Saibro sul-americano resiste, Bia espera recomeço
Por José Nilton Dalcim
10 de fevereiro de 2020 às 11:20

Atualizado às 14h46

Ainda que vários dos maiores nomes do saibro do momento tenham preferido a quadra dura ou ficar no inverno europeu, o circuito sul-americano de saibro sobrevive mais uma vez. Rafael Nadal, David Goffin e Fabio Fognini não quiseram se arriscar na terra e nem mesmo Felix Aliassime, sensação de 2019, se atreveu a tentar repetir os feitos. À exceção de Rafa, que só reaparecerá em Acapulco, todos preferiram a sorte em Roterdã, que ficou fortíssimo.

Dominic Thiem, o segundo na escala do saibro na atualidade, e a surpresa do ano passado Matteo Berrettini decidiram só vir ao Rio Open, o que não deixa de ser preocupante já que chegarão sem o ritmo ideal. O austríaco justificou extremo esgotamento após a campanha no Australian Open. Motivação especial será a chance de superar Roger Federer e atingir o inédito terceiro lugar do ranking, necessitando chegar nas quartas de final para tanto.

É importante observar que os acordos mais comuns entre promotor e tenista, agora que os cachês foram oficializados pela ATP, preveem valores diferentes conforme o desempenho em quadra, os chamados ‘bônus por desempenho’, conforme me explica Luiz Procópio Carvalho, o diretor do Rio Open. Isso protege os organizadores e incentiva os contratados, como deveria mesmo ser. Thiem muito provavelmente estará sob esse regime no Jockey Club.

O restante do circuito, que foi a Córdoba, está em Buenos Aires e terminará em Santiago, ficou basicamente com os homens da casa. Diego Schwartzman perdeu neste domingo o título de Córdoba para o bom Cristian Garin, Guido Pella  entrou como quarta força atrás do sérvio Dusan Lajovic e ao menos Buenos Aires terá a estreia do croata Borna Coric, que pretende jogar os três torneios seguidamente. Em fase instável, o agora 31º do mundo é incógnita.

Se dependesse dos promotores de Buenos Aires e do Rio, o saibro já teria sido trocado pela quadra dura há muito tempo, já que ambos dizem que a concorrência com os torneios da mesma semana é quase desleal. O saibro sul-americano se tornou uma ilha no meio do calendário e a duras penas consegue se sustentar. Viña del Mar, Quito e agora São Paulo não aguentaram o tranco financeiro. Entrou Córdoba e agora volta Santiago, mas também há sérias dúvidas se eles conseguirão pagar as contas. O evento chileno tem forte apoio do governo, mas o país hoje vive crise social.

A perna do saibro sul-americano sempre foi defendida por Nadal e seus seguidores espanhóis e argentinos, que reconhecem a necessidade de o piso ter um outro ponto alto no calendário fora da Europa. Mas quase não há espanhóis nos torneios deste ano por aqui. Roberto Bautista e Pablo Carreño preferiram o piso sintético. O nome de maior currículo é o veterano Fernando Verdasco, que tem companhia dos pouco atraentes Albert Ramos e Pablo Andujar. O garoto Alejandro Davidovich poderia ser o Aliassime de 2020, mas nem passou da primeira partida no quali de Buenos Aires.

Bia pega 10 meses
Beatriz Haddad Maia poderá comemorar seu 24º aniversário, no dia 30 de maio, da forma que mais gosta: dentro de quadra. Enfim, saiu a decisão da Federação Internacional sobre o confuso caso de doping da número 1 brasileira. A entidade considerou que ela não teve intenção de tirar proveito ilícito de medicamentos e seu teste positivo para dois anabolizantes foi fruto de uma contaminação nas vitaminas que foram manipuladas em laboratório.

Apesar de a pena de 10 meses ter sido anunciada, com perda de pontos e premiação nos três torneios desde o exame antidoping, foi um alívio. Antes de tudo, o reconhecimento de que não houve uma tentativa de se burlar as regras, o que é sempre essencial para a imagem de um atleta. Depois, a pena ficou consideravelmente curta e permitirá que Bia retome sua trajetória no dia 22 de maio. Não será fácil, porque até lá ela deverá ter apenas 2 pontos no ranking.

Bia no entanto se tornou uma especialista em recomeços. Que venha mais um.

E mais
– Novak Djokovic aderiu ao saibro… mas de Monte Carlo. Residente no principado há nove anos, ele anunciou mudança de calendário e sua presença no torneio, que ganhou em 2013 e 2015 e fez outras duas finais. Dizem que sua preocupação é manter a ponta do ranking. Ele caiu nas quartas no ano passado para Daniil Medvedev.
– Monfils ganhou seu nono ATP em 30 finais disputadas, mas terá de lutar para se manter no top 10 porque defende os 500 pontos de Roterdã nesta semana. Outra ótima semana de Vasek Pospisil, que continua reagindo após a hérnia e se reaproxima do top 100.
– Marcelo Demoliner faturou seu terceiro ATP e voltou ao 48º posto, mas as meninas não ganharam um jogo sequer no qualificatório da Fed Cup diante da desfalcada alemã, em Florianópolis.
– Kim Clijsters marcou para Dubai, na próxima semana, seu segundo retorno ao tênis profissional, desta vez quase oito temporadas após seu último torneio, o US Open de 2012. A belga de 36 anos entrou até mesmo no Hall da Fama no período.
– Sucesso absoluto na exibição entre Federer e Nadal na Cidade do Cabo de sexta-feira: recorde quebrado, com público total de 51.954 pessoas, e arrecadação de US$ 3 milhões para a Fundação do suíço que ajuda crianças na África.
– No discurso de palco que fez ao ganhar o Oscar de melhor atriz, Rene Zellweger cita nominalmente ‘Venus e Serena’ entre os heróis que importam. Notável.


Comentários
  1. Ronildo

    A VERDADE ESTÁ CHEGANDO À GALOPE! Vamos ver como estarão Rafael Nadal e Novak Djokovic quando chegarem aos 35 anos! A simples observação deste fator encerrará definitivamente a discussão sobre o melhor de todos! Exceção algum fanatismo incontrolável, evidentemente.

    Responder
  2. Helena

    Já que muito se fala das más atitudes da Nextgen (eu falo bastante, admito), queria aproveitar para falar de uma ação muito legal iniciada pelo Felix e um de seus patrocinadores. Durante todo o ano, a cada ponto que o canadense marcar, ele vai doar 5 dólares (e o seu patrocinador 15) para a caridade. Provavelmente vai passar dos 100 mil em doação no final do ano.

    Ótima atitude! Esse garoto é muito diferenciado.

    Responder
  3. GM

    Vcs viram a foto do Federer na matéria “Primeira final de ATP de Federer completa 20 anos”?
    Com 18 anos..para o meu gosto, muito feio!! Hj, 20 anos depois, tá mil vezes melhor!! E olha que o tenis e e treinos e sol etc envelhecem muito o corpo…
    O jogo dele ate pode ser o mais bonito, como muitos bradam aqui, mas, fisicamente, nem aos 18 nem aos 38 é bonito hehehhe

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Você só não contou que ele chorou já nesta final , GM rs Mas cá pra nós. Tirando o Pop Star Björn Borg ( as meninas enlouqueciam ) , você já viu alguma Super Fera com carinha bonita ? A não ser que você ache que Cotonete e Touro estão com essa bola toda rsrsrs Abs!

      Responder
  4. Luis

    Dalcim, falando especificamente do big3, que têm família e muitos afazeres offcourt, como funciona as semanas de folga entre um Slam e o próximo torneio?
    Dá pra tirar uma semana pra ficar largado no sofá sem tocar na raquete ou os treinos continuam em um ritmo mais lento?
    Abs

    Responder
  5. Oswaldo E. Aranha

    Sou um dos ocupantes da Kombi, segundo alguns irados participantes do blog e por que não serem mais benevolentes e trocar a Kombi por uma van? Mas o que quero dizer é que independente de quantidade sinto-me confortável em poder torcer por tenistas que aprecio, dentre os quais o melhor da década, segundo a ATP, e não preciso depreciar nenhum tenista que não seja um dos escolhidos por mim, sempre podendo apreciar os bons tenistas e suas grandes jogadas.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Que papo é esse de irado , caríssimo Senhor ? Passe a ler todos os comentários e garanto que não vai encontrar menosprezo a Tenista algum . Muito menos a Next Gen. Sua ladainha e’ a mesma há anos. Como a brincadeira da Kombi é minha , aceito a mudança pra VAN . Só não sei se é suficiente pro MALA caber nela rsrsrs Abs!

      Responder
  6. evaldo moreira

    Dalcim,
    Uma pergunta fora do tópico deste post, o complexo de tênis do Rio de Janeiro, como está atualmente, se há tenistas que usam para o treino, se há programação de competição a médio e/ou longo prazo, pelo que foi observado mestre, houve um investimento ali considerável não!?
    Achei a estrutura muito boa, e seria muito triste se não houvesse aproveitamento por parte da CBt e/ou iniciativa privada, se fosse o caso.
    “Dalcim, olha o T.Monteiro nos surpreendendo , com jogo muito bom, agressivo, tomando as iniciativas dos pontos, como você mesmo disse, T.Monteiro entrou em 2020 diferente, se continuar assim, vai longe, gostaria que atuasse mais nos pisos duros, que seria bom, vi o jogo dele contra o Isner, perdeu nos detalhes, concorda mestre!?”

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nada. continua sem uso. Aliás, o complexo todo foi embargado recentemente pela justiça. Quanto ao Thiago, vi dois pontos positivos: o saque melhorou muito e o backhand ficou bem mais sólido, cobrindo duas dificuldades que ele tinha.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Bem , Dalcim. Do que pude apurar , é que o que foi embargado, foi uma obra irregular que estava sendo feita pelo próprio Jockey Clube Brasileiro. Ele é totalmente tombado pelo patrimônio histórico. Do complexo dentro do Jockey nada apareceu. Você teria algo a acrescentar ? Essa minha informação consta do Site Oficial da Prefeitura. Abs!

        Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Tem razão. É porque não tiro o Rio Open da cabeça rs Estava querendo muito ver Dominic levar esse “ in loco” . Abs!

  7. Miguel BsB

    Olha, o pessoal gosta de fazer comparações e rankings entre os golpes do Big 3. Eu, que não sou torcedor de nenhum, e admiro os 3, sendo um tenista amador, gosto de observar pontos nos seus jogos que eu tento, dentro do possível, claro!, tentar incorporar ao meu jogo…
    Falando do Djokovic, o pessoal fala muito da sua esquerda, principalmente a paralela, com razão. Provavelmente a melhor do circuito.
    Mas o golpe dele que eu acho talvez o melhor, e permite a ele dominar e ganhar pontos, é a sua direita cruzada. Muito angulada, abre demais a quadra e joga o adversário lá nas arquibancadas. Bate com uma naturalidade e quase sempre ali na linha do T. Observo bastante os pontos que ele constrói com esse golpe…

    Responder
  8. Heitor de Oliveira

    O autor da biografia do Federer afirmou que ele deverá jogar apenas RG no saibro.
    Confesso que nao gostei muito da biografia escrita por ele. Roger Federer tem uma historia muito interessante a ser contada e achei que Rene Stauffer escreveu de forma sem graça, nao me envolveu, parecia chapa branca, só com fatos, sem romancear a historia.

    Responder
  9. Miguel BsB

    Tô assistindo ao jogo do Tsisipas com o Bedene, e acho que o grego é o pior “desafiador” do circuito, de longe.
    5/5 no 1 set, e ele já queimou todos os desafios, errando todos. O último, um forehand na linha de base claramente fora.
    E isso é recorrente nos jogos dele…

    Responder
  10. NELSON LUIS DE CARVALHO FREIRE

    Força Bia
    Uma pena que muitos aqui escreveram coisas muito tristes sobre a Bia. Conheco-a pessoalmente e já tive contato com a família. Gente do bem. Incrível ver gente escrevendo coisas horríveis sobre ela sem o menor conhecimento. Espero que reflitam.
    De resto, força Bia, estamos, como sempre, na torcida. Eu e minha comadre Ana Cecilia

    Responder
    1. Barocos

      Muita gente também diria que não gosta tanto assim de tênis se tivesse as estatísticas dele. De fato, o circuito deve ser divertido apenas para aqueles que ganham títulos ou chegam perto de fazê-lo. Não estou dizendo que ele é um jogador ruim, não é. Se e quando ele passar a ganhar mais partidas importantes, então ele começará a declarar o seu amor pelo esporte.

      Responder
  11. Rodrigo Azevedo

    Quando você precisa ficar todos os dias querendo provar algo, logo chegamos a conclusão que isto não é legítimo. O reconhecimento deve ser natural, sem forçar. Entendedores entenderão.

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Nobre Rodrigo, o reconhecimento está ocorrendo naturalmente e em todo mundo. Se você pesquisar especialistas do tênis em vários idiomas, você verá que o assunto é recorrente, tanto em artigos quanto em vídeos (podcast). O fato do jogador ou familiar exigir tal reconhecimento, não impede que terceiros enxergue o óbvio.

      Responder
  12. Azor Chufalo

    Bom dia Dalcim!

    acompanho seu blog faz bastante tempo, raramente escrevo, mas participo sempre dos desafios, e acompanho bastante o grupo no whatsapp, principalmente nos Slams.

    Sou torcedor do Federer, mas não deixo de admirar um ótimo jogo de tenis e as qualidades que tem Nadal, Djokovic, e outros excelentes tenistas. Mas essas brigas de torcidas, são lamentáveis. Pra esse povo parece que se o Federer ou qualquer um dos outros dois do Big 3 não ser o recordista de Slams e não for considerado GOAT ao final da carreira, a carreira deles foi um fracasso.

    Parabéns pela sua paciência em aguentar e moderar todas essas brigas.

    E sobre os resultados de ontem, ótimo resultado do Monteiro, aproveitando seu momento melhor, e deu um ótimo salto de qualidade. E quanto ao Bellucci, espero que ele consiga engatar uma boa sequencia e voltar aos seus melhores dias.

    Voltarei a escrever mais vezes.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Volte, sim, Azor. Precisamos de mais comentários sérios sobre tênis. Essa briga realmente é muito chata, principalmente quando se desmerece um tenista para tentar defender seu preferido. É lamentável em todos os sentidos. E quanto ao Thiago, ele começou 2020 realmente em outro nível! Abs

      Responder
  13. PIETER

    Excelente a vitória do guerreiro Thiago sobre o Coric. Para além do triunfo, gostei de ver o brasileiro agressivo, confiante e tomando a iniciativa dos pontos. O vexame do smash no match point fica por conta da natural ansiedade para fechar uma partida tão importante, sabemos que nunca é fácil para ninguém fechar um jogo decisivo, até para os gigantes.

    Responder
    1. PIETER

      Dalcim, li ontem na Folha que, enquanto aguardava a definição do julgamento do seu suposto doping, a Bia estava proibida até de jogar tênis. Isso é verdade? Ou seja , nem bater uma.bolinha em.seu clube com amigos ela não teria permissão?

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Uai, que coisa absurda isso. Claro que não. Ela só fica proibida (enquanto durar a suspensão) de entrar em qualquer torneio OFICIAL das entidades (ITF, WTA, ATP, o que inclui também CBT). Ela permaneceu treinando todo santo dia.

        Responder
        1. PIETER

          Ufa! Ainda bem.
          Tomara que esse triste e fatídico episódio não a faça esmorecer muito menos perder a confiança em seu promissor jogo.
          Tenho a impressão, talvez equivocada, tomara, de que o Bellucci não foi mais o mesmo após a sua suspensão por doping, pelo mesmo motivo.
          Torço para que ele ainda se reencontre em quadra.

          Responder
  14. Vitor Hugo

    Que Federer tem um jogo muito mais bonito que Novak é fato! Que Roger tem quase todos os golpes melhores que o linguiça, é fato também! A diferença é que, por Novak ser o tenista que melhor que melhor se movimenta e melhor cobre a quadra, como foi dito pelo próprio Nadal, ele se posiciona melhor que os outros pra bater o forehand e backhand. Como Federer está nitidamente mais lento que outrora e com dificuldades de movimentação lateral, chega atrasado para bater na bola.
    Simples assim!

    É claro que a maioria das noletes que comentem aqui não tem capacidade de chegar a tal conclusão, pois tem limitações de entendimento do esporte. São apenas “passageiros ” pelo esporte. Quando Novak se aposentar, vão voltar pro futebol ou peteca.

    Responder
  15. Rodrigo S. Cruz

    Tem gente que ouviu muita estorinha do PINOCCHIO quando pequeno…

    kkkk

    O Rafael Nadal NUNCA disse que o Djokovic é melhor do que o Federer.

    Quanta mentirada!

    Responder
    1. Barocos

      Não, ele não disse que o Djokovic é melhor que o Federer, o que ele disse foi que o Djokovic é o adversário mais difícil que ele já teve que enfrentar, o que é comprovado pelo H2H entre ambos. Alguns frequentadores podem ter usado isto para construir argumentos a favor de seus ídolos, mas convém lembrar que as dificuldades entre oponentes não é uma operação transitiva no sentido matemático, ou seja, A > B, B > C, não necessariamente implica que A > C e, convenhamos, este tipo de argumento é bem complicado quando aplicado a estes 3 jogadores excepcionais.

      Aliás, convém aguardar o final da carreira dos três antes que quaisquer conclusões possam ser defendidas, se é que mesmo então isto seja razoável.

      No mais, vou continuar torcendo pelo Djokovic, no mínimo porquê ele merece muito mais respeito do que o que vem recebendo nos estádios.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Exatamente, Barocos.

        Aí é outro coisa…

        O que acho ridículo é distorcer na cara-de-pau e colocar na boca de alguém algo que ele não disse e nem acha.

        De resto você tem razão.

        Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        Exatamente, meu caro. O Sérvio com sua excepcional devolução, e o fato de também possuir um excepcional Backhand de duas mãos na paralela , anula completamente o golpe mortal do Espanhol contra todos. O gancho alto ( acima da linha de cintura ) no Back do adversário que sempre levou Federer e CIA a loucura. No Saibro , com bastante tempo de preparação, o Touro azucrina também Novak. Nas outras superfícies, ele neutraliza praticamente todas as armas de Rafa. Um oponente que tira o sono do Miúra . Abs!

        Responder
  16. Paulo Almeida

    Vou discordar do Jonas em relação ao auge técnico. Acho que o Djokovic nunca esteve tão bem no saque, no smash, nos voleios, no slice e no drop, além de ter mantido a excelência na devolução, na esquerda, na direita e no lob.

    Já em relação à parte física, provavelmente perdeu um pouco por causa da idade, mas nada aparente. Continua com movimentação excelente e realizando diversas defesas impossíveis. Nenhuma de suas recentes derrotas pode ser justificada por isso.

    Responder
    1. Ronildo

      Com 32 perdeu um pouco na parte física? E Federer com 38!!!!

      É pra ficar eufórico como vocês ficam quando Djokovic consegue vencer Federer?

      Vocês se contradizem em cada comentário!

      O verdadeiro motivo da euforia de vocês por cada vitória do Djokovic sobre Federer é o sentimento de inferioridade patente, latente, concreto, que arde, que vos consome!

      Responder
      1. Jonas

        Você não entende uma coisa.

        Cada tenista tem um estilo de jogo que exige mais ou menos do físico.

        Rafael Nadal, por exemplo, é um tenista que força bastante, ao contrário do Federer.

        Por isso é uma supresa pra muitos o espanhol ser número 1 aos 33 anos. Mesma coisa o Djoko.

        Agora, todo mundo sabe que o estilo de jogo do Federer exige menos esforço. Inclusive ele sempre gostou de encurtar pontos.

        Por isso não adianta você se vangloriar do Fregueser estar aí aos 38. É óbvio que ele trabalhou pra isso e seu estilo também o favorece.

        Não espero ver o Novak mantendo o nível até os 36. Estilo completamente diferente. Novak fica lá atrás mudando a direção da peluda, enquanto o suíço vai bastante a rede. Ganha muito ponto no saque e voleio também.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Era só o que faltava, né?

          Você inverter tudo…

          O fato do estilo do Federer poupar mais o seu corpo, só reforça o quanto ele é especial.

          A questão é que se a técnica do suíço não cobrisse o “GAP” físico, ele não faria nem cócegas no Novak Djokovic.

          Risível relativizar a exuberância física do sérvio que VOA em quadra, alegando estilo.

          A que ponto a tua veneração chega…

          (rs)

          Responder
      2. Paulo Almeida

        Só um pouco, nada aparente e que não possa ser compensado com boa alimentação, treinamento e outras melhorias proporcionadas pelos avanços da medicina.

        Pro Federer, que sempre encurtou os pontos e não sofreu com muitas lesões, era mais fácil ainda na idade do Djoko e depois.

        Responder
  17. Paulo Almeida

    O Tripas deve vencer esse fraco torneio de Roterdã, já que o ótimo Agut foi eliminado. Se fosse o Roddick ou o Kyrgios do outro lado da rede, a surra acachapante estaria garantida para o lado do espanhol.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não dá nem pra debater , caríssimo P. Almeida. Não sei se posta essas bobagens porque gosta de ser sacaneado ou porque você não se informa mesmo rsrsrs . Somente não é o ATP mais forte do ano , porque o N 1 e o N 3 estarão juntos no ATP 500 de Dubai. O Espanhol optou pelo de Acapulco. Abs !

      Responder
  18. Paulo Almeida

    É óbvio que o Beto não é meu fake. Trata-se apenas de mais um membro que gosta de ler meus comentários desconstruindo o Frauderer e mostrando quem realmente é o melhor de todos os tempos.

    Aliás, o GUAT toma 10×2 em Slams de 2010 pra cá e 21×10 no h2h de 2011 pra cá porque é um jogador inferior mesmo. Mesmo chegando em ampla vantagem física em Wimbledon 2014/2015, USO 2015 e AO 2016, foi surrado impiedosamente pelo rei desse esporte.

    Responder
    1. neuton

      Vocês não cansam dessa besteira de ficar discutindo quem é melhor e ficar inventando coisas para desqualificar quem não é o seu escolhido?
      Nem levando para o lado da piada dá para ler isso.

      Responder
  19. Rafael

    Para toda a massa Djokovista do blog, e para todos que quiserem ler mais uma opinião sobre o assunto, vinda de uma fonte respeitável:

    https://www.oxfordstudent.com/2020/02/09/why-novak-djokovic-is-the-greatest-male-tennis-player-of-all-time/

    “Porque Novak Djokovic é o maior jogador (masculino) de tênis de todos os tempos”

    por Louis Moen

    Do “The Oxford Student – Oxford’s biggest student newspaper, produced by and for members of the University of Oxford, since 1991.”

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Excelente, Rafael!

      Agora temos Mats Wilander, Pete Sampras, André Agassi, Goran Ivanisevic, Rafael Nadal, Dácio Campos, Narck Rodrigues, Domingos Venâncio, Fernando Nardini, Flávio Saretta, Tyson Otto e Louis Moen no time que considera Djoko o melhor, além do próprio sérvio, que parou de ser político com o suíço.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Você e seus devaneios, P. Almeida. A metade desta lista não tem a menor veracidade kkkkkkk Dacio Campos é fã de Carteirinha do Suíço. Pergunte ao Dalcim. Sampras e Agassi , nem em sonho. E o meu professor Domingos Venâncio, você fugiu de pergunta-lo rs Eu não. Veio dar uma Clínica aqui em Cabo Frio e não desmentiu os elogios ( no ar ) ao arsenal do Sérvio. Mas demos boas risadas quando o lembrei que em 2001 depois do jogo contra Sampras, o mesmo previu o surgimento do melhor de todos. Não só previu , como aconteceu. Precisa mais… rsrsrs Abs!

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Toda a lista é verdadeira, caro Sérgio.

          Dácio Campos foi dos primeiros a dizer que o sérvio é o mais completo de todos os tempos e o Venâncio não cansa de repetir a mesma coisa. Escute o último podcast da globo.com pra conferir.

          Ah, o Nadal disse que o sérvio no seu melhor é praticamente invencível.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Jogador de Saque – Voleio a carreira toda , o estilo de Federer deixa D. Campos louco. O homem de borracha ou “ Leão da Montanha “ mescla o estilo Basiliner com o dele , como ninguém. Abs!

        2. Paulo Almeida

          Agassi disse que nunca viu nada parecido com o Djokovic e Sampras indiretamente ao relatar que as coisas eram fáceis na entressafra com Roddick e Philippoussis.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Que tal então você dar uma olhadinha no head to head entre Sampras e Roddick , e Sampras x Mark “ SCUD” Philippoussis . No auge do Norte-Americano , Mark o bateu em Sets diretos no AOPEN 1996. Sem contar o mesmo na Arquiba , torcendo feito um louco pra que Andy defendesse seu Recorde em Wimbledon 2009. O Suíço precisou meter 50 Aces pra bater “ o bagre “ no Quinto Set. Abs!

          2. Sérgio Ribeiro

            Becker disse o mesmo . Porque será ??? Hoje já mudou um pouco rs O que Agassi viu DENTRO de quadra , é o que o deixou louco rs Abs!

    2. DANILO AFONSO

      Rafael, nos últimos 6 meses li alguns artigos estrangeiros defendendo algo parecido com esse post citado por você. Os especialistas do tênis pelo mundo estão cada vez mais dando o real valor do sérvio. Veremos daqui a 4 anos.

      Responder
    3. Nattan Labatto

      👏👏👏

      Não demore a postar no blog, Rafa. Vc nos brinda com ricas informações e comentários de alta qualidade. Vlw por postar esta excelente matéria… Djokovic tá fungando no cangote do Touro de do Leão da Montanha. Leão esse q a muito tempo não consegue escalar o Everest chamado Djokiller… Abs

      Responder
  20. Luiz Fernando

    Dos 5 expoentes da nextgen um não foi a Rotterdam (Zverev), 3 já rodaram antes das quartas (Shapovalov, o grego e Medvedev) e o quinto, Aliassime, está proporcionando uma disputa sobre quem comete erros mais bisonhos com Dimitrov (no momento 33 no set1). Essa turma não engrena mesmo…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Discordo : Aliassime já está apresentando golpes mais contundentes que Dimitrov . E já está sacando bem melhor . Depois de bater o Alemão Sacador Struff , provavelmente vai pegar Tisitsipas . Não estou desqualificando ( sua mania ridícula de dizer) seu comentário. Mas simplesmente discordando totalmente. A meu ver , Tenistas em formação não podem ser julgados toda a semana por resultados. Refrescando a memória do excepcional comentarista. O que Rafa Nadal fazia aos 19 , Novak foi fazer aos 21 e Murray beirando os 24. O Craque somente venceu seu primeiro SLAM aos 23 . Daí muita calma nessa hora . Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Sérgio no comentário não houve julgamento de ninguém, apenas a menção a uma rotina de que até o MOMENTO ATUAL essa turma ainda não engrenou. Claro q Aliassime, pex, tem apenas 21 anos e uma longa carreira pela frente, os demais 4 também, mas o comentário se refere a realidade do MOMENTO, que não é bom no meu entendimento, apenas isso. Ab.

        Responder
  21. DANILO AFONSO

    SÉRGIO RIBEIRO, de fato há diferença entre o TORCEDORES INTERNAUTAS x TORCEDORES DE ESTÁDIO. E essa diferença de público muitas vezes é desfavorável ao NOVAK que conforme demonstrei na postagem anterior, tem a sua maior massa de torcedores na faixa etária abaixo de 35 anos.

    Na reta final dos grandes eventos de tênis, principalmente nos SLAMs, a média de idade do público é maior do que nas fases iniciais dos torneios. Eu digo isso por experiência própria nos vários torneios de tênis que já fui ao redor do mundo, inclusive tive certeza disso ao comparar o público das oitavas de Final de Roland Garros em 2016 com o público da final do mesmo evento em 2019. Nas fases iniciais o público é mais jovem, tanto é que há mais descontração e animação.

    Os ingressos da semifinal e final de um SLAM são caríssimos, principalmente se o torcedor não tiver sorte de comprar no lote inicial de vendas. Se comprar no site VIAGOGO ou outro grande site intermediário de vendas de ingresso, o preço em alguns casos chega a triplicar ou até mais.

    Em razão do preço elevado, é normal que o público da reta final seja composto por maioria de torcedores com maior estabilidade financeira, e essa condição, acredito que ocorra após os 30 anos ou mais no mundo todo. Logo é normal que tenhamos a maioria de torcedores adultos (acima de 35 anos) e idosos presentes nos estádios. Claro que teremos adolescentes ou crianças nos estádios, mas em menor número. Como eu queria ter dinheiro para assistir GUGA e o clássico SAMPRAS-AGASSI quando era adolescente e iniciando a vida adulta…kkkkk

    Como a maioria dos torcedores compram seus ingressos com antecedência, não raras vezes o seu tenista favorito é eliminado antes da semifinal ou final, e nem todos revendem após ter o desgosto do seu ídolo fora do torneio. Eu mesmo comprei a final de Roland Garros 2019 esperando ver NOVAK na final, mas como todos sabem, ele foi eliminado na semifinal. Claro que não podia perder a oportunidade de presenciar a final com NADAL no seu “habitat”. Ainda bem que não revendi. Impagável aquele dia.

    Feito essas considerações sobre a relação público nos estádios, média de idade e condição financeira, não é nenhum absurdo imaginarmos que nos grandes eventos tenhamos muitos torcedores do FEDERER e NADAL (tenistas com muitos fãs adultos e idosos quando comparado com o sérvio, principalmente o suíço), torcendo contra o NOVAK nas semifinal e final, mesmo quando seus ídolos não são adversários direto do sérvio, o que é normal tamanha a rivalidade. Os torcedores sérvios fariam o mesmo contra os rivais do seu ídolo.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Irretocável, caro Danilo. Apenas como tenho a possibilidade de assistir TODO o Torneio , mas não in loco , o Suíço me parece ter uma gama bem maior de torcedores inclusive nas rodadas iniciais . Mas essa impressão pode estar equivocada . ABS !!!

      Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Medvedev quis ficar fazendo bolinha lá do fundo de quadra , e o Canadense o desnorteou totalmente subindo a rede varias vezes ( e sacando muito ) . A quadra de Roterdã é mais um exemplo , caro Vitor. Bem mais rápida , possibilita que saiamos da mesmice . Daí que valida a eterna discussão da ridícula padronização dos Pisos. Antes delas TODOS estavam sujeitos a cair fora bem cedo dependendo do Piso. No Carpete e na Grama era uma festa. Somente no Saibro e’ que ficávamos no mesmo. BORG com SEIS , Lendl , Wilander, GUGA e CIA com TRÊS. Rafa Nadal com DOZE … rs Abs!

      Responder
  22. Vitor Hugo

    Sampras, Agassi…. na opinião das Noletes eram velhos depois dos 30, mas Federer, com 33,34.. 38 ainda é jovem próximo do auge. Que piada! Sim, Federe ainda era novo em 2011, mas Novak, estava no auge da forma física e técnica, mas mesmo assim apanhou de Roger em Roland Garros(suíço quebrou uma boa sequência de jogos com vitorias do servio, mesmo em uma piso que favorece robôs). Já não dá pra dizer o mesmo em 2014, 2015 e principalmente em 2019. Nas duas primeiras, Roger já aparentava queda de intensidade e o sérvio estava voando. Em 2019, com 38 anos, não dá nem pra comentar, mas mesmo assim o suíço foi o senhor do jogo e merecia a Vitoria.

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Poxa VITOR HUGO !!

      Em 2011 Djokovic e Federer fizeram 5 jogos. Por que você citou apenas o duelo em Roland Garros que favorece os “robôs” ?? Por que não citou os outros 4 jogos no piso duro que não favorecem os robôs ??

      Responder
  23. Vitor Hugo

    A maior prova do quanto desvalorizado o Rio Open é, foi o campeão do ano passado, um tenista inexpressivo e limitado, que jamais vai fazer qualquer final de qualquer atp 250 em que os tenistas participantes estejam interessados e a chave razoavelmente forte.
    Não duvido nada que até o Monteiro possa chegar a final ou até ganhar o torneio.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Vitor. As vezes você fica postando sem ler os demais comentários, ou seja , não há debate. Vou somente repetir os Campeões do maior Torneio da gira de Saibro da América do Sul. Pela ordem ( 2014 ) : Rafa Nadal , David Ferrer , Pablo Cuevas ,Dominic Thiem e o Sérvio citado. A Semi de altíssimo nível ano passado foi Aliassime tirando Fábio Fognini em Sets diretos. Na Final o garoto amarelou. Bem diferente do que o parceiro diz. Abs!

      Responder
  24. Vitor Hugo

    Paes, apesar de não ter relevância alguma em simples, está na nata dos duplistas e merece respeito em sua opinião, mais do que um jornalista/poeta qualquer, mas que tbm merece ter a opinião respeitada.

    Federer é o melhor, maior e com jogo mais bonito da história, na opinião da esmagadora maioria dos especialistas, ex tenistas, tenistas e simples admiradores do esporte. Simples assim!

    Concordam comigo Sampras, Laver, Paes, Guga, Wawrinka, Kyrgios, Tsipas, Nadal, Edberg, Backer, Big Mac e muitos outros…. Não é a opinião de alguns fanáticos que comentam aqui que vai contrariar a opinião de gente com tanto peso. Porém concordo que a opinião de outros merecem ser respeitadas. Tanto Nadalistas ou Nolistas tem seus argumentos.

    Responder
  25. Vitor Hugo

    Gozado, o tal de Beto nunca aparece aqui pra fazer qualquer tipo de comentário, mas de repente aparece o “cidadão ” pra fazer a defesa de um fake. Kkkk Fala sério, cara! Acha que somos ingênuos assim?

    Responder
    1. Beto

      To dizendo que não sou fake do Paulo Almeida, mas cada um acredita no que pode e quer

      E mais: o fato de eu defender o Paulo Almeida não quer dizer que to te atacando.

      Responder
  26. Vitor Hugo

    Coisa mais fácil que tem é responder o Luiz Fabriciano, que com todo respeito, veio com argumentos fraquíssimos, e o pior, é que tem gente que aplaudiu. Kkkk

    Por que Federer bate em Shapovalov mesmo com 37/38 ??? Oras, todo mundo bate no canadense!!! Por que Roger, o goat, mesmo longe do auge mas ainda mais competitivo que 99% do circuito não bateria? O canadense acabou de perder na primeira rodada de Roterdã. Sequer fez uma participação razoável em qualquer torneio que disputou este ano. Tem apenas um atp 250… Longe de ser um fenômeno. Tem potêncial, mas não consegue dar um passo adiante na carreira.

    Nadal? Demorou, mas com a ajuda de Ivan Lu, Federer finalmente descobriu uma maneira de enfrentar Rafa em uma quadra que não seja o saibro. Se o croata fosse o técnico do suíço desde o começo da carreira do GOAT, provavelmente o espanhol não venceria um jogo sequer de Federer na grama ou hards. Fato!!!
    Mesmo Roger se movimentando 50% do que fazia entre 2003 e 2008, o suíço hoje consegue dominar o espanhol, um ponto fora da curva.
    Ganha de Nadal mas tem dificuldades com Thiem ou Tspas, ou alguém aqui acha que Federer pederia pro Austríaco, nas hards, entre 2003 e 2008??? Never!!!

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Infeliz a inclusão de Shapovalov na discussão. O canadense, até o momento, não passa de um jogador comum. Não tem qualquer resultado expressivo que faça com que a gente o aponte com futuro promissor.

      Responder
    2. Vitor Hugo

      Quer dizer, antes de Ivan, Roger já levava vantagem contra Rafael na grama, e nas hards, era equilibrado. Agora já não existe equilíbrio tanto na grama quanto nas hards.

      Responder
  27. Rodrigo Lightman

    Calma pessoal ! Não torço pro Federer nem pro Nadal. Aprecio o quase extinto estilo saque e voleio. Então, tecnicamente , torço pro Dustin Brown e Misha Zverev . Mas dentre os 3 principais, óbvio que o jogo mais bonito de se ver é o do Federer. Questão de estética . Há aqueles que gostam de ouvir jazz, rock e aqueles que preferem funk. Questão de estética!

    Responder
  28. Rodrigo S. Cruz

    Achei de extrema relevância eu comentar esse trecho aqui:

    “We were drunk on the sumptuousness of his groundstrokes, the poetry of his movement and the grace of his sporting attitude on and off the court.
    All those things make Federer the most loved player of his generation, but they don’t make him the best.”.

    Traduzindo:

    ” Nós ficamos bêbados com a suntuosidade de seus golpes, a poesia de seu movimento e a graça de de sua atitude esportiva, dentro e fora das quadras.
    Todas essas coisas fazem de Federer o mais amado jogador de sua geração, porém não faz dele o melhor”.

    Ok.

    Em primeiro lugar cumpre destacar que trata-se de uma opinião respeitável, e com bons argumentos a favor do sérvio.

    Portanto, não vou sair desqualificando a pessoa, dizendo que é um “Noletard”, ou seja um idiota que não entende nada de tênis.

    A primeira atitude dos ignorantes é essa: desqualificar a pessoa, no lugar de se opor com bons argumentos.

    Não. Ele é uma pessoa de certa expertise, conhecimento, e merece ser ouvida…

    Segunda coisa é que quando ele escreve “bêbado” ele fala de maneira figurada.

    Esta palavra pode ser traduzida na forma do suíço jogar, no encanto e no FASCÍNIO que ele exerce sobre quem acompanha tênis.

    Ou seja, ele não é uma criancinha pirracenta que quer por todas as formas que o Djokovic seja melhor em tudo.

    Pelo contrário, ele é completamente HONESTO em dizer:

    ” não é porque o Federer joga indiscutivelmente mais bonito, que ele necessariamente seja o melhor”.

    Terceiro, e fechando:

    Eu tenho plena CONVICÇÃO que ele também respeita a opinião do Leander Paes que vai justo na CONTRAMÃO do que ele pensa:

    ” O melhor pra mim é aquele que reúne tanto o domínio como a estética no jogo. E por isso fico com o Federer”.

    Ou seja, é uma opinião igualmente respeitável e digna de inteira aceitação.

    E não uma asnice que mereça as alcunhas de “retardado” ou de “Fedtard”, como alguns estupidamente usam!

    Fim de papo.

    Responder
    1. Rafael Azevedo

      Finalmente, uma bela dissertação sobre a discussão de GOAT. É simples, cada jogador é superior em critérios diferentes e para cada individuo pesa determinado critério.
      O leander Paes falou exatamente isso. E, depois, esclareceu quais são os critérios dele.
      Cada argumento para definição do GOAT é justo (desde que não seja desmerecendo o outro), porque os 3 têm número e consquistas surpreendentes que justificam esse título.

      É justo o Paulo Almeida (e cia) considerar que o Djoko é o GOAT.
      É justo o Rodrigo Cruz e o Victor Hugo considerarem Federer o maior.
      É justo o Luiz Fernando considerar o Nadal como melhor.

      Dentro dos seus critérios!

      Obs.: Sei que esse não é o tema do post do Dalcim. Mas, já desencanei e já parei de tentar mudar isso. Está claro que independente do assunto do post, a discussão do GOAT sempre tomará 80% dos comentários. O chato não é o fato de mudarem o assunto inicial do post. Isso não é um “problemão” em si. O chato é quando os fãs de cada grupo trocam “elogios estranhos” entre si. Uma boa parcela dos leitores já está cansada disso e ignoram esses comentários. Por isso, essa discussão sempre fica entre os mesmos personagens. Fica até parecendo que tem 2 posts rolando ao mesmo tempo: Uma turma discutindo sobre o saibro, torneios, atletas etc. e outra discutindo sobre o GOAT (e gramática!). Enfim, pode rolar de tudo. Mas, vamos maneirar (ou, melhor, eliminar) nas ofensas.

      Responder
  29. Beto

    Às vezes o Paulo Almeida exagera? Claro. Mas os federistaa tb exageram.
    Eu gosto de ler o ele ele posta, sobretudo por contestar com argumentos a idolatria ao Federer.

    E não dou fake dele.
    É o que eu penso

    Responder
  30. Rodrigo S. Cruz

    Vejam só que é FÁCIL demolir os argumentos nolistas:

    O forista Luiz Fabriciano havia escrito abaixo que o Federer estava surrando o Nadal e o Shapovolov, e que portanto não cabia o argumento da idade.

    Aí vem o Paulo F. que não cansa nunca de dar bola fora, e diz:

    ” (…) depois do que o Fabriciano postou fica impossível os federistas usarem a idade do suíço como desculpa(…)”.

    Ué, mas espera um pouco aí…

    Não é esse mesmo Paulo F. que vive dizendo que o “papai” Nadal sempre será favorito contra seu “filhote” Federer?

    Não é ele quem IGNORA 6 anos de derrotas seguidas do “dad”, fora do saibro? (a última sendo em 2014 kkkk)

    Então cadê a coerência?

    Se chama o cara de “filho do Nadal”, afirmando que ele é favorito sempre, então precisa explicar as 7 derrotas citadas…

    Uma vez que ele concorda com o Luiz de que a idade não é desculpa, pois o espanhol tem sido vencido!

    Ou uma coisa, ou outra, uai!

    Por outro lado, realmente não tem como comparar o Shapo e o Nadal fora do saibro, com o Djokovic.

    E aí está o problema do argumento do Fabriciano…

    O sérvio não o número 1 por acidente. Ele é um tenista INFINITAMENTE superior ao que o Nadal nas duras!

    O que os federistas tão somente defendem é que o Djokovic está no auge físico dele, e o Federer com 38 anos, não.

    Ou alguém seria tão desonesto afirmando que o sérvio e o Federer rendam exatamente o mesmo no físico?

    Portanto, nas duras e mesmo grama, o momento do Djokovic lhe confere uma vantagem a se considerar…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ops…

      3 ERRATAS:

      * Não é ele quem ignora 6 anos de derrotas seguidas do “dad”, fora do saibro? (a última vitória sendo em 2014 kkkk)

      * Se chama o cara de “filho do Nadal”, afirmando que Nadal é o favorito sempre, então precisa explicar as 7 derrotas citadas

      *O sérvio não o número 1 por acidente. Ele é um tenista INFINITAMENTE superior ao Nadal nas duras

      Responder
      1. Paulo F.

        Há SEIS anos, SEIS ANOS!! Nadal não ganha de Federer nos pisos duros e, AINDA ASSIM, ainda possui quase uma dezena a mais de vitórias nos confrontos diretos?
        Nem assim, Roger Federer consegue sequer empatar ou deixar parelho esse confronto?
        E ainda ousam chamar um confronto tão díspar de “rivalidade”?

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Faz mesmo questão de ser um Mané , né caríssimo P F. Com 2 x 14 no Barro , quantos encontros ele teria que ter nas outras superfícies por ano , pra virar o importantíssimo h2h ? Te irrita o freguês ter supremacia em TODAS as outras , não é mesmo ? Aliás , quando Novak vai virar o 7 x 17 no Saibro , caríssimo passador de recibos ? Abs!

          Responder
          1. Paulo F.

            Pois é, mesmo Novak com 7×17 no barro contra Nadal, ainda assim ganha nos confrontos diretos contra o espanhol.
            Já o incriticável GOAT…

    2. Ronildo

      Se esses caras tivessem um raciocínio normal poderiam tentar imaginar Djokovic com 38 anos jogando contra o Federer com 32.

      É um exercício que nunca tentaram fazer e jamais tentarão.

      Responder
    3. Jonas

      Auge técnico e físico do Novak foi em 2015, aos 28 anos.

      Podemos considerar o ótimo início de 2016 também, mas passou.

      Hoje, aos 32 anos, ele já não tem aquele domínio absurdo de antes. Não é normal perder pra Kolshreiber e Agut. Mas podemos dizer que mantém ótimo nível nos Slams.

      Agora, é fato que Novak, com seu jogo super exigente, deveria estar em decadência de acordo com as previsões furadas das Federetes, afinal já chegou aos 32.

      Mas olha a contradição, pois as mesmas Federetes usavam desculpas de idade em 2011. Mesmo com aquele jogo econômico do Federer, que nem ficava em quadra direito e adorava pontos curtos. Sim, era tido como velho aos 29 anos.

      Hoje, mantém um nível altíssimo. Podemos dizer que perdeu as finais de 2014 e 2015 simplesmente porque era inferior ao rival mesmo. É fácil perceber isso na final de WB 2015. Atropelou o Murray nas semis e foi dominado amplamente pelo Djokovic no jogo decisivo.

      Eu vi o Federer jogar um ótimo tênis na final de Wimbledon 2019. O cara estava inteirasso. Acredito que a maioria aqui no blog também viu.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Você vê o que quer , né caríssimo Jonas. Vá ao YouTube refrescar essa fraquíssima memória , e veja o JOGO de PERNAS do Suíço aos 31 quando bateu Novak e Murray em WIMBLEDON e compare com o atual. Daí o desmemoriado comentarista afirmar que o BACK do Suíço era uma ABERRAÇÃO antes de Ljubicic. Chegando atrasado , tome de ENFS e madeiradas. Agora, o Sérvio provavelmente não chegará nem perto deste nível atual próximo aos 39. A conferir. Abs!

        Responder
        1. Jonas

          Pois então amigo, eu concordo que aos 31 anos o sujeito estava voando.

          Você acabou de confirmar isso, citando o jogo de pernas dele em Wimbledon 2012 concorda?

          Então como esse mesmo cara tava velho 1 ano antes? Era outro tenista? kkkk

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Quem disse que estava velho ? P. Cleto ? Uma coisa eu posso te afirmar. Este nível de Tênis aos 32 , somente Roger , Rafa e Novak. Nem os longevos Connors e Agassi se aproximaram . O mesmo serve pro Big Mac e Lendl. Ao menos , que eu tenha visto. Abs!

    4. Luiz Fabriciano

      Rodrigo, acredito que tenhas concordado comigo, rss.
      Mantenho meu argumento quanto à idade de Federer – pesa apenas contra Djokovic, contra Nadal não pesa mais – afinal de 2017 para cá, perdeu apenas uma, em RG novamente.
      Se a idade fosse o ponto crucial, teria caído cedo mesmo nesse AO ou não teria feito o jogo que fez contra o Nadal na final de 2017.
      O que contesto de verdade é que as derrotas para o sérvio são colocadas na conta da idade (às vezes da mononucleose). Se tivesse feito um mísero ace na final de Wimbledon ano passado, naquele 40 x 15, teria sido campeão aos 38 anos. O suíço é um excepcional jogador, que esbanja físico e técnica e só realmente encontra dificuldades contra um certo sérvio que, infelizmente, é 6 anos mais jovem. Perdeu para o Dimitrov ano passado aparentemente por lesão – mas lesão acomete todas as idades. E antes que falem a o vigor físico decresce com idade, todos sabemos disso, no caso de Mr. Federer, não pesa tanto pelos atributos que citei antes. Ao menos contra os 99% dos adversários que encontra.
      Espero que o Vitor Hugo leia também para eu não precisar escrever uma resposta à ele.
      Abraço.

      Responder
      1. Jonas

        Fora o nível de exigência. Quem joga encurtando os pontos desgasta menos o físico. É o caso do Fregueser.

        Até por isso as pessoas se espantam com Rafael Nadal voando aos 33 anos. Achavam que ele ia parar antes dos 30.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Eu fui um dos que achava que no máximo aos 32. Sabia que teria sérias lesões. Subestimei a raça do Touro. Para o bem do Esporte , um puxou o outro. Azar do Craque Suíço que vai assistir de Camarote varios de seus recordes serem quebrados rsrsrs Abs!

          Responder
  31. Rodrigo S. Cruz

    O veteraníssimo e grande duplista Leander Paes que já fechou o Grand Slam destacou em outubro do ano passado:

    ” O que ele tem (Federer) conseguido fazer nos últimos anos de se reinventar para ganhar Grand Slams. E ele passou raspando de vencer Wimbledon agora. É simplesmente fantástico a forma como ele se reinventa”.

    E após a vitória do suíço sobre o Nadal na partida beneficente na última-quinta, ele comparou o suíço com os outros dois arquirrivais:

    “Sinto que (Rafael) Nadal vai vencer os 20 Grand Slams de Federer. Por outro lado, quando se trata de estilo, se você é alguém MAIS CLÁSSICO E ELEGANTE, Roger vence sem dúvida”.

    Paes também teceu belas considerações sobre Rafa e Nole:

    “Se você é um lutador, com mais coração e força, Nadal é o seu jogador, mas se você é alguém mais cerebral, que gosta de matemática e do equilíbrio, perfeição, Djokovic é o melhor”.

    Por fim, Paes LACRA ao dizer quem ele considera o melhor jogador de todos os tempos:

    “Federer é o melhor jogador de todos os tempos. Rod Laver venceu o Grand Slam completo como amador e profissional, mas para mim o que Roger fez em todas as superfícies em sua carreira é algo incrível”.

    Vixe… Essa foi um direto no estômago;

    kkkk Agora danou-se!

    O Leander Paes terá de ser chamado de mais um fedtard que não entende droga nenhuma do esporte, certo?

    Porque ele não apenas considera que o Roger seja o GOAT, como destaca que a BELEZA E A ESTÉTICA no jogo de tênis também conta na avaliação pessoal dele!

    Coisa que eu sempre falei exaustivamente aqui!

    Agora a casa caiu hein…

    Responder
  32. Rafael

    Dalcim, ouvi o último podcast sobre tênis social e achei bem bacana.

    Mais um canal pra quem gosta de tênis, você acertou no alvo, rs. Eu já viciei.

    Já o do Australian Open foi interessante, mas não curto o Paulo Cleto.

    Abs

    Responder
  33. Vitor Hugo

    A temporada de saibro sul-americana não me interessa muito. Mas sempre que um brasileiro joga, eu estou acompanhando o placar pelo site da ATP e torcendo.
    O Rio Open com certeza vou assistir alguns jogos pela tv, mas o torneio mesmo não me entusiasma muito, pois é totalmente fora de época um atp 500, no barro, em Fevereiro. Os melhores tenistas que vem pra cá, Thiem entre eles, me parecem mais interessados apenas em pegar o cachê, ver umas bundas bonitas em Copacabana e meter o pé daqui o mais rápido possível.
    Tá bom assim, Miguel?

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Vou discorda até das “ Bundas “ , caro Vitor. Em Copacabana ? Ali mesmo no complexo tem o metro quadrado mais abastado rs. O primeiro Campeão do Rio Open foi Rafa Nadal. Depois Ferrer , Cuevas , Thiem , Dieguito e Lasto Dere ( Aliassime amarelou na Final depois de tirar Fognini em Sets diretos na Semi ) ).Ou seja , nada mal. E e’ o maior Torneio da América do Sul. E Rafa Nadal não vem mais porque casou e está velho rsrsrs . Abs!

      Responder
  34. Rodrigo Lightman

    Como aqui só se fala de Fed, Nad e Djok, também darei a minha opinião. Lá pelos idos de 2006, 2007, eu torcia por um Slam do Djoker, que sempre batia na trave. Hoje vejo com pesar suas atitudes. Parece me aquele amigo de bar que chega falando alto para todo mundo ouvir, só ele quer falar, conta piadas sem graça, aqueles xavecos furados. Depois de umas cervejas já começa a ficar mal educado com os garçons, desrespeitoso com as mulheres, agressivo com os amigos. E no final da noite começa a se lamentar, chorar, dizer que ninguém gosta dele, que ele se esforça tanto. Mas não tem jeito, pode vencer 50 Slams, 20 finals, 100 masters, ficar mil anos como número um, mas nunca terá o magnetismo, a aura de um Federer e de um Nadal, sempre será o patinho feio da turma. Pode ter tudo, ganhar tudo, mas nunca terá o que mais almeja, o amor do público.

    Responder
    1. Jonas

      Bobagem. Em 2007 o Federer já tinha conquistado vários Grand Slams e estava numa zona de conforto muito grande em relação ao Djoko que tinha 0.

      Veja que em 2011, o suíço já tinha 16 Slams e o sérvio apenas 1.

      Logo, era tranquilo torcer pro Djoko ganhar alguns. Lembro que na época as Federetes curtiam o Djoko e odiavam com força o Nadal.

      O espanhol batia no Federer até fora do saibro com facilidade. Vide Miami 2011.

      O Novak começou a fazer pior e vocês ficaram putos com ele, apenas isso. Agora estão mais estressados ainda com o cara, já que o rapaz já tem 17 Slams.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Pra variar , quanta bobagem , caríssimo Jonas. Somente torcedores fanáticos podem estar preocupados com quem quer que seja. Não se apaga mais o que o Craque Suíço contribuiu para o Esporte. Tem que ter uma mentalidade muito tacanha pra achar que alguém está tão desesperado assim com o Sérvio. O próprio Roger já afirmou que a tendência é ser ultrapassado pelos DOIS . E está pra lá de correto. Isso em nada vai diminuir a admiração pelo Tenista ao redor do Mundo. Os torcedores da Kombi rs é que não aceitam a possível aposentadoria do Suíço rsrsrs Abs!

        Responder
    2. Lobovic

      De fato, o Djokovic deve tá muito triste com mais um troféu de slam, e mais de 2,8 milhões de dólares na conta. Feliz deve tá o Federer fazendo caridade com o dinheiro dos outros (hipocrisia?).

      E para com esse papo de “pode ganhar trocentos slam” isso é papo de perdedor conformado com a derrota.

      Responder
  35. Vitor Hugo

    Paulo Almeida, fake de m.. Só uma pessoa extremamente ingênua pra não saber que vc tem vários fakes por aqui, além das páginas do tênisbrasil. Camaleão! Teu nome é Paulo Almeida?

    Paulo F, pelo visto também tem várias personalidades também ou é alguém perturbado. Tem dias que crítica as bobagens de que “fekes” escrevem, parecendo o senhor da moralidade. No outro dia faz igual ou até pior que os que tanto crítica, então, não seja infantil e hipócrita.

    Dalcim, fui citado e precisei dar resposta. Acabou aqui da minha parte.

    Responder
    1. Jonas

      Renato, você falar isso é de uma hipocrisia sem tamanho rs. TODO MUNDO neste espaço sabe que vc é o tal Renato/Marquinhos/Johnny kkkkkkk. E troca de nome frequentemente.

      Responder
    2. Beto

      Se o Paulo Almeida torcesse para o federer vc falaria a mesma coisa dele?
      Os comentários dele são muito oportunos e vêm para acrescentar e contestar a idolatria federista

      Responder
  36. Paulo Almeida

    Não posso deixar passar despercebida a excelente matéria do jornalista australiano Tyson Otto, que mostra como (quase) todos foram enganados pelo jogo bailarinesco do Fregueser em uma era fraca. No entanto, é preciso muito mais do que isso para ser GOAT. Ele também se desculpa com o sérvio por terem sido tolos: “Sorry, Novak, we’ve all been fools”.

    Seguem os principais trechos:

    “We were all so blind.

    Novak Djokovic is the greatest male player tennis has ever seen and it’s never been more obvious.”

    “It’s never been clearer that the tennis world cast him wrong. And it’s never been clearer that the tennis world refuses to accept this.

    It will never be the popular opinion, but Djokovic’s status as tennis’ GOAT is undeniable. We just haven’t realised it yet.

    But the time is coming not too far down the line, when tennis fans are going to have to confront the uncomfortable thought nagging them at the back of their noggins — the thought that Djokovic has been rudely treated by all of us.”

    “Even if the grand slam count ends up as a stalemate, Djokovic’s head-to-head record against his rivals is undeniable.

    It stands at 27-23 against Federer and 29-26 against Nadal.

    How can Nadal and Federer be the greatest of all time, when they are not even the greatest of their era?”

    “We were drunk on the sumptuousness of his groundstrokes, the poetry of his movement and the grace of his sporting attitude on and off the court.

    All those things make Federer the most loved player of his generation, but they don’t make him the best.”

    Matéria na íntegra: https://amp.news.com.au/sport/tennis/australian-open/novak-djokovic-breathing-down-roger-federers-neck-in-goat-battle/news-story/8cb596152cdbd5d22e2597c925bda8e1?__twitter_impression=true&fbclid=IwAR04dUHuKiDBqgMRRuheO15baMu1D6JJO_i8g5XDL57NRUYuXq4elHGYKpc

    Favor conterem possíveis sangramentos com tantos fatos.

    Responder
  37. Ronildo

    A Bia é disparada a melhor tenista brasileira desde Maria Esther Bueno. Infelizmente ela não conseguiu reverter esta capacidade em títulos. O circuito está em um nivel absurdo. A menos que apareça uma tenista com o físico diferenciado em relação às demais, como foi a Era Serena, acredito que o circuito feminino é isso mesmo: essa alternância constante de campeãs nos torneios e até mesmo, possivelmente, muita disputa pelo número 1. Foi-se o tempo que o simples aparecimento de uma menina com notável habilidade era garantia de superioridade sobre as demais como aconteceu com Martina Hingis. Se bem que a Barty está mesclando magnificamente este binômio habilidade-preparo físico. Vai ser difícil tirar o 1 dela.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Caro , Ronildo. Sem dúvidas Martina Hings foi uma excelente Tenista. Mas venceu SLAM apenas em 1997 , 98 e 99 . Perdeu de 12 FINAIS de SLAM , SETE para suas rivais. Sendo que Graf , Vênus e Serena , tiraram apenas 1 cada da Suíça. E Serena nunca foi somente força desproporcional. TODAS as mais habilidosas lhe tiraram SLAM. Seu Serviço e suas excepcionais devoluções, fizeram a diferença. A meu ver . A atual N 1 tem todos os golpes . Mesmo sem um Serviço contundente pode permanecer mais tempo no Posto , que o parceiro imagina. Abs!

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Correção: Não tinha visto ao final do comentário que você colocou a dificuldade de tirá-la do Posto. Estou parecendo o L F e o Paulo F . Desculpe ! Abs!

        Responder
  38. Luis

    Dalcim depois dos 20 Slam e sonho alcançado pelo Federer não acha seria bom pensar no que vier e’ lucro tirando peso de conquistar Slam? Tem recorde títulos possível rs

    Responder
  39. DANILO AFONSO

    Nobres, segue abaixo um levantamento da quantidade de seguidores de alguns tenistas nas principais redes sociais:

    FACEBOOK
    FEDERER – 14,9 Milhões
    NADAL – 13,9 Milhões
    DJOKOVIC – 6,9 Milhões
    MURRAY – 3,6 Milhões
    DEL POTRO – 2,05 Milhões
    WAWRINKA – 726 Mil
    KYRGIOS – 569 Mil
    MARIN CILIC – 174 Mil

    TWITTER
    NADAL – 15,7 Milhões
    ROGER FEDERER – 12,6 Milhões
    DJOKOVIC – 8,7 Milhões
    MURRAY – 3,5 Milhões
    DEL POTRO – 3,3 Milhões
    WAWRINKA – 1,7 Milhões
    KYRGIOS – 373 Mil
    MARIN CILIC – 170 Mil

    INSTAGRAM
    NADAL – 8,7 Milhões
    FEDERER – 7,2 Milhões
    DJOKOVIC – 6,8 Milhões
    DEL POTRO – 1,9 Milhões
    MURRAY – 1,7 Milhões
    KYRGIOS – 1,4 Milhões
    MARIN CILIC – 202 Mil

    Apesar dos usuários das redes sociais não representarem a massa total de torcedores de cada um dos tenistas citados acima, os números apontados sem dúvida são uma amostra significativa da popularidade dos tenistas ao redor do mundo.
    Vale ressaltar, que as redes sociais citadas são bem representativas quanto a distribuição de usuários ao redor do mundo, gênero, faixa etária e condição financeira. A representativa é mais nítida na maior rede social, o FACEBOOK, que além de possuir melhor distribuição de usuários pelo mundo (com apenas 12% no USA), possuí equilibrada quantidade de usuários em todas faixas etárias quando comparada com o público jovem do TWITER e principalmente do INSTAGRAM.
    O artigo abaixo detalha acerca do perfil dos usuários das redes sociais citadas: https://www.twist.systems/pt-br/blog/2017/11/26/conheca-atual-demografia-das-midias-sociais/

    Feitos essas considerações, farei uma pequena análise do número de seguidores do BIG 3.

    Analisando os números das três redes sociais, não temos nenhuma novidade. O BIG 3 possuí o maior número de seguidores, havendo alternância entre FEDERER e NADAL no topo de popularidade, e DJOKOVIC consolidado na terceira posição.

    FEDERER leva uma pequena vantagem sobre NADAL na quantidade de seguidores na rede social FACEBOOK, esta que conforme já reportado, possuí uma grande quantidade de usuários adultos e idosos, mas fica atrás por uma vantagem maior nas outras duas redes sociais com maior predominância de usuários jovens. Posso estar equivocado, mas acredito que em razão do FEDERER ter surgido e destacado para o tênis antes do espanhol, capitalizou, conforme já citei em outra postagem, a maior quantidade de torcedores de tenistas aposentados ou preste a pendurar a raquete, bem como novos simpatizantes do esporte no início da década 2000 antes do surgimento do prodígio espanhol.

    DJOKOVIC que despontou por último no final da década 2000, com real destaque somente no início da década 2010, aparece na rede social FACEBOOK com cerca da metade do número de seguidores dos dois maiores rivais. Contudo, o sérvio ganha terreno e se aproximando do suíço e espanhol no comparativo nas redes sociais com menor representatividade de adultos (acima de 35 anos) e idosos. Não seria nenhum absurdo deduzir que NOVAK estaria em 2º ou até em 1º na preferência dos torcedores abaixo de 30 ou 35 anos.
    Não se pode ignorar também, que por ter se destacado após o reinado do FEDERER e NADAL na década 2000, o sérvio possivelmente obteve quantitativo irrisório de torcedores na dita década, restando ao NOVAK ganhar a preferência dos novos torcedores da década 2010 e os poucos “torcedores órfãos” que já acompanham o circuito antes da ascensão do sérvio.

    Quando comparamos a quantidade de seguidores de DJOKOVIC com os tricampeões de MAJORS, MURRAY e WAWRINKA, o sérvio detém significativa diferença do número de torcedores, principalmente ante ao suíço. Só vejo um motivo para tamanha diferença entre os três: maior regularidade vitoriosa no circuito.

    Uma última comparação não poderia deixar passar batido. O comparativo entre DJOKOVIC e o croata MARIN CILIC. Nas três redes sociais a quantidade de seguidores do sérvio fica em torno de 40 vezes maior.
    Não vejo o croata quebrando raquetes com regularidade, apressando os pegadores de bola e gritando após um erro não forçado, ou ainda pedindo tempo médico estratégico quando está perdendo. Então o que explica tamanha diferença de popularidade entre tenistas da mesma geração oriundos do leste Europeu?
    Simplesmente porque o sérvio está sendo vitorioso na carreira por mais tempo.

    Carisma, estilo de jogo e comportamento dentro e fora da quadra ajudam atrair torcedores, mas o grande diferencial ainda é se destacar com títulos relevantes com regularidade.

    Por fim, sem querer fazer qualquer comentário sobre o dado abaixo, passarei a população dos países dos jogadores da lista acima:

    Espanha – 46,66 milhões
    Austrália – 24,6 milhões
    Suíça – 8,57 milhões
    Sérvia – 7,022 milhões
    Escócia – 5,438 milhões (Grã-Bretanha – 66,44 milhões)
    Croácia – 4,076 milhões

    Responder
    1. Miguel BsB

      Olha, entendo que esses números são um pouco enganosos, apesar de achar que, no caso atual, realmente representem o “ranking” de torcidas do Big 3.
      Vejamos:
      Não vou procurar agora, mas aposto que a Serena tem mais seguidores que qualquer um dos 3…porque? Não que ela seja “maior” que eles, mas pq é uma grande ídolo no EUA, país com mais de 300 milhões de habitantes.
      Não tenho dúvidas que, se Guga estivesse atualmente no circuito, com a mesma carreira que teve, teria mais seguidores que o Federer, pois é um grande ídolo de um país de 200 milhões de habitantes…
      Então, população conta e muito para inflar esses números…Se o Djokovic, por exemplo, fosse americano, ou brasileiro, seria disparado o com maiores seguidores. O Nadal leva certa vantagem tb por ter grande apelo nos países hispânicos, que possuem grande representatividade ao redor do globo.

      Responder
    2. Maurício Luís *

      Boa, Danilo! Oxalá todos acrescentassem alguma coisa útil, como você o fez. Aqui tem algumas categorias de internautas:
      1) puxador de sardinha – divulga os dados do seu ídolo, mas só o que lhe interessa;
      2) fanfarrões – Lógico & Cia;
      3) pavões – “O meu é maior que o seu”
      4) provocadores: discordou deles, sai de baixo;
      5) bidus: vivem tentando adivinhar tudo: resultados, como será o ranking em 2034…
      6) os que falam da sogra do Nadal quando não tomam o remédio pra cabeça: acho que só eu…

      Responder
  40. Sérgio Ribeiro

    Li mais embaixo que P . Cleto foi ” Cirúrgico ” ao afirmar que Federer se acomodou , e Novak e Rafa estão aí pra quebrar todos os recordes do Suíço. Morria de rir , como frequentador assíduo de seu Blog , quando dizia o mesmo em 2011. Pois é Capita , de lá pra cá , quanta coisa aconteceu , não é mesmo ? . E não houve estilo blase’ e nem Cabelinho algum, que o impediu de se tornar o mais velho N 1 da Era Profissional e nem atingir 20 SLAM. E ainda perturbando o Recorde de Connors próximo aos 39. Esse é o famoso , perdeu , perdeu rsrsrs Abs!

    Responder
      1. Jonas

        É só ouvir o podcast. Está nas notícias e não é longo, cerca de 30 minutos.

        Lá ele também diz que o Djoko não é seu tenista favorito (acho que ele gosta bastante do Nadal).

        Enfim, ele diz que Federer se acomodou e que os outros dois estão no cangote dele.

        Chega a dizer também que os dois maltrataram o suíço, pois foram VÁRIAS vitórias importantes.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Obrigado , Jonas . Mas em 2011 P. Cleto somente tinha olhos para seu “ Animal “ . Cravava que o Suíço já aos 30 daria uma de Sampras . Perdeu . Agora volta oportunamente a mesma ladainha rs Abs!

          Responder
  41. Manuel Samuel

    Dalcim, analisando a exibição de Federer contra Nadal pensei o seguinte: Trocava as datas entre a Davis e a Laver Cup, e botava a Laver Cup em um estádio de futebol, assim como a final da Davis, que por sinal, a Copa Davis seria assim:
    3 ou 4 cidades sediariam até determinada fase, quando apenas uma cidade seria anfitriã, e a final seria em um estádio de futebol ou futebol americano, com uma observação, seria classificatório estilo Copa do Mundo, ou seja, ao menos um país de todos os continentes participariam, a escolha da quantidade ai dependeria da tradição do continente, como na Copa do Mundo,
    Acha que seria viável?

    Responder
  42. José Eduardo Pessanha

    Dalcim, você já esteve no Rio Open? Irá esse ano? Pegue essas 6 horas de estrada. rsrs. O torneio vale à pena. Tem o glamour do Jóquei e esse ano está com nomes interessantes.
    Abs

    Responder
  43. PIETER

    De fato, não deixa de ser um alívio, para quem gosta de tênis e torce pela Bia, a notícia de que ela pegou “apenas” 10 meses de suspensão,
    Como tão bem disse o Dalcim, será mais um recomeço e espera-se que ela volte ainda com mais fome de bola e de vitórias.

    Responder
  44. João ando

    Espero que uma atleta como dizem de alto rendimento tome cuidado com que ela toma …como disse uma vez quando a vi com 16 anos achei ela muito musculosa …depois com 20/21 anos achei ela mais feminina ….Bia tenha consciência dos seus atos ..pois a próxima pena pode ser o banimento do tenis

    Responder
    1. evaldo moreira

      Bom dia,
      Poxa João Ando, vou discordar de você, atletas que participam de esportes de alto rendimento, trabalham muito a parte física , principalmente pernas e braços, além claro trabalharem em outras partes do corpo, inclui ai também, e trabalho específico sobre os joelhos, ainda mais com pisos padronizados entre quadras rápidas e lentas, e ai vem a relva e o saibro. Tudo questão de ajustes e por ai vai………

      Mas dizer que que, foi o que entendi a sua escrita, que por ela estar musculosa talvez tenha se dopado para tal, quer dizer que a Coco Gauff, reparou como ela é forte fisicamente !?. A Serena também no inicio também era forte fisicamente, então elas, estariam usando algo ilícito!?

      Entre os homens também tem alguns que trabalham fortemente na parte física e por ai vai. Não acredito eu, que Bia Haddad tenha feito isso de propósito, ela não faria isso, pelo que falam dela, mostra o contrário, ela mesma disse em suas declarações que, jamais faria isso e esse esporte que ama tanto, propiciou para ela e sua família, proporções boas.

      Torço pra que ela volte firme e forte, treine bastante, e o principal, que seu staff esteja atento quanto as regras do doping, ou seja, ver o que ela pode consumir e ter êxito, e o que não pode consumir conforme as orientações da WADA.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Caros, atletas de alto rendimento são como as salsichas: melhor não saber como são feitos…
        Não estou acusando ninguém de nada, mas não ponho minha mão no fogo por nenhum deles, infelizmente…

        Responder
      2. João ando

        Evaldo .respeito a sua opinião …mas eu sei o que eu tomo de vitaminas e acredito que vc tb saiba o que vc toma ….e eu não sou atleta de elite. ..sou apenas um jogador de tênis e não tenista. ..então se ela tem um staff de nutrição …ela deveria saber o que toma e bebe. ..só isso..a Maria foi pega pelo meldpnium e pagou por isso …vários tenistas argentinos se dopavam e foram pegos …na década passada isso foi noticia. ..Evaldo

        Responder
  45. Antônio Luiz Júnior

    Dalcim, é impressionante como independente do que você escreva, independente de qual seja o tema central de seu blog, sempre vão existir os que preferem discutir “o sexo dos anjos” – quem é o melhor – Federer, Nadal ou Djokovic. Discussão inócua e sem fim, e na grande maioria das vezes sempre desrespeitando quem você não torce ou finge que não admira. Acho que temos outros temais muito mais relevantes.
    Fico feliz com mais um retorno da BIA, mas, certamente o caminho de volta será cada vez mais difícil. O mais importante, é limpar sua imagem, como alguém que nunca consumiu qualquer substância com o intuito de tirar proveito ilícito de um medicamento ou produto para melhorar sua performance.
    Thiago Monteiro começou bem o ano de 2020 e tem tudo para fazer um boa temporada. Acho fundamental participar do máximo de ATP’s que conseguir se inscrever. Crescer através de Challengers sem dúvida não é mais o melhor caminho, e não pode se furtar a de fato aumentar o sarrafo, se quiser evoluir no ranking.
    O ATP de Roterdã ficou muito pesado, com poucas boas opções de piso rápido, todos correram para lá, quem ganha somos nós, que assistiremos bons jogos.

    Responder
  46. Sandra

    Dalcim , pode ser até que seja impressão minha , mas você não acha essa garotada , como Shapovalov, o grego , Zverev passam uma certa arrogância ? Tiro o chapéu para o Medvedev , acho que escrevi errado , ele me parece mais simples , mais pés no chão !!

    Responder
  47. Luiz Fernando

    Nadal se emocionou quando Federer venceu RG, Federer não se importa com seus recordes, Nadal não pensa em ser o maior vencedor de GS, a veracidade destas afirmações seria semelhante ao Lógico postar que agora torce por Nadal…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Que isso , L F . Você vai querer adivinhar agora o que eles beberam na comemoração ? Foi sucesso absoluto. O Touro pode ter dito :. ” Gostei das cores da quadra ” . Federer : ” Ela me lembra RG e Soderling ” . Aí Miura mandou ” aquele filha da P*ta bateu a mim e a você ” . ” Daí fiquei emocionado quando você me vingou ” . Chorando de emoção o Suíço abriu outro Moe Chandon rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Meu caro, adivinhações aqui eu deixo p outros, e normalmente os adivinhos vem com palpites furados. Que vc sempre é confuso e arrogante eu sempre soube, mas pensei que não acreditava em contos da carochinha kkk. Grande abraço…

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Calma moleque . Quem não sabe brincar … Repito . Esse teu papo de arrogância e confuso já deu . E olha que você tinha perdido o posto de cara mais chato do Blog rsrsrs Abs!

          Responder
  48. Felipão

    Saiu a punição da Bia.
    Li no artigo do cossenza que a brasileira, na ocasião do exame antidoping que deu positivo, era patrocinada pela Eurofarma…

    Responder
  49. Sandra

    Dalcim , torço muito pela Bia Haddad , mas é tão fácil assim contaminação no dopping , não é estranho que o colombiano não foi punido e o chileno também não foi punido ? Não estão deixando correr frouxo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não saiu ainda o caso do Jarry. Só o Farah foi absolvido, a Bia pegou 10 meses. Sim, acontecem esses casos de contaminação. A questão é provar que a dose achada no suplemento é ínfima e jamais daria algum benefício ilícito. Daí a importância de guardar o produto e submeter a análise.

      Responder
  50. Rodrigo S. Cruz

    Não dá pra dizer que a Bia não teve sorte tendo pegado 10 meses…

    Claro que ninguém quer ser suspenso.

    Mas não é o pior dos mundos.

    Ela é jovem, talentosa, e com certeza vai conseguir dar a volta por cima…

    Responder
  51. Miguel BsB

    Uma pena que “el peque” não conseguiu conquistar o título em casa, mas ainda tem BA pra tentar, onde sem dúvidas ele é um dos favoritos.
    Mas fico feliz do Garin, um sulamericano, ter levado o torneio, mesmo sem ver nada demais no seu jogo.

    Responder
  52. Miguel BsB

    Eu espero que o saibro se mantenha por aqui, mesmo na “contramão” do circuito. Existem vários países, escolas de tênis e tenistas que preferem esta superfície…e o circuito já é 80% hard courts.
    Não sabia que quartas no Rio garantem a 3 posição para o “austríaco que ninguém conhece” (que declaração infeliz contra um dos mais leais, educados e respeitados tenista do circuito). Tenho certeza que o próprio Djokovic deve ter ficado consternado com essa declaração e passado um pito no pai…
    Então, imagino que o Thiem vem com motivação extra para o torneio.

    Responder
  53. Paulo Almeida

    O GUAT chegou descansado e em plena vantagem física nas finais de Wimbledon de 2014 e 2015. E mesmo assim perdeu para o GOAT Djokovic totalmente exausto, depois de várias batalhas de 4 ou 5 sets.

    Na hora da decisão, o sparring treme para o sérvio, que é o verdadeiro rei da grama.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Título da Pasta: “O saibro sul-americano resiste”.

      Assunto comentado:

      ” eu odeio o guat, eu amo meu goat… O guat é feio, o meu goat é másculo, tesudo e gato”

      Puta merda, viu.

      Haja paciência…

      Responder
      1. Miguel BsB

        Kkkkkkk
        Mais ou menos por aí mesmo…
        O título do post diz respeito ao saibro e à América do Sul.
        O Paulo vem falar de GUAT, GOAT e Wimbledon (torneio disputado na grama e em Londres).

        Responder
        1. Miguel BsB

          Aliás, Paulo Almeida, aproveitando o ensejo, vou lhe fazer um desafio.
          Aproveita que o título diz respeito aos torneios sul americanos, ao saibro, ao Rio Open, mi querido Buenos Aires, e posta sobre o que você acha desses torneios, dos tenistas que vem disputá-los, sobre o saibro em si…
          O Big 3 tá descansando por enquanto, então deixe eles de lado…
          Gostaria de vê-lo comentar sobre tênis, sem usar as palavras GOAT, GUAT, Djokovic, Federer. Que tal?

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Miguel, eu comento sempre.

            Se você der uma olhada nos meus posts durante o Australian Open, verá que falei de outros tenistas além do Big 3.

            Proponha o desafio para o fake camaleão nos comentários dele e não nos meus.

            A respeito do saibro sul-americano, para mim sempre ocorre fora de época e por isso tem nível mais baixo. O que interessa agora é a preparação para os Masters americanos em quadra dura.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Porque você ultrapassou os limites da babaquice na pasta anterior.

          Mas fique tranquilo.

          Desde que eu não seja citado evitarei ao máximo me estressar com a tua sociopatia…

          Responder
    2. Paulo Almeida

      Legal essa indignação seletiva, sendo que foi o fake camaleão que continuou falando as besteiras de sempre sobre o Djokovic, desculpa de idade etc.

      Eu apenas não deixei passar em branco.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Não, veja que tb propus o desafio ao Marquinhos, Renato, Vítor Hugo etc…
        Eu enxergo os torneios sul americanos com bons olhos. São o que temos no calendário por aqui, para a maioria de nós brasileiros é a oportunidade de vermos tenistas tops com mais facilidade (tive a sorte de ver, numa arquibancada quase vazia, ao meu lado, uma lenda como Rafael Nadal treinando, em 2016, ao lado de outro grande tenista, o Ferrer).
        Além disso são no saibro, superfície sobre a qual eu quase sempre jogo e preferida de uma grande parte do circuito.

        Responder
  54. Rubens Leme

    Uma pena que o Nicolás Jarry tenha sido suspenso por doing, pois ele e Garín reviveram o têns chileno. Mal comparando me recordaram a dupla de ataque chilena, Iván “Bam-Bam” Zamorano e Marcelo Salas que eram, até aquela época, os dois maiores artilheiros da seleção (hoje foram superado por Aléxis Sánchez e Eduardo Vargas).

    Dalcim, muito do novo tênis sul-americano passa pelos dois. Espero que o Jarry não pegue um gancho longo.

    Responder
  55. Heitor de Oliveira

    Ja que aqueles que outrora defendiam a manutenção do saibro nao vêm para ca, acho que deveriamos mesmo trocar o piso. Com isso, muitos tenistas teriam o estímulo para vir pq nao teriam de enfrentar grandoes nos torneios europeus, como a chave de Roterdã, por exemplo.

    Responder
  56. Daniel Macedo

    Acho que esse debate deveria passar sobre como fomentar o tênis na América Latina. Como usar esse torneio pra ganhar novos adeptos ao esporte e fortalecer os tenistas da região. Se for se deixar levar pela ganância de patrocinadores e a turma da organização, não termos mais nenhum torneio no saibro.

    Responder
  57. Vitor Hugo

    Creio que Thiem é sim a segunda força no saibro, e creio que apenas uma zebra gigantesca vai tirar o titulo de Nadal com a segunda opção sendo Dominic. 95% de chances pro dois e 5% pro resto…
    Roger, maior e melhor da história e segundo maior saibrista da atual geração tem chances zero de ganha RG.

    Vamos aguardar o desempenho de Tsipas, Medvedev e Wawrinka nos masters no saibro pra ver se dá pra ter alguma outra opção.

    Responder
    1. Luis

      Ihh rapaz… depois dessa previsão to realmente começando a acreditar que Novak tem grandes chances de conquistar seu 2º Roland Garros.
      Agora, só to esperando a previsão do Ronildo pra abrir o champagne.

      Responder
        1. Jonas

          Tem tudo? Ele precisa ser regular. Mais do que Novak e Nadal, no mínimo.

          Ir bem nos pisos mais rápidos, que, na teoria, ele ainda está abaixo de Novak e diria até do Fregueser.

          Responder
    2. Paulo F.

      Roger Federer o segundo maior saibrista desta geração?
      Onde estão seus títulos em Roma e Monte Carlo, onde o teu odiado Djokovic tem “apenas” SEIS, senhor de múltiplas personalidades?

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Seria por que, na época boa do Federer, as finais dos Masters no saibro eram em melhor de 5 sets? kkkk. Djokovic já pegou o circuito numa boa, pisos padronizados, finais de Masters em apenas 3 sets. Duas coisas eu tenho certeza: Djokovic seria esmagado por Nadal se disputasse finais de Masters no saibro em 5 sets e que Roddick ganharia todas as finais de Wimbledon contra o Cotonete de hoje, nos pisos ainda razoavelmente rápidos da década de 2000.
        Abs

        Responder
      2. Paulo Almeida

        O segundo maior saibrista dessa geração chama-se Novak Djokovic, detentor de um 1 RG e 9 Masters 1000 pesados. Venceu versões excelentes do rei do saibro em 2011 (duas vezes), 2013, 2014 e 2016. Ainda venceu mais duas em 2015, com direito a surra de 3×0 no Major francês.

        Responder
  58. Rafael Azevedo

    Um post sobre a temporada do saibro sulamericano…
    Mas, já sei qual será o tema central da maioria dos comentários! Alguns já começaram…kkkk

    Responder
  59. Vitor Hugo

    Peixoto,

    Sem pesquisar, creio que Federer deve ter uns 15 títulos ou mais na grama, contando os 8 em Wimbledon, que é o maior slam de todos.
    Novak não deve ter mais que 7 no piso verde, contando os cinco em wimbledom e os três que ganhou sobre Federer, que tinha 33, 34 e 38 anos, ou seja, ganhou de um Roger muito longe do auge e da melhor forma física.

    Conclusão: Nadal é disparado o maior sobre o saibro de todos os tempos, Federer disparado o maior sobre a grama e Roger é também o maior sobre as hards, mesmo com a padronização dos pisos, o que prova que é muito superior aos demais.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Amigo, na boa, se o problema fosse o fator “idade cronológica”, algo que tivesse tornado Federer realmente mais vulnerável, a galera do pelotão intermediário estaria frequentemente derrotando o suíço com facilidade, não??!
      Ao contrário, o que assistimos desde 2011/2012, quando começou esse papo furado de que RF estaria velho e perdendo forças, é o suíço chegando às finais e vendendo caras a as derrotas apenas para os demais integrantes do Big 4 (sim, incluo Murray porque venceu uma final olímpica em cima do suíço em pleno WB).
      Puxa vida, Federer muitas vezes só é parado por Djokovic nos principais torneios!
      Que tal reconhecer que Djokovic e Nadal são os únicos que rivalizam com seu talento? Ademais, tantos “entendidos” aqui vinham afirmando que as carreiras do sérvio e do espanhol seriam curtas pela grande dependência do aspecto físico, e isso não ocorreu.
      Deixe de desmerecer a qualidade dos adversários! ISSO é fanatismo, algo que volta-e-meia, leio você criticar aqui no blog.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Nadal e Novak são os dois tenistas junto com Federer que tem o maior nível competitivo, então pra ganhar dos dois em melhor de cinco sets, Federer precisa estar no mesmo nível físico, daí o talento daria vantagem para o suíço, na maioria das vezes, mas não é o que acontece e nem dá para cobrar de um quase quarentão. É a minha opinião e creio que a de muitos, quer vc goste ou não.

        Responder
        1. Luiz Fabriciano

          O que o colega disse é que para você, a idade de Federer só pesa contra os outros três, mas dá pau em todo mundo mais novo (até em Nadal às vezes). Ano passado mesmo, pegou o Shapovalov que tem metade da idade e o deixou desnorteado.
          É realmente uma desculpa para a falta de reconhecimento mesmo.

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Como já disse, Fregueser chegou em vantagem física e supostamente técnica nas finais de Wimbledon 2014/2015, do US open 2015 e na semi do AO 2016 e foi entubado nas quatro. Djokovic é melhor do que ele e por isso venceu mesmo em desvantagem.

          2. Paulo F.

            Depois dessa postagem do Luiz Fabriciano, fica impossível usar o argumento do “Federer mais velho do que os outros” para defendê-lo.

      2. Jonas

        Essa verdade realmente dói muito Willian. Machuca demais.

        O fato do Federer ainda estar em altíssimo nível hoje e perder seguidas vezes para o melhor da história Djokovic.

        É muito difícil argumentar contra isso, já que o cara é pato do Novak desde 2011.

        O Paulo Almeida gosta de jogar os números aí pra gente conferir, e a distância é grande a favor do sérvio. Imagine então se o Djoko vence mais uns 3 Slams? Aí enterra de vez o suíço.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Sempre jogarei os números por aqui, Jonas, uma vez que as jaguatiretes têm memória seletiva.

          Djokovic 3×0 Federer em finais de Wimbledon, mostrando quem é que realmente manda no All England Club.

          Responder
  60. Luiz Fabriciano

    Mestre Dalcim, duas coisas no seu texto, para eu comentar:
    Achas mesmo Dominic Thiem a segunda força no saibro atualmente, à frente até de Djokovic?
    Ano passado, os maiores torneios do saibro tiveram os seguintes campeões:
    MC – Fognini;
    Madrid – Djokovic;
    Roma – Nadal;
    RG – Nadal
    O sérvio perdeu a semi para o austríaco em RG, mas o havia vencido na semi de Madrid.

    Quanto ao bônus por participação nos torneios por aqui, isso realmente deveria estar valendo, desde sempre, pois já vimos caras como Tsonga, Nishikori que vieram, jogaram (perderam) um primeira rodada e foram “tomar caipirinhas” ao melhor estilo carioca.
    Grande abraço.

    Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Outra coisa, acabei de ver agora que a WADA deu como certo que o dopping da Bia foi involuntário, devido a contaminação nos frascos por parte de quem produziu seus suplementos, ou seja: Inocente.
        Mas ficará ao todo 10 meses parada, podendo voltar só em 22 de maio. Isso é ser declarado inocente?
        Ou ela foi meio-culpada?
        Confesso que não entendi.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          O que fica a entender é que a Wada reconheceu a contaminação cruzada, mas ainda assim penalizou a tenista (e sua equipe) por não ter tomado o cuidado necessário.

          Responder
  61. André

    Dalcim, qual o sentido do masters 1000 de Monte Carlo ser de uma certa forma “opcional” para os jogadores. Não deveriam, em se trantando de um masters 1000, tratá-lo como obrigação? Pois há muito dinheiro e público e dinheiro envolvido e a atp não pode “desperdiçar” uma data tão importante dentro do circuito.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Quando a ATP fez a última reforma, reduziu os Masters para 8 e rebaixou Monte Carlo. Mas a reação contrária dos tenistas foi grande, porque Monte Carlo tem enorme tradição no circuito. Aí a ATP recuou, manteve o torneio com a pontuação 1000 mas o tornou não obrigatório, deixando para cada tenista decidir se joga ou não.

      Responder
  62. Nattan Lobatto

    Bom dia, srs!

    É incrível e agradável demais ver essas duas lendas em ação, mesmo sendo uma exibição a energia é sempre inebriante.

    Tô animado para o restante da temporada, a cada torneio e semana a história é reescrita. Nadal chegou a 600 semanas no big, INCRÍVEL!!!

    Para o Fedal, um pequeno trecho de Carlos Drummond de Andrade:

    No meio do caminho tinha uma pedra
    Tinha uma pedra no meio do caminho
    Tinha um Sérvio
    No meio do caminho tinha NOVAK DJOKOVIC.

    277 semanas e contando…

    Abs

    Responder
    1. Vitor Hugo

      O problema é que no meio do caminho tem uma ROCHA chamada Federer, tenista mais técnico, habilidoso e melhor da história, que é aclamado pelo público e arrasta multidões para os estádios. Já o “pedregulho ” Djokovic, por vezes não enche estádios e regularmente é vaiado pelo público, além do jogo feio, sonolento e robótico…. Infelizmente para os fanáticos do sérvio….

      Responder
      1. Nattan Lobatto

        De forma alguma, tanto Federer quanto Nadal serviram de incentivo e motivação para Novak. Já pensou ter essas duas lendas como referência… Melhor ainda, dominar e quebrar a hegemonia que perdurava por anos. Sim, Hugo… Djoko foi o cara que embaçou, virou a mesa e transformou o circuito no atual status quo… Difícil aceitar, mas Nole hj caminha para ser um Everest.

        Abs

        Responder
      2. Willian Rodrigues

        Respeito sua opinião quanto à “estética” do jogo sérvio.
        Porém, pra SUA infelicidade e de outros fanáticos pelo Federer, essa “rocha” tem se desgastado bastante. Rrrrsss…
        Como tem sofrido!! Em Wimbledon, território do suíço, já pediu música no Fantástico pelas 3 finais perdidas.
        H2H, nº de vitórias em finais, nº de vitórias em slams, e virão inúmeras quebras de recordes por aí, talvez até em 2020.

        Responder
          1. Nattan Labatto

            Não enxergo por essa lente, Rodrigo. É justamente o jogo killer do Djoko que me fez torcer por ele. Um cara q ñ abaixa a cabeça pra ninguém… Back e devolução monstruosa. Perguntou: quantos jogadores fazem e/ou fizeram uma paralela com tanta maestria e perfeição como o sérvio. Detalhe q ñ pode passar batido, Nole evoluiu muito na rede e saque, ao meu ver, superou Nadal nesses quesitos. Cada voleio estilo Sampras e Federer q fico de boca aberta… Logo, impossível afirmar q ele tem um jogo feio, para não dizer hipocrisia ou dor de cotovelo por ter dominado o circuito . No mas, entendo seu posicionamento, porém, discordo veementemente… Abs

          2. Paulo Almeida

            Nenhum nolista “enxerga” que Novak joga feio, mesmo porque isso é uma mentira deslavada difundida por fedtards como você.

            O sérvio joga um tênis belíssimo, é o mais completo de todos os tempos e mostrou todo o seu arsenal na final do AO: baita smash do fundo da quadra, slice venenoso que deixou o Thiem sem ação, saques-voleios para salvar break points e os tradicionais forehand e backhand na cruzada e na paralela com extrema precisão.

            Aceite de uma vez, freguesaço duplo 40-15.

          3. Rodrigo S. Cruz

            Tá vendo, Mafalda.

            Por isso que eu te respondo ainda.

            Porque você é INCAPAZ de escrever aqui sem ofender os outros.

            Joga feio e está acabado.

            E federista retardado, não senhor.

            Você sim é o nolista mais retardado que já postou aqui.

            ( e não estou sozinho nessa)

        1. Jonas

          Djokovic é um absurdo de jogador. O cara deu aula pro Federer na “casa” do suíço.

          E vem mais por aí, bem possível levar mais uns 2 WB. Quem sabe nas costas do freguês novamente?

          Responder
  63. Vitor Hugo

    Para os manes…

    https://www.google.com/amp/s/oglobo.globo.com/esportes/nadal-revela-que-chorou-quando-roger-federer-conquistou-roland-garros-em-2009-12741445%3fversao=amp

    Quando Federer disse que Rafa se emocionou ao ve-lo ganhar Rg, não foi nada in off ou papo do suíço. O espanhol declarou abertamente sua emoção, como está escrito no link acima. Tenho certeza que até o tenisbrasil publicou na época. Não foi nada forçado como alguns querem fazer parecer.

    Responder
    1. Nattan Lobatto

      Vitor, vamos ser sincero… Nadal tá cagando pro Federer. Até sinto reciprocidade por parte do suíço que já ver como iminente a chegada e até ultrapassagem do espanhol em números Slam. Só não sei será pela esquerda ou direita rsrsrs

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Não parece que está cagando, senão não aceitaria participar de Laver cup ou amistoso na África. Fato é que, o isolamento e sociopatia do ídolo de vcs imcomoda bastante…

        Responder
        1. Nattan Labatto

          Tá sim, Hugo… Só foi pra engordar a já GORDA conta corrente e de quebra (claro q não precisa) ganhar mais publicidade em um país onde o tênis engatinha.

          Responder
        2. Rafael

          Acho que Nadal faz marketing com Federer, e vice versa. No pessoal, fica claro que o suíço gosta mais do espanhol do que o contrário.

          Vamos lembrar que Federer sequer foi convidado para o casamento de Nadal.

          Negócios, negócios, amigos à parte.

          Responder
      2. Jonas

        O Nadal dá aquelas declarações assim bem protocolares.

        No fundo ele sabe que já humilhou bastante o suíço (inclusive em Wimbledon). Como esquecer do 61 63 60 em RG?

        Fato é que o Nadal ainda tem gás pra levar uns 2, 3 Slams. É o menos talentoso do big 3, porém de longe o mais persistente.

        É outro que vai deixar o Federer pra trás. O Paulo Cleto foi cirúrgico nas palavras…o suíço se acomodou, enquanto Nadal e Novak estão aí, prontos para quebrar todos os recordes.

        Responder
  64. Luiz Fernando

    Rafa não vir a América do Sul e Djoko ir a MC está tudo dentro do normal, ou será q alguém estranha um grande campeão ir a um M1000? Djoko tem bem menos pontos do q Rafa p defender no primeiro semestre e tudo aponta p manter a ponta té o final, pois vejo bastante dificuldade de ambos defenderem este caminhão de pontos acumulados em 2019…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *