Desafios e dúvidas para o Big 3 em Paris
Por José Nilton Dalcim
25 de outubro de 2019 às 19:51

Acostumado a ampla soberania nos Grand Slam e Masters 1000 da última década, o Big 4 sempre teve maior dificuldade de impedir as surpresas no piso sintético lento de Bercy. O Masters 1000 de Paris viu uma série de nomes diversificados chegarem ao título desde 2007, com David Nalbandian, Jo-Wilfried Tsonga e Robin Soderling, além de verdadeiras surpresas com as conquistas de David Ferrer, Jack Sock e Karen Khachanov, estes dois nas edições mais recentes.

Com quatro títulos e atual vice, Novak Djokovic tem é claro o favoritismo natural, ainda que venha de derrota em Xangai. O sorteio da chave lhe dá duas primeiras partidas muito tranquilas, provavelmente diante de Richard Gasquet e Diego Schwartzman, então um jogo mais perigoso, seja Stef Tsitsipas ou Roberto Bautista. Mas o que todo mundo aguarda é o possível reencontro com Daniil Medvedev, o homem que vem de seis finais consecutivas e duas vitórias em cima do número 1. O russo encara uma caminhada exigente, com John Isner, Dominic Thiem e David Goffin pela frente.

Rafa Nadal e Roger Federer ficaram do outro lado da chave, vendo oportunidade de recuperar o brilho em Bercy. Com uma única final no torneio, lá em 2007, existem também dúvidas sobre como estará o espanhol, que não joga desde o título no US Open e acaba de viver a emoção do casamento. Sua motivação é certamente vislumbrar o número 1 do ranking, que será seu de qualquer jeito na segunda-feira. O sorteio não foi de todo ruim, já que pode ter o contundido Stan Wawrinka ou o decadente Marin Cilic nas oitavas. Há muitos candidatos para as quartas: Matteo Berrettini, Khachanov, Andrey Rublev ou até Tsonga.

Assim como Nadal, Federer também não é exatamente um fã de Bercy. Desde o título isolado de 2011, ficou de fora por três vezes e atingiu mais duas semis, em ambas batido por Djoko, incluindo a excepcional partida do ano passado. Jogará neste sábado a semi da Basileia e aí devem vir mais duas barreiras: a diferença de velocidade de pisos e a sequência exigente, pois deve estrear na quarta-feira em Paris e aí terá de jogar todos os dias. Ainda assim, um novo ‘Fedal’ pinta no horizonte, já que o suíço tem uma sequência favorável (Gael Monfils ou Benoit Paire, Sascha Zverev ou Fabio Fognini).

Dá para apostar em alguma outra ameaça ao Big 3 que não seja Medvedev? Esta semana de ATPs 500 tem mostrado Thiem e Tsitsipas muito inconstantes, Bautista e Fognini se arrastando, Stan machucado e Zverev medroso. Pena que Andy Murray, à espera do nascimento do terceiro filho, não esteja lá.

Briga pelo Finais
Atração paralela em Paris é a luta pelas duas vagas ainda em aberto para o Finals de Londres. Nada menos que 10 candidatos se apresentam, mas o bom senso indica que Zverev, Berrettini e Bautista possuam as maiores chances. Se for campeão em Viena, Monfils crescerá e passará à frente do espanhol.

Atual campeão do Finals, Zverev corre risco porque tem uma estreia perigosa contra Verdasco ou Coric, depois Fognini ou Shapovalov e nas quartas Federer. O próprio Fognini está na briga, mas terá de ser finalista. A situação também não é fácil para Monfils, com estreia provável contra Paire e oitavas diante de Roger.

Berrettini ainda pode somar em Viena e vê outro caminho duro em Paris: Tsonga ou Rublev na estreia, depois Khachanov – só o título interessa ao russo –  e depois Nadal nas quartas.

Eliminado nesta sexta, Bautista se complicou. Aguarda De Minar ou Djere antes de eventual encontro com Tsitsipas e depois Djoko. É o setor onde está Dieguito, outro que vai precisar ir à final e isso quer dizer tirar Djoko nas oitavas.

Correm por fora ainda Goffin, que precisa no mínimo de semi; e Stan e Isner, que assim como Khachnov só chegarão a Londres erguendo o troféu.

E mais
– A expectativa é que caia a marca de Ferrer, que ganhou Bercy aos 30 anos, em 2012, e ainda é o campeão de maior idade.
– O Masters parisiense tem estádio principal para 15 mil espectadores, com quali no sábado e domingo e chave principal a partir das 7h de segunda-feira. A final está marcada para as 11 horas.
– Finals feminino começa neste domingo em Shenzhen com ingrediente especial: a campeã receberá o maior prêmio da história do tênis, entre US$ 4,7 mi (invicta) e US$ 4,1 (se perder 2 jogos). O torneio dá US$ 14 mi, muito acima dos US$ 9 mi do ATP Finals.
– O torneio larga na madrugada com o Grupo Vermelho: Osaka x Kvitova e Barty x Bencic. A chave Roxa ficou com Pliskova, Andreescu, Halep e a atual campeã Svitolina.
– Barty precisa apenas entrar em quadra nos três jogos classificatórios para se garantir como número 1 ao fim da temporada.

Ingressos gratuitos para Paris
Premiado com um lote farto de ingressos para Paris por ter ido a Roland Garros, o internauta André Queiroga decidiu ceder gratuitamente suas entradas para Paris-Bercy a quem tiver verdadeiras condições de ver os jogos na próxima semana. E escolheu o Blog para isso.

São quatro ingressos para a sessão diurna de segunda-feira (dia 28), três para a noturna (dia 28), dois para a diurna de terça (dia 29) e quarto para a noturna de terça (dia 29).

Quem estiver interessado e efetivamente puder usar essas entradas, deve enviar email para joni@tenisbrasil.com.br. Atenderemos pela ordem de chegada dos pedidos.


Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    E nas rapidíssimas de Cincy , Basel e Halle , 7 + 10 + 10 = 27 Títulos. E a ATP acha uma graça, 3 MASTERS 1000 no Saibro e Zero na Grama ( tinha que ser em Queen’s) . Quantos MASTERS 1000 teria o Craque Suíço? Na possível penúltima Temporada , 51 Vitórias e 4 Títulos( com Final e Semi de SLAM ). Isso tudo aos 38 anos. Parar porquê ? A cabeça não está legal depois de meter 96 Winners e não levar o Nono pra cima de Novak ? Kkkkkk Agora , fazer o que nesta lentidão de Paris ? Bora direto para o FINALS ( já voltou ao TOP 3 ) . E o SuperEstimado da galera que entende é o que mais venceu Torneios no ano , é por isso que aquele sabichão diz que se diverte muito por aqui rsrsrs Abs !

    Responder
  2. Maurício Luís *

    ” Nadal garante que número 1 não é mais prioridade “.
    Vamos à científica opinião do Sr. SPOK, oficial de Ciências da nave estelar Enterprise:
    ” Bem racional a declaração dele. Disse apenas a coisa LÓGICA, uma vez que prioridade de casado é lavar a louça, por o lixo pra fora, catar meia e cueca esparramada pelo quarto, abrir pote que a tampa tá dura, tirar roupa do varal… ”
    E ** AI ** do baloeiro pouca telha se não o fizer. A patroa Xisca já tá de rolo de macarrão na mâo!

    Responder
  3. Roger Fedeiros - O Sacador!

    “De Minaur é apenas um bom sacador, nada além disso”

    Seja da old ou da next geração, a verdade é que este senhor só confirma o que dele falam, ou seja, É MESTRE…

    … em ganhar desse tipo de jogador… KKKKKKKKKKKKKK… E com isto, inflar os recordes!… KKKKKKKKK… Agora é 10 Ralé e 10 Basi…co!… KKKKK KKKKK.

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    Como já esperado vitória fácil do craque.

    O ” Di Menor” simplesmente não tem bola para enfrentar esses grandes tenistas.

    E por essa razão, a correria é totalmente anulada…

    Porém, o Federer se manteve impecável esta semana, atropelando qualquer um que vinha pela frente.

    Como mostrou frente ao Tsitsipas…

    103 títulos de ATP para esse monstro.

    PS: Só tendo TRISSOMIA no cromossomo 21, para afirmar que um cheque de mais de 1 milhão de reais possa premiar títulos sem importância… (rs)

    Responder
  5. Luiz Fernando

    o De Menor é um jogador comum, segundo o próprio Dalcim em outro post só tem um bom serviço, que por sinal hj está inexistindo. Muito pouco pra enfrentar um jogador fenomenal numa quadra feita a caráter pro seu jogo. Federer atropelou no primeiro set e vai fazendo o mesmo no segundo, a bola do australiano é lenta, só uma contusão maluca pode impedir que vença.

    Responder
  6. Paulo F.

    Alex De Minaur, um jogador absolutamente comum, não entendo o alento que teve quando surgiu.
    Não tem ABSOLUTAMENTE NADA que possa incomodar Federer em mais uma conquista em sua cidade.

    Responder
  7. Ronildo

    Interessante o vídeo colocado no ar pelo Tênis Brasil mostrando Djokovic batendo bola com Nadal em Paris. O mais curioso pra mim é que Medvedev estava lá também! A evolução e consequente revolução liderada até agora por Medvedev tem deixado muitas pessoas desesperadas mundo afora, pois tinham como certo o domínio de Djokovic por mais 5 anos! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, nesta hora não posso deixar de usar este recurso muito usado pelo Lógico. É reconfortante ver a derrocada do discurso prepotente.
    Fico imaginando o horror que certas pessoas serão tomadas se no Finals Djokovic entrar num grupo tendo como outros participantes Medvedev, Tsitsipas e Berrettini. Seria também muito ruim para Nadal entrar num grupo assim, embora no momento pareça estar melhor preparado do que Djokovic para enfrentar estes caras. Já Federer tem como maiores ameaças o próprio Djokovic e Thiem, a meu ver.

    Mas de qualquer modo este Finals parece que será o mais disputado e imprevisível dos últimos 20 anos e todos o 8 participantes entrarão com chances reais de título. Não haverá meros figurantes como em anos anteriores. O ideal seria Federer descansar durante o torneio de Paris. Não consigo vilunsbrar Federer fazendo uma grande campanha neste master 1000 de Paris. Ele próprio achava que cairia antes da final na Basiléia.

    Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    Tá vendo como custa caro, Fognini?

    Nisso que dá você relaxar e perder de tenistas medíocres e sem expressão nos ATP’s 250 e 500 nas semanas anteriores.

    Por causa disso, você está praticamente fora do ATP Finals!

    Já que a chave de Paris ficou duríssima:

    Shapovalov na estréia, e se passar deve encarar o Zverev que dessa vez dificilmente vai vacilar.

    E se conseguir sobreviver a esses dois, terá Roger Federer pela frente.

    Ou seja, caixão e vela preta…

    Responder
  9. Angela B.

    PQP!! Nosaaaaaa…..que nervoso (emocionante) esse 1o set entre Kvitova e Osaka!!!!!!!!Hehehehe
    A Osaka venceu no tie break………….mas torcendo muuuuuuuuuito pela Kvitova no 2o set.
    Amo essa mulher de paixão! #GoKvitova ❤️❤️😍😍

    Responder
      1. Angela B.

        Puxaaaaaaaaa, que m*****que Osaka ganhou :(((((
        Gosto tanto da Kvitova ….Será que ainda posso ter eperança, Dalcim? Ela ainda tem chances de avançar?

        Responder
  10. João ando

    O Thiago Monteiro está na final …mas a grande esperança do Brasil São três João Menezes Tiago wild e Pedro Sakamoto…nessa ordem.dos três torço muito pelo Pedro parece ser o mais humilde

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É uma resposta complexa. Se você pensar em golpes, Djokovic joga com maior facilidade que Nadal. Mas se você pensar em capacidade de adaptação, Nadal fez coisas mais espetaculares que Djoko.

      Responder
  11. Paulo Almeida

    Olha o Frauderer ganhando mais um 500tinho pífio que não vale nada. Com certeza levará outro fumo do Nadal em Paris, sendo que já está 6×0 pro espanhol.

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Você só sabe repetir esta ladainha , informadissimo Paulo F. O Papai tem desvantagem nos confrontos em TODOS os Pisos menos o Saibro. O rapaz do “ grupinho “ ainda não sabe ? Nesta superfície o Sérvio também é um freguês de 7 x 17 para o Papai rsrsrs . Abs!

        Responder
    1. Nando

      103° título e contando…à 6 do recorde absoluto do Connors.
      O resto é choro e inveja de fake.
      Federer deu show a semana td…não só ganhou “por ganhar”.
      Quem viu o jogo hoje e ontem, sabem do q falo…tênis não é só bola “de um lado pro outro”, mas acho q vc não entende o q é isso.

      Responder
    2. Maurício Luís *

      Paulo, essa foi de doer. O que o suíço ganhou de premiação, SÓ NESTE TORNEIOzinho, já é mais do que a maioria dos brasileiros não consegue juntar durante uma vida inteira de trabalho!
      Fica chato desmerecer o esforço alheio sentado e dedilhando um teclado. Tem dó…

      Responder
  12. leonardo faria

    Acho que aconteceu comigo também. Recebi email sobre meu ingresso para Paris. Achei que meu cartão tinha sido clonado ou algo parecido, mas pelo visto ganhei ingresso por ter ido a RG esse ano.

    Responder
  13. Angela B.

    Dalcim, só uma pergunta: o finals das meninas será transmitido gratuitamente pelos streamings da WTA Tv e DAZN.. ou temos que pagar p/ assistir? Abs

    Responder
  14. Angela B.

    Uhhuuuu!! Que jogaço do Thiem e Berretini, hein Dalcim?
    Já a final antecipada entre Tsitsipas e Federer…só tô contando os minutos aqui :)))))

    Responder
      1. Angela B.

        sim, com certeza a torcida fez um papel importante e Thiem soube aproveitar.
        E qto aos próximos jogos, ainda bem que o fuso horário me ajudou dessa vez, Dalcim…Vou poder assistir as finais entre Domenic e Schwartzman e a do Federer c/ o De Minaur de madrugada ..e logo em seguida (graças a Zeus!!!) conseguirei dormir, descansar em paz…e só depois, à noitinha, terei a oportunidade RARA de assistir (sem orelhas..rsrs) o Finals das meninas…..que na minha humilde opinião, está imperdível – especialmente pela qualidade das tenistas e nível de competitividade entre elas.
        Ps- By the way, Dalcim, uma pena que as emissoras (de tv a cabo) no Brasil nunca deram a devida atenção aos torneios da WTA…..E especialmente agora!! Pois em muitos anos, nunca vi o circuito feminino tão emocionante como esse. Aqui em Oz, por exemplo, sempre transmitiram os principais torneios, inclusive na TV aberta…..
        Mas fazer o que, né? Isso é “Bra-zeeel” … Abs.

        Responder
        1. Angela B.

          Ooops…deu tilt..troquei as bolas kkk…As meninas jogarão agora a noite (aqui) e logo depois, será as finais dos meninos. —-Mas, anyway, tá tudo dentro da minha “zona de conforto” …já que acordei tarde nesse domingo :))))

          Responder
  15. HILARIO MUYLAERT DA SILVA LIMA

    Dalcim,
    Mas qual é a “lógica”, o sentido da ATP em utilizar essa sistemática para apurar a pontuação à cada segunda-feira ??
    Ora, se o ranking é semanal ( 52 semanas) não faz sentindo — no exemplo que expus —- que a semana findada em 04.11.2019 não seja computada para Novack.
    Não lhe parece lógico ??
    Por qual motivo a ATP aplica um sistema que pode apresentar distorção ??
    O objetivo de minha indagação é saber o porquê, e não apenas, saber que “é assim, porque é assim…..”

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Isso acontece desde que os dois torneios foram separados por uma semana, Lima. Os motivos da ATP são dois: o Finals começa no domingo, portanto não teria sentido soltar o ranking um dia depois. O mais relevante para eles no entanto é eliminar a questão de defesa de pontos e promover o Finals apenas como somatória, o que simplifica o entendimento do público e cria aquele clima de luta pelo número 1.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não é bem uma revanche, porque Federer venceu o grego na final de Dubai um pouco depois de Melbourne. Dou favoritismo para o suíço, que está aproveitando bem o piso veloz e muito mais descansado. Stef fez dois jogos bem duros.

      Responder
  16. Caio Cesar

    Boa noite, Dalcim.
    A grande questão que tenho em mente é a seguinte: será que o Djoko e o Nadal torceram pro Federer cair do seu lado da chave diante do grande momento do Medvedev???
    Eu chutaria que o Djoko sim e o Nadal não, e vc??
    Abraço!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, é bem provável que ambos tenham preferido evitar Medvedev em função das características de Paris. E Djoko ainda mais, pelo histórico recente.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Nos últimos cinco anos, Nadal levou ferro de Roger em hard veloz, lenta ou média, então não creio que o espanhol prefira Federer a Medvedev, Rafa nunca perdeu para o russo.

        Responder
  17. Fernando Augusto

    Dalcin, vc acredita que Federer conseguirá quebrar os últimos recordes de Jimmy Connors (número de partidas, número de vitórias e número de títulos)?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, eu acredito que ele conseguirá. Deve terminar 2019 com pouco mais de 50 vitórias e 60 partidas, é basicamente do que precisará em 2020 para isso. Os títulos claro são um pouco mais difíceis: 7. Isso se não ganhar mais 1 ou 2 ainda neste ano.

      Responder
  18. HILARIO MUYLAERT DA SILVA LIMA

    Caro Dalcim, favor esclarecer uma dúvida:
    Hoje, Novack tem 320 pontos acima de Nadal.
    Caso Nole seja campeão em Paris somará 400 pontos ( -600 + 1000 = 400 ).
    Adicionando-se aos 320 = 720 pontos. Então, mesmo Nadal sendo vice de Nole ( caso os 2 cheguem à final ), não ultrapassará Novack, pois ficará 120 pontos abaixo do sérvio.
    O texto acima parece deixar dúvidas, pois, diz “” Sua motivação é certamente vislumbrar o número 1 do ranking, que será seu de qualquer jeito na segunda-feira. “” —- referindo-se à Nadal.
    Ou, estou enganado ??

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Completamente. Como já expliquei anteriormente aqui e no TenisBrasil, a ATP sempre antecipa a retirada dos pontos do Finals junto com Paris. Portanto, Djokovic terá descontado também os 1.000 pontos do vice do ano passado em Londres. Abs!

      Responder
    1. PIETER

      Se eu fosse o Federer, me pouparia de ir à Paris para chegar ao Finals mais descansado e preparado. Até porque o lentíssimo piso de Bercy favorece bem mais os seus maiores adversários, e bem mais jovens, Nadal e Djokovic, além do perigosíssimo Medvedev. Suas chances, portanto, serão um tanto escassas em Paris, uma vez mais.

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        A ATP sempre antecipa a retirada dos pontos do Finals junto com Paris. Portanto, Djokovic terá descontado também os 1.000 pontos do vice do ano passado em Londres. Abs!

        Responder
    1. Ronildo

      Porquê este desespero?

      Djokovic não é o “Goat das Galáxias” e está em plena forma física com 32 anos? Número 1 da ATP?

      Ahh, esqueci! É que você estava acostumado a ver Djokovic fazer fama aproveitando-se de confrontos com um atleta 6 anos mais velho, atualmente com 38 anos!

      Eu te entendo.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        O GOAT Djokovic fez fama em cima dos seus rivais no auge. Bem diferente de fazer fama em cima de Roddick, Hewitt e outros bagres tenebrosos.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *