Poucas palavras dizem muito
Por José Nilton Dalcim
21 de junho de 2019 às 19:48

“É decepcionante perceber que Felix (Auger-Aliassime) é melhor do que eu, porque iremos nos enfrentar muitas vezes nos próximos anos. Ele tem tudo: saque, devolução, golpes de base e rapidez, o pacote é completo.”
Stefanos Tsitsipas

“Esteja eu treinando golpes ou trabalhando na musculação, estou sempre me vendo dentro da quadra, jogando esse tipo de partida e ganhando esses jogos tão grandes.”
Felix Auger-Aliassime

“Não estou surpreso pela dificuldade (de enfrentar Roberto Bautista) e gostei muito da batalha. Ele já venceu grandes jogadores, tem um forehand perigoso. Este tipo de jogo me ajuda a ganhar ritmo.”
Roger Federer

“Quando era criança, eu via Roger (Federer) na TV e ficava imitando seus golpes. Cinco anos atrás, bati bola com ele e ele conversou comigo, se mostrou interessado em mim”.
Pierre Herbert

“Meu sonho é entrar no top 10 do ranking, mas não quero chegar lá e ficar uma semana apenas. Por isso, tenho paciência para construir meu lugar.”
Daniil Medvedev

“Entro na quadra para tentar jogar melhor e me divertir. Se o número 1 acontecer, aconteceu. É uma coisa natural.”
Ashleigh Barty

“Jogar em Wimbledon depois de tantas semanas sobre a terra é a transição mais radical que existe hoje no tênis”.
Rafael Nadal

“O jogo contra (Denis) Shapovalov pode ter sido o último de minha carreira”
Juan Martin del Potro

“Como eu poderia aceitar ajuda de Novak (Djokovic) se ele grita com os pegadores e atira bolas nas arquibancadas? Mas ninguém vê isso.”
Nick Kyrgios

E mais
– Feli López ganhou o sonhado convite para Wimbledon e assim ampliará para 70 o recorde de participações seguidas em Slam
– Aliassime acaba de entrar para o top 10 do ranking da temporada. A lista tem cinco nomes com menos de 26 anos: Thiem, Tsitsipas, Medvedev e Zverev são os outros.
– Matteo Berrettini chegou a oito vitórias seguidas sobre a grama e nesta série teve apenas um game de serviço quebrado (Seppi na segunda rodada de Halle).
– Luísa Stefani decide duplas em Ilkley com Bia Haddad e o título a levará ao 106º posto do ranking.


Comentários
  1. Geailton

    A piada da vez é o sujeito que briga com boleiro, juiz, torcida, treinador e até a mãe, dizer que não aceita ajuda de alguém por brigar com boleiro. Estou começando a acreditar naqueles que dizem que Kyrgios é louco

    Responder
  2. Sérgio Ribeiro

    O Tênis apresentado pelo Belga David Goffin no primeiro Set da Final , foi de deixar pra trás os maiores especialistas na Grama rápida. Não atoa bateu o dono da Casa ( Sasha já tinha feito duas Finais ) e tratorou o talentoso Italiano. Como disse o Craque na coletiva , teve varias chances. Precisou o Rei da Grama usar toda a sua experiência pra empurrar para o Tie-Break. E no embalo quebrar o Belga de prima no segundo Set, encaminhando o seu DÉCIMO NONO título na Grama. Se levarmos em consideração que já tivemos 3 SLAM simultâneos na Relva , e mais Torneios no passado, considero que se Laver e Sampras ( mais recentemente) , ficaram tão distantes, dá pra afirmar que esse número dificilmente será batido . Arrrisco a dizer que os Oito em WIMBLEDON também, mesmo que Novak vença essa próxima edição. Sampras nunca se furtou de mostrar a cara em Queen’s, assim como McEnroe e Connors. Há de se respeitar o fato de Novak e Rafa optarem em se preparar em quadras mais lentas. Problema deles . Abs!

    Responder
  3. José

    “Como eu poderia aceitar ajuda de Novak (Djokovic) se ele grita com os pegadores e atira bolas nas arquibancadas? Mas ninguém vê isso.”

    Aqui nessa frase pra mim é como se um assassino ou traficante falasse de alguém que pisou na grama ou que atravessou o farol vermelho.

    Responder
  4. Márcio

    Um brinde a nosso amigo Federer, obrigado…bela semana, rumo a wimbledon e q faça um bom torneio. O jogo na grama é maravilhoso. Abraço a todos

    Responder
  5. Mateus Mello

    O Atp de Halle sempre foi o mais fraco da temporada de grama, tinha o Federer e mais um monte de top 100, enquanto Queens leva todos os tops. Mas isso não diminui em nada os feitos do Federer, saber escolher o torneio mais fraco pra garantir o título é sinal de inteligência. Ter 50 títulos de 250 é pra poucos.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Quanta bobagem ao mesmo tempo , caro Matheus. Roger Federer não escolhe nada. Ele tem contrato Vitalício. Coisa inédita na Era Profissional. Novak e Rafa já participaram antes, mas resolveram se afastar… Na boa, pegue a relação dos 6 ATPs que existem na Grama. Queen’s é de fato o mais tradicional. E ATP 500 somente ele e Halle. sttutgart foi rebaixado para ATP 250 . Abs!

      Responder
  6. Guilherme

    Mestre!

    Um final de semana histórico, com dois dos jogadores “mais velhos” do circuito – ambos com 37 anos – ganhando títulos. Isso merece um belo post, não?

    Aguardo ansiosamente seu próximo post!

    Abração!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E um detalhe importante, caro Guilherme. Feliciano Lopez atinge o Bi-Campeonato em Queen’s ( 2017 e 2019 ) , no primeiro bateu Cilic que viria a bater Novak no ano passado , e em duplas com Andy Murray no ano de sua aposentadoria. O Canhoto possuidor de 4 Títulos na Grama ( se igualando a Rafa Nadal) , se aposenta com uma campanha rigorosamente idêntica ao também Canhoto e conterrâneo, Fernando Verdasco, com 7 Títulos ATP e 3 Quartas de Final em SLAM. Com seu belíssimo estilo Saque-Voleio ( um dos últimos dos Moicanos) , merece tanto quanto Verdasco o recorde de participações em SLAM consecutivos, a meu ver. Abs!

      Responder
  7. André Barcellos

    Dalcim, Goffin praticou um tênis de altíssimo nível no primeiro set.
    Vários saques a mais de 200 km, uma velocidade de pernas incrível e muito sólido na base. Além de devoluções espetaculares.
    cheguei a duvidar do que o suíço poderia fazer pra virar.
    Mas é evidente que, com a perda da confiança depois do tie break ele também perderia a intensidade em algum momento.
    Federer se sustentou pela experiência nessa final, concorda?

    Responder
  8. Rodrigo Azevedo

    Feliz pelo Goffin ter alcançado a final, ele merece. Torci pelo Lopez, conseguir um título com a idade dele no final da carreira deve ser emocionante.

    Responder
  9. Athos

    Dalcim

    O que acharia se Wimbledon construísse mais uma quadra com o fim de preservar as principais apenas para semis e finais ? ou usar essa quadra nova para as semis e finais ? acredito que apesar da tradição , uma mudança desse tipo seria muito bem vinda , já que nas semis e final as quadras ficam totalmente debilitadas .

    Responder
      1. Athos

        Exatamente , porém se tem um torneio que seja difícil ver mudanças é este , mas seria genial se apenas as semis e final fossem jogadas com a grama verdinha , isso nunca deve ter acontecido rs

        Responder
  10. Pedro

    Dalcim,

    As vezes é difícil ter uma opinião a respeito do Federer. Ao mesmo tempo em que considera-se a idade, vemos que ele chegou longe em RG. Você acha que ele tem chance real de aguentar as duas semanas de Wimbledon e brigar pelo título?

    Responder
  11. Paulo Almeida

    Como disse ontem, mais um 500inho em cima de ninguém pra encher linguiça, quer dizer, currículo, kkkkk.

    Nos Big Titles, que é o que interessa, está 54×53 apenas para Frauderer é nos títulos em cima de grande, coisa de 25 a 30 títulos a mais para o GOAT Djokovic, o mais talentoso da história.

    Porém, é legal ver os fedtards iludidos de novo. Nunca aprendem.

    Responder
    1. André Barcellos

      Cada big title deveria valer segundo sua pontuação.
      Ridículo igualar uma conquista em Wimbledon ou RG com uma em Shangai ou Monte Carlo.
      E ainda tem gente que cai nessa balela de big titles.
      É como igualar ouro, prata e bronze em Olimpíadas.
      Só pra lembrar: Federer recordista nos maiores torneios (20) e nos segundos maiores (6).
      Empatados No Bronze vem o resto na galera disputando pescoço a pescoço.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Balela na verdade é acreditar que um título em cima do Baghdatis tem o mesmo peso de um passando por Fregueser na semifinal e pelo Capivara na final. Os caras foram enganados na cara dura mesmo pelo Weak Era GOAT.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Título é título, ô fake….

          E poucos são os que ganham.

          Há de se respeitar os títulos de todos, até os do “caveira” da Sérvia…

          Responder
        2. André Barcellos

          Baghdatis que tinha vencido Nalbandian, Ljubicoc.
          Federer vencido Haas e Davidenko (que tem h2h vantajoso sobre Nadal).
          Vc realmente acha que um torneio de 7 jogos com 128 jogadores na chave (Novak dentre eles- não interessa se ele era novo, afinal minguem liga pra idade …), em melhor de 5 sets) é igual a um melhor de três em 6 jogos? (Cinco para muitos dos cabeças de chave).
          Enfim, seus argumentos só olham o lado que vc pretende defender. Pífios e não dá pra levar a sério.

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Você não entendeu meu post anterior, então vou explicar pra você bem mastigadinho:

            O Jagua da Montanha ganhou o AO 2006 enfrentando somente pangarés, inclusive o Bagdá na final. Foi certamente um dos Slams mais fracos de todos os tempos. Já Djokovic bateu o suíço na semifinal e o Siri na final do US Open 2011, ou seja, OUTRO GRAND SLAM e não Masters 1000. Poderia citar vários outros exemplos de Slams ridículos do suíço e Slams parrudos do sérvio, mas esse exemplo é suficiente.

            Percebeu agora, amiguinho? Espero que sim!

        3. André Barcellos

          Em relação ao que chamam de Big Titles, nada mais a argumentar.
          Mas, em tempo, em relação a Grand Slams:
          Só o AO 2017 que vale, né?
          – então não vale nenhuma das 6 vezes que o suíço venceu o sérvio em GS? Inclusive o tendo vencido em todos os 4 Slans…
          -Não vale nenhuma 8 das vezes que o suíço venceu GSs nas finais em cima do Big four, tendo vencido todas as finais contra o Murray, por exemplo, coisa que o sérvio simplesmente deve achar espetacular, em vista que perdeu 2 GS para o Britânico, fora as vezes em que perdeu para o Roddick, o qual o suíço tratorava na “entressafra” enquanto o sérvio tentava ver a cor da bola.
          – O tal confronto direto só foi empatado em 2016, com o suíço aos 34 aninhos. Fica claro a dificuldade do sérvio em conseguir equilibrar as ações contra a “fraude suíça”, sendo que só veio a jogar de novo com o velhinho depois de passada sua péssima fase em 2017, para sua sorte.

          Responder
    2. Túlio Doria Barbosa

      Velho, vc ta dando o mesmo peso aos marterzinhos e os grands slans? Enloqueceu, só pode!!! Nos GRANDES títulos tá 20 à 15 pro único q é chamado de GOAT pela imprensa especializada e pelos grandes da historia: Federer.

      Responder
    3. Babidi

      Ué, você não estava apostando que o Berrettini ganharia?

      E outra, o Frauderer ainda está na frente do GOAT Djokovic (54×53) segundo o seu critério, então vamos respeitar o jagua

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Sim, está na frente nos números absolutos por um, mas não nos relativos. Seis anos mais velho e muito mais torneios disputados.

        Responder
    4. Rodrigo S. Cruz

      kkkk

      O coitado quer de todo jeito o que pertence ao Federer.

      Até as alcunhas de ” GOAT, e mais talentoso”.

      Podem ter certeza que até esse desdém sobre ATP 500, foi só porque o Djokinho ficou sem…

      Oh, que dó!

      kkkkkk

      Responder
    5. Rodrigo Bravin

      A necessidade de exaltar seu ídolo o tempo todo indica que nem você acredita no que fala. Sobre Federer, é um espetáculo o ver jogar nesse nível contra um cara que vendeu caro a derrota no primeiro set.

      Responder
    6. Paulo Almeida

      Claro que não dei o mesmo peso para Slams, Masters e Finals. Eita pessoal com dificuldade de interpretação!

      Já não chega ter que ler “afim” e empregos terríveis da vírgula de alguns membros.

      Responder
  12. Miguel BsB

    Se o Kyrgios é adorado na Austrália, eles estão tão mal de ídolos como nós brasileiros, como os Neymares da vida que temos que aguentar….

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Eu gosto do Kyrgios, Miguel…

      Por enquanto, a única pessoa que ele prejudicou com algumas atitudes exageradas, foi ele mesmo.

      E a única coisa que ele tem em comum com o Neymar, é a habilidade extremada…

      Convenhamos, né.

      O Kyrgios é uma figura muito mais emblemática…

      Responder
      1. Miguel BsB

        Sei que vc gosta dele…respeito, mas acho as suas atitudes (do kyrgios) deploráveis. Vc msm constatou a maneira como Djokovic o respondeu, com toda classe,mesmo após um ataque totalmente gratuito,que continua…
        Não concordo que ele só faça mal a ele msm. Descascar um colega de circuito,ainda mais um gigante como Djokovic,ou o que ele fez com Wawrinka, eu só entenderia se ele fosse duramente atacado por esses 2,o q parece não ter sido o caso.

        Responder
    2. delei

      Amigo deixa Neymar em paz…em termos de jogador o Brasil so tem ele, como caratero Brasil teve um monte de coisa pior e que são idolatrado, casos de Adriano, Romário, Ronaldo… ah, agora so falta vc dizer que a Globo e a culpada dos problemas da vida, num país que tem a recorte kkkkkkk, Brasil sil sil…

      Responder
  13. Luiz Fernando

    Federer venceu o até recentemente 250tinha de Halle, conquista abrilhantada por vitórias diante de grandes adversários como Agut, Herbert e Goffin, grandes expoentes na grama. Parabéns aos seus torcedores. Vai ter q jogar mais em W…

    Responder
    1. Athos

      Nadal e Djokovic chegarão aos seus 37/38 anos , quero ver se esses torcedores fanáticos que não sabem reconhecer a dificuldade de se ganhar um título com essa idade vão aparecer aqui . 102 não é para QQ um 250tinha pq querem , se fosse master mil Federer ia continuar jogando e ganhando , é lamentável não existir um master 1000 no piso que se começou o tênis .

      Responder
    2. Rodrigo Bravin

      Outro problemático por aqui. Amigo seu ídolo é o único especialista no saibro junto com o THien. Quem mais é especialista no saibro pra fazer frente a ele em Roland Garros? A maior parte dos jogadores preferem grama ou cimento. Comemore o 12 RG e vá ser feliz. Quanta dor de cotovelo.

      Responder
    3. Sérgio Ribeiro

      Quando o ATP 500 de Halle era 250tinha , Nadal jamais passou da segunda rodada. Você tenta , L F . Mas jamais deixará de ser um eterno recalcado. Abs!

      Responder
  14. Adriano Souza

    O Kyrgios é corriqueiro demais, sempre perde
    Tem uns inocentes que pensam que ele não joga porq não quer
    Na verdade ele é limitado, só sabe ficar passando a bola no meio das pernas, fazendo firula
    Ser jogador de tenis é muito mais que isso

    Quando ele percebe que o adversario ta melhor que ele na partida, ele começa a fingir desisnteresse pelo jogo
    ele se sustenta nesse comportamento
    Se ganha, ele é o cara, se perde é porq tava sem interesse
    Me engana que eu gosto

    Responder
    1. Jefe

      O australiano é um talento desperdiçado, tem muito pessoal é só olhar para os golpes que consegue executar com a raquete, intensidade, capacidade de execução de táticas no jogo.
      A questão e a beleza é que o tênis é um jogo muito mental, e sem isso o cara não engrena não, apesar de já ter figurado no top 20 o que não é pouca coisa.
      Mas é um desperdício total, e um cabeça de bagre, continuará por algum tempo sendo interessante ver se até onde chegará. Acho que consegue por um mês concentrar e levar um bom título, se continuar mantendo-se em bom nível.
      Acompanhemos.

      Responder
    2. Julio Marinho

      Você falou tudo, Adriano. No tênis, o importante é ganhar quando não se está no melhor dia. Essa de super talentoso é enganação, fazer uma bola ou outra de firula se você não tiver a obrigação de ganhar, qualquer jogador faria.

      Responder
  15. Leandro

    Tenho a impressão de que os jogadores nas proximidades dos vinte anos de idade, um pouco mais um pouco menos, sofrem nas derrotas e se decepcionam, enquanto que os mais velhos, talvez já incluindo o thiem, aceitam as derrotas demais, contentando se com suas belas premiacoes a cada rodada.
    E o goat continua demais
    na relva, especial ainda ver essas partidas. Mais uma final.

    Responder
  16. Filho

    O jogador mais completo de todos os tempos se chama Novak Djokovic, isso é fato no mundo inteiro. Inclusive, Rafael só joga no saibro Nadal já declarou que o jogo dele não tem buracos quando está no modo Beast.

    Responder
    1. André Barcellos

      Não é fato.
      O jogo dele pode ser o mais eficiente no modo “beast”.
      O que não é pouco e é impressionante.
      Mas não o mais completo.
      O conceito de completude implica em amplo domínio de todos os fundamentos e regiões da quadra.
      Como ele Tem voleio e slice sofríveis, não pode ser considerado o mais completo.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Além do slice dele ser ruim, e pouco efetivo (raríssimo ele ganhar um ponto por causa do slice…)

        O movimento é feio demais.

        Responder
  17. Fedex

    Dalcim, num possível encontro entre Federer e Nadal em Wimbledon, qual seria sua previsão hoje, digo hoje sem contar com as muitas variáveis que podem acontecer?
    60 a 40 Federer?

    Responder
  18. Lucas pinheiro

    uma pergunta de curiosidade: qual a diferença dos tênis para cada piso??

    Outra pergunta: qual é o seu santo, mestre?? Pra aguentar tanta groselhas…

    Você é fera!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A diferença é no solado basicamente, Lucas. O de saibro tenta agarrar mais o solo, o da grama tem pequenos cravos para manter e estabilidade e o da quadra dura são um pouco mais lisos, já que é muito perigoso prender o pé num piso mais áspero.

      Responder
  19. Paullo

    Sandra, óbvio que é o próprio tenista quem paga as suas multas. Achei que vc iria sugerir de novo que o kyrgios fosse banido.
    Mas não vejo sentido nessa insistência de que a atp, ou a ITF, ou federação australiana ou até o Dalcim expulsem o Kyrgios…
    Nem tudo deve ser responsabilidade das “entidades” ou, no limite, do Estado.

    Responder
  20. JAN DIAS

    A declaração de TSISIPAS mostra o quão alto é o nível do circuito masculino e quão difícil é pros tenistas da Nextgen administrar o ego diante de um rival tecnicamente superior… Eu acho que os 2 estão no mesmo nível, sendo que o ALLIESSIME tem um pouco de vantagem na devolução.

    O fato do BIG 3 ter ganho Slams com 19, 21 e 22 anos põe muita pressão na molecada, que se acha na obrigação de igualar isso…

    Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Joga por terra, né? Sei…

          (rs)

          Discutir com djokovete apaixonada é complicado…

          Ficaram RG inteiro dizendo que o suíço iria fugir do Nadal, mesmo que na última hora.

          E o cara foi lá e enfrentou o algoz.

          Fora as CINCO outras finais em que Federer foi entubado.

          Agora, só porque o Nadal jogou três vezinhas contra ele na grama, lá em “1900 e Flinstones”, ele não foge do suíço lá…

          Sendo que nunca disputou Halle, onde Federer é decacampeão…

          Mas argumento djokovete é assim mesmo. Já me acostumei.

          Faz parte…

          Responder
  21. Paulo Almeida

    Mais um título nível “auge da entressafra” pra Frauderer. Assim fica fácil chegar nos 110.

    Entretanto, em Wimbledon o GOAT Djokovic estará lá para educá-lo novamente.

    Responder
    1. Rodrigo

      Está na hora de vc crescer, sujeito. O tempo todo falando asneira. Se o sérvio é o maior pq vc tem a necessidade de reafirmar isso o tempo todo? Cresça!!!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        A inveja que nutre pelo Federer é evidente…

        Aliás, já reparou que TUDO que pertence ao Federer, ele quer que seja do Djoko?

        Se 90% do planeta chama o suíço de GOAT, ele quer chamar o Djoko de GOAT. kkkkk

        Se 100% do planeta diz que o Federer é mais talentoso, apenas o Fake bate o pé, e diz que mais talentoso é o Djoko.

        Parece aquelas crianças mimadinhas, fazendo birra, saca?

        Se o Federer tem 101 títulos, ele inveja e diminui os títulos.

        Se o Federer é o que venceu mais Slams, o doente inveja e procura desvalorizar os Slams.

        E por aí vai.

        É frustração demais, por saber que dificilmente o Djoko baterá o suíço nos principais números.

        Talvez, nem o recorde de Slams o sérvio bata.

        Portanto, se o Djoko fracassar, ele já tem uma desculpa pronta e engatilhada…

        Responder
  22. Renato

    Pra mim tanto faz ser cabeça2 ou 3 em Wimbledon. Mesmo que Roger vá bem, dificilmente vai encarar Nadal ou Novak em sequência. O espanhol não deverá chegar muito longe, enquanto o sérvio com certeza estará nos últimos jogos. Mas se tiver que encarar Nadal na semi, creio que Roger vença sem muitos apuros.
    Fosse em uma quadra de saibro ou dura lenta, aí sim seria muito exigente para o suíço encarar os dois adversários em sequência

    Responder
  23. Rodrigo S. Cruz

    “Como eu poderia aceitar ajuda de Novak (Djokovic) se ele grita com os pegadores e atira bolas nas arquibancadas? Mas ninguém vê isso.”

    (Nick Kyrgios)

    Verdade!

    O Djokovic vive RALHANDO (palavra antiga, minha avó usava) com os pegadores de bola, mesmo.

    O que é uma coisa horrorosa, porque ele mesmo teve um começo de vida difícil.

    Responder
    1. Jonas

      Djokovic não é nem um Santo, concordo que ele faz merda de vez em quando.

      Mas o Kyrgios é um marginal que joga tênis. É um desperdício, porque é um cara com potencial pra ser n1.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Tem nada de marginal…

        Pra mim, a opinião da Ângela na outra pasta, foi perfeita.

        É só um cara que não liga pra vencer ou perder.

        E sim “CAUSAR”, durante o jogo.

        Acho que todos os esportes precisam de gente autêntica assim.

        Inclusive o tênis…

        Responder
        1. Julio Marinho

          Para mim, só se autêntico for idiota. A mídia mesmo torna o Kyrgios ser muito maior que é. O cara é escravo da caricatura e, no fundo, a existência dele não faz a menor diferença no tênis. Esse negócio de ter talento para ser #1 e ganhar Slam é o mesmo conto do Gulbis (direita bisonha) e do Tomic.

          Responder
      2. Angela B.

        Marginal? Saiba que Kyrgios eh adorado na Australia. Ajuda financeiramente (sem fazer promocao na imprensa ou qualqquer tipo de midia social) ONGs de diferentes fins. Quem dera existisse mais “marginais” como ele…..que ajudam os mais necessitados sem fazer “marketing oportunista” aos olhos da sociedade ou para aumentar o seu ‘fan base’.

        Responder
  24. Luiz Fernando

    Opa, mais um especialista na grama fazendo final no piso: Giles Simon, magistral sacador e voleador. Como eu sempre digo, aqui é diversão garantida kkk…

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Sim. É um atraso de vida ganhar um ATP 500 mesmo.

        Legal é “ovular” por um idolozinho de barro, que nem sabe que você existe…

        (rs)

        Responder
        1. Jonas

          Atraso de vida não, é um ótimo torneio pra caras como o Simon.

          Jogadores do calibre de Djoko, Federer e Nadal querem vencer Grand Slam.

          Claro que se o o cara joga isso, ele vai pra ganhar, mas é apenas um torneio preparatório. Federer podia ser vice hoje em Halle, mas se vencesse Wimbledon, ninguém nem ia lembrar. Mesma coisa o Djoko, que foi vice em Queens e chegou pronto pra Wimbledon. Será que ele perde o sono por ter perdido pro Cilic? Sinceramente, acho que nem lembra.

          Fosse um masters 1000 na grama, beleza, mas não é.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Querem muito mais vencer Grand Slam, mas querem vencer esses torneios também…

            Veja o que disse hoje o Federer:

            ” Quando perdi a final pro Coric ano passado, eu não sabia se venceria o torneio de novo. Então é muito especial”.

            Título é título.

            A menos que você pense como aqueles retardados que exigem que os 102 títulos do suíço sejam de 1000 pra cima…

  25. Jonas

    Gosto do Tsitsipas e o que me impressiona mais é sua força mental, a forma com que ele encara os melhores do mundo.

    Imagino que vai brigar com Aliassime e Zverev pela ponta nos próximos anos.

    Pelas suas declarações recentes, espero que ele de fato encontre uma forma de se impor contra o Aliassime, se não vai virar freguês igual o Federer, que só foi aprender a jogar com o Nadal depois de 10 anos seguidos tomando surra. Mas pelo mental, acredito que em pouco tempo o Grego vai aprender a lidar com esse ótimo tenista canadense.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Frase em que você se inspira todos os dias, quando assiste ao Djoko (rs) :

      “Com talento ordinário, e vontade extraordinária todas as coisas são possíveis”.

      (rs)

      Responder
      1. Jonas

        Isso serve pro Federer ora, uma década apanhando e o cara finalmente adotou uma postura mais tática pra encarar o Nadal.

        Antes o suíço entrava em quadra se borrando. Até nas hards mesmo tipo Australian Open. Mas em 2017 tratou de melhorar o backhand e parar com aquelas firulas ridículas, se não ia continuar apanhando. Convenhamos, Federer x Nadal deveria ser uma rivalidade bem mais equilibrada. Os caras se enfrentam desde 2004, vergonhoso um gênio ter o H2H tão pífio.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Mas é compreensível, veja.

          O Federer nunca foi uma ” Brastemp” no saibro.

          Um bom tenista lá, no máximo, vai…

          E deu azar de pegar o melhor da história no saibro, e com o cara no auge e sangue nos olhos.

          Só podia resultar em massacre.

          Fora, é claro, ter tido o baita azar da temporada de grama ser tão curta e não existir nenhum Master 1000…

          Responder
          1. Jonas

            Federer é ótimo tenista no saibro, não se engane.

            A dificuldade dele ali é o Nadal. Se agnt for pegar os jogos, vemos que o suíço não consegue incomodar o espanhol, nem volume ele faz.

            Nos três jogos que Nadal fez com Federer em Wimbledon, houve certo equilíbrio. Mesmo no primeiro jogo entre eles em 2006, que houve até pneu.

            Acho pouco 3 confrontos sim, mas o Nadal joga Wimbledon e joga US Open também. Nunca jogaram por lá em mais de 10 anos de rivalidade. Acha que o Nadal “foge” no US Open também? Óbvio que não.

          2. Rodrigo S. Cruz

            Foi isso mesmo que eu disse, uai…

            O Federer não consegue ganhar do Nadal em RG. O jogo não encaixa.

            Na grama seria muuuuuito diferente essa história.

            Mas essa tua paixão pelo Cotonete, te alucina…

            E a depender dos “recibos”” que eu já vi você passar aqui, o FEDAL seria equilibrado até na grama.

            (rs)

            Desculpe dizer isso, mas você é fanático, brother.

            Na mais completa abrangência e alcance do vocábulo…

    2. George

      No momento ele é realmente freguês do Aliassime. Jogaram 3 vezes no juniors e apesar do Aliassime ser 2 anos mais novo o Tsitsipas perdeu as 3. No profissional já são 2 vitórias contra 0 do Tsitsipas. Portanto está 5×0 para o Aliassime.

      Responder
  26. Renato

    Melhor esquerda de todos os tempos é do Stan, sem dúvidas! Melhor devolução do Agassi, que era o melhor na época de diversidade de pisos e é justo que seja considerado o melhor devolvedor de todos.

    Responder
  27. Luiz Fernando

    De fato preciso concordar com alguns especialistas do blog q a grama é um piso diferenciado. Algumas observações do torneio de Halle, 250tinha até 2 ou 3 anos atras, ratificam essa impressão: 1) um dos finalistas é um típico jogador de fundo de quadra, sem resultados significantes (torneios expressivos vencidos) em nenhum piso; 2) um dos semifinalistas é um duplista sem qualquer resultado significante em simples em nenhum tipo de piso, até este torneio. De fato, a grama é um piso diferenciado…

    Responder
  28. Renato

    Adriano,

    Se aquele técnico considera Novak o melhor da história, tem uma lista longa que considera Roger, entre eles Laver, Sampras, Guga, Big Mac, Wawrinka, Ferrer, Kyrgios, Thiem, e muitos outros, além do mestre Dalcim. Quer comparar?

    Outra coisa, temos que parar com essa ladainha que Novak é um jogador completo. Slice, voleio, drop e smashes muito fracos. É um zero à esquerda na rede, um SIRI! Jogador completo é aquele que sabe jogar à frente e a atrás.
    Nole é um asno quando inventa de ir pra frente.

    Responder
  29. Luiz Fernando

    Berrettini jogando abaixo de ontem, possivelmente, como exposto na TV, pelo desgaste dos jogos seguidos e, sem duvida, pelo jg sólido de Goffin, q está muito bem.

    Responder
  30. Paulo F.

    Djokovic possui um 7×17 contra Nadal no saibro.
    Entretanto possui mais vitórias contra o espanhol.
    Já Federer possui quase 10 derrotas de diferença contra o Nadal e não é freguês de caderno do espanhol não, imagina…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Você só tem sorte porque o Nadal evitou a grama, a carreira toda.

      E fez a FESTA de tanto enfrentar o bobão do Federer no saibro!

      Porque o Nadal já é freguezaço do Djoko, nas hards, por 19 x 7. (uma vergonha)

      E tenho certeza que seria do suíço na grama.

      A diferença, portanto, reside aí:

      O Federer sempre deu a cara pra bater, onde ele é muito mais fraco.

      O Nadal, não.

      Responder
      1. Paulo F.

        Não, Nadal não é freguês do Djokovic.
        Não colocou uma diferença ridicula pra cima do espanhol como o espanhol fez com seu pato suíço.

        Responder
      2. Jonas

        Nadal não evitou a grama. Foi finalista em 2006 e 2007, mesmo sendo bem jovem e perdeu pro melhor tenista da época.

        Lembrando que o Nadal era ótimo jogador no saibro, porém limitado nos demais pisos.

        Mas mesmo assim veio a vencer o Federer em 2008 e perdeu pro Djokovic na final de 2011. Perdeu novamente pro Djoko nas semis do ano passado, ou seja, deu a cara pra bater sim.

        Responder
        1. Jonas

          Na verdade o Federer evitou o saibro. Não foi a Roland Garros entre 2016 e 2018. Como foi surrado de novo pelo Nadal recentemente, duvido muito que volte a jogar por lá.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Finais por finais, o Federer só em RG, perdeu 5 do Nadal.

            Fazer final não quer dizer CHONGAS! kkkkkkk

            O Federer evita sim o barro, assim como o espanhol evita a grama.

            Foge de Queens, e foge de Halle. (onde o suíço amanhã será deca)

            O Federer já perdeu 14 vezes pra ele no barro.

            Ou seja, já cumpriu seu CARMA.

            E o espanhol arregão só jogou com Federer 3 “vezinhas” lá.

            Abs.

          2. Jonas

            Bom, eu nem torço pro Nadal, longe disso.

            Pelo que eu acompanho de tênis, ele não jogou em Wb 2009 e 2016 por contusão. Nos outros anos, ele deu a cara pra bater, venceu 2 títulos ali, foi finalista em outras ocasiões. Bem diferente do Federer que claramente optou por não jogar no saibro por 3 anos seguido, e quando voltou foi atropelado pelo rival e nem deve voltar mais.

            O Nadal sempre busca vencer Wimbledon, só que ele é limitado no piso. No entanto, foi semifinalista ano passado. Não foi o Nadal que ficou 3 anos fugindo da grama. Acho que se ele pegar o Federer este ano, vence de novo pelo ótimo histórico em Slam.

        2. Rodrigo S. Cruz

          Evita a grama sim!

          Indiscutível.

          Nunca joga em Halle, onde amanhã o suíço será DECA.

          Só quer saber de enfrentar o Federer, no barro.

          Aí, até minha avó, teria h2h positivo…

          Abs.

          Responder
          1. Jonas

            Nadal não evita Halle, ele simplesmente não liga pra esse torneio pequeno, mero preparatório.

            Mas em Wimbledon (torneio grande) ele tá sempre jogando que eu saiba, diferente do Fregueser.

          2. Rodrigo S. Cruz

            Mas o “Fregueeser” foi lá e perdeu, onde sabia que era fraco.

            E o arregão que foge dele da grama?

            Só 3 partidinhas com o suíço, em 15 anos.

            Assim até minha avó…

          3. Maria izabel

            Nadal evita a grama,mas as contusões ajudam nisso.A questão não é nem evitar,os joelhos é que tem que ser poupados.
            Federer evita o saibro,por não gostar desse tipo de quadra.Agora fugir,é uma piada.Acima de tudo, tem os que jogam por recordes,outros pela grama ,pela grana e também, os que escolhem não participar e precisam se poupar.
            Quanto ao Kyrgios é um talento incrível, que faz o que não gosta(já declarou detestar o tênis),poderia se tornar campeoníssimo,mas prefere ser mal educado,inconsequente e entrou numa de achar de falar muita abobrinha,e estar gostando da repercussão. Uma pena!Penso que essa Next Gean, tem outra mentalidade.Sou jovem,vou para a quadra,ganho de alguns e muita grana e vou curtir a vida com amigos,carrões. Não pensam em se tornar exímios profissionais que passam horas treinando.O Aliasssime e Thien, ainda acho mais focados.Vai ser difícil assistir tênis sem o Big Three.

          4. Sérgio Ribeiro

            E o tal de Jonaser não sabe que Nadal assinou contrato com Halle em 2015 ( sabe nada o fanático) . Como tomou uma surra de Brown na segunda rodada em Sets diretos , rescindiu o contrato e optou jogar em Stuttgart. Esse ano está treinando na Grama de Mallorca no meio do Torneio feminino. Quem pode , pode rsrsrs Abs!

  31. Nattan Lobatto

    Bom dia, srs!

    Jonas, vamos nos ater ao conceito de comum: que é usual, habitual…

    Bem, comum são:

    1. As derrotas de Federer para Nadal e Djokovic em Slam.
    2. Os tiques de Nadal antes de sacar.
    3. Os comentários dos fanáticos deste blog, alguns até que um primeiro momento pareciam imparciais, só que são mais do mesmo, ou seja, pífios.

    Novak é um ponto fora da curva, monstro na devolução (melhor de todos os tempos), backhand magnífico (melhor de todos os tempos), contra-ataque matador, quebrador de recordes, uma das melhores movimentações e leitura de jogo, caminhando para ser o MAIOR DE TODOS OS TEMPOS… etc… etc… etc… etc.. São infinitos adjetivos e conquistas, enfim, o cara é EXTRAORDINÁRIO.

    Abs e um execelente fim de semana p/ geral.

    Responder
    1. AlexPicelli

      Toda tua paixão, voracidade e amor por Djoko lhe fez esquecer a)Todos os top 3 estão em atividade. b)Quebrar records requer sequências. c)Sequências requer jogos. d) jogos requer condicionamentos físico e nsem lesões. e)Todos em atividades podem se lesionar. f) Não lembrou de jovens que estão chegando.
      Mas sei que quando se é apaixonado o amor cega, tira-nos a razão e nos torna vulneráveis a excesso. Analisar jogos, política, sociedade etc…, requer o uso da razão e não da emoção!

      Responder
        1. Nattan Lobatto

          Rsrsrsrsrs

          Não, Renato. Não respondi pois não vi necessidade, simples… Nem todo comentário precisa de réplica, tréplica etc, isso é coisa de quem mora em vila.

          Bem, apesar do sensato comentário do colega Alex, o teor em si era sobre o conceiro “COMUM” e sobre os recordes que ele já quebrou e ainda, claro, contando todas as variáveis, ele irá quebrar.

          Quanto torcer por Novak Djokovic, isso não é novidade, pois já declarei, porém, essa paixão (segundo o Alex rs) não me fará de forma alguma menosprezar qualquer tenista (lente neutra), ainda mais duas lendas, Rafa e Federer, por este último alimento grande admiração, fez e faz muito pelo esporte.

          Ah, sou responsável pelo que escrevo e não por sua interpretação.

          Responder
    2. Jonas

      Federer perder pros 2 em Grand Slam é sim algo bem comum.

      Não preciso entrar em detalhes sobre o Nadal porque até as Federetes sabem que é um retrospecto pífio, além dos vexames de Rg 2008 e na semifinal de poucas semanas atrás.

      E o Djokovic leva vantagem até na casa do Federer. Venceu 2 finais seguidas sobre o Federer em Wimbledon. Enfim, é algo óbvio, abs!

      Responder
    3. Fernando Augusto

      Como as nadaletes e bilhetes falam besteira. Federer detém quase todos os recordes nos Grand Slans, só não tem o recorde nos Masters 1000 pq a ATP não teve a capacidade de organizar um master na grama, caso contrário o goat estaria à frente dos dois com sobra. Outra coisa, Nadal e djoko dificilmente irão quebrar os recordes de títulos (102), número de vitórias na carreira (mais de 1200, próximo das 1242 de jymbo), semanas na liderança (310), semanas consecutivas (237)….por esses e outros motivos temos que nos render ao eterno GOAT, me perdoem quem pensa diferente, mas os números e fatos falam por si só…

      Responder
  32. Robério

    Essa frase do Delpo derruba qualquer indivíduo nitrito de sentimentos pelo o esporte. Lutador! Se não voltar, fica um grande exemplo de superação, garra e, principalmente, seu amor incondicional pelo que fazia. Valeu Torre de Tandil, sem dúvidas, um grande exemplo a ser seguido.

    Responder
  33. PIETER

    Discordo totalmente do Nadal ao dramatizar a transição do saibro para a grama atualmente.
    Quem acompanha tênis há algum tempo sabe perfeitamente que as quadras de grama atuais são muito mais lentas que as de outrora.
    Parecem até um saibro verde, como é o caso de Wimbledon, a partir da 2a semana.
    Ele mesmo, o Nadal, foi bicampeão lá jogando confortavelmente do fundo da quadra embora hoje em dia seja um bom voleador, como todos pudemos constatar em RG.
    Enfim, pareceu-me um exagero a afirmação dele, talvez para diminuir a pressão em cima dele…

    Responder
  34. José Eduardo Pessanha

    Puxa, esquisito esse convite pro López. Acho Verdasco mais merecedor desse recorde, por ter sido muito mais jogador. De qualquer forma, acredito que López não consiga entrar no US Open, abrindo assim caminho pro Verdasco quebrar o recorde.
    Abs

    Responder
  35. Rodrigo S. Cruz

    Nossa!

    Quanto drama e quanto exagero do Tsitsipas.

    Por isso que ele não vence o cara.

    Porque já entra em quadra se cobrando muito, com mentalidade perdedor,e respeitando demais…

    Mas basta ele pensar:

    ” O Nadal venceu facilmente meu algoz em Madri. E eu já venci o Nadal ATÉ NO SAIBRO. Logo, pra que tanto respeito?

    Responder
  36. GUSTAVO DE ALMEIDA

    Félix vai longe, mas o Grego tá mais velho e calejado em grandes torneios.
    Assim, Tsitsipas deve ser o primeiro a destronar o Big como número 1 do ranking, com Thiem também com possibilidades. Zverev perdeu força e cabeça.

    Responder
  37. Raul Patti

    Dalcim
    Federer achando soluções em jogos que antes não eram mas hoje em dia são mais difíceis não lembram os dois títulos recentes do mesmo, em Dubai e Miami?
    Na minha opinião o tornam perigosíssimo em torneios de 3 sets, mesmo em eventuais oscilações físicas e técnicas

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza, Raul. Claro que preocupa um pouco o desgaste físico excessivo que esses dois jogos em Halle geraram, mas ele soube administrar até aqui.

      Responder
  38. JOÃO CARLOS MESSINETTI DDE OLIVEIRA

    Boa noite! Pode parecer infantilidade, mas gostaria de obter detalhes de como segurar a raquete nos dias de hoje. Sou um professor aposentado que ficou sem jogar por 30 anos; aprendi a jogar, aos 10 anos, como pegador de bolinhas no Clube Espéria, no final da década de 60. Na época, o Prof. Antenor Zuchetto, mestre do tênis, ensinou-me a técnica clássica. Hoje, ao retornar às quadras, percebo que a bolinha mudou, a quadra mudou, as raquetes mudaram, e as técnicas também, obviamente, evoluíram. Logo, preciso me adequar ao presente e faço essa pergunta banal. Como devo segurar a raquete? Alguns curiosos, que também vivem no achismo, dizem que devo segurar mais para baixo da base . Fiquei com muitas dúvidas. Entrei no You tube e não obtive resposta satisfatória.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A empunhadura mais usada hoje em dia em nível competitivo é o semi-Western. Difícil explicar em texto, mas seria como se você pegasse o Eastern (cumprimentando a raquete) e girasse um ou dois octágonos para sua direita. Isso permitirá executar um golpe com mais topspin. Ao mesmo tempo, complica um pouco mais o backhand. Se for de duas mãos, fácil. Se for de uma, terá de sempre girar de volta ara o Eastern ou até o Continental para o slice. Este vídeo pode te ajudar: https://www.youtube.com/watch?v=gBsz_Wfv8m8

      Responder
    2. João ando

      Vou meter minha colher se vc me permitte João Carlos.continua como vc jogava ha 30 anos atrás. ..eu seguro Continental e não vou mudar agora quando jogo …com a idade que eu tenho não tem como mudar de empunhadura… espero que tenha passado a msg correta e não seja mal interpretado por vc ..se for assim me desculpe

      Responder
  39. Rafael

    Dalcim, espero que esteja bem

    Triste a situação de Delpo. Pelo que li, e a mesma lesão que o Ronaldo gordo teve. Tempo de recuperação de 1 ano, certo? É pra ficarmos mesmo pessimistas quanto à possivel volta dele?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele provavelmente não conseguirá voltar nesta temporada, mas só teremos um quadro mais claro depois da cirurgia, Rafael. Lamentável, sem dúvida.

      Responder
      1. Jefe

        Delpo talvez o único que tinha o mental a nível do big 4, das últimas 3 gerações. Uma pena, merecia ainda mais títulos o competente argentino. Vamos torcer por ele!

        Responder
  40. Jonatas Bruno

    Muito boa a proposta de “coletar” versões dos tenistas sobre os assuntos do momento.
    Percepções bem sucintas…
    -Tsitsipas: Afrouxando o nó e pintando o quadro.
    -Aliassime: Básico.
    -Federer: Conforme o compasso.
    -Herbert: Tributo á dois.
    -Medvedev: Consciente.
    -Barty: Disciplinada..
    -Nadal: Faz todo o sentido.
    -Del Potro: Realista.
    -Kyrgios: Na ponta da língua.

    Responder
  41. Leandro

    Os jogos nesta temporada de na grama estão sensacionais, belas jogadas, intensidade, como sempre tendem a ser os jogos nesse piso especial. Que continue assim.

    Responder
  42. Miguel BsB

    Não há muito o que falar dos grandes golpes do Aliassime, que são excelentes e muito sólidos.
    O que me impressiona mesmo é a cabeça dele! Extremamente focado, controlado,mas,ao msm tempo, com aquele olhar “assassino” …acho que há poucas dúvidas que ele vai muito longe…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Teve gente postando , após algumas derrotas , caro Miguel , que Félix não tinha o chamado “ sangue nos olhos “ . Pior, tinha cara de derrotado. Irrita os comentaristas de resultados que não assistem um jogo inteiro. Todos da Next Gen foram chamados de ‘ Farsa “ por jogadores Veteranos e apoiados por varios Zé manés aqui do Blog. A meu ver , todos estão ainda em formação. E já surrando os próprios trintões. Aliassime parece o mais precoce de todos. Mas o tal de Zé Verev já passou pelo TOP 3 , e com 3 MASTERS 1000 e um FINALS aos 22 ( tem mais ATPs que a maioria dos Veteranos ) , não era pra ser tão sacaneado. Mas não tenho dúvidas que ano que vem já tem SLAM pra algum deles. A conferir! Abs!

      Responder
  43. Pedro

    Dalcim,

    O Federer está tendo mais trabalho na grama do que no saibro. O que está acontecendo? Ficou sem ritmo para a grama? Está cansado? Hoje, como de vez em quando acontece com ele, há uma queda em seu jogo e as vezes ele se recupera. Falando sobre o piso, é grande a diferença do aspecto da grama de Halle para Queens. A inglesa ainda está em bom estado e a alemã já está bem detonada. É o tipo de grama ou alguma técnica de manutenção?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Muito melhor não. Acho que ele tem golpes de base mais consistentes e devolve um pouco melhor, o que faz diferença. Acredito que o histórico lá do juvenil pese na cabeça do grego também.

      Responder
      1. PIETER

        Assino embaixo, como sempre, rsrsrs.
        O que me surpreende é a excelente e muito rápida adaptação do tênis do Aliassime à grama, onde parece-me que ele nunca jogou antes, como profissional, segundo o que li em algum lugar.
        E eu também esperava que o jogo do Tsitsipas, em tese, seria mais adaptável à grama, o que lhe daria alguma vantagem em relação ao garoto canadense. Ledo engano!

        Responder
  44. Jeronimo Brito

    Ótima seleção Mestre!!
    Destaque para as palavras de Félix, Roger sempre respeitoso e a triste situação de Delpo… lembremos que em janeiro, foi ele um daqueles a incentivar tremendamente Andy e agora vejam só o que acontece!
    Como viu o jogo de Roger hje Dalcin? A dificuldade foi mais mérito de RBA ou demérito de RG?

    Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Vi muito mérito do Bautista, Jerônimo, principalmente quando ele forçou mais as paralelas. Também acho que arriscou mais o saque para não dar margem a ataques. Federer claramente teve uma queda de intensidade e pareceu sentir a quebra que sofreu no começo do segundo set. Mas foi um ótimo teste no geral, principalmente porque ele manteve a cabeça fria para achar soluções, como aconteceu também diante do Tsonga.

      Responder
      1. Jefe

        Essas quedas de intensidade do Federer nos últimos 4 anos ao longo das partidas tem se tornado, agora, cada vez mais frequentes. Normal para um jogador com tantas partidas disputadas. Que bom que o suíço ainda consegue fazer boas apresentações, talvez as melhores ainda do circuito. Os fãs do esporte agradecem.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *