Meninas roubam a cena no US Open
Por José Nilton Dalcim
30 de agosto de 2019 às 01:13

Se a Next Gen masculina tem sofrido para arrancar grandes resultados dos mais experientes do ranking, principalmente nos Grand Slam, o circuito feminino está repleto de meninas cheias de vontade. E nada melhor do que duas pratas da casa para roubar a cena do US Open: Taylor Townsend e Coco Gauff foram os grandes destaques da quinta-feira em Nova York.

Townsend tem uma história controversa. Tida como grande promessa desde os 15 anos, não conseguia se livrar do excesso de peso e viu retirada a ajuda oficial da USTA por não entrar na considerada forma física ideal. Canhota, ela sempre se virou na base do talento e o que fez contra Simona Halep foi incrível: ao melhor estilo Martina Navratilova, sacou com slices e subiu à rede até mesmo atrás do segundo saque, colocando pressão constante na campeã de Wimbledon, que não achou um jeito de contornar a súbita mudança tática da adversária.

Taylor jamais foi uma tenista de saque-voleio, aliás nem tem um excepcional jogo de rede, mas a ousadia justificou a vitória. Terminou o jogo com 105 subidas, tendo feito apenas 16 no primeiro set mas 63 no terceiro. Não menos curioso: de seus 96 pontos na partida, 63 vieram com voleios ou com a pressão em cima de Halep e apenas 23 com erros não forçados da número 4 do mundo. Townsend enlouqueceu a torcida e analistas, caiu em lágrimas na entrevista em quadra e provou que vale a pena continuar tentando.

Na rodada noturna, Gauff voltou a brilhar, não apenas pelo tênis maduro mas pela postura profissional e jamais deslumbrada, algo difícil para quem tem apenas 15 anos. Fez um pouco de tudo. Ganhou o primeiro set de Timea Babos de forma conservadora, trabalhando cautelosamente os pontos, mas depois da reação da húngara percebeu que teria de arriscar para se antecipar e tomar mais conta dos lances. Sua média de primeiro saque beirou os 170 km/h e saiu de quadra com 83% desses pontos vencidos. Agora, nada menos que Naomi Osaka.

Masculino: o lado de cima
Os onze jogos da parte superior da chave não realizados na quarta-feira obrigarão seus vencedores a voltar à quadra nesta sexta-feira e alguns terão tarefas indigestas. O local Denis Kudla ganhou o direito de encarar o número 1 Novak Djokovic pelo segundo Slam seguido, tendo vencido apenas oito games em Wimbledon semanas atrás, e o habilidoso Daniel Evans tirou Lucas Pouille e reencontrará Roger Federer com placar de 0-8 em sets.

Stan Wawrinka se candidata a desafiar Nole nas oitavas se superar Paolo Lorenzi, que suou 4h48 para avançar no quinto set. Danill Medvedev cedeu um set, sentiu cãibras e pega outro veteraníssimo, Feliciano López, que ao menos não é de trocar muitas bolas. Claro que fica a expectativa sobre o problema no ombro esquerdo do sérvio, que passou por ressonância e não aparentou problema mais sério. Kudla não tem poder de fogo para incomodar tanto.

Jogo bem interessante envolverá David Goffin e Pablo Carreño, possíveis adversários de Federer nas oitavas, que primam por um jogo compacto na base e um bom trabalho de pernas.

Masculino: a parte inferior
Rafael Nadal nem precisou entrar em quadra e sempre fica a dúvida de quanto isso é realmente bom, ou seja, passar três dias sem competição real logo no início de um Slam. Ele vai pegar o esforçado Hyeon Chung e vislumbra John Isner, já que Marin Cilic continua em momento sofrível. Alexander Zverev manteve o padrão, já soma 10 sets e abre oportunidade para Diego Schwartzman ou até Tennys Sandgren se aventurarem por ali.

O outro quadrante está bem mais empolgante e já reserva Nick Kyrgios x Andrey Rublev e Gael Monfils x Denis Shapovalov nesta terceira rodada, mas ali no meio está também Matteo Berrettini, italiano de grande saque e que, num grupo de gente tão instável emocional ou fisicamente, pode muito bem tirar proveito.

Destaque
É excelente rever Chung em alto nível. O coreano de apenas 23 anos tem vivido tremendos altos e baixos desde que surgiu como grande sensação da nova geração, ainda em 2015. As contusões não o deixaram em paz e ele seguidamente interropeu a carreira para tratar dos mais variados problemas. Fez uma incrível semi no Australian Open do ano passado, superando até Djoko e chegando ao top 20, porém no meio do ano sucumbiu outra vez ao físico, agora panturrilha, lombar e até bolha. Deixou de jogar 11 torneios desde maio e ainda abandonou outro. Retornou agora em janeiro, mas em seguida sentiu as costas. Outra longa parada. Há poucas semanas, recomeçou em challengers. Passou o quali do US Open e terá a terceira chance de encarar Nadal. Em 2017, perdeu as duas sempre em sets diretos, mas levou Rafa ao tiebreak no saibro de Barcelona.

Para a história
– Batido por Chung, o veterano Fernando Verdasco, 35 anos, jogou a 48ª partida que foi até o quinto set, sofrendo a 23ª derrota. Pela sexta vez, levou virada tendo vencido os dois primeiros sets. Ele também ganhou outras seis após ter perdido os dois sets iniciais. Mais cruel ainda, sacou para a vitória com 5/4 no quinto set diante do coreano, fez um game tenebroso e desperdiçou um match-point no 6/5.
– Segundo a ATP, esta é a primeira vez na Era Profissional que o US Open tem três tenistas com 37 anos ou mais na terceira rodada: Federer, López e Lorenzi.


Comentários
  1. Gabi

    Rsrs que maravilha o ponto do Lopes agora, fez uma deixadinha seguida de um lob inimaginável terminando com um meio smash colocado e um sorriso para levantar a galera rsre

    Responder
  2. Gabi

    Sérgio Ribeiro,

    me conte, se estivesse lá na Arthur Ashe e fosse flagrado pelo cinegrafista, vc daria um beijo na pessoa que estivesse com vc do teu lado? Eu acho que vc daria!! Rsrs

    O Luiz Fernando eu tb acho que daria um baita de um beijo na namorada/esposa hihihi

    Bom, quanto a mim, com certeza!!

    Responder
  3. Sônia

    Rsrsrs… hilário demais rsrsrs. Mudando de assunto, felizmente hoje ELE não teve muitas dificuldades, a bolotona também passou fácil, amanhã jogo difícil para a Osaka. Dalcim, uma vez aqui em seu blog voce disse que infiltração é doping (concordo contigo), continua achando? Beijos.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu não disse que era doping, mas que seria necessário definir melhor o que é doping. Se for todo recurso não natural como subterfúgio para ganho extra de força ou energia, sim, para mim infiltração deveria ser doping.

      Responder
  4. Paulo Almeida

    Vamos fechar com os Slams peso pena pós-entressafra, vencidos graças a lesões de Nadal em 2009 e Djokovic em 2017/2018:

    Roland Garros 2009

    R1: Martín???
    R2: Acasuso???
    R3: Mathieu???
    R4: Haas kkkkkk
    QF: Monfils kkkkkk
    SF: Del Potro (fez grande torneio, mas nunca foi grandes coisas no saibro)
    F: Soderling kkkkkk

    Wimbledon 2009

    R1: Lu???
    R2: Garcia-López kkkkkk
    R3: Kohlschreiber kkkkkk
    R4: Soderling kkkkkk
    QF: Karlovic kkkkkk
    SF: Haas kkkkkk
    F: Roddick (o servebot americano fez o jogo da vida, mas continua sendo apenas um servebot tosco)

    Wimbledon 2017

    R1: Dolgopolov kkkkkk
    R2: Lajovic kkkkkk
    R3: M Zverev kkkkkk
    R4: Dimitrov kkkkkk
    QF: Raonic kkkkkk
    SF: Berdych kkkkkk
    F: Cilic kkkkkk (avariado ainda!)

    Australian Open 2018

    R1: Bedene kkkkkk
    R2: Struff kkkkkk
    R3: Gasquet kkkkkk
    R4: Fucsovics kkkkkk
    QF: Berdych kkkkkk
    SF: Chung kkkkkk (quase w/o)
    F: Cilic kkkkkkk

    Ufa! Deu trabalho, mas valeu a pena! Conclui-se com isso que moralmente Djokovic e Nadal já ultrapassaram o Fregueser em Slams há muito tempo.

    Grato pela atenção de todos.

    Responder
    1. Maurício Luís "

      Outra vez essa história de peso dos Slams?? Trabalhão perdido. Ninguém escolhe adversário. E Vossa Senhoria não estava lá dentro da quadra, correndo pra lá e pra cá, às vezes sob sol forte, suando, arriscando se contundir, pra saber o grau de dificuldade de cada um desses jogos. Me poupe!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Gildokson, você foi o membro mais assíduo na minha empreitada e sou grato por isso.

        Espero que tenha ficado satisfeito com todos esses 13 GS devidamente desmascarados.

        Responder
  5. Paullo

    Dalcim: Acha que o djoko vai jogar quais torneios depois do US open? Se for jogar varios, talvez tenha mesmo de se preservar para não agravar a lesão. Mas, se for pular a maioria, pode arriscar um pouco mais neste torneio

    Responder
  6. Denis

    Dalcim, o que você tem achado dessa nova parceria do Bruno? Ainda que o trabalho esteja no começo, a dupla vem passando por muitas instabilidades e os resultados estão longe de serem bons.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ah, bem normal. Os dois se juntaram no meio da temporada, sem tempo para adaptações. O Pavic é um bom duplista, acredito que com empenho o entrosamento aconteça.

      Responder
  7. Paullo

    Federer disse que ele em si não pediu para jogar na abertura da rodada de hj. Se foi alguém da equipe, ele já não sabe.
    Que cara de pau.
    Se tivesse sido o Nadal, choveriam comentários aqui, inclusive taxando-o de mau-caráter porque quis prejudicar o Evans ou beneficiar a si próprio, já que o britânico jogou 3h ontem e teve de entrar em quadra hj às 12h
    Mas como é o Federer…

    Responder
  8. Paulo Almeida

    A Halep não é bonita não, mas de fato tem um corpo espetacular. Que pernas são aquelas!

    Porém, claro que perto da Townsend ela vira top model.

    Uma pena a campeã de Wimbledon que tratorou a Serena ter caído tão cedo para o pavoroso e ultrapassado jogo de saque-voleio.

    Responder
  9. Paulo Almeida

    “Rodrigo S. Cruz
    30 de agosto de 2019 às 00:06

    E eu achei um lixo! kkkkkkk

    Pareceu o Exterminador do Futuro tentando sambar na Sapucaí.

    kkkkkkkk”

    Eu DUVIDO que você encontre uma jogada do JaGUAT da Montanha minimamente parecida. Com aquela esquerda sem-vergonha o máximo que ele deve ter conseguido foi a tradicional madeirada. Lob de back? Jamais!

    Voltando ao lob do Djokovic: foi equivalente a um jogador de futebol chutar da intermediária, encobrir o goleiro e a bola ainda entrar na gaveta. Jogada do ano até agora.

    Responder
  10. Gabi

    Exato, Marcílio Aguiar, aquela gritaria é muito irritante!!
    Ontem mesmo tive de tirar o volume do jogo da Babos para que aquele escândalo todo não atrapalhasse o sono do conjeeee rs!!
    Ok, há momentos do jogo em que a gente até aceita a gemeção rsrs, mas, pô, para toda e qualquer rebatida não!!

    Responder
  11. Marcílio Aguiar

    Não assisti ao jogo da Towsend, mas fico contente com a informação que aplicou o saque e voleio. Ao contrário de alguns aqui, eu gosto muito desse estilo que requer coragem e habilidade. Hj pouquíssimos tem usado como variação tática, sendo Federer o mais competente. Gostaria de assistir mais jogos como faziam Bigmac, Navratilova, Edberg, Sampras, Rafter etc mas isso parece cada vez mais impossível, fica apenas como história quem viu viu..

    Responder
  12. Maior geração do tênis chegando

    Bom quase 2 anos de cadastro aqui e sempre com esse Nick Maior geração do tênis chegando..muitos modinhas falavam que não tem mas jogador craque surgindo no tênis …….kkkkkkk calma modinhas tênis é assim mesmo precisa de tempo a nova geração já dominou top 10 e agora vai dominar top 20 ..o Djokovic chegou ao topo com 24 anos Federer com 23 e ocilaram depois ainda , então calma a nova geração tá chegando , e hoje a concorrência é muito maior ……………e se Djokovic não for campeão do us open dificil ele passar o rei federer nos slam porque essa nova geração vai atrapalha ele.. anotem felix auger zverev tsitsipaas vão chegar no topo antes dos 24 anos que Djokovic chegou

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    Putz!

    Golpe duro na cabeça do “Carreno-Besta”.

    Acaba d eperder dois tie-breaks seguidos pro Goffin. E esse ultimo foi por 11 a 9.

    Vamos se ele vai ter cabeça, pra reagir a um baque desses.

    Que passar, pega o Federer…

    Responder
  14. HeitorD

    Li hoje que o Djokovic fez um exame de ressonância e felizmente parece não ser nada grave. Deve ser algo apenas de caráter muscular. O negócio é que em condições normais o tratamento para essas coisas é ,principalmente, descanso, coisa que Novak não terá caso decida prosseguir no torneio. Resta saber se é possível manter o nível alto de jogo com paliativos ou “tratamentos de choque” contra dores, como infiltrações ou “ dry needles”; ou se, na melhor hipótese dentre todas, é algo que pode ir melhorando naturalmente com o passar dos dias se o atleta se submeter a horas e horas de tratamento. Enfim, vamos esperar…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Chato é assistir sempre a mesma coisa, e sempre do mesmo jeito.

      Se todo mundo praticasse somente o saque-e-voleio, eu te daria razão.

      Eu acho esse estilo bem bonito.

      Mas prefiro quando um adepto desse estilo enfrenta um jogador de fundo.

      Aí sim, é bacana!

      Repare que a Taylor não apenas sacou e subiu.

      O que ela fez foi passar a usar isso como opção tática. Genial, pô!

      Nem todo mundo consegue…

      E por outro lado, quando necessário, ela também encaixou ótimos golpes da base.

      O tênis precisa de jogadores e jogadores assim.

      Chato é o jogo do Djokovic.

      (rs)

      Responder
      1. Bruno

        Reclama do Paulo Almeida mas sempre dá um jeito de cutucar o Djoko nos teus comentários.
        Não precisava da frase final, até porque já tinha ficado subentendido no teu comentário que vc não gosta do estilo do sérvio

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Bruno?

          Bruno?

          kkkkkk

          Tá bom, Paulo Almeida.

          Não precisa criar outro fake pra defender a si mesmo.

          O Gonçalves já tava de bom tamanho kkkkkkk

          Responder
          1. Bruno

            E continua atacando e não reconhecendo que era desnecessário cutucar e falar que não gosta do jogo do Djoko. Até pq, a gente já sabe que vc não gosta

  15. Angela B.

    E essa censura em cima da gola da camisa do Kyrgios????? Ninguém acha isso esquisito????? Ninguém??? Ohhhh….c’mon!!!
    Que tal pararem de ver só um lado da história e olharem p/ as situações como UM TODO…sem parcialidade? —————Afinal, qual era o problema da frase escrita na gola da camisa do kyrgios??? Qual o problema em dizer : “JUST DO YOU”!!!????? —————————-Aí vão me dizer: “Angela, o problema foi resolvido”……………..oh yeah, mate……………..mas foi resolvido só depois de muita discussão, né non!!???

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Regras, Ângela, regras. Elas existem, devem ser respeitadas. O tenista não pode ostentar o nome de um patrocinador, uma marca ou sequer uma frase em tamanhos e lugares que não estejam estabelecidos. Tem um capítulo inteiro no Código de Conduta sobre isso, dê uma lida. Assim como você, eu gosto muito do Kyrgios como jogador de tênis, um espetáculo. Mas no resto é preciso ter bom senso.

      Responder
      1. Angela B.

        Dalcim, eu posso ser ‘passionate” por ser fã do Kyrgios………e defendê-lo em situações que muitos de vcs consideram indefensáveis. Porém, apesar da minha paixão, me considero sensata nas minhas argumentações. – pois NUNCA neguei que Nick precisasse de ajuda p/ lidar com suas frustrações em quadra. —————–Anyway, sobre a camisa…….. no final, Kyrgios “ganhou a briga” ….pelo menos nesse momento. ————-Ao menos que a imprensa de Oz esteja atrasada.Abs

        Responder
  16. Luiz Fernando

    Como esse Nadal dá sorte, é revoltante, jogou hj contra o magistral Evans e agora aguarda Carreno-Bosta ou Goffin, um especialista em quadra duras, o outro um vencedor inconteste kkkk, não digo sempre q aqui é diversão garantida. Ahhhh, e o De “Menor” tirou o japa, esse australiano é muito perigoso, grande sacador e voleador…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Realmente aqui é diversão garantida.

      Pois o Nadal jogou contra o magistral ” SR. NINGUÉM, já que o Kokkinakis desistiu, e você ainda quer reclamar.

      Puta que pariu!

      kkkkk

      Responder
      1. Gonçalves

        vc de novo com comentários do tipo “e o Aécio?”.
        Se alguém vem e diz que a chave do Federer tá fraca, logo vem vc contra-atacar dizendo que a do Nadal tb tá.
        Reconheça sem atacar
        Obrigado
        De nada

        Responder
          1. Gonçalves

            Eu escrevi comentário tipo Aécio, e expliquei o porquê logo em seguida. Alguém fala do jogador A e vc vem logo atacando o jogador B.
            Faz o que reclama que fazem com vc

  17. Eu

    Serena emagreceu
    Este vestido de hj tá muito melhor do que o shorts-camiseta da rodada anterior
    Dalcim, vc sabe porque com o calor que tá lá ela usa manga comprida?

    Responder
  18. Rodrigo S. Cruz

    Putz.

    Fraquíssimo esse cara de “ovo” do Evans.

    No segundo set o Federer fez 4 aces e 20 winners, contra zero do britânico.

    Massacre:

    6/2 6/2 e 6/1.

    Responder
  19. Renatinho

    Dalcim, porque ocorre esses problemas físicos constantes com os tenistas asiáticos? Que eu me lembre com grande histórico de problemas físicos já tem nessa lista Chung, Nishioka e o próprio Nishikori.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu sei que no caso do Nishikori é genético e aí não há muito o que fazer, a não ser tentar minimizar ao máximo. Talvez seja o caso de se pesquisar também o Chung.

      Responder
  20. Gabi

    Dalcim, como tem gordinha jogando!! E ganhando rsrs!!
    Verdade que para mulher é muito mais difícil manter o peso, mas como elas conseguem jogar bem assim?
    Eu qdo ganho 1kg já me sinto toda pesada e mal consigo me mexer (exageradaaaa).

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro que o peso dificulta a movimentação, mas uma boa colocação em quadra pode compensar isso. Conheço muitos tenistas (amadores) bem acima do peso que jogam muito bem, Gabi.

      Responder
  21. Gabi

    Eu concordo com o árbitro argentino qdo disse que deveria acabar o “let”.
    Por ex, agora no jogo da Karolina Pliskova. Primeiro ela cometeu foot falt. Segundo saque. Let de novo. Segundo saque de novo. Mais um let. Sacou de novo.
    É muita chance e muitos segundos/minutos a mais.

    P.S.: o fim da picada ele ter sido suspenso…

    Responder
  22. Gabi

    Hj o Federer fez a barba, está mais animadinho
    Hihihihi

    Hj uma lenda do basquete foi recepcionar os atletas na rede, muito legal essa iniciativa do US Open de promover e tb homenagear as celebridades e os tenistas.

    Responder
  23. Fabio Riella

    Oi Dalcim. Estou com uma dúvida a respeito do Desafio Us Open. No caso de desistência de um tenista, como é feito o resultado e a pontuação do desafio?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Está lá no regulamento, Fábio: em caso de jogo não iniciado, 3 sets a 0 para o vencedor. Se jogo tiver iniciado, valem os sets que eventualmente o perdedor tiver anotado.

      Responder
  24. Maurício Luís *

    Taylor Townsend “não conseguia se livrar do excesso de peso e viu retirada a ajuda oficial da USTA por não entrar na considerada forma física ideal…”
    Dalcim, mas que ‘tapa na cara’ que ela acabou de dar nos dirigentes da USTA, hein? É mais uma heroína a desafiar os padrões impostos pelos burocratas de ar condicionado, sentados em suas cadeiras giratórias estofadas. Mandaram ela ‘se virar’ sozinha… pois não é que se virou mesmo?
    No masculino, espero que o Monfils e o Kyrgios possam ir longe com suas micagens e acrobacias. Abaixo o tênis robótico!
    VIVA a diferença!

    Responder
  25. Angela B.

    Essa história do preconceito em relação AO PESO das pessoas comuns ou esportistas (não importa se são homens ou mulheres!).. seja devido a lesões físicas ou questões genéticas – me irrita profundamente. E ja disse isso anteriormente e vou repetir – no tennis, Serena Williams e Arantxa Sánchez, apesar de serem GRANDES tenistas, sempre sofreram com piadas maliciosas devido aos seus biotipos específicos. E isso só demonstra o quanto a nossa sociedade é podre e esses ataques (à elas ou a outros) são frívolos e maldosos. —– E a minha indignação também vale p/ aquelas pessoas que fazem comentários racistas p/ justificar o comportamento de um esportista ou tenista – como foi no caso do Kyrgios alguns posts atrás!!!!! Aliás, aquele comentário infeliz sobre a etnia do Kyrgios, nem deveria ter passado pela moderação, mas entendo que de certa forma, tais comentários são necessários p/ mostrar “quem é quem” por aqui. ———–
    Anyway…..resumindo esse blá, blá blá e patati e patatá – qualquer tipo de preconceito é NOJENTO, SIM! E só aqueles c/ espírito de porco, valores fúteis e que sofrem de PROFUNDA INSEGURANÇA ou baixa auto-estima, são capazes de promover tal atitude … ————Porém, o que mais me choca nessas histórias, é que organizações como a USTA (entre muitas outras!!) são as maiores incentivadoras dessa mentalidade EXECRÁVEL. Retirar a ajuda à uma tenista talentosa como a Townsend apenas por causa do seu “peso”(!!)…só mostra o qto MUITA coisa está errada nos bastidores dos esportes mundiais. Vcs não acham??
    Ps- ..And indeed, my darlings…..gostem ou não de ouvir a verdade ..ou daquele que a pronunciou – mas tem muuuuuita corrupçao por aí, sim!!!! E a ATP NÃO é exceção. Abs

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Outra que lutava contra o peso era a Lindsay Davenport. E ela é detentora de 3 Slams em simples, outros 3 Slams em duplas, medalha de ouro na Olimpíada de Atlanta/96, fora os vice-campeonatos. E foi número 1 do mundo também.
      “Fraca” ela, hein?

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É sempre assim. Uns dizem que sim, outros dizem que não. Djokovic garantiu que está absolutamente igual, Federer falou que sentiu mais lento. Pela TV, me parece bem igual a 2018, um pouco mais veloz de dia, um pouco mais lento à noite.

      Responder
  26. Miguel BsB

    Falando em Townsend, me lembrei do grande guitarrista do Who, Pete Townsend, e reparei que outro que anda sumido do Blog é o nosso grande especialista em música Rubens Leme…
    Por anda Rubens? Apareça!

    Responder
  27. Johnny

    A Townsend deveria tentar sumo. Onde já se viu uma atleta profissional jogar com o físico assim? Cadê a disciplina ou força de vontade pra fazer dieta ou exercícios?
    A Serena também. Mas é a Serena….

    Responder
  28. Nando

    Verdasco estava atropelando o coreano de vidro, e aí ainda conseguiu tomar a virada. Tá certo q o espanhol é expert em perder jogos ganhos, mas ontem ele se superou. Pode aposentar, pois já deu!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Isso não pode ser normal.

      Tornou-se uma reprise na carreira do Verdasco.

      E por isso mesmo, ele já teve todo tempo do mundo para tentar se precaver de quadros assim.

      Como é que pode, mano?

      Quase toda vez que ele abre 2 sets a 0, a cabeça entra em parafuso e o adversário vira?

      Isso é um claro distúrbio psicológico não-tratado…

      Uma pena. Porque ele joga muito.

      E eu estava torcendo por um boa partida dele contra o Nadal.

      Responder
  29. Ronildo

    Eu desconfio que o Djokovic foi o responsável pela demissão do árbitro. É muito esquisito uma saída assim. Poderia ser uma multa, uma suspensão. Acho que Djokovic ficou chateado por ter sido citado por ele na entrevista, pegou o telefone e pediu a cabeça. Jamais tinha acontecido algo assim antes. Foi uma ação muito radical da ATP.

    Responder
  30. André

    Estava assistindo ao jogo do Cilic e dormi com ele perdendo!! realmente ele esta bem longe do auge… e pensar que deu declaração que queria ser o número 1… acho que ele não passa do Isner. O Kirgios terá um adversário embalado na próxima rodada e se passar do russo a próxima rodada é mais fácil ainda. Vamos ver se o Federer tira a nhaca… torcendo para Stan e Djoko voltarem a se enfrentar e fazer novamente um desses jogos memoráveis!

    Responder
  31. Miguel BsB

    Amarelasco strikes again! Increíble!
    O cara abre 2×0, toma o empate, saca pro jogo, perde o saque, vai pro tie break, e se desmantela…esse esporte é danado, às vezes, da vontade de tirar a cabeça e deixar encostada no banco…
    Engraçado que, antes de chegar em cs e sintonizar nesse jogo, estava eu jogando minha barragem, voei no 1 set, 6×0 , e, sacando 5×2 no 2, o que acontece? perco o saque com 3 DF, sendo que estava sacando muito e sem ser quebrado o jogo inteiro…perdi mais uma vez o saque e deixei um jogo ganho chegar ao tie break…por sorte, consegui voltar e fechar em 2 sets. Ô esporte que exige controle mental!
    Portanto, difícil julgar esses caras, no nível deles, a exigência metal é obviamente muiti maior…
    E eu gosto muito do estilo de jogo do verdasco, que pega pesadíssimo na bola.

    Responder
  32. rafael

    A Towsend apostou numa tática, que mudou o jogo. Contudo, eu acho que a Halep não jogou tão bem e, em condições normais ela venceria o jogo de qualquer jeito. Em relação aos jogos de hoje, como a ressonância do Nole não confirmou lesão, ele deve vencer em 3 sets e seguir se poupando para a 2ª semana.. Agora, o Nadal que fique esperto com o coreano que já vem embalado desde o quali.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Acho que a Simona não jogou bem porque a Taylor não deixou!

      Simples assim.

      É o que acontece com o Wawrinka 90% das vezes que ele enfrenta o Federer.

      O Roger tem um tipo de jogo que tira a bola da altura que o Stan gosta de bater.

      Claro que este não é o caso da Halep vs Townsand, mas serve pra ilustrar o seguinte:

      Mas não se pode retirar os méritos do vencedor, só por não ter entrado como favorito…

      Responder
  33. Joaquim Saraiva

    Se a Townsend não é realmente adepta do saque-voleio, bem que poderia investir no estilo, pois mão não lhe falta. Além disso, para os que curtem ver bons voleios, seria um enorme presente. Ficarei na torcida.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É bem curioso, Joaquim, que as duas se enfrentaram em Miami meses atrás. Halep ganhou com enorme facilidade e a Townsend ficou no fundo de quadra o tempo todo, com pouca mobilidade para encarar as trocas. Então acredito que foi mesmo algo pensado com antecedência essa mudança radical na postura tática, que pegou Halep totalmente de surpresa. Abs!

      Responder
  34. Ronildo

    Parabéns pelo texto Dalcim.

    Eu estava torcendo para a Halep, sempre torço para ela. Menos se ela jogar contra a Kvitova. E por falar na Kvitova, parece que ela ficou afetada por ter chegado tão perto do n°1 e não ter conseguido. Sentimento negativo potencializado pelas lesões que a obrigaram a evitar torneios. Tomara que não esteja pensando em abandonar a carreira e tomara que eu esteja errado em minhas impressões! Seria muito bom se ela pudesse voltar forte em 2020. Vai ser difícil eu tirar esta amargura viu Osaka! Se você Osaka, se você não virar uma personalidade cheia de si como a Serena e a Sharapova, vou torcer para você no futuro. Eu gostava de ver você jogar, até você vencer a Kvitova na final do AO. Enfim!
    Minhas preferidas, por ordem: Kvitova, Halep, Pliskova, kerber, Osaka. Eternamente: Hingis, Ivanovic, Henin.
    Mas a vitória da Townsend foi marcante, pelos vários fatores.

    Incrível estas condições lentas no US Open. Até o Dalcim foi enganado de início. Ou tem muita corrupção nisto, ou os caras bateram cabeça feio! Tentaram uma coisa, e o efeito foi o oposto! Pode isso!? Podem tentar colocar uma bolinha mais leve para terem o jogo mais rápido e o efeito sair ao contrário? Faltou cálculo de física nisto? Testes? Pelo mínimo que entendo, se tentaram diminuir o peso da bolinha mantendo a mesma circunferência era evidentemente que ficaria mais lenta! A unica maneira de aumentar a velocidade da bolinha seria manter o mesmo material e diminuir um pouco sua circunferência. Estou errado?
    Muita gente foi pega de surpresa com esta pegadinha. Muitos que vinham tendo um padrão elevado durante todo o ano caíram rapidamente. ESQUISITO!
    Mas tudo ficou para o padrão de jogo de Nadal e Djokovic.
    Nadal = Sorte no sorteio – condições curiosamente lentas – desistência de adversários! Ôh Lógico! Este cara é o capeta!!!
    Vendo o jogo do Djokovic e do Londero dava a impressão que todos os golpes eram iguais! Esquerda, direita, esquerda, direita, esquerda, direita…200 golpes depois alguém dava uma deixadinha ou tentava outra coisa!

    Responder
    1. Miguel BsB

      Nova York é muuuito úmida, principalmente nessa época do ano, e ao nível do mar. Difícil criar condições realmente rápidas de jogo num ambiente desses…

      Responder
  35. Paulo Tonhasolo

    Excelente análise como sempre Dalcim, assisti ao jogo da Taylor e foi realmente uma vitória incrível!
    *na 9º linha do texto está escrito súbida e sua intenção deve ter sido súbitTa
    Um grande abraço

    Responder
  36. DANIEL DE FIGUEIREDO TOLEDO

    Dalcim, uma subida à rede que força o adversário a devolver a bola para fora conta como subida? Ou que o jogador suba mas chegue até o T sem colar na rede? Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, isso depende de quem está anotando as estatísticas. Mas sim, deveria. A subida à rede que provoca o erro da passada é um ponto obtido junto à rede, ainda que o voleio não tenha sido efetivamente o ponto final.

      Responder
  37. Gabi

    Falando em corrupção na ATP, acabei de ler que os israelenses talvez não possam assistir à Copa do Mundo no Qatar – escolhido sede com muita corrupção- porque esse país não reconhece o Estado Judeu e não fornece vistos aos seus cidadãos. Que absurdo!!

    Quando perguntaram aos patrocinadores da Copa se se retirariam caso o Qatar proibisse israelenses ou qualquer outra pessoa, eles escaparam da pergunta ou não responderam.

    A FIFA por sua vez afirma que o comitê do Qatar encarregado do planejamento do torneio está “plenamente consciente de sua responsabilidade de aderir aos estatutos de direitos humanos e não discriminação, igualdade e neutralidade da FIFA”.

    Responder
  38. Maria izabel

    Também gostei das meninas hoje,Gauff jogou muito!Já a Taylor despachou a Halep,o que está acontecendo com a Halep?
    O masculino está bem parelho, Wawrinka,Zverev(ressuscitou da letargia).Kyrgios x Rublev vai ser ótimo jogo tomara!Monfils x Shapovalov idem.Chung excelente partida ,mas ficou muito cansado,jogou muito!Para o Big Three vejo que esse US OPEN pode ter um novo vencedor.Mas complicado ,essas feras perderem fácil.Nadal bem,Djockovic (tomara não tenha o braço prejudicado,gosta de um cineminha né). Federer perdendo sets,jogando aquém do que sabe,mas se é para pegar ritmo tudo bem.Estou achando empolgante.Mas semana que vem é que começa mesmo.E teremos grandes jogos.

    Responder
  39. Rodrigo S. Cruz

    Coisa LINDA!

    Coisa linda o que a habilidosa Taylor Townsend protagonizou contra a Simona Halep, nessa quinta.

    Resgatando o clássico e sufocante estilo saque-e-voleio.

    Como disse o Dalcim, lembrou muito a Navratilova.

    Quem já estava cansado da contínua mesmice, vai guardar com carinho essa partida…

    Responder
  40. Marcelo-Jacacity

    Se o Djokovic tiver condições de jogo contra o Kudla é provável que tenhamos um confronto entre Stanislas e Djoko.
    A questão é que será que vai se repetir a situação do USOpen-16 com o Djoko se arrastando em quadra lesionado? Chegou à final com desistências dos adversários, com o braço e o cotovelo seriamente avariados e sem jogar absolutamente nada. Foi o início da derrocada.
    Se a lesão voltar atrapalhar, Wawrinka é favorito absoluto diante de Djokovic-homem-de-um braço só, assim como na final de três anos atrás.

    Responder
      1. Paulo Almeida

        Não, já estava lesionado e com a cabeça longe. Na verdade só chegou àquela final porque pegou uma chave ridícula e com 3 abandonos.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *