Só faltam dois
Por José Nilton Dalcim
5 de setembro de 2019 às 02:04

Rafael Nadal deu mais um passo importante na direção do 19º troféu de Grand Slam e na tentativa de retomar a liderança do ranking. Único jogador da temporada a ter feito semifinais em todos os quatro Slam e em 10 dos 11 torneios que disputou no geral, sinais evidentes de sua consistência, ele superou uma noite quente e úmida em Nova York, conseguiu administrar quedas de intensidade e dobrou o espírito guerreiro do argentino Diego Schwartzman.

Se tivesse mantido o domínio que conseguiu nos dois primeiros sets, talvez o placar teria sido um esmagador 6/0, 6/1 e 6/2. Abriu 4/0, fez um game de serviço estranho e aí Dieguito se agigantou e passou a jogar um tênis corajoso e sem erros. Empatou e teve a bola para nova quebra. No outro set, Rafa chegou rapidamente a 5/1, 15-0 e voleio na mão. O argentino se salvou com um lance de defesas incríveis, o espanhol se desconcentrou e novamente Schwartzman engatou uma série notável de jogadas. Mas nos dois casos, quando teve de sacar com 4/5 e com 5/6, não acreditou.

Com 2 sets acima, Nadal só poderia mesmo deslanchar, porém veio um pedido médico para massagear o antebraço esquerdo e mais tarde um alongamento no direito, o que sugeria risco de cãibra. Schwartzman até tentou explorar isso, forçando mais ainda no forehand do espanhol, mas Rafa decidiu finalizar o mais rápido possível, soltou seus golpes como se esperava nos outros dois sets e por fim não abriu espaço para reações. Ao final, admitiu que a noite foi difícil com as condições climáticas e o poder de luta de El Peque, mas assegurou que sua confiança está nas nuvens.

A festa italiana continua
Com dois jovens semifinalistas de Grand Slam em 18 meses e um top 10 que não via há quatro décadas, o tênis italiano continua a progredir no circuito masculino. Matteo Berrettini, a quem lembro de ter chamado a atenção ainda no começo da fase de saibro, sobreviveu a um duelo incrivelmente emocional diante do experiente Gael Monfils e se tornou o segundo NextGen nas semifinais do US Open e o mais jovem deles, já que tem os mesmos 23 anos de Daniil Medvedev, porém nasceu dois meses depois.

O saque e o forehand são as grandes armas do tenista de 1,96m, que neste ano já ganhou ATP no saibro e na grama, mas que ainda deixa a parte mental interferir bastante. Foi exatamente o que aconteceu na batalha desta quarta-feira. Primeiro, teve admirável poder de reação, ao perder o primeiro set e ver o francês abrir 2/0 no segundo. Seus ataques começaram a incomodar Monfils, que parecia já com problemas físicos no quarto set, mas lutou muito e esticou a decisão para delírio do público.

A vitória de Berrettini parecia inevitável quando abriu 5/2, mas ao chegar ao primeiro match-point no game seguinte cometeu dupla falta a 122 km/h. A disputa então ficou tensa, os dois jogadores segurando o braço, com medo de arriscar, e deixando a bola muito curto. Monfils ainda salvou outro match-point antes de levar ao tiebreak e aí cometeu duas duplas faltas. O italiano enfim fechou na quinta tentativa, após 3h56 de esforço tanto físico como emocional.

A inexperiência e a instabilidade só ampliam o favoritismo de Rafael Nadal, a quem nunca enfrentou. Mas talvez o fato de ser uma ‘zebra’ total o deixe mais relaxado. Entrará em quadra já assegurado no top 15 do ranking e com grande chance de aparecer no 9º lugar no ranking da temporada, grudado em Kei Nishikori,

Duelo das meninas
Uma deliciosa semifinal está marcada entre duas tenistas muito jovens: Bianca Andreescu, de 19 anos, enfrentará Belinda Bencic, de 22, para ver quem fará sua primeira tentativa de ganhar um Slam. Mas há uma diferença bem grande no currículo de ambas, porque a suíça surgiu como prodígio em 2014, quando fez quartas no mesmo US Open e pouco depois atingiu o top 10 do ranking. Já a canadense é uma grande sensação da temporada; há um ano, jogava o quali do torneio.

As duas jogam também de forma um tanto distinta. Bencic gosta mais do contragolpe, Andreescu parte para o ataque o tempo inteiro. Nas partidas desta quarta-feira, a suíça viveu um começo instável e viu a croata Donna Vekic sacar para o set com 5/4. Reagiu, venceu no tiebreak e terminou com o ótima marca de 41% de pontos vencidos na devolução. Mas o duelo foi um tanto travado.

Andreescu me agradou mais. Dominada por um primeiro set muito bem feito pela belga Elise Mertens, adotou mudanças táticas corretas, diminuiu a margem de erro e esperou o momento certo de se impor. É incrível imaginar que Bibi terminou apenas como 178º do ranking em 2018, tendo vencido dois torneios de enorme peso, em Indian Wells e Toronto. Talvez estivesse ainda melhor se não ficasse de fora do circuito por quatro meses devido ao ombro (após Miami, só disputou Roland Garros e abandonou na segunda rodada).

O duelo entre elas é inédito no circuito, o que acentua a falta de prognósticos. Quem vencer, será pelo menos oitava do ranking, a menos que Serena William seja campeã.

Para a história
Berrettini é o quarto italiano a atingir uma semi de Grand Slam no tênis masculino, repetindo Adriano Pannatta (três semis),  Corrado Barazzutti (duas) e Marco Cecchinato (uma). Os únicos italianos a vencer um Slam foram Pannatta (Roland Garros-76), Francesca Schiavone (Roland Garros-2010) e Flavia Pennetta (US Open-15). O grande momento dos italianos também viu Fabio Fognini chegar ao top 10 nesta temporada e se tornar o jogador de maior idade a fazê-lo pela primeira vez.


Comentários
  1. RODRIGO

    Essa final do US Open pode ser histórica. Se o homem de aço vencer, poderemos estar vendo o fim de uma era. O primeiro vencedor da nova era. Estou torcendo pro Mad Med. Esse cara vai longe, tem o que o tênis moderno pede, sólidos golpes de fundo, saque poderoso, físico de maratonista e a frieza de um russo.

    Responder
  2. Lola

    O Roger nem foi ultrapassado, mas logo será e já estão rebolando pra justoficar pq será o melhor e blá blá blá.
    O Nadal e Nole que segundo a cabeça mediocre de alguns, não jogam nada, tem jogo feio, vão ser os detentores dos princípios recordes do tênis ✌.
    Chora federada!!!!
    😂😂😂😂😂

    Responder
  3. Maior geração do tênis chegando

    Medvedev e Nadal na final ..e sem favorito na final Nadal tá bem é joga trankilo a final pq tem muita experiência né história …….. Medvedev vem jogando mas q Nadal no ano e tem muito futuro .. acho bem aberto essa disputa vamo Medvedev vô torce por russo kk

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    Aprendi nessa edição do Us Open que não existe favoritismo nesse mundo que garanta o título.

    Eu já tinha dado por líquido o vigésimo-primeiro Major do suíço, e quebrei redondamente a cara…

    Portanto, nada está definido para o Nadal.

    Ainda mais depois daquela apresentação fraquinha contra o Schartzman, em que duas vezes abriu um 4 a 0, e depois cedeu o empate.

    Ali contra o nanico, o diferencial foi o saque. (que Diego não tinha)

    Entretanto, não vejo esse Berretini aprontando pra cima do espanhol.

    Já o russo é outra estória…

    Se o físico dele aguentar a mais essas duas exigentes partidas, ele é o mais perigoso.

    Quanto ao Dimitrov, já podem ligar a musiquinha do ” MISSÃO IMPOSSÍVEL”:

    Para ser campeão desse torneio venceria em sequência a:

    Federer, Medvedev e Nadal.

    Responder
  5. Maurício Luís "

    Daicim, que eu me lembre, a Serena encerrou a temporada no ano passado depois do incidente na final do mesmo US Open. Será que fará o mesmo este ano? Porque em caso de título, acredito que ela inclusive se classifica para o Finals…

    Responder
  6. Maurício Luís *

    Quando vi Serena contundida em parte do primeiro semestre e fora de forma em Roland Garros, pensei comigo: ” Ela não vai conseguir defender os pontos de 2 vice-campeonatos de Slams consecutivos. Não tem como…”
    Mas pra ela, parece que nada é impossível. A vontade de vencer é maior que tudo. O mesmo pode se dizer do Nadal.
    Mesmo com todos os defeitos que reconheço que ela tem – arrogante, às vezes explosiva, intimidadora – continuo torcendo por ela. Pra mim, as qualidades superam os defeitos.
    Serena, boa sorte! Se vencer, com certeza vai dedicar o troféu à filhinha. E se caso perder… bom… perca só o jogo. Não perca as estribeiras não, viu? Olha o exemplo!

    Responder
  7. Rodrigo S. Cruz

    [Ronildo]
    5 de setembro de 2019 às 15:15

    “Dimitrov vai ser campeão deste US Open.

    Obs.: Dimitrov só não será campeão se perder na semifinal ou na final”.

    Meu Deus, estou ESTUPEFATO com tamanha demonstração de sapiência.

    Jura que você chegou a essa brilhante, magistral conclusão sozinho?

    Que demais!

    (rs rs rs)

    Responder
  8. André

    Dalcim, vc vê alguma chance do Russo contra o Nadal?? No Canadá ele tomou um pneu… e o Dimitrov é um baita freguês também… pra mim, o italiano “desconhecido” deve ser o menos fácil dos 3. Na minha opinião só um problema físico tira do Nadal esse caneco, o que, diga-se de passagem, está muito comum nesse torneio!

    Responder
  9. Sérgio Ribeiro

    E porque o Bad Boy não dar uma olhadinha na Bad Girl. Hoje Serena deu uma demonstração que é possível dominar a Cabeça, e praticar esse Esporte com total comprometimento. Svitolina ao final , a comprimentou com total descontração. A mais velha N 1 do Mundo , e a mais Velha a vencer TODOS os SLAM , parece pronta a deixar de lado esta incrível ansiedade de vencer como Mãe. A exatos 20 anos , aos 17 , vencia seu primeiro exatamente no USOPEN 1999 , encima de ninguém menos que Martina Hings. Kyrgios poderia dar uma olhadinha , não faria mal algum. Abs!

    Responder
  10. Paulo Almeida

    Os balões do Nadal são feios mesmo, mas é uma tática que funciona contra quase todos. Rara exceção é o Djokovic, que tem a melhor esquerda da história e anula tanto os balões quanto o forehand cheio de spin na maioria das vezes. Já os que utilizam back de uma mão são as presas mais fáceis.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Exato , sábio Paulo. Daí o Suíço ter vencido 6 das últimas 7. Já sei . Não viu os jogos , então vou te ajudar. O Espanhol mandando 1000 bolinhas no Back do Suíço. Este pegando batido na subida ,cruzava no forehand do Touro. Deu um nó na cabeça do Cara. No Saibro não funciona com o back simples pois a bolinha quica muito alta, acima da linha de cintura do Suíço. Foi comprovado em Rolanga 2019 , pois o ” fujão” não ” fugiu ” da Semi kkkkkkk Abs!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        E no resto da carreira? Tomou 23×10 por causa da esquerda pífia sempre bem explorada. Só em 2017 que ele aprendeu a superar a arma do espanhol.

        Responder
    2. Viana

      No caso do el peque deram muito certo. Diego estava batendo muito forte, acho q a altura da bola do Nadal estava boa pra ele.
      Nadal percebeu e deu uns balões que complicaram muito o Diego. Ele tinha que saltar para bater o backhand e com isso perdia potência…
      Com Djoko e Federer esses balões não funcionam, pq eles descem a porrada se Nadal fizer isso.

      Pode ser feio, mas é uma tática e foi muito bem usada pelo Touro Miúra nesse jogo!

      Responder
  11. Sandra

    Dalcim, vc não acha que a Serena quer g@nhar a qualquer custo, e por isso não inpoe um certo medo a sua oponente, quis dizer,ganhar no grito , com a Osaka não colou , mas a ucraniana parecia assustada

    Responder
  12. Luiz Fernando

    Quando a Serena está na quadra geralmente domina suas adversárias pela distinção absurda de potência dos golpes, o q as vezes ate “brochante”. A Svitolina está sendo atropelada…

    Responder
  13. Chileno

    Extremamente provável o título do Nadal. Nenhum dos jogadores restantes no torneio parece ter cacife pra barrar o espanhol numa melhor de 5 sets, e o touro vem voando baixo.

    Responder
  14. Maria izabel

    Rafael Nadal dá gosto ver jogar.Tem garra,luta e sangue nos olhos.Observei seu jogo e vejo como ele está cada vez se aprimorando seus golpes.Jogador de físico invejável, treina muito e se não tem um jogo clássico, tem bastante recursos técnicos.
    Gosto do Federer,mas estou cansada de ver seu joguinho clássico.Sua perda de Wimbledon me lotou a paciência. Preferia vê-lo com mais garra,que ser bailarino.O tênis de hoje exige muito mental(alô Dalcin,você me ensinou essa. 70%é mental e 30% talento). Como o mental do Federer é baixo,e com a raiva que ele me faz passar,fico duvidando se ele é tudo isso mesmo.
    Não vibra,fica com cara de sou o bom, o resto que se dane .Parece que entra em quadra só por contrato,grana.Perdeu a vontade.Infelizmente nunca imaginei que fosse ver um Federer tão ridículo em quadra.
    Se Nadal vencer o US OPEN estará em boas mãos,.Chamado eterno saibrista vencer em hard,assim como Federer é o especialista na grama e me perde feio em Wimbledon.
    Do Big Three Federer é o que não evolui,e o mais completo ainda vejo o Djocko.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pois é , cara Maria Izabel . Deve estar cansada de tanto balé e técnica pura. É por isso que não obtém resultados. Apenas CENTO e DOIS Torneios vencidos em 20 anos. Serena no mesmo tempo tem 71. Abs!

      Responder
    2. Marcelo Monteiro

      Federer não evolui ? O backhand dele ficou pior, não é mesmo ? Os títulos do abertos da Austrália e da Inglaterra em 2017 depois de meses parado provam o que você disse, não é ?

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Impressionante , caro Marcelo , a falta de memória. O Cara vence 3 SLAM acima dos 36 , fato jamais ocorrido incluindo a Era Amadora , ainda é o maior Recordista de tudo de mais importante , e se depara com esse tipo de comentário . No mínimo , infeliz. Quem faz 96 WINNERS no maior devolvedor da história , está longe de ser Amarelão. Impôs seu jogo , e nem nos match points perdidos , aconteceram duplas faltas. Abs!

        Responder
  15. Lola

    Vou torcer pro Nadal se aproximar do arrogante suíço e ano que vem passar.
    Espero que Nole passe o número de semanas e vamos observar o exercício arduo pra falar que o outro é o melhor de todos sem os principais recordes.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      A coisa é simples:

      Nem o Djoko e nem o Nadal são capazes de emular o estilo “Roger Federer” de praticar tênis.

      (aliás o estilo deles enfeia o esporte).

      Portanto, independentemente de recordes, Roger sempre será o maior dos três.

      Coma essa manga e arranque o fiapo do dente… (rs)

      Responder
      1. Viana

        Caro Rodrigo, vc é um cara inteligente… não faça isso!
        Nenhum dos 3 dá conta de emular o estilo de qualquer um dos outros bem!!
        E eles são tão geniais que características marcantes no início de de suas carreiras mudaram!!

        Já vimos por agora Fedex ganhar jogos na defensiva, Nadal com mais aces e winners que Cilic e Djoko dando drop shots em várias oportunidades.
        Os 3 são gênios!!
        Se a disputa do GOAT já existe hoje… ela sempre existirá! A não ser q Fedex ganhe uns 2 Slans e os outros mais nada!

        Responder
    2. Gildokson

      Pq Roger é arrogante? Só pq ele tem os números mais importantes do tênis q segundo a sua bola de cristal logo serão superados???
      Vou te contar uma novidade que ja li aqui dita pelo próprio Dalcim. Não existe santinho no Tênis!

      Responder
    3. Jose Yoh

      Pois é esse exercício árduo que todo santo dia um monte de fakes tentam fazer aqui, criando teorias bizarras como SLAM PARRUDO. Teoria que acaba de ser jogada no lixo com este USO – afinal, dois favoritos caíram fora e como o campeão não os enfrentou, então o título não valeria para a contagem.

      Tudo para convencer com menos números que o sérvio ou o espanhol é melhor.

      Tô de saco cheio desse papo. Mudem o disco pelamor.

      Seria bom mesmo que eles passassem o suíço, talvez o nível dos comentários suba aqui.

      Responder
  16. Eric

    Dos jogadores das quartas, Bellucci já ganhou de Wawrinka, Dimitrov, Schwartzman e Monfils.
    O que isso significa?
    Nada. Apenas que estou carente de bons tenistas brasileiros.

    Responder
  17. Rafael

    Muito triste com as derrotas de Djoko em Cincy e USO. Imaginava que Djoko iria disputar palmo a palmo com Rafa os M1000, mas ele mesmo já disse que não são sua prioridade. No USO, diferente de muitos, acho que ele poderia ter batido Wawrinka se estivesse bem. Ficou sem um e sem o outro.

    Como o Brack disse, Nadal não dá essas brechas e não deixa escapar chances.

    Muito decepcionado com a derrota de Federer no USO. E preocupado, pois Federer mesmo disse que só ficaria no circuito enquanto fosse competitivo. Já imaginaram um circuito sem Federer?
    _________________________________________________________________________________

    Pra mim, Nadal é o maior competidor que há. Inigualável. Merece tudo que ganha.

    Responder
  18. João Brayner

    Dalcim, você acredita que se acontecer um eventual jogo longo entre Nadal e Berretini isso possa comprometer até de Nadal, caso ganhe a semi, terminar a partida?
    Toda vez que tem jogo longo ele tem entregado ou ainda no jogo ou na rodada posterior.

    Responder
  19. Leandro

    Década das trevas do tênis tem monfils com problemas físicos no SporTV três geralmente….e o nixicori lesionado descansando pra voltar ao top dez….e os velhos e as crianças…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Se o Nadal confirmar esse Us Open, as chances são bem grandes mesmo.

      Enormes.

      Porque RG 2020 é “boi garantido”.

      Todavia, NUNCA duvide de Roger Federer.

      O que ele fez em Wimbledon, e a decepção com a derrota para o Dimitrov são indícios de que ele ainda não jogou a toalha…

      Enquanto ele for fisicamente apto para jogar em alto nível, sempre ele vai estará entre os favoritos.

      Talvez a única exceção seja esse Us Open mesmo, onde não se sente bem.

      Quem diria que depois de vencer 5 vezes lá, esse palco transformaria em um tabu?

      Até em RG, o Federer conseguiu chegar mais longe…

      Responder
    2. Chileno

      Hoje, parece bem provável pro espanhol mesmo. Hoje. Pro sérvio, não sei não… obviamente tem potencial pra isso. Mas caiu lesionado nesse Slam, tem 33 anos e são 4 Slams de diferença. Não acho que tá tão fácil assim…

      Responder
  20. V Maurício

    Dores e cãibras a parte, não gostei do nível do Nadal. E o argentino poderia ter feito mais se tivesse mais calma e mais inteligência tática. Acho que nunca tinha visto o forehand do espanhol tão descalibrado como ontem. Não foi nem sombra do que jogou contra Cilic. Se jogar assim contra Berretini, vai ter problemas sérios. O italiano tem um saque fulminante e uma direita muito pesada. Lembra até o estilo do Kyrgios. Não vai ser essa moleza que todos estão pensando. Concorda Dalcin?

    Responder
  21. Edi

    Se o Nadal pegar o Russo na final e jogar como ontem,vai ser 3 a 0 pro Russo,podem escrever, Nadal só ganhou ontem porque até o argentino se assustou que poderia ganhar e perdeu chances no primeiro e segundo set,apesar de ter largado bem atrás em ambos.

    Responder
  22. Ronildo

    Dimitrov vai ser campeão deste US Open.

    Motivos:

    Tem tênis de qualidade para isso. É jovem ainda e está motivado.

    Obs.: Dimitrov só não será campeão se perder na semifinal ou na final.

    Responder
    1. Maurício Luís "

      Ronlldo, ora pitondas … Essa previsão até eu faço. Vai ser campeão, desde que não perca… “Vai fazer sol ou não… desde que não chova…”

      Responder
  23. Efraim Oliveira

    Ainda estou impressionado com a fala do Carlos Reis, quem diria.

    Essa tendência de virar a casaca ‘Roger pro Nadal’ já vem acontecendo há algum tempo aqui no blog; com Nadal cada vez mais encostando no número de slams e o histórico de h2h entre eles, isso têm pesado a favor de Nadal.

    Aí também entra o fator que Nadal incomodou o Roger em todos os pisos, ao passo que Nadal nunca foi incomodado no saibro.

    Como estão cada vez menos o argumento de semanas na liderança -haja visto que está bastante ameaçado pelo Novak- estão focando mais na quantidade de slam conquistados.

    Responder
    1. Jonas

      Isso mostra o quanto é fácil torcer pra quem tem mais. Hoje, esse alguém ainda é o Federer.

      Jogo bonito, carisma, plasticidade…isso sempre foi uma grande bobagem. Torciam pelo cara porque ele veio antes e ganhou tudo, fechando em 2009 com a conquista de Roland Garros.

      Era fácil torcer por RF…hoje tá cada vez mais difícil pra alguns. Vai acontecer o mesmo se algum outro tenista quebrar a hegemonia de Novak e Nadal.

      Responder
      1. Chileno

        Ué… mas é natural não? É óbvio que é mais fácil torcer por quem está ganhando. Acha que eu gostava mais de torcer pro São Paulo hoje, ou de 2005 a 2008?

        Virar a casaca agora sim, seria ridículo. Torcer pelo Federer hoje, é bem mais difícil do que foi 10 anos atrás. Mas o jogo dele ainda é de longe o que mais me agrada, e enquanto ele não parar, vou torcer por ele. Será melhor se ele estiver ganhando e competindo.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          [Chileno]
          5 de setembro de 2019 às 21:16

          “Ué… mas é natural não? É óbvio que é mais fácil torcer por quem está ganhando. Acha que eu gostava mais de torcer pro São Paulo hoje, ou de 2005 a 2008?”

          Chileno,

          Preciso falar aqui que (pelo menos pra mim) essa teoria da Gleisi é a coisa mais ridícula que eu já li.

          Desde o primeiro dia que vi o Federer jogar eu admirei a graciosidade do tênis dele.

          E já concordava com os analistas que diziam:

          “Esse cara tem tênis para ser o maior de todos”.

          Vale lembrar também que quem acompanhou o início dele, sabe que o Federer demorou para se converter de “promessa” para “realidade”.

          Apesar disso, eu NÃO TORCIA por ele em primeiro lugar.

          Eu torcia primeiro pelo Guga (óbvio), e depois pelo Safin.

          E segui torcendo fielmente pleo russo, até a aposentadoria deste em 2008!

          Portanto, justamente no período de maior domínio do Federer, eu torci CONTRA ELE:

          que foi em 2006 e 2007.

          Época também de ascensão do Nadal.

          Somente depois de Nadal e Djoko se consolidarem como grandíssimos campeões, foi que eu me voltei para o Federer.

          Aí sim, eu passei a preferir o Federer, dentre eles três.

          Mesmo assim, e apesar de todo esse histórico, eu até hoje tenho pouca preferencia de torcida entre:

          Stan, Federer, Fognini e Kyrgios!

          Tudo depende do momento e chance de cada um deles, em determinado torneio.

          Ou seja, eu SEMPRE me baseei a VIDA TODA no espetáculo em primeiríssimo lugar!

          E não se fulano e cicrano fosse mega-vitorioso, como escreveu a Gleisi, vice-líder da seita “Lulo-nolista”.

          kkkkkk

          Se alguns pensam que prefiro o Federer, é porque (dentre todos) ele é o mais ODIADO E INVEJADO pela seita…

          Aí eu fico muito emputecido, e o defendo acima de qualquer outro.

          Até porque nenhum outro é tão invejado e injustamente atacado aqui como o suíço…

          Responder
        2. Luiz Fabriciano

          Eu comecei a torcer por Djokovic antes mesmo do primeiro título, então fujo à essa regra. E ninguém disse ainda, mas acho que o Carlos Reis está sendo apenas irônico com todos. Quem torce mesmo, não muda. Isso é sentimento, não opção.

          Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          E que fatos seriam esses?

          Eu e um sem número de pessoas torcemos pelo Federer por ele ter conseguido unir beleza de jogo + resultados.

          Dizer que só resultados bastam para admirar um tenista é uma falácia que não tem tamanho.

          Um exemplo disso é a Fórmula 1:

          Sempre torci ferozmente CONTRA o Schumacher, independente dos super-resultados dele…

          Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Amiguinho, por que não se conforma logo?

        Federer é Federer, brother…

        E por mais que seja essa verdade doída pra você:

        O mais habilidoso, mais carismático, mais plástico, mais recordista, enfim:

        O mais TUDO que realmente importa para quem curte o tênis.

        Creio que o tenista que mais se aproxima de encarnar o tênis na própria essência.

        E não será algo tão ínfimo como inveja e dor-de-cotovelo de um qualquer que mudará este fato.

        Forte abraço.

        Responder
  24. Marcelo-Jacacity

    Carlos Reis,
    O loco! rs…Muita calma. Pense pelo lado bom, Federer era pra ter ficado com 17 Slams se não fosse a lesão no cotovelo e a fase guru doideira do Djokovic. O suíço não tinha nada a ver com isso e venceu. E o melhor, finalmente parou de perder para o Nadal nas quadras duras.
    Realmente o 40/15 sempre será inesquecível para todas as torcidas!
    Quanto ao prognóstico de títulos de Majors, acho que o sérvio vence mais alguns, e o suíço mais um ainda, não acha?
    Ajde e ajude Djokovic
    🙌🏻🇷🇸
    Torcer pro Nadal? O Lógico não vai gostar disso. Venha torcer pro DjokoVader!

    Responder
  25. Sérgio Ribeiro

    Que o Italiano não tem nada a perder , é óbvio. Que tem belos golpes , idem. Que seu Back de duas mãos gera potência para ser competitivo , num patamar bem acima de Dieguito, com certeza . E para por aí. Vindo de uma partida de 5 Sets , e enfrentando o melhor estrategista do Circuito, um abraço. Do outro lado vejo mais chances de Dimitrov aprontar pra cima do combalido Russo. Mas está até difícil secar o Touro como sempre faço, devido ao excelente nível de Tênis que apresenta aos 33 . Imaginava que o Canhoto de Mallorca já estaria aposentado há muito. Idem para Novak. Perder o Recorde de SLAM para ambos , não é vergonha alguma para o Craque Suíço. Independentemente de Raquete de Madeira ou não utilizada por muitas feras do passado , esses dois estão anos luz à frente. ABS !

    Responder
    1. Jose Yoh

      Digo também que eu mordi minha língua ao afirmar que com mais de 30 eles não renderiam mais pelo estilo de jogo.
      É uma prova de que algo mudou no esporte: os atletas estão mais longevos, a recuperação física está mais rápida.
      Medicina, biomecânica e tecnologia de calçados e raquetes: acho que tudo contribuiu para longevidade dos três e para a nossa felicidade.

      Responder
  26. Leandro

    Década das trevas do tênis….um veio que vai ganhar pois os outros velhos caíram, um pra outro mais velho e outro numa zebra……a esperança são as crianças….ou uma outra zebra gigante….os três velhos merecem o melhor mas pelo amor que fácil pra eles nessa década das trevas do tênis

    Responder
  27. Luis

    Dalcim como faz falta o Federer Angel kkkno US Open,seria legal um Slam pro Medvedev tá grande momento,italiano parece bom tenista carismatico,Dalcim o que acha dessa queda do Federer a sempre dúvida se pode aumentar chance de pensar em parar no tênis? O que não queremoskk

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ainda não é o caso, a menos que surja uma contusão mais grave. Olha, se é para ganhar alguém realmente carismático, tanto o italiano com o búlgaro seriam melhores opções rsrs

      Responder
  28. Carlos

    Não há chances de zebra nesse jogo do Nadal contra o italiano. Fazendo analogia com o futebol, ó italiano é aquele time pequeno que já se dá por satisfeito por chegar à semifinal. Nadal já é campeão do US Open, impossível perder. Na final, o russo, se classificará, chegará morto; o Dimitrov, por sua vez, tremerá pelo peso da final contra o touro.

    Responder
  29. Renan Vincius

    Realmente um grande teste para o espanhol, que teve que lidar com um argentino bem encardido, umidade e calor, causando excesso de transpiração e princípio de cãibra, além da pressão extra que ficou em seus ombros de ganhar esse US Open.
    O Forehand do espanhol tem que melhorar ainda, ta ficando curto e sem confiança nos momentos em que precisa tomar a iniciativa dos pontos. Acho que isso deve ser aprimorado o mais rápido possível, se não ele pode ter problemas.
    Ainda é o grande favorito, mas o teste de ontem acendeu a luz amarela, demonstrando que o 19º não será tão simples assim como muitos pensam.

    Responder
  30. Eric

    Mestre Dalcim,
    Nadal realmente está muito próximo de igualar /superar o recorde de grand slams.
    Para você, qual o peso dos títulos de finals numa comparação entre o big3?
    E a medalha de ouro olímpica?

    Abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não diria que ele está muito próximo de superar. Temos de esperar o andamento das coisas, Eric. Na minha opinião, o Finals é o segundo evento em termos de importância no circuito masculino, então seria certamente um deslize no currículo espetacular do Rafa. A medalha olímpica é um pouco menos importante, porque afinal é um torneio sem as regras normais do circuito – muitos convites, limite de participações por país – mas sem dúvida é um feito. Só vale lembrar que os tenistas das gerações até o ano de 1988 não tiveram a chance de disputar os Jogos.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Pois , é Dalcim . Depois que liberaram, ninguém deixa de ir. As declarações dos Tenistas quanto a importância da Conquista , não deixam dúvidas. A prova são as milionárias irmãs WILLIANS serem as maiores vencedoras . De Agassi a Federer , passando pelo choro do Sérvio na Rio 2016 , o Ouro Olímpico disputado de 4 em 4 anos , tem a mesma importância de um SLAM ( também cheio de convites ). O fato de não ser ATP , acredito ser um argumento ridículo pois os SLAM e a Copa Davis, também não o são. É ruim dos Craques da NBA mandarem novamente time amador depois da liberação. Muitos Tenistas do passado também não tiveram chance de disputar o ATP FINALS , mas somente quem não o possui , desdenha do Quinto SLAM . Abs!

        Responder
          1. Douglas

            Respeito sua opinião Dalcim, mas o ATP Finals não é o segundo evento em termos de importância no circuito masculino. Muitos tenistas chegam para disputar este torneio, cansados e alguns lesionados. Este torneio tem a mesma importância de qualquer outro da série Masters 1000 ! Digo isso, com base numa matéria que li, há algum tempo atrás, na Revista Tennis Magazine (vou tentar encontrar a matéria). O ATP Finals é mto mais glamouroso, do que realmente importante !!! Acredito sim, que se este 19 Slam se confirmar para o espanhol neste US Open, ele estará próximo de superar Roger Federer !!!

          2. José Nilton Dalcim

            Quantos torneios você conhece em que o campeão terá de ganhar pelo menos de três top 10, ou quem sabe quatro ou cinco?

          3. Sérgio Ribeiro

            E a Era Profissional em 1968. No auge da “ Armada “ Australiana comandada por Rod Laver , não existia . Tanto que nenhum deles possue um único título. Depois com a bagunça do WTC , se chegou a ter dois no mesmo ano. Pelo WTC o BigMac possui 5 Títulos. Abs!

          4. Marcelo Monteiro

            Na minha humilde opinião, a falta de uma conquista de um Finals pelo Nadal é uma vergonha para um tenista como o espanhol.

          5. Sérgio Ribeiro

            Correção : Circuito WCT . O malandro do Big Mac venceu , 5 por ele e 3 pelo Circuito ATP. Então o recordista não é Federer e sim McEnroe com OITO rsrsrs Abs!

          6. Rafael Azevedo

            Concordo com o Dalcim. O fato de o Nadal não ter ainda o Finals é um grande furo na sua brilhante carreira.
            Mas, de fato, nos últimos anos, o Finals parece (só parece) ter perdido a importância, devido às contusões, desistências e abandonos do Big 3.

      2. Eric

        Muito obrigado, mestre.
        É que vejo os últimos doze meses e Nadal perdeu para Federer, Tsitsipas, Thiem, Fognini, Kirgyos e Djokovic (fora do top 10, apenas Fognini e Kirgyos). Contra Del Potro, desistiu no meio.
        Me parecem muito mais gabaritados que Berretini e Dimitrov. Medvedev poderia dar mais jogo (apesar do sacode em Toronto) , mas acho que o físico não aguentará.
        Mas entendo que jogo se decide na quadra e, em tese, tudo pode acontecer.
        Queria pelo menos que os jogos fossem disputados.

        Responder
      3. Luiz Fabriciano

        Concordo plenamente que o Finals é o segundo mais importante, pois veja: para ser campeão de um GS, o tenista precisa vencer 7 jogos em melhor de 5 sets, mas diria que no mínimo 3 jogos, na maioria das vezes servem de aquecimento aos tops (vide US Open 2019). No Finals tem que vencer 5 ou 4 (dependendo da matemática dos resultados) e não tem nenhuma criança na chave, pois reúne a nata tenística do ano.

        Responder
  31. Carlos Reis

    Nadal Campeão! Chupa DjokoVICE de Roma do ombrinho de cristal!!!

    Ao final de RG/2020 o recorde de GS será 21, escrevam aí…

    E poderia ser 21-21-15, mas graças ao suiço amarelão ficará em 21-20-16.

    Nadal terá os recordes de GS e Master 1000, insuperável no saibro, e gigante nos outros pisos.

    Legítimo e ÚNICO GOAT!

    Por AMARELADAS como aquela em Wimbledon temos de aturar Lolas, Paulos Almeidas, Xonas e Chatoniks da vida…

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Com a sua virada de casaca (ridícula por sinal), podem-se concluir duas coisas: admitiu que o Fregueser não é GOAT e que o Djokovic é o cara que mais te causa pesadelos.

      Responder
      1. Carlos Reis

        Agora na questão ‘torcida’ posso mudar a hora que bem entender, e que se danem os “críticos”! A amarelada ridícula em Wimbledon é imperdoável, imperdoável! Nem o Bellucci teria perdido aquela partida.

        Responder
          1. José Nilton Dalcim

            É só você evitar ofender os outros participantes, simples. Mas se preferir, eu deixo de editar e excluo.

    2. O LÓGICO

      KKKKKKKKKKKKKKK Não aguentou a pressão e virou a casaca kkkkkkk O ROBOZINHO DARTH VADER te converteu kkkkkkkkk. E o LORD BRACK tá quase lá kkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Kkkkkkkkkkk, acho q o mundo está acabando, vou ter q concordar c vc pela primeira vez, o Brack parece estar mesmo a caminho. Pq vc não vem junto ele, seria um acontecimento memorável no blog kkkkkkkk!!!

        Responder
    3. Fernando Pauli

      Então, Nadal ja ganhou esse US Open (80% de chance) 19 GS, o AO 2020 ( 20% de chance) 20 GS, ao qual não ganha desde 2009, onde foi massacrado na final por um Djoko 80% e RG 2020 ( 90% de chance) 21 GS. Com esse prognóstico se jogar na mega sena é capaz de ganhar.

      Responder
    4. Chetnik

      O Federer pode ser o maior amarelão do mundo – e não é -, mas um “sujeito homem”, um adulo, que se comporta assim por uma derrota do “ídolo”…deixa pra lá. Acho que todo mundo já percebeu qual é a tua.

      Responder
    5. Lola

      E nós temos que te aturar. E os outros que mudam de nome que nem de roupa.

      Quem vai chupar o dedo é o Roger que vai ficar sem.o recorde de Slams e de semanas como nr 1.

      Responder
    6. Maior geração do tênis chegando

      Primeiro que Nadal não ganhou o uso open então tem 18 .. segundo que Dominic thiem mereceu ganhar do Nadal esse ano em roland garros mas roubaram pó Nadal ……..então esse ano q vem Dominic thiem é favorito no saibro pq é melhor que Nadal no saibro ..então são 18 títulos contra 20 e outra Master 1000 não conta pois tem muitos mais torneios no saibro se tivesse na grama Federer teria muito mais q Nadal .. então 250 e atp500 tem a mesma importância de título q o Master 1000 e Federer tem 30 títulos a mais que o idoso Nadal q Jajá aposenta.. fora as semanas que Nadal perde pra todo mundo Djokovic pra todo mundo até po giga ele quase perde então goat Federer 20 são mas que 18.. 105 títulos são mas que 84 300 semana e tralala são mas que cento e pokinho semanas ..então Federer goat e sampraas o segundo é pq este aposentou cedo

      Responder
  32. Sandra

    Dalcim , está parecendo matemática esse o Us open , visto não ter a mínima chance de outro que não seja Nadal ganhar! Da para acontecer um milagre disso não acontecer!

    Responder
  33. Luiz Fernando

    Também na partida de ontem, antes do início, pensei: Djoko com problema físico, Federer c problema físico, só falta agora Rafa, mais propenso a contusões q os outros dois, ter algum piripaque. E de fato teve, embora aparentemente sem maior repercussão. Isso nos diz claramente q o Big3, que representa o que já houve de melhor na história do tenis, está caminhando para o seu ocaso, talvez antes do q imaginemos. E se atentarmos para a partida vespertina de ontem, com o Promenade do estádio com 40-50% de ocupação, já podemos ter uma noção do impacto de mídia e público q isso trará…

    Responder
    1. JAN DIAS

      O impacto vai ser enorme… como eu comentei antes, vão ter que aumentar o marketing e diminuir o preço dos ingressos…
      E rezar também pra nova geração conseguir emplacar..

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Em 2015 fiz um comentário aqui que uma nova geração só assumiria a ponta do ranking depois que o Big4 completo saísse de cena. Está se aproximando, já que temos agora um Big3. E depois disso, teremos um campeão novo de GS a cada GS. Três dominantes novamente, acho que não mais.

        Responder
  34. Luiz Fernando

    Quando Rafa abriu 40 pensei: hj esse Umpa-Lumpa não vai dar trabalho, ledo engano. Quando o cara estava a ponto de virar o placar do set, lembrei do comentário de ontem do Rodrigo e pensei: macumba brava dele e do Lógico kkk. O mesmo aconteceu no segundo set, quando Rafa tinha 51 sacando e errou um voleio com a quadra aberta q nem eu erraria. Mas no fim deu tudo razoavelmente certo, embora com muitos erros, possivelmente causados pela ansiedade de fechar rapido, talvez pelas dores q apresentou. Pra termos noção dos erros, eles empataram com o numero de winners, ou seja, Nadal errou mais do q o normal, não há como negar. Vamos aguardar o Berrettini, que ontem alternou muitos altos e baixos contra Monfils

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Luiz,

      A verdade é que esse Us Open está muito estranho.

      Todos os caras do BIG 3 incluindo o remanescente que é o Nadal, não mostraram um grande tênis.

      O Diego Schwatzman não tem bola pra definir do fundo, e o saque dele é sofrível.

      A única coisa que ele tinha a seu favor era velocidade e consistência.

      Mas até essa última falhou feio na hora “H”.

      Ou seja, ontem o Nadal deixou muito a desejar, e se tivesse pegado um tenista de mais recursos, sei não…

      Não estou secando o Touro, mas quem sabe não é essa a hora de um nome diferente ganhar essa “bagaça” ?

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Sinceramente eu prefiro um nome diferente… no AO 2020 kkk!!! Mas indo de encontro ao q vc expôs, há uns dias disse q Rafa não vinha jogando como campeão, melhorou contra o Cilic e voltou a cair o nível ontem, ou seja, não está regular, o q preocupa.

        Responder
  35. Gabriel

    Dalcim, qual a chance do italiano aprontar uma surpresa conta Nadal? Vejo você falando muito de como é difícil para um jogador enfrentar o espanhol pela primeira vez em razão das peculiaridades de seu jogo. E na outra semi, qual seu palpite? Medvedev está num momento exuberante, mas parece que o físico vem preocupando nas últimas rodadas.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a chance do italiano está em jogar em grau alto de risco e se dar bem. Mas ele não vai muito para a rede, prefere ficar sempre no fundo batendo spin de forehand. Me parece pouco para encarar o Nadal.

      Responder
  36. Nelson Maciel Filho

    Nadal é um jogador extraordinário. Joga com muita intensidade, foco. Taticamente é o jogador mais completo, que muda a sua forma de jogar de um set para o outro. Além o maior saibrista da história, joga bem em todos os pisos. Além de todas as qualificações como tenista é um cara bacana, humilde e que respeita os seus pares. Espero que ele seja o campeão e alcance o 19º grand slan.

    Responder
    1. O LÓGICO

      Você não tá confundindo o blog do GURU com o do Padre Fábio de Melo? kkkkkkkkkkkk O robozinho tá longe de ser essa pureza kkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
  37. Gustavo

    Mestre, bom dia!

    Sou um grande fã do Nadal, mas ele não me agradou ontem. Abrir 4-0 e 5-1 e em ambos os sets permitir o empate demonstra dúvidas e insegurança, certo??

    Minhas perguntas são:

    1) Nadal pode ter sentido alguma lesão ou seriam apenas caimbras?

    2) E o quanto você enxerga de chance de vitórias contra os possíveis oponentes na semi e numa hipotética final. As minhas opiniões seriam 75% chance de vitória contra Berrettini, 65% contra Dimitrov e 60% contra Medvedev.

    Aguardo, obrigado!

    Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Minha impressão é que foi um princípio de cãibra, numa mistura de alta umidade – ele sua além da conta – e da tensão. Nada melhor para travar os músculos do que a tensão. Concordo com seus percentuais. E 60% sobre Medvedev se o russo conseguir ganhar com alguma rapidez. Se for outro jogo longo, aí…

      Responder
  38. Miguel BsB

    Nadal venceu o primeiro set com um ponto de domingueiro total…jogou um balão de backhand sem vergonha nenhuma pra cima do Diego, que se afobou, quis atacar essa bola sem peso e jogou na rede…
    Muitos aqui se identificariam com essa jogada hehe.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E ele fez no segundo set também.

      Não é por acaso que o cara tem fama de baloeiro.

      Quando a coisa aperta, ele levanta bola sem qualquer cerimônia, é ridículo.

      Pior é que na maioria das vezes, ele ganha o ponto.

      (rs)

      Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Nossa que engraçado, hein!

            Acho que vou estourar de tanto rir.

            Fake bancando o “tijolinho” é um problema.

            (rs)

      1. O LÓGICO

        Ele pratica um tênis medíocre. Desenvolveu e aprimorou kkkk durante anos essa técnica ridícula e aberrativa para um esporte como o tênis. Esse golpe é o verdadeiro refúgio dele. É com esse golpe que ele se nivela com os demais tenistas em competitividade. Não fosse ele ….. todo mundo praticaria zoofilia com o tourinho kkkkkkk. Até com o meio-pão ele teve que usar desse expediente baixo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder
      2. Rafael Azevedo

        E qual é o problema disso? Só mostra que o cara tem um grande arsenal de jogadas para cada momento do jogo.
        Ele deu 2 ou 3 balões em quase 200 pontos disputados. Eram os momentos em que ele achava que era a melhor jogada para se defender do ataque do adversário. O que tem demais nisso? É cada uma viu.
        Não precisa colocar estigmas com sentidos perjorativos no cara, só para tentar provar que o seu ídolo é melhor do que ele. O Nadal, assim como o Federer e o Djokovic, é um tenista completo que sabe atacar e defender brilhantemente.

        Responder
  39. Spencer Paulo dos Santos

    Ansiedade a parte pelo 19º GS de Rafael “The Scanners” Nadal Parrera, resolvi postar em função de algo absolutamente inusitado: a afirmação do Carlos Reis de que Nadal é o G.O.A.T. do Tênis. Como te “conheço” dos blogs de tênis desde 2005, Charles Kings, confirme se era você mesmo ou um fake que afirmou isso e que ainda afirmou que Federer é o “ídolo dos idiotas”, o que, diga-se de passagem, não concordo, pois Federer/Nadal/Djokovic são conjuntamente “O G.O.A.T.” e os maiores ídolos do tênis até o momento. Saudações Nadalistas Xiitas a Todos! 🙂

    Responder
    1. Jonas

      É o que o Paulo F. diz cara.

      Basicamente: “Síndrome de Estocolmo – se afeiçoou ao clássico agressor do suíco” kkkkkkkkk

      Depois os caras tem a cara de pau de dizer que o Federer não é freguês de carteirinha do espanhol kkkk.

      Responder
      1. Spencer Paulo dos Santos

        Grande O LÓGICO! É que estou na vibe do “Todos Somos Um” da “Nova Gaia”. Então, já vejo o Federer, o Nadal e o Djokovic como um só G.O.A.T. 🙂

        Responder
    2. Luiz Fernando

      Apareça mais Spencer pra falar do CEO do universo. A derrota do Federer em W mexeu com os corações e depois dessa “novidade” também c as mentes de alguns. Fico c receio se Rafa não vencer o 19 q na segunda eu chegue aqui e poste coisas do tipo “ Nadal se dopa” etc kkk!!!

      Responder
      1. Spencer Paulo dos Santos

        Lendário Nadalista Luiz Fernando, o único Nadalista ponderado que eu conheço e por ironia, o mais atacado. Eu mesmo sou Nadalista Xiita: quer mais ausência de ponderação que isso? Vou tentar aparecer outras vezes, mas ajudar a Nova Gaia é a minha prioridade suprema até desencarnar, no mínimo.

        Responder
    3. Carlos Reis

      Sim, sou Eu mesmo Spencer, aquele que sempre foi anti Nadal…rsrs

      MAS o tempo passa e as coisas mudam, depois dessa última final em Wimbledon fiquei P da cara com o suiço, joga muito, joga demais, mas falta garra, falta concentração, falta vontade, sei lá…

      Sinceramente, gostaria que o recorde ficasse com ele, MAS já que vai ser quebrado mesmo, que seja pelo espanhol, pois domina o saibro de maneia surreal e é muito bom nos outros pisos tbm, as campanhas na Austrália, Wimbledon e US Open falam si só…

      Espero que o Nadal vença o US Open e o Finals de Londres, terminando como o n.1 do mundo pela 5a vez, igualando o craque suiço e o DjokoVICE de Roma.

      E se não for pedir demais, que ela vença o AO/20 em cima do magrelo sérvio de torcidinha ruim.

      Responder
      1. Spencer Paulo dos Santos

        Grande Charles Kings! Entendi o que aconteceu. O seu amor pelo Federer é tão grande que ressoou de forma invertida. 🙂 Você voltará ao normal. Eu escolho que os três terminem empatados em quantidades de GSs e semanas na liderança do ranking, para deixar tudo bem “confuso” no final. 🙂 Eles merecem. Saudações Nadalistas Xiitas a todos! 🙂

        Responder
  40. Miguel BsB

    Fazer dupla falta em Match Point a 122km/h é a famosa encolhida de braço, bracinho de jacaré, Horácio etc…Rs
    Ambos estavam muito nervosos no último set…

    Responder
  41. LION

    Cara, eu respeito muito o Nadal, mas pelamor…Que título mamão com açucar é esse, velho?!! Esse de 2019 foi ainda pior do que o de 2017. Aliás, esses dois últimos títulos dele do USO( já conto 2019) foram algo digno de um “contrato com o capeta”, como diz o LÓGICO. kkk. E com isso o Djokovic pagará o preço por suas derrapadas esquisitas neste torneio. Verá um saibrista ter mais canecos do que ele num GS realizado na sua superfície favorita.

    Responder
  42. Rafael Azevedo

    Não só no jogo de ontem, mas durante todo o torneio, percebo que o forhand de Nadal está meio descalibrado, sem confiança. Porém, ele está ótimo em todos os outros golpes, incluindo backhand e saque.

    Responder
  43. Marcio

    “Rafael Nadal deu mais um passo importante na direção do 19º troféu de Grand Slam e na tentativa de retomar a liderança do ranking. Único jogador da temporada a ter feito semifinais em todos os quatro Slam e em 10 dos 11 torneios que disputou no geral, sinais evidentes de sua consistência …”

    Dalcim só por essa sua observação acima – por sinal muito bem colocada – , não entendo como tem pessoas (torcedores contra) que dizem que ele só é bom no saibro..?!!??. é uma comédia ver esse tipo de comentário!!!

    Excelente texto, e pelo andar da carruagem acho que o 19 GS tá bem mais próximo do que parece!! Agora que o Diego ontem lutou e jogou deve servir de exemplo para outros que ao menor sinal de problemas ou desvantagem no placar desistem da partida. Um jogaço que o placar de 3×0 não quer dizer muito!!!

    Responder
  44. Danilo BR

    Infelizmente Nadal em breve será o recordista de Slams devido à sua notável consistência! Sou torcedor de Djokovic mas tenho que aceitar… o único do Big 3 que não vacila JAMAIS contra jogadores de ranking mais baixo, não dá espaço para surpresas como costumam fazer Djokovic e Federer. Não perderá set algum até mais um Slam. Nadal jamais perderia para um Next Gen num grande torneio… basta puxarem aí os confrontos contra Zé Verev e Medvedev (surra impiedosa na final do Masters do Canadá)… não consigo imaginar jamais uma derrota de Nadal contra um Rublev da vida, contra um Dimitrov… infelizmente será o maior vencedor da história… Dalcim, vc consegue imaginar esse monstro espanhol perdendo esse título e também os próximos 5 Rolang Garros? A não ser por questões puramente físicas…. monstro demais!

    Responder
    1. Luiz Henrique

      Danilo, eu torço pro Nadal, mas honestamente acho Djokovic o mais regular entre eles, e acho que ele é quem vai acabar com o recorde de slams. Mas concordo q o Nadal deve passar o Federer

      Responder
  45. Marcelo-Jacacity

    Em relação a eliminação do Djoko, o sérvio longe dos 100%, não tinha chances alguma com essa sequência fortíssima com Wawrinka, Medvedev, Federer e Nadal.
    Impossível ter ido adiante. Bola pra frente, Novak irá procurar os melhores especialistas da medicina e se recuperar com fisioterapia e agora tem que evitar a prática de esporte radical como esqui, canoagem…
    O objetivo é voltar bem e proteger o n. 1 do Nadal.

    Responder
  46. Maurício Luís *

    Conselho para a Xisca, noiva de um certo espanhol pouca telha que anda por aí… Pega aquela bolsa Pierre Cardin que ele te deu no dia dos namorados (mentira, comprou em promoção na 25 de Março… é ‘Pié Ricardão’), coloca um tijolo dentro, e TACA-LHE no meio da ideia. Garanto que o tijolo se quebra, e a cabeça dele não!

    Responder
  47. Marcelo-Jacacity

    19.🏆 Major se aproxima, quem quiser secar é bom torcer para o Medvedev passar rápido e estar o mais recuperado fisicamente possível.
    Depois da queda devido a esse “mardito” ombro do DjokoVader, o Federer era o favoritaço, mas amarelou para o Dimitrov, e olha que o búlgaro, fez um grande esforço para perder a partida.
    Esse Slam estava no colo do Roger. Oportunidade incrível desperdiçada.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Você viu outra partida , caro Marcelo. Federer não amarelou coisa alguma. Tirando o fato da lesão, Dimitrov teve seus méritos. E porque o SLAM estaria no seu colo se ainda teria MEDVEDEV e Rafa Nadal pela frente ? Engraçado, basta o comandante falar no Grupo , e todos repetem a mesma ladainha . Na boa. Abs!

      Responder
      1. Marcelo-Jacacity

        Sérgio,
        Fala sério! O Dimitrov cansou de dar chances pro Federer. O búlgaro é muito instável. O Federer jogou uma partida muito ruim, se o Rogério não tivesse errado tanto teria feito 3×1 no Gregório.

        Responder
  48. Viana

    Dalcim, não gostei do jogo do Nadal ontem!!!
    Pra mim, seu pior jogo. Concorda?
    Errou forehands e backhands demais, a bola estava um pouco curta…
    Tomara q seja só uma noite ruim.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele teve incríveis altos e baixos, Viana, desperdiçando enormes vantagens na partida. Sim, sem dúvida o forehand é o principal termômetro do espanhol. Quando ele começa a falhar muito, não é bom sinal.

      Responder
  49. Marcelo-Jacacity

    Sem Djoko e Federer, ficou fácil demais para o espanhol.
    E o Nadal ainda teve a sorte de pegar uma chave mais fácil que Atp-500, sem contar que os únicos adversários que podiam ao menos complicar para o espanhol caíram, antes.🤦🏻‍♂

    Responder
  50. Tiago

    Não há mais o que se discutir…A chave do torneio masculino do US Open favoreceu Rafa, pegando adversários de pouco gabarito e seus principais adversários caindo antes da hora. Mas mesmo assim acredito que numa eventual final com Djokovic ou Federer, Nadal se sobressairia. Federer é um gênio do tênis, Djokovic um grande competidor, gosto desses dois tenistas e não suporto ver Rafa ganhar Grands Slams, mas como um bom admirador do tênis, vejo e admito: Rafael Nadal é o mais competente, o mais inteligente, o mais raçudo e principalmente o que mais evoluiu em todos os tempos e pisos. É um grande erro falar que Nadal é um saibrista, sendo que hoje bate de igual para igual em todos os pisos, e não será diferente neste US Open. Não gostaria de ver isso, mas ano que vem já veremos Rafa ultrapassar os recordes de Federer ganhando o seu ganha pão de Roland Garros e provavelmente mais um outro Grand Slam. Não há o que se discutir realmente , ele é o melhor e mais completo tenista!

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Há muito o que se discutir ainda. Eu acho Djokovic e Nadal iguais em termos de inteligência tática e o sérvio o mais completo da história, assim como o nadalista Nardini.

      Responder
  51. Wilson Roxha

    Mestre Delfim,
    além de não ter um golpe que se destaque, Dieguito ainda tem um saque muito fraco, fato que o deixa quase sempre na defensiva, a velocidade dos seus serviços pode ser comparado com o tênis feminino (algumas jogadoras sacam com a mesma velocidade ou até mais rápido). Diante disso, fica complicado para ganhar pontos rápidos..

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Verdade, Wilson. Ontem ele deu segundo saque a 75 milhas (120 km/h), o que é muito baixo para o tênis masculino. Achei que foi a maior falha do Nadal, deveria ter explorado isso com mais assiduidade.

      Responder
    2. Horácio Alvarez

      Se sacando como no tenis femenino a 75 mph está numero 15 no ranking e já ganhou de varios top 10, imagina se sacasse como um tenista masculino.

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        A baixa estatura o impede de imprimir velocidade maior. Fisicamente, saques mais velozes são os mais retos (tenistas altos). Compensasse essa dificuldade com efeito, tirando um ponto de velocidade.

        Responder
  52. Maurício Luís *

    Não sou dado a fazer previsões – não sou Mãe Diná – mas desta vez a coisa parece bem evidente:
    1) Matteo Berrettini nunca enfrentou Nadal, e quem o enfrenta pela primeira vez não costuma se dar bem. Portanto, ao que tudo indica, Nadal na final:
    2) No passo seguinte, o espanhol enrolador de noiva enfrentaria o baleado Medvedev ou o talentoso mas irregular Dimitrov, que além de tudo, tem backhand de 1 mão só. Uma coisa a mais pra dificultar, devido ao spin avassalador do espanhol.
    3) Isto posto, os organizadores já estão providenciando besuntar a alça do troféu com algum aromatizante sabor tutti-fruti, pra tornar a tradicional mordida mais palatável. O troféu, por sua vez, até já tá se encolhendo.
    Só me resta, como secador oficial do espanhol pouca telha, desejar que quebre o dente na hora de morder e vá pro casamento BANGUELA. Isto se não adiar o casório pela enésima trocentésima vez…

    Responder
  53. Gilberto Henrique Campos de Souza

    Bom dia!
    Dalcim ,não sei se foi minha impressão,mas havia tempos que não via o Nadal tão errático e exausto como ontem (hoje), não é nada comum essa perca de intensidade em alguns momentos como foi na partida contra o argentino, enfim o importante foi a vitória.
    Diante do que você viu ontem Dalcim, se fosse um Federer ou um Djokovic o Nadal poderia ter perdido essas partida?
    Sou nadalista mas acho que perderia!
    Seu blog continua ótimo,pena que alguns continua postando comentários agressivos .
    Forte abraço 🤙✌️😎

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Hipóteses são sempre difíceis de avaliar, Gilberto, mas obviamente um tenista como Djokovic teria explorado muito melhor a situação. Acho que o Diego até tentou fazer Rafa jogar mais quando sentiu o problema no terceiro set, mas não teve potência para isso.

      Responder
  54. Rodrigo S. Cruz

    [Chetnik]

    4 de setembro de 2019 às 15:16

    “Marquinhos, o que adianta ficar em quadra e se entregar totalmente? Só pela desmedida arrogância de dizer “nunca abandonei uma partida”.”

    É impressionante como a BÚSSOLA que te guia é sempre a do anti-federismo.

    (rs)

    Se o cara evita os abandonos, arrogância.

    Se o cara é propenso a abandonar, mau-caratismo.

    Difícil…

    Responder
  55. Mário Cesar Rodrigues

    Dalcim,Boa noite que jogo não te falei este Diego angular bem a bola no forehand do Rafa.Rafa viajou um pouco na tática sentiu muito a noite umidade quente mesmo.mas falei 5 será e ele não passou perigo houve coisas no jogo méritos do Diego.a dor no braço foi tensão emocional e denomina se câimbra nada demais.valeu deixo aqui parabéns ao Diego e Berretine.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *