Thiem e Zverev derrubam os campeões
Por José Nilton Dalcim
29 de janeiro de 2020 às 13:32

A nova geração levou a melhor sobre os ‘trintões’ no complemento das quartas de final do Australian Open e farão uma semifinal toda renovada. Caíram aliás dois campeões de Melbourne: Dominic Thiem ganhou um jogo de detalhes, força bruta e muitas emoções diante de Rafael Nadal, o vencedor de 2009, e Alexander Zverev virou em grande estilo sobre Stan Wawrinka, ganhador de 2014. Assim, mantém-se a expectativa do primeiro triunfo peso pesado da Next Gen, ainda que do outro lado estará Novak Djokovic ou Roger Federer.

Seria justo dizer que o set-point perdido por Nadal no primeiro set, que lhe daria um folgado 6/3, pode ter influenciado todo o andamento da partida. Thiem ainda não tinha adquirido toda a confiança – a quebra sofrida foi um momento ruim – e via um espanhol cheio de surpresas, com saque-voleio, contrapés e devolução mais perto da linha. O austríaco se agigantou com a chance recuperada e daí em diante deu um show com seus golpes pesadíssimos, precisos e ousados.

O segundo set foi quase uma repetição, com Rafa outra vez quebrando antes, cedendo empate e sendo dominado no tiebreak pouco depois de salvar um set-point. E tudo isso sem que Thiem usasse todo o poder de seu serviço. Mas contra Rafa nada está garantido até a última bola, e o espanhol manteve a cabeça no lugar. Esperou a primeira brecha para fechar o terceiro set. Thiem jogou muito para quebrar no terceiro game do quarto set, manteve a vantagem até sacar para a vitória. Aí bateu o nervosismo, errou forehands bobos enquanto Nadal espertamente enchia a bola de spin apostando na ansiedade do oponente.

O terceiro tiebreak foi ainda mais interessante. Nenhum dos tenistas segurou o saque nos cinco primeiros pontos, e Nadal poderia ter chegado a 4-1. Ao contrário, foi Thiem quem fez 4-2 e aí ganhou um ponto totalmente improvável: caiu na quadra, levantou-se e rebateu ainda duas bolas antes de Nadal mandar um backhand para fora. Mas não seria o fim. Com 6-4, Thiem perdeu o match-point com um forehand incrivelmente fácil de meio de quadra. Nadal salvou outro e foi impossível não lembrar Federer da véspera. Porém com o saque na mão, o espanhol falhou e aí seria pedir demais que o já tão experiente Thiem deixasse outra chance tão preciosa escapar.

Esta foi apenas a segunda vez que Nadal precisou jogar três tiebreaks numa mesma partida de Slam, mas na anterior conseguiu ganhar um deles na vitória sobre Fernando Verdasco rumo ao título do Australian Open de 2009. Quatro jogadores já haviam tirado dois tiebreaks dele (Federer, Isner, Darcis e o próprio Verdasco).

Com 59% de primeiro saque em quadra, Thiem ganhou mais pontos do que Rafa devolvendo o primeiro serviço (31% a 22%). Fez 65 winners contra 49, mas 49 erros diante de 33. Era o que tinha de fazer para chegar à quinta vitória geral sobre Nadal, a primeira em Slam (1-5 agora) e na quadra dura.

Dado muito significativo levantado pela ATP mostra que Thiem venceu 7 dos 9 duelos diante do Big 3 nos últimos 12 meses, o que inclui 3-0 sobre Federer, 2-1 em Djokovic e 2-1 contra Nadal. Desde o começo de 2018, sua marca também é positiva com 9 triunfos em 15 confrontos: 3-1 sobre Federer e Djokovic, 3-4 frente Nadal. Soma agora 11 triunfos nos 14 duelos mais recentes.

Ao atingir sua quinta semifinal de Slam, a primeira fora de Roland Garros, o austríaco de 26 anos também anota sua quarta vitória da carreira em cima de um número 1 em 12 tentativas, sendo duas sobre Nadal e uma diante de Djoko e de Murray.

Como todo mundo sabe, Nadal adia o sonho do 20º troféu de Grand Slam para Roland Garros e outra vez falha na tentativa do bi na Austrália, o que o tornaria o único homem com ao menos dois troféus em cada Slam. De quebra, fica ameaçado de perder o número 1, caso Djokovic conquiste o octa no domingo.

O grande momento de Sascha
E Alexander Zverev reencontrou grande parte de seu melhor tênis, alcançando com justiça sua maior campanha num Slam. Levou um passeio no primeiro set diante de Stan Wawrinka, quase perdeu o saque no começo da outra parcial porém jamais se desesperou. E isso fez toda a diferença.

Pouco a pouco, o saque começou a fazer estragos – chegou a notáveis 90% de acerto e terminou na média de 80% – e a paciência no fundo de quadra foi recompensada com a pressa que tanto atrapalha Wawrinka. O alemão conhecia o caminho, afinal havia batido Stan nos dois duelos anteriores, ainda que não se cruzassem há quase três anos. E quando o suíço começou a errar o backhand, o sinal de que a confiança tinha sumido era evidente.

Aparentemente, faltaram pernas para Wawrinka no quarto set, já que ele vinha de dois jogos muito duros e ainda encarou um sol bem mais forte em Melbourne. Primeiro alemão na semi de um Slam desde Tommy Haas em Wimbledon-2009, Sascha ganhou dois dos oito duelos diante de Thiem, um no piso veloz de Xangai e outro no saibro rápido de Madri, e levará para a quadra uma animadora estatística: ganhou 10 de seus últimos 11 jogos que foram ao quinto set.

Atrás de mais um Slam
Experiência é o que não faltará na segunda semifinal feminina da Austrália, entre Simona Halep e Garbiñe Muguruza, ambas com títulos e finais de Grand Slam.

Vice do torneio em 2018, a romena está voando e gastou 53 minutos para dominar Anett Kontaveit com um jogo bem vistoso. Na entrevista oficial, destacou a volta do treinador Darren Cahill e uma intensa pré-temporada pela ótima forma física e técnica que demonstra.

Campeã de Wimbledon e Roland Garros, a espanhola faz sua primeira semi em Melbourne e admite surpresa por ir tão longe saindo de uma virose pouco antes do torneio. Pouco a pouco, recuperou a confiança para executar seu jogo agressivo e tem pequena vantagem de 3 a 2 sobre Halep nos confrontos diretos.

Saiba mais
– Esta foi a derrota número 200 na carreira de Nadal, que tem 985 vitórias e deve alcançar a história marca de quatro dígitos no mais tardar no saibro europeu.
– Cada Big 3 tem agora 29 vitórias sobre adversários top 5 em torneios de Slam. Como Rafa perdeu, a liderança será a disputa direta entre Djoko e Federer.
– Aos 22 anos e 288 dias, Zverev pode ser o mais jovem campeão em Melbourne desde Nadal e de um Slam desde Del Potro, ambos em 2009.
– Federer foi multado em US$ 3 mil pelo palavrão que soltou na partida contra Sandgren. Ele reconhece o erro, mas diz que falou em alemão suíço e ainda foi para si mesmo e não tão alto que o público pudesse ouvir.
– A rodada desta quinta-feira começa à meia-noite com as semis femininas (Barty-Kenin e Halep-Muguruza) e às 5h30 será o 50º encontro entre Djokovic e Federer.
– A simpática Ekaterina Makarova anunciou aposentadoria, aos 31 anos. Ex-top 10, liderou em dupla, onde ganhou três Slam e os Jogos do Rio. Foi ao lado dela que Soares venceu mistas do US Open-2012.


Comentários
  1. .alessandro sartori

    Alguem comentou por aqui que as chances do Federer era se ganhar o primeiro set, e acho todos concordam…mas o que pouco se comentou é que o suico teve 4 a 1 e 0 a 40 no sexto game e sacaria pra fechar em 6 a 1…o pessoal fala muito de Wimbledon ano passado…sei nao, eu acho que esse primeiro set tava mais ganho que do que aquele 40 a 15 e saque…

    Responder
  2. Marcos RJ

    Concordo com o ponto de vista da Ângela B, que Roger certamente deitou em berço esplendido durante 5 em que poderia ter consolidado a liderança que na epoca era considerada intocável – e também que no apagar das luzes escolheu um calendário esquisito. Acredito que o contrato milionário com a patrocinadora japonesa tenha tido um preço alto nesse sentido.
    Mas apesar de tudo, na minha opinião Roger Federer é, e sempre será o GOAT, independente de quantos troféus de GS Nadal e Djokovic vierem a conquistar.
    Não me considero um fanático, admiro a consistência, técnica e determinação desses guerreiros que tb merecem o título de melhores de todos os tempos. Tb assisto frequentemente e aprecio outros jogadores(as) com bem menos currículo. Simplesmente gosto demais desse esporte e não vi mais ninguém jogar, e dar espetáculo como esse senhor (mas claro que aos 38 fica mesmo difícil).
    Subjetivo talvez? Com certeza. Mas tem muita gente que tb pensa da mesma forma. Quantas vezes mesmo Roger foi eleito o tenista favorito do público??? Desculpe, perdi a conta faz alguns anos ; ).
    Abraços a todos

    Responder
  3. Angela B.

    Ahhh…e por fim, esqueci de dizer [em definitivo :-)] –
    Se Federer (um dia) já teve o título de GOAT, ele (agora) o perdeu definitivamente. Hoje, ele é apenas “um dos melhores” de todos os tempos.
    Se p/ muitos, Roger merecia tal título por ter mais ‘técnica”, ‘talento” e “plasticidade” entre os outros tenistas…posso dizer, nesse momento (e como Federista!) que ambos, Djoko e Nadal, em contrapartida, tem mais raça e espírito de campeão do que o suíço….portanto, não poderiam, em hipótese alguma, serem ignorados.
    By the way – Sampras uma vez disse: “Federer só perde se for para si mesmo”. — E durante 5 anos.. foi exatamente isso que aconteceu – o suíço jogou metade do que DEVERIA.. —–O cara relaxou….Não procurou se reinventar ou evoluir….Ficou na “zona de conforto”, no limbo……assistindo Nole e Nadal disputando títulos de grand-slams e de quebra, ainda tornou-se ‘freguês’ deles . =========== Apenas depois da vitória (surpreendente) sobre Nadal em 2017 no AUSOpen, começou a correr atrás do prejuízo de tantos anos perdidos. O que, na minha humilde opinião, pelo menos na época, foi uma atitude muito louvável.
    Porém, agora…aos 38 anos, e demonstrando poucos comprometimentos com a própria saúde física e carreira… fica difícil de defender o cara por um título de “GOAT” que outros igualmente merecem, vcs não acham? Ps- prefiro deixar esse ‘job” inútil aos fanáticos. — Au revoir!!! :))

    Responder
      1. Angela B.

        Pra quem um dia já foi intitulado o “GOAT”…ou seja: “o MAIOR de todos os tempos”….e agora ter sido considerado (por Jim Courier, McEnroe e outros tenistas) apenas como “um dos melhores” …e não mais “o melhor”…Well, Dalcim, não acharia isso (exatamente) ‘engraçado’. Pelo menos, se eu fosse o Federer…rsrs — Vc acharia??? 🙂 —-

        Responder
  4. Angela B.

    Well, alguém aqui está surpreso ou ainda tinha esperança?
    Eu já tinha cantado a bola no final do ano passado..e agora recentemente, depois da sua baixa performance no AO. Chegaram a discordar da minha opinião (em ambas as ocasiões)….ok…..tudo bem. Não me importo c/ opiniões opostas a minha – qdo alguém discorda de mim c/ respeito, tb merece o meu. —– Mas gente, é uma questão de lógica: por que um tenista de 38 anos (que ainda é competitivo e pode conquistar outros grandes títulos) decide priorizar um calendário esdrúxulo c/ apresentações (non-sense) no final de 2019 na América do Sul e que vai apenas desgastá-lo fisicamente p/ o primeiro slam do ano??? Por que??
    Muitos argumentam que o cara queria “se despedir” antes da aposentadoria e quis ser ‘legal’ c/ os fãs sul-americanos. Porém, c’mon… por acaso o Federer vai ‘morrer’ depois de se aposentar??? Claro que não!!! O cara é um ídolo…e o dia que ele quiser se aposentar.., não faltarão convites, dinheiro e público p/ assistí-lo!!!! Sem falar que o cara é, sim, um bilionário e empresario bem sucedido.. e (obviamente) não precisa dessas apresentações pra ganhar “dim-dim”! ——–Dito isso, mesmo assim, Federer quis assumir (conscientemente!!) os riscos e preferiu optar por esse tour absurdo – repito: aos 38 anos(!!!) ———-E claro que foi pela grana….pelo que mais poderia ser??? —-É como minha banda preferida diz: “Money, money, money…Must be funny..In the rich man’s world”.. ———
    E o resultado (infelizmente) de suas escolhas foi o que vimos: derrota nas semis…—- E olha, se a derrota no AO não aconteceu antes (diante de Millman ou Sandgren)….foi por pura SORTE. E acho dificil alguém discordar disso… —– Portanto, na boa..quem quer (realmente) ser GOAT…não pode só pensar em dinheiro, não… – tem que correr atrás p/ fazer jus a isso! Estou errada???
    E vejam bem….. o que eu disse acima, não é exatamente uma crítica ao Roger – mas acho que nós (fãs) deveríamos ser mais pé no chão, sabe??……E parar de defendermos o cara, usando como principal subterfugio sua idade mais avançada, qdo na verdade, é o próprio Roger que não se importa ou está se auto-sabotando.. ———
    Anyway, na minha opinião, o melhor que temos a fazer, é aproveitar o pouco que o suiço ainda está disposto a dar. Se estiver ainda disposto (kk)
    E mesmo que não seja mais slams… eu ainda penso que sairíamos no lucro. Pois o cara é fera. :))))
    Ps- Fico por aqui (for good). E qdo eu digo “for good’…I really mean it.
    Ps2 – E quem quiser discordar do que penso…fique a vontade. Mas já adianto: não vou mudar minha opinião e nem tentar contra-argumentar ou responder ‘algum inconformado’ – como muito bem disse a sábia Maria Izabel em seu comentário.
    Anyway, bom AO e outros torneios p/ vcs. Take care and all the best! :)))

    Responder
  5. Rodrigo S. Cruz

    Meus Parabéns, Roger Federer.

    Você é o cara!

    Teve TODOS OS MOTIVOS DO MUNDO para não enfrentar o mais difícil dos adversários nesse tipo de quadra.

    Não ganha desse “Encosto” desde 2012 em Grand Slams, chegou á semi aos trancos e barrancos, e muito longe do físico ideal.

    Se escolhesse um WALKOVER, poucos ousariam criticar essa decisão.

    No entanto foi lá dar as caras e perder dignamente, como sempre fez.

    E depois ainda temos de aguentar a ladainha dos mentirosos chamando o cara de “Fujão”…

    kkkk

    Estranho, para dizer o mínimo, um “Fujão” que aceitou perder tantas em RG pro Nadal, e mais essa pro sérvio hoje…

    Responder
  6. JHONNY

    Eu que ja tinha simpatia pelo Nole lá em 2007 em uma reportagem quando ele foi Vice do USOPEN e falaram que ele poderia ser a balança contra a soberania Nadal x Federer, passei a torcer pra ele em 2011 quando ele faturo o GS e eu ganhei a Raquete aqui do blog do Dalcin, Sou leigo no assunto mais vendo o jogo do Federer pra min ficou evidente que ele não estava fisicamente 100% , porém suficiente para fazer um jogo equilibrado e vencer a maioria dos tenistas do circuito.

    Responder
  7. Ronildo

    Depois de ver esta sofrencia do Djokovic para vencer um atleta de 38 anos e ainda mais contudido, é praticamente certo que Thiem será campeão se chegar na final.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Vai ser um jogaço!

      Aliás, MUITO MELHOR uma final entre Thiem x Djoko, do que entre Djoko x Nadal, em que o sérvio certamente iria atropelar.

      Que bom que o espanhol já se mandou e assim o torneio continua “assistível”, mesmo sem o Federer.

      Claro que primeiro o Thiem precisa fazer a parte dele e tirar o Danone…

      Responder
    2. Jonas

      Esperava um comentário assim. Não assistiu ao jogo.

      Primeiro set o Federer foi extremamente agressivo. Sacou demais e distribuiu winners. Este é o melhor Federer, mas deixa eu te contar, nem assim ele levou o primeiro set. O Djokovic jogou bem? Esteve totalmente sem confiança.

      A diferença do Djoko pros demais se reflete nos Big Points. É por isso que ele manda no tênis.

      O Federer entrou em quadra porque quis, ele sabia que tinha uma chance. Se o Federer não tivesse condições de se manter em altíssimo nível, treinar ou ganhar Grand Slams (que é o que importa pra esses caras) ele faria o óbvio, se aposentaria.

      O domínio do Djoko sobre o Federer em Grand Slam vem desde 2011. O suíço estava com 30 anos. Qual a desculpa? O Djokovic tem 32 anos e não estamos chorando por idade, ao contrário de vocês.

      Responder
    3. Luiz Fabriciano

      Sofrência?
      Djokovic, como bem disse o próprio, estava procurando o melhor meio de assumir sua postura no jogo e isso lhe custou a possibilidade de perder o primeiro set. Depois disso você continuou assistindo o jogo?
      E o mental? Na hora de sacar para o set é quebrado de 0 – pressão causada pela torcida que lhe apoiava, certamente.

      Responder
  8. Barocos

    É óbvio para todos que cada encontro em quadra entre o Djokovic e o Federer é muito mais que uma partida de tênis, é muito mais que uma decisão de título, mesmo quando não é uma final. Está estampado no rosto deles, na tensão visível, nos erros incomuns, inesperados. Quando se encontram, na mente de ambos, está em jogo todo o legado das suas carreiras, tudo o que se diz hoje e o que se dirá no futuro, sobre o que fizeram pelos estádios do mundo.

    Hoje Novak começou extremamente nervoso e Roger, após um começo arrasador, deu a impressão de que voltou a sentir algum incômodo, o que foi corroborado pelo atendimento médico. Djokovic conseguiu se aprumar ainda no 1° set e Federer, no segundo e terceiro sets, já apresentava sinais nítidos de perda da capacidade de locomoção. Isto é fatal jogando contra o sérvio.

    Minha admiração pelo RF aumentou – jogar em situação tão adversa e tentar ganhar é ou uma prova de loucura ou de genialidade. Fico com a segunda opção. Também é uma imensa demonstração do respeito que o Federer tem pelo público e pelos organizadores dos torneios, ainda que alguns dos seus admiradores insistam em não entender os seus motivos e cheguem a ter o desplante de suplicar que ele ou abandone torneios onde não possa render o seu máximo ou, ainda pior, que pare de jogar para não comprometer as estatísticas de sua carreira. Roger não é covarde e é muito maior do que o quê aspiram seus fãs mais radicais.

    Todo o esforço do Federer serve também para, dolorosamente, nos lembrar da trágica situação humana: até os heróis, os reais, sucumbem à passagem do tempo.

    Gostei muito da atitude do sérvio no final, inclusive citando as dificuldades do suíço na partida. Hoje acho difícil que ambos possam ter um bom relacionamento extra quadra, a rivalidade é monumental na cabeça de ambos, quem sabe não se tornem bons amigos após encerrarem as suas carreiras.

    Quanto à final, acho que ND vai ter que elevar o seu nível para vencer o Thiem ou o Zverev.

    Ajde, Djokovic!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Barocos,

      Dá gosto ler um comentário assim.

      É até DIFÍCIL acreditar que tenha sido escrito por um fã do Djokovic.

      (pelo menos nesse blog)

      Uma diferença brutal para os comentários parciais e ácidos dos mesmos de sempre:

      Jonas, Valmir,Almeida, Chetnik, etc.

      Outro mundo!

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Concordo com tudo o que escreveste. Federer chegou a ter ainda no primeiro set 20 x 5 em winners.
      No início do segundo pensei que ele quebraria a banca e desistiria do jogo, especialmente quando foi ameaçado em seu primeiro game de serviço. Talvez tenha se animado um pouco por conseguir mantê-lo, mais estava realmente muito lento.

      Responder
  9. Felipe Gonçalves

    Djoko gênio!! O Federer estava decidindo e ditando o rumo da partida no primeiro set e o djoko estava entrando na armadilha. Qdo se deu conta, conseguiu mudar a tática, mostrou a sua genialidade e não deu mais chance para o Federer!!

    Enquanto ditava o rumo da partida, não sentia a lesão. Depois passou a sentir e a derrota se deve a ela. Sei…

    Responder
    1. André Barcellos

      Interessante, acordei quando estava 5 a 2 e vi Federer errando tudo e se mexendo mal até praticamente entregar o set.
      Óbvio que ele sentiu antes dessa “reação”. Talvez desde o começo, só que Nole estava jogando mal, só isso.
      Depois só ladeira abaixo para o suíço.
      Hoje não teve jogo.
      Desde o começo.

      Responder
  10. Luis

    Dalcim não deu pro Federer parece não estava 100% físico,ainda teve parece grande chance de vencer 1 set depois ficou mais difícil um milagre rs,tomara não seja tão grave, o que achou poderia ter sido diferente suíço vencendo 1 set? Aguenta o Paulokkk

    Responder
  11. JHONNY

    Estes narradores do AO realmente estão de dar pena, teve um lance que Federer tentou uma bola que foi fora (Todos ouviram o OUT) e ele falou: LINDA JOGADA DE FEDERER ponto para o SUÍÇO 30 x 15 e ate o Nole fazer 15 x 40 ele continuava afirmando que estava 30 x 15.

    Responder
  12. Evaldo A Moreira

    Bom dia,
    Quando consegui ver o jogo , vi 5 a 3 para Roger fechar o jogo , e não é que i homem não fechou!?.
    Minha opinião: vai jogar exibições até não querer mais seu Roger , não tem como afirmar , mas creio eu que membros de seu staff não tenha gostado, mas…
    Atrasou as férias, planejamento ruim, não disputou nenhum torneio preparatório e pulou direto para Austrália.
    Jogos pífios e com lampejos de genialidade, saque uma bosta, 38 pesando , é não me venha que estava descansado, não estava mesmo, resulta do disso , desgaste físico extremo e isso se refletiu na partida de hoje….se ele venceria não sei , mas inteiro e com saque calibrado com certeza poderia vencer.

    Responder
  13. Adriano Souza

    O Federer estava em plena condições de jogar
    por isso entrou em quadra.
    O Djokovic não fez uma partida brilhante, jogou o suficiente pra vencer. Foi melhor nos momentos decisivos

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Eu penso assim: condições de jogar teve, tanto que jogou.

      Mas condições plenas, claramente não.

      Ainda mais pra enfrentar Novak, “o ser que não cansa nunca”.

      Se o suíço não estiver 100%, esquece.

      Não arranca nem um set…

      Responder
  14. Rafael

    Esperava muito mais do Djokovic diante de um Federer completamente combalido.

    Se jogar mal assim, perde a final para quem quer que seja que chegue lá.

    Responder
    1. Gildokson

      Concordo em parte Rafael, porém o próprio meio que explica isso na entrevista pós jogo dentro da quadra, onde disse que o estado do Federer tava meio que desviando a atenção dele se seu próprio jogo. Na final provavelmente ele sobe o nível.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Rafael,

      Acho que o único com cabeça e jogo pra impedir outro Slam do Djokovic é o Thiem.

      Lembra do ATP Finals?

      O Zverev tem tênis, mas falta cabeça…

      Abs.

      Responder
  15. Jonas

    O jogo do Federer encaixa bem com o do Djokovic. Ele sabe encarar o sérvio, joga bem agressivo e quase sempre anda pra frente, abafando o Djoko. Coisa que o Nadal sonha em fazer mas não consegue.

    Claro que vamos ler aqui diversas desculpas. Mas ficou claro que o problema do Federer não era físico, aliás ele esteve afiado no primeiro set e ainda contou com um Djokovic sem confiança e bem errático.

    Federer sacou demais, fez vários winners e mesmo assim levou a virada. Isso mostra claramente o quanto o sérvio é de outro planeta.

    Sua virtude é ser um monstro nos pontos importantes, por isso o cara manda no tênis há um bom tempo.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Que isso…

      Era nítida a limitação física do cara.

      Só jogou bem alguns momentos do primeiro set.

      Mas depois que não conseguiu fechar, foi engolido no tie-break.

      Depois disso foi só caindo de produção.

      Responder
  16. Luiz Fernando

    Se vencer o Djoko numa partida melhor de 5 sets seria complicado em qualquer circunstancia, encarar o cara sem estar em plenas condições físicas era uma missão virtualmente impossível p Federer. Vitória esperada do sérvio. Vamos ver se os bobos de sempre Lógico, fakes e cia limitada) habituais q postaram provocações ontem aparecerão hj aqui, embora todos saibamos que ficarão nas suas tocas…

    Responder
    1. Bruno

      Vc poderia também falar dos outros bobos que certamente dirão que Federer tinha condições de jogo.
      Inclusive,o bobo mor falou que Federer iria arregar.

      Responder
  17. Luiz Fernando

    Federer começou claramente limitado e Djoko claramente incomodado, talvez sabendo da situação física ruim do adversário. O primeiro set foi o pior cenário possível p o suíço: longo, tiebreak, e perda por 76. Agora já está com atendimento médico. Péssima perspectiva…

    Responder
    1. Enoque

      Aí está a comprovação de o sistema esta informando 1 hora a mais, como se estivéssemos no horário de verão.
      Este comentário do Luiz Fernando corresponde ao estava acontecendo às 7:28 e não 8:28 informado acima.
      Às 8:28 o jogo já tinha terminado.

      Responder
  18. Heitor de Oliveira

    Menção tb para o discurso do Nadal após a derrota!!

    “Sinceramente, não joguei uma partida ruim. Acho que minha atitude foi ótima durante todo o jogo. Isso é positivo. Continuei lutando o tempo todo. É claro que estou triste. Perdi a oportunidade de estar em uma semifinal de Grand Slam. Mas eu perdi para um grande adversário. Acho que ele está jogando muito bem, sendo agressivo e determinado. Mesmo em posições difíceis, ele conseguiu fazer pontos incríveis. Ele mereceu vencer”.

    Responder
    1. Viana

      O BIG 3 é genial em todos os aspectos.
      Nadal foi brilhante, e além do que vc citou ele ainda disse algo assim na coletiva: “- Ele é mais jovem, baterá mais forte… ele conseguiu bolas dificílimas de posições muito ruins, ou seja, ele mereceu.”
      E hoje Djoko falou claramente que depois q ganhou seu primeiro Slam, sofreu muito pq sempre q se aproximava do próximo, um dos 2 (Nadal e Federer) lhe fechava a porta. E isso o fez crescer! Além disso, disse q espera q ele tenha feito Roger melhorar 20 % o jogo dele em relação ao q Roger o fez melhorar!
      Um cavalheiro, um grande esportista!!
      Os fãzinhos de colegial q existem por aqui podiam aprender com eles!!!

      Responder
  19. Heitor de Oliveira

    Sugiro aos que escrevem aqui no blog ler os comentários antes de escrever um. Como tem pergunta repetida.

    E obriga o Dalcim falar Mais de uma vez a mesma coisa.

    Tá, ok, nem todo mundo tem tempo ou simplesmente quer ler os comentários dos outros, mas no geral são muito interessantes e valem a leitura. Complementam os textos do Dalcim e as suas muito boas e pacientes respostas aos nossos comentários.

    Responder
  20. Maria izabel

    Não deixo de ler seu blog, mas tenho deixado de comentar.Porém como Federista que sou,não posso me furtar a fazê-los.
    Se Federer realmente sentiu a virilha,penso que não deva jogar.Vai prejudicar toda a temporada.Não bastasse as exibições que pode ter ajudado a causar essa contusão. Embora tudo o que cerca Federer ,é quase segredo de estado.
    Para mim é um artista da raquete, mas fico perplexa com tantas estatiscas que se coloca em sua carreira.Agora essa ,de nunca ter tido um abandono.Para mim,o que importa é ele jogando e número de Slans.
    Agora,minutos disso,tempo naquilo e por aí vai para mim é zero a esquerda.
    Outra bobagem é Federer gentleman. Ora, já o vi fazer muitas coisas que de nada lembra um gentleman. E não sou ingênua em pensar que por contratos,todo esportista tem que se posar de um jeito.Uns mais comedidos outros mais tranquilos etc.
    As marcas Federer, Nadal, Djocko, como vários de qualquer esporte valem muito.
    E me perdoem os suissos, mas de classudos não tem nada.Basta dizer que a bela vida deles ,tem origem em lavagens de dinheiro de todas as espécies.
    Prefiro ver Federer com olhos de seu grandíssimo jogo e me basta.
    Detesto fanatismo de qualquer espécie, ele é excelente tenista se melhor de todos os tempos não sei.São tantos que se passaram,eu achava o Bjorn Borg.Cada um tem sua época essa é do Federer.
    Desejo que ele esteja recuperado e faça excelente jogo .Isso me deixará satisfeita.
    Essa é minha opinião, não entro em polêmicas e muito menos, ficar respondendo algum inconformado.

    Responder
  21. O LÓGICO

    O Robozinho dos quintos dos infernos perdeu mais uma num torneio em quadra rápida kkkkkkkkkkkk; e não tem desculpa alguma que possa empanar a grande verdade dita pelo LÓGICO kkkk, eu mesmo kkkk, nesse blog há tempos: O Sísifo do tênis é UNIDIMENSIONAL kkkkkkk. Como sempre acontece ano após ano, ele vai se entubar de açaí espanhol e tentar vencer mais um Roland Bregous kkkkkk. Mas esse ano tenho muita fé nos orixás kkkkkkk que ele vai cair do cavalo. Ele não foi zoofilizado e nem currado hoje kkkkk, mas vazou pelo pito na hora dos tiebrakes kkkkkkk. E pra variar, demonstrou mais uma vez seu mau caratismo esportivo ao não cumprimentar a juíza, que apenas cumpriu seu dever de ofício.

    O L Fernando fica todo revoltadinho com essas verdades lógicas kkkkkkkkkkkkkkkk. Mas triste mesmo é saber que o filósofo Carlos Reis apaixonou-se pelo primogênito, e parece que não desgruda mais kkkkkkkkkk. Vamos aguardar que não aconteça o mesmo com o Lord Brack kkkkkkkkk

    Responder
  22. O JR7

    O grande mérito do Thiem foi, no primeiro set, insistir em devolver a quebra imediatamente porque aquele game era crucial, o jogo seria outro, caso essa parcial ficasse com o espanhol. Sabemos como o Nadal joga com confiança à frente do placar, portanto seria muito mais difícil uma virada.

    Outra, ganhar 3 tiebreaks do touro é coisa raríssima – pelo que eu entendi nunca havia acontecido – então podemos avaliar o tamanho da façanha austríaca e como é difícil, como é duro bater o espanhol, pois o cristão sempre vende suas derrotas a um “custo bem alto”. O cara só desiste porque é obrigado mesmo, depois que termina a partida. Não acho que poderia ser 3×0 fácil como colocaram, o jogo foi equilibrado, talvez realmente hoje o Nadal não foi tão “cirúrgico” como costuma ser, mas méritos totais ao Dominic por acreditar na vitória.
    Queria gentilmente retornar uma mensagem do nobre colega Sérgio, agradeço pela atenção sua sempre cordial, mas ainda acho que condições, mesmo que com alguma limitação o suíço tinha pois acabou vencendo, então seria um exagero nosso afirmar que não. Mas ainda assim, agradeço pela atenção, entenda que muitas vezes é mais aquela cornetada de torcedor rsrs…

    Responder
  23. Rodrigo S. Cruz

    [Heitor de Oliveira]
    29 de janeiro de 2020 às 22:05

    “O dalcim falou que, para amanhã, se federer estiver em condições de ganhar, ele entra em quadra. Ou seja, se mesmo com lesão e dor (algo que acomete todos os atletas), ele so entra se puder ser competitivo para ganhar.
    Dito isso, essa tua desculpa de que federer estava contundido e por isso a partida se estendeu não serve”.

    Heitor,

    O problema foi que você pegou a minha conversa no meio, e por isso não entendeu nada…

    È que o participante Paulo F. estava querendo de forma absurda fazer a seguinte comparação:

    Ele veio dizer que o Federer ter feito mais winners do que o Djoko em Wimbledon foi a MESMA coisa do Sandgren ter feito no suíço, nesse jogo agora…

    Quando se sabe que tal afirmação é patética…

    O Sandgren só conseguiu essa diferença substancial porque o Federer se machucou ainda no segundo set…

    Tanto que o suíço fez apenas 4 aces em toda partida de 5 sets.

    Coisa que com o grande saque que ele possui sabemos ser IMPOSSÍVEL de acontecer em um dia normal.

    E aí depois que eu expliquei ele ainda veio chamar a minha explicação de “desculpa”.

    É mole? (rs)

    Responder
    1. Heitor de Oliveira

      Valeu por contextualizar
      Mas acho que era para tirar sarro, usando o mesmo argumento que os federistas usaram ano passado agora só que em situação oposta. No sentido de que o que valeu lá agora tb teria de valer aqui.

      Responder
  24. Marco Barros

    Zverev surpreendeu Djokovic na final do Finals 2018 e venceu em 2 sets.Você acredita, que caso chegue à final, possa repetir a façanha, Dalcin?!?! E na semi, quem passa entre Zverev e Thiem?!?!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que os momentos são diferentes, sem falar na melhor de cinco sets, Marco. Acho que Thiem tem mais chance na semi contra Zverev.

      Responder
  25. Enoque

    Se o Federer for desistir da semi, vai comunicar agora no início da tarde em Melbourne, agora é quase 13:00 hs lá. Acho que ele não vai deixar pra última hora, assim, evitaria a montagem de toda a logística para o jogo noturno.

    Responder
  26. maior geração da historia tenis chegando

    é mestre dalcim te disse que zverev hj é melhor que wawrinka kk.. e rapazaiada quem prestou atenção eu falei que thiem era favorito ao titulo junto com djokovic e federer se tiver bem fisicamente.. jogou demais contra nadal.. pra mim thiem hj é o melhor do mundo..porem grand slam a pessao nele é maior.. acredito que se der theim e djokovic nao vejo favorito.. ja federer tem que ver como esta fisicamente

    Responder
  27. Maurício Luís *

    Dalcim, acho que você tá escondendo idade. Já faz no mínimo uns 2 anos que tá lá em cima com 57… rs… A não ser que o seu niver seja em 29 de fevereiro. Aí seria só de 4 em 4 anos.
    Uma pergunta: o Thiem não namora mais a Mladenovic?
    Essa multa que o Federer tomou é mais pra efeito moral. Porque financeiramente, não vai fazer nem cócegas pra ele.
    Ainda sobre a vitória do Thiem sobre o baloeiro, eu não esperava que um jogador destro com backhand de 1 mão fosse encontrar jeito de vencer Nadal + de 1 vez. Aquele spin de canhoto é pior que pingar colírio de limão no olho. Mas, “Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe” como diz o ditado.

    Responder
  28. LígiaB

    Dalcim, como já foi falado aqui, dá mesmo muito gosto ler suas análises tão bem feitas. É um complemento perfeito para esses jogos emocionantes!
    Vi que, na entrevista pós-jogo, o Rafa também falou sobre como as bolas ficam muito pesadas rapidamente. Acho estranho os organizadores não terem testado ou terem preferido isto.

    Responder
  29. Enoque

    Ridícula a maneira deste narrador da ESPN de considerar 2×0 ou 4×2 no tie break como 1 ponto acima. Tudo bem que tem apenas 1 mini break, mas o ponto conquistado sacando também vale. O mesmo raciocínio ele usa para os games, quando está 5×4, ele diz que está tudo igual, quando aquele que acabou de confirmar seu saque tem uma vantagem, pequena que seja. É como se a confirmação do saque não valesse nada. Não tenho acesso aos comentários para ESPN durante o jogo, então quem de vcs tiver, por favor, passe este recado pra ele.

    Responder
  30. Barocos

    Expectativa para o 50° embate entre o Djokovic e o Federer:
    – que o jogo realmente aconteça;
    – que o Federer esteja em boas condições físicas;
    – que a partida seja equilibrada;
    – que seja um bom espetáculo;
    – que no final, ganhe quem jogou melhor;
    – que o Djokovic triunfe por detalhes.

    Ajde, Djokovic!

    Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Bom, já estava por aqui muito antes de você aparecer nesse blog e continuarei aparecendo,…e com comentários bem mais construtivos do que o seu, que só fala de sogra de Nadal. Com relação ao superesTHIEMado, o chamarei assim até que ele vença Roland Garros. Com o jogo marreteiro dele encaixando com perfeição no saibro, ele já era pra ter ganho pelo menos umas duas vezes lá. E até agora, nada…
        Abs

        Responder
        1. Heitor de Oliveira

          O Thiem tá jogando muito e nao apenas no saibro. A partida com o Nadal no AO foi uma das provas disso!!
          Se só titulo de grand slam conta para vc, bom, entao o teu Federer tá com os dias contados…

          Responder
        2. Maurício Luís *

          Muy bien… Apareceu e me fez queimar a língua. Olha, Pessanha, o Thiem ainda não venceu Rolanga porque todo mundo tá careca de saber que o Nadal lá é uma lenda. A propósito, a sogra dele lhe mandou lembrança.

          Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Como a imagem do Thiem comemorando corta já para o Nadal do lado de cá da cadeira, não consegui perceber. Se o fez, foi muito indelicado. A juíza não teve qualquer influência no resultado.

      Responder
        1. Enoque

          Olhando melhor, o Nadal pode ter cumprimentado a juíza antes de abraçar o Thiem, já no meio da quadra do Thiem, invertendo o rito. Então não dá pra afirmar.

          Responder
  31. abel Afonso

    Olá Dalcim.
    Djokovic nesta semi e eventual final defende uma escrita rara que possivelmente só ele e Nadal possuem em GS: nunca perderam nestas fases, Djoko no AO e evidente, Nadal em RG.
    Claro que estas coisas estão aí para serem quebradas.
    No jogo dele com o Federer logo mais, acredito em 70 x 30 por tudo que já foi comentado em relação ao momento.
    Na outra semi, creio em 60 x 40 para Thiem.
    Minha opinião apesar de Zverev viver um grande momento, acho eu que o Thiem está começando a demonstrar estar mais perto do auge de seu jogo.
    você acha que a maior pressão é do Thiem?

    Responder
    1. abel Afonso

      esqueci de dizer que entre tenistas que chegaram mais de três vezes nestas fases e evidente que esqueci de citar Bjorn Borg que não fez isso apenas em um torneio, más em dois.
      pode me dizer se na era aberta mais alguém conseguiu isso além dos três?
      sendo que esta marca de Borg está consolidada, enquanto aos dois apenas ao fim de suas carreiras poderemos dizer.

      Responder
    2. José Nilton Dalcim

      Sim, acho que Thiem entra como favorito e isso causa sempre uma pressão a mais. Porém, vale também a primeira final de Slam do Zverev, algo tão aguardado, e obviamente que também haverá muita ansiedade. Em se tratando de cabeça, portanto, vejo o austríaco com alguma vantagem.

      Responder
  32. PIETER

    Que juíza de linha mais mala essa do jogo do Federer!
    O cara xinga em alemão suíço, que certamente quase ninguém entende no estádio, só para si, ela ouve e, não satisfeita, vai caguetá-lo para a árbitra de cadeira.
    Parece que ela queria os seus 15 minutos de fama… e conseguiu, a infeliz!

    Responder
  33. Marcos André

    Dalcim boa noite, agora que Roland Garros tem teto retrátil, você acha que numa hipotética final entre o Nadal e o Thiem com teto fechado, aumentaria as chances do Thiem conseguir vencer?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Nadal também gosta do saibro um pouco mais rápido e precisamos ver que velocidade vai ter a nova bola. Então não vejo uma mudança muito radical para os dois.

      Responder
  34. Adriano Souza

    O Thiem é um animal rancoroso
    Bate forte demais na amarelinha
    Caso o Djokovic passe do Federer, e o Thiem passe do Zvelho , não acredito que o Djokovic vença ele
    Única forma do Djokovic vencer o Thiem, vai ser sendo agressivo do começo ao fim, Porque se deixar o Thiem a vontade , vai ser atropelado.

    Responder
  35. Rubens Leme

    Dalcim, achei que o Nadal deu sorte de não cruzar com o Djokovic na final. Neste Australian Open ele vem mostrando dificuldades em fechar os sets e a bola parece muito curta. Na verdade, o Thiem poderia ter vencido até por 3×0 se a tensão não o tivesse atrapalhado. Talvez o austríaco e o alemão possam começar a rivalizar com o sérvio, pois os dois possuem golpes muito pesados, sacam forte e sobram fisicamente, já que são bem mais jovens.

    Não vejo Nadal e Federer com gás para brigar em Slams com o sérvio. Talvez em Roland Garros, Nadal ainda tenha favoritismo, mas o Thiem vai crescer muito com essa campanha na Austrália e a pressão em cima do espanhol para igual o número de Slams de Federer pode atrapalhá-lo. Torço pela renovação e acho que Djokovic preferia mais enfrentar o espanhol ou o Stan do que os dois que sobraram.

    Responder
  36. Paulo Almeida

    Calma lá. O favorito ao título ainda é o Djokovic, recordista da ATP com 40 Big Titles (34 M1000, 5 Finals e 1 ATP Cup).

    É sempre favorito no Aussie contra seu saco de pancadas, visto que o surrou por 3×0 duas vezes e outra por 3×1 por relaxamento. Aquele jogo isolado nas oitavas de 2007 contra um moleque Djoko inexperiente não deve ser contabilizado, de forma que o GOAT está invicto contra o GUAT.

    O Thiem quase jogou a vitória no lixo com várias pipocadas, mostrando que ainda não é isso tudo mentalmente. Nadal jogou muito e foi o melhor jogo até agora, seguido por Medvedev x Wawrinka.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele não está colocando datas, Rodrigo. Ele vai levar até onde se divertir e principalmente se sentir competitivo. E, claro, a família apoiar. Esse fator aliás me parece muito importante.

      Responder
  37. Chico

    Dalcim, podemos dizer que THIEM tem a melhor esquerda de uma mão do circuito na atualidade? Ela me parece bem mais rápida e chapada que a do Stan, a do Fed nem chega perto e a do Guga grego parece ter bem menos potência.

    Responder
  38. Wagner M

    Dalcim,

    Federer protegeu muito bem os seus games de serviço nos últimos três encontros contra Novak… Na sua visão ele encontrou alguma forma tática de lidar com as devoluções do sérvio? … Ou foi circunstancial ? Por se tratar de dois jogos indoor (Paris/Finals) e a grama de Wimbledon…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Federer tem um saque aberto na direita que incomoda Djokovic. E faz boa variação no centro, geralmente um saque difícil de tentar passada porque é mais veloz (a distância no centro é obviamente mais curta) e tira o ãngulo por vir ao centro.

      Responder
  39. Ronildo

    Minhas previsões a respeito de Djokovic e Nadal estão se tornando realidade. Por hora apenas em Nadal, visto que Raonic livrou Djokovic da derrota para o Tsitsipas. Evidentemente que se Raonic continuar limpando a área para Djokovic para entregar de bandeja as semis para ele depois, eu vou errar feio minha previsão.
    Mas continua de pé: ao final da temporada ambos estarão fora do top 4. Salvo evidentemente no caso de Djokovic continuar sendo livrado por Raonic destes jogadores da nova geração que tem tido sucesso contra ele. Mas tem o Thiem ainda na final ainda.

    Acredito que Djokovic vai criar a compulsão de olhar desesperadamente onde Raonic está na chave para assim poder prever em qual torneio terá sucesso!

    Parece exagero isso , reconheço kkkkk, mas venham só: ano passado Nadal chegou ao número 1 mesmo sendo livrado de Djokovic em todos os torneios que venceu!

    Responder
  40. FILIPE

    O Djokovic preferiria ao meu ver pegar o Nadal na final. O Thiem é mais agressivo e aquele jogo em que o austríaco venceu o Sérvio no ATP finals, além de Roland Garros, demonstra o quão perigoso ele pode ser. A chance de um novo campeão é enorme.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ah, sem a menor dúvida!

      Se o Djokovic cruzar com o Nadal em QUALQUER Grand Slam fora do saibro, o placar será de 3 x 1 ou 3 x 0, fácil…

      Responder
  41. Feelog

    Dalcim,

    Da para dizer que o Thiem é jogador para ser numero 1(mais consistente nos torneios), o Tsitsipas/Zverev são jogadores de torneio(joga um 1 bem o outro nem tanto) e o Kyrgios é jogador de partida(joga 1 partida boa outra nem tanto). O que acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tsitsipas tem seis anos a menos que o Thiem, então acho prematuro julgá-lo ainda. Para mim, é um forte candidato ao número 1 quando o Big 3 decair. Mas o Thiem tem chance, sim. Está jogando muito bem fora do saibro.

      Responder
  42. Alexandre Maciel

    Acho que Federer vai pra quadra sim, vai pra levar um 3×0 inapelável (acho que mesmo se tivesse saudável Djoko venceria tranquilamente). Acredito que Thiem passe por Zverev num jogo apertado (3×1 com no mínimo 2 sets decididos no tiebreak).

    Domingo quero ver Djoko x Thiem se matando até o tiebrekão do quinto set…

    Responder
  43. Paulo F.

    Agora é aguardar se Federer irá ter condições de ir á quadra logo mais.
    Creio que com a desclassificação de Nadal e a possibilidade de retomada do número 1, possa dar a Djokovic uma injeção de ânimo a mais para o sérvio, que já vem fazendo um torneio muito bom.

    Responder
  44. Rafael

    Belos comentários, como de costume. Eu esperava mais do Wawrinka, mas ele mesmo admitiu que da metade do 2º set pra frente o desgaste físico começou a a aparecer.
    Será que o mesmo pode acontecer com o Federer? Mestre, você acha que o Federer joga mesmo se não estiver 100%? E mesmo se estiver eu acho que ele não terá chance com o Djoko, pelo o que o Sérvio vem fazendo.
    Abraço

    Responder
  45. Marcos Marinho

    Olha, o poder de fogo do Thiem já é bem conhecido, mas o que me impressionou hoje foi sua capacidade defensiva. Se o Federer vencer Novak, acho que não passa do austríaco se ele atuar nesse nível. Dalcim, eu sei que falta 300 anos até lá, mas em caso de uma terceira final de Roland Garros entre Nadal e Thiem, o quanto esta vitória pode ajudar mentalmente Dominic a finalmente destronar Rafa numa final em Paris?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ah, pode ajudar muito, Marcos. Eu achava que em 2019 ele já teria muito mais chance, porém infelizmente houve aquele atraso na semi e fisicamente ele não aguentou mais que quatro sets.

      Responder
  46. Miguel BsB

    Há uma nova musa namorada de jogador no circuito!
    Que gata a namorada do Zé Verev! Parabéns pra ele!
    Espero que dure bastante! Para nós podermos continuar admirando sua beleza nas arquibancadas rs

    Responder
  47. Gabriel VAsconcellos

    Quero mandar um abraço carinhoso pro meu amigo Luis Fernando. Não fique triste LU, dias melhores virão, vc vai ver.
    Meu grande sonho e assistir Rafa quebrar o recorde de slam de Roger juntos dos colegas MC e LF, em um boteco, tomando uma e vestindo uma camiseta escrito: We Love Rafa for ever.
    Um beijo Ou e Me

    Bamos!!!!!!

    Responder
  48. Marcos RJ

    Ótima partida Nadal e Thiem. O austríaco soltou o braço em todos os pontos sem aliviar a pressão enquanto Nadal gerenciava a energia dependendo da situação, eventualmente encurtando ponto na rede ou com deixada, mandando um ou outro balão e sacando com eficiência.
    Achei que o espanhol iria ganhar o tiebreak do 1o set, quando sempre levanta o ritmo, enquanto Thiem mostrava alguns sinais de nervosismo, apesar dos golpes pesadíssimos dos dois lados. E Nadal ficou mesmo bem próximo mas na hora H tremeu quando tinha set-point e serviço na mão. Fez dois lets seguidos (sinal que encurtou o braço), em seguida 1o serviço bem fora e quando colocou enfim o 2o serviço Thiem iniciou a virada.
    Não tem nenhum demérito nisso pois quem joga sabe que todo mundo treme, mas esse foi o diferencial da partida nesse jogo bem parelho. Vale ressaltar que Thiem fez 16 bolas vencedoras a mais e também 16 ENF a mais, portando também venceu merecidamente quem tomou mais iniciativa.
    Djokovic parece estar muito próximo do 17o a não ser que a NEXT GEN consiga dar um passo gigantesco.

    Responder
  49. vinicius

    dalcim fugindo do assunto do texto, acompanho seu blog a tempos e se eu não tiver errado você considera o foherand do fernando gonzalez mais rápido, mais forte que o do del potro, porque você acha que o delpo teve mais sucesso na carreira mesmo com lesões do que o chileno? eu acompanho tênis desde 2010, não peguei o gonzalez em seu melhor momento, acho que nem vi uma partida dele, mas fico curioso como ele nunca conquistou nada relevante com um golpe tão poderoso.

    Responder
    1. Lejoso

      Gonzales foi vice no australiano Open 2007. Perdeu pro Federer na final.
      Se não me engano pelo caminho eliminou o nadal nesse mesmo torneio .
      Assisti em 2003 uma exibição dele no Ibirapuera contra o Saretta. Seu forehand realmente era espetacular Vinicius

      Responder
  50. Helena

    Parabéns ao Thiem pela vitória em cima de um Rafa que nunca desistiu. Espero que sirva de exemplo a alguns mais jovens, pois mostra que é possível chegar ao topo sem arrogância e ganhando o respeito dos adversários. Ele parece ser um dos caras mais queridos no circuito.

    Dalcim,
    No caso do Zverev. Qual a grande mudança de agora para aquele desempenho deprimido de tão pouco tempo atrás na ATP Cup?

    Responder
  51. Douglas Luiz

    Na última linha do último parágrafo tem um erro: “…caso Djokovic conquiste o hepta no domingo.” Djokovic luta pelo octa.
    Agora realmente será o maior jogo até agora da next gen, essa semi entre Thiem vs Zverev, algo que ainda não foi visto em slams.

    Responder
  52. Paulo Henrique

    Dalcim, na minha opinião, a devolução do Nadal é o ponto mais vulnerável do seu jogo. Por que ele fica tão atrás pra devolver saque? É por não ter confiança em tentar uma devolução agressiva, ele prefere entrar no ponto? Os adversários aproveitam e sacam aberto e ele fica correndo de um lado para o outro da quadra. Todos os grandes adversários dele melhoraram a devolução. Quando ele venceu o terceiro set, ele estava devolvendo saque mais próximo da linha de base, mas logo no começo do quarto set passou a devolver a 4-5 metros. Difícil entender esta mudança. O espanhol não gosta de sair da sua zona de conforto.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acho que a questão é ele ter a primeira finalidade de entrar nos pontos, apostando que uma devolução alta e profunda vai impedir um ataque de segunda bola. Mas obviamente que isso nem sempre funciona tão bem fora do saibro.

      Responder
  53. Julio Marinho

    Fale, Dalcim! Boa tarde!

    Do ponto de vista meramente especulativo, para a grande barreira que o Thiem ainda não conseguiu passar (vencer de dois bigs no mesmo torneio – Não falo do Federer no finals, porque o Federer não leva o jogo para o nível físico de um Nadal ou Djokovic), não acha que foi positivo para ele ter enfrentado Nadal nas 4as e, eventualmente, Djokovic apenas na final? O contrário seria semi com Nadal e Djokovic na final. Não menosprezo o perigo do Zverev, porém a batalha física e mental que Nadal e Djokovic impõem é de outro nível. Zverev seria um jogo (difícil) comum, e fisicamente bem menos exigente, dado o poder defensivo muito menor do alemão frente aos dois bigs.

    Não acho que Djokovic perca o favoritismo para ninguém. Por outro lado, temos que reconhecer que o Thiem está pronto para conquistar o primeiro título.

    Abraço,

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ah, com certeza, Júlio. A formação da chave, mesmo muito difícil, acabou sendo interessante para o Thiem. Como você bem disse, não dá para menosprezar o Zverev, mas evita uma sequência ainda mais complicada e exigente.

      Responder
    1. Marcos RJ

      Zverev e Thiem estão jogando melhor do que o Djokovic????
      E de quebra tb irão ganhar do heptacampeão e atual detentor do título….. Então tá!!!

      Responder
  54. Tiago Santana

    Oi Dalcim, boa tarde!

    Mais uma vez parabéns pelo belo trabalho aqui no blog e no site. A leitura de seus posts já se tornou obrigatória para mim há alguns anos, e agora me “viciei” também no podcast do youtube (apesar da menor quantidade de doses) rs.

    Uma pergunta que talvez já tenha sido feita aqui no blog: essa rivalidade agressiva entre alguns torcedores do big3 também ocorre lá fora?
    Outras dúvidas, quem você coloca como favorito na semi entre Thiem e zverev, e em uma final com a presença de Djokovic, qual dos dois teria mais chance de levantar o título?

    Forte Abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não sei se é tão agressiva como aqui, mas existe, sim, Tiago. Infelizmente. Olha, acho o Thiem favorito para ir à final e também acho que ele teria as melhores chances diante do Djokovic.

      Responder
  55. Jhonny

    Vou repetir meu comentário aqui com apenas algumas mudanças ja que abriu um novo post

    Acho que Federer não deveria entrar em quadra por três motivos:
    1º Esta lesão pelos comentários do chat aqui (pois não vi o jogo) fez ele ficar prejudicando tanto no seu saque (que e uma das suas melhores armas) e na sua movimentação, portanto entrar em quadra quinta feira nestas condições é levar uma derrota acachapante para o Nole
    2º Entrar em quadra e jogar alguns games e depois desistir, fará seu histórico de nunca ter abandonado uma partida cair por terra.
    3º E a mais grave, sabendo que se ele entrar, dificilmente abandonara a partida, além de uma derrota acachapante, pode resultar em uma agravamento da lesão (e isto que deve ser mais importante na minha opinião) e com isto comprometer o resto de seu ano em sua ultima tentativa d conseguir o Ouro Olímpico (simples), além de tentar tanto chegar ao recorde de 108 títulos e ainda ganhar outro(s) Grand Slan já que muitos acreditam que será seu ultimo ano.

    Alguns podem considerar que em respeito ao torneio ou ao publico, ele deveria jogar ou pelo menos tentar mais acredito que nem o publico nem a organização nem o próprio Nole gostaria de ver Federer sendo derrotado de maneira acachapante por uma lesão e consequentemente falta de competitividade ou um W.O.

    Um off topic: Gabriela Ce esta se aventurando em torneios maiores e isto pra mim é uma boa noticia, mesmo que neste momento somente esteja acumulando derrotas.

    Responder
  56. Vitor Hugo

    Se Federer estiver bem, ganha por 3 x 1. Se não estiver 100%, o resultado não terá valor ou importância. Pra mim será o mesmo que se não tivesse jogo.

    Eu espero que esteja 100% rumo a terceira vitoria seguida contra o bagre from servia.

    Responder
  57. Vitor Hugo

    Fato é que o frango miura só vence slam fora do barro se tiver muita sorte,como aconteceu nos u.s open de 2017 e 2019.

    Eu afirmo: Se o pouca telha não vencer Rolang Garros este ano, não vencerá mais nenhum slam nunca mais!

    Responder
    1. José

      O jogador tem 7 Slams fora do saibro (mais do que o Boris Becker, por exemplo) e o sujeito diz que ele não ganha nada fora do saibro. Imagine se ganhasse…

      Responder
  58. Daniel

    Esses resultados de quartas foram muito bons para o tênis. Já passou da hora de termos uma renovação nos GS. Nadal e Djokovic estão há vários anos navegando em mares tranquilos, sem nenhuma concorrência (exceto um Federer quase quarentão que nem deveria estar jogando – é muita genialidade estar num nível tão alto nesta idade). Os únicos melhorzinhos da mesma época do espanhol e do sérvio, Murray e Del Potro, sofreram com lesões em seus auges.

    Bem, tomara que os jovens comecem a ameaçar de verdade, e seria demais isso já acontecer no AO. Acho que para o Djokovic, Thiem é mais ameaça que o Zverev, pois já venceu o sérvio em GS e está mais acostumado a enfrentar os grandes jogos. Tomara que consiga seu GS que já merece tb.

    Em relação ao jogo Federer vs Djokovic, é obrigação do sérvio vencer. Vive um ótimo momento, 6 anos mais jovem, e o suíço fez duas maratonas já. Mas nunca podemos duvidar do melhor da história. Mesmo aos 38, ele tem totais condições de derrotar o Cotonete, pois é muito mais jogador tecnicamente. Uma pena que hoje em dia, o lado físico e a regularidade se tornaram fatores até mais importantes que a técnica graças à tecnologia das raquetes e medicina esportiva, o que torna o estilo Maratenis muito eficiente e vencedor. Mas dá um sono….

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Falou as mesmas sandices de sempre, caro sparring 40-15. Mesmo que houvesse “só” Nadal e Djokovic, ainda seria superior ao período da entressafra com Fregueser e um monte de bêbados. E a verdade é que além dos dois, ainda havia o próprio suíço em ótima forma, Murray, Stan e Delpo. Sem comparações com a era fraquíssima 2003-2007.

      Frauderer só é melhor tecnicamente no jogo de rede, o que é muito pouco. No jogo de fundo é inferior aos arquirrivais e por isso levou 50 cacetadas no lombo, com 20×10 em Slam.

      Responder
  59. V Mauricio

    Boa tarde Dalcim.
    Lembro de uma vez, assistindo a um jogo de Nadal no início desta década, na ESPN, o Paulo Cleto comentar que o Nadal era o melhor fechador de sets que ele já tinha visto. Isso porque até essa época, sacando para fechar um set ou um jogo, Nadal subia ainda mais seu nível e não costumava dar chances ao adversário. Já tem algum tempo que não é mais assim. Ele tem ficado bem tenso nesses momentos de uns anos pra cá. Esteve na frente nos 2 primeiros sets e deixou escapar. E o Thiem jogou demais. Parecia que estava dando tudo certo pra ele hoje: bolas impossíveis em momentos decisivos. Mas mereceu. Uma pena que chegará na Sexta destruído fisicamente. Acho que a melhor final que o torneio pode ver é mesmo Djoko contra Thiem. Se fosse Nadal contra o sérvio, não ia ter muita graça. Acho também que pro espanhol foi melhor assim. Melhor perder do jeito que perdeu hoje do que levar outro sapeca iá iá do sérvio numa antes possível eventual final.
    Espero que Thiem passe pela semifinal. Ele está fazendo por merecer mais essa chance.

    Responder
  60. Fábio Marques

    Rpz… alguma coisa me diz q esse Australian Open será o início do fim para o Big 3. Acho q esse Thiem derrota tanto Novak (favorito) qnto Federer (zebra) a conferir…e vou além, essa vitória será importantíssima para q o Thiem finalmente consiga destronar o espanhol em RG.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Calma…primeiro ele tem que derrotar o Zé…Acho ate que é favorito.
      Tá jogando muito o austríaco, muito forte, resistente, rápido, e com golpes pesados e vencedores. Vem sendo mais agressivo…
      Mas, concordo que ele é capaz de vencer tanto Djoko ou Fed, e começar a mudar esse oligopólio dos Slams.
      Como o Dalcim escreveu, ele desde o ano passado tem vencido mais do que perdido para o Big3.

      Responder
  61. Chetnik

    Pessoal gosta de dizer que o Nadal tem sorte, que tem pacto com o demônio e não sei o que. Olha que eu até concordo rs, mas eu nunca vi um jogador com tanta sorte em quadra como o Thiem hoje. Foi bizarro. Todas as bolas que tocaram na fita foram a seu favor, várias em momentos importantes. Um monte de balão e bola despretensiosa caindo na linha…tudo aconteceu a seu favor hoje. Isso posto, mereceu ganhar. Foi mais corajoso e dominou a maioria dos pontos.

    Acho que o segundo AUSO não vai chegar mesmo para o Nadal.

    Enfim, jogo muito bom, mas ainda gostei mais do jogo deles no USO.

    PS: Concordo com o Pessanha. Vergonhosa a torcida dos caras na ESPN hoje. E ainda ficaram reclamando da juíza por cumprir as regras. Atitude totalmente não profissional.

    Responder
  62. Carlos

    Mesmo nos grandes torneios não só é comum haver alguns erros na organização, como chega a ser até normal, devido ao enorme tamanho do evento e diversidade de interesses envolvidos. Mas alguns erros me parecem simplesmente absurdos, principalmente quando repetidos ano a ano. É o caso das semifinais masculinas do AO, que são disputadas em dias distintos. Isso confere uma vantagem nada desprezível para o vencedor da primeira semifinal, que terá um dia a mais de descanso do que o outro finalista, principalmente já no fim do torneio quando o desgaste já está acumulado. Simplesmente não dá pra entender.
    Ah, já sei, alguns podem dizer que é por conta de interesses comerciais, já que as semifinais masculinas atraem maior interesse do que as femininas. Então assim tem jogo masculino todo dia, exceto no Sábado da final feminina. Então me digam uma coisa, por acaso o US Open é um torneio deficitário no dia que só tem semi feminina? Pois é assim que fazem lá. Está mais do que na hora do AO corrigir essa falha. Não entendo como que os jogadores não protestam abertamente contra isso. Se fizerem como é feito no US Open, os dois primeiros semifinalistas vão ter dois dias de descanso para a semi, MAS VÃO JOGAR ENTRE SI!!! E depois o vencedor desta vai enfrentar na final alguém que também teve o mesmo número de dias de descanso em relação ao jogo anterior.
    O que acha disso, Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Também não gosto, mas é assim há muito anos e ninguém reclama, principalmente porque o risco de adiamento da segunda semi é zero.

      Responder
  63. Luiz Fernando

    Outro detalhe, assisti uma parte do jg da Muguruza ontem a noite e a achei muito afobada e sem confiança no início; hj cedo vi q venceu e tomara q retome o caminho das conquistas. Além de excelente tenista, tem belas pernas…

    Responder
  64. Gilvan

    Fiquei muito feliz pela vitória do Thiem, principalmente depois da comemoração ridícula do Siri Careca após vencer o 3o set. O que foi aquilo, gente?

    Responder
  65. Luiz Fernando

    Falando hipoteticamente, tudo aponta p uma final entre Djoko e Thiem, embora ambos ainda precisem vencer seus jogos de semi. Sem meias palavras, o austríaco me prece mais capaz de vencer Djoko hj do que Rafa, em especial por ser mais agressivo e pela “fome” de vencer seu primeiro GS, embora não haja como negar o grande favoritismo do sérvio nesse torneio. Se retomar o número 1, algo bem provável, será merecido. Vamos aguardar as postagens plenas de ranço dos recalcados de sempre…

    Responder
  66. José

    Não sei qual o nível da lesão de Federer, mas talvez seja melhor se poupar, porque a chance dele vencer não estando 100% é baixa e ainda pode agravar a lesão. Talvez sua grande chance esteja em WB.

    Responder
  67. Ulisse Gutierrez

    Dalcim,

    Agora sem Nadal o Djoko que já era favorito fica mais ainda. Quem poderia fazer frente seria o Federer, mas está com problemas físicos.

    Responder
  68. Matheus Lago

    Ótimas vitórias de Zverev e Thiem, agora na semifinal o alemão tem que aproveitar o melhor momento da carreira em Grand Slams e utilizar isso a seu favor com altos índices de 1° serviço e de pontos ganhos com o 1° serviço, a esquerda e a direita precisam estar calibrados e a cabeça no lugar para ajudar o Federer no ranking.
    Do outro lado da chave, só resta torcer para o Federer.

    Responder
  69. Julio Sc

    Thiem merece demais o seu primeiro GS. Essa estatística contra o Big 3 enaltece ainda mais o merecimento dele.

    Vamos ver se tem jogo para vencer os próximos dois desafios.

    Responder
  70. Vitor Hugo

    Roger Federer:

    Maior vencedor dos slam mais importantes, Wimbledon e u.s open.
    Maior vencedor de big tittles.
    Maior vencedor do slam mais importante, Wimbledon
    Maior vencedor de slam
    Tenista mais técnico e habilidoso da história.
    Tenista que mais arrecada com patrocínio
    Tenista mais popular e com maior torcida

    Novak:

    Maior vencedor do slam menos importante e tradicional, AU Open
    Freguês de Stan em finais de slam
    Perdeu duas finais de slam pra Murray
    Tenista menos técnico e habilidoso entre os que venceram mais de dez majors
    Tenista que mais venceu slam fazendo uso de dopping tecnológico
    Tenista mais inespressivo e menos popular do big 3.

    Responder
  71. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]
    29 de janeiro de 2020 às 08:41

    “A desculpa da vez são as condições físicas.
    Qual a próxima?
    Djokovic não usa testeira e Federer sim?”

    Não, que isso…

    O gênio aqui é você.

    Querendo comparar um jogador lesionado que mal andava com o Djoko em plena forma.

    kkkk

    Responder
    1. Heitor de Oliveira

      O dalcim falou que, para amanhã, se federer estiver em condições de ganhar, ele entra em quadra. Ou seja, se mesmo com lesão e dor (algo que acomete todos os atletas), ele so entra se puder ser competitivo para ganhar.
      Dito isso, essa tua desculpa de que federer estava contundido e por isso a partida se estendeu não serve.

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Desculpe a intromissão, Heitor, mas são coisas diferentes. Ainda que machucado – e sem saber exatamente a extensão do dano – o atleta que está em ação no momento sente menos o problema, por conta do aquecimento dos músculos e da adrenalina envolvida. Geralmente, as contusões realmente machucam quando o corpo esfria e o músculo se retrai. Então não é tão absurdo nem incomum que, apesar do desconforto, um atleta siga jogando e lutando. mas acabe desistindo no dia seguinte. Observe que isso acontece com certa frequência no tênis profissional.

        Responder
  72. periferia

    Thien mereceu ganhar…..mas deu uma AMARELADA mostro.
    O jogo teve alguns balões…..nao foi um jogo bonito de se ver….fora as esquerdas Thien ….assim como o Wawrinka acho muito bonito o golpe.
    Os jogos do Nadal e do Djoko são feios…..os dois são monstros….mas jogam feio.

    Responder
  73. Evaldo Medeiros

    Rapaz, que vitória espetacular essa do Thiem. Perdeu dois match-points no 3o. set e ali já poderia ter liquidado a fatura e fechado em 3 sets. Mas errou um forehand bobo. Acho que ele gosta é de emoção. Hehehe. Brincadeiras à parte, que frieza do “garotão”. Que pancadaria… Que correria. E o Thiem não baixou a cabeça em momento algum. Super focado e determinado. É sério candidato a destronar o espanhol em RG. Quanto ao Nadal, é uma máquina. Incansável. Tinha físico para mais umas 3 horas de jogo. Jogou muito, mas foi superado por um adversário que jogou melhor e o surpreendeu. Aposto que ele vai colocar a culpa na juíza de cadeira porque ela quis aplicou a regra e não baixou a cabeça pra ele. Rss

    Responder
  74. André Barcellos

    Eu já desconfiava desse resultado do Thiem.
    Na verdade o que me surpreendeu foi como Rafa jogou bem.
    Para a final o mais lógico seria Nole vs Thiem.
    E aí qualquer coisa pode acontecer se o austríaco mantiver a cabeça forte

    Responder
  75. Rubens Leme

    É curioso ver como as entrevistas do Jim Courier e do John McEnroe sáo quase protocolares quando não é com um dos 3. Com o Thiem, Courier não fez piadas, não o relaxou, parecia um repórter comum. Acho que eles também estão se acostumando com os novos entrevistados.

    Thiem mereceu a vitória, mas não acho justo de chamá-lo de Next Gen, porque com os mesmos 26 anos dele, o Rei dos Reis se aposentou com 11 Slams.

    Responder
  76. Sandra

    Dalcim, gostaria da sua opinião , mas a impressão que me dá é que está cada vez mais difícil o big 3 ganhar mais spams, não sei se caso um dos ois passe Federer ou Djokovic conseguem ganhar do Zverev ou do Thiem

    Responder
  77. Bartolomeu

    Enfim a next gen faz uma campanha que se espera: avançando até as rodadas finais, e realmente chegando em condições de vencer o Big3.

    Admiro, sobretudo, a consistência de Thiem, que há anos já se firmou no top 10 e vem evoluindo com extrema regularidade. Não é um tenista de campanhas muito boas alternadas com derrotas frustrantes, o que tem sido uma característica de Zverev, seu oponente.

    Vamos ver como austríaco chega, pois vale apontar um histórico ruim: geralmente após uma vitória de peso ele perde rendimento na rodada seguinte, ao passo que o alemão, quando chega, costuma ser mais decisivo.

    Responder
  78. Valmir

    … Mandado foi ao Vietnã… lutar com vietcongs…..

    ….. A Austrália é o … Vietnã… do Nadal.

    Dalcim, pela sua idade, imagino que você já deva ter visto variações dessa frase em vários outros contextos.

    Considerando que Nadal ganhou somente um AO, mas…
    – perdeu 4 finais seguidamente (que ele disputou – 2012, 2014, 2017, 2019)
    – perdeu em primeira rodada (2016)
    – única vez que levou 3×0 em uma final de Slam (2019)
    – perdeu 3 tiebrakes (2020)
    – onde perdeu a chance de ganhar os quatro Slams seguidamente (2011)

    O… Down Under… é o atoleiro do grande Nadal !!!

    Responder
  79. Rafael Azevedo

    É muito bom ver o Thiem jogar. Acho que ele teria mais ousadia para enfrentar o Federer ou o Djokovic em uma final de GS.

    O Zeverev está jogando com muita inteligência nesse AO. Estou muito surpreso com a sabedoria tática dele. O alemão mudou completmente o seu jogo com o Wawrinka a partir do segundo set. Ele começou a correr mais para se defender e a bater mais fraco na bola, com a intenção de alongar os pontos. O Wawrinka começou a ter que fazer “dois” ou “três” winners por ponto (a primeira tentativa sempre voltava. Como consequência, os ponto terminavam com o erro do suiço. Achei brilhante. Pena que o Wawrinka não percebeu isso. Ele poderia, também, baixar a intensidade dos seus golpes e só buscar o winner em momentos mais “certos”. Porém, é claro que o serviço do alemão também melhorou a partir do segundo set.

    E sobre hoje, acredito, sim, que o Federer tem chances. Lembro que no Finals o Federer não teve boas atuações contra o Thiem e contra o Berretine, mas voou contra o Djoko. Ele sempre pode vencer o sérvio. Assim como o Nole sempre pode vencê-lo.

    Responder
  80. GUSTAVO DE ALMEIDA

    Acreditava numa semifinal Medvedev X Thiem: o primeiro vacilou, mas o segundo cumpriu fielmente a minha mistura de previsão-desejo: derrubou o Touro em 4 sets.
    Nadal jogou muito bem, mas Thiem não chegou cansado como em jogos anteriores. Assim, a potência de seu golpes manteve-se boa parte do jogo.
    Nessa toada, considerando q haverá teto retrátil em Roland Garros, o fator sorte-chuva (com adiamentos de jogos) será minimizado. Assim, talvez cheguemos ao GS da França como um novo favorito.
    Quanto ao Zverev x Stan, deu a lógica: as pernas do Wawrinka fizeram falta com o passar do tempo, algo q infelizmente deve acontecer com o Rei RF amanhã ( se ele for jogar).
    Por fim, gostei de árbitra de cadeira hoje: após estourar o tempo de saque por bem pouquinho várias vezes, Nadal tomou uma advertência quando o pouquinho aumentou. Também acho absurdo esses casos do jogador andar lentamente pra rede, procurar a marca e calmamente pedir desafio.
    Enfim, grandes jogadores têm de seguir a regra….
    falou palavrão (Federer) … punido
    Passou do tempo de saque com oponente já em posição.. advertência.

    Q vc achou da conduta a juíza, Dalcim?

    Responder
  81. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo Almeida]
    29 de janeiro de 2020 às 12:11

    “Repetiu de novo um dos maiores. Ainda bem que ele ficou lúcido e parou de ser político com o Jagua, rs.”

    Discordo!

    Lúcido foi o Ivanisevic que ontem mesmo disse que ajudará o sérvio a se tornar o maior. kkkk

    Ou seja, seu todo o staff do Djoko (incluindo o próprio) NÃO SE CONSIDERA o maior, quem é você para refutar?

    E nem poderia mesmo, já que o recorde de Slams, por hora, pertence ao Federer.

    E em médio prazo será do Nadal. Pois é ele quem tem 19, e não o sérvio…

    Abs.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Nadal não ganhará mais Slams. Tanto Thiem como Djokovic em “condições normais” poderão derrotá-lo em RG. Digo em condições normais, pois o sorteio sempre coloca Thiem e Djokovic no mesmo lado da chave em RG, de modo que o vencedor desse duelo acaba se desgastando para a final. Não acredito na lisura deses sorteios. Federer e Djoko (como já relatei aqui por diversas vezes) caíram do mesmo lado da chave em 11 GS seguidos (o que dá 1 chance a cada 2048 eventos).
      Abs

      Responder
  82. Fernando Godinho

    Fico com a impressão de que só o Thiem parece capaz de ganhar do Djoko nesse torneio. E fica pergunta Dalcim, se o Thiem ganha dá pra chamar de título da nextgen? Afinal ele já tem 26 anos e um bom tempo de circuito.

    Responder
  83. JAN DIAS

    Eu disse que o THIEM ia ganhar do NADAL..KKK…😅
    Agora só falta o ROGER 👑 ganhar do DJOKO..(Eu
    sei que vai ser difícil..).

    Mas, por outro lado, também seria bom um membro
    da NEXT GEN ganhar esse SLAM… não ficaria surpresa
    se o THIEM ganhasse, ele evoluiu muito na hard e tá
    jogando um bolão (apesar do início de ano devagar)..

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *