Austrália pode ser divisora de águas
Por José Nilton Dalcim
31 de dezembro de 2019 às 16:47

Não restam dúvidas de que a nova geração virou ameaça real ao domínio do Big 3. Seja com a solidez de Daniil Medvedev, a força física de Dominic Thiem ou a variação técnica de Stefanos Tsitsipas, a temporada 2020 parece o momento em que se iniciará a reviravolta no circuito, já que agora existe pelo menos mais um candidato em potencial em cada piso.

Ainda assim, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Roger Federer serão o centro das atenções, principalmente no momento histórico em que o recorde de troféus de Grand Slam está em jogo e existe uma vasta coleção de feitos a serem alcançados pelos maiores tenistas da história (veja abaixo).

O Australian Open pode ter importância vital. O Big 3 entra com favoritismo natural pela experiência e grande momento que atravessa, mas ao mesmo tempo está sob pressão acima do normal. O calor infernal que assola o país aumenta as interrogações, já que o Slam da Oceania já é tradicionalmente um dos mais exigentes em termos de desgaste físico.

Então há uma brecha para a Next Gen. Tsitsipas já fez uma grande campanha no ano passado, Medvedev tem preferência pela quadra dura mais veloz e Thiem evoluiu muito no piso sintético, tanto na parte técnica como na mental. Caso o Big 3 seja barrado já em Melbourne, a troca de guarda pode ser abreviada ainda mais.

6CQFLN5XTBC7FCUCIXTNNUYMEY

Recordes em Slam
– Ao menos no Australian Open, o Big 3 entra em quadra de olho no recorde de Grand Slam. Djokovic, claro, precisa defender o título em Melbourne para ter chance de chegar aos 20 no US Open.
– Federer no entanto manterá todos seus demais recordes: 31 finais, 45 semis,56 quartas, 415 jogos, 357 vitórias e 78 participações. Nadal só pode igualar a marca de finais, mas precisará decidir todos os Slam.
– Nadal tem segundo melhor percentual de vitórias (87,7%) e boa chance de se manter (Djoko está com 86,7% e Federer, 86%). Borg segue insuperável com 89,8%.
– Feliciano López chegará a 72 Slam consecutivos em Melbourne,
– Nadal e Federer agora são os únicos profissionais com pelo menos cinco finais em cada Grand Slam e assim continuará.
– Federer precisa de três vitórias para chegar a 100 no Australian Open. Ele é o único com essa marca num Slam (101 em Wimbledon).
– Se vencer novamente Roland Garros, Nadal chegará a 100 triunfos em Paris.

Façanhas no circuito
– Federer encara autêntica lista de feitos para igualar Jimmy Connors: está atrás por 6 títulos, 7 finais, 30 semis, 50 jogos e 37 vitórias. Apenas as semis estão fora de alcance em 2020.
– Faltam 23 vitórias para Nadal se tornar o quarto profissional da história a totalizar 1.000 (o outro é Lendl).
– Djokovic está a 7 vitórias do 900º triunfo na carreira e aí precisará de mais 49 para igualar o quinto posto de Vilas.
– Em nível Masters, Nadal (35) e Djokovic (34) continuam luta pela soberania de títulos. Nadal tem 51 finais, uma a mais que sérvio e suiço, e lidera em vitórias (384 contra 381 de Federer).

De olho no ranking
– Nenhum outro tenista fora do Big 4 liderou o ranking desde janeiro de 2004 ou figurou no top 2 desde maio de 2005.
– Faltam 11 semanas para Djokovic igualar as 286 de Sampras e 35 para o recorde de Federer.
– Nadal precisa permanecer mais 20 semanas no top 10 para superar Connors e ter maior sequência desde a criação do ranking, em agosto de1973. Parece líquido e certo.
– Nadal, Djokovic e Federer tentam finalizar a sexta temporada como número 1 e enfim igualar Sampras.

Recordes (quase) insuperáveis
– Connors ganhou 44 sets seguidos em 1974
– Vilas ganhou 16 torneios e134 partidas na temporada de 1977
– Borg permaneceu 49 partidas invicto em 1978
– Borg foi campeão em 10 torneios seguidos em que participou entre 1979-80
– Lendl fez 18 finais em sequência entre 1981-82
– McEnroe venceu 82 de 85 jogos em 1984, eficiência de 96,5%
– Federer venceu todas as 24 finais que atingiu entre 2003-05
– Federer derrotou 24 adversários top 10 seguidos entre 2003-05
– Djokovic derrotou 31 adversários de nível top 10 em 2015


Comentários
    1. José Nilton Dalcim

      Wawrinka não quis jogar e Federer desistiu logo depois. Um deles precisaria estar no time para garantir o lugar pelo critério do torneio (ranking do principal jogador).

      Responder
  1. Lucas Pires

    Dalcim, eu compartilho de sua esperança com a possibilidade da nova geração nos Grand Slams, porém ainda vejo problemas de cabeça muito graves nos 03 principais nomes (Medvedev, Zverev e Tsitsipas). Um fez o vexame no US Open e os outros dois quase bateram nos pais/técnicos essa semana. Será que esses caras conseguem segurar a cabeça por 5h pra bater Nole ou Rafa?

    Responder
  2. Luis

    Dalcim o big 3 já poderia estar jogando mais por prazer do que títulos mas são acima da média e queremos continuem vencendo( Federer um pouco mais por ser mais velho) o que acha?

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Tá de brincadeira , caro Ando ? rs. Será que só eu e o Dalcim vimos os jogos ? A quase bicicleta do Nish sobre Cuevas, foi um que passou na íntegra !!! Grande abraço !!!

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Foi a quinta maior sequência (23), embora as duas primeiras não sejam consideradas pela ATP (ambas de Borg, com 49 e 48). Assim o recorde da ATP é de Vilas (46), seguido de Lendl (44).

      Responder
  3. Miguel BsB

    Olha, no começo não dei muita bola mas estou gostando dessa ATP Cup.
    A maioria dos grandes jogadores estão participando e levando a sério, até porque dá premiação e pontos no ranking,
    Apesar de algumas equipes praticamente terem um jogador e o restante bem abaixo no circuito…
    Muitos jogos legais e vários de duplas transmitidos. Acho que ela veio pra ficar…

    Responder
  4. Luis

    Oi Dalcim, o que você esta achando desse atp cup? Uma chance de esquentar para o AO ou uma oportunidade de se machucar? Estou impressionado com o calendário, é muito jogo. Os principais sao obrigados a participar ou poderiam não ter ido?

    Responder
  5. Sérgio Ribeiro

    A maneira que Alexander Zverev foi flagrado , se dirigindo a seu Pai , quando este tentava ajudá-lo no jogo contra Tisitsipas, é no mínimo inaceitável. Passou de Danoninho a um deslumbrado babaca. Depois de já ter agido de maneira idiota junto à imprensa ao comunicar o fim da parceira com Lendl , não satisfeito em despencar no Ranking , bota tudo na conta do Coroa. Uma coisa é um Senhor de 38 ( em final de carreira ) , atrapalhar a pré-temporada faturando U$$$$$$$$ a dar com o pau em exibições, outra é um moleque que foi ao FINALS nem sabe como , se deslumbrar com a grana ( o acompanhou no tour ) e esticar as férias com namorada e Marcelo a tira-colo. Na coletiva disse que chegou a ATP Cup mal treinado. Nem Becker quis ouvir, ou seja , desta vez o nosso caríssimo L.F. está coberto de razão. Deve cair fora rapidinho do TOP 10 . Pelo menos , a nosso ver. Abs!

    Responder
    1. Evaldo A Moreira

      Boa noite Sérgio, tudo bem….
      Olha esse Zverev deveria ter vergonha na cara e pedir perdão de joelho ao pai dele, que estupidez , arrogância e falta de respeito, ele tem que lembra que, pai dele deu todo o suporte para chegar aonde está hoje, o amanhã ele poderá estar nas portas dos fundos do ranking, além disso , seu irmão mais velho, também o ensinou nos treinamentos na época em que Micha estava na fase de lesões, não dá conta de resolver as coisas e desconta nas pessoas , como o Dalcim mesmo disso, ser pai/treinador é um fator problema, acho que tá na hora de o Danoninho crescer e ver o que quer, pois seu jogo ja está marcado pelos adversários, podem observar.

      Responder
  6. Sandra

    Dalcim, não te causa tristeza vendo a maneira como Zverev tratou o pai, levando esse as lágrimas ? Sera que se o técnico fosse outro que não fosse seu pai ele faria isso?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Talvez o pai seja um dos problemas dele, Sandra. Difícil avaliar à distância, mas obviamente não é algo bom de acontecer. Pais como treinadores de tênis é algo bem complicado.

      Responder
      1. Paulo F.

        Esse fato me deixa com a pulga atrás da orelha em relação ao Tsitispas, nobre Dalcim.
        Ótimo 2020, incluindo a família (muito atrasado)!

        Responder
  7. Edi

    Dalcin,falando só de quadras de saibro,noto que o Federer se impõe contra o Djokovic,no caso da jogo equilibrado,mas quando enfrenta Nadal encontra bastante dificuldade, geralmente não dá jogo, e o Djokovic contra Nadal da jogo também,tanto que já ganhou dele em Roland Garros,a que se deve isso, será que o spin do Nadal incomoda tanto o Federer assim?

    Responder
  8. Paulo Almeida

    Essa ATP Cup é um torneio interessante, mas com muitos países (e nem assim o Brasil entrou) e tenistas praticamente amadores completando as equipes. O georgiano tomou uma bicicleta do Agut, uma verdadeira piada!

    Hoje ouvi o excepcional Scenes From a Memory do Dream Theater (lançado em 1999), álbum que não deve nada pra muita obra-prima do rock progressivo clássico. É só a pessoa não ter a cabeça fechada e ficar presa nas décadas de 1960 e 1970 para apreciar música da mais alta qualidade.

    Responder
    1. lEvI sIlvA

      O último álbum com alma do DT, caro Paulo. Mas ainda assim, pode-se notar alguma influência ou inspiração eu diria, de Brave 1994. Eles já se declararam fãs de Marillion. ( Leia o encarte do CD de 1992) Antes de mais nada, tenho alguns deles, apesar que o melhor pra mim, ainda seja o Images and Words de 1992. ( Houve uma limitadíssima prensagem de 1000 cópias nacional! Sabia dessa?) Abraço!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Discordo, caro Silva. Gosto bastante dos álbuns até 2013, mas os dois últimos achei fracos.

        Depois eu dou uma olhada no encarte do Images & Words. O meu é importado.

        Responder
        1. lEvI sIlvA

          A limitada prensagem de 1000 cópias, faltou falar, foi em vinil. Eu acho até que tive um deles, se não me falha a memória. Mas acho que vendi. Uma pena, hoje poderia fazer um $$$!

          Responder
  9. Luiz Fernando

    Há um ano dizíamos q 2018 seria o ano q Zverev deslancharia, exatamente o q muitos, inclusive eu, pensam q ocorrerá com o grego. A partida de ontem demonstra q as chances do alemão são inferiores às do grego, pois o primeiro ainda luta contra sua cabecinha na quadra, além de encarar o adversário. O grego parece bem mais compenetrado e focado, evoluindo a olhos vistos a cada período. Vamos aguardar o início da temporada p comprovarmos nossas impressões.

    Responder
  10. Sérgio Ribeiro

    E Alex De Minaur de novo sai de 2 x 4 no segundo Set , e vira de maneira incrível ( lembrando Hewitt ) ,pra cima de um atordoado Shapovalov . O Canadense nem deve ter dormido com as bolinhas absurdas que o Australiano chegava. Enquanto isso Nick desiste encima da hora … E Fognini , bem … Abs! Ps. Volto atrás e digo que Novak vai cair fora do ATP 250. Alegara’ ” calor insuportável” . Abs!

    Responder
  11. Helena

    Dalcim,

    Primeiramente, feliz ano novo para você e para a sua família! Um grande ano de 2020 para todos : )

    Agora uma dúvida, você sabe dizer se o Kyrgios ainda joga na ATP Cup?

    Responder
  12. Maurício Luís *

    Confesso que não tô nem um tiquinho entusiasmado com essa Copa Davis cover que a ATP cismou de inventar pra atrapalhar o começo de ano e aumentar a lista de contusões do Australian Open.
    Organizadores do ATP de Doha devem estar pulando “dessa altura” de alegria com o esvaziamento do torneio.
    Deviam entrar em acordo e fazer a fusão. Mas ” Pra que fazer fusão, se podemos fazer confusão? ” – eis o lema da ATP.
    Bem fez o Federer de pular fora. Acredito que outros não fizeram o mesmo porque o cifrão fala + alto.
    É isso… e aproveita que eu tô calmo. Tomei meu Rivotril hoje. Y

    Responder
  13. Sandra

    Dalcim, qual o problema de fechar o teto? Não fica climatizado ? E ruim para jogar? Facilita a algum jogador ou ou sofrimento e o mesmo para todos?

    Responder
  14. Evaldo A Moreira

    Bom dia,
    Dalcim, duas coisas que observei e que, gostaria de sua opinião: primeira, essa é grave, aliás mais do isso : Sascha, o que está acontecendo com esse rapaz, saque horroroso, emocional e auto confiança um lixo, não se anima, o seu jogo , não há evolução técnica, até o Boris Becker ficou sem o que dizer pra ele, coitada da raquete, e se continuar assim, esse ano não passa, vai despencar no ranking.
    Segunda, ontem gostei do jogo do Shapovalov, mais paciente nas trocas de bolas, promete para ele esse, agora esse De Menor, apenas esforçado e corredor, não vi nada de novo nele, minha opinião, Mestre o que acha dessas constatações!?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Zverev continua perdido, aparentemente tanto na parte emocional como na técnica. E uma coisa influencia a outra. O De Minaur tem boas armas, está sacando melhor e é muito consistente no contragolpe, raramente recua da linha da base. Só não me agrada o exagero nas comemorações e uma aparente necessidade de imitar o Hewitt, que aliás nunca me agradou também nesse aspecto.

      Responder
  15. Hendrix

    Dalcin, feliz ano novo pra ti e todos do tênis Brasil. Seu post foi muito interessante, mas minha dúvida é extratenis. Qual a razão da apresentação do mapa da Austrália, país gigantesco, sendo que a competição é apenas em Melbourne, no sul do país? Calor faz por aqui todos os anos, a diferença esse ano é que tem havido muitas queimadas, bem mais que o normal, mas a maioria ao norte de VIC. Abraços!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado pela explicação, mas as entrevistas dos jogadores sobre a qualidade do ar deixa claro que existe sim uma enorme preocupação sobre as condições climáticas em Melbourne, onde sabemos o calor de verão pode jogar as temperaturas para além dos 34 ou 35 graus.

      Responder
      1. Hendrix

        Exatamente. O problema está nas condições do ar devido a fumaça proveniente das queimadas, já que muitas cidades estão em estado de emergência, não necessariamente do calor. As temperaturas são próximas das médias dessa época do ano.

        Responder
  16. PIETER

    Dalcim, um jogador como o nosso Thiago Monteiro, que tem rondado o top 100 e hoje inclusive é 89 do mundo, consegue ganhar algum dinheiro ou ele ainda está na fase de apenas investir na carreira?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Qualquer tenista que fique na faixa dos 150 por um bom tempo certamente consegue formar um pé de meia considerável, Pieter. Imagine que jogar os quatro Slam já garante cerca de US$ 150 mil.

      Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho que um 150 já ganha sim dinheiro, Ando. Temos alguns bons exemplos, como o Júlio Silva. Não se deve pensar apenas no circuito tradicional. Um jogador top 150 tem lugar garantido nos interclubes europeus, que pagam bem.

          Responder
  17. Ronildo

    Nadal e Djokovic iniciaram a pior temporada para eles desde que chegaram ao topo.
    Sabem o que isso significa?

    Cairão fora do top 4.

    Estes primeiros jogos dos dois já foi uma pitada do que vem por aí.

    Responder
  18. Sandra

    Dalcim, você saberia me dizer como foi feito esse sorteio da ATP Cup? Achei esquisito colocarem no mesmo grupo Canadá,Austrália , Grécia e Alemanha ? Será que era para nexteen correr ,ais que os outros ?…

    Responder
  19. Luiz Fernando

    Dalcim esse piso da ATP Cup é o mesmo q será o padrão do AO? Se for achei uma quadra de velocidade padrão, nem muito lenta nem rápida demais, qual foi sua impressão?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nunca o vi jogar. Seu currículo ainda é minúsculo: jamais jogou sequer challenger. E em 2019, perdeu 21 de 26 jogos de nível future.

      Responder
  20. Luiz Fernando

    Rafa teve um apagão, vencia fácil o segundo com 2 quebras na frente, perdeu ambas de forma boba, em especial por maus serviços e ENF infantis, mas no fim venceu em sets diretos, o q é sempre melhor.

    Responder
  21. Sandra

    Dalcim, não sei se você pode me confirmar ,mas Nadal já não se enrolou outras vezes com o Basilashvili? Não vejo Nadal se enrolando muito com ninguém , mas esse ele se enrola

    Responder
  22. Luiz Fernando

    Anderson vai fazendo um jogo duro frente a Djoko, o q não deixa ser uma surpresa, não pelas qualidades do sul-africano, sempre perigoso nesse tipo de piso, mas pelo bom nível apresentado após longo afastamento. Aliás me parece estar melhor no fundo quadra do q na final do USO 2017, em especial no BH. Se jogar nesse nível vai ser outro adversário complicado no AO.

    Responder
  23. Edi

    Bom dia e um ótimo ano pra vcs da tênis Brasil Dalcin.
    Uma pergunta,
    Qual critério usado pra escolha dos países na copa da ATP, é a mesma da Davis,ou tem outra forma de escolha dos países?

    Responder
      1. Helena

        Você não acha que deveria existir um ranking mínimo exigido do número 2? Algumas equipes só tem um jogador decente, com o resto do time sendo horroroso.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Pois é, talvez pudesse haver a soma dos dois melhores de simples e o melhor de duplas, deixando a decisão dos cabeças de chave para o ranking do número 1. Me parece que ficaria algo mais interessante.

          Responder
          1. Helena

            Muito melhor essa ideia! Não faz sentido o critério ser o ranking de um único jogador em uma competição de equipes. Claro que assim alguns bons jogadores não poderiam participar, mas, com todo o respeito, o nível de alguns jogadores é constrangedor, teve até duplo 6×0.

        2. Rafael Azevedo

          Acho que a ideia é garantir que os melhores estarão no torneio e se enfrentarão. Por exemplo, o número 2 da Áustria, se não me engano, é o 105º do ranking.
          Imagina se faz essa ponderação e o Thiem fica de fora (junto com a Áustria). Tem que avaliar direito, mas está nítido que o que importa são as atrações, ou seja, os atletas mais poulares.

          Responder
          1. Helena

            Falando apenas em relação à qualidade do torneio, para um torneio de equipes é melhor uma equipe equilibrada do que um bom jogador cercado por perebas. Por exemplo, uma equipe com um jogador top 30 e outro top 50 (ou até de um ranking mais baixo) é capaz de surpreender um jogador top 10 ou top 20. Por outro lado, um cara de ranking 200,300,400 precisa quase de um milagre pra tirar o set de um jogador de elite. O Bautista-Agut meteu um duplo 6-0 no primeiro dia.
            Eu entendo a ideia de levar jogadores populares, mas com o critério sendo apenas o ranking do principal jogador, traz também a garantia de que existirão equipes desequilibradas, jogos fracos e eliminações precoces. Por exemplo, ao perderem seus primeiros jogos, tanto Thiem como Tsitsipas deixaram seus times à beira da eliminação, porque passaram a ser obrigados a vencer todos os jogos seguintes de simples e duplas. Para o espectáculo, não sei se é válido levar alguns jogadores de elite com a certeza de que irão jogar pouco (Grécia já está eliminada, por exemplo).

  24. Luiz Fernando

    E não é o Zverev voltou a ser Zé Verev, que coisa. Quase aconteceu no primeiro set, mas depois o cara vencia o segundo set tranquilo, começou a errar do nada, foi quebrado com uma dupla falta absurda, com velocidade tartarugoide e aí o Davi Ferrer australiano tomou conta do jogo. O alemão tem sérios problemas de autocontrole e de autoconfiança, que se não adequadamente encarados podem comprometer uma carreira promissora…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      David Ferrer , já se aposentou faz tempo caríssimo L F. Aquele que você chama de ” Di Menor ” , perdendo de 2 x 4 e 15 x 40 , no segundo Set , ouviu seu treinador Hewitt , e passou a atacar o segundo Serviço do Alemão. Este saiu de jogo completamente , e passou a cometer uma série interminável de duplas faltas. Se recusou a escutar Becker , o Capitão da Equipe . Retornou ao problema que quase o tirou do FINALS , mas não o impediu de bater Nadal no Torneio. Não se pode tirar os méritos de Alex De Minaur , top 17 , que chegava em TODAS as bolas. Abs!

      Responder
  25. Luiz Fernando

    Por pouco, muito pouco, Zverev não voltou a ser Zé Verev. Incrível como esse rapaz sai do jg e tem crises intensas de confiança no meio das partidas. Vencia fácil por 52 o futuro vencedor de GS De Menor (que piada kkk) e aí começou o show de horrores, com ENF, duplas faltas, segundo serviço alto a 117 km/h, enfim fez de tudo pra não vencer o primeiro set, mas como o australiano não tem nenhum golpe contundente ele ainda fechou. Será q ainda está brigado com a namorada????

    Responder
  26. Sérgio Ribeiro

    Que grande jogo proporcionaram Shapovalov e Tisitsipas nesta madrugada. Dois tiebraks que duraram duas horas e meia com direito a 86 pontos pra cada lado , mas Shapo com um número bem maior de WINNERS e Aces. Aonde vai parar esse Canhoto de Back simples demolidor ? A cara do Grego diz tudo. Por isso que não cansamos de repetir que jogadores em formação podem surpreender a qualquer momento. O Top 10 parece próximo ao agora consistente jovem Canadense. A conferir Abs!

    Responder
        1. Helena

          Desde o início da parceria me parece que ele está segurando muito bem a cabeça também, já tinha demonstrado isso contra o Nadal.
          Você acha que o slice dele precisa melhorar?

          Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Ainda acho que é preciso dosar a ansiedade. Muitas vezes, tenta um golpe definitivo antes do recomendável.

  27. Luiz Fernando

    A despeito de perdermos parte da partida p vermos o magistral Darcis, o grego e o Shapo fizeram uma excelente partida, com altíssima velocidade da bola, nem parecia o mesmo esporte do jogo precedente. Sinceramente achava q o grego venceria de maneira clara e errei feio. O canadense jogou demais, encarou o Tsitsipas de igual pra igual e venceu com amplos méritos. Claro q partidas seguidas de 3 sets são outra história, mas quem pegar um desses caras pela frente no AO, se jogarem dessa forma, estará sob risco…

    Responder
  28. Maurício Luís *

    Feliz ano novo, Dalcim! E a todos que escrevem no blog…mesmo os que me criticaram. Porque críticas nos ajudam a melhorar.
    Pergunta: está previsto fechar o teto retrátil em caso de sol muito forte,, ou é só em caso de chuva? Porque pelo mapa, a Austrália tá tipo “sucursal do inferno”.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sempre foi permitido fechar o teto em caso de ‘calor extremo’, que na verdade é a soma de alta temperatura com grande umidade, Maurício.

      Responder
  29. Leonardo Faria

    Boa noite Dalcim

    Acompanho seu blog diariamente, inclusive lendo os comentários. A respeito dos recordes (quase) insuperáveis, creio – dentre os vários que existem – que faltou mencionar as 81 partidas de invencibilidade do Nadal no saibro. Não sei qual me impressiona mais: as 18! finais seguidas do Lendl, os 10 torneios seguidos do Borg ou as 24 finais ganhadas pelo Federer entre 2003-2005. Sobre a temporadas espetaculares, qual te impressiona mais:
    1 – McEnroe 1984 – (82/3): 2 GS com 3 finais, sem jogar AO e vencendo 10 títulos na temporada;
    2 – Federer 2005 – (81/4): 2GS, 2SF (AO e RG);
    3 – Djoko 2015 – (82/6): 3GS (1 final), 6 M1000 (8 finais), ATP Finals, 15 finais consecutivas, 31 vitórias sobre top 10;

    Eu fico com a do Djoko, mesmo tendo perdendo mais.

    Sobre o ano que se inicia, meus votos de que seu blog continue sendo o melhor que há sobre o tenis e que, tenisticamente, seja um ano espetacular. Espero que Nadal ganhe o AO..rsrsrr

    Um abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Leo, eu fico com o Mac. Nesse ano, ele ainda ganhou 40 de seus 45 jogos de duplas, com sete títulos, entre eles Wimbledon e o Finals.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu diria que a chance dependerá da chave. Os dois se adaptam bem à quadra sintética e o Menezes quase ‘furou’ o US Open. Dá para torcer pelos dois, com certeza.

      Responder
      1. PIETER

        Também fará diferença a adaptação ao fuso de cada um deles bem como a resistência ao calor infernal que tem feito por lá.
        Como ambos vêm de uma pré-temporada, devem estar em excelentes condições físicas. Muito boa sorte aos dois no sorteio…

        Responder
  30. Sandra

    Dalcim, essa copa do mundo e só esse ano ou vai ficar no calendário ? E porque os suíços não quiseram? Pelo que vi todos os grandes jogadores estão lá !!!!

    Responder
  31. Rubens Leme

    Dalcim, uma coisa curiosa é que Federer, Djokovic e Nadal são os únicos trintões tops que sobreviveram ao circuito. O resto da concorrência está toda lesionada – alguns de maneira bem séria e que parecem mais perto da aposentadoria do que voltar aos bons tempos, como Del Potro, Nishikori – e outros que ameaçam retornar, mas sem mais o vigor de antes – Stan e Murray -, além das incógnitas, como o Kevin Anderson, sem falar no adeus do Berdych.

    Me pergunto se tudo isso não é resultado também de tanto esforço para se equipararem aos 3 que, ainda que tenham se lesionado feio também ao longo dos anos, tiveram contusões bem menos sérias.

    Basta comparar os Finals de 2018 e 2019 para ver a diferença. Ainda acho que eles são os favoritos em Slams, duvido que alguém fora vença algum e reforço minha aposta no Nadal para vencer o Australian Open.

    Até faço uma “fezinha” colocando na roda um dos meus cds importados lacrados e repetidos que tenho em casa. Tem para todos os gostos: Stevie Wonder, Ray Charles, Charles Mingus, Miles Davis, John Coltrane, King Crimson, Deep Purple, Rush, Roxy Music, Duran Duran, Yes, Jorge Ben (nacional, claro), Peter Hammill, PIL, Bob Dylan, e muitos outros que não consigo me lembrar agora. Nada de coletânea ordinária, todos discos de estúdio ou live, de época, alguns dos artistas tenho dois ou 3 títulos repetidos sobrando.

    Responder
    1. Rubens Leme

      PS: quando digo que são os únicos, me refiro em termos de vencer os grandes torneios. Temos dezenas de trintões ainda jogando, mas estão mais para “cumprir tabela”, digamos.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Grande Leme, feliz ano novo!
        Rapaz, se você estiver ainda no “espírito natalino”, aceito de bom grado qualquer um desses de Jazz, em especial o do Miles Davis, ou o do Rush…rs
        Aliás, todos os mencionados são grandes artistas…

        Responder
  32. Nattan Labatto

    O tênis era dominado até meados de 2010 de forma ampla e restrita por duas lendas: RN e RF. Só que domador, toureiro e regicida, NOVAKING DJOKING, estava em fase de maturação e descobriu em tempo, seu problema com o glúten e de 2011 pra cá todos sabemos o resultado. O cara tem uma década pra chamar de sua, um touro domado, um “rei” deposto e muita disposição para arrematar os recordes que ainda faltam.

    Não sei “se” irá conseguir bater esses recordes (mas torço muito para que consigua), certamente não ganhará um mesmo Slam por 12 vezes, nem será number one por 232 semanas consecutivas, sim, são marcas extraordinárias. Porém, ñ tenho dúvidas de que ele será lembrado com o divisor de águas, o cara que surgiu do nada e ganhou tuuudo, veio do fim da fila e subejugou seu principais adversários em seus pisos prediletos. E lembrando um pouco de Game Of Thrones: Novak ñ vai girar a roda – Ele vai quebra-la…

    Vida longa ao domador de leões, touros e regicida nato…

    O topo do Olimpo é seu…💪👊

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa, quanta bobagem caríssimo Engenheiro Labatto. Quem é que veio do nada ? Que papo de glúten ridículo cara. Parece cópia do que diz a turminha da Kombi . Apenas UM ano mais jovem que o Touro e já TOP 3 em 2008 com direito a SLAM. Se preparou melhor ? Claro que sim . Mas daí a subjugar alguma coisa ? Melhor da década que ainda não terminou ? Ok . Mas o resto é puro fanatismo … Abs!

      Responder
      1. Nattan Labatto

        Entendo seu comentário, Sérgio. Mas vejamos, poderia escrever um zilhão de coisas sobre Federer e/ou Nadal com a mesma paixão e fundo de verdade. São dois tenistas excepcionais, fora da curva, extraterrestres e descumunhais dentro de quadra.

        Ñ é novidade que torço ferozmente pelo sérvio, para que tenha sucesso e continue quebrando seus feitos. Daí, dizer q escrevi bobagem pq falei sobre meu tenista predileto é injusto, nobre Sérgio… Um abraço meu amigo.

        Responder
    2. Vitor Hugo

      Sim, começou a dominar depois que Roger se tornou um tenista veterano. Mas já está se tornando o maior saco de pancadas da next gen.
      É um grande tenista, takvez entre os 10 melhores da história.

      Responder
      1. Nattan Labatto

        Vlw, Hugor… Federer é um lenda, o q faz com seus quase 40 anos ñ tá na história. Espero q Nole se concentre em ñ dar brechas para a nova geração e deixe essa briga pelo números de slam mais interessante e acirrada. Abs

        Responder
    3. Fabiano

      Primeiro que não são 232 semanas consecutivas e sim 237. E segundo que em 2011 o mestre suíço já tinha 30 anos e mesmo assim o confronto entre ambos está bem equilibrado. Djokovic é um ótimo tenista e não passa disso. Rei só existe um e nem preciso mencionar o nome.. abração.

      Responder
      1. Fabiano

        Federer só perdeu uma final de Slams que não fosse pra Nadal ou Djokovic usopen 2009 pro Delpo. Já Djokovic perdeu, além é claro pra Federer e Nadal , duas pra Wawrinka e duas pra Murray. Ou seja… será que precisa dizer mais alguma coisa. ….kkkkkkkk

        Responder
      2. Nattan Labatto

        Obg, Fabiano. Coloquei equívocadamente 232 semanas. Que feito do Suíço 👏👏👏.

        Bem, acho o Djokovic bem mais q ótimo, tá no patamar de lenda ao lado dos outros dois integrantes do big3. É um deleite assisti-lo em quadra. Abs

        Responder
  33. Miguel BsB

    Olha, com esse calor infernal que está fazendo por lá, até para os padrões do verão australiano, e como lá é bem seco nessa época, acho difícil que as quadras nao estejam bem rápidas esse ano.

    Responder
  34. Vitor Hugo

    Prezado Rodrigo Cruz, sem ofensas, mas ñ é qualquer um que faz intercâmbio ñ. Posso afirmar sem pesquisar que, nem 5% dos brasileiros fizeram qualquer tipo de intercâmbio….

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Ele deve ter pensado nos caras que viajam para exercer algum tipo de trabalho sem qualificação para juntar uma grana em dólar, o que é bem diferente de quem vai exclusivamente para estudar inglês ou fazer parte do ensino médio por lá.

      Responder
  35. Roger

    Eu acredito que o Federer pendura a raquete neste ano.
    O tênis mais e mais exige do físico e isso joga contra o avanço da idade. O ritmo de treinos teria de ser insano para manter-se competitivo em alto nível. E fazer papelão não deve estar em seus planos.

    Responder
  36. Sérgio Ribeiro

    Daqui a pouco aparece um maluco pra dizer que os incríveis números de Björn Borg , foram devidos a “ entressafra “ , ou porque o Tênis começou somente em 2008 , esquecendo que Rafa Nadal era TOP 2 desde 2005 rsrsrs Mas esse absurdo percentual de Vitórias do Pop Star Sueco , deve-se muito a ter se aposentado com somente 26 anos. O Big Mac, Lendl , Edberg, Becker , Wilander, provavelmente iriam diminuí-lo. Assim como Nadal , Novak , Murray , fizeram com Federer . E a Next Gen vai fazer cada vez mais com o Big 3 . E sem essa babaquice de entressafra. A idade chega pra todos como a história da Era Profissional comprovou. Ao menos na minha opinião. Abs!

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Resumo : você já passou dos 40 ( bem mais ) , e continua se comportando como um alienado. Seus termos utilizados pra cima de Tenistas que marcaram época , comprovam que o Tênis é o último Esporte que você aprecia. Que tal voltar com os papinhos babacas de “ papai “ e “ doutrinador “ do rapaz da ESPN , onde é muito mais a sua praia . O que colou anos a fio no seu grupinho da Whats deves ter percebido que aqui não cola mane’ rsrsrs Abs!

        Responder
  37. Fabiano

    Respeito o Nadal , pra mim ele é melhor que o magrelovic. Mas o grande mestre do tênis nunca eu disse jamais deixará de ser um certo senhor Suíço de quase 39 anos de idade. ROGER FEDERER O REI DESSE ESPORTE. FATO E SEM MAIS.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Esse aí sumiu do blog desde que o Frauderer foi espancado pelo Dimitrov no US Open. Falou um monte de besteiras sobre a desistência do Djoko e se deu mal dois dias depois.

      Chora, freguês eterno TRIVICE de Wimbledon.

      Responder
      1. Sandra

        Eu acho que é o Nadal ! Você não
        Acha que ele é o grande favorito ? Ele
        Não baixa a cabeça nunca e em 3 sets não sei se o grego aguenta, não fisicamente mas mentalmente, e bem sei que você não gosta da palavra sorte , mas o Nadal tem uma sorte só, todo número um pega chave complicada, mas com a sorte que tem vai pegar a mais fácil !!

        Responder
  38. Roger Fedeiros - O Solidário!

    Euzinha acha que em 2020 pode ter uma “rachadinha”, onde Nadal fica com dois GS e Djoko fica com dois… kkkkkkkkk…

    Tá bom, vá lá… se o Djoko quiser pode também rachar os dele com mais gente… kkkkkkkkk

    Responder
  39. Efraim Oliveira

    A grama ainda pertence ao big 3, ninguém da nova geração incomodou por lá, diferente dos outros três slams onde já chegaram ao menos nas semis.

    Responder
  40. Marcelo

    Da última vez que o Federer fez exibições pela América do Sul (2012), no ano seguinte não ganhou nada (só Halle). Espero que nesse ano seja diferente…

    Responder
  41. Jonas Normando

    Dalcim, a superfície do AO ficou mais rápida ou mais lenta para 2020? Quais são as chances do Federer, visto que ele vai pra Melbourne sem ter jogado nenhum torneio anteriormente?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ainda não se sabe, Jonas, teremos de esperar para ver. Acho que as chances dele tentem a ser menores do que as de Nadal e Djokovic por conta disso, mas temos de esperar o sorteio das chaves. Abs!

      Responder
  42. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo Almeida]
    31 de dezembro de 2019 às 23:02

    “Sou fluente na língua inglesa para o seu governo. Estudo desde criança, já fiz intercâmbio, tenho certificado e tudo mais. Já o seu é desses “de colégio” mesmo, bem tosco”.

    Vou colocar uma PÁ DE CAL nesta discussão besta, ok?

    Intercâmbio não é parâmetro para nada…

    Todo mundo alguma vez na vida já fez um, e eu sou tradutor.

    Acho sim o meu Inglês bom, mas nem por isso farei mediação peniana idiota por este motivo.

    Posto que você nunca expôs o teu aqui, também não pode criticar os outros.

    Já que eu mesmo poderia te criticar, concorda?

    É igual aquele lance da idade.

    Você me critica por saber a minha, mas age como um covarde ao esconder a tua…

    Terceiro que auto-promoção é uma das maiores presunções estúpidas que existe.

    Daquele tipo que faz a pessoa tomar nojo da outra, saca?

    ” Sejam outros os que te elogiem, e não os teus próprios lábios”. (provérbios 27:2).

    ” Quanto ao soberbo e presumido, zombador é o seu nome procede; procede sempre com indignação e arrogância.” (provérbios 21:24)

    Pessoalmente, eu considero o pior tipo de comportamento que há…

    E por fim, e não menos importante, desconhecer o vocábulo “outrora” é sim algo grave.

    Principalmente para alguém que AMA diminuir tenistas, e/ou desqualificar pessoas em geral como você faz…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      * ERRATA:

      ” Quanto ao soberbo e presumido, zombador é o seu nome; procede sempre com indignação e arrogância.” (provérbios 21:24)

      Responder
        1. Ronildo

          Putz, você é bem ignorante com respeito a vários assuntos Paulo. Primeiro, o que o Rodrigo fez não tem nada haver com evangelho.
          Segundo, que fanatismo tem haver com uma constante repetição de modos, falas, etc; demonstrando que a pessoa não consegue agir nem pensar fora de determinado contexto. Que eu me lembre o Rodrigo citou uma vez um texto bíblico aqui, mas se foram 10 vezes em 5 anos, por exemplo, isto estaria a anos-luz de fanatismo. Fanatismo, e poderia ser taxado até mesmo de fanatismo religioso, é sua constante defesa e enaltecimento de Djokovic aqui no blog. Nunca vi, por exemplo, você fazer um só comentário sobre o tênis feminino, que teoricamente divide pela metade o universo do tênis com o gênero masculino.
          Saber o conteúdo do que está escrito na Bíblia de modo algum pode ser confundido com fanatismo. Antes, fanatismo poderia ser qualificado pela constante rejeição de tudo que vem de lá levando o sujeito a sequer conhecer seu conteúdo; já que é de longe o livro mais distribuído no planeta, no passado e no presente.

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Mais um fanático religioso? Não aguento não.

            De qualquer forma, parei de ler o seu comentário no “nada haver”.

            Continue secando o GOAT Djokovic que é melhor.

          1. Bruno

            Rodrigo,
            Larga esse ,Paulo Almeida,Chatonik,fica no tênis,esse cara não merece atenção de quem está aqui para debater sobre essa maravilha que é o tênis.
            Claro que todos aqui temos nossa preferência,torcida ,provocação faz parte do esporte,mas esse cara só está aqui para polemizar,duvido que algum dia ele pisou numa quadra.
            Rumo ao 21.
            Volta ,Soninha !!!!!!!!

    2. Paulo Almeida

      Todo mundo? Não, essa oportunidade não é para qualquer um, ainda mais com 16 anos, e você obviamente não fez intercâmbio algum. Tanto seu português quanto seu inglês são fracos, sinto muito.

      Não expus meu inglês aqui porque não quis, mas posso te surrar qualquer hora dessas. É só você requisitar, rs.

      Tradutor, kkkkkkk.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Bom, aí então vai ficar nessa…

        Você diz que é bom em algo, e eu digo que você é péssimo.

        Você diz que levo “surra”em algo, e eu digo que você leva.

        Absolutamente patético! (rs)

        Tchau.

        Tenho mais o que fazer…

        Responder
  43. Marcelo-Jacacity

    Dalcim, mais um post espetacular, parabéns!
    Agora a única certeza que tenho para esse novo ano é que algum next-gen vai vir muito forte e de repente conquistar um Slam.
    Já o Palmeiras continuará sem Mundial. Mas tem chances de conquistar, enfim, a copinha São Paulo de juniores.
    Obs: 51 continuará sendo pinga. Na década de 1950, vários times brasileiros como Remo, Bangu, Fluminense, Corinthians e muitos outros venceram torneios entre equipes internacionais e nenhum desses times se auto-intitulam campeões mundiais, por razões óbvias.

    Responder
    1. Miguel BsB

      O “mundial” que se exploda! Não precisamos dele!
      Respeite a Sociedade Esportiva Palmeiras, o maior campeão nacional do futebol brasileiro!
      O resto é copa Toyota contra europeus bêbados de férias…

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Até tu , Miguel ? O primeiro Campeão foi o Real Madri e era o último até ano passado. Os Ingleses com sua enorme empáfia e bebados , somente venceram uma Copa do Mundo e são fregueses de carteirinha dos Sul-Americanos na mesma. Mundial de Clubes ? Somente o poderoso Manchester United obteve dois Títulos. O Liverpool se salvou de ser tetra vice graças a ter 7 “ estrangeiros “ no seu time além do treinador. Hoje cantaram ( praticamente campeões da liga ) em alto e bom som “ somos Campeões Mundiais “ . Não ligavam porque não venciam . Real 7 Títulos , Barcelona 3 , A. Madri 1 = 11 . Um a mais que os Brasileiros. Em 2021 irá pra 32 Clubes. Vamos ver se os bebados Ingleses não estarão presentes rsrsrs. Abs! Ps. Pelé 8 Gols , Bale 6 , C. Ronaldo 6 , Messi e Suarez 5 , são os maiores artilheiros da competição que “ ninguém “ liga . Abs!

        Responder
  44. Antônio Luiz Júnior

    Fazer previsões para o ano de 2020 é inteiramente válido. Acho que será um ano espetacular no circuito mundial de tênis. Por mais que tenhamos nossas preferências, acredito que o ano promete grandes disputas e bom certeza algumas surpresas. Djoko, Nadal e Federer fazem uma disputa a parte. Ainda estão um degrau acima nos Grand Slams. Mas, os moleques da Next Gen estão cada vez melhores, mais fortes e mais consistentes… Vão dar muito trabalho…

    Responder
  45. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    Um feliz 2020 a você e família.

    E também aos bons participantes do blog: Rafael, Sérgio, Luiz Fernando, Miguel, Victor, Gabi, etc.

    Não dá pra citar a todos e peço desculpas a quem não citei.

    Abs.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Obrigado Rodrigo! Pra você e sua família Tb!
      Aos colegas do Blog! Um feliz ano novo! Somos uma pequena porcentagem nesse país dominado pelo futebol (que eu tb adoro) que ama esse incrível esporte chamado Tênis…temos muito mais semelhanças do que diferenças, apesar de gostos por esse ou aquele tenista…
      Dalcim, um feliz ano novo pra vc! Obrigado por manter esse incrível espaço e por sua sabedoria, espírito democrático e paciência!

      Responder
  46. Valmir

    Dalcim… considerando uma situação hipotética…
    Você estava em um local… sem acesso a notícias… TV… internet… durante a temporada de grama 2019.
    Aí, você fica sabendo da final de Wimbledon… das estatísticas a favor do Federer… do apoio maciço da torcida.. e que ele perdeu em 3 tiebrakes… mas não sabe para quem ele perdeu.
    Que jogadores você imaginaria que poderia tê-lo derrotado ??

    O fato de perder em 3 tiebrakes me sugeriria um big server… mas não acho que um deles salvaria dis championship points no saque do Federer.

    Responder
  47. Sandra

    Dalcim ,Djokovic conseguiu defender algum título ano passado ? Nadal defendeu todos os seus títulos e Federer? Aliás o único que consegue defender título e o Nadal ou estou errada ?

    Responder
  48. Rubens Leme

    Faltou um recorde curioso. Se Nadal vencer, será o primeiro, após Rod Laver, a ter dois, pelo menos, dois títulos em cada Grand Slam. Federer e Djokovic só poderão obter essa marca vencendo em Roland Garros.

    Responder
  49. Roger Fedeiros - O Recordista de 3 décadas!

    No primeiro dia de 2020, daqui a pouco, Nadal se tornará o primeiro tenista que ocupou o número um em três diferentes décadas. Nada mal pra um saibrista baloeiro, unidimensional e sem técnica…. kkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Carlos Reis

      Nadal é realmente fantástico, é um feito e tanto… mas ele deu sorte nas datas, pois foi n.1 nos anos 2000 ainda bem jovem, de 07/2008 a 01/2020 são apenas 11,5 anos, mas em 3 décadas diferentes, ou seja, o seu argumento é típico de advogado… rsrs

      Responder
      1. Rafael Azevedo

        Verdade! É apenas uma ilusão do calendário.
        Por outro lado, o fato de apenas o Federer e o Djoko terem títulos de tenista da década (e o Nadal não) recai no mesmo problema. Se for considerada uma década de 2005 a 2014, por exemplo, o Nadal seria um forte candidato. Provavelmente o vencedor.

        Responder
        1. Luiz Fernando

          Errei, assumi o erro e me corrigi. Tão idiota quanto é a atitude dos q agem seletivamente, criticando apenas o q lhes é conveniente…

          Responder
          1. Bruno

            Parabéns,Luiz Fernando,também errei em relação ao doping do Nadal,nunca mais postei coisa a respeito.mas pode reparar que tem uns babacas ( ele sabe que estou falando dele)que continuam com essas palhaçadas.

    2. José Eduardo Pessanha

      Paulo Milhomem, meu caro sofredor atleticano que sofreu demais com a Libertadores e o Hepta ganhos pelo Mengão,

      A nova década só será iniciada em 01/01/2021. 2020 é o último ano da atual década.
      Abs

      Responder
  50. Vitor Hugo

    Se acontecer uma final entre Federer x Nadal será sem dúvidas o MAIOR JOGO DA HISTÓRIA do esporte, superando as finais entre eles na Austrália/17 e Wimbledon/08, que são os três maiores jogos da história do esporte envolvendo a maior rivalidade de todos os tempos.
    Inaginem como seria tensa a final. Nadal tentando igualar o recorde de Roger e podendo se tornar o único tenista a vencer pelo menos duas vezes cada slam, e o suíço com a possibilidade de abrir dois de vantagem no espanhol.

    Federer divide o favoritismo com Novak se o suíço estiver bem fisicamente e tecnicamente. Ñ se pode descartar o melhor da história e que venceu duas das últimas três edições do torneio, principalmente se a quadra estiver rápida, mesmo o suíço longe do auge.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Tá vendo, quando você quer escrever sem fanatismos, escreve coisas interessantes…
      Realmente, não tinha pensado nisso e concordo com você! Essa seria provavelmente a maior final de todos os tempos, por tudo que está em jogo, pela rivalidade entre os dois e por ser num piso em que há igualdade entre eles nesse momento. (Se fosse em RG não teria graça).
      Boa! Vou torcer por essa final na Austrália!

      Responder
  51. Willian Rodrigues

    Saudações Dalcim! Como sempre, uma análise interessante e completa. Obrigado por nos proporcionar esse canal de informações. Visito o blog com frequência e aprendo bastante com todos os “colaboradores” aqui. Além da diversão garantida, é claro. Rrrrsrs… Precisamos descolar novos ídolos e acidificar as novas rivalidades entre os jovens da Nextgen para que as “fights” aqui sigam interessantes!! He He He
    Falando-se em polêmicas… E então Dalcim? Quem quebrará o recorde slams do suíço, Djoko, Nadal, ou ambos? Ainda torço pra que seja Djokovic!! #euacredito
    Abraços a todos e um 2020 repleto de alegrias e prosperidade!!

    Responder
  52. Rafael Azevedo

    Uau! Todas esses números e recordes são fantásticos.
    Particularmente, eu valorizo mais os aproveitamentos do que os números absolutos, pois naturalmente o jogador que tem mais anos de circuito terá mais vitórias, mais jogos, mais finais etc.
    Porém, os números absolutos servem para mostrar a longevidade em alto nível do atleta. O que também é um bom indicador do gabarito do atleta.
    De todos os números, os que mais achei interessantes foram as 5 finais, pelo menos, de Federer e Nadal. Esses números provam que o Nadal não é só um jogador de saibro e, igualmente, que o Federer não é medíocre (como dizem), no barro (pois como um jogador medíocre no saibro teria 5 finais de RG?). E o Federer só não tem vários títulos de RG, porque enfrentou o Nadal (o maior de todos nesse piso) nessas 5 finais.
    2020 promete…

    Responder
  53. Vinicius

    Dalcim, o federer decidiu não jogar essa atp cup para chegar inteiro no australian open. Você não acha que o nadal e o djokovic deveriam fazer o mesmo e evitar um desgaste desnecessário antes do australian open?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o Federer desistiu porque atrasou as férias por conta das exibições. Ele costumava jogar a Hopman e isso deu certo. Acho que Djoko está exagerando ao jogar Adelaide.

      Responder
      1. Valmir

        Você está se esquecendo que todas as courts da Australia mudaram de piso… por isso é melhor jogar muito nelas… para pegar o jeito… é estratégia.

        De repente, a Sérvia não vai longe na ATP Coup.. e ele joga muito pouco… se a Sérvia for longe… ele pode desistir de Adelaide… na última hora.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Os conhecidos Fakes , já adentram o novo decênio ( década somente em 2021) , afirmando em conjunto as mesmas asneiras rs . Já perguntei qual a fonte para Walmir , P. Almeida e Jonas ( sem precisar escalar todos da Kombi rs ) , que dizem que todas as quadras Australianas estão mais rápidas. Falaram essa asneira pra justificar a presença de Novak no inalgural ATP 250 dos Aussies a uma semana do AOPEN. Nem o Dalcim confirmou se esta afirmação está correta. Passam o ano inteiro afirmando que o Sérvio não comparece aos preparatórios para Wimbledon, pois não vai a “ Torneios “ irrelevantes. E’ óbvio que está fazendo média com os anfitriões. Seria incompreensível para o Sérvio ( maior vencedor do AOPEN ) , abrir novamente a Temporada com popularidade menor que o Craque e o Rei do Saibro, em seu quintal. Acho que não vai adiantar nada. E esse papo furado que não disputa se for longe na ATP CUP, aceito qualquer aposta rs Abs!

          Responder
    2. PIETER

      A mim parece que o Federer sentirá falta de ritmo de competição por iniciar o ano direto em um Grand Slam.
      Enquanto Nadal e Djokovic já estarão mais adaptados ao fuso, piso e com ritmo de jogo.

      Responder
  54. Nattan Labatto

    2020 chega gigante!!

    É chegada a hora da onça beber água e novamente o trio parada dura será protagonista. Queiram e façam os deuses do Olimpo com que Novak Djokovic feche a década com chave de ouro e, assim, vença os 4 Slam deste ano somado ao ouro olímpico, pois sobra talento e força de vontade por parte do Sérvio 💪…

    Adje Nole… Um feliz ano novo a todos os integrantes deste dele e honrado blog. Abs

    Responder
    1. Fabiano

      Kkkkkkkkkkkkk kkkk. Pelo jeito vcs djokotonetes beberam bastante nesse final de ano. Não viaja. Se o maior e melhor de todos os tempos ( mestre Federer ) não conseguiu essa façanha, Vc acha que o magrelovic vai conseguir. Se liga e não fala bobagem.

      Responder
      1. Nattan Labatto

        Calma, Fabiano rsrsrs
        Irei retornar a essa postagem se o NoleKing conseguir… Mas é fato q a missão é hiper/mega difícil… Lembro q no ano de 2015 e 2016 o Dalcim postou aqui sobre essa possibilidade.

        Responder
  55. Rodrigo S. Cruz

    [Jonas]
    30 de dezembro de 2019 às 23:55

    “Boa observação. E esse cara ainda insiste que não torce pelo Fregueser…piada kkkkk”

    Nunca neguei isso aqui, caríssimo falsário intelectual…

    (rs)

    O que eu disse é que torço por ele e torço por outros.

    Só que esses outros por quem também torço, vocês não mexem nunca.

    A única preocupação que você tem é com o suíço… Simples.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *