O tênis se agita em três capítulos
Por José Nilton Dalcim
26 de julho de 2019 às 10:15

Em menos de 24 horas, três notícias sobre as principais estrelas do circuito masculino agitaram a semana que parecia tão morna. Vamos a elas:

Djokovic decide descansar
Os promotores do Masters 1000 do Canadá não devem ter gostado nada da decisão de Novak Djokovic em estender seu descanso pós-Wimbledon e só voltar às quadras para defender seu título em Cincinnati, único preparativo para também tentar reter o troféu do US Open.

O sérvio não deu desculpas e deixou claro que precisa de mais tempo para estar totalmente competitivo. No ano passado, ele saiu da inesperada conquista em Wimbledon para Toronto e nem passou das oitavas. Indisposto a cometer o mesmo engano agora em Montréal, onde o piso é ainda mais lento, ele preferiu atrasar seu retorno ao circuito em uma semana. Para mim, faz todo sentido. Se foi possível ganhar outra vez Wimbledon apenas treinando firme na grama, por que seria diferente no US Open?

Montréal também já havia ficado sem Roger Federer e estava na verdade preocupada com a ausência do atual campeão Rafael Nadal. O espanhol deu a entender que não disputaria os dois Masters antes de Nova York para se precaver do joelho. Mas agora, com o caminho bem mais livre, é possível que opte mesmo por saltar o piso muito mais veloz de Cincinnati, a menos é claro que tenha uma atuação desastrosa no Canadá.

A estranha excursão de Federer
Coisa rara de se ver num final de temporada, Roger Federer já anunciou três jogos de exibição pela América Latina em novembro, percorrendo Chile, Argentina e México, indo muito provavelmente também à Colômbia. Os adversários podem ser Alexander Zverev – que não pretende mesmo jogar a fase final da Copa Davis em Madri – ou Dominic Thiem.

Mas o que causa espanto é que a partida a ser feita em Santiago está marcada para 18 de novembro, imediatamente após a decisão de domingo do ATP Finals de Londres. Como Federer está potencialmente classificado para o torneio que encerra a temporada – soma mais de 5 mil pontos em 2019 -, fica a impressão de que ele não acredita muito em ir longe na arena O2.

A exibição no México, a ser promovida numa arena de touros que pode abrigar até 41 mil pessoas, está marcada para dia 23 de novembro. O agente Tony Godsick afirmou que não apareceram interessados para organizar um jogo no Brasil. O cachê estimado de Federer em cada exibição é de 1 milhão de euros.

Lendl está disponível
Sem papas na língua, Zverev fez absurdas críticas públicas ao então técnico Ivan Lendl assim que pisou em Hamburgo, em resposta ao bombardeio da imprensa local sobre sua má fase tão prolongada. Colocou boa parte da culpa no treinador, a quem acusou de não se focar no trabalho como deveria. Algo aliás bem semelhante ao que fez com o espanhol Juan Carlos Ferrero.

Lendl então se demitiu do cargo, como aliás já deveria ter feito há algum tempo. Zverev é bem conhecido por sua personalidade difícil e também está em atrito grande, e judicial, com o ex-agente, o chileno Patricio Apey. Alguns jornalistas alemães já diziam no começo desta semana que Zverev procurava um novo técnico antes mesmo de rescindir o contrato com Lendl.

Não por acaso, Boris Becker comentou logo depois das declarações infelizes de Zverev que ‘algo havia acontecido’ entre ele e Lendl após o título espetacular no Finals de Londres, sem entrar em detalhes. Becker sempre é cogitado como o homem capaz de colocar o garoto nos trilhos. Mesmo estando em situação financeira complicada, é difícil saber se o tricampeão de Wimbledon se mostrará disposto a carregar o fardo. O pai Zverev dá muito palpite.

P.S.: Bia Haddad também foi submetida a exame antidoping durante sua campanha em Wimbledon. E isso pode ser uma boa ou uma má notícia. Caso nada seja encontrado no exame, ajudará muito na defesa. Se no entanto se repetir o positivo dos testes de Bol, a situação ficaria bem grave. Especialistas que falaram comigo nos últimos dias acham difícil ela escapar da suspensão de dois anos.


Comentários
  1. sandra

    Dalcim, vendo um pouco do tenis no Pan, tive uma dúvida, quem escolhe o piso, é o país sede ou a ATP? Se o Japão quisesse ele poderia colocar saibro ou grama?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      ATP não tem nada a ver com Jogos Pan-americanos ou Olimpíadas, Sandra. O Pan quem escolhe é o país-sede. As Olimpíadas precisam do aval do Comitê Olímpico Internacional, mas geralmente o país-sede tem a opção inicial de escolha. Barcelona foi no saibro e Londres, na grama.

      Responder
  2. Jose Yoh

    Espantoso ver como os fâs de Nole enaltecem Federer com essa história de entressafra.
    Para mim, o motivo da entressafra foi o suíço. Ele não deixava ter concorrentes à altura.
    Alguém acha que com milhões de praticantes de um esporte é possível ter um momento da história onde não há bons jogadores?
    Talvez a supremacia do Big 3 não permita ver a qualidade dos jogadores da época, e as condições da época (quadra, raquetes, medicina, etc.)
    Também é preciso dizer que Nadal e Djoko, apesar de novos, já eram expoentes na época, mas não conseguiram destronar o suíço no seu auge.
    O cara ganhou torneios importantes regularmente até 2012, com 31 anos de idade. E continua ganhando ou chegando muito perto hoje, aos TRINTA E OITO.
    Com Nadal, Djoko e quem mais quiser no circuito. Aliás a verdadeira pedra no sapato – Nadal – foi retirada faz tempo.

    Senhores, curtam o pôr do sol. Vai durar só mais um pouco…

    Responder
  3. Jonatas Bruno

    Agosto chega e já trazendo novidades raramente vistas, entre as quais: Kyrgios motivado,esforçado e simpático,o que houve com o cidadão!? Até abraço numa das espectadoras o camarada deu, logo após o ponto que selou a vitória! E o que dizer da aplicação para vencer um ponto? Fez um voleio mágico e improvável! Fez valer o show em pleno horário nobre de Washington!

    E não tão expressiva, mas digna de nota é a exibição na TV (SporTV) de um jogo do João Menezes, agregando ao incomum, a grata surpresa de superar o Jarry. Considerando não ter o hábito de jogar com tenistas com ranking desta esfera, fica o saldo positivo e é animador!

    Responder
  4. Ronildo

    Roger Federer é disparado o melhor tenista de todos os tempos. Embora, por uma questão de gerenciamento de carreira possa ter Rafael Nadal e Novak Djokovic como os maiores ao seu lado. Acredito que somente Rod Laver possa ter alguma chance de ser equiparado à Roger Federer nesta questão subjetiva de melhor de todos os tempos.

    Roger Federer ficou quase 5 anos viajando pelo circuito sem técnico oficial, numa mostra clara que não havia estratégia para jogar contra qualquer adversário. Tudo dependia da intuição de Federer dentro da partida! O fato de não haver técnico ao seu lado observando seu jogo certamente significava estagnação técnica, kkkkk… É engraçado falar isto sobre Roger Federer! Mas quem acompanha sua carreira sabe que ele aprimorou sua esquerda nos últimos anos! (Citando um exemplo).

    Certa fez assistindo uma partida de Federer comentada por Paulo Cleto, lembro deste comentarista reclamar de uma saliência abdominal em Federer. Acho que foi no ano de 2008. Demonstrando assim um nítido descompromisso com o apuro físico por parte de Federer durante algum tempo. Esta mesma reclamação Paulo Cleto fez referente à Petra Kvitova anos depois, especialmente num ano em que ela venceu Wimbledom. Os comentários de Paulo Cleto sobre Roger Federer evidenciava para mim que ele lamentava um mau gerenciamento na carreira de Federer, de maneira que este não aproveitava sua fenomenal habilidade como poderia. Apesar de mesmo assim estar vencendo muitos torneios.

    Durante todo este tempo e mais adiante, num período que parece ter durado 10 anos, Roger Federer não recebeu ou não aceitou assessoramento no sentido de modificar sua raquete e acompanhar a evolução do circuito. Assim, mesmo que seu equipamento ultrapassado fosse suficiente para dominar a maioria dos tenistas, quando enfrentava Nadal, Djokovic e Murray, o jogo simplesmente saía de seu controle muitas e muitas vezes!

    Assim, acredito que estes enormes equívocos na carreira de Roger Federer se equiparam aos 4 anos em que Rod Laver foi proibido de disputar os grand slans no sentido destes não terem sido ainda mais vencedores do que foram.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Paulo Cleto reclamava da barriguinha , do ” Cabelinho ” , do estilo Blaze , e dizia que a carreira não iria muito longe … Sabemos quanto ele acertou… Quando contratou Annacone ( a conselho de Sampras ) , e trocou o equipamento ( Pete se arrepende até hoje não ter tido coragem ) , calou muita gente , caro Ronildo. Abs!

      Responder
  5. Luiz Fernando

    Nadal tem uma chave com prováveis adversários duros após um possível inicio mais tranquilo contra o De Menor, mas como ele hj tem um jg de fundo melhor e mais agressivo do q antes, tem com amplas chances de ir avançando. Só precisa confirmar essa expectativa na pista kkk…

    Responder
  6. André Barcellos

    Wimbledon disponibilizou o vídeo inteiro da final entre Federer e o Djokovic. Impressionante como o suíço tem todos os golpes e variação do seu jogo. As deixdimhas milimétricas, volteios, arsenal completo.
    Já o sérvio realmente ganhou (e vem ganhando) porque tem um jogo de eficiência e Federer falha mentalmente na hora de fechar.
    Federer tem a cabeça fraca? Claro que não. Inclusive levou ao tiebreak do 5 set sempre sacando atrás no placar.
    Quem joga sabe como isso é difícil.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Qualquer pessoa que entenda minimamente de tênis, mesmo que torça como louco pelo Djoko, reconhece que o jogo do suíço é muito mais bonito…

      Mas claro que estou falando de pessoas honestas intelectualmente, e não de “Pinocchios” contumazes como Paulo Almeida…

      Só aquela beleza de slice, fazendo o sérvio toda hora ter de dobrar o joelho, já vale o ingresso.

      Imagine então os drops, bolas anguladas e os rallies terminados em winners de forehand ou backhand.

      Responder
  7. João Brayner

    Pensando aqui, Dalcim, você acha que Nadal merece passar Federer em GS?
    Digo isso pq vamos a uma analise:
    Djokovic dominando o circuito em 2014, favorito contra Nadal na final de RG, ai Nadal se mata, fazendo o possível e o impossível pra ganhar do cara, e acaba ganhando, no torneio seguinte Nole vence Federer num último game onde o suíço praticamente entregou todos os pontos.
    Vemos um Nadal se matando pra ganhar, e quando tem a oportunidade engole, enquanto temos um suíço que quanto mais chances ele tem, mais vezes ele entrega. US Open 2009, Wimbledon 2014, Wimbledon 2019, Indian Wells 2018, Finals 2005, e mais uma porrada de jogos.
    Sei que os adversários tem seus méritos em alguns desses jogos, mas qual o mérito de Djokovic de acertar um lance em que Federer vai vendido a rede?
    Me lembro, por exemplo, de apenas um a final em que Nadal teve match point e perdeu, que foi contra Davydenko em Doha 2010 (alias, o russo sabia como matar o Nadal).
    Vendo tantos desperdícios de Federer, e quase nenhum de Nadal, o espanhol superando o suíço nos GS mostraria para o mundo que para ser mais vencedor não tem que ter mais talento, mas sim aproveitar a oportunidade, o mundo é dos que olham para algo e pega, e não para os que olham e se amedrontam.

    Responder
    1. Ronildo

      Foi justamente para responder comentários sem noção assim que eu passei a comentar mais depois de Wimbledom 2019. Primeiro que é muito fácil responder comentários desarrazoados. Segundo que é um atentado à cultura manchar a reputação de Roger Federer.

      Cara, como você pode se referir ao recordista dos principais números do tênis com esta expressão esdrúxula?: “quanto mais chances ele tem, mais vezes ele entrega”! Não tem como uma expressão desta caracterizar a carreira de Roger Federer!

      “O mundo é dos que olham para algo e pegam e não dos que olham e se amedrontam”.
      Outra expressão sem noção relacionado à Federer e ao tênis em si. Pois converter um match-point está à anos-luz de ser uma coisa tão simples como pegar algo. É justamente o momento em que o oponente (se estiver recebendo) geralmente se concentra para jogar o melhor ponto da partida e o sacador sente uma pressão maior, como que trazendo um desequilíbrio de forças. Então, é uma questão de brigar, lutar com um adversário ferrenho e não simplesmente “pegar” algo.
      Dependendo de como você responder este comentário, vamos falar sobre pressão!

      Nota: “Eu estou ansioso para ver o dia em que Djokovic vai sacar para quebrar algum recorde de Federer numa partida contra qualquer adversário que esteja bem parelha!”

      Responder
  8. Pedro

    Dalcim,

    Esse negócio do tênis do grego estourar todos os jogos e todo mundo ficar esperando ir buscar outro com o pai dele é um absurdo. Tinha que ser desclassificado na hora por falta de material.

    Responder
  9. Paulo F.

    Tirem Tsonga e Anderson.
    Agora, tirem González, Söderling, Philipoussis e Baghdatis.
    E estaria um placar de apenas DOIS a mais para o “todo-poderoso” caprino contra o aiiiinnnn uiiiii robô sem técnica no balanço dos Grand Slams hein?
    Nem vou citar o Nadal – esse aí pegou também muitos cafés pequenos em finais de Grand Slam – Thiem, Anderson, Ferrer, Söderling, Puerta…

    Responder
    1. Luiz Fernando

      A única diferença é que os títulos do Nadal sobre esses caras q vc citou foram com Djoko e Federer no auge, ou seja, eles foram incompententes para chegar nas finais nestes torneios. Poste o q vc quiser, mas não distorça a realidade.

      Responder
      1. Gildokson

        Hilário kkkkkkkkk
        Foi só o cara usar a mesma teoria idiota de vocês pra falar dos títulos do Nadal que tu rapidinho pediu pro cidadão não “distorcer” as coisas kkkkkkkkkkkkkk
        Com Nadalzinho não neh? Aí não vale a ladainha.
        kkkkkkkkk

        Responder
      2. Nattan Lobatto

        Outra diferença é que Nadal é quase imbatível em Rolanga, venceria fácil nesse piso em qualquer era, safra e entressafra do tênis.

        Responder
      3. Jose Yoh

        Pois é prezado LF, sinta na pele os trolls (ou seria o troll) que invadem este espaço… Apenas precisam de atenção.
        Agora quanto ao “auge” – Nole atingiu seu auge quando Federer atingiu seus 29 anos. Então o auge dele não aconteceu antes PORQUE Federer estava no seu auge. Quanto a Nadal, sempre foi um problema para o suíço, mas agora no seu crepúsculo sofre com as condições “iguais” de idade (que alguns teimam em achar que não há, não sei porquê).

        Responder
  10. Wagner froes

    Boa noite Dalcim essa vitória do Menezes sobre o chileno Jerry número 55 do mundo e uma eventual conquista do pan da mais confiança para ele no segundo semestre?

    Responder
    1. PIETER

      Você ainda tem dúvidas sobre isso??!!
      O João me parece que, ainda este ano, vai estar rumo ao top 150. Como ele está consistente em seu tênis…

      Responder
  11. Michael

    O Nadal de hoje é umas 10 vezes melhor que o de 2005-2007, tanto que chegou à final do Australian Open sem perder set, só perdeu pro melhor da história.

    Responder
  12. Fernando Brack

    Um monte de gente aqui anda comendo comida estragada ou tomando remédio vencido. Ficam feito loucos e paranóicos a dizer que qualquer período do tênis profissional desde 2004 em que Federer, Nadal e Djokovic não jogaram simultaneamente no máximo de suas capacidades foi uma entressafra. Então querem dizer que, desde aquele ano, só os 3 são considerados grandes tenistas? Então tá! Essa turma não aprecia tênis. Gostam mesmo é de praticar guerrilha de opiniões.

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    E vamos chegando ao comentário de número 400.

    Mas é o nome do Federer que continua de boca em boca.

    Pobre Djoko…

    Parece que nem COMENDO GRAMA em Wimbledon, ele consegue protagonismo.

    kkkkkkkk

    Portanto, deixo aqui uma menção honrosa a:

    Almeidão, Gleisi e Maria Reaparecida…

    (rs)

    Responder
  14. Lola

    – Galvão?
    – fala Tino
    – Sentiu? 😁

    Pra tornar o Djoko o rei da entressafra já querem dizer que nem Federer e Nadal estão jogando aquelas coisas, sendo que os dois estão jogando tanto ou mais do que já jogaram.

    Responder
      1. Paullo

        Vc mesmo já disse isso aqui, que os dois estão jogando muito.
        Aliás, no comentário sobre o vídeo da final vc dá detalhes de como o Federer tá jogando bem

        Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      GALVÃO: ” Ok, Tino ”

      GALVÃO: ” E pode isso, Arnaldo?”

      ARNALDO: ” Claro que não, Galvão… Mas deixa que eu desenho pro Tino: Djoko= AUGE. Nadal e Federer= curva descendente.

      Responder
  15. André Barcellos

    Ao s mau entendedores, Sampras falou apenas o óbvio. Que o suíço não teve adversários à altura.
    Em outras palavras, que ele era disparado o melhor.
    Óbvio que Nadal e Djjokovic são dois jogadores de um quilate superior a qualquer outro da dominância absoluta de Federer.
    Ocorre que os dois atingiram seu auge depois do suíço.

    Isso não diminui o suíço, que tem o tênis mais vitorioso e vistoso, além de um talento absurdo.
    Agora, com o suíço perto de 40 e Nadal com dificuldades com o físico a cada ano, o sérvio está na entressafra.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Primeiro: não tem o tênis mais vitorioso, senão não teria 50 cacetadas dos maiores rivais no lombo.

      Segundo: o Big 3 está jogando muito esse ano e esse Federer “velhinho” é superior ao próprio Federer da entressafra 2003-2007 e obviamente muito superior aos bagres bisonhos da época.

      Responder
  16. R.P.

    Qdo Nole venceu seu primeiro major, Federer tinha 27 anos; a partir desta idade, o suíço (2008 – 2019) ganhou mais 8 slams em 12 temporadas, Nadal (2013 – 2019) 7 em 7 temporadas e Djokovic (2014 – 2019) 10 em 6 temporadas. Analisando estes números, é fácil perceber que os mais de 4 anos de vida mansa que Federer teve (é ou não é, tio Sampras? kkkkkk) ajudaram a inflacionar seus números absurdamente.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Quem que o sabichão viu em TODA a Era Profissional , tendo 6 anos a mais , vencer mais que seus principais oponentes. Foi Laver, Borg, Connors , McEnroe, Lendl , Wilander ( o falastrão ) , Sampras , Agassi ? Sabe nada moleque rsrsrs Abs!

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Tão “inflacionados” quanto os números do Nadal e do Djoko!

      Se não, vejamos:

      O Nadal, salvo rara exceção, só ganha todo ano em RG. É o “boi garantido” dele, o ganha-pão da sua sobrevida no circuito…

      E o Djoko, esse sim vive uma ” entressafra”, com números hiper-inflacionados por enfrentar um Nadal FREGUEZAÇO dele nas rápidas, e um Federer “três- oitão”.

      kkkkk

      Responder
  17. Nando

    Nattan, assim como devemos respeitar a opinião de Todd Woodbridge, tbm devemos respeitar a opinião do Sampras…mas respeitar não significa q temos de concordar ou discordar né?
    Sampras ficou puto qnd perdeu seus recordes pro Federer…e com ctz tbm ficou puto qnd viu Siri e Cotonete ultrapassarem seu número de Slams tbm.
    Pode ter ctz q em breve o norte-americano falará do sérvio tbm.

    Responder
    1. Nattan Lobatto

      Perfeito, Nando!

      Ñ poderia esperar uma resposta mais polida e sensata que esta. Penso tb que possa haver uma certa dose de dor no cotovelo por parte do Sampras.

      Abs

      Responder
  18. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,

    Meu último comentário (pra sempre) sobre o chatíssimo assunto da entressafra.
    Lembra disso?
    Rodada 1 – Kuerten 7/6, 6/1 Roddick
    Rodada 2 – Kuerten 7/6, 7/6 Haas
    Rodada 3 – Kuerten 6/2, 6/1 Ivanisevic
    Quartas-de-final – Kuerten 6/4, 3/6, 6/4 Kafelnikov
    Semifinal – Kuerten 6/2, 1/6, 7/6 Henman
    Final – Kuerten 6/1, 6/3 Rafter
    Cincinnati 2001
    Em plena transição da entressafra samprista pra entressafra federista. E que entressafras maravilhosas. Isso era um circuito de tênis. Quem viu, viu.
    Abs

    Responder
  19. Rodrigo Azevedo

    E tome choro dos torcedores do Sérvio e do Espanhol, não acaba nunca kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Sempre a mesma história kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    O sérvio acabou de ganhar WB pela quinta vez e só falam do Federer kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Haja lenço……

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E tem mais!

      Você já reparou que o Nadal, mesmo ainda tendo mais Majors do que o sérvio, nunca é atacado?

      O Nadal não os incomoda em nada, porque somente o GOAT incomoda!

      kkkk

      Responder
  20. Marco

    Acho que há coisas que são entendidas de formas equivocadas por alguns.

    Quando falam em “entressafra” não estão querendo dizer que o Federer não é um dos grande da história ou coisa do tipo.

    O maior período de dominância do Federer se deu contra jogadores de nível inferior ao que os seus concorrentes tiveram que enfrentar para construir seus números, isso é um fato. Obviamente o suíço não tem culpa alguma disso, ele fez o que deveria ter feito, venceu mts Slams.
    Agora, o penso que significa é que não adianta vc querer comparar números frios para tentar achar o maior ou melhor da história. Um com 30 SLAMS ou semanas no n°1 não necessariamente tem o peso de um com 25 se os feitos deste último são maiores ou as dificuldade de rivais forem maiores.

    A aplicação disso é um pouco negativa pro Federer, mas de forma alguma tira o lugar dele entre os maiores da história. Tanto é verdade que a própria existência do suíço nesta era serve para engrandecer os feitos de Nadal, Djokovic e Murray (se contarmos que por um tempo foi big four). Não acho o Federer o melhor e mt provavelmente não seja o maior tb, mas o cara segue competindo em grande nível, fazendo grandes jogos e tendo vitórias (contra o Nadal), então é claro que ele é um dos melhores/maiores, não tem isso de retirar o tal do “Federer é Federer”.

    Responder
  21. Jose Yoh

    Muito engraçado ver os que sempre odiaram o saque e voleio chamarem o Sampras de mestre agora.

    Ele que tem grandes motivos para depreciar o jogo do suíço – os recordes batidos e a necessidade de sair na mídia.

    Ele que teria muito menos slams se fosse nos tempos atuais.

    Engraçado também escutar o Sampras e não escutar Laver por exemplo.

    Tudo depende do fanatismo do torcedor.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E o amigo acha que esses Fakes sabem quem foi Rod Laver ? O excepcional Saque – Voleio do Norte- Americano , aliado a talvez melhor direita na corrida da História, fez Pistol Pete ser sacaneado anos a fio pelos manés. Sabem que Novak e Rafa Nadal, não saberiam executar um pouco disso ai nas quadras rapidíssimas de outrora. Estão de maneira oportunista se aproveitando de declarações confusas , em que ele mistura as gerações de Borg e Lendl , e esquece do ano em que o Espanhol passou a N 2 . Confesso que é divertido vê – los TODOS babando o Ovo do Cara .rsrsrs ABS !

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Não deturpe as coisas, Laver e Sampras falaram coisas distintas, aceita q dói menos. Veja abaixo a resposta q o Dalcim deu a uma questão sobre a declaração do Sampras: “interessante”. Será q ele questionou a declaração do americano como vc e outros?

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Pergunte a ele o que acha de ” interessante ” . Você não lê ao longo do tempo, nem os comentários do Blogueiro. Não houve Entressafra pois somente ficando com o Espanhol , este se tornou um Multi Campeão já em 2005. E a partir daí. , só fanáticos e oportunistas como você , embarcam nesta babaquice rsrsrs Abs!

        Responder
        1. Luiz Fernando

          Meu caro, oportunista é vc q convenientemente esquece quem vc previu q seria bom quando não confirma. Quando se diz “interessante” sobre um comentário, acho q a pessoa nao contradiz o q o outro posta, a nao ser q com toda a confusão q caracteriza seu raciocínio vc pense o contrario. Mas vc confundir o q se posta nao é novidade aqui. Grande abraço.

          Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Tá na cara que o Sampras não atinou direito quando chancelou esse besteirol da entressafra, LF.

        Ou então teria de relativizar a maioria dos Grand Slams dele próprio.

        E aí, qual seria o critério:

        Ganhar do Agassi no caminho até a final, ou na final?

        Porque se for um critério tão bizarro (selo de qualidade Almeidão), o Sampras só tem 4 Slams “parrudos”.

        kkkkkk

        Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pois é , caríssimo Paulo F. Além de não assistir os jogos , não lê os comentários. Deixa de ser preguiçoso ( largue seu fanatismo exacerbado por momentos ) , e leia mais abaixo rsrsrs Abs!

      Responder
  22. Evaldo Moreira

    Mas bah…bah…bah…, poxa Samprildes kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, logo tu cara, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, mas na boa, que culpa tem o Federer se não teve adversários a altura?. E quico, hein,kkkkkkkkkkkkkkkkkk, fala sério, isso é menosprezar aqueles que enfrentaram o suiço e foram derrotados, e/ou, deram trabalho em algum momento da partida, minha opinião.
    Podem malhar, avacalhar a vontade, Federer é Federer, e ponto final, e mais essa de hoje, do Nadal, abro aspas, hein:
    ““Quando fui sacar para vencer Wimbledon foi duro, estava escrevendo a história”, disse Nadal, que não poupou elogios ao suíço, seu adversário naquela final. “Admiro o estilo de Federer e aqueles que não fazem o mesmo é porque não sabem nada de tênis. Mesmo que você seja fã de outro tenista, precisa reconhecer a excelência e Federer é excelente em todos os sentidos”, finalizou”, fecho aspas.
    Federer perdeu, sim, antes que os outros falem………..

    Responder
  23. Fernando Brack

    Nunca gostei da persona Sampras. Seu jeitão não me fez ser um fã dele, mesmo reconhecendo sua extrema competência em quadras rápidas. Essa saída das trevas do ostracismo apenas para proferir uma declaração carregada de ciúme só me faz desprezá-lo mais.

    Responder
  24. Fernando Brack

    Sampras é um idiota invejoso, apenas isso. E eu sinto dó e desprezo pelos recalcados que não se cansam (são mais incansáveis que o incansável Nadal) de achar que Federer só enfrentou os finalistas nos GS que venceu. É muita obtusidade mental. Dá pena.

    Responder
    1. Valmir

      Mas é na final… no jogo que vale mais… que a coisa conta.

      Se em Wimbledon 2019 Federer tivesse 2 match points contra Cilic… seria o campeão… mas como foi contra Djokovic…

      Por isso a importância de quem foi o adversário… jogar a final contra quem nunca foi campeão de Slam… que não tem o tino de campeão… é uma baba.

      Baghdatis… Philipoussis… Gonzáles… Soderling… que o digam.

      Responder
  25. Nattan Lobatto

    É Paulo Almeida, tem um nome de peso que concorda com vc quando o assunto é entressafra:

    “Por alguns anos, Roger não teve rivais que pudessem lhe fazer frente e, por isso, vencia tão fácil. Não quero desrespeitar Mark Philippoussis e Andy Roddick, mas eles não eram Rafael Nadal”, pontuou o vencedor de 14 títulos de Grand Slam, Peter Sampras.

    Nando, um cara que ganhou 14 majors em simples deve entender mais que a gente, meros fãs!?!? rsrs…

    Quando duas lendas, Federer e Nadal, já estavam consolidados e papavam quase tudo, apareceu Novak Djokovic, não para girar a roda, mas para quebra-la.

    Vlw Nole por reinar na era mais difícil e complexa que o tênis já atravessou…

    Responder
    1. Paulo Almeida

      São cinco nomes de peso ao nosso lado agora, Nattan, fora o próprio Djokovic, que já cutucou o Jaguatirica da Montanha em seu discurso em Wimbledon: “O melhor sou eu.”

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Cara,

      Se essa era fosse de fato a mais complexa como você diz, o BIG 3 não teria esse domínio todo.

      Talvez, nem o termo “BIG 3” existisse.

      Se existe é porque eles não têm adversários, e se limitam a ter vida dura quando se enfrentam…

      Responder
      1. Jose Yoh

        MUITO bem colocado. Jogar bem tênis não tem nada a ver com entender sobre a história do esporte.

        Pena que o fanatismo de alguns enchem o blog de besteiras e por isso deixam de ler comentários inteligentes. Preferem ler os comentários sem noção para ter com quem brigar.

        Responder
  26. Ronildo

    Tem coisas que beiram o ridículo e são totalmente ilógicas numa avaliação racional. Vamos lá:

    Foi perguntado ao Dalcim se é possível um jogador perder uma partida jogando melhor. É evidente que é possível por causa da formação duma partida de tênis. Não que eu queira. Mas formatem a partida por pontos corridos e NUNCA mais haverá um jogador jogando melhor e que venha à perder a partida! Não vou explicar,o porquê. Acredito que todos têm inteligência suficiente para entender o raciocínio!

    A final de Wimbledom:

    Federer jogou o suficiente para, não por erros de Djokovic, mas por acertos seus, chegar a dois match-points.

    No 40-15 ele tentou ace.

    Se tivesse convertido, os torcedores do Djokovic aceitariam que Federer jogou melhor?

    Se tivesse convertido, Pete Sampras teria argumentos para levantar esta questão de que Federer não teve rivais à altura durante um bom tempo da carreira?

    É lógico APENAS 1 PONTO mudar radicalmente a noção da história do tênis? Ou se está discutindo com pessoas fanáticas que perderam a capacidade do raciocínio?

    Onde está o desequilíbrio mental de Federer perante o REI DO MENTAL, Rafael Nadal? Abandonaram esta tese porque Federer a destruiu e estão se agarrando à tese da entressafra porque tiveram SORTE que Federer não a DESTRUIU TAMBÉM POR CAUSA DE 1 PONTO!?
    Tem certas coisas que chega a dar pena! Kkkkk

    Vou dizer uma coisa que ninguém trouxe à tona aqui: A CARA DE ESPANTO DE MUITO FANÁTICO quando Federer sacou para o jogo e chegou à 40-15! Gente, eu queria muito estar observando o rosto destas pessoas! Kkkkk

    É evidente que à partir daí só muita sorte mesmo salvaria seus discursos! Mesmo assim, isto não foi suficiente para reconhecerem a fragilidade de seus argumentos! Uma pena, para estes.

    Responder
    1. Gildokson

      Comentário genial. Concordo plenamente contigo Ronildo.
      E uma coisa que você ressaltou que é muito engraçado é essa em relação ao Nadal. Anos atrás era a piada repetida à exaustão aqui no blog a freguesia do Federer para o espanhol com gente afirmando que o gênio nunca mais ganharia do Nadal na vida kkkkkkk
      Depois de mais essa piaba numa semi de WB os caras se abraçaram no resultado da final e passam batido do fato que Federer agora vem ganhando do Nadal direto.

      Responder
      1. Ronildo

        Cara, é melhor ser chorão e lamentar que Federer sente mais pressão por ter no mínimo 50% +1 de toda a torcida de tênis em relação à todos os outros tenistas juntos, do que pateticamente ter argumentos que são dependentes de Federer não converter um ace! Meus argumentos levam em consideração toda a carreira de Federer, Djokovic e Nadal e por isso não se alteram se Federer converteu o match-point ou não!

        No meu caso, posso ser chorão por aceitar a realidade, mas não sou patético por negá-la!

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Lembrou muito bem.

      A tropa de choque do “Boquinha” viu São Pedro de CUECA, nessa final.

      (hahahahaha)

      Ô sorte da “muléstia”, como dizem os nordestinos.

      Pois quase a casa cai, hein?

      Ou melhor, quase cai o castelo de cartas do besteirol.

      Um “rabo” sem precedentes, sem dúvida…

      Responder
      1. Ronildo

        Cara eu até posso imaginar a cara de desespero e terror do Paulo Almeida! Se ele não estava trancado no quarto e a esposa notou, deve até ter pego o celular para chamar o Samu!

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Vixi. Nem fala…

          Lembra daquele filme: “O pagador de promessas” ?

          A diferença é que não foi um BURRO escapou da morte, foi só o Djokovic…

          kkkkkkk

          Responder
          1. Ronildo

            Mas a sorte continua atuando. E no caso de Wimbledom, desde o sorteio para Djokovic. Pois não havia ninguém que acompanha tênis que duvidava que Nadal não chegaria na semi-final.

  27. Carlos Reis

    Do jeito que esses “!@#$%¨&*()!!!” falam da tal entressafra, parece que só Nadal e Djokovic é que tem valor, todos os tenistas até hoje são pura boXta e nunca jogaram NADA, como é possível tanta arrogância e falta de respeito!? Os próprios ídolos deles não são assim, tem mais humildade. Esse BLOG é um antro de gente arrogante e sem noção!!!

    Responder
    1. Valmir

      Sampras percebeu agora o que já comentamos aqui a muito tempo.

      É só ver a lista dos adversários que Federer teve até 2007, fora do saibro.

      Todos os outros grandes campeões tiveram vários adversários de respeito em sua era.

      Já Federer teve… Hewitt e Roddyck… como principais adversários por 4 anos… aí, nadou de braçada.

      Quando Murray e Djokovic se juntaram a Nadal para desafiá-lo… ele mostrou o seu tamanho real.

      Engraçado que dizem que Federer perde pro Djokovic por causa da idade (já faz 9 anos isso)
      Mas a idade não é problema para virar contra Nadal… só um ano mais velho que o Djoko.
      Enfim… coisas de Freguesistas.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Nadal não é número 1 do mundo, e tão pouco ganhou 3 Wimbledon em cima do suíço.

        Comparar Nadal com Djokovic, na grama, só podia mesmo vir da djokovete “Maria Aparecida” do blog.

        ( ou seria Maria “Reaparecida” ? )

        Mas não tem problema, não.

        Logo logo, o sérvio entra numa fase ruim, e você volta pro EXÍLIO de novo…

        Responder
  28. lEvI sIlvA

    Curioso Sampras falar sobre “Federer não ter tido adversários” durante um certo período. Afinal, quem liderou o ranking por 6 temporadas consecutivas, não foi ele mesmo?!? Digo, creio que seria mais justo ele dizer que, durante boa parte do início da dominância do suíço, não houve tenistas que pudessem fazer frente ao nível alcançado por Federer. No entanto, deve-se entender que, isso não rebaixa o mesmo. Apenas se constata que bem mais tarde, finalmente alguém se propôs e, de fato conseguiu se equiparar ao que ele vinha realizando no circuito Nadal e Djokovic). Pode soar meio estranho, mas vejamos, até agora não houve adversários que conseguissem se impor frente ao Big 3, ou será que teve? rsrsrs

    Responder
    1. Naira

      Houve por um razoável período de tempo o Murray, Wawrinka, Del Potro e Cilic, este último muito pouco e os três primeiro tiveram muitos problemas de físicos mas são (“eram”) grandes jogadores.

      Responder
  29. Leo Gavio

    Agora até o Mestre Pete concorda: Federer é o rei da entressafra.

    Os fãs do Federer não entendem isso porque querem manter a ilusão de que Bagthatis, Gonzalez, Blake, Roddick, Cañas, Hewitt, Nalbandian, Safin formavam o top 10 dificil.

    Todo meu respeito ao Safin e ao Nalbandian, mas tenista talentoso a gente tá cansado de ver em todas a geraçoes, hoje temos Fognini, não vai virar lenda do tenis. Tenis é mais do que talento pra executar os movimentos, tenis é bastante mental, e esse top 10 da entressafra do rei é uma das mais fracas no quesito mental.

    Apenas Hewitt tinha uma mente campeã, mas o talento dele muito abaixo do Federer, sem golpes pra incomodar.

    Federer reinou de 2004 a 2007 porque o circuito era teta, mamão com açucar refinado, cachorro era amarrado com linguiça.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Como sempre , mais uma bobagem caríssimo Léo Gavião. Pesquise e responda na próxima vez , não custa nada , quantos SLAM e MASTERS 1000 ( tanto no Saibro , quanto nas duras ) , o então TOP 2 do Mundo , Rafa Nadal , venceu a partir de 2005. Vai se surpreender . Essa ladainha não cola. E Pete se aposentou precocemente depois de perder finais de USOPEN em 2000 e 2001 em Sets diretos para Hewitt e Marat Safin. No duelo com Federer com apenas 19 anos , perdeu no quintal de sua casa que era Wimbledon 2001 rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Jonas

        Acho que você se expressou mal (de novo). A partir de 2005? Venceu vários, kkk.

        Bom, em 2005 ele ganhou 4 masters. Em 2006 venceu 2. Em 2007 venceu 3. Se for pegar todos os anos até aqui a lista é longa, ele é recordista.

        Mas curioso que no ano de 2010 ele não venceu masters na quadra dura. Não fez falta, ele venceu Wimbledon e US Open.

        No ano anterior, ele conseguiu vencer seu único Australian Open, em cima do Federer, demonstrando clara evolução.

        Não sei se entendi bem. Você sugere que o Nadal de 2005, número 2 do mundo é melhor que o atual? Mas nunca, rs.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Pois penso que só um TONTO anuiria aos critérios que vocês postam…

          Afinal são critérios tão “justos”, não é mesmo?

          (rs).

          Se Federer vencia Nadal ou Djoko mais novos, não vale porque eram inexperientes.

          De 2011 pra cá (se favorece ao Djoko), obviamente para vocês vale.

          Mas se o suíço leva natural desvantagem pro Djoko hoje, por beirar aos 40, é uma “desculpa”.

          O Djoko está hoje com 32, vive o auge.

          No entanto, o Agassi com 35 anos se retirou caduco (mesmo fazendo final de Major).

          Mas o “imberbe” Federer com 38, troca os drinks por uns danones com o Zverev… (rs)

          Perceba, portanto, o quanto as teorias de vocês são malucas e ficam dando voltas, para colar!

          Parece com a TEORIA DA BALA MÁGICA que matou John Kennedy, endossada pela Comissão Warren…

          Não se acha razoabilidade ou desinteresse em nada do que vocês postam.

          Sempre parcialidade em cima de parcialidade…

          Responder
          1. Jonas

            Não é questão de ser justo ou não. É a minha opinião, falo isso há tempos.

            E não, Djokovic não está no auge, nem Federer. Mas ambos estão jogando próximo ao seu melhor nível. Pra mim o auge do Djoko foi 2011/2015.

            Um tenista é diferente do outro. Agassi não é Federer, a diferença é gritante. Se Federer mantém o altíssimo nível até os 38 anos, não tem pq eu chamar ele de velho. Se ele se sente bem e motivado, que continue jogando, ele é fora da curva.

            O Nadal claramente evoluiu horrores com o passar dos anos. Mas o jogo dele é mais físico, não creio que jogará até os 38. Djokovic talvez jogue até uns 35, 36.

            Se vc pensa como o Sérgio Ribeiro, que acha o Nadal de 2005-2007 é melhor do que o de hoje ok, eu não acho.

    2. Carlos Reis

      É muito blá blá blá desse povinho… O Federer “velho” merecia o caneco de Wimbledon/2019 muito mais do que o “comedor de fígado”, este ganhou por detalhe mínimo, do jeito que falam parece que os robôs passam por cima do craque suiço… Se ele não tinha adversários é porque era MUITO MELHOR que os outros…

      Wimbledon/2019 = Título MAIS INJUSTO da história do Tênis

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Quase três semanas e ainda chorando feito criança? Melhor é quem vence 3 sets e não dois.

        Abraço, freguesão trivice com 20×9 no h2h de 2011 pra cá!

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Bem,

          Se enches a boca para falar de 2011 pra cá, enchemos a nossa para falar de 2011 a 2006 (primeiro encontro).

          E ali, o freguesão “Djoko-VICE” amarga um belo 13 x 6.

          Abs.

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Além do 20×9 de 2011 pra cá, posso utilizar mais os seguintes:

            – 26×22 no h2h;
            – 10×6 em Grand Slam;
            – 4×1 em finais de Grand Slam;
            – 13×6 em finais;
            – 12×11 em semifinais;
            – 11×9 em Masters 1000;
            – 3×2 em ATP Finals (era pra ser 4 se não tivesse fugido em 2014).

            Quer competir mesmo? Rs.

    3. André Barcellos

      Federer antes de 2004 perdia de Nalbandian e Hewitt com muita frequência.
      Ele melhorou e se colocou acima dos demais por uns bons 3 ou 4 degraus.
      O importante é que ele superou a todos de sua época, inclusive o Roddick, por muito, que ganhou de Sampras em final do US Open.
      O fato de dois foras de série terem alcançado seu patamar, Nadal em 2008/2009 e outro Nole 2011, só significa que eles fizeram o mesmo trabalho que o suíço tinha feito antes, passando a superá-lo muito em razão da diferença de idade.
      Esse nível, alcançado pelos 3, foi tão alto que ninguém conseguiu destronar algum dos três até agora,
      exceto Murray, em 2016, mas que não teve embates com Nadal e Federer em sua arrancada até o número 1.
      O suíço é genial e quem não entende isso não entende nada de tênis, como diz Nadal.

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Roddick venceu Sampras? Em final do US OPen?
        E por que a idade de Federer só conta contra o sérvio?
        Bateu em Nadal cinco vezes consecutivas até se encontrarem em RG2019 e o bateu novamente em Wimbledon. Se bate (38 anos) é gênio, se perde (38 anos) é idade?

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Evidente né, Luiz.

          Você queria o que?

          Há de se louvar que o suíço beirando aos 40 anos, compita de igual para igual com atual número 1, SEIS anos mais moço.

          O Novak é quem sempre terá o favoritismo.

          Portanto, é natural e até JUSTO que uma eventual vitória do suíço seja considerada mais genial que a do sérvio…

          Responder
  30. José Eduardo Pessanha

    Acho que a maior entressafra de todas é a atual. Novak “Cotonete” Djokovic tem como rivais dois tenistas ultra-veteranos (um com 22 e outro com 18 anos de carreira) e uma série de jovens (Zverev, Thiem, Kyrgios) de nível inferior ao dos contemporâneos de Federer (Nalbandian, Davydenko, Roddick, Ferrero, Safin, Hewitt, Blake e González).
    Já Pete Sampras se beneficiou de sua própria entressafra, pois nunca enfrentou McEnroe, Lendl e Wilander em finais de GS. Ele enfrentou (e perdeu) de Edberg no US Open 92 e ganhou de Becker em Wimbledon 95 e de Courier em Wimbledon 93. Do resto, tirando Agassi, enfrentou jogadores medianos (para seu nível) em finais de GS, tal como Pioline (duas vezes), Ivanisevic (duas vezes), Moyá e Todd Martin. Por fim, levou duas piabas para os então imberbes Safin e Hewiit, nas finais do US Open 2000 e 2001.
    Isso posto, o grande diferencial de Djokovic foi ter surgido muito depois de seus dois grandes rivais. Com isso, teve tempo de sobra para desenvolver seu jogo, sugando (no bom sentido) tudo de bom que poderia absorver de Federer e Nadal. De Federer extraiu o saque, alguma agressividade e o bom gerenciamento de carreira. De Nadal sugou o Maratenismo, baluarte de sua carreira.
    Volto a dizer que Nadal e Djokovic seriam figurantes na década de 80, ao contrário de Federer. O Craque seria o Craque em qualquer era do Tênis.
    Vida longa ao Maior Craque de Todos os Tempos. Vida Longa a Roger Federer.
    Abs

    Responder
    1. Paulo Almeida

      A única coisa correta no seu post é que o Sampras também foi rei de uma entressafra, mas pelo menos tinha o Agassi no circuito INTEIRO. Frauderer só tinha o moleque Nadal como incômodo no saibro até 2007. Bom, o fato é que nenhum dos dois chega perto dos Slams com alto grau de dificuldade do GOAT Djokovic. O resto está tudo errado, como sempre.

      Cadê os federetes que estavam elogiando o americano até um dia atrás, falando que era o único com 6 temporadas seguidas como número 1? Agora com certeza estão morrendo de raiva do cara, kkkkkkkkkk.

      Responder
      1. Gildokson

        Cara imagina se tu vai num programa de tv sobre tênis e se refere ao Federer com esse apelido ridículo que você inventou. “Frauderer”

        Primeiro todos iam se mijar de rir da tua cara kkkkkkkkkkkkkk
        Depois era arriscado tu sair de la surrado kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder
    2. Jonas

      Não faz sentido nenhum.

      Nadal é MUITO mais jogador hoje do que aquele jovem de 2005-2007. Hoje ele entra com grandes chances de vencer em qualquer Grand Slam.

      Federer está jogando em sua melhor forma, só perde pra versão 2006, não apresenta problemas físicos, o homem tá voando.

      O Djokovic é número 1 neste cenário, tendo que encarar essas lendas em grande forma. Detalhe, o Djokovic também não é um garoto, tem 32 anos.

      O domínio do Federer não teve Djokovic e nem Nadal maduros o suficiente, sem exageros. Eram muito jovens. O Nadal perdia rápido em quadras mais rápidas pois tinha claras limitações, enquanto o Djokovic já dava sinais de que era um grande talento, porém o que ele fazia de melhor na época era imitar os outros.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Aquele jovem de 2005 – 2007 , somente tinha vencido VINTE e TRES ATP ( mais que a carreira inteira de GUGA ) . Com direito a TRÊS SLAM e NOVE MASTERS 1000 ( número que Sampras atingiu em TODA a carreira ) . Nos TRES MASTERS 1000 até então nas duras , bateu Agassi , Ljubicic ( então N 3 ) e Novak Djokovic. Logo a seguir em 2008 , bateu o Rei da Grama naquela FINAL épica com 9 x 7 no Quinto Set. Se informe , caríssimo Jonaser. Quem sabe diminui o número de recibos diários rsrsrs Abs!

        Responder
        1. Jonas

          Venceu sim gênio. Mas ninguém aqui disse que o Nadal 2005-2007 era fraco, muito pelo contrário. Ele era n2 do mundo.

          Agora, se você acha que ele não evoluiu nada ao longo dos anos, paciência. É nítido que o saque, backhand, movimentação melhoraram e MUITO.

          Responder
      2. Paulo Almeida

        Você fala muito na tal versão do Federer de 2006, mas qual o diferencial no seu jogo? O que fez de grande?

        Ok, ele venceu 12 títulos, mas quais foram parrudos? O que tinha demais no cara que venceu o Baghdatis num dos AO mais fracos da história, o servebot Roddick no US e um Nadal de 20 anos sem saque em Wimbledon? Que venceu Masters 1000 em cima de Blake, Ljubicic, Gasquet e González? Finals em cima do pífio Blake de novo? kkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder
        1. Jonas

          Pra mim a única diferença notável era a direita, que aparentava ser mais calibrada. Fora isso ele tinha a confiança de que era o melhor da época. Nadal e Djoko eram garotos. Porém, hoje em dia o Backhand do Federer é bem superior ao de 2006.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Ah.

            Vai ser farsesco assim, lá onde Judas perdeu as botas!

            ” Só a direita”, né.

            E quanto à movimentação, gênio?

            Naquela época alguns diziam que o Federer era quase que uma SOMA do Guga + Hewitt.

            Sendo que o primeiro tinha potência nos golpes e movimentação fraca, e o Hewitt fraqueza nos golpes, mas excelente movimentação…

    3. R.P.

      Agora as alucinações dos fãs do Boca Murcha passaram para o estágio 2.

      Como negar a realidade da entressafra após ser exposta por um dos maiores expoentes do tênis mundial se tornou deverás difícil, tentam chamar a era atual, (vejam só!) de entressafra. Os três melhores tenistas jogando juntos em alto nível por uma década é a “entressafra”… KKKKKKKKKKKK

      P.S.: Tá certo que vencer o mestre Djoko está cada vez mais difícil para o suíço, mas chamar este de tenista de entressafra já é demais até para os fãs do Nadal… KKKKKKKK

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        O que ele colocou foi perfeito.

        Só pegou a tese furada da entressafra, e a voltou contra os seguidores do Boquinha de Chupar Ovo…

        Não há qualquer pessoa insana o bastante para negar que o Boca de Ovo seja um fora-de-série, com os outros BIG 3.

        Mas que vive hoje o seu auge, enquanto os outros dois correm por fora, não se discute…

        Responder
  31. Paulo Almeida

    Parabéns ao Sampras. Deixou o fedtardismo de lado e expôs o que todo mundo já sabe: Fregueser conquistou a maioria de seus títulos e semanas como número 1 em cima dos bagres da entressafra 2003-2007. Nadal e Djokovic são jogadores melhores do que o suíço.

    Agora temos Pete Sampras, Andre Agassi, Mats Wilander, Dácio Campos e Narck Rodrigues do lado da verdade e a tendência é que esse número aumente.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O Pete não disse que Nadal e Djokovic são melhores do que o suíço.

      Disse apenas que Nadal é melhor do que Roddick e Philipoussis.

      E outra coisa:

      Vamps parar com esse fingimento, né?

      Todo mundo aqui sabe MUITO BEM que você não acha Nadal melhor do que Federer, coisa nenhuma…

      (rs)

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Não, fui eu que disse, porém ele deixou isso a entender, assim como o Djoko deixou a entender na final de Wimbledon que ele é o GOAT. Percebe?

        Não, pelo que fez até agora na carreira, Nadal ainda é superior. Federer diminuiu o h2h vexatório nos últimos confrontos, mas o espanhol ainda tem uma margem bem confortável.

        Responder
      1. Paulo Almeida

        Falou a federete que ainda não consegue dormir por causa do TRIVICE do freguês perante o seu carrasco. Venceu quem jogou melhor, no caso o sérvio rei do tênis.

        E aí, vai continuar tecendo elogios ao Sampras depois dessa declaração? E já ia me esquecendo: o GOAT vai ultrapassar as semanas do americano em janeiro e não o número de temporadas como número 1. Conseguiu compreender agora ou ainda está difícil de interpretar?

        Responder
  32. Jonas

    “Por alguns anos, Roger não teve rivais que pudessem lhe fazer frente e, por isso, vencia tão fácil. Não quero desrespeitar Mark Philippoussis e Andy Roddick, mas eles não eram Rafael Nadal”

    Sampras resumiu perfeitamente oq alguns dizem aqui há tempos. Pros fanáticos malucos pelo suíço, isso era motivo de piada. Agora devem apedrejar o Sampras por dizer a verdade.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Agora quando aquelas pessoas humildes rotularem os outros como torcedores de sofá por falarem da entressafra, deverão ter em mente que sentadinho no mesmo móvel estará um jogador medíocre e sem expressão de descendência grega, que ganhou alguns GS, chamado Pete Sampras…

      Responder
    2. Carlos Reis

      Se o Federer é essa porcaria toda, por que ele chegou na SF de RG e na final de Wimbledon vencendo o maior algoz na SF!? E só não ganhou na grama de novo – não tão sagrada assim agora – porque faltou culhão… O tal “comedor de fígado” ganhou na bacia das almas e SEM MERECER…

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Eu acho que foi ele que sifu com sua falta de memória. Desde quando Borg foi o cara na geração de Lendl ? Jogaram apenas 7 jogos e o Sueco se aposentou. Sampras também se mandou precocemente com 3 x 3 com Safin e 4 x 5 com Hewitt. Quando diz que os caras não eram Rafa Nadal esquece que o próprio venceu DEZ Torneios em 2005 e já terminou como N 2 . Será que já está caducando ? KKKKK Abs!

        Responder
        1. Jonas

          O Sampras só disse o óbvio. Mas vcs federetes são cegos.

          Vejamos, é claro que Djokovic e Nadal estão VÁRIOS níveis acima de Baghdatis, Philipouses, etc.

          E o Federer vencia Slams em cima de caras do nível desses dois últimos. Quando Nadal e Djoko amadureceram seu jogo, aí ficou difícil demais, isso agnt vê desde 2011 e o suíço era novo, tava com 29 anos na época.

          Ele sempre teve MUITA dificuldade especialmente contra o Nadal, só que ai entra uma coisa que vcs tbm não admitem. O Federer se tornou um jogador melhor mesmo mais velho e aprendeu a encarar o Nadal de igual pra igual, antes era só surra. Isso é nítido, é só observar como ele se comporta de forma mais tática contra o espanhol.

          Responder
  33. Luiz Fernando

    Sampras, de uma forma polida e educada, confirmou o q vários já postaram em diferentes momentos: A ENTRESSAFRA EXISTIU DE FATO. E olha q ele nem mencionou adversários de finais de GS tipo os “magistrais” Baghdatis e Gonzales . Quero ver os caras virem aqui e dizer q havia grandes adversários na época, talvez o Sampras não saiba nada de tenis kkk.

    Responder
    1. Gildokson

      Engraçado que ele (Sampras) perdeu Grand Slans para alguns desses que o Federer derrotou nessa tal “entressafra”
      Daqui uns dias vão falar que o tênis começou em 2011 mesmo. Pqp kkk

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Já perguntei ao rapaz quinhentas vezes se já tinha nascido em 2005 . Como torcedor do Espanhol, não assistiu o então TOP 2 vencer 1 SLAM , 3 MASTERS 1000 ( bateu Agassi na Final do Canadá em 3 Sets ) , 3 ATP 500 e 3 ATP 250 ? Repete as groselhas de fanáticos ou admite que Nadal foi até 2007 participando também de Entressafra ? Quando o Touro caia antes ( várias vezes ) em SLAM antes da FINAL , a culpa é do Campeão ?Somente na cabeça de sábios como Chatonik , Léo Gavião e outras manés como Almeida , jonaser e CIA rsrsrs Abs!

      Responder
    3. Fernando Brack

      Sampras é um imbecil corroído pela inveja. Se mordeu todo de ciúmes qdo seu recorde de 14 Slams, uma marca de muito peso, foi superado.

      Responder
  34. Oswaldo E. Aranha

    Tornei-me apreciador do tênis, em primeiro lugar assistindo jogos do Bjorg Born e Connors e depois pelo desempenho do Guga. Também apreciei outros tenistas, como Federer e Nadal, mas fiquei muito ligado a um novo tenista que me chamava atenção pela sua determinação em seu jogo, um sérvio chamado Djoković, continuando então a apreciar seu desempenho, sem menosprezar outros tenistas. Acredito que ele passará a ser um dos maiores tenistas deste século.

    Responder
  35. Naira

    Dalci, Djokovic não contará com a presença do Marian Vajda no Masters 1000 de Cincinnati. Ele será acompanhado pelo Goran Ivanisevic,. Sabe dizer se o Goran Ivanisevic, será o segundo treinador ou vai participar eventualmente somente quando convidado? O que voce pensa do Goran Ivanisevic, como treinador? O que ele pode contribuir para melhorar o jogo do Djokovic?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Por enquanto, Goran está trabalhando em momentos pontuais. Acho que ele pode ajudar muito no jogo de rede, não nos voleios em si mas na determinação de buscar mais a rede. Também pode mexer em pequenos detalhes no primeiro saque.

      Responder
  36. Luiz Fernando

    Como já expusemos aqui há uns dias, Rafa irá a Cincy se naufragar em Montreal, o que sempre pode acontecer. Se for bem no Canadá, não irá. Se tivesse tido esse bom senso ao longo da carreira, teria menos contratempos. O problema é q, por mais incrível q pareça, ele já confirmou a ida a Laver Cup após o USO, justamente o q o predispôs a contusão na época do Masters de Xangai em 2017…

    Responder
  37. Luis

    Dalcim parceria Federer e Edberg foi muito legal parece sao amigos,Edberg elogiou que Suíço e’ muito tranquilo,Federer passou volear mais,será ainda Federer mantem contato com Edberg?

    Responder
  38. Sandra

    Dalcim, qual vai ser do dopping da Bia? Quero dizer, deu positivo em um torneio, e em Wimblendon deu negativo. .? Ela poderia ter sido avisada? Não só ela, como qualquer jogador? Você colocaria a mão no fogo. Pelos tops ? Seja que top for? É tão desgastante os jogos que não consigo achar que ninguém use alguma coisa para melhorar a performance , gostaria da sua opinião

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não acredito num esporte totalmente limpo e isso, claro, inclui o tênis. Acho que o tenista não usa tantos recursos para melhorar performance, até porque a parte física é um dos elementos, mas não o único. No entanto, acredito que haja maior preocupação com a recuperação do tenista após jogos muito desgastantes.

      Responder
  39. Eu

    Qual ou quais os torneios preferidos dos tenistas qdo o critério é mordomias e conforto para eles? E que tipo de mordomia recebem?
    Muito obrigada!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acredito que seja Indian Wells. Eles têm todo tipo de mordomia nos torneios, desde transporte, refeições, hotéis de luxo, festas…

      Responder
      1. Naira

        Todos os tenistas ou somente os tops? Quando são eliminados, acaba automaticamente as mordomias ou os tenistas podem ficar até o final do torneio?

        Responder
          1. Naira

            Dalcim, estas mordomias são estendidas também a equipe dos tenistas? Técnicos, preparadores físicos, também desfrutam de acomodações, alimentação, deslocamento, etc, ou o atleta é quem paga as despesas do seu staff? O atleta que não tem staff tem o suporte da ATP quanto a médico, fisioterapia, nutricionista, massagem, etc?

          2. José Nilton Dalcim

            Apenas o treinador do tenista tem os mesmos direitos, Naira. Os demais, se estiverem no torneio, terão de ser custeados pelo tenista. Massagem geralmente é dada pelo torneio, que também tem um médico e um fisio permanentes para todos os tenistas.

  40. Eu

    Tem alguma regra que impeça o devolvedor de ficar se mexendo para trás e para frente ou para os lados antes do sacador sacar?
    Porque a ideia do kyrgios de fazer isso para desestabilizar o sacador é muito boa! Em W ele ficava pulando tipo goleiro antes da cobrança de pênalti.

    Responder
  41. Eu

    Kyrgios fez um baita game para quebrar o saque pela primeira vez (3-4). Alguém da torcida falou algums coisa que o indignou. Então gritou: what do you want from me?
    Booooa, Kyrgios!!

    Responder
  42. Everton

    Mal comparando, essa final de WB me lembra a final do mundial interclubes de 1993: São Paulo x Milan. Milan dominou o jogo inteiro, massacrou, mas só marcou 2 gols. SPFC, em três contra-ataques brilhantes, marcou 3 gols. Resultado: SPFC campeão 3 x 2. Se foi justo ou não, é um debate infindável…

    Responder
    1. Fernando Brack

      No futebol, é possível uma equipe dominante perder o jogo, mas no tênis apenas um ou outro ponto é decidido de forma fortuita, enquanto a esmagadora maioria deles é resolvida na base da competência dos tenistas. São só eles ali em quadra disputando centenas de pontos. Ao contrário de gols, pontos não são conquistados ao final de algumas poucas jogadas durante a partida, mas ao fim de cada uma delas.

      Responder
  43. Eu

    Tsonga nao é mais patrocinado pela Adidas? O tênis eu vi que sim. Mas a camiseta me pareceu que não – ou a logo estava muito pequena.

    O narrador falando Tsooonga em vez de tsongááá é pra matar

    Responder
  44. Rodrigo S. Cruz

    [maurício]
    30 de julho de 2019 às 09:07

    “Vc dizer que o Djokovic jogou pior que o Federer e mesmo assim “deu para ganhar”, só faz rebaixar ainda mais o federer, e ele não merece isso”.

    Primeiro: não rebaixa.

    Segundo: MERECE SIM.

    Porque teve o jogo na palma da mão, e vacilou…

    Abs.

    Responder
    1. maurício

      ué, primeiro vc diz que sua fala não rebaixa o jogo do Federer, depois diz que ele merece sim ser rebaixado, pelo visto coerência não é o seu forte.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Sim.

        E pelo visto, tão pouco interpretação é o teu.

        Deixar eu desenhar pro bebezão levado, então:

        Não se rebaixa o suíço, a mera afirmação do Djoko ter jogado menos que ele e ganhado…

        Por outro lado, merecer ter perdido, é ÓBVIO que o Federer mereceu.

        Já que teve nada menos do que um 40/15, saque, e não aproveitou…

        Como podes ver, não há contradição alguma no que escrevi.

        Apenas uma franca dificuldade (ou seria má-vontade) do senhor em tentar entender.

        Responder
  45. Mauro

    Federer foi sim o melhor jogador na final de Wimbledon. Teve facilidade nos sets que venceu enquanto Novak venceu em uma vitória de Pirro.
    Roger fez mais de dez ponto que o sérvio e quase o dobro de winners.
    Espero que Roger continue assim e tenha em mente que é o melhor e com totais condições de vencer nos Estados Unidos.

    Responder
    1. Roger Porciuncula

      O último título do suíço na terra do tio Sam foi em 2008, portanto faz 11 anos que Federer está em jejum no GS americano.

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Se fosse melhor, teria vencido.
      Por que ninguém faz conta dos erros não-forçados?
      Fazer mais winners pode vir de, por exemplo, nos games de saque do jogador A, 4 pontos com winners. Nos games de saque do jogador B, 4 pontos de erros não forçados do jogador A.
      Na contabilidade fica assim:
      Jogador A = 4 winners e 4 erros não forçados;
      Jogador B = 0 winners e 0 erros não forçados;

      Placar que interessa no jogo: Jogador A 1 x 1 Jogador B e vamos ao tiebreak.

      Responder
  46. Luiz Fernando

    Com essa terceira vitoria do Djoko sobre o Federer em finais de W, ele se torna favorito antecipado em 3 GS e Nadal no outro, negar isso é buaaaaaaaaaaaa kkkk…

    Responder
  47. Fernando Brack

    Sobre a discussão de se jogar melhor e perder, me limito a achar que Federer jogou melhor que Djoko por mais minutos da partida, considerando os sets vencidos com maior facilidade, mas de forma nenhuma eu diria que Djoko ganhou injustamente. Isso seria um disparate.

    Responder
  48. Fernando Brack

    Sou Federer, mas admiro a determinação de Nadal e Djoko em superar os números do suíço. Como tenho uma queda por ver recordes serem batidos, até torço para que ao menos um deles alcance o objetivo, de preferência Djoko.

    Responder
    1. Nattan Lobatto

      Haha, boa Lola.. Super concordo!

      O cara ñ pode tocer para A ou B (principalmente para o Djoko q é fake). Bem, até pouco tempo escrevia usando o nick de Engenheiro Lobato, minha profissão (civil) por formação, porém, usando a mesma foto/gravatar. Todos sabem…

      Abs.

      Responder
  49. José Eduardo Pessanha

    Que sinistra essa situação do Orlandinho, Dalcim….Uma coisa é certa: se ele tivesse a visão 100%, provavelmente estaria centenas de posições à frente no ranking. O sentido visão é tudo no tênis.
    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Porque atrapalha demais o calendário e ainda é num saibro lento. Além disso, os 50 primeiros do ranking no momento têm uma grande chance de entrar na chave olímpica daqui um ano, então não faria sentido tanto esforço.

      Responder
  50. Heitor

    O Australian Open terá um novo piso a partir de 2020, que ficará à cargo da empresa espanhola Greenset Worldwide.

    Se o Nadal ganhar lá, certeza que alguém virá dizer que já sabia o porque

    Responder
  51. Jonas

    “O cara ganhou 3 de 5 sets e vem os de sempre dizendo q ele jogou mal. Então o Federer foi péssimo, pq perdeu 3 sets de quem jogou mal kkk. Se fosse no futebol diriam q fez um gol, jogou n retranca e varias bolas do suíço bateram na trave. Depois essa turma vem aqui chamando os outros de torcedores de futebol. Talvez pudessem propor uma mudança de regra, quem mais winners vence, quem ganha mais sets perde…”

    Esses torcedores do suíço sentiram o golpe. Eles nunca vão esquecer essa derrota, vai doer por muito tempo.

    O Djokovic não só chegou aos tiebreaks. Ele ganhou os três em cima de um cara que na teoria levaria vantagem. Um cara que tem o saque claramente superior ao do sérvio.

    No geral o Djokovic esteve abaixo de seu melhor tênis, inclusive sacou mal. Só que nos momentos de maior pressão ele foi melhor que o Federer, coisa que acontece há tempos. Não é físico, é totalmente mental. Nos detalhes o Djokovic foi melhor, isso não é campeonato de winners, nunca foi.

    Responder
      1. Jonas

        “Acabamos de ver isso em Wimbledon.

        Djokovic jogou pior e ganhou.”

        Pode não ter dito que ele jogou mal, o que seria mais absurdo ainda, pois o cara jogar mal e vencer Wimbledon em cima do Federer só mostra que o suíço é BEM inferior ao sérvio, o que não é verdade.

        Dizer que ele jogou pior e ganhou é outra asneira daquelas,porque isso não tem lógica. Mas o blogueiro e outros abaixo já deixaram isso bem claro.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Jogou pior, no sentido de que jogou menos do que o suíço. Simples.

          Se do tanto que expliquei acima e abaixo você não entendeu ainda, eu desisto, pois o problema deve ser cognitivo mesmo…

          Abs.

          Responder
  52. Bruno Louzada

    Alguem da uma água pro Rodrigo S. Cruz. O cara ta chorando por causa da derrota na final até agora. Esquece isso cara, espere a proxima humilhação.

    Responder
  53. Rodrigo S. Cruz

    [Mário]
    29 de julho de 2019 às 19:46

    “hahahahahahahahahaha

    Que nocaute do Dalcim”.

    E que grande nocaute teria sido esse, amigão?

    A começar por ele, ninguém entendeu nada do que eu afirmei.

    Eu só disse que o Federer jogou melhor do que o Djoko, no geral, e mesmo assim perdeu a partida.

    Que é sim possível jogar mais, e perder no detalhe.

    Coisa que um monte de gente também achou.

    Responder
        1. Jonas

          Nem preciso defender o óbvio. Isso só não é claro pra você, porque tu é fanático pelo Federer, embora não admita isso, mas seu choro deixa isso claro.

          Você tá chegando ao ponto de se apegar no argumento “Federer fez mais winners então foi melhor”. Esse argumento por si só já mostra seu desespero.

          Responder
    1. DANILO AFONSO

      Não existe essa nobre !!

      Quem vence é porque jogou melhor. Um lindo winner vale a mesma coisa que uma dupla falta.

      DJOVOKIC venceu porque foi um pouco melhor. É se perdesse também seria por pouco.

      No vôlei acontece com mais frequência essa situação em que o time que mais faz pontos de ataque perde porque o adversário cometeu menos erros e jogou melhor os sets apertados.

      DJAVÚ

      Responder
    1. Iuri

      Não vejo nada de deprimente defender pontos de vistas. Ao contrário.
      Cada um pensa como quiser. Agora eu nao pensar como vc faz de mim deprimente?

      Responder
      1. Nando

        Desde q não venha com xingamentos ou ofensas, claro q não.
        A questão é q os torcedores do sérvio aí, ficaram incomodados com o q o australiano disse, a ponto de falar mal do cara. Parecem até “negas” do djokovic.

        Responder
    2. Paulo Almeida

      Não importa se foi um grande duplista. O fato é que repetiu a mesma bobagem do imbecil do Kyrgios, sendo que nem conhece o sérvio para julgá-lo.

      Também não espero muita coisa de você, uma criança boba que escreve “aki” e adora essas fofocas.

      Responder
      1. Nando

        Eu AKI tbm não espero nada de vc, fake…aliás são pouquíssimos os djokovistas “respeitáveis” (Rafael e mais alguns) do blog, pois o resto ou é fake igual a ti, ou mais fanático do q td mundo.
        Seus coments tbm são aqueles q são aprovados devido ao “sistema de cotas”, estão na lista dos “não acrescenta nada”.
        Muda o post do blogueiro, e vc diz as mesmas asneiras em tds eles. Aliás tem mta gente (inclusive djokovistas) q deixaram de comentar nesse espaço devido a “pessoas” como vc, q só falam asneiras….vc não gosta do esporte, e sim do djokovic. O dia q ele aposentar, o q será da sua “vida” ? (Se é q tem uma)
        Encerro AKI, pois já dei audiência demais pra fake.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Você acha que diminui alguma pessoa chamando ela de fake? Seu argumento máximo é esse? Rs.

          Pode continuar chorando e chilicando que isso só fará mais ainda a festa dos “fakes”.

          Responder
    3. R.P.

      E é invejoso mesmo. Ver um sérvio cravando bandeira em seu país e dizendo “quem manda aqui sou eu” deve ser difícil de engolir se se nutre de antipatia pelo cara. Diante um jogo vencedor, o recurso que sobrou foi partir para o ad hominem, ótimo para ser explorado em programas de fofoca. Da opinião de um ex-tenista multicampeão, esperava-se mais que um artigo para revista Tititi.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Sei…

        Se ele tivesse falado do Federer, você teria dado total apoio.

        Mas como foi contra o “Djoko-triste”, que implora a atenção de todos, você se condoeu…

        Responder
        1. R.P.

          Conhece aquele programa “Estrelas do Tênis”? Passo longe. Fofoca sobre vida pessoal de jogador só interessa quando traz fatos que estão a influenciar em sua performance. Se aparecer uma “Nájila “, aí tá valendo… KKKKKK

          Responder
    4. André Barcellos

      Eu estava presente em Londres, na O2 Arena na fase de grupos do finals de 2015.
      Vi todos os jogos da segunda rodada, inclusive Federer vs Djokovic.
      Foi a última partida que o Federer ganhou do sérvio (até agora).
      Naquele jogo foi notória a torcida esmagadora a favor do suíço, a ponto de o sérvio sair desolado da quadra.
      Lembro que na filmagem da cena (estava filmando com o celular) eu falei “não tem problema não, Djoko, vc vai ser amado depois que o Federer se aposentar”, o que ficou gravado na filmagem.
      Muita coincidência eu ter sacado isso é filmado, antes de Kyrgios ou Woodbridge terem dito algo a respeito.
      Isso é tipo uma coisa “ na cara”. Djokovic não é tão admirado quanto o Federer ou sequer bem quisto mesmo por muitas pessoas. E ele se ressente disso, bem como seu pai e staff.
      Aos poucos, no entanto, ele conseguirá, pelos resultados, consolidar seu quinhão de torcedores e admiradores como um dos maiores da história que é.

      Responder
  54. Marcel Azevedo

    Boa noite Dalcim, pq você achou estranho esses vários jogos de exibição do Federer, seria uma despedida? Ele não confirmou que joga ano que vem? Finals pelo visto como vc disse não parece ser prioridade para ele. Abc

    Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Dalcim, você não acha que esses tenistas jogam os amistosos a 20% do seu potencial? Por exemplo, Federer e Djokovic perderam jogos para tenistas aposentados, no caso Sampras e Guga, respectivamente. Acredito eu que eram jogos pra fazer duplo 6/0 contra os ex-tenistas, mas aí perderia a graça. rs. Claro que um Federer x Nadal ou Federer x Delpo exige mais, mesmo em se tratando de amistosos. Dessa forma, acho que não afeta muito disputar esses amistosos logo após o Finals.
        Abs

        Responder
  55. Paulo Almeida

    Vou desenhar para os torcedores do Federer que ainda não entenderam: Djokovic foi melhor na final, pois venceu 3 sets e perdeu 2. Não interessa se um jogador toma 2 pneus e faz triplo 7-6. A regra do tênis é clara e justa e o próprio Nadal corroborou que o sérvio foi melhor e campeão com justiça. O resto é choro.

    Federer contra Djokovic é igual ao Chaves ou ao Flamengo na Libertadores: a gente sabe o final, mas ri do mesmo jeito! Desculpem, mas tive que fazer essa piada, kkkkkkk.

    Responder
      1. Paulo Almeida

        Cara, o Dalcim já te doutrinou a esse respeito. Melhor é quem vence, mas fique aí acreditando que o Djoko apanhou o jogo inteiro, enquanto ele fica com a taça.

        Tiebreak loteria é mais um atestado de que manja nada de tênis.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          rs rs rs

          Olha só quem fala.

          “Mister wonderful”.

          Como comentou (com notável precisão) o colega abaixo:

          Você só posta aqui ainda devido ao “sistema de cotas” para opinadores de segunda classe…

          quiá, quiá, quiá…

          Responder
    1. Luiz Fernando

      O cara ganhou 3 de 5 sets e vem os de sempre dizendo q ele jogou mal. Então o Federer foi péssimo, pq perdeu 3 sets de quem jogou mal kkk. Se fosse no futebol diriam q fez um gol, jogou n retranca e varias bolas do suíço bateram na trave. Depois essa turma vem aqui chamando os outros de torcedores de futebol. Talvez pudessem propor uma mudança de regra, quem mais winners vence, quem ganha mais sets perde…

      Responder
  56. Naira

    Dalcim, o Djokovic trocou de preparador físico depois de Wimbledon, deixou de trabalhar com o austríaco Gebhard Phil-Gritsch e contratou o italiano Marco Panichi. Sabe o porquê? O Djokovic parecia mais cansado que o Federer em Wimbledon. Seria este o problema? Voce acha que mudou pra melhor?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não se sabe nada por enquanto. Teremos de esperar alguém se pronunciar. Mas pode até ter sido uma opção do Gritsch mudar seu ritmo de vida.

      Responder
  57. Joaquim Saraiva

    Pelo que li, o exame antidoping (bem como a contraprova) da Bia Haddad constatou que a brasileira fez uso de 02 (duas) substâncias anabolizantes: SARM-S-22 e SARM LGD-4033 (moduladores seletivos do receptor androgênio) , de modo que, considerando a quase infalibilidade do teste, só podemos lamentar a postura da paulista. Se a senhorita Haddad Maia já precisaria de um esforço grande para atingir resultados relevantes, depois dessa… Haja trabalho e motivação! Além disso, Bia necessitará aprender a conviver com a eterna desconfiança de suas adversárias e dos próprios amantes da modalidade. No esporte, poucos adjetivos são tão aviltantes quanto a pecha de trapaceiro. Enfim, só nos resta esperar. Dalcim, há tempos sem passar por aqui, vejo que o número de comentaristas só aumenta, hein?! Rsrsrs… Parabéns! O seu sucesso traz felicidade a todos aqueles que amam o tênis. Abraço.

    Responder
  58. Sônia

    Na boa Dalcim, se realmente o que leio foi o que a “gogó de ouro” disse, confesso estar ficando com pena da menina americana. Ela não apresentou nada demais em WB, apenas pernas e boa consistência. Na minha opinião, Anisimova é muito mais promissora do que ela. Infelizmente o “cair na real” será cruel. Beijos.

    Responder
  59. Oswaldo E. Aranha

    Face à postura dos australianos, acho que por não terem ganho o Australian Open, atacando o sérvio, resolvi escrever o nome dele conforme escrita sérvia: Djoković.

    Responder
  60. Evaldo Moreira

    Ainda sobre o MR. Nutella/Zverev,
    “Ainda bem que Becker se tocou, disse que, conselhos pontuais ele daria, mas acompanhar no circuito, é um problema”,
    Agora mais essa………..
    “O danoninho sascha, além de pertubado é arrogante e não demonstra humildade, pois respondeu dee forma ríspida sobre o que velho Mac e Hass, falaram sobre o jogo dele que não evolui, ao passo que os seus adversários tiveram grandes evoluções, rsrsrs, ai é foda né !!!
    Dalcim, se você fosse treinador, aceitaria treinar Sascha, ainda mais com a companhia do pai dele, deve ser chato pra calaio,kkkkkkkkkkkkkkkkkk,rsrsrs

    Responder
  61. Nattan Lobatto

    Cara, os australianos estão peritos em falar baboseiras 🤮🤢. Djoko ñ tem necessidade alguma, pois ñ precisa. Se tem uma coisa q admiro no sérvio é o fato dele ñ ser marqueteiro, mascarado etc. O cara é autêntico, simples, história de vida ímpar e deslumbrante. Os detratores só querem desestabilizar o rochedo, ñ vão conseguir. Haha

    A nossa torcida foi a que mais cresceu e cresce, ídolo admirado até por torcedores de Federere Nadal.. Se antes cabíamos em uma combi, hj dominamos o mundo… 😎

    Já são 16 títulos de Grand Slam para Djoko, cinco deles em Londres. Os mesmos que um tal Björn Borg, mas isso para ele não basta: Djokovic só quer ser o melhor, independente de ser amado.

    Abs 😉

    Responder
    1. Sandra

      E exAtamente isso , antigamente não tinha divisão de torcida, acho até que não é nem o Federer que se incomoda, e a mídia e esses ex jogadores, claro que nem todos que se incomodam

      Responder
      1. Nattan Lobatto

        Exato, Sandra!

        A quem interessa saber quem é mais querido!?

        É nítido que pelo tempo que tem no circuito e com a aposentadoria cada vez mais próxima, Federer tem um carinho singular e plural (rs) dos fãs, inclusive da torcida de outros tenistas (menos dos fanáticos).

        Abs

        Responder
    2. Nando

      Torcida q mais cresce, na base dos fakes?????
      Todd Woodbridge é só um dos maiores duplistas da história, ganhou os mesmos 16 Slams do sérvio…acho q ele deve entender mais do q nós, até pq ele “vive” lá dentro né?

      Responder
      1. Valmir

        Mats Wilander ganhou o que mesmo ?

        Apenas foi o mais jovem campeão de Slams, em sua época… 17 anos e alguns meses.

        Ganhou 3 Roland Garros… duas coisas que o Fregueser nem passou perto.

        É só ver os comentários deles sobre quem é o maior.

        Responder
      2. Nattan Lobatto

        Poxa, Nando… Todd Woodbridge poderia ter ganho 50 slams e isso não o isentaria de falar baboseiras…

        E outra, a torcida por Novak é a que mais cresce pois nos últimos anos seu nome se agigantou. Quando surgiu, Nadal e Federer já estavam consolidados, ele só quebrou a roda rsrs..

        Abs

        Responder
      1. Nattan Lobatto

        Rss

        Caríssimo Rodrigo, falo do ponto de vista de que Novak era um mero tenista ascendente há uma década atrás e Nadal e Federer já estavam consolidados. Ai nos últimos anos, Nole, certamente, ficou conhecido em grau mundial.

        Responder
  62. Sérgio Ribeiro

    As escolhas do Big 3 em relação aos MASTERS 1000 , a meu ver , perfeitas. 1 . Rafa Nadal : defende 1000 Pontos no Ranking no Canadá e pula Cincy se poupando para o USOPEN . 2 . Novak : defende 1000 Pontos em Cincy e 2000 no USOPEN ( tinha que pular o Canadá). 3 Federer : defende 600 e pode chegar a 1000 em caso de Vitória em Cincy. Se Rafa Nadal vacilar , pode chegar como TOP 2 no USOPEN ( difícil mais não impossível) . E pulando o Canadá , muito menos desgaste. O Cara que mais se diverte em exibições, é o próprio. Não vejo nada demais em comparecer a elas . Ainda queria o Brasil no meio. Quanto a não estar pensando em ir longe no FINALS , sei … rs Abs !

    Responder
  63. sandra

    Dalcim, ontem vendo um pouco do jogo do Rublev, quando ele perdeu , é claro senti um desapontamento enorme dele, por isso minha pergunta, ele é mal jogador? Dito isso , esses caras se esforçam tanto e não conseguem ganhar!!! enquanto isso Kyrgios nem treina e ainda ganha, é triste!! mas não é só o Rublev, muitos deles

    Responder
    1. R.P.

      Esse tal “talento” do Kyrgios não tarda vira lenda urbana. Tenho minhas dúvidas que “ele não treina”. Pode ser que ele não seja profissional 24h/dia, mas que não treina é exagero. Sou mais adepto da tese em que ele se escora no seu “antiprofissionalismo” para justificar o desempenho, pois tem medo de se dedicar e os resultados não vierem, como aconteceu nesta temporada de grama: se preparou com muita antecedência e foi eliminado por um limitado Berrettini em Stuttgart já na terceir rodada, eliminado por Aliassime no Queens nas oitavas e eliminado na segunda rodada em Wimby. Muito pouco para rasgou elogios à superfície e lá estava bem antes dos demais. Que continue fazendo sua graça nos ATP 500.

      Responder
  64. Nattan Lobatto

    Contar com a desistência de duas estrelas do calibre de Novak e Federer é de deixar qualquer evento deprimido, rss. Cicinnati promete fortes emoções e, se contar com o embate entre Nole e Roger, será epico!

    Abs, faltam 49 💪😎

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Caríssimo, Nattan. O amigo se uniu a turminha do Robson do “ faltam 7 , 6 , 5 , BUHM !!!! rsrsrs E essas Semanas serão CONSECUTIVAS ??? Abs!

      Responder
      1. Jonas

        Era só oq faltava kkkk. Esses caras não tem mais oq inventar pra desmerecer o sérvio. Agora o cara pode alcançar 400 semanas no topo que não vale, pq não é consecutivo kkkkk.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Quem é que está desmerecendo , mané ? Se terminar 6 Vezes como N 1 do Mundo , supera Federer . Mas não supera as SEIS Consecutivas de Sampras. Seu fanatismo é cego mesmo. Abs !

          Responder
      2. Nattan Lobatto

        kkkkkkkkkkkkkk

        Sérgio, o Robson nunca mais deu as caras.. Uma pena!

        Confesso que tô ansioso para ver o sérvio quebrar esses recordes de semana como number one.. Saber o que vão escrever a respeito e o impacto que terá em sua já consolidada grandeza.

        Responder
        1. Nando

          Nattan, o Robson está no grupo do whatsapp, participa bastante de lá…aliás vc poderia entrar no grupo. É bacana.
          E lá não há fakes kkkkkkk, td mundo tem foto e manda áudio hein…Dalcim e Eusébio Resende tbm participam.

          Responder
  65. Oswaldo E. Aranha

    De repente dei-me conta que os argentinos no esporte são cavalgaduras, senão vejamos: no tênis: Del Potro e no futebol: Burrochaga.

    Responder
  66. João ando

    Duro e ver o rublev ser vice de um atp500 e ver o luz ser campeão de u itf 25…e olha que o Orlando foi campeão dos jogos da juventude com o rublev em terceiro….

    Responder
  67. Luiz Henrique

    Paulo Almeida, esse detalhe tb me chamou a atenção. E ele tb fez questão de frisar q tb poderia jogar bem aos 38…Federer fez uma cara de preocupado, tipo “puts…se ele jogar bem aos 38, adeus meus recorde em wimbledon”

    Responder
    1. Jonas

      O tênis mudou muito, acho bem difícil mas longe de ser impossível.

      O Nadal calou minha boca várias vezes. Achei que ele jogaria em altíssimo nível até uns 30 anos. Lembro que em 2013,2014 eu realmente achava que ele não ganharia Roland Garros, e sim o Djokovic que estava voando rs. Não tem mais como duvidar desses caras.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Federer preocupado ? Ele pode jogar até os 40 e não vencer mais nenhum. O Suíço provou que o Sérvio está longe de ser imbatível no Saibro Verde. O juiz de cadeira , segundo o Bola Amarela , afirmou que Novak perguntava toda hora quanto estava o placar do tie-break do quinto Set rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Isso não é nem um pouco verdadeiro.
        Foi noticiado aqui mesmo em Tenisbrasil, que o sérvio perguntou “quando viria” o tiebreak, não quanto estava o placar, para isso bastava olhar o grande painel no fundo da quadra. E perguntou uma única vez.

        Responder
  68. Wagner froes

    Boa noite Dalcim você acha que o João Menezes pode beliscar um top 100 ano que vem ou ainda é cedo ? Para mim ele é oque está jogando o melhor tênis no Brasil hoje ouvi dizer que com essa campanha ele garante vaga no quali do usopen?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que pode sim, Wagner. Se ele conseguir jogar torneios grandes e entrar na chave do US Open, por exemplo, já dará um salto muito grande. Na verdade, os qualis dos Slam fecham geralmente na casa dos 250 do ranking, portanto ele já estava com grande chance.

      Responder
  69. Edu

    Dalcim… continuo com o mesmo problema de u outro colega ao acessar o blog pelo celular: todos os comentários no mesmo plano

    Chegou a perguntar para a equipe técnica?

    Obrigado

    Responder
      1. lEvI sIlvA

        Dalcim, houve um momento em que as respostas a um comentário vinham de outra cor. Creio que isso ajudaria muito a quem acessa pelo celular. Quem sabe voltando a ser assim…

        Responder
          1. Edu

            Eu nao sou fake e tua brincadeira com algo sério que postei não tem nada a ver.
            Obrigado Levi pela sugestão que deu ao Dalcim.

  70. Ronildo

    Dalcim, olhando o jogo o João Menezes me lembrei de uma coisa agora. Eu noto que alguns jogadores quando vão sacar jogam a bola para trás do corpo. Estes jogadores geralmente não tem um saque tão bom quanto o de outros. Isto não seria uma falha na mecânica do saque? Jogar a bola um pouco mais para frente não proporcionaria sempre um saque mais potente?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O lançamento sobre a cabeça é usado quando se procura dar um efeito na bola e não velocidade. O saque mais veloz obrigatoriamente tem de ser feito com a bola à frente.

      Responder
  71. Luiz Fernando

    Perder do “De Menor” numa quadra rápida, como diria Paulo Maluf nos áureos tempos, vai empatar com quem? E ainda diziam q esse Opelka seria muito perigoso em W…

    Responder
    1. Carlos Reis

      Tô nem aí para a tua opinião Paulo F., as torcidinhas dos robôs paredões escrevem coisas bem piores… Essa final foi péssima para esse esporte, parecia futebol, quando o “pior em campo” pode vencer, e infelizmente, venceu.

      Responder
  72. maurício

    Boa noite, Dalcim, mais uma vez obrigado por nos trazer sempre excelentes informações e notícias do mundo do tênis. Dalcim, queria uma opinião sua, vc acha possível um tenista ganhar uma partida tendo outro competidor jogado melhor? para mim, isso foge totalmente à lógica do esporte individual. Eu até admito que isso pode acontecer nos esportes coletivos, pois a individualidade é diluída no jogo coletivo, ou até mesmo em alguns esportes individuais, como o boxe, quando um boxer estar dominando o outro e aí um golpe de pura sorte o atinge, mas no tênis não se ganha uma partida com uma só jogada. Pergunto isso porque estou lendo ultimamente, não só de fãs do Feder (final de Wimbledon), mas de profissionais do tênis, não vou citar nomes, rsrs, isso que para mim é uma absurdo lógico, o que vc acha? acha que pode acontecer? obrigado e fica em paz.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acho possível um tenista que joga pior que o outro ganhar. Claro que num jogo de cinco sets haverá altos e baixos, um ou outro poderão dominar por mais tempo, mas ganhar jogando pior é realmente muito improvável.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Claro que é possível.

        Acabamos de ver isso em Wimbledon.

        Djokovic jogou pior e ganhou.

        Só foi melhor nos tie-breaks, que são quase uma loteria.

        Tomou uma SURRA no resto do jogo, em quase todas as estatísticas…

        Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            [José Nilton Dalcim]
            29 de julho de 2019 às 09:53

            “Se ele jogou tão mal, como chegou aos tiebreaks?”

            Mas eu não disse que o Djokovic jogou mal.

            Eu disse que ele jogou melhor os pontos mais importantes do jogo.

            Só acho que jogou menos do que o Federer, no geral, e mesmo assim deu pra ganhar.

            Apesar de ter mais dificuldades de confirmar os serviços, apanhar demais nos winners, ter feito menos pontos, enfim…

          2. Paulo F.

            Ai, essa doeu.
            Pois é, ganhou TRÊS tie-breaks – e justamente em cima de um dos maiores especialistas nisso.

          3. maurício

            Vc dizer que o Djokovic jogou pior que o Federer e mesmo assim “deu para ganhar”, só faz rebaixar ainda mais o federer, e ele não merece isso.

      2. lEvI sIlvA

        Caro Dalcim, curiosidade ou ironia, alguns comentários soaram jocosos e até desdenhavam de Nadal frente ao sérvio ano passado. Muitos diziam algo tipo, “que legal, Rafa experimentou do próprio remédio!”, ao ser batido, creio eu c mais winners. Não lembro se em Wimbledon ou US Open ao ser derrotado jogando de forma agressiva e Nole se defendendo como nunca. Enfim, nada como dar tempo ao tempo…! Rsrsrs

        Responder
        1. lEvI sIlvA

          Ou seja, naquele momento, ninguém buscou desmerecer ou questionar a vitória de Djokovic. Agora, contudo as coisas mudam de figura…!

          Responder
  73. Marcos Pontes

    Dalcim, depois da amarelada de Federer contra Djokovic, como você acha que será o fim de temporada do suíço, será que ele vai sentir muito?
    Eu particularmente parei de ver jogo de tênis de tão decepcionado que fiquei, e acho que só volto quando Federer se aposentar.

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Incrível que você acredite nisto.

        Não será uma simples derrota e uma frustração que vai conseguir acabar com a temporada do Federer.

        Calma, que muita coisa boa ainda vem por aí, Dalcim.

        Aguarde…

        Responder
  74. Leo

    Dalcim, e o que nos diz sobre a ascensão do João Lucas Menezes no ranking. Vai jogar outra final de Challenger. Ganhou do Moutet em Samarcanda e agora vai enfrentar o Sugita em Binghamton.

    Responder
  75. Paulo Almeida

    Uma coisa que passou despercebida pra muita gente no discurso do Djokovic foi ele ter dito que o Federer é um dos melhores da história e não o melhor, como ele vinha dizendo ultimamente apenas para ser político.

    Deixou nas entrelinhas que o melhor é ele, já que bateu o GOAT fake três vezes na sua casa. Apoio totalmente.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Bem típico do Almeidão.

      Na ausência de argumentos, vale tudo.

      Até mentir de forma descarada!

      “Entrelinhas”, né?

      Sei…

      kkkk

      Responder
    1. Marcos Pontes

      Infelizmente a habilidade que sobra falta no mental.
      E o pior é ver como ele encara Djokovic, tem muito medo do sérvio, porém seu jogo mataria o de Djokovic se tivesse com o mental mais ou menos.
      O modo como Wawrinka encara Djokovic nas partidas mais importantes é exatamente o oposto do que o seu compatriota encara.
      Sou fã de Federer, porém hoje torço para que Nadal passe o suíço em GS, pelo simples fato de Nadal merecer passar, basta só vê como Nadal encarou Nole na final de RG 2014 e depois como Federer encarou o sérvio nas últimas 4 finais de GS, e está última, tudo bem que o sérvio também teve o jogo na mão mas deixou escapar no quinto set, porém o que Federer fez quando teve o match point mostra claramente que ele tem muito medo do sérvio, e hoje isso não chega nem a ser pauta de discussão porque é algo tão evidente que nem cabe questionamento.
      O certo deveria ser o suíço ter uns 70% de vitórias no h2h contra o sérvio, mas infelizmente seu mental o prejudicou.

      Responder
      1. R.P.

        Colocar na conta do “mental” as derrotas de Federer é de doer. Vários jogadores já disseram que Djokovic tem menos “buracos” em seu jogo que o Federer. Uma das razões do sérvio ser o Big One é justamente sua competência em explorar esses buracos. “70% para o Federer”… Piada.

        Responder
      2. Gildokson

        Que sorte somos nós que lemos esse comentário e não o próprio Federer…
        Medo do Djokovic? Mental fraco? Nadal tem que passar?
        Uma carreira inteira repleta de feitos e conquistas do suíço…
        Ja pensou pensou se o cara lê uma “obra de arte” dessa? kkkk
        É pra se jogar de uma ponte.

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Queridão,

      Federer já provou por A=B que tem um dos melhores e mais LINDOS backhands do circuito!

      Aliás, ele fez do “Djoko-triste” um saco de pancadas, com aqueles 96 Winners!

      Muitos deles de backhand e frustrando o sérvio de todos os jeitos, até no contrapé.

      Mas você não sabe o que é ter um golpe bom.

      Não entende de tênis, né?

      Responder
      1. R.P.

        Se perguntassem ao Rogerinho Nestlé: “Rogerinho, você preferiria marcar o dobro de pontos de seu oponente e perder, ou marcar metade e levar o troféu de Wimby para casa?” o que será que Rogerinho responderia? KKKKKKKKKKKKKKK

        Responder
          1. R.P.

            Com o backhand? Nada. Tem a ver com o “saco de pancadas” e, neste caso, quem aplicou o nocaute foi o “saco”… kkkkkk

  76. Paullo

    Aiiiiin, Federer se poupa, sabe escolher o calendário bla bla… Qtos milhoes para vir para a América do Sul?
    É pelo dinheiro? Naaao, é pelo respeito que o fed tem pelos seus torcedores ao redor do mundo…
    As pessoas acreditam no que conseguem acreditar e no que querem acreditar

    Responder
    1. Valmir

      Respeita os milhões de fans do mundo… então ele não respeita vocês… torcedores brasileiros… não vai vir jogar aqui.

      Respeito de um milhão de euros… kkkkkkkkk

      Responder
      1. Paullo

        Sim, porque os torcedores do fed insistem que ele é o supra-sumo da elegância, do bom mocismo, do isso e do aquilo, mas na real não é bem assim.
        Então não é por respeito aos milhões de fãs, Só vem para a América do Sul pelo dinheiro. E nem para o Brasil vem kkkkkz

        Responder
  77. Luiz Fernando

    Zverev caminha a passos largos… p se tornar o próximo orfao aqui no blog. Ele e o NB estavam disputando pra ver quem errava mais. Depois q estar virtualmente eliminado ontem, sobreviveu mas hj foi o contrário, sacou p a partida e foi quebrado, tinha clara vantagem no tiebreak decisivo e aí, pra variar, naufragou. Será q esses caras não aprendem, estava recebendo o serviço quase junto do juiz de linha, no saibro pra vencer desse jeito só tem um, e o nome não começa com Z, de Zé…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Quando a partida não caminha como o Zverev planeja, ele muitas vezes perde para medíocres.

      E isso o afeta…

      Acho que o Kyrgios acumula tantas derrotas assim, para pangarés.

      Talvez a razão seja essa:

      Se perde, ele está pouco se lixando… kkkk

      Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Kyrgios já perdeu em primeira rodada pra um monte de Pangarés, Rodrigo. Falando neles , aquele que o parceiro chama de Carreno “ Bosta” conseguiu ontem incríveis 7 x 0 sobtre o TOP 10 Fábio Fognini. Que estava vencendo também a partida. É mole ou quer mais ? rsrsrs… Abs!

          Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      O comentarista só pode ter ido atrás das besteiras do Saretta ( não analisa nem as estatísticas) . O Georgiano errou exatamente o dobro do Alemão. Este acovardado , com um forehand e um Backhand muito abaixo do que já apresentou, perdeu a incrível chance de se tornar o segundo Alemão a vencer o tradicionalíssimo Hamburgo ( desde 1892 ) na Era Profissional. Somente Federer conseguiu vencer em 4 ocasiões quando ainda era MASTERS 1000 . Com direito a Pneu no Bi Campeão Rafa Nadal. Foram suas duas únicas Vitórias sobre o Touro no Saibro. Zverev larga Lendl de maneira covarde. Lá atrás da base ( assim como Thiem na véspera) , deve ficar fora do FINALS 2019 , pois seu jogo de rede simplesmente inexiste. . A conferir. Abs!

      Responder
  78. Sônia

    Nikoloz, me contrata como sua técnica, posso te ajudar muito. Treinaríamos primeiro serviço de manhã, na parte da tarde poderíamos treinar primeiro serviço também e de noitinha treinaríamos subida a rede… rsrsrs. Beijos.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      O tênis precisa de pessoas assim… dispostas a ajudar, totalmente desinteressadas, sem qualquer tipo de outras intenções…rss

      Responder
  79. joao sandin

    Dalcim e essa mudança do piso do AO 2020 trara alguma grande mudança comparado as quadras que essa mesma empresa fornece ou só esperando para ver como vai ser a nova quadra?

    Responder
  80. Luis

    Notícias estranhas mesmo! Djokovic pular Montréal não!!! Engraçado isso né Dalcin! O M1000 do Canadá e o de Paris são sempre desfalcados! Zverev nunca será!!! Carreira mal gerenciada!! É quase um sacrilégio terminar uma parceria com alguém com o peso do Lendl dessa forma! Em relação ao Federer, tá desenhada a aposentadoria pra 2020!! Também não dava pra imaginar que iria muito mais longe mesmo!!! É uma pena!!!

    Responder
  81. Chetnik

    E tem gente que diz que o Djokovic tá “voando”, no seu ápice físico…bem, precisam se convencer de algo, para aceitar as derrotas.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Não.

      Todas as derrotas do Federer para o Djokovic foram merecidas.

      Claro que jamais vai ganhar dele, caso jogue mal.

      Mas deveria ter a OBRIGAÇÃO de ganhar, se jogou melhor.

      E em Wimbledon ele falhou.

      Talvez, outra chance de OURO como aquela, não se repita…

      Responder
  82. Chetnik

    Esse Zverev é um LIXO. Típico geração…sei lá, como é que chama, X, Y, Z? Acho que é Z, sei lá. Bebezão chorão. Não lembro quem criou o termo “danoninho” aqui – O Luis Fernando, talvez? – mas foi perfeito. Sempre transferindo suas responsabilidades. A humanidade está perdida. Quando o Big3 se aposentar, o tênis vai morrer. Aliás, a humanidade logo vai morrer. Graças a Deus.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E ainda foi tão cara-de-pau de dizer agora que se mostrou surpreso por o Lendl se demitir, no meio do torneio.

      E que não entendeu isso porque “o respeita muito”.

      kkkkk

      Imagine se não respeitasse…

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Pois é.
        Com o Ferrero ficou uma dúvida no ar de quem tinha razão. Agora acho que estamos certos de onde há uma grande falha.

        Responder
    2. Eu

      Tenho uma notícia para o zverev e esse povo que nasceu na década de 1990 e estão às voltas com seus vinte e poucos anos e descobriu que a vida é dura. A vida é dura. Sempre foi. Apesar de vocês terem se convencido de que vieram ao mundo a passeio e que há um complô para atrapalhar a jornada na terra dessa geração mimimi, que vive chorando, transferindo responsabilidades e reclamando que as pessoas não reconhecem o pequeno gênio evoluído e talentoso que habita seu ser…

      Responder
  83. Maria izabel

    Triste com a confirmação do dopping da Bia Hadad.Que ela tenha muita força e também, bastante atenção ao que se toma.
    Federer fazendo exibições, não me agradou.Vai estar cansado nos Slans.Mas,é muita grana para se recusar.Federer não precisa mas de grana,enfim,vamos aguardar.
    Zverev, nem aguento mais,fez um disparo e tanto em cima do Lendl, tem talento mas papai fica em cima,me lembra o Neymar.Muito imaturo.
    Kyrgios hoje aparece em um vídeo, riscando a palavra Novac da camiseta do torcedor.Fez vários “XIS”em cima do nome e falou alguma coisa que ainda não ouvi.
    Dalcin,essas coisas do Kyrgios já estão ultrapassando os limites.Coisas sem noção, jogar seu belo tênis é o melhor que faz.

    Responder
  84. Mateus Mello

    Acho engraçado quando o Kyrgios critica o Novak, ele nunca compara o Novak com ele próprio, porque tem um currículo medíocre e um mental de ameba, precisa comparar com o suíço que por enquanto é o maior recordista do tênis. O dia que o Novak quiser responder essas declarações, o australiano vai querer se enfiar num buraco de tão humilhado. Podia dar uma de Robinho e soltar um “jogou onde?”, “ganhou o quê?”.

    Responder
  85. Arthur

    Será que essas estranhas partidas de exibição serão um prenúncio de uma eventual turnê de despedida, Dalcim?
    Fiquei com a pulga atrás da orelha agora…
    Quanto ao Zverev, eu sempre achei desprezível lavar roupa suja pela imprensa e, pior ainda, fazê-lo de forma covarde com o sujeito ainda sendo oficialmente o seu técnico. Ou demitia e depois dava as razões da demissão, ou então fica calado.
    Achei a atitude do alemão totalmente antiética e antiprofissional.
    Becker pra mim só aceita se o desespero por dinheiro estiver muito grande. Do contrário, duvido que entre numa roubada dessa.

    Um abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Verdade, mas lembre-se que Sascha fez algo parecido com o Ferrero, que precisou se defender. Lamentável. Quanto ao Federer, acho que existe a questão financeira envolvida. Godsick não é apenas seu agente, mas seu sócio na empresa. E uma turnê de uma semana, com quatro jogos e muitafesta pagando 4 milhões de euros… nem o Federer recusaria… rsrs…

      Responder
      1. Helena

        Me lembro que quando foi se defender, o Ferrero reclamou dos atrasos do Zverev, que negou essa questão. No final do ano passado, acharam um vídeo da Kerber, Ferrer e Muguruza esperando o Zverev chegar para entrar em quadra durante a Copa Hopman. Quando ele aparece no corredor, a Kerber vira para os outros dois e solta um “Always. Always the same”. Difícil não acreditar na versão do espanhol depois dessa.

        Link: http://baseline.tennis.com/article/78551/watch-kerber-has-no-time-tardy-zverev

        Responder
    1. PIETER

      Eu também. Imagino que ela esteja devastada.
      Não acredito, de modo algum, em premeditação mas em amadorismo ou displicência da equipe dela…

      Responder
  86. Ramon Mota

    Sou um dos que adoram ler seus textos. Acho sempre muito sensato. Mas ouso a discordar que passe pela cabeça do velhinho que ele não avance no Finals, sendo ele o recordistas e feito se não me engano 10 finais por lá.

    Responder
      1. Hélio Coelho

        Retificando,não houve bolada , mas Djoko numa bola curta próximo a rede enfia a mão na direção do Federer, que se esquiva e fica olhando pra trás esperando a desculpa que não houve, fazer questão de dizer que ganhou 3 finais do suiço em WB , é pra pisar no derrotado e dizer: ” O Rei da Grama, ídolo de vxs perdeu 3 finais de WB pra mim, se incomoda demais com o carisma e popularidade que o suíço tem, e nem obtendo todos os recordes, chegará perto dele e de Nadal neste quesito… dorme com essa Djoko!

        Responder
  87. Hélio Coelho

    Kyrgios pode ser maluco total… mas acerta na mosca quando fala que Djoko inveja Federer…. nunca terá o carisma do mesmo…. fez questão de dizer que ganhou 3 vezes dele em WB e não pediu desculpas ao dar uma bolada no mesmo….cuidado Djoko, a bola e a vida punem!! Federer perdeu sendo melhor do que vc.. e vc pode passar todos os os recordes… mas o melhor de todos os tempos e indiscutivelmente o homem mais talentoso que as quadras de tênis já viram : ROGER FEDERER!!!!!

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Se tem um esporte onde o melhor não perde, esse é o tênis.
      Quanto ao Kyrgios, desde que ele iniciou essa palhaçada, em Roma, apenas ele fala de Djokovic, e o sérvio nenhuma menção à ele.
      Esse semana, ele riscou uma camiseta onde estava escrito FEDERER, ops, NOVAK. Das duas uma: ou combinou com o rapaz ($$) para fazerem a cena, ou o rapaz é realmente fã do sérvio.
      E alguns torcedores insistem em não apenas torcer para o suíço, mas torcem com mais força ainda pela tese que Djokovic queria ser Federer.
      E tudo isso tendo como fonte Nick Kyrgios (o cara que por exemplos, é digno de confiança).

      Responder
    2. Valmir

      Realmente… maior mesmo.. até nas freguesias.

      Perdeu 4 finais de Roland Garros para o Nadal… 3 finais de Wimbledon para Djokovic.
      Nenhum outro jogador perdeu 7 finais de Slam assim.

      Outras coisas que o Federer é o maior mesmo entre os campeões de Slam.
      a) O que mais levou viradas depois de ter 2-0 sets… 5 vezes…. (Nadal e Djokovic só 1)
      b) O que mais perdeu partidas depois de ter match points… 24 vezes … (Nadal 8… Djokovic 3)
      c) O de pior desempenho em tiebrakers decisivos 1 Vitória… 9 derrotas
      d) Maior perdedor de finais de Wimbledon… 4 – junto com Becker e Connors
      e) Maior perdedor de finais em Roland Garros… 4

      Dá para aumentar bastante essa listinha… é só começar por… Montecarlo e Roma…

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Uau!

        Grande VERGONHA perder 4 finais de RG pro Nadal…

        O cara que tem 12 RG, no currículo.

        Sem falar que o Federer “adora” jogar no saibro, né?

        Responder
    3. Naira

      Helio, bom dia. Peço licença para discordar e voce. Não sei onde voce viu que o Djokovic se vangloriou de ganhar do Federer, muito pelo contrário, em todas as entrevistas que eu vi, ele elogiou o Federer sendo que eu anexei em outro post uma entrevista onde o Djokovic reconheceu que o Federer jogou melhor.

      https://www.youtube.com/watch?v=UpUrUUsyajw

      Quanto a jogada onde ele jogou a bola em cima do Federer, mas não atingiu, o Federer devolveu, logo pegou na raquete. Entendo que ele não pediu desculpas primeiro porque não pegou no Federer, segundo porque a intenção não foi atingir e sim dificultar a devolução. Tanto é que ele não bateu na bola, ele simplesmente empurrou a bola em cima do Federer.

      Entendo que existe um “protocolo” no tenis de se pedir desculpas em jogadas de “sorte”, por exemplo, a bola bate na rede e cai do outro lado, a bola pega no aro da raquete e ganha um efeito estranho, etc., ou seja, jogadas não intencionais. Na jogada em questão houve a intenção porém não vi maldade.

      Não entendo por quê no tenis é feio sacar por baixo, jogar a bola no adversário, etc, se a regra permite? Se é válido, por que não fazer? No jogo de duplas tudo bem jogar a bola no adversário mas no jogo de simples é feio. Sinceramente não vejo nada de mais jogar a bola no adversário. Quando o Nadal fez isso com o Djokovic achei normal. E a jogada foi diferente, porque o Nadal bateu com força a bola em cima do Djokovic. Faz parte do jogo.

      Quanto a fábula inventada da inveja de Djokovic em relação ao Federer acho um absurdo, porque quantas vezes o Djokovic já agradeceu, em público, ao Federer e ao Nadal que é graças a estes dois monstros que ele, Djokovic, é o jogador que ele é hoje. Veja na entrevista abaixo ele usa o termo “fan”. Convenhamos que para um cara que tem “tanta inveja” é no mínimo estranho usar este termo.

      Novak Djokovic “I’m a Fan of match between Federer & Nadal” – 2019 (HD)
      https://www.youtube.com/watch?v=JiNgiWGGZfY

      Djokovic afirma: “Federer e Nadal me tornaram um jogador melhor”
      https://revistatenis.uol.com.br/artigo/djokovic-afirma-federer-e-nadal-me-tornaram-um-jogador-melhor_13138.html

      Esta estória lembra o ditado popular que uma mentira repetida muitas vezes se torna verdade.

      A única coisa que eu concordo 100% com voce é que o Kyrgios é um maluco total… além de um idiota, no mínimo. Deveria se preocupar com a sua carreia indo ladeira abaixo. Deveria se preocupar em jogar tenis. Tudo que o ele faz é pra chamar atenção já que jogar tenis ele não faz. Ele só se preocupa em denegrir o Nadal e o Djokovic. Pra mim isso é coisa de mal caráter.

      Responder
  88. Marcos RJ

    Que semana terrível para quem quem gosta de tênis: Canada esvaziado, federer desinteressado e Zverev desmiolado… e para piorar, Bia entrando nessa grande furada.

    Responder
  89. Luiz Fernando

    A contraprova da Bia confirmou doping, o que era esperado, já q é o mesmo material (da mesma amostra de urina inicialmente avaliada) que é analisado pelo mesmo laboratório. Sinceramente não me lembro de algum caso q essa contraprova tenha dado um resultado discrepante, mas é claro q pode ter acontecido. Tomara q a punição não seja exagerada, mas tudo leva a crer q não será branda…

    Responder
  90. Evaldo Moreira

    È………….,
    Vamos torcer para que os testes da Bia em Wimbledon, seja negativos, porque do contrário, é suspensão na certa. Caso ela seja suspensa por 2 anos, ainda é nova, e pode retomar a carreira, isso se..se..se.., mantiver a motivação de retorno em alta, e que esteja com vontade, mas torço e muito que seja negativo, como Dalcim frisou bem, ajuda e muito na defesa, estou meio pé atrás com esse advogado ai hein, sei não.
    Quanto as notícias, Djokovic, fez o certo, vai obrigado o cara pow…….e esse master canadense, sem sal demais, rsrsrsrs, ai o nadalzinho cai matando kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, quanto a excursão do maestro, achei estranho, pois numa matéria, em que ele iria fazer isso, bem depois, mas……………….,
    quanto ao todinho/nutella/danonneZverev, esse sem comentário, manezão sem noção, e acho que ele deveria sair das fraldinhas,kkkkkkkkkkkkkkkkk, na boa, acho que o pai deu a devida ajuda, deveria descansar, e deixar que os outros assumam, fato.
    Becker é uma boa, cara de perfil nada generoso,rsrsrs, mas valia.

    Responder
    1. Evaldo Moreira

      Apenas uma observação:
      Dalcim, caso seja punida, deva ser doloroso, deva não, vai ser, pois no caso da Bia, pra quem conhece, para quem acompanha o trabalho dela e a luta para chegar no objetivo final que é: consolidação, títulos e ser top entre as grandes !!!, e ter ficar parada por 2 anos?.
      Difícil segurar a onda…………..

      Responder
  91. Sônia

    Acabei de assistir o jogo do sérvio vs alemão e o Zverev está realmente muito estranho, diferente daquele que conhecemos, chiliques ao extremo, cruz credo. Na minha opinião, Becker deveria ser sim seu técnico, ajudaria bastante, talvez o problema seja acertar os “valores” dos serviços prestados. Mudando de assunto, voce mencionou vício do Becker em jogos, aproveito para lhe perguntar… voce que conhece os “bastidores” rsrsrs, Becker seria viciado em drogas também Dalcim? Beijos.

    Responder
  92. Paulo Almeida

    Chileno tá chorando ainda com os Slams parrudos do DjokoGOAT? Quais seriam os melhores Roddick, Hewitt, Safin, Cilic? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Com certeza não foram as versões que o Fregueser bateu. Pode fazer qualquer ginástica aí que o suíço passará longe de ter vencido mais Majors com alto grau de dificuldade do que o sérvio.

    E lembrando que o Djokovic triturou no Aussie 2016 o mesmo Federer de 2015, antes da lesão no joelho. Sem desculpas esfarrapadas.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Natural…

      Qualquer pessoa com alguma capacidade cognitiva, ou chora ou sorri dos “coices” ( i-hó, ihó) que você posta.

      Eu particularmente sinto pena…

      Responder
  93. Paulo Almeida

    Não gostei da desistência do GOAT, ainda mais porque seu cansaço foi mais mental do que físico na final de Wimbledon. Ele deveria disputar Montreal e, em caso de título ou final, aí sim pular Cincinnati. Não alteraria muita coisa na corrida para Londres.

    Por outro lado, o sérvio deve estar pensando em conquistar o double Golden Masters, o que seria mais um recorde absurdo para o melhor de todos os tempos.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele tem várias espécies de dívidas e ações judiciais. Deve abanco inglês, impostos na Alemanha e seu ex-sócio cobra 30 milhões de euros. Estoma-se que ele deve 60 milhões e por isso declarou falência pessoal. Parecem negócios mal gerenciados na maioria, mas dizem que ele é viciado em jogos também.

      Responder
    1. Sônia

      Ronildo, muitos dizem que é inveja (99,99999%), mas “euzinha” rsrs creio que seja amor, rsrsrs… certeza que esse sérvio jamais tirou o pôster DELE do banheiro rsrsrs. Beijos.

      Responder
  94. Everton Weslley

    Dalcim, sobre a transição de Montréal -> US Open e Cincinnati -> US Open (visto a situação do Big 3):

    E se tratando apenas da questão do piso… Nadal não optando por disputar Cincy, terá mais dificuldade na adaptação?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *