Djoko confirma, Federer no sufoco
Por José Nilton Dalcim
10 de novembro de 2019 às 22:43

O duelo entre Roger Federer e Dominic Thiem era sem dúvida o grande jogo da primeira rodada dos grupos do Finals, e a vitória justíssima do austríaco coloca o suíço sob grande pressão. A lógica diz que terá de vencer não apenas Matteo Berrettini, o que não é difícil, mas agora o próprio Novak Djokovic. Complicou.

Djokovic atropela Berrettini
Jogo de apenas 64 minutos, que só não foi mais desequilibrado porque o sérvio cedeu uma quebra boba no segundo set. Aliás, se mostrou muito irritado com isso, sinal evidente do quanto está exigente já neste início de Finals.

O histórico – Primeiro duelo entre os dois com um currículo absolutamente desigual no Finals. Enquanto o italiano fez sua estreia, Djokovic tem agora 54-9.

A estatística – Dos 18 erros não forçados no primeiro set de Berrettini, nada menos que 12 foram com sua principal arma, o forehand.

O ponto crucial – Djokovic reuniu dois atributos fenomenais para dominar totalmente a partida. Se de um lado só perdeu oito pontos com o serviço – quatro com o primeiro -, de outro colocou enorme pressão sobre Berrettini ao ser muito consistente nas trocas. Cometeu apenas sete erros não forçados, três deles no primeiro set.

Grande de noite de Thiem
De um lado, um tenista muito sólido no fundo, confiante para soltar o braço na hora do aperto e atento nos contragolpes. Do outro, pernas um tanto lentas, o que pode explicar erros em voleios, smash e forehands fáceis. Pela terceira vez no ano, Dominic Thiem superou Roger Federer. Já não pode ser considerado uma surpresa.

O histórico – Thiem havia mostrado em Indian Wells e Madri que quando seus golpes estão afiados é difícil para Federer ter respostas para seu volume de jogo. Repetiu a dose neste domingo e agora já tem um placar geral nada desprezível de 5 a 2 sobre o suíço, com triunfos no saibro, grama, sintético aberto e coberto.

A estatística – Federer ganhou apenas 12 das 22 investidas à rede, venceu 48% dos pontos com o segundo serviço e encarou o primeiro saque de Thiem em média a 199 km/h.

O ponto crucial – Thiem quebrou antes. logo no game de abertura da partida, permitiu reação mas capitalizou com sucessivos erros quando Federer tentava levar ao tiebreak. O fundamental no entanto foi salvar os três break-points que encarou no segundo set: um no 2/2 e dois quando sacava para fechar no 6/5, todos com sangue frio, primeiro serviço menos forçado mas profundo.

A segunda-feira
Daniil Medvedev entra em quadra às 11h com 5 a 0 nos duelos contra Stefanos Tsitisipas e nos mais variados pisos. Neste ano, já ganhou na lentidão de Monte Carlo e no veloz Xangai. É o favorito natural. Os dois jogam Finals pela primeira vez e devem haver tensão no início.

Rafael Nadal também tem 5 a 0 sobre Alexander Zverev, mas obviamente existe a dúvida sobre seu estado físico. Pelos treinos, mexeu um pouco no movimento do saque e isso pode ser um problema, porque nada pior para um tenista do que desviar a atenção tática para pensar na execução. Zverev pode se aproveitar disso se atacar com coragem o serviço do espanhol.

E mais
– Em sua sétima participação no Finals, Marcelo Melo e o parceiro polonês Lukasz Kubot iniciaram com vitória suada em cima de Ivan Dodig (com quem foi vice em 2014) e Filip Polasek. Eles enfrentam aogra Raven Klaasen/Michael Venus, que também venceram neste domingo.
– No Twitter, Melo não escondeu o desapontamento por seu jogo não ter sido transmitido pelo Sportv. Aliás, o canal não mostrou também a estreia de Djokovic.
– Mesmo jogando em casa, a Austrália vai continuar na fila por títulos na Fed Cup, que não conquista desde 1974. A festa foi francesa em Perth, com uma inesperada vitória de Kiki Mladenovic diante da número 1 Ash Barty e depois com grande desempenho nas duplas ao lado de Caroline Garcia. É apenas o terceiro troféu da França, repetindo 1997 e 2003.
– A partir da próxima temporada, a Fed Cup muda outra vez de formato e segue o padrão da nova Copa Davis, com fase final de 12 participantes. O Brasil jogará o quali de fevereiro contra a Alemanha em casa.
– Thiago Wild ficou perto de ganhar do espanhol Jaume Munar, que era 52 do mundo poucos meses atrás, mas cansou mentalmente a partir do tiebreak e não reagiu mais na semi de Montevidéu. De qualquer forma, termina a temporada com evolução de quase 250 posições, devendo aparecer nesta segunda-feira no 215º.
– Embora seja um torneio tão modificado que às vezes dificulta comparações, não resta menor dúvida que o garoto italiano Jannik Sinner tem futuro certo entre os tops do ranking e as vitórias sobre Alex de Minaur e Frances Tiafoe no Next Gen Finals apenas reforçaram isso.


Comentários
  1. Miguel BsB

    Tô lendo umas besteiras aqui, pra variar…Thiem joga muito tênis, não à tôa é top 10 há uns bons anos. E cada vez mais se afirma como jogador de quadras duras tb. No saibro, é um craque.
    Só não foi campeão de RG porque ainda joga um tal de Rafael Nadal…
    Em 2020, no mínimo um Master no saibro ele belisca. Quem sabe, RG?

    Responder
  2. Vitor Hugo

    O SporTV não transmitiu o jogo de Bagrevice porque não quer jogar tempo e dinheiro fora, evidente. O servio não tem carisma, torcida e joga feio.

    Na chamada do canal esportivo para o torneio, o SporTV mostra uma troca de bolas entre FEDERER e NADAL, os dois maiores da história.

    O SporTV tem um comercial que fala de rivalidade em todos os esportes, e quando expõe a rivalidade no tênis, mostra FEDERER x Nadal, maior rivalidade do esporte na história. Óbvio!

    Quer dizer, para o canal esportivo, o bagre servio é um coadjuvante. Se não em resultados, mas em grandeza ou importância para o esporte. Justo!

    Responder
  3. Vitor Hugo

    Na etapa da carreira que está, normal a derrota do suíço. Roger está longe do auge, em declínio físico… Percebi que Federer por várias vezes chegava atrasado nas bolas, não se posicionava corretamente pra executar os golpes, a energia e velocidade não é a mesma, sinais do tempo, oscilando muito.
    Assim como é normal que Federer termine a carreira com h2h desfavorável contra rivais mais jovens. Vai acontece com Roger, com Novak e com Nadal. Inevitável! No momento, fica mais evidente para o suíço porque é 5 anos mais velho que os outros dois citados por mim.
    Mas é claro, lógico e incontestável que Federer é melhor que Thiem, assim como é melhor que Nadal e Novak e o MELHOR da história!
    Espero que o suíço tenha tirado a ferrugem do primeiro jogo e jogue melhor os outros dois, pois apesar de longe do melhor tem mais recursos e é melhor que os outros dois do grupo.

    Responder
  4. Valmir

    Madeirada Roger …. entrou em ação contra o Thiem… no set point do primeiro set.

    Em Wimbledon 2019 … em cada tiebrake teve uma madeirada
    no segundo ponto do primeiro tie
    no primeiro ponto do segundo tie
    no match point

    Em MUITOS outros jogos dele vi um monte de madeiradas… qualquer hora faço uma compilação.

    O rei do Smash…. tem um MONTE deles errados… nos BIG POINTS…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Sabe nada, caríssimo Valmir. Se tivesse algum dia na vida empunhado uma Raquete de Tênis, saberia que com Backhand de uma mão, a famosa madeirada e’ inevitável. Em contra partida você tem mais alcance . Hoje o N 1 deu duas e com Back de duas mãos. Seus comentários são sempre risíveis, pois já viu fanático postar algo que preste ? rsrsrs. Abs!

      Responder
  5. JAN DIAS

    FEDERER tava muito devagar e errou muito..já o THIEM tava muito preciso, rápido e mais agressivo que o seu normal. Mereceu totalmente a vitória.

    Continuo não acreditando no ZVEREV contra o NADAL, ainda mais porque essa contusão dele não me convenceu… se o alemão/russo ganhar é zebra…

    Responder
  6. Luiz Fernando

    Vi agora q Medvedev perdeu, o q vem de encontro ao comentário q ele não se da bem nos pisos mais lentos. Claro q ele ainda depende apenas dele, mas sua situação de um dos supostos favoritos ao título sofreu um baque indiscutível. Imaginemos um suposto “jogo da morte” entre ele e Rafa na quarta, seria uma verdadeira insanidade pensar nisso há um mes atrás e hj é uma chance concreta…

    Responder
  7. Sérgio Ribeiro

    Danill Medvedev com h2h de 5 x 0 contra Tsitsipas é o favorito natural , pois venceu em todos os Pisos. Sei, … Mais uma vez a teoria do Clube da Esquina de todos deu ruim … Vence quem está melhor no momento. Desde o tempo do BigMac contra Borg rsrsrs Abs!

    Responder
  8. Fernando Brack

    Rapá, como tem gente sem noção aqui. Ficam zoando Federer por perder de Thiem, que é um excelente tenista, já com muita experiência e 12 anos mais novo. Acham mesmo que Federer deveria ganhar todas contra esses ótimos tenistas pra sempre?

    Responder
  9. Leandro

    Paulo Almeida, Paulo f., Jonas e Valmir…..

    Td isso na década das trevas do tênis…KKK

    É só eu ou mais alguém percebeu??

    É a mesma pessoa caramba

    Responder
  10. Leandro

    E o torneio mais importante da atp perdendo lugar na transmissão para jogos de vídeo game,td isso ainda na década das trevas do tênis que agora sequer apareceu no SporTV três geralmente……

    E querem discutir quando é a entressafra…

    Chega logo next gen

    Responder
  11. Luiz Fernando

    Moyá agora diz q Rafa está 100%, torço muito p q seja verdadeiro, mas só vou acreditar quando ver a velocidade dos primeiros serviços a tarde, se estiver acho q vence os 3 jogos…

    Responder
  12. VITOR FERREIRA BOICO

    Dalcim que ótima temporada do Thiago Wild, vi que ele curte muito a trocação direita x direita mas ainda possuí deficiências em seu jogo de rede e na transição. Como você avalia esta temporada dele? Te lembra o Thomaz no ínicio de carreira?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Thomaz tinha ainda mais punch, mas era um tênis de 10 anos atrás. Acho que o Wild está melhorando na parte emocional, e isso é o X da questão, porque golpes já vimos que ele tem. Com certeza, precisa de mais armas e isso na verdade é uma boa notícia porque mostra que há ainda muito espaço para evoluir. Acredito num 2020 muito positivo para ele, Vitor.

      Responder
  13. Sandra

    Dalcim , você não acha que a essa altura da vida o Federer está mais preocupado com essa turne que ele vai fazer no fim da temporada ? Pelo visto o alemão também

    Responder
  14. rafael

    O Djoko está em plena forma e aí fica difícil para os demais. O Thiem jogou bem, mas nada excepcional. Achei o Federer um pouco lento mesmo mestre e meio sonolento. Sei não…Acho que o Djoko emplaca 03 vitórias no grupo e sem perder sets. Em relação à rodada de hoje eu acho que o Nadal perde do Zverev e com chances de desistência.

    Responder
  15. Chileno

    Paulo, acho que você não reviu os jogos não. Assiste lá. O único que fugiu a toada foi o Australian Open 2016. Ali sim, o maestro foi amplamente dominado nos dois primeiros sets, então capitalizou de uma cochilada que o Djoko deu no terceiro set, e depois novamente não teve muitas chances no quarto set. Ele jogou bem abaixo de 2015 inclusive, naquela ocasião. O sérvio foi amplamente superior o jogo inteiro, exceto no terceiro set quando deu uma cochilada.

    Em WB e USO 2015 o jogo entre Federer e Djokovic foi equilibrado nos dois primeiros sets. Ambos jogando de igual pra igual. Do terceiro set em diante, o sérvio foi passando a nadar de braçada. Ele alongava um pouco mais os pontos e o suíço cometia o ENF, ou ia chegando atrasado nas bolas e perdendo intensidade.

    Sobre as condições do Federer 2015, pode ter sido preparo físico, talvez sejam as temporadas mais enxutas que o maestro vem fazendo de 2017 pra cá… talvez uma combinação de tudo isso, e/ou outras coisas. Não sei ao certo. Mas que diferença faz, qual a razão? Não é esse o ponto da discussão. O ponto é quão difícil era o circuito 2015, contra um Federer que competia bem por 3 sets, o Stan que esteve “on fire” em uns dois torneios no ano e o Murray.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Chileno,

      O sofisma do Fake e de outros como ele é o seguinte:

      ” Se em 2019 jogou tão bem em Wimbledon, como é que se cansava em 2015 ? “.

      O que o Federer fez em Wimbledon 2019 ou Austrália 2017 surpreendeu a muitos.

      Realmente ele ainda consegue competir em alto nível físico em alguns momentos.

      Se assim não fosse acho que já teria se retirado…

      Mas quem assistiu a temporada de 2015 e 2016 viu claramente o Federer perdendo intensidade física após algum tempo.

      Principalmente nesses grandes jogos contra o Djokovic.

      Era nítido que existia algo errado com o preparo físico dele nesse anos.

      E super-frustrante ver o quanto ele errava apenas por chegar atrasado nas bolas.

      Isso foi bem debatido a época.

      E acho que vimos muito disso acontecer diante do Dominic Thiem, ontem.

      Coisa que o próprio Dalcim também destacou:

      a LENTIDÃO DE PERNAS do suíço.

      Ninguém está afirmando com isso que o Federer perdeu por causa da idade, e as chatíssimas escrotices nolistas de sempre…

      O Thiem ganhou porque jogou melhor e pronto.

      Só se está afirmando que é preciso aceitar que o suíço não vai ter PERNAS e ENERGIA em todos os jogos, como tem o Djoko, por exemplo.

      Precisa se antecipar e se preparar muito mais do que o sérvio ou alguém mais novo.

      O que também não deixa de ser um reflexo inexorável da idade.

      Responder
      1. Chileno

        Pois é. Eu sentia muito isso quando assisti aos jogos dele contra o sérvio nessa época. E sinceramente não sei ao certo a razão. À época acreditava que era apenas a idade. Mas depois veio 2017, 2019 e a sensação que eu tenho hoje, é que provavelmente o físico não estava tão bem, ou talvez era desgaste acumulado, já que ele fazia o circuito completo à época, ao passo que hoje ele joga muito menos torneios no ano (e mesmo assim, tem chegado estropiado no US Open há 3 anos). Talvez uma combinação de ambos… ou talvez até outra coisa.

        Responder
    2. Paulo Almeida

      Cara, eu vi as três partidas ao vivo e só senti que o jogo estava ganho depois da primeira quebra do quarto set de Wimbledon. Ali o Federer caiu mais mentalmente do que fisicamente. Já no USO e no Aussie, ele vendeu caro e eu não comemorei antes dos jogos terminarem. Posso até rever (já fiz isso algumas vezes), mas não acredito que você esteja certo. Já comentei aqui outras vezes que o Federer varreu todos os seus adversários nas campanhas de WB e USO, inclusive o Murray, mas “curiosamente” contra o Djokovic, a culpa foi das pernas a partir da metade do terceiro set. Sei…

      Essa questão de alongar pontos sempre foi uma estratégia tanto do Djoko quanto do Nadal. O suíço é muito ofensivo e nunca teve paciência para longas trocas, querendo logo definir o ponto. Os ENF e as madeiradas estão presentes em toda a sua carreira, independente do preparo físico ou da idade.

      Ora, faz toda a diferença na minha argumentação para tentar derrubar a sua de que 2015 não foi lá essas coisas. Wawrinka ganhou RG, fez semi no AO (jogo duríssimo pro Nole) e no USO e quartas em WB, perdendo pro Gasquet por 11×9 no quinto set.

      Responder
      1. Chileno

        Quanto a isso eu concordo plenamente.

        Mas é justamente aí que eu quero chegar. O Djoko joga assim mesmo. Ao menos de 2014 pra cá, vem jogando cada vez mais assim.

        Mas nos jogos contra o Federer em 2015, eu via o Djoko aplicar essa estratégia de alongar os pontos e ela não ser tão eficaz assim nos primeiros dois sets. Claro, ele ganhava a maioria dos pontos com mais de 10 trocas. Mas ainda assim, ele não tirava tanta vantagem assim.

        Nos dois primeiros sets, o Federer jogava melhor os pontos mais longos, chegava mais inteiro nas bolas mais esticadas ou mudadas de direção que o sérvio executava com tanta maestria, até tinha um pouco mais de paciência para aguardar uma bola mais propícia para o ataque…

        Do terceiro set em diante, ele ia ficando cada vez mais lento, pesado e afobado. Aí essa estratégia do Djoko passava a fazer cada vez mais estrago. Eu sentia isso muito claro. E o suíço muitas vezes passava até a se afobar, creio eu, por sentir que não conseguiria se manter nos rallys por muito tempo.

        Começava a ir pra rede em situações menos favoráveis, arriscava winner em bolas profundas e nas quais ele nem chegou tão equilibrado, tentava mais drop shots… enfim…

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Então, eu vou dar uma olhada pelo menos nos últimos sets quando tiver um tempo livre, mas pelo menos em relação ao Nadal de 2015, nós também concordamos: estava péssimo na maior parte da temporada.

          Boa discussão.

          Responder
  16. ANTONIO JOSE SANTOS DA SILVA

    Bom dia Dalcim…

    Gostaria de agradecer os links postados por você para os jogos que o sportv de maneira ridícula não transmitiu… Ajudou bastante.

    Vi uma parte do jogo do Djoko e é impressionante o que esse cara tá jogando… O Italiano teve bons momentos e mesmo assim não conseguia nada. Incrível!

    O jogo do Suiço mostrou que a esquerdinha, como sempre, complicando o Suiço quando pega alguém que sabe forçar o jogo lá… Até os voleios estavam erráticos… irreconhecível o Federer, infelizmente… Achava que poderia fazer uma semi-final com o Espanhol. Mas acho que não vai dar!!!

    Abraço.

    Responder
  17. RENATO HORTELIO FERNANDES

    Inacreditável o Sportv deixar de passar o jogo de Djokovic, para exibir campeonato de videogame! E, ainda por cima, não exibir de jogo de Melo, para passar a encheção de linguiça típica de suas tardes de domingo. Pena que tenham a exclusividade dos direitos de transmissão. Seria bom a ATP ficar de olho.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Boa Renato.
      Para compensar, Djokovic resolveu a parada tão rápido, que não deu tempo de eu encontrar um meio de assistir o jogo. Acabei economizando alguns dólares.

      Responder
  18. Ronildo

    O que eu falei no post passado foi que jamais vi o Federer sacar num game para ficar vivo numa partida melhor de 3 sets e ser quebrado exatamente neste momento. As partidas que Federer perde são porque foi quebrado antes deste momento, ou no tie-break.
    Porque eu citei partidas melhor de 3 sets? Por causa do cansaço físico e mental das partidas melhor de 5 sets.
    E apenas uma partida é válida sim para avaliar o engano de afirmações falsas. Se uma pessoa ou tenista FOSSE SUPERIOR MENTALMENTE num outro patamar como querem fazer Djokovic parecer, jamais sacaria diante de Medvedev e faria somente um pontinho, ou dois. Quantos pontos ele conseguiu fazer naquele game? Alguém pode responder? Eu lembro de apenas 1ponto. Aquele game foi a fotografia de quando um jogador está mentalmente fragilizado por causa da pressão que o o oponente representa no momento! Gente é simples: o sal é salgado e ele NUNCA será doce! Vocês entendem o que isso significa? Se não, posso explicar: a fragilidade mental que Djokovic demonstrou devido à pressão que Medvedev exerceu sobre ele naquela partida é prova irrefutável que não existe este patamar de força mental que vocês crêem. Isto é apenas fruto de vossas imaginações como quando uma criança acredita em Papai Noel ou que o super herói é de verdade. Se a citação do caso real acontecido e a elaboração de um exemplo lógico não é suficiente para vocês reordenarem os pensamentos, sugiro hipnotismo. Talvez haja alguma chance!

    Daí vem outro com um outro assunto que é partidas perdidas depois de ter macth-point à favor! Eu já vi Federer perder e vencer muitas partidas depois de perder ou salvar match-point. Como quando recentemente salvou vários contra o Leonardo Mayer. O que isso significa? É evidente que um jogador robótico quase à perfeição vai ter resultados melhores nestes momentos críticos. Federer tem outro tipo de jogo! Sempre se deu mal contra jogadores que correm muito e defendem tudo como Guilherme Cãnas! O jogo do Federer pode não ser o mais eficiente conforme a percentagem de vitórias revela, mas que é belo para se apreciar, isto é! E arrebanha multidões que apreciam tal arte.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      De novo Ronildo?
      Mas dessa vez concordo com seus argumentos. Federer disse ontem que sentia muito ter decepcionado sua esmagadora maioria de torcedores.
      Vai ver perdeu por isso.
      E outra coisa, jogar de forma altamente eficiente, tanto na defesa como no ataque, evitando derrotas quase como certas, deveria ser adjetivada como habilidade, não como funcionamento robótico. Concentração faz muita diferença, entendes?

      Responder
    2. Rafael Azevedo

      Precisamos entender que a tal da “força mental” é dinâmica. um tenista pode ser mais forte mentalmente contra um segundo tenista e mais fraco contra um terceiro. E esse terceiro pode ser mais fraco mentalmente do que o segundo. Além disso, pode variar de jogo para jogo. O mental é uma incógnita. Se o cara estiver em um dia mal, estressado. Se aconteceu alguma coisa na vida pessoal. Se ele perdeu algum torneio anterior de forma trágica etc. Tudo influencia.
      Varia de jogo a jogo.
      Agora, temos que reconhecer que, no geral, o Djoko é o jogador que mais consegue controlar a sua mente. Parece que ele se convence que é superior aos outros e que vai vencer. Ele sempre entra em quadra com um “ar” de superioridade, autoconfiança lá em cima. Sempre que assisto aos jogos dele, parece que os demais estão a um patamar abaixo, se esforçando para derrotá-lo (mesmo Nadal e Federer). Falo isso não do ponto de vista técnico, mais da imagem dos semblantes dos tenistas. Ele parece trabalhar sua mente o tempo todo. Pode ser que ele tenha fraquejado mentalmente contra o Medvedev (que,aliás, é outro tenista que transpassa autoconfiança), mas precisamos reconhecer que, no geral, ele é o cara com maior domínio mental do circuito.

      Responder
    3. Chetnik

      Cara, você só fala groselha. Perdeu o jogo perdendo o saque. Nossa!!! Isso acontece o tempo todo, com todo mundo,,. E tem tão pouco argumento que utiliza sempre as mesmas groselhas. “Nunca aconteceu com o Federer”. O Federer já perdeu uma FINAL DE WIMBLEDON perdendo o saque justamente para o DJoko. Mas o pior é perder uma quartas de MS para o Medvedev assim…sério, você só fala besteira. Nada do que você fala faz sentido. Você tem um problema de raciocínio grave.

      Eu ainda lembro das coisas que você escreveu aqui antes de desaparecer de vergonha. Vou lembrar os colegas qualquer dia desses…

      Responder
  19. Luiz Fernando

    Se eu fosse apostar dinheiro diria q Rafa estará em quadra as 17 hs, com ou sem perfeitas condições. Tomara q como veiculado por alguns sites, esteja de fato bem, mas isso é improvável pelo curto tempo de recuperação desde o penúltimo sábado. Tomara q não faça nada que comprometa o início do ano, depois fica com aquela cara de nádegas se arrastando na quadra!!! Aguardemos…

    Responder
  20. Tiago

    Não assisti o jogo do Djokovic vs Berretini, já que o Sportv não transmitiu…lamentável!!! Mas assisti Federer vs Thiem. Foi um bom jogo! Merecida vitória do Thiem, foi mais consistente e teve sangue frio nos momentos chave da partida. Federer cometeu erros bobos…aliás, antes de começar o ATP Finals ele já estava projetando seu jogo de segunda rodada contra Djokovic…Acho que ele se precipitou demais e se preocupou demais com Djokovic e subestimou Thiem. Conclusão…Se lascou no torneio. Agora corre grande risco de não se classificar para as semifinais, o que seria melancólico para um torneio onde ele sempre faz grandes campanhas.

    Responder
  21. Wladner

    O Federer estava muito mal hoje. Não da nem pra dizer que o Thiem ganhou pois tá mais pro Federer ter perdido, diferente da final de Indian Wells que foi um jogo parelho tendo o Federer desperdiçado match point e Thiem ganhado no detalhe. Acho difícil o Federer reagir mas se Federer ganhar do italiano que é bem possível ainda terão cenários que podem abrir caminho pra ele ir pra semi.

    Responder
  22. Rodrigo S. Cruz

    Eu havia escrito antes do Finals começar que o Federer havia caído no grupo da morte.

    Acho que eu fui o ÚNICO do blog que achou isso.

    Pois o Thiem sempre dá muita dor-de-cabeça pro Federer, e também venceu o Djokovic em RG.

    Ou seja, não podia nunca ser descartado.

    Agora a coisa ficou feia pro suíço, pois a quadra além de tudo está lenta…

    Se ele não venceu Novak na grama de Wimbledon, e mostrando mais pernas, é muito improvável que o vença agora.

    Responder
    1. Efraim Oliveira

      Cara, você está muito enganado com esse papo de que a quadra tá lenta, chega dessa habitual argumento pra quando o Roger perde numa quadra dura. O próprio Roger falou há poucos dias que a quadra está rápida. Sua opinião não crédito nenhum frente a dele que está lá jogando, a tua é mera especulação de quem procura pêlo em ovo.

      “Sinto que a quadra está bem rápida aqui. Então será interessante. Em uma quadra coberta, você tem que se concentrar mais no seu saque do que nas coisas que seu adversário faz. Estou animado para jogar contra o Novak novamente aqui”.

      Essas daí foram as palavras do Roger, o restante se resume ao velho chororô que vem desde Wimbledon 2008.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Que Chororô, caríssimo Efraim expert do Tênis Brasil ? A padronização existe ha’ muito e finalmente optaram em botar elas mais rápidas . Federer e Thiem agradeceram. E desde quando o Austríaco com Títulos em TODOS os Pisos ( até na Grama ) é somente jogador de Saibro ? .Com Nicolas Massu melhorou muito seu posicionamento em quadra. Procure se informar melhor . Abs!

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Pra começar, cara, eu não dei desculpa nenhuma para a derrota.

        Fiz apenas uma observação que me pareceu correta.

        Vocês djokovistas são deprimentes.

        Levam sempre com uma pedra escondida no bolso para atacar os outros.

        Quem achou a quadra lenta foi o Eusébio Resende que narrou o jogo do Federer x Thiem, e o outro comentarista também concordou…

        E eu também notei que pra chegar a definição do ponto, o Federer enfrentou dificuldades.

        Pra mim a quadra apesar de coberta, está sim lenta…

        Responder
      1. Rafael Azevedo

        A questão é o Berretini. O grupo do Nadal contém 4 jogadores fortes. O do Federer tem 3, porém são “mais fortes” do que os 3 “mais fortes” do outro grupo (pensando abstratamente em uma soma dos forças, hehehe)

        Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Agora se contradisse , caro Rodrigo. Já cansou de afirmar que Federer não venceu Wimbledon no detalhe. O Suíço afirmou categoricamente que a Arena O 2 nunca esteve tão rápida. Parece que pegou o jeito de não ler os Posts assim como o nosso amigo “ cara de nadegas “. Postei assim que o Bola Amarela deu e com a concordância de Thiem. Quem está bem mais lento é o Craque aos 38. Coisa que os Fakes do tal goat não admitem devido ao conhecido fanatismo. Abs!

      Responder
  23. André Barcellos

    Hoje vi Federer e só enxerguei o passado. Nitidamente lento.
    O suíço só tem conseguido mostrar seu melhor em quadras muitíssimo rápidos hoje em dia.
    Um dia acaba, e acho que está chegando.
    Sempre falaram isso e ele sempre se manteve firme, mas agora suas próprias declarações refletem isso.

    Responder
    1. Ronildo

      Eu falei isso antes do sorteio dos grupos Jonas. Faz tempo que eu percebo que a versatilidade do Thiem é uma barreira para Federer. Não me passava pela cabeça que o primeiro jogo do Federer seria justamente contra o austríaco e tendo ainda Djokovic no grupo. De qualquer maneira Federer jogou uma bela partida, porém o Thiem foi mais excelente ainda. Mas vamos esperar para ver o que acontece. É normal errar palpites.

      Responder
    2. Miguel BsB

      Com todo o respeito, essa foi umas das piores previsões dos últimos tempos…Creio que o Federer nunca mais será nº 1, e nem ele tá muito afim disso.
      Nessa altura da carreira, é tentar bater o recorde do Connors, quem sabe um ouro olímpico em simples ou mais um Slam, muito provavelmente Wimbledon.

      Responder
  24. Sérgio Ribeiro

    O head to head foi desmoralizado o ano inteiro ( varios Tenistas saíram de 0 x 4 ) , e ainda é insistentemente utilizado para justificar favoritismo. Vence quem está melhor desde sempre. Por isso Novak é o favorito destacado do Torneio. E precisa passar de fase invicto para voltar ao N 1. Daí Federer e Thiem querendo vencer de qualquer maneira. Deu Thiem com justiça mesmo vencendo apenas 6 pontos a mais. Massu fez o Austríaco jogar próximo a base também nas duras. Ele bate Berretini e vai pra Semi . Vai ser um baque pra Roger ser eliminado tão precocemente onde adora jogar. Mas a meu ver , são favas contadas. A conferir. Abs!

    Responder
  25. João ando

    Como diz dalcim nunca duvide de Roger Federer …acho possível ganhar do djoko e do italiano…vai a semi e com Nadal sem condições físicas Roger ganha o finals

    Responder
  26. Rodrigo S. Cruz

    O Chetnik tinha escrito que o Federer era rodada bônus pro Djokovic.

    Mas virou rodada bônus foi do Thiem.

    3 chicotadas no mesmo ano… Que lástima!

    Agora ficou foda, porque vai ter de “fazer chover” para vencer o Djokovic, e ter chance de classificaçäo.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nadal precisa ir à final sem perder jogos para não depender de mais nada. Djokovic portanto precisa torcer por uma derrota de Nadal pelo menos, além é claro fazer sua parte.

      Responder
    2. PI

      Sim, neste cenário eh virtualmente certo que ele terminaria o ano como número 1, ainda que nadal vencesse todos os 3 jogos da fase de grupo. A vitória na semifinal contra o próprio Nadal (400 pontos) e o título (500 pontos) dariam uma “frente” de 900 pontos para djokovic em relação a Nadal. Como o espanhol tem 640 a mais atualmente, restaria um saldo de 260 pontos para o sérvio. Mesmo que Nole perca um jogo na fase de grupos, ganharia 400 pontos pelas duas vitórias, ou seja, ainda que Nadal vença as 3 do seu grupo, ganhará 600 pontos, tirando portanto somente 200 dos 260 de saldo que o Djoker teria. Ou seja, Novak finalizaria o ano como número 1. A única possibilidade deste cenário terminar com Nadal em primeiro é se o Djokovic se classificasse com apenas 1 vitória em seu grupo (thiem ganha os 3 jogos, berretini vence federer, federer vence djokovic), o que ressoa EXTREMAMENTE IMPROVÁVEL, considerando o saldo de games (Nole detonou berretini e eh improvável que seja atropelado por federer com parciais semelhantes) e o tênis que ele vem jogando

      Responder
  27. sivaefra

    gosto do federer sera porque ele.não para ganhou em uma epoca de tenistas fracos ..alem da idade dele pesar. o nivel agora de.exigencia é.bem maior.

    Responder
  28. Paulo Almeida

    O GOAT passou o trator em cima do italiano e o Fregueser agora tem mais um pai confirmado: Dominic Thiem. O cara ficou tão puto com a derrota que nem cumprimentou o austríaco direito na rede. Cadê o fair play?

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Cara de onde você tira essas babaquices ? Foi um cumprimento de pessoas normais e que se admiram. O que nunca foi o seu caso. És um cara pobre de espírito. Abs!

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Ps. Reveja o cumprimento no Bola Amarela e leia os comentários de Thiem rs A propósito , já perguntou aquela outra babaquice a Domingos Venâncio ou vai continuar se borrando nas calças rsrsrs

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Ainda com esse assunto morto e enterrado? Venâncio já falou mais de uma vez que o Djoko é o mais completo e ponto final. Não insista e engula o choro.

          Responder
      2. Paulo Almeida

        Fregueser deu um tapinha seco e rápido no peito do Thiem e saiu fora. Cumprimentou até o Djokovic de uma forma mais elegante na final de Wimbledon.

        Não adianta espumar de raiva como você sempre faz. Isso sim é ser babaca.

        Responder
  29. Sandra

    Dalcim, longe de mim tirar os méritos do Djokovic, quero mais que ele seja campeão e invicto, mas você não acha que o italiano estava muito nervoso?

    Responder
  30. Chetnik

    Será que os zumbis acordaram para a realidade, ou ainda acham que o Frauderer vai ser campeão do Finals e do AUSO? Kkkkk. O cara é freguês do THIEM, e os seus zumbis vem dizer que o Djoko apanha dos jogadores jovens, kkkk.

    Repito: FREGUÊS DO THIEM. 5-2, kkkk. Aliás, já apanhou do Thiem na grama, no saibro, dura indoor e outdoor. Thiem já transformou o Zumbi-Rei em gato e sapato, kkkk. Que vergonha, meu Deus, que vergonha! Kkkk.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Thiem é um baita jogador, não é demérito ser freguês dele. Quanto ao Ronildo e demais jaguatiretes fora da casinha, deixo as minhas risadas.

      Responder
        1. Paulo Almeida

          Não, eu disse isso porque o Thiem ganhou 3 torneios no hard court em 2019, além de já ser um excelente saibrista desde 2016. O M1000 de Madrid do Djoko passando por ele e pelo grego é um título parrudíssimo, melhor que muito Slam do Federer inclusive.

          Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      O Zumbi Mane’ não chamava Dominic Thiem de SuperEstimado ? O Cara está amadurecendo aos 26 , antes dos 28 de STANIMAL. E venceu com todos os méritos depois de ter perdido na mesma Arena ano passado sem apresentar muita resistência ao Suíço. Sabe nada Fake rs Abs!

      Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Que vergonha Jonaser ? . Em 2016 Dominic já tinha batido Federer na Grama . E vem de dar duas piabas consecutivas no tal goat em Roland Garros. Só me faltava essa. Fake defendendo Fake. Você estava aonde a três anos atrás ? . Já sei, junto com Almeida , Valmir, Chatonik e CIA discutindo quem pilotaria a Kombi no Sítio do Robson kkkkkkkkk E tome de Whats rsrsrs Abs!

          Responder
        2. Rodrigo S. Cruz

          Não defenda coisa errada, Gleisi…

          Qualquer derrota ou conquista menor do Federer ( ATP 500, etc), o cidadão acima sempre esculhamba o suíço.

          Se você sabe da missa a metade, melhor não opinar.

          Responder
    3. Gildokson

      Gênio dos comentários. Não podemos esquecer que quem saiu de 2 semi finais de Grand Slam para o Thiem foi o Djokovic. Mas nesse dia aí tu apareceu aqui pra soltar tuas pérolas neh gênio?

      Responder
    4. Ronildo

      Tudo bem Chetnik, eu aceito que nesta fase da carreira do Federer é muito difícil para ele vencer um jogador jovem e versátil como o Thiem. Federer se dá melhor contra jogadores robóticos como Djokovic. Por isso que as partidas entre eles são apertadas. Agora só falta você vir aqui e afirmar que ultimamente Djokovic tem vencido facilmente Roger Federer, porque faz tempo que eu percebo que a maioria da torcida do Djokovic tem um sério problema em perceber o mundo à sua volta.

      Mas realmente, neste cenário, depois desta partida, ficou praticamente impossível pra Federer ser campeão do Finals. Meus palpites apenas estiveram à altura da carreira de Federer, que tem sido aliás o único jogador que está fazendo frente à Djokovic. Perdendo? Sim, mas todas partidas duríssimas!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Jogador robótico? O mais completo da história, que tem todos os fundamentos e que joga o adversário de um lado para o outro como ningúem? Aquele que surra o Fregueser por 20×9 no h2h desde 2011 e 9×2 em Slam desde 2010? Aquele que está há mais de 7 anos sem perder pro Jagua em Slam e 4 em qualquer torneio?

        Você vive fora da casinha, como eu já disse. Antigamente eu te chamaria de um fedtard raiz, mas eu abandonei essa denominação devido ao choro do André Barcellos.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *