Brilho argentino em dia de Big 3
Por José Nilton Dalcim
8 de julho de 2019 às 19:29

Como era esperado, o Big 3 avançou às quartas de final de Wimbledon. O que estava um tanto fora das previsões foi a facilidade com que Novak Djokovic, Rafael Nadal e Roger Federer derrubaram seus adversários. Não fossem alguns momentos de extraordinária capacidade técnica, teria beirada à monotonia.

O garoto Ugo Humbert não sacou nada, ficou preso ao fundo de quadra e aí é praticamente impossível ganhar de Nole, que deu uma aula de como mudar a direção da bola sendo ofensivo ao mesmo tempo. João Sousa tentou de tudo, mas quem sacou, voleou e deu deixada com perfeição foi Rafa, extremamente ágil. Matteo Berrettini decepcionou, e talvez só possamos desculpá-lo pela maratona de 4h30 de sábado. No mais, mostrou backhand pífio e saque fora de tom, sendo engolido pela velocidade e elegância daquele senhor de quase 38 anos.

Então quem brilhou mesmo na chave masculina nesta segunda-feira foi o saibrista Guido Pella. Venceu seu terceiro jogo no quinto set em uma semana e derrubou outro experiente sacador e também vice de Wimbledon, Milos Raonic. A façanha se mostrou ainda maior do que a vitória sobre Kevin Anderson, porque o canadense ganhou os dois primeiros sets e o quarto chegou ao tiebreak.

Canhoto de 29 anos, Pella chegou a Wimbledon com meras quatro vitórias na carreira sobre a grama, tendo perdido na estreia dos preparativos de Halle e Eastbourne. As armas mostradas foram a capacidade de ler muito bem o saque, se mexer com fluidez pela quadra e ter paciência para achar a passada ideal. Pella talvez seja a prova definitiva de que as condições gerais em Wimbledon estão mais lentas, o que não tira um milímetro do seu mérito.

O Big 3 continua favorito para ir à semi, embora há de se respeitar os adversários. Djokovic pega David Goffin, outro que se achou na grama e faz das pernas seu forte. Quem vencer, cruzará com Pella ou Roberto Bautista, que fazem o duelo imprevisto das quartas. O espanhol nunca foi tão longe no piso, está num momento muito confiante da carreira. Nunca é demais lembrar que venceu Djoko duas vezes em 2019.

Nadal por sua vez encara a experiência de Sam Querrey, sacador com bom jogo de base e semi de Wimbledon dois anos atrás. É perigoso, sem dúvida. Federer reencontra Kei Nishikori, que tem devolução e contragolpe suficientemente eficientes para exigir máxima atenção e parece com físico em dia. O ‘Fedal’ está próximo, mas longe de estar garantido.

Emoção continua no feminino
Nada menos que três grandes candidatas ao título deram adeus a Wimbledon nesta segunda-feira de oitavas de final, e todas em jogos eletrizantes e cheios de alternância.

Magnífica reação de Alison Riske sobre a líder do ranking Ash Barty praticamente na base das paralelas precisas, que podem também ser o caminho para barrar Serena Williams. Claro que a heptacampeã bate mais forte na bola e está jogando cada vez mais solta.

Virada também de Barbora Strycova sobre Elise Mertens e de Johanna Konta sobre Petra Kvitova, mas não se pode falar muito em surpresas, porque são todas tenistas com ótima adaptação aos pisos mais velozes.

Simona Halep brecou a sensação Cori Gauff mas não pode sossegar diante de Shuai Zheng, que ganhou dois dos três duelos entre elas. Quem vencer, pega Elina Svitolina ou Karolina Muchova, autora da grande surpresa do dia ao tirar Karolina Pliskova com 13/11 de muita qualidade e ousadia no terceiro set.

As quartas de final fenininas já acontecem nesta terça-feira e acho que, ao se olhar a diferença de currículo entre as que ainda estão de pé, a chance para Serena chegar ao 24º Slam cresceu muito.


Comentários
  1. Joaquim

    Se der djoko e nadal, o djoko vai atropelar o nadal. E digo mais, na minha opinião se o nole tivesse chegado na final de Roland garros tb teria dado uma surra no espanhol igual a de 2015 em Roland garros.

    Responder
  2. Rodrigo S. Cruz

    [Angela B.]
    9 de julho de 2019 às 07:41

    “Sobre Federer:
    – Por incrivel que pareca, Roger estava jogando melhor em Roland Garros do que agora, em Wimbledon. E se jogar dessa forma contra o Nadal num possivel encontro nas semis (soh bloqueando saques e patati patata) vai tomar (sim) uma surra do espanhol…”

    Ângela,

    Também não dá pra dizer que o Federer não esteja jogando bem.

    Quanto a maneira de jogar bloqueando, isso foi mais do que suficiente diante dos adversários que ele pegou.

    E o que ele fez com o Berretini foi um massacre ainda maior do que o que o Nadal fez com o Sousa…

    Portanto, estou certo de que o Federer adotará uma tática bem diferente contra o Nadal.

    Sem falar que tem aquela estória da rivalidade, do fato de ter perdido feio dele em RG, etc…

    Mas primeiro o Nadal precisa passar pelo Querrey primeiro. E estou prevendo um jogo muito duro.

    Porque o americano “boca de jacaré” ( ô cara feio) já eliminou o Djokovic de Wimbledon…

    Responder
  3. Maurício Luís *

    Até o momento, quem mais exigiu do Nadal em Wimbledon foi o Kyrgios. Uma pena o jogo ter sido nas primeiras rodadas. E se fossem selecionadas as cenas + engraçadas, pra mim a melhor foi ver o baloeiro correndo atrás do saque por baixo do australiano… Achei DA HORA.

    Responder
  4. Alexandre Maciel

    Prevejo mais um atropelo do Big-3 amanhã. Emoção mesmo (ou equilíbrio) apenas no confronto Pella x Bautista.

    Djoko x Nadal na final. Salve Roger sacar muito bem na semi, empurrar os sets pro tiebreak e fazer games de desempate beirando a perfeição! Rafa tá muito firme e centrado.

    Responder
  5. Angela B.

    Aos amigos – apenas p/ poupa-los em seus teclados – meu nome eh Angela (como estah escrito)…SEM ACENTO!
    Mas aos inimigos (kk) podem (se quiserem) se dar ao trabalho de colocar o acento circunflexo (^) no A…..up to you…..eu nao ligo.😊
    Abs!!

    Responder
  6. Luiz Fernando

    Assisti o jg do Melo agora há pouco na quadra 1 e ela está com… pouca grama, o fundo da quadra, como é comum nesse momento do torneio, só tem terra. Rafa vence amanhã em 3 sets!

    Responder
  7. Nando

    Ranking ATP 09/07/2007

    1° Federer
    2° nadal
    3° djokovic

    12 anos depois…

    Ranking ATP 09/07/2019

    1° djokovic
    2° nadal
    3° Federer

    E aí Dalcim? Kkkk

    Responder
  8. Eu

    Ouvi agora que o sportv disponibilizará amanhã dois canais para o nosso tênis!! Agora sim!!
    Os jogos são simultâneos, então finalmente mandaram bem!!

    Responder
  9. DANILO AFONSO

    É tão difícil entender que WIMBLEDON não se resume a velocidade do piso ?? Não irá se descaracterizar por causa disso.

    O que torna o torneio especial é a tradição, a atmosfera do complexo, protocolos, vestimenta e a grama independente da velocidade. E se realmente mudaram a velocidade, visaram deixar o jogo mais interesse para a maioria do público.

    Não lembro de ler torcedores sofrendo porque o piso do Australian Open ficou mais veloz que outros anos. Não li torcedores do NOVAK e NADAL chorando aqui.

    Responder
  10. Eu

    Estas cadeiras onde os tenistas sentam para descansar e colocam suas coisas são ruinzinhas… parecem mais duras e desconfortáveis que as daqui de casa
    Wimbledon arrecada milhões e nem uma cadeira estofada e maior para os tenistas colocarem as suas coisas… eita

    Responder
  11. Angela B.

    Errei nos meus 2 ultimos palpites: Vai ser Strycova vs Serena e Svitolina vs Halep nas semis.
    E aih, Dalcim? Qual eh a sua aposta p/ as finais? Serena vs Halep?? Ou vc acha que Svitolina e Strycova (guerreiras!!) podem surpreender?
    Bom, eu apostaria no mais obvio: Halep e Serena na final…Mas nunca se sabe… ne?
    Ate amanha!!🤙😊

    Responder
  12. Sônia

    Com esse saibro verde (argh argh…), acompanhando apenas os jogos DELE e os jogos do feminino. Assistindo WB em canais portugueses, está hilário demais, aprendendo muitas palavras tenísticas diferentes rsrs. Amo a Kvitova, amo a Konta, amo a Halep, amo a Strykova, … na torcida por uma final entre Halep vs Strykova. Mudando de assunto, amei assistir a Halep mostrar a realidade para a “gogó de ouro” rsrs… e como é bonito esse italiano Berrettini uau uau uau, única coisinha chata são as pernas fininhas rsrs. Beijos.

    Responder
  13. Maurício Luís *

    Não acredito que o Sam Querrey vá conseguir barrar o Nadal. E tenho sérias dúvidas se o Federer consiga também. O baloeiro está numa ótima fase. O troféu de Wimbledon, numa hora dessas, já deve estar até se “encolhendo” prevendo a tal mordida. Minha última esperança é o Djoko.
    Mas, se o pior acontecer, ou seja, baloeiro campeão, tomara que caia a dentadura na hora de mordida.

    Responder
  14. Maurício Luís *

    Tomando como base as declarações da Chris Evert, achei que a Serena não passaria das primeiras rodadas em Wimbledon. Mas Serena é Serena. Capaz de contrariar qualquer prognóstico.
    Mudando pra chave masculina, certa vez o baloeiro da Espanha chegou pro seu treinador:
    – Cara… sou considerado um dos maiores de todos os tempos, meus troféus já nem cabem na sala, mas meu jogo é feião. O que é que eu faço pra mudar isso?
    – Você deve é nascer de novo.

    Responder
  15. Sandra

    Dalcim, primeiro o Djokovic tem que passar o Goffin,mas você não acha o Bautista o maior perigo para o Djokovic ? E domoutro lado Nadal ou Federer cair , será a meio-irmão zebra do seculo

    Responder
  16. Paullo

    Eu prefiro a primeira semana de jogos pois tem muito mais partidas.
    Já na segunda semana, ok, em tese temos jogos melhores mas dia sim dia não, já que quase não acompanho os jogos femininos.

    Responder
  17. Angela B.

    E realmente….nao foi facil p/ a Serena! A guerreira Riske, mostrou que nao estava pra brincadeira..kkk
    Ps – Kudos e vida longa pra menina Alison!!!! Que qualidade de tenis!!👏👏👏🙌🙌🙌
    Ps2 – E qto a Serena….poxa,….o que dizer? Obrigada pelo espetaculo tb!! #SerenaRainha!!!😘😘

    Responder
  18. Angela B.

    Graaaaande jogo entre Halep vs Zhang….e o placar do 2o set nao fez jus a esse duelo. Halep teve que suar muuuito contra a chinesa. Ps – e que lindo foi o cumprimento delas ao final da partida…..Sao duas fofas!!!😊

    Responder
  19. Maurício Justus

    Mestre bom dia tudo bem? Vi a programação dos jogos de amanhã com Novak e Roger na central e Nadal na quadra 1! Chega a rolar algum desconforto de algum dos Big3 quando são relegados à quadras que não a central? Ou isso não chega a incomodá-los?
    Referente aos adversários, Nadal e o que corre mais risco?

    Responder
      1. Diego

        Creio que desta vez o Nadal não deve ter achado ruim jogar na quadra 1, pois ao que me pareceu, vendo pela TV, a grama está mais desgastada na quadra 1 que na central, principalmente no fundo. Já virou terra batida.

        Responder
  20. Geraldo

    Dalcim,

    O que deixa a quadra mais lenta ou mais rápida? É o corte? Se cortar mais baixo, fica mais rápida e se deixar mais alta, fica mais lenta? É isso?

    Responder
  21. Angela B.

    Dalcim, vc estah acompanhando os 1os sets da Serena vs Riske e Halep vs Zhang??………Dois duelos pau a pau…emocionantes….hein?? Eu to parecendo uma bolinha de ping-pong, vendo as duas partidas ao mesmo tempo em 2 telas.. e eh dificil desgrudar (por um segundo) o olho!! Como vc consegue assistir 4 jogos (nesse nivel) ao mesmo tempo?? Qual o segredo?? Conta aih!!! kkk

    Responder
      1. Angela B.

        Entao dah esse curso logoooo…kkkk
        Agora estou vendo (ao mesmo tempo) Svitolina vs Muchova e Konta vs Strycova……e as duas partidas igualmente emocionantes. Nao dah pra escolher…..tenho que ver os 2 jogos! Tah dando tilt aqui, mas nao desisto!!😊🤟🤙

        Responder
      2. lEvI sIlvA

        Rsrsrs Dalcim , pior que noutro dia, se não me engano tu assistia e comentava ao mesmo tempo uma partida do Nole e outra do Rafa. Teve até um internauta que questionou como conseguia essa proeza…! (O Dalcim disse que acompanhava/assistia até 4 jogos ao mesmo tempo.) Angela, o Dalcim é o “Federer” nas postagens e comentário em tempo real dos jogos. Faz tudo isso, ao mesmo tempo e ainda soa algo fácil. Enfim, um assombro! 🙂

        Responder
  22. Leonardo Faria

    Bom dia Dalcim

    Após a facilidade com que o Big 3 venceu, fiquei pensando algumas coisas e queria sua opinião. A principal diferença deles para o demais é física, técnica ou mental? Uma das possíveis alegações para o mau jogo do Berretini foi o cansaço da partida anterior, entretanto cansei de ver tanto Nadal quanto Djokovic jogarem maratonas e na partida seguinte ainda assim jogarem bem, vide semifinal do ano passado. Tecnicamente, vejo jogadores como Zverev serem tecnicamente superiores ao Nadal e Djokovic quando tinham a mesma idade do alemão, além disso, vejo jogadores muito bons, como Fognini, Monfils, Kyrgios, Tsitsipas, Del Potro. Então, creio que a PRINCIPAL diferença seja mesmo mental. O que o senhor acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, 4h30 sobre a grama é muito desgastante, então sou capaz de entender a exaustão muscular do Berrettini. Quanto à diferença, acho que é sobretudo mental. Claro que o Big 3 é qualitativamente também excepcional, mas a parte emocional é incrível. Abs!

      Responder
  23. Antonio Gabriel

    Mestre Dalcim vai ai uma dúvida, se as condições estão mais lentas, como tem dito RF, a que se deve isso, qual o motivo?

    Responder
  24. Eu

    Quem quiser ver partida com poucas trocas de bola basta ver jogo da Serena kkkkkkk. Oooooo jogo chato

    Ela emagreceu. De RG para cá, perdeu muitos kg.

    Responder
    1. Angela B.

      Chato?? Poxa, “Eu”…………..nao fala isso… Assim vc me magoa kkkkkk
      Acompanhei o jogo desde o comeco…e a Riske deu o maior trabalho pra Serena. Foi um jogo bem competitivo e se a Serena nao fosse a campea que eh, poderia ate ter perdido o jogo. Abs 🤙

      Responder
  25. João ando

    Fpi uma surra que o italiano tomou … parecia um juvenil jogando ….no caso com o melhor de todos os tempos ojogo foi um treino para Roger

    Responder
  26. Rodrigo Bravin

    Somente Borg e Federer podem ser reverenciados pelas conquistas em sequência de Roland Garros e Wimbledon. Os organizadores do torneio inglês destruíram a essência da grama e agora ficar trocando duzentas bolas da linha de base é o que há. Triste é que novamente Federer pode ter que enfrentar Nadal num piso extremamente lento. Se fosse a velocidade normal iria atropelar o espanhol. Com tempo para preparar o golpe no barro verde fica difícil devolver os balões com spin. Os dois robôs caminham tranquilamente para a final de wimbledon.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Porque somente Borg e Federer? Nadal ganhou RG e Wimbledon um ano antes dele, 2008.
      Pelos seus argumentos, se a quadra ainda era mais rápida em 2009, quando Federer faturou os 2, tb deveria ser um ano antes, quanto Nadal faturou saibro/grama.

      Responder
    2. Alessandro Siqueira

      Olha a parcialidade aí, gente. Na boa, Nadal ganhou Wimbledon em 2008, destronando Federer e quando já era multicampeão do Aberto da França. Federer levou RG por obra e graça de um dia inspirado de um certo sueco na semi em 2009. Então, se é para falar da então diferença de piso, Nadal completou a dobradinha primeiro.

      Responder
    3. Angela B.

      Rodrigo, infelizmente, os torneios de tenis estao nas maos dos grandes patrocinadores – ou seja, dos que tem dinheiro.
      Nao ha mais tradicao. Acabou. #Rip ———– E pobre daqueles que ainda se iludem.

      Responder
  27. Angela B.

    Sobre Federer:
    – Por incrivel que pareca, Roger estava jogando melhor em Roland Garros do que agora, em Wimbledon. E se jogar dessa forma contra o Nadal num possivel encontro nas semis (soh bloqueando saques e patati patata) vai tomar (sim) uma surra do espanhol…

    Sobre a lentidao nas quadras de Wimbledon – que, na minha opiniao, macula a historia desse evento:
    – Muita ingenuidade as pessoas duvidarem dos interesses escusos nos bastidores dos grandes esportes mundiais, e que nao existe propinas e corrupcao. Especialmente qdo a Nike estah envolvida – a mesma Nike que protagonizou o escandalo da Copa de 98 (!!). Muita ingenuidade…
    O povo acha que soh no Brasil tem corrupcao? E que os organizadores de Wimbledon ou Roland Garros, AUSOpen etc sao seres humanos “honestos” ou “imaculados”? Serio?? 🤔🤔
    Na boa.. achar que o 1o mundo eh “incorruptivel” ou um paraiso tipo “Shangrilah”, eh de uma inocencia excepcional. — Aqui fora, a corrupcao rola solta (sim!) e de forma mais cruel do que a maioria imagina – a diferenca eh que nos paises desenvolvidos, a corrupcao acontece de forma mais discreta…ao contrario do Brasil, onde as sujeiras sao escancaradas e povo ainda aplaude.
    Ps – E as Nadaletes nao precisam vir aqui dar piti, naum…Estou falando de algo REAL que acontece no mundo dos esportes, e em nenhum momento insinuei que Nadal ou outros tenistas estao envolvidos nessas negociatas…mesmo pq, Federer ate pouco tempo, tb era patrocinado pela Nike…
    O meu ponto eh simples – qdo as organizacoes de tenis decidem por uma quadra mais rapida ou lenta e “otras cositas”…nao existe imparcialidade ou isencao nessa historia – existe os interesses dos patrocinadores e o poder do dinheiro. Nothing else…as simple as that.

    Responder
    1. Ronildo

      Gostei muito de seu comentário. É bem possível mesmo que isto possa ter acontecido. Comercialmente a Nike fica no prejuízo se Federer for campeão mais uma vez em Wimbledom.

      Responder
      1. Angela B.

        Ele lah vem a ‘conje’ do Nadal c/ seus pitacos risiveis no meu comentario, achando que me atinge me chamando de ‘male or female’ kkkkk. Ahhhhh…MCR….vc nao sabe de nadaaa…Kkk —– Mas eh extamente por isso, por ser tao patetico (incluindo a deficiencia nos argumentos inteligentes) que vc me fazer rir e ao blog tb!!! Obrigada (de coracao) pelo entretenimento que vc nos proporciona!!! Cheers, conje (oficial) do Nadal!! Ps – E que a Xisca tome cuidado com vc…. kkkkkkkkkkkk

        Responder
      2. Angela B.

        Valeu, Ronildo! E acredite…nao sao apenas “especulacoes”…corrupcao no esporte, estah cada vez mais presente. Especialmente no futebol, volei e tenis. Abs.

        Responder
    2. Mateus Mello

      Ninguém mandou trocar a Nike pela Unlixo kkkkk
      Mas falando sério, em 2014 e 2015 o Djokovic era patrocinado pela Uniqlo e o banguela pela Nike, se a sua teoria fosse verdade, porque o piso tava lento naqueles anos?

      Responder
    3. Luiz Fernando

      Deixa eu ver se entendi, então quando em 2017 os organizadores do AO aumentaram a velocidade da quadra, o q favoreceu Federer, isso ocorreu devido a um interesse escuso? Outra dúvida: pq as empresas “prejudicadas”, já q as alterações p favorecer esse ou aquele prejudicam terceiros (jogadores e patrocinadores) não expõem isso ao mundo? Será q existe um cartel, com a conivência de todos?

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Sim, deve ser mesmo um cartel, tipo, vencemos esses dois anos, nos próximos dois vencem vocês.
        Como a teoria da conspiração que disse que o Brasil vendeu a Copa de 98 para França, em troca da de 2002.

        Responder
    4. Alexpicelli

      Não está por completo fora teu comentário. Também acho que existe sim corrupção no tênis, só não sei como.
      Quanto a lentidão de WB é chato pois, a essência do esporte, a transição de um piso para outro, perde o sentido tirando a dificuldade do jogo de tênis. Jogadores clássicos e técnico perdem com isso, jogadores que gostam da grama pelo sua rapidez, acaba sentindo essa lentidão. Já não existe muitos torneios na grama, e os que tem ficaram lentos.
      Também não acho desculpas, para prejudicarem jogadores agressivos, eu acho real e certo que são prejudicados, pois, se um jogador espera o ano todo para mostrar sua técnica em menos de 1 mês de torneio no seu piso predileto, o mesmo se depara com um piso diferente, no caso lento, atrapalhando E MUITO o seu jogo. Como disse, NÃO É DESCULPAS PORQUE O FATO É REAL e não caracterizo como mimimi, mas como uma reinvidicação.

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Alex, por acaso querem matar a essência do esporte?
        Desde que esportes existem, sua essência consiste na superação do ser humano (atleta) em superar seus limites. Veja o basquete americano: nos anos 80, quando iniciaram as cestas com enterradas, foi algo inacreditável. Hoje os caras parecem possuir molas nos pés ou asas nas costas, porque simplesmente voam e enterradas não são mais exceções. Da mesma forma o saque viagem ao fundo do mar, no voley. Quantas vezes a F1 limitou as velocidades dos carros em função dos pilotos sempre supera-las? O motor turbo chegou a ser proibido antes da década de 90, salvo engano.
        Pode parecer ambíguo o que escrevi, mas acho que se as quadras de tênis continuassem como antigamente, com cada torneio com seu estilo peculiar, talvez teríamos apenas jogadores de saibro, vencendo RG, jogador de grama vencendo Wimbledon e jogador de hard court vencendo US Open e AUSOpen. Lembro que quando conheci o Guga (TV) o maior atributo dele era “especialista no saibro” e foi uma grande conquista vencer Cincinatti e chegar às quartas no US Open. Nunca passou da segunda rodada na Austrália. Talvez houvesse uma acomodação nesse conceito de especialista em saibro não vencer na dura. Sempre falo aqui, hoje, com quadras lentas, sacam à 240 km/h. Na época das rápidas, não chegavam perto disso.

        Responder
    5. Marcelo

      “Escândalo da Copa de 98”? Pelamor…É cada coisa que temos que ler. O Brasil não pode perder pra ninguém no futebol? E em 2014? Teve escândalo também?

      Responder
      1. Angela B.

        Como a falta interpretacao de texto por aqui eh notoria…
        E nao foi soh uma figura….foram VARIOS que ‘leram’ meu comentario…e nao entenderam nada!!! kkkkk
        Mas valeu a tentativa. kkk
        Ate a proxima, garotada!

        Responder
  28. Pedro

    Dalcim,

    De novo o Federer falando da velocidade do jogo. É difícil achar que ele está errado. Mais um sacador fora, desta vez o canadense. Pelas condições está tudo indo para o Nadal, mas, como jogo é jogo, vamos esperar para ver. O espanhol deve ter um jogo tranquilo com o americano, porque saque neste ano não ganha jogo. O Federer deve ter bem mais trabalho com o japonês, desgastando-se fisicamente. Depois jogar com o Nadal vai ser bem complicado. É quase como jogar contra o Nadal no saibro. E em uma eventual final entre Nadal e Nole, ainda acho que o espanhol ganha.

    Responder
  29. Angela B.

    E falando das meninas – o duelo das Karolinas foi demais. Estava torcendo muito p/ a Pliskova, mas Muchova jogou muito e mereceu a vitoria….e pelo que vem jogando, ela parece ser a favorita contra Svitolina. E se Halep vencer a Zhang (torcendo aqui!) …essa possivel semi (Muchova vs Halep) seria bem full-on. —————- Torci bastante pela Kvitova tb (sou fan dela)…mas a Konta estava muito inspirada. E com a torcida a favor, tem tudo pra bater a Strycova e jogar contra a Serena numa eletrizante semi-final – caso passe pela Riske..mas acho que passa – apesar de achar que nao vai ser tao facil assim p/ a Serena. Alias, espero que esse seja mais um jogo emocionante.
    Qto a derrota da Barty…nao me surpreendeu (ate pq Riske eh perigosa na grama). Porem, apesar da qualidade tecnica e solidez do seu jogo atual, Barty tem que focar e parar de entrar no “oba oba” da imprensa australiana.. caso contrario, nao vai conseguir se segurar como No 1 por muito tempo.

    Responder
    1. Ronildo

      Dá até vontade de chorar saber que a Kvitova pode encerrar a carreira sem nunca ter chegado a ser 1 da WTA. Ela jogou pra caramba na final do AO, mas a Osaka fez uma partida perfeita!

      Responder
      1. Angela B.

        Tambem acho isso uma pena…E sem desmerecer a Barty (atual No 1)..considero a Kvitova mais jogadora do que ela…
        Porem, Kvitova teve seus problemas c/ lesoes, e tb desperdicou grandes chances…como essa (por exemplo) em Wimbledon, contra Konta – qdo ja estava recuperada. Portanto, ela tem que ficar mais esperta….se quiser alcancar o No 1 ou outro grand slam.
        Talento ela tem….Abs

        Responder
  30. Angela B.

    Uma coisa boa da cultura australiana em relacao ao tenis, eh que o povo nao gosta de ver jogos sem emocao, como estah acontecendo nas partidas do big 3, onde os adversarios ja entram derrotados; por isso os espectadores perdiram em massa p/ darem prioridade (especialmente ontem) aos jogos femininos que (com razao) estavam muito mais interessantes e competitivos. E o channel 7 (ainda bem!) respeitou o desejo da maioria – deixou de lado os jogos masculinos e mostraram apenas as meninas..com excecao do Federer que foi o ultimo jogo e nao tinha mais mulheres jogando. Porque se tivessem, o jogo do Federer tb ficaria pra ‘escanteio’.

    Ps – quem gosta de tenis (de vdd) gosta de ver jogo jogado, e nao 3 jogadores (exclusivamente) batendo em um bando de cachorro morto. Soh fan fanatico que gosta desse non-sense…e como muitos ja devem ter reparado, sou fan do Federer, mas me nego a perder meu tempo c/ partidas em que seus adversarios nao mostram qualquer brio ou resistencia p/ vence-lo. To fora!
    E palmas p/ as meninas…que estao salvando Wimbledon desse marasmo que se tornou o tenis masculino c/ a hegemonia do big 3 em grand slams.

    Responder
  31. DANILO AFONSO

    É um tal de reclamar da suposta lentidão da grama. Choradeira inútil e cada vez mais intensa e repetitiva à medida que o NADAL vai avançando para termos um FEDAL.

    Entendam que diferentemente dos torneios da ATP, os GRANDS SLAMS tem autonomia para mudar a velocidade do piso. Se os organizadores optaram por desacelerar os pisos nos últimos anos, certamente chegaram a conclusão que seu produto é mais vendável assim, apesar de jogos mais longos. Seja na TV seja ao vivo, o maior número de trocas de bola no geral é muito muito mais interessante do que presenciar um enfadonho torneio com média de 3 a 5 toques por ponto como era antigamente quando tínhamos no circuito vários jogadores adeptos do saque voleio.

    A maioria dos pisos do calendário criaram um obstáculo maior aos jogadores limitados, que sem consistência no jogo de base, são dependente de um excelente 1º saque e/ou golpe descomunal executado sem inteligência. O tênis moderno exige uma construção maior dos pontos. Não é qualquer pancada favorecida antigamente pelo piso rápido resultará em winners. É muito mais interessante ver o tenista construindo o ponto com toques racionais, com approach pontuais, com ou sem voleio. Se não estiver enganado, temos muito mais drop shot em razão de termos muitos jogadores “plantados” na base.

    O piso mais lento, porte atlético dos tenistas e as modernas raquetes possibilitaram que os jogadores entre mais nos pontos após o saque do oponente, resultando maior número de breaks e quebras. É muito mais emocionante para o público. Aumentou a probabilidade dos “goleiros defenderem os pênaltis cobrados”. O público suspira com as longas trocas.

    Quando bater aquela nostalgia, vai no youtube que a carência passa.

    Viva ao TÊNIS MODERNO !!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Apenas para explicar, Danilo: Federer não reclamou da grama por si só, mas foi questionado sobre isso (mais uma vez) e aí sim deu sua resposta e exemplificou com o próprio adversário.

      Responder
      1. Gabriel

        Dalcim, como os organizadores alterariam a velocidade da quadra? você acha que isso realmente aconteceu ou é mais uma teoria da conspiração pra justificar a eliminação de jogador X e Y?

        Responder
    2. Jonas

      Exatamente Danilo. É um saco assistir um jogo só de saque e voleio, nem perco tempo. Quem não gosta de assistir o tênis moderno, desligue a TV ou vai ver vídeo do Isner no youtube.

      Responder
    3. Paulo Almeida

      Li um sequência maravilhosa de fatos. O maravilhoso tênis de fundo sepultou o tenebroso saque-voleio. Servebots praticam o anti-tênis e não merecem ganhar nada.

      Responder
  32. Júlio Marinho

    Fale Dalcim,
    tinha quase desistido de comentar, mas quando vi seu primeiro parágrafo me animei de novo. Mas é um enorme desabafo.
    Eu quero resumir em poucas palavras o simples fato de que nem sei dizer o que anda mais desinteressante, o tênis masculino ou feminino. Ambos por óbvias razões.
    Se você contasse para alguém há uns 15 anos que um trio de 33/34/38 anos estariam dominando o circuito, com LARGUÍSSIMA vantagem, te acusariam de louco. São jogadores espetaculares? Claro! Os maiores de todos? Possivelmente. Mas não dá para engolir essa old gen, middle old gen, next gen, super next gen. Que bando de jogar sem gana de romper a barreira da real competitividade. Se fosse impossível, Nadal jamais teria 2 Wimbledon, Djokovic jamais teria dado o pulo do gato e virado o H2H contra os dois “maiores”. Os jogos do big 3 hoje foram apenas mais um capítulo triste sobre o abismo de vontade que existem entre eles e qualquer um atrás. Teriam chance de vencer? Difícil, mas o fato é que eles nem permitem que haja espetáculo. João Sousa perde dois serviços no início de cada um dos dois sets. É tão difícil assim na grama chegar no 3-3, para perder com parciais mais recentes. O Berrettini e o Humbert não valem nem o comentário. Que lástima. Sou torcedor do Federer desde o início, mas até eu já não aguento mais essa mesmice, essa falta de gana no circuito. Apesar de uma personalidade que não cativa, mantenho algumas poucas fichas no Tsitsipas, pela atitude. Onde está o Shapovalov? Quando vejo Dimitrov e Zverev fico até com vergonha alheia. Será maldição do finals? Será que eles pensaram que já chegaram depois do título? E, depois disso tudo, penso depois do Raonic falar que depois que o big3 parar vai ficar mais aberto: Por que o BIG3 pararia? Todos dizem que precisam ter amor ao esporte e permanecem competitivos, acho que estão longe de perderem isso.
    Mais curto sobre o tênis feminino. Se todo Grand Slam tivermos 42 jogadoras que podem virar número 1 e a cada semana o top 10 vira de cabeça para baixo não dá para acompanhar. Se alguém quiser curtir muitos riscos em apostas, o tênis feminino é seu lugar, nada mais imprevisível. Todo Grand Slam tem não sei quantas nunca antes vistas jogadoras em 4as, semis, finais.. e na semana seguinte começa o inferno astral, parece que elas estão lutando contra os demônios na quadra, ficam infelizes, não dá para entender. A Osaka que quebrou a regra e levou 2 Slams seguidos, passou a jogar seguidamente mal, infeliz, cara amarrada na quadra. E o motivo? Não era para estar confiante? Pior para mim é engolir a Serena, que é realmente é que dominou, mas a antipatia dela não me desce. Saudades das Belgas Henin, Clisters e da Venus mais nova. E pior, dá um trabalho danado para você decorar esses nomes tchecos, russos, bielorrussos, poloneses para viver 3 meses de competitividade. Torcendo por Halep, pelo menos é bem carismática.
    Dalcim, não sei se teve fôlego de ler tudo, e nem te culpo (rsrs), mas seus comentários no jogo do Federer me dizem que você estava se irritando com o péssimo (e previsível) desempenho do Berrettini. Me dê umas poucas palavras de consolação, tênis masculino ou feminino, estou aceitando até duplas mistas pra me animar..kkkk

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Júlio, concordo com tudo que disseste sobre o tênis feminino, mas no masculino, discordo em quase tudo.
      O Big3 está aí não mais para fazer história, mas sim, para evitar que outros a refaçam, kkk.
      E eu, como fiel torcedor de um deles, gostaria que ganhasse ainda mais, porque sei que o final dos três fatalmente chegará e, o que lhe chateia hoje, será motivo de saudades amanhã.
      Também acho exagerado esse excesso de respeito (no bom sentido) que muitos têm pelo trio, como declarou o Raonic. Parecem conformados com a falta de títulos apenas porque existe três caras além do horizonte.

      Responder
  33. Rodrigo S. Cruz

    Começo a colocar as barbas de molho.

    Porque hoje, novamente, o Federer reclamou das condições ultra-lentas de Wimbledon…

    Ele disse que a bola realmente não está andando:

    “Quando você saca a 220 km/h, como Berretini, você deveria fazer mais aces. Acho que há algum problema com a velocidade da bola ou das quadras”.

    Pelo visto, os dois representantes máximos do MALDITO maratênis, entrarão como favoritos diante do suíço.

    Será um jogo muito duro contra Nadal; e se sobreviver a ele, mais duro ainda contra o Djokovic…

    Responder
  34. Alexandre G.

    Com as quadras de WB lentas e apenas dois slam separando Federer e Nadal, se der Fedal aí sim vamos ter um verdadeiro duelo, e não aquela ventania do deserto de RG.

    Responder
  35. Jônatas

    Eu ainda não estou com essa empolgação toda com o nível dos top 3 no sentido de saber quem está melhor. Vi adversários bem abaixo do nível deles, talvez o Kyrgios mas esse nem estava tão bem assim comparando com ele mesmo. Então sinceramente não sei o que esperar. Com o afunilamento talvez possamos ter uma idéia melhor.

    Responder
  36. Jônatas

    Deixa eu colocar o Dalcim em uma sinuca de bico, pero no mucho.

    Numa eventual final quem tem mais chances de tirar o título das mãos do Djokovic? Nadal ou Federer?

    Responder
      1. Wilson Rocha

        Baseado em que Dalcim?
        Histórico fora do saibro, a partir de 2011, ta 13 a 2. Última vitória de Nadal foi em 2013, na grama, 2008 (7/6 e 7/5). Sem contar que Djoko estar numa fase melhor que em wimbledon 2018. Se acontecer o encontro será igual o australian open 2019.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho que sua pergunta foi quem teria mais chance de derrotar Djokovic na final, não foi? Então eu acho que, no momento, Nadal teria um pouco mais de chances que o Federer. EU não falei nada sobre a eventual final entre qualquer um deles.

          Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Hoje eu daria, mas ainda falta uma rodada e precisamos ver o que acontece. Vai precisar sacar bem e ir firme à rede e acho que um ponto essencial é bater mais a devolução do que bloquear.

      Responder
      1. Jônatas

        Abaixar a bola é essencial, ainda mais em piso de grama.

        Noto que o Federer não está batendo tanto de BH mas dando mais slices. Ok, pode funcionar mas tem que ser preciso. Slice é um fundamento importante que dá variação e permite dar tempo para se reposicionar e não ser atacado pois a bola vem baixa e pinga pouco.

        Responder
  37. Denis

    Dalcim, parabéns pra vc e o tenisbrasil por não terem criado polêmica inútil, como varios sites internacionais tem feito, com a frase do Nadal sobre a Barty na entrevista de hoje.

    Responder
  38. V Mauricio

    Boa noite meus nobres.
    Realmente essas oitavas de final foram muito frustrantes, sem graça e sem nenhuma emoção (falando do big 3). Em nenhum momento algum dos 3 jogos chegou perto de gerar dúvidas sobre o resultado final da partida. Espero que as quartas sejam mais emocionantes. Acho que quem terá o jogo mais tranquilo será Djoko. Querrey tende a dar muito trabalho ao espanhol e Nishikori tem totais condições de ser um primeiro bom teste para Federer nesse torneio. Mesmo assim, ainda acredito que os 3 passem. Na minha visão quem foi mais exigido até agora foi Nadal e dos 3 foi o que jogou melhor, até porque os outros 2 nem precisaram jogar tanto assim. Dito isso, num eventual Fedal nas Semis, ainda acho que o suíço vence em 4 sets, sucumbindo logo a seguir para Novak Djokovic, que conquistará seu pentacampeonato em Londres. Está tudo desenhado pra isso. Certo Dalcim?

    Responder
  39. Carlos

    Dalcim, na transmissão de TV de uma partida em Wimbledon há mais de 10 anos, lembro de o comentarista ter dito que o torneio oferecia tickets gratuitos vitalícios para todos os jogadores que um dia atingiram as quartas de final do torneio. O comentário em referência citava como exemplo André Sá, que tinha chegado às quartas de simples uns anos antes. Bastava ao tenista requisitar os ingressos, caso tivesse interesse em assistir aos jogos. Não me lembro (ou o comentarista não disse) se a regra valia para duplistas, qual era o tipo de ingresso, se dava direito a acompanhante, etc. Você sabe se essa premiação adicional ainda existe? Se sim, poderia fornecer mais detalhes sobre como funciona? Obrigado.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim. Os quadrifinalistas de simples e os semifinalistas de duplas formam o que eles chamam de Clube dos 8 e passam a ter essas regalias. Não sei te dizer quantos ingressos diários são reservados a eles e para quais quadras, mas não creio que sejam muitos, acredito que no máximo dois, porque isso tornaria a venda de ingressos quase impossível. Até 2019, entravam 39 mil pessoas no total (é a lotação máxima), que subiu para 42 mil neste ano com algumas melhorias feitas. Abs!

      Responder
  40. Gabriel

    Dalcim, assisti a alguns jogos do Djokovic e do Nadal, me parece que o espanhol está mais firme, pois ganhou muito bem de adversários respeitáveis. Já o sérvio pareceu oscilar um pouco, principalmente contra Hurkacz, talvez até pela falta de gabarito dos adversários. Mesmo assim você, pelos comentários, ainda acredita mais no sérvio num possível final entre os dois. Pq vc enxerga essa vantagem e quanto é perigoso os jogos das quartas pra esses dois favoritos? Parabéns pelos comentários, abraços!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o mais perigoso é o Querrey, porque tem boas variações e muita experiência na grama. Em 2015, ele esteve bem perto de ganhar do Djokovic. Acho que Djokovic e Nadal estão num mesmo patamar no momento, mas é sempre difícil avaliar porque eles não jogaram com os mesmos adversários, que por sua vez tinha estilos diferentes. Acho que uma final entre eles tem menos a ver com técnica e mais com emocional, daí eu achar que Djoko pode ter uma pequena vantagem.

      Responder
      1. Jônatas

        Ao meu ver o Djoko sempre leva vantagem num confronto contra o Nadal pois dentro do estilo de jogo deles, jogando no fundo, o Djoko é melhor. Aliás, ele é o melhor jogador de fundo de quadra que existe sem dúvida. No auge dos dois o Wawrinka até dá um bom suor no Djokovic mas o sérvio é mais regular contando todos os pisos. Não tem defeitos jogando nesta parte da quadra.

        Num eventual confronto entre os dois (Djoko e Nadal) na grama penso que o Nadal teria que ter mais variações com slices e deixadas. Se jogar só de fundo vai dar Djokovic.

        Responder
  41. André Rodrigues

    Dalcim, nessa reta final de Wimbledon, qual seria o percentual de o título não ficar nas mãos do Big 3, e qual seria o maior candidato a tirar esse título das mãos dos 3 ?

    Responder
      1. Carlos

        O Querrey, por exemplo, para ser campeão precisa fazer um milagre: ganhar do Nadal nas quartas; do Federer, na semi; e do Djoko na final. Se fizer isso será a maior façanha da história do tênis…rsrs

        Responder
  42. joao sandin

    Dalcim o que determina a velocidade da quadra de grama? O tipo de grama, a altura do corte? Pq a bola de wimbledon é a mesma de halle não? E as quadras parecem tão mais lentas que ano passado?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Há muita discussão sobre isso. Fala-se do tipo de grama, da altura de corte, de mais areia na quadra e até do clima. Não há um consenso.

      Responder
  43. Gilvan

    Se é para deixar a grama tão lenta ao ponto do Guido Pella chegar tão longe, é melhor extinguir a grama do circuito. Isso que estamos vendo em Wimbledon é uma caricatura do que deveria ser um torneio na grama. E isso que ainda estamos no começo da segunda semana, em que as quadras ainda não viraram aquele terrão…
    Dalcim, não te desagrada essa pasteurização do circuito? Fora Cincinatti e Shangai os torneios variam das quadras lentas para as quadras muito lentas. Não é a toa que temos os 3 maiores vencedores de Slam atuando numa mesma época.

    Responder
      1. Jefe

        Eu também estou impressionado com a lentidão da quadra, mas me parece que em 2015 a quadra também estava tão lenta quanto agora. Lembro que foi um ano em que tivemos intermináveis ralis na grama, o que muitos acharam estranho. Mas o assunto não teve tanta repercussão quanto agora.
        Também sou a favor de haver maior diferenciação das quadras evitando a padronização do estilo de jogo, mas parece que a ATP já fez sua escolha há bastante tempo. Preferem as trocações de bola, infelizmente.

        Responder
  44. Jônatas

    Eu vi mesmo o jogo do Nadal e João Souza.

    Fiquei realmente apreensivo com alguns erros básicos do português (e não DE português hehehehe) . Ao menos para melhorar o jogo. Insistiu em saque aberto do lado direito da quadra e levou passadas e devoluções fulminantes do espanhol. Demorou para variar o saque. Depois fiquei NEGATIVAMENTE impressionado com o BH. Ele NÃO DAVA SLICE. Ele tentou bater a bola de BH o tempo todo. Então esta voltava no MEIO da quadra mole mole para o espanhol fazer o que bem entendia. Todo mundo sabe que isso é fatal. Nadal costuma angular a bola contra destros quando a bola vai mole em seu FH e foi exatamente o que aconteceu. Para cada bola no meio voltava uma que definia o ponto. Não sei por quê não usou slice para baixar a bola e logo impedir uma agressão mais aguda. Depois a confiança vai diminuindo e fica complicado ter um jogo de bom nível. Que diferença de tênis (e de percepção do jogo). O Djokovic passeou, Federer pelo visto também. Vamos ver novamente o Big 3 levantar a taça sem dúvida se é que essas 4ªs estão bem mais interessantes. Eu acho que Djoko passa. Nadal e Federer terão algumas dificuldades. Eu acho que o Nadal terá mais problemas dos 3 tops mas penso que passe também, não sei, vamos ver.

    Responder
  45. Gustavo

    Mestre, boa noite!

    Moya não gosta de SW19? Ano passado eu não o vi em nenhum jogo e tampouco o vejo no camarote do Nadal em 2019…

    Sabe de algo?

    Neste caso, o Nadal manteria contato com seu técnico principal, mesmo tendo o Roig e o Tomeu consigo em Londres?

    Obrigado!

    Abraços

    Responder
  46. José Eduardo Pessanha

    Craque Dalcim,
    Se você pegar a média de idade dos quatro adversários que o Craque venceu até agora na Grama Sagrada, verás que Federer tem exatamente 15 anos a mais de idade. A média de idade dá 23 anos – cravados – para os rapazes. Como Federer tem 37 anos e 11 meses, está aí: 15 anos de diferença. Assombroso.
    Abs

    Responder
    1. PIETER

      Realmente um espanto!
      Palpito que tornaremos a rever um Fedal na semifinal de Wimbledon e, dada a extrema lentidão das quadras este ano (praticamente um saibro verde) e a forma exuberante do Touro Miúra, adivinhem quem é o favorito para mais este jogaço?!!
      Ainda assim, só uma fenomenal zebra tira mais um título de Wimbledon do Djokovic. Ele é o maior favorito, penso eu.
      Entre as mulheres acho que a experiência da Serena e, segundo a própria, a recuperação de sua forma física devem levá-la a, enfim, conquistar o tão sonhado 24o título.

      Responder
  47. Rafael

    O Big 3 passou por cima; literalmente! A distância deles para os outros parece que só aumenta. Acho que das quartas, o jogo mais perigoso é Nadal x Querey, pois o americano está sacando demais! Concorda mestre? Mas, eu ainda acho que teremos Nadal x Federer e Djoko x Bautista Agut.

    Responder
  48. Antônio Carlos Marques Mota

    Uma das coisas que torna os slams atrativos é justamente a mudança de piso. Borg será sempre reverenciado por ganhar Wimbledon e RG de forma consecutiva saindo da extrema lentidão de Paris para a espantosa velocidade de Londres. Isso acabou. Parece que ainda estamos na França e que estamos vendo Roland Garros disputado em um saibro verde. Pella, ainda mais do que Nadal, é a prova disso. O canhoto espanhol é mais favorito do que Federer nestas condições. Wimbledon não existe mais. Adeus saque e voleio e o jogo de rede. Pena.

    Responder
  49. Nattan Lobatto

    Excelente análise, Dalcim. Sempre arguto, parabéns!

    O big 3 teve um treino de luxo hj, destaque para o Leão da montanha, confesso q pensei q o italiano ia dar mais trabalho ao suíço, só ñ deu pq Federer percebeu o enorme buraco q Berrettini tem no seu BH e variou bastante com seu enorme arsenal.

    Nadal tá voando, creio q vai tratorar se chegar na semi jogando assim, venha o q vier.

    Novak deu mais um passo e mostrou pq é o jogador com a melhor devolução de todos os tempos, jogador completaço e sempre buscando a perfeição…

    Abs, faltam 3 e 53 semanas…

    Responder
  50. Antônio Luiz Júnior

    como sempre, sua análise é muito bem fundamentada e coerente. impresiona a capacidade do Big 3 em se reinventar e continuar fazendo história. Somos sem dúvida alguma privilegiados por vê-los jogar em tão alto nível com o passar dos anos. Longe de querer elencar qual o mais importante ou o maior de todos, prefiro aplaudi-los pelo que representam. Três gênios do esporte. Profissionais na acepção da palavra. Exemplos a serem seguidos independentemente de preferência. Escolher um preferido é válido, é um direito de cada um. O que não me parece justo é desmerecer os demais, sob nenhuma hipótese. São igualmente gênios, é devem ser respeitados.

    Responder
    1. Roger Porciuncula

      António, concordo com você em gênero, número e grau. É lindo ver o Big3 em ação. Sou torcedor do sérvio, porém admiro Nadal e Federer. Na minha humilde opinião, são os melhores de todos os tempos neste esporte maravilhoso que é o tênis.

      Responder
  51. Sérgio Ribeiro

    E realmente a Zebra caminhou como o previsto , no lado das meninas. A N 1 sentiu muito a pressão , mas vai se manter no Posto com qualquer resultado. Pella fazendo esse estrago na ” Grama ” ??? Sei , … rs O Touro com a bolinha a sua feição , sem precisar se agachar muito, tomou conta da Quadra Central . Novak e principalmente o Velhinho , terão que tirar muito da manga pra impedir o 19 do Espanhol rs Abs!

    Responder
  52. Luis

    Olá mestre! Se o senhor fosse apostar toda essa sua imensa fortuna, em qual final apostaria pra esse Wimbledon tendo em vista o que se mostrou até aqui e as condições do torneio?. E o campeão da chave masculina?. Minha aposta ( não minha torcida) é pra Nadal e Djoko na final, com vitória do sérvio! E a sua mestre? Abraço

    Responder
  53. Evaldo fontes

    vejo o big 3 bem dominante! dificilmente o título escapará de um dos 3. sou torcedor do professor Federer, mas , apesar da belíssima exibição que fez hj , não o coloco como favorito ao título. Nadal e Djokovic estão mais sólidos na base , o que é essencial numa quadra de grama q não está tão rápida…

    concorda dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O BErrettini jogou muito abaixo, então é difícil dizer algo. No entanto, serviu para a confiança, com certeza. Acho que op jogo contra Nishikori possa dar ideia do ritmo ideal.

      Responder
  54. Pedro

    Dalcim,

    Pela jogos de hoje, acha que o Nadal é quem está jogando melhor? Fiquei na dúvida entre ele e o Djoko, mas achei o Nadal mais ofensivo. Na minha visão Federer está um pouco abaixo dos dois.

    Responder
  55. Mário Cesar Rodrigues

    Boa noite,bem cada jogo é perigoso na grama quanto a Rafa eu penso que vai ganhar e bem do Americano.Mas Federer se lei estiver bem podem ir a 5 set mas o Lei é conhecido pelo seu estado físico se estiver bem fisicamente pode até ganhar do Federer.pois o suíço está faltando jogo de pernas e força está a jogar com a técnica pegando um cara bom vai ter muito trabalho. AGIR TAMBÉM TEM CHANCES ENFIM DAVI ESTÁ GASTANDO MUITO DENTRI DA QUADRA VAMOS VER.PELLA UMA NOVIDADE BOA MERECE POIS LUTOU.

    Responder
  56. Gerson

    Oi Dalcim, você poderia me informar sobre a regra daquela jogada, que a Ostapenko acertou a Kornet no Saque, onde ela não era a pessoa que fazia a devolução, e o ponto foi para a Ostapenko??? Por favor, obrigado!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A regra diz que não se pode tocar na bola do saque antes de ela quicar no chão. E não importa onde a bola vá. Portanto, a Cornet perdeu o ponto.

      Responder
  57. Eduardo

    Dalcim, oq achou daquela pergunta na entrevista do Nadal? O repórter deu a entender q a Barty deveria jogar na central no lugar dele. Achei bem sensata, respondeu à altura.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Que bobagem essa polêmica sobre as quadras. Não dá para comportar todo mundo, simples assim. Não tem sentido trocar o Nadal pela Barty.

      Responder
  58. Matheus Lago

    Impressionante o jogo do Federer hoje: apenas 5 erros não forçados e 5 games perdidos contra um Berrettini totalmente fora do script, um dos resultados mais inesperados ( pelo placar e pela forma como foi), enfrenta Nishikori para superar Connors em vitórias na grama.
    Nadal e Djokovic venceram como era esperado, méritos por terem sido sólidos e não terem dado mole para o azar, Guido Pella demonstrou toda a sua raça e determinação para virar um jogo praticamente perdido para o Raonic: torcida para o argentino contra o Agut na próxima rodada.

    Responder
  59. Nando

    Eu esperava q Berrettini complicasse hoje pro Rei, mas ele lembrou mto o Rublev contra o nadal no USO2017. Vinha fazendo uma boa temporada de grama, mas sucumbiu fácil contra a zebra suíça.
    Nos outros jogos, td normal…exceto mesmo pelo Pella (o q mostra a lentidão dessa “grama” (está lembrando mto IW e Miami).

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *