Caminho aberto para Nadal
Por José Nilton Dalcim
7 de agosto de 2019 às 23:06

Rafael Nadal passou por um bom teste em seu retorno à quadra dura. O atual campeão de Montréal salvou dois set-points diante do habilidoso Daniel Evans e só então jogou de forma um pouco mais agressiva. É o caminho ideal para encarar Guido Pella, que nunca tirou set do espanhol em três duelos.

Sem os demais Big 3 na chave, Rafa tem favoritismo absoluto, ainda que tenha reclamado da lentidão da bola Penn e achado o piso um tanto veloz, condições que chamou de ‘difíceis’. Sua chave viu a queda melancólica de Borna Coric, tem um Fabio Fognini ‘baleado’, Stefanos Tsitsipas decepcionou de novo e ao que parece Roberto Bautista deve ser o adversário de semi, já que Kei Nishikori sequer passou da estreia diante de Richard Gasquet, um resultado bem inesperado.

O lado de baixo já perdeu John Isner, superado com facilidade por Cristian Garin, um dos cinco ‘next gen’ nas oitavas, ao lado de Alexander Zverev, Felix Aliassime, Daniil Medvedev e Karen Khachanov. O ‘trintão’ perigoso é Marin Cilic, mas Sascha foi campeão aí mesmo dois anos atrás e merece crédito, apesar da fase.

Estrela solitária
Felix Aliassime se valeu de mais um abandono de Milos Raonic e agora é a esperança local em Montréal, já que Denis Shapovalov parou em Dominic Thiem. Se vencer Khachanov, Felix irá se tornar o número 1 nacional e terá grande chance de chegar ao top 20.

Top 10
Roberto Bautista pode se tornar nesta semana o quarto tenista na temporada a atingir pela primeira vez o top 10, seguindo Medvedev, Khachanov e Fognini. Ele precisa no entanto ganhar duas rodadas a mais que o italiano ou uma a partir das semifinais.

Troca na ponta
Ash Barty vai perder a liderança do ranking após oito semanas na ponta. Sua derrota precoce em Toronto colocou Naomi Osaka e Karolina Pliskova na disputa pelo número 1. As duas estão em lados opostos da chave e podem decidir tudo na final, o que seria espetacular.

Bem pagas
Todas as 11 atletas mais bem pagas do mundo são tenistas, lideradas por Serena Williams, que tem contratos de US$ 25 milhões e faturou de premiação cerca de US$ 4,2 mi. Naomi Osaka vem logo atrás, com total de US$ 24,3 milhões, sendo também a segunda em faturamento publicitário (US$ 16 mi).

Toalha polêmica
Nick voltou a ser Kyrgios dois dias depois de sua belíssima conquista em Washington. Na derrota mais do que prevista de estreia para Kyle Edmund, o australiano polemizou com o juiz de cadeira por causa de uma toalha branca. Logo que entrou em quadra, ele indicou ao árbitro que não queria usar a toalha oficial do torneio, mas uma toda branca, sem patrocinadores. Não foi atendido e ficou uma fera. Levou advertência por disparar ‘palavrão’.

Out ou In?
Lance mais do que curioso na partida entre John Isner e John Millman pela primeira rodada de Montréal na terça-feira. O norte-americano pediu desafio e a resposta foi essa da foto abaixo…

out


Comentários
  1. Paulo Almeida

    Parabéns ao Federer, que está jogando o melhor tênis da sua vida agora aos 38 anos, mas ainda insuficiente para ganhar de um Djokovic meia-bomba na final de Wimbledon. Se o sérvio comer pizza e hambúrguer antes da próxima partida entre ambos, aí acho que o suíço ganha.

    Responder
  2. Adriano Souza

    Federer disse: Novak fez um jogo incrivel, teve todos os elementos. ( Ter todos os elementos é ter todos os recursos que um jogador possa ter no jogo, drop chot, voleio, e etc. Quando quer, o Djokovic sabe variar jogadas, não é o costume dele, mas ele sabe. Ficou provado isso em Wimbledom. Foi isso que o Federer quis dizer

    Responder
  3. Eu

    To vendo o panamericano
    Natan Adrian teve câncer na próstata e agora acabou de conquistar a prata nos 100m livre

    Federer com mononucleose não jogou jkkkkkkkk

    Responder
  4. Edu

    Dalcim, sei que vc não é o responsável diretamente por isto, mas continua muito ruim de comentar no blog pelo celular. Tudo no mesmo plano e mesma cor. Agradeço vc ter pedido 2x para a equipe técnica averiguar, mas nada foi feito

    Responder
  5. Rodrigo S. Cruz

    Acabo de inventar e patentear o termo, agora:

    Aí vem mais um FODAL.

    Fognini versus Nadal.

    kkkkkkkkkkkk

    Tem tudo pra ser um jogaço!

    E tomara que o Fognini dê outra entubada!

    Responder
  6. Luiz Fernando

    Nadal com 5 aninhos de carreira a menos do q Federer tem mais títulos e vitorias em M1000 do q o dito cujo, coisa de baloeiro kkk…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Coisa do maior Saibrista de Todos os Tempos. O rapaz deve saber , caso não esteja ” confuso ” , que não existe MASTERS 1000 na Grama. Basta somente raciocinar rsrsrs Abs!

      Responder
  7. Ramon Mota

    Dalcim, o que vc acha do tênis de Medvedev? Não consegui ver nada demais das vezes que vi seus jogos. Entretanto esta caminhando para uma boa consistência nos torneios.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele é bem sólido da base, Ramon, e tem sacado cada vez melhor. Contragolpeia muito bem e é muito resistente na parte física, ou seja, tem os ingredientes do tênis moderno. Acho que poderia trabalhar bem mais o jogo de rede, que é fraco para seu nível.

      Responder
  8. Luiz Fernando

    Kyrgios, já eliminado de cara em Montreal, fica se vangloriando pelo serviço “por baixo” contra Rafa, quanta pequenez kkk. Enquanto um se contenta com “grandes feitos” como esse, sem se importar com a péssima imagem de esportista que ele representa, o outro é simplesmente um dos maiores da história…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      A coisa mais comum que tem no tênis é o campeão de algum torneio cair na primeira rodada do torneio seguinte.

      Isso não é demérito nenhum.

      Responder
  9. Naira

    Dalcim, Roger Federer e Rafael Nadal, foram eleitos esta quarta-feira para o Player’s Council do ATP Tour. Segundo informação do site Bola Amarela, Federer e Nadal são assumidos opositores do rumo que Novak Djokovic, presidente do Conselho de Jogadores, tem dado às suas propostas. Voce sabe informar o que esta realmente acontecendo nos bastidores do Tênis? Acho muito estranho toda essa confusão somente por causa da demissão do Chris Kermode. Lembro do Djokovic reclamar dizendo que o Chris nunca respondeu a ele sobre os valores arrecadados pela ATP e da baixa premiação para tenistas menos ranqueados. Não quero acreditar que Federer e Nadal sejam contra isso. Enfim, voce sabe o que “realmente” está ocorrendo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não posso afirmar nada, mas fica para mim a clara impressão que os dois retornaram ao Conselho para se posicionar. E não ficaria surpreso se até tentassem reverter o afastamento do Chris Kermode, alguém que ficou muito próximo a Federer nos últimos anos e tem uma rixa pessoal com o Djokovic. Veremos.

      Responder
  10. Sérgio Ribeiro

    Mesmo reclamando da “ lentidão “ da bolinha e da “ rapidez “ do piso , o Touro é favorito inconteste ao Penta no Canadá. E sendo hoje aniversário do Tênis, sim porque Roger Federer é o próprio Tênis , nada como uma boa leitura . A começar pelo mea culpa de Mats Wilander no Tênis Brasil. O falastrão Sueco simplesmente jogou a toalha em relação ao que espera do Suíço. Cansamos de avisar a turminha da Kombi rs . E as 38 razões para parabenizar Roger Federer do Bola Amarela , impagável. Deixando GUGA e Thomaz Koch ( meus ídolos brasileiros ) de fora , Björn Borg e Pete Sampras foram até então meus grandes Ídolos neste maravilhoso Esporte. Mas quem diria que aquele garoto de 19 anos , poderia fazer uma partida Épica contra o então Rei da Grama em Wimbledon 2001 , e DEZOITO anos depois poderia literalmente “ encurralar “ o atual N 1 do Mundo na mesma Grama Sagrada. O Craque Suíço, o bom “ Velhinho “, e ‘ de longe , o maior jogador que vi jogar. Vida longa ao Rei !!! ABS !

    Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Vai demorar a cicatrizar , porquê , caríssimo Expert ? A exibição foi tão Espetacular , que Wilander já o coloca novamente como um dos favoritos ao USOPEN 2019 ,parando de falar as mesmas bobagens do parceiro. Cincy vai te provar rapidinho . O Velhinho deve estar confiante em outras belíssimas exibições. Abs!

          Responder
  11. Luis

    Dalcim parabéns pro Federer 38 o melhor da historia temos a sorte de ver Angel kkk,sobre Masters Canadá garoto Alliassime pode brilhar tem boa atitude em quadra diferente do Kyrgioskkk

    Responder
  12. Valmir

    Kyrgios deveria cair na real e parar com as babaquices e perceber que ele tem um teto… ATP500… não passa disso !
    Chegar em uma segunda semana de Slam então… nem no sonho.

    Ele fugiu de Roland Garros… e desdenhou do saibro… porque sabe que não passaria da segunda rodada lá.

    Responder
  13. Evaldo Moreira

    Bom diaaaaaaaaaaaa,
    Dia 02/08 foi meu dia, kkkkkkkkkkkkk, e hoje, e o niver de Roger Ferderer e Felix Aliassime, parabéns para vocês, que tenham saúde, determinação, e foco sempre, pois o tênis é exigente, então preparação constante.
    Dalcim, se o grego não abrir o olho, vai ficar igualzinho o Zverev, concorda!?. Percebo ele na quadra, que se cobra demais, e isso atrapalha com certeza, e a presepada da troca de calçados, não deveria ver isso antes de entrar em quadra?, pelo amor de Deus, é muita bisonhice mesmo………..

    Responder
  14. Nando

    Dalcim, tá difícil pra alguém da nextgen fazer 2 torneios de forma consistente seguramente hein…fazem 1 bom, outro ruim, fazem até 2 ruins (Tsitsipas é um exemplo)…penso q às vezes exigimos mto deles. O q acha?

    Parabéns Federer, 38 anos e ainda batendo de frente com os caras mais novos…vida longa ao Rei do Tênis.

    Responder
  15. Eu

    Sandra: são 3 canais Sport tv. Poderiam muito bem deixar dois para os como vc inacreditavelmente disse brasileiros do pan e um para o nosso M1000, em vez de VT da série z

    Responder
  16. Sandra

    Dalcim, sempre vejo você oferecendo como prêmios as biografias dos jogadores, fui tenta comprar a do Djokovic e não consigo encontrar, quando encontrei, achei cara, você saberia quanto ela é e aonde acho? Moro no Rio na zona sul

    Responder
  17. Pedro

    Dalcin,

    Nadal ganhou em 2013 os torneios Masters 1000 do Canada e Cincinati e o grande slam USOpen, passando respectivamente por Djokovic na SF no Canada 6/4,3/6 e 7/6, depois ganhou Cincy passando por Federer nas Quartas 5/7, 6/4 e 6/3 e por fim ganhou o USOpen em cima do Djokovic 6/2,3/6,6/4 e 6/1.

    Qual a sua opinião do Nadal vencer os três grandes torneios do versão no hemisfério norte e Federer e Djokovic até hoje não terem esse feito ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele vivia realmente um grande momento, Pedro, o que desmistifica essa coisa de que ele não consegue jogar bem na quadra dura.

      Responder
  18. Marcos

    Juiz de cadeira pode ignorar o desafio?
    Por exemplo, neste caso acho que o juiz deveria ignorar o desafio.
    Ou por uma falha técnica, se o desafio mostrar outro ponto. Coisas assim.

    Responder
  19. Luiz Fabriciano

    Mestre Dalcim, por que sinalizaste que a derrota do Kyrgios na primeira rodada foi mais que previsível?
    Prometi a mim mesmo que não comentaria mais assuntos sobre o australiano, mas como a pergunta o envolve diretamente, não pude evitar. E essa da toalha, então…
    Outra coisa, quanto ao desafio, apesar do erro na mensagem, a marca aponta para bola boa, que acho que é o que se deve considerar. Fazendo uma analogia ao preenchimento de um cheque, quando se coloca um valor em números e se escreve outro.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Porque ele raramente joga bem dois torneios seguidos e vinha sentindo a lombar desde a semi de Washington. No caso da marca, foi considerada OUT.

      Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Exato. Porque a imagem é apenas uma representação gráfica, que pode conter até 3% de erro, segundo os próprios operadores.

          Responder
  20. Sônia

    Lendo uma reportagem sobre o Matthew Perry (infelizmente se não cuidar, pode ter “um futuro” como o do Robin Williams), lembrei imediatamente da imagem de ontem do Dimitrov sentado na arquibancada, cabisbaixo, pensativo, triste, barbudo… e fiquei preocupada. Dalcim, o Dimitrov está com algum problema sério? Beijos.

    Responder
      1. Miguel BsB

        No caso do Tênis, mais que no futebol e outros esportes, infelizmente a carreira fica muito prejudicada quando tenistas resolvem viver a Belle Vie e embarcam em relacionamentos midiáticos, vide Agassi e o Dimitrov.
        O Big 4, ciente disso, sossegou logo cedo com suas respectivas da infância adolescência

        Responder
  21. Sônia

    Acompanhando os dois torneios (Montreal e Toronto). No masculino, difícil assistir os jogos até o fim, nem parece um Master 1000, inacreditável como o nível está baixo. Dalcim, incrível como essa ENTRESSAFRA está demorando para acabar, nunca havia presenciado isso. No torneio feminino, os jogos estão fracos também, erros bisonhos, sem emoção. Imaginando aqui, se continuar assim, duvido que o $$$$ oferecido aos tenistas será tão vantajoso “futuramente”. Beijos.

    Responder
  22. Rodrigo S. Cruz

    [Jonas]
    7 de agosto de 2019 às 09:07

    “É realmente curioso como alguém tão melhor assim, consegue perder tanto pro mesmo jogador. Como é sortudo esse Djoko”.

    E o elemento “sorte” falou bem alto mesmo…

    Como destacou de forma brilhante o Pessanha, no outro post:

    Djokovic é o verdadeiro rei da entressafra!

    Ele se aproveitou legal do declínio físico do Nadal e do Federer, e de uma next-gen sem colhões.

    A única exceção a essa regra (por enquanto) atende pelo nome de NICHOLAS HILMY KYRGIOS.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Rodrigão, e não dá nem pra comparar os jogadores atuais com os jogadores da época do domínio de Federer. Tínhamos Safin, Hewitt, Roddick, Davydenko (esse tem 6 a 1 contra Nadal fora do saibro), Nalbandian, Haas, Ferrero, Moyá, Santoro, Coria, Gaudio, Blake, González, Ljubicic, Massú, Henman, entre outros, além dos então novatos Nadal, Berdych (tirou Federer nas Olimpíadas de 2004) e o menino maravilha (ou o primeiro Baby Federer) Gasquet, que teve uma ascensão meteórica no circuito.
      Não dá pra comparar esses caras com Bautista, Thiem, Coric, Raonic, Simon, Shapovalov, Medvedev, Zverev e Caixa 9, dentre outros. A diferença de nível é brutal. O nível caiu demais de lá pra cá, mas a horda nunca dará o braço a torcer. rsrs
      Abs

      Responder
      1. Jonas

        Berdych kkkkkk

        Esqueceu de citar os principais. Federer voando, melhorando com o passar do tempo (Backhand é um exemplo). Nadal mordendo em todos os pisos (antes era jogador de saibro).

        O resto sempre foi coadjuvante do big 3 mesmo, normal. O Wawrinka e o Murray foram os únicos que fizeram alguma graça, mas a distância é enorme.

        E hoje a longevidade é maior no esporte, não é só no tênis que isso acontece, por isso é descabido colocar o Federer como coitadinho só porque ele tem 38 anos.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Assista no outro Post , alguns dos lances geniais do Craque, para ver que com aquele Espetacular jogo de pernas , o Backhand na paralela operava milagres. Bem acima do atual aos 38. Mesmo chegando um pouquinho atrasado, ainda executa vários com perfeição. Graças a munheca excepcional. Abs!

          Responder
        2. Sérgio Ribeiro

          Depende do Esporte , mané. Num Individual de altíssima precisão , chegar um pouquinho atrasado é suficiente para o erro . Com o jogo de pernas atual de Novak , o resultado de Wimbledon mudaria com certeza. Mas mostrou o que o Sérvio não terá mais tesão de fazer na mesma idade. Na boa, gostaria que não desaparece do Blog , como o fez na faze ruim do Servio em 2017 rsrsrs Abs!

          Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        E não se esqueça do Guga, né!

        Tremendo jogador também, tri-campeão de RG.

        E que teve a honra de terminar com 2 x 1 sobre o Federer, no h2h.

        Responder
    2. Jonas

      Cara, eu não preciso ir longe. Federer não derrota o Djokovic desde 2012 em Major. Ou seja, é absolutamente normal o sérvio vencer os confrontos. Já listamos aqui, Federer é pato do Djoko.

      Ele melhorou tudo o que podia no seu jogo e simplesmente não consegue bater o sérvio, paciência. Tenho certeza de que assim como você, ele também está sangrando. Acredito que essa foi a derrota mais dura de sua carreira e uma de suas melhores atuações contra Djokovic, que não estava em seu melhor dia e mesmo assim venceu.

      Quanto a entressafra do Djoko, é uma burrice, desculpe. Desde 2011 ele vem doutrinando Federer e Nadal, ambos novos e já consolidados como monstros sagrados do tênis. Se Federer se mantém extremamente competitivo hoje, imagine aos 29 anos, é só pensar um pouco.

      Pesquise aí os adversários do Djokovic em final de Grand Slam e compare com os do Federer, vai achar a resposta, abs.

      Responder
      1. Jonas

        Do jeito que a coisa anda, vai ser necessário um comparativo entre os tenistas nessa idade.

        Mas resumindo, Djokovic tem 32 anos, é o número 1 do mundo com folga, sem mimimi. Federer aos 29, 30 anos estava sendo doutrinado por Nadal e Novak e sua torcida já estava chorando.

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        A Gleisi começou o post assim:

        “Nem preciso ir longe…”

        E foi mais longe que tudo kkkk

        Um blá blá blá ao estilo Rolando Lero chegando a lugar INCERTO ou NÃO SABIDO. (rs)

        Responder
      3. Sérgio Ribeiro

        O rapaz tem noção do que seja ” doutrinar ” . Ou pensa que é clone do narrador de basquete ( este deve ser o seu esporte predileto ) da ESPN ? Num esporte de altíssima precisão ( não dá pra enrolar como em vários ) , o Físico e o Mental representam mais que 70 % . Novak com problemas de confiança , virou um Zé ninguém. A derrota mais sofrida foi a de 2008 para Nadal. Quebraria todos os recordes da história de Wimbledon. No próximo encontro entre ambos, o rapaz vai finalmente entender do que falamos. Abs!

        Responder
        1. Jonas

          Claro, um ze ninguém que era n3 do mundo aos 20 anos rs. Cara, vc não entende nada de tênis mesmo.

          Só acertou na parte do mental que eu canso de falar aqui. E nesse quesito o Djokovic sobra no circuito há anos.

          Responder
  23. Lucas Leite

    Dalcim, a o que você atribui essa inconsistência do Tsitsipas nessa segunda metade da temporada? Ainda acho que desde que ele perdeu aquele grande jogo contra o Wawrinka em Roland Garros, ele ficou um tanto baqueado…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Lucas, aquilo pode ter mexido com a confiança dele. Eu acho que ele anda se cobrando um pouco demais, já que estabeleceu uma meta muito alta para a temporada e fez logo aquele grande resultado no Australian Open.

      Responder
      1. Daniel Melo

        Grande Dalcim! Se me permite, eu tenho uma visão um pouco diferente. O grego foi o jogador que mais partidas disputou no 1° semestre. Creio que o físico vai cobrar o preço no 2° a exemplo do que já aconteceu com o Nadal inúmeras vezes. Ele ainda é jovem e vai aprender a dosar.

        Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Também acho.

      E a menos que o Djoko ou Federer sintam alguma lesão, eles não perdem mais pro Nadal, fora do saibro.

      E se acontecer, pode chamar de zebra…

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *