Questão de velocidade
Por José Nilton Dalcim
25 de agosto de 2019 às 21:12

Dois fatores pode entrar na balança deste US Open, e ambos tem a ver com a velocidade do jogo. A tradicional bola escolhida pelos organizadores é bem menos pesada do que as usadas nos Masters que antecedem o Grand Slam norte-americano e o piso. reformado anualmente, parece estar mesmo um pouco mais rápido.

O mais curioso é que um eventual jogo mais veloz não incomoda o Big 3, justamente o grande favorito às semifinais. Obviamente, agrada muito Roger Federer, mas Novak Djokovic e Rafael Nadal sempre gostaram de um ritmo mais batido e acelerado. O espanhol particularmente não gosta de bola pesada.

Essa combinação no entanto pode causar dor de cabeça aos principais coadjuvantes, como Daniil Medvedev ou Dominic Thiem, e talvez facilitar a vida de Stefanos Tsitsipas, Kei Nishiikori e Roberto Bautista. Sempre importante lembrar que jogar de dia é um tanto diferente da sempre mais lenta rodada noturna.

A chave feminina não foge à regra. Um jogo mais rápido cai como uma luva para a atual campeã Naomi Osaka ou a vice Serena Williams, assim como outras que apostam mais no risco, como Petra Kvitova, Madison Keys e até Bianca Andreescu.

Também há uma expectativa completamente oposta à de 2018 quanto ao clima. Ao menos nesta primeira semana, as temperaturas e umidade tendem a ficar bem amenas. Na segunda, não passará dos 23 graus e o ápice devem ser os 29 do sábado. No início da rodada da noite, às 19h locais, não se esperam mais do que 20. Ventos de no máximo 10 km/h.

Pequena preocupação surgiu no sábado, quando Djokovic paralisou duas vezes seu treino por conta de bolhas no pé. Ele jura que isso não será qualquer empecilho e coloca culpa no seu hábito de deslizar na quadra dura.

De olho no número 1
Embora obviamente seja um assunto em segundo plano neste Slam, a eventual disputa pela liderança do ranking também precisa ser observada. Claro que Djokovic não corre qualquer risco de perder o posto – mesmo se cair na estreia e Nadal ganhe o torneio, ainda teria folga de quase 500 pontos -, mas a classificação do ranking da temporada, liderado pelo espanhol por pequena margem de 140 pontos, está bem apertada.

No feminino, ao contrário, quatro fortes candidatas brigam pela liderança imediata. Desvantagem para Osaka, que só pode defender seus 6.606 pontos. Ótima chance para Barty. eliminada nas oitavas e 105 pontos atrás, e Pliskova, que parou nas quartas e está a menos de 300 pontos da japonesa. Como nem passou da estreia, Halep corre por fora já que está distante cerca de 1.300 pontos. A romena pode cruzar com Osaka na semi, Barty com Pliskova.

E mais
– Nadal detém o melhor percentual de vitórias em Grand Slam entre tenistas com mais de 200 jogos disputados e não irá perder o posto. Está com 87,5% (265-38) contra 86,8% de Djoko (277-42) e 86,1% de Federer (353-57).
– Apesar de ter seu recorde de títulos de Slam ameaçado (20 contra 18 de Nadal e 16 de Djoko), Federer dificilmente perderá seu domínio absoluto nas estatísticas de Slam, pelo menos nos próximos dois anos: 31 finais, 45 semis, 55 quartas, 410 jogos e 353 vitórias antes de disputar seu 78º Slam.
– Djokovic e Nadal buscam o quarto troféu em Flushing Meados, o que os igualaria a McEnroe. Ficariam atrás somente dos penta Connors, Sampras e Federer.
– Sérvio pode se tornar o profissional com mais finais em Nova York. Está com 8, ao lado de Sampras e Lendl.
– Connors é o jogador que mais venceu partidas no US Open, com 98, e manterá o posto, já que Federer soma 85.
– Percentualmente, Djoko está acima de Federer em vitórias/derrotas no torneio: 87,3% contra 86,7%. Sampras lidera com 88,8%.
– Venus amplia seu recorde absoluto para 84 Slam disputados, seguida pelos 73 de Serena, que soma insuperáveis 343 vitórias desse quilate.
– Se chegar à final novamente, Serena igualará o recorde de vitórias do torneio que pertence a Chris Evert, com 101.


Comentários
  1. Paulo Almeida

    Tanto Wawrinka quanto Federer não jogaram bem e deram sorte de terem pegado adversários bisonhos na estreia. O Jagua no primeiro set até lembrou aquele que perdeu pro Millman e o Chorão sofreu contra um “lek” de 18 anos. Se este não encarnar o jogador de 2013 a 2016, acho que não será páreo para o Djokovic num eventual confronto.

    Responder
  2. Maria izabel

    Acabei de ver Federer x Nagal.Não gostei nem um pouco do jogo do Federer.Como errou!Federer está de rosto fechado,parece estar jogando com raiva.E está se cansando também, já reparo na técnica para despistar,joga o braço para cima e respira ou como hoje puxou a gola e respirou.Estou desolada com o Federer nesse US OPEN, não o vejo indo longe infelizmente.Muito irritado, penso que pelo menos hoje,não teve prazer em jogar.Mas enfim,venceu.Agora é esperar melhoras.

    Responder
  3. Luiz Fernando

    Não posso ir dormir sem dar os parabéns aos torcedores do Federer pelo novo recorde: maior número de ENF de um cara q já foi número um do mundo em uma estreia de GS kkkkkkk…

    Responder
    1. Marcelo Araújo

      Nadal também tem alguns “recordes” dessa natureza: já ganhou algumas partidas por três sets a zero tendo menos winners que o adversário, já jogou inúmeras vezes contra adversários bem mais fracos como Belluci e ficou se defendendo o tempo todo, o adversário bem mais fraco colocando o espanhol para correr de um lado para outro… Erros não forçados acontecem mais com jogadores corajosos, que se propõem a atacar, não com os medrosos que ficam se defendendo até que surja uma oportunidade confortável para atacar…

      Responder
    2. LígiaB

      Nossa! Você ficou torcendo contra até a 1 da manhã! Eu também fiquei até essa hora, mas ao menos estava torcendo a favor.. E que interessante a especificidade da amostra: alguém que já foi número um do mundo e em uma estréia de slam! Lembro do Djokovic ter feito mais de 100 ENF, mas foi num jogo intermediário no AUS Open.

      Responder
  4. Luiz Fernando

    Federer venceu o segundo set com relativa tranquilidade, pois o placar não demonstrou o nível de jogo do indiano, que é uma grata surpresa. Encarar uma lenda viva como o suíço da forma q ele esta jogando é louvável, embora a derrota pareça inevitável. E algo inusitado: numa quadra rápida como essa ver Federer correndo de um lado p o outro, algo q ele detesta, incrível. A lógica a diz q será 31…

    Responder
  5. Luiz Fernando

    Federer cometendo uma serie de erros NF, quase 20 nesse set, que atuação ridícula nesse primeiro frente a esse rapaz que não perdeu do Menezes por detalhes. E errando de Bh e FH, será q também não se preparou bem de novo kkk. ..

    Responder
  6. Eu

    Americanos sabem produzir show
    Além de tudo, colocaram um famoso ator para “receber” o Federer na quadra. Isso movimenta o mercado, o torneio, as publicações, as fotos, americanos são foda!! Tudo isso vende! Alec Baldwin tirando fotos com os tenistas.
    Enquanto isso, a França e seu RG…

    Responder
  7. Luiz Fernando

    Se conselho fosse bom não se dava, se cobrava, mas sugestão ao menos até agora parece ser gratuita. Sugiro aos blogueiros que quando quiserem implicar ou provocar esse ou aquele não partam para o lado da correção de erros de português, algo que todos cometemos em um momento ou outro, pq isso é um saco, para usar um termo ameno. Se formos corrigir todos os erros postados o Dalcim precisará de um ou mais blogs paralelos para dar conta da demanda. Sugestão apenas, sem críticas a esse ou aquele para evitar “mal” entendidos…

    Responder
  8. Luiz Fernando

    Conforme comentários prévios, sorteio é uma coisa, quadra é outra. Pra quem enfrentaria o Querrey enfrentar o Londero é uma dádiva dos céus, essas teorias de conspiração não passam de babaquices…

    Responder
  9. André

    Dalcim, o que explica o head to head vexatório da Sharapova contra a Serena? Os jogo dela não se encaixa com o da americana? Fazendo um paralelo com o Fedal, onde supostamente o jogo do Federer não encaixa com o Nadal mas mesmo assim o Suiço possui consideraveis vitórias sobre o adversário.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      As duas jogam num estilo muito parecido, mas Serena é superior praticamente em tudo. E ainda existe é claro a questão emocional, que se agravou com a longa sequência de derrotas.

      Responder
  10. Gabi

    “On the clock” na página do US open torneio no face.
    Tic tac tic tac
    As perguntas são meus clichês mas é legal ver os(as) tenistas respondendo. Hj vi a do Zverev e da Muguruza.
    Deixei as perguntas do original em inglês e algumas que acrescentei estão em português.
    Lola, para vc:
    Tic tac tic tac

    1. Favorite school subject:
    2. Favorite sport team:
    3. Pizza topping:
    4. Where did you grow up:
    5. Funniest player:
    6. Batman ou Superman?
    7. Sushi ou churrasco?
    8. Calça apertada ou saia justa:
    9. Michael Jackson ou Madonna?
    10. Something you are bad At:
    11. Paire ou Lopez:
    12. Rodada noturna ou diurna:
    13. Where do you keep your trophes:
    14. Vinho ou cerveja:
    15. What do you love about us open:

    Responder
  11. Michael

    Acho meio suspeito esse sorteio do US Open, sempre sacaneiam o Novak nas chaves, esse ano não foi diferente, além de colocar Nadal e Federer pra jogarem contra ninguém, Nadal já tá na final e o Novak e o Federer vão se matar pra enfrentar ele cansados.
    Outra coisa estranha é jogarem a Sharapova contra a Serena, coincidência demais caírem as duas maiores rivais dos últimos 10 anos pra se enfrentarem numa primeira rodada, ano passado já colocaram a Sharapova contra a Halep, parece que fazem de tudo pra dar visibilidade à russa dopada.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Mauro,

      Eu direto falo isso aqui, mas vou repetir só mais essa vez :

      Não existe torcida pior do que o segmento xiita//sunita das djokovetes.

      Tenho notado até a ausência de excelentes comentaristas, como o CHILENO, por exemplo.

      Por onde será que ele anda?

      As djokovetes espantam os bons participantes que se cansam e somem.

      Nem todos são assim porque tem muita gente boa que torce pelo sérvio, e eu respeito.

      Mas esse segmento aí… olha…

      é “dú carálhu”

      (rs)

      Responder
    2. Jonas

      Ele é um baita freguês do Novak. Mas esses 2 títulos são incontestáveis.

      Fora as 2 olimpíadas. É uma pena um grande tenista como o Murray ter que passar por uma lesão tão complicada como essa…

      Responder
  12. Paulo Almeida

    Djokovic jogou pro gasto contra o espanhol e enfrentará o Londero na segunda rodada em vez do tosco servebot Querrey, um discípulo do Roddick.

    Achei a velocidade do jogo a mesma de sempre, nada de muito rápido.

    Esqueci de dizer que o Medvedev tem que tomar cuidado com a arrogância prematura. Zverev e Tsitsipas já acharam que eram muita coisa antes do tempo e estão pagando por isso hoje.

    Responder
  13. Adriano Souza

    Não me surpreende em nada, o fato do Federer ter pegado uma chave mais facil, e o Djokovic uma mais dificil nesse Us Open. Depois do Mar de choro e lamentações das Federetes após Wimbledon, essa manobra ja era esperada kkkkk

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Wimbledon te manda lembranças, né grande?

      kkkk

      O Federer pegou o Nadal na semi.

      O Djokovic pegou quem?

      Bautista-Yogurt.

      E isso depois de ter tido um caminho facílimo.

      Muita falta do que fazer mesmo, choramingar por chave do Djokovic.

      Logo ele que por ser cabeça 1, quase sempre vive na “maciota”.

      Ô torcidinha deprimente, meu PAI…

      Responder
  14. Rodrigo S. Cruz

    Eu pensei seriamente em apostar no Opelka, numa quadra rápida como essa…

    Mas como o Fognini estava tão bem colocado, imaginei que ele se esforçaria mais.

    Está fora o italiano.

    Responder
  15. Oswaldo E. Aranha

    Notei no jogo de hoje, lembrando-me de jogos anteriores, que o Djokovic geralmente passa apertado no 1º set, uma semelhança com as lutas do Cassius Clay (Mohamed Ali) que deixava o adversário atacar no princípio para depois atacar.
    Vi o estádio completamente cheio e aí pensei: será que foi por causa do espanhol Baena?

    Responder
  16. Eu

    Li hj no jornal sobre o Medvedev:

    Já o número de polêmicas que ele protagonizou no período cresceu em ritmo acelerado. Há três anos, Medvedev foi desqualificado de um torneio de nível challenger nos Estados Unidos por uma atitude considerada racista.

    Segundo comunicado divulgado na época pela federação americana, Medvedev insinuou que a juíza Sandy French favoreceu seu oponente, Donald Young, por ambos serem negros. Ele negou que essa tenha sido a intenção ao dizer que os dois eram amigos.

    Em 2017, o tenista conquistou sua primeira vitória em um Grand Slam, contra o então número 3 do ranking, o suíço Stan Wawrinka, 34. Mas foi a atitude dele na partida seguinte, quando perdeu para o belga Ruben Bemelmans, 31, que teve mais repercussão.

    Além de xingar a juíza Mariana Alves, Medvedev tirou moedas da bolsa de raquetes e as jogou na direção da portuguesa. O ato, que ele mesmo classificaria mais tarde como “estúpido”, lhe rendeu uma multa de US$ 14,5 mil (R$ 59 mil).

    Responder
    1. Eu

      Em março do ano passado, o tenista precisou ser contido pelo árbitro de cadeira após vencer o grego Stefanos Tsitsipas, 21, no Masters de Miami. De acordo Medvedev, o rival o chamou de “russo de merda” quando deixava a quadra.

      “É uma criança que não sabe brigar. Se ele não fala nada, não tenho problema nenhum com ele. Mas, se ele fala algo para mim e quer brigar, então vamos fazer isso”, afirmou. Os dois voltaram a se enfrentar outras três vezes, sem grandes incidentes e com 100% de aproveitamento de MedvedeV

      Responder
  17. Sérgio Ribeiro

    Medvedev ao falar que pode bater qualquer um , irritou muita gente. Eu vejo como bom sinal. Talvez saudades do BigMac ( grande falastrão) , pentelhou tanto Vilas, Connors e Borg , a ponto do Sueco se mandar com apenas 26 anos rs. E’ óbvio que ele sabe que os terríveis Titios escutaram , com com isso o jovem Tenista Russo bota pimenta na parada, e e’ tudo que a Nex Gen tem que fazer já neste USOPEN 2019 . Mesmo com a bola lenta colocada pelo Blogueiro , a nosso ver, Cincy estava rápida. E a quantidade de Winners e Aces do garoto , comprova que mesmo com sua ampla preparação no forehand , quadra rápida parece não ser problema. Apesar do PentaVice do N 1 em Cincy ( já levou uma vez ) , e seus pulos nos preparatórios rápidos para Wimbledon, com sua devolução assombrosa , é sem duvidas o favorito ao título. O Touro e o Velhinho correm por fora rs … Abs!

    Responder
  18. Gume_San

    Prezado Dalcim:

    Neste final de semana assisti ao documentário sobe a final feminina do ano passado na qual a Serena acusou o arbitro de sexismo, dizendo que se ela não fosse mulher ele não seria tão rigoroso. Várias estatísticas apresentadas no documentário corroboram com as alegações da Serena.
    Os recentes acontecimentos com o Kirgios, onde tanto os árbitros quanto a ATP foram bastante econômicos nas punições, você acha que isso acaba por endossar as acusações da Serena?

    Obrigado e parabéns pelos comentários sempre bons e oportunos.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, há muitos lados a se avaliar na situação da Serena, que é bem diferente da do australiano. Acho que Serena tem alguma razão sobre o tratamento nem sempre igual a todos os tenistas, mas ela extrapolou os limites. Ela poderia ter argumentado isso de outras formas e não no meio de uma final de Slam, com estádio lotado, constrangendo até a jovem adversária.

      Responder
  19. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]
    25 de agosto de 2019 às 11:03

    “Pelo menos 2 vezes ele ganhou na “cagada” te um tal de Roger Federer e não em cima de um Baghdatis”.

    Quando eu escrevo alguma sacanagem contra o Djoko, isso não passa de trolagem.

    Mero chumbo trocado como resposta ao segmento poluidor do blog que você tanto apoia.

    E nunca sou eu quem começo, sempre reajo diante de um post.

    Ou seja, pago palhaçada com palhaçada.

    O legal é que essas tentativas de desmerecimento de vocês sempre caem no ridículo.

    Parece que nunca ocorreu a você, nem a algum mau torcedor do segmento, algo tão central:

    Para o Marcos Baghdatis chegar àquela final, ele teve de passar por tenistas como:

    Radek Stepánek (cabeça 17)
    Andy Roddick (cabeça 2) !!!
    Ivan Ljubicic (cabeça 7)
    David Nalbandian (cabeça 4) !!!

    Ou seja, ele não caiu simplesmente de paraquedas na final. O cara fez por merecer.

    Teve duas semanas de inspiração que NUNCA MAIS conseguiu repetir.

    E agora não estou sacaneando, ok? Vou apenas dar a minha opinião pessoal:

    O Djoko em 2016 pegou uma chave muito mais fácil em RG, na qual enfrentou: Lu, Darcis, Bedene, Bautista, Berdych, Thiem e Murray.

    E nem venha me falar que Murray seja isso grande ou aquilo grande.

    Porque é um grande tenista, que treme como VARA VERDE pro Djokovic. E carrega um retrospecto ordinário, vergonhoso de 25 x 12.

    Então, A RIGOR prefiro muito mais a conquista do Federer no Australian Open 2006, do que o do Djoko em RG 2016.

    Pra mim isso é até INDISCUTÍVEL…

    Portanto não cola essa parada de ” Oh, porque ganhou de um Baghdatis”.

    O cipriota ele pegou na final.

    E como já dito, pegou devidamente credenciado por haver vencido grandes tenistas da época!

    O Djokovic, não.

    Ele pegou um mega-freguês na final, e percorreu um caminho muito, mas muito tranquilo.

    Veja que me norteio aqui pela lógica.

    Esses caras aí que você apoia ou faz vista grossa, sempre se deixam levar pelo mais puro fanatismo.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Exato, Rodrigo. O Cipriota fez um caminho de muita inspiração até a grande Final. Mas como pra essas figuras o Tênis somente iniciou em 2008 ( ano que devem ter nascido rs ) , os Tenistas citados não jogavam nada. Roddick teve h2h positivo contra Novak, pois ele tinha ” míseros ” 20 anos até a aposentadoria do grande Sacador rsrsrs . É óbvio que nem pra uma criança isso cola rsrsrs Abs!

      Responder
    2. Jonas

      Não é que ele treme.

      O Djokovic simplesmente é muito melhor que o Murray, normal.

      Ele é melhor que Federer e Nadal também já faz um tempo.

      Na verdade são pouquíssimos jogadores com retrospecto respeitável contra o Djokovic. Tem o Roddick 5×4 e o Kyrgios 2×0…deve até ter mais alguém, mas são POUCOS…Karlovic também né, 2×1 algo assim…

      Esse massacre contra o Murray é normal considerando o quanto Djokovic é superior. Se você não lembra o Fedal também estava nesse nível aí lá pra 2014, mas aí o Federer deu uma melhorada (méritos dele) de 2015 pra cá.

      O problema é que o Murray lesionou e ficou praticamente impossível dar uma equilibrada nesse H2H.

      Responder
        1. Jonas

          Aí vc tem que pegar os confrontos entre eles. Especialmente finais em torneios masters 1000, confrontos em Grand Slam, Atp finals etc.

          Djokovic leva vantagem contra Federer e Nadal.

          Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Alto lá!

        VOCÊ acha o Djokovic melhor, parceiro!

        Eu não…

        Acho que o momento dele é melhor. O que é bem diferente.

        Quanto ao FEDAL, não vou repetir isso aqui de novo porque já está soando até como algo IDIOTA.

        Já discuti isso contigo uma centena de vezes…

        Responder
        1. Jonas

          “momento” que já dura uns 8 anos rs.

          Eu estava pensando aqui, você acha o Murray fraco na final de Roland Garros, ao ponto de achar o Baghdatis mais difícil, ok.

          Vamos lembrar que no ano anterior (RG 2015) o sérvio precisou de 5 sets pra eliminar o Murray, isso após o sérvio atropelar o Nadal nas quartas. A final de RG 2016 também não foi fácil, o placar diz isso.

          Mas eu te pergunto…quem pra vc seria o tenista ideal pra jogar contra o Djokovic nessa final? Só se for o Wawrinka né.

          Porque o Djoko já atropelou Federer em 2012. Fez até pior com o Nadal em 2015. Ganhou daquele chato do Agut. Surrou o Thiem (finalista 1 ano depois).

          Murray era o que tinha…inclusive ele derrotou o Wawrinka em RG 16 antes de enfrentar o Novak. O Murray era um dos adversários mais fortes pro Djokovic pegar. Não era zebra.

          Já o Baghdatis chegou a final aos trancos e barrancos…nem dificultou tanto a vida do Federer na final.

          O Murray além de complicar em 2015 e 16, é bom lembrar que venceu 2 Grand Slams em cima do Djokovic.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Que desculpa esfarrapada e sem substância, não?

            ” Baghdatis chegou na final aos trancos e barrancos, eu o Murray foi bem em 2015″.

            Mas que porra de desculpa é essa, cara?

            Você não tem mais o que inventar, não?

            Que diabo tem a ver 2015 com 2016? Cada ano é um ano.

            E no TÊNIS, principalmente:

            Cada semana é uma semana!

            O tenista pode ir bem numa semana e mal em outra.

            Desculpa mais lixo.

            E como diabos o Baghdatis ganhou de tanta gente boa, aos ” trancos e barrancos”?

          2. Jonas

            Fui claro. Murray é um tenista que dá trabalho pro Djoko em Roland Garros, isso é fato, não importa o retrospecto geral entre eles.

            Você dá a entender que o Djokovic atropela o Murray em Roland Garros, o que é mentira.

            A final foi equilibrada. No ano anterior a semifinal foi duríssima, foi isso que eu disse.

            E o Baghdatis caiu de paraquedas na final de 2006, vencendo tenistas melhores. Isso acontece, é a famosa zebra. O Federer nada tem a ver com isso.

          3. Rodrigo S. Cruz

            Jonas,

            Deixe de ser descarado, homem…

            A palavra “paraquedas” (que inclusive fui eu que usei e você imitou) não iria colar nem se o cipriota tivesse pegado chave baba.

            Só que pro mal dos teus pecados, o cara pegou chave forte. kkkkkk

            Não tem pra onde correr, filhote…

            Acabou. Fim.

            Não adianta tentar subverter o sentido de uma coisa, só para aliviar a barra do teu ídolo.

    3. Paulo Almeida

      O cara é obcecado com o Rolanga do Djokovic mesmo, meu Deus!

      O Murray de 2016 foi mais jogador do que esses quatro jogadores citados juntos. Pare de passar vergonha.

      O Australian Open 2006 foi talvez o Slam mais baba que o Fregueser ganhou.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Passar vergonha, mais do que você passa todos os dias aqui?

        Im-pos-sí-vel, meu rapaz.

        Claro que RG foi facílimo de conquistar. PRINCIPALMENTE por causa do Murray. Final dos sonhos.

        Mas sei que esperar honestidade intelectual de você, é como casar e viver “de brisas”.

        Não rola.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Beleza.

          Depois (se eu tiver saco) posto os adversários que o Federer pegou em seus 13 Majors peso pena. Vai ser muita risada garantida pros membros do blog.

          Murray venceu 2 Slams, semifinal de Olimpíada, final do ATP Finals e 5 finais de Masters 1000 em cima do Djokovic, ou seja, 9 das 11 vitórias têm um peso enorme na sua carreira. Pode ser freguês, mas fez estrago também.

          Responder
          1. Jonas

            Espero que você faça isso mesmo, porque eu não tenho paciência pra fazer esse levantamento.

            Mas vai ser engraçado, rs.

    1. José Nilton Dalcim

      Thiem ainda não está totalmente recuperado da virose que o pegou em Montréal e acho que o caminho dele é mais duro. Entre o Big 3, acredito que Djoko tem o quadro mais exigente.

      Responder
  20. rafael

    Acho que a quadra mais rápida é muito boa para o Federer e, principalmente, para o Djoko! O Federer pela agressividade e o Sérvio por ser o melhor devolvedor e ter mais de 70% dos seus títulos em quadras duras!
    Nole vai levar os US Open!

    Responder
    1. Julio Cesar

      Nas condições que vai ser disputado o torneio de acordo com as previsões, de temperaturas mais baixas e com menos vento, em uma quadra um pouco mais rápida, Djokovic parece que ficou bem favorito. Essas condições não favorecem Wawrinka, contra quem sempre teve jogos mais dificeis e com quem pode cruzar mais à frente no torneio.

      Responder
  21. Everton Weslley

    Dalcim, tendo em vista a variação do piso…

    Existe um detalhe a mais na adaptação quando joga-se na noturna para a diurna? Ou o inverso?

    Quem sofre mais nesses casos? ou se sofre…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A adaptação depende de cada tenista. Se você joga dois jogos seguidos à noite, vai sentir diferença quando for para o dia porque o jogo estará mais rápido, o que complica se o adversário for um grande sacador, por exemplo. Sem falar que raramente um tenista treina de noite, portanto sempre exige uma atenção maior.

      Responder
  22. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo Almeida]
    25 de agosto de 2019 às 22:08

    “Como você é perspicaz. Porém, sua perspicácia não apaga o duplo 40-15 2011/2019”.

    Já eu acho isso um ótimo lembrete de como você e o farsante escaparam FEDENDO, conforme escrito pelo sábio Lógico!

    kkkkk

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Futebol e basquete são esportes em que se pode utilizar o tempo a favor, diferentemente de tênis e vôlei.

      Quem não se lembra do 24-19 da seleção feminina contra a Rússia em Atenas? Pois é, tem que fazer o último ponto. E contra o melhor devolvedor da história jamais comemore antes disso.

      Responder
  23. Rodrigo S. Cruz

    Se as condições estiveram mesmo mais rápidas, a presença do craque suíço nas semis fica ainda mais certa.

    E o Djokovic que se cuide!

    Quanto ao Nadal tenho lá minhas dúvidas quanto à opinião do Dalcim.

    Acho que com a quadra desse jeito, vai ficar um pouco mais difícil para ele…

    Responder
  24. Luis

    Dalcim tomara esteja mais rápida quadra US Open,Halep falou sobre o barulho no US Open uma dúvida no masculino parece muitos tenistas ficam desconfortaveis com barulho rs Go Federer Angelkk

    Responder
  25. Miguel Ângelo P. Delfes

    Sou Federer pela arte do tênis..
    Mas..acho q desta x e até diria q para o bem deste nobre esporte..nenhum do Big 3 fatura este Slam..e..mesmo q um deles possa o ganhar..será RF..
    Os grandes sacadores farão a diferença neste torneio..
    Dalcim..
    Não entendi sua postura qt a Medvedev não gostar de pista rápida c bola leve..
    Tb n entendi qt a K Nishiikori e Roberto B A pois..ambos são sacadores apenas regulares e pacientes trocadores de bola..

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Por causa da mecânica dos seus golpes de base, especialmente o forehand, Medvedev precisa de um pouco mais de tempo para executar os golpes. Ele saca bem, é verdade, mas não se sai bem na rede. Nishikori e Bautista por sua vez não tem um grande saque, mas jogam muito perto da linha, pegando bola na subida e batendo o mais plano possível.

      Responder
  26. Marcelo Morais

    Dalcim!!!
    Boa noite. Qual a chance do Joao Menezes entrar na chave do us open? Vi hoje que o Raonic não jogará…
    Parabéns pelo Blog.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Muito pequena, Marcelo. Entre os que perderam na última do quali, ele é um dos que tem menor ranking. Nos Slam, existe ainda um sorteio entre os quatro mais bem ranqueados que assinam a lista de espera, ou seja, nem é direto pelo ranking.

      Responder
  27. O LÓGICO

    Rodrigo, obrigado pela correção do meu português kkkkkkkkkk. Mas me parece óbvio que eu, O LÓGICO, sei a diferença entre mal e mau kkkkkk. O problema é que o português é uma chatice só, uma língua cheia de frescura e de um monte de regras e exceções que oneram demais a nossa memória; além de tornar quase impossível alguém escrever sempre corretamente. Você dá uma cochilada e lá vem o erro. Peguemos o GURU pra Cristo kkkkkkkkk: “Dois fatores pode entrar na balança deste US Open, e ambos tem a ver com a velocidade do jogo”. Dois erros, um de conjugação e outro de pontuação. Óbvio que o GURU conhece as regras, todavia ……..

    Mas ninguém ousou a discordar de mim quanto ao mau caratismo do robozinho, porque é verdade kkkkkk. Outras coisas que ele faz bastante é não respeitar o tempo de descanso e não acusar pronto para receber o saque quando o adversário já estar pronto para sacar. Tudo isso ele faz com cinismo e com a conivência da maioria dos árbitros bundões, com raríssimas exceções. Já o Roger Angel é “perfeito” no quesito caráter, e disso o Almeidão não poder discordar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Então perdeu ótima oportunidade de não se intrometer mesmo….

        Pois me restringi ao uso de mal ou mau/ bem ou bom.

        Sequer eu toquei no uso do hífen, porque é óbvio.

        Quando se diz: ” fulano tem um caráter mau”.

        É sem hífen mesmo. Tanto que dá pra inverter: “fulano tem um mau caráter”.

        Agora, quando se diz:

        ” Fulano é um mau-caráter”. Aí sim, se usa o hífen.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          “Rodrigo S. Cruz
          24 de agosto de 2019 às 23:28

          Lógico,

          Nesse caso se usa “mau” com “u”.

          Pois é o contrário de “bom”.

          (bom caráter)

          Mal com “L” é usado quando significar o contrário de “bem”.”

          Não tente consertar que fede mais ainda. Assuma o erro e pronto.

          Já não chega separar sujeito do predicado com vírgula em todo santo post.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            [Paulo Almeida]
            26 de agosto de 2019 às 19:28
            “Rodrigo S. Cruz
            24 de agosto de 2019 às 23:28

            “Não tente consertar que fede mais ainda. Assuma o erro e pronto.
            Já não chega separar sujeito do predicado com vírgula em todo santo post”.

            Não vou assumir nada!

            Mas eu já entendi bem essa tua insistência.

            O teu alter ego “Gonçalves” já abriu meus olhos com o gol, não se preocupe.

            Deixa eu te dizer uma coisa:

            Você tem um tipo de personalidade desprezível para certas pessoas, entre as quais me incluo.

            Porque você não é pequeno só de conhecimento, não.

            Seja sobre Português, tênis, ou qualquer outro assunto.

            O problema maior é ser pequeno de ALMA!

            Porque só sendo assim para reunir tamanho esforço em uma causa tão inútil, pequenininha, pueril como essa….

            Você é infantil D+.

            As duas palavras que postei entre parênteses estão SOLTAS, caríssimo.

            Vou soletrar: SOL-TAS.

            Primeiro que o meu post todo nem tocou o assunto “hífen”.

            Logo, quem é bom entendedor já saberia ao que me referi.

            Mas como você quer tão ridiculamente aparecer, ou se promover com Fakes, eu explico:

            Eu escrevi assim: (bom caráter) para frisar que NÃO EXISTE: ( bem caráter).

            Mas repare que eu também poderia ter escrito assim:

            (caráter bom), para igualmente destacar que INEXISTE ( caráter bem).

            E aí, nem sequer estaríamos tendo esta conversa estúpida, mongoloide… Que tinha que ser da tua alçada!

            Porque você não aprende!

            Mas você entendeu agora, aluninho ” ihó” ?

            (ihó, ihó..)

            Meu foco ali era explicar a diferença do uso da palavra “BOM” ou ‘BEM”, conforme o caso.

            E foi o que fiz, meu querido…

            E em hipótese alguma (nunca!) vou assumir erro que sei que não cometi, só pra inflar esse teu ego judiado pela vida.

            Tô fora!

            Procure um livro de auto-ajuda, ô zé!

            Ou arrume outro para suprir tamanha…. carência.

            E o assunto nem era esse, mas achei essa tua “empreitada” tão baixa que acaba servindo:

            Você é mau-caráter.

            (posso estar errado, mas é só a minha opinião).

            Beijinho no ombro.

            Smack !!

          2. Paulo Almeida

            O cara surtou mesmo. Reação totalmente desproporcional, deu até medo…

            Eu que estou fora de ficar alimentando essa doença.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Foi um golaço mesmo.

          Só que do CONTRA, né Fake?

          (rs)

          Primeiro porque não houve erro.

          Segundo porque… Humm… bem, deixa eu ver:

          “Gonçalves” ?

          kkkkkkk

          “Gonçalves” ?

          Nunca vi nenhum Gonçalves aqui…

          Mas me pergunto se o Almeida pagaria um mico tão grande de auto-promoção ridícula como essa.

          A resposta é: não sei.

          Mas que é bem SUSPEITO, isso é.

          (rs)

          Responder
          1. Gonçalves

            Qdo te convém vc responde os fakes né?
            Kkkkkkk
            E não sou fake e tampouco sou o Paulo Almeida
            Só resolvi postar com o meu sobrenome

  28. Marcilio Aguiar

    Que venham um grande USOPEN, com bom desempenho da Nextgen para fazer um pouco de cócegas nos papões. Na torcida por Federer, Kvitova e Madson Keys.

    Responder
  29. Paulo Almeida

    Pelo menos a umidade e o calor não vão atrapalhar tanto como no ano passado. Vamos ver se o jogo será mais rápido mesmo e se o Nadal sentirá alguma dificuldade com isso.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *