Todo mundo feliz
Por José Nilton Dalcim
16 de janeiro de 2020 às 16:13

Apesar de uma dificuldade maior aqui ou ali, os quatro principais nomes da chave masculina do Australian Open não podem se queixar do sorteio realizado nesta manhã, em Melbourne. Há bons jogos para testar a todos na primeira semana e obviamente esquentar o clima a partir das quartas. Novak Djokovic e Roger Federer ficaram do mesmo lado, deixando Rafael Nadal e Daniil Medvedev no outro. Imagino que todos saíram satisfeitos, até mesmo os organizadores, já que abre a possibilidade de Nadal e Federer lutarem diretamente pelo recorde de Grand Slam na final. Já pensou?

Djokovic ficou a pior estreia entre os grandes favoritos, já que o alemão Jan-Lennard Struff tem um jogo agressivo, mas nem de longe ameaça o favoritismo do sérvio em condições normais. Daí Nole deve embalar, com algum possível trabalho contra o tênis variado de Daniel Evans e pouca dificuldade se pegar Diego Schwartzman, exceto a paciência, ou o amigo Dusan Lajovic.

Claro que a partir daí começa a afunilar e o adversário pode ser então a base firme de Roberto Bautista ou o estiloso Stefanos Tsitsipas. Mas nem eles podem ser dados como certos lá na frente. Bautista tem estreia perigosa contra Feli Lopez e está num grupo dos experientes Benoit Paire e Marin Cilic. O grego não foi tão bem na ATP Cup, defende semi e terá de administrar o emocional. Philipp Kohlschreiber é sempre um perigo, por exemplo.

Sem jogos preparativos para o torneio, Federer é incógnita. Também não se tem certeza ainda qual a velocidade real do piso. Não corre risco na estreia diante de Steve Johnson, mas precisa de cuidado com o sacador Filip Krajinovic e mais ainda em seguida, seja o ascendente Hubert Hurkacz ou o hábil defensor John Millman, aquele do US Open-2018. Ainda assim, tudo indica que o suíço irá adiante para encarar Denis Shapovalov ou Grigor Dimitrov. O canadense, diga-se, não terá vida fácil: Marton Fucsovics e quem sabe Jannik Sinner antes de Dimitrov. E as quartas parecem ainda mais amenas e quase um sonho: Matteo Berrettini ou Fabio Fognini? Guido Pella ou Borna Coric?

A sequência de Nadal é um tanto parecida com a de Djokovic e terá três rodadas mais tranquilas para adquirir ritmo e confiança depois da frustração da ATP Cup. O número 1 estreia diante do habilidoso boliviano Hugo Dellien, pode encarar depois João Sousa ou Federico Delbonis e garantir-se nas oitavas contra o amigo Pablo Carreño. Só então poderá ter um desafio maior diante do desafeto Nick Kyrgios, caso o australiano confirme favoritismo num setor que tem Gilles Simon e Karen Khachanov. Nada mau para o momento.

O austríaco Dominic Thiem aparece como possível barreira para Rafa nas quartas de final. O cabeça 5 estreia diante do canhoto Adrian Mannarino. Sua terceira rodada promete ser dura diante de Kevin Anderson ou Taylor Fritz. Seus oponentes de oitavas mais prováveis são Gael Monfils e Felix Aliassime.

É fundamental ficar de olho em Medvedev. O russo vem de ótimas exibições na ATP Cup e assim é o mais indicado para ir até a semifinal no seu quadrante, o que permitiria reviver a final do US Open diante de Nadal. O instável Frances Tiafoe é seu adversário inicial, Jo-Wilfried Tsonga pode ser o de terceira rodada e John Isner ou Stan Wawrinka, o de oitavas. O outro quadrante tem infinitas possibilidades, mas não dá para apostar em Alexander Zverev. Me parecem mais cotados o russo Andrey Rublev ou o batalhador David Goffin.

Thiago Monteiro não deu sorte e enfrentará pela primeira vez o super-saque de John Isner, algo bem indigesto. Para piorar, Isner embalou e está na semi de Auckland, ganhando mais força. Mas o canhoto cearense fez dois bons jogos no mesmo torneio, ao vencer Cameron Norrie e tirar um set de Benoit Paire. Resta torcer.

Feminino muito mais difícil
Completamente oposta, a chave feminina me pareceu bem desequilibrada. Na parte superior, ficaram nada menos que a número 1 estrela da casa Ashleigh Barty, a atual campeã Naomi Osaka, a perigosíssima Serena Williams e a experiente Petra Kvitova. Pode dar absolutamente qualquer coisa.

Barty tem chance de cruzar com Kvitova, vice de 2019, nas quartas, mesma rodada que teria o reencontro de Osaka e Serena, ou seja promessa de um dia espetacular. A japonesa encara um quadrante exigente, com Sloane Stephens, Sofia Kenin, Coco Gauff ou Venus Williams, que outra vez se pegam logo na estreia.

O lado inferior ficou mais fraco, com Karolina Pliskova, a instável Simona Halep e a imprevisível Elina Svitolina. Talvez valha ficar atento a Aryna Sabalenka nesse lado da chave.


Comentários
  1. Evaldo A Moreira

    É brigas e chacotas por todos os lados, sempre a mesma ladainha, gostaria de saber de onde o Dalcim tem tanta paciência e além disso, tem que os comentários e liberar, sangue do cordeiro.
    Mas, vamos ao que interessa, Shapovalov jogou até bem, mais o nervosismo tomou conta, Dimitrov, susto inicial , mas conseguiu a virada , Serena veio com tudo , saque afiado e belas devoluções, Roger , saque bom , backhand bom, transição a rede foi Boa, embora alguns erros, nem parece que estava sem ritmo, antes que falem , digo que o americano não ofereceu resistência, pareceu cansado.
    Bom foi os jogos que vi, os demais não vi, mas vi na tenisbrasil que o Djokovic teve um bom teste.

    Responder
  2. Davi F. Poiani

    Dalicm, o Federer veio a comentar sobre as condições de jogo e disse que as achou semelhante. Nesta primeira rodada, tive a impressão das condições estarem bem favoráveis a seu jogo, a quadra me pareceu rápida pela maneira fácil e fluída que ele jogou. Que impressão você teve com relação à velocidade da quadra? Trata-se do mesmo piso da ATP Cup, não é isso?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, todos os torneios australianos trocaram para o Greenset e usaram a bola Dunlop. Federer afirmou que a bola é rápida no começo mas depois fica bem mais lenta.

      Responder
  3. Sérgio Ribeiro

    O que adiantou Shapovalov ter tanto ritmo de jogo depois de boas exibições na ATP CUP , e cometer mais de 60 ENFS contra o Húngaro de nome complicado ? E todo irritadinho , mereceu ser o responsável pela primeira Zebra do AOPEN 2020 . Lamentável. E Borna Coric também perdendo em Sets diretos para o veterano “ Coringa “ , Sam Querrey ? É mole ou quer mais ? Steve Johnson vinha de 4 Vitórias consecutivas sobre John Isner , Federer ( sem ritmo rs ) não tomou conhecimento do Norte- Americano. Animadora exibição do Velhinho. O Craque desde que bateu Sampras em Wimbledon 2001 e perdeu para Agassi no USOPEN do mesmo ano , nunca mais perdeu para um Norte-Americano em SLAM. Foram 38 Vitórias consecutivas . Incrível ! Ps. A Rainha também aos 38 , não deixou por menos. Olho ! Abs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pra não passar batido Novak não teve a mesma sorte com Roddick e Querrey, e Rafa Nadal com Roddick e James Blake. Mas esses não contam pois são da “ entressafra “ rsrsrs Abs!

      Responder
  4. Rubens Leme

    Dalcim, tinha uma matéria legal no site da ATP sobre o Sinner e uma sina (perdoe-me o trocadilho): os dois últimos campeóes do ATP Finals Next Gen (o sul-coreano Chung e o Tsitsipas) chegaram imediatamente às semifinais do Australian Open, o primeiro Slam da temporada, após vencerem o torneio e perguntaram pro Sinner se ele manteria a escrita.

    Ele disse que seria um sonho, mas por ser mais novo que os anteriores – tem apenas 18 anos – acha que ainda precisa de uns três anos para amadurecer seu jogo.

    Ainda assim, vale ficar de olho, porque deve avançar à segunda rodada.

    Responder
  5. Rubens Leme

    Dalcim, vai ter bolão do Australian Open? Porque se tiver, quero entrar, já acertei meu primeiro palpite, a vitória do Sam Querrey em cima do Borna Coric. Apostamos (eu e mais dois amigos) em dois jogos agora, este e do Shapovalov, onde apostei no outro azarão, o húngaro.

    Aliás, vi o jogo inteiro do Querrey e foi um passeio. 3×0 fácil, o com o Coric se mexendo mal, enquanto o Querrey fez vários winners de devolução no segundo saque do croata.

    Responder
  6. Erick Fioretti

    Dalcim, tudo bem?

    À parte o degrado da ESPN no Brasil, vi que anunciaram as partidas ao vivo no WatchESPN. Só que não…

    O App não está mais disponível. Você tem essa informação? A ESPN disponibilizará um app para acompanhar o torneio? O seu WatchEspn está funcionando?

    Obrigado e um abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ontem eu não tentei acessar o Watch, mas neste momento está tudo funcionando, tanto no lap como no mobile. Estão disponíveis os vts completos das partidas.

      Responder
  7. JONATAS LEITE DE PAIVA

    Dalcim, não estou vendo no site do AUS Open as partidas ao vivo. Não tem mais?

    Tem algum stream que transmite o Slam oficialmente?

    tennistv.com transmite?

    Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    Novo Código Penal Doentevista:

    art 1°- O famoso Fedal, sonho de consumo de qualquer dirigente de torneio e que abarrota estádios mundo afora, não pode mais receber conotação de rivalidade… De acordo com os doutos “Doentevistas” do blog, a suposta rivalidade sequer existe.

    art 2- Constitui grave OFENSA ao magnífico Touro Miúra rivalizar com o insípido e insignificante suíço.
    Pena: 1 ano sendo tachado de “macho” do Federer e multa.

    § Ùnico- Aumenta-se a pena descrita acima de 1/3 até a metade, aquele que em parte ou em todo atrever-se a comparar Federer com Djokovic.

    Responder
  9. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]
    18 de janeiro de 2020 às 12:25

    “Gabarito.
    A verdade, nua e crua, é que NÃO PODE se chamar um confronto tão desparelho de rivalidade, como é o caso de Federer x Nadal”.

    Dizer que não existe rivalidade equivale a dizer que o Nadal ganha em qualquer superfície, certo?

    Então aproveita e explica aí pra gente como ele perdeu 6 das últimas 7 partidas…

    Responder
  10. Paulo Almeida

    O fake camaleão não esquece do Agut mesmo, hahaha. Ele varreu o medíocre Kyrgios e varreria Roddick, Hewitt, Philippoussis, Blake, Baghdatis, González e toda aquela bagralhada da era fraca. Não lute contra o óbvio.

    Responder
  11. Helena

    Muito boa essa entrevista recente do Medvedev. Metas ambiciosas, mas com os pés no chão e sem delírios de grandeza. Bom caminho para continuar crescendo.

    Responder
  12. Roger Fedeiros - O Hacker!

    Tá chegando a hora e euzinha tive acesso com exclusividade às trilhas sonoras do AO para as entradas de alguns jogadores:

    FEDERER: “Hoje estou velho / meus cabelos branquedos / o meu corpo está surrado / minham mãos nem mexem mais / Uso bengala, sei que dou muito trabalho / Sei que às vezes atrapalho…

    DJOKOVIK: “Eu sou o lobo mau, lobo mau, lobo mau / E pego as criancinhas pra fazer mingau…

    NADAL: We are the champions, my friends
    And we’ll keep on fighting ‘til the end
    We are the champions
    We are the champions

    ZVEREV: Vem meu ursinho querido / Meu companheirinho / Ursinho pimpão…

    Responder
    1. Nando

      Essa é uma versão bem piorada do Lógico…a versão fake aliás. Nunca teve graça…isso pq já postou várias vezes neste espaço hein. Se dependesse disso pra sobreviver, estaria morto (a) né.
      E antes q venham dizer algo, o q Lógico posta, pra mim nem fede e nem cheira.

      Responder
  13. Naira

    Dalcim, boa noite. No evento de abertura do AO onde foi formado 2 times, digamos um de nextgen capitaneado pela Caroline Wozniacki e outro de “veteranos” capitaneado pela Serena. Durante a “brincadeira” houve uma disputa de duplas masculinas, Djoko/Nadal x Zverev/Tsitsipas. No início da disputa o Tsitsipas tenta enganar o Djoko sacando por baixo, e o Djoko provoca dizendo que ele terá que esperar mais uns 3 anos pra funcionar e depois diz: “you are still on your nephews”, no sentido que o Tsitsipas ainda brinca com crianças. Na troca de lado de quadra, os “veteranos” correram enquanto os nextgen andaram, de forma que, logicamente quando os veteranos chegaram na quadra os nextegen ainda estavam lá. Nesta hora o Djoko falou pro Nadal: “See, nextgen… how slow they are..” (nextegen, quão lento eles são). Enquanto nextgen pareciam se arrastar os veteranos ficavam pulando se aquecendo sem parar e Djoko continua a provocação: “look to these guys, 64 years here”, referindo a soma de idades de Djoko e Nadal. Logicamente, tudo era uma grande “brincadeira”, mas será que era somente brincadeira…? Hoje saiu a matéria aqui no site “‘Acharam que eu teria carreira curta’, diz Nadal”, onde ele afirma estar bem fisicamente. Dalcim, será que o big3 está se incomodando com o nextgen? Será que existe uma preocupação no sentido de afirmar que eles ainda estão longe da aposentadoria e que apesar da idade eles estão acima e são melhores que a nextgen?
    Outra coisa que me chamou a atenção foi a ausência do Nick Kyrgios da brincadeira, ele entrou somente na parte final e não cumprimentou nem o Nadal nem o Djokovic, alias somente cumprimentou a Serena e a Wozniacki. Parece que Kyrgios somente fica mais velho mas não amadurece.

    Responder
    1. JAN DIAS

      O KYRGIOS e o NADAL trocaram farpas no ATP de Acapulco ano passado, o espanhol perdeu de virada e disse que o australiano não tinha educação..Aí o KYRGIOS rebateu dizendo que o NADAL não sabia perder e reconhecer a superioridade do adversário…

      E sobre o DJOKO, o KYRGIOS disse que o sérvio poderia quebrar o recorde dos SLAMs, mas que FEDERER seria sempre o melhor de todos os tempos… E pra completar, chamou a comemoração do DJOKO de ridícula (jogar o coração pro público no final da partida).

      Por tudo isso, eu acredito que não haja muito clima entre eles para cumprimentos…

      Responder
  14. Paulo Almeida

    Pegar o Struff de cara sem ritmo de jogo seria péssimo, mas não é o caso. Djokovic está com a devolução afiada para encarar mais um servebot.

    Responder
  15. Nattan Labatto

    Boa noite, srs!

    Muito ansioso para ver o desenrolar desse AO, em especial o big3 em ação. Que a semi de 2016 se repita e tenhamos Nole x Federer, bem como o resultado positivo para o sérvio.

    Não vou fazer previsões pois o jogo se decide jogando nos 23,77m de comprimento por 8,23m de largura para simples. Agora, ñ escondo minha torcida para q Novak Djokovic continue reescrevendo a história desse desporto.

    Que o modo serial killer, regicida e toureiro esteja ligado on fire!!! 💪😎

    Abs

    Responder
  16. Michael

    A real é que o Novak podia ter vencido em 3 sets Wimbledon se tivesse jogado sério desde o início, mas preferiu brincar e deixar o suíço se empolgar pra ter um pouco de graça, mesmo assim ganhou o jogo quando quis.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E depois foi inventar jogar sério e tomou uma surra no ATP Finals.

      Vai ver que o segredo é esse: basta brincar que você ganha qualquer jogo, né.

      (só que não)

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        O Bellucci não concorda com você , meu caro Jonaser. Fazer coro com um comentário medíocre como esse , só demonstra que conheces pouco do esporte. Abs!

        Responder
  17. Roger Fedeiros - O Premiador!

    Particularmente euzinha acha que o JND deveria sortear uma raquete (das boas) pra quem acertasse o campeão e o placar da final entre Nadal (3) e Quem Quer Quer Seja (1). (7×5, 6×4, 6×2, 6×3) em 3:57 hs.

    Responder
  18. Ronildo

    Puxa, como falou certo forista, bem que o Federer poderia estar no lugar do Medvedev e o Medvedev no lugar do Federer nesta chave. Se isto acontecesse seria a perfeição da perfeição, tanto para Federer como para o próprio Medvedev. Daí para o Federer ser campeão bastaria apenas vencer Nadal na semi, como já venceu diversas vezes na dura e depois Medvedev na final.
    Mas, mesmo assim, Thiem poderia vencer Nadal nas quartas e derrotar o Federer na semi.
    Não há vida fácil para um tenista profissional de 38 anos!

    Responder
  19. Daniel Moreira

    Dalcim, pergunta aleatória: o título da ATP Cup não conta como título individual do Djokovic? (Seria o 78, se não estou enganado). Não conta por ser de seleções, mas premia individualmente com pontos no ranking de simples? E no de duplas? Estou confuso…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não pode contar como título porque é um evento coletivo. As vitórias no entanto valem, assim como os pontos no ranking, tanto de simples como de duplas. Abs!

      Responder
      1. Naira

        Dalcim, boa noite. O Djokovic venceu todos os jogos de simples que disputou no ATP CUP porém não somou 750 pontos, que seria a pontuação máxima. Sabe dizer o por quê? Parabéns pelo blog, com certeza o melhor blog de tênis. Um abraço.

        Responder
  20. Luis

    Mestre alguma informação sobre as condições climáticas de Melbourne? Melhoraram as coisas por lá? Aparentemente o problema foi mesmo terça-feira e quarta-feira certo? Alguma informação mestre? Abraço

    Responder
  21. Vitor Hugo

    Agut é um tenista fraquíssimo! Não tem saque, back e forehand sem potência, além de falta de variação como saque-vôlei e slice.
    Suas qualidades são a regularidade, consistência, ótimo preparo físico e sua “bola sem peso”, que pelo fato de destoar da maioria do circuito acaba complicando boa parte dos rivais, pois seu estilo é pouco encontrado no circuito.
    Diria que o sósia do espanhol é Gilles Simon. Os dois tem jogo muito parecido.

    Responder
    1. Eduardo

      Discordo completamente. Ele tem um posicionamento de jogo agressivo. Pega as bolas na subida, isso eh extremamente difícil de fazer de forma consistente. Além disso, se defende muito bem. Tênis não pode ser analisado por golpes e sim pela funcionalidade dos golpes no jogo

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Não se trata do esporte Tênis resumir-se a isso ou áquilo, ô seu LIMÍTROFE!

          Tão somente que qualquer pessoa com 2 neurônios vai lotar um estádio para ver um Kyrgios ou um Federer, mas nunca um Pangaré-agut.

          Entendeu agora, ou quer que a gente desenhe?

          Responder
  22. Vitor Hugo

    Dalcim, vc não acha que estilo de jogo do Rublev é exatamente igual ao de Thomaz Berdych? Pancadaria, bom saque mas falta variação. A diferença é que, o russo é mais leve e se movimenta melhor, mas também é mentalmente mais fraco que o tcheco.

    Responder
  23. Rubens Leme

    – Meu macho (Djokovic) é o melhor de todos!

    – Ha ha ha!, claro que não! Bom é o meu que é recordista em Slams e goat (Federer)!

    – Chamam isso de macho? E o meu que tem apelido de Touro (Nadal)?

    Sinceramente, ao ver brigas constrangedoras como essas, nos comentários, fico apenas rindo e com pena de ti, Dalcim!

    Responder
  24. Rubens Leme

    Dalcim, se quiser se arriscar na poluição australiana, pode pegar um vôo e até levar sua banda até lá, pois teremos uma homenagem aos 40 anos da morte de Bon Scott, o imortal vocalista (não mais) do AC/DC,

    Aliás, fiquei sabendo que, no passado, você já foi vocalista quando ostentava uma longa cabeleira a la Robert Plant. Procede, produção?.

    Embora seja apenas a sexta melhor banda australina da história – atrás de The Church, Go-Betweens, The Saints, Nick Cave and the Bad Seeds e The Birthday Party -, ainda assim é um grande grupo e uma das bandas mais divertidas de se ouvir. Highway to Hell poderia servir (e serve) de metáfora para vários assuntos atuais, especialmente neste país que temos um nazista (não mais) na cultura.

    Que tristes dias vivemos.

    Have a nice trip! Mas, por segurança, leve um balão de oxigênio.

    http://www.wikimetal.com.br/ac-dc-bon-scott-sera-homenageado-em-famosa-estrada-na-australia/

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Embora eu sempre tenha cantando no banheiro, jamais teria um agudo para chegar no Plant. Então sempre sonhei mesmo em ser o Bonham. AC/DC não me passa na garganta, mas enfim… Não, ficarei no excelente ar de São Paulo mesmo, Leme.

      Responder
      1. lEvI sIlvA

        Dalcim, meu caro, já que gosta tanto de Plant (óbvio que tinha/tem uma voz das melhores!) dê uma escutada em Great White – Hooked especificamente as faixas Call It Rock & Roll, Cold Hearted Lovin’ e Lovin Kind. Na 2ª, vai ficar espantado, tenho certeza! Abraço!

        Responder
      1. Manuela

        Muito absurdo mesmo!!
        O nosso judiciário é muito absurdo!! Desde a insegurança jurídica até os privilégios milionários dos membros, passando pela demora na solução, etc etc etc

        Responder
  25. Leandro

    Gente perae, então quem pode oferecer algum perigo ao favorito sérvio, que é uma lenda mas já está ficando velho, são os também lendas e velhos suíço e espanhol….e o Batista?!?!!!!

    Poxa, aí não enxergam a entressafra,a década das trevas do tênis??

    O Batista cara, o Batista em 2020 é top 10 do ranking da atp!!!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pois é.

      O Bautista-agut é um tenista MEDONHO!

      Mas não se preocupe, porque se o espanhol pegar o Tsitsipas vai levar uma surra de cinta…

      Responder
  26. Manuela

    A ESPN deixou claro com todas as letras que nem se importa com tênis: Nardini não vai narrar o Australian Open.

    Eu fico triste pelo tênis, mas feliz pelo Nardini de vê-lo cobrindo NFL in loco. O cara é gigante narrando qualquer esporte e merece ser reconhecido, mesmo que não seja no tênis. A verdade é que não há canal hoje no Brasil que valorize o profissional que trabalha com tênis.

    Responder
      1. JAN DIAS

        É verdade, o Bandsports tá fazendo uma cobertura excelente, merece nossos parabéns. Só é uma pena que a Bandeirantes não transmita esse conteúdo na TV aberta, isso ajudaria a popularizar mais o esporte..
        Porque na TV aberta o tênis não existe…

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Jan , os grandes duelos do Pop Star Bjorn Borg contra Connors e Big Mac , acredite , passavam na Globo Aberta na década de 70 em Wimbledon. Devido a imprevisibilidade da duração das partidas( o que mexe com toda a grade ) , passou por Cultura , Band , Manchete e foi parar na SporTV após o fenómeno GUGA. Hoje mesmo com eventos Bizarros que a galera atual prefere ( dão mais audiência ) , felizmente temos a divisão com a ESPN e a Band Sports. Menos mal , porque até grandes profissionais da Moto GP, perderam seus empregos esta semana. ABS

          Responder
          1. JAN DIAS

            Nossa! 😮 Passava na Globo… na Bandeirantes eu via os jogos, mas sim eu dou graças a Deus que existe a TV a cabo pra transmitir o tênis, só fico triste porque é um esporte que merecia muito mais cobertura…
            Aqui onde eu moro é raríssimo encontrar alguém que assista ou sequer conheça 1 jogador de tênis…
            Mas vida que segue… and GO ROGER!! Kkk 👑

        2. Manuela

          Sim.
          Mas, se for para narrar tênis como se estivesse narrando futebol, melhor deixar como está kkkkkk.
          A nba, por exemplo, muito legal a band voltar a transmitir, mas os narradores gritam eufóricos que mais me irrita do que incentiva a ver kkkk.

          Responder
  27. Luiz Fernando

    Eu aprendo todo dia aqui no blog um pouco mais, agora uma chave q tem possivelmente na sequencia Kyrgios, Thiem e Medevedev é baba, complicados então devem ser Shapovalov, Berretini etc, obrigado aos doutos blogueiros pela “aula”…

    Responder
  28. Vinicius

    Dalcim, o federer disse recentemente em uma entrevista que ele acredita que o rublev terá grandes resultados nesse ano. Você acha que o russo tem condições de ficar entre os primeiros do ranking?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele precisa melhorar ainda em alguns pontos, mas esse progresso me parece natural e muito provavelmente estará no top 10, quem sabe ainda neste ano.

      Responder
  29. Bruno

    Excelente análise, como sempre Dalcim! Djocko sem dúvida larga como favorito, mas pode ter um desafio interessante nas quartas. Aliás, qual seria o adversário mais complicado para o sérvio? Tsisipas ou August Batista? Ambos já mostraram ter armas para incomodá-lo bastante. E, enquanto o grego fez um excelente final de temporada em 2019, o espanhol começou muito muito bem a temporada atual. E, se chegar às semis, será muito interessante uma eventual revanche com Federer, depois da grande vitória obtida pelo suíço no ATP finals. Do outro lado da chave, apesar da genialidade de Kyrgios, acho mais difícil ter a consistência necessária para incomodar Nadal em melhor de 5 sets. Thiem pode dar muito trabalho se estiver jogando o seu melhor (lembro de um jogo muito bom que ambos fizerem em um US open recente, com o espanhol ganhando no 5º set depois de levar até um pneu). E seria muito legal ver, nas semis, a reedição da final do último aberto dos EUA. Enfim, acho que esse aberto da Austrália manterá a tradição de oferecer jogos muito empolgantes. Na primeira rodada vou ver se consigo assistir, além dos principais favoritos, os jogos de Londero vs Dimitrov e Edmund vs Lasovic, parecem promissores!

    Responder
  30. Luis

    Acredito porém que Nole vai encontrar uma dificuldade a mais esse ano. Djoko sempre chega bem antes na Australia para se adaptar ao clima e ao fuso horário o que dava uma vantagem a ele. Esse novo campeonato da ATP ajudou os outros jogadores a se adaptarem e pegarem um ritmo logo no começo do ano.
    Fora isso ainda tem a incógnita da qualidade do ar.
    Ou seja, provavelmente esse ano vamos ver jogos mais disputados e emocionantes do começo ao fim do campeonato

    Responder
  31. Luis

    Com todo respeito que um leigo deve ter, acho que a chave do Djokovic esta mais fácil, Tsitsipas esta sem cabeça e o Kyrgios esta fora de forma. Ao mesmo tempo todos que são mais perigosos para o sérvio estão na chave de baixo. Se ele tiver sorte o Nadal ainda tira o Russo do caminho, que hoje acho que é o maior desafio do Nole.
    Gostaria de ver o Nadal ganhando o AO para ter ao menos 2 títulos de cada Slam, algo que ele tem batido na trave varias vezes. Mas depois de acompanhar a performance dele no ATP ficaria surpreso se fosse o campeão esse ano.
    Concordo com o Dalcim que o Federer é a grande incógnita, será que esta guardando forças para fazer um grande ano ou esta em ritmo de despedida?

    Responder
  32. Sandra

    Dalcim, nas duplas não tem qualy? E você acha que essa garotada aguenta partida de 3 sets ? O Zverev parece que sim , todas as partidas dele em slams estão indo para o quinto set ou estou enganada? E mesmo Nadal e Djokovic será que aguentam ? No ATP cup pareciam exaustos

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não tem. Claro que aguentam, vários já jogaram. O problema é a sequência do torneio, que vai minando as energias. Djoko e Nadal sobram no físico, não acredito em cansaço.

      Responder
  33. Rodrigo S. Cruz

    No mais torço para estar enganado, mas não seria surpresa o Federer cair de forma precoce no torneio.

    Explico.

    Qualquer incômodo hoje em dia parece fazer o nível dele despencar.

    Vimos ele fazer duas partidas bisonhas no Us Open por causa de seguidos desconfortos.

    Em 2018 pro Milman, devido ao forte calor, e essa última agora pro Dimitrov de quem nunca havia perdido.

    Portanto, se o suíço chegar a se incomodar com a má qualidade do ar em Melbourne, pode esquecer…

    Espero que não aconteça.

    Responder
    1. Rafael Azevedo

      2018 foi um jogo estranho, mesmo. Mas, em 2019, acho que o fator Winblendon pesou no fraco desempenho do Federer.
      Sei lá…ao contrário da maioria, estou achando que essa pausa vai fazer bem ao Federer. Eu apostaria que ele chega na semi (a final já é outra coisa).

      Responder
  34. Rodrigo S. Cruz

    E de novo o Nadal em rota de colisão com o polêmico Nick Kyrgios!

    Tem tudo pra ser outro JOGAÇO.

    E se o Canguru já deu trabalho em Wimbledon, imagine agora diante da torcida.

    Acho que o Nadal não ficou nada contente com esse sorteio…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Corrigindo:

      Acho que o nadal não ficou contente com ESSA PARTE do sorteio.

      As chance dele cair fora logo nas oitavas não é nada desprezível…

      Responder
      1. JHONNY

        pra ter este confronto é necessário o Krygios chegar ate as oitavas de finais (e ele vencer 3 partidas em Grand Slan se nao me engano não é frequente) além de uma destas três partidas deve ser contra o Kachanov então este confronto é bem provavel de não acontecer

        Responder
  35. Vítor Barsotti

    Belo post mais uma vez, Dalcim! Na análise fria concordo inteiramente contigo, no entanto acho que nem Kyrgios nem Thiem chegam para enfrentar Nadal.

    Chute: Medvedev x Djoko na final, em um embate físico e mental épico!

    Responder
  36. André

    E o Stan Dalcim?? Chances de um bi na Austrália estão
    Completamente descartadas?? Ao menos não teria que ganhar se todos os Big 3…. algo que poderia acontecer com o Grego e, por isso, acho complicado pra ele… não deve conseguir defender a semi com essa chave…

    Responder
  37. Paulo Almeida

    “Matheus Lago
    16 de janeiro de 2020 às 00:37

    Tirando Djokovic e Nadal, compare os adversários que o Federer enfrentou em seu auge com os que Nadal e Djokovic enfrentaram no auge deles e diga qual safra era mais forte.”

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, mais um novato que cai de paraquedas aqui pedindo para ser surrado. Sério, deu mais pena do que de outras jaguatiretes sem noção do blog.

    Eu sugiro que você leia meus comentários nas publicações do último US Open, em que os 13 Slams peso pluma do Frauderer foram completamente destrinchados e desmascarados. É muito fácil constatar que o GUAT (de Jaguatirica da Montanha) é apenas o terceiro melhor de sua época. O GOAT é o Djokovic.

    Boa leitura.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Vixe, Paulo, vc insiste nessa ideia de colocar peso nos Slams. Sinto informá-lo que não vai conseguir mudar a Hiatória. É opinião sua, devemos respeitar, mas não se trata de uma verdade incontestável..
      Pelo contrário, é um raciocínio polêmico e tortuoso. É só ver a repercussão dos seus escritos.
      Qualquer torcedor pode pintar o cenário de acordo com seu interesse.
      Não ê que as pessoas não entendem o “peso” dos Slams. É que não concordam.

      Responder
      1. Bartolomeu

        Caríssimo Paulo Almeida

        O que fica para a história são os títulos e os números.

        Borg, Sampras, Lendl, Connors, McEnroe, Edberg, Becker, Agassi, Federer, Nadal, Djokovic.

        Todos se tornaram lendas do esporte e, quando se lê sobre o tênis, se lê sobre as suas conquistas, sobre o modo como contribuíram para a evolução do esporte, sobre o modo como enriqueceram a experiência de quem gosta de tênis bem jogado. Pouco se fala sobre chaves, adversários e relativizações de toda a natureza, mesmo porque todos enfrentaram os melhores jogadores do mundo quando em atividade e prevaleceram sobre eles na maioria das oportunidades, embora não haja carreira sem derrotas, oportunidades perdidas, lances de sorte e azar. É assim porque a vida é assim.

        No mais, vejo o tênis como uma experiência sobretudo estética. A diferença entre os grandes campeões é tão mínima que, afinal, você pode eleger qualquer um o seu jogador favorito, e não estará errado.

        Esse negócio de estabelecer verdades absolutas e menosprezar a opinião alheia é coisa de quem, querendo impor a sua visão do mundo, rende-se às tais pós-verdades. Nada mais sintomático do tempo que vivemos. Caras igual a você, comportando-se como bots enfurecidos, a gente encontra berrando em qualquer portal de comentários sobre qualquer assunto. É o que nossa época produz de mais ridículo.

        No mais, tenho como filosofia de vida não bater palmas para maluco dançar. Tenho evitado comentar aqui justamente por isso e pretendo continuar assim. É muito mais saudável, então já advirto que você pode espernear o que quiser em resposta que provavelmente nem vou ler.

        Um bom 2020 ao Dalcim e aos bons comentadores do blog!

        Responder
      2. Paulo Almeida

        Maurício, várias pessoas pensam como eu. Não sou o “inventor” da entressafra e dos GS de peso, bem longe disso. Apenas concordo e defenderei sempre esse ponto de vista.

        Não sei se você sabe, mas o Sampras também já entrou pro time.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          O Sampras nunca excluiu Grand Slams de ninguém.

          Do contrário teria de excluir e diminuir os dele próprio também.

          Isso é coisa de MALUCO!

          Responder
        2. Maurício Luís *

          Olhando a repercussão aqui no blog, não parece que tem muita gente adepta do peso dos Slams. Mas respeito. Não adianta eu querer mudar a sua cabeça, nem é meu direito.

          Responder
          1. Paulo Almeida

            É claro que você não vai mudar o meu modo de pensar. Existem GS mais fáceis do que outros e ponto final.

            Djoko tem 15 GS passando por pelo menos um membro do Big Four, Nadal 13 e Federer 7.

            O blog é um pequeno espaço amostral e a maioria aqui torce pro Jagua. Não é a melhor referência.

        3. Sérgio Ribeiro

          Perdendo de Safin e Hewitt em FINAIS de USOPEN em Sets diretos ( caras que fizeram parte da babaquice de Entressafra ) , e tendo TODOS seus recordes quebrados por quem o bateu aos 19 , em sua casa, que moral tem o Norte – Americano ? A mesma que a turminha da Kombi, nenhuma. Kkkkkkkk ABS!

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Ps. TODOS não. Ninguém tira as Seis temporadas CONSECUTIVAS como N 1 , do então GOAT , Conterraneo da Rainha Serena !!! Abs!

    2. Ronildo

      Você esquece que Federer venceu Djokovic faz apenas 2 meses?

      E que além do mais tiveram batalhas decididas em tie-break nos últimos 3 jogos antes desta vitória?

      Isto levando em consideração que Federer jogou estas partidas com mais de 37 anos!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Isso não tem a ver com o post, mas é mentira. Djokovic passou o trator com facilidade na final de Cincinnati em 1 hora de partida. Em Paris e Wimbledon foi mais difícil mesmo, comprovando que a bengala de idade é uma desculpa esfarrapada.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Dizem que a Turminha da Kombi , do grupinho da Whats, e do Sítio , te batem fácil devido a sua idade , caríssimo Robson , digo Chatonik , digo P. Almeida kkkkkk ABS !

          Responder
    3. Rodrigo

      Rapaz, você incomoda com esse monte de chatice e repetição. Continue vivendo no seu mundo paralelo e seja feliz, mas nós poupe de postagens desnecessárias. É serio!!

      Responder
    4. bruno

      acho que vc deveria escrever um livro sobre isso,e lança lo em Wimbledom,na quadra central com direito a autografos.
      gostou da ideia,Paulo Almeida?

      Responder
        1. Gildokson

          Ixi Paulo, você ta esquecendo que o gênio é HEXACAMPEÃO por la, eu to pra te dizer que ele tem mais moral que o Djokovic na Austrália. Esse teu livro no máximo ia servir como aqueles pesos que se usam pra segurar uma porta aberta kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Responder
  38. Efraim Oliveira

    Acho que neste slam se repitará o que aconteceu em Roland Garros, onde os principais favoritos fizeram as semis. Aposto no big3, no Medvedev, Tsitsipas e no Thiem pra semis.

    Responder
  39. Leonardo Faria

    Particularmente, entre os 4 primeiros cabeça de chave, eu achei a chave do Federer a menos difícil já que tem o Berretini (voltando de contusão) no seu quadrante, seguido pela chave do Medvedev pois tem o Zverev (extremamente instável do seu lado). A mais difícil eu achei a do Nadal, pois pegou tanto o Thiem (bateu Djoko e Federer na dura seguidamente) e o Medvedev. Mas esperemos o desenrolar para ver se não cairá nenhum dos tops. Torço pelo Nadal, mas creio que ele só tem chance se não pegar o Djoko na final.

    Responder
  40. Nando

    Achei equilibradas as chaves do Big3…Federer e nadal podem ter trabalho nas oitavas e djokovic nas quartas.
    Porém Federer é incógnita, pois não jogou mais nada após o Finals, exceto exibições…não dá pra saber como ele está. Quem sabe repita o AO2017? Espero e torço por isso.
    E Stan? Será q pode eliminar Medvedev?
    Pena q Delpo e Murray não estão no torneio.

    Responder
  41. GUSTAVO DE ALMEIDA

    Pra mim, Djoko tem estreia difícil,mas só vai mesmo ter medo nas quartas…oi com o Grego oi com o Batista, q é uma pedra no sapato dele.
    Nadal, como de costume, tem a chave mais fácil.
    Ever GOAT Federer tem estreia tranquila, mas meu medo é o Polonês. Vejo futuro neste menino, mesmo q fala mal de sua movimentação. De todo modo, acho q ele e Shapovalov estarão meio cansados pelos jogos acumulados neste início de ano. Sorte do Rei.
    Por fim, pergunto Mestre DALCIM : Medvedev está já na semifinal…Concorda?

    Responder
  42. Rafael Prado

    É isso aí Dalcin, concordo contigo. Todos podem comemorar ao menos até as oitavas de final. Só uma catástrofe os tiraria mais cedo. E você também tem razão quanto ao sonho, mais uma final FEDAL???? Seria surreal, aquela final de 2017 se não me engano, foi uma das melhores que eu já vi na vida. Djoko é ótimo mas torcer pra ele não tem jeito! Com uma chance de Federer e Nadal numa final, quem torceria pra ele?? Kkkk pouquíssimos, A torcida dele do tamanho da torcida do Palmeiras! 😂😂😂

    Responder
    1. Valmir

      Mais uma final FEDAL… rivalidade só de marketing…. porque esportivamente…. foi uma dominação do Nadal.

      Quantas mesmo delas houve no US Open ???… rivalidade com uma perna manca

      Em RG foram 4 finais e 2 semis…. mas nunca houve rivalidade… somente freguesia e… PNEU.. em uma final… 6×1 6×3 6×0

      Em Wimbledon houve 3 finais seguidas… depois… levou 11 anos para jogarem uma semi.

      Na Austrália… no auge do Fregueser (2009)… ele perdeu para um jogador que fez semi de 5 sets em 5 horas… e teve um dia a menos de descanso.
      Tinha que chorar mesmo!!
      Voltaram a fazer uma final… 8 anos depois… porque Djokovic e Murray estavam baleados.
      Depois disso… já se passou 3 anos…. quantas finais fizeram mesmo… depois ?? ah… 2 finais de M1000

      Responder
  43. Maurício Luís *

    Respeito as projeções feitas por todos – pra isso que serve o blog – mas nota-se que foram feitas com base na lógica. O fator qualidade do ar afetará a todos indistintamente. Não é porque o jogador é Top 10 que está livre de sentir os efeitos. Mesmo o número 1 é ser humano.
    Então, vou me abster de previsões. Como dizia um professor meu do tempo da oitava série, ” É igual a relógio parado. Não atrasa, mas também… não ADIANTA NADA! “

    Responder
      1. Maurício Luís *

        Meu palpite é que o Nadal vai perder tanto cabelo durante as partidas, que no final vai dar pra fazer uma PERUCA com os caídos.
        Peraí… IDEIA!! Pega a peruca, faz um leilão beneficente e doa pras vítimas dos incêndios.

        Responder
  44. Sandra

    Dalcim, você não acha que independentemente da chave do big 3 , se algum jogador, tenha bom ranking ou não , se ele estiver iluminado no dia não tira qualquer um ? Quantas vezes você já viu isso? E outra pergunta qual a diferença que você acha do Ernests Gulbs para essa nex teen?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que depende de quanto os Bigs jogarem. A 80%, acho que dificilmente surgiria um iluminado tão grande assim. O Gulbis se hoje está claramente atrás.

      Responder
      1. Helena

        E na comparação Nextgen x geração anterior (Raonic, Dimitrov e Nishikori)? Os novatos são melhores mesmo ou conseguiram um atalho pot conta das lesões/queda técnicas de grandes jogadores como Murray, Wawrinka, Del Potro, Kevin Anderson, Cilic ou os três já citados? Eu queria muito ver o Murray contra eles. Ele costumava não ter dó dos garotões 😂😂

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sim, acho que tecnica e fisicamente a nova geração se mostra superior, mas é claro que teremos de esperar dois ou três anos para essa comparação ser mais bem feita. Afinal, Raonic e Nishikori foram finalistas de Slam e top 10.

          Responder
  45. Rafael Azevedo

    Não to botando muita fé no Tsitsipas e nem no Thiem…
    Da NextGen, se eu fosse apostar, apostaria no Medvedev e no Shoppvalov. Estou muito curioso para um possível confronto entre Shapovalov e Federer (se Dimitrov não atrapalhar).

    Responder
  46. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo Almeida]

    “Tudo que eu escrevi é verdade, quer você queira ou não.
    Você não assiste aos jogos do Djokovic, portanto não sabe se os slices dele funcionam ou não.
    E eu afirmo novamente que funcionam muito bem”

    “Djokovic já é melhor e mais completo do que o Federer, mesmo tendo menos Slams. Porém, na hora de vermos friamente cada um deles, o sérvio goleia por 15×7 em peso e qualidade. Já no recorde superestimado de semanas, ele tem 275 na era mais difícil do tênis contra no máximo umas 100 do sparring”.

    Uhum, sei.

    Nem com a senhora sua mãe essa lábia mixuruca funcionaria!

    (rs)

    O fato é que de cada 10 postagens tuas, umas nove carecem de fundamentação lógica mínima.

    E 99% delas são dotadas de um fanatismo do pior grau… (rs)

    Isso porque você inventa critérios exclusivamente teus (os quais nem um FETO levaria á sério) e depois faz assertivas que só cabem em programa humorístico…

    Aliás, exatamente como você acaba de fazer acima, né?

    Diminuindo arbitrariamente as conquistas do tenista A, e superestimando toscamente as do tenista B.

    E sempre usando os critérios que você próprio pariu da tua cabeça de melão:

    ” Ah, porque o Djoko tem 15 Slams de peso, e o Federer só tem 7. O Djoko tem 3 milhões de semanas de peso, o Federer tem no máximo100″.

    Fraquinho demais!

    Vá dizer isso para qualquer tenista profissional e veja se ele não ri na tua cara…

    Ou seja, como você falha (ou tem preguiça) de mostrar seriedade mínima para debater as razões de achar o Djoko superior, ou por entender que contra os números não há argumentos você investe nessa falácia pé-de-chinelo.

    E as afirma com aquele ar de quem está ABAFANDO! kkkkkk

    E sim, claro que assisto como já assisti mais jogos do “patinho feio” mais do que você.

    Já que acompanho tênis há muito mais tempo também…

    E o Djokovic tem um slice pouco efetivo, e isso meu caro nem estou dizendo para te provocar.

    Mas apenas frisando o que já vinha chamando atenção aqui no blog bem antes de você dar o ar da sua “desgraça”.

    No mais abração e obrigado pela preferência, freguezaço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Meu deus, acho que terei de criar um Blog à parte apenas para o Rodrigo e o Paulo ficarem discutindo se Federer é maior que Djokovic ou viceversa. Pior, tudo extremamente repetitivo. Pessoal, vamos tentar contribuir com discussões mais diversificadas, ok? Grato aos dois.

      Responder
      1. João Carlos

        Boa! Se ambos tivessem um mínimo de discernimento esperariam ao menos a carreira dos tenistasm em questão acabar… para então começarem a relinchar.

        Responder
  47. JAN DIAS

    NADAL, de novo e sempre (!), pegando uma chave baba!.. só vai sofrer c/ o MEDVEDEV..

    DJOKO e FEDERER vão ter bem mais trabalho: o STRUFF deu uma surra no NADAL há 1 ano atrás e HURKACZ (3a rodada se chegar) saca muito e vem jogando bem…

    A conferir,

    Responder
        1. Bruno

          2017 ,mas presta atenção,em momento algum desmereci a conquista do Nadal,agora não pode negar que foi uma chave facílima ,se eu não me engano não pegou nenhum top 20.mas sem a babaquice de falar que é slam sem peso como diz o seu amiguinho.

          Responder
          1. Luiz Fernando

            2017, mas nesse ano também não teve aquele incompetente, numero 500 do mundo se não me engano, que foi eliminado pelo Delpo, nas quartas? É, aquele mesmo q venceu 20 GS, esse ano foi pior do q challenger kkk. Não adianta argumentar com quem não quem quer depreciar algo de qualquer forma kkk…

  48. André Barcellos

    Como torcedor do suíço reconheço que sua chave não ficou nada indigesta. Com exceção do Novak lá na frente. Mas aos 38 realmente é uma incógnita como ele vai começar o ano.
    Acho que Goffin com a cabeça em dia pode dar trabalho pra qualquer um. Mas tal como o japa Nishikori, o belga parece frágil.

    Responder
  49. Vitor Hugo

    O Millman é um cara chato mesmo! Tem o estilo robótico-passador de bolas estilo Bagrevice, Simon, Agut…. tenistas tecnicamente limitados mas que correm muito. Prefiro o Huracz, que é um ótimo sacador mas se movimenta como um boneco de Olinda.
    Shapovalov é outro que pode complicar.
    Nas quartas, só molezinha.

    Responder
  50. Evaldo Medeiros

    Dalcim, para você, quais as chances do Thiem atingir as quartas, onde, caso chegue, vai provavelmente enfrentar o Nadal ??? E caso isso aconteça, quais as chances dele contra o Nadal na sua opinião???

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não gostei do Thiem na ATP Cup, mas começo de temporada é mesmo diferente. Acho que ele pode ter problemas se pegar o Kevin Anderson. Fora isso, eu o colocaria nas quartas. As chances contra Nadal dependerão da caminhada até lá e de quanto cada um vai se poupar. O austríaco melhorou muito na quadra dura, precisa ser respeitado.

      Responder
  51. antonio gabriel

    Tem toda razão Dalcim, ninguem pode reclamar, principalmente se os caras que podem complicar nas oitavas ou quartas não chegarem, Kyrgios principalmente.

    Responder
  52. Antônio Luiz Júnior

    Dalcim, achei as chaves do AO relativamente equilibradas desta vez, acho sinceramente que o quadrante mais fácil é do russo DANIL MEDVEDEV. Obviamente, sempre podemos ter alguma surpresa, mas acho que o BIG3 e o russo vão avançar até as fases finais… uma dúvida que fica no ar é se o melhor ritmo de jogo de NADAL, DJOKOVIC e MEDVEDEV vão prevalecer sobre o descansado FEDERER. Só assistindo para ver

    Responder
  53. Miguel BsB

    Como a vida em Grand Slams é dura…o nº2 do mundo pega um jogador muito bom já na 1º rodada, e um jogador muito bom como é o Leonard Struff pega logo o nº 2, Djokovic…
    O alemão é um grande sacador e bate forte na amarelinha, sorte que o Sérvio é o melhor devolvedor do esporte (Sorte pra ele, óbvio rs).
    Dalcim, se fosse o Federer pegando um jogador como o Struff, dada a inatividade do suíço nesse começo de temporada, acho que poderia ser um jogo bem complicado pro Maestro…Concorda?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acredito que sim, Miguel. O Struff no entanto dá algum ritmo, já que não joga o tempo todo na frente. Jogando à noite, a bola fica um pouco mais lenta e o saque perde sua total eficiência. Mas eu gosto de ver o alemão jogar, sempre bem solto.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Tb gosto muito de assistir aos jogos desse alemão, mais até que os Zverev…
        Aliás, tb gosto de muito de assistir aos jogos do outro alemão, o Kolshreiber.

        Responder
  54. Ricardo Almeida

    Federer terá um duro teste na semifinal. Não vai ser fácil passar sobre Tsitsipas para então poder brigar diretamente com Nadal pelo recorde de slams.
    O quê? Ah, sobre Djokovic, não chega nem nas quartas. Muito desgaste na ATP Cup, e não vai aguentar as difíceis condições de Melbourne, sem falar na eterna “dor de cotovelo”.

    Responder
  55. Luis

    Dalcim bom sorteio big 3 e Medvedev que tem grande potencial na quadra dura,Federer que tá sem ritmo bom caminho tranquilo rs,sobre que disse suíço sobre recorde Slam conseguiu por bom tempo proteger recorde,consolo que foi 1 alcançar 20 no masculino

    Responder
  56. João Borin

    Fala Dalcim beleza?

    Mesmo eu tendo como maior ídolo do tênis o Federer,claro gosto do Djoko e Nadal. Eu acho difícil esse título não ser do Djoko. Tem torneios que ” parece” que tem donos. AO Djoko,Rolando Garros Nadal,e Wimbledon Federer. Us open indefinido.

    Aliás até hoje é doído lembrar a derrota do Federer em Wimbledon ano passado.

    Dalcim,entre os “next gen” qual você colocaria entre os favoritos? Ou favorito?

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Amigo, Federer perdeu as últimas três finais de que participou em WB. Ainda assim, você diz que esse torneio o pertence??!!! Rrrssss…

      Responder
        1. Willian Rodrigues

          Ato falho, realmente. Eu deveria ter afirmado que perdeu as 3 últimas contra Djokovic! Com certeza, dominará WB dessa mesma forma até 2022…

          Responder
        1. Willian Rodrigues

          Apenas lembrando que Djokovic e Murray, além de outros potenciais candidatos a esse título de WB 2017 estavam fora de combate. Abraços

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Apenas lembrando que o nobre Comentarista, não deve ter visto o Torneio. Novak caiu na primeira rodada e Andy nas Quartas em 5 Sets para o Sacador Querrey. Como estavam fora de combate ? Já sei, aí o SLAM não foi ” parrudo ” . Conta outra ou pegue carona na Kombi rsrsrs Abs!

  57. Matheus Lago

    Realmente a chave do Federer ficou em teoria mais fácil que a do Nadal e do que a do Djokovic, mas, como incógnita, não me surpreenderia com uma derrota na estreia para Steve Johnson.
    Resta torcer e ver no que dá.

    Responder
  58. Marcel Azevedo

    Djokovic e Nadal vão sair na frente na disputa Dalcim? Ou Federer terá mais chance por estar mais descansado que os outros, qual é o fator decisivo afinal? Pra mim o mental do Federer não é mais o mesmo ( o que se prove a final de Wimbledon 2019) por isso e sua família ele não disputou nada em 2020 oficialmente.

    Responder
  59. Rafael Azevedo

    As chaves estão bastante equilibradas. Um pouquinho mais difícil para lá ou para cá, mas nada de mais.
    Acho que a chave do Medvedev ficou um pouco mais fácil, mas só um pouco (o Zeverev é uma icognita).

    Responder
  60. Paulo F.

    Hoje o meu trabalho foi tranquilo e pude ouvir o teu podcast com o Chiquinho, Dalcim.
    Parabéns pela análise de ambos, projetando o início de temporada/AO.
    Muito bom!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , caríssimo Jonas. Em vez de analisar o conteúdo do Post sobre as chaves do AOPEN 2020 , você me vem com Federer e Wimbledon ? rsrsrs O que o parceiro achou do Rally for Relief ( não entendi passar batido no Tênis Brasil ) , realizado na Rod Laver Arena lotada ontem a noite , e com a presença do Big 3 + Next Gen e todas as Tops da WTA ? Ao anunciar o seu escolhido como parceiro , Serena mandou “ O melhor de Todos os Tempos “ para delírio do Público. Não vi Novak e Nadal com sorrisos amarelos . Porque será se estavam no quintal da casa do Sérvio ? rsrsrsrs Abs! Ps. O evento angariou AUD $ 5000000,00 em caráter beneficente . O Suíço e o Espanhol entraram com AUD $ 250. 000 , 00 juntos , deste total . Abs!

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Pra não passar batido o maluco do Kyrgios mandou pra Roger na lata “ tenho certeza que estarás na Final “ . Novak deve ter adorado kkkkkkk Abs!

        Responder
        1. JAN DIAS

          Ah! Eu perdi essa! Kk 😄

          É até engraçado ver como o KYRGIOS parece respeitar só o FEDERER no circuito… É o único tenista diante do qual o australiano não faz barraco…

          Responder
        2. VALMIR

          Se o Federer tirar uma radiografia frontal do quadril… as marcas da mão e dos dedos do Kyrgios vão aparecer nela.

          Não me lembro de te visto algum jogador tão…. baba ovo… como o Kyrgios…. ainda mais um que posa de rebelde.

          Responder
    2. Paulo F.

      Vai sim, igual a 2019?
      É impressionante como desprezam o poder de fogo e currículo de alguém que tem praticamente todos os títulos possíveis no tênis.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Quem é que despreza caro , “ Paulo F “ ? Leia os Posts mais regularmente antes das costumeiras …. Se repetir o que jogou na Final de Wimbledon 2019 , pode ser ele sim a comer o fígado do Sérvio em Wimbledon 2020 ( é apenas ó Octacampeão do Torneio ) , como o fez no FINALS 2019. Nesta foi visível que o Sérvio sentiu à pressão rs Abs!

        Responder
  61. Yan Almeida

    Nadal pegou uma das chaves mais fáceis que já vi, lembra aquele US de 2017. O único adversário decente que o espanhol vai enfrentar antes das semis é o instável Kyrgios, que talvez nem chegue lá. Mas Dalcim, permita-me discordar de vc, pos acho que Novak e Federer se deram mal, o sorteio é bem indigesto: Struff é um jogo duro, Evans é um tenista talentoso e está confiante, Hurkakcz vem evoluindo a cada dia, Dimitrov/Shapovalov são acima da média, Dieguito nunca faz jogo fácil com ninguém e nas QF… Agut/Tsitsipas? Dois caras que vem batendo no Novak recentemente. Berretini/Fognini/Coric? Nisso o Federer deu bastante sorte, deve chegar mais saudável na semi pra enfrentar o Novak. No mais? Medvedev pegou uma chave mediana, mas deve chegar na semi. Abraços Dalcim!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *