As apostas para 2020
Por José Nilton Dalcim
23 de dezembro de 2019 às 15:29

Como acontece tradicionalmente, TenisBrasil perguntou aos internautas e a um grupo de 35 convidados, entre treinadores, jornalistas e pessoas intimamente ligadas ao esporte, quais as tendências para a próxima temporada. Algumas previsões foram bem curiosas. Eis um resumo.

O grupo de especialistas deixou claro duas têndências: Novak Djokovic irá recuperar o número 1 e Stefanos Tsitsipas entrará no Big 3 ainda no primeiro semestre. E aí existe clara divergência quanto ao voto popular, que acredita mais em Rafael Nadal para se manter na ponta e não vê Tsitsipas com toda essa chance (7% apenas votou no grego).

Para Nadal, os dois paineis indicam que será ultrapassar os 20 Slam de Roger Federer. Para os especialistas, restará ao suíço quebrar as marcas de títulos (109) e vitórias (1.274) de Connors, mas o júri de internautas acredita maciçamente no 21º troféu de Federer (45%). Será que não é mais torcida do que análise?

Felix Aliassime será o primeiro dos novatos a atingir o top 10 para os especialistas, porém o público preferiu Denis Shapovalov por pequena margem. Ambos cravaram que Stan Wawrinka é quem tem mais chance de recuperar o posto entre os velhos heróis. E há por fim uma aposta consistente em cima de Dominic Thiem como ganhador do primeiro Slam entre os que ainda sonham com isso.

No feminino, Ashleigh Barty e Naomi Osaka são as principais candidatas ao número 1 para os especialistas, enquanto o público aposta muto mais em Osaka (37% contra 23%). Angelique Kerber e Garbiñe Muguruza são as que têm maior chance de recuperar seu melhor tênis.

No geral, pode-se notar otimismo quanto ao tênis brasileiro em 2020. Acredita-se que João Menezes e/ou Thiago Wild chegarão ao top 100 e mais de 30% dos especialistas vêm chance de Luísa Stefani aparecer entre as 20 primeiras de duplas. Questionados sobre as prioridades, não surgiram dúvidas: colocar o Centro Nacional para funcionar e recuperar o calendário de challengers e futures. Infelizmente, acho as duas coisas pouco viáveis.

Como foi no ano passado?
E será que as previsões feitas em 2018 se concretizaram? Vamos dar olhada:
– Internautas apostaram que Djokovic terminaria na ponta, que Nadal só brilharia no saibro europeu e que Zverev teria enfim chance de ganhar seu Slam. Só acertaram mesmo o 100º troféu de Federer e se saíram muito bem ao indicar Karen Khachanov como potencial top 10. Curioso: nesse item, Medvedev só recebeu 2% de votos!
– Os especialistas acharam que Zverev ameaçaria o Big 3 – nada menos que 79% apostaram que ele venceria enfim um Slam – e seguiram a ideia de que Djoko terminaria como líder e Nadal não iria bem fora do saibro. Ou seja, erraram feio…
– No feminino, público e convidados acreditaram que Simona Halep terminaria como líder, em ambos os casos ameaçada por Serena Williams.
– Decepção mesmo foi Thomaz Bellucci. Os dois paineis votaram que ele ao menos reagiria e lutaria por lugar no top 100. Ficou muito longe disso.

Vale conferir
Wimbledon também entrou na linha do ‘melhor da década’ e copilou uma série de vídeos muito interessantes. Deixo aqui o link geral, já que Wimbledon não publica material em outras mídias, nem permite compartilhamento. Basta clicar nos vídeos e assistí-los (há opção de tela cheia, o que deixa ainda melhor). Recomendo: https://www.wimbledon.com/en_GB/about_wimbledon/the_2010s_at_wimbledon.html.


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo Almeida]
    30 de dezembro de 2019 às 14:25

    “Conferi no Google e dessa vez você tem razão. Contudo, foi um lapso raro, enquanto quem vive cometendo erros grotescos de português e inglês é o Sr. Soneca”.

    Grande coisa, não?

    Erro tolinho, besta, sobre colocação de vírgulas. (rs)

    Um saber tão simplório que até correção automática disso tem lá no Word.

    Mas essa agora do Inglês acaba de bater o recorde absoluto da ignorância…

    Essa você tirou direto do caralho.

    Quando você já viu na tua VIDA alguém escrever frases em inglês erradas ?

    Não viu, e nem vai ver.

    Porque precisa se esforçar muito para fazer isso…

    Ou o cara conhece Inglês e posta a frase. Ou então ele não conhece e fica na dele.

    Mas como você claramente não fala a língua que vir CHUTAR que outra pessoa não sabe…

    kkkkk

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Tadinho. Perdeu totalmente a noção da realidade.

      Sou fluente na língua inglesa para o seu governo. Estudo desde criança, já fiz intercâmbio, tenho certificado e tudo mais. Já o seu é desses “de colégio” mesmo, bem tosco.

      Não, separar sujeito do predicado com vírgula é um erro gravíssimo. Bem diferente de uma besteira como “em outrora”. No entanto, continue estudando para ver se melhora.

      Responder
  2. Rodrigo S. Cruz

    [Roger Porciuncula]
    30 de dezembro de 2019 às 12:15

    “Sérvio medíocre? O cara ganha 16 GS, 34 masters 1000, aliás o único tenista a ganhar todos. Ainda de lambuja, ganha 5 ATP Finals. Vi que você não entende desse esporte”.

    Verdade.

    Quem entende é o Chetnik, né?

    Djokovetes são hilárias.

    Se escrevem insultos contra o Federer, passa tudo batido.

    Mas quando o alvo das provocações é o sérvio insosso é porque não entendemos do esporte.

    Só rindo…

    Responder
  3. Rodrigo Lightman

    Eu acho que o primeiro da next gen a vencer um Slam vai ser o Medvedev. Acho bem improvável o Djoker bater o recorde de Slams do Federer, até porque, 2021 será da next gen, então teoricamente ele tem um ano para isso. O Nadal pode até empatar em Slams se vencer Roland Garros, mas fica nisso. Esse 2020 é o grande ano da transição e em 2021 a transição estará completa. Os comandantes da next gen serão Medvedev, Tsitispas, Felix e Shapovalov. Kyrgios fará o de sempre, show, bizarrice etc. Provável último ano do Federer. Murray não acho que ganhe alguma coisa substancial e Wawrinka deve ser o último ano também.

    Bom ano novo Dalcim, e pra galera do site.

    Responder
  4. Vitor Hugo

    Essa estória de que Nadal seria recordista de slam caso não tivesse se machucado tanto é papinho furado e apenas suposição. Culpa do espanhol e seu tio que preferiam ver o espanhol correr e dar balão ao invés de jogar tenis. O corpo cobra a conta…

    Responder
    1. Marco

      Falta 1 slam para ser recordista e foi quam mais se prejudicou em ausências por lesões, inclusive em final de AO. Foram 18 slans desde 2005 que ele se ausentou ou se retirou durante o torneio. Mas obviamente ele perderia todos. Haterzinho!

      Responder
  5. Rubens Leme

    Como prometido, algo nada a ver com a pauta, mas muito interessante: uma entrevista em duas partes de John McEnroe para uma teve sueca. A curiosidade que destaco é a que fecha a primeira parte. Segundo John, entre 1980 e 1981, ele ficou no mesmo hotel que David Bowie e, nesta época ele estava aprendendo a tocar guitarra. Após passar um tempo massacrando “Suffragette City”, um dos clássicos de Ziggy Stardust, de Bowie, alguém bateu em sua porta: era ele mesmo, David Bowie.

    John ficou parado, sem poder acreditar. Todo simpático, David o cumprimentou e disse que era um prazer conhecê-lo e o convidou para tomarem uma bebida na sua suíte.

    – Mas, por favor, não traga a guitarra!

    Grande John. Grande David.

    https://www.youtube.com/watch?v=7zO3w8_F8XE

    Responder
  6. Paulo Almeida

    Já que falei dos Big Titles, é claro e evidente que Frauderer ficará em definitivo na terceira posição, comprovando-se que de fato é o terceiro do Big 3.

    Responder
    1. Gildokson

      Pode até acontecer, porém o quadro que esta na nossa frente agora é o seguinte:
      Maior campeão do torneio mais importante da história do tênis, Wimbledon: Federer
      Maior campeão de Grand Slam: Federer
      Maior campeão de Finals: Federer
      Maior líder do ranking em todos os tempos: Federer

      É Paulinho… torce pra não vim os recordes de vitórias e títulos, se não haja argumentação kkkkkkkkk

      Responder
  7. Rubens Leme

    Previsões para 2020.

    1) Continuarei vendo tênis apenas por streaming.
    2) Todos os torneios terão um campeão.
    3) Não veremos um brasileiro no top 20
    4) Vao ficar o eterno blá blá blá dos Big 3 aqui no blog.
    5) Continuarei postando coisas nada a ver e, às vezes, sim, falarei de tênis.
    6) Serei sempre macaca de auditório do Rei dos Reis, Bjorn Rune Borg.
    7) Dalcim continuará fazendo o melhor blog de tênis do Brasil.
    8) E, para fechar o ano e abrir o novo, parafraseo Jim Morrison: “Daqui, ninguém sairá vivo!”

    Bom 2020, Dalcim! Com backhands de uma mão, de um lado e solos de guitarra, do outro.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Tudo certo. E o “ Rei dos Reis “ tentará voltar sem raquete de madeira e vencerá Finalmente o USOPEN e o APONEN. . De quebra com Back simples e acabando de vez com toda a popularidade do Craque Suíço rsrsrs Abs!

      Responder
  8. Valdir'

    Engraçado como o resultado do finals direciona a opinião dos especialistas… em 2018 Zverev ganhou o finals e todo mundo apostou que ele explodiria em 2019, flopou. Agora tão apostando no grego pelo menos motivo. Não ficarei surpreso se a temporada 2020 do grego for igual ou inferior a 2019.

    Em 2017 Dimitrov e Goffin fizeram a final no último torneio do ano e 2018 de ambos foi uma frustração só.

    Responder
  9. Rodrigo Azevedo

    Ano terminando, 2020 chegando, algumas coisas mudaram, o que não muda nunca: torcedores do Sérvio falam mais do Federer do que do própio Djoko kkkkkkkk

    Responder
  10. Roberto Rocha

    Previsões II, A Missão
    Ranking no final do ano
    1° – Federer, Djokovic, Nadal (não sei a ordem…já é pedir demais…)
    4° – Thiem
    5° – Tsitsipas
    6° – Medvedev
    7° – Shapovalov
    8° – Zverev
    9° – Schwartzman
    10° – Wawrinka

    Responder
  11. Chetnik

    O aposentado não ganha nada ano que vem. O grande título dele foi ter vencido o Djoko machucado e cansado na fase de grupos do ATP Finals. Há quantos anos o bode não vence o Djoko num jogo grande? Kkkkk.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Estar machucado sabemos que é mentira deslavada e então pulemos pra próxima…

      Quanto a estar cansado, deu o sangue e perdeu lindo do Thiem, um jogador de ataque.

      Quem manda o sérvio ser MEDÍOCRE, sem bola e só saber correr de um lado pro outro?

      Abs.

      Responder
      1. Roger Porciuncula

        Sérvio medíocre? O cara ganha 16 GS, 34 masters 1000, aliás o único tenista a ganhar todos. Ainda de lambuja, ganha 5 ATP Finals. Vi que você não entende desse esporte.

        Responder
  12. Rodrigo S. Cruz

    Nunca dá para cravar nada, portanto.

    Mas se eu fosse fazer um ranking do que seja mais provável, ficaria assim:

    AUSTRALIAN OPEN
    1. Djoko
    2. Federer
    3. Nadal
    4. Next Gen
    5. Outros

    ROLAND GARROS
    1. Nadal
    2. Nadal
    3. Nadal
    4. Thiem
    5. Djoko
    6. Federer
    7. Next gen
    8. Outros

    WIMBLEDON
    1. Djoko
    2. Federer
    3. Nadal
    4. Next gen e outros.

    US OPEN
    1. Djoko
    2. Nadal
    3. Federer
    4. Next gen e outros

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    Bom,

    A únicas coisas certas são a morte, os impostos e o Nadal ganhar essa m. de Roland Garros. (rs)

    Isso coloca uma pressão extra nas costas do Federer.

    Seria muito legal ele ganhar o Australian Open, e assim adiar o inevitável…

    E Wimbledon continua sendo a principal meta, a maior esperança.

    Mas como ele mesmo disse, não dá para proteger o recorde por mais tempo.

    Roger até poderia, caso o resto do Big 3 tivesse perto de parar também.

    O que não é o caso…

    Se o Nadal não igualar esse recorde ainda em 2020, eu ficarei surpreso.

    E o Djokovic vai precisar de uns 2 anos sem lesões e jogando no mesmo nível…

    Responder
  14. Ronildo

    Alguém sabe se alguma vez um jogador líder do ranking da ATP perdeu alguma partida para um jogador com 38 anos como aconteceu com Djokovic frente ao Federer este ano?

    Jamais consigo imaginar Federer com 32 anos perdendo para qualquer jogador com 38.

    Como pode alguém que se diz em sã consciência considerar o melhor de todos os tempos um jogador que numa partida decisória para continuar com a esperança de bater recordes históricos, perde para um jogador com 38 anos!

    Responder
    1. Ronildo

      Para aqueles que tem esperanças de ver Djokovic número 1 do mundo novamente, isto que aconteceu no Finals é apenas uma demonstração de como será 2020.

      Sinceramente, Djokovic é um grande jogador, um dos melhores de todos os tempos. Porém para mim a única maneira de ele recuperar o número 1 seria parar em 2020 e iniciar 2021 sem nenhum ponto para defender. Se ele fizesse isso poderia vencer tudo que aparecesse pela frente, inclusive os 4 slans. Estaria totalmente revitalizado, cheio de energia para usar a temporada inteira.

      Do jeito que a coisa está caminhando Djokovic vai receber pau de alguns jogadores em 2020.

      Responder
    2. Maurício Luís *

      Ronildo, a resposta à sua pergunta é SIM. Não faz muito tempo , o Djoko, então numero 1, perdeu pro Ivo Karlovic. Só que nessa derrota do Finals, ele era o número 2, lembra? Não era mais líder do ranking.

      Responder
      1. Ronildo

        Tá certo Maurício Luiz, a semana tinha começado com Nadal como número 1. A vitória do Federer impediu que Djokovic lutasse pelo número 1 no torneio.

        Responder
      2. Ronildo

        Enquanto estava escrevendo meu comentário realmente pensei que somente o Karlovic teria jogo para aos 38 anos vencer um número 1. Além do Federer, é claro, porque se não fosse por uma questão de política organizacional da ATP, que antecipa a retirada dos pontos do Finals do ano anterior, Djokovic teria enfrentado Federer como o número 1 oficial da ATP.

        Responder
  15. Luiz Fernando

    Esse alemão q “entende” os caras q vendem resultados no esporte deveria ser banido do tenis; como, seja por qual motivo for, se pode defender gente ordinária e desonesta? Se não tem condições de sustento com o q fazem, mudem de atividade, não trapaceiem. Creio q se fosse brasileiro seria eleitor de cabresto daquele quadrilheiro q nunca sabe de nada…

    Responder
  16. Luiz Fernando

    A despeito das múltiplas e graves contusões, Nadal é o único a não sair do top 10 na década, digamos q nada mal para um simples baloeiro, como dizem os bobos de sempre. É por isso q o Tio Toni declarou, a meu ver acertadamente, que se não fossem as seguidas contusões Rafa já seria o maior vencedor da historia do tênis, algo q ele ainda pode alcançar… Se fossem seus torcedores alguns participantes do blog diriam q ele foi o vencedor moral da década, como se existisse tal titulo kkk…

    Responder
    1. Gildokson

      Se vc levar em consideração que a maioria dessas contusões se deve ao estilo dele de jogo, ta tudo certo. Ele ganhou o que tinha que ganhar e não disputou o que realmente não era pra ele disputar.
      Corre, corre, corre, estica todos os pontos ao máximo a vida inteira até o adversário errar e você queria que ele não vivesse machucado. Impossível.

      Responder
        1. Gildokson

          Assisto quase todos os jogos dele, e é bom saber que ele vem tentando ser um pouquinho inho kkk mais ofensivo. Mas aqui pra nós, foi só ele tentar isso que começo a tomar pau a torto e a direito do Federer kkkkkk
          Admiro Nadal e Djokovic, mas se não fosse a capacidade de chegar em todas as bolas eles não seriam tudo que são. Essa é a realidade nua e crua. Mérito? Sim. Custa caro para o corpo? Também SIM!!!

          Responder
          1. Viana

            Aí q tá, isso é uma grande falácia! Dizer q Djoko e Nadal se sustentam só na correria.
            Primeiro, federer se defende muito bem tb, corre bem demais!!! Olhe os jogos de RG do Federer contra Nadal, e veja o tanto q ele se defende tb!
            Segundo, Djoko e Nadal são muito habilidosos. Quem joga tênis sabe q bater na corrida é muito mais difícil que bater parado e balanceado, ou seja, os contra ataques tão famosos dos dois são armas que dependem de talento!!!
            O próprio Federer já falou q numa votação entre os melhores forehands vc teria de colocar o Nadal, pq mesmo dem ter a potência de um Del Potro, o forehand do Nadal atinge um ótimo nível mesmo na corrida, mesmo não estando pronto para bater, coisa q Delpo e outros não conseguem.
            É obvio q Federer joga um tênis magistral, mas tem muito suor no tênis dele, e do outro lado tem muito talento tb… Djoko e Nadal são talentosíssimos…
            Qualquer tentativa de desqualificação de qualquer um dos 3 é ruim pro esporte, não pro tenista em si!

        2. Gildokson

          Em momento algum eu quis desmerecer e dizer que Nadal e Djokovic não tem talento. Só disse que se não fosse a correria eles não conquistariam o tanto que conseguiram, é inegável isso. Vocês pensam que é má vontade em avaliar, mas cansei de ver pontos onde viam bolas que contra outros tenistas seriam winner, e contra esses caras a bola volta e o adversário tendo sempre que bater mais uma acaba errando. As quadras ficaram afeição para isso, o tênis deles tem muita coisa é claro, mas quantos jogos longos Nadal ganhou onde tinha bem menos winners, ganhava os pontos longos e ia minando a confiança do adversário. Nós a mais de uma década vendo isso. Claro, junta isso a outras qualidades que tanto ele quanto Djoko tem, e o resultado são batalhas de 5 sets vencidas.
          Normalíssimo o corpo mandar uma fatura de vez enquando.

          Responder
  17. alessandro sartori

    no feminino a andreescu ta no mesmo patamar da barty e da osaka…no masculino o Murray volta ao top 5…e como torcedor espero que o Djokovic volte a quebrar raquetes quando nao estiver bem no jogo ou mesmo se estiver e o jogo comecar fugir…

    Responder
  18. Maurício Luís *

    As poucas previsões acertadas de 2018 não passam de “barbadas”. Assim até eu.
    O centésimo troféu do Federer, qualquer gandula acertaria. É só olhar a média anual de títulos dele.
    E já que é pra prever obviedades…
    – Nadal vai dar balão até deixar a bolinha careca;
    – Nadal vai tomar advertência de tanto que demora pra sacar;
    – Nadal vai perder cabelo;
    – Nadal vai brigar com a sogra;
    – Federer vai jogar com torcida a favor;
    – Federer vai ajeitar o topete;
    – Federer vai ser questionado sobre a aposentadoria;
    – O Kyrgios vai jogar como.nunca, aprontar como sempre e será suspenso.
    Garanto que com essas previsões, serei eleito a ‘ Mãe Diná ‘ do blog.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Ia assinar tudo , caro Maurício. Até afirmando que o parceiro venceria em TODOS os quesitos rs . Mas relendo te pergunto ? Por onde anda o ” Topete ” do Craque ???? rsrsrs ABS!

      Responder
  19. Christiano Cabrini

    O que acho que vai acontecer em 2020 :

    – Federer deve levar o AusOpen ou Wimbledon 2020 e o Ouro Olímpico, além de quebrar os recordes do Connors em ATP’s e vitórias.
    – Tsitsipas deve levar ao menos 1 Masters 1000 (Aposto em Madrid ou Toronto)
    – Nadal vai levar mais um Roland Garros
    – Djokovic ainda vai chegar longe nos GrandSlams e deve levar US Open
    – Murray terminará o ano no Top 20, indo longe nos M1000 e ATP’s 250 e 500.
    – Nextgen vai vencer mais Masters 1000 que os Big 3, com destaques para Shapovalov, Aliassime e De Minaur, este último entrando no top 10.
    – Medvedev e Berretini devem sofrer com a defesa dos pontos e deixarão o top10 esse ano.
    – Sinner, Kecmanovic, Fokina e Popyrin terão muito destaque nessa temporada nos GrandSlams também.
    – Tenis Brasileiro terminará o ano com 6 jogadores dentro do Top 200 (79 – Monteiro, 98 – Wild, 127- Menezes, 142 – Luz, 158 – Sakamoto e 192 – Meligeni), venceremos 8 challengers ano que vem (todos no saibro) e teremos bons resultados com o Klier, João Reis, Matheus Alves, Puccinelli nos Futures e Challengers.

    Meu Top 10 terminará assim:
    1-Djokovic
    2-Tsitsipas
    3-Thiem
    4-Nadal
    5-Federer
    6-Zverev
    7-Shapovalov
    8-Del Potro
    9-Aliassime
    10-De Minaur

    Responder
  20. Paulo Almeida

    O GOAT Djokovic vai ganhar somente cinco Big Titles em 2020. Infelizmente a safra atual está muito forte e será difícil prosperar como em outrora.

    Responder
      1. Paulo Almeida

        Não entendi o motivo de tanta dor, Sr. Soneca.

        Acha que eu não sei o que significa outrora ou que empreguei incorretamente? Rsrsrs.

        Seu comentário foi bloqueado na publicação passada, não foi?

        Responder
          1. Paulo Almeida

            Conferi no Google e dessa vez você tem razão. Contudo, foi um lapso raro, enquanto quem vive cometendo erros grotescos de português e inglês é o Sr. Soneca.

  21. Luiz Fernando

    Legal Djoko assumir que visa o recorde de GS, não entendo pq Rafa, q claramente tem o mesmo objetivo, também não assume isso, acho inclusive uma infantilidade ele negar…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Finalmente concordamos em algo ainda em 2019, caríssimo L F . Mas além do Espanhol , quando o Craque Suíço assumiu alguma coisa … ? Enfim, palmas para o Sérvio !!! Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Nós concordamos em vários pontos, mas como temos uma antipatia mútua há um bom tempo focamos sempre nas diferenças. Quem sabe em 2020 sejamos mais civilizados um com o outro? Ab.

        Responder
  22. Sandra

    Dalcim, toda hora entro no seu blog para fazer comentários , e sempre sou retribuída com as suas respostas, por isso não poderia deixar de desejar a você e seus familiares um feliz Natal , e um ano muito bom para todos nós ,abraços

    Responder
  23. Roberto Rocha

    Já que o palpite é livre…
    – Nadal vence Roland Garros e deve ir longe no Australian Open e USOpen
    – Djokovic vai longe no Australian Open e em Wimbledom
    – Federer vai longe no Australian Open e em Wimbledom
    – Tsitsipas e Medvedev oscilação durante a temporada
    – Zverev também oscilará
    – Shapovslov e Aliassime apresentarão evolução considerável
    -Murray terá bons momentos, assim como Wawrinka
    – Delpotro nos brindará com aquela direita legendária mais uma vez
    – Final de ano, O Big 3 liderará o ranking. Pela última vez.

    Responder
  24. Renan Vinicius

    Nadal mostrou nesse fim de temporada que tá voando na parte física e técnica. Se conseguir se manter sem lesões, é um dos grandes favoritos para o AO.
    Dalcim, vc reparou que Nadal mudou seu posicionamento de devolução de segundo saque? O incansável espanhol continua fazendo ajustes em seu jogo. Vc acha que essa é uma tendência para o primeiro Slam da temporada? Ele vai devolver mais a frente mesmo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, nunca aposto nisso… rsrs… Nadal tem sim procurado uma postura mais ofensiva, mas se o jogo aperta ou ele encara momentos duros, a tendência é recuar para o padrão anterior. Então acho que dependerá do momento, do piso e do adversário.

      Responder
  25. Paulo Sérgio

    Torcida 2020

    – AO: Nadal ganha para ser o primeiro homem a ganhar pelo menos duas vezes cada GS
    – RG: Nadal ganha porque não é RG se não termina com Nadal erguendo a taça
    – W: Nadal ganha para mostrar a todos que ele também é bom na grama e para levantar o troféu 10 anos depois
    – Olimpíadas: Nadal leva sua segunda medalha de ouro no simples
    – US: Nadal leva para pararem de dizer que ele só defende títulos no saibro
    – Finals: Nadal coroa seu ano mágico com seu primeiro título do finals

    Previsões 2020
    – Nadal leva pelo menos um GS
    – Djokovic leva pelo menos um GS
    – nunca duvide de Federer
    – todos os GS ficam novamente entre os Big3
    – a medalha de ouro de simples fica com um dos Big3
    – os M1000 ficam bem diluídos entre variados tenistas, trintões e jovens
    – o finals se consagra como sendo um torneio dos jovens e algum deles leva
    – Serena ganha um slam

    Responder
  26. Viana

    Essas previsões são sempre muito complicadas quando falamos sobre o BIG 3.
    1) Nadal – depende muito de como estará seu corpo… pelo o q vem jogando seria favorito o ano todo, porém, isso se não se machucar!!
    Isso passa muito por fazer uma agenda saudável, menos jogos!! Nisso aí ele podia ligar pro Federer e pedir uns conselhos.
    2) Djoko – depende muito de sua cabeça… em alguns momentos do ano passado parecia ter perdido o foco. Mas quando está com a cabeça no modo Djokiller é sem dúvida favorito em todos lugares, menos RG. As lesões tb começaram a aparecer, uma agenda mais saudável tb é uma boa dica.
    3) Federer – Gênio q é tem q buscar alguma chave para se tornar mais efetivo fora da grama. 2 anos atrás entendeu q tinha q antecipar o seu backhand, batendo na subida, e isso o deu um tempo a frente de seus adversários… q hj fazem isso tb. Tem q buscar outra inovação tática/técnica para poder brigar em outros Slans, fora WB.

    Next Gen… acredito muito na solidez do Medvedev e do Tsitsipas. Thien é mais habilidoso, porém tem q ser mais confiável.
    Lembrando: Nunca duvide de nenhum do BIG3!!!

    Responder
  27. Marcílio Aguiar

    Sou péssimo em palpites, portanto me absterei de previsões. Como fã do suíço vou torcer muito e espero que ele ganhe algum torneio importante e caso seja o último ano, que se despeça em grande estilo. No mais muito obrigado ao Dalcim por nos fonercer informações de altíssima qualidade e dar espaço à diversidade de opiniões. Um feliz Natal a todos e ótimo 2020!

    Responder
  28. Ronildo

    Eu particularmente acredito que o Ranking da ATP no final de Dezembro estará assim:

    1- Thiem
    2- Tsitsipas
    3- Federer
    4- Djokovic
    5- Nadal
    6- Medvedev
    7- Zverev

    Com algumas possíveis variáveis como inversão entre Thiem e Tsitsipas, Federer em no 2, Zverev que tem poucos pontos para defender no 3 fazendo Federer ficar no 4, Djokovic no 5 e Nadal em 6. De qualquer maneira minha aposta é que Federer vai ficar à frente de Djokovic e Nadal no ranking porque não acredito que estes defenderão seus títulos de grand slans em 2020.

    2020 será o ano da ruptura e da acenção definitiva das novas gerações. Será também o ano que acentuará o diferencial de Federer, pois seu magnífico tênis o fará ficar acima de Nadal e Djokovic aos 39 anos.

    Responder
    1. Ronildo

      De qualquer maneira, prevejo queda no ranking para Nadal e Djokovic. Costumo acertar em minhas previsões. Este ano previ que Federer iria disputar o n° 1 no AO 2020 e por pouco, muito pouco não acertei. Infelizmente Tsitsipas estava no caminho e jogou muito.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Ridículo, Ronildo.

      Não tem o MENOR cabimento uma previsão assim…

      Federer em terceiro a frente de Nadal e Novak?

      Thiem em primeiro?

      Puta que pariu…

      Você claramente não se baseou em lógica, mas em torcida.

      Abs.

      Responder
      1. Ronildo

        Kkkk, pode parecer ridículo Rodrigo, porque não é o que tem acontecido.

        Mas você verá.

        Federer está com a cabeça fresca.
        Por outro lado Nadal e Djokovic estão uma pilha e não vão conseguir defender os pontos deste ano. Pra começo nem Nadal nem Djokovic chegarão na final do AO.

        Responder
      2. Ronildo

        Rodrigo, muita coisa que eu falo na verdade é ironia e pegação de pé.

        Pense uma coisa:

        Federer teve dois macth-point no saque em Wimbledom. Teve a magnificência de sequer pensar em sacar por baixo, que na grama é mortal. Depois de um tempo vem uma torcidinha ostentando placas de 40-15 como troféu !!!!!
        Eu já falei uma vez: pessoas que se comportam assim e retribuem o cavalheirismo de Federer com estupidez mereciam que Federer sacasse por baixo e depois mostrasse o dedo para estes para que tais recebam o mesmo tratamento estúpido que dispensam aos outros.
        Então pensando assim é evidente que eu usarei qualquer coisa para pegar no pé de pessoas que aprovam o uso do 40-15 como troféu.

        No Finals já deu certo kkkk

        E se eu errar minhas previsões é porque Federer estará com praticamente 39 anos. Ok.

        Mas, à princípio, como Djokovic está se esgotando mentalmente, ainda mais que Federer tirou o número 1 dele no Finals e Nadal está travando duras batalhas para vencer estes jovens, minha aposta é que estes dois, Nadal e Djokovic, estarão atrás de Federer no final de 2020.

        Responder
  29. evaldo moreira

    Bom dia,
    Vou pela regularidade, então nunca duvide de Roger Federer, por mais que tenha 38 anos, o fisico previlegiado o ajuda, claro que a idade também pesa, creio que Nadal vá fazer bons jogos, também pode ser favorito nes AO2020, já Nole, também, carne de pescoço, kkkk, é outro que vá se manter firme, mas desde Wimbledon, o rendimento não seja o mesmo, mas enfim, não cutuque onça com vara curta, rsrsrs, dos novatos, vou de Stefanos , o russo nervoso, kkkkkkkk, quem mais, acho que Auger-Aliassime tá sumido, não como ele vai estar, o Shapolavov, depois que o russo doidão passou a treinar, ele vem desenvolvendo um tenis melhor, pelo que andam falando, e você Dalcim, dá para dizer se, Shapovalov teve alguma evolução de que o Mikhail Youzhny passou a integrar a equipe do canadense?

    Responder
  30. Bartolomeu

    Minhas apostas-previsões para 2020:

    Djoko ganha a Austrália, volta a ser número 1 do mundo, passa o primeiro semestre inteiro sem ser ameaçado

    Federer não ganha nenhum slam, mas terá boas campanhas. Em compensação, ganha o ouro olímpico

    Nadal é responsável pela maior zebra do ano ao não ganhar Roland Garros, que terá como vencedor Thiem.

    A next gen vai ganhar mais ATP 1000 do que o Big 3.

    Tsitsipas vence Wimbledon

    O US Open fica com um desses 4 tenistas: Djoko, Tsitsipas, Thiem ou Nadal como azarão.

    A briga pelo número 1 do mundo fica cabeça a cabeça no segundo semestre, e o líder do ano apenas será revelado no Masters de final de ano.

    Meus palpites para terminar o ano como número 1: Djoko (ainda favorito), Thiem e Tsitsipas

    Medvedev sente a pressão no segundo semestre e não consegue defender muitos pontos. Chance de sair do top 10.

    Federer anuncia a sua aposentaria.

    Responder
  31. Sérgio Ribeiro

    Os especialistas cravarem Novak se mantendo no Topo em 2019 , muito compreensível. Nadal abandonou o USOPEN e não foi ao FINALS . Eu também cravei. Se ambos estiverem 100 % em 2020 , aposto que podem até perder em espaço curto o N 1 , mas recuperam ao FINAL. A ordem me parece que inverte. Com Federer pulando 5 MASTERS 1000 , deve sair do TOP 3 e cair pra TOP 6 ou 7 .Tisitsipas e Medevedev pela ordem , assumem o TOP 3 e TOP 4 ( a não ser que Thiem leve RG ) . A possibilidade do SLAM 21 em WIMBLEDON é pra mim mais que Torcida . Mas vejo Rafa Nadal e Novak Djokovic ultrapassando os 20 SLAM no máximo em dois anos. Pode ser a última temporada do Craque Suíço caso não se classifique para o FINALS . Pelo calendário que estabeleceu não pensa mesmo em buscar os 109 de Connors. A conferir ! Abs!

    Responder
  32. Nelson Maciel Filho

    É muito difícil fazer previsões em relação ao Nadal. Se ele estiver bem, têm grande chance de ultrapassar o Federer em Gran slan. O Djokovic depois de Wimbledon caiu muito em rendimento.
    O Federer é um jogador extraordinário, mas a possibilidade de um slan ficou mais difícil. Creio que 2020 o Nadal ganhará dois grand slan e terminará o ano como número 1.

    Responder
  33. Jonas

    Djokovic voltará a ser número 1 do mundo.

    Nadal vencerá Roland Garros.

    O grego Tsitsipas vai ganhar algum Grand Slam e fechará o ano entre os 3 melhores.

    Federer vai ficar no “cheirinho” e será alcançado pelo Nadal em número de Slams. O Novak vai passar o freguês, mas isso deve ocorrer em 2021.

    Responder
  34. Edgar Markteck

    Acredito num cenário muito incerto em relação a algumas coisas.
    Infelizmente não vejo mais Federer vencendo slam, por isso aquela amarelada contra o sérvio foi mais dura ainda.
    Acho que Nadal e DJokovic vão ter quedas maiores, e com isso creio que Medvedev assumirá a ponta até imediatamente pós WImbledon, porém não descartaria os dois veteranos com vencedores de algum Slam em 2020.
    Acho que Thiem, assim como acho que foi nessa temporada, a organização de RG que o prejudicou, será o melhor jogador do saibro, e pra mim o favorito para vencer RG, porém não o vejo como n1, pois pra mim ele será do russo.
    Acho que Shapovalov termina o ano no top 10, resta saber em que posição, creio eu que entre o 5-10.
    Tsitsipas deve terminar no mínimo entre os 5, e acho que vai ser o principal adversário de Medvedev na briga pelo nq, porém pela consistência, creio o russo terminará o ano no n1.
    Ao meu ver o ranking será mais ou menos assim:

    1 – Medvedev
    2 – Tsitsipas
    3 a 5 – Nadal, Djokovc e Thiem, só não sei em que ordem
    5 a 10 – Federer, Zverev, Shapovalov, Wawrinka e mais um, que eu não sei quem será.

    Se fosse arriscar nos GS diria que seria:
    AO e US – Medvedev
    RG – Thiem
    Wimbledon – Algum veterano, creio que Djokovic. Federer só venceria se não encontrasse Djokovic no caminho, o que eu acho difícil.

    Nos Masters ai teríamos incertezas, pois vejo ao menos os 9 do top 10 que eu citei com chances de vencer, talvez poderia até tirar o Wawrinka, mas ainda teriam outros tantos com possibilidade. Creio que Federer ainda consiga ganhar um Masters 1000, mas claro, não pode pegar o Djokovic na final, se não amarela, e tenho quase certeza que tanto o sérvio quanto Nadal vencerão pelo menos um, porém no máximo 2.

    Em relação a despedidas, acho que Tsonga próxima temporada se despede, creio que vá ficar lá entre os 80, penso que terá uma queda brutal, outro que se despedirá é Karlovic, que talvez apesar da aposentaria, até o fim de Wimbledon consiga um título, aos 41 anos.

    Responder
  35. jonatas bruno

    Expectativas são o que são, ainda que usemos a perspectiva no pacote. Nesta pesquisa não participei, mas vou com a maioria. Federer ainda faz valer o voto de confiança, pois se foi capaz de estar a um ponto (sacando) de faturar Wimbledon, por que não novamente? Certamente a imprecisão faz parte do esporte, como nas demais áreas da vida. Essa é a graça, saber que tudo pode acontecer.
    Espero que em 2020 ao menos haja um debutante a vencer um Slam. Particularmente acredito que o Tsitsipas seja o mais propenso. E torço para que o Shapovalov dose o seu repertório, e faça por merecer o seleto clube dos dez, potencial é o que não falta.

    Ao Dalcim e á todos, um Feliz Natal e próspero ano novo!

    Responder
  36. Arthur

    Passando só pra deixar meu Feliz Natal, Dalcim.
    Que 2020 traga excelentes partidas, ascensão definitiva da nova geração e a tão desejada alternância nos grandes títulos.

    Um abraço.

    Responder
  37. Vitor Hugo

    Enquanto jogar, Federer jamais pode ser descartado na grama sagrada. Com Novak, dividirá o favoritismo em wimbledon, como tem sido nos últimos anos.
    Em RG e U.S Open, poucas ou quase nenhuma chance.
    Na Austrália, vejo tudo muito igual, com pequena vantagem para Nole, depois Federer e o resto.

    Responder
  38. Vitor Hugo

    Feliz Natal Dalcim, pra vc e todos os colegas do blog, mesmo os intragaveis. Rs

    Rodrigo Cruz, Sérgio Ribeiro, Pessanha, Luiz Fernando, Mario César, Paulo Almeida, Jonas, Aranha, Danilo, Gabi, Rafael, Azevedo e todos os demais. Desejo um feliz Natal pra vcs e familiares.
    Peço desculpas pelos não citados, muita gente. Rs

    Abraço

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        O mesmo pra você L. F. Mas sem chiliques atoa como em seu comentário mais embaixo. O Craque que você disse que ODIAVA em 2016 , foi o mesmo que botou o N 1 no colo do Espanhol ( Rafa tem caiu cedo ) , tirando Novak do FINALS. Aproveite que 2020 pode ser o último do Cara e se acalme . Não precisa nem assistir tantos jogos. Continue indo ao cinema kkkkkkk Abs!

        Responder
  39. Maurício Luís *

    Tive um professor que dizia: ” Tem coisa que é igual relógio parado: não atrasa, mas também… não ADIANTA. NADA”
    Por isso não sou dado a previsões. Contusões, problemas familiares, de saúde… são tantas variáveis…
    Pra mim, essas previsões, mesmo dos especialistas, valem o mesmo que uma moita de capim pegando fogo.
    Pior que tem colega internauta aí nada modesto. Não prevê: **afirma** com ar de autoridade, como se tivesse uma bola de cristal infalível. Depois que falha, nada de admitir o erro: lá vem com nova previsão + furada que peneira.
    Só rindo.

    Responder
  40. Thiago Silva

    Sempre que Rafa termina uma temporada como número 1, na temporada seguinte ele se machuca e não consegue se manter na ponta, não sei se tem relação direta ou é só coincidência, mas não acredito que ele terminará o ano que vem no topo, acho que vai igualar o Federer em RG e depois vai fazer uma temporada mediana, terminando em segundo ou terceiro no final do ano.

    Responder
  41. Antônio Luiz Júnior

    MINHA MODESTA OPINIÃO SOBRE O CIRCUITO MUNDIAL DE TÊNIS – 2020

    O ano de 2020 promete ser um dos melhores do circuito mundial de tênis, face aos grandes valores que surgiram, e/ou se firmaram, como tenistas emergentes, que começam a se destacar muito rapidamente e de forma muito positiva no cenário mundial.
    A tarefa do BIg 3 a cada ano que passa torna-se mais difícil. E talvez aí neste ponto, resida a grande diferença: “os Grand Slams”, onde os jogos são disputados em melhor de 05 sets, e onde os 03 monstros sagrados vem dominando completamente esses torneios ao longo dos últimos 15 anos.
    Vale lembrar que em 2019, dois representantes dos “humanos” conseguiram chegar em duas finais de Grand Slam: Dominic Thiem (em Roland Garros pela segunda vez consecutiva contra NADAL) e Danil Medvedev (no US OPEN, num jogo épico, também contra NADAL).
    É sempre muito difícil fazer apostas. Assim como surgiram e/ou se afirmaram grandes nomes em 2019, ainda existe um problema clássico de consistência de jogo, onde as oscilações frequentes, e principalmente a capacidade mental, acabam derrubando os mais novos, nos momentos decisivos.
    Muitos chegaram para ficar de vez: Dominic Thiem, Stéfanos Tsitisipas, Danil Medvedev, Sascha Zverev, já são realidades contundentes.
    Alguns evoluíram significativamente, e se tornaram grandes jogadores, como Matteo Berrettini, Karen Khachanov, Denis Shapovalov, Felix Aliassime, Alex Di Minaur, Taylor Fritz, Andrei Rublev.
    Surgiram promessas que na minha opinião em 2020 virarão uma concreta realidade, como o fenomenal garoto italiano Jannik Sinner de apenas 18 anos.
    No grupo dos grandes e fenomenais loucos, somos obrigados a citar Nick Kyrgios e Fabio Fognini, capazes de vencer com frequência qualquer top 10, jogando tênis onde aliam grande plasticidade, e recursos técnicos próprios e muito, muito particulares.
    E não podemos esquecer dos grandes tenistas que ressurgiram como Andy Murray, Stan Wawrinka, Juan Martin Del Potro, Grigor Dimitrov, Jo-Wilfried Tsonga, kei Nishikori, Milos Raonic.
    E muito menos daqueles que sempre serão carne de pescoço frente a qualquer grande jogador, como Roberto Batista Agut, David Goffin, Diego Schwartzman e Guido Pella.
    Temos também o inconstante “showman” Gael Monfils, que mais me parece um vagalume, mas, quando brilha, joga um tênis muito bonito de se ver jogar.
    Infelizmente, não podemos incluir na lista nenhum tenista brasileiro, nem mesmo como uma grande promessa. Thiago Wild, num caminho muito, muito distante, talvez seja o mais apto a alcançar o top 100. Um sonho muito pequeno, para fazer frente a qualquer um que tenha sido citado acima, esta, infelizmente, é a nossa infeliz realidade.
    Infelicidade a parte, aposto firmemente numa temporada com grandes jogos e com confrontos épicos. Quem viver verá, é só pagar para ver…

    Responder
    1. Rafael Azevedo

      Belo comentário. Também acredito que 2020 será um grande ano para o tênis. Fazia tempo que não tínhamos tantos nomes bons juntos. A expectativa é de confrontos épicos já nas terceiras rodadas dos torneios. Por isso, tá difícil fazer previsões. Vou ficar na torcida.

      Responder
  42. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, em primeiro lugar quero te agradecer por manter esse espaço no qual podemos falar de tênis e até xingar um ao outro; mas sobretudo por manter isenção nas colocações e te desejar um Feliz Ano Novo.
    Em segundo lugar desejo que todos os tenistas possam desempenhar suas habilidades sem contusões, sejam os que agradem por estilo sejam os que agradam por efetividade.
    Em terceiro desejo aos colegas do blog, afetos e desafetos, acho que agora tenho poucos, um ano de 2020 pleno de vitórias ou derrotas, mas cheio de alegrias.

    Responder
  43. Vitor Hugo

    Federer vai ganhar o Australia Open e Wimbledon.
    Thiem enfim vai ganhar Roland Garros.
    Medvedev vai ser campeão do U.S Open.

    O baloeiro vai ganhar um ou dois masters, assim como o pangaré from Servia.

    Responder
    1. Bruno Giordano

      Exceto pelo Austrália Open, pegou os vices de 2019 e colocou como campeões de 2020.
      Federer não leva mais nada. Com sorte pode lutar por Wimbledon, mas não acho que terá a oportunidade que teve esse ano. Masters 1000 terá oportunidade no começo do ano, sendo que no fim provavelmente não pega final. Com sorte semi.
      Nadal brigará por RG, como é esperado, sendo o favorito até agora, mas precisamos esperar a temporada do saibro para afirmar algo mais contundente. Grama aqui não terá vez, vai fazer apenas uma campanha regular para os padrões do Nadal, com oitavas ou quartas. Austrália seguirá até semi final, aí dependendo do sorteio. Pode vir a ser campeão se do lado do Djokovic tiver muitos da NextGen. Se não for o caso, não leva o título. O USOpen está tão longe que é difícil dizer, mas sabemos que apenas uma vez na sua carreira defendeu um titulo de piso duro. Masters 1000 serão sua busca da temporada, querendo recuperar os títulos perdidos no saibro no ano de 19. A NextGen incomodará cada vez mais, mas Nadal ainda será dominante sobre eles.
      Djokovic depende da sua fome e de descobrir com derrotar a NextGen, ou pelo menos Tsitsipas, para ir longe nos Grande Slam. Surge como o principal favorito do Australia Open junto ao Tsitsipas, tendo Nadal como força correndo por fora. Roland Garros dependerá da chave, mas não vejo pelo padrão atual com grandes chances de vitória, pois provavelmente RG fica entre Nadal e Thiem, como visto nos dois últimos anos. Se estes se encontrarem antes da final, gera uma sobrevida na chave do Djoko, mas que mesmo assim corre por fora. Em Wimbledon se tornou o principal candidato, deixando Federer relegado ao segundo posto. E o USOpen também está longe, mas sempre será um forte candidato. Aqui é onde vejo com menos chances, pois tradicionalmente é um torneio aberto, com muitas chances para muito jogadores, e é onde vejo a NextGen com chances reais de levar o título. Masters 1000 terá boas campanhas, com um ou dois títulos pelo caminho. Mas ao mesmo tempo é o lugar onde a NextGen terá mais chance de batê-lo.
      Medvedev e Tsitsipas surgem como as principais forças da NextGen do momento. Temos outros nomes como Zverev, Aliassime, Khachanov e, sendo bondoso, Thiem (pois não é taaao jovem assim). São nomes que passarão a beliscar títulos e devem faturar um ou dois slams no ano (lutam mais fortemente por RG e USOpen), para preparar a transição para 2021.

      Responder
  44. Luiz Fernando

    Palpites, sejam de torcedores sejam de experts, estão sujeitos às improbabilidades que a vida nos apresenta. Basta ver as previsões dos experts para o presente ano p observarmos que palpite é uma coisa, venha de quem for, realidade é outra. Federer pode vencer o GS 21? Claro q pode, mas é provável? Não, não é provável. Djoko deve ser o numero um ao final de 2020? Sim, deve, mas será? Vamos aguardar o comentário do final de 2020 acerca das previsões p sabermos. Esta é a beleza do esporte, e é por isso q todos podem acertar seus palpites…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Até quem assiste a maioria dos jogos erra , imagine quem vai ao cinema e não assiste a beleza de 96 WINNERS , de todos os lugares da quadra. E mesmo tendo sido desferidos por um jogador de 38 anos. Improvável Roger Federer vencer WIMBLEDON 2019 ? Tem tantas chances quanto qualquer outro. É óbvio que menos que Rafael Nadal em RG . Esse teu ” improvável” , não tem base , caríssimo L F rs Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Em primeiro lugar, desejo a vc e familiares um feliz natal e um ano novo de prosperidade. Dito isso, vamos por partes. Em primeiro lugar, eu vou onde eu bem entendo e isso não é da sua conta caríssimo SR, se sua vida se resume a ver tênis a minha opção é outra. Será q dá pra entender, a “MINHA” opção, sua colocação sobre o que EU FAÇO NOS MOMENTOS DE LAZER é tão ridícula q nem mereceria resposta, mas como se trata de sua pessoa não poderia me esquivar de responder. Quanto aos MEUS palpites para 2020, estou de pleno acordo com vc, e é isso q está postado, Federer pode vencer um GS como qualquer outro, até o Bello pode vencer, mas na MINHA opinião isso é improvável, será q vc permite que eu tenha o MEU Palpite kkkk? Talvez vc tenha dificuldades de entender a diferença entre achar algo provável ou improvável de acontecer, mas não desista, a fé remove montanhas… Antes q eu me esqueça, grande abraço kkk…

        Responder
  45. Evaldo Medeiros

    Boa tarde, Dalcim. Gostaria que vc falasse algo a respeito da evolução do Nadal fora do saibro. Até poucos anos atrás, Nadal era favorito absoluto apenas no saibro. Hoje em dia me parece que isso mudou, não é? Até porque na academia dele em Maiorca me parece que ele tem treinado muito nas quadras duras. Inclusive no AO ele entrará como um dos favoritos, não?? Qual sua opinião sobre isso??

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nadal sempre mostrou qualidade sobre a quadra dura, acho que seu problema é manter um padrão por largo período nesse tipo de superfície, que machuca demais seu corpo. Então ele sempre tem de ser considerado um potencial candidato aos títulos, porém é necessário ponderar o tamanho do desgaste que possa sofrer ao longo das rodadas. Acredito que a mudança no saque ajudou muito a economizar energia, Evaldo.

      Responder
  46. Jeronimo Brito

    Curioso ver q os palpites (mesmo os especialistas) no final do ano passado para 2019 furaram!
    Espero que para 2020 não estejamos tão equivocados!
    Torço para ano bom para Thiem, Tsitsipas, Félix, Medvedev…para os Brasileiros TB, por óbvio…quanto o big3…vamos deixar chover!
    Parabéns Mestre pelo blog!
    Essencial para amantes de Tênis!
    Um ótimo 2020 à todos

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *