Dimitrov encerra calvário em grande estilo
Por José Nilton Dalcim
4 de setembro de 2019 às 01:35

As noites se tornaram difíceis para Roger Federer no US Open. Habitual senhor das rodadas noturnas durante anos, ele de novo se mostrou pouco confortável no que era antes seu habitat natural. E desta vez não escapou da derrota porque encarou um adversário inspirado, vibrante, e que controlou a cabeça na parte mais importante do duelo de cinco sets.

Federer, que havia sofrido inesperada derrota na quente e úmida noite de 2018 frente a John Millman, jogou abaixo de sua qualidade nas duas primeiras rodadas desta edição e só mostrou um tênis mais convincente quando foi para o sol de início de tarde.

Apesar de um forehand descalibrado e erros incomuns junto à rede, conseguiu liderar o duelo contra Dimitrov por 2 sets a 1. Foi então que o búlgaro começou a brilhar e foi outro jogador a partir da quebra obtida logo no começo do quarto set. Suportou a pressão, ficou cada vez mais sólido na base e arrancou notáveis contragolpes. Evitou cinco break-points na hora de empatar a partida e levar ao quinto set, outra mostra de que estava muito motivado.

Dimitrov diz que percebeu uma queda acentuada do adversário a partir do longo sétimo game do quarto set, mas para o público isso só ficou evidente quando Federer pediu atendimento médico e foi para o vestiário, coisa bem pouco frequente na sua longa carreira. Mais tarde, admitiu que foram as costas. Voltou travado para o quinto set e viu Dimitrov voando do outro lado da quadra, com excelente escolha de golpes e enorme confiança.

A terceira semi de Slam do búlgaro de 28 anos – só não fez ainda em Paris – é uma surpresa pelo longo calvário que viveu desde a conquista do Finals de 2017, que o levou ao terceiro lugar do ranking. Raramente exibiu um tênis competitivo desde então, a ponto de chegar ao US Open com uma vitória nos últimos nove jogos e no 78º lugar do ranking, seu pior desde 2012. Só neste ano, abandonou quatro torneios por contusão no ombro. Aliás, esta será sua primeira semi de toda a temporada.

A quebra do tabu contra o amigo na oitava tentativa chega assim como uma redenção. E ironicamente acontece quando seus dois treinadores, Andre Agassi e Radek Stepanek, decidiram não acompanhá-lo em Nova York. Coisas da vida, Dimitrov foi campeão juvenil do US Open em 2008, mesmo momento em que Federer levantou seu quinto e último US Open.

Stan não segura Medvedev
Grande sensação dos torneios preparatórios para o US Open, talvez nem o russo Daniil Medvedev poderia acreditar que seu físico resistiria tanto em Flushing Meadows. Queixando-se de dores de todos os tipos, ele mostrou incrível tenacidade e espetacular visão tática para derrubar Stan Wawrinka, o homem que 48 horas antes havia tirado o número 1 Novak Djokovic com atuação magnífica.

Tudo parecia caminhar a favor do suíço quando Medvedev pediu atendimento logo de cara, agora para um problema no quadríceps. Talvez tenha faltado aí atitude para o suíço, que de certa forma pareceu preocupado com colocar a bola em quadra e acreditar que o russo se renderia. Medvedev no entanto foi buscar recursos pouco usuais, usou curtas e voleios, e pegou o adversário de surpresa.

Stan teve ainda um set-point bobamente perdido no tiebreak do primeiro set e não me resta dúvida que foi seu erro capital. O russo, que entrou em quadra novamente vaiado por parte do público, teria provavelmente capitulado. Ao contrário, ganhou forças e confessou ao final do jogo que não sentia mais nada no quarto set.

Para compensar a confusão que causou nas duas exibições anteriores, Medvedev desta vez foi honesto ao dizer que sua contusão mexeu com a cabeça de Wawrinka – algo comum no circuito – e pediu desculpas desta vez públicas por seus atos. Na entrevista de dois dias atrás, já havia dito aos jornalistas que tinha sido “idiota” ao fazer gesto obsceno e ironizar os espectadores.

Mais jovem semifinalista do torneio desde Djokovic, em 2010, Medvedev ainda pôde comemorar a vaga para o Finals de Londres e o inédito quarto lugar do ranking. E terá agora dois dias para tentar se recuperar fisicamente, já que as duas semis masculinas acontecerão na sexta-feira.

Serena massacra e revê Svitolina
A vitória de número 100 de Serena Williams no US Open não deixou dúvidas sobre sua determinação e boa forma: cedeu apenas um games à impotente chinesa Qiang Wang, em jogo de estonteantes 44 minutos e estatística assustadora: 50 pontos contra 15, 25 winners a 0, 73% de pontos como devolvedora.

Na quinta-feira, buscará novamente uma final de Slam e do US Open, na perseguição incansável do 24º troféu de Slam que escapou nos dois últimos Wimbledon e em Nova York de 12 meses atrás. A adversária será Elina Svitolina, uma jogadora que sabe se defender, luta muito e é cheia de recursos.

A ucraniana tem retrospecto ruim diante de Serena, com apenas uma vitória em seis duelos, mas ela se diz cada vez mais amadurecida. Depois de falhar quatro vezes na tentativa de disputar uma semi de Slam, ela agora conseguiu duas consecutivas e está sem perder set neste US Open.

“Minha carreira sempre foi um passo a passo, acho que estou lidando cada vez melhor com a pressão”. afirma a namorada de Monfils, que também foi quartas no Australian Open porém está sem troféus na temporada. Para fazer 5 a 0 sobre Johanna Konta, foi infinitamente mais consistente: 16 winners e 13 erros enquanto a britânica fez 24 winners mas falhou 35 vezes.

Para a história
Marat Safin foi o único russo a chegar à final e ganhar título no US Open, no ano 2000. Ele também foi o último tenista de seu país a vencer um Grand Slam, no Australian Open de 2005, repetindo as conquistas de Yevgeny Kafelnikov de 1996 em Paris e 1999 em Melbourne. Aliás, Kafelnikov foi o último homem a ganhar simples e duplas num mesmo Slam, naquele Roland Garros.


Comentários
  1. Rafael Azevedo

    – “perdeu porque é saibro”
    – “perdeu no hard porque o jogo foi a noite”
    – “perdeu no hard porque a umidade estava alta”

    O Federer é o GOAT do tênis, ou das quadras duras de secas de meio dia??

    Responder
  2. Mário Cesar Rodrigues

    Vamos Rafa…bobeou um pouco é normal estava tendo e a dor no braço foi emocional.mas para ganhar de vc cara é difícil.. Diego lutou muito.mss perdeu como sempre.Dalcim não te disse das anuladas no Fernando baixinho danado parabéns a ele.

    Responder
  3. Fabio Riella Fernandes

    Dalcim , porque desde a tarde de quarta feira o Desafio Us Opne diz que esta encerrada votaçao de Serena x Svitolina, se esse jogo sera quinta as 20 horas?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É um erro no aviso do sistema, não fique preocupado. A votação para as semifinais femininas serão abertas logo cedo e ficarão no ar até as 20h. Abs!

      Responder
  4. Miguel Ângelo P. Delfes

    Dalcim..
    DS pode até perder p Nadal mas..q baixinho invocado..
    4 a 4 q show..
    Certa x postei aqui o q seria dele se tivesse 20 cm a mais..
    Talvez até ele n fosse tão bom mas..pela lógica seria ainda melhor do q é..
    E olha q esta torcida Argentina vai incomodar..
    Eu aqui secando seu ídolo rs

    Responder
  5. Jonas

    Deve ser um verdadeito inferno sacar contra o Nadal. O bicho chato…começo de jogo ainda mas acredito que o Schwartzman será varrido de quadra.

    Responder
  6. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,

    Essas duas Chan (H. Chan e L. Chan) que estão disputando agora a semi de duplas mistas – uma contra a outra – são irmãs? Acho que devem ser, mas que coisa curiosa. rsrs
    Abs

    Responder
  7. Rubens Leme

    Ah, tenho mais uma curiosidade: no caso de alguém como o Sock, que tem seu treinador para simples, ele também seria seu técnico de duplas ou isto não acontece, porque às vezes forma duplas com jogadores diferentes? Vale lembrar que venceu seu primeiro título de duplas em Wimbledon (2014) com o canandense Vasek Pospisil e os outros dois Slams (ambos em 2018) com o Mike Bryan.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Muito provavelmente, não manteria o técnico de simples, que certamente custa mais caro e talvez não seja um especialista em duplas, que é quase outra modalidade.

      Responder
  8. Paulo Almeida

    Nadal se casa no dia 19 de outubro e a princípio não participaria da gira asiática e do Masters de Paris. Não sei se, com o título do US Open, mudaria de ideia e deixaria a Xisca a ver navios para disputar o número 1 do mundo com o GOAT.

    Bom, já disse várias vezes que esse recorde de semanas é cheio de falhas e só quero que o Djokovic o quebre porque os torcedores do Federer são muito apegados a ele. Alguém em sã consciência acha que Connors e Lendl foram mais jogadores do que o sérvio e o espanhol? Façam-me o favor.

    Responder
  9. Rubens Leme

    Oi Dalcim, reparei que o Jack Sock praticamente abandonou jogar partidas de simples após ser 8 do mundo, vencer Masters e chegar a um Finals, e se tornou mais um ótimo duplista, estilo que já lhe rendeu 3 Slams (2 Wimbledon e 1 US Open, onde é o atual campeão, mas caiu hoje nas quartas) e 1 Finals.

    O curioso é que quando se olha a premiação em dinheiro de sua carreira, se fala apenas em premiação de simples, não de duplas. Fico curioso para saber quanto já embolsou, considerando que tem apenas 4 títulos de simples, contra 14 de duplas e muito mais importantes.

    E, ainda pergunto: ele abandonou de vez mesmo ou faz isso porque as lesões o impedem de voltar à velha forma como simplista?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A premiação que aparece é total, inclui simples e duplas, Leme. Ele recebeu convite e jogou dois torneios agora e ainda tentou o quali de Cincinnati, mas acho que sua motivação para as simples caiu muito.

      Responder
  10. Arthur

    Perder pro Dimitrov, o grande Robinho do tênis mundial, pra mim é fim de carreira, Dalcim.
    A verdade é que o Federer jogou pateticamente as duas primeiras rodadas, depois ganhou de ninguém – ou Goffin, o que pra mim é a mesma coisa – e perdeu no único jogo realmente “duro” que fez. Coloco o “duro” entre aspas porque, em condições normais de temperatura e pressão, era pra ter sido 3×0 pro suíço.
    Meus parabéns antecipados aos torcedores do Nadal pelo título do US Open. A menos que tenha uma convulsão em quadra à la Ronaldinho, o espanhol já tá com as duas mãos na taça.
    Meus lamentos apenas por mais um ano em que teremos os mesmos vencedores de Slams (2 de Djoko e 2 de Nadal), sem que a nova, novíssima ou a geração infante consiga furar o bloqueio do Big 3.
    Paciência. Um dia eles se aposentam e esses incapazes vão acabar ganhando majors por inércia. #ProntoFalei

    Um abraço.

    Responder
    1. Paullo

      Vc começa lamentando o fato de Federer ter jogado perdido e termina dizendo que queria alguém novo ganhando o US open.
      Mas se o Federer estivesse na semi duvido que iria querer alguém novo levantando o troféu de campeão

      Responder
      1. Arthur

        Me explique onde foi que eu lamentei a derrota do Federer, meu caro.
        Cite por favor o trecho em que eu faço isso.
        Tá precisando distribuir um manual de interpretação de texto pra galera, Dalcim.
        Com Bozo na presidência e esse analfabeto funcional do Weintraub como ministro da Educação, a coisa só tende a piorar.

        Responder
  11. Paulo Almeida

    “Fernando Brack
    4 de setembro de 2019 às 11:06

    Então eu sugiro fortemente você colocar a barba de molho.
    Responder ↓
    JAN DIAS
    4 de setembro de 2019 às 12:26

    Inclusive a sua!.kkkkk”

    Errado, pois eu já tinha desencanado do título depois que vi a chave pedreira e principalmente após saber da lesão de Novak, tendo inclusive postado a respeito aqui. Quem cantou vitória antes do tempo foram vocês, como sempre. Aí merecem ser mais zoados ainda.

    Responder
    1. JAN DIAS

      Mas eu não contei com a vitória antes do tempo, eu só manifestei minha preferência pelo tênis do FEDERER…
      E pelo do STAN.

      Eu posso até tirar sarro, mas nunca desmereco o valor de RAFA ou DJOKO, pois eles e o FEDERER são os TOP desse esporte. Só que eu prefiro o tênis do suíço..

      Acho que dá pra brincar e tirar sarro sem ofender ou desrespeitar os outros..

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Acredito que o Brack tenha se referido ao teu comportamento aqui em linhas gerais.

      Não necessariamente a ter dito ou não que o Djoko venceria o Us Open.

      Mas à babaquice dos “slams parrudos” e a obrigação doentia de diminuir o Federer, como se disso dependesse a tua própria vida…

      E nem sei se dá pra te rotular de arrogante, só em face disso.

      Tá mais é pra fanfarrão e café-com-leite mesmo…

      (rs)

      Responder
  12. O LÓGICO

    Quero elogiar a postura do Roger Angel: ELE É UM HERÓI DO TÊNIS E, POR ISSO MESMO, O MAIS ÉTICO: não foge em nenhuma circunstância, não abandona a partida e não finge contusão kkkkkkkkkkk: É O ANTÍPODA DO ROBOZINHO SATÂNICO KKKKKKK. O Djokão, meu eterno herói e merecedor da alcunha de GOAT (caso passe Roger Angel kkkk), é um cínico sincero e não dissimulado, por isso tem meu respeito ético kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    As nadalzetes, que estão trocando litle kisses com as djokovetes kkkkkkk, já estão se esfrangonhando com a iminência de mais um título de slam faturado pelo praticante do tênis de latrina. Não há como duvidar disso: a carreira toda do UNIDIMENSIONAL teve como principal arma, de uma técnica apuradíssima kkkkk, o balão, de forehand e backhand. Ele pode até alcançar o número de slam do REI, mas nunca será um REI kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
  13. Renato Toniol

    Mais uma derrota dura do meu grande ídolo, ainda que não se compare com a final de Wimbledon.
    Mas aconteça o que acontecer, sou Federer até o fim. Pode perder o quanto for, é o tenista que por quem escolhi torcer, e não mudo por nada.
    Depois que ele parar não sei para quem vou torcer, talvez Tsitsipas, mas nem me preocupo com isso hoje.

    Responder
  14. Joaquim Saraiva

    É incrível notar como alguém da qualidade e experiência do Monfils não consegue manter a intensidade ao longo do jogo. Suas oscilações são bem mais evidentes, pois o francês ou joga a 100 ou joga a 10. Porque o Gael não consegue manter o ritmo? Depois de tantos anos no circuito, imagino mesmo que deva ser algo fisiológico.

    Responder
  15. Sérgio Ribeiro

    Dimitrov mostrou pra que serve o tal h2h tão apregoado pelos idiotas do “ Papai , doutrinador “ e outras babaquices. Se o Ídolo pode vencer 6 das últimas 7 contra o Espanhol, porque não posso fazer o mesmo com ele ? O Ex-N 3 do Mundo , vencedor de MASTERS 1000 e FINALS ( esquecidos pelos mesmos idiotas ) , foi com tudo pra cima. E causou dois desconfortos no Craque : Nas Costas e no fundo de Quadra ( Roger deixou bem claro na Coletiva) . Quem diria que teríamos 3 representantes da Next Gen ( ridicularizada pelos mesmos ) , e um da Perdida, esperando o Touro nas Semis ? Este tendo defendido um Título pela primeira vez fora de seu Habitat , e levando a vera os MASTERS 1000 ( que os mesmos dizem que o tal Goat não liga ) , vai com todos os méritos para o SLAM de número 19 , e como previmos , entrando com tudo na briga pelo N 1. Abs!

    Responder
  16. Marcos Marinho

    Eu não tenho nada contra caras novas frequentarem as fases agudas dos Grand Slam. Acontece que geralmente esses caras são humilhados pelo Big 3 que consegue chegar lá. Veja o US Open de 2017, quando o Anderson enfrentou Nadal… Não teve jogo. É sempre melhor um Federer vs Nadal que qualquer outro que não Djokovic vs Nadal.

    Pelo menos o Medvedev ainda tem o prospecto de bater de frente com o Big 3. Vou torcer pra ele. Porque Dimitrov vencer um Slam a essa altura não fará dele candidato a barrar Federer Nadal e Djokovic. Que o russo vá pra final e que faça grande jogo contra Rafa, que deve avançar até lá sem problemas.

    E entre eles, que vença o melhor.

    Responder
  17. João ando

    Dalcim. Uma coisa que não tem nada a ver com usopen…o bob falkenburg avô que ganhou Wimbledon em 1943 segundo o neto ,ganhou pelo Brasil ou foi pela Inglaterra??.o bob falkenburg pai foi o fundador do bobs aqui no Brasil e casou com a a atriz Silvia Bandeira…as vezes no domingo jogo duplas com o bob falkenburg Neto que tem acho 47 anos e tentou ser profissional. .. até o pai do Marcelo demoliner aparece por la…as vezes o Sr Juliano demoliner

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Antes de tudo, o título em Wimbledon foi em 1948 e Bob era norte-americano, nascido em Nova York. Ele ainda está vivo e mora na Califórnia.

      Responder
  18. Rodrigo S. Cruz

    Falando sério agora.

    Primeiro, não vou colocar panos quentes:

    O Federer arregou e pronto.

    Se tinha algum problema físico, isso não justifica ter passado a errar tantas bolas fáceis.

    Poderia pelo menos ter se segurado ali, trocando algumas bolas com o Dimitrov, com boa margem de segurança.

    A quantidade de erros não -forçados, mesmo com a primeira bola foi uma coisa inacreditável.

    Nunca vi nada igual.

    Parecia que ele tinha DESAPRENDIDO a jogar tênis e que não entendia bem o que estava acontecendo.

    Dito isso, uma coisa é certa:

    Resta comprovado, como disse o Dalcim que a umidade de Nova York derruba mesmo o físico do suíço.

    Ano passado contra o Millman ele teve 2 sets a 0 e matchpoint, e foi jogando cada vez pior até a eliminação.

    Responder
  19. Maurício Luís "

    Recado para os que insistem que o Djoko deveria ter ido atê o fim em respeito ao público: o ombro que doía é o seu? ?
    Antes do respeito ao público, vem o respeito ao próprio corpo.
    Dedilhar críticas no teclado é fácil, nê? Quero ver vocês correndo feito loucos pela quadra, enfrentando dor, cansaço, diferença de fuso horário, vento, sol e adversários queremdo comer-lhes o fígado.
    Enxerguem-se!

    Responder
  20. Miguel BsB

    Tudo leva a crer que nessa temporada Federer verá seus 2 grandes rivais dividindo os Slam e cada um deles levando 2 pra casa…
    Pra quem quer manter o recorde de Majors, é uma grande preocupação e balde de água fria. Ainda mais depois de ter 2 match points com saque a favor pra adicionar mais 1 e impedir mais 1 do rival…

    É, se Nadal vencer esse USOpen, não vai ter mais jeito, bye bye Recorde de Slams do Suíço.

    Responder
  21. Luiz Fernando

    Berrettini sem duvida é um jogador de qualidades, mas ao menos nesse primeiro set e no primeiro game do segundo está muito travado, errático, como na partida contra Federer em W. Mas ainda tem muito jg…

    Responder
  22. DANILO AFONSO

    Paulo Almeida
    4 de setembro de 2019 às 11:54

    “Ainda não dá pra saber se esse Slam será parrudo ou não.”

    Eu me divirto com essa de SLAM PARRUDO.kkkkk

    Essa termo parrudo já gerou muitos debates no grupo de whatsapp de jogadores amadores (57 praticantes) de tênis aqui da cidade que moro. Já gerou muitas brigas entre os membros do grupo, e claro, muita resenha e risada.

    Rola brincadeira entre os amadores tipo:

    “O torneio X que você ganhou ano passado não era Parrudo, pois eu não participei. Foi um torneio raquítico.” kkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Hehehe

      Então, Danilo. Não dá pra cravar nem o Nadal campeão ainda, então vou aguardar até o final.

      Saudações nolistas com nossos 15 GS parrudões!

      Responder
  23. Nelson Maciel Filho

    Federer, Nadal ou Djokovick jamais entregaram um título. O tenista búlgaro que não é um grande tenista jogou bem e soube aproveitar os erros do Federer.
    Os dois melhores tenistas da atualidade são o Djokovick e o Nadal e ponto. O sérvio aceitou a derrota e jogou até onde deu. O Federer ficou muito decpcionado e até é compreensível.
    O jogo de ontem foi mecânico, sem plasticidade, enquanto Nadal x Marin Cilic foi uma partida extraordinária.

    Responder
  24. Oswaldo E. Aranha

    O que saiu como eu no título “Vaias para Djokovic”, não sei como, mas fui eu que coloquei.
    Fiquei abismado com uma colocação de alguém, que usa um nome fantasia, propondo punições draconianas para o Djokovic; essa pessoa, acredito, vai morrer contaminado pela dose cavalar de ódio.

    Responder
  25. Renan Vinicius

    A grande final merecidamente seria Nadal x Medvedev, os dois melhores jogadores da temporada de quadras duras até aqui, mas ainda tenho dúvidas sobre a situação física dele.
    O jogo é jogado, então não coloco Nadal como campeão ainda.
    Federer demonstrou que ainda sente a derrota em Wimbledon, Impressionante como um cara experiente como ele não conseguiu controlar os nervos contra o freguês Dimitrov.

    Responder
  26. Sandra

    Dalcim, sabe de uma coisa? Quantas vezes já enterraram o Federer , Nadal , Djokovic? E os trens ressuscitaram kkkk, e bem verdade que tudo do Djokovic e devagar, mas enfim!!

    Responder
  27. Mário Fagundes

    E mais uma decepção com Federer. Essa inesperada derrota me fez lembrar o US Open 2014, quando foi massacrado por Marin Cilic, que veio a vencer o torneio. Impressiona a “capacidade” que o suíço tem de “entregar” possíveis títulos. Houve um tempo em que era mais fácil torcer para o suíço. Se há mesmo uma lesão nas costas (velha bicheira do suíço), que tenha o mínimo de gravidade e que ele se recupere para o restante da temporada.

    Responder
  28. Maior geração do tênis chegando

    Eu espero que o Djokovic seja banido do esporte como outros esportistas , o cara fingiu contusão isso eu como vender o jogo para apostas , depois que o Federer mesmo machucado ontem quiz terminar o jogo agora ficou provado que Djokovic precisa ser banido do esporte e talvez retirar todas medalhas dele

    Responder
    1. Jonas

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk como esses caras tão sangrando.

      É fácil cara, leia notícias a respeito e pare de contar mentiras só porque tá putinho com a derrota do Federer.

      Responder
  29. ue

    Vaias para o Djokovic.

    Em primeiro lugar desejo deixar claro que sou torcedor do Djokovic; mas a frustração que ele deu aos seus torcedores foi muito grande e até acho que muitos que o vaiaram eram seus torcedores. Até eu, quando terminou o jogo tive ganas de vir ao blog e soltar os cachorros; depois pensei: vão aparecer muitos dos que tentam menospreza-lo e eu não deverei, por maior que seja a frustração, incorporar-me ao grupo crítico.

    Responder
  30. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,nesse ano o Federer tem alternado momentos muito bons(sequecia de 2 titulos e um vice em miami,indian wells,dubai…titulo em halle e vice em wimbledon ganhando do nadal e com matrch point na final),porem derrotas decepcionantes e preoupates(principalmente dimitrov e rublev)…no proprio us open ele teve partidas abaixo contra dzumhur e nagal,porem atropelou o goffin(que apesar da pessima partida é vice de halle,quartas wimbledon e vice de cincinnati nos ultimos tempos)…Qual sua avaliaçao do suiça nesse momento?Copo meio cheio,meio vazio?Por um lado ele vai ficando mais velho e vulneravel…por outro,alem de nadal e djokovic,ninguem realmente mete mto medo no corcuito contra ele…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele tem de ver que sua performance foi muito boa até Wimbledon, mesmo que tenha perdido a final, porque enfim dominou o número 1 do mundo e esteve a um passo do título. De lá para casa, foram dois torneios e duas decepções, com atuações ruins, mas totalmente aceitáveis se avaliarmos a frustração natural de Wimbledon e a possível cobrança pessoal que pode ter se colocado neste US Open. Então dá para passar a borracha e pensar na reta final da temporada.

      Responder
  31. Luiz Fernando

    Acho q o Carlos Reis, nosso novo companheiro de torcida, está vivendo uma crise existencial, agora Nadal é o GOAT e Federer o “ídolo dos idiotas”, nunca pensei q leria isso daqui kkk…

    Responder
  32. DANILO AFONSO

    Dalcim, POR FAVOR DESCONSIDERAR A POSTAGEM ANTERIOR PARECIDA COM ESSA. FIZ MINUTOS ATRÁS.

    Fazendo um paralelo com a FÓRMULA 1, diria que FEDERER nesta década, com exceção de uma ou outra temporada ou torneio, foi 2º, 3º piloto mais rápido nas temporadas.

    Para triunfar nas principais pistas do circuito, teve que contar com a desistência (lesão em torneio específico ou parte da temporada) ou baixa técnica do(s) piloto(s) mais rápidos que nem no pódio chegavam.

    FEDERER nesta década se segurava no pelotão da frente, aguardando um enrosco dos principais pilotos ou eles se acidentarem sozinho, ou ainda ter uma baixa técnica para assumir a ponta. Um piloto rápido mas sobretudo OPORTUNISTA.

    FEDERER Nos circuitos de baixa velocidade (saibro), quando não arregava, tinha ciência que só triunfaria se o soberano e ditador NADAL se lesionasse ou tivesse um dia infeliz a exemplo de 2009. Isso sem contar que além do espanhol, tinham vários outros pilotos competitivos nos circuitos mais lentos, NOVAK e companhia.

    Nas principais pistas (SLAM no piso duro e grama) de média ou alta velocidade, o seu obstáculo era outro. Um tal sérvio, NOVAK DJOKOVIC. Por diversas vezes, excetuado Wimbledon 2012, o algo fechava a porta impedindo a ultrapassagem do suíço que fazia corridas brilhantes até alcançar o paredão na parte final da corrida. Nesta década foram 8 confrontos neste tipo de circuito, sendo 7 vitórias do sérvio e apenas uma do suíço. Algumas destas derrotas foram com requinte de crueldade. Por 2 vezes o suíço viu a bandeira quadriculada e foi ultrapassado nas últimas curvas da prova, US OPEN 2011 e Wimbledon 2019, este último faltando pouco metros para a bandeirada.

    Na principal corrida “noturna” fechada (ATP FINALS), FEDERER também leva desvantagem nesta década para o piloto mais rápido. Perde por 4 x 1, incluindo a desistência de 2014.

    Quem entende um pouco do circuito e deixa de lado o fanatismo, tem absoluta certeza que os principais triunfos do FEDERER em 2017 e 2018, apesar dele ter adquirido um carro mais resistente (físico em dia) e com novas tecnologias (mudança de raquete), sabe que tais feitos só foram possível porque o seu PREDADOR SÉRVIO nas pistas estava lesionado (ou se recuperando) ou vivendo uma baixa técnica nunca vista em outras temporadas. FEDERER soube aproveitar quando o piloto mais rápido “bateu forte no muro”.

    Aquela facilidade na década passada, quando então os pilotos citados acima ainda não tinham MATURADO, colecionando o suíço pentacampeonatos no US OPEN e Wimbledon, bem como 237 semanas seguidas na liderança do ranking, não se repetiu nesta década.

    O piloto suíço é genial, de uma habilidade e plastica bonita de se ver, mas está longe de ser o melhor da história.

    Responder
    1. Ronildo

      Quanta besteira cara. Tênis é um esporte absurdamente físico!
      Você já se deu conta da idade que tenistas é jogadores de futebol rendem mais?

      Responder
    2. Jose Yoh

      Danilo, as lesões fazem parte da vida de atleta de alta performance. Quem sabe administrá-las melhor, ganha.
      Creio que já falei isso por aqui umas 100 vezes.
      A idade piora as lesões, porque o corpo deixa de produzir diversas substâncias importantes para a recuperação dos tendões e músculos após os 30 anos.
      Desconsiderar uma diferença de 6 anos acho que é demais neste caso. Principalmente considerando que o sérvio só começou a ganhar de Federer quando este completou 29 anos.
      Veja que mesmo ganhando os Slams, Djokovic teve uma queda abrupta de rendimento nos masters. Nisso, Federer ensinou o caminho: economizar saúde para ganhar o que importa.
      Quanto à Nadal, sempre teve físico e jogo para ganhar do suíço, porém quando chegou nos 30 começou a perder. Acho que confirma minha teoria.

      Responder
  33. André Barcellos

    Djoko deve perder o número 1 para Nadal antes do fim do ano.
    Ou pelo menos A chance disso acontecer aumenta exponencialmente em caso de título do espanhol. Quem diria, Djokovistas tendo que torcer contra o Natal, a fim de aumentar as chances do sérvio quebrar o recorde de Federer de número de semanas como líder…

    Responder
    1. Jonas

      Mas o Nadal merece cara, pelo que está jogando. O Djokovic é número 1 com méritos, porque vinha sobrando no circuito.

      E mesmo que Nadal passe o Djokovic, a briga vai continuar boa entre eles pelo primeiro posto.

      Responder
    2. DANILO AFONSO

      Que nada ANDRÉ !!

      Acredito que DJOKOVIC irá superar tal recorde independente de perder a liderança do ranking daqui algumas semanas. Ele terá outra(s) oportunidade(s).

      Eu sinceramente gostaria que NADAL e principalmente NOVAK supera-se o recorde de SLAM. Mas se aquele superar sozinho o recorde de SLAM e NOVAK em outra oportunidade superar o recorde de semanas, irei ficar contente também.

      Meu principal ídolo é o NOVAK, mas antes do surgimento do sérvio quase finquei minha preferência no NADAL. E acredito que alguns NOLISTAS pensam igual, e a reciproca para alguns também é verdadeira.

      Responder
  34. El Mariachi

    A umidade é muito desgastante, dá cãimbra e outros problemas musculares. Normal a queda do Federer, ainda mais aos 38 anos. Não é coincidência que o suíço não vence em NY desde 2008, há 11 anos, esse provavelmente é o grand slam que menos o favorece, por conta não só do clima, mas também da lentidão da quadra, que obriga a muitas trocas.

    Responder
  35. André Barcellos

    Federer jogou mal em todos os jogos que fez à noite nessa edição. E foi soberbo em todos os jogos que fez de dia.
    Nitidamente não estava com o tempo de bola da quadra mais lenta.
    Claro que Dimitrov jogou bem, sem baixar a cabeça.
    Mas se o suíço passasse seriam mãos dois jogos de dia.
    Enfim, acho que a idade está pesando até na hora de achar o ritmo ideal.
    Decepcionante. Era uma chance enorme de levar mais um GS.

    Responder
    1. Carlos Reis

      Chance enorme foi em Wimbledon, depois da amarelada mor lá vem jogando mal, muito mal, foi até as quartas porque é um craque desse esporte.

      Responder
  36. Miguel BsB

    Dimitrov mereceu vencer, apesar de, pra variar, ter vacilado quando sacava para fechar sets…

    A pergunta é: será ele capaz de parar o “imparável” Medvedev? Maratona de jogos e finais, lesões, torcida contra, grandes adversários, nada parece capaz de frear o garoto em quadras norte americanas.

    Vou torcer pro búlgaro levar esse troféu, é o estilo de jogo que mais me agrada…dono de BH simples e capaz de grande variação.
    Mas, acho muito improvável que Rafa não chegue ao seu 19 Slam e 4 USOPEN.

    Responder
  37. Jonatas Bruno

    Em que pese o desgaste referente as costas.me parece que o Federer também cedeu devido ao desgaste mental. Acredito que o mérito maior do Dimitrov foi em usar os ventos á favor, sem esquecer de seguir a sustentar o seu plano de ação, dessa vez com a competência regulamentada, aliada a cabeça no seu devido
    lugar.
    Espero que o Federer continue se motivando, ainda tem margem para futuras jornadas.

    O Medvedev de bobo não tem nada, vaidade á parte, negócios á parte. Suaviza visando atrair novos contratos publicitários. É a imagem que está em jogo, incrivelmente surge a perspectiva da quarta final consecutiva! Ainda assim, acho que o Dimitrov poderia render mais na final, principalmente se for contra o Nadal.

    Responder
  38. JAN DIAS

    Pode perder pra quem for, não adianta, SOU FEDERER DESDE O ÚTERO!!!
    São 20 anos de carreira vitoriosa, 20 SLAMS e um dos
    maiores divulgadores desse esporte maravilhoso..

    Não é porque está perdendo agora que vou mudar..

    Podem zoar à vontade..kk

    Responder
  39. Ângelo Pereira

    Mudando de assunto, alguém sabe me dizer onde eu reclamo dos palpites do desafio do us open? Não computaram meus pontos nos jogos de ontem.

    Responder
      1. Ângelo Pereira

        Sim, caro Dalsim, mas acertei que a partida teria 4 sets e não foi computado os 10 pontos. No jogo do zverev x schwartzman acertei a duração do jogo e tb não foi computado, bem como que o adversario desse desafio seria o nadal, se puder rever essa pontuação ai. Abraços mestre.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho que você não leu o regulamento, Ângelo. É preciso acertar o vencedor do jogo para então ter chance de pontuar nos outros itens. Quando erra o vencedor, nada mais é considerado. Abs!

          Responder
  40. Luiz Fernando

    Federer perdeu a chance de completar novamente o GS domingo, se jogasse c Rafa e perdesse, algo bem provável depois do q se viu ontem, teria derrotas pro espanhol no AO, RG, W e USO, outro feito p carreira kkkk…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Apenas Cochet e Lacote lá na década de 30. Cédric Pioline foi à final em 1993, quando aliás era treinado pelo brasileiro Carlos Kirmayr.

      Responder
    1. Luiz Fernando

      Pelo seu critério até o momento não seria parrudo, e pelo meu também kkkk! Mas primeiro precisa ganhar, não nos esqueçamos do q foi postado até hj a uma da manhã…

      Responder
  41. Lola

    Nadal vai passar o nr de Salms e Nole o nr de semanas como nr1. Pro outro só vai sobrar a soberba e a arrogância da torcida, como eu gosto quando torcem desesperadamente pra ele e se frustram no final.

    Responder
  42. Paulo Almeida

    Fala, freguesada eterna 40-15.

    Cadê os videntes que já davam como certo o título? E a chave mais teta do que essa impossível?

    Jaguatirica da Montanha coleciona mais um vexame em Majors e termina o ano com zero Slams, enquanto o GOAT finaliza com dois. Rei do hard que não vence US Open desde 2008? Faça-me rir!

    Responder
  43. João Brayner

    Dalcim, eventual título de Medvedev você acha que mudaria a história do tênis?
    Digo, daquele momento em diante talvez o Big3 já não tivesse mais a força que tenha.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acredito, João, só se ele vencesse ao menos dois dos Big 3 de uma forma categórica. Mesmo que ganhe do Nadal, ainda acho que ele estará num segundo plano nos próximos meses e Slam.

      Responder
  44. Fernando Brack

    Esse foi o 11º ano seguido de decepção com Federer em Nova Iorque. Acho que deu pra mim.

    O negócio é torcer para Djoko e Nadal seguirem faturando Slams.

    Responder
    1. Gabi

      Quem disse que “a gente” vai te aceitar como novo torcedor!? rsrsrs. Nadal e Djoko não sao plano B rs, tem de ser torcida genuína rsrs.
      Antes que vc me interprete mal, to brincando, Fernando Brack!

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Calma xará, essas derrotas deixam caras como nos, q de fato torcemos p esse ou aquele, p da vida mesmo, daqui a pouco tudo volta ao normal. Mas acima de tudo queria parabenizar a vc e ao Rodrigo Cruz por virem aqui nos momentos ruins, diferentemente de alguns q só aparecerão aqui se Nadal perder hj, sexta ou domingo!

      Responder
    1. Bruno

      Analfabeto funcional.
      Federer foi até o final da partida,não abandonou a .
      Pardal disse isso no final,diferente de alguns outros ,Federer nitidamente com problemas mas leva o jogo ao final em respeito ao público.

      Responder
      1. Lola

        Ele tem que jogar até o fim e respeitar o público que puxa o saco dele o tempo todo.

        Já o Djokovic não precisa respeitar o público que não o respeita e fez muito bem em se retirar.

        Responder
    2. Maurício Luís "

      Bem feito mesmo! Faço minhas as palavras. Parecem um bando de juizecos de terceira classe, a julgar os outros a torto e a direito, sem um mínimo de noção. Vão pegar numa enxada!

      Responder
    3. LígiaB

      Você não entendeu, ou não quis entender. A crítica é a Djokovic ter abandonado quando faltavam poucos games, atraindo todo o foco para a lesão e não para os méritos do Wawrinka. Federer não fez isto, aliás, em nenhum momento da sua longa carreira.

      Responder
        1. André Barcellos

          Ele havia jogado mais de 3 horas no dia anterior. E ele apareceu sim, pra pedir desculpas, ao vivo e em cores, pra quem estava na arena.

          Responder
  45. Fernando Brack

    Excepcional partida do Dimitrov. Jogou como há muito não se via, a despeito de qualquer problema físico do adversário. Mereceu muito vencer Fed pela 1ª vez. Agora, vamos falar sério, o suíço é mestre em dar uma moral a tradicionais fregueses. Seu erro capital foi ter começado de forma displicente o 4º set, mas ali talvez as costas já o incomodassem. E vá perder chances de quebra assim na caixa-prego. Quando ele deixou de aproveitar o 2º 0-40, eu sabia que ia dar ruim.

    Enquanto Federer é chegado em dar colher de chá para fregueses, Nadal não deixa esse tipo de chance escapar e costuma massacrá-los e humilhá-los.

    Me resta agora a medíocre sina, usualmente infrutífera, de secar o ogro.

    Responder
    1. Jose Yoh

      Kkkk Brack, vamos dar uma chance ao velhinho. Jogou muito em WB, muito mais do que eu esperava.
      USOpen é normal todos chegarem quebrados.
      Acho que ano que vem, se ele ainda tiver motor, leva mais algum slam. Mesmo porque o motor dos outros já dão sinais de pistão batendo.

      Responder
  46. Denis

    Participação lamentavel do Federer nesse USOpen…depois de duas partidas terriveis nas primeiras rodadas, se despede com uma derrota melancólica para o Pipocov

    Responder
  47. Edi

    Achei que faltou foi pernas mesmo pro Federer,ele tava sacando normalmente,esquerda tava sendo batida,direita nem se fala,problema é que errou muito do quarto ser em diante,agora na torcida pra uma final igual 2014,com dois novatos em finais.

    Responder
  48. AKC

    Federer perdeu para sua versão B em pleno Arthur Ashe. Sinal dos tempos? Triste, porque queria vê-lo numa final contra Nadal. Acho que Grigor nem passa por Medvedev.

    Responder
  49. Luiz Fernando

    Ainda aguardando a confirmação do horário do jg do Federer na sexta, com muitos torcendo p q seja a tarde pois ele só é GOAT nesse período kkk, vamos comentar alguns pontos: 1) tem q ser muito cara de pau para dizer q uma chave com Nagal, Dzumhur, Evans e Goffin é complicada, mas para dizer q fácil é a do adversário não precisa nada. Nosso querido Pessanha, que eu creio q não é nadalista, se referiu a essa chave como “teta”, enquanto outros diziam não ser bem assim (aqui é diversão garantida kkk); 2) se os adversários tivessem atuações ruins como nos dois primeiros jogos contra manés, como foi o caso, certo segmento diria q A ou B estavam descartados de chance de vitória no torneio, mas aqui se falava em piaba no domingo (acho q a piaba veio na terça, foi antecipada kkk), título 21, saborear o desenrolar do torneio e outras besteiras do gênero, frases típicas de um segmento q prima pela falta de humildade; 3) quando a contusão é no adversário é simulação ou desculpa, talvez hoje leiamos alguma postagem aqui perguntando se Federer foi para alguma UTI após a partida, pois com ele tudo é verídico, com os adversários não, depois os caras ficam perguntando pq o segmento federista é tão mal visto aqui por quem tem ao menos um amendoim na cabeça; 4) por fim, louve-se a entrevista pós jogo do suíço, elegante e destacando a boa partida do adversário. O cara citou q a contusão surgiu ontem a tarde, embora não transparecesse no primeiro set. A partir do quarto set era clara a fisionomia ruim do Federer, de fato sugerindo algo errado, tanto q precisou de atendimento médico, e da mesma forma q citei em relação a Rafa em 2018 e Djoko agora, uma lenda como ele não precisa encontrar desculpinhas p derrotas, embora seus torcedores sejam mestres em apregoar isso quando acontece com os outros.

    Responder
    1. Fernando Brack

      Faria um bem precioso ao blog se os participantes focassem mais em seus tenistas favoritos, em vez de achincalhar ad nauseum o favorito dos outros e usar sua magistral sapiência para aporrinhar o saco dos torcedores de outros tenistas.

      Responder
        1. Márcio

          Eu vinha tentando avisar o Luiz Fernando de que isso tudo aconteceriara juntamente com a queda do kigriios, é até intrigante mas a existência de um jogador tão problemático servia como uma espécie de sparring necessário e havendo alguém no circuito com um comportamento negativo tão unânime isso instigava o a ter todas as chances de extravasar a sua raiva e o fazia, às vezes de forma exagerada,contra esse alvo fácil e acessível.
          Mas sobre tipos na ausência daquele existe uma tendência grande de que seja necessário outro alvo pois o sentimento está ali,no ser e não no objeto,e aquele que talvez mais se sobressaia como objeto tanto negativamente quanto positivamente irá consequentemente receber as pedradas. E no caso obviamente séria o Federer que apresenta se do lado extremamente oposto, também se destacando mas aqui de maneira positiva.
          É o que aconteceu em 2017 que o Luiz Fernando escreveu que odeia o Federer porque ele ganhou o australian open de 2017.
          Um comentário ridículo e extremamente sincero, mas daí também raro.
          A margem surgem argumentações algumas até cabíveis mas a maioria medíocres e cruéis sempre sem graça.
          O quê pra ele acontece infelizmente.
          Talvez com a volta do kigriios,do alvo fácil e negativo e óbvio e oportuno não tenhamos que nos perder em leituras tão extensas e poluídas pois ali o comentário tende a ser mais curto. Um bálsamo para os demais leitores do blog,no caso a crítica mais curta mas aínda sempre severa e pequena.
          Eu, espero que isso não se repita!!

          Responder
        2. Nando

          Mestre, falei isso no grupo do whats hoje e reitero:
          O blog (comentários) está nojento a cada dia q passa…o q está salvando (como sempre) são os posts e ALGUNS comentários. O negócio aki tá podre, sei q os comentários são aprovados pq senão dirão q o blogueiro é “parcial e torce pra tenista A”.
          E falo isso (sobre os comentários lixos) em relação a tds as “torcidas” hein…infelizmente esses fakes estragam esse grande espaço, um dos pouquíssimos com qualidade, q fala de tênis (sou fanático por futebol, pelo meu time, mas aprendi mta coisa AKI sobre tênis ao longo desses anos tds).
          Mta gente deixou de comentar AKI devido a esses lixos fakes aí, q mostram não gostar do esporte, mas sim de determinado tenista.
          Zueira é normal (bailarina, cotonete, siri calvo e afins…) e saudável, desde q tbm saiba fazer boas análises e comentários q acrescentem (nem q seja 1%) nesse espaço, mas são poucos q o fazem.

          Sobre o USO, torço por um campeão inédito kkkkkkkkkkk, e o cara q for campeão, será campeão e o título será importante como tds os Slams já disputados até hoje…quem fala essa merda de “Slam parrudo” é imbecil, pois tds têm a mesma importância. 1 Slam vale 1 Slam, ou estou errado?

          Responder
        3. Rafael Azevedo

          Todo mundo sabe que esse negócio de “slam partido”, “maratênis”, “baloeiro”, “sem técnica”, “frauderer”, “dopado” etc., é tudo bobagem. Quem fala, é que paga o mico. Mas, confesso que até acho engraçado. É divertido. O problema é quando há ofensas pessoais, do tipo: “patético”, “palhaço”, “idiota”, “bobo da corte” etc., como já vi por aqui.

          Responder
        1. Jonas

          Estariam exaltando o Federer e diminuindo Djokovic e Nadal, pode ter certeza.

          O tema que foi levantado acima, simplesmente não seria postado, abs.

          Responder
      1. Jose Yoh

        Concordo plenamente. Ultimamente tenho tido saco para ler 10% do blog. O pouco que sobra de útil fica perdido no meio dos comentários da faixa de gaza.

        Responder
  50. Jonas

    Não precisam chorar Federetes. O Fregueser escapou de uma bela surra do seu outro pai Nadal kkkkkkk imaginem só kkk levar 61 63 60 em mais uma final de Major kkkkkkk

    Quem sabe ele vence o Australian Open? Vai que o Nadal chega a final bichado de novo ou um tal de Cilic aparece pra salvar o dia kkkkk

    Responder
    1. André Barcellos

      Federer é pai do Nadal em duras desde 2015.
      Não seria diferente desta vez, ainda mais com o jogo começando 16:00 em NY.
      De noite ele jogou mal todas as vezes nessa edição . Fato.
      É fato também que isso é problema dele.

      Responder
          1. Jonas

            Verdade. Pelo que acompanhei deste US Open, o Federer venceria o Nadal sem sustos. O espanhol é fraquíssimo neste piso. Nunca arrumou nada, abs.

      1. Jonas

        É claro que não. Ele estava jogando bem e em plenas condições.

        A grama é o melhor piso do Federer e um dos piores do Nadal.

        Coloquei Nadal favorito pela paternidade. Federer é freguês de carteirinha. Mas foi um jogo bem equilibrado, resultado justo.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Quem não te conhecer que te compre.

          Você baseia tudo no anti-federismo. Isso sim.

          Always have.

          Até porque a tal “paternidade” inexiste desde Austrália 2017.

          De lá pra cá, o suiço não perdeu sets pro Nadal em: Miami, Indian Wells e Shangai.

          Agora, sem dúvida que pro favoritismo do Federer se manter teria de não sentir esse problema da umidade.

          Mas nas “CNTP’s” daria Federer em 4 sets.

          Responder
  51. andre

    Federer tinha um problema para se mover pro lado direito isso tava claro é ninguém fala nada por isso ele teve tantos erros de forhand . Mas o mérito é do dimitrov, que forçou o jogo e tava com mais voltande. Uma pena mesmo para o federer se tivesse entrado ligado tinha feito 3 x 0

    Responder
  52. Chico

    A coisa mais estúpida que já vi é essa briguinha besta entre torcedores de Federer, Nadal e Djokovic. E isso é muito mais evidente no Brasil quando se comparam os comentários de “torcedores” daqui com os do resto do mundo. Claro, país do futebol onde as “torcidas” levam para o tênis, um esporte que NADA tem a ver com futebol, as suas paixões grotescas.
    Vida longa a Federer, Nadal e Djoko – os maiores tenistas de todos os tempos. Cada um no seu estilo. Cada um fazendo mágica do seu jeito único dentro de quadra.

    Abraços Dalcim!

    Responder
    1. Barocos

      Amigo, acho que você não tem lido os comentários na bbc, tão ruins ou piores que os daqui. Nem vou comentar sobre o comportamento das torcidas tanto neste USOpen quanto em Wimbledon.

      Ficou nítido que o Federer não estava bem, assim como também era claro que o Djokovic estava com problemas. As dificuldades que estavam enfrentando se refletiu na potência e na precisão dos golpes. Roger ainda teve contra si uma persistente dificuldade nos deslocamentos.

      Só alguém muito maluco, que nunca jogou coisa nenhuma enquanto lesionado, para postar as besteiras que alguns aqui postaram (não estou me referindo a você).

      Obrigado RF, obrigado ND, obrigado RN, vocês são os maiores atletas que o tênis já viu, um exemplo para todos nós que possuímos um mínimo de bom senso e, por favor, perdoem os ignorantes, eles não sabem o tamanho e o quão ridículas são as besteiras que falam.

      Existe um velho provérbio que diz, mais ou menos, o seguinte: é melhor ficar calado e deixar que as pessoas tenham dúvidas sobre nossa estupidez, do que abrir a boca e removê-las completamente.

      Responder
  53. Sandra

    Dalcim , esse tipo de tratamento do joelho que o Nadal faz ou fez existe no Brasil? E só serve para o joelho? Não existe para quadril, ombro e etc, e porque Stan , Federer ,Tsonga não fizeram ?

    Responder
  54. João ando

    O roger derrubou muita gente assim como o stans no desafio usopen.mas mesmo assim estou chegando e Nadal vai ganhar esse usopen a nao se e que ocorra uma hecatombe nuclear

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pra mim tá dureza, Gabi. (rs)

      Até agora estou em estado de choque!

      Não simplesmente pelo Federer ter perdido.

      Mas pela FORMA com que perdeu…

      Responder
  55. Daniel

    Assisti o jogo pela ESPN e causa espanto como aqueles dois caras fazem o mesmo comentário em todos os pontos sem perceber o óbvio.
    Federer não está nada bem. Seu time com cara preocupada, a esposa parecia que estava agoniada.
    Ele não consegue bater o forehand se não estiver parado (lembrou muito o Guga, seria alguma lesão de quadril?)
    Falou-se de lesão nas costas, mas o saque não parecia tão prejudicado quanto a movimentação à direita.
    A genialidade permitiu que ele arrastasse a partida ao 05º set.
    Cansado de tentar bater o forehand e mandar a bolinha pra qualquer lugar, aplicou um lobe sensacional, numa tentativa de não isolar novamente.
    Será que só eu vi que ele estava plantado no chão? A cada final de ponto ele caminhava lentamente para o próximo.
    Expressão de dor, insatisfação, falta de movimentação… a dor vai minando.
    E os dois tontos se limitavam a dizer sempre. -Nossa, o Federer errou o forehand, ele precisa calibrar esse golpe…
    Saudades do Dacio Campos, até do Paulo Cleto. Qualquer um que tenha um pouco de visão para comentar tênis. Afinal de contas, estamos assistindo jogos de…. tênis, né?
    Não quero com isso desmerecer a excelente apresentação do Dimitrov e torcer para que continue nos brindando com esse magnífico tênis.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Quando um tenista como Djokovic ou Federer começa a ir para a rede em qualquer bola, você pode apostar que algo está errado com ele…

      Responder
      1. Nando

        Exato, mestre…falando sobre Federer, é isso mesmo. Qnd ele começa a querer “apressar os pts”, indo pra rede td hora (até em bolas lentas), é pq não está “confortável”.

        Responder
  56. Geraldo

    Dalcim, você acha que a atitude do Roger foi mais respeitosa e/ou profissional com o público por ele ter jogado a partida até o fim, mesmo com dores nas costas?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acho que foi caso de respeito. Tenistas profissionais tentam lutar até o limite absoluto. Ele estava num quinto set, portanto mesmo com dor ainda era possível tentar a vitória e acredito que essa foi sua motivação derradeira, Geraldo.

      Responder
  57. Geraldo

    Por isso que não adianta fazer tanto alvoroço com sorteio. As pessoas que comentam aqui quase se matam antes do Slam começar. Tem que confirmar o favoritismo. Tem que respeitar todos os adversários. Não existe jogo jogado no tênis.

    Responder
  58. Danilo BR

    Se eu fosse Federer começaria a considerar a aposentadoria no próximo Wimbledon, pois já está dando sinais de decadência natural… e o US Open 2019 de bandeja nas mãos de Nadal, que considero o mais regular jogador de todos os tempos! Federer e Djokovic podem ser 10 nas suas condições ideais e Nadal 9, porém eles oscilam muito mais do que o espanhol, que sempre está nesse grau 9 enquanto o 10 dos seus maiores rivais é muito incerto! Dalcim, vc concorda comigo que Nadal é o jogador mais regular da história?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não sei se concordo, Danilo. Teria de pensar com muita calma na carreira de outros tenistas, não apenas do Big 3. Nadal já teve intensos altos e baixos, na maioria das vezes por contusão, além daquele momento de baixa emocional muito forte que viveu. Mas sem dúvida é um jogador que sabe dar a volta por cima.

      Responder
  59. Maior geração do tênis chegando

    Bom como Medvedev está jogando e dimitrov voltando a jogar oque sabe não sei se Nadal é favorito ..acho q claro está entre os favoritos …….. Fora q monfiels no dia bom elimina qualquer jogador o argentino tbm envomlda e berretine é dessa grande geração ……. Dalcim nessa onda de jogadores que não se tornaram oque se esperava por conta de lesões como dimitrov .. tem algum jogador genial que poderia estar entre os maiores que por conta de lesões não conseguiu chegar lá ? Vc lembra de alguém vale do passado em qualquer época

    Responder
  60. Chileno

    Pra mim era evidente um problema com o suíço. Já vi o Federer jogar mal e tal, mas assim? Sinceramente, nem em 2013 me lembro de tê-lo visto cometer tantos ENF. E detalhe: muitos deles de forehand, em bolas curtas, flutuantes no meio da quadra. Fiquei meio frustrado ao ver os comentaristas sequer comentarem isso. Os caras falavam em “pressa”, “precipitação”, etc., mas nenhum pareceu perceber que o principal golpe do Federer simplesmente não entrava, por mais fácil que viesse a bola do Dimitrov.

    Obviamente que o Dimitrov jogou bem e mereceu vencer. Mas o maestro claramente estava com problemas físicos.

    Responder
    1. Luca

      seguindo a logica dos que disseram que o djoko nem deveria entrado em quadra contra o Wawrinka, o Federer tb deveria ter abandonado antes de entrar na quadra

      Responder
      1. Chileno

        Então… só que eu discordo deles. Defendi o abandono do Djokovic no jogo anterior (pode ir lá ver) e defendo o Federer ontem, da mesma forma. Inclusive acho mais correta a atitude do Djoko de abandonar se estiver ruim. Periga agravar a lesão.

        No caso do Federer, me pareceu que a lesão aconteceu durante o jogo. Aí não teria como nem entrar.

        Responder
  61. Marcilio Aguiar

    É evidente que o Dimitrov mereceu vencer. Além dos recursos técnicos que tem, não se abateu quando estava atras do placar. Quanto ao suiço, parece que a idade começa a pesar cada vez mais. As bruscas quedas de rendimento e as dores serão mais frequentes. Ele tem estado cada vez mais impaciente nos jogos. Acho que deveria considerar a retirada para breve, talvez no finals deste ano. Como torcedor não gostaria de ve-lo perder melancolicamente nas primeiras rodadas para qualquer um. Temo que isso vire rotina. Agradeço por tudo que fez pelo tenis e pelo momentos de alegria que me propiciou ao assistir o melhor praticante desse esporte que eu vi.

    Responder
  62. Rafael Azevedo

    – Djoko, Federer e Nadal já estão na semi, com Djoko sendo campeão;
    – A semi de Nadal será contra Kyrgios, e o australiano pode vencer;
    – Não, a semi de Nadal será contra Rublev, e o russo pode vencer;
    – Djoko vai cair nas quartas para Medvedev;
    – Federer vai ser campeão fácil;
    – Wawrinka será o campeão fácil;
    – A semi de Nadal será contra Monfils, e o Francês pode vencer

    Como os “especialistas” (videntes) aqui mudam de opinião…estou confuso. Kkkkk
    Estou esperando as próximas previsões:
    – Dimitrov será o campeao.
    – Medvedev será o campeão.
    – Nadal já conquistou o seu 19°

    Responder
      1. Daniel

        É o estigma da idade.
        Ridículo, isso.
        E o Federer paga por ser meio que um pioneiro.
        Ninguém fala que o Nadal JÁ tem 33 porque falavam isso quando o Federer JÁ tinha 29.

        Responder
      2. Jose Yoh

        Nunca vi ninguém jogar nesse nível com 38 anos. Nem creio que Nadal ou Djoko vão continuar assim nessa idade, não acha?
        Então é natural que todos achem incrível alguém ganhar com 38 e também natural que digam que perdeu porque tem 38.

        O cara é um FENÔMENO. Merece qualquer desculpa ou elogio.

        Responder
  63. Luis

    Dalcim um anticlimax ficou US Open com inesperada derrota do Federer que pareceu ter altos e baixos mas mesmo se vencesse teria jogo difícil contra confiante russo,talvez suíço ainda nao está se recuperando pós Wimbledon e pode ter sentido o físico no 5 set

    Responder
  64. Maurício Luís *

    Não sou torcedor do Federer, mas discordo FRONTALMENTE dos colegas internautas que afirmam, como se ‘muy’ entendidos fossem, que o Federer simulou contusão. Brasileiro adora se fazer de “doutor” no assunto, afirmando coisas sem ter a menor base. Mas o que vale é a “POSE”. Pois a mim não enganam não.
    É fácil dedilhar o teclado, sentado numa cadeira estofada, e escrever qualquer coisa. QUEREM SER MAIS REAIS DO QUE O REI! Procurem ter o mínimo de bom senso antes de escreverem essas ‘absurdidades’.
    No dia em que vocês aguentarem correr feito doidos pra lá e pra cá, às vezes sob sol forte, com 37 primaveras nas costas e enfrentando adversários muito mais jovens, aí sim vou dar algum crédito. Me poupem!!
    Bom… além dos acima mencionados, tem os inventadores de moda. Segundo o LÓGICO, a queda do Djoko deixou o Slam “desidratado”. E agora?… Vai ver ficou desidratado e desnutrido. E se caso o Nadal enrolador de noiva cair também, o Slam vai ficar desidratado, desnutrido, franzino, capenga e doente.
    Mas que culpa tem o cara se os adversários caíram antes? Pelo amor dos meus filhinhos!
    SERENA ***** É uma meia verdade dizer que a Serena não ganhou nenhum título depois que foi mãe. Ela ganhou o Australian Open com a filhinha dentro da barriga.
    Ganhar um Slam grávida… mais uma proeza da Super Serena.

    Responder
  65. Fábio Romão Prado

    Dalcim, essas ocorrências com o Federer, Wawrinka, Medvedev (que resiste) e Djokovic ao mesmo tempo, seriam sintoma de um calendário pesado ou algo do tipo? Coincidência somente? O que acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o Federer não pode reclamar do calendário, afinal jogou muito pouco desde Wimbledon. Foi um misto de fatalidade – o problemas nas costas é recorrente – e da idade. O Medvedev se dispôs a jogar tudo que encontrou pela frente, então acho que é consequência natural, já que o piso duro é certamente o que mais desgasta o tenista profissional.

      Responder
  66. Tiago

    Pessoal…sobre esse US Open masculino…na boa…tudo bem que o Nadal possa ser o melhor da atualidade, mas vai pegar uma chave, um torneio tão fácil assim lá na pqp! Tá pior que o US Open de 2017 em que não pegou um top 10 no torneio inteiro…e se pegar um top 10 neste será um baleado Medvedev. O espanhol é sem sombra de duvidas um dos melhores de todos os tempos, talvez possa superar todos os recordes ou boa parte deles. Mas vai ter sorte assim lá bem longe! Torneio com cara de challenger pra ele, só perde para ele mesmo.

    Responder
    1. Sandra

      Longe de mim querer defender Nadal , não foi a chave foi o tal nexteeen que foi caindo, e facilitando ele mais ainda , quando a sorte dele não vem da chave vem dos favoritos cairem

      Responder
    2. Luiz Henrique

      Tiago, talvez Nadal até tenha sorte no us open, mas isso tb compensa um pouco com o azar q ele tem em wimbledon ou austrália. Com um pouco menos de azar ele podia ter 3 títulos em cada 1, assim como djoko e federer talvez com um pouco mais de sorte pudessem ter 2 RG ao invés de 1

      Responder
  67. Marcio

    Claro que ainda é cedo e tudo são palpites… todos que estão ali estão em alto nível, mas pelas experiências anteriores, inclusive com a final de Montreal recente, pode entregar a taça pro Nadal… apenas um palpite baseando em fatos, não em mera torcida!

    Responder
  68. Everton Weslley

    Dalcim, sobre este US Open..

    Um tanto quanto agridoce, não acha?

    Digo pelo fato da lógica espera pelos favoritos na reta final.

    Mas com certeza tem sua importância para o esporte, mostrando o quão competitivo e surreal ele pode ser. Que mágico.

    Sem os cabeças 1 e 3, e supondo que Nadal não chegue as finais (o que seria ainda mais improvável)…

    Qual final você gostaria de ver? Dimitrov x Monfils talvez?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, aí é só uma questão de gosto,. Everton, mas adoraria ver o Monfils ao menos na final. Mas para azar dele, está no lado do Nadal rsrs

      Responder
  69. Johnny

    Ficou nítido que Federer teve uma lesão. Mas diferente do amarelão servio, Roger lutou até o final. Postura do maior e melhor de todos, postura de campeão!

    Parabéns Roger!

    Independentemente de quem for campeão, estará de bom tamanho.

    As Nadalzetes estão felizes da vida por escapar de mais uma surra e freguesia fora do barro.

    Responder
    1. Chetnik

      Marquinhos, o que adianta ficar em quadra e se entregar totalmente? Só pela desmedida arrogância de dizer “nunca abandonei uma partida”. O cara nem tentou, fez um papelão e teve a sorte do Dimitrov ter piedade e segurar o pneu, kkkk. Baita guerreiro, esse Federer, kkkkk.

      Aliás, depois de toda a groselha que vocês falaram, baita justiça poética, kkkk. Mas eu espero que ele se recupere logo. Djoko quer aplicar novas surras, kkkk.

      Responder
  70. Nando

    Pra mim, foi uma zebra esse resultado, sem dúvidas…não esperava essa derrota do Federer. Qnd ele começa a ficar “apressado”, pode ter ctz q as coisas estão ruins.
    Sobre o jogo, Dimitrov melhorou mto à partir da metade do 2° set…bh sólido, ficou mais rápido (tava chegando em quase tds as bolas). Mas deu aquelas dimitrovadas q conhecemos.
    Federer teve mtos bps…o q “quebrou as pernas” mesmo foi qnd ele sacou pra empatar o 2° set após ter devolvido a quebra, e foi quebrado de novo, cedendo o set.

    Agora o torneio está nas mãos do siri calvo, deve faturar seu 19° Slam, pois os 2 caras q ele não vence mais fora do saibro, estão fora. Mas o jogo é jogado né? À conferir.

    Responder
  71. Gildokson

    Tava na cara que o Federer sentiu de novo as costas, mas não desistiu e jogou até o final. Título fácil na mão do Nadal provavelmente.
    Ainda bem que não vai valer pq não vai ser “parrudo” kkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
  72. Jonas

    Eu falei Renato que nenhum dos dois ia chegar as semis. Mas vcs são iludidos, kkkkk.

    A pergunta é: qual será o próximo fake do Marquinhos?? kkkkkkkkkk. Eu aposto que some até o Australian Open kkkk boas férias!!!

    Responder
  73. Luiz Henrique

    Pelo visto Federer vai terminar em 3º no número de slams.
    Em Roland Garros ao menos tivemos um Djokovic sem lesão, um Federer sem lesão, e um Thiem sem gripe.
    Por isso que eu digo e repito: a temporada de saibro é mais interessante e imprevisível.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, aparentemente ele já entrou com problemas nas costas, que teria sentido no treino da tarde. Caiu evidentemente de produção a partir do final do quarto set e pediu atendimento médico antes do quinto set.

      Responder
  74. Ramon

    Grande Dimitrov !! Nunca critiquei hehe

    Pra quem já estava comemorando a taça (21), desejo somente uma excelente quarta-feira e boa sorte na próxima vez.

    Nadal que não tem nada a ver com contusões alheias, irá agarrar essa chance com unhas e dentes…

    Responder
  75. Rodrigo S. Cruz

    Mãe Gleisi, Babalorixá Alpeida e Pai-Ogum Chetnik fizeram uma MACUMBA para ninguém botar defeito, amigo…

    Até sangue de bode eles devem ter usado no despacho!

    É a única explicação tangível para Roger “Angel” Federer jogar na privada outra barbada de Grand Slam que estava sendo esse.

    Sem Djokovic no seu caminho, e provavelmente pegando o freguezaço do Nadal, na decisão…

    (rs)

    Responder
    1. Jonas

      “freguezaço do Nadal”

      Rapaz essa é nova pra todo mundo que acompanha tênis kkkkkkkk

      Poste mijando no cachorro agora!???? kkkkkkk cara faz o seguinte, procure o H2H entre Nadal e Federer em Grand Slam. Vai cair da cadeira kkkkkkk

      Responder
  76. Rodrigo S. Cruz

    Não engulo também nessa “desculpinha” de lesão do Federer.

    Dor nas costas o meu ovo!

    Conta outra…

    Perdeu porque arregou feio mesmo.

    E quando viu que a vaca estava indo pro brejo, ficou nevoso e passou a errar feito um maluco.

    Verdade seja dita:

    Djokovic e Federer podem se dar as mãos.

    Eles são os dois maiores arregões da história do US Open…

    Responder
    1. Gildokson

      Que isso Rodrigo? Pow cara… dava pra ver que o homem tava desesperado pra acabar com o jogo subindo em qualquer saque e batendo qualquer direita. A gente tem que aceitar que ele tem um corpo de 38 anos que diferente da maioria das pessoas ja foi forçado ao limite máximo devido a rotina de atleta. Provavelmente de agora em diante isso vai ser cada vez mais comum… fazer oq?
      Vamos respeitar e torcer enquanto o GÊNIO tiver vontade de jogar, e nunca se sabe o que pode acontecer até o fim, enquanto uns estão em busca do 20° ele persegue o 21°

      Responder
      1. Chileno

        Pois é… e olha… eu já vi o Federer jogar mal, cometer vários erros no mesmo jogo e tal… acompanhei os piores anos de carreira do maestro, como em 2013, por exemplo. Mas cometer tantos erros como ontem, sendo a maioria deles no forehand? Nunca tinha visto. O forehand dele sempre foi soberano. Mesmo nos piores jogos do Federer, o forehand dele sempre foi um ponto forte, e ele acabava perdendo por conta de outras falhas (backhand, movimentação, etc.). Ontem, vendo pela TV eu ficava sempre com a impressão que era alguma falha de movimentação das pernas ou do tronco. Parecia que ele não fazia a base perfeita e não girava o tronco adequadamente pro swing.

        Responder
  77. Paullo

    alguns aqui disseram que o djoko nem deveria ter entrado na quadra ontem sabendo da sua lesão.
    Para esses, o Medvedev tb deveria então abandonar?

    Responder
  78. Rodrigo S. Cruz

    Puta que pariu, mano.

    “MÃE” ALMEIDA e PAI ” CHETNIK” devem ter feito uma macumbaria pesada num despacho!

    Com direito a sangue de galinha, farofa amarela e cachaça!

    Acho que nunca vi o Federer jogar tão mal e de forma tão covarde assim na minha vida!

    Nem ano passado, quando perdeu pro ridículo Millman…

    Que horror!

    Responder
  79. Chetnik

    A horda já tava dando como certo o 21a, kkkk. Num torneio que o bode não ganha há 11 – ONZE – anos, kkkkk. “Coincidentemente”, desde o fim da entressafra, kkkkk.

    Responder
  80. Chetnik

    Tchau, Wawrinka. Tirando a horda, ninguém quer vê-lo abrindo as pernas para o seu Suserano novamente…opa, pera…kkkkk.

    Perder um jogo de GS para o DIMITROV, kkkkkk. Dimitrov ainda foi bonzinho e tirou o pé no 5a set para evitar o pneu, kkkkk.

    Responder
  81. Fernando Pauli

    Se realmente as costas foram o problema nesse fim de quarto set, não resta ao Federer encerrar a temporada, descansar, curtir a família e tentar esquecer os 40/15 de WB. Voltar só o ano que vem para jogar seu último e derradeiro ano, tentar vencer pelo menos um GS e se aposentar. Se Nadal vencer esse US Open (90% de chance), no mínimo empata com Federer no próximo ano, caso Federer não tenha êxito em nenhum GS. Bem que comentei em um post passado que era bom o Federer abrir o olho com o Búlgaro, tivesse vencido em 3 sets, esse incômodo nas costas nem teria aparecido. E tinha também comentado que Federer ainda não havia sido realmente testado nesse GS, deu no que deu, do mesmo jeito que aconteceu com Djoko que vinha jogando não mais que 70%. Agora Federer se torna um mortal comum no tênis quando sua direita fica instável, onde nessa situação é capaz de perder de qualquer top 100 do circuito. Uma certeza nisso tudo eu tenho, FEDAL no US Open never more!

    Responder
  82. Efraim Oliveira

    Acho que o Roger pecou em tentar salvar um set virtualmente perdido; aquele game longo lhe custou muito caro. Mesmo após ele confirmar aquele game, passei a achar que o Dimitrov ganharia o jogo. Acho que faltou ao Roger essa visão tática de se poupar pros pontos importantes.

    Responder
  83. JAN DIAS

    Não tenho a menor intenção de me esconder.

    FEDERER jogou com a técnica (embora c/erros), mas
    esqueceu o emocional: jogou frio, sem vibração, aquele “sangue nos olhos” que o fez vencer o AO 2017. Pra mim me pareceu muito aéreo e desconcentrado, mesmo quando venceu o 1° set.

    Do outro lado, ao contrário, DIMITROV estava vibrante e motivado a quebrar o jejum diante do Rei. Jogou muito bem e mereceu ganhar a partida.

    Responder
      1. JAN DIAS

        Obrigada piratinha! Eu me divirto muito com seus comentários. Por favor não desista do nosso FEDERER, eu sei que não é fácil mas…vida que segue. Um abraço pra você!

        Responder
  84. Maria izabel

    Assisti a Serena que fez um treino hoje no US OPEN, 44 minutos!!
    Depois foi a vez de ver Federer x Dimitrov.Primeiro set perfeito para Federer,depois Dimitrov empata,Federer desempata,.Depois o quarto set foi um desastre para Federer como errou!Atendimento médico ,depois uma sequência incrivel de erros e … adeus mais um Slan para Federer.
    Sinto que Federer tem que decidir seus jogos em pouco tempo,se se arrrastar, ele não está mais conseguindo.
    Espero que não tenha sido nada preocupante nas costas.Mas que Federer estava jogando bolas para terminar o jogo logo isso o fez.Nunca vi tantos erros bisonhos de Federer.
    Vários comentários prevendo um Fedal ,seria bacana demais.Não consigo isso,para mim,é jogo a jogo.
    Decepcionada,mas Dimitrov teve méritos.

    Responder
  85. Paulo Almeida

    “Chileno
    4 de setembro de 2019 às 00:12

    Em quantos anos o Federer jogou menos tênis que em 2015? Até aquele momento, parecia ser o máximo que ele alcançaria. Mas aí veio 2017, 2018 e 2019, e ficou claro que nem era tudo isso.

    Embora tenha jogado bem, objetivamente falando o suíço em 2015 só jogou mais que em 2013, 2016 e quiçá 2014. 2008, 2010 e 2019 (até aqui) parecem comparáveis. Pra mim é bem cristalino que jogou muito menos que 2005, 2006, 2007, 2009, 2011, 2012, 2017 e 2018.”

    Jogou menos em 2008, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2018 e 2019. Tecnicamente foi melhor do que no período da entressafra também, mas ali ele podia jogar abaixo, pois não tinha adversário. Pra mim é isso bem cristalino e só não ganhou mais em 2015 porque Djokovic é melhor do que ele.

    Abração, eliminado. Não suma de novo!

    Responder
    1. Chileno

      1 – “Tecnicamente”. Só que todo mundo sabe que o jogo não é só técnica. Fisicamente, o Federer 2015 sempre equilibrava os jogos com o Djokovic nos dois primeiros sets, e do terceiro em diante o desempenho dele caía vertiginosamente;

      2 – Mesmo tecnicamente falando, a única vantagem real dele sobre esses anos todos em 2015 era o voleio. O backhand dele estava sofrível como em 2013 e 2014. Metade pra mais dos golpes de backhand dele eram de slice. A devolução dele nessa temporada era bem passiva também. Só colocava a bola em jogo. O jogo todo era baseado no saque, voleio e forehand, ao passo que em 2008, 2010, 2011, 2012, 2018 e 2019 ele no mínimo dos mínimos tem(tinha) um backhand se não brilhante, ao menos bem decente, e aguenta(va) correr 5 sets. De 2017 pra cá ele até incorporou uma devolução agressiva.

      Novamente: não é que ele tenha jogado mal em 2015. Mas comparando com os outros anos de carreira dele, e usando o mesmo critério que você gosta de usar do “tênis jogado”, pra mim, 2015 provavelmente está na metade de baixo das temporadas do suíço até aqui. Acho comparável a 2008 e 2010, por exemplo, nas quais ele até ganhou Slam. Mas muito abaixo dos anos áureos de 2004 a 2007, e a reinvenção pós 2016.

      Responder
      1. Chileno

        Pra mim, 2009, 2011 e 2012 do Federer também foram superiores. Mais ou menos pelos mesmos motivos citados anteriormente.

        Acho que o período em que todos do Big 3 estiveram mais próximos dos seus melhores desempenhos simultaneamente foi 2011 e 2012. Os 3 estavam em ótima forma, e jogando muito tênis. Por isso, eu acho mais impressionante o ano de 2011 do Djokovic do que o de 2015. Acho que tanto o Federer, quanto o Nadal, eram muito mais jogadores em 2011 que em 2015, e mesmo assim, o sérvio conseguiu se sobressair.

        Responder
  86. V Maurício

    Até o Federer veio com essa de atendimento médico durante a partida pra simular contusão! Está aprendendo os maus costumes com o Nadal e Djokovic! Quem diria hein?
    Dalcin, quem você acha que tem mais chances de ganhar do Nadal daqui pra frente?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Quem tem mais recursos é Monfils, mas difícil acreditar nele diante do Nadal. Medvedev poderia encarar no duelo de base, porém não sei como ele ainda está inteiro nesse torneio.

      Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Não acho que ele tenha consistência suficiente na base para isso, sem falar no seu backhand de uma mão e nas poucas subidas que faz à rede.

          Responder
  87. Luiz Fernando

    Rodrigo Cruz: “No mais, o vigésimo-primeiro vem aí, Gleisi.
    Espero que você SABOREIE cada momento!”

    Esse 21 seria um andar ou a Rua 21 em NYC? Mas fique tranquilo, seja o q for tenho certeza q ela e vários outros estão e estarão saboreando, eu pex com um maravilhoso vinho espanhol, deixando o chocolate suíço de lado kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      (rs)

      Luiz,

      O Federer estava simplesmente “MACUMBADO” no jogo de hoje.

      Deve ter sido um “trabalho” de vudu!

      Pois nunca vi nada parecido…

      Que FOREHAND horroroso! Que medo de ir para as bolas…

      Que INFINIDADE de erros medíocres e improváveis!

      Tava tão feia a coisa que se ele mirasse a bolinha para longe da quadra, era capaz de acartar as linhas por ACIDENTE, de tão descalibrado que estava…

      Uma tremedeira inacreditável.

      Só não digo que arregou mais feio do que o Novak “Fugitive” porque aceitou PAGAR MICO até o final do jogo…

      Responder
  88. Luiz Fernando

    ESCÂNDALO, VERGONHA, ROUBO, dessa vez eu vi Sônia, o Dimitrov jogando com a camisa, o calção e o tenis da Nike, que esquema vergonhoso para favorecer o Nadal, a Uniqlo deveria contratar os advogados do Lula p levar e desmascarar esse esquema de cartas marcadas pra ONU, talvez a Dilma possa testemunhar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    E no aguardo das manifestações dos oportunistas de sempre: Lógico, Marquinhos/ Renato e seus fakes etc etc etc…

    Responder
    1. LígiaB

      Rafa merece vencer pela resiliência e atitude, e eu vou torcer para que ele consiga.
      Luiz, Lula e Dilma não têm nada a ver com isto. Se você critica os oportunistas, procure não ser um deles.

      Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Que nada!

      Isso foi mil vezes mais indigno que aquele 40/15.

      Ali, o Federer perdeu um jogo brigado palmo-a-palmo, e sem sentir medo.

      E não essa ARREGADA monstra que vimos hoje…

      Responder
      1. Carlos Reis

        Naquele 40/15 ele amarelou FEIO…Imperdoável!

        É uma pena, pois o cara é o melhor tecnicamente, poderia ter vencido MUITO MAIS…

        Parece que o título de melhor vai ficar com o espanhol, merece MUITO MAIS do que o ídolo dos Idiotas, pois domina o saibro de maneira impressionante e joga pau a pau nos outros pisos…

        NADAL GOAT!

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *