No seu melhor estilo, Murray enfim está de volta
Por José Nilton Dalcim
20 de outubro de 2019 às 22:07

Não foi apenas um título de redenção em cima de um adversário de gabarito indiscutível. Antes de tudo, veio uma conquista no autêntico estilo Andy Murray. Sofrida, suada, arrancada de dentro da alma. Compreensíveis portanto as lágrimas que caíram minutos após a virada em cima de Stan Wawrinka, numa final de ótimo nível e muitas emoções no tradicional ATP da Antuérpia.

Murray não disputava quatro partidas seguidas desde que fez o milagre de atingir as quartas de Wimbledon de dois anos atrás, no exato momento em que percebeu que não daria mais para continuar em quadra com tantas dores no quadril. Fez a primeira cirurgia, tentou a volta um ano depois, mas só jogou seis torneios de simples, arrastando-se várias vezes pela quadra. Quando começou 2019, perdeu na segunda rodada de Brisbane e decidiu em Melbourne que iria se aposentar em Wimbledon. Sugerida a prótese metálica, arriscou nova cirurgia e, cinco meses depois, fez um retorno de sucesso primeiro em duplas. Arriscou nas simples somente em Cincinnati, cauteloso mas com evolução progressiva desde então.

Na Antuérpia, Murray finalmente rompeu a barreira das quatro partidas e colecionou cinco vitórias, sendo quatro em dias sucessivos e as três últimas no terceiro set, apenas a segunda vez que isso aconteceu em seus 46 títulos. A final contra Wawrinka não poderia ser mais emblemática, porque o suíço também estava atrás de seu primeiro título desde as duas cirurgias que fez no joelho em agosto de 2017. Vê-los lutar em nível tão alto por 2h27 foi muito especial para quem admira o tênis.

Claro que o jogo teve altos e baixos. Stan foi muito ofensivo e parecia dono da situação até fazer 6/3 e 3/1. Apareceu então o magistral e conhecido espírito de luta do escocês. Reagiu, salvou dois break-points cruciais no 4/4, levou ao terceiro set e ficou sempre atrás do placar, tendo de recuperar quebras duas vezes seguidas. A recompensa se concretizou com ótimas devoluções que induziram o suíço ao erro no game final. Como já não bastasse o espetáculo técnico que propiciaram, os dois se sentaram lado a lado antes da cerimônia para uma animada conversa.

Ao levantar seu primeiro título desde Dubai, em fevereiro de 2017, quando era o número 1 e não o 243º deste domingo, Murray revelou nervosismo antes do jogo e surpresa com o resultado final. “Não esperava estar nesta posição outra vez. Antes da temporada asiática, avaliei a situação com meu time e afirmei que queria ser competitivo, não ser esmagado em quadra, dar trabalho aos meus adversários. Não pensava em ganhar de Stan ou (Matteo) Berrettini ou quase derrotar (Fabio) Fognini”.

Enquanto Stan voa para a Basileia e tentará em Paris um último esforço para tentar chegar ao Finals, Murray não sabe se arriscará um convite em Bercy. Nesta segunda-feira, ele será o 127º do ranking, a 114 pontos do top 100 e da vaga direta no Australian Open.

Nova geração brilha de novo
Mas o fim de semana também foi da garotada. Denis Shapovalov, que até então amargava sete derrotas em semifinais, superou o trauma e faturou Estocolmo, se tornando o 15º tenista a levantar o primeiro troféu da temporada, o oitavo entre os NextGen e o segundo mais jovem (20), atrás somente de Alex de Minaur (19). O canadense vinha bem até Miami, mas aí perdeu o rumo no saibro e na grama. Reconheceu ter feito calendário errado e que uma parada após Wimbledon se mostrou essencial para reencontrar o prazer de jogar. Elogiou ainda a parceria recente com Mikhail Youhzny.

Em caso, Andrey Rublev comemorou o 22º aniversário erguendo o troféu de Moscou, o segundo título depois de Umag-2017. Recuperado fisicamente e em grande ascensão outra vez, ele entrará no top 25 nesta segunda-feira após somar 19 vitórias nos últimos 25 jogos. E ficou emocionado, já que diz ter passado seus tempos de juvenil vendo o torneio e sonhando em ganhá-lo um dia. Nas seis participações anteriores, jamais tinha vencido uma vez sequer.

WTA Finals definido
Na chance derradeira, Belinda Bencic conseguiu vaga inédita para o WTA Finals, que será disputado dentro de sete dias em Shenzhen. A suíça precisava ir à final em Moscou, porém fez ainda melhor e levou o título, o quarto da carreira. Vale lembrar que a prodígio sofreu com lesões e começou este ano como 54ª, tendo alcançado a semi do US Open e vencido seis duelos contra adversárias top 5 em 2019.

Com a vaga de Bencic, o Finals feminino terá cinco participantes com até 25 anos (Ashleigh Barty, Naomi Osaka, Bianca Andreescu, Bencic e Elina Svitolina). A mais velha será Petra Kvitova, de 29, um a mais que Simona Halep e dois acima de Karolina Pliskova.

Nadal e Federer
Muita festa para Rafael Nadal, que após 14 anos se casou com a namorada de adolescência Maria Francisca Perello, a Xisca. Muitos esportistas foram ao casório, mas o destaque foi o antigo rei Juan Carlos I.

Na Basileia, onde estreia já nesta segunda-feira, Roger Federer revelou que não foi convidado, mas não demonstrou qualquer mágoa. Ele tenta o 10º troféu no ATP caseiro, algo que conquistou este ano também em Halle. A chave no entanto é dura, já que pode cruzar Wawrinka nas quartas e Stefanos Tsitsipas na semi. O cabeça 2 é Sascha Zverev.


Comentários
  1. Marcilio Aguiar

    A propósito dos comentários sobre a prótese do Murray, não sou médico e não tenho nenhuma condição de opinar sobre o assunto, mas me lembro muito bem, por ocasião da segunda cirurgia no joelho do Ronaldo fenômeno, ter assistido uma entrevista de um ortopedista brasileiro em um programa esportivo ter afirmado categoricamente que o Ronaldo jamais voltaria a jogar futebol. Tal médico que foi apresentado como um dos maiores especialista em cirurgias em joelhos no Brasil, não sei se por despeito ou por desconhecimento, na entrevista desdenhou da capacidade do cirurgião francês que operou o fenômeno, disse que nunca o tinha visto em congressos de medicina ou ouvido falar dele. O resultado foi demonstrado pelas realizações de Ronaldo após a cirurgia. Não quero com isso dizer que é semelhante à situação do Murray, mas que sempre haverá discordâncias entre os próprios médicos e temos que confiar na opinião de quem participou efetivamente do tratamento.

    Responder
  2. Nando

    Mestre, seria Berrettini a maior surpresa do ano? O cara nem era falado, nunca tinha sido citado como “nextgen promissor”…e está às portas de jogar o Finals. Ganhou 2 ATPs, 8 semis no ano (até agora, incluindo semi de Slam), entrou no top10…o q acha dele?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, uma das surpresas, Nando. Eu acompanhei boa parte de sua trajetória e o que mais me chamou a atenção foi que ele sempre foi um jogador de saibro, apesar de sua altura e ótimo saque. Conseguiu pouco a pouco ganhar confiança, jogou bem até na grama e agora está à vontade na quadra sintética. Por isso, merece mesmo ter chegado ao top 10. Claro que seu backhand ainda precisa de muito trabalho.

      Responder
  3. Roger Fedeiros - O Retorno!

    Euzinha estou na semifinal de um torneio quinta classe!

    E daí pangaré?… diriam alguns… grandes m…..!

    Daí que euzinha teve um AVC isquêmico, e após isso, em ato seguinte, também uma intervenção cirurgia no coração, há apenas 4 meses!

    Então, e apesar de também não ter sido convidado para o casamento do melhor ogro de todos os tempos…

    WOW! E clap clap para o Murray… e para euzinha também!

    Os dois acostumados a conquistas maiores do que um 250 ou um quinta classe, mas, sem dúvida, conquistas mais do que especiais e emocionantes.

    A Deus, meu total agradecimento por sair desta sem nenhuma sequela e poder continuar batendo na amarelinha.

    E também vibrar com meu indefectível kkkkkkkk… Viva a vida!

    Responder
  4. Paulo Almeida

    O jogo beneficente entre os dois melhores da história foi bem engraçado e com ótimas jogadas. Se não chegam a ser amigos, pelo menos se respeitam bastante.

    Responder
  5. Sérgio Ribeiro

    E na maior oportunidade de brigar para ir ao FINALS pela primeira vez já aos 32 , o talentoso Fognini perde na primeira rodada semana passada no ATP de Estocolmo por 6 x 1 , 6 x 1 , para o Semi -Aposentado Tipsarevic. Não satisfeito hoje perde em Sets diretos na Basiléia para Krajinovic. Pelo jeito vai ver novamente pela TV ao lado de Verdasco e Kyrgios . Novamente o h2h foi deixado de lado pelo SuperEstimado . Com 0 x 4 contra Verdasco, bateu o Espanhol e vai a Londres com grande folga. Zé Verev disputa com boa vantagem sua vaga com Berretini e Bautista Agut . Parece que o divertido L F vai vê-lo de novo na terra de Murray ,mesmo numa Temporada pra lá de irregular rsrsrs Abs! Ps Grande jogo entre STAN e Tiafoe . Infelizmente venceu o garoto mas está fora das Quartas . A idade chega mesmo pra Todos. Abs!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Special Exempt. É um tenista que estava determinado para jogar o quali, mas por estar na semifinal de um evento do mesmo porte no sábado, ganha direito a entrar no torneio. É o que aconteceu com o Krajonovic. Ele estava na semi de Estocolmo e não poderia jogar o quali de Basileia, aí pediu e recebeu o SE.

      Responder
  6. Luiz Fernando

    Kyrgios é um idiota, como dito por Ruud? Sem a menor dúvida! O cara deveria ter dito isso? Sem dúvida que não! Mereceu a resposta do australiano? Sem dúvida que sim! Mas a pergunta que não quer calar: pq Kyrgios fica provocando Nadal, logo ele q é um zé mané com letras minúsculas mesmo perto do espanhol? Pelo visto não falta apenas maturidade e profissionalismo ao australiano…

    Responder
  7. Luis

    Dalcim e’ interessante como Federer vai bem na Basiléia,Dalcim com queda do Federer depois de Wimbledon ficou meio esquecido recorde de títulos acha ainda possível em 2020?

    Responder
  8. Sandra

    Dalcim , porque essa turma de jogadores franceses não vão para frente ? Tem tantos bons jogadores e eles nunca baixam a guarda , já tem outros novos chegando !! O Guga colocou essa placa metálica , caso sim ele só menos parou com a dor. Não sou médica para falar , mas meu sentimento e de que quando a esmola é grande o santo desconfia !!! Rssss

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bem, depende do que você chama de ‘não ir para a frente’. Os franceses estão costumeiramente no top 10, no top 20… Não têm ganhando Slam, é verdade, mas no conjunto são uma escola muito forte, tanto no masculino como no feminino. Guga colocou a prótese metálica só agora.

      Responder
  9. Ronildo

    Dalcim, você não está achando impressionante a participação brasileira no challenger de Lima? Vitórias de Orlando Luz sobre Nagal e de Wild sobre Checchinato. Além de excelentes participações de outros brasileiros como Rafael Matos. Aliás, se Rafael Matos tivesse se concentrado apenas em simples talvez já estivesse entre os 150 melhores, afinal já tem 23 anos.

    Enfim, é impressionante como é verdadeiro o que o Federer costuma repetir: que o nível de tênis entre jogadores de ranking muito diferente é muito próximo. Inclusive, discordo de postagens que dizem que jogador venceu fácil quando aplica um 6-0 em outro. Fácil coisa nenhuma! O que o cara tem que ralar para construir um placar deste, é impressionante! No jogo contra o Albot o Federer teve que se safar pelo menos duas vezes no pouco que vi de break-points para fazer 6-0 no primeiro set. Infelizmente algumas pessoas que escrevem sobre tênis não conseguem traduzir a realidade da partida para o leitor.
    https://globoesporte.globo.com/tenis/noticia/federer-vence-com-facilidade-vai-as-quartas-e-segue-em-busca-do-10o-titulo-na-basileia.ghtml

    Responder
  10. Rubens Leme

    E outro link, em inglês, falando do envenenamento por cobalto. Não é mole não.

    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5259873/

    “After MoM hip resurfacing, higher cobalt and chromium concentrations in blood have been associated with structural changes in visual neurological pathways ([12] study of 29 patients, mean age 59 years). There are reports of metallosis following MoM hip implant failure, but little is known about the specific impacts of chromium and cobalt metallosis from these implants. Cobalt toxicity has been known to follow some arthroplasties since the 1970s [19].

    Neurological problems including changes in brain structure and function have been reported following MoM hip resurfacing and higher chromium/cobalt levels [12, 27]. To the best of our knowledge psychiatric symptoms following MoM implants have never previously been described. Herein we present an initial investigation into the neuropsychiatric and cognitive function of patients that had MoM hip implants and required subsequent revision surgery.”

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Será às 19h locais. Não vi ninguém anunciando a transmissão. TenisBrasil certamente procurará algo na internet e, se houver, colocaremos no ar. Abs

      Responder
  11. Luiz Fernando

    Assistindo a partida entre os magistrais Fritz e De Menor observei q o americano, grande sacador, na quadra rapidíssima da Basileia, deu… 2 aces no primeiro set, exatamente o mesmo numero do Menor kkk. Como Zé Verev não teve sorte hein, pegar um grande (1.93m) sacador logo de cara kkk. Sempre digo: aqui é diversão garantida…

    Responder
      1. Luiz Fernando

        Não é pangaré, mas é um craque? Acho q não, ou seja, um jogador com o nível do alemão deveria ter vencido um outro bem inferior a ele, ainda mais depois de derrotar ninguém menos do q Federer em Shanghai…

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          O Tênis NUNCA se sustentou nesta tua lógica de comentarista de resultados. O Guri deveria apurar, quem defendia o Título do ATP 500 de Los Cabos , agora em Agosto no México. Fábio Fognini e foi batido por 6 x 1, 7 x 5 por Taylor Fritz que fez a Final com Dieguito. A diversão garantida é o próprio que não conhece nada do Circuito rsrsrs Abs!

          Responder
  12. Luiz Fernando

    Esse Muster é um sem noção, Federer só está jogando neste momento pois o torneio é em sua cidade natal, Nadal e Djoko já são trintões e precisam ter um calendário mais enxuto, mas sempre haverá obviedades que nunca serão entendidas…

    Responder
  13. Luis

    Dalcim 2 perguntas o que achou do não convite pro Federer pro casamento do Nadal? E Kyrgios tem admiração pelo Federer mas por Nadal e Djokovic o Australiano não tem mesma simpatia?rsss

    Responder
  14. Rodrigues

    Dalcin

    Ha 10 dias atrás me submeti a uma operação de colocação de prótese no quadril. Ainda tenho muita dor e a recuperação prevista é de 4 a 6 meses.
    Antes da operação, conversando com o médico que me operou (também um tenista), tocamos no assunto da operação do Murray e ele disse a mesma coisa que o médico suiço afirmou. Disse também que esse tipo de cirurgia (ressurfacing) não é adotada no Brasil principalmente por ter prazo de validade muito curto e de trazer sérias complicações no futuro.
    Se alguém estiver com problema no quadril, recomendo procurar Dr. Marcelo Queiroz, em seu consultório ou no Hospital Samaritano.

    Responder
      1. Rodrigues

        Dalcim

        Minha prótese é de cerâmica, titânio e aço cirúrgico.
        Voce deve ter visto as fotos da operação do Murray (estão no google). A primeira é parecida com a minha. Só que no meu caso , ela foi fixada no quadril com dois parafusos , foi cortado um pedaço do osso femural e colocado uma aste de uns 20 cm.
        A segunda operação do Murray foi do outro lado do quadril, onde foi colocado duas placas de cobalto na intersecção do femur com o quadril. Essa é que é perigosa e não recomendada, pois a fricção das duas chapas libera cobalto no sangue e pode envenenar , além do que, segundo o médico que me operou, é de curta duração

        Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Precisa investir mais no backhand, mas no geral me parece um tenista com muitos predicados e futuro certo. Alto, saca bem, não tem medo de ir à rede, base sólida. Claro que também terá de ficar mais forte na parte muscular.

      Responder
  15. Barocos

    Uma das coisas mais interessantes ao observar a evolução do ser humano, bem, para alguns é tão somente a passagem dos anos, é acompanhar a mudança de perspectivas que o tempo nos impõe: no começo, parece que o céu é o limite; a fase ufanista se encerra com o choque de realidade; por fim, vem a aceitação e até um certo orgulho caso se consiga realizar alguma coisa especial.

    Vamos pegar como exemplo o Zverev. Pouco antes de mais uma eliminação precoce, o mancebo declarou que não queria ganhar os grandes torneios apenas porquê os membros do Big 3 (que para mim deveria ser Big 4, pois o Murray também é extraordinário) se aposentaram, queria fazê-lo enquanto estes estivessem em PLENA FORMA. Ora, vejam só, parece incrível que o simplório acredite mesmo que Federer beirando os 38, Nadal com 33 e Djokovic com 32, e após anos de intensas e extenuantes atividades físicas e lesões decorrentes destas, possam apresentar rendimentos próximos aos que possuiam quando no ápice de suas carreiras. Me parece que o rapaz ainda está na fase 1. Ganhou o Finals do ano passado muito provavelmente porquê tanto Federer quanto Djokovic chegaram no torneio já bastante desgastados. Se seu intelecto permitir, ficará orgulhoso do que conseguiu quando a fase 3 de sua vida chegar. No nível do Big 4 ele não está e duvido muito que atingirá.

    Para quem gosta de tênis, procurem no youtube vídeos antigos do Nadal, Djokovic, Federer e Murray. Estes “senhores”, quando no máximo de suas formas, eram quase inumanos.

    Responder
    1. lEvI sIlvA

      Barocos, creio que Zverev ainda não entendeu… Ele é APENAS mais um dentre os novos que se destacaram. Ter vitórias contra o Big 3 é algo mais, um diferencial, mas no geral é pouco. Veja só, será que um tenista quer ser lembrado por isso, apenas? O alemão deveria se concentrar no fato de que, se Federer, Nadal e Djokovic se aposentassem hoje, ainda assim, ele teria fortíssima concorrência entre os de sua própria geração de tenistas.

      Responder
  16. Ronildo

    SIMM!

    Somos um país de 3° mundo, em corpo, alma e espírito!

    Neste blog faz uns 30 anos que se comenta tudo sobre o tênis de alto nível. Coisas que acontecem fora das quadras também.
    Na Europa, alguém, frente às câmeras, pode perguntar para um personagem midiático sobre o fato dele não ter ido à festa de casamento de um suposto amigo, igualmente midiático.
    No Brasil, se pessoas se dispuserem a conversar sobre o mesmo assunto, uns ficam nervosos, outros acusam que tal pessoa está dando pit, outros dizem que tal pessoa parece transtornada, brigando, outros dizem que não aguentam mais e vão deixar de ler o blog por um tempo! Mas o assunto é sobre os mesmos personagens de quem se fala a 20 anos aqui! (O comentário mais incrível e revelador foi o que chamou meu comentário sobre tal assunto de textão!!!! Putz! Se um comentário assim é textão para ele, isso pode significar que tal pessoa nunca leu nem jamais lerá um livro, que lhe pareceria algo infinito!)

    Mas enfim, isto significa basicamente o seguinte, figurativamente falando:

    “Quando as galinhas do celeiro do 1°Mundo recebem um grão de milho, elas entram em acordo e decidem plantar tal semente para terem um milharal; enquanto conjuntamente fazem o sacrifício de continuar a ciscar para achar bichos.
    Já as galinhas do celeiro do 3° Mundo, ao verem o grão de milho, brigam entre si, acusam-se, dizem serem superiores e mais merecedoras do grão de milho do que suas colegas, umas morrem na guerra, outras ficam permanentemente ressentidas, deprimidas; e a que conseguiu engolir o grão antes das outras não tem praticamente nenhum benefício duradouro à mais. Mas todas elas acham que são excelentes galinhas. Nem mesmo o fato delas saberem que as galinhas do 1° Mundo fizeram um milharal com o grão de milho que causou guerra entra elas as fazem mudar de atitude!”

    A ESPERANÇA : Nem todas as galinhas do 3° Mundo agem da forma característica representada.

    Responder
  17. Paulo Almeida

    No ano passado, a mesma ATP fez uma charge com o Djokovic fincando a bandeira da sérvia no topo de uma montanha e os rivais logo abaixo. Não vi nada demais na pequena brincadeira. De fato só bobo sangra com isso ou com a história do casamento.

    A única coisa curiosa foi ver o Fregueser dando risada depois do 40-15 de Wimbledon e dos resultados pífios do segundo semestre até agora. Fora que deve perder a terceira colocação já já.

    Responder
  18. Rodrigo S. Cruz

    Apenas o tempo dirá se é um risco, mas lamento pelo Murray.

    Alguns especialistas dizem que ele jogar com essa prótese metálica pode causar envenenamento sanguíneo por cobalto…

    É provável que deva haver divergência entre as opiniões médicas, mas isso não deixa de ser preocupante.

    O que ficou provado é que o britânico tem mesmo muito coração, e vontade de seguir competindo…

    Responder
  19. Rubens Leme

    Neguinho brigando pelo casamento do espanhol e eu fiquei pensando se alguém da minha família e/ou amigos iria lamentar minha morte, agora pouco (aqui eu sei que não), já que enquanto eu ensaiava Ode à Alegria, do Beethoven, dois loucos armados entraram na universidade, atirando. Tiveram que lacrar os prédios e a chamar à polícia.

    Fiquei pensando na cena, na passagem mais difícil, felicíssimo por finalmente ter acertado as notas e “acabar premiado” com um tiro na cabeça. Ian Anderson teria que procurar outro para ajudá-lo na próxima tour do Jethro.

    Responder
    1. Ronildo

      Brigando?!!!!? Kkkkk

      Se houver gente nervosa, chateada, brigando por isso à 5 mil quilômetros de distância do evento, certamente seria uma atitude mil vezes pior, e temerária até, do que o fato e Nadal não ter convidado Federer para casamento, situação, inclusive, que foi motivo de pergunta e resposta em coletiva, tal a estranheza da parte de alguns.

      Responder
    2. lEvI sIlvA

      Leme, essa vai pra você!
      Brave (1994)
      Marbles (2004)
      Sounds That Can’t Be Made (2012)

      Depois de conferir, caso ainda não os conheça, poderá se surpreender!

      Responder
  20. Ronildo

    É preocupante a manifestação do médico sobre o Murray. Se o osso natural se desgastou, porquê acreditar que algo artificial vai segurar toda a pressão que os movimentos atléticos demandam? Eu pararia imediatamente a carreira em prol de uma certeza de vida com mais qualidade. Guga reclama muito de dores, seria interessante alguém perguntar para ele se pararia se estivesse no lugar de Murray.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, acredito que Murray tenha uma junta médica muito competente tratando dele. Claro que a prótese metálica é algo recente, portanto pode mesmo haver problemas futuros. Mas me pareceu um pouco alarmista demais.

      Responder
      1. Marcos Pontes

        Penso a mesma coisa.
        Murray deve ter uma fortuna de uns 300 milhões, não iria se tratar com nenhum Zé Ninguém, deve ser uma equipe competentíssima, evidentemente que como medicina não é uma ciência exata erros podem acontecer, porém creio que ele deva ter sido muito bem assessorado.

        Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, mas é um ortopedista dando sua visão. Murray certamente tem uma equipe médica competente tratando dele. A prótese metálica no quadril em atletas de alto rendimento é algo novo, portanto acredito que todo mundo deva estar monitorando o caso.

      Responder
  21. Luis

    Rapazz, ver um marmanjo #chateado e escrevendo um textão porque um macho deixou de convidar outro macho pro seu casamento é demais pra mim..
    “PUTA FALTA DE SACANAGEM MEUUU!! VOU XINGAR MUITO NO BLOG DO DALCIM!!
    KKKKKKKKKKKKKK desculpa, Mestre, mas depois do que li hoje vou ter dar um tempo longe do seu blog.
    Uma sugestão: colocar aquelas caixinhas “sou maior de 18” pra marcar antes do publicar o comentário!
    ABS

    Responder
    1. Ronildo

      Aproveite este tempo para fazer curso de interpretação de texto. Assim você aprenderá a não imputar sentimentos e sentidos inexistentes no que lê.

      Responder
  22. Luiz Fernando

    Hj tivemos duas matérias “estranhas” no site: 1) um ortopedista só faltou chamar Murray e sua equipe medica de insanos. Um cara com o potencial financeiro do escocês só pode ter consultado profissionais de extremo gabarito, prova disso é ele ter voltado a jogar em alto nível após duas cirurgias de quadril. Essa afirmação me parece muito mais sensacionalismo do q ciência médica; 2) o tópico de torcedores do Djoko irritados c a caricatura da ATP beira o ridículo, até pq se alguém está em primeiro no ranking e vai p segundo, em especial depois de arriscar jogar em Tóquio sem plenas condições para manter o numero um, só pode estar de mal humor quando perde a posição, ou será q alguém normal acharia isso legal?

    Responder
    1. Nando

      Li oz comentários da notícia sobre a “irritação dos fãs” do cotonete por causa da caricatura…e te digo uma coisa:
      É mta falta do q fazer desse pessoal, eles parecem adolescentes, tipo aquelas q eram fãs das boybands dos anos 90. Tds marmajos, velhos, e nos comentários falando em “complô”, “anti-novak”…pelo amor de Deus né?
      Pessoal “não cresce”.

      Responder
  23. Luiz Fernando

    Zé Verev perdeu do magistral Fritz, esse de fato é magistral kkk. O alemão é mais um exemplo de talento inequívoco desperdiçado, até mais do q Kyrgios, pois já venceu um grande evento, o Finals, batendo nada mais do q Federer e Djoko na sequência. Vamos ver até quando o cara vai permanecer assombrado pelos próprios fantasmas…

    Responder
    1. lEvI sIlvA

      Luiz, Zverev está numa sinuca de bico neste final de temporada/ano. É quase impossível que ele ganhe o Finals esse ano, e vai perder mais 1000 pontos por conta disso. Não quero ser do contra, mas corre o risco de ir ao Finals e sequer passar da fase de grupos…!

      Responder
        1. lEvI sIlvA

          Rodrigo, creio que sejam apenas 1.300 pts. Zverev perdeu de Djokovic na fase de grupos ano passado, apesar de ter ganho na Final. Ou seja, pra levar os 1.500 ele teria de ter ganho o Finals invicto, algo que não ocorreu.

          Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Assistiu o jogo , caríssimo comentarista ? Em quadra rapidíssima como na Basileia , as portas se abrem para grandes Sacadores. Deveria saber quem é Taylor Fritz que venceu 4 TOPs 10 esse ano. Mas infelizmente continua sendo um mero comentarista de resultados , sem assistir jogo algum. E começou a ” assistir ” na época de Borg . Sei …. rsrsrs ! Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Humm esse Fritz é muito bom, aparece em todas as quartas, semis e finais dos principais torneios, vive vencendo o Big3, aparece toda semana nas manchetes do site por grandes vitórias, como pude cometer esse erro kkk. Mas ser admoestado por um ser iluminado (kkk) como vc, que prima pelo bom convívio, pela humildade e pela defesa dos fracos e “comprimidos”, isso me envaidece kkk. Grande abraço kkk…

        Responder
  24. Aipim 2005

    Fiquei impressionado com o Murray! Um retorno com superação e resiliência incríveis. Muitos dizem que não existe o Big Four, mas eu creio! Ganhar 46 títulos contra Federer, Nadal e Djokovic é um assombro. Desde 2004 o número 1 da ATP está com esses 4. São 15 anos consecutivos e fantásticos. Não sei de todas estatísticas, mas acho que nunca na história existiu um predomínio assim. O Dalcim é que pode nos confirmar. Murray, você também é o cara e está de volta!!

    Responder
  25. Miguel BsB

    Wawrinka vacilou demais contra o Murray…1 set e uma quebra acima no segundo, 2x cheio de break points no saque do Murray e não conseguiu quebrar. Era pra fechar o jogo.

    Responder
  26. Ronildo

    Isolando o fato de Rafael Nadal nunca ter tomado alguma atitude que demonstrasse grande amizade por Roger Federer; algo que ficasse registrado na mídia como ações entre Tommy Hass e o próprio Federer; salvo em ocasiões circunstanciais como aquela comemoração em que, com seus quase 100 quilos se jogou no colo de Federer, um atleta cujas lesões recorrentes nas costas é sabido por todos, (o que se assemelha muito a alguém ter feito uma cirurgia no coração e semanas depois receber um forte tapa no peito de um “amigo bem sensível” ou ter feito cirurgia no estômago e receber um sôco no abdômen como demonstração de “carinho”); pode realmente ser verdadeiro, hipoteticamente falando, que Nadal não convidou Federer para seu casamento para não atrapalhar a preparação deste para Basel, visto que certamente tal convite seria aceito. Mesmo assim, isto não seria uma desculpa, porque se houvesse uma amizade de verdade entre os dois, seria um assunto que seria conversado previamente entre os dois, pessoalmente ou por telefone. Não poderia ser uma decisão unilateral. Foi uma decisão unilateral porque Rafael Nadal não encara Roger Federer como um amigo.

    Acho importante falar deste tema por estes dois personagens serem os maiores de todos os tempos no tênis e são contemporâneos. Não tem nada haver com pit, ou pits. São apenas constatações do que vemos. Isto porque há vida fora das quadras também. Inclusive muitas coisas extras quadras influenciam as partidas que costumamos comentar. Até relação sexual de namorada, anterior ao relacionamento atual (da época), já foi usada por jogador para tentar desestabilizar o rival em quadra!

    Responder
    1. Miguel BsB

      Na boa, vms parar com esse chororo do Nadal nao convidou o Federer bua bua…
      Os caras não são melhores amigos, ponto. Se dão bem, se respeitam, promovem um ao outro, já cansei de ouvir o Nadal e seu staff dizerem que o Federer é o melhor de tds os tempos, inclusive ele diz isso repetidas vezes na sua biografia…um foi na inauguração da academia, o outro já participou 2 vezes da laver cup, e tá bom demais pra desportistas que são arquirrivais, uma das maiores rivalidades do esporte de tds os tempos…
      Acho que nem o Federer tá tão sentido como uns comentaristas aqui do blog kkkkkk

      Responder
      1. Ronildo

        Cara, desde quando falar que foi algo impressionante Nadal não convidar Federer para o casamento depois de tantas declarações do próprio Federer desejando ter uma amizade mais próxima com ele pode ser qualificado como chororô?

        Alguém por acaso mencionou estar triste? Com sentimentos de perda?
        Além de saber ler, por favor, preste atenção também ao significado das frases.

        Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Ronildo. O Cara tinha uma penca de Tenistas que conviveram com ele , em toda a sua carreira , inclusive na famosa ” Armada ” , que não foram convidados. Não sabemos nem se as duas mulheres se dão. Rafa Nadal é cheio de Toc’s e nem Celulares permitiu na Cerimônia. Vi gente da minha própria família aprontar várias . Sinceramente , Roger e Dona Mirka não estão nem aí. Nos bastidores dizem que a senhora Federer é muito mais chegada , acredite , na senhora Novak. Vida que segue rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Ronildo

        E você acha que tem alguém nervoso com isso Sérgio?
        É só um tema desenvolvido.

        Mas é bem interessante essa sua informação que a Mirka se sente mais achegada à esposa do Djokovic.

        Abraços

        Responder
  27. Rodrigo S. Cruz

    “Dez anos atrás, eu não ficaria tão pressionado para conseguir uma segunda quebra de serviço no segundo set, mas hoje sei o quanto é importante economizar energia em uma primeira rodada”. (ROGER FEDERER).

    (rs)

    Depois ainda tem gente que diz que a idade do cara não faz diferença e é só desculpa…

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Nossa, ele só descobriu agora com mais de 20 anos de carreira que é importante economizar energia na primeira rodada? Quando vai descobrir que é importante economizar em todas e em qualquer idade? Rsrsrs.

      Esqueci de utilizar a palavra “média” na publicação anterior, mas creio que todos entenderam.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Difícil você postar algo que se aproveite , não é mesmo Almeida. Alguém aos 38 vai pensar em economizar mais energia que Rafa Nadal aos 19 , quando venceu seu primeiro SLAM , e se tornou o Next Gen mais pentelho da história. Superando em muito um tal Goat Paraguaio rs Somente não foi o N 1 mais jovem , porque um certo Suíço não deixou. Além de dois Pangarés na sua enorme sapiência ( Hewitt e Roddick ) , terem conseguido antes. Mesmo com a presença de Sampras , Agassi e Federer. rsrsrs Abs!

        Responder
  28. Arthur

    Não assisti à partida, Dalcim, mas, pelos highlights, que partidaça essa entre o Murray e o Wawrinka.

    Que jogo bonito, jogado pra frente, com grande força e habilidade dos dois lados.

    Tomara que ambos continuem assim e entrem em 2020 com força total. Só quem ganhará com isso somos nós.

    Um abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Dê uma olhadinha também nos lances de Shapovalov e Krajinovic. Os dois resolvendo muitos pontos junto à rede, e com categoria. Definitivamente, os voleios voltaram!

      Responder
  29. Jonatas Bruno

    Nos tempos em que a Next Gen já começa a engatinhar, sempre será bom acompanhar a velha guarda ainda ávida em conquistar terreno.
    Federer como sempre dinâmico e motivado. E o que dizer do Stan e Murray… Os veteranos ainda jogando o fino da bola.
    E como é bom rever o Andy de volta e erguendo troféu. Como já dizia Raul Seixas: “Tente outra vez”.

    Responder
  30. Paulo F.

    Parabéns pela conquista, Murray!
    Te admiro muito como tenista e tu precisa mais do que ninguém da tal da confiança.
    Que realmente possas voltar a atuar em alto nível.

    Responder
  31. Luiz Fernando

    Graças a um forte gripe não fui trabalhar a tarde e assisti um poucos dos 2 torneios. Basel aparentemente com um piso bem mais rápido do q Viena, pelo menos foi a impressão q eu fiquei. E uma grande exibição de Federer, claro q frente a um adversário sem grande gabarito, mas o cara jogou demais, até quando errou acertou kkk, com dois lobs sem querer em grande estilo.

    Responder
  32. Vitor Hugo

    Nadal convida quem ele quiser pro casamento. Acho uma babaquice ficar criando polêmica em cima do fato de Roger não ter sido convidado. Se respeitam, não são grandes amigos. Já deixei de ser convidado pro casamento de algumas pessoas das quais eu tinha um bom relacionamento. Faz parte.

    Parabéns para Murray! O mais técnico do big4 depois de Roger e Rafa!

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Renato freguês eterno, na verdade o Murray é mais defensivo do que o Nadal e o rei Djokovic o mais ofensivo dos três baseliners. Fregueser é o pior no fundo e o melhor na rede dos quatro.

      Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Então acho que está mais para “bi-vice” de Wimbledon

            Porque vencer de forma tão medíocre, tendo sido ESPANCADO com 96 bolas vencedoras nas fuças é como não vencer… (rs)

            Em outras palavras:

            Venceu, mas não convenceu…

  33. Ronildo

    Faz uns meses Roger Federer foi perguntado se tinha alguém em especial no circuito que ele desejava manter amizade achegada quando se aposentasse. Ele respondeu sem titubear: Rafael Nadal.

    Sempre achei que da parte do Federer houveram muitas declarações de respeito e de comprometimento para com Rafael Nadal. Mas sinceramente, não vejo as mesmas atitudes de Rafael Nadal para com Federer.

    Alguém próximo ao Federer deveria ter a coragem de dizer para ele que Rafael Nadal não é o quem ele(Federer) pensa ser. Nem que seja sua mãe, pai ou esposa.

    Responder
  34. Helena

    Dalcim,
    Uma dúvida sobre outros torneios no final do ano:
    – Você sabe se esse ano o Shapovalov vai jogar o Next Gen Finals?
    – Outra, por que tantas jogadoras desistiram de Zhuhai? Falta prestígio ao evento ou é o esgotamento do final de temporada? Eu confesso que não conhecia o torneio.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele vai jogar. A ATP faz pressão para que os melhores prestigiem o evento. O chamado ‘Masters B’ existe há muito tempo e é um torneio interessante para quem não foi ao Finals. Dá bons pontos e prêmios. Mas não é obrigatório e muita gente está esgotada. Acho que fazer a tenista voltar à Ásia (e ao fuso horário difícil) é uma bola fora da WTA.

      Responder
      1. Helena

        Entendi. Eu perguntei porque no ano passado ele deixou de jogar, acho que disse que estaba cansado. Mas espero que participe, deixaria o torneio bem mais forte.

        Eu não conhecia esse torneio. Fui procurar informações e achei a premiação bem considerável e a divulgação bem feita, inclusive com a participação da Graf, mas achei que ficou enfraquecido com tantas desistências. Também é bem pesado fazer as jogadoras voltarem a Ásia logo após elas provavelmente terem acabado de de reacostumar ao fuso europeu, fora o deslocamento, claro.

        Responder
  35. Paulo Almeida

    Não existe amizade entre arquirrivais. Bem faz o DjokoGOAT deixando bem claro que não mistura as coisas, mas obviamente mantendo o respeito.

    Responder
  36. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,fugindo um pouco do tema do post…O que você acha que ainda falta ao aliassime?
    Algum golpe em especifico ou apenas experiencia,melhor leitura de jogo,melhor mental e melhor físico que vem naturalmente com o passar do tempo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele tem um pacote completo, mas o que mais me incomoda são as duplas faltas. Claro que isso tem a ver com mecânica de golpe, porém me parece bem mais emocional. Então esse é o próximo desafio dele: controlar a ansiedade. É um tanto natural que o tenista que explode repentinamente sinta certa pressão de mostrar serviço, jogar bonito, vencer toda hora.

      Responder
  37. Tom

    “Vê-los lutar em nível tão alto por 2h27 foi muito especial para quem admira o tênis.” Especial mesmo, Dalcim. É ótimo vê-lo de retornar jogando nesse nível. Creio que a evolução física, associada a sua confiança, só vai acrescentar coisas boas ao circuito. Dá-lhe Murray !!!!

    Responder
  38. rafael

    Parabéns para o Murray! A qualidade do escocês é indiscutível e faz muito bem para o esporte. Que ele continue evoluindo para que possamos ter o prazer de vê-lo enfrentando o big 3 novamente.

    Responder
  39. Marcão

    Amigos, um dos sinais mais evidentes da velhice é a paixão repentina por faroestes. De uma hora para outra, após assistir cento e oitenta e duas vezes à “Bravura Indômita”, o velhinho percebe-se tão intimo de John Wayne quanto um nerd do Dr. Spock. Num desses raros sábados de sol aqui na província, celebrei uma trégua com a artrose e compareci a um debate sobre os cinqüenta anos da trilogia do dólar. Quando melhor endireitava minha ruína, notei que a platéia andava tão adiantada nas idades que por um momento me senti transportado para o auditório da saudosa Inesita Barroso. Ao lado, enquanto o Marden deitava falação sobre o faroeste como metáfora da vida e sobre a relação entre o imponderável divino e a miserabilidade humana, eu, olhar distraído nos dois velhinhos de cabelos pintados da primeira fila, pensava mesmo era em como fora possível o fracassado do William Munny ter vencido o duelo contra o invencível Little Bill. Ah, amigos, perdoem-me o spoiler (se é que tudo que anda ou se arrasta ainda não tenha visto “Unforgiven”…), mas depois da surra que aplicou no infeliz do Bob Inglês era impossível que Little Bill pudesse ser surpreendido pelo quase inválido William Munny.
    Não, não errei de blog. Se dou uma volta dessas para chegar ao tênis é porque ontem, na final de Antuérpia, somente o fantástico que transborda o western pode explicar a vitória de Andy Murray. A rigor, não havia como o escocês vencer. Ao menos não pelas cruezas da razão ou pelas certezas da lógica. Sou fã do duplo, vocês sabem, e por isso vinha acompanhando com uma mistura de espanto e ceticismo o seu retorno. E, honestamente, do fiasco inaugural contra Gasquet até o 3-6 1-3 da final contra Stan Wawrinka, o duplo oscilou entre o medíocre e o regular. No entanto, é preciso reconhecer que nos recônditos de alguns eleitos habita a centelha do inusitado. E, amigos, o duplo é feito de outra matéria. Quando Andy Murray mergulha dentro de si, quando se desconecta dos seres imaginários que o rodeiam, ele pode ganhar de qualquer um. Stan Wawrinka é um artista de grandes palcos, apostador de mesas altas, mas teve que se curvar ao talento redivivo do duplo. “É só um 250”, dirão alguns, mas eu, que sou um velho que gosta de western e sobretudo um menino que admira o tênis, posso adivinhar na vitória do duplo um inesperado personagem no calendário de 2020: além do big-3 correndo atrás da glória e da next gen correndo atrás do susto, vejo, nas frestas da fantasia, Andy Murray correndo atrás de si mesmo.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Prezado Marcão, como autêntico cinéfilo, pude reconhecer todas as falas e personagens! Fã demais de Clint Eastwood!!
      Sua analogia foi brilhante!
      Acompanhei com atenção toda a carreira de Andy Murray e Djokovic.

      Feliz demais por essa volta-por-cima do britânico! Aguardemos, pois 2020 promete!!

      Responder
    2. lEvI sIlvA

      Marcão, meu caro, deixa eu te contar algo. Tanto quanto você é fã do Andy, ele também é dos teus textos, tuas explicações. Ele estava chorando após a vitória, só imaginando como faria pra elucidar em palavras o que havia ocorrido. Enfim, você, Marcão e o Andy, formam uma dupla do barulho!
      Abraço!

      Responder
  40. evaldo moreira

    No mundo competitivo como esse, se Federer fosse o convidado, com certeza iria roubar a cena, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, brincadeiras á parte, foi feita essa pergunta, na coletiva na Suiça, e ai começou a lorota, mas é fato que, que não só Federer deveria ser convidado, mas o Djokovic também, porque não!?. Roger tem que se preocupar é com outras coisas, agora, cá entre nós, 14 anos???.
    Bom, meus imensos parabéns ao Nadal e Maria Francisca, que sejam felizes e que curtem este momento…..
    Vi os melhores momentos de Murray e Stan, fenomenais, mesmo com altos e baixos, mas com uma técnica exuberante de ambos, que jogão, sempre gostei do estilo do escocês, gostaria de ver ele mais a frente, porque tem muita mão, fato.

    Responder
  41. Rubens Leme

    Dalcim, é muito curioso que estamos vendo o acaso de uma era de jogadores, altos, grandes e pesados, todos com sérios problemas físicos, como Del Potro, Berdych e Anderson, ao passo que a nova geração, apesar de serem bem altos e fortes, são mais longilíneos e leves, como o Medvedev, Tsitsipas e até mesmo Zverev (embora esse pareça um falso magro, já que pesa 91 kg).

    Concordo com a entrevista que Del Potro quando disse que dificilmente voltará ao Top 10, se referindo muito aos problemas físicos, embora eu ache que ele precise ser ainda mais agressivo na rede. Enquanto isso, vamos curtir os veteranos que tanto gostamos e ainda dão caldo. Por mim, fiquei bem feliz em ver o Murray e o Stan ontem. Espero que possam fazer boas exibições por mais um tempo, com passadas (ainda que ocasionais) pelo Top 10.

    Eles merecem uma vez mais. E nós também.

    Responder
    1. Ronildo

      Kkkkkkkkkkkkkkkk

      (Federer) _”Grande jogador, talvez um dia consiga!”

      (Pai de Djokovic) _”Nem que seja a última coisa que ele faça. Afinal é o melhor de todos os tempos!”

      (Mãe de Djokovic) _ “Eu sinto que ninguém o ama como ele merece ser amado. Talvez quando ele bater este recorde passe a ser mais reconhecido como Federer e Nadal!”

      (Djokovic) _ “Buaaaaaaá, buaaaaaaá! Tá muito difícil… como eu vencerei Medvedev um dia!?”

      (Nadal) _ “O nosso esporte é assim mesmo. Ele pode quebrar este recorde algum dia. Também pode ser algo que nunca aconteça. Só saberemos algum dia se realmente acontecer.”

      Responder
      1. Jonas

        Cara, você já pesquisou o H2H entre Novak e Daniil? Imagino que sim…

        Agora pesquise o H2H entre Nadal e Federer. Depois tente Novak x Federer, abraço.

        Responder
  42. DANILO AFONSO

    Fiquei surpreso em saber que o FEDERER não foi convidado para o casamento do NADAL.

    O leitor SÉRGIO RIBEIRO relembrou e justificou que NADAL também não foi convidado para o casamento do FEDERER, porém não tem como comparar as épocas de tais acontecimentos. Em abril de 2009, quando FEDERER casou, os tenistas não tinham qualquer grau de amizade, apenas respeito, A rivalidade FEDAL estava no auge. FEDERER tinha perdido há poucos menos de 3 meses a final do Australian Open para o próprio NADAL, ocasião que o suíço até chorou na cerimônia de premiação tamanha foi a frustração, e também não podemos esquecer que há menos de 1 ano tinha perdido a final épica de Wimbledon 2008 para o espanhol. O clima era outro. Incomparável !!

    A amizade dos dois se estreitou muito nos últimos 3 anos, na qual destaco três acontecimentos: 1) inauguração da academia de tênis do NADAL com a presença do suíço; 2) a participação marcante do espanhol em duas edições da LAVER CUP, principalmente na última edição em que a afinidade dos dois foi fantástica ; 3) o retorno dos dois tenistas no Conselho de Jogadores.

    Em um casamento geralmente optamos por convidarmos amigos próximos e familiares, mas a presença ou ao menos o convite era de se esperar, mesmo sabendo que o suíço possivelmente não iria por causa do torneio na Basiléia.

    A amizade dos dois transparecia ser muito mais que apenas uma relação limitada ao mundo do tênis. Essa mancada foi pior que a enrolação de 14 anos com a bela Xisca…kkk

    Tô me sentido comentando site de fofoca…rsrsrsrs

    Responder
    1. Thiago Silva

      Ou seja, o Federer não convidou o Nadal de birra por perder os últimos slams pro Nadal e agora o Nadal devolveu a birra por não ter sido convidado, empatou.

      Responder
  43. Hendrix

    Que curioso. O post celebra a volta de um dos melhores tenistas da história após uma quase certa aposentadoria e meninoa mimados ficam especulando assuntos que não lhe dizem respeito como colunistas sociais. Ora, vão ser catar desocupados!
    Dalcin, sensacional a volta do escocês, um cara de ótima super de bem e craque de bola, que faz muito bem ao tenis. Que volte com tudo em 2020 pra brigar por Slams!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza, Stan é um dos grandes do tênis atual, Fábio. Muito justo colocá-lo como Big 5, ainda que tenha menos títulos importantes que o Murray ou um retrospecto mais positivo contra os outros Bigs. Acho muito difícil que Murray consiga voltar lá na ponta do ranking, e teremos também de ver se os outros Big 3 se sustentam lá. Acho que Murray e Stan em forma ajudarão demais o tênis ficar muito interessante para 2020, verdadeiras batalhas entre as gerações.

      Responder
      1. Isac Martins

        Dalcim, bom dia!

        Justamente isto que iria comentar aqui. Vi a declaração de Shapovalov sobre o Big 3 ser destronado mais cedo ou mais tarde; e a expectativa de muitos é que esta transição se torne evidente agora em 2020. No entanto, penso que, dependendo dos sorteios das chaves dos próximos torneios, Murray ou Wawrinka podem incomodar alguém do Big 3 nas primeiras rodadas, mas também podem incomodar algum tenista da nova geração e até ajudar o Big 3 neste caso.

        Acredito que será interessantíssima a temporada de 2020!

        Já imaginou cada Grand Slam ser vencido por um jogador diferente? Não penso que um jogador será soberano sobre os demais como vimos nos últimos anos, nem da Next Gen nem do Big 3.

        Responder
  44. Maria izabel

    Sensacional ver o Murray vencer,que boa volta está fazendo.
    A Next Gean também está de parabéns, tomara eles realmente confirmem as boas projeções que colocamos sobre eles.
    Federer não foi convidado para o casamento do Nadal,e daí ?Sou Federista de carteirinha,mas convenhamos:Federer se casou na moita, a Mirka já estava grávida primeiros gêmeos .Não convidou nenhum tenista.Murray se casou e também não convidou tenistas algum.Porque essa bobeira que Nadal teria que convidar o Federer?No Brasil isso dá ate inimizade .Sair a “francesa”de uma festa aqui no Brasil ,dá um mimimi e tanto!É que brasileiro ,mesmo em uma festa com trezentas pessoas, tem que dar três beijinhos etc.Dizer que foi deselegante, só aqui mesmo.Europeu é assim,eles não vão mudar seu estilo(que por sinal,me agrada muito).Normal isso,aqui se faz uma lista enorme,faz-se uma festa de no mínimo 150 mil reais em 10 vezes e isso que é bacana,fino e luxuoso.A alta elite ,deixa de fora um monte de gente ,isso é sinal de inteligência. São inúmeros conhecidos,já fica um custo de excelente apartamento,se forem chamar todos sairia mais caro ainda.E nem se vê todas as pessoas.Gente de classe,faz uma lista e vai cortando para se tornar mais agradável e íntimo.Que mania de brasileiro se meter nas atitudes dos outros.E Federer ,feio dizer isso,até mesmo porquê ,você fez o mesmo e não precisa dar uma de coitadinho.Ah,Federer você anda me decepcionando nas quadras e agora nas atitudes?Quanta bobagem hein?

    Responder
      1. Ronildo

        Não sabia que houve outra resposta além daquela muito elegante ao qual Federer diz que não esperava ser convidado.

        Pergunta: Você tem um link de alguma declaração de Federer em que demonstra ressentimento por não ter sido convidado ou pode dizer onde leu ou ouviu tal declaração?

        Eu também ficaria surpreso com Federer se ele declarou algo demonstrando ressentimento.

        Responder
        1. Maria izabel

          Bom dia Sr.Ronildo.Não tenho link para atender suas expectativas.
          Sou Federista e achei um comentário bobo de parte dele sim.
          Não sou colunista social ,sinceramente já dei a minha opinião sobre o convite ou não convite, para o casamento do Nadal.Não vou mais falar, nem responder mais sobre isso.Interesse zero nessa banalidade.
          Ótimo dia.

          Responder
  45. Marcos Pontes

    Dalcim, você acha que Wawrinka e Murray ainda terão condições de jogar Finals nas próximas temporadas???
    Wawrinka vai fazer 35 ano que vem, porém me parece que essa idade não é mais idade de jogador aposentado, creio que lá pra os 37 ele comece a pensar em parar.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, ficará cada vez mais difícil, porque esta nova geração está ganhando espaço. Claro que o Finals reflete muito o que cada um faz nos Slam, e nesses torneios podemos imaginar um Stan forte. Murray ainda é incógnita, mas se o físico continuar evoluindo, ainda tem muito chão pela frente.

      Responder
  46. Roberto Rocha

    Realmente, caiu a máscara do espanhol. Não convidar o suíço para seu casamento foi algo baixo demais. E não me venham com a desculpa de que o suíço vai disputar um torneio na data do casamento. Enviar o convite era obrigação.
    Quanto ao Murray, estou muito feliz com seu retorno! Ele merece e o tênis agradece!

    Responder
  47. Sérgio Ribeiro

    Postamos que o jogo contra Fognini foi de emocionar. E que o Bi Campeão Olímpico em sequência ( inédito ) , poderia quem sabe voltar ao TOP 10. Sir Andy com sua comovente persistência pode sonhar com esse feito . Ele e STANIMAL deram um grande exemplo para a Next Gen . Abs!

    Responder
  48. Maurício Luís°

    Pensando bem, pode sim haver uma explicação pro espanhol pouca telha enrolador de noiva não ter convidado o Federer.
    Pergunta: quando o Federer casou, será que o Nadal foi convidado? Se não foi, tá explicado. Passo a palavra à turma das colunas sociais…

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Questões irrelevantes Maurício, que em nada acrescentam ao objetivo do blog, a não ser q o Nelson Rubens postasse aqui… Algo q só serve p os aoçodados postarem besteiras, já não sabem nada das circunstancias!!!

      Responder
      1. Maurício Luís *

        Luiz Fernando, de fato, esportivamente falando, é questão irrelevante. Mas como o esporte tornou o Nadal uma figura pública, um ídolo, acho natural o pessoal se interessar em saber algumas coisas da vida pessoal dele. Tanto é que o próprio site Tênis Brasil noticiou o casamento com destaque.
        E o fato de ter namorado 14 anos chama a atenção. Ficou uma coisa meio cômica, até.
        Abr.

        Responder
  49. João ando

    Na verdade o Nadal considera o Roger um colega de profissão e para qualquer casamento vc convida seus parentes e amigos….Rodrigo vc está certo foi uma decepção mesmo …mas como tudo tem um lado bom … Roger partindo para um novo título na basileia

    Responder
  50. André

    Dalcim, voce acha que djokovic tem grandes chances no masters de paris e no finals? E o que explica a temporada um tanto quanto irregular do sérvio, que ao q tudo indicava teria um ano dominante após o AO?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, eu o colocaria como favorito em ambos, já que estará em sua superfície predileta. Acho que as questões físicas atrapalharam após Wimbledon, André.

      Responder
  51. Rodrigo S. Cruz

    E vou repetir:

    Que DECEPÇÃO!

    Uma vez escreveram aqui que o Nadal seria uma pessoa melhor do que o Federer.

    Se antes eu já duvidava disto, agora então…

    Pode parecer exagero, mas eu com toda sinceridade fiquei perplexo.

    Que tremenda descortesia e infelicidade do Nadal deixar de convidar o Federer para o seu casamento.

    Se eu tenho um amigo e deixo de convidá-lo para um dia tão importante, é porque NUNCA de fato o considerei como amigo.

    No fim das contas o Lógico é quem tinha razão mesmo!

    Rafael Nadal é o autêntico HARVEY DENT.

    Mais falso do que nota de 3 reais!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Calma Rodrigo , o Suíço também não o convidou para o seu . E ele tinha uma cota pra Tenistas . E obvio que o mui amigo Mônaco não podia ficar de fora rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Sandra

        Íntimo do Nadal, Federer e Djokovic e o Dalcim! Não é Dalcim? Vc também não foi convidado? Rssss, e chega nessas festanças é um salgadinho a cada meia hora rsss

        Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Você precisa rir mais, Sandra! Faz um bem danado. Assista a boas comédias, as do Mr. Bean e as do Peter Selers são excepcionais. ‘Convidado Trapalhão’ tem enredo magnífico.

          2. Jonatas Bruno

            Rowan Atkinson deve ter explorado bastante o Mr.Bean tamanha a destreza de se redobrar sem precisar das cordas vocais rs. Os episódios no consultório odontológico, na Igreja e o do Exame são daqueles para bater continência. Impagável!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *