Lógica suada
Por José Nilton Dalcim
11 de janeiro de 2020 às 11:55

Espanha e Sérvia, e principalmente Rafael Nadal e Novak Djokovic, vão decidir a ATP Cup, como era de se esperar. Mas esteve longe de ser fácil. Os melhores tenistas do mundo foram colocados à prova com jogos fisica e emocionalmente muito exigentes e desgastantes, viveram alguns momentos críticos mas deixam claro por que são os favoritos para o Australian Open. E a final deste domingo, que forçará o brasileiro a acordar cedo, promete ser um avant-premiére imperdível.

Djokovic permanece invicto. Foi obrigado a jogar perto do máximo já na estreia contra Kevin Anderson. Sobreviveu a duelos exaustivos contra Denis Shapovalov e Daniil Medvedev, onde sua solidez na base não se mostrou o suficiente, obrigando o sérvio a explorar voleios notáveis e deixadinhas milimétricas para achar soluções alternativas. Nem mesmo sua poderosa devolução facilitou a tarefa, embora em ambos os casos seja preciso dar muitos créditos aos adversários. O russo deixa cada vez mais claro que é o nome da nova geração com o tripé técnica-resistência-cabeça para encarar os superfavoritos.

Nadal oscilou um pouco mais, e sofreu uma derrota um tanto esquisita para David Goffin, que o obrigou a emendar uma dupla não menos sufocante, em que os belgas estiveram muito perto da surpresa. Desde a fase inicial, Rafa mostrou certas dificuldades. Quase se enrolou com Nikoloz Basilashvili e suou contra Yoshihito Nishioka, dois jogadores um tanto limitados. E só mesmo sua excepcional capacidade de jogar sob pressão permitiu a virada categórica em cima do inspirado garotão Alex de Minaur, a melhor ‘surpresa’ desta ATP Cup.

Me preocupou o aparente esgotamento de Djokovic, que perdeu a paciência algumas vezes e voltou a arrebentar raquete, discutir com a torcida e apressar os pegadores. Mas a rigor o sérvio me parece em ritmo bem mais apurado do que Nadal, muito sólido no fundo de quadra, fazendo trocas de direção com rara eficiência. O espanhol tem demorado para se soltar e adotar postura ofensiva. Vale lembrar que Nole já reclamou de dor no braço e Rafa, do joelho.

Em que pese toda a importância do 55º capítulo do mais repetido duelo do tênis profissional – curiosamente, houve apenas cinco confrontos nas últimas três temporadas -, há de se destacar a importância que os números 2 de cada país tiveram nesta ATP Cup.

É bem verdade que Roberto Bautista pegou vários oponentes fracos, mas a forma com que dominou Nick Kyrgios neste sábado reforça como ele sabe usar os recursos da bola na subida e golpes mais retos sobre a quadra dura. Dusan Lajovic sofreu apenas uma derrota (três sets para Benoit Paire), mas depois compensou com um tênis rico em variedade em cima de Nicolas Jarry, Felix Aliassime e Karen Khachanov.

Absolutos coadjuvantes na final deste domingo, eles no entanto terão papel crucial na luta pelo título. Bautista venceu os três duelos contra Lajovic, todos no sintético. O eventual vencedor certamente irá tirar um pouco da pressão sobre Nadal ou Djokovic, embora eu acredite que, às vésperas do Australian Open e com o tremendo ‘espírito de Davis’ que possuem, os dois irão ao limite para sair com a vitória em Sydney e ganhar moral. E isso pode incluir uma curiosíssima batalha também nas duplas.

Quem vence? Eu apostaria na Sérvia. E você?


Comentários
  1. Paulo Almeida

    O título tinha que ter ficado com a Sérvia mesmo, foi quem mais mereceu. Pra mim vale como um Big Title.

    De qualquer forma, parabéns ao baita jogador que é o Agut. Se ele é pangaré, o Kyrgios e o Fognini devem ser pôneis desnutridos, hahaha.

    Responder
        1. Vitor Hugo

          Sim, deve ser melhor que o Roddick, que tem 2 títulos de slam, foi número um do mundo, fez três finais em Wimbledon e tem Novak como seu freguês, 6 x 5.

          Responder
  2. Ricardo - DF

    Bautista jogando como um alucinado. Ele, provavelmente, teria batido Djoko. As bolas retas e rápidas dele parecem incomodar mais o sérvio que os spins do Nadal.
    Primeiro set, pareceria a decisão do AUSOPEN 2019. Nadal já entra derrotado, sendo dominado sem reação pelo servio.
    Já no segundo set o espanhol acordou, colocou muita pressão no Djoko.
    Dalcim, essa reação do Nadal pode ser creditada ao apoio da equipe ?! Parece que o pessoal conseguiu tirar Nadal de seu torpor e fazer ele jogar o que sabe.

    Do jogo, ficam na memória o backhand do servio e as passadas do espanhol. As passadas do Nadal são coisa de outro mundo. É simplesmente inacreditável.

    Responder
  3. André Barcellos

    Belo torneio, com uma lógica suada.
    Só não aposto em Nadal como segundo favorito ao AO.
    Ele pode perder para vários jogadores, inclusive dos próprios Medvedev, Shapovalov ou outro nome mais experiente . Na quadra dura mostrou mais uma que é presa mais que fácil pra Djokovic, de quem não ganha há quase 7 anos fora do saibro.

    Responder
  4. Rafael

    A vitória sobre Medvedev lavou a alma. A vitória sobre Nadal é sempre magnífica. A Sérvia campeã do 1o. ATP Cup, com Djokovic liderando seu país, é mais um passo deste magnífico tenista para firmar ainda mais seu nome como um dos três maiores de todos os tempos.

    Responder
  5. Luiz Fernando

    Justissima vitoria da Servia na ATP Cup, a ausência de Rafa nas duplas debilitou as chances espanholas, mas Lajovic e Djoko fizeram um torneio espetacular, assim como B. Agut. Nadal é q destoou, pelo menos se preservou ao não entrar em quadra na partida de duplas!

    Responder
  6. Rodrigo S. Cruz

    Eu já disse muitas e muitas vezes.

    O Nadal é um MENDIGO perto do Djokovic em quadras duras…

    Sempre foi um freguês de caderneta!

    E com a derrota de hoje ficou:

    VINTE E UM A SETE!

    Muito hilária essa tentativa FORÇADA dos Fakes de superestimar um confronto de resultado previsível como esse.

    kkkk

    Responder
  7. Luiz Fernando

    Rafa precisa ter consciência de que já não tem mais 21 anos, jogou a Davis, depois Abu Dhabi e agora a ATP Cup, não sei como não se contundiu. Pelo menos teve o bom senso de não jogar as duplas…

    Responder
  8. Vitor Hugo

    O Pessanha tem razão. Mesmo Novak jogando bêbado não perde pro baloeiro nas hards. 7 anos e contando em uma contagem que não tem fim.

    Já o melhor da história, Roger, surrou Bagrevice no finals, além da cacetada que deu no magricela em wimbledon, em que bateu bateu mas ñ levou.

    Responder
  9. Vitor Hugo

    Jonas,

    Veja os placares dos jogos entre Roger x Nadal em 2017 e verá que, de quatro jogos, o único que teve equilíbrio foi a final do Austrália Open. Em Iw foi uma surra. Em Miami e Shanguai, foi 2 x 0 pro suíço.

    Responder
  10. Angela B.

    O jogo foi excelente, né Dalcim? Mas dá pra ver que o Nadal continua não conseguindo quebrar a muralha mental do Nole, e isso deve ser muuuito frustrante pro espanhol rsrs

    Responder
  11. Angela B.

    “Miguel BsB – 7 de janeiro de 2020 às 15:28
    Muito triste essa situação na Austrália. Vms torcer para que consigam resolver o quanto antes e minorar os prejuízos dentro do possível…eventos esportivos e de entretenimento numa situação dessas ficam em segundo plano…
    Aliás, por onde anda a Ângela? Já há um bom tempo não a vejo comentando aqui no blog…
    Ela como moradora da Austrália poderia nos dar maiores explicações de como está a situação por lá.
    Ângela, ainda frequenta o Blog? Se sim, apareça e nos dê maiores insights sobre a situação down under…”

    Oi Miguel! Respondendo ao seu comentario – ando ocupada desde o final do ano e não venho seguindo os torneios q antecedem o AUSOpen; por isso que “sumi” do blog. Só hoje que fiz uma exceção p/ ver Nole x Nadal.
    Qtos aos incendios aqui em Oz, vou dar o “insight” de como nós australianos pensamos e poucos no mundo inteiro sabem, pois a imprensa internacional não menciona: os incêndios por aqui sempre existiram..antes mesmo dos Britanicos e holandeses invadirem Down Under, especialmente devido as altas temperaturas no verão e clima seco. Por isso, além de estarmos acostumados a lidar com eles, achamos esquisito que, de repente, acabamos virando o foco da imprensa internacional…e notadamente, p/ propagarem ou exacerbarem a história do “climate change” as nossas custas..e isso nos aborrece um pouco e vou te explicar a razão:
    Na última década, muitos desses incendios foram provocados/iniciados por criminosos, como foi na tragédia do “Black Saturday” em 2009 (e que foi pouco noticiado no mundo, ao contrário de agora) onde mais de 170 pessoas morreram, sobretudo pela incompetencia do governo em comunicar as pessoas que viviam em áreas de perigo. —Agora, em 2020, a comunicação melhorou p/ que as pessoas evacuem a tempo de suas casas, porém o governo continua ineficiente: tanto p/ colocar mais pessoas no combate aos fogos (além de bombeiros e voluntários) como tb disponilizar mais equipamentos p/ ajudá-los. A prevenção aos incendios criminosos, tb é inxistente… apesar das várias denúncias e testemunhas.
    Qto as 27 pessoas que morreram até agora, muitas delas, infelizmente, resistiram aos avisos de evacuação…optando por ficar e tentar proteger suas casas. Mas bombeiros e voluntários, na maioria das vezes, conseguem convencê-las a ir p/ um lugar seguro.
    Portanto, se a imprensa continuar propagando que nossos incêndios são oriundos do tal “climate change” (novo trending topic das elites) nosso governo continuará omisso às suas responsabilidades, e isso nos deixa muito “p” da vida, entende?
    Anyway, explicado a nossa história e situação em relação aos incêndios, agora vou dar o meu pitaco sobre o que pode acontecer c/ o
    AUSOpen: não sei! (rsrs) Os incendios minimizaram devido as chuvas e queda de temperatura, mas em algumas regiões continuam bastante quentes. Semana passada, o céu de Melbourne estava cheio de fumaça, assim como na cidade em que resido..que é 100 km da região metropolitana – eu não podia nem abrir as janelas p/ vc ter uma idéia. Mas nos últimos dias..o céu está limpo e respirável. Por isso, tudo vai depender da temperatura nas áreas de fogos e do vento nas próximas semanas….E em vista disso, ainda é difícil fazer uma previsão. Mas se vc quiser acompanhar o desenvolvimento dos incendios na época do AUSOpen, recomendo ir nesse site que os mapeia com informaçõs em tempo real >>> emergency.vic.gov.au/respond/ . E para checar a temperatura dos locais em risco, além da trajetória do vento, esse link mapeia todo o estado de Victoria >> https://www.weatherzone.com.au/vic . Espero ter tirado suas dúvidas. Abs e até breve.

    Responder
    1. Rafael Azevedo

      Angela, você diz que os incêndios sempre existiram devido às altas temperatura do verão e do clima seco. Pergunto se já ocorreu outra vez nesse período, próximo ao AO. E se já teve essa discussão sobre a possibilidade de adiamento?

      Responder
      1. Angela B.

        Rafael, esses incêndios mais sérios nunca aconteceram antes do AUSOpen. Isso é inédito.
        Na verdade, nenhum incêndio em Oz chamou tanta atenção internacional (e com destaque nas mídias) como vem ocorrendo agora. Nem mesmo em fevereiro de 2009, no “Black Saturday” (que mencionei acima) e que matou tantas pessoas – apesar de ter sido uma tragedia bem recente. ..
        E é justamente isso que nos intriga: o que é conveniente (ou não) p/ as redes de noticias divulgarem? E quem ditam essas “prioridades”? —- Anyway, essas são as perguntas frequentes das pessoas que vivem aqui em Down Under. Abs!

        Responder
  12. Aurélio de Macedo Coimbra

    Olá Dalcim, primeiro quero lhe parabenizar pelos comentários aqui no tenisbrasil sempre precisos e cheio de informações
    Lhe acompanho a anos e fico aguardando sempre sua próxima coluna
    Na verdade, tenho uma dúvida, existe algum jogador que supere o Djokovic no confronto direto, pois os dois maiores já foram superados pelo sérvio que hoje (12/01) ampliou a vantagem para o Nadal
    Um forte abraço

    Responder
  13. Marcel Azevedo

    Dalcim, você acha que o fato de Djokovic não jogar em Adelaide é um fator de desgaste e que pode atrapalhar em uma eventual final com Federer, Nadal ou Medvedev no Australian Open dentro de 8 dias??

    Forte abc

    Responder
  14. Rubens Leme

    Dalcim, você se lembra de uma final de Davis entre países que tinham, respectivamente, os dois lideres do ranking, um de cada lado? Eu não consigo me recordar.

    O jogo foi muito fácil pro Djokovic e achei incrivel como ele explorou à vontade do forehand do Nadal, que tomou vários winners daquele lado – boa parte de backhands cruzados – e o golpe parecia curto e sem potência. Mais uma vez o espanhol adotou uma postura defensiva demais, bem no fundo, deixando o sérvio distribuir as bolas a contento para todos os lados e, neste contexto, ele é imbativel.

    Outro ponto interessante é a ansiedade que Nadal deixa transparecer contra Nole. Simplesmente ele erra mais do que o normal. A chance dele no segundo set foi no sexto game, quando Djoko sacava em 2×3 e tinha 0/40 no seu saque. Depois disto, ele apenas manteve a calma para liquidar no tie-break.

    Responder
  15. Paulo Almeida

    Primeiro set foi passeio e o segundo de altíssimo nível. Grande vitória do GOAT Djokovic!

    Se perder nas duplas, pelo menos carimbou a faixa da Espanha.

    Responder
  16. Oswaldo E. Aranha

    Djokovic continua a fazer jus ao título de maior tenista da década, que a ATP lhe deu, para tristeza de alguns recalcitrantes. O sérvio consegue tirar força não sei de onde, como aliás o Dalcim já ressaltou em uma das respostas que deu.
    Gostei muito deste torneio, ressaltando especialmente a cordialidade, que nem sempre se vê no blog.

    Responder
    1. bruno

      grande jogdor mesmo,o melhor da atualidade.
      mas sem esse papo furado de que tira forças nao sei la da onde.
      puro teatro,quando oerde um ponto,finge de morto,quando ganha sai cmemorando ,e isso tudo num mesmo game,
      entao, vascaino,menos,bem menos.

      Responder
  17. Sandra

    Dalcim , uma pergunta fora do tênis, você saberia informar porque tem tantos sérvios na Austrália , turistas ou imigrantes , e apesar da arrogância dos jogadores , Nadal comentou uma coisa certa , os australianos torcem pelo tênis , torcem por todos os países , são educados

    Responder
  18. Luiz Fernando

    Sinceramente não entendi a matéria do site, dizendo que Rafa sofreu com as condições mais lentas do jogo, ele q sempre reclama das condições rápidas do jogo. E essas supostas condições adversas, sejam elas quais forem, valem p ambos, ou seja, Djoko venceu pq dominou o primeiro set e pq deve ter sido mais consistente no tiebreak. Ponto final. A verdade é q Rafa deixou a desejar nessa parte final da ATP Cup. Vou mais longe: p ter chance real de vencer o AO precisará de alguém p fazer o “serviço sujo” por ele…

    Responder
      1. Luiz Fernando

        Postei q era o segundo, logo após Abu Dhabi, pois até ali ele vinha jogando demais mesmo. Hj já não penso da mesma forma, tenho q ser realista, caiu técnica e fisicamente!

        Responder
  19. Rafael Azevedo

    O saque e a devolução do Djokovic são muito (mas muito) melhores do que os do Nadal. Assim, o sérvio sai na frente em quase todos os pontos e o Nadal luta para reverter. Pra mim, essa é a grande diferença entre os 2.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O fato é que nas hards simplesmente fica muito difícil pro Nadal…

      Atrevo-me a dizer que ele não ganha mais dos dois arquirrivais fora do saibro.

      A menos é claro que o suíço ou o sérvio estejam em um dia ruim, ou algum problema físico.

      Responder
      1. Rafael Azevedo

        Não acho que o problema seja as Hards em si. O Nadal teve muitas exibições de alto nível nesse piso, como o jogo contra o Tstsipas no Finals e os jogos da Davis (e o próprio USOpens de 2013 que todos comentam). Ele tem possibilidades nesse piso. Mas, parece que quando enfrenta o Djoko e o Federer (depois do AO 2017) no piso sintético, a sua confiança vai lá para baixo e ele volta ao jogo defensivo que sabe fazer muito bem, mas que não faz mais efeito nesses adversários. Alguém precisa mudar a cabeça dele para que esses confrontos nas Hards voltem a ser interessantes.

        Responder
  20. Luiz Fernando

    Que o Djoko era favorito eu sabia, mas esperava mais do Rafa. Primeiro set rápido, parece q o sérvio atropelou. Infelizmente vejo Rafa sem grande possibilidade no segundo também, mas vamos lá. Como postei ontem, grande chance de decisão nas duplas…

    Responder
  21. Paulo Almeida

    Sério que citaram o Lars Ulrich no outro tópico? Está aí um baterista medíocre, assim como todos os músicos do Metallica. Incrível uma banda tão fraca tecnicamente ter se tornado tão grande.

    Responder
  22. DANILO AFONSO

    Caro RONILDO, desde a metade do ano passado que percebo que você tem uma certa dificuldade para entender a dinâmica do ranking de entrada e defesa dos pontos.

    As vezes eu acho que você só assiste o ATP FINALS que o Nadal não tem êxito e que o Djokovic não vence há 4 anos para usar como base para as convicções em 2020.
    Parece que esquece que DJOKOVIC há anos vem provando que é o mais regular tenista somando todos os pisos, basta lembrar do Gold Master e da sua campanha em 2019 em que foi o único campeão em todos os pisos, indoor ou não.
    Você também não conseguiu perceber que NADAL está mais competitivo fora do saibro ?? Basta você lembrar as duas semifinais nos dois últimos anos em Wimbledon, bem como duas finais no Austrália Open e os dois títulos no US OPEN nos 3 últimos anos.

    Djokovic e Nadal tem sim muitos pontos para defender em 2020, até porque são os dois primeiros do ranking. Mas esquece os pontos que eles têm que defender. Para facilitar a sua vida Ronildo, concentra no ranking do ano (corrida dos campeões), este que por sinal Nadal e Djokovic já lideram em 2020 após os pontos conquistados no ATP CUP.

    Djokovic não irá defender todos os pontos nos mesmos torneios 2019, mas terá oportunidade de fazer mais pontos em Indian Wells e Miami, torneios que ele anos anteriores fazia dobradinha ou levava ao menos um, bem como tem chance de fazer campanha melhor no US OPEN e outros torneios no saibro e piso duro no segundo semestre.

    NADAL também terá dificuldade de defender alguns pontos nesta temporada, mas terá a oportunidade de pontuar muito mais no saibro em 2020 quando comparado com a instável temporada 2019 e pontuar em alguns torneios que não participou ou veio abandonar por lesão.

    De fato é possível que alguns jogadores da nova geração vençam algum Slam e Master 1000, mas a falta de regularidade em mais de um piso dificulta imaginar que mais de dois jogadores irão fazer campanhas superiores a NADAL e DJOKOVIC em 2020, exceto se os dois ou um deles tenham lesão grave na temporada.

    Enfim, diferentemente do que você imagina, acho difícil que NADAL e DJOKOVIC figurem fora do TOP 4 ao final do ano. FEDERER é o único que poderia desbancar um dos dois, mas a idade e o calendário enxuto acredito que o impedirá atingir tal feito.

    Responder
    1. Ronildo

      Não é só a questão de defender os pontos Danilo Afonso. Tem a questão de praticamente toda partida ser uma espécie de parto para os dois. Nadal fazendo 34 este ano e Djokovic fazendo 33. Absolutamente não haverá o mesmo rendimento dos anos anteriores. Como eu disse, eles podem até serem superiores à todos adversários, talvez no primeiro semestre; porém de parto em parto, estarão triturados até Wimbledom. Enfim, jogando como estão, concorrendo em correria com vários jovens de 20 anos, uma contusão séria também é algo que pode acontecer a qualquer momento. Não é meu desejo, absolutamente. Estou apenas descrevendo o que vejo atualmente: Nadal e Djokovic jogam como se ainda estivessem na casa dos 20 anos. Todo mundo sabe que o físico tem seus limites depois dos 30. Porém, vejo que o rendimento deles caiu e consequentemente cairão também no ranking.

      Responder
  23. Sérgio Ribeiro

    Bom , como cravei que Hewitt faria ao menos um ponto para os Aussies na sua escolha , e deu 0 x 2 , devido ao baixo rendimento de Kyrgios , espero finalmente acertar. Bautista Agut abre os trabalhos em 3 Sets contra o lutador Lajovic. E mesmo a Armada vencendo sempre todas as competições em Equipe com a presença de Rafa Nadal , independentemente de h2h favorável ao Sérvio nas duras , acho que MEDVEDEV tirou o couro de Novak. Nadal empata e leva para as Duplas. Aí da’ Sérvia desde que Novak entre com Troicki. Ou seja, nada mais que torcida rsrsrs Abs!

    Responder
  24. Maurício Luís *

    Tomara que eu esteja enganado, mas acredito que esta final da Copa Davis Cover/ATP Tour vai prejudicar o rendimento dos 2 líderes do ranking no AO. Não vou me surpreender se alguém – ou ambos – tiver queda precoce.
    Inclusive a Xisca Perelló já avisou o baloeiro que no caso de perder nas primeiras rodadas, a mãe dela pediu pra ele dar umas aulas de balão… digo… de tênis, que ela tá querendo aprender. Então ele vai ter que passar umas horas muy aprazíveis na quadra com a sogra querida. Portanto, com esse “incentivo”, ele vai querer ganhar o torneio nem que tenha que entrar com o braço engessado, de muletas e com 40 graus de febre.
    Melhor pro Federer, que vai entrar + inteiro e quem sabe levar o 21 – o que, com essa idade, considero a maior proeza.

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Davis Cover é sacanagem , Maurício. A ridícula briga da ITF com a ATP está prejudicando todos os profissionais. A Davis e as Olimpíadas não dão mais pontos no Ranking. Novak além do título levou 750 Pontos . Mais que um vice de MASTERS 1000. Se não chegarem rapidinho a um acordo de datas e pontuações , os Tops vão largar a Copa Davis de vez. Abs!

        Responder
  25. Ronildo

    Muitos consideram absurdo quando digo que acredito que Nadal e Djokovic cairão para fora do top 4 ao final da temporada.
    Porém isto é algo perfeitamente factível de acontecer. Justamente pelo sistema de pontuação da ATP. Mesmo que Djokovic e Nadal continuem , numa média, jogando um pouco melhor que seus adversários da nova geração, isso não garantirá que eles defenderão todos os pontos que conquistaram ano passado. Há muitos jovens que farão mais pontos este ano e estes pontos sairão em boa parte das cotas que Djokovic e Nadal tem para defender e que, conforme prevejo, não defenderão 100%, defenderão um percentual bem menor. Esta ATP Cup está mostrando o que acontecerá o ano inteiro: Djokovic e Nadal precisam “suar sangue” para vencer os jovens bem ranqueados. Haverá no mínimo esgotamento se continuarem com estas batalhas a cada jogo. Há muitos jogadores que terão um nível melhor do que tiveram em 2019.
    Para mim, ao contrário da opinião da maioria, os maiores perdedores desta ATP Cup são Djokovic e Nadal, pois todos perceberam que o nível deles em relação aos adversários caiu e estão vencendo seus jogos no detalhe, em batalhas sofridas. O top 20 sabe que se der o seu melhor poderá vencê-los. E alguns vencerão, o que significará queda no ranking para eles.
    Estamos em outra realidade no circuito masculino e a grande maioria dos apreciadores de tênis ainda não percebeu.

    Responder
    1. Efraim Oliveira

      Isso seria factível se houvessem mais umas dúzias de Tsitsipas e Medvedevs no circuito. Como não tem, os dois seguirão tranquilamente nas primeiras posições.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Kkkkkkkk
        Bellucci vai fazer esse ano o Golden Slam, perfeitamente factível! Tô na torcida…
        Ronildo, meu caro, suas previsões estão um tanto quanto furadas…pra esse tipo de análise, é requerido tirar o componente “torcida” da equação.
        Você que afirmava que Djoko não ganharia mais do Medvedev, já foi desmentido de cara logo no começo do ano rs

        Responder
    2. Jonas

      Cara pensa um pouco.

      Pra isso acontecer, teria que rolar algum tipo de lesão grave, algo até possível…

      Ou então eles teriam que deixar de ser regulares, de uma hora pra outra. Ser eliminados em torneios em rodadas iniciais…mas vamos pensar, quem faria esse serviço sujo?

      Tsitsipas, Kyrgios, Thiem e o Medvedev podem ganhar de Djoko ou Nadal, mas isso normalmente ocorre em fases finais de torneios. Até lá o sérvio já somou pontos importantes e uma suposta derrota teria que ser bastante frequente. Sejamos sinceros, o Djoko ainda é mais jogador que eles.

      Essa frequência acontece mais com o próprio Federer, que perde jogos inesperados, como pro Millman no Us Open. Ele não tem HOJE a regularidade suficiente pra superar a dupla no ranking mundial. Se você entender o Ranking da ATP, logo vai se dar conta sa bobagem que está dizendo.

      Outra coisa, em Grand Slam eles elevam o nível. O pior resultado do Djokovic ano passado em Major foi perder pro Wawrinka nas oitavas do US Open. O pior! E não podemos chamar isso de zebra, já que estamos falando do Wawrinka, um vencedor de Slams.

      Responder
    3. Luiz Fabriciano

      Caraca véi, como pode isso?
      “Mesmo que Djokovic e Nadal continuem , numa média, jogando um pouco melhor que seus adversários da nova geração, isso não garantirá que eles defenderão todos os pontos que conquistaram ano passado…”

      Torcedor definitivamente tem que ser separado de analista.

      Responder
  26. Vitor Hugo

    Jogo grande, apesar do estilo dos dois ser feio e robótico. Mas é a quarta ou quinta maior rivalidade da história, né?
    O segundo melhor da história, Rafa, contra o outro que provavelmente está entre os dez, Novak.

    Preparem um café forte ou tomem pó de guaraná que vai dar sono zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

    Responder
  27. Tadeu

    Mestre, duas perguntas:
    – eu tenho sempre a impressão que o Medvedev cansa mais rápido, mas administra melhor a fadiga ao longo da partida. Concorda?
    – qual sua opinião sobre o físico do Nole? Acha que está aquém do habitual?

    Saudações! Abraços!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Tadeu, achei que Medvedev estava mais inteiro que o Djokovic nesse jogo. O russo é um fenômeno nessa questão de resistência, como vimos também no US Open. Acho que Djoko está sim um pouco abaixo do que o habitual na parte física, mas todos estão vindo da pré-temporada e isso é um tanto normal.

      Responder
  28. Hendrix

    Olá Dalcin,
    Qual sua opinião a respeito desse torneio disputado as vésperas de um Grand Slam, em condições extremas e com sequências de jogos em dias consecutivos? Pra piorar, muitos jogadores atuaram em Perth, ha 5 hrs de vôo daqui de Sydney, e com duas horas de diferença de fuso (3 se incluirmos horário de verão na EC). Não seria algo insano contra os atletas? Temo que esse torneio cause diversas baixas no AO, frustrando fãs que, como eu, estarão em Melbourne em duas semanas para curtir esse espetáculo do tênis. Qual o propósito disso? Você acha se manterá mas próximas temporadas?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, não vi nada de tão problemático assim. Os tenistas costumam jogar torneios preparatórios antes dos Slam. Acho que a ATP Cup vai se manter no calendário e talvez precise de pequenos ajustes, mas se provou um torneio sólido e bem visto.

      Responder
      1. Hendrix

        Mas e essas jornadas duplas em que alguns jogadores atuam no mesmo dia em simples e duplas? Talvez eles não estejam reclamando porque estava fresco e nublado em Sydney ontem, mas e quando tivermos dias ensolarados com calores típicos do verão australiano?

        Responder
  29. Rodrigues

    Dalcim

    Em minha opinião, essa ATP CUP mostrou alguns aspectos que devem ser observados na atual temporada….
    – Vai ser difícil derrotar Nadal e Djoko em 5 sets nos grand slams.
    – Alguém da nova geração ganhará um Slam esse ano…coloco minhas fichas no Medvedev e como azarão no Thiem (RG)
    – Federer é zebra com pule de 5. Talvez jogue todas as suas fichas em Wimbledon. Mas do velhinho sempre pode se esperar
    uma notícia boa. Nunca duvide dele
    – Está chegando a hora do trio passar o bastão, e já podemos enumerar os pretendentes… Medvedev, Tsitsipas, Shapovalov
    – Zverev…bem…Zverev tem que lutar para não seguir o caminho do Coria
    – Finalmente, apesar da nova geração prometer, não acredito que teremos alguém dominante ou um trio dominante como
    o atual.
    O que voce acha?

    Responder
  30. JAN DIAS

    Dalcim,

    O que você acha da declaração do RICHARD KRAJICEK (conferência de imprensa dia 10/01/2020):

    “A NEXTGEN só vai ganhar um GRAND SLAM quando o
    BIG3 não estiver bem fisicamente”.

    Pra mim faz sentido. Essa geração já tem tênis pra ganhar do Big3, mas não tem o equilíbrio emocional e a maturidade mental pra fechar os jogos… Se algum deles chegar perto desse equilíbrio, pode faturar 1 SLAM ainda em 2020…

    Responder
  31. Luís H Sheltz

    Dalcim, na sua opinião qual é o melhor jogador que vc viu jogar em todos os seus anos de carreira? E qual seria o segundo melhor?

    Abraço

    Responder
  32. Evaldo Medeiros

    Boa noite, Dalcim. Depois da partida épica e desgastante contra o russo, você acha que Nole ainda terá energia para jogar perto do seu melhor contra o Nadal logo mais na final???

    Responder
        1. José Eduardo Pessanha

          Não falei? Moleza. Nadal tem que agradecer aos céus pelo fato de o Cotonete cair todo ano na chave do Thiem em Roland Garros. E cairá novamente nesse ano, caso o Thiem recupere o quarto posto no ranking.
          Abs

          Responder
  33. JAN DIAS

    Mostrando que não sou parcial, achei que DJOKO x MEDVEDEV foi um jogaco, com muita tensão e rallies sensacionais..
    O único senão pra mim é que acho o russo defensivo demais, se ele quiser ganhar um SLAM precisa atacar
    mais…

    Responder
  34. Paulo Almeida

    Lembrando que FeDjo e FeDal são paternidades e não rivalidades.

    O ponto que decidiu a partida ontem é o exemplo típico de quão maravilhoso é jogo do Djokovic: joga o adversário de um lado para o outro como quer, castiga sem dó. Jogar bonito não é só fazer acrobacias, como alguns pensam.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Grande “Paternidade” de 26 a 23 kkkk

      E que estaria em 25 a 24 se não fosse o vacilo de Wimbledon.

      Fora que é muito mais difícil pro Djokovic ganhar do Federer na hard, do que ganhar do Nadal…

      Responder
  35. Evaldo A Moreira

    Boa tarde
    Obviamente Nole se superou , mas no conjunto jogo e variações muito bem, agora, vamos analisar friamente , os caras , optaram por algumas bolas e ainda de cabeça baixa!?. Socorros brother, e Djokovic não nada isso é estava lá, mas estou surpreso pelas apresentações de Shapovalov e Danill, esse russo, concordo com o mestre , o cara é trinca carne de pescoço kkkkk.
    Vejo a galera falar da derrota do Kyrgios, pra mim , não vi o jogo, mas penso eu, não fez o bastante , ele queria enfrentar o Nadal com certeza, ah mas com certeza, não tem como ele perder para o Agut, principalmente pelo momento que estava nesta ATP Cup, o capitão australiano babão do Di menorzinho colocou ele e ponto, suuuurraaaaaaa kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Se liga, Evaldo. Além de não ver o jogo não viu o regulamento. O Ranking é que determina quem vai jogar. Os dois N 2 , Agut x Kyrgios e os dois N 1 , Nadal x De Minaur. Hewitt não tinha nada a fazer . Você já repetiu essa bola fora no Tênis Brasil. Grande Abraço !

      Responder
  36. Daniel

    Dalcim sempre torcendo contra o Nadal. Não creio que o espanhol esteja jogando mal, e me parece muito mais inteiro fisicamente do que o Djoko. Ganhou Doha, Davis, e desde WB foram apenas 2 derrotas. Por outro lado, Djoko vem acumulando uma série de derrotas inesperadas ao longo de todo o 2 semestre de 2019 e já esse ano, em Doha. Jogo amanhã sem favoritos.

    Responder
  37. Paulo Almeida

    Os dois melhores da história de novo decidindo um título. Não estão jogando o seu melhor, mas a expectativa é sempre grande para o maior clássico da Terra.

    Lajovic pode dar trabalho ao Agut, que despachou com facilidade o servebot e palhaço Prick Kyrgios. Nem dá pra chamar essa ameba de jogador. Entretanto, o mais provável é que o GOAT tenha que empurrar a decisão para as duplas.

    Bora, Sérvia!

    Responder
    1. Fabiano

      Os dois melhores da história kkkkkkkkk
      Um é o Nadal e cadê o outro.?
      Maior clássico da terra kkkkkkkkkkkkkk, todo mundo sabe qual o maior confronto da história. Mestre FEDERER manda lembranças.

      Responder
  38. Chetnik

    Primeiro jogo que vi do Djoko após o Finals foi contra o Shapovalov. Tava muito mal. A sorte é que o Shapovalov é um inútil.

    Contra o Medvedev vi a partir do 2a. Jogaço. E muito emocionante. Só que eu não entendi uma coisa. O maior poeta do fórum falou que o Djoko, “freguês”, nunca mais venceria o Russo, kkkk. Só sai besteira dali. Nada que se aproveite, kkkk.

    Responder
    1. Ronildo

      Mas eu não estava falando de jogos da Copa Davis e desta ATP Cup. Se fosse uma final de master 1000 ou semi de Slam o russo entraria mais focado.

      Para seu deleite, acima vou explicar em que se baseia minha previsão de que Djokovic e Nadal sairão do top 4 ao final desta temporada.

      Responder
  39. Nando

    Acredito q a Espanha vença a ATP Cup, mas no confronto coto-siri deverá ser vencido pelo sérvio…nos últimos 8 jogos na quadra dura, o espanhol sequer venceu set. Desde 2013 não ganha do cotonete fora do saibro, queira ou não isso é um fator psicológico q pesa…e o saque faz uma difernela nesse piso, e o do sérvio é melhor.

    Responder
  40. Alexandre

    Dalcim,
    Boa tarde!

    Os técnicos podem inverter os confrontos, colocando pra se enfrentarem 1° x 2° de seus países?
    Caso, positivo creio que o Agut tem mais chances contra o Nole, mas caso contrário será 2(nole e dupla) x 1(agut) e Sérvia campeã.
    Abraços

    Responder
      1. Marcelo-Jacacity

        Já pensou, tirar o Nadal do confronto, pois o Agut “teria mais chances” que o Nadal contra o Djoko? Padre Quevedo tem a resposta. Loucura pensar nisso! hahaha.

        Até é factível pensar que o Hewitt poderia ter sacado o De Minaur do confronto contra a Espanha e ter colocado o Millman contra o Agut para o Kyrgios enfrentar o Nadal. Aqui tudo bem. Esse assunto foi tema de grande discussão nas rodas de tênis hoje. Mas creio que o capitão australiano tomou a melhor decisão mesmo. Hewitt não tem culpa que o crazy Nickolas não fez cócegas no Agut.

        Responder
  41. José Eduardo Pessanha

    Enquanto a galera rala no sol da Austrália, Mister Rogério Federer está só descansando. Foi ótima a notícia de que Medvedev assumiu o quarto posto, despachando o fraco superesTHIEMado de um lugar onde ele não merece estar. Roger Federer será o campeão do Australian Open 2020.
    Abs

    Responder
    1. Paulo F.

      Concordo com quem diz que o Medvedev não tem um tênis lindo de se assistir, mas é inegável que é muito mais jogador do que o austríaco excessivamente alentado.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Fraco Dominic Thiem , meu caro Pessanha ? Federer vai levar o AOPEN 2020 ? Onde você estava durante as grandes partidas entre ele e Novak e Federer no ATP FINALS ? Voltou das férias falando as mesmas bobagens por causa de um simples “ apelido “ que inventou e cisma em manter a qualquer custo. Chegou ao TOP 4 porque merecia ao bater Novak também em RG e chegar a FINAL. Queira você ou não Conterrâneo. Quanto ao Craque vencer o SLAM aos 38, muito difícil mas não impossível. E’ óbvio que isso tudo a meu ver. Abs!

      Responder
    3. JAN DIAS

      Deus te ouça Pessanha!! 😄

      Torcendo pro ROGER chegar lindo, descansado e cheiroso 😎 no AO 20, atropelar todo mundo e
      levantar o caneco..🏆

      Responder
  42. JAN DIAS

    Esse título ficou excelente – “Lógica suada” – foi isso mesmo que aconteceu..kk..os 2 favoritos tiveram que deixar tudo em quadra pra vencer..

    Responder
  43. JAN DIAS

    Pra mim essa final tá bem aberta:

    AGUT x LAJOVIC: os 2 estão jogando muito bem, pode dar qualquer coisa (embora eu esteja impressionada com o nível de tênis e a raça que o sérvio mostrou nesse torneio).

    NADAL x DJOKO: o favoritismo natural é do sérvio, mas ele está exausto e eu não sei se ele consegue se recuperar a contento. O espanhol tá jogando mal, mas está mais descansado, então também vejo equilíbrio e imprevisibilidade..

    DUPLAS: muito provavelmente onde o título vai ser decidido, com favoritismo para os espanhóis.

    Responder
  44. Marcelo-Jacacity

    Final dos sonhos mesmo, exceto para os australianos, obviamente.
    Em relação ao confronto, o n. 2 da Espanha, Bautista-Agut é Top-10, muito regular e joga muito por mais que não possa aparentar. Mesmo o Lajovic jogando muito bem, será muito difícil superar o espanhol.
    Espanha 1 x 0 Sérvia
    Djokovic versus Nadal, o maior clássico do tênis, Djokovic está jogando melhor, e creio que o sérvio vença o n.1 do mundo que não está tão bem assim.
    Espanha 1 x 1 Sérvia
    Pelo meu palpite o duelo será decidido nas duplas, e aí sinceramente, não há favoritismo algum. Como eu torço pra Sérvia coloco de virada:
    Espanha 1 x 2 Sérvia

    Responder
  45. Rodrigo S. Cruz

    [Sérgio Ribeiro]
    11 de janeiro de 2020 às 13:09

    “Esse é o problema, Gildokson . Poucos veem os jogos e se pegam em rompantes de talento e esquecem do principal”.

    O Dalcim sempre enxergou o Kyrgios com um tenista de grande talento.

    Quer dizer que ele não assiste os jogos também?

    Aliás, eu queria saber de onde você tira essa FALÁCIA de que discordar de você equivale a não assistir jogos…

    É uma teoria capenga que não pára de pé…

    Pessoas tem visões diferentes.

    A questão é que você exalta consistência e resultados.

    Mas a maioria das pessoas exaltam espetáculo e técnica…

    Simples assim.

    E com todo respeito, mas usar justo um PANGARÉ como o Bautista-Agut para diminuir Fognini e Kyrgios é o fim da picada, né…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Diminuir quem ? Quem foi que disse que Kyrgios e o veterano Fognini não possuem Talento. Pela milésima e última vez , possuem muito e ponto. Você se deixar a sua enorme vaidade infantil quando alguém o contradiz , perceberá’ que somente talento não é suficiente. O que melhoraram ao longo dos anos , Federer , Nadal e Djokovic em N fundamentos , não é brincadeira. Já deveria ser o suficiente pra você compreender. Com as melhorias os resultados aparecem . Acontecem graças a muito treinamento. O que não é o forte dos dois citados. Há anos que afirmo que eles não irão ao FINALS . Assistindo aos jogos quem sabe não mudo de opinião? Abs !

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Perfeito, desde quando p se opinar sobre algo há necessidade de assistir o evento; opinião cada um tem a sua, quem lê e raciocina pode perfeitamente opinar, discordar é saudável, menos p nosso caro companheiro de blog, p quem discordar das suas opiniões é um pecado mortal, e sempre atribuído a falácia de “precisar assistir os jogos p opinar”. Basta citar o exemplo do Zé Verev, antes fazer qualquer crítica a esse rapaz gerava infindáveis postagens do tipo “vcs não sabem nada” ou “o futuro mostrará q estou certo”, mais recentemente teve q admitir o equívoco, algo por sinal saudável…

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Rapaz você se supera anos a fio , na mesmice. ” Desde quando precisa assistir pra dar opinião ” ? Então vá assistir Balé e de sua abalizada opinião sobre Tênis. Ou então repita o que você lê no Tênis Brasil. Quando qualquer um da Next Gen está mal como é o caso de Zverev , sou o primeiro a reconhecer. Você opta por saber o resultado e recorre aos comentários de terceiros. Não assiste meu caro, daí chamar Federer de aposentado desde 2013. És fraquinho mesmo rsrsrs Abs!

        Responder
  46. Rodrigo S. Cruz

    [Jonas]
    11 de janeiro de 2020 às 02:59

    “É só uma previsão. Acho que o Federer não vai conseguir segurar nem a nextgen esse ano.
    Já tava na hora de ter algum adversário a altura além da dupla Djodal”.

    Previsão ou torcida hater?

    Ler esse tipo de comentário do Ronildo está ficando até normal.

    Mas de você soa um tanto desonesto…

    De qualquer forma, vou dar a minha previsão:

    2020 caminhará quase que a mesma coisa de 2019 para o BIG 3:

    1. Djokovic e Nadal brigando pela liderança do ranking

    2. Nadal ganhando RG pela milésima vez e surrando o suíço no saibro

    3. Federer por sua vez surrando o Nadal em qualquer quadra sintética a ou de grama

    4. Os três com maiores chances no Australian Open, o Federer com dificuldades no Us Open. A nextgen correndo por fora em todos os Slams.

    5. Djokovic e Federer com chances parecidas em Wimbledon

    6. Olimpíada totalmente aberta e imprevisível.

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Não minta!

        Surrou sim em TODOS os confrontos de 2017, após o Aberto da Austrália:

        Indian Wells : 6/2 e 6/3
        Miami: 6/3 e 6/4
        Shanghai: 6/4 e 6/3

        Surra não é tão somente marcar duplo 6/1 ou enfiar pneu não…

        Aliás, nem lembro mais qual foi a última vez que o Nadal venceu o Federer fora do saibro.

        Mas faz muito tempo.

        Responder
  47. Marcelo G

    Dalcim os últimos 3 confrontos de Djokovic e Bautista Agut em quadra dura terminaram com vitória do espanhol, já os últimos 8 jogos entre Nadal e o sérvio em quadra dura terminaram com todos os sets vencidos por este.
    Nadal é mais jogador que Bautista Agut, disso todos sabemos, porém seria esse o melhor momento pra descartar Nadal?
    O outro jogo seria entre Carreño Busta e Lajovic, ou seja, a Espanha ainda seria favorita, ou no mínimo entraria de igual pra igual.

    Responder
  48. Marco Galduróz

    Professor, ganhar também vale e muito no ranking né. A aproximação , apesar da necessidade de defesa de título, talvez acelere a retomada da liderança do ranking pelo sérvio.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que não vale tanto no ranking, vale mais a motivação para o Australian Open. Lembremos que, em termos de ranking, só o Nadal pode somar na Austrália.

      Responder
  49. Antônio Luiz Júnior

    Dalcim, como sempre, excelente sua coluna, e seus comentários estão muito bem fundamentados. Acredito que será uma final em 03 jogos e vejo Djokovic num melhor momento que Nadal no jogo de simples. Acho que Bautista Agut vence o excelente Lajovic e deveremos ter o terceiro jogo. Nas duplas é difícil cravar um palpite, não vejo grande sintonia entre Nadal e Carreno Busta, mesmo também sendo canhoto, prefiro Feliciano Lopes. Djokivic e Viktor Troicki estão acostumados a jogar juntos, acredito que levem pequena vantagem neste sentido. Espero apenas, que sejam excelentes jogos e com grande espírito de luta e principalmente esportividade.

    Responder
  50. Paulo Sérgio

    Dalcim, se você fosse técnico do Nadal, sabendo do desempenho dele apenas razoável nas partidas anteriores da ATP CUP e do retrospecto amplamente favorável a Djokovic nas quadras duras, o que diria para ele?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, o que dizer a um multicampeão? Talvez apenas para ele jogar mais solto, tentar usar mais o primeiro saque e atacar a segunda bola, imaginando que a maioria das devoluções do Djoko vão voltar. Os dois sabem que o segredo são as paralelas (de forehand para o Nadal e de backhand para o Djoko).

      Responder
      1. Paulo Sérgio

        Pois é, esse é o grande problema. Eu acho que os técnicos de caras como Nadal, Djokovic e Federer já não ensinam mais nada para eles. Apenas os mantém treinando e os ajudam a tomar decisões referentes ao calendário. Se brincar eles até têm receio de dar algum toque e o atleta não gostar.

        Responder
      2. Raphael

        Grande Dalcim, acredito que não há o que dizer. Ambos sabem o caminho para vencer o outro. E é jogo que eleva o nível dos dois. Ao natural. Vai ser um jogão .

        Responder
      1. Gildokson

        Os caras tentando dar mais destaque ao clássico Rafa/Nole só pq aconteceu diversas vezes. Diversas vezes jogos idênticos kkkkkkkkkkkkkk

        Senhores não adianta forçar, o maior clássico do tênis é entre os 2 maiores campeões de Slam da história, eles elevaram juntos a popularidade do tênis à outro patamar. Não foi o Djokovic!

        Responder
  51. Helena

    Vou apostar na Sérvia, mas sem muita convicção. Acho que Djoko ganha do Nadal, mas que a decisão vai ser apertada nas duplas.

    Dalcim,
    Você vai fazer um sobe/desce dos principais jogadores após a ATP Cup?

    Responder
  52. Roberto Rocha

    Djokovic está jogando muito mais que Nadal. Vitória fácil por 6 x 2 e 6 x 2. As esperanças espanholas repousam na vitória do seu segundo jogador e nas duplas. Mas concordo com você, Dalcim…a Sérvia leva essa.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Esse é o problema, Gildokson . Poucos veem os jogos e se pegam em rompantes de talento e esquecem do principal .Consistencia , físico e mental. Chamavam o N 2 da Armada de Bautista Yogurt e outras… Bolas planas que machucaram Nick e já deixaram Fognini falando sozinho. A exibicao de Novak ontem comprova mais uma vez que o Sérvio se aprimorou em varios fundamentos. E joga num nível tão alto como o Craque Suíço fazia aos 32. Cala de vez junto com o Espanhol a minha boca. Só não sei se chegam aos 38 rsrsrs Abs!

      Responder
    2. HILARIO MUYLAERT DA SILVA LIMA

      Kyrgios tem os dois saques excelentes, e ótima variação de jogo.
      Além da habilidade ímpar com a raquete nas mãos.
      Mas Kyrgios não é um atleta competitivo, além da pouca mobilidade.
      Dificilmente vencerá um Grand Slam, infelizmente…

      Responder
      1. Adriano Souza

        Se o saque dele fosse tão excelente assim, ele não teria perdido o primeiro set de 6 a 1
        O Kyrgios tbm comete erros
        Não tem muita mobilidade, e não tem plano tatico

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Ah tá!

          Então porque tomou um 6/1, o saque dele dele é ruim?

          kkkkkkk

          E quantos 6/ 1 na carreira o próprio Djokovic já amargou?

          Inclusive tomou um do Federer ano passado em Wimbledon!

          Portanto, segundo esse teu raciocínio absurdo diríamos:

          ” Se o Djokovic fosse tão bom assim EM QUALQUER FUNDAMENTO do seu jogo, jamais teria tomado um 6/0 do Bellucci…

          Responder
          1. Adriano Souza

            Quando falaram pra mim que o Djokovic tinha tomado pneu do Belucci, eu pensei que era pegadinha
            Só acreditei quando vi o vídeo do jogo kkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *