Missão impossível para Nadal
Por José Nilton Dalcim
17 de junho de 2020 às 20:34

Após a confirmação de Cincinnati e US Open numa realização conjunta e consecutiva em Flushing Meadows, a ATP soltou nesta quarta-feira o esboço do calendário que pretende realizar a partir de 14 de agosto, quando se imagina ser possível enfim retomar o circuito internacional.

E a missão não poderia ser mais difícil para Rafael Nadal. Se quiser defender 5.360 de seus 9.850 pontos atuais, o canhoto espanhol terá de entrar em quadra por pelo menos seis semanas consecutivas e em dois pisos diferentes.

Olhem só a montanha a escalar: 2000 pontos no US Open, 360 em Madri, 1000 em Roma e 2000 em Roland Garros, ou seja, defender três dos quatro títulos. Claro que ele pode trocar Madri por Cincinnati, torneio que não disputou no ano passado. Isso permitiria que entrasse em melhor ritmo no Grand Slam, ainda que seja sempre um risco ao joelho. E em última hipótese, arriscar jogar Madri caso não se saia tão bem no US Open.

Além do desgaste físico e emocional que tal maratona proporciona, Nadal terá mínimas chances de se manter próximo ao número 1 Novak Djokovic. Quando o ranking foi congelado, ele estava a entusiasmantes 370 pontos.

Nessa mesma sequência insana do novo calendário, o sérvio defende 360 pontos em Cincinnati, 180 no US Open, 1000 em Madri, 600 em Roma e 720 em Roland Garros, num total de 2.860, ou seja 2.500 a menos que Rafa. Se considerarmos sua excelência sobre a quadra dura, é muito provável que some muitos pontos no US Open e aí saltar Madri parece muito lógico, até porque o saibro espanhol é muito diferente do que verá em Roma e em Paris.

Ainda não se sabe o que acontecerá após Roland Garros. Oficialmente, a ATP não descartou a fase asiática mas, com Roland Garros terminando dia 11 de outubro, teria de haver no mínimo duas semanas para uma aventura a Pequim e Xangai (Tóquio está fora). E isso apertaria a realização de Paris-Bercy e o Finals de Londres em novembro, já que a ATP não quer de forma alguma avançar sobre dezembro.

De qualquer forma, a chance de Nadal ainda somar pontos para uma eventual briga pela liderança é escassa. Ele marcou 720 pontos e poderia somar 2.740 se ganhasse Xangai, Paris e Finals, o que convenhamos não é nada fácil Nesses três torneios, Djokovic defenderia 1.380, já que ganhou Bercy.

Especula-se, claro, se Nadal e Djokovic iriam mesmo a Nova York, já que não se manifestaram confortáveis com a forma com que a pandemia abalou a metrópole. Particularmente, acho difícil eles saltarem um Slam nesta altura de suas carreiras e de suas metas, tão próximas, se igualar ou apertar o recorde de Roger Federer.

O espanhol, é claro, pode se dar ao luxo de apostar todas suas fichas no saibro europeu e saltar o US Open para economia de joelhos e sustos. Djoko, ao contrário, é menos favorito na terra e muito mais candidato em Flushing Meadows.

Uma coisa não se pode negar: um Slam sem o Big 3 jamais seria o mesmo.

P.S. 1: Como se imaginou ontem quando o US Open cancelou o qualificatório, a chave principal terá agora 120 nomes diretamente pelo ranking e, como ele não poderá se mexer até o começo de Washington, o paranaense Thiago Wild terá vaga direta e jogará seu primeiro Grand Slam. O mesmo que conquistou como juvenil em 2018. Thiago Monteiro também está garantido.

P.S. 2: O calendário anunciado pela ATP fará com que Washington comece numa sexta-feira e Cincinnati, num sábado, com final na sexta seguinte. Novos tempos.


Comentários
  1. Paulo Almeida

    Esse Adria Tour tinha boas chances de dar merd* e foi o que aconteceu. O vírus não vai embora tão cedo e continuam subestimando.

    Responder
  2. Maurício Luís *

    Permitir torcida nesse malfadado Adria Tour eu acho muito pior do que a notícia do Dimitrov ter testado positivo pro coronavírus. Quantas pessoas na torcida não dever ter contaminado quem estava próximo? E o búlgaro deveria ser multado por causa desse seu tour nas baladas.
    Enfim, tudo é consequência. Tudo o que fazemos retorna pra nós, seja para o bem, seja para o mal.

    Responder
  3. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    suponho que esse será o tema da próxima pasta – o Dimitrov pegou o coronavírus.

    Mas e aí…

    Será que ele contaminou outras pessoas, incluindo o próprio Djokovic e demais tenistas?

    Responder
  4. Sandra

    Dalcim, não sou tão bem informada assim , por isso minha pergunta , você sabe se nos Bálcãs onde estava havendo esses torneio , a cultura deles fazem eles não acreditar no corovirus ? Como aquele público todo sem máscara ? E os jogadores nem aí ? Pior é o público

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O índice de contaminação e mortes na Sérvia está muito baixo, Sandra, daí eles estarem numa situação bem mais relaxada.

      Responder
  5. Heitor

    O Grigor Dimitrov, que jogou o Adria Tour, evento organizado pelo Djokovic, testou positivo para a Covid-19.
    Ele jogou com arena lotada na semana passada, depois foi para balada, que estava lotada, e ficou pulando e dançando com todo mundo aglomerado.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A torcida provavelmente não terá problema, devido à distância, mas quem dividiu vestiário com ele, quem jantou no hotel a seu lado ou foi à balada – algo realmente fora de propósito a meu ver – precisa fazer testes e ficar atento nos próximos dias.

      Responder
      1. Jana Hees

        Puxa Dalcin. Eu falo pouco aqui, mas simplesmente adoro o seu blog. Eu vivo em Chicago, um dos ‘hot spots’ nos Estados Unidos. Como grupo, a cidade me dá um grande orgulho. Respeitamos as orientações da prefeitura, com poucas situações de abuso e quebras de regra. Como cidadã, acho que manter o US Open é um barulho e risco desnecessário. Estou de saco cheio de ficar em casa, de não fazer festa, mas o imponderável está aí na nossa cara com o Dimitrov testando positivo. Isso morando e depois jogando em países com casos de Corona marginais, comparados com o US. Mas o vírus está aí. Os resultados de testes ainda demoram dias para sair. E os próprios especialistas aprendendo como orientar a população enquanto tratam a pandemia. Sinceramente, sou contra manter os Grand Slam e Master 1000 em 2020. Vamos ser cooperativos e redirecionar o dinheiro para os profissionais do Tour que estão sentindo mais.

        Responder
      2. Mário Cesar Rodrigues

        Eu alertei falei com rafa e se quer ele cogitou jogar no USOPEM.falou dosperigos e agora deve ser redobrado na Espanha treina uma hora de manhã e outra hora a tarde.continuando lamentou o caso do Grigor e disse que raramente acontece de um só pegar.pode ser qualquer um e lamentou as notícias do Brasil .disse que a imprensa falou que vai morrer muitas pessoas pq o contágio é rápido ele só sai para Academia e ver Notícias falou que conversou com Fede de ontem sobre o episódio do Pai do Djokovic e o suíço disse que e5provkema dele mas deu um ultimato e falou que voltando a jogar com Djoko vai mandar abraços para o Pai do sérvio.e disse que TV não está confirmado e nem USOPEM e mandou um abraço ao Dalcim e a todos e que pediu para se cuidarem.

        Responder
  6. Luiz Fernando

    Olha q situação, Dimitrov q estava jogando na semana passada e nesta sem qualquer proteção de máscara está com coronavírus. Pelo q observamos na quadra e na arquibancada, não será surpresa saber q nos bastidores muitos também deveriam estar sem máscara. Resumo: ele pode ter contaminado várias pessoas. Simplesmente lamentável…

    Responder
  7. Luiz Fernando

    Dalcim, hj o Djoko novamente mostrou uma má qualidade na execução dos smashes, como explicar esse fato num jogador do gabarito do cara? Seria insegurança?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Podem haver explicações físicas, Luiz, mas seria temerário de minha parte afirmar isso. Como ele usa lentes de contato, é provável que tenha miopia e astigmatismo e um dos efeitos maiores do astigmatismo no tênis é identificar profundidade, o que piora contra a luz ou em luz artificial. Mas certamente existe o lado psicológico também, já que ele próprio admitiu certa insegurança com o golpe.

      Responder
  8. DANILO AFONSO

    DJOKOVIC – O TENISTA MAIS RÁPIDO DO MUNDO

    Em novembro de 2016, a Federação Australiana de Tênis, após coletar dados dos últimos três Slams Australianos (2014/2016), constataram que DJOKOVIC foi o tenista que alcançou maior velocidade máxima, incríveis 36,02 Km/h, seguido pelo britânico Andy MURRAY com seus 34,87 km/h.

    Impressionante que em outra estatística, média de velocidade, DJOKOVIC não figura entre os melhores, ficando atrás do 1º colocado MURRAY, 12º NADAL e 17º FEDERER.

    Devido os dados abrangerem 3 anos de competição, acredito que eventual margem de erro seja pequena. Também é importante frisar que dificilmente teríamos velocidade máxima e média superiores a pesquisa citada em eventual coleta de dados no saibro ou grama, haja vista que a menor aderência nestas superfícies prejudicaria demasiadamente a arrancada dos tenistas nos primeiros metros.

    Abaixo o link de alguns sites que publicaram as estatísticas dos tenistas, homens e mulheres:

    https://tennismash.com/2016/11/24/gig-djokovic-fastest-tennis-player-world/
    https://www.tennis.com/pro-game/2016/11/fastest-players-tennis-djokovic-halep-murray-kerber-dimitrov/62637/

    Responder
  9. Sandra

    Dalcim será que Nadsl vai desistir do us open para investir tudo em Roland Garros ? Pois estou vendo comentários que ele não está treinando e outra pergunta , a maioria dos jogadores estão treinando no saibro , não vai dificultar sendo o Us open primeiro ?

    Responder
  10. Luiz Fernando

    Quando eu era moleque, tinha um técnico português, Oto Gloria, q dizia: fulano as vezes é uma besta, as vezes é bestial. O Coric se encaixa bem nisso, mas em geral é uma besta…

    Responder
  11. Rafael

    Esperei um pouco para dizer isso, mas agora já é seguro colocar o que penso.

    Fiquei bastante satisfeito, na qualidade de leitor do blog, com a mudança de postura do VITOR. Pra mim é muito agradável ler postagens agregando conteúdo, discussões bem humoradas, mais interações, simpatia, serenidade, maturidade, ou seja, tudo aquilo que certamente o Vitor já tinha, mas não demonstrava. Besteiras todos falamos ou falaremos alguma vez (ou quase sempre, como eu) e, no contexto geral, são aceitáveis sem problemas.

    De modo que deixo aqui, como outros já fizeram, meus parabéns a você, Vitor. Agora tem sido uma satisfação ler suas colocações e aprender um pouco mais sobre você.

    Grande abraço.

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Obrigado, Rafael! Eu gosto de ler seus comentário. É um cara inteligente, entende de vários assuntos e agrega muito no conteúdo do blog.
      Infelizmente, as brigas infantis que eu e outros causamos por aqui acabaram fazendo com participantes ponderados e educados acabassem entrando no meio do “fogo cruzado “. Algumas briguinhas foram vergonhosas.
      Enfim, peço desculpas pelas coisas que eu escrevi. Nada do que disse sobre vc é verdade, saiba disso.
      Vc, Luis Fabriciano,Danilo, Jonas, Marcelo Jaca e até o colega Paulo Almeida são pessoas boas. As vezes deixamos o lado fanático falar mais alto. Fanatismo não leva a nada!
      Vez ou outra pode ser que eu faça alguma brincadeira ou outra, mas nada que ofenda os colegas ou tenistas.
      Enfim, vou tentar ser cada dia melhor.

      Abs!

      Responder
      1. Miguel BsB

        Vitor, eu tb estou gostando desse seu lado mais moderado…isso aí!
        Mas não vou mentir, sinto um pouco de falta dos quebra paus das torcidas…rs
        Muitas vezes vcs passavam dos limites, mas muitas vezes tb eu ria demais de algumas provocações, não vou negar…
        Abs

        Responder
        1. Vitor Hugo

          Obrigado, Miguel! Eu penso que, no momento, não tenho o equilibrou necessário pra saber até onde eu posso ir ou não. Então, colega, prefiro deixar as brigas de torcidas para ou outros. Como aqui não é um convento, igreja e ninguém é padre, sei que uma hora ou outra a coisa vai desandar de novo, principalmente quando os torneios voltarem. Mas eu, tô fora! ✌

          Responder
  12. Gabi

    Gente, o que foi o saque do zverev em 3-2 (15-15) no segundo set?!
    Posicionado do lado direito da quarta para sacar então em direção o lado esquerdo do Petrovic, ele lança a bola e…saca do lado direito da quadra do oponente!! E não foi pouquinho. Foi como se tivesse sacado do lado esquerdo da quadra!!
    Deve ter sido o vento… rsrs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      São lances assim que me motivam a continuar jogando tênis, Gabi. Se eles fazem esses absurdos, por que não nós, meros mortais?

      Responder
      1. alessandro sartori

        É, parece que o Zverev perdeu totalmente a confiança…e olha que teve tempo pra pensar naquilo que ja vinha dando errado…o saque ruim e as trocentas duplas faltas sao só um detalhe de um jogador que se nao fizer uma especie de lavagem cerebral urgente, em prazo curto vai ser “apenas” top 100

        Responder
  13. periferia

    Olá
    Lendo algumas mensagens ….fico me perguntando…
    Quando ele nao esta atuando (o ídolo).
    Como lidamos com a relação fã e ídolo?
    Queremos pegar no ídolo qualidades que não temos….mas o ídolo tem?
    Ou identificamos no ídolo qualidades que temos…e essa semelhança nos aproxima ?
    Como podemos idolatrar alguém que nunca ouviu falar da gente?
    Qual a importância da opinião de um ídolo no seu dia dia ?É relevante?
    Quem conhece realmente seu ídolo ?

    Abs

    Responder
  14. Miguel BsB

    Rubens, eu, torcedor do Palmeiras que sou, tenho me decepcionado muito com as posições políticas do Marcos, que, pra mim, sempre foi um dos meus maiores ídolos, Sao Marcos mesmo…mas admito que ele tem perdido muita da minha admiração…triste.
    Você tá certo. Nossos esportistas, em sua grande maioria, não tem cultura e educação suficientes e normalmente são alienados, omissos, ou defendem as causas erradas.
    Estou cada vez mais apenas valorizando seus feitos esportivos…os cidadãos são alienados, egoístas e vazios

    Responder
    1. Rubens Leme

      Miguel, eu tive a sorte (ou azar) de conhecer algumas pessoas de quem eu gostava (alguns ainda gosto) – esportistas, músicos, atores, escritores – e descobri que uma boa parte são insuportáveis e aquela ideia de que todos temos de sermos amigos dessas pessoas, mostrou o quanto somos iludidos pela imagem pública.

      Não vou entrar em detalhes, mas são pessoas que vivem em suas bolhas, cercados de puxa-sacos e você até pergunta porque diabos você gostou tanto das coisas que esse cara fez…

      Como colecionador, não teho coragem de jogar LPs ou livros fora, então apenas os deixo mofando no fundo do armário para as traças e baratas darem conta. Alguns foram bem decepcionantes. Há, claro, as exceções, especialmente aqueles jogadores que nossos pais e avôs amavam e que estão quase todos mortos agora, infelizmente.

      E sobre o Marcos quem perde é ele. Não apenas por ser eleitor do Bolsonaro, mas por se comportar exatamente como um bozominion com seus antigos admiradores.

      Responder
  15. Maurício Luís *

    Bom, já que tanto se tem falado na escolha dos melhores tenistas, melhores golpes, os mais estranhos, acho que poderia haver um levantamento do(a)s tenistas + lôngevo(a)s a figurarem no Top 10, Top Five… Acho uma proeza aguentar ficar viajando pra baixo e pra cima, em alguns casos por + de 20 anos.

    ****** Quem joga + bonito? *****

    Nadal vira-se pro amigo:
    – Cara… o site Têniis Brasil elegeu o meu jogo o + interessante, o + bonito, o menos monótono, o + criativo, o de maior plasticidade…
    – SÉRIO?! Não pode ser.
    – Sério mesmo. Eu quero que caia um RAIO na cabeça da minha sogra se eu estiver mentindo.

    Responder
  16. Filipe Fernandes

    Caro Barocos, boa noite!

    (Respondo aqui ao seu comentário feito no post anterior. Mestre Dalcim, me perdoe pela fuga do tema desta publicação.)

    Primeiro de tudo, muito obrigado pelas novas recomendações, delas assisti a “Se7en”, e este é realmente um filme muito bom, mantém a nossa atenção e o nosso espanto crescentes a cada novo caso deflagrado. Vou buscar ver os outros, já ouvi falarem bem de “O Paciente Inglês” (e o caro Rafael até comentou sobre o “The Notebook” alguns dias atrás, ao citar uma atriz a quem admira e atua nele, a Rachel McAdams). E que legal saber que já conhecia a trilogia, eu a acho magnífica; acompanhar o amadurecimento e o envelhecimento dos dois a cada década é fascinante — e, de fato, o traço de personalidade da personagem que você pontua no 3o longa chama atenção, também notei a irascibilidade demasiada, apesar de ter gostado muito deste último capítulo também, sobretudo pela bela cena no almoço, com casais de diferentes idades, e pelas conversas que os dois fazem enquanto andam.

    Caro, só depois de eu ter publicado o comentário anterior é que me lembrei de um outro filme pelo qual — pela sua manifestada predileção por ficção científica — você também poderia se interessar: “A Chegada” (2016), que, centrado numa professora de linguística, reflete sobre a linguagem (humana, interplanetária) e os descompassos existentes na, muitas vezes falha, tentativa de comunicação e entendimento. Um outro bom filme lançado nos últimos anos.

    Nossa, Barocos, pela descrição (bastante interessante) que você fez do filme que viu na adolescência, confesso que nunca ouvi falar sobre, e apenas dois nomes me vieram à mente ao lê-la (mas creio, com lamento, não corresponderem à obra certa): “Harry e Sally — Feitos um para o Outro” (1989) e “As Pontes de Madison” (1995), cujos enredos tratam de amores constantemente adiados (no primeiro) ou impossibilitados pelas circunstâncias da vida (no segundo).

    O enredo desse ‘misterioso’ filme que você viu na juventude me fez recordar até mesmo da história de amor entre o filósofo inglês John Stuart Mill (autor do monumental ensaio “Sobre a Liberdade”, e também do importante e terno “A Sujeição das Mulheres”) e sua amada Harriet Taylor, história a qual, devido às convenções sociais da época em que viveram, só viria a se concretizar definitivamente 21 anos depois de terem se conhecido e se apaixonado.

    Caro Barocos, se o filme marcante visto por você não for nenhum dos dois citados acima, espero que possa encontrá-lo — e revê-lo — ainda um dia. Um grande abraço e esteja e fique bem (você e seus queridos).

    Responder
    1. Barocos

      Filipe,

      Este filme que você indicou, “A Chegada”, esta na minha lista faz tempo. Infelizmente, perdi a oportunidade de assisti-lo na telona. Vou ver se está disponível pela Netflix ou Sky. Gostei bastante dos outros dois também, principalmente de “As Pontes de Madison”.

      Grato pela sugestão de livros também. Uma das maiores dificuldades nos dias de hoje é justamente encontrar obras de raro valor, tamanho é o número de publicações realizadas no mundo.

      Certamente que vou continuar a procurar o filme, até porque a nossa leitura sobre as estórias contadas costuma ser alterada com a vivência. Claro, ser remetido a tempos mais alegres é um bônus a mais. Quando finalmente o encontrar, vou repassar o título para ti.

      Para todos nós e para as nossas famílias, amigos e mesmo para os desafetos (e devo confessar que tenho muito poucos próximos a mim), votos sinceros de tempos melhores e com muita saúde.

      Responder
  17. Luiz Fernando

    Dalcim o q vc acha de Djoko, Thiem e cia limitada já estarem jogando e Nadal não? Sinceramente as vezes acho bom as vezes acho ruim…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, está bem distante do recomeço oficial da temporada, e estão jogando no saibro… Mas vejo muito melhor você estar em atividade do que parado, Luiz.

      Responder
      1. Sandra

        Dalcim, eu estava lendo e eles realmente vão fazer o us open , que é quadra dura , será que teremos problemas quanto ao fato de logo depois vir Roland Garros ? Será que o Nadal só vai se preparar para a França e deixar o us open pra lá ? Não vai ter post desses jogos de exibição ? rssss

        Responder
  18. Vitor Hugo

    Eu gostaria de saber o que alguém que critica a investigação sobre a fakenews diria se em redes sociais seu pai fosse acusado de ser traficante de drogas e a mãe de prostituta. Fosse espalhado. Liberdade de expressão!?

    Responder
    1. Rogerio R Silva

      Bom dia amigo.
      Depois de tanto tempo vendo corrupção como normal,aceitar o “rouba mas faz”,dizer “ele não” para favorecer petista corrupto e manter roubalheira,hoje vemos um governo lutando contra STF corrompido e manipulador,mídias idem,artistas comprados e outras coisas mais.
      Ver alguém concordar contigo declaradamente é raro,muitos tem medo de falar isso.
      Queríamos alguém para mudar.
      Foi eleito.
      Agora dizem horrores dele.
      E não provam
      No segundo grau e faculdade diziam para não lermos O Globo.Era jornal do Governo.
      Hoje é base da informação.
      Seria comico se não fosse trágico.
      Haddad, Huck,Ciro,Amoedo, Alckmin ?
      Pense nessas opções e diga quem poderia estar no lugar.
      Investiguem todos os filhos e o próprio pai.
      Investiguem todo mundo.
      Vamos votar naquele que for comprovado como limpo,como disse Joaquim Barbosa,Beira Mar e Alberto Youseff.
      Mas tem muitos que preferem propagar o que ACHAM dele esquecendo e que foi PROVADO dos outros.
      Liberdade de expressão aqui favorece a quem fala mal dos outros.
      Sempre.
      Quem fala bem de alguém é taxado de obtuso.
      No governo anterior o país era aliado da Venezuela,bastou mudar o governo para dizerem que o governo atual vai transformar este país em Venezuela.
      Celular do Adélio não pode tocar nas do presidente eles querem vistoriar.
      STF tira do governo federal o poder e todos culpam o próprio pelas mortes de Covid.
      Muitas incoerências que tentam fazer a gente engolir.
      Disseram certa vez que este país não é sério.
      Acredito ainda nisso.

      Responder
      1. Bruno Gama

        Nada foi provado?????? Que prova você espera? uma gravação do Flavinho admitindo todos os crimes?
        O Brasil tá perdido mesmo, além de petista defender bandido, agora a ala que se dizia contra corrupção tá defendendo bandido do seu lado.

        Responder
  19. Lobovic

    Dalcim, como jornalista, vc perguntaria ao pai do Djokovic algo sobre o Federer, se sabe que ele não gosta e provavelmente irá falar asneira?
    Acredito que seja um dilema para um jornalista.
    Ah, vc viu que a mulher do Queiroz, a ex mulher dele e o atual marido da mesma receberam o auxílio emergencial?
    Um cara que faz uma cirurgia de mais de $100 mil e paga em dinheiro vivo não me parece precisar dele.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o jornalista já faz a pergunta imaginando que vai sair algo polêmico… rsrs… E quanto ao auxílio, é preciso verificar se não houve fraude (há milhares de casos de uso irregular de CPF) mas, se foi assim, é mais um absurdo. Agora mesmo, vi que uma série de 65 prisioneiros receberam o auxílio. Será que não existe um sistema de cruzamento de informação? A Receita Federal deveria ser um deles, o sistema penitenciário idem. Estamos na hora da informática, não?

      Responder
      1. Barocos

        Dalcim,

        Como quase tudo na sociedade brasileira, algumas dificuldades no cruzamento de dados permanecem, provavelmente, por falta de interesse em votar legislação que normatize tal prática. E a falta de interesse não pode ser atribuída apenas a políticos.

        Responder
      2. Julio Cesar

        aqui em Manaus houve centenas e centenas de fraudes, muitas delas, suspeita-se, oriundas de dentro do próprio banco que está responsável pelo repasse dos benefícios.

        Responder
    2. Sandra

      Vocês sabem que eu li , uma pessoa bem humilde , recebeu , mas ele disse que não precisava , pegou o dinheiro e comprou cesta básicas para os mais humildes, eu também faria isso, até porque não sei se devolvesse iria para o lugar certo !!!

      Responder
  20. Paulo F.

    Já tinha reclamado que o babaca do pai do Novak tinha falado bobagens justo na Laver Cup onde Novak e Roger nunca haviam estado tão próximos.
    De novo falando m%$#@?
    Só lamento.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Bruno,

      enquanto o Tony Nadal exalta o arquirrival do sobrinho, em alguns casos até com exagero, esse sérvio pega e faz isso…

      E tem sido um comportamento recorrente. Haja ranço! Só daí você tira.

      Esse senhor é um imbecil…

      Responder
    2. Barocos

      Bruno,

      Realmente, a frase do sujeito sobre as qualidades do filho já diz muito. Junte a isto o ataque, indefensável, ao Federer e temos aí um caso grave de perturbação psicológica por stress pós-traumático, muito provavelmente, consequência da exposição à guerra nos Balcãs. Neste senhor, o caso parece especialmente agudo.

      Contanto que a pessoa não se mostre propensa a violência, convém apenas ignorar.

      Responder
  21. Vitor Hugo

    Sem comentários sobre mais uma besteira falada pelo pai de Novak. Pelo menos o filho pensa difetente….
    Bom, estamos na época de Trump, Weintraub, Bolsonaro….. Então nada mais, por mais tosco que seja, causa tanto impacto.

    Responder
      1. Vitor Hugo

        Mas como o Dalcim respondeu acima, tem jornalista que gosta de ver o circo pegar fogo.
        De qualquer forma, espero que não abale o respeito entre os tenistas.

        Responder
  22. Jonas Normando

    Dalcim, me diz uma coisa, se puder: por que os pais do Djokovic, um gênio, atacam tanto o Federer, outro gênio? O Djoko não poderia dar um “basta!” nessas falas beligerantes?

    Não te parece que fica um ar de ataque terceirizado do sérvio? Fico pensando também no que pensa o Roger dessa história.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Imagino que Novak já tenha feito isso, Jonas, mas é difícil saber a verdade. Claro que existe um ranço gigantesco dos pais contra o Federer, e muito provavelmente tem a ver com a predileção do público pelo suíço. Eles obviamente têm o direito de dizer o que quiserem, mas acho que isso não faz bem ao filho e a sua imagem. Se for proposital, me parece um erro.

      Responder
  23. Rafael

    Saúde ou economia? Qual deve ser a preocupação? Saúde, lógico. A economia a gente vê depois.

    Ao redor do mundo, durante o grosso do pandemia, pipocaram posts sobre as pessoas nas janelas batendo palmas e louvando os “heróis da saúde”. O Brasil não ficou atrás.

    Pois bem.

    O prefeito de Osasco, depois de “concluir” que a cidade tinha “atingido as metas de contenção” objetivadas (não atingiu), autorizou a demissão de uma pancada de enfermeiros e assistentes, etc que arriscaram suas vidas e ficaram longe de seus familiares e, depois de cumprirem seus atos de heroísmo, ficaram sem lenço nem documento. Foi ao menos planejada uma realocação desses profissionais para outras cidades? Claro que não.

    No dia seguinte, o secretário da saúde de Osasco foi alvo de um atentado enquanto voltava pra casa, e uma das balas chegou a perfurar a blindagem (claro, carro blindado), mas o cidadão não foi ferido.
    __________________________________________________________________________________________________________________________________
    Os hospitais particulares perderam cerca de 60% de sua arrecadação nesses últimos meses. Como resultado, dos 3.500.000 funcionários da Associação do setor, 10% (cerca de 350.000!!!!) serão demitidos nas próximas semanas. A maciça maioria dos que serão postos no olho da rua será composta de enfermeiros e assistentes, já que os médicos, por serem na maioria profissionais liberais, não serão tão afetados. 350.000 heróis da saúde ficarão a ver navios, e as palmas que bateram pra eles não sustentarão seus estômagos vazios nem os de suas famílias.

    Conclusão: Nem saúde nem economia. Enfim, a hipocrisia.

    Responder
    1. Gabi

      Pegando a tua pergunta (saúde ou economia) como gancho, desde março tenho pensando…
      …Devemos salvar os jovens e sacrificar os velhos?
      Devemos salvar os saudáveis e abandonar os doentes?
      Nada é assim tão fácil. Mas, quando o desespero aperta, o cálculo utilitarista é a primeira arma.
      Longe de mim criticar esses cálculos. Pelo contrário: agradeço a todos os santos não estar na linha de frente, a calcular a vida dos outros.
      O problema do pensamento utilitarista é que ele é assaz flexível. Serve para medir jovens contra velhos. Mas também pode ser aplicado a pobres e ricos.
      Se a ideia luminosa é maximizar a felicidade do maior número, por que não escolher salvar um cidadão rico, que contribui para a comunidade gerando empregos e pagando impostos, sacrificando um cidadão pobre, que é apenas um encargo para todos?
      Mas o problema do pensamento utilitarista não está apenas na possibilidade de gerar situações moralmente repulsivas como essa. O utilitarismo tende a ser cego para questões intangíveis, que não são facilmente mensuráveis.
      Retorno ao hospital. Retorno ao jovem e ao velho. Por que motivo devo salvar um jovem com um historial de delinquência e abandonar um velho com uma conduta exemplar?
      E se o velho em questão tiver família que depende dele, ao contrário do jovem? E se o velho for médico, artigo raro em situação de pandemia? E se for um grande artista?
      A idade não encerra o debate. O valor moral ou intelectual de uma pessoa pode ser mais importante do que o ano em que ela nasceu.
      Repito: agradeço a todos os santos não estar na linha de frente para fazer essas escolhas. Porque elas são agônicas, trágicas e, ao contrário do que afirmam os utilitaristas, incomensuráveis

      Responder
      1. periferia

        Olá Gabi.

        O utilitarismo é usado todos os dias …nas mais diferentes situações….em nome do bem estar da coletividade vamos escondendo ou eliminando as minorias ( por coincidencia Filipe citou um dos pais da filosofia utilitarista …. em outro contexto…… John Stuart Mill ).
        A bomba que caiu em Hiroshima e Nagasaki….foi útil para salvar outras pessoas ?
        A defesa do coletivo é complicado…..principalmente para “o indivíduo “.

        Abs

        Responder
        1. Gabi

          Exato. No fundo, é o velho dilema utilitarista: vale a pena sacrificar 100 mil para evitar a morte de milhões? Os utilitaristas que respondam.

          Responder
      2. Barocos

        Grande Gabi !

        Há alguns anos atrás, sobre uma situação ainda mais crítica (guerra), em outra digressão em relação à temática do site, eu e o interlocutor nos regozijamos por nunca termos tido o dissabor da escolha sobre quem vive ou quem morre.

        Claro que divagamos sobre assuntos correlatos, em especial, sobre o valor e o sentido da vida. Ainda que possuíssemos formação humanística e fôssemos avessos ao utilitarismo nas questões relacionadas aos indivíduos, magnificamente expostas por ti, divergimos sobre a vida possuir um sentido, e tão-somente nesta questão até este ponto.

        O outro debatedor enxergava na vida um sentido divino, eu, fruto do meu agnosticismo, bandeei-me em direção ao pensamento de Joseph Campbell: “A vida é desprovida de sentido. Você dá sentido a ela. O sentido da vida é aquilo que você atribui a ela. Estar vivo é o sentido.”.

        Lembrei, ainda, de uma resposta que transcende o individual, atribuída ao genial Kubrick: “A própria falta de sentido da vida força o homem a criar o seu próprio significado .. O fato mais terrível sobre o universo não é que ele é hostil, mas que é indiferente. Mas se podemos chegar a um acordo com esta indiferença e aceitar os desafios da vida dentro dos limites da morte – conquanto mutáveis o homem pode fazê-los ser – a nossa existência como espécie pode ter significado e realização genuínos. Quanto mais vasta a escuridão, devemos fornecer a nossa própria luz.” (sugiro a todos que não conheçam, que a leiam na íntegra).

        Claro que os desdobramentos desta divergência são gigantescos, em especial, em questões relacionadas ao perdão. Invoquei uma passagem de um filme, já não me lembro precisamente qual (acho que Tróia) – “Quando se mata um homem você não tira apenas tudo o que ele tem, mas tudo o que ele poderia ter tido.” – e o utilizei em ponderações subsequentes com um viés agravante para atos praticados, o outro dialogante, acho eu que devido à sua religiosidade, era mais indulgente em relação aos mesmos.

        O mais curioso nas nossas interpretações, contudo, revelou-se nas proposições punitivas para atos de ma fé, onde as nossas posições se inverteram. Ainda que eu julgasse as consequências de um ato de maneira mais severa, ainda assim eu optava por penas menos opressivas.

        Findado o diálogo, ao ruminar os vários argumentos, ficou a impressão para mim que as nossas posições sobre crime e castigo não eram tão consequentes das nossas inclinações sobre moral e ética, que eram bem similares em muitos pontos, mas frutos das nossas percepções sobre a unicidade espaço-temporal da vida ( a minha posição) ou não (a dele).

        Por curiosidade, o que pensa você sobre o sentido da vida e sobre a unicidade da existência? Claro, reserve-se a liberdade de não responder e, por favor, perdoe a minha inconveniência e a minha ignorância em questões filosóficas, sou apenas um diletante neste campo.

        Reforço o que já disse tempos atrás: seu companheiro é um sujeito de muita sorte.

        Que nunca falte luz no seu caminho.

        Responder
        1. periferia

          Olá Barocos.

          “Quando se mata um homem você não tira apenas tudo o que ele tem, mas tudo o que ele poderia ter tido.”

          Will Munny (Clint Eastwood) …Os Imperdoáveis

          Abs

          Responder
          1. Barocos

            Periferia,

            Correto. Quando a própria memória já nos falta, é bom poder contar a dos outros, e a sua tem se mostrado particularmente aguçada. Obrigado. Espero que o Clint não fique bravo comigo. 😉

            Saúde e paz.

        2. Gabi

          Eu to digitando com os pés porque com as mãos eu to é aplaudindo esse teu comentário!!
          Como sempre, muito interessante, transita sobre muitos assuntos, muito articulado, raciocínio muito bem desenvolvido, palavras muito bem escolhidas e ideias muito bem colocadas!!

          Sobre o sentido da vida e a unicidade da existência, é um assunto e tanto e acho que poderíamos todos aqui marcar uma reunião no zoom para conversarmos!! Do jeito que tá, teremos Réveizoom este ano rsrs. Para não antecipar o debate, concordo com a tua visão da vida e da existência mas tb sigo uma linha espiritual- não sou religiosa, mas acho muito importante nutrir a alma. E mais um detalhe: o sentido da vida, para mim, não está no hipotético legado que deixará para os vindouros. Está na forma como vivo o seu presente. De fato, e como diria o inestimável Viktor Frankl (1905-1997), de que vale ter uma vida de eternidade quando não há razões para vivê-la? 
          Who wants to live forever? Eu, não. E vc?

          Muito obrigada, para vc tb, que não te falte luz.

          Sobre o casamento, muito obrigada!! Vou dar o recado hihihi.

          Responder
          1. Barocos

            Grande Gabi !

            Primeiro, grato pela gentiliza.

            Sobre a herança que se deixa, sempre me causou estranheza que muitos gênios se preocupassem mais com o seu legado do quê com as suas relações com as pessoas à sua volta.

            Sobre vidas muito longas, acredito que mesmo que vivêssemos 10.000 anos, ainda assim teríamos muito o que aprender, muito que observar e muito para admirar. Mesmo que não envelhecêssemos ou experimentássemos problemas de saúde, entretanto, uma sombra, no começo bem pequena, mas que gradualmente se alastra, passa a ocupar espaços cada vez maiores do nosso tempo e da alma. Você pode senti-la nos olhos de homens e mulheres de vidas bem vividas, nos versos e prosas de letrados anciãos. É a falta dos amores antigos, de amigos queridos, a saudade de mestres, pais e avós. Para quem ama e preza as suas memórias, as perdas acumuladas se tornam insuportáveis, para quem não o faz, resta apenas um imenso e crescente vazio. Não, não quero viver para sempre.

            Novamente, obrigado pela gentileza.

            Saúde e paz.

  24. Rodrigo S. Cruz

    AO GAGÁ SÉRVIO:

    [“Roger não será o melhor da história, é por isso que cultiva tanta inimizade em relação ao meu filho”].

    Fiquei curioso, velho xiita… que inimizade seria essa? Disputar esportivamente com Novak é ser inimigo dele?

    [“Ele é o típico suíço frio, um grande rival do meu filho e também campeão, mas não é bom o suficiente para ser comparado ao Novak”].

    Bom, mas aí você entra em contradição, né? Como pode ao mesmo tempo serem grandes rivais, e não existir comparação? Ou uma coisa, ou outra…

    [“Por que você acha que ele ainda joga aos 40 anos?”]

    Pelo mesmo motivo do teu filho insosso ter dito que jogaria – discricionariedade, seu animal… (rs)

    [“Ele não pode aceitar o fato de que Novak e Nadal serão melhores que ele”]

    Maior quantidade não se confunde com maior qualidade…

    [“Seu tempo acabou, vá para casa, crie seus filhos, vá esquiar, fazer alguma coisa”]

    Dê você o exemplo… O tua validade já expirou também. Vá para casa curtir os netos, e esqueça a vida alheia…

    [“tênis não é tudo na vida, é apenas um hobby para o meu filho”]

    Apenas um hobby a TUA BUNDA, seu mentiroso…Só ver o quanto o Novak se dedica, toda obstinação que emprega para ser o que é…

    [” “Novak é uma compilação das melhores qualidades de sua mãe e minhas. Todas as nossas virtudes estão unidas nele, enquanto os defeitos permaneceram em nossas almas”]

    HAHAHAHA Então está explicado porque quase ninguém gosta dele!

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Tu estava indo tão bem Rodrigo. Eu estava concordando com você até a última análise.

      Tem que ser muito cego para não ver que o Djokovic a cada ano aumenta o número de torcedores pelo mundo. Quem acompanha as redes sociais, sites especializados e comentários no youtuber, já deve ter percebido que possivelmente Djokovic é o tenista que mais aumenta sua torcida entre os jogadores. Não precisa ir muito longe, basta ver a quantidade de torcedores do sérvio neste blog e no tênis brasil ao longo desses anos.

      Enfim, vamos separar o joio do trigo. A imbecilidade que os pais do sérvio falam não deve contaminar a percepção que temos do filho. Simples !

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Tenho certeza que está crescendo, caro Danilo. Mas muito também devido ao momento do sérvio. Se ele não estivesse vencendo slam, vc acha que o número de torcedores de Novak nas páginas do tênisbrasil e no blog estaria tão grande assim? Se ele estivesse na mesma situação que Roger está agora?

        Responder
        1. DANILO AFONSO

          É obvio que os resultados recentes na última década que inflaram a quantidade de torcedores do DJOKOVIC, mas essa situação também ocorreu com NADAL e FEDERER, bem como nos demais esportes em que o atleta está mais em evidência, exceto se a exposição for predominantemente negativa.

          Responder
    2. Bruno Gama

      Esse Cotonete pai é mais controverso até do que o filho, que já afirmou que o maior objetivo dele é bater o recorde de slams do Federer.

      Responder
  25. Miguel BsB

    Para o pessoal que está chocado com o Weintraub no Banco Mundial, não se esqueçam que por pouco o Eduardo Bolsonaro não foi indicado para Embaixador nos EUA! Um dos principais cargos da diplomacia brasileira, talvez atrás apenas do Ministro, em que embaixadores gabaritadíssimos no ápice da carreira somente sonham em alcançar…
    Realmente, a nova política está “acabando com a mamata”, taokei!?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Miguel,

      e você viu o MICO que o Eduardo “bananinha” pagou quando da época em que aspirava o cargo de embaixador?

      Questionado pela revista Piauí sobre qual seria a sua referência intelectual, ele respondeu que era Roger Scruton – filósofo conservador britânico.

      Nessa hora o “bananinha” diz:

      “‘Ele tem vários livros, não li todos, obviamente”.

      Aí lhe retornam:

      “Mas você leu qual?”

      Então, ele todo sem-graça responde:

      “‘Estou para ler. Vou começar o branquinho dele. Da capa branquinha”. E então pega o livro sobre a mesa de centro da sala para lembrar o título e mostra a edição em inglês: Conservatism: An Invitation to the Great Tradition (Conservadorismo: Um Convite à Grande Tradição).

      Em outro momento ainda mais patético, Eduardo é interrogado sobre o que pensa de Henry Kissinger – proeminente secretário de Estado durante o gestão de Nixon, conselheiro de relações exteriores de outros presidentes republicanos, ganhador do Nobel da Paz pela negociação do fim da Guerra do Vietnã (que ele mesmo ajudou a promover) e ativista em favor das ditaduras na América do Sul, entre elas a de Augusto Pinochet. Sendo esta última, aliás, das mais sanguinárias…

      Ou seja, como “bom” reacionário que é, seria fácil concluir que apesar de suas claras limitações intelectuais, Eduardo soubesse bem de quem se tratava.

      No entanto, o “bananinha” toma um gole d’água, olha para o assessor e diz:

      “Não conheço”.

      (rs)

      Responder
      1. Barocos

        Rodrigo,

        Que relato mais deprimente para todos nós que nos importamos com ética, com cultura e preparação para melhor entender o mundo e ajudar a desenvolver os nossos concidadãos e a nossa nação. O pior de tudo, é que este padrão é recorrente neste governo: pessoas desprovidas da devida qualificação são alçadas a posições que nunca deveriam ocupar, sem o menor constrangimento, sem o menor pudor, por aqueles que as indicam.

        Pelos últimos relatos, fica patente que estão dispostos a sacrificar todos os outros habitantes do país para não enfrentar as consequências dos seus crimes.

        O Brasil real, atual, parece enredo para mais um filme distópico com o título “Brazil”.

        Responder
      2. Miguel BsB

        Kkkkkkk
        Esse bananinha é um retardado! O cara pretende ser embaixador nos EUA e não conhece Henry Kissinger?
        Até eu que nao pretendo ser embaixador já li o Diplomacy, obra prima do Estadista, um livraço de 1500 páginas que mescla teorias das relações internacionais com sua prática durante seus anos de governo…

        Responder
        1. Miguel BsB

          E tb não tenho simpatias políticas pelo Kissinger, mas reconheço que ele era um grande Estadista com bagagem gigantesca nas relações internacionais…
          Ou seja, não tem problema vc ser conservador, liberal, social democrata, de esquerda…vc só nao pode ser um ignorante que só fala asneira sem nexo e lastro histórico rs

          Responder
    2. Rogerio R Silva

      Gostaria de saber o que desqualifica o Weintraub e quem seria melhor candidato.
      Antes de responder pesquise se as informações sobre o banco Votorantim correspondem à verdade.
      Forte abraço

      Responder
      1. periferia

        Olá Rogério

        Realmente o Banco Votorantin não quebrou.
        Porém…..não quebrou porque o governo Lula correu para socorrer o Banco privado…..comprando 49% de suas ações …..e surpreendentemente deixando o Banco nas mãos da familia Ermírio de Moraes .
        Com a desculpa que o Itaú havia ultrapassado o Banco do Brasil como a maior instituição financeira do país (O Itaú havia adquirido o Unibanco)…..o Banco do Brasil precisava adquirir outros bancos menores (na verdade o governo Lula manteve os privilégios dos banqueiros).
        Várias instituições privadas foram salvas com dinheiro público…depois da crise de 2008….muitas dessas instituição usaram os bancos de forma criminosa…e foram recompensados no final.
        Waintraub foi economista chefe do Votorantin durante anos….claro que não foi por causa dele que o banco praticamente faliu ( o Banco apostou tudo em sua financeira de veículos BV…com empréstimos atrelados ao dolar…se deu mal).
        Waintraub foi demitido no final em 2012 (não estava agradando).
        O importante e termos a capacidade se indignar com qualquer governo ….independente de sua ideologia….esse governo é muito ruim…..assim como o governo petista se perdeu…..assim como os tucanos jogaram sua dignidade fora para aprovar uma reeleição.
        Não podemos continuar (como comunidade) justificando um erro com outro.

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        O que desqualifica Weintraub?

        TUDO!

        Um cara que escreve impressionante com “c” e paralisação com “z”.

        Provavelmente tem um inglês sofrível também…

        Vai virar piada internacional…

        Responder
  26. periferia

    Olá

    O poderoso presidente da câmera (Cunha) ameaçou quase todas as instituições caso fosse condenado…foi

    Dilma tinha menos de 25% de aprovação de seu governo….foi retirada.

    Lula até ameaçou com o exército do Stédile para não ser preso….foi

    Temer distribuiu cargos e fez indicações para não ser indiciado e preso….foi

    Bolsonaro ameaçou o STF sobre investigações de seus “seguidores”…estão sendo investigados…alguns foram presos.

    Bolsonaro ameaça as instituições sobre o cerco a seus filhos….estão sendo investigados.

    Nesse momento….mesmo oferecendo 600 reais para boa parte da população…Bolsonaro tem menos de 30% de aprovação de seu governo (É caindo)…e quando ameaça com um auto golpe…..nao acontece nada….militar da reserva é igual escritor analfabeto…pode até contar uma história….mas não vai escrever um livro.

    Brasil é um país estranho….por caminhos muitas vezes tortuosos e traumáticos….ele chega no final fazendo o que é certo.
    O Brasil não é um país polarizado nem dividido…nunca foi.

    Um pais estranho….isso é.

    Responder
    1. Rafael

      Oi Claudio,

      Só para deixar claro que não estou nem mesmo fazendo alusão a fechar qualquer das instituições (congresso, stf, etc). Porém, na minha leiga opinião, se a câmara dos deputados fosse um departamento de uma grande empresa, já teria tido todos os membros demitidos e o departamento fechado por inoperância.

      Alguém já parou pra analisar o custo de cada deputado (chega a custar, com salário e todos os auxílios, usando ou não, aprox. R$ 200.000,00/mês cada um) e o que eles produzem? Pensando na empresa, é um departamento parasítico e deficitário, com avaliações de desempenho ocorrendo muito espaçadamente (a cada eleição) e reportando falsos dados para uma desinformada auditoria terceirizada (a população), maquiados por auto propaganda (horário eleitoral), o que somente perpetua a sanha sanguessuga desse conluio de espertalhões, trocando pequenas peças aqui e ali de vez em quando. Nenhuma empresa com a cabeça no lugar se sujeitaria a suportar economicamente esse fardo.

      Com raríssimas exceções.

      Responder
      1. periferia

        Olá Rafael

        Nosso sistema político precisaria de uma melhorada.
        Até que temos uma quantidade de representantes aceitável …se comparado a outros paises (O Reino Unido tem 1400 …a Alemanha 700…a Itália e França 900).
        O problema é o custo desse pessoal….o Brasil é o segundo país do mundo em gasto com representantes do legislativo federal (perde apenas para EUA).
        Considero nossas instituições boas (elas incrivelmente funcionam)….o grande problema é a expectativa …o que esperamos delas.
        O brasileiro é um ser muito individual….ele não tem o sentido coletivo….ele espera uma lei que o beneficie individualmente.
        O nível dos nossos representantes caiu muito….mas muito mesmo… a cobrança sobre eles é pouca.
        Em alguns lugares a mão do estado não chega.
        Como o sistema presidencialista é de coalizão….vc precisa negociar….aí mora o perigo…se perde a dignidade.
        O ideal seria o parlamentarismo….seria menos traumático (Mas a população precisaria de um amadurecimento político para transitar em um novo palco….mas não foi oferecido no menu )
        Mesmo assim …com todas as dificuldades e vergonhas ….o sistema política caminha….ja tivemos grandes oportunidades (direita . esquerda…centro) e não aproveitamos.
        De certa forma nossas instituições são o reflexo do espelho….somos Dorian Grey…..o problema é quando olhamos para o espelho.

        Fique bem

        Responder
  27. Oswaldo E. Aranha

    É obvio que cada um pode ter sua opinião, mas desfilar suas frustrações e ódios no blog, uma comunidade, não contribuem para nada de positivo.

    Responder
    1. Barocos

      Oswaldo,

      Peço desculpas a todos que tenham se sentido ofendidos por algum comentário meu.

      Em especial, o faço em dobro ao Carlos. Quero deixar claro que em nenhum momento o chamei de ignorante ou estúpido. Tentei, muito provavelmente de uma forma incompetente e desastrada, tecer um comentário geral sobre o emprego de argumentações em debates. Também é certo que cada um tem o direito de acreditar no que quiser. Vale, no entanto, ressaltar que opiniões dadas em público devem ser questionadas também publicamente, mas sob o manto do respeito ao indivíduo.

      Reforço, e já havia publicado as minhas ponderações sobre o tema em outra oportunidade, que opiniões não devem ser destinatárias de respeito, estas são livres para serem debatidas e receber todo o espectro de críticas que variam de “não concordo” até “concordo integralmente”. Entendo que algumas pessoas se sintam ofendidas por esta ótica, que não é nem criação e nem tampouco exclusividade minha. Acredito que, com alguma contemplação, muitos encontrem valor neste enfoque. Por isto mesmo, não costumo me sentir ofendido quando questionam as minhas asserções, não encaro tal feito como uma crítica a mim, mas como uma mera desavença de pontos de vista.

      Em geral, no que tange a opiniões sobre os mais diferentes assuntos, considero-me uma pessoa extremamente volúvel que muda alegremente muitas das próprias interpretações sempre que argumentos melhor concebidos são apresentados.

      Sei que não se deve utilizar situações como desculpa para as faltas cometidas, mas estamos todos sob uma pressão enorme, existem muitas coisas erradas na nossa sociedade e elas já se arrastam por um longo, longo tempo. Talvez por isto tantos brasileiros tenham se agarrado a Collor, Lulla, Dilma, Bolsonaros e tantos outros políticos de estirpe equivalente. Com bem dito por Brecht: “Miserável país aquele que não tem heróis. Miserável país aquele que precisa de heróis”.

      O lado bom de ser imperfeito é que sempre podemos melhorar.

      Novamente, as minhas sinceras desculpas aos frequentadores do blog.

      Responder
  28. Luiz Fernando

    Tudo aponta p FB ser de fato adepto da famosa “rachadinha”, prática comum entre políticos e “assessores”. Todos q utilizam esse artifício devem ser igual e exemplarmente punidos, limpeza já…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, é uma marca e uma mancha lastimável no Brasil. Mas investigações indicam que essa rachadinha específica sustentava negócios ainda mais tenebrosos.

      Responder
    2. Heitor

      Limpeza geral!!
      Olha, eu li na Folha nas colunas de Haddad, Duvivier e Nelson Barbosa que qualquer prisão antes do trânsito em julgado configura ataque aos direitos humanos, de defesa e que, portanto, representa perseguição política. Foi isso o que eu aprendi lendo a Folha.

      Responder
    3. Vitor Hugo

      Pode ter certeza, Luiz, que a “rachadinha” é uma prática comum em quase todas(se não todas) as prefeituras(prefeitos e vereadores) e assembleias legislativas dos estados, infelizmente.

      Responder
  29. Rubens Leme

    Dalcim, ao reler o texto vi que há um erro. É claro que teremos um quali. Ao menos, para os brasileiros, que será conseguir um visto de entrada. A julgar pelas últimas palavras do Trump, os tenistas do país “do meu muito bom amigo Jair Bolsonaro”, poderão ser barrados na porta, por falta de convites.

    Responder
      1. Miguel BsB

        Pois é….nunca vi a PF agindo assim…pelo contrário, eles jamais deixam um caso desses passar, pois na verdade, além de tudo, gostam dos holofotes.

        Responder
    1. Luiz Fernando

      Depois do visto ontem, tudo de fato se enquadra e aponta para uma interferência deliberada e com o objetivo de acobertar falcatruas. Da mesma forma q se estabeleceu a sujeira imensurável da quadrilha do bandido de Curitiba, isto tem q ser passado a limpo e se de fato houve o intuito de proteger o filho, Bolsonaro deve sair!!!

      Responder
    2. Carlos Reis

      hahaha São velhinhos e famílias que apoiam o PR, alguns, já desesperados, pedem a intervenção militar, o fechamento do Congresso e até do Supremo, mas TODOS são colocados no mesmo saco e taxados como FASCISTAS, como pessoas que odeiam A DEMOCRACIA. Pior é vocês acreditarem nessa narrativa ridícula, como vocês não conseguem perceber que a mídia QUER DERRUBAR O GOVERNO, e vale tudo para isso… A prisão do Queiroz foi transmitida ao vivo pela Globo$ta, parecia que estavam prendendo o Bin Laden… Sinceramente, Eu cansei, a BURRICE venceu!

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Se vc cansou, faça um favor para nós, nos poupe dos seus comentários. Já chega de ignorância e alienação…
        Procure um lugar onde talvez vc possa comentar e ter umas duas três pessoas que concordem contigo. 😉

        Responder
  30. Paulo Almeida

    Estou muito satisfeito com a volta do tênis a partir de agosto, apesar da nova realidade em que os torneios serão disputados e sem a presença de Wimbledon, onde Djokovic seria disparado o maior favorito com a ausência do Federer.

    Fiquei ausente alguns dias, mas gostaria de reiterar que a movimentação é o quinto fundamento na minha opinião, atrás dos quatro principais (saque, devolução, direita e esquerda). O tempo de reação, a explosão e a velocidade, citados pelo Dalcim, fazem sim parte de talento, que, como disse anteriormente, engloba mais características do que os golpes com a raquete. Aliás, o talento de Michael Phelps e Usain Bolt reside em boa parte nos três aspectos supracitados.

    O post do Vitor Hugo na publicação anterior deve ter deixado muita gente “astonished”, inclusive eu, rs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Sem desmerecer o POST do Vitor , caríssimo P. Almeida , que tal dar uma lida no que disse Novak Djokovic sobre Bjorn Borg e Roger Federer. Perguntado sobre uma possível volta do Craque em 2021 mandou : ” De Federer tudo se pode esperar , pois sem dúvidas , é o melhor jogador que já pos as mãos numa raquete ” . Tá lá no Bola Amarela de hoje rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Rafael

        Caro Sérgio, o que vou dizer não vai mudar o preço do dólar nem nada, mas enfim, alguma tradução está errada. Não vi o texto do bola amarela nem o original da declaração de Djokovic, mas no tenisbrasil ele diz: “…é provavelmente…” e, segundo você, o bola amarela diz: “… sem dúvidas…”

        De qualquer forma ele é provavelmente e/ou sem dúvidas o maior jogador mesmo, então tá bom, rs.

        Grande abraço.

        Responder
      2. evaldo moreira

        Prezado Sergio Ribeiro,
        Permite acrescentar algo a mais, falando o que o Djokovic disse sobre Federer, então o que dizer do pai dele falando asneira de novo, nem abri a página do tenisbrasil para ler, perda de tempo ler uma coisa que não acrescentar em nada, me impressiona como esse cidadão ama o Federer rsrsrsrs.

        Responder
      3. DANILO AFONSO

        Não nobre Sérgio !! Você subtraiu da frase acima a palavra “PROVAVELMENTE” que consta no fala do sérvio. Djokovic é ensaboado… Toda vez que ele toca neste assunto, ele cita o Federer, mas sempre coloca uma palavra no meio para não deixar 100% clara essa afirmação.

        As palavras “sem dúvida” você que incluir forçadamente na fala do sérvio.

        Pode isso Arnaldo, digo Sergio ??

        Responder
  31. Rafael

    Andy Murray hj repostou no ig uma postagem de Dylan Alcott, onde Dylan diz o seguinte:

    “Acabou de ser anunciado que o US Open vai acontecer SEM tênis para cadeirantes. Os jogadores nem foram consultados. Eu achava que tinha feito o suficiente para me qualificar – 2x campeão e #1 do mundo. Infelizmente, no entanto, me faltou a única coisa que importava – a capacidade de andar. Discriminação nojenta.”

    Eu concordo 100% com o Dylan. Para ele e colegas cadeirantes, não tem US Open. Blablabla menos gente no complexo, interesses comerciais blablabla.

    O que um bicampeão e #1 do mundo tem de diferente de outros campeões, como Djokovic e Serena? O pessoal TINHA que dar um jeito de acomodar esses participantes. Como vc mesmo falou no podcast, haverá bastante espaço ocioso… ou as imagens que os tops tiram todos sorridentes durante os torneios ao lado de competidores cadeirantes são pura hipocrisia? Ou faz pra todos, msm q com restrições, ou não faz pra ninguém. Djokovic, na qualidade de presidente do conselho, se pronunciou sobre esse absurdo? Se não o fez, falhou feio…

    O que vcs pensam a esse respeito? Esporte não é sobre inclusão social?

    Ou eu sou tolo de pensar assim?
    .

    Responder
    1. Rafael

      E não, não esqueci q vc falou do cala boca de 6 milhões pros qualis e do não acontecimento das duplas mistas. Duplas mistas são uma diversão/distração se comparadas ao torneio de cadeirantes. Foi excluída uma fatia representativa da sociedade. Muito, muito feio isso.

      Responder
    2. Vitor Hugo

      Assino embaixo seu post e a opinião de Murray.
      Para a organização e para as empresas que lucram com o torneio, parece que os cadeirantes não tem tanta importância.
      Mas imagine a emoção dá pessoa que tem a deficiência e a importância que é para ela jogar o torneio? Igual ou maior do que para os tenistas profissionais. Quando vc tira isso do tenista com deficiência… triste.

      Responder
      1. Rafael

        Pois é, Vitor. Aparentemente a ITF (de acordo com o tenisbrasil hj) vai tentar encaixar o torneio de cadeirantes, dentro ou fora do complexo do US Open. O triste é a humilhação pela qual as pessoas tem de passar para ter o mínimo de igualdade (tão falsamente apregoada e incentivada na publicidade) de tratamento, oportunidades, direitos, etc. Tem que ser tudo na base do grito. Ontem ou anteontem mesmo, a Bombril foi constrangida a retirar da mídia uma propaganda sobre a palha de aço Krespinha, cuja embalagem mostra o desenho de mulher negra, claramente fazendo uma analogia entre o produto e os cabelos da mulher. Deram um monte de desculpas esfarrapadas sobre os valores da empresa e que não foi intenção ofender, etc, tudo hipocrisia.

        No mesmo assunto mas mudando um pouco, se dependesse da minha opinião e do meu voto, voltando ou não a jogar, Andy Murray deveria ser eleito presidente emérito do conselho de jogadores. Não sei como ele é para negociar, mas me identifico com grande parte das posições que ele defende/apoia.

        Responder
          1. Rafael

            Só para concluir este assunto, enquanto Murray expunha o caso dos cadeirantes nas redes sociais, Djoko e Federer trabalhavam nos bastidores para pressionar a organização do US Open a viabilizar o torneio de cadeirantes, como o próprio Alcott reconheceu e agradeceu. Fonte: essentiallysports.com

            Grandes caras. dentro e fora das quadras. Penso que devemos sempre enaltecer e divulgar grandes atitudes, não só de nossos ídolos mas em nosso círculo social também.

            Pronto, encerrado.

  32. DANILO AFONSO

    RUBENS LEME, depois do que DJOKOVIC falou sobre BORG, você poderia amenizar um pouco suas considerações sobre o Sérvio. Vejamos o que ele falou:

    “É difícil comparar gerações. Por exemplo, o que é que poderia ter acontecido se Bjorn Borg não se tem retirado aos 26 anos quando já tinha 11 títulos do Grand Slam”.

    Igualmente você, eu também critiquei a forma como foi realizado o torneio na Sérvia, apesar de torcer para o Djokovic. Mas sempre é bom enxergar o NOVAK pelo conjunto da obra. No geral ele tem muito mais predicados positivos do que negativo, balanço que também ocorre com outros grandes ídolos em vários esportes.

    Não podemos esquecer as várias doações milionárias que ele fez ao longo desses meses, inclusive para a Espanha e Brasil, gesto que ele não era obrigado a praticar. Essa atitude dele vale muito mais que o contestável torneio realizado na sérvia.

    Não estou falando para você torcer para ele, mas não seja tão “radical”. A bibliografia dele já é um muito boa e tem muitas páginas importantes a serem registradas dentro e fora do esporte.

    Abs !!

    Responder
    1. Rubens Leme

      Meu caro Danilo, não dê importância à minha opinião. Eu não gosto do sérvio e o acho uma figura caricata, chata, um tenista sem graça, carente de atenção e sem carisma, mas até aí é a minha opinião.

      O problema é que outros se queimam com isso e partem para ataques pessoais ou querem desmerecer o que penso ou de quem gosto, como se isso fosse mudar algo, o que acho ridículo, porque defendem uma figura que sequer conhecem de uma maneira insana e até infantil, como as meninas da minha rua, da minha infância, que ficavam discutindo quem era melhor, se o Menudo ou o Dominó. Só que aqui é um bando de marmanjo velho (ao menos, imagino que sejam).

      Eu não me importo se Bjorn Borg parou aos 26 anos, por infidelidade ou uso de drogas ou por depressão ou se Woody Allen foi processado por esse ou aquele motivo. É a vida pessoal deles e que cada um se vire e arque com seus erros. Não busco um modelo virtuoso para me espelhar porque isso não existe, eu mesmo estou longe disso e me dou o direito de criticá-los quando sentir vontade.

      E caso fossem ou sejam presos pelos supostos crimes que cometeram, que cumpram suas penas e pronto. Como o próprio Woody Allen já disse “se as pessoas ficaram com raiva de mim e não querem mais assistir meus filmes, fiquem à vontade pra não verem e jogarem fora os que tiverem em casa”.

      É exatamente isso que prego. Liberdade de escolha. Adoro a obra e o legado dos dois, mas não sou macaco de auditório de ninguém e me permito criticar quem eu quiser, especialmente a mim mesmo.

      Responder
        1. Miguel BsB

          Por isso que eu digo que opiniões e visão de mundo, cada um tem as suas, e devemos aprender a respeitá-las e conviver com elas.
          Eu acho o Djokovic sim carismático. Parece ser uma boa pessoa, tem senso de humor, é inteligente etc…
          Dá umas “vaciladas”, eu pessoalmente tb não achei legal esse torneio de tênis que ele organizou, com aglomerações, falta de distânciamento, mas, vejo poucos esportistas top mundiais com mais predicados e carisma do que ele, o Federer, e o Nadal.
          Talvez o Lebron James. Apesar do cabelinho e outros narcisìsmos, o Cristiano Ronaldo também tem boas posições e muitos trabalhos de filantropia. O Messi, por exemplo, fica longe de qualquer polêmica e só pensa em jogar futebol, no que é um gênio.
          Tão longe do que nós brasileiros temos, a começar pelo “menino” Neymar, e a grande maioria dos boleiros…

          Responder
          1. Rubens Leme

            Miguel, essa coisa de carisma não me interessa muito, fico mais com as atitudes. Veja, por exemplo, as lamentáveis do goleiro Marcos que ontem postou uma foto de um tapete com um desenho de revólver com uma frase defendendo o Bolsonaro.

            Acho isso muito mais lamentável do que o torneio do Djokovic, por exemplo. Entrevistei Marcos quando ainda era reserva do Velloso, em 1998, muito antes de virar santo por causa da Libertadores de 1999. Ele me disse que era eleitor do Maluf por causa dos pais e levei mais em consideração por ser um menino simples do interior, com pouco conhecimento de política etc e tal.

            Mas as atitudes dele nos últimos tempos e a maneira colérica na qual vem se portando decepcionou muitos palmeirenses que o viam como um ídolo ou o maior goleiro do Palmeiras (para mim nunca foi nem um e nem outro). Falta muita cultura geral para os atletas brasileiros se comparados com seus colegas sul-americanos. Por isso, nunca tive um ídolo no esporte. Admiro os feitos esportivos de alguns, mas não a ponto de tê-los como modelos de vida.

          2. Rodrigo S. Cruz

            Você citou alguns elementos que podem sim contribuir para o carisma:

            “boa pessoa, tem senso de humor, é inteligente”

            O Djokovic nunca se mostrou um babaca como o pai dele, isso é fato.

            E também concordo que os elementos que você citou ajudam a sedimentar uma boa imagem.

            Mas não acho que necessariamente elas vão definir se uma pessoa tem carisma ou não.

            Se o grande público vai gostar dessa pessoa ou não.

            Como ter carisma forte, por exemplo, um campeão de Wimbledon que chega em mais uma final e tem o estádio todo torcendo para o seu oponente?

          3. Luiz Fabriciano

            Carisma eu também acho que ele tem sim.
            Quem aqui já teve a oportunidade de passar algum momento ao seu lado ou, no mínimo, ter ouvido essa experiência de alguém bem próximo?
            Pois é, certa vez convivi, por mais de três dias seguidos com uma dupla de cadeirantes tenistas da seleção brasileira, que vieram fazer uma apresentação em minha cidade, através de um grande amigo, onde à época corriam o mundo representando o Brasil nessa modalidade e ambos me falaram sobre sua convivência com o sérvio, certa vez em Roma.
            Por que ele se mostraria tão simpático e disponível com ambos se esse fato não foi noticiado ou uma foto com os três jamais foi publicada em qualquer site esportivo do mundo?
            Em contrapartida, já ouvi relato de uma pessoa que teve uma oportunidade ao lado de uma celebridade do mundo do tênis, considerada extremamente carismática, porém, nesse relato em si, deixou muito a desejar nesse quesito. Talvez estivesse em um dia difícil…
            Saudações.

        2. DANILO AFONSO

          Mas é questão de gosto.

          Igualmente no futebol, prefiro um jogador expressivo e às vezes emotivo dentre e fora das quadras. O sérvio deixa transparecer suas emoções muitas vezes nos pontos vencidos e perdidos, replicando a emoção que nós torcedores sentimos assistindo na tv ou ao vivo. E nas entrevistas fala o que sente, se preocupando menos com o discurso “politicamente correto” que alguns ídolos corriqueiramente pregam. Claro que comparando ao Kyrgios ele é santo, mas o sérvio não é igual outros que ficam em cima do muro, muitas vezes visando não prejudicar a sua imagem e no retorno publicitário.

          Responder
          1. Vitor Hugo

            Mas convenhamos, caro Danilo, não há nenhum crime em não se expor para manter a imagem e ter um retorno publicitário. E muitas pessoas, celebridades ou não, preferem não entrar em polêmica e ficar em paz.
            E alguns famosos conseguem ter retorno financeiro por simplesmente não entrar em polêmicas…

          2. Rodrigo S. Cruz

            Pois é, Danilo.

            E isso mostra que não podem acusar o sérvio de ser uma má pessoa.

            O que pra mim é diferente de ser carismático…

      1. Heitor

        “Eu não gosto do sérvio e o acho uma figura caricata, chata, um tenista sem graça, carente de atenção e sem carisma, mas até aí é a minha opinião”. Tá se olhando no espelho…

        Responder
  33. José Eduardo Pessanha

    Será que veremos Thiem cair finalmente na chave de Nadal em RG ou veremos Thiem e Djokovic novamente “se matando”, enquanto Nadal descansa do outro lado?
    Abs

    Responder
  34. Thiago Silva

    É agora que o presidente vai ficar doido pra fechar STF, congresso, polícia federal e qualquer um que ameace a familicia. Se alguém tinha dúvidas de que ele tirou o Moro pra proteger a família das investigações, agora tá tudo confirmado.

    Responder
      1. Gabi

        Dalcim e Vitor, pois é… Weintraub é um sujeito nefasto, rancoroso, vingativo…Que as autoridades impeçam que essa atrocidade seja confirmada.

        Responder
      2. periferia

        Olá Dalcim

        É um cargo que necessita um “perfil” diplomático……Bolsonaro sabe gerenciar pessoas e cargos…Weintraub vai causar com sua “diplomacia “.
        Como naquela novela Vale Tudo….os vilões se dão bem no final.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sempre fico admirado com a capacidade dos políticos brasileiros, que conseguem ocupar os mais diferentes cargos (e isso é histórico!). Quer dizer que um ministro que entendia de Educação agora sabe tudo sobre comércio mundial? ImpreCionante.

          Responder
          1. Miguel BsB

            Pior que ele não entendia bulhufas de educação, deve entender menos ainda de economia, e de diplomacia e trato diplomático então, nota 0.

    1. Barocos

      Gabi,

      Duvido muito que seja referendado pelos outros signatários. Seria uma mácula indelével para a instituição. Só mesmo os aloprados aboletados no Alvorada para propor tal ignomínia.

      Responder
  35. Rodrigo S. Cruz

    Que dia feliz!

    Finalmente chegaram no tal de Queiroz… kkkkkkkk

    E foram achar o anãozinho amasiado justamente no sítio do advogado de Flávio.

    Aquele mesmo homem que JUROU de pés juntos que não sabia do seu paradeiro!

    E agora gado, qual será a desculpa?

    Gado Nelore!

    Quando é que vocês vão acordar e admitir que essa família Bolsonaro é uma ORCRIM?

    Todos eles acabarão na cadeia.

    Como diria o próprio chefe:

    ACABOU, PORRA!

    kkkkkkkk

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      * PUTZ, e ainda bem que eu percebi isso a tempo!

      Não era “amasiado” (argh!)

      E sim HOMIZIADO.

      kkkkk

      Fiquei tão eufórico com a notícia que conjuguei o verbo incorreto…

      Responder
    2. Carlos Reis

      O Queiroz é um ladrão de galinhas, que vá em cana! Se o 01 for culpado, que vá em cana também! Mas os vgbdos que você deve apoiar são com certeza muito piores… GADO!? Pode ser… Pelo menos não sou Gado Loolista ou Gado enganado pela mídia, como é a maioria dos brasileiros.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Pois pra mim você já superou em muito o lulista médio!

        Chega ao ponto até de negar uma pandemia que já matou tantas pessoas.

        Teus posicionamentos políticos são BIZARROS!

        Responder
      2. Barocos

        Carlos,

        Com certeza você não está falando do Rodrigo, que por diversas vezes manifestou a sua aversão aos líderes petistas.

        Quanto a crítica à imprensa tradicional, e este é um argumento recorrente dos apoiadores desta turba agora assentada no poder máximo do país, ela não condiz minimamente com uma análise crítica:
        1º – A imprensa no Brasil é livre, não temos aqui o Pravda ou o Diário de Pequim, ou qualquer grande veículo de imprensa cujos dirigentes sejam indicados pelos mandatários /ignóbeis ocupantes de Brasília;
        2º – Todos os grandes jornais/canais-de-comunicação do país, Grupo Abril, Estadão, Folha, Globo, etc., já foram obrigados a pagar indenizações e a publicar retratações quando notícias por eles veiculadas se mostraram falsas/incorretas. Aliás, este tipo de informação é pública e você pode procurar por ela. Quantos idiotas do zap, face, twitter e do youtube o foram?

        Espero que uma legislação severa contra as “Fake News” seja devidamente regulamentada para acabar com esta vergonhosa campanha de desinformação, técnica, aliás, muito utilizada nos terríveis anos do nazismo, fascismo, franquismo, bolchevismo e por regimes de tendências ditatoriais de todas as vertentes de qualquer época. Liberdade de opinião, não é liberdade de mentir em público, quem quiser fazê-lo, que o faça em privado ou arque com as consequências.

        Fico assombrado com o grau de disfunção argumentativa daqueles que defendem o que está aí. Quando se faz uma crítica a alguma coisa, é intelectualmente desonesto desviar o foco da inquirição para algo que não compõe o tema tratado. “Este governo está cheio de corruptos, incompetentes e está se associando ao centrão”, não é absolvido ou justificado por “o governo to PT era cheio de corruptos, incompetentes e se aliou ao centrão.”.

        Ainda, usar subterfúgios do tipo ad hominem, outra técnica abominável, em nada favorece ao descrédito de acusações baseadas em fatos: não é porque foi o “Bandidinho Beiramar” que apontou Hitler/Mussoline/Stalin/Pinochet/Franco/Mao/McCarthy como assassinos vis, que estes não tenham sido isto mesmo e muito pior.

        Agora até o NY Times, o Washington Post, a BBC, o The Guardian e o Big4 das agências de notícias, United Press International, Associated Press, Reuters e Agence France Presse, são classificados como “esquerdistas/comunistas” pelos mentecaptos que não sabem diferenciar o que são os princípios conservadores do que é puro reacionarismo.

        No afã de defenderem os seus pontos de vista, os quais carecem das devidas diligências, esta direita reacionária e ignorante agora no poder, que, aliás, copiou todas as sandices publicadas pelos seus mestres, a ultra-direita americana (e até conseguiram ampliá-las com mais algumas teorias conspiratórias imbecis), se propõem a desqualificar o conhecimento acadêmico, a ciência ou qualquer fonte de saber que não compactue com as suas preconcepções incongruentes do mundo.

        Ignorância tem cura, basta corrigi-la com informações fidedignas. Temo, entretanto, pela estupidez, esta parece ser inelidível.

        Responder
        1. Carlos Reis

          Lei das Fake News!? Por favor! Coisa mais ridícula, isso vai servir para PERSEGUIR desafetos, os amigos de Rei vão continuar mentido numa boa… Isso é para CALAR os CONSERVADORES, que lutam contra ABORTO, EUTANÁSIA, PEDOFILIA e doutrinação de crianças, CONTRA os movimentos FEMINISTA. LGBT e Negro! Talvez o maior exemplo de “fake news” seja o movimento ANTI VACINAS, o que a mídia não mostra são centenas de artigos científicos questionando SIM a segurança e eficácia delas, MAS só a narrativa de que elas são a melhor coisa do mundo aparece na mídia. Um norte americano nos anos 80 tomaria 4~6 doses até os 18 anos de idade, hoje eles tomam 60~70 doses até os 18 anos. Os casos de AUTISMO, CÂNCER INFANTIL, DOENÇAS AUTO IMUNES explodiram… EU já citei um livro aqui com 400 artigos, aposto que vocês não leram, “DEVE SER FAKE NEWS!”.

          Responder
      3. Heitor

        Comentário com ironia:

        Olha, eu li nas colunas de Haddad, Duvivier e Nelson Barbosa que qualquer prisão antes do trânsito em julgado configura ataque aos direitos humanos, de defesa e que, portanto, representa perseguição política. Foi isso o que eu aprendi lendo a Folha.

        Responder
  36. periferia

    Olá
    Acho que Nadal vai jogar todos os torneios possíveis.
    Sempre como meta os dois GS…..usando os torneios menores como preparação.
    A meta não será o ranking….e nunca mais será.
    Apenas se algum problema físico acontecer para ele não tentar a busca do recorde ( o momento é agora…tem grandes possibilidades).
    De certa forma Nadal passou sua vitoriosa carreira à sombra de Federer (sempre considerado o maior de todos os tempos)…..agora tem a possibilidade … no crepúsculo de sua carreira …..deter o recorde mais importante do tenis masculino.
    Fazendo um a analogia….parece uma prova de longa distância no atletismo……Federer sempre correu fácil e elegantemente (público delira com o porte do suíço )……Nadal sempre por perto….correndo ofegante e com dificuldades (Tem um estilo estranho)…..porém nos últimos metros….perto da linha de chegada….o suíço cansou (torcida atônita) …Nadal mostra mais preparo físico e usando uma taticamente impecável …….vai cruzar a linha de chegada em primeiro.
    Merecidamente.

    Responder
  37. Vitor Hugo

    Todo mundo sabe que, se Nadal ganhar o u.s open, vai ser recordista de slam junto com Federer.
    Mas só para lembrar, se Novak ganhar Roland Garros, vai ser o único tenista a ter pelo menos dois títulos nos quatro slam. Seria um feito e tanto e um dos maiores do esporte.

    Responder
      1. Vitor Hugo

        Oi Sérgio. Me desculpe. Vamos dizer na época do profissionalismo e que não quase todos os slam são disputados na grama.
        Abs
        Mas o feito de Laver é grandioso, sem dúvidas!

        Responder
  38. periferia

    Olá.

    Atibaia é a cidade onde Lula tinha um sítio.
    Atibaia é a cidade onde Queiroz foi preso
    Atibaia é conhecida pelos morangos produzidos
    Atibaia agora é conhecida (também) por outra fruta….”laranja”.

    Responder
  39. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,não será injusto o sistema de ranking esse ano?
    Por exemplo,os torneios restantes foram que o Nadal somou vários pontos,enquanto Djokovic não disputará Wimbledon que defende 2000 pontos…Ou seja,Nadal pode até somar mais pontos no ano inteiro,comparado com o sérvio,mas ficar atrás no ranking…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O que pode acontecer é o Nadal terminar como número 1 na temporada e o Djokovic, no ranking tradicional. A pandemia causou uma confusão, temos de nos adaptar a isso.

      Responder
      1. Julio Sc

        E existe a reclamação do fator sorte do Djoko ser número 1. Mas não podemos esquecer que teve australian open e o djoko defendeu o título do ano passado. Se tivesse ficado com o Vice, seria Nadal que estaria como número 1 desde então.

        Responder
        1. Rafael Azevedo

          A questão é que a maioria dos pontos do Djokovic está nos torneios que foram cancelados (2000 pontos só em WB).
          A maior parte dos pontos do Nadal estão nos torneios que serão realizados nesse segundo semestre.
          No calendário tradicional, M1000 de Roma e Roland Garros já teriam passado. Se eles tivessem sido cancelados, Nadal teria 3000 pontos garantidos, mas como foram adiados para Setembro, será mais 3000 pontos que o Nadal terá que defender.
          Acho que essa “missão impossível” continuaria difícil para o Nadal, mesmo se ele tivesse vencido o AO 2020.

          Responder
  40. Gabriel aguiar

    Dalcim, mas uma coisa é o ranking de entradas, nesse dificilmente Nadal passara, mas o ranking do ano a briga é outra…Nadal pode terminar como numero 1 de 2020 mesmo nao sendo o numero 1 , mas ainda nao sabemos como a ATP vai fazer, penso que os pontos cairao a medida que o torneio vai sendo jogado, ai a sorte do Djokovic de manter os 2000 de WB sem jogar

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Exatamente, Gabriel. Teremos uma enorme diferença entre o ranking da temporada (em que supostamente irão se contar apenas os pontos somados em 2020) e o ranking de 52 semanas (que manterão os pontos dos torneios cancelados). Vai ser um desafio para ATP e WTA.

      Responder
  41. Heitor

    Queiroz é preso na casa de advogado de Zero1. E daí? Alguns advogados guardam os clientes em casa para comprovar origem de honorários. E é época de declaração de renda.

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Ah, me desculpe, Heitor. Eu não percebi o tom irônico. Não gosto de entrar nesses temas, mas realmente me assusta que comecemos a achar tudo normal neste país: mortes, violência policial, político corrupto… Temos de dar um basta nisso tudo como sociedade.

          Responder
      1. Mário Fagundes

        Faz tempo que nada comento, mas desta vez… Importante frisar que o homem que foi preso é ex-assessor de Flávio Bolsonaro, e não do presidente. Que sejam investigados e julgados os suspeitos, e condenados os verdadeiros culpados!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Ninguém está culpando o presidente, ao menos por enquanto, mas não podemos achar normal que o advogado do presidente (e também de seu filho) abrigue há um ano um suspeito que foge da Polícia. Estaríamos banalizando de vez a situação.

          Responder
          1. Mario Fagundes

            Dalcim, o mandado de prisão foi expedido na semana passada. Portanto, Queiroz não era um foragido.

          2. José Nilton Dalcim

            Desculpe, Mário, mas não dá para defender esse tipo de coisa. Não era foragido no sentido que você quer apregoar, mas fugiu de todos os depoimentos pedidos e aí ‘desapareceu’ do mapa. E aparece na casa do advogado do presidente e de seu filho. Não é possível que se considere tudo isso normal e aceitável. Inocentes não fogem de depoimentos, nem se escondem, nem costumam pagar contas milionárias em dinheiro vivo. Daqui a pouco vamos começar a duvidar que o triplex nem era do ex-presidente.

        2. Bruno Gama

          Como se fizesse alguma diferença né Mario? Querer dessassociar o Bolsonaro do próprio filho é a mesma coisa que o Lula falar que o triplex era da Marisa.

          Responder
      2. Marcelo

        Dalcin,

        Não se esqueça que o mundo está polarizado. Alguns vão achar normal sim qualquer coisa que se relacione ao seu ídolo na política, embora eu ache que foi ironia do nosso amigo.

        Responder
        1. Heitor

          Que bom que vc entendeu a ironia, Marcelo.
          Porque, pessoal que não entendeu, desde qdo advogado guarda os clientes em casa?? E acrescentei o ” é época de declaração de renda” para reforçar muito mais ainda o absurdo que é o Queiroz estar onde estava.
          Mas, de fato Marcelo, com o mundo polarizado e com tanta gente defendendo coisas absurdas, eu poderia realmente estar falando sério.
          E, tb, a maioria das pessoas interpreta literalmente, entao nas proximas vou avisar que foi ironia para nao ser mal interpretado.

          Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Tá de brincadeira , né Heitor. Todos sabíamos que era somente questão de tempo. E as Fake News que o elegeram iriam derruba-lo. Só não vale aquele conhecido Papinho de Golpe !!! Abs!

      Responder
  42. Rodrigo S. Cruz

    Putz!

    Só torço pra vermos o mínimo de ação levemente distinta daquilo já visto há mais de uma década:

    Nadal ou Djokovic ganhando TUDO!

    Porque pelo menos quando o suíço se soma aos dois, as batalhas e o hype são sempre instigantes.

    Mas desta vez vai ser indigesto pra mim, porque não terei por quem torcer.

    E antes que o Rafael já venha com gracinhas:

    não, não estou nem um pouco interessado em sentar na tal Kombi. (rs)

    Tomara então que o Kyrgios surpreenda com outra postura, ou o Fognini tenha outra semana inspirada como Monte Carlo 2019, ou o Thiem finalmente supere o Nadal em Roland Garros…

    Enfim, qualquer coisa um pouquinho diferente desse roteiro tão previsível e esperado de sempre…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Nunca esteve tão imprevisível , Rodrigo. Não dá pra cravar os vencedores dos MASTERS nem no Saibro , quanto mais dos SLAM. A meu ver , com Rafa Nadal inteiro , RG ainda tem dono… Abs!

      Responder
    2. Barocos

      Bem, vou torcer para que o sérvio ganhe tudo, mas com excelentes apresentações do Wawrinka, Tsitsipas, Murray e Nadal, que os jogos sejam épicos e que mereçam ser lembrados.

      Claro, se algum dos outros supracitados vencer, ficarei feliz também, principalmente se forem o Stanimal ou o escocês.

      Responder
  43. Miguel BsB

    Tô achando que foi necessário o advento de uma pandemia mundial pra inverter mais de 15 anos de domínio absoluto em Slams e permitir alguma dessas “next gen” vencer majors…
    Nem Nadal nem Djoko. Vai dar Tsisipas no USopen e Thiem em RG!

    Responder
  44. João Sark

    Dalcim, boa noite.

    Isso se não vier uma segunda onda da pandemia, como alguns especialistas alertam, acabando de vez com a temporada.

    Volta dos torneios significa volta da vida normal, ou pelo menos uma volta parcial do antigo normal, que por sua vez traz interação entre pessoas e, por consequência, aumento dos casos de COVID. Vale lembrar que ainda não há vacina.

    Aproveitando o tema, o que achou do Adria Tour?? Particularmente, achei desnecessário aquele público…

    Abs

    Responder
  45. Marcelo-Jacacity

    Agora fazendo uma comparação entre o basquete e o tênis…

    Sempre vangloriam o Jordan por ter chegado a 6 finais da NBA e ter vencido as 6. Chegou em 84 aos Bulls e sofreu várias eliminações até o 1. título em 91.
    LeBron James disputou 9 finais da NBA e venceu 3 apenas. Muitos desmerecem LeBron por esse retrospecto em finais.
    Em Wimbledon: Sampras tem 7 títulos em 7 finais. E pouca gente alardeia esse aproveitamento espetacular.
    Já o Federer tem 8 títulos e perdeu 4 finais no seu torneio preferido tendo perdido as 4 finais para os seus maiores rivais.
    Pouca gente fala desse aproveitamento do Federer.

    Nos pisos favoritos:
    Nadal tem 12 títulos em Roland Garros e nenhum vice.
    Djokovic tem 8 títulos no AO e nenhum vice.

    Basquete: esporte coletivo, o sucesso passa quer queira ou não pela qualidade de mais 4 titulares, sem contar os reservas, muito importantes. Tanto que tem um troféu na NBA para o melhor 6º homem.

    Tênis: individual.

    Responder
    1. Rafael Azevedo

      Só tem um “porém” na sua análise: O Federer, além de mais finais, tem mais títulos do que o Sampras em todos os Slams (empatados no US Open), enquanto que o Lebron possui metade dos títulos do Jordan. Por isso, a crítica de aproveitamento em finais é mais forte para o Lebron e mais irrelevante para o Federer.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Onde assino , Rafael. Um cara que vence OITO na grama Sagrada consegue ser questionado. E quando perdeu foi pra feras . Imagine Lendl que não venceu e Agassi com apenas uma rs Abs!

        Responder
      2. Marcelo-Jacacity

        Rafael,

        Sinceramente acho que há uma adoração um pouco cega ao Jordan. Não há contestação alguma.
        Já em relação ao James, há muita contestação.
        E falo sem ser muito fã de nenhum dos dois. Obviamente, que são dois foras de série. Mas há e existiram muitos outros também.

        Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Somente aqui no Brasil ,caro Marcelo ( como o parceiro passou a postar diferente rs ) , é que não se dá a devida importância a um FINALISTA de SLAM. No ALL England Club , um Quadrifinalista já ganha retrato . Coisa de torcedor de futebol ou de galera do clube da esquina. Estes botam h2h acima de qualquer coisa , quando não inventam o ” parrudinho ” rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Marcelo-Jacacity

        Sérgio,
        Há pesos e pesos…A semi de RG-99 tem um peso gigante para o Meligeni. Já as finais de Major para o Big-3 não significam praticamente nada, atualmente. O troféu de campeão é o que importa para o trio parada dura, tendo em vista os feitos tão grandiosos já alcançados.

        Responder
  46. Marcelo-Jacacity

    Dalcim,
    E para variar, podcast muito bom!
    E que chegue agosto logo! Já programei as férias para 8/set para acompanhar o USOpen pela TV é claro. Mas torcer para o Djoko no Slam americano é complicado, 8 finais e apenas 3 títulos é dose.
    Eu não tenho expectativa alguma quanto a título do Djoko em Nova York.

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Eu preferiria muito mais 5 títulos em 5 finais do sérvio no UsOpen, do que 3 títulos em 8 finais. 5 finais que ninguém valoriza.
      Veja o Murray, o britânico de 3 Majors! Alguns igualam ao Wawrinka por eles terem conquistado 3 Slams. As 8 finais de Majors do escocês, são pouco lembradas.

      Responder
  47. Sérgio Ribeiro

    Rafa Nadal aos 34 , já não é nenhum menino. Viu Federer pular alguns RG devido aos joelhos e se dar bem. Enquanto jogar , será sempre o favorito para Rolanga . Dito isto, aposto minhas fichas que larga o USOPEN onde Novak não reina absoluto , e tenta o Vigésimo em seu habitat. O N 1 já é de Novak , com méritos , desde que começou a pandemia. Deixar o Sérvio já aos 33 , se degladiar com a Next Gen me parece o mais correto. A conferir . Abs!

    Responder
    1. Miguel BsB

      Também acho que vai ser por aí Sérgio, mas a questão é que existe boa possibilidade de não conseguir vencer o USOpen e, talvez, desgastar-se ao ponto de não levar RG. Será?
      Por isso estou na torcida para que os mais novos aproveitem a “oportunidade” aberta pelo corona e conquistem Slam neste ano…e manteria a torcida mesmo que Federer estivesse jogando, antes que alguém venha reclamar…
      Tsisipas, Medvedev e Thiem…aproveitem a oportunidade!

      Responder
  48. Willian Rodrigues

    Apesar das limitações impostas pela pandemia, esses atletas de ponta, mais privilegiados financeiramente, em hipótese alguma se descuidaram do aspecto físico. Podem até chegar ao primeiro torneio sem ritmo de jogo, é verdade. A partir do próximo, acredito que já veremos grandes espetáculos.
    Salvo engano de minha parte, por meio de link postado aqui mesmo certa vez, eu pude ler um texto a respeito do ” benéfico descanso” dado à musculatura de tenistas mais experientes durante pausas mais longas; à época a menção era ao próprio Roger Federer. Em tese, a chance de lesões diminuiria e o desempenho seria melhor…
    Por isso, creio que Nadal disputará sim todos esses torneios em sequência. Ele é muito competitivo e não desperdiçaria a chance de voltar ao topo, além de estabelecer novo recorde de slams.

    Responder
  49. Robson Couto

    Dalcim,
    Tenho algumas perguntas:
    1.Existe alguma definição em relação aos pontos dos torneios que não serão disputados como Wimbledon, Miami, Indian Wells, etc?
    2. A contagem das semanas como número 1 inicia com o torneio em Washington?
    3. Em relação a Roland Garros, por exemplo, no ano que vem seus pontos serão descontados no calendário normal, ou quando completar um ano da realização do torneio?
    Obrigado!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Os pontos de torneios cancelados serão congelados até 2021. A lógica diz que a contagem recomeçará após Washington. Quanto aos descontos de 2020, também nada dito mas acredito que serão descontados quando o torneio acontecer em 2021.

      Responder
  50. Luiz Fernando

    Acabo de ver na CNN que 21 dos 50 estados americanos estão com números de COVID-19 em alta, 10 dos quais com recordes de casos. Tênis em Agosto nos EUA ainda é uma grande incógnita…

    Responder
    1. Marcos RJ

      LF, voce esta certo sobre o aumento de casos desde a abertura económica nos EUA, porem… 1) a epidemia em NY está sob controle (por enquanto) e o estado está sendo bastante cuidadoso em tudo que faz 2) o torneio está fechado ao público, o que reduz muito o risco, e… 3) existe enorme motivacao economica e politica por todas as entidades envolvidas. No inicio eu estava bastante descrente, mas parece que agora não tem mais volta.

      Responder
  51. Vitor Hugo

    Se Nadal ganhar o U.s Open, além de se igualar a Federer no número de slam, vai igualar o número de taças do suíço no slam americano. Então é importante demais para o espanhol, vai querer ganhar, duvido que pule. Acham mesmo que ele vai perder a primeira chance de igualar Roger no número de majors, ainda mais onde ele venceu QUATRO vezes??? É o segundo slam preferido do espanhol. Vai sim!
    Rafa já declarou que não gosta muito da bola que é usada em Cincinnatti, disse que parece uma pedra quando bate nela, mas acho que vai jogar pois é o único masters preparatório.

    Nadal e Novak devem chegar longe no u.s open, então acredito que os dois não vão jogar Madri, deixando o masters espanhol pra nextgen.

    Thiem parece ser o mais próximo de encarar os dois nos dois slam. O fato de ter disputado a final do Austrália Open é um sinal de que se tornou perigoso nas hards.
    Guloso, creio que o austríaco vai jogar tudo. Se por acaso vencer o u.s open, o que é difícil mas não impossível, daí acho que pula uma semana.

    Responder
      1. Vitor Hugo

        Seria interessante colocar uma bola mais leve em ‘Cincinnatti ‘ pra manter as características do torneio, não acha? Jogo um pouco mais rápido. Mas entendo que, por ser preparatório para o u.s open, o bom senso vai prevalecer para ter uma boa preparação pro slam.

        Responder
          1. Vitor Hugo

            Mas o que faz Cincinnatti ser mais rápido não é a bola? Mais rápido que u.s open. Ou a quadra também tem uma diferença?

          2. José Nilton Dalcim

            Certamente o piso também tem diferença, Vítor. O que quero dizer é que, com dois torneios tão próximos e no mesmo lugar, não faria menor sentido usar bolas diferentes e dificultar a adaptação dos tenistas.

  52. Nando

    Essa volta será pesada pro siri calvo mesmo…mto ponto pra defender.
    Na teoria ele deveria desistir só de Madrid, mas o fato do torneio ser em casa pode fazer ele abortar essa idéia.
    Vamos ver como essa nextgen irá se portar nessa volta…ver o q Medvedev/Tsitsipas/Zverev farão.

    Responder
  53. Vitor Hugo

    Sempre gostei mais de futebol do que tênis, para assistir, pois sou um verdadeiro perna de pau jogando bola e também um desastre com a raquete, apesar de persistir. Rs.
    Mas o período de pandemia fez eu perceber que, senti mais falta do tênis do que futebol, então o esporte sobre quadras assumiu a primeira colocação na minha preferência. Não vejo a hora dos jogos voltarem mesmo com a ausência do Federer.

    Falando dos esportes que eu pratico mais – natação, lutas, corrida – junto com o tênis são os esportes que mais gosto atualmente.

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Primeiramente, parabéns pelo último comentário do post anterior!
      Eu era muito mais fanático por futebol antigamente. Hoje em dia, a minha preferência disparada é pelo tênis tanto para se assistir quanto pra jogar. Faz tempo que não jogo futebol até para se evitar lesões desnecessárias (esporte de contato, e tem uns jogadores de fds sem noção, não sou mais moleque e preciso estar 100% pra trabalhar). Apesar das lesões do tênis, são mais administráveis.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Obrigado, Marcelo! Pode ser que uma hora ou outra eu cometa um deslize ou fale uma besteira, mas minha admiração por Nadal e Novak é legítima, apesar de não serem meus tenistas favorito.

        Responder
        1. Bruno

          Parabéns,Vitor e Luiz Fernando,brincadeiras saudáveis tem que existir sempre ,é um dos fatores que tornam o esporte ainda mais apaixonante.
          Vamos ver se os xiitas chatonik e Almeida também se redimem.

          Responder
    2. Paulo F.

      Eu também, meu nobre.
      Futebol anda muito maçante ultimamente.
      Muitas nutellagens como a invenção da FIFA do Mundial de Clubes a cada quatro anos, por exemplo.
      E parabéns pelo ótimo comentário/crônica sobre o big-3 na tua última postagem no tópico anterior!
      Abraço!

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Obrigado, Paulo! Estou tentado deixar de ser fanático. É possível torcer para meu tenista favorito sem desmerecer os outros gigantes.
        Não posso mudar os outros, mas felizmente posso mudar a minha pessoa.
        A gente vê tanto ódio hj em dia, discussões políticas ridículas, então não faz qualquer sentido trazer isso para o esporte, né? Esporte é saúde, bem estar.

        Responder
  54. Rubens Leme

    Nadal deveria ir direto pro saibro, onde tem muitos pontos a defender, até porque as três semanas em NY será massacrante fisicamente. E, pelo que entendi, Madri, começa no dia seguinte à final do US Open, embora, claro, os cabeças devam estrear só na quarta-feira, imagino.

    Se jogar os dois Slams, corre o risco de não levar nenhum. Se se cuidar apenas pra Paris, empata com o Federer.

    Responder
  55. Luiz Fernando

    Alcançar o número um do ranking este ano é algo fora de cogitação p Rafa, que deve estar ciente disso, o título do post diz tudo. Além dessa constatação, ele ultimamente tem se poupado mais, não diria q está ajuizado, isso ele nunca foi e nunca será, mas diria q ultimamente ele está menos louco na definição dos torneios q participa. Além disso, não estará tão desgastado por não ter disputado a temporada de saibro, q sucederá o USO neste ano. Desta forma, supondo q estes torneios divulgados hj sejam de fato realizados, suponho que: 1) Cincy: vai disputar pq não tem pontos a descontar e este será o preparatório p o USO; 2) USO: estará na quadra, defende 2000 pontos e é um GS, embora ele não confirme não sei pq, ser o maior vencedor de GS é seu grande objetivo no momento; 3) Madri: um espanhol fora da disputa em sua terra natal? Nem pensar, estará lá; 4) Roma: embora defenda o título, acredito q não irá. Só vejo possibilidade de participar em razão de uma eliminação bem precoce em Madri; 5) RG: nem há necessidade de dizer nada. Óbvio que essa sequencia pode sofrer mudanças dependendo do desempenho neste ou naquele torneio ou de sua condição física, mas esta no momento em teoria deve estar excelente, afinal ele não joga desde o AO…

    Responder
    1. Gabriel aguiar

      Roma é bem mais parecido com RG que Madrid, logo creio que ele pula Madrid…a nao ser que caia tipo nas quartas do Us Open, dai ele provavelmente joga os 2 masters no saibro

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Quanto a velocidade do piso vc está correto, mas acho q o torneio realizado na terra natal terá a predileção dele, mas é claro, são suposições…

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *