Djokovic mantém lógica e mira o 17º
Por José Nilton Dalcim
30 de janeiro de 2020 às 13:34

Ainda que possa jogar um tênis ainda mais perfeito no piso e no lugar de maior sucesso em sua carreira, Novak Djokovic cumpriu os prognósticos e está em sua oitava final do Australian Open, onde aliás jamais perdeu. Seu favoritismo não é porém só uma questão histórica. Começou quatro semanas atrás quando foi buscar ritmo e acabou superando batalhas e emoções na ATP Cup. Chegou pronto para defender o título de Melbourne e o resultado está aí: com 12 jogos invictos, alcança a chance do 17º troféu de Grand Slam e da retomada do número 1 como sobremesa.

Roger Federer me surpreendeu, ao fazer um começo de partida muito consciente de suas limitações. Forçou o saque, tentou definir pontos, soltou o backhand, fez voleios mágicos e, de repente, o primeiro set estava em suas mãos diante de um adversário inesperadamente acuado. Um único ponto fez toda a diferença: forehand no meio da quadra com 0-40 e 4/1 no placar. Claro que o suíço ainda sacou com 5/3, porém aí o primeiro saque não entrou e Djokovic voltou a mostrar aquela admirável qualidade de jogar sob pressão, principalmente contra Federer.

Quando chegou o tiebreak, o sérvio atropelou. Foi o sexto desempate seguido que foi bem superior ao suíço, incluindo os três que fizeram na inesquecível final de Wimbledon. Pela mobilidade reduzida e a dificuldade de executar o fundamental forehand, não acredito que a perda do primeiro set iria alterar o vencedor da partida, porque o caminho sob 33 graus – o jogo começou com sufocantes 36 – era longo demais para uma lombar dolorida e as chances de Federer estariam em manter um tênis de risco muito elevado e pontos curtos. Qualquer rali beneficiaria a consistência ímpar do adversário.

Ainda assim, Federer não jogou mal. Acertou 65% do primeiro saque, com direito a 15 aces, mas o problema foi ganhar 66% desses pontos, reflexo de que, quando a devolução voltava com esmero, ele não tinha a mesma chance. O ataque a todo custo lhe rendeu 46 winners e 35 erros, com sucesso em 20 de 30 voleios. Entrou em quadra com certo sacrifício, lutou, fez jogadas magníficas e saiu com dignidade, como cabem aos campeões.

Djokovic reconheceu ainda na entrevista em quadra que não começou atento, talvez incerto sobre as condições do adversário, e rendeu cumprimentos ao esforço de Roger, “que claramente estava machucado e não na sua melhor movimentação”. Também marcou números expressivos: 73% de primeiro saque, com 11 aces, e 39% de pontos como devolvedor, aproveitando quatro de 11 break-points. E observem: depois de cometer 11 erros não forçados no primeiro set, só falhou mais sete vezes nos outros dois. É uma fortaleza.

Com justiça, disputará sua 26ª final em torneios de Grand Slam, agora cinco a menos que Federer e uma atrás de Rafael Nadal. Também estende sua invencibilidade contra o suíço em jogos de Slam, que vem desde a derrota em Wimbledon de 2012. De lá para cá, foram seis triunfos. A única vitória do suíço em cinco jogos em Melbourne aconteceu em 2007.

Rumo ao oitavo troféu na arena Rod Laver, Nole aguarda quem passar entre Dominic Thiem e Alexander Zverev, que jogam às 5h30 de sexta-feira. Ele tem margens apertadas contra os dois: 6-4 diante do austríaco e 3-2 diante do alemão, porém carrega o trunfo da experiência, que vale muito neste nível tão elevado de competição.

Feminino vê final inesperada
A nova geração também estará na final feminina e pode levar o segundo título seguido: Sofia Kenin, de 21 anos, tentará seu primeiro Slam diante da experiente Garbiñe Muguruza, que vai em busca do terceiro troféu em diferentes Slam.

Mostrando sua conhecida força mental, Kenin venceu dois sets apertados diante da número 1 e de sua torcida. Controlar a cabeça foi o que na verdade faltou a Barty: ela teve saque a favor para fechar o tiebreak e também para ganhar o segundo set.

A primeira final de Slam dará também à tenista de 21 anos, que nasceu em Moscou mas se mudou meses depois para os EUA, o nono lugar do ranking e poderá superar o sétimo posto de Serena Williams se for campeã. Kenin foi eleita em 2019 como a tenista de maior progresso técnico.

Muguruza por sua vez tirou a superembalada Simona Halep, com placar idêntico. A espanhola ousou mais – 39 winners e 44 erros -, mas se segurou bem no fundo de quadra quando precisou. A romena concretizou apenas 3 de 13 break-points e isso obviamente fez diferença.

No único duelo entre elas, em Pequim do ano passado, Kenin ganhou no terceiro set. Mas não dá para tirar o favoritismo da espanhola, que já ganhou Roland Garros e Wimbledon e fará sua quarta final de Slam.

Saiba mais
– Djokovic anotou a 30ª vitória da carreira sobre um top 5 nos Slam e de longe a Austrália é seu lugar predileto, com 14. Mais 6 vieram no US Open e 5 tanto em Paris como em Wimbledon. As derrotas foram 20.
– Com 17 repetições, o duelo Djoko-Federer se mantém como o mais repetido em Slam na Era Aberta, dois a mais que Djoko-Nadal.
– Agora com 11 vitórias, o sérvio se torna o tenista que mais venceu Federer em Slam, superando as 10 de Nadal.
– Com a queda na semi, Federer corre risco de perder o terceiro lugar do ranking caso Thiem seja o campeão no domingo.
– Djokovic pode conquistar seu quinto Slam após completar 30 anos e igualar a marca que Nadal atingiu no US Open.
– Sérvio marcou a 100ª vitória sobre um top 5 em 166 confrontos na carreira.
– Ex-número 1, Muguruza começou o torneio como 32ª, já sobe para 16º e será 12ª em caso de título.
– O jejum de conquistas em simples continuará para os australianos, que não celebram um vencedor desde 1978 entre as mulheres e 1976 no masculino.
– Os donos da casa terão de se contentar com um eventual título de duplas: os convidados Max Purcell e Luke Saville tiraram os cabeça 4 Dodig/Polasek, e decidem contra Rajeev Ram e Joe Salisbury. Esta pode ser a primeira parceria 100% australiana a vencer em Melbourne desde Woodbridge/Woodforde, em 1997.


Comentários
  1. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Dalcim uma dúvida, oq acontece se um jogador ganha um slam e depois se descobre que ele jogou dopado?Já vi casos de jogadores perderam a premiação e a pontuação mas é um título de slam, oq acontece com o slam em si?O vice campeão fica com título simbólico?Fica o cara que ganhou dopado mas com asterisco que “não valeu”
    Vc sabe me dizer?Parabéns pelo texto

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, nunca existe a transferência de título, ponto ou premiação. Como jamais aconteceu algo semelhante, é possível que declarem o título nulo.

      Responder
  2. Sérgio Ribeiro

    E não é que quase bateu 4 horas ? . Jogadas do mais alto nível de ambos os jogadores. O SuperEstimado possuidor de 16 Títulos a nível ATP , vai pra sua terceira FINAL de SLAM , e diferentemente de GUGA , pisos diferentes. Acabou que os Deuses do Tênis quiseram que o AOPEN 2020 , nos proporcionasse uma FINAL com os dois mais bem preparados jogadores pra levar o Caneco. E o Backhand de uma mão presente. O Austríaco mais maduro , e com um excelente estrategista em seu STAF , vai fazer o favorito Servio suar sangue pra levar. Promessa de uma grande FINAL . Se Novak bateu Federer , Dominic bateu o Touro . Imperdível. ABS !

    Responder
  3. Paulo Almeida

    O fato é que o GUAT não sentiu nada no primeiro set e não conseguiu fechar porque tem força mental 1/10. Perder um 0/40 com 4-1, depois um saque pra fechar o set de zero e um tiebreak de 7-1 é só para bagraços nesse quesito. O cara é bem incompleto mesmo.

    O fake camaleão vai ter que avisar à maioria esmagadora da torcida do Frauderer que o auge físico ocorre aos 26/27, que, por sua vez, pensam que ocorreu entre 22 e 26, época da entressafra. Na faixa de idade citada, ele apanhava do Nadal em todos os pisos e também do menino GOAT por 3×0 em Slam.

    Se o Thiem ganhar o Aussie, cada uma das suas vitórias sobre Nadal, Zverev e Djokovic valerá um AO peso pluma sobre Baghdatis, González e Cilic respectivamente. Slam altamente parrudo.

    Responder
  4. Luiz Fernando

    Como esperado, vitória do Thiem, que vai enfrentar Djoko em desvantagem, especialmente no aspecto mental, como ficou claro no primeiro set hj. Mas se ele conseguir se manter focado no jogo e não se assustar com a possibilidade do primeiro GS da carreira, tem bola pra encarar o sérvio, pois pode perfeitamente aguentar as trocas do fundo da quadra, além de aparentar estar em ótima condição física. Não há como deixar de louvar Zverev, que se recuperou de um início de ano oscilante e poderia perfeitamente ter vencido hj, pelo que vi no primeiro set e li em relação aos outros 3.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Desvantagem no aspecto mental em relação ao Sérvio ? Discordo caríssimo L F . Ele bateu Novak no FINALS o levando ao limite. E de quebra Federer na sequência, pra desespero do Pessanha rs. Agora tira o Touro que tentava o 20 SLAM. A meu ver vai soltar o braço como nunca. A conferir. Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Sérgio quando disse desvantagem mental, pensei no seguinte: para quem um título será mais importante, p quem vencerá o primeiro ou o de número 17? Qual dos dois julga q o outro é o maior favorito e por isso pode sentir mais as chances desperdiçadas? Creio q Djoko é mais experiente e mais apto a lidar com as eventuais dificuldades durante a partida do q o Thiem, ou será q seria o inverso? Mas vejo o austríaco plenamente capaz de vencer a partida…

        Responder
  5. Ronildo

    Está feito: domingo Thiem será campeão do AO 2020 no game de saque de Djokovic. Exatamente como Medvedev fez em Cincinnati. Será mais uma prova de que este alegado super mental do Djokovic é uma farsa. Se trata apenas de um cara com um físico bem aprimorado correndo atrás de uma bolinha com uma raquete nas mãos, um praticante do maratênis. Pois bem: domingo o tênis será superior ao maratênis.

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      E há algum mal em ter físico privilegiado? Físico privilegiado é soma de boa carga genética, mas MUITA disciplina na alimentação e na atividade física. Sendo assim, mais consideração ao sérvio, que procurou sanar os problemas por que passava, sobretudo respiratórios e de intolerância a alguns alimentos, para se tornar o TENISTA DA DÉCADA DE 2010, quer você e Marquinhos/Renato/Vítor Hugo queiram, quer não queiram.

      Ah, e só para constar, Federer não ganha de Djokovic em Slam desde 2012, sendo que em 2012 o suíço fez 31. Dormir com esse barulho não deve ser fácil para vocês, mas nada que um bom calmante não resolva.

      Responder
    2. Samis

      Que viagem! Então o Djokovic é só alguém correndo de um lado para o outro com uma raquete na mão? O jogador que de 2011 para cá mais tempo permaneceu como numero 1 , mais masters ganhou, mais slams ganhou… Pocas coisas são mais tolas do que desmerecer um adversário.

      Responder
  6. João ando

    Ha um ou dois anos atrás eu tinha perguntado sobre a Sofia kenin …o Dalcim disse que tinha um comportamento inadequado…e verdade …mas a garbine tb e escrot. ..bom vou torcer para kenin…no masculino deve dar thiem e djoko …e djoko ganha em três sete duros

    Responder
  7. Luiz Fernando

    Thiem fez um primeiro set típico daquele termo cunhado pelo Pessanha, em especial com muitos erros no BH. Pelo q li agora se recuperou. Mudando de assunto, a manchete com o desabamento do valor dos ingressos expõe de forma clara a perspectiva do q ocorrerá nos grandes torneios do futuro sem o big 3, será como um show do Frank Sinatra ser trocado por um do Leo Jaime…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Termo cunhado pelo Pessanha , a quanto Tempo, L F ? Aí depois você LEU o que pode ter acontecido na partida. Dominic vem levando vantagem nos confrontos contra o Big 3 no TOTAL durante ano e meio. Exceto o Touro em RG. Comentar resultados continua sendo um grande problema da maioria. Falar nisso por onde anda a Gabi ? rs Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Meu caro infelizmente a Gabi não está mais por conta de caras mal educados como vc. E quanto assistir ou não, se simplesmente assistir os jogos valesse algo, vc não postaria tantos palpites furados kkk. Grande abraço kkk…

        Responder
  8. Luis

    Dalcim parece que não e’ tão grave Federer sentiu incomodo claro precisa de um cuidado que pode voltar,não compromete próximos torneios principalmente Masters americanos?

    Responder
  9. abel Afonso

    Dalcim,
    Sei que é papel do jornalista obter suas informações e tirar das personalidades as respostas, Más não acha no mínimo muito inapropriado um cara no meio da coletiva de imprensa perguntar se é o “último” torneio do tenista no evento logo depois do jogador ser eliminado; estar com incômodo de lesão e provavelmente pensando apenas naquela derrota?
    O Federer leva de boa, más acho que ás vezes os jornalistas que cobrem os eventos perdem a noção do momento.
    Eu acho isso forçar.

    Responder
  10. Enoque

    Muito se fala no fator idade no confronto histórico entre Federer x Djoko.
    É evidente que este fator é determinante.
    Eu dividiria em 3 períodos de 5 anos cada: 2005 até 2009, 2010 até 2014, 2015 até agora;
    No primeiro Federer era jovem, experiente e número 1, e Djoko era um menino começando no circuíto e não tinha nenhuma pretensão de ganhar de Federer em nenhum piso, total vantagem para Federer.
    No segundo período, Federer já era considerado um dos maiores da história e Djoko tinha o fator da juventude para fazer frente, pequena vantagem para Federer.
    No terceiro período Djoko passou a ter a vantagem evidente no fator idade e condicionamento físico.
    Federer deixou passar diversas oportunidades de fazer uma vantagem maior no confronto direto a ponto de não ser mais reversível.

    Responder
  11. Maurício Luís *

    A Serena e o Federer, eu os vejo em situação semelhante em relação aos Slams. Ambos ainda competitivos, mas as chances reais vão diminuindo com a concorrência da Next Gen. Não ponho mais minha mão no fogo por nenhum dos dois… infelizmente.
    Como torcedor do Andy Murray, gostaria que ele estivesse aí disputando com o Big 3 os títulos, mas isto é sonhar demais. Na verdade, penso que ele deveria pensar 3 vezes antes de correr com aquela prótese. Mas não sou médico, e ele com certeza tem os melhores.
    O Federer declarou em entrevista que entrou em quadra achando que suas chances estavam em torno de 3%. Bem pouco, mas melhor do que nada. Então ele foi. Da minha parte, vejo como uma atitude digna, profissional e louvável. Milionário como ele é, poderia muito bem alegar lesão – o que seria verdade – e mandar público. , mídia e Djoko às favas. Não o fez porque tem caráter.
    * **** DE VOLTA À ESPANHA*****
    Nadal, como bom moço que é, resolveu comprar um doce pra fazer as pazes com a sogra… pra ver se ela esquece de quando ela chegou do salão de beleza e ele perguntou se tava fechado. Porém, algumas coisas fugiram ao seu controle. A fama dela já se espalhou pela Espanha.
    – Por favor, quais doces o senhor tem?
    – Pois não. Temos de figo, marmelo, geleia de morango, de maçã…
    – Não sei. Sou tenista, não entendo de culinária. Tô em dúvida. É pra minha sogra…
    E o vendedor:
    – AAH, NÃÃO, mas com veneno eu não tenho!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Assino embaixo , Maurício. Excelente comentário. Somente lembrando que Next Gen vai até 21 aninhos. Portanto , Dominic , Medvedev , Sasha , Kyrgios e CIA são da Nova Geração ou seja , 7 , 6 anos e mais jovens que o Big 3 . Daí que o couro vai comer mesmo rsrsrs Abs!

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      É, meu nobre.

      Terei que concordar com o Pessanha nessa…

      Atenha-se somente ao tênis, porque dessas piadinhas de sogra aí nem hiena consegue rir.

      Responder
      1. Maurício Luís *

        Rodrigo, a título de curiosidade, essa história do veneno aconteceu realmente. Não com o Nadal, mas comigo. Eu estava numa feira e o vendedor, pra descontrair, falou isso.
        Mas acato a sua opinião sobre não ter graça. Nem Jesus Cristo agradou a todos. Abr.

        Responder
  12. André Barcellos

    Alguém comentou sobre as exibições do Federer.
    Realmente, quando o suíço inventou de fazer isso no final da temporada teve seu pior ano na temporada seguinte. Como foi o caso do final de 2012, seguido da podia temporada de 2013, onde já vinha com problema nas costas.
    Agora foi a mesma coisa, correu a América Latina com exibições e está arrebentado no começo do ano.
    Com o agravante de estar beirando os 39.

    Responder
    1. Evaldo A Moreira

      Tudo bom André,
      Eu comentei abaixo , é realmente ele ao fazer isso , comprometeu todo o planejamento dele para a temporada seguinte, é deu no que deu , sem a Hopman, ficou mais difícil ainda , pulou direto , concordo com o Dalcim, foi louvável a participação dele , mesmo as duras penas e sorte , chegou a semi , isso aos 38 e alguns dias , realmente um cara diferenciado , pena que o físico deixou na mão, fato.

      Responder
  13. Fábio Júnior Gonçalves de Araújo

    Boa noite , caro Dalcim.
    Primeiramente quero parabenizar pelo seus Posts aqui , no Blog do Tênis , que é muito bem elaborado por vc, parabéns.
    Leio sempre eles, mais quase não faço comentários .
    Agora Dalcim se me puder responder eu agradeço.
    Será que essa lesão nas costas do Federer não irá antecipar sua aposentadoria? Pois me parece que cada vez que volta esse problema , ele pena nós torneios disputados . E também não seria melhor após o master americanos ele parar tentar se recuperar, cuidar da saúde parte física e mental. Esquecer do saibro, pois na minha opinião lá não dá lucro pra ele em relação a título e nem muitos pontos. E fazer uma pré temporada tipo treinando na grama, inventando algo novo , fazendo reajuste, fortalecendo o mental. Pra quando chegar Wimbledon ele esteja descansado , e calibrado diferente dos outros jogadores. E possa jogar tudo o nada pra enfim ganhar mais um grande slam. Abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É uma contusão recorrente, sem dúvida, mas acho que ainda não é o caso para uma aposentadoria. Ele já declarou que só vai jogar Roland Garros. Não acho que o saibro atrapalhe tanto assim. Fortalece o jogo de base.

      Responder
  14. Vitor Hugo

    Quando Roger tinha 32/33 anos, seus maiores rivais eram Nadal e Novak, na auge físico e técnico, com 27/26 anos, idade que geralmente os tenistas estão em seu auge.
    Quais são os maiores rivais de Nadal e Djokovic com 26/27 anos agora? Percebem a diferença?
    Fato é que Roger atropelava o bagre sérvio quando estava no auge, e quando começou a sentir o peso da idade, começou a perder. Natural. Por ter estendido a carreira muito mais que a maioria dos tenistas, vai pagando o preço com derrota para tenistas inferiores, como Novak e Thiem, por exempmo.

    Fosse Novak com 38 pra 39 e Roger com a idade que o sérvio tem hj, afirmo com toda certeza que nem set o pirulito ganharia, em qualquer piso que seja. Fato!

    Responder
    1. Miguel Ângelo Pereira Delfes

      Plenamente de acordo..
      Estava pensando nisso hj..
      ND pode até conseguir mais GS mas RF é melhor q ele..fato..basta imaginar o contrário..ele c 32 e ND c 38..
      Talvez vejamos esta comparação n futuro e olhe q estes 3 são os maiores da história..vamos ver ND com seus 38 jogando c o melhor do momento..vai perder claro..imagina se fosse um RN ou ND ou RF da vida como RF tem feito frente a estes dois outros gigantes do tênis..atualmente.. d: )

      Responder
      1. claudio

        É óbvio que Federer é um gênio do esporte que transformou o tênis moderno isso é fato inquestionável, o único tenista que eu pagaria pra assistir na quadra. Se falarmos somente em jogador dentro de quadra, também é inquestionável que Novak foi superior a Federer em sua carreira como um todo. Uma grande mancha na carreira de Federer é o fato de ter feito sua coleção de Grand Slam contra adversários inexpresivos tais como, Mark Philips, Marat, 3 vezes Andy Roddik, Leiton Hewitt, Marcos Bargatis, Fernando Gonzalez, Andy, Robin Soderlin, Marin Cilic. Mesmo Federer estando no seu alge físico e técnico aos 28 anos, conseguiu apenas 5 Slam após Djoko iniciar.

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Realmente.

      Não consigo imaginar o Djokovic correndo dessa forma com uma idade tão avançada (38/ 39 anos)

      E sem muita, mas muita correria, o jogo dele não existe…

      Seria a mesma coisa do Federer jogar sem saque (rs)

      Responder
  15. Paulo Almeida

    Não vou responder a todas as jaguatiretes sem noção, mas o choro está muito engraçado como sempre! Hahahahaha!

    DjokoGOAT lobo comedor de fígados é o maior, melhor e mais completo de todos os tempos. Monstro sagrado.

    Idemo!

    Responder
  16. DANILO AFONSO

    Assisti a semifinal pelo whatchEspn dentro do banheiro do hotel com a esposa e crianças dormindo. Como aqui em Maceió o jogo começou 05h30, não poderia gritar, xingar e nem esmurrar o sofá. Parecia qu eu estava amarrado…kkk

    Quando vi o Suíço jogando muito no início do 1° set, não acreditava que aquilo estava acontecendo e comecei a lamentar dos vacilos do australiano Milman e principalmente do americano Sandgren que não tinham tirado o suíço na linha de colisão com NOVAK.

    Felizmente NOVAK abriu a caixa de ferramentas e salvou o meu dia.

    Incrivelmente nos ultimos anos as vitótias no tênis contra Nadal e principalmente contra o suiço me dão mais prazer do as vitórias do meu time nos clássicos no futebol.

    Responder
  17. José Eduardo Pessanha

    Dalcim, muito legal o vídeo da Clijsters apresentando os bastidores do circuito para a menininha Kenin, em 2005. A belga passeou com a garotinha para todos os locais de um determinado evento de tênis. Quem diria que a pequena estaria 15 anos depois disputando uma final de Slam? Pro enredo ficar ainda mais maravilhoso, só mesmo com a Clijsters entregando o troféu de campeã para a jovem.
    Abs

    Responder
  18. Vitor Hugo

    Roland Garros e u.s open são cartas fora do baralho para o suíço, então sua grande chance é vencer Wimbledon, onde dominou e surrou seus dois maiores rivais na última edição.
    Espero que não cometa erros de preparação ou equívocos para a preparação para o MAIOR e MELHOR slam de todos, onde é, sempre foi e sempre será o grande favorito pra vencer!

    Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Roger, avisa ao colega que quem venceu Wimbledon 2019 foi o sérvio. Ou eu entrei em coma, acordei agora e a ITF resolveu tirar o troféu dele enquanto eu dormia?

        Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Depende da época e do piso para uma avaliação correta, Ricardo. Obviamente Nadal levaria a melhor no saibro, Federer venceria na grama e no sintético rápido, Djokovic levaria vantagem no sintético lento.

      Responder
        1. DANILO AFONSO

          Não meu nobre !!

          A resposta do Dalcim você tem que contextualizar levando em consideração o calendário da ATP.

          Tendo em vista que a maioria dos torneios são disputados no sintético médio/lento e no saibro, NOVAK levaria vantagem no geral, pois no auge foi o único tenista capaz de vencer NADAL voando no saibro em todos Master 1000 e foi o adversário que mais exigiu do espanhol em Roland Barros. Claro que no geral perderia a maioria dos jogos contra o espanhol, como vimos na decada passada, mas levaria alguns troféus e mais pontos que o suíço que nunca teve capacidade de bater de frente com.o espanhol em nenhuma das temporadas.

          Na grama e piso sintético rápido sem dúvida DJOKOVIC estaria próximo do FEDERER, principalmente na grama, no sintético rápido teria um desvantagem grande de derrotas, os números de Cincinnati e Dubai (os mais velozes do circuito) constatam a supetioridade do suíço. NADAL ficaria bem atrás nestes pisos.

          No piso sintético médio/lento a briga sería mais acirrada, mas NOVAK levaria vantagem nos principais torneios frente aos outros dois oponentes, as estatísticas estão aí para confirmar.

          O Career Gold Master conquistado unicamente pelo sérvio e a pontuação recorde dele em 2015 e primeira metade de 2016 demonstram a versalidade do jogador mais completo que já pisou em uma quadra de tênis.

          Na soma dos pontos ao final de cada ano, NOVAK teria ligeira vantagem sobre o FEDERER, seguido pelo espanhol.

          Responder
  19. Nelson Maciel Filho

    O Djokovic é um jogador extraordinário que na maioridade das vezes ganhou do Federer sem jogar o seu melhor tênis. Ganhou de um Federer cansado e sem as condições físicas ideais. Temos que valorizar o empenho e amor pelo esporte do suíço, que continua jogando um tênis de alto nível com 38 anos. É um jogador extraordinário. Mas, deu a lógica. Se Nadal é o rei do saibro, Federer da grama, Djokovic é o soberano do Australian open.

    Responder
  20. Caio Cesar

    Boa noite, Dalcim.
    Quanto será que o Federer deve estar arrependido por ter feito as exibições no final de ano que tanto prejudicaram a sua pré-temporada?
    Teve a chave dos sonhos e não soube aproveitar. Se chegasse descansado a história poderia ser diferente.
    Ele tem a vida inteira pra fazer exibições, creio que não era o momento adequado.
    Grande abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Thiem precisa achar uma forma de diminuir a preparação dos seus golpes para a quadra mais veloz, e isso inclui devolver um pouco mais à frente. Zverev poderia trabalhar o forehand mas principalmente o deslocamento para a frente.

      Responder
      1. Paulo F.

        Pois é, grande mestre.
        Essa preparação excessivamente longa dos golpes de Thiem (como o hipotético finalista) pode ser fatal contra o Djokovic que aprofunda muito as bolas, não?

        Responder
  21. JAN DIAS

    Acompanhei a KENIN no AO do ano passado e já tinha ficado impressionada com o jogo dela… e também com o seu nível alto de motivação e confiança..

    Não vou ficar surpresa se ela ganhar esse AO e mais títulos futuros, porque ela tá jogando muito e atropelando todo mundo…

    Responder
  22. JAN DIAS

    Parabéns ao REI 👑 por ter jogado e lutado até o fim de suas forças, mostrando que, mesmo sem a vitória, ainda tem fibra e coração ❤ de campeão…👏🏻👏🏻

    Responder
  23. Vitor Hugo

    Não foi possível a terceira vitoria seguida, infelizmente!

    Fosse o contrário, Novak lesionado, cansado, 30% e com quase 40 anos com Federer voando, descansado, 100% e com 33 anos alguém arriscaria dizer o placar? Eu sim: Federer 6/0, 6/0 e 6/0 em 45 minutos de jogo.

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Vitor, em 2016 NOVAK bateu o Federer por 3 x 1 no Australian Open sem qualquer manifestação de lesão. Qual era a desculpa ? Federer tinha 34 anos ?? Kkk

      Em 2008, novamente também em uma semifinal, NOVAK venceu FEDERER por 3 x 0. Qual era a desculpa ?? Federer estava velho com 26 anos ??

      Pesquise antes para não passar vergomha meu nobre !!!

      Responder
      1. Ronildo

        E qual é a desculpa para Djokovic perder para um jogador de 38 anos como aconteceu ano passado?

        Você acha que Federer, quando foi número 1, perderia alguma partida para qualquer jogador de 38 anos?

        Não adianta dizer que ele não era número 1 porque os pontos tinham sido tirados antecipadamente 5 dias antes kkkkk, porquê na verdade estou falando do auge.

        Vou até mudar minha afirmação, tipo, desenhando para ver se consigo quebrar esta dissonância cognitiva:

        FEDERER, NO SEU AUGE, JAMAIS PERDERIA PARA QUALQUER JOGADOR COM 38 ANOS!

        Responder
    2. claudio

      Faz só 9 anos que o Suiço nao ganha de Novak em um Grand Slamd.
      Parece que o auge fisico de Federer só durou até os 26 anos, estranhamente no mesmo momento de Novak iniciou a carreira.

      Responder
  24. Vitor Hugo

    É incrível como o suíço mesmo baleado, 30 % da sua capacidade e tomando 3 x 0 ainda conseguiu fazer mais aces, winners e dar mais espetáculo que o adversário e 100% e cinco anos mais novo. É por isso que eu digo: Uma vez ameba-robozinho-bagre sempre ameba-robozinho-bagre…
    Como diz a Sônia: “Nunca serão!

    Federer é o maior e melhor disparado da história!

    Parabéns campeão!!!

    Responder
    1. JAN DIAS

      É isso aí Vitor!! 👏🏻👏🏻 Ele é excepcional, mas realmente não deveria ter feito as exibições na América do Sul em dezembro (aliás eu estranhei bastante quando ele anunciou isso).. podia ter descansado até o AO..

      Responder
  25. Rodrigo S. Cruz

    Resumo da Òpera:

    Se o Djokoivc pegar o Dominic Thiem, teremos um jogo.

    Mas se pegar o cabeça de geleia do Zverev, já pode comemorar o décimo-sétimo SLAM.

    Responder
  26. Luiz Fernando

    Outro detalhe que li aqui e gostaria de concordar: não dá pra assistir os jogos de bom humor ouvindo os narradores e comentaristas da espn. A exceção é o Roese. Os demais, inclusive a gata q eu sempre esqueço o nome, são de doer. Nardini e Meligeni fazendo muita falta…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, ele teria feito apenas 20%. Sinceramente, acho isso muito improvável dada a proximidade de Paris, Wimbledon, Olimpíadas e US Open.

      Responder
  27. Kauê

    Parabéns pela qualidade das análises durante esse Australian Open, Dalcim! Se o nível da maioria dos comentários não fosse tão ruim, seu blog seria o melhor do mundo sobre tênis. Hahaha! Mas ainda assim é meu preferido devido aos posts e aos comentários seus e de alguns poucos leitores.

    Estou impressionado com a campanha da Muguruza! Nunca vi uma campanha tão robusta quanto essa! Uma sequência com Rogers, Tomljanovic, Svitolina, Bertens, Pavlyuchenkova, Halep e Kenin é uma sequência de muita qualidade. Caso ela ganhe da americana e seja a campeã, terá batido três top 10 mais a Kenin (que será top 10 na semana que vem).

    Certamente já houve alguma campanha tão robusta quanto essa, mas eu não consigo me lembrar de algo recente. Você se lembra de alguma outra jogadora que já bateu três top 10 mais uma top 15 no mesmo Grand Slam e foi campeã?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Kauê. É uma campanha notável, não resta a menor dúvida. Mas não tenho essa informação. Vou pedir para a WTA e tento te responder. Abs!

      Responder
      1. lEvI sIlvA

        Dalcim, meu caro, não importa se ganhar ou não o AO. Pela lógica vigente aqui o Slam, só seria “parrudo” caso a Muguruza ganhasse do Djokovic…!!!!

        Responder
  28. André Barcellos

    Federer apareceu para dar a cara a tapa hoje. Como foi dito pelo próprio, pelo Djokovic e pelo Dalcim.
    Uma pena que os jogos de 5 sets hoje em dia o desgastem tanto.
    Não teve graça.
    E os Noletes comemorando o fato de levarem um jogo assim.
    Mesmo em perfeito estado seria difícil para o suíço, mas não impossível. Mas do jeito que estava, enfim. O fim está chegando.
    Ainda tem chances em Wimbledon

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Óbvio que nós comemoramos, principalmente porque o Federer não estava nenhum coitado em quadra. Jogou bem dentro das suas condições e vendeu caro a derrota.

      A propósito, se o GOAT Djokovic perder domingo com seus quase 33 anos, a desculpa de idade será a última a ser usada. Ele se desgastou pouco no torneio, terá 3 dias de descanso e a temperatura estará na casa dos 24 graus. Ainda terá a experiência e seu enorme talento a favor.

      O placar está em 10×2 em Majors desde 2010, caro freguês. Não tem muito o que você possa falar sobre isso, apenas aceitar.

      Responder
    1. Willian Rodrigues

      Torço contra Federer tanto quanto ou mais que você! Em quaisquer circunstâncias, não importando os adversários.
      PORÉM, também penso seguinte: um cara aos 38 anos de idade, “baleado” fisicamente, e ainda obrigando o n° 2 do mundo a jogar em seus limites, é algo sensacional!!
      Eu considero uma campanha muito digna, apesar da sorte-do-caral… £¥¥#&$* no desenvolvimento da chave!!
      Realmente, trata-se de um monstro, cujo abate só ocorre por meio de uma bala de prata + uma estaca de madeira cravadas no coração. PQP! Nao gosto, mas tenho que respeitar o que ele é como jogador.
      E não estou tão convicto assim sobre esse eventual 8° título do Nole. Tbiem e Zverev estão jogando muito.
      Se vier, será por meio de uma batalha!
      Creiam nisso…

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Pois é.

      Dessa vez não tem nem papo!

      Não só o Dalcim escreveu, como o PRÓPRIO Djokovic confirmou na entrevista.

      E quem entende ao menos uma lasquinha que seja de tênis reconhece a limitação evidente…

      Se em Wimbledon com o Federer inteiraço, ele perdeu nos detalhes.

      Imagine sem físico…

      Responder
  29. Marcelo-Jacacity

    O Djokovic precisa elevar o nível na decisão de domingo. Eu acho inusitado que a maioria esmagadora do pessoal acha que apenas o Thiem pode vencer o sérvio na finalíssima. Eu discordo, sinceramente, o Zverev é perigosíssimo e já venceu Novak até na decisão do Finals.
    Tanto o austríaco quanto o alemão representam ameaça real ao Djoker. Talvez o Dominic seja um adversário pior para o sérvio? Não sei.
    E quanto a semifinal amanhã? Não imagino quem possa vencer. Será um jogo de 5 sets? Acho que sim.

    Responder
  30. Marcelo-Jacacity

    O jogo entre o Big-3 é mental acima de tudo. Federer desperdiçou uma chance incrível com o Djokovic sacando em 0/40 no sexto game para sacar para o set em 5/1. Com um set na frente o jogo poderia ser diferente.

    Responder
  31. Paulo Almeida

    Federer só entrou em quadra porque tinha condições de vencer, sendo que amassar o sérvio e resolver o jogo o mais rápido possível era a estratégia. Funcionou bem no começo e o jogo poderia ter ido pro lado do suíço, mas Djokovic é Djokovic e só morre com várias pauladas na cabeça. Vendeu caro o segundo e o terceiro sets também.

    Portanto, a vitória de DjokoGOAT é mais do que válida e agora a contagem está assim: 27×23 no h2h, 11×6 em GS, 13×6 em finais, 13×11 em semifinais, 4×1 em finais de Slam, 7×4 em semifinais de Slam, 21×10 de 2011 pra cá, 10×2 em GS de 2010 pra cá, 8 anos sem conhecer derrota em GS ou 6 vitórias consecutivas. Fora que fechou a porta para continuar o maior campeão na Austrália.

    Fregueser fez vários pontos bonitos no jogo, mas o mais bonito de todos foi o 6×1 do Djoko com aquela contra-deixada de slice na rede. Monstro, talento puro.

    Responder
    1. Roberto Garcia

      É isso aí Paulo… engraçado que Federer estava voando no primeiro set, quando tinha vantagem unicamente por seus incríveis saques (e como ele depende do serviço pra ganhar alguma coisa) e dos vacilos de Nole… Bastou perder o primeiro set (Nole parou de respeitar) pra baixar a bolinha e começar o teatrinho das contusões e desculpinhas… Milonga total!

      Está aí a enorme diferença entre pegar jogadores comuns, que, literalmente, entregaram a partida pro bode (Pense em dois jogos suspeitos) e jogar contra o melhor jogador da história. Não tem conversa e o resultado é a surra tradicional

      Responder
  32. Alexandre

    Dalcim, boa tarde!
    Na minha simples opinião de telespectador e apreciador de um bom jogo de tênis, vejo o Thiem jogando um belo tênis e com mais chances de ameaçar o 17º slam do Djoko. Será que estou vendo demais? Será que o jogo do sérvio ainda está acima de qualquer ameaça real seja do Zverev, Thiem ou qualquer outro adversário?
    Abraços e parabéns pelo post, ficou ótimo!…

    Responder
  33. Feelog

    Dalcim,

    Qual a sua opinião em relação as pessoas odiarem o Djoko, sou fã dele, e não consigo ver de fato porque todo mundo é contra ele (90% da torcida hoje, comentarista/narrador ESPN). Na minha opinião Djoko é parecido com CR7 (mais força de vontade do que talento).

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O fato de as pessoas torcerem pelo Federer não significa que eles odeiem o Djokovic ou o Nadal. Ou ao menos não deveria ser assim. Não tem sentido. Não achei que o Ghem demonstrasse em qualquer momento ódio ou menosprezo ao Djokovic. E é natural que Federer tenha mais torcida porque ele surgiu antes, joga um tênis exuberante, é um bom moço e um bom exemplo.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Engraçado que Ghem foi acusado no dia anterior de ser fanático torcedor de Novak . Quem manda esses caras assistirem aos jogos pendurados na Whats rsrsrs . . O Ex-tenista é também um ótimo comentarista, a meu ver. Abs!

        Responder
  34. FERNANDO/MG

    Prezado Mestre, parabéns pelas postagens e por toda a cobertura do AO/2020 (parabenizando igualmente toda a equipe do Tenisbrasil), Mestre, os slices eram jogadas que incomodavam demais o Novak, mas parece que ele tenha suprimido essa deficiência, não tendo tantas dificuldades (embora ainda sejam visiveis) em devolver esses golpes, concorda?Finalmente creio que esse ano no AO, teremos um novo campeão de Majors, acho que o Thiem (passando pelo Zverev) leva esse título, sendo que, nos últimos cinco duelos contra o Novak, o austríaco ganhou quatro, aliado ao fato que o Thiem, já é bem rodado, disputou finais de GS, enfim tá acostumado e muito com grandes jogos…E parece ter a maturidade plena para conquistar esse merecido Título, concorda mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Thiem tem uma chance e, se o fizer, todos os méritos do mundo. Mas ele nem ganhou do Zverev ainda! rsrs… Não tinha sentido o Federer usar slices hoje, a não ser como pura variação ou defesa necessária. É uma bola que incomoda, sem dúvida, mas hoje ele precisa forçar o jogo de qualquer jeito.

      Responder
  35. Antônio Luiz Júnior

    Caro Dalcim, parabéns mais uma vez pela sua análise, muito clara, contundente e esclarecedora. Foi um jogo atípico a semifinal entre Federer e Djokovic. O suíço de fato, começou o jogo jogando muito bem e surpreendeu o sérvio. Os 25 winners desferidos contra 05 do rival dizem o que foi o primeiro set. Mas, para a surpresa de todos, quando sacou em 5/3 para fechar o set, o suíço travou de vez e não conseguia mais impor os bons saques, o mesmo ritmo e a variedade de golpes. Deu lugar a um Federer previsível, errático, e tenso, que deixou Djokovic voltar para o jogo, quebrando seu serviço, e levando o jogo para o tie break onde venceu com extrema facilidade. Quando Federer solicitou atendimento médico no vestiário, a derrota já estava sacramentada. E compartilho da sua opinião, mesmo que Federe tivesse vencido o primeiro set, ele teria perdido o jogo da mesma forma, acredito que por 3 x1, tal a superioridade física e a eficiência do sérvio na execução das jogadas.

    É preciso que fique claro, que Djokovic já entrou no Australian Open como favorito, mas a sua sorte no sorteio e principalmente a queda precoce de dois possíveis adversários (que possuem um tipo de jogo que muito lhe incomodam – (Bautista Agut e Tsitisipas), simplesmente esvaziou qualquer possibilidade de resistência por parte de qualquer tenista que ele defrontou durante o torneio, incluindo Roger Federer em condições física precárias.
    Torço muito para uma grande final contra Dominic Thiem por total merecimento do tenista austríaco. E apesar de Sacha Zverev estar fazendo um grande torneio, (conseguindo alcançar a semifinal de um GS pela primeira vez), Thiem já fez várias semifinais e duas finais consecutivas 2018 e 2019 em Roland Garros, contra o Rei do saibro, Rafael Nadal.

    Difícil prever o resultado dos dois próximos jogos. Tanto Thiem quanto Zverev possuem plenas condições de chegar à final. Será um jogo aberto, sem favoritos, e apesar do H2H de 6 x 2 do austríaco sobre o alemão, não consigo apontar um favorito para a partida. Torcerei pelo Thiem…

    Qual o seu palpite Dalcim?

    Responder
  36. Marco

    Djokovic vai ter que levar mt o nível para ser campeão, Zverev ou Thiem (acho que vai ser o austríaco) vão exigir bem mais dele.

    Ademais, sempre me pareceu que o Djoko jogava mais contra o big four do que contra os outros, só ver que mtas vezes ele chegava mais ou menos nas semis e só contra o big four engrenava.

    Detalhe que dos últimos cinco confrontos contra o Thiem o Djoko perdeu quatro, vai ser difícil. Seria melhor se fosse o Nadal..

    Responder
  37. Vitor Hugo

    Roger estava em situação pior que contra Sangren, 30% da sua capacidade, mas enfrentou um adversário um pouco mais qualificado. A derrota para mim não valeu de nada!
    Cada dia que passa Roger prova que é sem dúvidas o melhor jogador de tênis da história, disparado!!!

    Espero que Thiem ou Zverev, que tem um jogo mais agressivo ou vistoso que o bagre sérvio salvem o tênis das trevas!!!

    Responder
    1. Roberto Garcia

      O cara leva uma surra e comprova, assim, que é o melhor de todos os tempos? Imagina se ganhasse então…. Comentários sem noção nenhuma…

      Esqueçam os feitos do passado, admitam que o tênis tem um novo rei, muito mais regular, com muito mais determinaçao e muito mais força e resistência. Talento pode não ser o maior, mas compensa por ser o melhor em vários outros quesitos. É o mais completo e ponto final!

      Dá pra colocar Nadal como número 2, afinal, será outro que ultrapassará o aposentado em número de títulos de grande expressão… Porque em masters 1000 ele e o Djoko já passaram o bode há muito tempo.

      Agora as federetes vao torcer como nunca pra Dominic… Sao as Dominiquetes kkkk. Já aqueles que apreciam o tênis do sérvio, não precisam torcer para mais ninguém…

      Que venham mais conquistas, troféus e vitórias, em cima de adversários de peso, e não, em cima de pseudo lendas…Porque acredito que o aposentado nao encara mais nole… Deve estar cansado de apanhar

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        [Roberto Garcia]
        30 de janeiro de 2020 às 20:43

        “Esqueçam os feitos do passado, admitam que o tênis tem um novo rei, muito mais regular, com muito mais determinaçao e muito mais força e resistência”.

        Exatamente.

        Regular, resiliente, determinado e forte.

        E ficou faltando só mais um adjetivo aí:

        CHATO pra cacete!

        Confesso que mesmo vendo o Federer cair de rendimento, a parte mais legal da partida foi ver ele fuzilar o sérvio de winners no primeiro set:

        26 a 10.

        Responder
  38. Daniel

    Uma vitória por 3 a 0 do Djokovic era esperada e obrigação do sérvio. O que não era esperado é que um Federer quase quarentão, cansado e lesionado fosse colocar o sérvio no bolso por quase 1 set rs. Se fosse o inverso, com certeza o Federer aplicaria um pneu ou o Djokovic pediria pra sair antes disso rs. Aí vemos a diferença de nível entre os dois.

    Enfim, Djokovic soube aproveitar a chave fraca e o Federer cumprindo tabela na semi e tá na final. Agora acho que ele deveria torcer pra Zverev e Thiem se matarem na outra semi. Pq se o Thiem chegar bem fisicamente na final, a entubada no Djokovic dependerá só dele. Tá jogando muito e tem um estilo muito interessante e agradável de ver! Tomara que dê um destino melhor ao torneio.

    Responder
    1. Jonas

      Chave fraca? Ri alto agora kkkkkkkkkkkkk cara é sério?

      Millman, Sandgren, Krajinovic, Fucsovics???? kkkkkkkkkkkkk só pode ser zueira. Que chave a do Fregueser hein kkkkkkk.

      Responder
  39. Miguel BsB

    No masculino, surpresa nenhuma. Por mais que incomode muita gente, Federer está há 8 anos sem vencer Djokovic em Slams…Se jogou ainda com problemas físicos, aí a chance é muito diminuta mesmo.
    Mas, sem dúvidas, torcerei pro Thiem ser campeão desse AUSopen. Para isso, terá que desbancar 2 dos 3 Big 3 mais novos, o que é um dos maiores feitos do tênis…
    Se for campeão, segurem ele em RG porque pode ser até capaz de desbancar o Touro por lá.
    Mas, se for Zverev, vou com ele tb pelo bem da troca de guarda e porque prometeu doar todo o prêmio para as vítimas dos incêndios na Austrália. (Quando ele disse isso na 1ª rodada, pensei em brincar e comentar que ele só prometeu pq sabia que não iria ganhar. Quem diria que está a 2 vitórias de realmente doar a premiação?) rs Nem o Sérgio, o maior defensor do alemão aqui no blog…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pois é , nem eu. A maneira que ele dominou STANIMAL depois de 1 x 6 no primeiro Set , foi de impressionar. No quarto Set se deu ao luxo de por em jogo sem ir pra Ace dominando as trocas até de Forehand. Inacreditável. Segundo meu filho a culpa é da nova Super Gata de shortinho que está em seu box rsrsrs. Se Dominic não abrir os olhos pode ser jogo pra 4 horas . Pra alegria total do Servio rsrs Abs!

      Responder
  40. Joao M P De Faria

    Ficam todos os repórteres e comentaristas buscando justificativa para as derrotas do Federer. Ele até menos que estes comentaristas. Palavras do Federer : “Estou confiante e feliz com a forma como estou me sentindo, para ser honesto”. Parem de bajular o homem!!!

    Responder
  41. Paulo F.

    O Marquinhos Renato Johnny Vitor Hugo se agarra a míseras diferenças de 02 jogos para chamar o Djokovic de freguês de Roddick, Kyrgios e etc.
    O quê está sobrando para Roger Federer em relação ao próprio Novak Djokovic então?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E você consegue ser PIOR do que o Marquinhos!

      Contabilizando um jogo como esse em que o Federer jogou sem físico.

      Se bem que pra quem afirma que Wimbledon 2019 foi o mesmo que Federer x Sandgren…

      De você podemos esperar tudo!

      Responder
  42. Antonio Gabriel

    Dalcim, a se considerar o adversário da final, acredita que Djoko terá que melhorar seu rendimento pra final, ou o que ele esta jogando ja esta de bom tamanho ? Grande abraço e parabens pelas análises.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Cada adversário exige uma adaptação, Antônio, e acho que especialmente o Thiem vai exigir grande consistência da base. Contra Zverev, a questão maior será a devolução e imagino um pouco mais de agressividade, já que o alemão não se defende tão bem. No geral, acho que Nole está jogando bem o bastante para qualquer um dos desafios.

      Responder
  43. Marcelo

    Dalcim,

    Reparou no peso desta final para o Djoko? Se vencer:

    -Retoma o número 1 e fica com grandes chances de igualar a marca do Sampras, com 6 temporadas finalizadas como #1, e quebrar o recorde das 310 semanas do Federer;
    -Fica 2 slams atrás do Nadal e 3 atrás do Federer.

    Ainda, este ano ele pode alcançar o Nadal em número de slams, igualar o Federer em títulos do atp finals e passar o Nadal em títulos de M1000. Nem contei o fato dele ter vantagem nos confrontos diretos com estes dois.

    Acho que o mais difícil será igualar o Federer e o Nadal em slams (esse ano, ao menos), mas ele me parece no caminho de bater os recordes do Federer e colocar mais lenha na fogueira do melhor de todos os tempos. Ainda gosto mais do Federer, do estilo de jogo, da plasticidade.

    Para os fãns do Nadal, acho difícil ele entrar nesta disputa sem levar 1 único atp finals e ficando em 6o na lista de semanas como #1.

    E, mais uma vez, parabéns pelo excelente trabalho no blog, o melhor não só do tenis, mas da área esportiva.

    Abraços.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Marcelo não seria melhor aguardar o término das 3 carreiras para dizer isso ou aquilo com certeza? Pelo teor do seu comentário vc parece achar q Djoko vencerá quase tudo e os outros dois quase nada de agora em diante, vamos com calma…

      Responder
  44. Valmir

    Djokovic não jogou bem.
    Ganhou por conta do desgaste e da dificuldade que o Federer tem em jogar contra ele, principalmente nos Slams.
    Se jogar assim contra o Thiem… perde!!

    Mas… sabemos que ele joga cada jogo de uma forma… de acordo com o adversário.

    Espero que ocorra uma repetição da ATP Cup… venceu o Medvedev de forma cambaleante na semi…. e arrasou o Nadal na final.

    Responder
  45. Jmsa

    Dalcim,na sua opinião,porque o tênis feminino tem mais variedade de finalistas e novas finalistas de grand slam do que comparado com o masculino.?
    Seria porque elas amadurecem mentalmente mais cedo ,ou talvez o tênis feminino esteja se tornando homogêneo sem muita variação nos golpes ou motivo seria que estamos presenciando talvez a geração masculina dos três maiores de todos os tempos ?
    Como sempre excelente post.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que você respondeu corretamente sua própria pergunta, Jorge. Não há uma figura dominante no circuito feminino depois da baixa da Serena, e isso deixa tudo mais aberto. O masculino tem esse triunvirato que domina todos os pisos e os números, sem falar que Slam é melhor de cinco sets onde os atributos ficam ainda mais exigentes.

      Responder
  46. Valmir

    Semifinais do Australian Open… 2008 a 2020… três décadas diferentes….

    2008 Djokovic 3 x 0 Federer (então campeão – 26 anos)

    2011 Djokovic 3 x 0 Federer (então campeão – 29 anos)

    2016 Djokovic 3 x 1 Federer (2 sets em 53 minutos)

    2020 Djokovic 3 x 0 Federer

    Já é a terceira década que eles se enfrentam na semi do Australian Open…. e Federer continua apanhando… recorde imbatível !!!

    Acumulado das semis …. Djokovic 12 x 1 Federer

    Federer o.. GOWNED All Time… maior freguês… dos 26 anos 38 anos em uma mesma fase de um mesmo Slam.

    Dá para entender a tremenda admiração dos freguesistas… marca insuperável !!!

    Responder
      1. Valmir

        O assunto é sobre… semis da Austrália… conte os sets e você verá o acumulado de 12 x 1… uma lavada em três décadas.

        Como diz o ditado do arco da velha… adaptado para o tênis…
        … para bom entendedor… meio set… ou… meio game… bastam !!!

        Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Olha, eu acho que perder dois Slams para Murray e dois para Wawrinka é 1 milhão de vezes mais vexatório do que isso. É uma vergonha absoluta para alguém que postula (e ficará a ver navios) ser o maior de todos.
      Abs

      Responder
  47. Paulo F.

    Estão dando como certa a derrota do Djokovic na final, pois acham que será muito difícil para ele derrotar Thiem ou Zverev.
    Mas, se fizerem o raciocínio inverso, não será difícil TAMBÉM para Thiem ou Zverev derrotar o Djokovic?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Endoidou de vez, parceiro?

      Quem é que está dando como certo isso?

      (só se for o Ronildo kkk)

      Lógico que o sérvio é o favorito, mas que o Thiem representa bastante perigo, isso não se discute.

      Basta ver o jogão que eles fizeram no ATP finals…

      Responder
      1. Ronildo

        Eu mesmo kkkkk

        O maratênis do Djokovic aos 32 não é páreo para a versatilidade e a juventude do Thiem com 26.

        Se Thiem tivesse 38 como o Federer, daí sim, eu apostaria no Djokovic.

        Responder
        1. Jonas

          Que bela análise. Você concluiu isso devido às inúmeras vitórias do Thiem sobre o tal de Djokovic em Grand Slams durante 8 anos não é!? Ah não, pera…

          Responder
  48. JHONNY

    Sobre os narradores da ESPN concordo com o pessoal eles são ruins demais, ontem aconteceu o lance de ficarem crucificando a juíza por cumprir a regra contra o Nadal hoje em um lance federer mandou uma bola onde ouviu-se claramente OUT eles elogiando a bola do federer ao sacar ele me fala 30 x 15 ao invés de 15 x 30 e somente no outro ponto corrigiram. Eu que achava o Meligeni e o Nardini um saco começo a sentir saudades kkk.

    Responder
  49. Nattan Lobatto

    Deu lobo devorador de Touro e Leão!!!

    Em primeiro lugar gostaria de parabenizar o Leão da Montanha e sua imensa torcida. O suíço tá de parabéns só pelo fato de ter entrado em quadra com o desconforto na virilha, deu a cara a tapa e quase leva um set no talento…

    A alegria não cabe no peito de saber que Nole fará sua 26ª final, a quinta nos 7 últimos Slam’s… Entrou hj jogando de forma burocrática, certamente por saber do desconforto do helvético, mas quando sentiu cheiro e gosto de sangue botou devorou até a alma do adversário, mostrando com letras maiúsculas o pq de ser o próximo postulante a GOAT…

    No mais, reforço minha admiração por Roger Federer, O Cara que nunca abandonou uma partida… Abs, srs!!!

    Responder
  50. Leandro

    Mais um slam para manter Nadal ou djoco no topo, Federer em seguida para ser derrubado….e recuperar grandes raonics e batistas da vida….e o show do kigriios….

    Década das trevas, só faltou o nishikori voltar ao top dez…

    Agora voltam os torneios atp e as crianças com 20 anos de idade voltam a dominar um pouco

    Slam virou torneio de velho batendo em guri… só faltou o wawrinka .

    Que fase

    Responder
  51. Ricardo - DF

    Acho que vai dar Thiem na final. Vai ser um jogão, pois o Thiem e o Djoko estão voando.

    O mais difícil para o Djoko, naturalmente, seria Wawrinka. Impressionante como o sérvio vacila diante dele.

    Responder
  52. Rafael

    Mestre, como sempre seu blog é extraordinário. Sempre aguardo os pós jogos!
    Mestre, você acredita mesmo que o Thiem ou Zverev terão condições de bater o Djoko? Se sim, qual deles?

    Responder
  53. Maurício Luís *

    Agora com a queda do Nadal, vai ter gente aqui dizendo que o Slam não é mais tipo “Rambo”. Ficou franzino, à la Woody Allen. Ora PINTONDAS, que culpa tem o Djoko que o Thiem derrubou o garoto-propaganda da fábrica de balões?

    Responder
  54. Ricardo - DF

    Dalcim,

    há pouco mais de um mês o Federer venceu categoricamente o Djoko no Finals. Um jogo sólido, sem dar chances ao sérvio que, aliás, jogou sem nenhuma restrição física. É impressionante, quando Federer está afiado e não erra os golpes de fundo de quadra, o sérvio não tem chance.

    Assim, mesmo com as restrições da idade, Federer consegue elevar o jogo dele a um nível que lhe permite bater tanto Nadal quanto Djoko.

    É admirável, por que a idade não afeta apenas a resistência do jogador. A velocidade, explosão muscular e reflexos ficam mais lentos. Tudo fica mais difícil.

    Hoje mesmo, Federer iniciou dominando o jogo. Mas, na hora H, parece que o que interfere mais é o mental. Depois de sacar maravilhosamente durante todo o primeiro set, no game decisivo o suíço não acertou nenhum primeiro saque, fundamental contra um adversário como o sérvio.

    A pergunta é: o problema do Federer ainda é mais mental do que físico ? Do Big3 ele é claramente o que tem o mental mais instável.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro que tem muito de mental, Ricardo, mas logo no primeiro game Federer não foi tão bem assim, e correu riscos com o saque. A limitação física do Federer se dá se a partida for muito exigente nesse aspecto. Veja que ele não sentiu esse desgaste todo na longa final de Wimbledon, porque lá os pontos podiam ser mais curtos.

      Responder
  55. Rafael Azevedo

    Alguém disse há uns dias atrás: “Federer, o Djoko não vai desperdiçar 7 match points….”.
    De fato, fechou no primeiro!

    Mas, o negócio é mais além: “Federer, você pode ter 7 match points (ou set points), 3 break points seguidos, 5-3 e saque, contra o Djoko e desperdiçá-los…”

    Responder
  56. Rubens Leme

    O primeiro set me lembrou a final de Roland Garros, em 2011, quando Federer fez5/2, perdeu um ponto besta na rede, Nadal virou para 7/5 e depois fechou em3x1. Após a derrota do primeiro set, deixei no placar comentado do Dalcim pra ver quais seriam as parciais do 3×0.

    Vai ser difícil o sérvio ser parado pelo Thiem e ele pode entrar pra lista, ao lado de Borg, Sampras e Nadal, como o único tenista a disputar seis finais ou mais de um mesmo Slam e vencer todas.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Lembrando sempre que o “ Rei dos Reis “ jamais venceu o AOPEN e muito menos o USOPEN. Neste disputou 4 Finais e perdeu TODAS. 2 pra Connors, 2 pra McEnroe. Que dureza ! Abs!

      Responder
      1. Miguel BsB

        Imagino que ele esteja se refetindo à Barty…
        Realmente ela não é uma mulher bonita( para o meu gosto), mas tem o jogo mais bonito da WTa atual.

        Responder
  57. Matheus Lago

    Merecida a vitória do sérvio, conseguiu elevar o nível no momento apropriado e balançar o Federer do fundo de quadra.
    Federer jogou muito bem para alguém que passou por problemas físicos no último jogo e no antepenúltimo também. Creio que O problema do Federer, ao menos o principal, não foi físico.
    No feminino, surpresa a Kenin ter chegado na final, já gostava dela quando eliminou a Serena em Roland Garros e agora gosto mais ainda após eliminar a Barty e do outro lado, Muguruza volta a ter boa campanha em Slam; na final, torcida pela Kenin, mas também vou gostar muito se a Muguriza for campeã.

    Responder
  58. Juninho Fonseca

    Dalcim…vc acha que a turnê de exibições do Federer no final do ano…mais a viagem a China no começo desde ano,possa ter prejudicado a preparação do suíço??…eh óbvio que prejudicou né?…eh brincadeira o Federer fazer essas exibições em detrimento de uma melhor pre temporada…… deixa p fazer essas mer** de exibições quando se aposentar……. véio gagá!!…kkkkk

    Responder
      1. Nando

        Mestre, pegando um gancho nisso aí, não acha q ele poderia fazer uma “pequena pré-temporada” agora, já q até Dubai teremos 25 dias pela frente? Pra amenizar o tempo perdido com essas exibições?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Não sei se seria conveniente agora voltar atrás e fazer preparação física, por exemplo. Acredito que ele vai deixar isso para o período entre Miami e Roland Garros.

          Responder
      2. Juninho Fonseca

        Eu não vi nenhum repórter perguntar isso diretamente o ele….pessoal tem um medo do Federer tb!!..kkkk..eu tô puto com ele por causa dessas exibições!!

        Responder
  59. Rafael Azevedo

    Dalcim, já vi diversos comentários de ex-jogadores, torcedores e jornalistas esportivos afirmando que cada membro do big 3 é uma motivação para os outros 2. Rcentemente via alguém dizer que enquanto o Federer não se aposenta, o Djokovic continuará motivado…
    Então, de repente, eu tentei imaginar que o circuito com o Federer aposentado. Me parece bem possível que o Djoko e, principalmente, o Nadal começassem a cair no ranking e, pouco depois, também se aposentassem.
    Você acha que será assim? Quando o primeiro se aposentar, não durará muito para os outros 2 ir pelo mesmo caminho?
    Ou seja, 1 continua atuando em alto nível apenas porque os outros 2 ainda estão na ativa.

    Responder
  60. Rafael Azevedo

    É um fenômeno esse cara. A forma como ele vem vencendo Federer e Nadal é assustadora.
    A capacidade que ele tem de virar um set é inigualável.
    E, nos tiebreaks, ele é o melhor disparado. Ele pode não ter o melhor percentual de vitórias em tiebreaks ainda, porque deve ter perdido muitos no início e meio da carreira. Mas, considerando os últimos 2 anos, ele deve ter vencido uns 90% dos tiebreaks.
    De todo jeito, estou torcendo para o Thiem nesse torneio. Gosto muito da ousadia do austríaco.

    Responder
  61. Chetnik

    Federer voando em quadra, sacando como nunca e disparando winners. Como eu havia antecipado, teatro ridículo e canastrão aquele das quartas.

    Aliás, como o cara consegue perder um set fazendo 26 VINTE E SEIS winners? Kkkk. Deve ser algum novo recorde. O bode sempre quebrando todos os recordes do tênis, kkkk. Federer campeão moral do jogo kkkk.

    Responder
    1. Gildokson

      Como tu consegue ignorar tudo que foi dito no post do Dalcim e pelos próprios tenistas após o jogo? Tu não deve nem ler, deve ir direto pra barra de comentários soltar essa fossa ambulante que são teus textos.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Pelo mesmo motivo que o sérvio consegue vencer o set fazendo ridículos DEZ

      kkkk

      Maratênis e mediocridade!

      Perceba o tanto que o jogo do sérvio é pobre no quesito “espetáculo” :

      Ele teve menos break-points, menos aces, quase UM TERÇO dos winners do suíço, e o que é pior:

      o saldo entre winners e erros diretos do sérvio foi de 11-10 = 1.

      O saldo do suíço foi de 26-19= 7.

      O que significa que boa parte do resto dos pontos que o sérvio se sobressai é a mesma porcariada de sempre:

      erros-forçados ganhos no deslocamento do adversário…

      Ah!

      E desta vez, um adversário baleado, né? (não custa lembrar).

      Responder
    3. Sérgio Ribeiro

      Realmente você se supera. Em nada acrescenta e não sabe rigorosamente nada da matéria. Ao menos leia o Post. O deslocamento lateral do Suíço estava totalmente comprometido. O Sérvio teve a hombridade de reconhecer. Já Novak parece pronto pra levar mais um. Abs!

      Responder
  62. Roberto Rocha

    E segue esse inacreditável sérvio em sua jornada para um local de destaque na cabeceira da mesa do Olimpo do Tênis…
    Nadal e Federer só voltam a vencer Majors se Djokovic cair antes. Porque vencer os 2 tornou-se algo banal para ele.
    Torcerei pelo Thiem. A sua evolução é notável, merece a recompensa de uma vitória marcante. Só não vale aparecer alguém aqui dizendo que se Thiem vencer significará vitória da nova geração. Com 26 anos, o austríaco não pode mais ser classificado como “nova geração”. Esse título pertence a Zverev. Se ele vencer o torneio, então parabéns! A Nova Geração terá finalmente triunfado!
    Mas duvido que Dkokovic perca esse título.

    Responder
  63. Chetnik

    O que eu mais gosto no Djoko é que ele é sádico, kkkk. Ele adora brincar e fazer jogo com o cérebro de geleia da bailarina, kkkk. O cara vence de todo jeito, 40-15, atropelando, virando, jogo duro, começando mal, começando bem, salvando set point, salvando match point, jogando mal, jogando bem, no TB, sacando primeiro, sacando depois, perdendo o saque na hora de fechar, salvando o saque na hora de perder, etc e etc. A forma a gente nunca sabe qual vai ser, mas o resultado é o mesmo de sempre, kkkk.

    Eu fico imaginando os zumbis dando pulinho, gritinho e soco no ar com o início do jogo. O exterminador sádico adora bagunçar o mental já fragilizado dessa turma, kkkk. No final só sobram soluços e balanço negativo da cabeça: “de novo, meu Deus, de novo! Por quê? Por quê?”, kkkk.

    6 TB SEGUIDOS, sendo QUATRO em GS, kkkkk! Que rei dos TB esse bode, hein! Kkkk.

    QUE DÓ QUE DÓ KKKKK.

    Responder
  64. Thiago FR

    Que comece o chororo dos Federetes e a justificativa de que jogou machucado…machucado 3×0, 100% fisicamente seria 3×1 sendo bonzinho com o suiço…
    CHorem na cama que é mais quentinho…e domingo acordem cedo para secar o futuro recordista de slam.

    Responder
  65. Chetnik

    Eu avisei, zumbis, mas vocês se iludem com jogo de grupo de Finals, kkkk. Não aprendem nunca, kkkk. Jogo grande é para jogador grande. Resultado mais óbvio do mundo.

    11×6 em GS. Que surra, kkkk. Há quantos anos o bode não vence o Djoko em GS? Kkkk.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Comentários nobres também é para pessoas nobres, o que não é o teu caso.

      kkkk

      “jogador grande”, essa foi boa.

      O cara tem 20 Grand Slams é não é jogador grande… kkkk

      Responder
  66. Rodrigo S. Cruz

    CITAÇÕES:

    “Claro que vamos ler aqui diversas desculpas. Mas ficou claro que o problema do Federer não era físico ” ( Jonas Hoffman)

    ” Pela mobilidade reduzida e a dificuldade de executar o fundamental forehand, não acredito que a perda do primeiro set iria alterar o vencedor da partida, porque o caminho sob 33 graus – o jogo começou com sufocantes 36 – era longo demais para uma lombar dolorida e as chances de Federer estariam em manter um tênis de risco muito elevado e pontos curtos ” ( José Nilton Dalcim)

    ” Djokovic conseguiu se aprumar ainda no 1° set e Federer, no segundo e terceiro sets, já apresentava sinais nítidos de perda da capacidade de locomoção. Isto é fatal jogando contra o sérvio (…) ainda que alguns dos seus admiradores insistam em não entender os seus motivos e cheguem a ter o desplante de suplicar que ele ou abandone torneios onde não possa render o seu máximo ou, ainda pior, que pare de jogar para não comprometer as estatísticas de sua carreira. Roger não é covarde e é muito maior do que o quê aspiram seus fãs mais radicais”. (Barocos)

    “Roger claramente estava machucado e não na sua melhor movimentação”. (Novak Djokovic)

    Estou confuso!
    Qual pensamento tem mais credibilidade, né? kkkk

    Responder
    1. Jonas

      No primeiro set o Federer estava indo pra TODAS as bolas, e acertando. Fez vários aces e winners.

      “Roger Federer me surpreendeu, ao fazer um começo de partida muito consciente de suas limitações. Forçou o saque, tentou definir pontos, soltou o backhand, fez voleios mágicos e, de repente, o primeiro set estava em suas mãos diante de um adversário inesperadamente acuado.”

      O Djokovic nem entrou em quadra no primeiro set. Não é tão simples jogar contra alguém com suspeitas de lesão. Vide Wawrinka contra o Nadal no AO 2014.

      Mas o Djoko exaltou o Federer no final e admitiu que estava bem nervoso no primeiro set. Pressão toda em cima dele e havia a obrigação de ganhar.

      Enfim, jogou mal e venceu. É algo rotineiro cara…2012 já faz um bom tempo. O Djokovic se tornou mais jogador, paciência.

      Mas se jogar mal assim na final, perde pro Thiem.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Admitiu nervosismo e.

        admitiu TAMBÉM que o Federer se locomovia mal e tinha mesmo problema… ( não adianta omitir)

        Ou seja, até o Djoko é capaz de admitir o óbvio.

        Menos os membros da sua seita…

        Abs.

        Responder
        1. Ronildo

          Completamente isento Luís Fernando. Veja como estou acertando direitinho minhas projeções com respeito ao Nadal. Só falta o Djokovic entrar no ritmo declinante agora. Vamos observar domingo.

          Responder
  67. Washington Resende

    É o Federer mostrando que ainda não é hora de parar. E o Djokovic mostrando que pode quebrar muitos recordes no tênis. Difícil mesmo está sendo acompanhar o jogo na ESPN com um narrador que deve ser mais afeito ao futebol. Narrar 40 A no iguais, fiscal de linha, além de outras pérolas é demais pra qualquer um. Volta urgentemente, Fernando Nardini.

    Responder
  68. Alessandro Siqueira

    Djokovic não perde em Slam para Federer desde Wimbledon em 2012. À época, o sérvio com 25 recém completados e o suíço com 30. Roger fez 31 no agosto seguinte e nunca mais ganhou partida de 5 sets de Novak. Portanto, não dá para colocar tudo na conta da idade. Nadal já faturou 5 slams depois dos 30 e não criou qualquer bloqueio quanto a adversário A ou B. O mesmo deve ser dito de Nole, que pode completar o 5° Slam na mesma condição.

    Responder
  69. Barocos

    Belo texto Dalcim.

    Minha opinião já deixei registrada na matéria passada. Acho ambos os tenistras espetaculares, tanto pelos golpes quanto pelo que nos mostram as estatísticas.

    Curioso que hoje na BBC saiu uma reportagem sobre um treinador americano, Vince Lombardi, a quem atribuem uma máxima que resume bem o que se vê no Federer: “Winning isn’t everything, the will to win is everything.”.

    Estou terminando de computar algumas estatísticas sobre o Big 4, mais especificamente sobre a dominância deles sobre os outros atletas do circuito, ou seja, sobre o percentual de vitórias de cada um quando descontadas as partidas entre eles. Djokovic pula na frente de Nadal e Federer segue em 3° nesta abordagem. De qualquer forma, o que mais me interessa é saber o quão dominantes eles se tornaram após o “período de amadurecimento” que eu arbitrariamente fixei como sendo após a conquista do 1° slam.

    Segue o jogo.

    Ajde, Djokovic!

    Responder
  70. Paulo

    Dalcim, primeiramente, parabéns pelas excelentes análises no blog.
    Pergunta: Entre Djokovic e Nadal, quem tem melhor capacidade de leitura de jogo e mudança de estratégia em decisões?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que os dois estão muito próximos desse quesito, Paulo. Nadal é excelente na leitura do jogo e Djoko tem muita capacidade técnica para mudanças necessárias.

      Responder
  71. Gildokson

    Dalcim, acabei de ver a entrevista press conference do Federer (aliás vi a do Djoko também) e mesmo não sendo fluente em inglês pelo que entendi Federer disse achar ter ao menos uns 30% de vitória. A pergunta é. O quanto você acha que pesa numa hora dessas na cabeça do jogador o fato de ter um público esperando pra ver esse jogo, patrocinadores, televisão, promotores do evento etc? Você acha q numa hora dessa vem um diretor incentivar o tenista a jogar ou isso não acontece? Ou de fato Roger achou que valia se sacrificar pela importância do que estava em jogo?

    Responder
  72. JHONNY

    Na minha opinião de Leigo, Federer realmente não estava 100% fisicamente, porém longe de esta atuando com algum problemas físicos, mais o cansaço das duas maratonas, mais a possível dor da lesão mesmo em grau menor, tornou uma barreira intransponível para Federer vencer Nole (aposto que ele venceria a maioria dos tenistas do circuito do jeito que esta).
    E se Thien ou Zverev não seguirem o exemplo de Medev no USOPEN ano passado, a idade mais a falta de experiência vai ser um facilitador pra Nole ganhar o 17º GS.
    Eu que comecei a torcer de fato pro nole em 2011, quando ele faturou o 2º GS ai mesmo na Austrália, e que o me rendeu uma raquete aqui no blog fico feliz em saber que alcançar e ate passar a maioria das marcas de Federer hoje não é utópico mais sim uma chance real.

    Responder
  73. LEO PIO

    Mestre, concordo com sua avaliação sobre o primeiro set… acho inclusive que numa extensão do jogo a 4 sets, Federer não aguentaria e provavelmente perderia feio.
    Ainda sobre o suiço: como imagina que ele organizará a temporada? jogará ainda menos do que ano passado? focará na Olimpiada e evitará o saibro?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele já disse que jogará apenas Roland Garros no saibro, mas não descarto um outro preparatório. Acho que vai manter um calendário bem parecido, Leo.

      Responder
  74. Jonas

    “Djokovic pode conquistar seu quinto Slam após completar 30 anos”

    Leram essa Federetes? Para alguns (inclusive o Federer) ainda há muita lenha pra queimar após os 30.

    Responder
  75. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,qual sua análise sobre federer no australian open?Copo cheio porque não tinha feito torneio preparatório e jogou lesionado contra o Djokovic?Ou copo meio vazio porque sofreu muito contra tenistas de ranking bem inferior(sandgran e millman)?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *