Laver Cup continua uma grande festa
Por José Nilton Dalcim
23 de setembro de 2019 às 11:10

Carisma é tudo quando se fala num torneio de exibição, e isso sobra para Roger Federer e Rafael Nadal. Então o sucesso da Laver Cup ficou garantido pelo terceiro ano consecutivo, ainda mais dentro de Genebra. E olha que o suíço não jogou aquele tênis – raramente o vi errar tanto voleio fácil – e Rafa só entrou em quadra no sábado.

O ginásio lotou nos três dias, acompanhou partidas muito equilibradas e com empenho de todos os envolvidos. Torceu fervorosamente quando os dois gigantes estiveram em quadra e o público ainda foi premiado com oito horas de jogos dramáticos no domingo e a decisão do título no match-tiebreak da partida derradeira. Mais um belo espetáculo para o tênis.

A pequena frustração ficou para a reedição da dupla Fedal, prevista para domingo cedo. O espanhol no entanto sentiu problema na mão e desistiu também do interessante reencontro com Nick Kyrgios. Para compensar, atuou ativamente no lado de fora da quadra, torcendo, dando dicas, empurrando o time.

Além do formato divertido e ‘roupagem’ impecável da quadra, ver a interação dos tenistas talvez seja a parte mais curiosa da Laver Cup, dentro de um mesmo time ou entre os adversários. Tira boa parte daquela imagem excessiva de rivalidade, e isso faz muito bem ao esporte. A euforia pela conquista chega a ser surpreendente.

O outro ponto positivo pode ter sido a vitória apertada de Alexander Zverev, que outra vez deu o ponto final à Europa sob considerável pressão. O garoto alemão precisa recuperar a confiança e esse tipo de situação ajuda muito. Ganhou abraço caloroso de Federer e dos parceiros. Quem sabe…

Medvedev quer mais
E Daniil Medvedev não para de vencer. Em sua quinta final seguida, faturou o terceiro da temporada em São Petersburgo e agora já soma 54 vitórias em 71 partidas. Embolsou nessa maratona US$ 5,5 milhões.

Classificado para o Finals, o russo de 23 anos não tem a menor intenção de diminuir o ritmo. Descansa nesta semana e depois joga seguidamente Pequim, Xangai, Moscou, Viena e Paris.

E com isso tem chance real de tirar o número 3 de Federer – está 635 pontos atrás no ranking da temporada. Chegar no vice Novak Djokovic é bem mais difícil, já que o sérvio tem vantagem de 2.390 pontos. Desde junho de 2005, nenhum tenista fora do Big 4 atingiu o segundo posto do ranking.

Dois detalhes sobre os próximos torneios: Kei Nishikori continua com problema no cotovelo e desistiu de Tóquio, Xangai e de exibição que faria contra Federer dia 14 de outubro. Talvez volte em Viena, mas a chegada ao Finals está agora complicada. Campeão domingo em Metz, Jo-Wilfried Tsonga não quis saber mesmo da viagem à Ásia e jogará outro challenger nesta semana.

Reta final
Os brasileiros que sonham em terminar a temporada com um ranking mais positivo terão uma última chance com uma sequência de challengers e futures previstos para a América do Sul.

A partir de hoje, acontecem os challengers de Buenos Aires, Campinas, Santo Domingo, Lima, Guayaquil e Montevidéu, todos com US$ 54 mil de premiação exceto o da República Dominicana, que oferecerá excelentes US$ 162 mil. Há uma brecha para mais dois challengers, e um deles poderia acontecer no Rio, em novembro.

Em nível future, a série começou na semana passada em Buenos Aires e seguirá em outubro com Rio, São Paulo, Chile e Argentina. Apenas o torneio carioca terá US$ 25 mil, os demais serão de US$ 15 mil.

As meninas também têm oportunidades em nível ITF. Nesta segunda-feira, começa o de US$ 15 mil do Pinheiros e até novembro acontecerão dois de US$ 60 mil (Paraguai e Chile), um de US$ 25 mil (Colômbia) e três de US$ 15 mil (Chile, Argentina e Colômbia).


Comentários
  1. Luiz Fernando

    Que atitude lamentável desse arbitro imbecil com a boleira, esse pilantra vai continuar na ATP, o Steiner, por algo bem menos evidente, foi escanteado, 10 pesos e 100 medidas…

    Responder
  2. Luiz Fernando

    Djoko segue firme no rumo de se tornar o maior em numero de semanas na liderança, algo q uns valorizam mais outros menos. Se perder o numero um para Rafa neste ano creio q fatalmente irá recupera-lo em 2020, ou seja, é uma questão de tempo pra se tornar o cara com mais semanas na frente…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E o mane ‘ vai entrar em êxtase. Tudo que não seja Roger Federer está de bom tamanho . Somente esquece que o Goat Paraguaio previsto pelo grande sabichão em 2013 , jamais aconteceu. Se errar de novo , não vai ser nenhuma surpresa rsrsrs Abs!

      Responder
  3. Sérgio Ribeiro

    Ao contrário do que disse o Sabichão L F , Fininho perdeu uma grande chance de ficar calado . “ A Next Gen não tem colhoes pra encarar o Big 3 , pergunta a GUGA se ele deixava Sampras e Agassi vencerem “ . Pra começar estão enfrentando os três maiores jogadores da história , na opinião de varios especialistas que conhecem bem mais ( viu fazedor de média N 1 rs ) , que o Fino. Alguns deles já possuem MASTERS 1000 e FINALS e vitórias sobre os TRÊS. Nos SLAM , estão na mesma posição que GUGA fora de RG , estão ainda ficando pelas Quartas ( o Brasileiro jamais passou fora do Saibro) . GUGA somente obteve UM confronto contra Agassi em Wimbledon ( perdeu em SETS diretos ) , Zero contra Sampras e com Hewitt perdeu em Sets diretos na Davis num Saibro lento aqui dentro. head to head de 4 x 7 com Agassi , 1 x 2 com Sampras e 1 x 3 com Hewitt ( o mais jovem N 1 da Era Profissional) . O de bom que Fininho disse , foi a excelente escolha de Oncíns como Capitão, e que esta Next Gen tem um potencial maior que a da sua época. Só que Safin e Hewitt ( GUGA em Rolanga ) , deixaram suas marcas em SLAM . Infantil é quem somente menospreza … Abs!

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Este seu kkkkkkkkkk , é a comprovação de que és um mero repetidor da opinião de terceiros. Um vaselina dos mais infantis kkkkkkkkkkk Abs!

        Responder
    1. Maurício Luís *

      P.S. – E já que tem uma turma aqui que gosta de fazer previsões, vou fazer a minha: durante o passeio, vai dar um vento, o balão vai desviar, e ele vai cair sentado em cima de um cacto. Já com a Xisca não vai acontecer nada, não. Já chega ficar 14 anos na fila.

      Responder
  4. Luiz Fernando

    Quando são feitas críticas duras, por sinal merecidas e pertinentes, aos caras da nextgen, alguns comentaristas do blog se ofendem, aliás de forma infantil pra dizer o mínimo. Creio q ninguém questiona a qualidade de jogadores como Zverev, o grego, Aliassime, Medvedev e cia limitada, mas o sempre se comenta é exatamente o q o Meligeni, que entende “um pouco” de tenis, disse:

    https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/71641/Meligeni-ve-falta-de-gana-e-coragem-para-a-Next-Gen/

    Apenas isso…

    Responder
    1. Michael

      O Medvedev não pode ser colocado no mesmo pacote que esses outros, ele já tá num nível bem acima, tanto físico quanto mental, não duvido nada que ele leve o Finals.

      Responder
  5. João ando

    Quando Adriano panatta diz que o nick e um imbecil fala mais que o óbvio. E estranho os que admiram esse indivíduo….Gabi tb não te entendi entao deixa pra lá…kkkkkkkkkkk.gosto de falar de ténis e algumas vezes sobre a vida com quem sabe e tem o mínimo de inteligência para conversar ….

    Responder
    1. Paullo

      Nossa, que grosseria!!
      Ela só te perguntou algo sobre o que vc mesmo tinha dito: eu perguntei para o Carlos o que ele faria se o filho fosse gay. E ele respondeu “chorar”. Já Vc, veio e disse “dar uma surra porque os trejeitos começam aos 13-14”. A gabi te perguntou entao “dar surra é a cura gay?”. E vc vem dizer que ela não entende nada e não é inteligente??
      Cara, foi vc quem falou em surra, não ela.

      Responder
      1. João ando

        Sr Paullo. Eu respondi como ela me respondeu …respondeu com grosseria eu tb …respondo… caro dr oftalmo …e a cura gay?primeiro nao sou oftalmo dela …..segundo não falei em cura gay. ……resposta com ironia …a recíproca sera a mesma .ok Sr paullo

        Responder
        1. Paullo

          Vc falou em cura gay qdo diz que uma surra resolve os trejeitos que começam aos 13-14.
          Vc quem falou que era oftalmologista, como que dizendo “não sou qualquer um”. Mas se acredita que surra cura a sexualidade, é qualquer um sim.
          Não preciso defender a gabi, mas vc foi grosso de graça.

          Responder
          1. João ando

            Paul lo. Eu não falei em cura gay…e como vc está há pouco tempo aqui mais ou menos cada um dos que comentam no blog sabem o seu ofício …tem jornalista advogado médico dentista etc.

  6. Luiz Fernando

    Gostei da declaração do Tio Toni, será q pela primeira vez na vida caiu a ficha do Rafa? Pra que jogar dois dias seguidos quando existe muito mais a se ganhar no curto prazo…

    Responder
  7. Sérgio Ribeiro

    ATP foi covarde , a meu ver , em relação a Kyrgios. Se ele traz público, o Big Mac também trazia. E também muito mais talento. Isso não o impediu de ser literalmente expulso do AOPEN 1989. Mas como péssimo atleta acabou desistindo de toda a temporada Asiática alegando a lesão número 1932 rs Novamente fora do FINALS só deve voltar ano que vem . Ou seja , ele mesmo se suspendeu rsrsrs Abs!

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho que não existe nesse caso um maior do que o outro. Ambos muito talentosos, no sentido que entendo da palavra. A enorme diferença é que McEnroe era um vencedor e canalizava sua frustração e raiva como energia para superar as dificuldades, enquanto Kyrgios é derrubado até por pequenas frustrações que encara numa partida, algumas delas até com placar favorável. Seu eu trabalhasse com o australiano, faria um grande estudo psicológico para entender o motivo pelo qual ele se bloqueia diante da frustração, algo que me parece que vem da infância.

          Responder
        2. Rodrigo S. Cruz

          Marcelo,

          Por isso que definitivamente não dá pra comparar tenistas de épocas distintas.

          O ideal é comparar cada um da sua época e pronto.

          O McEnroe sempre foi famoso pelo seu talento também. Isso é indiscutível…

          Mas não sei se conseguiria jogar tão bem do fundo (o que se exige hoje), como fazia no estilo saque-e-voleio.

          Também não sei se mesmo com o equipamento de hoje, faria a bola correr com tanta velocidade como faz o Kyrgios.

          Até batendo parado, ele pode gerar uma potência absurda.

          O saque do Kyrgios também é mais devastador, até por causa da altura.

          Mas, enfim, não sou dono da verdade.

          Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Correção: AOPEN 1990. Fazendo bolinha na frente da juíza , três raquetes atiradas no chão e pós advertências , continuou chingando o juiz. Game , Set , Match , mandou o árbitro . Para surpresa do jovem Sueco Mikael Penrfors ( acho que é isso ) , que perdia em 3 Sets apertados . Jamais alguém foi expulso de outro SLAM . Exceto Serena rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Correção: XINGANDO. Kim Klijster também se surpreendeu com a desclassificação de Serena. Afinal era a ” dona ” do Torneio que o juiz mandou passear rsrsrs. Abs!

        Responder
    2. Miguel BsB

      A punição ao Mcenroe foi tardia demais…já era pra ter tomado uma desde o começo da carreira…
      Rodrigo, com a devida vênia, Mcenroe foi muito mais jogador do que o Kyrgios jamais será…

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Tem vênia sim senhor.

          Já que até o Dalcim concorda que em termos de talento é difícil apontar quem tem mais.

          Sem falar que o termo ” vênia” usado pelo Miguel, indica respeito pela opinião alheia.

          O que não parece ser o teu caso…

          Responder
          1. João ando

            Sim. Como disse uma vez tenho respeito com a opiniao de quem entende de ténis …isso quer dizer quem já jogou tênis pois o que aparece aqui Sáo pessoal que Caem do céu e nunca pegaram em uma raquete de tenis na vida….alias vc ja jogou tênis?

        2. João ando

          Opiniao todo mundo tem …eu tenho a minha .acho o John muito mais talentoso que o nick como o Roger e muito mais talentoso que os dois juntos

          Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Miguel,

        Eu reescreveria a tua frase da seguinte forma:

        ” O McEnroe é muito mais vencedor do que o Kyrgios é ou talvez jamais chegue a ser”.

        Agora, dizer que foi mais talentoso, acho que não.

        Abs.

        Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    A decisão da ATP para mim foi a ideal.

    Não suspendeu o Kyrgios, afinal o cara dá muita audiência e é garantia de show.

    Só que daqui para frente ele ficará sob rígida observação durante 6 meses, e sem poder fazer NADA de errado…

    Acho que o caminho era esse mesmo.

    Eu torço muito para que deixe de lado essas condutas exageradas e foque em jogar tênis.

    Porque é inegável que ele joga muito…

    Responder
  9. Gabi

    Andy Murray limpando a quadra após vencer a partida foi muito sensacional!! Já seu adversário deixou a bagunça para a organização do torneio. O perdedor tem um título da ATP na carreira, Murray tem 45, um bicampeonato olímpico e já foi número 1 do mundo.
    Murray não desenvolveu este tipo de atitude porque chegou ao topo; chegou ao topo porque tem este tipo de atitude.

    Responder
  10. Luiz Fernando

    A ATP é uma verdadeira piada, por pura covardia deixa de punir exemplarmente um cara q no mínimo é muito mal educado que cospe na direção de um arbitro, ameaçando-o com punições no caso de recidiva. Ora, quantas esse cara já aprontou? Quantas mais aprontará? Lamentável…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Acho que a ATP agiu corretamente, Luiz.

      De agora em diante ou ele entra na linha, ou paga o preço.

      Realmente seria uma pena suspender alguém que atrai tanto público e dá tanto espetáculo com o tênis que tem.

      Não era uma decisão fácil…

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Sinceramente discordo de sua visão mas respeito. Acho q se procurarmos agir assim na maioria das situações teremos um ambiente mais saudável no blog.

        Responder
  11. Denis

    Dalcim, alguma aposta de quais jogadores ficam com as duas ultimas vagas do finals (considerando que Thiem e Tsitsipas ja estao praticamente garantidos)?

    Responder
  12. Sandra

    Dalcim , vi uma notícia , mais a achei meio nebulosa , o Kyrgios foi suspenso ou não , e o tempo que foi noticiado daria para ele jogar o Australian Open?

    Responder
      1. Sandra

        Pelo que li, realmente não achei bem explicado, na minha cabeça só se ele fizer daqui para frente, então pode continuar jogando ? Quantas ameaças ele já teve e mesmo assim continuou, então qualquer jogador pode fazer o que quiser!!!

        Responder
    1. Joaquim Saraiva

      Dalcim, retiro o que falei sobre a punição do Kyrgios! Achei que fosse algo sério, mas uma vez mais ficou evidenciada a complacência com a qual a ATP trata o australiano. Essa eterna ameaça é mais ridícula do que a própria falta de pulso da entidade. Paciência…

      Responder
  13. Cássio

    O tenis sempre reserva algo de imprevísivel enquanto à previsões, porque tem muito do momento de cada jogador e até de cada partida em si. Lembro que quando pensei que o Djoko ia ganhar tudo depois de RG em 2016 porque não tinha Nadal e nem Federer, veio o Murray e tirou o número 1 do Novak. Essa ninguém esperava. Tem gente que deduzir tudo e vem o Dalcim e ensina: “Temos que esperar” ou “Temos que ver o decorrer do torneio” etc. Mas muitos não aprendem e dizem: “Vai ser numero 1”; “Agora já era” etc.

    Responder
  14. Luiz Fernando

    Incrível, agora q alguns desembarcaram do barco do Federer, elegeram o Medvedev como boia, a grande esperança de salvar alguns recordes do cara kkk. Srs e sras, cautela, não apostaria um real nessa possibilidade…

    Responder
    1. DANILO AFONSO

      Já vi esse filme em 2011 quando boa parte dos torcedores do Federer vislumbram e tiravam onda quando DJOKOVIC destruiu NADAL, brecando assim os títulos deste e assegurando os recordes do suíço.

      Depois que viram o monstro que Djokovic se transformou nos anos seguintes, começaram a criticar o sérvio corriqueiramemte.

      Responder
    2. Ronildo

      Mas não é só o Medvedev não. Tem o Tsitsipas também. O Aliassime. Estes caras estão cada vez melhores. Djokovic não tem se dado bem quando joga com jovens. Deve ser por causa do tênis previsível que ele efetua. Já Federer tem se dado bem quando joga com esta nova geração, tirando a derrota para o Tsitsipas no AO.

      Responder
  15. Paulo Almeida

    DjokoGOAT jogará em Tóquio e em caso de título terá mais chances de empurrar o número 1 até Paris. A principio está recuperado da lesão.

    Responder
  16. Maurício Luís *

    Tranquilizem-se senhoras, senhores e principalmente senhoritas fãs do Nadal. Hoje tomei meu Rivotril e NÃO vou falar mal do jogo dele, nem do cabelo, nem do tal casório.
    É que reparei bem no movimento que ele faz com o pulso pra conseguir aquele super efeito que tanto incomoda os adversários, e que é o ganha-pão dele.
    Fico encafifado: como é que aquele pulso dele tem aguentado aquilo há tantos anos no topo do ranking? Quando ele se aposentar, bem que algum diretor de cinema podia lançar o filme “Nadal pulso de aço”. Quem sabe o mesmo diretor do filme do ” Edward Mãos de Tesoura”.
    Mas falando sério, não sei mesmo como é que o tal pulso aguenta. Será que ele é algum ET?

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Acho muito curioso um torcedor do Murray criticar o tênis do Nadal, sendo que o britânico também é baseliner, mas bem inferior ao espanhol.

      Responder
  17. Leonardo

    Dalcim,
    Me parece que a Laver Cup caiu no gosto dos torcedores. Os organizadores acertaram em cheio e é muito legal ver a interação entre os tenistas que estamos acostumados a ver competindo entre si. Dalcim, também tenho a impressão de que a amizade do Nadal e Federer está cada vez maior. Você acha possível que, após o Federer se aposentar nas simples, eles disputem juntos alguns torneios de duplas?
    Parabéns pelo excelente conteúdo do blog

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acho impossível, Leonardo, mas só se for algo totalmente para descontrair. Acho bem mais provável que façam exibições do que joguem dupla, porque vejo certa dificuldade em um tenista com tantos anos de circuito ainda continuar na estrada. Abs e obrigado!

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não vi o jogo inteiro, Joaquim, mas acho que ele continua progredindo. A parte que mais me agradou foi sua movimentação, que me parece sem qualquer limitação. Ele conseguiu seus conhecidos contraataques, chegou em bolas difíceis e pareceu inteiro no terceiro set.

      Responder
  18. Ronildo

    Pelo jeito Medvedev será número 1 em breve.

    Perdeu totalmente qualquer receio de jogar com Nadal.
    Está se mostrando superior ao Djokovic em quase tudo.

    Responder
    1. lEvI sIlvA

      Se Medvedev não se cuidar, chega ao fim do ano em frangalhos, Ronildo. Em algumas ocasiões, o jogador quer se aproveitar do bom momento e acaba extrapolando um pouco. Não duvidaria de que, chegando ao Finals desse ano só cumpra tabela. É sempre bom dosar e diminuir o ritmo, afinal, a gente vive é pra frente, meu amigo!

      Responder
    2. Paulo Almeida

      Quase tudo? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Isso é o que eu chamo de desespero. Medvedev jamais será o mais completo da história (caso do Djokovic) e tampouco impedirá que os recordes do Federer sejam quebrados.

      Responder
          1. Ronildo

            Nadal tem chance sim. Mas à julgar pelo gráfico de desempenho das duas últimas vai levar um surra na próxima, fora do saibro.

          1. Rodrigo S. Cruz

            É.

            Realmente ele não tem armas contra o Dimitrov.

            Isso deve explicar porque o búlgaro perdeu dele 7 vezes, e só ganhou 1 e por causa de físico.

            Depois sou eu quem tenho ódio…

            (rs)

  19. Paulo Almeida

    “O LÓGICO
    23 de setembro de 2019 às 03:15

    O Coma se abateu em mim logo ao término da final do USO 2019. Ele me deixou hoje à tarde, mas vendo toda a festança do robozinho satânico e das nadalzetes da gaiola das loucas aqui no blog, tenho dúvidas se ele não volta. Fico imaginando o que teria que ler se o Almeidão fosse nadalzete. Não duvido que ele também venha a ser abduzido, seguindo o caminho do Lord Brack e do Carlos Reis, dois vira-casacas. Traidores do “SLANismo” Fedex. Vão queimar no fogo do inferno kkkkkkkkkkk”

    Haveria algumas diferenças, como a freguesia avassaladora e provavelmente escolha de outro GOAT, mas a entressafra e os demais apelidos continuariam firmes e fortes.

    Responder
  20. Helena

    Dalcim,

    Você sabe dizer porque o Nishikori rejeitou o convite? Felix eu sei que priorizou o torneio na China, mas não vi as explicações do japonês.

    Responder
  21. Arthur

    Laver Cup tem se mostrado um evento mais revelante até do que a própria Copa Davis, Dalcim.
    Acho que isso mostra o poder da “marca” Federer, que é o grande patrocinador do evento.
    A propósito, Dalcim, tenho uma dúvida que me intriga nesse aspecto:
    Considerando que o Federer é o “dono” da Laver Cup, por que utilizam uma quadra com superfície tão lenta, quando todo mundo sabe que o suíço gosta mais das quadras rápidas.

    Um abraço.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Como é possível, caríssimo Paulo ? Quem venceu mais até agora rs ? Seria porque a ATP deu valor aos que vieram da “ entressafra “ e aumentou os prêmio ano após ano rs ? Ou seria porque o Suíço ficou muitos anos na presidência do Conselho ? Ou nenhuma das respostas anteriores ? rsrsrs Abs!

      Responder
  22. Paulo Almeida

    Farei um mea culpa, para a alegria dos meus haters.

    Ivan Lendl teve grandes rivais nas 157 semanas em que se manteve como número 1 sim, assim como o GOAT Djokovic nas suas 122. Entretanto, como já disse, o Fregueser só teve o Nadal no saibro nas suas 237. Uma coisa não valida a outra e é melhor me antecipar.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Até que em fim alguma coisa que preste heim caro Robson , digo Almeida . Então dá próxima pesquise antes de Postar as costumeiras asneiras rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Sérgio, na boa:

        Como é que você consegue confundir o Robson com esse daí?

        A única coisa que o Robson fazia era torcer pelo Djokovic de forma apaixonada, e ficar repetindo aquela chatice de:

        ” faltam 6, faltam 5, etc…”

        No máximo, ele chamava algum opositor de “federete”, o que é algo bem normal por aqui.

        Mas a escrita era diferente, a forma de se expressar diferente, a visão diferente.

        Já esse daí não faz nada além de mostrar uma inveja asquerosa do Federer, e ficar provocando Deus e o mundo.

        Nunca agregou nada.

        É o TROLL na sua mais pura essência…

        (rs)

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Até num post de mea culpa, você prefere me atacar com todo o seu ódio. Uma pena, mas ainda tenho esperança de que algum dia fará o seu, largando de lado as bobagens de maratênis e reconhecendo o talento absurdo do GOAT Djokovic.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Que ódio ? Que Maratenis ? Quando eu tive esse sentimento por um Velhinho frequentador do atual grupo Santinho ( segundo o meu filho de 27 ) , do Robson da WHATS ? Os dois torciam por Federer até 2011. Sinceramente e’ vergonhoso encherem o saco de todo mundo , com esse fanatismo absurdo. Não cola mesmo. Todos vimos que a briga ( no bom sentido ) é entre o Craque com 20 SLAM e o Rei do Saibro cm 19. Novak Djokovic, ainda vai ter que ralar um pouco mais rs . Sem essa de entressafra e Maratenis. Não me diga que o Português está tão ruim assim …. kkkkkkkkkkk Abs!

          2. Rodrigo S. Cruz

            Eu reconheço tanto o valor dele que em qualquer Slam eu afirmo que o favorito é ele. (exceto RG, claro).

            Na final de Wimbledon eu disse a mesma coisa: que era mais provável que ele venceria, e não o Federer.

            Claro que o suíço surpreendeu a todos naquele dia.

            Agora, se você parar de atacar o Federer e a torcida com as provocações infantis, eu farei o mesmo.

        2. Sérgio Ribeiro

          Não sei Rodrigo, a quanto tempo frequentas o grupo da Whats em que o adorador do Chatonik e do sábio ( segundo o Almeida ) , Léo Gavião comanda . O dono do Sítio continua o mesmo rsrsrs ABS !

          Responder
    2. Miguel BsB

      Reconhecer um erro é uma grande qualidade Paulo…
      Não se pode alterar os fatos com o intuito de validar argumentos, apesar desse modus operandi estar muito na moda atualmente.

      Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Não merecia mais vou te ajudar um pouquinho mais. Pesquise quem estava na última final de Roland Garros em CINCO Sets , vencida por Björn Borg rsrsrs ABs!

          Responder
  23. Luiz Fernando

    No ano de 2017, na mesma Laver Cup, após o histórico jg de duplas q reuniu Rafa e Federer, os dois maiores tenistas da história, pelo menos até o momento, salvo engano Nadal disse q tinha amizade por Federer, mas nada especial. Passado este período, parece q as coisas mudaram muito, se tornaram mais amigos, um contactou o outro para voltarem juntos a a associação dos jogadores, este comentário do cara resume tudo:

    Nadal voltou a falar da sua relação com Federer. “É fácil termos uma boa relação, pois somos fãs um do outro e adoramos passar tempo juntos.”

    Dalcim, vc imaginava isso há uns anos atrás?

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Aí dá pra se notar quanta besteira se disse durante tanto tempo em relação ao Suíço , caríssimo L F . Isso está acontecendo no momento em que o mais novo está prestes a ultrapassar o Titio em varios recordes importantes. Ou seja , Aposentado , “ fujão “ , Cansadao e outras bravatas , jamais passava pela cabeça do Espanhol . E sim de uma inconsequente parte de sua torcida. Se não, ele não usaria a expressão “ um fã do outro “ . Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Nossa, meu caro Sérgio, como o Dalcim deixou passar ofensas tão graves nos comentários, como alguém pode chamar alguém de “cansadão” ou “aposentado” e sair ileso, não dá pra entender, é revoltante. Também me lembro bem quando alguns incautos atribuíam as vitórias de Nadal a Djoko a doping como vc se revoltava, uma pessoa com o seu peso no blog não poderia se eximir de revoltar-se contra comentários mesquinhos e despropositados como esses, que exemplo, que hombridade. Quando vejo sua trajetória no blog, pautada pela humildade e acima de tudo pela compreensão com os q discordam do q vc posta, fica difícil entender condutas tais como menosprezar os interlocutores, agir com arrogância extrema, oportunisticamente esquecer de comentários e previsões furadas, com certeza Federer e Nadal não se basearam as atitudes desse baixo nível para chegarem na amizade atual kkkk. Grande abraço, sempre é um prazer interagir com você…

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Que previsões furadas , caríssimo LF ? Se Grigor Dimitrov e Alexander Zverev venceram MASTERS 1000 e FINALS, e atingiram o TOP 3 do Ranking , confesso que não foi culpa minha , nem do “ Aposentado “ segundo você desde 2013. O oportinista tentou fazer média com a torcida do Sérvio. Segure a onda a partir de agora. Mas não me abra outra farmácia kkkkkkkkkkkkk Abs!

          Responder
  24. Paulo Sérgio

    Nos anos anteriores acompanhei a Laver Cup “por cima”. Este ano assisti integralmente. Confirmei minha impressão de que parece um torneio muito fake, totalmente fabricado. Veja:

    – os técnicos nunca treinaram os jogadores. Muitos só tiveram contatos protocolares, o que leva à constatação de que eles são apenas formais, não orientam nada nem ninguém, ficam lá na quadra só existindo, mal abrem a boca.

    – as cenas dos jogadores orientando uns aos outros é extremamente artificial. Ficam falando no ouvido do que está jogando só para render boas fotos e assunto para redes sociais.

    – os resultados parecem conduzidos para, nessa ordem, deixar a Europa na frente, depois o Mundo passar por poucos pontos e no fim a Europa terminar vencendo.

    – a maioria dos jogos parece combinada para terminar no tie break, dando aos patrocinadores e ao público o que eles mais querem (jogos com maior duração).

    – há um nítido caráter caça-níquel. Nada explica colocar Nadal para jogar 4 jogos seguidos. Nos dois últimos jogos do sábado, ele jogou simples e 27 minutos depois estava em quadra para jogar duplas. Aí na escolha dos jogos do domingo, feita só depois que os jogos do sábado terminam (ou seja, já sabiam que Nadal tinha jogado duas vezes seguidas), puseram o cara para o primeiro e o segundo jogos do dia, um em dupla e um em simples, sendo que Fognini, por exemplo, terminou o torneio com um só jogo. O próprio Federer, dono do torneio, nunca passou por isso em nenhuma das edições (se alguém tivesse de jogar 4 jogos seguidos, que fosse ele). O torneio visivelmente querendo surfar na popularidade de Nadal por ter ganho o último grand slam e na rivalidade dele com Kyrgios. Há uma indisfarçável vontade de ganhar dinheiro botando os medalhões para jogar de qualquer jeito, ainda que com riscos à saúde. Como Nadal pulou fora (a meu ver corretamente), Kyrgios aproveitou para também sair de fininho…

    – enquanto Federer estiver na ativa, nem ele perde em simples nem a Europa perderá o título. Os adversários parecem aliviar por estarem jogando contra o dono do torneio. É óbvio que isso é impressão e jamais será provado mas como dessa vez pude ver todos os jogos do torneio, fiquei com essa nítida impressão.

    O lado bom do torneio foi passar a impressão de que a temporada ainda não terminou para Nadal. Acho que essa preservada que ele se deu talvez seja porque ele ainda pense em jogar algum torneio na fase asiática do calendário.

    O que você acha de tudo isso que escrevi, Dalcim?

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Há de se respeitar opiniões, caro Paulo Sérgio. Mas pra quem acompanha Tênis a tanto tempo , me perdoe mas você assiste outro Esporte. Abs!

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Perfeito Sergio, se ha alguém aqui q respeita a opinião alheia é vc kkkk, apenas acho q faltou, para termos algo q combina 100% com sua atitude no blog, dizer q devemos respeitar o contraditório com humildade kkkk. Grande abraço…

        Responder
  25. Sandra

    Dalcim, você não acha que essa garotada toda não deveria fazer um calendário mais enxuto? Tudo bem que não ganharam o que o big 3 ganharam mais já deu para fazer um bom pé de meia , o Medelev joga semana sim, semana não , o grego pelo mesmo caminho e etc

    Responder
  26. Maria izabel

    Achei a Laver Cup sensacional!!Ver Federer e Nadal ,dando instruções um ao outro,e aos demais, mostra o quanto esses caras são tão fantásticos, dentro e fora das quadras.
    Pensar que há tantos comentários pejorativos sobre esses fenômenos, chega a ser de uma idiotice sem tamanho.
    Isso é que são esportistas,dentro da quadra cada qual quer vencer mas fora dela ,dão exemplo do que é o esporte ,educação, amizade .Muito bom e muita classe.Exceto o Kyrgios que não se adequa a isso.
    Foi demais a comemoração!!

    Responder
      1. Babidi

        Superestimado até o paz e amor conseguir alcançar, kkkk.. parece que tá difícil bater o recorde do pereba, não é mesmo? Aliás, o nº1 da 25 de março não é dono de nenhum principal recorde do tênis ainda.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Não, continuará superestimado de qualquer forma e já expliquei várias vezes os motivos. Único principal recorde do tênis que o GUAT ainda tem é o de Majors.

          Responder
      1. Jose Yoh

        Perto? Só 13 pessoas no mundo desde a era profissional conseguiram ficar mais de 41 semanas como número um. Guga conseguiu 43.
        Talvez para o super Djoko seja algo viável nos próximos 3 anos, mas ainda não dá para chamar de perto.
        E falo 3 anos porque não acredito que com 35 anos ele vá render alguma coisa ainda.

        Responder
        1. Ronildo

          Não, não, não. Medvedev está numa ascendente e Djokovic está numa decadente, tanto é que será ultrapassado por Nadal. E Nadal nem precisa vencer ele, basta esperar que outros o façam.

          É a tendência, vamos esperar.

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Sim, sim, sim.
            Desde quando quem está atrás terá que ser parado por quem está à frente?
            Ao contrário do que disseste, Djokovic só depende dele. Mas você já está afirmando que Nadal vai ultrapassá-lo… sem nem precisar vencer.
            O russo ainda tem 2 ou 3 para chegar no líder.

  27. Rubens Leme

    Achei esse perfil do McEnroe com frases de várias pessoas que passaram pela vida e carreira dele. Uma delas é de Borg. Veja o que disse o sueco: “We respect each other. I respect John, he respects me. It’s not too many guys who you respect on the tennis court, but I know he respects me because in the beginning, when we started to play our first three or four matches, he felt like I was not the bad guy. It was more like I wanted to help him in certain ways, because in certain ways he misbehaved or didn’t know what to do. That wasn’t really his fault — he was coming into tennis and he was this guy. I thought he was learning a lot of positive things, and he felt that I wanted to help him with those things. So I think that’s why he respected me, not as a player but even as a person.” — Bjorn Borg, in 2016, on CNN.

    Para ler mais – https://www.stadiumtalk.com/s/john-mcenroe-bio-facts-b594724cc9e1415f

    Responder
  28. Jonatas Bruno

    O legal da Laver Cup é proporcionar um olhar á mais, além da bola em jogo, e ainda por cima sem deixar de lado o espírito competitivo e os winners que dão o tom a esse esporte tão fascinante!
    O barato é presenciar alguns levando a competição com seriedade a ponto do Nadal valorizar o descanso de domingo! Este trabalha bem a mente mesmo! rsrs
    Por ser um torneio em que ninguém tinha nada a perder, achei que alguns poderiam relaxar um pouco mais como o Thiem e o Shapovalov. Ao menos mostraram serviço.
    Como não curto golpes previsíveis, bem que o jogo de encerramento poderia ser Fognini vs Kyrgios, já que já era previsto que Federer ou Nadal não fechariam o evento.
    No geral deu para curtir!

    Responder
  29. Maurício Luís *

    WELL… Já que o ilustríssimo Sr. Nadal, PhD em baloagem avançada, tá com a mãozinha machucada, enquanto sara do ‘dodói’, deixo-lhe aqui a minha singela, modesta… porém bastante conceituada sugestão.
    Aproveita o descanso pra arranjar um lugar ADEQUADO pra sua sogrinha morar.
    EXPLICO::::::::: tem um ditado que diz “Sogra não pode morar nem tão longe que venha de MALA, e nem tão perto que venha de CHINELO”.

    Responder
  30. Alexandre Maciel

    Muito legal de acompanhar a Laver Cup. Interessante ver que todos levam muito a sério e se dedicam ao máximo. Creio, porém, que com a iminente aposentadoria de Federer (e também de Nadal mesmo que um pouco mais distante) dificilmente veremos todo esse empenho por parte dos participantes e procura por parte parte do público. Espero estar errado, a conferir…

    Responder
  31. Gilçon De Jesus

    Gosto muinto da Laver Cup , principalmente pela confraternização dos tenistas. É ver que eles jogam pra valer , não querem perder de jeito nenhum. É ver Nadal é Federer orientando os jogadores e demais.

    Responder
  32. José

    Dalcim, Federer e Nadal rivalizam desde 2005, enquanto Djokovic só chegou no topo em 2011, quando os outros dois já tinham dividido os corações dos torcedores por anos. Mesmo também sendo carismático, será que é por isso que o sérvio não tem tanta torcida quanto os outros dois?

    Responder
  33. Viana

    Quando vemos alguns fãs aqui se matando pelos 2, e os 2 dando uma aula de carisma, simpatia, amizade…
    Fedal é um exemplo para todos os esportes.
    Pra mim, humildemente, seria a maior rivalidade de todos os esportes.
    Os 2 são espetaculares atletas, mas sobre tudo, grandes exemplos!!
    Foi demais!

    Responder
      1. Rubens Leme

        Isso é bacana, mais ou menos como a amizade e respeito mútuo entre Borg e McEnroe que se tornaram muito amigos depois que o sueco se aposentou. McEnroe e Connors foram os responsáveis por não deixarem o sueco venderem todos seus troféus e medalhas quando faliu, junto de Agassi. Os 3 se ofereceram para comprar tudo e guardarem até quando o sueco quisesse.

        Essas amizades são inspiradoras. Alguns falam, inclusive, que Connors se aproximou mais de McEnroe por causa de Borg, porque também o admirava demais, afinal, era o único que não sucumbia aos seus jogos psicológicos, como o próprio Jimbo admitiu.

        Responder
          1. Rubens Leme

            Bom, eu disse que se aproximaram mais, não que ficaram amigos…rs… inclusive Big Mac disse que ele é o segundo melhor canhoto da história, para irritar Connors, mas também deu uma cutucada em Rod Laver.

            Digamos que hj são mais civilizados.

          2. José Nilton Dalcim

            A primeira. que tem o icônico “You Can Not Be Serious” como título. Anos mais tarde, ele escreveu outra.

      2. CAIO CESAR

        Concordo ctg, Dalcim.
        E é engraçado como o estreitamento dessa ligação dá a impressão de que o Djoko se torna ainda mais o “patinho feio” do Big3.
        Lógico que estou me referindo em relação à torcida, ao carisma, ao apelo perante o público, e não tecnicamente falando (antes que eu seja atacado pelos radicais do blog kkkk).
        Abraço!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          E muito interessante que esse estreitamento de amizade aconteça justamente quando estará aberta uma disputa direta entre eles pelo recorde de Slam. Acho que o esporte tem de se bem isso: rivalidade extrema apenas dentro da quadra (ou do campo).

          Responder
      3. Viana

        Pareceu e eles até falaram algo nesse sentido.
        E o quanto eles se elogiaram.
        Lembrando que, em tese, esse seria um momento meio tenso da carreira do 2, pq Nadal se aproxima do recorde de Federer.
        Dalcim, agora realmente acredito que os 2 vão nutrir uma amizade muito boa para o tênis.
        Imaginem jogos exibição pelo mundo com os 2 aposentados…

        Responder
  34. Kennys

    Dalcim, acredito que com esse tipo de competição, não como exibição, e sim fazendo parte do circuito l, o tênis ganharia muito. O difícil é encontrar critérios parra isso, além do problema da tradição do circuito masculino.
    Mas uma coisa é certa l: a ATP e os administradores do tênis só teriam a ganhar com uma competição desse porte, fazendo parte oficialmente do circuito, inclusive com pontos para o ranking por vitória individual e um bônus pela vitória da equipe.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não me parece correto dar pontos num torneio em que se convidam os participantes e se joga sob regras diferentes. Só valeria se houvesse um critério real, mas acho que ninguém quer mais um torneio engessado. O divertido da Laver Cup é justamente a descontração.

      Responder
      1. Fedex

        Esse é o problema, conseguir os critérios adequados para que possa fazer parte do circuito. Acredito que poderia ser os 10 ou 12 primeiros colocados do ranking, uma semana antes do Finals. Poderia dar 100 pontos por cada vitória individual e 300 pontos de bônus para cada tenista da equipe vencedora, assim um tenista poderia alcançar até 500 pontos nesta competição, o que poderia deixar o Finals ainda mais decisivo para saber quem terminaria a temporada como número 1.

        Responder
    2. Ronildo

      Mas dava para estabelecer critérios básicos. E nem precisa muita criatividade. O primeiro e principal (e talvez o único critério necessário) seria chamar os jogadores melhores rankeados, como no ATP Finals. Mesmo fazendo isto poder-se-ia dividir entre Europa x Mundo. Mas eu faria 3 equipes para disputar o torneio: Europa x EUA x Mundo. Acredito que acrescentando uma equipe a mais a rivalidade aumentaria, já que os americanos são geralmente bem nacionalistas e acreditam em sua supremacia sobre o resto do mundo. E sabemos que eles têm supremacia mesmo. E no tênis sempre foram um força especial.

      Responder
  35. Jeferson

    Essa Laver Cup traz momentos sensacionais,por exemplo a vontade do Nadal em ajudar o Federer para vencer o kigriios, muito interessante.
    O Nadal estava inquieto e tentando de todo jeito dar alguma dica para auxiliar na vitória do suíço, que venceu de virada.
    Essas interações entre os tenistas são muito legais e inéditas,o torneio, que agora já consta no calendário da atp, tem td para crescer ainda mais.

    Responder
  36. Maisa

    Gostei da Laver Cup!!! Só não consigo torcer para o time mundo. Kyrgios é um mala… e seu talento não supera a rejeição. E olha que eu sou acompanhada de muitas pessoas.
    O time europa já sobra em carisma, simpatia e talento. Como não torcer por eles. Feliz pela vitória merecida do FEDAL e companheiros.

    Responder
  37. Sérgio Ribeiro

    Aqueles que somente apreciam seus ” ídolos ” , podem nem ter assistido. Basta ver que o Blog ficou livre da turma da Kombi kkkkk . Mas pra quem gosta do Esporte , um colírio. Uma interação total dos Tenistas entre si e com o público. E o grande barato , é que até alguns que não se bicam ( Sasha e Tisitsipas) , estavam numa boa . Ninguém que ser o responsável pelo ponto que tirou a Vitória do Time. Daí a grande competitividade com menos desgaste que um ATP comum. Visto em todo o Mundo , já tem mais uma versão garantida . Show de bola !!!! Abs!

    Responder
  38. Rubens Leme

    Vendo o Nadal falar tanto pra todos os jogadores você se pergunta que diabos o Borg fazia ali? Foi pegar só o cachê?

    Em alguns momentos o espanho parecia o Apollo Creed, especialmente quando falava com o Federer… Olho de tigre, cara!..ops, olho de boi! (ou de touro, para honrar o apelido do espanhol).

    Responder
      1. Rubens Leme

        Sempre, Dalcim, ele É O CARA. Mas ele continua calado até como técnico, que coisa.

        Me lembra uma anedota que o Luis Fernando Verissimo contou sobre si mesmo, em que uma pessoa perguntava e ele quase não respondia, e quem o salvava era sua esposa. Uma hora, o entrevistador, após tentar em português e inglês perguntou para a muher porque ele não falava. Verissimo se virou para ela e cochichou no ouvido: “avise-o que sou calado em todas as línguas”.

        Responder
        1. lEvI sIlvA

          Boa, Leme! Sou muito fã do Veríssimo e mais ainda de sua percepção de sim mesmo. Numa ocasião vi uma entrevista onde ele respondia ao interlocutor, não sabia quem sofria mais ali, se ele ou quem o entrevistava. E o pior, era nítido o desconforto do nosso ilustre LFV! rsrsrs

          Responder
          1. Rubens Leme

            Me apaixonei por literatura ainda criança através das obras de Monteiro Lobato, Agatha Christie, Júlio Verne e Luís Fernando Veríssimo. Até hoje conservo a edição original de O Analista de Bagé, que meu pai comprou por volta de 1980, totalmente surrada de tanto que foi manuseada. Na época, havia sido um sucesso e um escândalo pelos contos ácidos e políticos e pela descrição da secretária do analista, a Lindaura, que rendeu a primeira de suas adaptações “adultas” para o teatro.

            Mas o livro que mais gosto dele é uma coletânea editada por uma professora, O Gigolô das Palavras, que até hoje releio para rir. LFV tem a mesma veia cômica absurda do Woody Allen como escritor e não é coincidência que tenha morado nos EUA quando garoto e desesperava o pai, Érico, porque parecia não saber o que querer da vida.

            Acabou sendo jornalista, amante de jazz, do humor político e satírico em voga da época e escreveu contos e personagens hilários (Ed Mort e a Velhinha de Taubaté são os melhores) e até um romance de mistério sensacional Gula – O Clube dos Anjos, publicou.

  39. Rafael Azevedo

    É isso aí. Vejo muita gente reclamando dessa copa e questionando o porquê de jogadores como Nadal participarem dela, já que há muito coisa em jogo no final da temporada (ranking, título importantes etc.). Mas, a questão é que a laver cup é o único torneio em que o jogador consegue misturar a adrenalina da competitividade com diversão e resenha. Esse é o motivo de, por exemplo, o Nadal participar: Satisfação. Ele não joga, simplesmente, pelo cachê, mas, também, porque ele gosta de estar lá, é prazeroso. Vi a entrevista do Nadal, e ele disse que estava se divertindo muito. E ainda fez questão de continuar ajudando a equipe, mesmo depois de se retirar do campeonato por lesão.
    É isso. Essa é a razão! Não traz pontos, cansa, desgasta, mas traz satisfação.

    Responder
      1. André

        Pois é Dalcim… ia perguntar justamente isso… não sei se foi por conta de nenhuma das equipes conseguir abrir uma vantagem, mas nos jogos que vi, o pessoal parecia estar levando bem a sério (apesar da descontração comentada), comemorando os pontos, provocando os adversários e tudo mais… ninguém estava fazendo gracinha e tentando dar espetáculo… vc teve a mesma impressão??

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          E isso também aconteceu nas outras edições, André. Acho bem legal, porque uma das coisas que me frustra vendo exibições é o excessivo relaxamento dos jogadores, o que o público claro não curte muito. Na Laver, existe seriedade no ponto certo e vejo todos se esforçando nas partidas.

          Responder
  40. Sandra

    Dalcim , ninguém duvida do sucesso do torneio , mas será que vale a pena por maior que seja o dinheiro , até porque Federer e Nadal não precisam mais , falo por causa das contusões dos dois

    Responder
  41. Rodrigo

    Dalcim, bom dia.
    Gosto da Laver Cup, acho um ótimo entretenimento. Mas acho estranho e desnecessário que a partir deste ano, mesmo com a ATP colocando ela como parte do seu calendário, que seus resultados (até das 2 edições anteriores) sejam contabilizados oficialmente no H2H. Como disse, gosto do evento pelo aspecto de diversão, de aspectos que a gente dificilmente vê no circuito. O que você acha ? Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Como disse antes, Rodrigo, acho incorreto contabilizar esses jogos. Porque afinal se trata de um torneio de exibição, ou seja, os tenistas são convidados. E, mais grave ainda, o formato do jogo é fora do padrão (match-tiebreak). Abs!

      Responder
  42. Fabrício Freitas

    Bom Dia !
    Gostei bastante da LAVER CUP , Concordo com Voce que é bem divertida e tira aquela rivalidade , e ver o Fededer e Nadal dando instruções deixa muito
    mais divertido , pena que faltou a dupla FEDAL,

    Mais Federer ano que vem poderia pensar em colocar uma MENINAS pra jogar ( Serena kkk ) Voce não acha Dalcim ?

    obs: assisto os jogos pelo seu site ! continue – grande abraço

    Responder
    1. Jonatas Bruno

      Lembro que no final da temporada foi criado um torneio semelhante, acho que bancado por patrocinadores. Serena inclusive participou de uma das edições. Era uma excelente ideias, pois reunia numa mesma equipe tenistas já aposentados. Carlos Moya e Goran Ivanisevic eram figuras carimbadas, assim como Marcelo Melo e Kyrgios e Agneska Radwsanska (na época ainda em atividade).
      Não sei porquê não deu andamento?
      Esse formato era bem mais interessante!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *