular, não tenho tanto pra falar, pois não tenho conhecimento de um ou outro que estão na lista. Mas acho justo Davydenko e Nalbadian no topo da lista, além do Thiem.

    Na questão qualidade, também acho justo Rios no topo junto com David. Agora, Ferrer tem mais qualidade que Domimic T??? Na mimha opinião, de jeito nenhum! O austríaco tem muito mais arsenal que o espanhol. Claro, reconheço, e talvez o Dalcim esteja levando em conta a consistência, físico e mental fortes de Ferrer.

    Responder
  73. Leonel

    Marcelo Rios não tem currículo pra estar na primeira lista? Fala sério, o cara foi primeiro do ranking, vc deve ter algum problema com ele… rsrs

    Responder
      1. Tomaz Loiola

        Ficou bem confuso. Você diz que Marcelo Rios “só fez uma
        Final de slam, o que é inferior a todos os 10 primeiros”.

        Logo depois aceita que davydenko nunca fez final de slam.

        A verdade é que não há razão para Marcelos rios não estar no top de currículo, sendo que foi o único da lista a ser TOP 01.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Embora seja um feito de peso, a passagem de Ríos pelo número 1 foi de apenas seis semanas, Tomaz. Ou seja, faltou a ele o essencial na maior parte de sua carreira: consistência. Ainda assim o considero como um dos mais talentosos que já vi jogar. A questão do currículo é certamente discutível, mas dei preferência a tenistas que tiveram múltiplas finais de Slam ou título de peso imediatamente inferior, que para mim são os ATP Finals. Abraço!

          Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *