Esticar temporada pode ser alternativa
Por José Nilton Dalcim
12 de março de 2020 às 12:47

O tênis profissional vai parar nas próximas seis semanas. Com otimismo, voltará no dia 27 de abril, deixando para trás torneios tradicionalíssimos da ATP e de enorme faturamento: Indian Wells, Miami, Monte Carlo e Barcelona. A possibilidade já era explorada desde o começo da semana, com o avanço do coronavírus pelos Estados Unidos e Europa e ações tomadas por várias outras modalidades de peso, como a NBA. Não havia alternativa para a ATP e a ITF acaba de anunciar idêntica medida. É muito provável que a WTA siga a mesma diretriz.

O que restam agora são especulações. Fala-se na possibilidade de realizar Indian Wells e Miami depois do US Open, o que provocaria o cancelamento ou redução da temporada asiática, que tem os 500 de Pequiim e Tóquio e o Masters de Xangai. Ainda assim, os dois Masters norte-americanos teriam chaves reduzidas para 64 e aconteceriam em apenas uma semana.

No entanto, há evidentes dificuldades, entre elas o fato de o Hard Rock Stadium de Miami não ter datas disponíveis para o segundo semestre, já que é sede do Dolphins. E o que fazer com os compromissos comerciais já assumidos dos ATPs asiáticos? A alternativa seria esticar a temporada 2020 até dezembro.

Fica é claro a dúvida ainda se a pandemia será estancada em tempo hábil para acontecer os Masters de Madri e Roma e principalmente Roland Garros. Há enorme divergência de opinião entre especialistas em saúde pública. A China, onde se iniciou a virose, já vê redução drástica dos casos mas a Itália, onde aconteceu a primeira explosão europeia, certamente será o parâmetro essencial. Há de se esperar ainda como os outros países da União Europeia vão reagir.

Problema do ranking
As entidades também não se pronunciaram ainda sobre como ficará o ranking dessas seis semanas, considerando que envolvem nada menos do que três Masters e um 500, ou seja, um mar de pontos em jogo.

Se houver a simples retirada dos pontos, haverá mexidas drásticas no ranking, principalmente para os tenistas que estão fora do top 10. A lógica aponta para o congelamento e desconto apenas em 2021, mas aguarda-se ainda comunicado oficial.

Torneios brasileiros
Já é certo o adiamento dos challengers de Olímpia e de Florianópolis, conforme determinou a ATP, e também não poderá acontecer o Circuito Feminino Future de Tênis, previsto para as duas próximas semanas.

Como o calendário dos challengers e ITFs tem maior flexibilidade, é possível movê-los para outras datas, mas obviamente ficará prejuízo para a Koch Tavares, já que a estrutura de Olímpia estava montada devido à realização do ITF feminino nesta semana.

Até agora, não se sabe ainda se a ITF irá permitir que o feminino de Olímpia chegue ao fim ou se determinará a suspensão da rodada de hoje, que foi o modelo seguido pelos dois challengers em andamento pela ATP no Cazaquistão e África do Sul.

O adiamento do Circuito Feminino reuniria basicamente as mesmas jogadoras de Olímpia. Ou seja, o adiamento trará prejuízo às tenistas estrangeiras que vieram para cá.


Comentários
  1. Maurício Luís *

    O Paulo Cleto disse no podcast que o Federer tem em casa um espelho e que todo dia pergunta :pra ele ” Espelho, espelho meu, existe alguém no mundo + bonito do que eu?”
    Pois o Nadal tem também.! Em Janeiro, ele fez a mesma pergunta. Como até hoje o tal espelho não respondeu, ele foi cobrar resposta:
    – …E aí, tem ou não tem + bonito? Tá parecendo bicho preguiça que tomou calmante!
    – PERAÍ, pô! Tô processando! É ordem alfabética ou de estética?

    Responder
  2. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, em tempo, dei a sugestão de postar matérias como: qual a tenista mais simpática? etc…; mas pelo amorde Deus não coloque como título: qual o melhor tenista? Aí haverá uma briga de foice no escuro.

    Responder
  3. Marcos Ribeiro

    Deixando mais claro meu comentário anterior : Acho mais provável a epidemia resultar em torneios previstos para o ocidente serem transferidos para a China e outros países orientais do que em torneios previstos para o oriente serem transferidos para os países ocidentais.

    Responder
  4. Marcos Ribeiro

    A China acordou para o problema desta epidemia em meados de janeiro e só está se livrando dela agora, em meados de março. Levou 2 meses, com uma ação público exemplar, muito elogiada pela OMS. Mas mesmo lá, a principal redução está sendo no foco da epidemia, Wuhan. No resto do país, está havendo um pequeno aumento nos últimos dias, que já ultrapassam os novos casos em Wuhan. A Coréia desacelerou a epidemia, mas ainda teve 183 novos casos neste sábado.

    Até agora pelo menos, os governos dos países ocidentais estão muito mais displicentes e omissos no enfrentamento na epidemia.

    Para mim, será uma excelente surpresa se ela estiver controlada daqui a 3 meses. O que significa que esticar o calendário não será solução. Acho até que os países orientais tendem a estar com a situação mais controlada ao final do ano do que os EUA. Acho mais provável torneios previstos para o ocidente serem jogados na China ou outros países orientais do que no ocidente.

    Também acho óbvio que a administração de uma epidemia não pode ser infectada por ideologias políticas, o que só interessa aos virus.

    Responder
  5. Maurício SP

    Dalcim, você tem uma estimativa de quanto é o percentual da receita dos ingressos em relação à receita total de um torneio Masters ou Grand Slam? Pra fazer esses torneios sem público, se as autoridades permitissem, teria que haver um acordo para a redução do valor das premiações?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a questão do público é bem maior do que a simples venda de ingresso, que é uma receita importante mas nem de longe essencial nesses grandes eventos (estime 100 dólares de média por 200 mil espectadores de um Masters ou os 500-600 mil de um Slam). O problema são muito dos patrocinadores, que têm interesse direto no público: montam estandes de demonstração, degustação e até de venda de produtos, sem falar na alimentação direta. Sem o público, essa receita também não existirá. Então eu poderia estimar que a falta de público corte o faturamento pela metade.

      Responder
  6. Rodrigo S. Cruz

    Acho que se a paralisação se estender a Roland Garros, dificilmente Wimbledon escapa também…

    Putz.

    Que temporada melancólica essa de 2020.

    Responder
  7. R.P.

    Sobre a realização dos Masters Madrid e Roma… Possibilidade de realização é zero. Itália e Espanha a cada atualização computam novos casos na casa dos milhares e isto nem é o pico do surto. O futebol italiano já considera encerrar o calccio sem campeão; se é assim com futebol, q dirá do “pobre” tênis?

    E a França?
    Está demorando horrores a atualizar seus infectados e a cada novos números resta claro a velocidade com q o vírus se espalha. Roland Garros? 10 semanas até o torneio mais brega da temporada. Façam suas apostas; eu não colocaria minhas fichas no barro.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Mais brega?

      Pô, acho RG massa…

      Bons tempos em que tínhamos o Guga e a expectativa de vitória ali.

      O Nadal ganhar todo ano é que tirou um pouco da graça do torneio.

      Responder
  8. Oswaldo E. Aranha

    Com a paralização dos jogos não haverá muita notícia a ser dada e comentada; então no sentido de dar uma colaboração sugiro que se façam matérias que possam trazer a participação de muitos, como, por exemplo: qual a tenista mais bonita? qual a mais simpática? etc…Abraços.

    Responder
  9. EDVAL CARDOSO

    Boa tarde Dalcin,acabei de ler em um site uma entrevista do tio Toni,ex tecnico do Nadal,onde ele fala das exigências e rigidez que ele exigia do pupilo enquanto técnico,chegando a dizer que exigia mais em treinos do que em jogos,me pergunto então se a série de lesões que sempre assombrou a carreira do espanhol não tem haver com esses treinos tão puchados? porquê querendo ou não,por coincidência,depois que deixou de treinar com o tio,as lesões pararam.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, é uma possibilidade, mas vale lembrar que o problema do joelho é de nascença, portanto não teria relação direta com os treinos.

      Responder
  10. O LÓGICO

    Olha, nadalzetes, incluindo o vira-casaca CR kkkkkkk, torço pela sobrevivência do CORONAVÍRUS no mundo do tênis até o final de maio, garantindo, assim, que os torneios da LAJE, principalmente o Roland Bregous kkkkkkk, não sejam realizados. Sei que o GURU vai me perdoar por esse desejo mais do que justificado moralmente: afinal sou robofóbico kkkkkkkkkkkk O L F e o M C das farmácias vão ficar irados, e isso também é bom kkkkkkk; mas imagino como o próprio primogênito do Satanás vai ficar chateadinho kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Luiz Fernando

      E esse comentário Dalcim, acrescenta algo ao debate ou é mera provocação? Todos aqui sabem q o Lógico só provoca e ainda se libera estas besteiras…

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Os comentários têm bom humor, Luiz, e geralmente não ofendem um outro internauta (mas vezes que fez isso, eu não liberei). Isso para mim é algo relevante. E não vou ficar aqui justificando cada caso. Como já disse, são meus critérios e ponto final.

        Responder
      2. Nando

        Chorão (2).
        Em tds esses anos q frequento o blog (seja comentando ou só lendo os posts como venho fazendo nos últimos tempos), são só os torcedores de nadal e djokovic q choram, q reclamam, q se sentem perseguidos…pq será?

        Responder
  11. Rubens Leme

    Dalcim, minha sugestão para esses tempos sem tênis é o documentário Miles Davis, o Inventor do Cool (a tradução do título é horrível), na Netflix. Para quem gosta de música são quase duas horas sobre o nome mais importante do pós Guerra no jazz, pois Miles gravou entre as décadas de 1940 até 1990, quando morreu, em 1991.

    Responder
  12. lEvI sIlvA

    Guga foi de longe, o maior tenista brasileiro. Passados 20 anos da maior conquista temos todos oportunidade de ver ou rever, a vitória que lhe rendeu a Masters Cup de Lisboa. Segue o link, já que todos teremos mais tempo agora, “infelizmente”:

    https://www.youtube.com/watch?v=aVc4DL0M56M

    Homenagem da SporTV aos 15 anos da conquista do brasileiro. Jogo na íntegra com vídeo em HD (720p)
    Saudações a todos e que fiquem bem!

    Responder
      1. lEvI sIlvA

        Quase me esqueço. Nó vídeo, eles assistem o jogo , e há também comentários de Narck Rodrigues, Eusebio Resende, Guga, Larri Passos, Dona Alice (mãe do Guga) e Dácio Campos. Divirtam-se e se emocionem..!

        Responder
  13. ABEL AFONSO

    Parece que a ATP tomou a decisão de retirar os pontos dos torneios.
    Como acho eu particularmente ser a melhor decisão.
    Teremos inalteradas as posições da ponta do ranking.
    Nadal e Thiem se deram mal. Pode ficar pior se chegar a Roma a paralisação.
    Mas é o justo, sem torneios não poderia haver manutenção.
    Agora temos um quadro onde a depender dos fatores, e guardem isso, pode ocorrer o cancelamento até de Wimbledom.
    O Reino Unido está adiando medidas e quanto mais demora, mais joga para frente o problema.
    Mais provável: All England club sem público.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Até por ser algo inédito , a ATP está tendo a cautela necessária , caro Abel. Nada ainda foi decidido. Até porque um Tenista ser impedido de defender Pontos conquistados em quadra , por problemas externos , que nada tem a ver com o Esporte , não tem nada de correto. Até porque outros são impedidos de somar . Na boa, seus argumentos são bem questionáveis. Abs!

      Responder
      1. abel Afonso

        Quer dizer: Uns não podem defender os pontos.
        Outros não podem somar pontos.
        A solução: privilegie uns e descredencie outros.
        A única forma de se congelar pontos seria com as salvaguardas e ai não abrangeria vagas em competições. Porém que sentido faria?
        Federer jogaria Finals e teria condição de cabeça de chave maior por exemplo, baseado em pontos que ele não disputou e que perderia de certo?
        Se não há competição, não há pontuação.
        Isso é correto dizer. Meus argumentos se baseiam em competição. Se fosse ela uma competição parada no meio, ok.
        Numa competição que acaba em uma semana ou duas e onde ninguém jogou, congelar o ranking se for feito, apenas será salvaguarda aos grandes nomes e não a competição.
        Ainda outra: a única forma que vejo para manter o ranking este ano sem prejuízos seria não contabilizar para ninguém todos os torneios. um marco zero.

        Responder
  14. Nattan Labatto

    O Covid-19 deixou o mundo de pernas pro ar, em todos os seguimentos. É cedo para fazer projeções do impacto desastroso que será deixado por ele. Espero que como sociedade venhamos tirar algum aprendizado para problemas semelhantes que possam surgir no futuro.

    Quanto ao ranking e pontos ñ há nada o que se fazer, o mais justo é deixar a água correr, pois certamente ninguém imaginava um cenário destes, e congelar pontos não é uma alternativa, é uma injustiça. Já já essa maré alta passa e tudo volta a normalidade. Como disse o Paulo Almeida, o sabor de ver o Djoko bater o recordes de semanas do Sampras terá o sabor amargo da suspensão do esporte por essas seis semanas, mas a regra é clara, são 52 semanas por temporada e elas correm (ñ congelam).

    Como seres humanos ficamos assustados, como sociedade perplexos e como torcedores frustrados. Enfim, a temporada que prometia ser épica se tornou desastrosa e a única coisa que nos resta é torcer para que tudo termine o mais rápido possível.

    Putz, 2020, tinha uma pedra (Covid-19) no meio do caminho. 😔

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , caro Labatto. Quer dizer que você apoia o cidadão citado , e também fica tristinho se Novak passar Sampras ( e aquele que mais interessa rs ) , sem entrar em quadra ? E depois diz que a Regra é Clara ? kkkkkkkkk. Queria ver se o Sérvio defendesse 4000 pontos no primeiro Semestre , se ambos diriam o mesmo rs Como se trata de algo inédito, quem te disse que as Semanas não voltarão a ser contadas somente após o reinício dos jogos ? Pode isso Arnaldo ??? Kkkkkkkk Abs!

      Responder
      1. Nattan Labatto

        Kkkkkkk
        Ninguém quer um cenário desses, Sérgio. Mesmo torcendo pelo sérvio, preferia mil vezes ele correndo risco de perder o number one em quadra e/ou mantendo, do que dessa forma melancólica…

        A regra é clara, torneio ñ disputado, pontos descontados rsrs

        Responder
  15. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Dalcim no final de 2019 vc soltou sua lista dos 20 melhores jogos da história na sua opinião, e os jogos que vc viu pessoalmente, vc tem um top 5 ou até 10?eu lembro nas olimpíadas que depois do jogo do del potro contra o Djokovic vc falou que tinha sido um dos melhores que vc tinha presenciado, por isso puxo o assunto.

    Responder
  16. Miguel BsB

    Dalcim, o Laijovic, se não me engano atual 18º do ranking, finalista de Masters 1000, disse que, se não puder jogar esse ano, terá que procurar outro emprego…
    Você acha que um tenista com o currículo dele não tem um bom patrimônio, de prêmios e patrocínios, nessa altura da carreira pra declarar isso, ou foi exagero dele?

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Deve ter sido um dramalhão do Lajovic. Duvido que ele seja burro como o Becker e o Muller, que torraram tudo o que ganharam na carreira e hoje vivem de favor.

      Responder
    2. Jose Yoh

      Talvez seja uma das consequências do coronavírus fazer todos perceberem o quanto a premiação e a localização dos torneios é mal distribuída…

      Responder
  17. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Dalcim 6 semanas sem jogos, o que vc irá fazer, rever jogos históricos, descansar? o que vc costuma fazer quando não há tênis e como o corona atingiu todos os esportes não tem muita opção neh

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Caramba, eu adoro esporte. Acabei aliás de ver a segunda temporada do documentário sobre F-1 da Netflix, que é jornalisticamente excelente. Realmente, sem calendário fica um vazio, mas o TenisBrasil tem muitas tarefas no dia a dia e eu sigo o barco, ainda que com ritmo menor.

      Responder
  18. evaldo moreira

    Bom dia,
    Dalcim,
    Do ponto de vista, com esses cancelamentos, Federer com certeza estará no mesmo nível dos demais?
    Porque, todos estarão nas rotinas de treinos, assim como o suiço, e sem ritmo de jogo, concordas?
    e pena que o Wild foi sim, o grande prejudicado, digo no ritmo que vinha, com confiança e boa fase, o cancelamento foi correto, e embora alguém citou “preenchimento vazio”, dificil de entender um situação dessa, todos tem o direito de opinar, compreender, emitir algo que vale a pena.

    O que mais vejo, é gente tirando sarro desse vírus, principalmente nas redes sociais, em vez de agregar algo, não, pensam unicamente em fazer sátiras de humor, é o pior é que tem gente vai na onda, tristeza, temos dados alarmantes em que houve mortes, num tempo curto de espaço ao surgir esse vírus na China, o qual se espalhou rápido pelo mundo.

    Dalcim, mais uma pergunta, essa fora do contexto do post: O que você está achando do Palmeiras até o presente momento?.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É difícil avaliar, porque Federer talvez ainda demore para retomar os treinos. Acredito que ele vá adiar isso ao máximo. QUanto ao Palmeiras, não vi jogo do time até agora, porque me recuso a ver aquele técnico no banco. Só vejo gols e melhores lances. Mas o time é muito bom, esse técnico aliás só sabe trabalhar com grandes elencos. Que ao menos não atrapalhe.

      Responder
      1. Gildokson

        Caramba hein Dalcim, nada fã do Luxa rsrs
        Em relação a trabalhar com grandes elencos eu penso q todo treinador vencedor é assim. Felipão é do mesmo jeito, até o próprio Guardiola só trabalha com feras.

        Responder
      2. Rubens Leme

        Você é dos meus, Dalcim. Luxa no banco foi piada de péssimo gosto. Eu não vejo os jogos também, aliás, fui procurar na quarta quando seria o Palmeiras na Libertadores e descobri que tinha vencido no dia anterior.

        Mas o pouco que vi, ele agora resolveu “inovar” em 4-2-4 com o Dudu de meia, tendo pelo menos 3 meias centrais no elenco (Veiga, Scarpa o sono do Lucas Lima). E segue com aquela anta do Felipe Mello lá atrás e política de emprestar os moleques sem sequer testar, como parece ser o caso do Angulo.

        É só questão de tempo para desandar. Por isso, vamos de Kubrick e Woody mesmo.

        Responder
      3. Sérgio Ribeiro

        Pois é, caro Dalcim. Se Bruno Henrique , De Arrascaeta , Gabriel e Éverton Ribeiro , podem jogar juntos sem posição fixa , como gosta o Mister . Porque Dudu , Willian, Luís Adriano e Rony não o podem como quer o Profexor ? Seria porque Luxa não é Portuga rsrsrs ? Abs!

        Responder
  19. R.P.

    Esticar a temporada parece ser possibilidade remota. Miami já anunciou que seu evento está cancelado: próxima edição só em 2021. Acredito que esta será a tendência.

    Responder
  20. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    achei ÓTIMA essa nova postura de bloquear certos comentários.

    E, por favor, não volte atrás só por causa dos inconformados.

    Pois até hoje eu só me queixei contigo dos bloqueios em que eu me senti prejudicado.

    Ou seja: quando fui citado nominalmente de forma muito babaca, e não pude descontar como eu queria…

    Portanto, chega a ser ridícula a acusação de que você toma ou escolhe lados!

    Por que?

    Porque o Federer sendo um dos teus jogadores prediletos, é até com FOLGA o que mais leva na bunda aqui…

    Só que ao se restringir esses posts provocativos, você já previne tudo:

    respostas intermináveis, desentendimentos, mágoas, etc…

    Corta-se literalmente o MAL pela raiz, pois deixa de haver a simples “necessidade” do revide.

    Abs.

    Responder
    1. Chetnik

      Kkkkk, vindo de você? Sobraria pouquíssimos comentários seus. Aliás, uma característica que você tem, que outros não tem, é que você é completamente descontrolado e obsessivo, arrastando discussões ad aeternum em posts sucessivos. E quer falar dos outros que “provocam” kkkkk.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Pode ser.

        Mas a diferença entre nós dois é incrivelmente simples!

        Eu sou obssesivo e descontrolado para defender quem eu simpatizo.

        Já você é obssessivo e descontrolado pra DIFAMAR quem você nem conhece.

        Responder
    2. Maria izabel

      Pertinente esse corte de pessoas sem nível.Comentar em site de tenis com palavreado de baixo calão,é muita falta de educação. Dei uma boa sumida daqui.Não consigo ler as respostas do pessoal do Facebook. É de dar nojo ler comentários tão baixos como se tem por lá. Aqui,ainda é mais leve um pouco.Zoação sadia tudo bem,mas tem uns que falam cada porcaria que não dá. Parabéns ao Dalcin, tem que cortar mesmo.E a você Rodrigo.Não costumo responder mas não pude me calar.
      Ótimo final de semana para vocês.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Perfeito , Maria Izabel. Sem falso moralismo ou o ridículo politicamente correto caro Rodrigo, mas bem que o parceiro poderia dar uma moderada. Afinal estamos num fórum de debates de TÊNIS. Abs!

        Responder
  21. Vitor Hugo

    A questão não é o perigo do virus em sim, até porque, só pessoas de idade, crianças e doentes tem um risco maior de morrer, mas é difícil mesmo assim. A questão maior é a falta de capacidade, até nos países de primeiro mundo, de cuidar dos doentes. Faltariam leitos e etc. O vírus está longe se ser esse perigo todo como alguns estão querendo pintar.

    Responder
  22. Miguel BsB

    Aliás Dalcim, aproveito pra me solidarizar com vcs tb do Tenisbrasil. Ficar esse tempo todo sem eventos de tênis, é claro, vai prejudicá-los também…Mas conte comigo, estarei aqui para continuarmos a trocar ideias sobre o esporte, ler os artigos e textos, e, eventualmente, resvalar em assuntos como música e outros esportes…rs
    Aproveite pra trazer curiosidades, estórias, jogadores históricos e partidas épicas para a pauta.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, será um período sem graça para todos nós, Miguel. Mas continuaremos a procurar notícias interessantes e manter todo mundo informado dos bastidores.

      Responder
  23. Fernando Augusto

    Roger Federer se deu muito bem nessa paralisação, ainda mais se congelarem os pontos, pq só nos masters americanos ele iria perder 1600 pts, e ainda existe grande possibilidade de cancelarem Madrid e Roma, nesse caso Nadal seria o grande prejudicado, pois seu carro chef é o saibro, não perderia pontos, mas ficar sem jogar a temporada de saibro iria prejudicar bastante seu jogo…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Precisamos aguardar qual será a metodologia que a ATP vai adotar, André. Se houver o congelamento puro e simples, sim, Federer não descartaria agora os 1.600 pontos dos Masters.

      Responder
  24. Paulo Almeida

    Ficará um vazio enorme mesmo, mas foi a melhor decisão. Acho que vou assistir na íntegra à final do AO 2012 (melhor jogo da história), disponibilizada no canal do torneio no YouTube.

    Nem vou comemorar quando DjokoGOAT superar o recorde de semanas do Sampras por osmose.

    A Libertadores acaba de ser suspensa também.

    Responder
    1. Carlos Reis

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Melhor jogo para as Noletes Ok…

      Melhor partida? É difícil escolher entre as finais de W/08 ou AO/17.

      A semi de 2005 do AO entre Federer X Safin foi melhor que essa final maluca entre os dois maratenistas.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Não, foi a melhor partida para a maioria das pessoas sensatas, inclusive freguesetes.

        Poderia ter citado a semifinal de Wimbledon 2018 ou a final de 2019, mas a final do AO 2012 é hors concours mesmo.

        Sem choro.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Sorry,

          Mas achei a final de AO 2012 um belo “saquinho”.

          E sei que não falo em nome de todos, mas duvido que algum federista (sensato ou não) elegeria essa partida como a melhor da história.

          Nadal e Djokovic jogam quase como espelho um do outro.

          Responder
        2. Vitor Hugo

          A maioria considera a final de Wimbledon/2008 a maior e melhor da história, incluindo o próprio Dalcim, Tony Nadal e etc.
          Creio que a final entre Nadal x Djokovic foi uma final emocionante, mas nível técnico baixo. Não está entre as 5 melhores.

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Verdade. Os dois melhores da história jogaram um tênis de baixíssimo nível técnico por 6 horas.

            Já o Nadal jogando balão na esquerda bisonha do Federer em 2008 foi uma coisa maravilhosa.

    2. abel Afonso

      Pouca gente lembra: más os confrontos na Austrália entre Djoko e Wawrinka em 2013/14 foram jogos sensacionais.
      para mim, o jogo entre os dois em 13 foi melhor do ponto de vista de jogo jogado do que a final entre Nadal e o sérvio em 12.
      E em 14 não ficou atrás.
      Não sei se tem no you tube, eu tenho o 2013 ESPN.
      Foi a primeira vez que ví o jogo do suíço, e que achei que Djokovic seria dominante no clima e condição australiana para recorde de títulos graças á resistência e adversidade.

      Responder
      1. Jonas

        Me lembro muito bem e concordo contigo.

        A comparação aqui se refere a nível técnico. Os dois jogos entre Wawrinka e Djokovic (AO 13 e AO 14) foram em um nível absurdo.

        Gostei demais da final do AO 2012, porém no 5° set os dois já estavam um bagaço. A culpa é do Djoko, que foi “viajar” em hora errada e deixou o espanhol voltar pro jogo. O sérvio já vinha de 5 sets contra o corta-físico Murray nas semis e o impressionante aqui é justamente o sérvio ter levado esse título. Na minha opinião, é um dos títulos mais pesados do Djoko.

        Responder
          1. Jonas

            sem dúvidas…até o Djoko visivelmente se assustou no primeiro set.

            Jogo espetacular, Djoko se superou demais pra vencer. Pena que foi um jogo de oitavas.

      2. Paulo Almeida

        Tecnicamente Djoko X Stan 2013 foi melhor de fato e também pode ser considerada uma das melhores partidas da história. Entretanto, era um jogo de oitavas e naturalmentalmente uma decisão tem mais peso.

        Responder
  25. Barocos

    Por uma questão de justiça, deveriam também congelar a contagem de semanas na liderança, e falo isto sendo torcedor do sérvio. Sem temporada, sem contagem de nenhum tipo.

    Responder
    1. José

      Discordo. Porque se congelar o ano todo, Djokovic seria muito prejudicado já que está ficando mais velho. Cada semana é importante pra ele.
      E lembremos que ele já está sendo prejudicado de não haver jogos vindo de uma sequência muito interessante.

      Responder
      1. Barocos

        Claro, claro, ou seja, se eclodisse uma guerra e o circuito ficasse parado por 4 anos, seria mais do que justo que o Djokovic continuasse tendo semanas acrescentadas à sua estatística … só que não. Condições justas e igualitárias implicam em analisar uma situação que nos é favorável como se nós fôssemos a outra parte. E aí, ainda acha que seria justo se o Nadal ou o Federer ficassem acumulando semanas nesta situação?

        Responder
        1. José

          Não se trata de “acumular semanas”. Se perguntarmos, quem é o tenista que está no topo do ranking hoje? E daqui a 4 semanas? Djokovic.
          Djokovic não pode ser “punido” de ser o melhor tenista do momento.

          Responder
        2. Paulo Almeida

          Cara, a situação menos injusta seria se, quando possível, os torneios voltassem de onde pararam, ou seja, Indian Wells. Todos os torneios subsequentes seriam em datas “anômalas”.

          E não existe “se eclodisse uma guerra” e sim “há um vírus que não pode ser subestimado”. Lidemos com fatos. Djokovic já está sendo bastante prejudicado e isso seria apenas um prêmio de consolação.

          No mais, respeite opiniões diferentes das suas.

          Responder
          1. Barocos

            Paulo Almeida,

            Eu não respeito opiniões, eu respeito pessoas. Sobre opiniões, pode-se concordar ou discordar, em parte ou integralmente, e, no último caso, é sempre de bom tom fornecer uma argumentação coerente sobre o motivo da discordância.

            Semanas de liderança são contadas num cenário de realização de torneios, onde os atletas têm uma certa liberdade para escolher aqueles que lhes parecem mais vantajosos. Não acontecendo torneios, parece-me mais do que justo que a contagem seja interrompida e isto não tem nada a ver com quem está na ponta ou na centésima posição. O exemplo da guerra foi apenas para fornecer um cenário ainda mais crítico do que o atual, mas ambos são, em essência, situações críticas onde as regras atuais perdem parte da sua validade.

          2. Paulo Almeida

            Você só fez um jogo de palavras. Quando se respeitam opiniões diversas, automaticamente as pessoas estão sendo respeitadas. Enfim, dá na mesma.

            Minha argumentação foi coerente em relação à idade do Djokovic, mas incompleta no aspecto seguinte: se os torneios voltassem a partir de Indian Wells, aí o congelamento dos pontos faria mais sentido. Aliás, todos os campeonatos de todos os esportes vão funcionar dessa forma.

  26. Rafael

    O twitter hoje cedo estava fervendo de especulações, alarmismo, pânico, acusações políticas e as inevitáveis piadas com as desgraças. Seguindo os trending topics dos EUA e da Espanha, sendo que esta última, de forma geral, traz as repercussões na Europa, a sensação é de que o apocalipse está próximo.

    Sob meu ponto de vista as redes mais prejudicam do que ajudam nesse momento, pois o que há de notícia sem nenhuma base é brincadeira.

    Não vejo o vírus com esse pânico todo. Meu medo é que, com a bolsa no meio do furacão e as hienas especuladoras atrás de grandes corporações financeiras, que movimentam o mercado como querem, no nosso Brasil-sil-sil acabe afetando o mercado de trabalho (demanda) e, no meu caso específico, o setor de serviços.

    Quanto ao povo em geral, o brasileiro é muito 8 ou 80. Até o outro dia estavam pulando carnaval em aglomerações com muito mais de 1000 pessoas. Hoje já comecei a escutar sobre correr pra supermercados abastecer estoques, evitar ônibus e metrô, etc etc.

    Fico pensando em bares, restaurantes, padarias, shoppings, bibliotecas, cinemas, teatros, escolas, lojas de rua e muita gente que tenta ganhar a vida dependendo do público. Todos esses devem sofrer por conta do clima de pânico que senti estar se iniciando (pelo menos na localidade onde moro) desde hoje. Enquanto isso, haverá os de sempre que só lucram nessas horas.

    Responder
  27. Miguel BsB

    Dalcim, quem também sai prejudicado é o Wild né? Vinha numa sequência boa, campeão, talvez convite pra Miami, grandes chances de disputar chave principal de RG e…provavelmente não teremos tênis tão cedo…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida. Ele perderá principalmente o embalo do bom momento. Mas paciência, ele é muito jovem e sabemos de seu potencial. Se o circuito recomeçar nos Masters, ele não terá sequer chance de participar dos qualis.

      Responder
  28. Barocos

    Bem, não posso dizer que estou surpreso, diante de tantas incertezas que rondam esta epidemia, agora elevada a categoria de pandemia, parece ser mesmo a decisão sensata a ser tomada.

    Poucos países possuem a estrutura hospitalar para lidar com a covid-19: faltam leitos, faltam aparelhos de ventilação, faltam trajes e materiais de apoio e, por fim, faltam médicos e enfermeiros.

    Com a decretação de quarentenas e outras restrições de deslocamento, ganha-se o tempo necessário, com otimismo, para que as melhores opções de tratamento sejam desenvolvidas, para que a infraestrutura de saúde se adapte, para aumentar o desvio-padrão (espalhamento) no número de casos por período e, quem sabe, para que se desenvolva uma vacina que seja efetiva.

    Registro aqui os meus votos de uma transição tranquila para o período de normalidade para todos os frequentadores do fórum, apropriadamente estendidos para parentes, amigos e mesmo para os desafetos.

    Keep calm and watch old tennis champioships on youtube (quem sabe uns e outros não descubram que já existiam outros ótimos tenistas muito antes de big3 despontar no circuito e resolvam parar de tentar diminuir as conquistas dos adversários de seus ídolos, no mínimo seria uma ótima atividade “sócio-educativa”).

    Responder
      1. Vitor Hugo

        Gabi, eu não sou o fanático que vc pensa que eu sou. Pra mim, o que importa é o que o suíço faz dentro de quadra com suas jogadas de habilidade e talento. O que ele faz fora dela, aonde ele vai, o que faz, a roupa que usa pouco me interessa. Não sigo Federer no Instagram ou facebook, diferente de muitos que tem por aqui, deixando claro que cada um faz o que quer.
        Tem outros jogadores que também gosto de assistir jogar, entre eles Kyrgios e Fognini.

        O que eu vou fazer? Praticar mais e assistir menos, já que não será possível. Além de tênis gosto de lutas, correr, nadar e etc. O vazio será preenchido dá melhor forma possível.

        Responder
          1. Gabi

            É muito isso mesmo, praticar mais e assistir menos…
            Tb vou nessa linha – exceto luta hihihi. Tb pretendo continuar lendo, assistindo a séries e filmes, ficar com a família, comer rsrs e dormir.
            Mas, confesso, o esporte na tv fará muita falta.
            Sobre nadar, viu o novo desafio do Bruno Fratus? Sair da piscina sem apoiar as mãos ou braços na borda. Qdo conseguir, filme e poste aqui rsrs!!

      1. Carlos

        Se o Dalcim te bloqueou, mude sua postura nos comentarios ao invés de policiar os outros e se fazer de vitima.
        Se for doloroso demais, procure outro blog que considere menos ditatorial e seja feliz.

        Responder
      2. Nando

        Chorão.
        Já q se sente perseguido (kkkkkkkk), vc poderia sumir do blog…faria um grande favor pra nós. E assim os antigos frequentadores (aqueles q acrescentam algo aqui, junto com alguns q comentam e o fazem) voltariam pra cá.

        Responder
  29. Gabi

    Eu ia ao grenal hj mas já não vou mais…

    Como disse o italiano Arrigo Sacchi, o futebol (tênis, basquete, etc) é a coisa mais importante dentre as coisas menos importantes.

    Responder
      1. Gabi

        Pois é, nao teve gol e teve muita pancadaria…. Muito lamentável!!
        Oito expulsos, futebol society que por pouco não termina por falta de quórum…
        E era fase de grupo, não mata-mata ehehrhe.

        Responder
          1. Vitor Hugo

            Bom, creio que não seria louca de ir pra arena se não fosse gremista, a não ser que fosse e ficado quietinha. Rs

          2. Gabi

            Aconteceu um acidente lá na arena agora rsrs. Fecharam até os portões para ninguém ver ehehehe

            E, no futebol, vc torce para qual time?

  30. marcelo

    Dalcim, já daria para fazer um prognóstico das mudanças que ocorrerão no ranking com esta interrupção? Um post sobre como vai ficar o ranking com o cancelamento dos torneios seria ótimo. Deve favorecer quem acumulou mais pontos no segundo semestre de 2019, e eventualmente colocar um novo segundo colocado no ranking, depois de tantos anos.

    Responder
  31. Marcelo

    Dalcim,

    Acho que a grande dúvida, no momento, é como ficam os pontos no ranking. Congela? Descarta? Que hora para isso acontecer, com o Djoko chegando no recorde do Federer. Você procurou saber quem se prejudica e quem se beneficia mais nestas situações?

    Abraços,
    Marcelo.

    Responder
    1. abel Afonso

      oi Marcelo
      Neste primeiro momento, não afeta nada para o Djokovic se tirarem os pontos ou mantiverem.
      o que muda, é que nessas seis semanas se forem retirados os pontos a distância entre Nadal e Djoko aumenta.
      E outra coisa que é certa: Djokovic já garante as 289 semanas a frente do ranking ultrapassando sampras. Levando em conta que o circuito só volta em Madri.

      Responder
  32. Isac Martins

    Boa tarde!

    Realmente, este ano o corona virus marcará todos os segmentos da sociedade. Que possamos atravessá-lo da melhor forma possível. Dacim, quem comporá o top 10 da ATP no dia 27 de abril e com que pontuação caso a decisão seja a da redução gradativa dos pontos? Obrigado pelas excelentes matérias, como sempre faz.

    Responder
  33. Luiz Fernando

    Caos completo, associado a especulação e alarmismo, daí a bolsa vai caindo 15% aqui e os de sempre ganhando na especulação e no desespero de muitos…

    Responder
  34. Sérgio Ribeiro

    A meu ver , não existe nenhuma hipótese melhor, que o CONGELAMENTO dos pontos até 2021. Todo o profissional tem que permanecer com o direito de defende-los em quadra. Já que a oportunidade de somar , infelizmente lhe foi tirada com os inevitáveis cancelamentos. Não consigo imaginar alguém sair da liderança ou do TOP 10 , sem ter a chance de competir no lugar sagrado em que habita na maior parte de seu tempo. Abs!

    Responder
    1. abel Afonso

      Olá amigo.
      Eu não conheço competição justa onde as condições não sejam iguais.
      a culpa sobre o vírus não é de ninguém e ninguém deve se beneficiar de forma alguma.
      a pontuação do tenis de um torneio vale 52 semanas, se todos os torneios parassem sua pontuação até o fim do ano, OK.
      Más isso não ocorrerá.
      Para mim, tem que avalizar o que se jogou na temporada e na temporada que vem, todos zerados nos torneios referentes, disputam os pontos pois não houve a competição neste ano.
      senão vai virar um samba maluco: já pensou se um tenista chega ao finals 2020 com pontos de 2019?
      Acho que se ocorrer um ranking com pontos não jogados, as condições não serão iguais.
      Marco zero, e vida que segue.

      Responder
      1. Alessandro Siqueira

        Abel, sua fala é absolutamente clara e coesa. O ranking anual contempla a soma das últimas 52 semanas, não importando o que e quando se jogou. O ranking da corrida se refere aos pontos amealhados no ano corrente. Simples assim. Tudo o que passa disso é especulação.

        Responder
  35. abel Afonso

    Olá Dalcim:
    Olha ai uma questão complicada essa do ranking.
    congelar os pontos fica estranho.
    Estes pontos teriam efeito para classificar ao Finals e Next Gen?
    valeriam apenas para efeitos de ranking?
    Eu acho que seria melhor zerar os pontos assim que expirasse a pontuação do torneio de 2019 para não causar discrepâncias.
    Até porque não existe qualquer certeza de quando o circuito retornará ao normal.
    E realizar os torneios em data posterior para efeitos de Ranking também causa problemas:
    um torneio como IW, digamos se dispute em dezembro. O tenista só manterá os pontos até o próximo torneio? ( que pelo calendário normal seria entre 3 e 4 meses)
    Você acha que ou o congelamento de pontos ou realização em datas posteriores são cogitações que podem ocorrer?
    apostaria em quê?

    Responder
    1. abel Afonso

      Aliás, um complemento:
      para os próprios realizadores dos torneios que interesse haveria em realizar torneios tão próximos (menos de seis meses) da próxima edição?

      Responder
      1. Sandra

        E no caso do Federer, ele não perderia os pontos? Ele deixou de jogar por cirurgia e os outros deveriam defender os pontos , e não há chances deles defenderem.

        Responder
  36. Rubens Leme

    Olha, do jeito que a coisa está indo, perigas não ter evento esportivo algum em 2020, bem como eventos artísticos, shows, etc. Para cancelarem a NBA. que tem um faturamento superior ao circuito todo de tênis, é porque está muito grave. Duvido até dos Masters e US Open do segundo semestre.

    Responder
  37. Alexandre de Magalhães

    Sim, é uma alternativa. Mas tudo é ainda muito incerto. Acho que levará um tempo poder ter definições. A situação é inédita, o que dificulta projeções. É certo que na China está diminuindo e que a Itália será um parâmetro… para os europeus. Os norte-americanos procederão de maneira diferente. Além do mais, não sabemos como o vírus afetará os países menos desenvolvidos, como o nosso. Por outro lado, a queda da economia também terá consequências no tênis. Realmente é difícil saber como serão os próximos meses, em todas as áreas.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *