O grande desafio
Por José Nilton Dalcim
10 de julho de 2019 às 19:57

Roger Federer pode estar diante da maior façanha de sua carreira; Se quiser recuperar o troféu de Wimbledon e erguê-lo por uma impensável nona vez, terá muito provavelmente de derrotar Rafael Nadal e Novak Djokovic. E isso parece especialmente difícil porque tanto o espanhol como o sérvio jogaram até aqui um tênis superior ao do próprio suíço.

Adversário de sexta-feira, num reencontro que não acontecia na Quadra Central desde as três finais consecutivas de 2006 a 2008, Nadal está jogando um tênis tão exuberante que Federer o encheu de elogios. Reconheceu antes de tudo que o espanhol é um tenista muito superior ao de 11 anos atrás e que está longe de ser apenas um jogador de saibro.

Federer no entanto fez seus três melhores sets no torneio diante de Kei Nishikori. Surpreendido no começo por um tênis consistente do japonês, optou por bater mais o backhand e atacar as devoluções. A virada veio quase com naturalidade, ainda que ele tenha desperdiçado muitos break-points por vezes exagerando na força com que batia na bola. Fez um lance defensivo de incrível qualidade, cruzando a quadra de uma ponta à outra para obter a passada de backhand no contrapé a 150 km/h. Os voleios… bem, os voleios do suíço dispensam adjetivos.

O backhand batido e as devoluções agressivas serão chave diante de Nadal. O espanhol no entanto está sacando demais e contra Sam Querrey incluiu mais uma variação de sucesso, com muitos serviços sobre o corpo do grandalhão. Como se esperava, o norte-americano deu trabalho e endureceu o primeiro set, mas ficou difícil viver quase exclusivamente do primeiro saque e pouco a pouco foi dominado pelo espanhol. Voleios curtos, slices e passadas milimétricas complementaram outra atuação vistosa do número 2, com nada menos do que 42 winners.

Não resta dúvida de que o 40º capítulo do ‘Fedal’, e o segundo seguido de Grand Slam, tende a roubar todas as cenas da semifinal de sexta-feira, ainda mais porque parece haver pequeno favoritismo de um lado ou de outro. No entanto, Djokovic e Roberto Bautista também podem dar um belo espetáculo, principalmente se o espanhol se livrar com rapidez do nervosismo natural da inédita presença numa penúltima rodada de Slam e se lembrar das duas vitórias obtidas em 2019 sobre o número 1.

Finalista em cinco das últimas oito edições de Wimbledon, período em que ergueu seus quatro troféus, Djokovic levou um pequeno susto com o grande começo de partida de David Goffin. Solto, leve e determinado, o belga desceu o braço, apertou todos os serviços do sérvio até obter a quebra, abrir 4/3 e 30-0. Aí virou abóbora. Passou 10 games em quadra totalmente perdido,  incapaz de fazer frente ao jogo cada vez mais acelerado do líder do ranking. Djoko atropelou o finalista de Halle dando-se ao luxo de desacelerar no terceiro set.

Bautista joga diferente. Não força tanto o saque e procura sempre um percentual alto para manter o adversário sob pressão. Bate bem mais reto na bola, o que na grama funciona bem, e fica pertinho da linha na procura dos contragolpes. Tem surpreendido em Wimbledon com idas mais frequentes à rede, média superior a 20 por jogo. O duelo contra Guido Pella foi bem divertido, os dois muito empenhados o tempo todo, games longos e chances para os dois lados. Prevaleceu o oportunismo do espanhol, que converteu 4 de 16 break-points, salvando-se em 11 de 13 chances que cedeu.

Em que pese os resultados de Doha e de Miami – houve outra vitória do espanhol nos 10 confrontos, na veloz Xangai em 2016 -, o favoritismo é todo de Djokovic porque possuiu duas grandes habilidades essenciais sobre a grama: saque e devolução.

E mais
– É a 13ª vez que o Big 3 domina as semis de um Slam e a segunda seguida. Antes disso, só haviam se reunido em Roland Garros de 2012.
– Federer se torna primeiro homem na história com 100 vitórias num mesmo Slam e assume o recorde de mais vitórias sobre a grama da Era Aberta, com 186. É ainda o mais velho semi de Slam desde Connors no US Open de 1991, quando tinha 39 anos.
– Djoko iguala as 9 semis de Becker em Wimbledon e chega a 70 vitórias no torneio, que passa a ser seu Slam de maior sucesso (tem 69 no US Open ainda a ser disputado).
– Nadal soma agora 32 semis de Slam e assim o Big 3 pontua a lista (Federer tem 45 e Djoko, 36). Os três também são os únicos a ter pelo menos 50 vitórias em cada Slam.
– É a primeira vez na história de Wimbledon que dois espanhóis estão na semi.
– Bautista retornará a seu recorde pessoal do 13º posto. Se for à final, entrará no top 10.
– Magnífica vitória de Bruno Soares e Nicole Melichar (que jogou muito!) sobre Andy Murray e Serena Williams. Cabeças 1, eles avançaram para as quartas. O escocês sai de certa forma decepcionado com as poucas vitórias com Pierre Herbert e Serena.
– Semis femininas começam às 9h com Elina Svitolina diante de Simona Halep, seguindo-se Serena contra Barbora Strycova. A aposta lógica é Halep x Serena na final de sábado. Seria a primeira da romena no Club e a 11ª da heptacampeã.


Comentários
  1. Bruno

    Mestre, um colega comentou que “um jogador com os recursos técnicos que Roger Federer tem, deveria devolver muito melhor”. O que você acha que faria o jogo do suíço ser ainda melhor (ou o que poderia melhorar seu retrospecto contra Rafa e Djoko): uma esquerda mais consistente ou uma devolução de saque melhor? Ou seria alguma outra coisa?

    Responder
  2. João ando

    Roger 3/2 Nadal …Nadal desistindo no quinto set 7/5 4/6 7/5 1/6 4/2 desisttencia do espanhol. Agut 0/3 djoko 6/3 6/2 6/1.Roger 3/1 djoko 7/5 4/6 7/5 8/6

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Legal hein João, além de torcer contra ainda quer q o adversário se contunda, parabéns pelo pensamento nobre, alguns caras devem estar te invejando pois pensam assim mas falta coragem p admitir.

      Responder
      1. João ando

        Luiz vc está enganado ele vai parar pois não tomou os suplementos direitos e não vai ter condição física …mas de qualquer modo perdeu em 4 sets kkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder
  3. Rodrigo S. Cruz

    [Jonas]
    11 de julho de 2019 às 09:00

    “Tenho todos os motivos pra acreditar. Os números mostram que Federer é freguês. Se ele vencer, é zebra.”

    Federer é freguês do Nadal no SAIBRO, e em nenhum outro lugar.

    Amarga 6 x 0, em RG.

    O máximo que dá para você afirmar (com justiça) é isso.

    (2 x1) pro Federer em Wimbledon; ou ( 3 x 1 ) pro Nadal na Austrália, não configura domínio de nenhum deles no local.

    São vitórias magras.

    No US Open, nunca se enfrentaram.

    [Paulo Almeida]
    10 de julho de 2019 às 23:59

    “Claro que é favorito em qualquer Slam: 10×3 resume, fora várias fugas do suíço”.

    Cresça, meu jovem…

    O cara perdeu 24 vezes do Nadal, e pode perder amanhã, pela vigésima-quinta vez.

    Que tipo de fujão é esse?

    Ou então, bole outra forma de provocar.

    Uma que seja menos estúpida, é claro.

    Fica a dica…

    Responder
  4. Sérgio Ribeir

    Impossível desmerecer o Big 3 + Serena. Mas essa padronização ADORADA pela ATP e ITF , rendeu 53 SLAM para os 3 , e muita grana pra todo mundo. Daí o Suíço nada ter feito pra mudar enquanto presidente do Conselho . . Sempre os mesmos há 15 anos. Para o Esporte , um verdadeiro monopólio. O Trio de ferro ( mesmo com a parada precoce de Borg ) , faturou 23 SLAM . E a Next Gen da época ( Lendl , Wilander, Edberg , Becker ) outros 27 . A Next Gen seguinte ( Sampras e Agassi ) , 22 SLAM. Os Baseliners Lendl e Wilander, Zero na Grama Sagrada veloz. Mas o Espetacular Saque-Voleio dos outros dois , 12 SLAM nas outras superfícies e Zero no Saibro.. Dava pra TODO mundo . E os Fakes Fanáticos e torcedores modinhas dizem que esse estilo desagradava o público. Uma década depois de Laver e Borg , Pistol Pete Sampras foi eleito o melhor de Todos os Tempos, Zerado em RG. Devia ser fácil realizar seus Voleios e bate-prontos Geniais. Sem contar a direita na corrida considerada até hoje a melhor de todas. Pouca chance teria com esta padronização . Isso somente demonstra que enquanto esses 3 estiverem na ativa, dificilmente alguma coisa muda. E tome da Rainha novamente na FINAL com quase 38 . Devolve e Saca muito. Já é o suficiente… Abs!

    Responder
    1. Daniel

      Perfeito colega.. Compartilho do mesmo sentimento de frustração. Por mais torcedor que eu seja do Craque Suíço, nos últimos 3 anos eu tenho achado ridículo o fato de não termos sequer um tenista mais jovem ameaçando o Big 3. Quem mais se favoreceu com isso tudo foi a dupla Djokovic e Nadal, sem duvidas. Afinal, o Federer teve suas ameaças mais jovens: os próprios Nadal e Djokovic.

      Abs!

      Responder
  5. Maurício Luís *

    + uma chance pra Serena. Continuarei torcendo por ela, embora reconheça que ela por vezes exagera na arrogância e vez por outra perde o controle emocional. Aos diversos críticos dela – e sei que são muitos – lembro que todos nós temos defeitos.
    A diferença é que alguns tem talento pra ESCONDÊ-LOS, deixando transparecer para a Mídia apenas as qualidades. Porque assim conseguem maior patrocínio. E a torcida, só endeusando. Mas não são tão “bonzinhos” assim, não. Exemplos não faltam.
    No final das contas, Kyrgios, Serena, McKenroe, Connors… acabam sendo os vilões da história. Só que eu não vejo as coisas desta maneira.

    Responder
    1. Marcos RJ

      A galera do “E se” adora viver no mundo da imaginação mas esquece de viajar sobre os oponentes. “E se“ Nadal não tivesse problemas com os joelhos? “E se” Federer não tivesse tido problemas nas costas ou mononucleose quando estava no auge em 2018? As possibilidades são infinitas para quem gosta de viajar na mayonese

      Responder
  6. Angela B.

    McEnroe e Navratilova foram os convidados do channel 7 p/ comentarem as semis femininas.
    Eles, tanto qto nohs, estavam esperando jogos mais duros/competitivos..onde Serena e Halep pudessem ter mais dificuldade. Ou tao emocionantes qto as 8as e 4as de final. O que nao aconteceu, infelizmente…apesar de eu estar torcendo p/ a duas estarem na grande final.
    Mas de uma coisa os dois gostaram: Serena e Halep mostraram forca e determinacao. E por causa disso, ambos acreditam que a final deve pegar fogo. Ps – Espero que eles estejam certos kkk
    E dessa vez nem consigo dar pitaco – pra mim, tanto uma como a outra podem ser campeas: 50-50 messssmo. E mesmo Halep tendo uma grande desvantagem no H2H! Afinal, ela nao eh nenhuma novata e ja demonstrou que pode encarar a Serena sem medo.
    E vc, Dalcim? Tem algum palpite p/ a final?

    Responder
  7. R.P.

    90% de chances de termos um Nadal x Djoko na final. A dúvida é: para quem a torcida do suíço será terceirizada? Se torcem para Nadal, serão 19 slams contra 20 e, devido a diferença de idade entre eles, é por certo que o recorde de 20 irá por água abaixo. Se torcem para Nole, fica claro que o suíço é o “mais fraco” dos 3, inflacionado com números da entressafra.

    E agora? Que dureza! KKKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
  8. Sandra

    Dalcim, do jeito que o Nadal está acho difícil ele não levar Wimbledon, mas tem uma pergunta que não quer calar , sobre a condição física dele , normalmente nessa época ele se machuca, e pelo que temos visto ele está mais inteiro do que nunca,você acha que até o final do ano ele se machuca novamente ?

    Responder
  9. Luis

    Dalcim como diz Luis Roberto vai na fé Federerkkk,o 9 ainda e’ possível talvez objetivo maior do Federer conseguir mais uma final Wimbledon? não será fácil com Nadal parece bem

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Errado e’ o recalque do parceiro. Nenhum deles teve ou terá, contrato VITALÍCIO com nenhum Torneio. E também não jogaram nenhum dos outros 5 preparatórios. Optaram em ficar na encolha treinando em outros “ Saibro Verde “ . Novak não deve ter digerido perder FINAL em Halle para Tommy Haas e em Queen’s para Nadal e Cilic . O rapaz para atingir o Recorde de 100 Vitórias na Grama , vai precisar vencer quase outros 5 WIMBLEDON. E DEZENOVE Títulos na relva , somente nascendo de novo rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Jonas

        Verdade Sérgio. Ele ficou tão chateado e irritado com a derrota em Queens, que dentro de poucas semanas foi campeão em Wimbledon, kkkkkkkkkkkkkkkkkk.

        Responder
      1. Jonas

        Claro que não é. Mas para alguns entendedores do blog, Nadal e Djokovic não jogam o importantíssimo torneio de Halle para fugir do Federer kkkk.

        Responder
  10. Felipe Silva

    Bom dia Dalcim
    Saiu que a primeira semi é as 13h local e depois vem o Fedal. A boa notícia é que tá com mais 50% chance de chuva a partir das 15h.
    Com a quadra coberta melhor pro Roger, não?

    Responder
  11. Bartolomeu

    Provavelmente o campeão de Wimbledon, será um representante do Big 3 – aumentando para onze a sequência, o que não acontecia há quase dez anos.

    A última vez que o Big 3 emendou onze grand slams na sequência foi entre o Australian Open 2010 e Wimbledon 2012 (uma curiosidade: esta sequência anterior teve início no mesmo grand slam, da Austrália, e com o mesmo vencedor, o Federer; e, se o Federer for campeão em Londres e alguém fora do Big 3 ganhar em Noiva York, a sequência terá fim no mesmo slam, e também com o mesmo vencedor).

    A maior sequência de slams vencidos pelo Big 3, contudo, parece ser um recorde difícil de ser batido. Foram 18 títulos na sequência entre Roland Garros 2005 e US Open 2009, quando o Del Potro venceu, mas logo no slam seguinte teve início a sequência indicada no parágrafo anterior.

    Em outras palavras: entre Roland Garros e 2005 e Wimbledon 2012, o Big 3 ganhou 29 dos 30 torneios de grand slam disputados.

    Uma outra curiosidade: entre o US Open 2012 e o US Open 2016, Nadal ganhou apenas três slams, Federer ficou sem ganhar nada, Djokovic ganhou 7, e outros tenistas (Murray/Wawrinka/Cilic) ganharam 7, curiosamente o mesmo número de torneios vencidos pelo sérvio.

    Agora uma provocação: não é curioso que Djokovic tenha vencido metade dos seus slams num momento de baixa de Federer/Nadal, tendo como maiores concorrentes tenistas que não pertencem ao Big 3? Para quem diz que os títulos de Djokovic foram os mais “parrudos” (o entre aspas se faz necessário para fugir do ridículo), consistentes, nas condições mais adversas etc, não é no mínimo estranho ou – digamos – inesperado?

    De todo modo, respeito imensamente o Big 3, a maior dinastia do tênis e talvez do esporte.

    Torço muito pelo Federer, mas acho que ele não leva, não – considerando os seus 38 anos, as inevitáveis limitações que disso decorrem, e o atual momento técnico e físico de Nadal e Djokovic.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Dos 15 GS conquistados pelo sérvio, 2 foram sobre tenistas de “grande porte”: Tsonga e Del Potro e um digamos, médio porte: Kevin Anderson.
      Os outros 12 foram divididos pelo Big 3: Murray, Nadal e Federer. Não é o bastante?
      Se nesses 12 eventos, algum adversário estava em baixa, igualmente estava na final.

      Responder
      1. Bartolomeu

        Ilustríssimo Sr Luiz

        Vamos tomar, como marco zero do surgimento do Big 3 , o torneio de Roland Garros com 2005, pois marca o primeiro triunfo em slam do Nadal, contou com a presença do Djokovic na chave principal, e é o primeiro dos 18 grand slams que foram vencidos na sequência por Federer, Nadal e Djokovic.

        De lá para cá, há um rigoroso equilíbrio entre os três: Nadal com 18 triunfos, Federer com 16 e Djokovic com 15.

        E eu aposto que Djokovic e Nadal estiveram presentes na imensa maioria dos torneios de slams conquistados por Federer desde então. Se perderam na final ou ficaram pelo caminho nas rodadas anteriores, paciência. E o mesmo pode ser dito sobre os triunfos de Nadal ou Djokovic. Na chave principal, na imensa maioria dos casos, lá estavam os demais representantes do Big 3. Moral da história: TODOS os títulos de slams, não importa o vencedor, devem ser respeitados e tidos como grandes vitórias, sendo triunfos de grandeza equivalente. Distorcer a lógica, dizendo que certos títulos valem mais (o que é o mesmo que dizer que outros valem menos) é coisa de quem deseja submeter a verdade dos fatos à sua própria convicção pessoal.

        O que fiz, no comentário acima, foi uma provocação, como deixei bem claro, e repito:

        “Entre o US Open 2012 e o US Open 2016, Nadal ganhou apenas três slams, Federer ficou sem ganhar nada, Djokovic ganhou 7, e outros tenistas (Murray/Wawrinka/Cilic) ganharam 7, curiosamente o mesmo número de torneios vencidos pelo sérvio. Não é curioso que Djokovic tenha vencido metade dos seus slams num momento de baixa de Federer/Nadal, tendo como maiores concorrentes tenistas que não pertencem ao Big 3?”

        Se Vossa Senhoria se sentiu provocado ao ponto de vir aqui responder, tanto melhor, porque a carapuça serviu.

        Afinal, né, relativizar a vitória do outro é refresco.

        Sem mais, volto ao trabalho.

        Cordialmente

        Responder
        1. Luiz Fabriciano

          Bartolomeu, nem precisava isso tudo.
          Eu apenas discordei de que metade dos GS do sérvio foram em momentos de baixa de baixa de Federer/Nadal e tendo como concorrentes alguém de fora do Big3.
          Apenas o primeiro, o 13º e o 14º GS de Djokovic foram contra alguém fora do Big3 (Nadal, Federer, Murray – Big4 com o próprio).
          Teve nenhuma carapuça não.
          Até.

          Responder
  12. Cassio

    Dalcim, acha que o jogo entre Nole e Bautista vai influenciar muito no Fedal?

    Se o Nole vence, “Fedal” sabem que além de vencer, precisarão poupar pernas.
    Se o Bautista vence, “Fedal” sabem que o jogo se torna uma final antecipada.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acredito. Esse tipo de jogador aprendeu há muito tempo a pensar em jogo por jogo, sem jamais focar no seguinte. Esse é um segredo. Difícil, mas é.

      Responder
  13. Eduardo

    Em se tratando de Wimbledon, apostaria sempre em Federer contra qualquer um (Nadal inclusive), exceto contra o Djokovic. Federer tem 100 vitórias em Wimbledon, todos os recordes e joga no seu piso e torneios favoritos… Como não considerá-lo favorito contra qualquer um ? Porém contra o Djokovic na grama o buraco pra ele é bem mais embaixo. Acredito que o sérvio, por ser um estupendo devolvedor, simplesmente neutraliza o jogo do suíço na grama, muito baseado no saque, comando dos pontos e distribuição do jogo a partir da 1 bola. Isso vai deixando o Federer frustrado e irritado, e aí vira questão de tempo, pois na base da regularidade ninguém é superior ao Djokovic. Gostaria que o Federer vencesse Nadal e Djokovic na sequência, conquistando seu 9 Wimbledon, o que seria um feito pra lá de espetacular, mas se tivesse que colocar meu dinheiro, apostaria que ele para na final diante do Djokovic, em 3×0.

    Responder
    1. Paulo F.

      Sem falar na parte física, que o sérvio impõe muito contra o Federer.
      A Final de 2014 foi o retrato disso, em que o sérvio ganhou no gás.

      Responder
  14. Paulo F.

    Paulo Chetnik Almeida é chato e exagera nas suas colocações pró-Nole, mas numa coisa ele acertou em cheio:
    Caso Federer venha a perder pro Nadal amanhã (o que é o mais provável que venha a acontecer), as desculpas estão prontas:
    – Mimimi saibro verde.
    – Mimimi o jogo não encaixa.
    – Mimimi a idade.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Mais chato que o outro “ Paulinho “ é o próprio. Larga um pouquinho o grupinho e leia pela milésima vez. Fora do Saibro o jogo encaixa. O Suíço tem MAIS Vitórias em TODAS as superfícies. E depois vem com a babaquice de “ arrogância “ . O Suíço, que conhece muito mais que o Mane’ , afirmou categoricamente que hoje Rafa Nadal está jogando como nunca na Grama. Na coletiva nem citou a lentidão. Fanatismo da’ nisso. Só postam M***a. Abs!

      Responder
      1. Jonas

        Concordo contigo. Mas diz aí entendedor, como que no Australian Open o Federer tem apenas 1 vitória em 4 confrontos contra o espanhol? kkkk

        Responder
      2. Carlos Reis

        GS: Nadal-Federer-Djokovic
        RG: 12-1-1
        Os outros: 6-19-14
        No saibro TODOS são fregueses absolutos do Nadal, nos outros pisos ele joga muito, mas o Federer e o Djoko são superiores, tanto que o espanhol tem ZERO Finals.
        Wimbledon: 2-8-4

        Responder
    2. Angela B.

      De forma alguma, Paulo F.
      Pelo menos…nao serah EU que darei esse tipo de desculpas….Que wimbledon estah (infelizmente) mais lento que o normal, eh fato… pq varios tenistas confirmaram tal info. E obvio que isso favorece Nadal. Mas se Federer perder…foi pq nao teve competencia p/ vencer e full stop. Ps – Sampras uma vez disse: Federer so perde se for p/ si mesmo. E durante aproxidamente 5 anos.. foi assim. Jogou metade do que DEVERIA e ninguem mais do que ele pode ser responsabilizado por isso. Ele relaxou….Nao procurou se reinventar ou evoluir….Ficou na “zona de conforto”..e consequentemente, virou fregues de Nole e Nadal. E depois da vitoria (surpreendente) sobre Nadal em 2017 no AUSOpen, comecou a correr atras do prejuizo dos quase 5 anos perdidos. O que, na minha humilde opiniao, eh muito valido, mas um pouco tarde (caso queria ser o recordista de slams)….especialmente porque nem Nole ou Nadal estao dispostos a largar o osso. Muito pelo contrario. Abs.

      Responder
      1. Willian Rodrigues

        O fato de Federer ter vencido na Austrália em 2017 está totalmente relacionado às lesões sofridas (nessa ordem de importância) por Murray, que estava voando-baixo, Djokovic, Del Potro, Wawrinka, Berdych (na grama ainda dificultaria um pouco), Raonic e Nishikori. PQP! Estava todo mundo bichado em 2017!!
        Essa elevação de nível do Federer que alguns argumentam não cola!

        Responder
        1. Angela B.

          Sim, Willian Rodrigues, estava todo mundo bichado……foi uma loucuuuuura 2017. O complexo australiano virou uma verdadeira sala de emergencias. Me lembro, inclusive, do Nishikori jogando c/ o peh engessado; Wawrinka usando uma tipoia no braco ; e o Nadal jogando de muletas …Foi muito doido mesmo. 🤙

          Responder
  15. Marcel Azevedo

    Dalcim, já percebeu uma coisa, os quatro semi-finalistas tem mais de 30 anos, um com 31 Bautista, Djokovic 32, Nadal 33 e Federer 37 anos, tem alguma explicação para isso? Forte abc

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, é uma tendência do circuito atual, principalmente em pisos que exigem maior experiência. E a grama é talvez o principal deles. Abs!

      Responder
  16. Nattan Lobatto

    E os caras conseguiram mais uma vez. Big 3 nas semis…

    Ñ arrisco nenhum palpite quanto ao resultado desse Fedal, pode ir para qualquer lado. Nadal tá jogando o fino do tênis somado a sua vontade frenética de vencer cada ponto. Federer dispensa palavras para constatar seu enorme talento, o cara tem 8 canecos em W, logo, pode sim vencer sexta e até domingo…

    Agora, Nole tem uma tarefa dificílima contra o encardido espanhol. Acompanhei os jogos do Agut, tá jogando muito, espero q ñ dê muito trabalho ao LEGÍTIMO e atual number one.

    Torcendo muito para que o sérvio vá em sets diretos para a final e, assim, pegue Nadal ou Roge. Se tiver q ganhar ou perder, q seja para os melhores de todos os tempos…

    Ah, outra coisa, quando o blogueiro aponta um leve favoritismo p algum jogador ñ é por parcialidade ou torcida, e sim por várias análises feitas durante o torneio, q dão um norte das coisas. Lembrando q favoritismo ñ ganha jogo, apenas apimenta-os rsrs.

    Abs, faltam 2 e 52 semanas (entendedores)

    Responder
  17. sandra

    Dalcim, já que não se pode advinha, você conseguiria saber dos quatros quem fez menos erros não forçados?
    A única coisa que acho é que não sei se voce reparou , mas acho que Federer e Nadal tem muito mais sorte que o Djokovic, eles podem até penar para confirmar o saque deles(Federer e Nadal) mas não perdem, já o Djokovic…….

    Responder
          1. lEvI sIlvA

            Rsrsrs Dalcim, fico aqui só imaginando a quantidade de fichas que você monta por cada jogo (com todo tipo de estatística relevante) , em especial quando se fala em RF, RN e ND. Afinal, o trio segue fazendo e reescrevendo a história do tênis dia após dia, ainda hoje. Como fora bem lembrado por um internauta, DOZE anos atrás, quem estava no topo do ranking era exatamente os três. Agora, seguem os mesmo alternando posições, mas os nomes são os mesmos, quem diria?!? Imagino que, se alguém cogitasse algo assim lá nos idos de junho de 2007, seria tão somente taxado de louco, não acha?

          2. José Nilton Dalcim

            Totalmente. Principalmente Nadal e Federer já foram dados como ‘mortos’ dezenas de vezes nos últimos cinco anos.

  18. Felipe Velasquez

    Dalcim, excelente análise.

    Estamos na expectativa de uma grande partida de tênis, entre Federer e Nadal. Minhas perguntas: 1. Nadal ganhou de forma relativamente fácil em RG. Existe a possibilidade daquela vitória pesar no emocional do Federer? 2. Acho absurdo o Federer continuar a jogar e ganhar várias partidas em alto nível perto dos 38 anos. Mas, em relação ao Nadal (um fora de série), essa diferença de idade não deveria já pesar? A última pergunta, é mais uma curiosidade minha. Existe algum ranking de “tenistas que mais ganharam de n. 1 do mundo”? Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não conheço um ranking com isso, mas de certa forma é um tanto relativo. Os tenistas que ficaram mais tempo no posto levam desvantagem… rsrs… Claro que a vitória em Paris dá mais confiança a Nadal, mas não acredito que deva pesar na cabeça do Federer. A idade certamente pode pesar, principalmente se o jogo for muito longo. Abs!

      Responder
  19. Chetnik

    Djokovic não vai perder 3 jogos seguidos para esse pangaré nunca. Ainda mais o 3a sendo uma semi de WB.

    O outro jogo também não perco por nada. Espero que seja bastante longo e cansativo rs.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Bautista não é pangaré, e o jogo encaixa-se muito bem com o do sérvio! Cara tá jogando muito na grama… Será dificílimo, mas eu acredito que Nole passe com 3 x1 ou 3 x 2.

      Responder
  20. Angela B.

    Meus palpites p/ as semis masculinas:
    Drama Queen 3 x 0 Federer
    Nole 3 x 0 Bautista
    Femininas:
    Halep 2 x 1 Svitolina
    Serena 2 x 1 Strycova

    Responder
  21. Adriano Souza

    Acho q a experiencia no piso, e a vibração da platéia, vai fazer o Federer vencer o Nadal por 3 a 2. Acho tambem q o Djokovic com sua experiencia e força mental, derrotara o Bautista por 3 a 1.

    Responder
  22. JOAO HENRIQUE MARCELINO

    Dalcim, tenho lido os todos os seus posts nos últimos anos, parabéns pelo blog!

    Sobre a velocidade do piso, por favor me tire uma dúvida: a grama mais lenta, como a desse ano, ainda é mais veloz que uma quadra sintética rápida (como Cincinnati, Xangai ou Australian Open)?

    Pergunto isso porque me parece que o piso de Wimbledon deste ano é mais rápido que o do Australian Open de 2017.

    Em caso afirmativo, não seria razoável colocar um pequeno favoritismo para o Federer?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Na verdade, o piso não parece tão rápido, mas a grama traz a diferença de fazer o quique da bola mais baixo e irregular, ou seja, a bola desliza no piso, o que não acontece em Cincinnati ou Xangai. Acho que a questão de favoritismo é muito pequena, de um lado ou de outro.

      Responder
  23. GN

    Eu era fã do Guga e depois que ele deixou de jogar em alto nível até se aposentar eu fiquei sem tenista favorito. Isso até a mágica final de WB 2008, quando o espanhol Rafael Nadal ganhou meu coração. Desde então torço por Rafa, mas sempre admirei e respeitei o Federer, o melhor tenista de todos os tempos. E de uns 5 anos pra cá eu passei a torcer também pelo Roger.
    Enquanto parte das torcidas de ambos perdem tempo e energia com discussões inúteis, eles deixam claro, cada vez mais, a admiração e respeito que têm um pelo outro, e isso que me contagiou.
    Recentemente, numa entrevista da Vogue com o Federer ele responde Rafa Nadal para o tenista mais temido e também o que mais deseja enfrentar. Fala também que quando se aposentar vai sentir falta dos tenistas parceiros e que aqueles que mantiver contato depois da aposentadoria serão os considerados verdadeiros amigos, e é com o Nadal que ele gostaria de manter contato.
    Hoje nas coletivas foram elogios e palavras de respeito de ambos os lados…
    Na sexta vou torcer pro Rafa, como sempre, mas ficaria muito feliz com uma vitória do Roger e, ainda mais, em vê-lo levantar o 21GS no domingo (mas infelizmente acho o sérvio favorito ao título).

    Responder
  24. Gabi

    Angela,

    isso, eu tb virei muito fã!! Além do quê ela respondeu, o como me ganhou ehehe!! Gostei muito da sua postura como atleta e como pessoa!!

    Responder
  25. André Barcellos

    Falando especificamente do Federer, me surpreendeu o upgrade do seu jogo a partir do 2 set hoje.
    Aliás, desde o começo ele não vinha mal, mas melhorou.

    O jogo contra Nadal não será fácil pra nenhum dos dois, exceto por algum problema.
    Federer é o melhor da história nesse piso, isso é incontestável. Mas seu momento hoje não é melhor que Djokovic na grama, ou mesmo Nadal, talvez.
    Mas, em havendo uma melhorazinha a mais….

    Responder
  26. Tiago Castro

    A evolução da fisioterapia permitirá RG, Rafa e Nole por mais 5 anos em alto nível? É incrível. Gostaria q Agassi, Sampras, Safim, Guga, Mota e Kaffelnikov jogassem Tam bem aos 30 anos.
    Meu palpite é Nole x RF na final.
    Abraços Dalcim

    Responder
  27. Jonatas Bruno

    Fato curioso, o Bautista estaria em Ibiza no momento, curtindo a despedida de solteiro com os amigos. Deixou os parças na mão rs. Terão que fazer o contorno, rumo a Londres, fazer o quê! rs
    Isso também corrobora a tese que tirando o Bog 3, o resto, tende a projetar um limite “X: quanto as pretensões nos torneios, em especial nos Grandes palcos.

    Dalcim, acha que o primeiro set será fator determinante para os rumos das semifinais, ou acha que não vai ter tanto peso assim?
    ,

    Responder
  28. Mágno Lucas Sampaio

    Eu de novo, estou começando a gostar de participar aqui, kkk. Sempre leio o Blog e os comentários e aprendo muito com todos!
    Dalcin… O que a Serena necessita para conseguir estar na final no sábado? Mais uma vez obrigado.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Serena tem o melhor saque e a melhor devolução do circuito. Então precisa manter a Strycova sob pressão o tempo todo e evitar dar muitos pontos bobos.

      Responder
  29. Jônatas

    Ainda é cedo para este ponto mas se o Federer vencer WB toma o posto de nº2 se não me engano. Se perder na final aí não sei. Eu acho que chega perto mas não passa o Nadal. Confere Dalcim?

    Responder
  30. Mágno Lucas Sampaio

    Dalcin…
    Parabéns pelo texto mais uma vez, pergunta o que o Nole precisa fazer para não ser surpreendido pelo Bautista?
    Na mesma direção o que o Federer precisa ajustar para fazer frente ao volume monstruoso de jogo do Nadal?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Djokovic já venceu Bautista sete vezes, Magno, então acredito que tenha um antídoto. Acho que o ponto interessante é pensar que Bautista não vai atrás de aces, mas tentará um percentual alto de primeiro saque e assim Nole poderá tentar ser agressivo já na devolução do primeiro saque. Federer precisa bater mais o backhand, porque slices não incomodam tanto Nadal, ainda mais se foram cruzados.

      Responder
  31. Fábio Júnior Gonçalves de Araújo

    Dalcim. O Federer estava jogando bem em Roland Garros, mais pegou o Nadal e perdeu feio em 3 sets , onde muitos diziam agora o Federer ganha de Nadal , ou Nadal vai ganhar apurado. Quem sabe agora as coisas se repitam e o Federer vence em 3 sets direito , ou caia fora também em 3 sets. Você acha que quem passar desse lado tem maior chance de ser campeão. Por o outro lado o Djokovic só ter pagado gente mais fraco . Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Estamos falando de três jogadores excepcionais e com títulos em Wimbledon, então não acho que exista algo tão predeterminado assim.

      Responder
  32. Gabi

    lEvI sIlvA,

    é verdade!!
    Todos nós inevitavelmente chegaremos lá, uns antes do que outros ehehe…
    Vc ainda tá longe de levar teu cachorrinho para passear domingo de manhã bem cedo rsrs.
    Muito bom Fedal para vc!!

    Responder
  33. V Maurício

    Esperava mais emoção nessas quartas de final. Mais uma vez o big 3 passou sem grandes sustos. Para as semifinais, me parece impensável Djokovic perder seu jogo. Quanto ao Fedal, é de se esperar que o considerado melhor jogador de grama de todos os tempos seja favorito e uma vitória tranquila de Federer é o resultado natural, como foi a vitória de Nadal em Roland Garros. Creio que a torcida do espanhol já esteja esperando essa derrota, visto que o touro só sabe jogar no saibro. Para a torcida do Federer, qualquer resultado diferente de um 3-0 será uma grande frustração e decepção. Afinal, como poderia o melhor de todos perder no seu piso predileto para um limitadíssimo baloeiro? A conferir…

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      “Pelamôrdideus” pessoal!!! Não tô assistindo o mesmo torneio que esse rapaz não!! Rafa Nadal limitadíssimo?!! Espanhol tá voando baixo e sem nenhum furo em seu jogo! Favoritíssimo contra Federer, dadas as circunstâncias.

      Responder
    2. Viana

      O bom é q o baloeiro tem os pontos mais bonitos do campeonato até aqui!
      Sério, esses argumentos toscos são difíceis de digerir:
      Nadal e Djoko são maratenistas…
      Federer não sabe se defender…
      Federer não corre mais…
      Todos estes são desmentidos todo dia!
      Nadal e Djoko a cada dia q passa mostram mais habilidade
      E Federer está correndo muito bem! Chegando bem nas bolas!!!
      Os 3 são monstros!! Qualquer q desmereça um dos 3 não sabe nada de tênis ou ama um deles tão fervorosamente q fica impedido de desfrutar a beleza do jogo de cada um!!!

      Responder
  34. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Caso o Agut repita a vitória sobre o djoko (acho muito díficil) na primeira semifinal, vc acredita que Nadal e Federer vão entrar mais pressionados ou ansiosos, ao saber que quem ganhar a partida vai ter pelo menos uns 90% de chance de ganhar Wimbledon no domingo. Pensa assim mestre?

    Responder
  35. Clayton Moraes

    Dalcim, com todo Respeito à sua opinião, o que o faz pensar que Djokovic é Favorito contra Nadal ou Federer!??
    Nem de longe desmerecer sua opinião, mas analisando as partidas dos 3, creio que Nadal está muito Forte em 2019, uns 15% melhor que 2018…
    Em contrapartida, gostaria de ler o que o Senhor tem a dizer sobre o “favoritismo” do Djokovic!!
    Obrigado!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Análise de partidas são algo muito relativo porque nenhum deles jogou com o mesmo adversário. Na melhor das hipóteses, enfrentaram alguns estilos semelhantes. Mas ranking, experiência e momento de cada adversário são muito provavelmente bem distintos. Então eu evito comparar coisas diferentes. Isto dito, acho que Djoko ainda tem um estilo mais apropriado à grama do que o Nadal e principalmente a devolução de saque faz uma importante diferença. Achar que um tenista é ligeiramente favorito do que o outro não quer dizer que ele vai ganhar ou perder, apenas que tem possibilidade mais alta de ganhar do que o outro. Abs!

      Responder
      1. Clayton Moraes

        Bacana Dalcim…Comentei sobre um pequeno favoritismo do Espanhol ao Título pelo fato de que mesmo “antes”, Rafa Nadal sempre bateu de Frente com os Outros 2 Big’s, deu bastante Trabalho, mas acredito que dos 3, Rafa Nadal foi o Jogador que mais evoluiu, principalmente nos dois últimos Anos, e digo isto pela Nítida melhora nos voleios, devolução e principalmente o Saque, o que o tornou bem mais agressivo, logo ainda mais confiante…
        Espero estar correto na minha linha de raciocínio, e Rafael Nadal se consagre o Tri no All England Club Domingo… Aguardando cenas do próximo capitulo… Abraço José Nilton Dalcim!

        Responder
  36. Gabi

    Angela,

    isso, eu tb virei muito fã!! Além do quê ela respondeu, o como me ganhou ehehe!! Gostei muito da sua postura como atleta e como mulher!!

    Responder
  37. Marcelo Calmon

    Acredito que deva ser a maior soma de idades já registrada numa semi de Slam. A Next Generation aí tem que ralar muito para derrubar o Top 3.

    E não vejo ninguém nem perto de conseguir a façanha.

    O ranking da próxima segunda (15) é o que vale para o US Open ?
    Abs

    Responder
      1. Marcelo Calmo

        Dalcim, o ranking para definir os classificados para um torneio não é o de 6 semanas antes ? Ou mudou ?
        Li que o US Open começa 26.08 então pensei que os classificados fossem definidos na próxima segunda.
        15/07 – 22/07 – 29/07 – 05/08 – 12/08 – 19/08 – 26/08.

        Responder
  38. Paulo F.

    Melhorar a devolução de saque pode realmente fazer a diferença na ínfima chance que o discípulo suíço tem contra o seu mestre espanhol.
    Um jogador com os recursos técnicos que Roger Federer tem, deveria devolver muito melhor.

    Responder
  39. Matheus Lago

    Nadal é favorito na sexta feira contra o Federer, isso é inegável, tem a vantagem da quadra, a vantagem de viver um melhor momento e a vantagem de ser canhoto; Federer vai ter que se superar para vencer o espanhol.
    Do outro lado, só uma hecatombe tira a vitória do Djokovic, a tendência é Djokodal na final de Wimbledon, tomara que não se concretize.

    Responder
  40. Efraim Oliveira

    Lembrando da final do Austrália Open – muita expectativa e o jogo foi aquela decepção.

    Tomara que esse fedal vá ao quinto set, porque assim são os jogos memoráveis.

    Responder
  41. Jocelino Jr

    Dalcin boa noite.
    Sempre fui Nadalista. Toda a minha torcida será para Nadal. E acho q depois da semi do ano passado o touro acredita q pode ganhar do Djoko na grama. Torcida pra Nadal Campeão. Mas caso Federer passe minha torcida eh p ele pq eh um feito incrível um ganhar do outro e ainda depois do número 1. Vc n acha q o Djoko tem uma certa vaidade por apesar de ser o número 1 Federer e Nadal ainda serem as maiores estrelas? Os preços do ingresso falam por si so

    Responder
  42. efras

    comedor de fígados ganhará o título disputando um torneio de verdade em uma quadra… não o lixo de Roland… Federer passa Nadal se nao tivesse terra … imagina quantos títulos kkkk

    Responder
  43. Tiago

    Ah sei não hein…mas tô com uma sensação de que Nadal vai afundar Federer mais uma vez no seu piso predileto. Federer fez mágica em 2017, algo magnifico no Australian Open, mas Nadal tá impossível. O cara é um monstro, e creio que acima até de Djokovic numa possível final. Não torço para o espanhol, pelo contrário, não suporto ver ganhar tantos títulos, mas é o tenista mais inteligente e que mais evoluiu em todos os fundamentos…verdade seja dita! Favoritaço a mais um titulo, e pior… em Wimbledon, na terra do rei da grama.

    Responder
    1. Joaquim

      Hahaha… nadal favorito frente a djokovic. É piada né?! Quanto a federer e Nadal, é totalmente possível para o federer vencer o nadal( basta lembrar das 6 vitórias seguidas e com facilidade do federer contra o nadal antes de rg). Agora, admito que se der djoko e federer, o djoko tem o favoritismo, apesar de ligeiro. Se der djoko e federer vamos ter uma final bem mais equilibrada(com leve favoritismo para o djoko devido ao momento do sérvio). Agora se der nadal e djoko vamos ter um outro massacre do djoko igual na Austrália para surpresa dos ingênuos e fanáticos torcedores do nadal. Muita gente parece que tem memória curta.

      Responder
  44. Israel

    Acho que o Nadal vai vencer o torneio com muita facilidade. Isto porque o Agut vai vencer Djokovic (3×1), mas não tem armas para enfrentar o Nadal na final. Já vimos recentemente esse filme e como o jogo não encaixa. Perde fácil por 3×0. Podem printar aí!

    Responder
  45. Miguel BsB

    Mestre Dalcim, gostaria de parabenizá-lo e agradecê-lo pela excelente transmissão dos placares comentados dos 2 jgs ao msm tempo!
    Estava trabalhando e acompanhando os dois pelo UOL.

    Responder
      1. Angela B.

        Por que vc nao comenta no twitter, Dalcim? Assim, as pessoas poderiam interagir nos seus comentarios. Acho que essa participacao do publico ficaria mais interessante e daria ainda mais audiencia/ibope pro teu site. Pense nisso.

        Responder
  46. Miguel BsB

    O Nadal não deixou dúvidas sobre a sua capacidade de atropelar seus adversários, mais cascudos que os enfrentados pelos seus 2 grandes rivais…
    Agora, veremos se o Rei da Grama conseguirá afirmar sua soberania, em seu território, contra o Rei do Saibro, que o fez com autoridade na semi de RG.
    Ao contrário do último confronto, que o resultado já era esperado, nesse acho que está muito indefinido e com ctz será bem mais disputado…
    Que venha o FEDAL 40! Já cancelei todos meus compromissos sexta de manhã pra poder assistir…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não se sabe, mas suponho que a primeira semi seja a do Djoko na sexta porque ele jogou primeiro hoje. A final de domingo será 10h.

      Responder
  47. Rodrigo Bravin

    Triste é constatar que os robôs têm grandes chances de chegarem à final. Pode ver que o primeiro adjetivo quando falam dos dois é regularidade / solidez. Com um piso desses acho difícil Federer ganhar o jogo, mas nunca duvido. Imagino que vencer o primeiro set pode ser muito motivador para o suíço. Quanto aos robôs é provável que em uma final joguem por no mínimo umas 5 horas.

    Responder
  48. Alison Cordeiro

    Daqui a alguns anos veremos Federer e Nadal jogando partidas de exibição pelo mundo, ajudando causas humanitárias e divertindo-se como nunca. Lembrarão dos embates épicos e de como dominaram o tênis, estabelecendo recordes e façanhas incríveis. Rirão das vitórias e derrotas e serão amigos. Portanto amigos do blog, curtam mais uma partida histórica entre eles e independente do resultado lembrem que, para eles, o melhor de tudo era apenas fazer o que mais gostavam.

    Responder
  49. Thiago

    Dalcim sou fã do Roger Federer mas te confesso que analisando todos os pisos e os últimos jogos do Novack nunca vi jogador tão regular. O que ele fez com o goffin hoje foi surreal, concorda que ele Djocovick possa ultrapassar o Federer como melhor da história? Abraço

    Responder
  50. Pedro

    Dalcim,

    Uma vitória em 3 sets para Nadal assim como aconteceu em RG, faria com que o Federer começasse a pensar em parar? Estaria bem claro que ele não estaria mais no nível dos melhores, e apenas ganhando torneios menores como os 500. O que é uma grande coisa para qualquer um, mas não para quem já esteve no patamar mais alto.

    Responder
  51. Gustavo

    Mestre, boa noite!

    Sem deixar de considerar que é a primeira semi de Slam de RBA, gostaria de saber sua opinião de o quanto este pode entrar na mente do número 1 devido às duas últimas derrotas e, em especial, se no primeiro set Novak estiver atrás…

    Quanto ao RN-RF, qual a chave do jogo? Tignor e a maioria julgam dar Federer, porém aposto em Nadal.

    Qual sua % para ambos os jogos?

    Obrigado

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nole já jogou partidas em melhor de cinco tempo suficiente para não se deixar levar por um set. Acho que Bautista precisará mais do que isso para ter chances. Daria 70-30 para Nole e 55-45 para Nadal.

      Responder
  52. Bruno Alvarenga

    Depois da partida com Berretini, perguntei a você, Dalcim, se Federer havia atingido seu ritmo ideal em Wimbledon. Você disse que talvez contra o Nishikori isso viesse a acontecer, e é o que parece ter se confirmado. Em que medida você acha que o jogo com o japonês ajuda Federer a pensar a partida contra Nadal? E, outra pergunta, supondo que Federer eleve o nível sexta-feira e jogue pelo menos próximo ao que jogou em 2017, você ainda supõe que Nadal, jogando o que tem jogado, é o favorito?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Dou ligeiro favoritismo ao Nadal. Acho que a vitória sobre Nishikori deu mais confiança a Federer, porque ele realmente se soltou mais na devolução e o backhand produziu muito bem.

      Responder
  53. Luciano Carvalho

    Vamos aproveitar porque pode ser o último Fedal em Wimbledon.
    Mestre, Nadal jogou melhor até agora, mas isso não é garantia de vitória.
    Qual o seu palpite?
    O meu, Federer em quatro sets.

    Responder
  54. Jonas

    Nadal é o favorito na sexta contra o “rei da grama”. Isso chega a ser engraçado porque aqui neste grupo muitos se referiram ao Nadal como um cara fraquíssimo na grama. Sendo que o cara é Bicampeão do torneio, jogando em altíssimo nível em 2008 e 2010. Quem acompanhou sabe do que estou falando.

    Ah, não posso deixar de citar o “limitado”Djokovic…que chega a 70 vitórias em Wimbledon, kkkkkk.

    Enfim, pra mim o Djoko é favorito contra o Agut, embora esse espanhol seja chato pra cacete.

    E Nadal é sempre favorito contra Federer em qualquer Grand Slam.

    Responder
    1. André Barcellos

      Federer seria favorito na grama em 2017, mas em 2018 não.
      Tudo vem do momento. Se Federer perder é normal porque hoje tanto Djokovic como Nadal estão melhores.
      Não quer dizer que Nadal seja melhor na grama. Senão ele teria 8 Wimbledon.
      Mas é óbvio que ele hoje é muito mais vigoroso e rápido que Federer, o que atrapalha bastante nesse nível.

      Responder
      1. Jonas

        Vocês esquecem que o Nadal tem 33 anos e é o tenista mais bichado do top 10, de longe.

        O Federer sofre bem menos com questões físicas do que o espanhol, embora o suíço seja sim mais velho. Mas não adianta, a desculpa já está na ponta da língua. Pra mim o Federer não está jogando nada mal. Coloco o Nadal favorito pelo que ele vem jogando e pelo histórico entre os 2. Mesmo que o Federer tivesse 30 anos e o Nadal 23, eu diria o mesmo.

        Responder
    2. Paulo Almeida

      Só fatos, Jonas.

      Nadal sempre foi mais tenista do que Federer e é favorito na sexta. As desculpas serão idade, saibro verde e jogo não encaixa.

      Djokovic deve sofrer um bocado contra o encardido Agut, mas espero estar enganado e que ele vença em no máximo 4 sets e 3 horas de jogo.

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      Favorito em qualquer Slam?

      Nussss! Quanta mentirada…

      Sei que nem você acredita nisso que escreveu.

      Não tem base nenhuma isso!

      Responder
  55. Thiago

    Dalcim, pode-se dizer que o Federer teve adversários mais complicados que o Djokovic e o Nadal até o momento? E por isso ele pode estar mais preparado para enfrentar o Nadal do que em anos anteriores ?

    Responder
  56. Christian Miola

    Dalcim,

    Desde o surgimento do Big 3 seria essa a NextGen que mais tem deixado a desejar? Até pelo fato tb do Big 3 não estar no “auge” de suas carreiras mesmo assim sobram contra os demais.

    Grande abraço

    Responder
      1. Jônatas

        Sem dúvida. O melhor da geração pós Nadal/Murray/Djoko é o Nishikori. Poderia ser o Dimitrov mas ele consegue ser menos regular. Raonic atingiu seu limite. Não podemos exigir mais do que ele já entregou. Dimitrov e Kei poderiam ser muito mais do que são.

        Responder
  57. Paulo F.

    Rafael Nadal nunca permitiu que Roger Federer lhe derrotasse em Roland Garros, nem quando era um imberbe.
    Federer deixou Rafael Nadal lhe tomar um Wimbledon.
    O quê posso esperar para sexta?
    – 3×0 fáceis, uma papinha para Rafael Nadal contra seu freguesaço de caderneta – e com direito a requintes de crueldade.

    Responder
      1. Nando

        Bruno, se Federer vencer na sexta (e vai!), pode ter ctz q esse povo aí (maioria composta de fakes) irão “desconversar” sobre o q disseram.

        Responder
  58. Alessandro Miná

    Olá Dalcim, excelente texto, como sempre!
    Previsões?? Me parece certa a presença de Nole na final e acredito que Federer passa com dificuldades ou você acha que o piso mais lento (como muitos estão dizendo), deixa Nadal mais perto da final? De qualquer forma vejo Nole mais perto do título contra Nadal do que contra Federer, apesar de ser favorito contra os 2… o que acha??? Grande abraço!!

    Responder
  59. Fernando Brack

    É quase impensável imaginar que, 11 anos depois, o grande jogo de WB pode de novo ser um Fedal.
    Esses caras não são terráqueos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *