O reencontro está muito próximo
Por José Nilton Dalcim
26 de janeiro de 2020 às 13:29

Novak Djokovic foi soberano outra vez em quadra, Roger Federer começou lento e depois virou com folga. E assim o reencontro entre eles depende de apenas mais uma rodada no Australian Open, onde obviamente serão favoritos. O sérvio precisa passar pelo saque poderoso de Milos Raonic, o que já fez por nove vezes, e o suíço tem de superar outro jogador consistente do fundo porém hoje o 100º do ranking, Tennys Sandgren.

Como se esperava Schwartzman não deu tanto trabalho no piso duro mais veloz como já conseguiu no saibro e só pôde mesmo comemorar uma quebra de serviço lá na metade do segundo set, quando vinha de uma dura sequência de games perdidos.  Não se pode dizer que o argentino tenha jogado mal, porém falta potência diante de um adversário que se posta em cima da linha, impõe ritmo muito forte e saca com grande qualidade a maior parte do tempo.

Djokovic soma a 10ª vitória na temporada e parece extremamente improvável que Raonic consiga justamente agora acabar com o tabu pessoal. Na temporada em que atingiu talvez seu melhor nível técnico, em 2016, levou duas surras memoráveis do sérvio. O grandão canadense é uma surpresa neste Australian Open, não pelo currículo mas porque ganhou todos seus 12 sets mostrando até mesmo um backhand mais firme. Vale lembrar que só no ano passado ele se afastou por problemas nas costas,  joelho e quadril. Para chegar pela quinta vez nas quartas da Austrália, dominou um exausto Marin Cilic num duelo de ex-top 3 que não acontecia desde 2017.

Depois de um primeiro set preocupante, Federer acabou tendo uma vitória rápida e tranquila sobre um decepcionante Marton Fucsovics, que se mostrou inexplicavelmente apático a partir do 6/4, como se fosse ele quem tivesse 38 anos e lutado por 4h30 na rodada anterior. O suíço não foi brilhante, errou mais do que deveria na base e compensou tudo pelas maravilhas que consegue fazer na improvisação e nos voleios. Foi 37 vezes à rede e venceu 31 pontos. Ficou devendo um pouco com o primeiro serviço (61%), um ingrediente que precisa estar mais afiado a partir de agora.

Pela primeira vez, vai enfrentar Tennys Sandgren e, muito bem humorado na entrevista de quadra com John McEnroe, brincou que já jogou muito tênis mas nunca contra um Tennys. O norte-americano de 28 anos repete as quartas de dois anos atrás, quando surpreendeu Stan Wawrinka e Dominic Thiem, ao tirar os dois italianos top 20 do momento, Matteo Berrettini e agora Fabio Fognini, a quem também havia batido no último Wimbledon. Faz um pouco de tudo: saca bem, gosta de trocar bolas e ataca quando pode. Merece o devido cuidado.

Mais um passo para Barty
Ao menos no quadrante superior da chave feminina, deu a lógica. Ashleigh Barty reencontrará Petra Kvitova nas quartas de final. A canhota tcheca foi quem acabou com seu sonho de título em casa no ano passado. Pelo menos, a australiana ganhou os três duelos seguintes diante e assim a história pode ser diferente.

Mas a líder do ranking não jogou seu melhor nesta semana e a montanha russa diante de Alison Riske exemplificou bem isso, já que até o 4/4 do terceiro set estava tudo aberto. Vice do ano passado, Kvitova perdeu seu primeiro set e depois virou com autoridade sobre Maria Sakkari.

Quem passar, terá favoritismo natural sobre Sofia Kenin ou Ons Jabeur. No duelo americano, Kenin reduziu aos poucos a resistência de Coco Gauff até chegar a um ‘pneu’, mais uma prova de que a jovem Gauff ainda precisa dosar melhor a energia. A tunisiana – primeira árabe nas quartas de um Slam – tem um estilo vistoso, foi bem superior a Qiang Wang mas perdeu 3 dos 4 duelos que já fez contra a base muito sólida de Kenin.

Saiba mais
– Djokovic ganhou nada menos que 12 de suas 13 mais recentes partidas de Slam diante de um top 20. A exceção foi Thiem em Roland Garros-2019.
– Federer se isola como único homem a ter 15 presenças em quartas de final do Australian Open. E nunca perdeu nessa rodada em Melbourne.
– Djoko soma agora 72 vitórias em três Slam diferentes. A exceção é Roland Garros, com 68. Mas curiosamente é na terra onde ele tem mais quartas (13, contra 12 na Austrália e 11 nos demais).
– Mais uma vitória e Federer será o segundo tenista com mais triunfos num mesmo Slam (102), atrás somente de Navratilova (120, em Wimbledon).
– Schwartzman jamais ganhou de um top 5 em 22 tentativas, sendo seis em Slam.
– Sandgren é o jogador de mais baixo ranking a atingir as quartas de Melbourne desde Mikael Tillstrom, então 106º em 1996.
– Raonic lidera o quadro de aces do torneio, com 82, 7 a mais que Kyrgios. No feminino, Goerges atingiu 32 e isso a colocaria entre as 20 melhores do masculino.
– Stefani e sua parceira Carter foram muito bem e venderam caro a derrota nas oitavas. Os mineiros decepcionaram de novo: Soares parou em convidados locais e Melo, favorito nas mistas, parou na estreia e Bruno, nas oitavas.
– Com a queda em simples, o juvenil Gustavo Heide ainda tem uma chance nas duplas.


Comentários
  1. Thiago FR

    Federer só jogará 1 jogo nesse AO, estreará na semi final e ja ira embora pra casa. Pq convenhamos…chavinha arrumada pra ele ein…Não sei como deixaram o Djkko daquele ainda…talvez pq seria mto discarado o favorecimento.

    Responder
  2. Luiz Fabriciano

    Mestre Dalcim, vi hoje pedaços do terceiro e quarto sets entre Nadal e Kyrgios e me pareceu que entre eles, o jogo era extramente mental.
    E também devo reconhecer, ao menos, no que vi, um comportamento apropriado do australiano.
    Grande abraço.

    Responder
  3. Manuela

    Não tenho mais idade para ficar a madrugada acordada e aguentar bem o dia seguinte de trabalho. Kkkkkk

    Ontem aguentei até metade do stan x medvedev. Queria ter visto o jogo inteiro e depois o Nadal x Kyrgios.

    Não deu…

    Espero que a espn reprise o do espanhol com o australiano!!

    Responder
  4. Luiz Fernando

    Dalcim o q vc achou da parte física do Rafa em um jg de 3 hs e meia? Pergunto pois eu e outros ficamos em dúvida após as primeiras duas partidas…

    Responder
  5. Edi

    Deviam avisar o narrador da ESPN que quando se está perdendo um set com serviço quebrado 1 a 4,se dis vai sacar com uma quebra abaixo e não com um game abaixo,que agonia ouvir ele narrando assim.

    Responder
    1. Felipe

      Não sei qual narrador disse isso, mas muito nada a ver mesmo. O cledi Oliveira é pra matar. Fora Se achar engraçadao, têm brincadeiras muito bobas.

      Mudando de assunto: que chamada horrível da espn para o superbowl.

      Responder
  6. Luiz Fernando

    Rafa elevando o nível na hora certa, com mais winners (algo q eu não esperava pelo serviço superior do cara) e menos ENF que o australiano, agora outra partida complicada contra o Thiem, mas com a confiança em alta tem todas as chances de vencer…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro que têm chances, mas obviamente menores do que Nadal ou Djokovic. Stan tem a experiência a seu lado, mas nunca sabemos como estará seu físico.

      Responder
  7. Paulo Almeida

    O Wawrinka quando tem consistência é o melhor suíço da história mesmo. Único que realmente fez mal ao GOAT Djokovic depois que este elevou seu nível de jogo a partir de 2011.

    Jogo duro pro Nadal, mas no final deu a lógica. Kyrgios só tem saque e jogadinhas de efeito. Na trocação é surrado com facilidade.

    Responder
  8. Luiz Fernando

    Quem diria, Zverev q se caracterizava p jogos de 5 sets desde a estreia em GS chega nas quartas sem perder nenhum, será q vai voltar ao caminho certo depois de tantas cabeçadas?

    Responder
  9. Paulo F.

    Falar mal do Nadal, é fácil.
    Afinal, como diz o chavão, até papagaio fala.
    Mas GANHAR é bem mais difícil, né ò abobado mal-caráter queridinho dos Federistas?

    Responder
  10. Luis

    Dalcim foi muito legal a entrevista do Federer com Mcnroe suíço deu gargalhadas rsss difícil um tenista que tem esse clima com as pessoas,triste perda do Kobe quem fez eu gostar dos Lakers e tinha uma paixão e vontade que só os fora de série tem,legal o Raonic bem,e Federer perto da semifinal na Austrália (ar parece melhorou quase não se comenta mais rs)

    Responder
  11. Luis

    Muito triste pelo falecimento do Kobe.
    Dalcim, pelo o que parece ele e o Djoko eram bem próximos, inclusive o Kobe era uma espécie de mentor para o sérvio e o ajudou muito durante sua parada devido à lesão no cotovelo.
    Acha que isso pode prejudica-lo de alguma forma?
    Pelo menos ele não joga hoje.
    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não sei se seria um mentor, mas foi importante no período do problema no cotovelo e os dois criaram amizade forte. Por sorte, haverá sim mais um dia. Penso que o Kyrgios seja outro a ficar afetado com a triste perda.

      Responder
  12. Maurício Luís *

    PERIGO que eu vou acordar às 5 da matina pra ver esse circo de horrores que é o jogo do Nadal. Depois vou ter pesadelos. Vou dormir que eu ganho mais. Além disso, sou muito pé-frio. Sempre que torço pra ele se estrambecar, ele ganha. Que ó…

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Um dia você ainda vai entender que um Slam cuja segunda força é o Roddick não é igual a outro com o Big Four fazendo as semifinais. Tenho esperança.

      Responder
      1. Maurício Luís *

        Há finais de Slam + fáceis e menos trabalhosas do que outras, decididas no quinto set. Isso é fato. Agora… pra mim, e pra muitos outros aqui no blog , Slam é Slam. Não tem essa de peso. Aliás, não me lembro de ninguém aqui no blog, nenhum comentário sequer, que concorde com esse negócio de peso.
        Mas como estamos numa democracia, fique em paz com suas convicções.

        Responder
  13. Paulo Almeida

    Kobe Bryant era amigo do Djokovic, já esteve em várias partidas (principalmente no US Open) e também o considerava o melhor da história. O sérvio já prestou suas homenagens.

    Não sou muito fã de basquete, mas de fato foi uma grande perda para o esporte em geral.

    RIP.

    Responder
  14. André Barcellos

    Estava revendo o jogo do Kyrgios contra Federer em Miami 2017.
    Kyrgios jogou demais!
    Mas…Como o suíço estava bem naquela partida!!! BH afiadíssimo.
    Aliás, naquele começo de ano estava voando.
    Pena que não sobrou nenhuma partida contra o sérvio em 2017. Ia tomar de cinto o cotonete.
    Neste ano não vi nem sombra daquela forma ainda.

    Responder
  15. maior geração da historia tenis chegando

    bom qualquer criança sabe que federer é muito melhor que djokovic.. entao se tiver outro confronto denovo djkovic vai passar vergonha ganhando o jogo correndo igual um louco.. djokovic e nadal são o klose do tenis são limitados comuns mais tem sorte e fisico so isso..mais são pessimos jogadores

    Responder
    1. Flávio

      Que péssimo, pois o Djokovic é um grande jogador, mesmo eu sendo um admirador do Federe reconhece a grande qualidade do Djoko, então pare de dizer besteira. 😒

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Todos os especialistas, professores, atletas sempre explicam, mas há os que insistem em não querer aprender. Tênis, para ser bem praticado e fazer campeões, necessita de três elementos: cabeça, técnica e físico. Se tirar qualquer um, seja qual for, não produz campeões.

      Responder
  16. Edi

    Dalcin,analizando jogo do Djokovic x Diego ,a facilidade como ele muda da cruzada pra paralela é de deixar o adversário maluco,pois nunca bate na bolinha equilibrado,tu acha que ele pode ser considerado o melhor nesse quesito também?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu o coloco entre os melhores, já que me parece difícil uma comparação nesse quesito. Agassi, Davydenko, Nalbandian faziam isso com gigantesca maestria e naquela época a bola era mais leve e rápida, ainda que os golpes dos adversários andassem menos que hoje.

      Responder
  17. Roberto

    Dalcim,
    Voltando ao triste assunto do Feijão.
    Se ele foi suspenso para sempre, qual o sentido de se pagar multa? Afinal, a multa, nestes casos punitivos, por tribunais e órgãos esportivos, é um pré-requisito para voltar a jogar.
    O que não estou entendendo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acredito que seja uma tentativa de punição pela suposta quantia que ele teria ganhado de forma incorreta, mas realmente não entendi muito bem. Afinal, ele não tem dinheiro retido na ATP e, como não vai mais jogar torneios das entidades oficiais, nem sei como seria feita essa cobrança e o que aconteceria se ele não pagasse. É algo que eu preciso entender também.

      Responder
      1. Barocos

        Acredito que a multa venha a ser aplicada se o Feijão conseguir qualquer ganho em atividades oficiais da ATP, por exemplo, daqui a alguns anos como comentarista. A entidade tem também o poder de cobrar medidas dos patrocinadores e estes podem optar por processar os atletas ou terminar sem ônus contratos de imagem e publicidade, como aconteceu com o Lance Armstrong (que teve que devolver troféus e perdeu os títulos conquistados).

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          A ITF não me parece ter como cobrar nada do Feijão se ele não estiver jogando e ganhando prêmios oficiais. Querer que ele pague do salário de comentarísta é um tanto irreal, a menos que consiga uma ordem judicial internacional. Não sei se isso é possível.

          Responder
    1. José Nilton Dalcim

      As quadras estão consideravelmente velozes, mas as bolas ficam mais lentas quanto muito gastas. De noite sempre é mais lento, mas o Federer não pode exigir isso. Semifinais acontecem sempre na rodada noturna local, isso não há como mudar.

      Responder
  18. Felipe

    Evaldo Moreira, muita tragédia!! Qdo escrevi ainda não tinha sido confirmado que a filha estava junto, por isso não mencionei. Muito terrível, muito triste…

    Responder
  19. Gildokson

    Que domingo triste, um gênio do esporte partiu sem que ninguém esperasse, e pra piorar com um de seus anjinhos.
    Kobe foi um gênio que tive o prazer de acompanhar na minha juventude inteira, e parecia ser muito humilde. 😔

    Responder
  20. Evaldo A Moreira

    Dalcim,
    Mudando o rumo da prosa , mas Del Potro vai operar o mesmo joelho, o que deu errado , fizeram a cirurgia, o cara passa por etapas dolorosas para se recuperar, é a dor continua , ainda mais quando ele sobe as escadas por exemplo, mas será que ele volta mestre ?, sei não me cheira a aposentadoria , o que achas !?.

    Responder
  21. Efraim Oliveira

    Passei a gostar dos Lakers por causa do Kobe Bryant e consequentemente do basquete. Kobe foi incansável na busca pela excelência, o seu legado transcendeu o esporte.

    Responder
  22. Paulo F.

    Djokovic x Federer é o melhor confronto entre o Big-3.
    Djokovic x Nadal é a maior e melhor rivalidade da história do tênis.
    Nadal x Federer é paternidade, bonus game para o espanhol.

    Responder
  23. Luis

    Mestre, com aquilo que foi mostrado até aqui, enxerga alguma possibilidade do Federer vencer um eventual confronto com o Djokovic?. Sinceramente, acho impossível!!!!

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Claro que existe, assim como existiu em todos os confrontos de 2011 pra cá. É um grande clássico.

      O problema é que quando perde vem a velha desculpa esfarrapada de idade, mas quando ganha é gênio.

      Responder
  24. DANILO AFONSO

    Dalcim, fugindo do tema postado, como é sua rotina no aberto da Austrália para cobrir jogos em plena madrugada ??

    Os textos você inicia e finaliza logo após o último jogo do dia ou deixa para escrever à tarde ??

    Dorme pela manhã e/ou à tarde ?? Sono fracionado ? Nestes 14 dias dormi menos de 6 horas por dia para dar conta da carga de trabalho??

    Apenas curiosidade deste assíduo leitor.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O Australian Open é o Slam mais penoso em termos de trabalho, Danilo, porque reduz drasticamente o período de descanso, já que meu dia vai muito além dos jogos. Quando consigo dormir um pouco à tarde, fica melhor, mas isso é bem difícil. Gravo muitos jogos da madrugada e tento rever pela manhã. Vou anotando o que acho interessante citar e monto o texto ao final da rodada toda, principalmente porque os grandes sempre jogam cedo e eles são o foco essencial.

      Responder
  25. PIETER

    Dalcim, você acha que o reinado da Ashley Barty no topo do ranking feminino será duradouro? Como ela é habilidosa, tendo muitos recursos técnicos e táticos, e jogando diferente do padrão das outras meninas, apesar de ser baixinha para os padrões atuais do jogo.
    E quem você preferiria ver jogar em um GS, ela ou a Justine Henin, outra baixinha sensacional do tênis feminino?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Os estilos são bem parecidos, Pieter, aliás eu já tinha dito isso aqui outro dia. Olha, o problema da Barty para mim é que ela não foca o tênis como prioridade absoluta, então eu acho que não terá um reinado muito longo, apesar de acreditar em muito sucesso.

      Responder
  26. Bruno Gama

    Agora vamos esperar a chancela do Paulo Almeida pra saber quem vai ser o campeão do Australian Open, se por acaso o Monfils chegar na final e perder pro Federer, é capaz do Paulo Almeida nem homologar o título e o torneio ficar sem campeão.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Se ele não homologar, o Federer entra com recurso dizendo que a balança que o Paulo Almeida usou pra definir o peso do Slam não foi aferida pelo INMETRO.

      Responder
  27. Rodrigo S. Cruz

    Tecnicamente falando o melhor jogo da rodada foi entre Fognini e Sandgren.

    Que Jogaço!

    Como o “Fabuloso” botou esse cara pra correr, e impressionante como ele conseguia chegar em TODAS!

    Fisicamente, parecia o Djokovic…

    Agora, a perda do terceiro set foi muito frustrante para ele, e se o Fognini tivesse faturado o quarto set, já era!

    Deu para ver que o Sandgreen já estava começando a ficar sem pernas e se culpando demais por qualquer ponto perdido…

    Responder
  28. Ronildo

    Djokovic pegou a chave mais baba de todos os tempos. Do lado da chave dele só havia o Tsitsipas e o próprio Federer com seus 38 anos com armas para vence-lo. Se passar pelo Federer na semi, tomara que encontre o Medvedev ou o Thiem na final. Se encontrar um destes dois será vice. Se por acaso Federer chegar na final, vencerá Medvedev e perderá para o Thiem.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Jamais haverá uma chave tão ridícula quanto a do Australian Open 2006 com Baghdatis na final, nem mesmo a do Federer até a semifinal desse ano.

      Responder
        1. Paulo Almeida

          Você vai torcer pro Nadal contra o Kyrgios mesmo? Pior que já disse que torceria pelo Dono do Morro até contra o Federer.

          Conversa pra boi dormir…

          Responder
  29. Carlos

    Dalcim,

    Federer é mesmo espetacular. Não basta ganhar de tenistas como Nadal, Djokovic, entre outros. Hoje ganhou do Ivan Drago. Eu, particularmente, achava que o Drago estava aposentado do boxe depois da derrota pro Balboa, mas eis que vejo, com surpresa, que hoje está em quadras de tênis atendendo pelo nome de Fucsovics. Da Rússia resolveu se estabelecer na Hungria, com a sua costumeira “cara de paisagem”.

    Brincadeiras à parte, o tal de Fucsovics não esboça nenhuma reação. Achei graça do comentarista da ESPN interpretando reação do húngaro, falando que ele não estava com cara de quem queria uma virada. O húngaro, na verdade, não tem cara de nada, sentimento zero…rsrs

    Responder
  30. Vitor Hugo

    Eu não sei em qual posição de rivalidade está o confronto Federer x Djokovic, até porque, é difícil medir já que o suíço é que trás audiência, dá espetáculo e leva o confronto “nas costas “. A diferença de capacidade de dar espetáculo e popularidade entre os dois é muito grande!

    Já Federer x Nadal, disparado o maior confronto da história, existe um equilíbrio maior, senão pela beleza de jogo dos dois tenistas, já que não dá pra comparar a técnica e a habilidade do espanhol com o suíço, mas pela popularidade, pois Rafa tem uma grande torcida.

    O segundo maior confronto da história, sem dúvidas, Borg x Big Mac.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E além dessa questão da popularidade, o Fedal é um confronto de estilos.

      Por isso é sempre tão empolgante.

      Federer x Djokoivc também é interessante por esse motivo, mas sem dúvida perde pro Fedal…

      Responder
    2. Paulo Almeida

      Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, esse post foi engraçado e merece até resposta.

      Realmente o Fregueser leva nas costas uma bela surra de 10×6 em Grand Slam do GOAT Djokovic, kkkkkkkkk.

      Equilíbrio no Fedal com 24×16 no h2h e 10×4 em Slams, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Não vejo por que tanto alarde…

        O Nadal só tem esse h2h porque saibro é a vida dele, e ambiente mais desfavorável pro Federer.

        Se as 5 finais de RG entre eles tivesse sido 5 Wimbledons teria sido uns 4 x1 pro suíço.

        Próxima!

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Realidade: tinha 9×6 no hard até 2015 e ainda tem 3×1 no Australian Open. Confronto equilibrado nesse piso e surra absurda no saibro. A grama ocupa pouco espaço no calendário, daí apenas quatro confrontos.

          Responder
    3. José Eduardo Pessanha

      Não vejo essa popularidade toda do Nadal frente ao Federer. Em qualquer lugar, menos na Espanha, o Federer tem pelo menos 85% da torcida nos confrontos Fedal. Fácil.

      Responder
  31. Paulo Almeida

    Grande Futchovitch. Isso porque estava jogando o melhor tênis da carreira. Bagraço horroroso, ainda bem que fui dormir.

    Thiem e Zé Verev devem passar sem sustos, Medvedev e Nadal em quatro sets.

    Responder
  32. André Barcellos

    Como fã do suíço admito: a idade chegou de vez.
    Ganhou enrolando o Fucsovics, que se perdeu no jogo.
    Mas Federer está muito lento. Simplesmente não consegue retomar a velocidade nas trocas. Todo mundo já entendeu que tem que abrir na direita dele, depois de insistir na esquerda, porque ele está chegando muito mal ali.
    Nos primeiros jogos não deu pra perceber isso porque ele estava mais descansado e acabou jogando pouco.
    Mas depois da maratona passada não creio que ele terá pernas pra mais jogos duros ou longos.
    Não aos 38 e meio.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Relaxa, André.

      O que percebo é que o Federer tem procurado se poupar o máximo possível…

      Só não entendi o motivo dele praticamente ENTREGAR o primeiro set pro bagre do Fucsovics.

      Por saber que ganharia quando tivesse vontade?

      Sei lá.Talvez…

      Mas acredito que ele está poupando baterias para mais um confronto com o Djokovic.

      Só que tem um pequeno porém aí:

      Ele não pode desprezar esse Tennys Sandgren.

      Eu assisti o jogo dele inteiro com o Fognini, e o que o italiano fez esse cara correr não está escrito!

      E mesmo assim ele teve resposta para tudo.

      Ou seja, se o Federer não tomar bastante cuidado pode cair no mesmo PESADELO que foi com o Milman…

      Responder
    1. Flávio

      Vitor discordo em colocar a Serena na frente da Steffi, pois a Steffi foi muito maus jogadora que a Serena e também mais vencedora, e o Djoko nunca é o último, pra mim ele é top 3 nessa sua lista com Federer e Steffi.

      Responder
  33. Matheus Lago

    Boa virada do Federer hoje igualando suas vitórias de Wimbledon e agora enfrenta um adversário bem perigoso em Slams, mas acho que passa e vai para a semifinal.
    Djokovic deve passar pelo Raonic, ao menos é essa a tendência.
    Bons jogos hoje e amanhã com Wawrinka vs Medvedev(torcida para o suiço), Nadal vs Kyrgios(torcida para o australiano), Thiem vs Monfils(não sei para quem torcer, depende do jogo Nadal vs Kyrgios) e Zverev vs Rublev(torcida para o russo).

    Responder
  34. Paulo Almeida

    Não existe vassalagem do Busta pro Nadal. Como um cara que é ruim em todos os fundamentos vai ganhar do rei do saibro? O único compatriota que pode vencê-lo é o Agut da massa em um dia inspirado, em uma quadra rápida e em um dia não muito bom do rival.

    E o bagre Foinha tomou outra surra do fantástico Sandgren, kkkkkkk.

    Responder
  35. Nattan Labatto

    É, srs (…) o tão aguardado encontro se aproxima!!!

    Torço para que ambos confirmem nas quartas, pois, ver Djoko x Federer, é sinônimo de espetáculo 😎, a segunda maior rivalidade de toda a história do tênis caminha para o seu 50° capítulo. Queiram os deuses que Nole submeta a 27a derrota ao suíço com requintes de crueldade e contundência no resultado 💪🙏. Como Nolista, sei que se tem um cara que pode fazer frente ao Djoko na hard, chama pelo nome de Roger Federer, o King Lion, por isso tô escaldado 😥 rsrs…

    Incrível notar o quanto Federer é refém do saque, quando entra e funciona ele é de fato um Leão 🦁, agora, quando falha e ñ tá num dia bom, vira um gatinho 🐈… Fundamento este q o sérvio tem se destacado, somando 55 aces até agora no torneio (efeito Goran Ivanisevic) 👏…

    Se mantenha firme devorador mundos, quebrado de correntes, domado de touros, caçador de Leões e dono do Olímpio. Estamos com vc… Só faltam 3 🙏

    Abs

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Simples, caro Labatto. Federer é o único tenista do circuito. Seu jogo é de habilidade, toques e improvisos. Não existe mais tênis, hoje existe somente o Porradatênis e o horrendo Maratênis. Federer é de um outro esporte, que infelizmente não existe mais. Faz milagre nessa era de corredores.
      Abs

      Responder
      1. Nattan Labatto

        Tens razão, nobre Pessanha. Contudo, Federer a muito tempo adaptou seu jogo aos moldes atuais, mantendo a forma física de forma parelha ao de Nadal e Djoko, vide o W19, a lenda tava inteira, perdeu no detalhe…

        Responder
        1. José Eduardo Pessanha

          Ouso discordar. Se o Federer tivesse o físico dos seus anos dourados, teria ganho com certa facilidade as 3 finais de Wimbledon disputadas contra Djokovic. rs
          Abs

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Além de mim, Federer também discorda de você. Em 2015, na cerimônia de premiação, pela primeira o vi elogiar contundentemente Djokovic, dizendo que ele era o cara que jogou melhor a final, com essas palavras: “Hoje perdi para um cara que jogou melhor e vinha jogando melhor a semana, o mês, os anos…” – Roger Federer.

  36. Adriano Souza

    Se o Raonic acertar uma boa porcentagem de primeiro serviço, o Djokovic terá que suar muito pela vitória
    O Canadense é o melhor sacador do mundo na minha opinião

    Responder
  37. Fabio

    Dalcim, voce acredita que o Federer tera mais chances na próxima rodada jogando de dia (quadra mais rapida) e pelo estilo de jogo do adversário? Vejo ele sempre comentando sobre a lentidão da quadra de noite… Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sandgren saca bem, mas não vem tanto para a frente, prefere decidir lá de trás. Então acho que jogar de tarde pode ajudar Federer, sim.

      Responder
  38. Rafael Azevedo

    Esse Argentino é um discípulo do Ferrer mesmo…
    Guerreiro, baixinho, bons golpes de fundo de quadra, vence vários jogadores bons, mas não faz nem cócegas no Big3.

    Responder
  39. rafael

    Muito bem relatado o jogo do Federer. O húngaro simplesmente desanimou depois de ganhar o 1 set. Inacreditável! O Djoko mesmo com várias trocas de bola, passou bem com os 3 x 0! Como ele se movimenta e troca de direção com uma facilidade irritante!
    Que bela rodada teremos logo mais!
    Mestre, você acha que o Raonic e o Sandgren tem chances de aprontar?
    E que

    Responder
  40. Sandra

    Dalcim , vejo sempre você computando os recordes do Federer , e você tem toda razão , mas você já parou para pensar que Nadal e Djokovic tem menos 6 anos que eles ? Acredito até que eles
    Não cheguem a idade dele , mas não da para tirar o valor dos dois !!

    Responder
  41. GUSTAVO DE ALMEIDA

    MESTRE DALCIM, vc sabe qual é normalmente o horário dos jogos de semi masculinas na quinta e sexta-feira?
    Ainda continua aquele esquema de rodada diurna e noturna?
    Torcendo pra não ser tão tarde pro jogo ficar mais rápido e dar uma chance maior do Rei contra o Djoko.

    Responder
  42. Edi

    Acho o Thiem ,correndo por fora, não está tão badalado nesse Ao,mas pode surpreender, melhorou muito nas hards,recebendo serviço mas na frente,e tem um jogo que pra mim,depois do Federer, é o mais bonito de se ver,aposto nele pra chegar na final contra o Federer ou o Djokovic.

    Responder
  43. Lucas

    Dalcim , Federer passando pelo próximo adversário jogando terça , voltaria a jogar na sexta , o que seria ótimo negócio , fisicamente.Mas pelo que vem apresentando , pra pensar em pelo menos endurecer um provável jogo contra Djokovic precisa melhorar , e muito .Pra você qual aspecto do jogo do suíço tem deixado mais a desejar : saque , movimentação ou forehand ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O Australian Open separa as semifinais, portanto seria quinta-feira. Acho que ele precisa melhorar um pouco de tudo. O saque ainda não funcionou tão bem, a movimentação tem alguns problemas e o forehand de ataque falhou mais do que o normal hoje.

      Responder
  44. GUSTAVO DE ALMEIDA

    Raonic está firme, mas teria mais chance com o Djoko se o jogo fosse de dia, com as condições mais rápidas. O jogo quase certamente será a noite.
    De todo modo, claro q pode surpreender, principalmente diante de tie-breaks.
    Federer jogou bem e não se cansou muito. Só não ganhou de 3/0 porque o Húngaro defendeu muito bem o saque do Rei no set inicial. Próximo jogo tem algum perigo, mas deve ganhar. Vai ser bom pra manter o ritmo, mas deve ter cuidado para não perder sets.
    Nadal favorito amanhã, especialmente considerando o desgate do showman Kyrgious. De todo modo, o primeiro set me parece bem determinante para restante da peleja. Se sair atrás, acho q o Aussie vai desanimar pro resto do jogo.
    Thiem tem tudo para vencer o Francês. Na hora dos slams, este sempre dá uma falha da a partir das oitavas ou quartas.
    Jogo imprevisível mesmo é Zverev vs Rublev: promete muito!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Somente parece , caro Valmir. De resto , Nalba ( da ” Entressafra” ) jogava muito mais. Federer hoje tirou o peso da bolinha ( Slices pra lá de venenosos ) e cortou o físico do marreteiro Húngaro ) . Além de ir a rede mais de 30 vezes. A chave ficou a feição pra ele e Novak, pois a Next Gen e Fognini , caíram cedo. Mas pode avisar aos amigos da Kombi. Pela esplendorosa forma apresentada, o N 2 atual leva o Octa. Já dá até pra por Airbag no veículo. ABS !

      Responder
  45. Efraim Oliveira

    A Gauff me lembrou o Monfils, que começa a todo gás e termina a partida morrendo. Quando ela melhorar o condicionamento físico provavelmente dominará o tênis. Talento pra isso ela tem.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *