Tabus quebrados
Por José Nilton Dalcim
11 de novembro de 2019 às 21:02

Rafael Nadal e Daniil Medvedev entraram em quadra para a estreia no ATP Finals com a mesma vantagem histórica: 5 a 0. Mas Alexander Zverev e Stefanos Tsitsipas não deram bola para isso e tiveram atuações muito boas. O atual campeão, claro, se prevaleceu de um ritmo incerto do espanhol, que errou muito com o forehand. Mais jovem dos participantes deste ano, o grego fez uma bela exibição e se candidata a surpresa.

Inseguro, Nadal se complica
De volta à quadra após a contusão no abdome de Paris, o que mais falhou em Nadal não foi o saque, mas seu desempenho no fundo de quadra. A insegurança era evidente com as bolas curtas, o forehand descalibrado, ‘madeiradas’ e até mesmo pernas atrasadas para chegar no ponto ideal de golpear. Isso ajudou, mas não tira o mérito de Zverev, que fez sua parte: abusou da força do saque, tomou postura ofensiva e se defendeu muito bem. Na entrevista oficial, Nadal garantiu estar sem dor e que seguirá no torneio.

O histórico – Nos dois primeiros jogos que fizeram, quando Zverev ainda era uma promessa, o alemão teve grande chance de vitória. Depois, só tirou 1 de 9 sets disputados e levou por quatro vezes a lavada de 6/1. Mentalmente, era um desafio e tanto para o alemão.

A estatística – Dado essencial sobre o forehand dos dois jogadores: Zverev, que tem no backhand seu porto seguro, fez metade de seus 28 winners com o forehand. Já Nadal, cuja confiança é diretamente proporcional à precisão do forehand, errou 13 vezes com o golpe de seu total de 19 falhas na partida.

O ponto crucial – Perdendo por uma quebra e 3/4 no segundo set, Nadal saiu com grande devolução e aí errou um forehand facílimo de meio de quadra. Ainda chegou a 15-30 e bateu outra bola torta de forehand. Nem sombra daquele espanhol frio e calculista, que nessas horas faz o adversário pensar, abusa do topspin e o desloca pela quadra.

Tsitsipas em grande estilo
Dois estreantes em Finals, Tsitsipas e Medvedev fizeram um jogo outra vez muito disputado e não mostraram o nervosismo imaginado. Ao contrário, houve muito lance bem armado dos dois lados. O grego saiu de quadra radiante e, ao tirar esse peso das costas, pode ficar muito perigoso na arena O2.

O histórico – Apesar do placar de 5 a 0, Medvedev sempre teve trabalho para ganhar do desafeto Tsitsipas. O russo havia vencido neste ano no lento Monte Carlo e no veloz Xangai.

A estatística – Tsitsipas ganhou 89% dos pontos em que acertou o primeiro saque (39 de 44) e não permitiu um único break-point ao russo, numa atuação arrojada mas bem controlada.

O ponto crucial – Tsitsipas claramente fez uma opção ofensiva durante toda a partida e o voleio milimétrico na paralela que fez no 5-5 do tiebreak certamente teve peso enorme (foi 17 vezes à rede no set e ganhou 13 pontos). Concretizou o set com forehand agressivo e seu 16ª winner. O russo tentou essa variação num momento delicado, 4/4 do segundo set, e se deu muito mal, porque voleios não são sua praia.

A briga pelo número 1
A derrota precoce de Nadal muda o quadro na luta particular que ele trava com Novak Djokovic para ver quem terminará a temporada na liderança do ranking. A situação melhorou para o sérvio, que agora só depende de si mesmo, ainda que tenha de ganhar todos seus jogos para marcar os 1.500 pontos. Reforçando: se for campeão invicto, Nole recupera o posto, nem que Nadal seja seu adversário da final. É importante lembrar, no entanto, que Djokovic precisa chegar no mínimo à final com duas vitórias na fase de grupos, mesmo que Rafa abandone o torneio ou não vença qualquer partida.

A terça-feira
Roger Federer e Matteo Berrettini abrem a rodada às 11h na tentativa de reagir e sonhar com a semi. O suíço tem o favoritismo natural. No duelo deste ano em Wimbledon, cedeu apenas cinco games, optando por slices venenosos e pelo ataque ao backhand instável do italiano.

Djokovic e Dominic Thiem fazem o grande duelo da segunda rodada às 17h. O sérvio lidera por 6 a 3 nos confrontos, mas o austríaco levou a melhor em 3 dos 4 duelos mais recentes, embora todos no saibro. Claro que o histórico espetacular no torneio dá vantagens importantes para Djokovic, mas ele terá de tomar cuidado o tempo todo, porque Thiem sabe bem o caminho para incomodá-lo: bolas com spin centralizadas e ataque pelas paralelas.


Comentários
  1. Paulo F.

    Que coisa, hein Nole?
    Logo tu perder para esse que é um dos jogadores com um dos mentais mais fracos?
    Paciência, se perder e for eliminado pro Federer, nada injusto.
    Thiem na semifinal? OK.
    E não será surpreendente, após derrotar Federer e Djokovic, se for eliminado pateticamente por um duplo 6-1, pois é outro que adora uma eliminação vexaminosa.

    Responder
    1. Carlos Reis

      kkk Sabe tudo vc hein!? O cara joga muito, joga demais contra o Federer e o Djoko, e vc vem lembrar das eliminações “vexaminosas”… Noletes…

      Responder
  2. Luiz Fernando

    Que partida do Thiem, a despeito do terceiro set ter ido ao tiebreak, Djoko, franco favorito antes do torneio, estava nas cordas se defendendo dos tiros de BH do austríaco na maior parte dos pontos. Também vale a menção dos slices do cara, rasantes fundos, q impediam um ataque do excepcional BH do sérvio, enfim, Thiem sai dessas duas rodadas iniciais na melhor forma já demonstrada e sua carreira, vencendo duas lendas vivas do esporte mundial. Quantos caras já venceram seguidamente Federer e Djoko num mesmo torneio? Sinceramente me lembro apenas do Zverev nesse mesmo Finals em 2018, mas é óbvio q pode haver outros. A vitória do Thiem, além de embolar o grupo, embolou a disputa pelo número um, pois se Federer vencer a partida de quinta Rafa será número um até o AO…

    Responder
  3. Luiz Fernando

    Que partida espetacular entre Djoko e Thiem, quem chamar esse rapaz de superesthiemado estará confessando ignorância. Se mantiverem esse nível, são fortes candidatos a fazer a final do torneio domingo…

    Responder
  4. Sandra

    Dalcim, mudando de assunto , você viu essa juvenil brasileira que foi pega no dopping? A mesma substância da Bia ! E será que os dois jogadores que estão em ascensão no Brasil, o que ganhou o Pan e o um que acabou de ganhar um título , não sei o nome deles , Tiagos? Espero que não sejam pegos em Dopping

    Responder
  5. João ando

    Thiem não ganha do djoko….mas ganha do italiano…então classifica para semis thiem e djoko…se o Roger ganhar do djoko dalcim …roger classifica para semis???

    Responder
  6. Luiz Fernando

    Dalcim se não me engano respondendo a Sandra ontem, vc expôs q via na chance de jogar outros dois jogos a razão p o Nadal não desistir do torneio. Vc acha q ele tem chance real de vencer o Medvedev amanhã, sem confiança e sem ritmo? Ou seria mais para aquela situação do “nunca duvide de Rafa Nadal”? Sinceramente, embora sempre haja alguma possibilidade, as circunstâncias me deixam descrente numa chance real dele vencer…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, já vimos tênis o suficiente para saber que esses tenistas do Big 4 são diferenciados. Arrancam forças de onde não imaginamos, além do que têm muitas opções táticas. Não gostei da estreia do Nadal, claro, mas nunca o descartaria diante de Medvedev ou até mesmo do Tsitsipas.

      Responder
  7. Luiz Fernando

    Federer venceu como esperado, a despeito de tiebreak no primeiro set. Está na briga p uma das vagas, embora a lógica aponte para uma vitória do Djoko sobre ele e do Thiem sobre o italiano, o q selaria seu destino. Bem mais complicada é a situação do Rafa, q sem confiança no físico e sem ritmo deve perder e se despedir amanhã do torneio, torcerei muito p q isso não ocorra, mas a tendência é essa…

    Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    O Federer ganhou jogando mal diante desse fraco Matteo Berretini…

    Mas a verdade é que não mostrou ainda a que veio nesse ATP Finals.

    Continua errando e “madeirando” demais, e com uma velocidade de pernas sofrível.

    Venceu, mas não convenceu.

    E pior é que o “bicho-papão” Djokovic vem aí…

    Responder
  9. Jonatã Lopes

    Dalcim

    Que dica você daria ao Zverev para ele melhorar o forehand, ás vezes parece medroso e atrasa o movimento, quando pega confiança solta um míssil.
    Não dá para ser oito ou oitenta sempre, o que você orientaria ele quanto a parte mecânica do Backswing dele?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acho que ele tenha problema de preparação de golpe, mas de perna. O último passo dele às vezes me parece incerto, deixando por vezes ele perto demais da bola, por vezes longe demais. Ontem ele conseguiu arrancar duas paralelas incríveis com o corpo já esticado, o que é bem difícil.

      Responder
  10. Rodrigo S. Cruz

    Aposto o que vocês quiserem aqui.

    Na hipótese de:

    o grupo do Federer fechar com duas vitórias para ele, duas para o Thiem e duas para o Djoko, e mesmo assim o suíço não se classificar por algum critério;

    E considerando que o Nadal, no outro grupo, perca todos os seus TRÊS JOGOS;

    Eu aposto o que vocês quiserem que o Chetnik, o Almeida, o “Varmir”, o Paulo F e a Gleisi vão dizer que o suíço é uma farsa.

    Só que do Nadal não vão falar porcaria nenhuma!

    Podem anotar aí.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Mas você só citou torcedores do Djokovic. Cadê os do Nadal?

      O espanhol tomou um vareio do Zé hoje, sem desculpas de lesão. Está em situação bem complicada, ainda mais porque não há bonus game em seu grupo.

      Responder
    2. Valmir

      O … Varmir… só reafirma o que vem sendo mostrado nos resultados.

      Depois do Australian Open, o teto do Fregueser é um ATP500… e o Finals é um 1500.

      Fregueser teve um… soluço… em Miami este ano… fora isso… só ATP250 e ATP500.

      Daqui um certo tempo… quem sabe somente… exibição e Laver Cup.

      Modéstia à parte… freguesetes… podem confiar nos dados que publico… fruto de pesquisas criteriosas e bem conferidas (seria diferente para um matemático ??) … guiadas pela excelente memória de quem acompanha o tênis… desde…. desde….. 1972….. quando a maioria de vocês ainda não tinha nem nascido.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Errado!

        O hater Varmir devia dormir… Pois só fala groselha.

        E o “teto” a que ele se refere is bullshit.

        Já que o GOAT ganhou 3 Grand Slams nos últimos 3 anos, sem contar torneios da série Master…

        Responder
    3. Thiago Silva

      Claro que não vão falar nada, o Nadal tá machucado e o Roger tá saudável. Não dá pra falar que um jogador lesionado é uma fraude. Se o Rafa tivesse inteiro teria passado o trator no boneco de posto.

      Responder
    4. Paulo F.

      Nunca disse que Federer era uma farsa ou uma fraude, o quê eu sempre digo é que o Federer, já consolidado, já era filho do Nadal e já fazia fiascos memoráveis quando o espanhol ainda era um adolescente.

      Responder
  11. Marcos RJ

    Dalcim, eu não sabia que o Grego e o Russo eram desafetos, mas vi agora o vídeo do jogo em Miami 2018. Tsitsipas as vezes é temperamental mas esse Russo parece ser um tremendo barraqueiro. O problema entre eles começou em Miami ou já tinham uma rixa anterior?

    Responder
  12. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]
    11 de novembro de 2019 às 12:09

    “No aguardo da desculpa saibro azul londrino”.

    Ninguém chamou de saibro azul.

    Mas como todo bom fake nolista, você sempre ACUSA primeiro e pergunta depois… (rs)

    E a propósito:

    Alguma desculpa para derrota do Nadal também?

    Responder
  13. Carlos

    O jogo Medvedev X Tsitsipas foi ótimo, os dois jogaram muito bem. Nadal vai ter muito trabalho na próxima partida. Embora o espanhol tenha se recuperado totalmente da contusão, a preparação ficou comprometida e isso faz muito diferença num torneio em que o primeiro jogo já é de nível de quartas de final de Slam. Numa situação de volta de contusão e preparação curta, em outros torneios os jogadores top têm pelo menos um ou dois jogos contra adversários frágeis, o que amplia muito as chances de vitória e também acaba servindo para ganho de ritmo. Vai ser difícil para o espanhol. E grande minha expectativa em relação ao confronto entre Tsitsipas e Zverev. Embora tenha jogado contra um Nadal que nitidamente não estava nos seus melhores dias, o alemão foi muito bem hoje. Se mantiver o nível, teremos outro jogão da nova geração. Animador.

    Responder
  14. Rodrigo S. Cruz

    Tá aí…

    O Nadal acabou ATROPELADO na estréia do Finals

    E disse não sentiu dores.

    Apenas que ele jogou mal, e que o Sasha foi superior.

    E agora Abutres?

    Vocês vão mostrar alguma coerência ao criticá-lo também?

    Ou será que só vale crítica e zombaria quando é o Federer que perde?

    Responder
    1. Valmir

      Tenho muitas dúvidas do caso… Nadal sentiu uma dor terrível no abdomen… exames mostraram uma pequena ruptura de uns 8cm.
      Dizem que é uma semana para cada cm… para se recuperar bem.
      De repente, vai com médico e tudo para Londres e… em menos de duas semanas já está 100%….
      Muito estranho!!!

      Me pareceu mais que ele usou uma estratégia para manter o No 1, sem precisar enfrentar o Djoko.
      Em Londres ele gerenciaria a situação.

      Considerando o desempenho histórico deles em indoor_hard… e o que o Djoko fez com o Tsitsipas em Bercy,
      era melhor não correr o risco de enfrentá-lo… poderia haver um repeteco da final do Australian Open 2019.

      Não esqueçamos que Nadal tem sangue latino… sangue de… catimbeiros… milongueros…

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Você me entendeu muito bem, ISENTÃO…

        Basta o Federer perder qualquer joguinho é já o atacam.

        Aí o Nadal perde, e não falam nada.

        Só perguntei qual o critério:

        Lógica ou implicância simples?

        Responder
  15. Jonatã Lopes

    A quadra está médio-rápida, foi confirmado pelos comentaristas da Tennis TV, e pelo próprio Federer, e portanto sujeito a ter mais surpresas neste Finals, embora, não tenha sido exatamente uma surpresa a vitória do Zverev, mas sim como foi fácil para o Alemão, que sacou horrores e sequer teve o saque ameaçado, por um Nadal completamente incomodado e nada a vontade com o quique baixo da quadra, que deveria ser pior ainda para o Sascha, mas o Espanhol ergue a bola para o cara que tem quase 15 centímetros mais do que ele, naturalmente a linha de cintura do Alemão é mais alta. Aliás, Nadal é incrivelmente medíocre em torneios Indoors, para currículo que tem, ser tão pífio em duras cobertas, o que é uma vergonha.

    Acho que o Tsitsipas finalmente pensou um pouco mais, para derrotar o “blefe” do Medvedev , que é um tenista de golpes de difícil leitura, e de tática nada ortodoxa.

    Não vejo chance do Thiem ganhar do Djokovic. Fed vai ter que melhorar demais se quiser uma vaga nas semis, mas nada é impossível, e tomara que ele consiga uma tão sonhada vitória sobre o Sérvio na 02, o que faria dar um boom de confiança para o Suíço. Berrettini tá mais no Finals como recompensa para ótima temporada que fez, não vejo ele com qualquer ambição, na verdade, isso deveria ser motivo para ele jogar melhor, pois nada tem a perder.

    Responder
  16. Josh

    Estou achando o finals mais equilibrado esse ano. Ano passado apostava no título do Nole, mas… Esse ano já não sei quem vai ser o campeão, mas naturalmente Nole é o favorito e vai ter que jogar muito para levar a taça. Aposto em Nole x Tsitsipas na final, à conferir.

    Responder
  17. Luiz Fernando

    É óbvio q Rafa jogou longe de sua melhor condição, mas se ele optou por jogar o torneio tem q encarar o q aparecer, sem choro. Seu primeiro serviço na partida foi a 203 km/h, sinal de q o abdome não deve estar tão mal como se imaginava, inclusive ele disse q não teve dores, embora ficasse claro no decorrer da partida q ele estava longe de sua melhor condição. A tendência é perder quarta e sexta, a não ser q surja algo completamente novo e inesperado. A torcida principal, ao menos na minha visão após o visto hj, é para q não haja outra contusão q comprometa seu início de ano. Além disso, quem perde do Zé Verev na atual fase sem provocar um único break em 2 sets não pode almejar grande coisa…

    Responder
    1. André Barcellos

      Pra mim ficou claro que Nadal está sem ritmo de jogo e descalibrado, mais por falta de adaptação ao piso que qualquer outra coisa. Mesmo que treinasse duro por dias no piso, ainda sério seu pior piso, e onde sei jogo não encaixa muito.

      Responder
  18. Tiago

    Apesar dos tabus quebrados de 0 x 5, a vitória de Zverev sobre Nadal teve muito mais grau de importância e peso nas costas do que a vitoria do Tsitsipas contra Medvedev. Ambos devem estar aliviados agora, mas o Zverev estava precisando de uma redenção e acho que essa vitória lhe dará muita confiança nos demais embates contra os Big Three e principalmente Nadal de quem ultimamente levava duras derrotas. Espero que dessa vez possa embalar de vez. E o torneio ficou muito interessante, é cedo demais para apontar algum prognóstico, mas já pensou Federer e Nadal fora das semifinais? Não tá difícil de isso acontecer.

    Responder
  19. Vitor Hugo

    Normal Nadal perder. Estava sem ritmo, o adversário sacou muito. Sasha é o atual campeão do torneio e tem mais história que Rafa no finals.
    Nadal mais uma vez fazendo turismo
    E se o Moya e o Mario Cesar disseram que Rafa está 100%, quem somos nós para discordar?

    Responder
  20. Paulo Almeida

    Eu disse aqui que o grupo do Nadal era mais “da morte” do que o do Djokovic, pois todos têm condição de avançar. Já o Berrettini não tem nenhuma, só numa imensa zebra.

    Prevejo um jogo difícil contra o Thiem amanhã, mas confio na vitória do maior e melhor de todos os tempos.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      “ prevejo um jogo difícil amanhã “ . Mas o SuperEstimado não era jogador somente de Saibro ? Não foi lá que ele deu duas piabas consecutivas no tal goat em Roland Garros? Hum, já sei . O Expert viu uma melhora incrível do garoto no h2h kkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
      1. Jonas

        Thiem é um jogador de saibro, gênio. É o melhor piso dele (não quer dizer q ele seja horrível no resto). Por isso é tão curioso o Federer ser freguês de caderneta do austríaco.

        Responder
  21. Sérgio Ribeiro

    E tome de h2h indo pro espaço de novo rs E desta vez dois de 0 x 5 rs E mesmo assim continuam os torcedores de arquiba se apegando no que sentem contra o “ dono do clube “ . Já perdem antes de entrar em quadra rs. Meu filho frequentador assíduo da Whats mandou essa “. Os dois mais sacaneados por lá surraram o N 1 e o N 3 kkkkkkk O SuperEstimado fez tantos Winners quanto o HexaCampeao do FINALS. Imagina a cara do “ Rei das Nadegas “ ( sacaneou Zé Verev o ano inteirinho) , vendo ele surrar seu goat Espanhol com direito a Serviço em média de 215 km/h . A repórter perguntou ao Zé “ seus Pais te deram mesmo tanto Danoninho assim “ ? E Sasha mandou “
    Comigo garanto que foi mais espinafre e cenoura “ kkkkkkkkkkkkk. Mandaram um recado pro N 1 e N 3 . Que tal irem comprando as passagens de volta ? Kkkkkkkkk Abs

    Responder
  22. Ronildo

    Alguém aí lembra de alguma partida melhor de 3 sets em que Federer foi sacar pressionado e sucumbiu mentalmente como aconteceu este ano com Djokovic em Cinccinati?

    Será que em praticamente 1000 partidas isto nunca aconteceu?

    Realmente, toda vez que eu vi Federer perder uma partida melhor de 3 sets, sempre foi uma espécie de parto para o oponente. Não me lembro de ver este cara sucumbir nestas partidas. Evidentemente melhor de 5 sets é outra história. Aí já entra o cansaço físico como elemento decisivo.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Amigão, o Valmir já te colocou no bolso no outro tópico. Foram VINTE E QUATRO jogos perdidos com MP.

      Na moral, esqueça esse assunto e pare de passar vergonha.

      Responder
      1. Ronildo

        Colocou no bolso como?

        Ele trouxe um, 1, 01, apenas 1 exemplo em que Federer foi sacar pressionado para não perder o jogo e acabou quebrado em partidas melhor de 3 sets?

        Você tenta desviar o objetivo da questão, mas você sabe que em melhor de 3 sets os jogadores podem dar o melhor que tem tenisticamente: habilidades, vigor físico e força mental. Já em melhor de 5 sets o cansaço e a idade influenciam no rendimento.

        Então é assim que tentam colocar no bolso, desviando o foco? kkkkkkkkkkk , que vergonha gente! Um pouco de humildade não faz mal para ninguém, ok?

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Trouxe bem mais do que um. É só você conferir na lista de VINTE E QUATRO.

          Sorte sua não ter apostado dinheiro, mas foi entubado de qualquer forma.

          Responder
        2. Jonas

          Não. Nos Grand Slams (melhor de 5) os tenistas entram mais preparados e focados. São mais exigidos mentalmente e claro fisicamente. Por isso o big 3 se destaca tanto.

          Masters 1000 é importante sim, mas não chega perto de um Grand Slam. Há quem diga que Halle é importante também…no caso eu só dou risada.

          Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Que tal o parceiro pesquisar quem virou mais partidas depois de sair perdendo de 0 x 2 ( óbvio em 5 Sets ) . E quem é o maior vencedor de tie-breaks da Era Profissional ? Pode isso com mental fraco Arnaldo ? Abs!

        Responder
        1. Jonas

          Você é genial na interpretação de texto hein? No outro post eu disse q Federer, Nadal e Djoko estão acima do resto na parte mental. O Djokovic obviamente se destaca até mais…nenhuma novidade.

          Responder
        2. Valmir

          Pois é…. como dizia o Grande e Saudoso ex-ministro… Roberto Campos…
          …. A estatística é quem nem o biquíni… mostra um monte de coisas mas não mostra o essencial…

          A final de Wimbledon 2019 é o melhor exemplo disso.

          A força de Fregueser nos tiebrakes é outra… dê uma pesquisadinha séria e você vai ver que…
          … o maior vencedor de tiebrakes da história… vence bem nos tiebrakes intermediários.

          Nos tiebrakes que decidem a partida… Fregueser faz jus ao nickname… tem a invejável marca de…
          1 vitória e… 10 derrotas (a última em Wimbledon 2019)

          Este fato não tem nada a ver com a idade… pois desde 2003 ele já perdia tiebrakes decisivos
          e perdeu para um monte de jogadores diferentes.

          Quando a final de Wimbledon 2019 foi para o tiebrake no quinto set… passei a rir à toa… me lembrando desse fato.

          Responder
  23. Sandro

    Dalcim,
    Me pareceu que o saque do Nadal estava mais chapado. Tanto que o saque aberto no lado da vantagem não angulava tanto.
    Talvez para diminuir a maior torção do abdomen no saque com spin.
    Sem o seu saque com efeito, me pareceu que ele perdeu o letal forehand da segunda bola. A devolução estava vindo mais
    chapada e funda.
    Agora, o Zverev jogou muito. Errou pouco e manteve a pressão.
    Abs

    Responder
  24. Maurício Luís *

    Nadal entubado… segundo ele, sem nenhuma dor. Pra quem seca o espanhol, é o quadro ideal: perder sem desculpas. Mas é + que provável que a tal contusão da semana passada tenha afetado o lado psicológico.
    Mas tá no lucro. Se estivesse na Espanha, a sogra, de visita, ninguém merece. Tá lá sentada no sofá. Já começou a musiquinha do Jornal Nacional e nem sinal de pegar a mala e ir pro aeroporto. Vai ver deu defeito na turbina da vassoura dela, e não tá voando mais.

    Responder
  25. Jonas

    Esse torneio tá bem interessante. Geralmente oq acontece é Federer e Djoko sobrando em relação ao “resto”.

    Sei que o Nadal não está jogando NADA, além de estar mal fisicamente, claro. Mas Zverev mostrou ótima forma, assim como o Djoko e o Tsitsipas…então espero jogos equilibrados.

    Em 2013, 2014 e 2015 o Djoko sobrou até demais…é bom ter jogos mais equilibrados.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *