Felix e Stef fazem o ‘duelo do futuro’
Por José Nilton Dalcim
20 de junho de 2019 às 18:57

Um dia longo e importante, de tantos jogos enroscados e bem disputados sobre a traiçoeira quadra de grama. Valem algumas rápidas reflexões.

Gigante
Felix Aliassime deu uma nova mostra gigantesca de seu talento. Para quem jogou tão pouco sobre a grama – é apenas seu segundo torneio em qualquer nível – arrancar duas vitórias no mesmo dia em cima de especialistas autênticos como Grigor Dimitrov e Nick Kyrgios tem de ser considerado notável. Na soma das duas rodadas, que lhe custaram 3h30 de esforço, disparou 34 aces, cravou em média 64% do primeiro saque e venceu 82% desses pontos.

Mais ainda: voleou com competência e não deu a menor bola para o teatro do australiano, que como sempre abusou das reclamações e dos lances espetaculares, mas também da displicência. Nem saque por baixo tirou a concentração do canadense. Verdade seja dita, Kyrgios passou por cima de uma marcação do juiz e deu um ponto de saque ao adversário, a quem cumprimentou com sorriso ao final de um jogo de nível muito alto.

Maduro
Stefanos Tsitsipas, apenas dois anos mais velho e adversário de Felix nas quartas de final, também amadurece a passos largos. A grama talvez seja o piso que mais facilmente seja capaz de levar um tenista à loucura pela rapidez dos lances e a frustração constante que gera, já que perdoa muito pouco as chances desperdiçadas. Mas o grego soube segurar a cabeça quando Jeremy Chardy sacou para o jogo ainda no segundo set, não se desesperou ao deixar escapar a sua oportunidade no set seguinte e fez dois tiebreaks nota 10. Talvez estejamos vendo nesta sexta-feira o segundo capítulo de um duelo que fará história.

Surpresas
A longa rodada de Queen’s foi recheada de ‘zebras’, especialmente a queda de Marin Cilic diante do baixinho Diego Schwarztman. Juro que não consigo entender por que o croata não sobe à rede atrás de seus golpes poderosos, nem mesmo numa quadra de grama. Se não mudar esse comportamento, estará fadado à estagnação, crítica aliás que cabe perfeitamente a Dimitrov. As quartas de final ficaram sem Kevin Anderson, barrado por Gilles Simon, e Stan Wawrinka, que sacou com 5/4 no terceiro set. Porém a vitória de Nicolas Mahut e seus voleios impecáveis foi justíssima.

Jogaço
Como haviam feito na única vez que se cruzaram na grama, Roger Federer e Jo-Wilfried Tsonga mostraram todos os recursos que possuem sobre o piso e duelaram game a game, numa partida intensa e decidida em pequenos detalhes. Grande teste para o suíço, que demorou para ir mais à rede e não contou como deveria com o primeiro saque. Foi interessante ver que Roger optou muito mais por bater o backhand do que dar slices, uma arma poderosa na grama. É favorito contra Roberto Bautista nas quartas. Alexander Zverev se saiu bem diante de Steve Johnson e agora pega David Goffin. Se passar, pode enfrentar outra surpresa da grama, o italiano Marco Berrettini. Observem: o alemão reclama de muitas dores nos joelhos, que sofrem mesmo nesta superfície, ainda mais para quem mede 1,98m..

O campeão voltou
Mais do que a emoção de ver Andy Murray de volta foi comprovar sua qualidade em quadra, ainda que em jogo de duplas ao lado de Feliciano López. O escocês sacou bem, fez ótimas devoluções, mostrou enorme reflexo em pontos difíceis e até se jogou na quadra para tentar voleio. E olha que os adversários eram os respeitadíssimos Cabal-Farah. Andy deixou a quadra com largo sorriso, o mesmo do público e muito provavelmente de quem gosta de um tênis primoroso.

O campeão se foi
Mas a quinta-feira reservou uma péssima notícia: a patinada que deu ainda no primeiro set contra Denis Shapovalov custou caro a Juan Martin del Potro e o argentino, com ruptura na patela direita, terá de ir outra vez para a mesa de cirurgia. Nem deve voltar mais em 2019, uma temporada de apenas cinco torneios e oito vitórias.

Bia dá esperança
Grande vitória de Bia Haddad pelas oitavas do ITF de Ilkley, porque afinal Magdalena Rybarikova já foi top 20 e semi de Wimbledon-2017. Isso mostra que a nossa canhota está fisicamente recuperada, com golpes afiados e assim cresce a esperança de encarar o sempre duro quali de Wimbledon na próxima semana. Antes, enfrenta a experiente e ótima duplista Timea Babos, campeã de Roland Garros há poucos dias.


Comentários
  1. Ronildo

    E o Dimitrov? Onde está aquele jogador que venceu de forma contundente Andy Murray em Wimbledom? Isto depois de Murray ter sido campeão lá?

    Não dá para entender!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Ninguém subtrai nada , informadissimo Bode . Todos sabemos que Novak com 7 x 17 e Federer com 2 x 14 , são grande fregueses do Rei do Saibro em seu habitat. Fora dele ambos têm retrospectos positivos contra o Espanhol. Sua tentativa desesperada de agradar parte da torcida do Espanhol , não cola. Até porque seus comentários são na maioria das vezes imprecisos e porque não , inverídicos. Um fanático na acepção da palavra. Abs!

      Responder
  2. Sérgio Ribeiro

    Saretta finalmente disse o que somente míopes ou fanáticos não veem . O Craque Suíço depois de um primeiro Set com uma intensidade espetacular, ao diminuí-la a partir do segundo, passou a ter que “ achar” outra vitória. Sem desmerecer as bolas planas e rápidas de Bautista. Apelou de novo para o plano B,C e etc… mas com muitos problemas em seu Backhand pra lá de errático. Muito longe do apresentado em 2017. Dito isto , suas chances em 5 Sets , até mesmo em WIMBLEDON, são mínimas . Novak , Rafa e a Next Gen , estão carecas de saber. Mas não deixa de emocionar à beira dos 38 , seu empenho em dar seu melhor , com possibilidades de se aproximar de Connors e do FINALS , ainda na metade da Temporada. Outra vez dois da novíssima geração presentes nas Semis de Queen’s e Coric e Zverev decepcionando em Halle. O garoto Italiano de bolas pesadas salvou a turminha rsrsrs Abs !

    Responder
  3. Luiz Fernando

    Esse menino Aliassime vai dar o q falar, me lembro no ano passado de um comentário do Dalcim citando q o grego se dava bem na grama e vem o jovem canadense e o vence de forma indiscutível. No momento me parece o mais promissor dessa turma mais jovem, tomara q seu problema cardíaco ou não interfira com sua trajetória ascendente ou q possa ser facilmente corrigido…

    Responder
  4. Luiz Fernando

    Incrível o q está acontecendo c Zverev, assisti na parte da manhã aos dois primeiros sets, observando q ele dominou o primeiro, começou a errar tudo q tinha direito no segundo e posteriormente perdeu a partida, e para um jogador sem qualquer resultado expressivo no piso. Torna-se claro q algo estranho está acontecendo c esse rapaz, uma perda de foco inexplicada, ao menos p quem está de fora. Será q um problema sentimental (comentou-se aqui brigas c a namorada) o afetaria tanto? Qualidades não lhe faltam: venceu um M1000 frente a Djoko, quase venceu outro frente a Rafa em Roma e venceu o Finals deixando p trás Federer e Djoko seguidamente. Quem faz isso sem grande mérito?

    Responder
  5. rafael

    Mestre, o Tsitsipas acabou de falar que o Alliassime é mais “duro” de enfrentar que o big 3!! “He has the whole package to play big, to beat – I’m sure if he ever gets the difficult chance to play Nadal, Djokovic, or Federer, he’s going to beat them, for sure. I will not be surprised if he gets wins over those guys.”
    Você não acha que o grego quando perde sempre procura uma desculpa ou algo assim? Quando perdeu do Nadal foi a mesma coisa…sei lá. Tem horas que acho que falta humildade ao grego.
    Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acho desculpa, mas obviamente não consigo levar as palavras dele ao pé da letra. Ainda que Aliassime esteja jogando um grande tênis.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A Tennis Australia não tem nada a ver com a carreira pessoal do Kyrgios. Isso sai do seu bolso, o que é mais do que justo.

      Responder
  6. Paulo Almeida

    O rei da entressafra vai conseguir a duras penas ser o cabeça 2 em Wimbledon, mas acho que o Berrettini ganha esse quinhetinhos.

    Quanto ao Tsitsipas, não teve erro: tremeu de novo pro Aliassime.

    Responder
  7. Adriano Souza

    Dalcin, qual o seu nivel de conhecimento sobre o jogo de tenis?
    Fui pesquisar sobre um tal de Nick Bolettieri , e o cara é um apreciador conhecedor do jogo ( Ele diz que o Djokovic é o melhor e mais completo da história)
    E vc diz que o Federer é o melhor da história
    Vc conhece mais do jogo do que esse treinador de longa data? Oq vc pensa sobre ele e sobre a opinião dele em relação ao Djokovic e o Federer?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu já entrevistei o Nick Bollettieri, Adriano, e o conheço desde os anos 80. Eu respeito a opinião dele, assim como você deveria respeitar a minha.

      Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    kkkkk

    E agora, Sergião?

    Qual a desculpa para a nova virada que levou Alexander “CREMOGEMA” Zé Verev?

    Dessa vez diante do respeitável, porém modesto, David Goffin.

    Cadê as “fantásticas” passadas de backhand, do alemão? (rs)

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      De novo não assistiu o jogo , né Rodrigo ? Teve varios extra – quadra que mexeram com a sua confiança. Já vi isso acontecer até com GUGA. Depois do primeiro Rolanga , caiu pra TOP 13 e somente ganhou um ATP 250 durante uma temporada. . Acredito que o parceiro já era nascido rs . . Pra isso que existe Lendl. Venceu o ATP de Genebra e fez Quartas em RG , tirando Fognini, Se mantém no TOP 8 da Temporada. Perdeu no Tie Brack pra um Goffin totalmente recuperado. Na boa, assista a Semi do Belga contra o Italiano e depois conversamos. Verá um jogo de altíssimo nível. Abs!

      Responder
  9. Eu

    O ruim de usar branco é que 1kg acima do peso já é perceptível kkkkkk.
    Raonic andou comendo demais…
    Já Lopez, aos 37, vai para a semi!!

    Responder
  10. Renato

    Agut deveria estar desejando ser Novak do outro lado da quadra, já que o sérvio tem se borrado todo ao ver o Yakult do outro lado.
    O espanhol é bom jogador, mas permite que os adversários entrem no ponto quando está sacando, pois tem serviço fraco. Freguesia estabelecida. Próximo!

    Responder
  11. Rodrigo S. Cruz

    A vitória do Federer sobre o seu freguezaço Bautista Yougurt, revelou um alerta.

    Mesmo na grama, que é traiçoeira, nem sempre o slice do Federer se mostra efetivo contra esses tenistas que correm muito…

    Enquanto o suíço insistiu só com o slice, o Roberto Bautista já havia vencido o segundo set, e dava muito trabalho no terceiro.

    Justamente no game em que o suíço cansou de LEVAR FERRO com os slices, e resolveu bater um pouco na bola, ganhou o jogo.

    É bem verdade, que o game em que o espanhol sacou em 4/5 foi bem ruim.

    Mas nos pontos iniciais do game ganho pelo suíço, ele atacou com firmeza.

    Vitória dura e apertada.

    Responder
  12. Renato

    Acho que o Saretta faz elogios exagerados a tenistas as vezes. Segundo ele, Roger está jogando muito! Vc concorda Dalcim? Roger está fazendo grandes apresentações em Halle até agora?

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    Esse Aliassime tá demais, hein?

    Que SURRA, tomou o Tsitsipas, no segundo set….

    Começo a achar que o Pessanha apostou bem, dessa vez.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      ” Homi- rapáiz”.

      Pior é que não está nem importando o tipo de quadra… (rs)

      Acho bom o grego começar a pensar, rapidinho, num jeito de ganhar do “Assim-Assim”.

      Do contrário, a coisa tende a ficar muito pior que FEDAL…

      kkkk

      Responder
  14. Evaldo Moreira

    Bom dia,
    Neste momento, Auger-Aliassime, venceu o primeiro 7/5 e no momento, segundo set 4/2, para o canadense, ou seja, se vencer será o quarto ou quinto triunfo sobre o grego, computando s confrontos da época do juvenil, e mais com o profissional, ambos crescem de maneira peculiar, Stefanos está á frente, sem dúvida, mas Félix também evoluiu demais, estaremos bem no futuro próximo, enquanto isso, Goffin entubando o Zverev, que coisa hein…….

    Responder
  15. Rafael Brasiliense

    Dalcim, estou viajando e não vou poder assistir ao jogo entre Federer e Bautista pela tv. Sabe onde posso assistir pela internet usando o celular?

    Responder
    1. Miguel BsB

      Meu caro conterrâneo…se vc for assinante da NET, e possuir o canal Bandsports, baixando o aplicativo do NOW, vc consegue assistir a transmissão.
      Abs

      Responder
  16. Maior geração do tênis chegando

    Ixe pelo jeito o alassime vai vencer o tsitsipas.. o grego é craque o novo djokovic ……..mas o alassime é gênio a cópia do Federer esse vai encantar o tênis

    Responder
  17. José Eduardo Pessanha

    Me parece claro que o top 10 terá muitas mudanças até o final do ano. Berrettini e Felix deverão fazer companhia aos veteranos do Big 3 e a Zverev, Tsitsipas e Thiem. Ficariam faltando duas vaga, a serem preenchidas por Nishikori e Medvedev, a princípio.
    Abs

    OBS: Caso achem precipitada a entrada do Felix no top 10….Estou me baseando na enorme evolução dele e no fato de que ele está em décimo primeiro na Corrida para Londres, mesmo não tendo disputado Roland Garros.

    Responder
  18. Eu

    Tenisbrasil anunciou que a briga pela marca RF continua.
    Dalcim, vc sabe maiores detalhes sobre o assunto?
    E alguém da área jurídica sabe ou pode explicar o quê se passa?
    Muito obrigado

    Responder
  19. Jefe

    Talvez tenha passado o bonde para thiem kigrios e outros que já estão perto dos 25 anos, são três gerações q não mostraram nada de novo no circuito, tanto que quem beliscou algo em torneios importantes foram alguns trintoes pelo caminho, com exceção do dimitrov q ganhou um finals e um del potro arrebentado.
    Os jovens com menos de 22 anos parece que dominarão o circuito pois são eles a esperança de trazerem algum problema ao Nadal e principalmente djoko, q tendem a baixar o nível ao longo do tempo devido a idade. Federer já baixou há tempos. A conferir se essa geração, finalmente, consegue emplacar.

    Responder
  20. Luiz Fernando

    Que atuação do Berrettini nesse primeiro set contra CX9, que dominio, e olha q esse russo tem uma bola q anda demais. Vai ganhar o jg? Sabe deus, mas fiquei impressionado.

    Responder
  21. Angela B.

    Esse Kyrgios eh um genio do tenis! Talento indiscutivel 👏👏 🙌🙌……So NAO ganhou do canadense porque nao estava “afins” kkkkkkkkkkkk. E se nao estava “afins”, estah no SEU DIREITO! Afinal, somos (ou devemos ser) livres p/ escolher nossos caminhos. Por isso, adoooooro e respeito esse cara. E ainda bem que seu jeito polemico de ser, traz ao circuito algo que ha muito tempo faltava ver nesse mundo dos “famosos” – sinceridade e autenticidade. Ele eh o que eh….e nao precisa ou tem necessidade de fingir de ser aquela “ovelha chata, metida a correta e obediente”, que a esmagadora maioria finge ser 🙂 …….Vida longa p/ ele …e que se danem aqueles que o criticam. 🤙

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      kkkkkkkkkk

      Perfeito, Ângela!

      Finalmente uma pessoa que pensa exatamente como eu, aqui….

      A irreverência desse cara, era o ingrediente que faltava pro tênis.

      Eu sempre disse isso.

      Claro que, como fã, a gente também torce para ele vencer mais e mais.

      Porém, é como você disse.

      Se ele esmo não está afim, paciência.

      Liguemos o “foda-se”, e curtamos o show!

      kkkkkkkk

      Responder
    2. EU

      Hehehe…tô cuntigu….visse….angelazovski…i eu adoruncuandu eli ganha du robozin das pregas …comu diz u logicu…hehehe Tamu na trucida pru robozin si cuntundi nus dois juelhus…hehehe….eli mereci…hehehe

      Responder
  22. Rodrigo S. Cruz

    Vou concordar parcialmente com o Sérgio, nessa…

    O Kyrgios realmente arrumou um JEITO de perder do Aliassime.

    Tudo bem que o jogo foi muito parelho, com 2 tie-breaks, e a vitória de um seria no detalhe.

    Mas inventar bater a bolinha entre as pernas, no ponto que antecedia matchpoint para o rival, foi tolice…

    Deveria ter dado a passada simples, pois o ponto era praticamente dele.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Isso é o que você chama de concordar” parcialmente” ? rsrsrs E o Zé Verev tirou mesmo Fognini do Top 8 da temporada. Olho nesse garoto Italiano que parece que vai ser mais um da ” Farsa ” , a derrubar o fanfarrão Italiano mais velho rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Não confunda o que eu disse, Sérgio.

        O ” fanfarrão” italiano, continuará sendo MUUUUUUITO MELHOR, do que o Zverev, para mim.

        Responder
        1. Angela B.

          O “fanfarrao” italiano eh outro que eu amo de paixao, Rodrigo!!! Outro talento indiscutivel, e que joga pra se divertir (e nos encantar!)…Vida longa ao Fabio Fognini Tb!!! 🤙🙌

          Responder
  23. Rodrigo S. Cruz

    [Jonas]

    20 de junho de 2019 às 20:19

    “Quem clama por atenção é o Kyrgios cara.
    E você chama o Djoko de comum pq geralmente ele dá um pau no Federer”.

    (rs)

    Pense como quiser…

    Responder
    1. Jonas

      Acho que o Djoko incomoda até mais do que o Nadal.

      Isso porque o Federer conseguiu umas 5 vitórias de consolação contra o espanhol e venceu ele em Grand Slam por um milagre. Mesmo que no geral o Federer seja freguês, especialmente em Slams.

      Já o Djoko não dá mtas chances, aliás até dá algumas mais o suíço não aproveita, vide o masters de Paris que o sérvio jogou mal. Ele incomoda ainda mais porque deve passar o suíço em Slams e semanas como n1 e ainda lidera o confronto geral e em Major (9×6).

      Caso ele faça isso, só vai restar mesmo chamar o sérvio de trapaceiro ou comum e dizer que o suíço estava velho ou com a mão quebrada.

      Responder
  24. Jonatas Bruno

    Um dia bem concorrido e de duelos envolventes.
    Saldo positivo para o tênis nacional em dose tripla, numa quadra em que resultados equivalentes raramente acontecem. Valeu o dia!
    Tomara que a Bia se valha desse resultado e comece a ter resultados condizentes com o seu valor. Há margem de sobra para angariar dividendos.
    Gostei dos veteranos mandando ver: Federer e Mahut tem muito a render na grama.
    Assim como a retomada do Murray ao batente.
    Será que ele está tendo em mente voltar a jogar nas simples, já em Wimbledon? Deu mostras que pode aguentar,seria fantástico!
    Os novatos seguem muito bem na fita.. E como é desfrutante ver o Tsitsipas atuar! Somada a personalidade, já fazem de seus jogos a diferença no meio de tantos iguais.

    Responder
  25. Maior geração do tênis chegando

    Essa nova geração vai acabar com Djokovic e nadal ..sim esses dois são gênios do esporte …….mas como eu já falo a um ano e meio essa nova geração é a maior da história .. Félix auger alassime o novo Federer que é o rei do tênis ..tsitsipas e zverev q chega no patamar de Nadal e djokovic e minaur e shapolov que serão muito maior q Andy Murray

    Responder
  26. Rodrigo S. Cruz

    O Kyrgios é o tenista que mais dá show, no circuito.

    Isso é indiscutível…

    Mas como nada nesse mundo é perfeito, ele mescla espetáculo com total falta de interesse…

    Impressionante como está pouco se lixando, para o grau de importância do ponto.

    Todo ponto apara ele é igual…

    Exemplo máximo:

    Terceiro set, 5/6, e 40 iguais.

    (ou seja, o próximo ponto pode dar o matchpoint pro rival).

    Mas o australiano joga o ponto como se fosse um 15/0 , de um primeiro game… kkkkkk

    No caso, o Kyrgios tem a bola na mão, para matar o ponto com uma passada simples, de forehand.

    Mas ao invés disso, inventa de novo jogar a bola entre as pernas, e sem nenhuma força…

    O Felix Aliassime, que já está liigadaço no jogo, voleia o golpe do Kyrgios facilmente, e obtém o matchpoint.

    Logo após, o Kyrgios saca de forma bem displicente, e inventa de subir à rede, no segundo serviço.

    O que resulta numa bela passada cruzada do Aliassime, que assim define a partida…

    Conclusão: vitória ou derrota, pouco importa para ele.

    O cara só quer se divertir em quadra….

    Por um lado isso é bom, pois entretém quem assiste.

    Mas por outro, ruim, pois a gente sabe que não dessa maneira que se ganha grandes títulos…

    Responder
    1. Angela B.

      Mas eh escolha do Kyrgios, caro Rodrigo. O cara eh um grande talento, mas ele eh desse jeito…E que bom que ele se sente feliz dessa forma – ganhando ou perdendo, mas se divertindo em quadra e de vez em qdo, protagonizando umas polemicas – que na verdade, sao superficiais e inofensivas – afinal ele nunca “tacou uma cadeira” num juiz ou adversario, nao eh? Por isso sou fan desse cara…por assumir (sem mascaras) o que ele eh ..e sem ligar p/ as criticas. E por outro lado, todos nohs, admiradores de tenis, temos sorte de testemunhar sua genialidade em quadra. Abs!

      Responder
  27. Sérgio Ribeiro

    E a imprevisibilidade na traiçoeira grama, faz com que varios favoritos desabem ainda no início dos Torneios. Impensável na terra batida. Tsonga com seu Serviço acima de 200 km , e varios mísseis de forehand , levou o Craque a “ achar “ um modo de vencer. Essa é a diferença entre o competidor e o exibicionista. Kyrgios e Monfils arumaram um “ jeito “ de perder novamente. Isso em nada diminue o talento do jovem Canadense . Varios jogos decididos na fio da navalha ( podiam ir pra qualquer lado ) , para delírio do público . E sem precisar das entediantes maratonas. O Velhinho vai precisar suar pra não ser surpreendido pela molecada outra vez. Abs!

    Responder
  28. Arthur

    Cara na torcida:

    “Let’s go, Felix! You got this!”

    Kyrgios:

    “He honestly probably does”.

    KKKKKKK

    Se o Kyrgios não existisse, tinha que ser inventado, Dalcim.

    Um abraço.

    Responder
  29. Rafael Benthien

    Dalcim, realmente uma pena o que aconteceu com Del Potro. Uma questão… ele pode bloquear o ranking para voltar entre os cabeças quando o tratamento terminar. De resto, gratíssimo pela cobertura sempre primorosa, inclusive nos jogos on-line. Abraço, RFB

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele pode ‘congelar’ seu ranking caso fique mais de três meses sem competir, mas o ‘ranking protegido’ garante a ele inscrição nos torneios e não vale como cabeça de chave. Os cabeças seguem sempre o ranking da semana do sorteio da chave. E obrigado! Abs

      Responder
  30. Fedex

    Dalcim, é impressionante como o Kyrgios joga sem interesse, no último game de jogo e tendo a possibilidade de break ele faz aquela graça. Realmente é algo lamentável para o esporte, acho que ele poderia ter um penalidade mais grave, quem sabe passar uns 6 meses sem competir.
    Outra coisa, sobre o Federer, ele apagou no segundo set, o que deu confiança para o Tsonga vencer o set, Federer tinha um jogo na mão e quase perde o jogo. Vc acha que para ganhar Wimbledon ele deveria melhorar, além do 1° saque, o quê? Pq a vitória foi sofrível.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ah, acho que é um processo. Para um jogo na grama, foi bem demorado e certamente Federer não está tão acostumado a isso. Também temos de considerar que Tsonga é um tenista muito experiente, que sabe como jogar (e adora enfrentar) o Federer.

      Responder
  31. Márcio

    Uma pena os dois guris, Félix e tsipas já se enfrentarem. Tomara que nenhum deles se machuque ao longo do circuito , e possam enfim ser uma geração que demonstre alguma competitividade frente ao big 3.

    Responder
  32. Luiz Fernando

    Grande partida entre Federer e Tsonga, com o suíço jogando muito (pex deu 2 smashes do fundo da quadra absurdos) e o francês igualmente demonstrando que será um páreo duro em W, se estiver com bom fisico p aguentar jogos seguidos de 5 sets. O ponto ruim p Federer foi a duração da partida, quase 2.5 hs, e ele não tem se dado bem quando essas partidas longas ocorrem no inicio ou meio dos torneios. Aliassime vs grego de fato promete ser uma partida de dois grandes campeões do futuro, sou Felix desde criancinha…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *