Londres sorteia e torce para Nadal jogar
Por José Nilton Dalcim
5 de novembro de 2019 às 21:40

Com um diagnóstico mais animador de sua contusão no abdome, Rafael Nadal confirmou presença em Londres e entrou no sorteio dos grupos, ocorrido já nesta terça-feira. A pressa dos organizadores é sempre definir logo os jogos da primeira rodada, no domingo e na segunda-feira, e assim garantir a venda total dos 17.800 ingressos de cada sessão.

Segundo seu médico pessoal, o dr. Angel Ruiz Cotorro, não houve ruptura mas distensão no músculo reto direito. O médico preparou um plano de recuperação e autorizou os treinos, ressltando que o movimento de saque deve ser evitado nos primeiros dias. O espanhol assim marcou chegada para esta quarta-feira. Certeza de que vai jogar? Ainda não. Dependerá muito de a lesão regredir e ele se sentir competitivo.

E o sorteio dos grupos foi ainda mais ingrato, porque colocou Roger Federer junto de Novak Djokovic. Não existe nada no regulamento do FInals que diga que os grupos não podem ser alterados depois do sorteio no caso de um abandono antes de a competição começar. Mas trocar um tenista de lugar a partir de agora não me parece recomendável.

O Finals larga com o confronto inédito de Djokovic diante do italiano Matteo Berretini, a grande surpresa entre os classificados, e terá o interessantíssimo jogo de Federer contra o austríaco Dominic Thiem na rodada noturna local. Thiem ganhou 4 dos 6 duelos, incluindo os dois de 2019, na final de Indian Wells e nas quartas de Madri. Os vencedores desses jogos duelam entre si na terça-feira.

Nadal terá o máximo de tempo possível para estar em forma e fechará a rodada noturna de segunda-feira contra o alemão Alexander Zverev, a quem superou nos 5 duelos já realizados mas nenhum em 2019. Mais cedo, o russo Daniil Medvedev também leva para a quadra vantagem de 5 a 0 sobre o grego Stefanos Tsitsipas, porém com histórico de jogos e placares apertados.

Quem se deu melhor na formação dos grupos? É muito difícil de se dizer, mas talvez Djokovic prefira cruzar com Federer do que com Medvedev e Berrettini seja menos perigoso do que o atual campeão Zverev. Num piso que costuma ser lento, Thiem causa maior preocupação que Tsitsipas. Então me parece ter havido um bom equilíbrio. Caso Nadal seja substituído por Roberto Bautista, aí a coisa desanda.

Nas duplas, Marcelo Melo e Lukasz Kubot são os cabeças de grupo. Estreiam já no domingo contra Ivan Dodig/Filip Polasek, tendo ainda Raven Klaasen/Michael Venus e Rajeev Ram/Joe Salisbury como adversários. Achei muito mais saudável do que pegar Jean Rojer/Horia Tecau e Pierre Herbert/Nicolas Mahut, que assim ficaram no grupo dos já números 1 da temporada Juan Sebastian Cabal/Robert Farah.

Bom sinal
Como bem observador por TenisBrasil em notícia de hoje, Thiago Wild é no momento o 20º mais bem pontuado da temporada entre os tenistas que ainda não completaram 22 anos. Na sua faixa etária, o paranaense sobe para quarto entre os que têm no máximo19, sendo que apenas dois deles estão entre os top 100 (Felix Aliassime e Jannik Sinner). Com 21 anos já completados, o gaúcho Orlando Luz é o 31º dessa lista e Felipe Meligeni Alves, o 52º.


Comentários
    1. Sérgio Ribeiro

      Não dá caro , Ando. Como perdeu em Sets diretos, basta a Dominic bater Berretini. Uma chance ínfima. O confronto direto e’ o primeiro item de desempate. Abs!

      Responder
  1. Luiz Fernando

    Federer com erros bisonhos, jogou com uma cara de nadegas o tempo todo, refletindo sua má partida, e o “grupo excelente” segundo alguns blogueiros virou uma loteria pra ele, que jogará sua sorte na quinta contra Djoko, de quem em geral perde, ainda mais nessa quadra não tao rápida. Thiem jogou bem, embora também com muitos erros, explorando o BH do suíço, agora lidera o H2H por 52.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Cara, que comentário ridículo. Que cara de nadegas ? Só se for a sua depois de chamar Thiem de SuperEstimado todos esses anos.
      rs . Com o amadurecimento pós contratação de Nicolas Massu ( joga nas duras muito mais próximo a base ) , e com uma grande potência nos seus golpes ( aguarde o Estimado em Rolanga 2020 ) , fez por merecer a vitória apertada sobre um CONCENTRADO oponente ( coisa que o rapaz não conhece pois raramente assiste algo ). Número de Winners e ENFS tão próximos , que a partida foi decidida com justiça por apenas 6 pontos a mais para o Austríaco. Enquanto isso o Mane’ preocupado com h2h . É bem fraquinho mesmo . Abs!

      Responder
      1. Efraim Oliveira

        A partida é melhor de sets… se fez mais ou menos pontos, são detalhes. 2-0, um desastre perante um jogador de saibro em plena quadra dura.

        Responder
  2. Oswaldo E. Aranha

    Hoje fiquei frustrado de o Sportv não transmitir o jogo do Finals, colocando, um absurdo, um joguinho de computador, em desrespeito aos clientes. Dalcim, será que transmitirá as próximas etapas do Torneio?

    Responder
  3. Sérgio Ribeiro

    O SporTV não mostrar a inauguração do FINALS 2019 , ao menos em VT as 15 horas , e ‘ mais uma vergonha. Federer afirmou que a quadra nunca esteve tão rápida na Arena O 2 . Dominic confirmou. Isto é problema para o Sérvio? Claro que não. Matou um nervoso Italiano , abusando nas devoluções. Nem precisou de tantos Winners. Confirmou sua exuberância física e o favoritismo absoluto. Abs!

    Responder
  4. Alison Cordeiro

    Vejo os amigos esquentando o debate do melhor de todos os tempos e penso que se existisse tal pessoa, ela seria inconteste. Não haveria dúvidas sobre sua capacidade e ele deteria tal reconhecimento dos seus principais adversários.

    Mas não existe tal criatura. Federer pintou como esse cara, mas a supermacia de Nadal no saibro não deixou que ele pudesse ter essa inegável honraria. Nadal bateu Federer em WB, sua maior especialidade, mas Federer não conseguiu o mesmo em RG.

    Nadal também não conseguiu ser esse cara. É o Deus do saibro, um gigante em outros pisos, mas fora do barro não foi melhor que Federer.

    Djoko chegou com ambos já estabelecidos como os maiores de seu tempo e igualou-se a eles. Rivalizou com Nadal no saibro, vencendo-o em RG, conseguiu feito semelhante contra Federer em WB. Mostrou-se outro gigante, e está à frente do H2H contra ambos, um feito admirável pela quantidade de confrontos e decisões.

    Os três protagonizam os maiores clássicos do tênis atual e estão entre o de todos os tempos. Por causa da sua exuberância e capacidade além do normal, jamais existirá o Goat. Essa mitológica criatura vive nos três simultaneamente. Quem viu, viveu.

    Responder
    1. Rafael Azevedo

      Show de comentário! Penso dessa forma, também.
      Só vale salientar que o Djoko venceu um Nadal “destruído” em RG. Isso não quer dizer nada! Ele venceu o Nadal em RG e ponto! Mas, fica essa sensação de que “se o Nadal tivesse em forma…”

      Responder
  5. Jonatã Lopes

    A quadra esse ano estará mais rápida. Fed já até declarou que se surpreendeu com a velocidade da quadra e disse que é rápida (deve estar médio-rápida, não deve ter quadras rápidas ao pé da letra no circuito, ou seja a partir de 45), e explico porque. Porque o piso é reciclado, é o mesmo usado no ano passado, ele foi desmontado e guardado, uma prática muito comum nos indoors. Lembrando que ano passado, tirando os treinos, se teve 30 partidas entre simples e duplas, e quanto mais desgastado o piso duro for, mais rápido será. Outro fator: Bola diferente. Dunlop no lugar da Head.

    Acho uma ótima oportunidade de vingança do Fed sobre o Djokovic, se as condições forem realmente favoráveis ao Suíço, ele precisa aproveitar essa oportunidade.

    Responder
  6. Babidi

    Dalcim, na tradicional eleição dos melhores do ano no Tênis Brasil, recomendo criar uma categoria de “participante mais comédia do blog do tênis”. Com certeza esse prêmio seria bastante disputado entre Paulo Almeida, Chetnik e seus fakes.

    Responder
  7. Michael

    Federer desperdiçou a última chance da vida de ganhar o Finals entregando a partida pro Goffin em 2017, se vencesse ainda pegaria o Dimitrov na final, que com certeza ia tremer. Agora já era, vai ser coadjuvante do GOAT legítimo mais uma vez.

    Responder
  8. Luiz Fernando

    Que coisa hein, o De Menor foi o melhor jogador desse torneio mas hj foi simplesmente atropelado. O italiano dominou as ações e venceu com todos os méritos. Acho q sequei o australiano kkk…

    Responder
  9. Paulo F.

    Errado, Chileno.
    Já novo demais, Rafael Nadal começou a impor derrotas no seu tradicionalíssimo freguesaço, como no Masters 1000 de Miami em 2004, que é disputado no piso duro.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Errado , puxa-saco de Fakes. Federer tem vantagem em todas as superfícies exceto o Saibro . Onde o tal goat também tem um 7 x 17 para o Espanhol. Pesquise antes de postar suas costumeiras me***s. Abs!

      Responder
  10. Leonardo Freitas

    Vendo alguns cometários do blog eu resolvi fazer uma pesquisa sobre esse trio que assombra o tênis desde a conquista do primeiro título do Federer em 2001 e relacionar com a primeira conquista do Nadal em 2004 e do Djokovic em 2006 e pesquei os números ate 2010 quando a disputa era apenas entre a dupla Fedal e o Djokovic o principal coadjuvante da dupla Fedal:

    Federer – 66 Títulos – 16 Slams – 5 Finals – 17 M1000 – 9 ATP 500 – 19 ATP 250 – 0 Ouro Olímpico – 285 Semanas de nº 1
    Nadal – 43 Títulos – 9 Slams – 0 Finals – 18 M1000 – 10 ATP 500 – 5 ATP 250 – 1 Ouro Olímpico – 75 Semanas de nº 1
    Djokovic – 18 Títulos – 1 Slam – 1 Finals – 5 M1000 – 6 ATP 500 – 5 ATP 250 – 0 Ouro Olímpico – 0 Semanas de nº 1

    Após essa pequena análise vimos que Federer realmente foi tenista da década passada com uma pequena mostra que o cetro ia ser passado para Nadal que com 24 anos tinha uma carreira consolidada como grande tenista e aparentemente Nadal seria o tenista dominante da próxima década em que o Federer possuía 29 anos e Djokovic e Murray não dava mostras de conseguirem rivalizar ate momento.
    Eis que chega o ano de 2011 e uma reviravolta inesperada acontece e o Djokovic enfim com seu currículo modesto bate de frente contra dupla Fedal e desbanca no ano número 1 do mundo e o tenista a ser batido e uma nova ordem se constituiu no tênis o que foi muito bom para nos amantes de tênis.
    Eis números após 2011 quando Djokovic entra na briga e deixa de ser coadjuvante de luxo:

    Federer – 37 Títulos – 4 Slams – 1 Finals – 11 M1000 – 15 ATP 500 – 6 ATP 250 – 0 Ouro Olímpico – 25 Semanas de nº 1
    Nadal – 41 Títulos – 10 Slams – 0 Finals – 17 M1000 – 10 ATP 500 – 4 ATP 250 – 0 Ouro Olímpico – 121 + … Semanas de nº 1 (atual número 1 contagem aberta)
    Djokovic – 59 Títulos – 15 Slams – 5 Finals – 29 M1000 – 7 ATP 500 – 3 ATP 250 – 0 Ouro Olímpico – 275 Semanas de nº 1

    Finalizando a pesquisa e claro que o sérvio e o tenista desta década tirando uma diferença brutal entre esses dois monstros e nem quis botar H2H pois todos sabem que ele lidera confrontos contra os dois rivais e fica inevitável dizer que o Nadal sempre teve que correr atrás antes do Federer e depois do Djokovic mostrando que os seus rivais se valem de ter mais recursos técnicos que ele e que ele e apenas perito no saibro onde a grande quantidade de torneios o ajuda a ter número expressivo de títulos e não e demérito nenhum e sim e um elogio ao Nadal que consegue defronta esses dois monstros na quadra dura,rápida e na grama onde e obvio que ele não tem mesmo domínio.
    Cada um tem o seu domínio e suas qualidades e isso engradece o tênis de um lado Djokovic tão completo com poucos pontos fracos e o por outro o Federer que tem o talento e a genialidade genuína e por fim o Nadal que diferente e antagônico aos dois foi genial em formular seu jeito de jogar único e um visionário em que mudou preparação física do tenista a elevando a um nível de superatleta e também mostrando que talento + trabalho + foco fazem um tenista ser um grande campeão e o mesmo digo do Djokovic embora ache ele melhor que o Nadal.
    Essa briga ainda vai ser muito boa!

    Abraços a todos do blog e um ate mais!

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Não, Bagrevice não é completo! Seu voleio é mediano. Seus slices e drops, uma b…. Seu smash é pior do que dos peladeiros de fds.

      Sobre o h2h, a diferença a favor de Novak é devido a falta de jogos entre o GOAT Roger e Djokovic e entre 2003 e 2008, período de grande fase do suíço e que Novak não estava presente devido a diferença de idade entre os dois. Roger venceria 80% dos jogos entre eles. Além do mais o que favorece o servio é a quantidade de jogos entre os dois depois de Roger fazer 33 anos em declínio físico.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        O rei do tênis Djokovic é o mais completo da história, não tendo nenhum buraco no seu jogo. Já o Frauderer tem uma esquerda de peladeiro, tem o mental de uma criança e é pífio no saibro. Além disso, é o rei das madeiradas e dos erros não-forçados.

        Responder
  11. Roger Fedeiros - O Canhoto!

    Wild ganha mais uma… Grande dia!
    Nadal joga o Finals… Grande dia!
    Federer sem lesão… Grande dia!
    Nadal número 1… Grande dia!
    Djokovic busca retomar número 1… Grande dia!

    Grande dia!… kkkkkkkkkkkkkkkkk!…. joinha!… kkkkkkkk

    Responder
  12. Luiz Fernando

    O De Menor esta uma mistura de Nadal com Federer nesse torneio, inacreditável o q ele esta fazendo na quadra, sinceramente não me lembro de vê-lo jogando nesse nível dos primeiros sets contra o Tiafoe, que no mínimo é um jogador muito perigoso p qualquer adversário. Será q vou secar o rapaz ou ele vence fácil 30?

    Responder
    1. Luiz Fernando

      O De Menor voltou a ser o de menor, com tudo minúsculo mesmo kkk. Pneu pro Tiafoe, que secada q eu dei nele. Acho q Djoko e Federer estarão espetaculares nesse Finals e q Rafa perderá todos os jogos, quem sabe não funciona kkkk…

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Somente como informação. Alex De Minaur aos 20 , já é TOP 18 com direito a 3 ATPs . Sendo que o de Atlanta 2019 venceu sem ter seu Serviço quebrado. Um verdadeiro discípulo do “ carne de pescoço “ Lleyton Hewitt. Hoje perdeu a final pra maior promessa que vi desde o Big 3 . O Italiano pra mim está à frente de Shapovalov, Aliassime e CIA . À conferir. Abs!

        Responder
  13. Luiz Fernando

    Rafa deveria ter um zíper com cadeado na boca. Essa declaração de hj, que se importa mais com a saude do q com o numero um, foi das mais incoerentes da sua carreira. Se se importasse com o fisico, não iria ao torneio, se não se importasse com o numero um, não arriscaria o fisico. Um jogador do seu porte, uma verdadeira lenda viva do esporte, não precisaria de declarações incoerentes e sem veracidade como essas…

    Responder
  14. Paulo F.

    kkkk
    Se tu não é puxa-saco do Federer e prefere o Djokovic como tenista, tu é “bajulador de fakes”
    Como são ridículos esses arrogantes torcedores do suíço.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ô Paulo Almeida 2,

      Deixar de ofender o suíço com apelidos significa “puxar o saco dele”?

      Você anda aí direto chamando o cara de BODE.

      Assuma o que você fez e toma vergonha nessa cara!

      Responder
  15. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo Almeida]
    7 de novembro de 2019 às 21:51

    “Eu sei que estou longe de ser santo, mas acha mesmo que chamar de freguês ou fraude como GOAT é o mesmo que chamar de bagre, lixo e ter habilidade de uma mula? Beleza”.

    Não sei nem porque estou te respondendo isso.

    Tenho plena certeza de que irei apenas gastar o meu latim em vão. Mas vamos lá:

    Para começar, chamar tenistas de grande currículo do passado recente que já foram número 1 e/ou campeões de vários torneios como: Roddick, Hewitt, etc de BAGRE OU LIXO, nem sequer deveria ser publicado.

    É ridículo.

    Você adota um papel incrivelmente ridículo ao fazer isso, ponto.

    Na mesma toada, chamar um cara com 103 títulos de simples e 20 de Grand Slams de fraude, nem se fala.

    Ainda que se admita que o Federer seja inferior ao Djoko ou ao Nadal (como você defende), nem assim ele seria fraude, ponto.

    Só que agora, eu vou simplificar ao máximo as coisas para você:

    Se realmente o Federer é uma fraude, e o Hewitt é LIXO ou BAGRE, o que o nosso Guga seria então?

    Um meio-lixo e um meio-bagre?

    (rs)

    Se você como brasileiro tivesse visto ele jogar e torcido, e vibrado com as conquistas dele, você o chamaria de bagre apenas para elevar o Djokovic?

    Porque eu posso amar o tênis do Federer, porém JAMAIS diminuirei o Guga ou outro grande tenista só por causa dele!

    Responder
  16. Ronildo

    Vou lançar o desafio então:

    Todo mundo sabe que quando o tenista vai sacar pressionado para confirmar o saque senão perde a partida É UMA ENORME VACILADA MENTAL PERDER o saque justamente neste momento.
    É justamente o momento que os tops aproveitam para fechar uma partida

    Alguém se lembra de alguma partida de melhor de 3 sets que Roger Federer perdeu quando estava sacando?

    Estou lançando este desafio para esfregar na cara de noletes que não tem vergonha de falarem tanta besteira que faz apenas alguns meses que Medvedev deixou o mental de Djokovic em frangalhos. Ele foi sacar para ficar vivo na partida em Cincinnati e perdeu de 0, ZERO, zero cambada! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Como falam besteira com essa coisa de mental forte de Djokovic!!!!

    Talvez, ele tenha conseguido fazer um pontinho naquele game e eu não esteja lembrado.

    Me digam, mintam para vocês mesmos, neguem que aquilo ali não foi domínio mental de Medvedev sobre Djokovic!

    (Eu mesmo não costumo usar estes termos de força mental ou superioridade mental. Acho muito mais apropriado procurar os motivos para entender porque o tenista sentiu mais ou menos pressão, estou apenas usando os termos comumentemente usados por alguns.)

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Se você mesmo não sabe do que está falando, fica difícil contra-argumentar. Depois que você revir a partida, verá que o sérvio não perdeu aquele game de zero e que, uma mísera partida, não é parâmetro para questionar o mental do GOAT.

      “Espertamente” o cidadão limitou a discussão a jogos de 3 sets, justamente para ignorar os dois 40-15 que o Fregueser teve contra o Djokovic em Slams, hahahaha! Mesmo assim, acredito que tenha perdido pelo menos umas 10 partidas sacando pra fechar em melhor de 3 na sua longa carreira de mais de 20 anos, o que não é nenhum demérito.

      Responder
    2. Jonas

      Cara, ser forte mentalmente não significa que o cara vai vencer TODOS os jogos. Também não significa que ele vai vencer o jogo sacando, ou não vai cometer algum vacilo.

      TODO tenista comete erros. O Djokovic perdeu do Tsitsipas de virada recentemente. Ele pode ter vacilado, ou simplesmente foi mérito do grego. Isso não muda nada.

      No geral, o Djokovic é reconhecido por ser um tenista muito forte mentalmente, quer você queira ou não.

      Só pra você saber, o fator mental é importantíssimo pra um tenista ingressar no top 100. Imagine então o quanto o tenista precisa ser forte ao jogar uma final de Slam ou defender um título, se manter como número 1.

      Djokovic, Federer e Nadal se destacam nesses pontos…estão acima dos demais tenistas. O Medvedev me parece ser um cara diferenciado no aspecto mental também.

      Responder
    3. Valmir

      Essas … freguesetes… alguém se lembra de uma partida de 3 sets que o Fregueser perdeu … tendo match points no saque ??
      Vamos ajudar a sua memória.

      Vou lembrar uma bem legal… ROMA 2014… contra o TEMÍVEL… Jeremy Chardy.
      Está certo que em Roma… Fregueser… não é lá essa coisas mesmo…. 4 finais perdidas.

      Se você quer se lembrar melhor… veja a lista das partidas onde ele perdeu após ter match points.. com certeza você vai se lembrar de várias outras.

      https://saqueevoleio.blogosfera.uol.com.br/2019/07/18/federer-24-jogos-com-match-points-perdidos-e-o-que-eles-significam/

      A título de comparação… Nadal perdeu somente OITO… e Djokovic míseras TRÊS… partidas após ter match points… NENHUMA em Grand Slams.
      Fregueser perdeu… VINTE E QUATRO… delas… em Grand Slams… só para o Djokovic foram TRÊS… por isso a Mirka nem quis ver os match points de Wimbledon 2019.
      Aí se vê a força mental de cada um deles.

      Responder
    1. Paulo Almeida

      Na verdade esse post era pra ter aparecido pro Renato/Vitor Hugo.

      Quis dizer que Djoko jogou mais e que, se tivessem a mesma idade e tivessem amadurecido ao mesmo tempo, o sérvio teria 10 vitórias a mais no h2h e o suíço uns 8 GS a menos. Em seguida, falei para ele dar uma olhada na surra que o jogador mais completo da história aplicou no freguês no Aussie 2016.

      Responder
  17. Maurício Luís *

    Uma pena o Gael Monfils não ter se classificado para o Finals. Ele tem o talento do Kyrgios, mas só que com a cabeça muito mais no lugar. Porém, como décimo do ranking, deve entrar como segundo alternate e talvez tenha uma chance… ainda mais que o Nadal não está inspirando um PINGO de confiança.
    E por falar em Nadal…
    *** Colunas Sociais – parte 2 – a visita da sogra ***
    Acredito que o Nadal teima em arriscar um agravamento da contusão no Finals porque a sogrinha querida veio pra visitar e resolveu ficar essas duas semanas. Daí ele pensou: ” Enquanto eu estiver em Londres, ela não vai ficar me fiscalizando. Qualquer coisa é melhor do que visita de sogra.”
    As más línguas contam que por ocasião da última visita, ele, querendo ser educado, despediu-se: ” – Até mais ver, insigne partinte !” E a sogrinha… ” – Até mais ver, insigne ficante ! ”
    WTA FINALS – Pra mim, o torneio feminino fechou o ano com chave de lata de sardinha. A australiana é esforçada, mereceu o troféu… mas não tem o visual de uma Sharapova ou o carisma da Serena. O jeito é esperar pelo ano que vem.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Acho que o talento do Monfils é bem inferior ao talento do Kyrgios…

      Menos potência com a direita, menos saque, muuuito menos toque.

      Só a movimentação do francês que é melhor…

      Responder
    2. alessandro sartori

      Monfils mesmo talento do Kyrgios ? kkkk…fazer o q com Monfils no Finals? se pega o big 3 todo mundo ja vai ssber o resultado, alias o Djokovic ja enfrentou ele umas 20 vezes sem ter perdido, outra coisa, o cara tods vids vive usando a raquete de muleta, principalmente qdo a vaca ta indo pro brejo…

      Responder
  18. Euro Oscar

    Olá, Dalcim.
    O T. S. Wild está jogando muito. Hoje ganhou de 6/2 e 6/1 do Federico Coria. No ranking virtual de hoje, 7/11/2019, ele já seria o 222 no ranking. Já está nas quartas do Challenger de Montevidéu. Tomara que continue evoluindo e galgando posições. Assim, dá gosto de torcer.

    Responder
  19. Rodrigo S. Cruz

    Minha avó nasceu em 1913.

    E faleceu em 1998.

    Era uma figura muito querida.

    Mas tinha um ar de superioriade e um gênio fortíssimo.

    E quando se irritava muito com alguém da família, soltava frases que eram simplesmente cômicas.

    Porém, houve uma que se tornou inesquecível:

    “Cada cachorro desta casa, agora quer levantar a pata e mijar em mim”.

    Quando eu vejo um Fake vir dizer que eu não manjo de tênis, mas ele sim, eu simplesmente lembro da minha avó.

    (rs)

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Você está falhando terrivelmente na sua tentativa de deixar de ser trouxa (segundo seu próprio critério), mas continue tentando!

      E obrigado pelos elogios!

      Responder
    2. Valmir

      Pegando um gancho do comentário da sua avó…
      … Era uma vez um cachorrinho de 3 pernas… foi mijar…. caiu….

      No Big 3 tem um cachorrinho de 3 pernas… a perna do saibro é manca…
      Perdeu 4 finais em MonteCarlo e Roma…. sem nunca ganhar por lá em 20 anos de carreira.
      Perdeu 4 finais de Roland Garros para um mesmo jogador… e precisou da ajuda de SANTO SODERLING… para ganhar uma lá.

      Um jogador de primeira linha que nunca chegou nem perto de ganhar o Grand Slam do saibro… é o cachorrinho de 3 pernas…. sempre cai.

      Responder
  20. Adriano Souza

    Vc pode dizer que tal Jogador é freguês de tal Jogador, depois que eles se enfrentarem pelo menos umas 10 vezes. Recado pra quem diz que o Djokovic é freguês do limitado e mimado Kyrgios

    Responder
      1. Viana

        Um dos aspectos de um tenista top é o psicológico!
        Todos sabemos dos predicados técnicos de Kyrgios, mas como a cabeça é de bagre…
        É uma limitação!

        Responder
  21. Fernando

    Sr Dalcim, gostaria de trabalhar com vcs, fazer parte da sua equipe e me dedicar exclusivamente a traduzir e redigir notícias da mídia russa, que são abundantes. Tanto sobre ATP, quanto WTA. É um trabalho que toma muito tempo, mas que pode tornar o site muito mais interessante para as pessoas lerem. Conheço muitos sites russos (são mais de 20), até mais do que Luigi Gatto, o editor italiano do Tennis World USA, de onde vcs costumam tirar as notícias traduzidas da mídia russa.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Se você for jornalista diplomado, por favor envie seu currículo para joni@tenisbrasil.com.br. Quanto ao Tennis World, está longe de ser um site totalmente confiável. Não é bem escrito, costuma misturar textos de informações distintas e aborda muitas matérias de forma sensacionalista. Os redatores de TenisBrasil são orientados a sempre procurar a fonte original das informações. Abs!

      Responder
      1. Fernando

        Obrigado pela atenção, Dalcim. Mas sou apenas bacharel em Direito e estou me preparando para segunda fase na OAB, a ser realizada em 1 dezembro. É verdade que Tennis World USA mistura fragmentos, mas não só isso, pois o editor italiano mente sobre as fontes de informações algumas vezes, como naquelas entrevistas do Kafelnikov e do Youzhny. Isso até porque frequento os sites que ele usa. Quanto à mistura de fragmentos que Luigi Gatto costuma fazer, sei os sites que ele consultou.

        Responder
  22. Sérgio Ribeiro

    Pra quem acredita que o Tênis iniciou apenas em 2008 , e somente apartir de 2011 é que surgiu um “ Goat “ , é óbvio que não saberiam que nem na época de Rod Laver e Ken Rosewall , rivalidades com alguém 5 , 6 anos mais velho , não aconteceram . Lendl 4 anos mais jovem que Borg , era considerado um garotão. A precocidade de Hewitt, não lhe permitiu uma grande rivalidade com Sampras e Agassi , apesar do retrospecto favorável ao Australiano. Graças a incrível logenvidade de Federer em altíssimo nível durante gerações, é que podemos ainda comentar jogos contra Rafa Nadal e Novak com 96 Winners. A precocidade do N 2 do Mundo aos 19 em 2005 , foi fora da curva , pois o Espanhol também está apresentando uma espantosa logenvidade, mesmo com uma série de lesões. Não tem como discutir que Novak demonstra uma supremacia física sobre os demais. Daí ser realmente possível que quebre alguns recordes de suma importância. O resto é papo furado de Fakes fanáticos. Abs!

    Responder
  23. Rubens Leme

    Dalcim, estava vendo ontem a Final do Masters de 1983 entre McEnroe x Lendl (Big Mac, 3×0) e não pude deixar de perceber que era jogado no extinto carpete e, principalmente, os gostos estranhos de Lendl para suas camisas, uma de suas características na parceria com a Adidas. A desta final nem é a mais estranha com seus losangos, mas a da semifinal de Wimbledon, de 1989, contra Boris Becker, com uns desenhos meio cubistas nas costas era a mais excêntrica, principalmente em um torneio qe exige o branco como cor única (ou quase totalmente).

    Outro aspecto interessante era a profunda inimizade entre as estrelas. McEnroe e Connors não se bicavam, ambos detestavam Lendl, que não suportava Becker, que era odiado por Agassi etc. As derrotas de Lendl em Wimbledon eram as piores, ele se contorcia internamente, especialmente quando perdeu as de 1986 (Becker) e 1987 (Pat Cash).

    Grandes tempos.

    https://www.youtube.com/watch?v=dhX0w4hWBrU

    Responder
    1. Miguel BsB

      Verdade Rubens. Eu era muito novo pra acompanhar o tênis dessa época, anos 80, mas já assisti e li muita coisa a respeito…
      Por isso, gostei demais de um programa recente na época do último USOpen que reuniu pra um grande bate papo Mcenroe, Wilander, Becker e Lendl…Se não assistiu, assista! Você encontra fácil no Youtube.

      Responder
    2. JAN DIAS

      Saudade das partidas entre Lendl e Becker… E por falar em camisas, Lendl tinha uma que meu pai adorava: com o desenho grande de uma águia no lado direito do peito..era maravilhosa..

      Responder
      1. Rubens Leme

        Essa que seu pai gostava era da Mizuno – https://www.worthpoint.com/worthopedia/vintage-mizuno-ivan-lendl-polo-shirt-271756255.

        Entre no google e escreva Adidas Ivan Lendl t-shirt e aparecerão todas. Ivan, o Terrível, nem de longe, era o meu tenista favorito, pelo contrário,, mas suas vestimentas tão espahafatosas contrastavam com a personalidade fechada e anitpática, em quadra.

        Muitas pessoas o achavam frio quando, na verdade, era muito temperamental. Neste vídeo em que Becker o derrota na semi de 1989, minutos antes do fim, reclama sem parar de uma marcação de bola pro juiz “ó Deus. já está difícil para mim e você dificulta ainda mais!”. Ao final do jogo, ficou encarando o juiz de cadeira, revoltado, como quem fosse pular no pescoço.

        Era uma fase maravilhosa com ele, Becker, Wilander, Edberg (os dois suecos também não se bicavam, mas era excepcionais tanto que levaram todos os Slams de 1988, com WIlander deixando escapar apenas Wimbledon), Agassi, Sampras e, claro, Borg, McEnroe, Connors e Vilas, numa fase anterior.

        PS: adorava essa cam pegando o movimento de saque, especialmente do Becker que era um míssil. Tentei, durante anos, imitá-lo, sem sucesso, após fracassar (novamente) imitando o saque do McEnroe. Pelo menos escolhi bem meus sacadores.

        Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Eu tive várias camisetas do Lendl, que era meu tenista favorito dessa época, mas preferi jogar com a Blue Star. Essa Adidas é uma Babolat disfarçada.

          2. Rubens Leme

            Lendl era o seu favorito desa época? Confesso não ter tido mais nenhum depois do trio Borg-McEnroe-Connors. Até hoje sou um espectador isento de preferências. O que detestava no Lendl era que parecia sempre estar com raiva, que já acordava dando bico no pé da cama, mas muitos contam que fora das quadras ele era bem mais leve e simpático.

            Uma vez o Cássio Motta deu uma entrevista e lembrou de um dia em que ele, o tcheco e McEnroe eram juvenis e fizeram uma viagem de carro para algum torneio e parece que se divertiram muito, especialmente com Ivan ao volante.

            Enfim, talvez seja por isso que não compreenda essa rixa infantil aqui dos comentários.

          3. José Nilton Dalcim

            Ah, tive alguns ídolos, Leme. Primeiro Borg, claro. Depois Lendl e aí o Sampras. Como se vê, estilos completamente distintos… rsrs…

        1. Miguel BsB

          O Becker dava aquela “reboladinha” engraçada antes do saque (que eu acho que era só mania, nao fazia diferença na eficiência biomecânica do saque), e boom! Boris Boom Boom Becker rs
          Na entrevista que mencionei acima, Lendl, conversando com Mac, diz que não achava o saque dele o melhor da época. Muitos sacavam mais forte, como Becker e ele próprio. Para ele, Big Mac era o melhor em seguir pra rede após o saque.
          Tb diz que o saque kick do Edberg na esquerda dele o causava muitaaass dificuldades…

          Responder
        2. JAN DIAS

          Muito legal você ter encontrado a camisa!..Obrigada.
          Eu concordo com você: o Lendl não dava um sorriso em quadra, mas usava as camisas mais loucas..kkk
          E, é claro, era um baita jogador..
          Meu preferido da época era o Becker com seus vôos rasantes pra pegar a bolinha..
          Também gostava do Willander.

          Valeu Rubens, um abraço.

          Responder
  24. Maria izabel

    Enfim,começou Londres!Já com Nadal contundido uma pena,tomara se recupere.
    Já os grupos bem difíceis, Djocko,Federer,Zverev etc.No outro Nadal,Thien, Tsisipas etc.
    Muito difíceis,.Sou Federista mas acho esse torneio da Basiléia uma bobagem,ok ele venceu o décimo. Me pego as vezes pensando que Federer quer saber é de recordes.Desperdício para seu grande talento,acho um Slan mais importante.
    Para mim,Djocko é o favorito está afiado.
    Quanto às contusões,acho absurdo insinuar que é migué, amarelão essas tolices.Ninguém quer ficar fora de nada,todos ganham muito por passarem de fases e principalmente ser campeões. Além de serem jogadores Top Three.
    Tenho Federer como meu preferido,mas desdenhar dos outros jamais! Que todos joguem com saúde, vencer por desistência é tão chato.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não sei a quanto tempo acompanhas o Esporte , caríssima Maria Izabel , mas o ATP 500 de Basel existe desde 1970 , portanto antes da criação do Ranking da ATP , de onde saiu o boleirinho que se transformou no Craque. O FINALS somente é menos importante que os SLAM. Daí ninguém dar Migué no milionário Torneio, que reúne os 8 melhores jogadores de toda a Temporada. Sua pontuação é condizente com sua dificuldade. Abs!

      Responder
  25. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]
    6 de novembro de 2019 às 20:05

    “Vive reclamando dos djokovistas que esculhambam o Federer.
    Mas ri de quem sempre avacalha o Nadal.
    Haja coerência!”

    Só pode ser piada uma comparação como essa, não?

    TODO MUNDO aqui sempre riu das postagens pra lá de criativas do Lógico:

    Nolistas, federistas e até uns poucos nadalistas.

    O cara é espirituoso e tem personalidade.

    De modo que o Nadal acaba sendo a ÚLTIMA PESSOA que a gente acha graça nas postagens dele.

    E diferente dos fakes que você puxa o saco, ele posta com bem menos frequência.

    Não vem diariamente aqui provocar a Deus e o mundo, e nem POLUIR o blog com as molecagens e desprezo.

    Mas continue aí fazendo MÉDIA com os Fakes.

    É um “nobre” trabalho esse teu…

    Responder
  26. Vitor Hugo

    Se Federer e Novak tivessem a mesma idade, Roger teria tranquilamente uma boa margem de vitórias sobre o oponente, certeza absoluta! Nenhum tenista na história jogou um tenista tão fantástico, completo e competente como o suico.

    Responder
    1. Paulo F.

      Quando Federer já encontrava-se no seu auge e Nadal ainda era um juvenil, o bode suíço já tomava calor de seu jovem pai espanhol até mesmo nos pisos duros.
      Vá, vá, vá….

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Agora eu te peguei no FLAGRA, caríssimo Paulo F.

        Tá vendo como em alguma situações, você consegue ser PIORES do que o Marquinhos?

        Repare agora:

        Revise o que ele acaba de escrever acima do teu post:

        Ele opinou que em idades iguais, o Federer seria mais vitorioso. Nada mais…

        Ele não ofendeu o Djoko agora, não o apelidou. Enfim… não fez nada de reprovável.

        E o qual foi a tua reação mesmo?

        Chamou o Federer de BODE, e disse que é um filhinho do Nadal…

        É aquilo que eu sempre bato na tecla aqui:

        Vocês são como um sujo falando de um mal-lavado!

        kkkkkk

        Responder
    2. Adriano Souza

      Quando o Federer ganha de varios jogadores mais novos que ele , ele é o genio
      Quando perde varias vezes pro Djokovic , é por causa da idade

      Parabéns pelo seu comentario !!

      Responder
  27. Vitor Hugo

    Prezados amigos e amigas,

    Eu sou um “mal necessário” pra trazer o equilíbrio necessário nos comentários do blog. Há algum tempo, o blog foi infestado por dois ou três fakes, multiplicados por sabe-se se lá quantos, que tem objetivo de causar discórdia, ” guerras”, e confrontos no blog de altíssimo nível. Infelizmente devem ser os mesmos fakes que atacam nas páginas de notícia, com xingamentos,falta de educação e desrespeito a opinião alheias. Apesar de pequena, grande parte dos torcedores de Novak são laranjas podres, gostam do tenista e não do esporte E são os que costumam agir aqui e lá. Precisam ser combatidos.

    Felizmente estarei aqui pra fazer o que tem que ser feito, ou seja, coloca-los no devido lugar. São café com leite para mim, assim como para os demais verdadeiros admiradores do esporte E, principalmente, para o GOAT e maior de todos, Roger Federer, admirado por mim e muitos, reconhecido por 90% dos admiradores, Dalcim, Sampras, Laver, Big Mac, Wawrinka, Roddick, Tony Nadal, Rafa Nadal, Kyrgios, Thiem, Tsipas, Ferrer, e tantos outros ex e atuais tenistas como o mais completo e melhor de todos.

    Estamos juntos! Abraço!

    Responder
    1. Jonas

      Agora eu ri, com respeito. Não preciso dizer q você é fake né? Se entregou. O que eu não entendo Renato/Marquinhos/Johnny é a dificuldade que tens em postar com o mesmo nome…mas entendo como fã o quanto a derrota pro Djoko em Wimbledon doeu em vocês. Pro cara sumir meses assim, não deve ter sido fácil. Aquela final jamais será esquecida ou superada por vocês.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        E quem é vc, Jonas, Heloísa, Maria Cecília?! Eu posto com o Nick que eu quiser e não é vc ou outro que vai dizer com que nome vou postar.

        Se eu sou Marquinhos, Renato ou outros, é vc que está dizendo.

        Responder
        1. Jonas

          Calma Renato, derrotas em final de Slam acontecem. Federer mesmo perdeu 3 finais em Wimbledon pro Djoko. Normal um fake sumir meses com vergonha ou dizer q vai sumir do blog e criar outro fake…

          Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        Errado. A de 2008 perdida para Nadal por 9 x 7 no Quinto , doeu mais. Afinal quebaria TODOS os recordes de WIMBLEDON que perduram até hoje. Essa última o Craque já era OCTA. Será que Novak vai conseguir ? Ser Penta em sequência o Sérvio jamais conseguirá … Abs!

        Responder
    2. Jean

      Ta “Serto” Marcos Renato…

      Você e o Almeida são os maus DESNECESSÁRIOS para esse blog, não importa pra que lado torçam, se bem que nem torcida isso pode ser chamado.
      Uma tiração de sarro aqui e outra ali tudo bem, mas faz tempo que isso ja avacalhou a qualidade dessa sessão de comentários. Metade deles são sempre a mesma coisa, não importa do que seja o assunto do post.

      Responder
    3. Luiz Fernando

      Eu não estou e jamais estarei junto com vc, acho q quem está junto são o Marquinhos, Renato, Johnny, Mauro, e provavelmente outros. Mas continue dando o bom exemplo, como na época da cirurgia de apendicite do Nadal que vc comemorou, como na época do título do Nadal do USO 2013 que vc empenhou a palavra que sairia do blog se acontecesse, palavras todos dizemos ou postamos, o que conta são as atitudes, que demonstram quem verdadeiramente somos e representamos…

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Grande abraço LF! Sua opinião é muito importante pra mim. Kkkkkkkkkk
        Vai passear, namorar(se vc gostar, claro), jogar bola, viajar….. O blog é sensacional, mas viver aqui faz mal.
        Abs

        Responder
  28. Luis

    23:00. Mansão dos Federer, Suíça.
    Depois de colocar os gêmeos para dormir, Roger Federer se dirige a sua cama, deita a cabeça no travesseiro e, de repente, surge em sua mente lembranças da última final de Wimbledon… 8/7 40-15… dois match-points…
    Afrontado por um terror e tristeza profundos o suíço fecha bem os olhos e repete como um mantra: o Djoko venceu, mas não convenceu… Na parte técnica ele foi dominado, o Djoko venceu, mas não convenceu… Na parte técnica ele foi dominado.
    Aos poucos ele vai se acalmando até, com um sorriso nos lábios, dormir o sono dos anjos…

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Não LUIS !!

      Pode ter certeza que na cabeça do FEDERER passa pensamentos nebulosos do tipo:

      “Queria tanto que NOVAK e NADAL tivessem nascido 10 anos depois para eu continuar reinando absoluto na geração “café com leite.”

      “PQP !!! Joguei como nunca e perdi como sempre.”

      Daqui alguns anos, quando NOVAK já tiver atingindo outro patamar na carreira, o foco da maioria da imprensa sobre a final de WB 2019 será outro. Vão lembrar da edição mais longa de Wimbledon e principalmente a oscilação, poder de reação e frieza do melhor e mais completo jogador contra o então melhor jogador da história. E para os novos torcedores do esporte será irrelevante quem fez mais winners e pontos no jogo, e sim quem levantou o “caneco” na partida mais longa de Wimbledon.

      Vou te dar um conselho de amigo, de brother, de quem não quer ver os outros sofrendo em vão. Esquece esse jogo !! Pare de se iludir com esse discurso que o FEDERER merecia vencer. Venceu quem teve mais culhões e é mais completo, Simples !! Não foi a primeira vez que o suíço perdeu após ter duplo match point

      Invés de ficar se lamentando com esse jogo, agradeça ao papai do céu pelo fato do NOVAK ainda ser um adolescente no pentacampeonato do FEDERER na grama sagrada entre 2003/2007.

      Espero ter ajudado !! Forte Abraço !!

      Responder
      1. Gildokson

        Esse papo de colhões é uma idiotice sem tamanho, não é isso que decide um jogo de tênis. Vocês beiram o ridículo!
        Federer errou naqueles dois matchpoints e pronto. No primeiro Djokovic devolveu o saque no pé, no segundo o suíço escolheu mal o golpe, ele foi mal nos tiebreaks também, nada disso tem haver com colhões. Conversinha besta essa de vocês querendo dizer que um multicampeão como o Federer perde algo por covardia. Se ele fosse covarde ja tinha se aposentado faz séculos, se fosse covarde não tinha botado a cara várias vezes em RG.
        Esse papinho d que ele tem q agradecer por Nole não estar no Pentacampeonato de Wimbledon também é ridículo. Se alguém leva desvantagem nessa cronologia da idade esse alguém é o suíço que esta aí botando a cara com menos pernas pra correr.

        Responder
    2. Paulo Almeida

      HAHAHAHAHAHAHA!!!

      Excelente!

      Só um fanático que não manja nada de tênis pra falar besteiras como “venceu, mas não convenceu” ou “jogou pra não perder”. Esta última só será possível no dia em que o esporte depender do tempo e do número de winners, kkkkkkkkkkkk.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Meu Deus!

        O Paulo Almerda disse que eu não manjo de tênis!

        Que catástrofe!

        Acho que vou entrar em depressão de tão preocupado!

        kkkkkk

        Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Verdade.

            Criatividade tem é você:

            Fregueser, Frauderer, Jagua, Fregueser, Frauderer, Jagua, Fregueser, Frauderer, Jagua, Fregueser, Frauderer, Jagua (…)

    3. Sérgio Ribeiro

      Sabe nada , caríssimo décimo segundo Luiz rs O número espantoso de bolas vencedoras , e os ENFS muito próximos, atestam que foi uma partida Épica. E que ninguém merecia perder. Esta foi a análise da equipe de Federer incluindo Mirka. Já venceu o 103 e confirmou presença em Tóquio 2019. Quem sabe o Sérvio não arruma a sua tão chorada medalha desta vez rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        E foi um LIXO de conquista mesmo!

        kkkkk

        Vitórias magras e miseráveis que classificaram a Itália na cagada, e mais uma cagada gigantesca do tal de Paolo Rossi, na final.

        Algo como um raio cair na tua cabeça. E depois nunca mais…

        Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        Errado. Os Italianos nem falavam com a Imprensa e passaram a primeira fase sem vencer uma única partida. O escandaloso pênalti de Gentile em Zico , não marcado , é que manchou a vitória da Azurra. O Mundo inteiro reconheceu , exceto o expert puxa saco de fakes, P. F. Abs!

        Responder
  29. Paulo Almeida

    Ronildo, você ficou sumido cerca de uma semana. E aí, tinha certeza de que o Djokovic perderia de novo pro Tsitsipas? Comemorou muito o PENTA do melhor tenista que já existiu? Rsrsrsrs.

    Vejo que voltou de bom humor pelo menos, falando novamente que o Fregueser voltará a ser número 1 depois do Australian Open, kkkkkkkkkkkkkkkkk.

    Responder
    1. Ronildo

      Infelizmente Paulo Almeida, neste master de Paris o Medvedev dormiu no ponto e perdeu na primeira partida. Isso foi o suficiente para Djokovic se libertar do controle mental que o Medvedev implantou nele em Cincinnati, na ocasião em que Djokovic ficou tão afetado mentalmente que perdeu a partida no próprio saque. Daí, diante de um Djokovic acreditando novamente em se jogo defensivo, sobrou até para o Tsitsipas. Mas achei que Tsitsipas jogou muito abaixo. Poderia estar gripado ou com outro mal estar físico. Se na semana anterior tinha vencido Djokovic, poderia ao menos dado algum sufoco em Paris.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Eu também posso falar que o Djoko dormiu no ponto na derrota pro Kohlschreiber, nas duas pro Agut, nas duas pro Medvedev e nessa última pro Tsitsipas. Também posso dizer que só perdeu pro Thiem por causa da várzea de RG, pro Nadal porque não teve tempo pra se recuperar do cansaço e pro Wawrinka porque jogou machucado. Viu como é fácil?

        Não, quem esteve gripado a semana inteira foi justamente o GOAT e mesmo assim foi campeão, ao contrário do ano passado. E o jogo tinha acontecido 3 semanas antes.

        Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Enquanto você insistir com essas babaquices de fregueser e frauderer , será apenas mais um fake. Vale lembrar que o Suíço quando atingiu o OCTACAMPEONATO em Wimbledon , o Sérvio já não era mais criança. Ele não participa dos ATP 500 na Grama ( rápida demais ) , mas participa em Tóquio rs Com isso o Suíço possui 19 Títulos nesta superfície contra apenas 6 do Sérvio. Imagine MASTERS 1000 em Queens ? Será que Novak apareceria ? rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Então vou deixar de ser fake quando parar com os apelidos? Bom saber, hein? Rsrsrsrs.

        Quando atingiu o “octa” com chave de challenger, o sérvio estava lesionado e abandonou o torneio.

        Freguesão, o único Wimbledon irretocável do Jagua foi o de 2012. Todos os outros são facilmente questionáveis. Abraço!

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Me diga em quais rodadas o Sérvio caiu cedo , ao longo desta belíssima tragetoria do Suíço na Grama Sagrada. Pesquise, não seja preguiçoso. Nesse grupinho de Whats comandado por você e pelo Chatonik é que não vai descobrir nada que preste. O Robson repetia essa ladainha sem parar ( os tais “ apelidos “ do Suíço) , caiu no ridículo e sumiu. Ninguém aguenta mais vocês 4 ( a Kombi está com pneu furado rs ) todo dia com essas babaquices. Vou morrer de rir assim que Novak encostar em Rafa Nadal . Tenho certeza que assistirei de camarote vocês voltarem pra onde não deviam nem ter saído. A puxação de saco entre vocês vai acabar no ato kkkkkkkkkk Abs!

          Responder
  30. Chileno

    Sorteio bacana, SE e somente SE o espanhol jogar mesmo. Se ele tiver que abandonar, aí os dois grupos vão ficar bem desparelhos, em que pese o desempenho não tão bom do touro nas hards indoor. Mas ele deve ser respeitado sempre, em qualquer piso. Resta saber se estará realmente recuperado. Porque fome desse título, ele obviamente tem. O maior caneco ausente de sua imensa galeria.

    Djoko é amplamente favorito ao caneco. Venceu com autoridade o Masters de Paris.

    Federer venceu jogando bem em Basel, e contra alguns adversários periogosos. O Thiem pode ser perigoso numa hard mais lenta.

    Acho que o maestro e o Medvedev correm por fora, o Nadal é incógnita e o Djoko é o amplo favorito. A conferir.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Na verdade eu fiquei DESANIMADO foi quando eu li hoje que o Nadal talvez tenha de mudar o movimento de saque se realmente jogar.

      Putz!

      Tá foda…

      Responder
      1. Leandro

        Também fiquei preocupado com isso, sou daqueles que gostam do tênis dos jogadores velhos que ainda sobrevivem nessa década das trevas do SporTV três da entressafra que não acaba….os jogadores velhos no seu tempo jogavam no SporTV um…vamos ver o que dá no finals entre velhos e crianças e…..,td no SporTV três geralmente

        Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tomara que sim, Valdir, mas nem acho que isso seja um objetivo concreto. Na verdade, é uma recompensa caso você chegue lá entre os melhores.

      Responder
  31. JAN DIAS

    Essas djokovetes não aprendem…ganharam W19 em 5 sets no sufoco c/ ajuda de um vacilo do craque e ainda querem decreta-lo morto no Finals… kkk

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Os caras têm um coração ruim mesmo.

      Só iriam parar de postar merda, se o suíço fosse campeão e batendo o sérvio pelo caminho.

      Enquanto algo do tipo não ocorrer a soberba impera…

      Responder
  32. Luiz Fernando

    A presença do Cotorro em Londres, tem dois significados claros: 1) muitos dólares p o bolso do meu querido colega; 2) a certeza q a participação de Rafa é uma incerteza…

    Responder
  33. Edi

    Dalcin,tô vendo atp final Next Gen e tô estranhando a quadra,ela tem as medidas normais, só não colocando as linhas de duplas?
    Parece mais cumprida,ou é o posicionamento da câmera?

    Responder
  34. Emerson

    Ola Dalcim. Eu acho que foi pior para Djokovic enfrentar Federer na fase de grupos do que Medvedev. Isso porque a pressao do mata-mata nao estara presente e portanto o fator mental deve pesar bem menos contra Federer, assim sendo ele tem muito mais bola pra derrotar Djokovic que o Medvedev

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O Federer sempre será um desafio muito maior para o Djokovic, do que é o Medvedev ou qualquer outro.

      Nem o Nadal constitui desafio do mesmo porte, em quadras de hard.

      Basta ver o retrospecto do sérvio contra o espanhol nessa superfície.

      É um arraso!

      Independente das provocações dos bobalhões Fakes de sempre, o Djokovic sabe que SEMPRE precisará do seu melhor tênis para vencer o suíço.

      E vice-versa, claro…

      Responder
  35. Alexandre

    Dalcim, bom dia!
    Na sua opinião, vc acha que existe alguma chance do touro miúra jogar o finals com o objetivo de não ir até o final do torneio e sim de tentar conseguir pelo menos 2 vitórias mesmo não estando 100%, e assim sendo fazer uma pressão para djokovic ser campeão se quiser retornar ao n°1?
    Abraços!…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, acho que o Nadal pensa na grande chance de enfim ganhar o torneio. Claro que a disputa pelo número 1 é importante (por mais que ele e Djoko digam que não), mas vejo isso até num plano secundário. Rafa deve estar frustrado, porque raramente chegou tão descansado ao Finals.

      Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      (rs)

      O protecionismo de vocês pelo Djokovic é uma coisa impressionante.

      Todo santo dia a Gleisi, a Mafalda, o “Varmir” e companhia LTDA desprezam e apelidam o Federer, e você não fala chongas!

      Mas basta aparecer o Marquinhos, de vez em quando, para contrapor e vocês chiam.

      Que piada… (rs)

      Responder
      1. Nando

        Ah Rodrigo, esse pessoal (pessoas e fakes) são assim…aí depois vêm dizer q “ama o esporte, ao invés de tenista”.
        Nesse caso deles aí é tipo o gato, q faz merda e enterra…um faz o papel do gato e o outro, das patas (enterrando as merdas “ditas”).

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Você ama o esporte tênis? Se amar, você tem que adorar tanto o jogo do Djokovic quanto o do Nadal. Do contrário, é só mais um que acha que só o estilo do Fregueser presta.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Mas é muita desfaçatez, hein?

            Uma coisa é você gostar do estilo do Djoko/ Nadal, ou você gostar do estilo Roger Federer de jogar.

            Outra coisa TOTALMENTE distinta é viver provocando todo mundo que não aprecia tenista A ou B, como você faz!

  36. Ronildo

    Posso estar enganado, mas acredito que Federer vai jogar pelo menos até 2021. Ele é rodeado de pessoas que o admiram. Todo mundo fica dizendo: “Cara, você tá jogando barbaridade, não para agora!”
    E do jeito que ele é perfeccionista, acredito que o grande sonho dele é ter 10 taças em Wimbledom. Ele deve ficar pensando: “Se Connors jogou depois dos 40, porque eu não posso?”

    E, se for o caso dele prolongar tanto assim a carreira, em algum momento ele vai liderar o ranking novamente!

    Portanto, todos vocês que defendem uma “verdade” que dependeu de apenas 1 ponto em 421 disputados na final de Wimbledom, torçam, rezem, praguejem, jejuem, comprem mais velas, bonecos vudus, porque suas estultícias poderào ficar expostas à qualquer momento. Mas poupem as galinhas pretas, as coitadas não podem pagar por seus fanatismos!

    Responder
    1. Jonas

      Acho bem possível ele jogar em altíssimo nível até 2021.

      Mas é curioso…bom lembrar que este mesmo jogador era tido por sua torcida como velho e acabado aos 29 anos, quando começou a perder seguidas vezes pro Djokovic. Hoje vemos que essa desculpa não passa de um choro sem fim da torcida do suíço.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        29 anos não é, nem nunca foi velhice.

        Mas muito mais estúpido do que dizer aquilo, é supor que um cara de 38 anos seja obrigado a ter o mesmo físico que tinha aos 29…

        Responder
      2. Chileno

        Cada vez que você vai comentar algo sobre esse assunto você tira um ano. Daqui 3 posts você vai dizer que “Torcedores do Federer afirmam que ele estava velho com 26 anos”. Ano que vem você vai estar comentando que “alguém falou” que o Federer era velho em 2005. Nunca vi alguém falar que o Federer estava velho com 29 anos.

        O que eu digo e insisto, é que ele estava velho em 2014, 2015 e 2016 (e leia-se obviamente, velho para enfrentar um monstro absurdo do calibre do Djokovic, na ponta dos cascos e no auge absoluto da forma técnica e física). E nem acho que isso deveria ser debatido constantemente aqui. O único motivo de ter surgido essa conversa idiota é a insistência em fazer parecer que o auge do Federer foi pouco espetacular, porque o Djokovic e o Nadal eram novos em 2006, 2007, etc.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          E aqui achando que SÓ eu havia notado isso, né?

          A Gleisi começou falando que diziam que ele era velho aos 33.

          Depois baixou para 32, 31, 30 e agora já está em 29.

          kkkkkkkkk

          Responder
          1. Jonas

            Não. Quem diz q Federer é velho são os fãs dele, não eu. Eu sempre digo aqui q aos 36 anos, o Federer estava jogando talvez o melhor tênis de sua carreira, quando venceu AO em cima do Nadal. Ou seja, tava velho coisa nenhuma, vocês chorões é que insistem nesse mimimi desde 2011.

          2. Chileno

            Jonas, vou repetir a dinâmica desse debate patético. Já te expliquei umas 3 ou 4 vezes.

            Primeiro, vem algum torcedor do Djokovic e diz que o Federer só tem mais títulos de Slam porque o Nadal e o Djokovic eram novos durante o auge do maestro. E ainda vem ter a pachorra de escrever isso, sendo que o Nadal era número 2 do mundo, bicampeão de RG e finalista de WB em 2006. Em 2007, tricampeonato de RG e novamente finalista de WB. Mas ele era ruim. Só jogava no saibro.

            É assim que começa esse papinho.

            Aí então, é que eu mesmo e acredito que outros colegas federistas perguntamos: “Tá… vamos fingir que o Nadal 2006 e 2007 e que o próprio Djokovic 2007 não eram bons. Vamos fingir também que todo o resto do circuito era café com leite… só pra debater sob essa ótica, ok? Ok. Então… mas e quando o Djokovic ganhou aquele caminhão de Slams de 2015 a 2016, por exemplo? O Federer não estava velho e o Nadal combalido?”. “Ah não… aí não conta. O Federer 2015 jogava igual em 2006.”.

            Se você quer reclamar com alguém, reclame de quem começa esse papinho improdutivo.

        2. Jonas

          Começaram com as desculpas em 2011 e obviamente o choro foi aumentando ao longo dos anos. Diziam que o suíço não era mais o mesmo, entre outras besteiras, sendo que o cara estava voando, 29 anos ainda com muita lenha pra queimar.

          Eu nunca falei aqui que Federer era velho em 2006, 2007…isso aí já é exagero.

          Responder
        3. Sérgio Ribeiro

          Boa , Chileno. Essa turminha da Kombi não posta nada que preste. O Tênis começou em 2008 e Federer era dado como Velho aos 29 kkkkkkkk Abs!

          Responder
          1. Jonas

            Por vocês gênio. Eu sempre fui contra isso, aliás o Federer ainda joga em altíssimo nível e o físico está em dia.

            Assistiu a final de Wimbledon? Pois é…jogou como nunca, correu demais e perdeu como sempre. Adivinha a desculpa…

        4. Paulo Almeida

          E o Nadal de 2017/2018/2019 não foi/está sendo um monstro? E o Federer não ganhou 5 dos 6 embates contra ele? Contra o gigante espanhol a desculpa de idade simplesmente é esquecida, pois não é necessária, rs.

          Djokovic de 2011 a 2016 e esse de julho de 2018 até os dias atuais venceria mais do que perderia de qualquer versão do suíço na história, pois se tornou um jogador melhor e mais completo do que ele. Simples assim.

          O tal “auge” de 2004 a 2007 foi possibilitado pelos “rivais” que ele tinha, exceto o Nadal no saibro. De 2008 pra cá ele foi coadjuvante no circuito, exceto em 2009 (lesão do Nadal) e em 2017/2018 (lesão do Djoko).

          Você nunca me verá dizendo que o Federer é bagre/lixo, como alguns da sua torcida fazem, mas pra mim é inferior aos dois arquirrivais pelos motivos citados e muitos outros.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            (…)”é inferior pelos motivos citados e muitos outros”.

            O tal dos muitos outros motivos, na verdade é um só motivo:

            O Federer é considerado o GOAT pela maioria dos experts, e o Nadal não…

            kkkk

          2. Ronildo

            Djokovic tem vencido mais o Federer ultimamente porque se defende melhor do que Nadal. Federer sempre teve dificuldades contra jogadores que correm muito e defendem praticamente tudo. Perdeu algumas partidas para Cãnas, algumas nos primeiros confrontos para Simon e Murray. As regras do tênis favorecem o jogo defensivo do Djokovic. Se fosse por pontos corridos, tendo uma meta e quem atingisse primeiro levasse, não sei se Djokovic teria algum slan na carreira.

          3. Chileno

            Você não ridiculariza o Federer? Hahahaha! Essa foi boa. Em 7 de 10 posts seus você chama o Federer de Frauderer, Fregueser e outras groselhas. Patético. Se você quer escrever groselha, escreva, mas ao menos assuma. Outra coisa… considerando que você escreve groselha sim sobre o Federer, você não pode reclamar que outros escrevam groselha sobre o Djokovic. Ou você não faz isso, e reclama com razão de quem faz, ou você faz, e fica na sua quando alguém fizer. É simples. Questão de coerência.

            Quem inventou “desculpa” foi você e a legião da “entressafra”. Vou repetir. Quem torce para o Federer não precisa inventar desculpa. Temos números. São 20 Slams, 310 semanas na liderança, 6 Finals, 8 Wimbledons. Quem inventou desculpa foi você, relativizando as conquistas do Federer para que sob alguns critérios arbitrariamente criados por você, o Djoko seja maior que o suíço. “Ah… mas 2006 não conta, o Djokovic e o Nadal eram novos”. Sendo que o Nadal era número 2 do mundo, campeão de Roland Garros e finalista de Wimbledon, por exemplo. Aí diante desse papo de que os outros dois Big 3 eram novos nesse período, te convidei a analisar com a mesma ótica os títulos do Djokovic em 2015 e 2016, contra um Nadal fraquíssimo, e um Federer que aguentava correr 2 sets e meio. Ambos com lesões em 2016. Aí magicamente pra você a idade deixa de ser relevante. Ela só é relevante quando você quer que seja relevante.

            Pra mim, todos esses títulos são enormes e devem ser sempre valorizados. Acho bacana ressaltar os títulos mais difíceis, mais brilhantes, mais suados, mas nunca com o intuito de invalidar ou diminuir os outros. Eu concordo com você que o Djokovic venceu mais Slams difíceis, sim. Mas eu não acho o Federer menos espetacular por isso. Aliás, pra mim um engrandece o outro sempre. O fato de aos 38 anos o maestro ter chegado na final de WB derrubando seu arquirrival na semi, e dando tanto trabalho pro número 1 do mundo em grande momento da carreira, numa batalha épica, é coisa pra se enaltecer. E o que você faz, é denegrir, invalidar.

        5. Paulo Almeida

          Eu sei que estou longe de ser santo, mas acha mesmo que chamar de freguês ou fraude como GOAT é o mesmo que chamar de bagre, lixo e ter habilidade de uma mula? Beleza.

          Nadal foi muito precoce, é uma exceção. Mesmo assim, em 2006 ele garantiu a segunda colocação no ranking “apenas” com os títulos no saibro e um vice em Wimbledon. Seus péssimos resultados no hard court não importavam, pois ninguém o ameaçava. Já o Djoko nem deve ser cogitado, já que só foi aparecer em Indian Wells de 2007.

          Sim, o espanhol esteve horrível durante a maior parte de 2015 (só foi melhorar a partir da gira asiática), mas Federer e Murray estavam nos cascos (não concordo com sua afirmação de que só aguentava correr durante dois sets e meio), fora o Wawrinka fazendo excelentes campanhas em todos os Slams. Enfim, o Djokovic nunca esteve batendo em bêbado naquele período. O mesmo vale para 2016, melhor ano da carreira do Murray, e ainda com Stan, Delpo e Nadal bem em muitos momentos (aquele jogo 7-5 e 7-6 em Roma foi épico). Já o Federer realmente esteve abaixo, EXCETO na Austrália, onde perdeu de forma categórica e antes da lesão no joelho.

          Responder
          1. Chileno

            Fraude? FRAUDE não é diminuir? Você ao menos sabe o que significa fraude? Freguês eu acho até passável.

            Eu também não acho que era fácil o circuito de 2015 e 2016. Meu objetivo não é diminuir os feitos do Djokovic. Eu sempre o achei espetacular, inclusive, quando ele era número 3 do mundo e vencia menos do que perdia nos embates contra os outros dois aliens.

            O que eu questiono é a sua ótica de achar que o circuito de 2015/2016 era complicadíssimo e o de 2006 era fraco. E sim, o Federer de 2015 corria 2 sets e meio e não tinha backhand. O Stan estava num dos melhores anos da carreira dele, mas pra quem acompanha a carreira dele, sabe que um bom ano do animal é jogar muito em 2 ou 3 torneios no ano. O Nadal teve o pior ano da carreira, disparado em 2015. Simplesmente irreconhecível.

            Então, eu não acho justas suas comparações. Os mesmos argumentos que você usa pra fazer parecer que o que o Federer faz era fácil, também podem ser usados para diminuir o que o Djokovic fez. Pra mim, ambos são lendas vivas do esporte, e ambos dominaram amplamente o circuito em seus auges.

          2. Paulo Almeida

            Continua dando rodeios e fugindo das minhas perguntas. Desconversou em relação ao Nadal e falou dos 20 Slams, 310 semanas e blá blá blá. Agora respondeu com outra pergunta. De qualquer forma, eu não sei o que é fraude não. Você me ensina?

            Você que está dizendo que era complicadíssimo. Complicadíssimo foi de 2011 a meados de 2014, enquanto em 2015/2016 foi “apenas” bem complicado, mas, para mim, acima do período 2003-2007 sem muita discussão. Mais uma falácia: eu vi e lembro bem como foi suado ganhar Wimbledon, US Open e até o AO 2016 a partir do terceiro set. E caso fosse verdade, o problema não seriam os 33/34 anos e sim um preparo físico não tão bom do suíço. Como assim ele não aguentava correr em 2 sets e meio em 2015 por causa da idade e aguentou correr em 5 sets durante 5 horas em 2019? Hahahaha, me poupe!

            Você até tenta ser imparcial em alguns momentos, mas na hora de tirar um 10, a paixão fala mais alto do que a razão.

    2. JAN DIAS

      Deus te ouça Ronildo! Mas acho que FEDERER não liga pro número 1 do ranking, mas pro recorde do CONNORS (que ele vai bater se Deus quiser!!).

      Responder
  37. Jonas

    É claro que Federer e Thiem podem se classificar, mas isso depende de uma queda de rendimento do Novak.

    Espero que ele mantenha o nível de atuação que alcançou em Paris…estando bem tecnicamente, acredito que só o Medvedev mesmo faça frente ao sérvio.

    Acredito que Fregueser/Djoko, Zverev/Medvedev se classificam.

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Sim, se Novak cair de rendimento o suíço tem chances, assim como o servio aproveitou a queda de rendimento de Federer pra vence-lo com mais regularidade.

      Responder
  38. Antonio Gabriel

    A grande dúvida nesse Finals é saber quais as condições fisicas reais do Nadal, ele em boas condições eu diria que ele, Djoko e Federer estarão nas semi finais com certeza.

    Responder
  39. Ronildo

    Eu acredito que Federer será campeão do Finals. Ele entrará bastante motivado, salvo algum problema físico, gripe ou algo do gênero. E vai bater Djokovic na final.

    Depois disto, poderá sair do AO como novo número 1.

    Sinto vergonha de pessoas debochadas cujo deboche recorrente ficou dependente de apenas 1 ponto no saque de Federer em Wimbledom 2019. A impossibilidade de entender a fragilidade de suas idéias defendidas diante deste fator é prova cabal de deficiência racional. Simples assim.

    Uma piada, uma brincadeira, um deboche isolado devido a algum evento, tudo bem. Mas quererem provar uma “verdade” que ficou dependente de apenas 1 ponto em em 421 disputados, é muita estupidez!

    Responder
      1. Paulo Almeida

        Na parte técnica ele fez jogadas geniais nos momentos cruciais do jogo. Já o Fregueser deu a tradicional madeirada pra encerrar o trivice.

        Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Ronildo, imagine um cenário aí que Federer venceu todos os jogos contra Djokovic e novamente se enfrentando na final de Wimbledon 2019, Federer precisava de só mais um, um mísero pontinho para continuar vencendo, mas o sérvio não lhe permitiu esse pontinho.
      Mas essa não é a realidade que conhecemos. O fato é que já são três finais consecutivas em Wimbledon que esse pontinho não vem, fora em outros torneios. US Open foram duas vezes seguidas também. Então, o motivo é bem maior que a simples temporada 2019.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Como assim um único pontinho que não vem em 3 finais?

        Nos outros dois Wimbledons, o Federer teve matchpoints duplos com saque?

        Mas essa de 2019, não tem nem o que discutir, cara…

        O Federer jogou melhor, vai… Admite.

        Apresentou mais volume, deu muito mais espetáculo, cravou mais winners, encaixou mais aces, e mesmo assim perdeu!

        Perdeu por jogar com menos eficiência os três tie-breaks.

        Nada além!

        Talvez tenha sido uma das vitórias menos merecidas da carreira do Djoko!

        Jogou não para ganhar, mas pra NÃO PERDER!

        Responder
        1. Luiz Fabriciano

          Não entendeste a metáfora do que escrevi. Todos sabemos que as três finais (Wimbledon) tiveram processos diferentes, porém, o mesmo resultado.
          Eu quis dizer que isso é recorrente no confronto deles. Acho que no tênis, quem joga melhor vence, especialmente em jogo bem longo.
          Federer teve momentos superiores e não há o que contestar, pois as parciais mostram isso. Dar mais espetáculo, também me abstenho de admitir, fazer mais pontos, infelizmente para o suíço, a regra do jogo não premia que mais os faz. E ninguém, do torcida contrária, comenta que Djokovic deixou escapar um 4×2 que lhe dava enorme vantagem, e talvez, evitasse o sofrimento que o próprio Federer admitiu sentir depois do jogo.
          Quanto ao merecimento da vitória, talvez, apenas Nadal de todos os imagináveis adversários do outro lado da rede, não se entregasse ao se posicionar para receber o saque no 40 x 15. Por isso, acho que o caneco foi de um merecimento especial.
          Grande abraço.

          Responder
      2. Ronildo

        Luiz Fabriciano você tem uma dificuldade imensa em entender o foco em meus comentários.

        Mas minha afirmação é simples: por causa de 1 ponto em 421 disputados dos quais Federer ficou em ligeira vantagem, pessoas desarrazoadas chamam Federer de Frauderer, querem provar que Djokovic tem outro patamar de força mental etc, etc. Porém, isso tudo soa como piração, fanatismo, ou mediocridade mental porque não tem robustez em números. O próprio confronto direto entre Djokovic e Federer é praticamente empatado. O discurso desta turma poderia ter algum valor se o confronto direto entre eles fosse tão dominante para o Djoko como é para Federer contra Stan Wravrinka, ou próximo disto!
        O mais incrível de tudo é que escondem o quão apavorados ficaram quando Federer com seu magnífico jogo chegou a ter dois match-points no saque na final de Wimbledom! Nesta hora eu tenho certeza absoluta que tinha gente completamente fora de si pelo simples fato que suas sandices estavam a apenas um ponto de serem expostas! Que alívio eles tiveram quando Federer não fechou! O que eu não daria para ter câmeras escondidas na sala de neguinho aqui do blog para serem filmados neste exato momento do match-point. Então toda vez que falassem as besteiras que costumam rotineiramente repetir, era só colocar a imagem desesperada deles deste momento. Acredito que isto os curaria também.

        Responder
        1. Luiz Fabriciano

          Ronildo, veja está enganado quanto a minha dificuldade em entender seus comentários. Entendo sim. A dificuldade existe na compreensão dos meus.
          Eu disse que, grande parte da zoação dos torcedores do sérvio em função dos 15 x 40 não se limita à esse evento isolado, mas sim, que mais uma vez o suíço não capitalizou a oportunidade, o que lhes permite gozar em função de um fato recorrente. Chama-lo de Frauderer também acho forçação de barra, mas que mentalmente o sérvio é superior, nem vamos discutir mais. E cá entre nós, duvido muito que você ou outro fanático diria que o confronto direto é praticamente empatado se fosse o inverso, haja vista que pregam isso sempre citando Roddick e Karlovic. A lógica diz que, por tamanha superioridade de Federer em todos os aspectos citados por você e outros, o confronto direto não deveria ser negativo ao sérvio.
          Achei engraçado você sugerir o desespero dos torcedores sérvios naquele momento e depois você mesmo admitir que gostaria de ter uma câmera captando o que sua imaginação produzia. Agora, aquela senhora que o mundo inteiro viu pela TV apontando o dedo em sinal de “um”, queria dizer exatamente o que? Desespero, alívio, sei lá. Certeza mesmo é que era torcedora do suíço.
          Finalizando, para esse processo de cura, deve-se criar uma clínica bem ampla, porque o número de doentes é bem maior do que se supõe a torcida de uma parte.

          Responder
    2. Paulo Almeida

      Não foi só Wimbledon não, são os últimos nove anos. De lá pra cá, 20×9 no h2h e 8×2 em Slam. Domínio absoluto do rei do tênis Djokovic.

      Responder
      1. Gildokson

        Brincadeiras a parte, tudo isso tem um motivo Paulo, vocês podem dizer q é choradeira. Mas é injusto da parte de vcs ñ reconhecerem q ja é muito mérito do Federer ainda esta disputando com Nadal e Djokovic num circuito q ficou afeição para eles, tendo 6 anos a mais nas costas e tendo q se adaptar ao tênis jogado hj. Vcs tem q admitir que se o Djokovic mete a cara numa final de Wimbledon la pra 2007,08,09 ele ia tomar pau. Coisa quase aconteceu agora em 2019 mesmo o Federer tendo 38 anos. É só você vê que em 2012 ele ganhou tranquilamente do Djokovic na semifinal.

        Responder
    3. Jonas

      Vocês se apegam muito ao fato do Fregueser ter tido match point neste jogo. Isso no tênis não quer dizer NADA.

      Esquecem que o Djokovic vinha dominando. Teve 4-2 no 5° set e deixou escapar. O sérvio deu várias viajadas nesse jogo.

      Mas em momentos de pressão, o Djokovic costuma ser superior aos rivais. Nada de novo…vemos isso acontecer em jogos do sérvio há ANOS.

      Responder
      1. Ronildo

        Isso é balela. Djokovic perdeu para Medvedev em Cincinnati este ano quando tava sacando. O tenista perder uma partida melhor de 3 sets no próprio saque é sinônimo de fragilidade mental.

        Responder
  40. Luis

    Engraçado, se eu fosse o dono do torneio, não conseguiria imaginar uma combinação melhor para vender ingressos. Vamos ter jogos incriveis, Federer e Djoko repetindo a final de wimbledom, Nadal e Medvedev repetindo a final do US open e provavelmente nas semis- finais Medvedev e Djoko (que deve ser uma partida incrível) e um Fedal para a alegria de todos. acabar o ano.
    Com o Nadal machucado nunca teria colocado ele, o Thiem Na mesma chave que ele para atrapalhar a festa, como tambem nunca teria colocado o Medvedev na chave do djoko e do federer.
    Acho que foi perfeito e espero que o Nadal consiga se aguentar para termos um final de ano de papai noel.

    Responder
  41. O LÓGICO

    Perguntas que permeiam o imaginário popular kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Quem matou Marielle?
    Quem matou o Toninho do PT?
    Quem matou o Celso Daniel?
    Quem mandou matar o MITO? kkkkkkkk
    Onde está o Queiroz?
    Onde está a canetinha azul?
    Quando o Almeidão terra planista vai parar de falar bobagens? kkkkkkkkk
    Quando o robozinho satânico das encruzilhadas do inferno vai ganhar um finals?

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Provável que embale e vença mais um challenger. Ganhou a confiança que faltava. Aconteceu com Bellucci depois que venceu seu primeiro challenger.

      Responder
  42. Nando

    Gostei do grupo do Federer…acho q dá pra passar em 1° do grupo, e possivelmente pegar o Zverev na semi.
    Espero q esteja bem preparado, pois se abdicou de jogar em Paris, o mínimo q se espera é ele estar em boas condições pra tentar o hepta aí.
    No outro grupo, pedreira hein.

    Responder
  43. Conrado

    Tomará que o Nadal consiga estar competitivo. Sabendo do seu grande histórico de lesões e o fato de seu corpo já ter sido muito avaliado pelos médicos, se não haveria alguma possibilidade de se fazer algum tratamento fisiológico específico para ele, visando reduzir estas lesões.

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Conrado,
      Segundo o Lógico, o Nadal já faz uso de açaí medicinal que minimiza lesões e gera resistência descomunal. Segundo consta, após contatos em Mallorca e por fim na Laver Cup, Federer também aprovou imediatamente o efeito esplêndido do preparado natural ante a maratona de 5h em Wimbledon-19, não tendo se cansado nem um cadinho. Assim, para ganhar um pouco de alegria, após o fatídico 40/15, o suíço aproveitou que estava aquecido e emendou ainda um partida de futebol em Londres de lateral-direito com os amigos da realeza.
      Por fim, o suíço espera agora jogar até os 45 anos.

      Responder
  44. Miguel BsB

    Incrivel como o Rafa sempre chega estropiado no fim de temporada. Mas vou torcer pra que chegue bem e competitivo e fature esse titulo que falta a ele.

    Responder
  45. Vitor Hugo

    Se a gente levar em conta que Novak teve o nome associado a máfia das apostas, responde processo no Rio de Janeiro, se envolveu com um guru charlatão, abraça árvores, apoia um criminoso no conselho dos jogadores, foi acusado de simular contusões e ainda faz imitações e dancinhas bregas, ridículas , quebra raquete e xinga pegadores de bola, além de jogar algo parecido com tênis( maratenis), podemos sim concluir que Novak é o tenista mais completo da história. Verdade ou mentira, o cara tá em todas. Adora aparecer. Páginas policiais, entretenimento, espiritualidade, dança, teatro… O cara é completo mesmo! Kkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Até que você apareceu rápido depois do penta do GOAT em Paris. Realmente nada vai superar o seu sumiço depois da terceira destruição do Frauderer em Wimbledon para o maior e melhor de todos os tempos. Na verdade ainda deve doer muito até hoje.

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          E daí que ele se entregou, Fabriciano?

          Você teria mesmo CORAGEM de afirmar que este Paulo Almeida seja melhor do que o Marquinhos?

          kkkkk

          Pois não passa de uma versão ao avesso, só que piorada!

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Calma meu caro, apenas disse que ele deu pista. Não disse nada dele ser melhor ou pior que ninguém. Não sou adepto à Lei de Talião não.

    2. Luiz Fabriciano

      Acrescente aí: o único a deter título em todos os Masters 1000, o único a ter h2h positivo contra o Fedal, o único a vencer 4 GS seguidos, o mais dominante da década atual, o único a vencer Federer 3 finais seguidas de Wimbledon, o único a vencer 7 finais seguidas de Nadal, incluindo GS e Masters 1000, o primeiro a chegar em US$ 100 milhões na carreira. Estou sem tempo agora de escrever mais e anote mais uma coisa: tudo escrito aqui é verdadeiro. Já tu, não podes assegurar o mesmo do que escreveste.

      Responder
  46. Paulo F.

    Eu achei que ficou ruim para Nadal – é o grupo mais parelho e ele, queira ou não, estará lesionado/em recuperação.
    Federer e Djokovic ficaram no mesmo grupo – mas e daí? Passarão sem sustos, só faltando descobrir, em seu confronto direto, quem será o primeiro e quem será o segundo. Simples assim.

    Responder
  47. Rodrigo S. Cruz

    Para alegria dos Bozos e Mafaldas que povoam o espaço (Fakes):

    Acho que Roger Federer entra com bastante pressão nesse Finals.

    Se não vejamos:

    Tem uma estreia dura contra Thiem que já o derrotou duas vezes esse ano.

    E sabe que se perder duas coisas ruins aconteceriam:

    1) ficaria com a incômoda pecha de mini-freguês do austríaco (5 x2).

    2) complicaria muito as suas chances de classificação, já que teria obrigatoriamente de vencer Djokovic e Berretini.

    E o primeiro, além de sempre dar o SANGUE todas as vezes que enfrenta o suíço, tem uma motivação extra para vencer: a briga pelo número 1 com o espanhol Rafael Nadal…

    Sem falar que o Federer pode ainda não ter se recuperado psicologicamente da duríssima derrota sofrida em Wimbledon.

    Palco em que jogou seu melhor tênis, foi superior ao sérvio em várias estatísticas, mas acabou perdendo chances áureas que lhe custaram o título…

    Responder
  48. Paulo Almeida

    Se eu pudesse escolher entre Thiem/Berrettini e Tsitsipas/Zverev, é claro que eu ficaria com a primeira opção, com todo respeito ao austríaco e ao italiano. Já entre Federer e Medvedev, tanto faz. Claro que não está nenhuma moleza que nem na maioria das vezes e todo cuidado é pouco, mas jogando do jeito que jogou na última semana, Djokovic ganha pelo menos dois jogos e vende caro uma eventual derrota.

    Responder
  49. Jeronimo Brito

    Em mais uma fantástica temporada de Rafa Nadal uma contusão talvez não lhe permita fechar o ano com chave de ouro (n1 e brigar pelo título em Londres)!
    Dalcim quem vc acha que tem mais chances de passar para a semi no grupo de Nadal?
    Abraços

    Responder
  50. Leandro

    Nenhum representante desta década das trevas do tênis onde apenas um jogador reinou e perdeu para alguns velhos…. tudo no SporTV três geralmente, e as crianças sem muita dificuldade já vão passando esses jogadores vergonhosos desse período fraco pós fedal.
    Melhor assim o finals com dois velhos, crianças e um da década da entressafra… Se bem que o Tim Tim heim…huhu

    Responder
  51. Rodrigo S. Cruz

    O Federer ficou no grupo da morte que conta com Dominic Thiem e Novak Djokovic.

    E o suíço perde no confronto direto para ambos, embora não de maneira elástica…

    Apesar disso tenho plena confiança de que pelo menos se classificar, eu acredito que ele vai.

    E digo grupo da morte porque até mesmo o Thiem já derrotou o Djokovic esse ano, num torneio importantíssimo:

    Roland Garros.

    Ou seja, não pode de modo algum ser descartado…

    Responder
  52. Vitor Hugo

    Vamos deixar as coisas claras.

    Maiores tenistas da história:
    1- Federer 2 – Nadal 3 – Laver 4 – Laver 5 – Sampras

    Mesclando homens e mulheres:
    1 – Federer 2 – Serena 3 – Navratilova 4 – Nadal 5 – Laver

    Maior e melhor jogo da história:
    Federer x Nadal, Wimbledon 2008.

    Maior rivalidade da história:
    Nadal x Federer. Por envolver os dois tenistas que tem pelo menos 90% dos admiradores e torcedores, mais mídia, mais dinheiro, os dois maiores, estilos antagônicos e maiores vencedores do esporte. Sem discussão!

    Tenistas mais completos tecnicamente da atual geração:
    1- Federer 2- Kyrgios 3 – Nadal 4 – Murray 5 – Fognini

    Tenistas com mais habilidade, talento e beleza de jogo:
    1- Federer 2 – Kyrgios 3 – Fognini 4 – Dimitrov 5 – Monfis

    Maior vencedor dos slam mais importantes( Wimbledon e u.s open:
    Federer com 13.

    Maior vencedor de títulos grandes( finals e slam):
    Federer com 26

    Maior vencedor do maior slam de todos( Wimbledon):
    Federer com 8.

    Roger, MAIOR e MELHOR DISPARADO da história.

    Campeão invicto do finals/19

    Meninas sem plágio, por favor!

    Abraços

    Responder
      1. Viana

        Isso é um caso claro de amor platônico!
        Esquece-se o tênis e o que vemos é um lunático tentando impor sua paixão, através de dados que o mesmo molda de acordo com sua paixonite inebriante!
        Tem hora que esse blog parece uma daquelas seitas…
        Se fosse Federer eu teria até medo de me aproximar de uma pessoa tão apaixonada assim…
        MAis tênis e menos fanatismo

        Responder
    1. Paulo Almeida

      Deve ter gastado uns 20 minutos pra escrever esse monte de asneiras, kkkkkk.

      Haja tempo livre para o menino que só comemorou três Slams do Frauderer e graças à lesão do GOAT Djokovic.

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      O fanatismo é tão grande na busca da auto-afirmação e para tirar uma personalidade da lista, coloca o nome de outro duas vezes.
      Muito parecido com outros que já visitam/visitaram esse blog. Pelo menos seu nome nos remete à algo culturalmente nobre.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Ele já se corrigiu.

        Havia pulado o Bjorn Borg.

        E fanatismo por fanatismo, esse Renato é um mero antagonista da palhaçada que vemos todo SANTO DIA aqui no blog fazerem com o Federer.

        E acerca da qual todos os nolistas (até os bons como você ) simplesmente fazem vista grossa…

        Responder
        1. Luiz Fabriciano

          le já se corrigiu.

          Havia pulado o Bjorn Borg.

          E fanatismo por fanatismo, esse Renato é um mero antagonista da palhaçada que vemos todo SANTO DIA aqui no blog fazerem com o Federer.

          E acerca da qual todos os nolistas (até os bons como você ) simplesmente fazem vista grossa…

          Vou te pedir calma de novo, kkk.
          Eu vi a tempo que ele se corrigiu, o que quis foi enfatizar os seus argumentos exclusivamente pessoais colocando-os como opiniões universais. E quanto à vista grossa, não faço, apenas me esforço ao máximo para analisar os fatos, como analista e não como torcedor, apesar de todos saberem da minha enorme torcida pelo sérvio. Meu histórico de participação no blog endossa meu comentário.
          Grande abraço para você e até os empolgantes embates na O2.

          Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *