Chuva na sexta é chance de equilibrar Roland Garros
Por José Nilton Dalcim
5 de junho de 2019 às 18:28

Não é qualquer novidade que a chuva sempre apareça em algum momento durante Roland Garros para causar dores de cabeça aos organizadores. Apesar disso, apenas duas vezes em toda a Era Profissional havia acontecido de uma rodada inteira ser totalmente adiada, uma em 2000 e outra em 2016.

O mau tempo no entanto não poderia ter vindo em pior hora nesta edição: justamente na divisão das quartas de final masculinas, deixando preocupação justificável para o destino de duas fortes candidatos ao título.

Novak Djokovic e Dominic Thiem terão agora de jogar na quinta-feira – que também gera expectativa de algumas pancadas no fim da tarde – e correm o risco de ter de voltar à quadra no dia seguinte para quem sabe um duelo direto nas semifinais.

Se a previsão do tempo local for confiável, há no entanto uma grande chance de a crise ser amenizada. Ao menos para os jogadores. Porque se espera chuva torrencial e ventos de até 50 km/h na sexta-feira, o que também deve impedir qualquer ação nas quadras.

Nessa hipótese, ao menos haverá maior equilíbrio, com as duas semifinais acontecendo no sábado. Aí será uma questão de quem conseguir se poupar mais para a final de domingo. A sugestão de se mudar a decisão masculina para a segunda-feira ainda é algo impensável em Paris. A meteorologia diz que vai estar frio no fim de semana, mas sem risco de chuva.

Claro que as meninas também estão prejudicadas, mas é uma situação bem menos estressante, porque afinal elas estão bem acostumadas a disputar quartas, semi e final em dias consecutivos nos torneios tradicionais, sempre em melhor de três sets. Eventual dolo acontecerá apenas se alguma dessas partidas decisivas for extremamente longa.

A Federação Francesa apressou-se a anunciar que o ingresso desta quarta-feira será totalmente reembolsado – existe a opção de se adquirir o de 2020 na mesma rodada – e quem quiser poderá ir ao complexo gratuitamente também nesta quinta-feira, exceto é claro entrar nos dois estádios principais.


Comentários
  1. Renato

    Primeiro set de total equilíbrio. Poderia ter ido pra qualquer lado. Não vejo superioridade pro espanhol como anos atrás.

  2. Fernando Pauli

    Em 06/06/97 Guga me deu um presentão no meu aniversário de 29 anos, a oportunidade de vermos pela primeira vez um brasileiro disputar a final de simples de um GS. Já falei para minha esposa não comprar nada para mim hoje, pois amanhã ou sábado Federer vai me presentear como o primeiro jogador a vencer Nadal numa SF de RG. Na torcida.

  3. Nando

    É senhores…Zverev só complicou no 1° set, perdeu a chance de finalizar (o set) e depois daí foi atropelado pelo cotonete.
    Thiem não teve trabalho tbm…teremos grandes semis amanhã (se a chuva permitir).
    Go Roger! Q seja igual 2017…entre ligado, focado, agressivo…no saibro é mto mais difícil (nadal favorito e Federer zebra, porém no AO 2017 tbm era assim), mas eu espero e torço para q ele se supere.

  4. André Barcellos

    Com o perdão da expressão, poucas vezes vi um tenista tão burro dentro de quadra quanto o Zverev hoje.
    Tudo bem que ele encrespou e deu de graça o primeiro set, mas esse não vi.
    Mas vi as escolhas erradas, as péssimas execuções de golpes etc.
    Está claro que contra o Thiem Djokovic não terá vida fácil.

  5. Bartolomeu

    Fala-se muito que o Federer é o rei da entressafra, que ele só foi vitorioso entre os 2004/2009 porque não tinha rivais que o enfrentassem de frente, que Murray é mil vezes melhor que Roddick, que Wawrinka aplicaria um pneu no Marat Safin, e que Lleyton Hewitt perderia em sets diretos para o Del Potro etc. Mas a pergunta que faço é, e daí?

    A verdade é que, nos últimos quinze anos, a briga séria, que realmente importa, foi sempre entre os Federer-Nadal-Djokovic, e todos os outros jogadores foram amplamente dominados, com exceção de alguns triunfos eventuais.

    Então fiz o seguinte cálculo. Coloquei Federer, Nadal e Djokovic num grupo à parte e analisei o H2H deles com os principais representantes de quatro gerações de tenistas dos últimos 15 anos. E o fiz com método. Se alguém discordar, fique à vontade:

    Geração 1 – representada por Marat Safin, Lleyton Hewitt e Andy Roddyck.

    Contra esses tenistas, Federer tem um percentual de 78% da vitórias (49/14), enquanto Nadal tem um percentual de 69% (16/07) e Djokovic de 55% (10/08).

    Geração 2 – representada por Murray, Del Potro e Wawrinka

    Federer mantém um aproveitamento de 72% (55/21), Nadal conta com 74% de vitórias (46/16) e Djokovic chega a 75% (60/20). Notem que são números muito parecidos, e bem próximos do percentual apresentado por Federer contra a geração anterior, ou seja, para você que diz que Murray é melhor do que o Roddick e o Wawrinka ganha do Safin etc, tá, pode até ser, mas que diferença faz? Federer bateu todos eles com a mesma autoridade.

    Geração 3 – representada por Dimitrov, Nishikori e Raonic

    Esta, sim, poderia ser chamada de entressafra, pois foi a que menos fez frente aos campeões. Vejamos. Contra os três tenistas acima, Federer alcança 80% de vitórias (25/06), Nadal chega a 86% (31/05) e Djokovic salta para 94% de triunfos (33/02). E aqui vale a seguinte observação: é uma geração que se consolidou com Federer acima dos trinta anos, já no declínio físico, enquanto Nadal e Djokovic estavam voando. Imagino que, se Federer tivesse enfrentado eles com 28/29 anos, teria um aproveitamento na casa dos 95%.

    Geração 4 – representada por Thiem, Zverev e Tstitipas

    O percentual de Federer fica em 42% (06/08), Nadal mantém um bom aproveitamento de 77% (17/5) e Djokovic cai para 66% (10/5). Vale ressaltar que, aqui, Federer está enfrentando adversários em média 15 anos mais jovens, e com mais talento do que a geração anterior, o que torna natural a curva descendente.

    E se a gente somar todas as vitórias e derrotas de Feder/Nadal/Djokovic contra os tenistas acima citados, mais uma vez teremos números extremamente parelhos: Federer tem um aproveitamento de 73% (134/49), enquanto Nadal e Djokovic se igualam em 76%, com, respectivamente, 108/33 e 113/35.

    Resumo da ópera:

    Não existe uma geração fraca ou uma entressafra, mas três tenistas que dominaram amplamente todos os seus rivais nos últimos 15 anos.

    Para mim, Federer é o maior de todos. Primeiro porque ele continua, com praticamente 38 anos, e demonstrando um amor pelo tênis que nunca vi em outro tenista. E o mais importante: em números de slams e semanas como o número 1, ele foi o que mais ganhou e pronto. Os recordes são dele, e continuam contando, ou alguém duvida. Ele ter chegado à semi de Roland Garros, após vários anos sem jogar no saibro, para mim é um feito impressionante. Torcerei por ele contra Nadal, mesmo sabendo que a vitória é improvável e que, no caso da derrota, isso em nada vai diminuir a sua grandeza.

  6. Rubens Leme

    Dalcim, não sei se chegou a virar notícia isto, mas olhando o wikipedia do Wilander agora, vi algo curiosíssimo: ontem (dia 5) ele, Becker e McEnroe trocaram títulos de Slams. Assim, ele deu dois RG seus, um pra cada e recebeu um Wimbledon de cada um deles. Viu isso em algum lugar?

    At the end of a Eurosport TV program, on June 5th, during Roland Garros 2019, Mats Wilander, Boris Becker and John McEnroe agreed to exchange their own grand slams : Wilander did give a Roland Garros to both of the others so his prize list on the Parisian clay went from 3 final victories to 1. However, he therefore won 2 wimbledons, one from Becker and one from McEnroe. This wise exchange introduced him into the restricited cercle of the few players who won at least one of each grand slam

      1. Rubens Leme

        Eu sei que é uma brincadeira, mas ainda assim é divertida e mostra o senso de humor dessa geração. Até achei um vídeo dos 3, mas é de anteontem, esse de ontem, ainda não vi.

  7. Kleber Araujo

    Dalcim, boa tarde!

    Qual sua opinião sobre a programação de amanhã?
    Pessoalmente achei um pouco injusta. Até pelo risco de chuva.
    Seria melhor colocar uma semi masculina na Central (fedal, óbvio) e a outra na Langlen, começando em horários semelhantes.
    Não sei, mas grandes chances de termos um desequilíbrio físico, que na minha opinião, poderia ser evitado.

    Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      De novo o problema dos ingressos, Kleber. As semis são vendidas separadamente, então há quem compre ingresso para os dois jogos. Eles estarão contando com a melhoria do tempo, e parece que realmente haverá jogos a partir as 15 ou 16h.

  8. Sônia

    Torcida SEMPRE para ELE, SEMPRE, “until to the end” (na alegria e na “tristeza”). ThieMito vem em segundo… acredita lindão, acredita, mas sendo realista (detesto), o sérvio não deixará escapar essa oportunidade. Beijos.

  9. JOSÉ EDUARDO PESSANHA

    Dalcim,

    Uma sugestão de post seria a revolução que está acontecendo no tênis feminino. Incrível o surgimento da Osaka (essa já tem uma certa rodagem no circuito), da Anisimova e da Andreescu. Possivelmente as três terão um domínio parecido com o Big 3. Acho que Serena está percebendo que não tem mais chances de vencer Slam. Acredito que ela se aposente após o US Open.
    Abs

  10. JAN DIAS

    ZVEREV tem técnica, juventude e potência, mas não tem cabeça… MUITO IMPACIENTE, IRRITADO E SEM MOTIVAÇÃO pra virar os jogos quando o placar está adverso. Sua baixíssima tolerância à frustração completa o quadro mental instável.

    Ou ele melhora isso ou vai morrer abraçado com o KYRGIOS…

  11. Renatinho

    Dalcim, vc concorda que se tivesse um jogo do cartola ( igual tem para o brasileirão ) para fazer palpites sobre os jogos do tênis feminino teria que ser um gênio para ser o campeão da temporada do cartola ? kkkkkkkkkkkk São muito imprevisíveis os resultados.

  12. Mário Cesar Rodrigues

    Amanhã chance de chuva caiu muito.Rafa vai jogar e atropelar,agora se a outra semi se eles tiverem condições iriam para SL pq domingo o sol vai moer e não tem essa de final segunda meu horário é sair de Paris Domingo as 23 horas daqui.se for passar para segunda vai ter que me pagar hotel e passagem eles que sabem arrumo um barraco danado aqui.

    1. Sérgio Ribeiro

      Leia mais os comentários antes de postar suas costumeiras asneiras , Sr Paulo. Postei claramente que o N 1 e o N 2 estavam SOBRANDO na turma. E com back de uma mão , mesmo num Saibro mais a sua feição , Dominic não encara nenhum dos dois . O Craque menos ainda. Abs !

    2. Barocos

      Zverev é um excelente tenista. Falta calibrar a cabeça. Tem vitórias contra muitos dos principais tenistas da atualidade, exceto, claro, o Nadal. Conseguir soluções contra o spin e o preparo físico do Nadal, quando este está gozando de plenas condições físicas, é algo que elude a imensa maioria dos tenistas.

  13. Maior geração do tênis chegando

    Agora vamos esperar o Nadal arrebentar o rei do mato Djokovic ..vai dá dó do sérvio …….. Já o Federer infelizmente estava velho quando começou a perder pó Djokovic e nadal isso foi desvantagem para o rei Federer ……. Mas tudu bem Djokovic e nadal não enfrentaram ninguém na suas carreiras apenas Federer velho Nadal e Djokovic reis da entressafra

  14. O JR7

    Dalcim e amigos,

    Vou dar um singelo palpite para as semis: passam Nadal e Thiem.

    Como torcedor, gostaria de ver o maestro na final, mas convenhamos: se há 10 anos atrás isso não foi possível, hoje as chances seriam mínimas. Teríamos que trabalhar muito com o “se”, se o primeiro saque funcionar excepcionalmente, se a devolução for precisa e ali o suíço puder iniciar comandando o ponto, se ele conseguir “achar” sempre o backhand do espanhol (vide Indian Wells 2017), se o backhand dele mesmo estiver bem afiado e acrscento uma essencial, aproveitar os brakes. Já assisti RG que Nadal conseguiu fechar a porta em 17 breaks, então se o suíco pretende enfim vencer isso não pode novamente suceder. Enfim, são várias conjecturas, especulações em cima de uma partida, que mesmo nãosendo uma final tem um grande peso emocional, então o desafio do maestro é duro.

    Se a vantagem em números é toda do espanhol, isso lhe traz uma obrigação implícita de vencer, ao passo que para Federer acredito que ainda -até mais que olimpíada- é uma lacunas a falta de um triunfo em cima do seu maior algoz, num piso que lhe é desfavorável. Penso que uma vitória amanhã para o suíço seria a sua “consagração ” por assim dizer, seria mais um belo argumento para aqueles que defendem o titulo de GOAT, mesmo ele não estando na condição de provar nada mais a quem quer que seja. Lembro-me de uma antiga frase sua: “meu sonho é vencer Nadal em Roland Garros”. Eis mais uma oportunidade para o grande RF, talvez a última diria. Após essa semi, qualquer que seja o resultado, penso que não veremos mais RF X RN no saibro parisiense.

    Por ora, fica minha torcida para que tenhamos jogos históricos, de ambos lados, independente dos resultados, que vençam os melhores.

    Por fim, acho que é inútil fazer uma crítica a alguns comentários do tipo, ” o saque desse é melhor ” “drop desse”, ” bachand daquele “.. ” meu tenista é melhor que o seu “.. Olha, isso é ridículo, sinceramente. Vamos lembrar que o administrador criou um post exclusivo para os mais intensos se deliciarem, fazer altas declarações de amor ao tamanho de Tenista “A” ou “Z” e ainda tem participante criando caso. Vamos tentar melhorar, conversar mais sobre tênis.. Que tal?
    Agradeço a um(a) participante que sentiu minha falta, um abraço cordial e saudações federistas rsrs (a propósito não sei pra qual tenista torce). Sempre leio o blog, o penúltimo, foi quase uma homenagem a tantas emoções e coisas boas que esses tais RF e RN nos deram. Achei demais. Fiquem com Deus!

      1. O JR7

        Paulo,

        Não sei se você estava se referindo a mim ou a outro colega porque não fiz previsão em relação à partida Djokovic x Zverev. Quanto a secar, igualmente não me identiquei pois também tenho uma consideração ao Djokovic, por alguns motivos, pela sua dedicação, conquistas, entre outros. Ratifico aqui que desejo jogos de altíssimo nível para as semis e que vençam os que fizerem por merecer.

    1. Jônatas

      Só discordo de que se o Federer de outrora não ganhou agora que as chances são menores como escreveu acima. Neste momento, no quesito EMOCIONAL, esta é a melhor fase do Federer em toda sua carreira. Nas outras vezes o Federer sempre estava como nº1 e dominante em todos os pisos com exceção de 2011 onde favorito era o espanhol, nº1 do mundo, e com pressão enorme em cima. Hoje não. Daqui para frente é lucro e o favorito é o Nadal.
      Na parte TÁTICA eu acho que o duelo será diferente dos anteriores em RG ou mesmo no saibro. O Nadal está um pouco mais agressivo e errando mais também por conta disso. Federer está com um BH mais seguro, trabalhando a bola um pouco mais. Pode perder como sempre perdeu mas, o que foi visto até aqui, espero um jogo duro, ao menos 4 sets com placares apertados. Pode ser que dê o esperado, vitória do Nadal, mas eu não duvido de mais nada.

      Em outros tempos daria 70% a 30% para o espanhol, hoje eu dou 58% a 42%.

  15. Fernando Pauli

    Zverev teve todas as chances de encrespar o jogo com Djoko, e de mostrarem um jogo emocionante para os espectadores. Mas o jovem alemão estragou a festa pois na hora de passar de Danoninho para Homem sentiu a pressão, e nessas horas fica olhando para o papi, não dá né? Agora que o Djoko abra os olhos contra o Thiem, pois nesse jogo de hoje ele flertou com o perigo duas vezes e o Danoninho alemão na primeira fez três erros bisonhos com direito a smash para fora e na segunda incríveis 3 DF. Thiem não irá vacilar na hora da onça beber água. Djoko finalmente terá seu primeiro teste nesse RG. Hoje poderia ser testado, mas o alemão deixou para o ano que vem.

    1. Sérgio Ribeiro

      Sei, não. Mas o amigo me passa a sensação que posta neste mesmo Nick que seu papi rs Caso esteja enganado, ate’ marmanjos como Fognini , Verdasco , Nadal e CIA olham o tempo todo para o seu Box. Mas fora o Espanhol, nenhum dos citados possuem 3 MASTERS 1000 e um FINALS como o Danoninho. E este mesmo vindo em ma’ fase , defendeu as Quartas do ano passado. E os marmanjos ? Abs!

  16. Sandra

    Dalcim, a Lacoste e francesa ? O fato de ser ptrocinadora do Djokovic , não acaba virando torcida para ele ganhar? Ou eles não se importam ?

  17. Paulo Almeida

    O GOAT Djokovic começou instável e o alemão muito bem. Jogo absurdo no primeiro set.
    Porém, depois ele zverevou e o trabalho foi facilitado para o segundo melhor saibrista do século 21.

    E que lobs magníficos que o melhor de todos os tempos aplicou! Além de possuir a melhor devolução, o melhor backhand e a melhor defesa também é o melhor nesse fundamento.

    Que venha Dominic Thiem! E quem é mesmo brinquedo da garotada?

    Chora, Renato!

  18. Luiz Fernanda

    Nextgen devidamente varrida do mapa, nem uma vaguinha nas semis conseguiram. Os 3 big trintões na parada, tendência q deve se repetir ainda muitas vezes, salvo em caso de contusões.

  19. Rodrigo S. Cruz

    Bizarro.

    Alexander “NESQUICK” Zverev continua decepcionando mesmo.

    Bola e jogo ele tem de gente grande, mas o mental é de “pré-aborrecente”…

    Sérgio Ribeiro chiando em:

    5, 4, 3…

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps. Está postando demais e lendo de menos os comentários. Postei que a Nextgen não aprontaria nada , pois o N 1 e o N 2 estão sobrando na Turma. Comentaristas de Placar a lá L F estão fazendo escola neste blog rs Fala de Sasha as mesmas coisas que fala ( ou falava ) a poucos meses de Dominic . Este aos 25 , já está mostrando bem mais maturidade. Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Esse teu Papinho de ” humildade” , já deu caríssimo LF. Num fórum de debates se comporta como uma criancinha. Seu Post sobre a Fórmula 1 demonstra mais uma vez , que é bem fraquinho nos comentários. E se acha no direito de não ser contrariado. Na boa , chama a Gabi rsrsrs Abs !

  20. Sandra

    Dalcim, nos seus comentários doplacar uol, você fala que Zverev não está com confiança, pelo visto o Nole também , pois o Zverev ameaça quebrar o saque dele toda hora, como não consigo ver o jogo, acho um estresse , o Djovic está jogando mal??

    1. José Nilton Dalcim

      Jogando mal é exagero, mas não fez um primeiro set brilhante. Sofreu com o saque, mas sempre se recuperou. A quebra que recuperou no 5/4 foi um vacilo absurdo do Zverev, que saiu com ace e aí se apressou todo, escolhendo muito mal as jogadas. Daí em diante, Djokovic jogou cada vez melhor.

  21. Rodrigo S. Cruz

    Puta que pariu.

    Mais uma quebra de saque pro Djoko, e sem o menor esforço.

    O sérvio só põe a bolinha na quadra, e deixa o Zverev se encarregar de fazer toda sorte de lambanças.

    A cabeça do alemão está ligada no nível BELLUCCI , hoje…

  22. Luiz Fernando

    Thiem atropelou CX9, esse austríaco é candidato ao título, o cara nesse ano venceu Federer na dura e Nadal no saibro, quantos mortais já fizeram isso numa mesma temporada? Com certeza poucos. Não deve ser subestimado…

  23. Rodrigo S. Cruz

    Olha, vou falar viu

    Pode o Sr. Sérgio Ribeiro SURTAR, o quanto ele quiser.

    Mas esse Alexander Zverev, tem uns momentos que são simplesmente cômicos.

    Primeiro, ele tem 5/ 4 e saque contra o Djoko, e não aproveita.

    Até aí, tudo bem. perdoável…

    Mas depois , sacando em 5/6, ele perde o set, com uma dupla-falta.

    Aí, no segundo set, o Djoko domina e abre 5/ 2.

    O Zverev saca e salva um break-point, e consegue a vantagem.

    Mas aí , ele faz uma coisa inacreditável:

    Dupla-falta (40 iguais); dupla-falta de novo (set-point Djoko) e….

    DUPLA-FALTA!

    Kkkkk

    Acho que por causa do Zverev, terão de instituir no tênis uma nova pontuação:

    A SÊXTUPLA-FALTA!

    Kkkkkkkkkk

  24. André

    Tudo caminha para uma semi entre Djoko e Thiem, que estão jogando e devem passar em 3 SETS, terminando o jogo num horário muito próximo…. creio que a semi amanhã, sem descanso os deixarão em pé de igualdade, assim que como estão Federer e Nadal… e depois ambos finalistas teriam o sábado de descanso, igualando as situações. Sinceramente, acho que a igualdade para a final desse modo ficaria resguardada… o descanso de terça/quarta/quinta não teria influência lá no domingo, depois em um sábado de descanso. Ao menos eu não vejo esse prejuízo pro outro lado se os jogos ocorreram amanhã

  25. Rubens Leme

    Dalcim, relembrando os 63 anos de Bjorn Borg hoje e seu recorde inigualável do tri consecutivo em Roland Garros e Wimbledon, entre 1978 e 1980, percebi que Nadal quase o igualou (entre 2008 e 2010) não tivesse perdido pro Soderling, em Paris, em 2009 e se ausentado de Londres, por lesão. Era o número 1, já tinha colocado Federer no bolso em Slams e dificilmente perderia o título na grama, fosse com o suíço ou Roddick (os dois finalistas de 2009).

    Por essas e outras o Ice Borg continua sendo incomparável.

    E amanhã Nadal faz 6×0 em Paris no grande rival. O suíço, aliás, precisa abrir o olho e pular 2020 ou corre o risco de tomar um 7×0 que nem Felipão tem.

    1. José Nilton Dalcim

      O extraordinário no Borg, Leme, é que ele era um jogador de base, que passava duas semanas inteiras treinando saque-voleio para Wimbledon. Era uma adaptação incrivelmente difícil e que ele conseguiu fazer com esse sucesso todo.

      1. Rubens Leme

        Sim, eu li sobre isso, Dalcim. Foi uma pena ele ter parado tão cedo. Se não me engano, seu último torneio foi uma exibição onde jogou até golfe com Vincent Van Patten, que depois virou um ator de filmes B em Hollywood, já em 1983, onde parecia mais interessado nos tacos de golfe do que nas raquetes.

        Enfim, quem viu, viu.

        Como hoje é um dia especial e até meio triste (o dia 6 de junho também marca as mortes de Carl Jung, em 1961, do saxofonista Stan Getz, 1991 e do enxadrista Viktor Korchnoi, 2016, entre outros), deixo aqui uma faixa do precioso box triplo que recebi hoje: Grateful Dead, Live at Fillmore West, 1969: Dark Star.

        https://www.youtube.com/watch?v=-Xic-CHInek

      2. Sérgio Ribeiro

        Pois é , treinava mas não praticava Saque – Voleio o tempo todo , caro Blogueiro. O Big Mac o destronou vencendo TRÊS FiNAIS consecutivas de SLAM. Nem ele se considera inigualável como afirma o Sr. das músicas. Ficou sem o USOPEN e o AOPEN. Já cansou de afirmar que Nadal o superou no Saibro e Federer na Grama. Isso em nada diminui o ICEBORG , a meu ver. Abs!

        1. José Nilton Dalcim

          Não, não o tempo todo. Apenas diante de adversários em que sabia precisava ir à rede antes do que ele. Eu conheço bem demais a carreira e os feitos do Borg, caro Sérgio.

          1. Rubens Leme

            Dalcim, Dalcim nem perca seu tempo. Ele escreve tão mal e tem tanta dificuldades em manter a coerência ou seguir um raciocínio lógico que nem vale a pena a argumentar.

            Ao contrário dele, não preciso diminuir Federer para enaltecer Borg, como não diminuía McEnroe ou Connors. Cada um dentro do seu estilo marcou época. Mas Iceborg ainda é The Man (Sorry Wawrinka…).

        2. Jonatas Bruno

          Permita-me Sérgio uma observação,aí tu está entrando no âmbito descontextualizado que o Rubens se propôs a enfatizar. Em suma,colocaste na roda, fatos que não estavam sendo levantados!.
          Em meu humilde discernimento,captei o que o nosso colega transmitiu. No contexto do feito,o que Borg fez, convenhamos, até hoje não foi igualado, especificamente a tabelinha Roland Garros e Wimbledon por três anos seguidos. Em suma, um feito único! Além de notável e extraordinário, numa época em que a adaptação do saibro para a grama, exigia um desafio maior!
          Finais “desperdiçadas” e comparativos com os gênios, deixemos para os cambistas, afinal o ingresso é acessível! Abraço.

          1. Rubens Leme

            Repito o que disse ao Dalcim, Jonatas: não perca tempo em argumentar com quem não sabe e se acha o dono da verdade ou expert em tudo (e nada entende).

            Mas agradeço sua defesa.

          2. Sérgio Ribeiro

            Pois é, caro Jonatas . Não sei se você costuma ler as asneiras do Psedo Intelectual em quase todos os seus Posts. Meu Português é ruim perto do da figura, mas continuo acompanhando os jogos . Não somente do Big 3 , que o “ Sabichão “ teima em diminuir perante Borg. Vive do passado e tem grande dificuldade em reconhecer o fato. Repete à exaustão que o Sueco continua o melhor de todos. Nem o ICEBORG pensa isso. Na Laver Cup reconheceu publicamente. Quem sabe um dia o burguesinho aprende. De música ele entende… Abs!

      3. João ando

        Dalcim. Não lembro do borg sacando e voleando em Wimbledon. ..acompanhei a carreira dele toda pois sempre vencia e por isso era fã dele…depois que ele parou gostava do connors. ..pois batia bem chapado assim como eu bato quando jogava tenis

        1. José Nilton Dalcim

          É só você procurar jogos dele no Youtube, Ando. A final de 1980, para mim ainda o melhor jogo do tênis que já vi, provavelmente está na íntegra e você poderá se deliciar com o saque-voleio do Borg.

  26. Maior geração do tênis chegando

    Essa obrigação de ganhar torneios grandes mata essa nova geração ..zverev tá jogando melhor q Djokovic ae pra fechar o jogo vem a pressão e entrega kk……..mas a sensação que eu fico é q ano que vem zverev bate Djokovic fácil com mas experiencia ..acho q ano q vem Djokovic não termina no topo ou tsitsipas ou zverev termina no topo ano q vem .. a maior geração do tênis tá chegando ..e o campeão desse Roland Garros vai ser novo tbm domínic thiem porém esse será um novo Andy Murray nada de genial mais .grande jogador

  27. Luiz Fernando

    Zé Verev teve varias chances de break no set1, quebrou e abriu 54, não fechou e agora perdeu o set. Grande chance de naufragar a partir de agora.

  28. Rodrigo S. Cruz

    Vamos dar de César, o que é de César…

    O fair-play do Djokovic, como sempre é elogiável.

    Quando Zverev sacava em 3/4, no primeiro set, ele acertou uma bola na linha.

    Mas o “porcaria”, o INÚTIL do juiz de cadeira, não quis deixar ele repetir o saque.

    Daí o Novak foi lá, procurou minuciosamente a marca , e depois passou o pé…

    Atitude digna de um campeão.

    Não é a primeira vez que o Djokovic age assim…

  29. Daniel

    Absurdo, em 2019, um torneio da grandeza de Roland Garros não contar com iluminação nem uma quadra coberta.

    Mais: falta de consideração com os tenistas e o público, que chega a pagar 1.000 Euros por um ingresso.

    Me lembrou a Rolls Royce, que não adotava freios a disco nos seus carros porque “achava” que os compradores se incomodariam com o chiado das patilhas.

    1. Paulo Almeida

      Aí, Daniel, segundo seus critérios, o Zverev e o Thiem também são maratenistas. Classifique todos os baseliners assim e não somente os caras de que você não gosta. É mais justo.

  30. Maurício Luís *

    Eis então que o espanhol sarado baloeiro chega e pergunta pro seu novo Espelho Mágico, importado diretamente da Bahia:
    – Espelho, espelho meu… Qual dos dois é mais lindão… o meu forehand de balão ou eu?
    Resposta do espelho bahiano:
    – Péra um póquinho que eu tô PRÓCÈSSAAAAANDO, meu nêgo!

  31. Renato

    Eu tento entender o lado dos fanáticos por linguiça, mas o cotonete, apesar da ligeira vantagem no h2h contra Federer e Nadal, é tecnicamente inferior ao espanhol e muito inferior ao suíço. Leva vantagem pois é mais jovem, tem mais físico e se defende melhor que os dois. As aulas de balé que o sérvio faz também ajudam muito na elasticidade do atleta.

    1. Maior geração do tênis chegando

      Federer é muito melhor q Djokovic sim ..mas Nadal não o Nadal parece ter mas talento q Djokovic mas não tem ……. é que o canhoto tem mais força mesmo isso é do ser humano o canhoto tem muito.mas força e por isso parece q Nadal tem mas talento pra bater na bola q djokovic mas na verdade são muito parecidas no talento ..vc pega Roberto Carlos Adriano Hulk os maiores chutadores são canhotos

    2. Augusto Montenegro

      Kkkkkkkkkkkkk

      Seu comentário é uma piada. Ele é mais novo 1 ano do que Nadal e o espanhol tem mais físico do que ele ainda. Engraçado essa lógica, quando Federer era mais jovem e Djokovic inexperiente, a vitória de Federer tinha todos os méritos (sempre né?kkkk), agora ( faz uns 8 anos já ) ele é um pobre coitado, desprevilegiado por ser mais velho. Oh! Que pena! Vamos dar papinha a ele. Kkkkkkkkkk

    3. Jônatas

      Tecnicamente ao Federer sim, é inferior, mas ao Nadal não a não ser na rede. Ali o Nadal é melhor ao meu ver. No fundo Djoko é o melhor de todos não só pelo físico mas como gera potência em ataque e contra-ataque de ambos os lados. Quanto mais para frente o Djoko vai pior ele fica com relação a ele mesmo. O negócio dele é fundo de quadra. Ali ele é o dominante.

    4. Ricardo Lessa Filho

      Hahaha. Menos técnico do que o Nadal? O backhand do espanhol é tecnicamente muito abaixo, as deixadas idem, a devolução também, sem falar, claro, da capacidade que o sérvio tem em distribuir o jogo em todos os lados da quadra. Por isso que Nadal é o rei do saibro e geralmente pouco faz em WB onde a técnica é essencial. É mais novo que o Nadal? Somente um ano de diferença… A sorte do espanhol foi ter explodido e amadurecido ainda adolescente (claro, méritos total)….

      1. Sônia

        “ A sorte do espanhol foi ter explodido e amadurecido ainda adolescente (claro, méritos total)….” rsrsrs, ops, e a tal entressafra? Beijos.

  32. Mário Cesar Rodrigues

    Dalcim tudo bem ?nada a ver amenizar o que Rafa é Federer desde terça descansando se o jogo terminar das semifinais hoje amanhã tem condições de fazer as duas semifinais de manhã digo masculino a tarde chuva ,agora sábado todas semifinais e final domingo complicado..quem sairá com vantagem é Rafa é Federer que já tem com hoje dois dias de descanso.

  33. lEvI sIlvA

    “Acho que saquei muito bem e mantive uma boa variação de jogo, tornando mais complicado para Sloane encontrar um ritmo”, avaliou a britânica, que fez 25 winners, 12 erros, e só enfrentou um break point. “É difícil identificar qual foi meu melhor jogo, porque você está sempre lidando com diferentes tipos de adversárias ou diferentes tipos de condições. Mesmo se você estiver jogando com a mesma rival, ainda será uma partida diferente. Mas é definitivamente uma das minhas melhores performances”. (Johanna Konta no tenis Brasil avaliando sua marcante atuação, frente à Sloane Stephens)
    As inteligentes e humildes palavras dessa grande tenista sintetizam uma realidade que, não raro tem sido relevada por muitos comentários aqui. O Dalcim , vez após vez tem rebatido comparações, já que cada jogo tem suas particularidades. Seja por um adversário diferente ou mesmo estilo do protagonista do Big 3, ou ainda seu adversário na partida. São variáveis a considerar, sempre.
    Dito isso, os candidatos ao título são, por questão de histórico e méritos sem contar, claro o momento em que vivem:

    1) Rafael Nadal
    2) Novak Djokovic
    3) Dominic Thien
    4) Roger Federer

  34. Rodrigo S. Cruz

    [Luiz Fernando]
    5 de junho de 2019 às 18:55

    “E o “limpo” Senna batendo na largada em Prost em Suzuka, em 1990, como vc chamaria isso? Schumi errou mesmo ao bater em Hill, da mesma forma q Prost errou ao bater em Senna em 89 e Senna errou ao bater em Prost em 90. Todos são Dikcs então?”.

    Ah…

    Agora sim começo a entender porque o Sérgio Ribeiro vive pegando no teu pé.

    Quanto descaramento, você tentar igualar essas 3 situações, hein?

    Prost e Senna eram de outro nível, parceiro.

    Pilotos e HOMENS de verdade! “Old school”.

    E não moleques trapaceiros, com mania de grandeza e falta de caráter…

    Você por acaso os viu burlando sistematicamente o regulamento como em 94?

    Além disso, ambos tiveram motivos fortes e compreensíveis:

    A humilhação que Prost internalizou, por se sentir esquecido pela Mclaren em 89.

    E a cartolagem de Balestre, que usurpou o título que era pra ter sido de Senna, e o deu de presente ao amigo Prost…

    Sem esquecer ainda a pole-position que o Ayrton cravou em Suzuka 90, mas que se tornou inócua.

    ( já que largando do lado sujo, ele sabia que seria ultrapassado na largada, como ocorreu).

    E mesmo assim os dois eram bons o bastante para fazerem as manobras de forma inteligente.

    Ou seja, de modo a deixarem espaço para se defenderem, e não as escâncaras como fez o alemão!

    A manobra do Dick Vigarista (Schumacher, o primeiro e único) foi tão AMADORA, que quase estacionou a Benetton nos ombros de Hill.

    Olha só que coisa horrorosa:

    https://www.youtube.com/watch?v=dJ3FO07i9vo

    1. Sérgio Ribeiro

      Esse L F consegue se enrolar em qualquer esporte. Shumi também jogou o carro pra cima de Villeneuve dois anos depois , e foi o único Piloto na história a ser desclassificado , e perder TODOS os pontos do Campeonato . Uma coisa inaceitável. Abs!

  35. Fernando Pauli

    Para você Dalcim, qual foi até agora a melhor jogada da semana em RG?
    A jogada de costas de Rafael Nadal, na partida contra Kei Nishikori na terça-feira ou o tweener de Dominic Thiem no Monfils? Ou tem uma melhor que estas? Abs!

      1. João ando

        Dalcim. O que acha da declaração do Massú sobre o thiem ser o próximo nuwmro um?ele já tem 25/26 anos né. …?

      2. Sônia

        Dalcim, e o voleio super difícil do Federer contra o Stan? Pessoal do tennis channel escolheram essa jogada. Beijos.

  36. Jeronimo Brito

    Considero essa questão como parte do jogo… independente para quem vc torça, é sempre importante lembrar que estádios cobertos acabam por privilegiar aqueles jogadores de melhor ranking…nada mais justo sofrerem um “pouquinho” vez em quando…repito faz parte do jogo! assim como o sorteio! nesses casos a sorte esteve ao lado daquele que mais ganha RG…em teoria Nadal no conjunto da obra acaba de uma forma (pelo estilo de jogo) ou de outra (eventualmente mais descansado, numa eventual final) sendo beneficiado.
    Em tempo…óbvio q considero um atraso RG não ter quadras cobertas!
    Abraços

  37. Paulo Almeida

    Wawrinka jogou muito contra Djokovic em 2013, tanto no Australian Open quando no US Open. Aliás, jogou mais no Aussie 13 no que no 14, mesmo perdendo.

    Estou apenas corrigindo o post do Rafael.

  38. Thiago Augusto

    Dalcim, qual é o critério do torneio para escolher a programação dos jogos? Não consigo entender porque o número 1 do mundo joga um dia depois da outra chave. Em Wimbledon, por exemplo, o campeão do ano anterior abre os jogos. Como decidem isso em Roland Garros? Por quê na segunda semana não colocam as duas chaves jogando no mesmo dia? Um abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Porque são muitos jogos e eles querem vender o máximo de ingressos, Thiago. O critério de quem começa jogando não existe, cada Slam decide como quiser, exceto Wimbledon que sempre coloca o campeão para jogar no primeiro dia e portanto irá seguir esse lado da chave. Como colocaram o Federer para jogar no domingo, a parte inferior foi obrigada a jogar primeiro.

      1. Enoque

        Ainda espero que esta barberagem da organização seja corrigida pelos próprios jogadores.
        Primeira opção: Acordo de cavaleiros entre eles, quem perder o primeiro set, entrega o jogo.
        Segunda opção: Sorteio entre eles, quem perder alega intoxicação alimentar e entrega o jogo.
        Assim, não haveria desgaste físico nas quartas de final, na chave prejudicada.

  39. Leo Gavio

    A organização desse torneio é um lixo.

    Enquanto um lado da chave descansa 3 dias, o outro lado joga 2 dias consecutivos e descansa um.

    O correto seria: semifinal no sabado e final na segunda feira.

    os jogadores da chave oposta ao Nadal deveria se recusar entrar em quadra.

    iria manchar pra sempre esse torneio. uma vergonha.

    1. Paulo Almeida

      Já antecipo aqui que esse Grand Slam terá o mesmo peso dos títulos da entressafra ou do US Open 2017, caso o outro finalista chegue sem condições físicas.

    2. Jônatas

      É compensatório pois o lado debaixo da chave começou ANTES, ou seja, o lado superior, onde está o Djokovic e o Thiem, teve 1 dia a mais para descansar no início do torneio.

  40. João ando

    Roland garros tinha que ter teto retrátil…como fican as rodadas finais…colocar a final masculina na segunda e um absurdo …como fica quem não mora na França

    1. Jônatas

      Não só teto retrátil como não tem iluminação para jogos noturnos assim estendendo o horário da programação e tendo mais flexibilidade.

      É o GS mais precário dos 4 e eu digo que já é inferior a Indian Wells e logo será ultrapassado por Miami.

  41. José Alves

    com chuva,sem chuva ou em qulquer das condições atmosféricas o Ndal é imbatível no saibro,ele será o campeão novamente.Espero que ele mantenha esse nível na grama e vença em Wimbledon também

  42. Valdir

    Título cada vez mais caindo no colo do nadal, impressionante a sorte do espanhol. Chave de challenger, na semi pega seu grande freguês no saibro e na final provavelmente pegará alguém bem mais desgastado por jogar dias seguidos jogos de melhor de 5.

  43. WALDIR DOS SANTOS

    no ultimo atp 1000 o djoko teve que jogar 2 partidas no mesmo dia e depois encara o nadal , foi muito prejudicado….agora em roland garros a mesma coisa, por que o federer jogou no domingo, porque ele sendo o numero 1 não joga primeiro que os outros….estranho…..tudo preparado para o nadal…..é porisso que milhões de pessoas no mundo não veem jogos…..tudo marmelada.

  44. Maurício Luís *

    Placar geral de hoje em Roland Garros: chuva 6 a zero.
    Sr. SPOK, por favor, dê a sua conceituada opinião sobre o jogo do Rafa Baloeiro Nadal.
    – A organização do torneio deveria multá-lo, uma vez que é proibido soltar balões. Isto seria a atitude mais LÓGICA a fazer.

  45. Rafael Brasiliense

    Aqui tem uma turma que gosta de falar de entressafra. A partir dessa condição, surge a alegação de que os títulos de Federer até 2008 foram conquistados em cima de jogadores de má qualidade. O circuito, segundo os defensores dessa ideia, passou a realmente ficar concorrido a partir de 2009, quando Nadal já havia conquistado títulos de Grand Slam em todas as superfícies, enquanto Djokovic e Murray já haviam feito finais de Major (o primeiro já tinha até título) e amadurecido.

    Seguindo esse pensamento e tendo como base, por conseguinte, que os títulos verdadeiramente significativos são apenas aqueles conquistados de 2009 em diante, devemos ignorar os títulos conquistados pelo Federer até seus 27 anos. Não podemos, porém, adotar dois pesos e duas medidas. Nesse sentido, já que consideraremos apenas os títulos do Roger dos 28 anos em diante, teremos que fazer o mesmo com Djokovic e Nadal. Assim sendo, devemos contabilizar somente os feitos conquistados por Novak e Rafa a partir de 2015 e 2014, respectivamente.

    Dessa forma, chegamos aos números. Nadal disputou 7 finais e levou 4. Djokovic, por sua vez, atingiu 10 finais e venceu 8. Já Federer, chamado de rei da entressafra, pela lógica deveria ficar bem atrás numa era verdadeiramente difícil. Mas não é isso que acontece. O suíço chegou em 13 finais de GS e conquistou 7.

    É verdade que Federer tem 37 anos, ao passo que Nole tem 32 e Rafa, 33. No entanto, há outro fator a se analisar: será que esses dois últimos terão uma carreira tão longa quanto aquele primeiro? Tendo como base o estilo de jogo de cada um, a resposta é não. Mas isso somente o tempo vai nos dizer. A única certeza que temos por enquanto é que os três estão pelo menos entre os 4 maiores jogadores da história e, desse modo, qualquer papo que desmereça esses jogadores (como esse da entressafra) não passa de conversa furada de quem não sabe do que fala.

    1. Paulo Almeida

      Primeiro que a entressafra vai de 2003 a 2007, periodo em que Frauderer ganhava apenas de galinhas mortas e de um Nadal que era mero jogador de saibro.

      De 2008 pra cá, o suíço tem numeros muito inferiores aos dos dois rivais e até 2017 números pouco melhores do que o de Andy Murray. O GOAT Djokovic tem 15 GS, Nadal 14 GS e Jagua 8 desde então. E os títulos de 2009 foram graças à lesão do espanhol e os de 2017 a 2018 graças à lesão do sérvio. Por esses motivos, houve sim uma baita entressafra e Federer é o terceiro melhor do Big Four e não tem nada de GOAT.

      Restou alguma dúvida, amigo?

      1. Rafael Brasiliense

        Você quer comparar os três ignorando tudo que o Federer fez até seus 27 anos (2008), justamente no período em que o tenista está no seu auge, e levar em consideração aquilo que foi conquistado por Nadal e Djokovic no período anterior a esses mesmos 27 anos? Você ignora o auge do suíço e considera o dos outros dois na sua comparação? Ah, fala sério. Agora eu entendi por que ninguém te leva a sério nesse blog.

        1. Paulo Almeida

          Cara, seu argumento foi falho (já que nem soube delimitar a entressafra) e manipulado da melhor forma para beneficiar o suíço mais uma vez utilizando a desculpa de idade.

          Não, Federer começou a perder seu domínio com míseros 26 anos em 2008. E quem determinou qual a idade do auge de um tenista? Você?

          No mais, é muito fácil ter um suposto auge só enfrentando pangaré nas rápidas. Quando Nadal se tornou completo em todos os pisos, acabou a farra.

          Você até escreve bem, mas seu argumento foi de fedtard.

          Abraço!

          1. Maior geração do tênis chegando

            Perde domínio com 26 anos kkkkkkkkkkk esse nerd assiste que esporte ? O Federer liderou ranking em vários anos depois dos 26 kkkkkkkk Nadal tem poucas semanas na liderança quando Federer tava no auge ..já Djokovic o rei da entressafra só liderou o ranking quando Federer tinha 30 anos e só dominou o tênis quando Federer tinha 32 33 34 35 36 37 anos Djokovic o rei da entressafra só jogou contra o Federer VELHO e o rei do barro

        2. Chileno

          Pois é Rafael. Te apresento o Crivo Djokovete fanático. O critério mágico e imparcial pelo qual devem ser relativizados os títulos. Segundo ele, por exemplo, os títulos num circuito com o Nadal e Djokovic jovens não contam, mas contra um Federer velho contam. Seguem as regras. Já estou colhendo as assinaturas pra mandar a petição pra criação desse crivo pro conselho da ATP.

          Regras do crivo Djokovete:

          1 – Só serão válidos títulos em torneios da ATP e do Grand Slam, nos quais Novak Djokovic se inscreveu. Sendo assim, todos os torneios realizados antes da profissionalização do nosso intrépido ídolo, serão automaticamente cancelados. Quando Djokovic declarar sua aposentadoria, o esporte tênis deixará de existir. Todas as quadras de tênis ao redor do mundo deverão ser destruídas. Caso Nole precise se afastar do circuito por lesão ou motivos familiares diversos, todo e qualquer torneio programado ou em andamento ao redor do mundo deve ser paralisado e/ou adiado, até que seja confirmado o retorno de Novak Djokovic ao circuito, do contrário, os respectivos torneios e títulos serão considerados ilegítimos. Ninguém será considerado campeão em um torneio em que Novak Djokovic não participou;

          2 – Só serão válidos títulos em torneios da ATP e do Grand Slam, nos quais Novak Djokovic jogou ou vir a jogar no auge pleno da forma física, técnica e mental. Fica a cabo dos demais jogadores se informar das condições em que se encontra o nosso intrépido ídolo, antes de se inscrever em determinado torneio, sob o risco de perder a validade do seu título, caso nossa imparcial e manjadora perícia confirme ou suspeite de qualquer desconforto, dor, enjoo, náusea, coceira, fome, calor, frio, sono, tontura, medo, falta de foco, preguiça, cansaço, tristeza, raiva, desânimo, desmotivação, impaciência, estresse, dormência, ardência, cólica, inexperiência, impaciência, e qualquer tipo de limitador de performance conhecido, sobre Novak Djokovic;

          3 – Todos os torneios em que Novak Djokovic participar serão automaticamente encerrados uma vez que ele seja derrotado, e o campeão passa a ser aquele que o derrotou, independente da fase do torneio em que ocorra tal derrota. Também serão revogados os títulos em que o campeão não venceu Novak Djokovic, por este ter perdido em rodadas anteriores à final, já que é incabível que alguém ganhe qualquer torneio sem vencer o alfa e o ômega, o expoente máximo do esporte mundial e da Via Láctea, Novak Djokovic, ainda que ele não tenha conseguido alcançar as rodadas finais de tais torneios. A título de exemplo, o campeão de Wimbledon 2009, passa a ser Tommy Haas, que embora tenha sido vencido posteriormente, venceu o único jogador que realmente importava na história do tênis e do mundo (a menos é claro, que nossa minuciosa e imparcial perícia confirme ou suspeite da existência de qualquer limitador de performance sobre o sérvio naquela fatídica partida, o que acarretaria no cancelamento total do evento e revogação do título);

          4 – Serão eliminados dos registros todos e quaisquer recordes do esporte Tênis que não tenham sido obtidos em partidas oficiais contra Novak Djokovic em plenas condições física, técnica e mental (vide item 2) ou cujo detentor não seja o próprio Novak Djokovic;

    2. André Barbosa

      Rafael, esse argumento de entressafra só existe entre os torcedores xiitas que fazem de tudo para denegrir a imagem dos atletas que não gostam. E não, não adianta argumentar porque tudo o que a pessoa quer com esse papo é atenção, então o melhor é ignorar.

      A verdade é que esse torcedor xiita gosta da PESSOA, não do esporte. Quem gosta de TÊNIS agradece a aproveita o fato de poder viver em uma época de Federer, Nadal, Djokovic e tantos outros.

    3. Maior geração do tênis chegando

      Cara na verdade é ao contrário o rei da entressafra é o Djokovic ..pq o servio só chegou no topo aos 24 anos e o Federer tinha 30 já estava em decadência e o auge do sérvio foi quando Federer tinha 32 33 34 35 36 37 então o rei da entressafra é o Djokovic kk pq pegou o Nadal sempre lesionado ..já o Nadal nunca foi rei só rei do barro

    4. Luiz Fabriciano

      “Seguindo esse pensamento e tendo como base, por conseguinte, que os títulos verdadeiramente significativos são apenas aqueles conquistados de 2009 em diante, devemos ignorar os títulos conquistados pelo Federer até seus 27 anos. Não podemos, porém, adotar dois pesos e duas medidas. Nesse sentido, já que consideraremos apenas os títulos do Roger dos 28 anos em diante, teremos que fazer o mesmo com Djokovic e Nadal. Assim sendo, devemos contabilizar somente os feitos conquistados por Novak e Rafa a partir de 2015 e 2014, respectivamente.

      Dessa forma, chegamos aos números. Nadal disputou 7 finais e levou 4. Djokovic, por sua vez, atingiu 10 finais e venceu 8. Já Federer, chamado de rei da entressafra, pela lógica deveria ficar bem atrás numa era verdadeiramente difícil. Mas não é isso que acontece. O suíço chegou em 13 finais de GS e conquistou 7.”

      Aí fiz umas continhas: Nadal conquistou 57% dos GS disputados, Federer 54% e Djokovic conquistou 80% dos GS disputados.
      É isso mesmo que defendes?

  46. Nando

    Pois é, e só no ano q vem terá teto retrátil em RG…apenas na Chatrier. Se chover como costuma acontecer lá, não adiantará só uma quadra com teto.

    Qnt a Federer, novamente: vai ter q ser agressivo o tempo td, pra ter chances de vitória…aliás o clima está bom aki, lembrando a véspera da final do AO 2017 (exceto pelos fakes, q emporcalham o blog e não acrescentam absolutamente nada, “música de uma nota só”)

  47. Airton

    Dalcim, em GS feminino nunca houve disputa em 5 sets, mesmo que apenas na final ?
    Acho a tarefa das meninas bem mais tranquila.

  48. Sandra

    E eu que achei que era a grande chance do Djokovic ganhar Roland Garros ! , depois dessa chuva não tem mais condições !,,

  49. Renato

    Dalcim, vc considera Thiem no mesmo nível físico que Novak e Nadal? Me parece que apenas Federer e Zverev não aguentariam jogar dois dias seguidos em Slam, se for de grande intensidade.

      1. Matias Filho

        O nível físico do Nadal é incomparável, até mesmo para o Djokovic, o que chega mais próximo. Para produzir o balão (vulgo spin) o Nadal tem que impor muita força nos golpes, e fazê-lo durante cinco horas em dias seguidos como naquele AUSOPEN 2009 sem se cançar, parecendo que o jogo iria começar naquele instante…. desculpe mas o físico do Nadal é de outro planeta, deveria ser estudado pela NASA… Mas os físicos do Thiem e do Zverev são muito bons também, abs!

  50. JAN DIAS

    Se os jogos de amanhã se estenderem demais e com a previsão de chuva na 6a feira, é mais que certo que o torneio vai virar uma lambança…principalmente no masculino.

    A qualidade da FINAL vai ficar seriamente prejudicada se os jogos se amontoarem no fim de semana, não importando quais jogadores estarão nela…

  51. fernando augusto

    O correto era a federação francesa colocar as duas semis no sábado, mesmo que não chova na sexta

  52. Roger Fedeiros - O Plagiador!

    No after day, sábado, caminhando com certa dificuldade, com dores pelo corpo, um senhor de meia idade, visivelmente abatido, entra em uma delegacia de París:

    – Bom dia! Queria fazer um BO.
    – Bom dia, qual o seu nome?
    – Rogério Angel
    – Pois não senhor Rogério, o que aconteceu?
    – É que… bem… hããã… é que é tão constrangedor sabe?…
    – Diga logo! Fique a vontade… vejo que não é daqui certo?
    – Certo, pois é… aconteceu que ontem, eu… eu… bem… eu fui es….
    Neste momento, uma discreta, sincera e comovente lágrima escorre pelo rosto daquele senhor. – Isto está me matando!
    – O senhor foi o queee?… o senhor foi es… aqui em París… como foi isso? Porque não fugiu antes que isso acontecesse?
    – Eu vim a París porque eu quis, eu fui até ele porque eu quis… queria provar que eu seria capaz de suportar aquilo mais uma vez.
    – Ora bolas meu rapaz, mas, então isto foi consensual!?
    – Não…. não foi bem assim…. eu queria, quer dizer, eu não queria… Na verdade, eu não esperava que ele fizesse isso comigo, com toda essa agressividade.
    – Afinal, você queria ou não queria senhor Rogério? Seja claro!
    – Está me deixando confuso seu guarda, por favor, não me pressione, não aguento jogar sob pressão. Foi isso que me fez ficar nesse estado.
    – Jogar? Do que você está falando? Você chega aqui pra registrar um BO de es… bem, você sabe o que… e agora fala em jogo?
    – Mas, seu guarda, eu fui mesmo es… (chuif)… eu fui espancado sem dó nem piedade na quadra de RG…. NOSSA! Em que você estava pensando seu animal insensível?
    E indignado, o desolado senhor caminha, com dificuldades devido às fortes dores, para a porta de saída…

    – … NUNCA MAIS VOLTO A PARÍS… buáááááá!

    1. Nattan Lobatto

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Tava levando a sério rsrs… O Lógico vai ficar tonto com essa postagem, bem bolada… rsrs..

      1. Nando

        Esse aí é uma “cópia invejosa” do Lógico…tenta ser engraçado, mas não é.
        Obs: Pra não dizer q sou injusto, acho os textos do Lógico mais ou menos…uns legais e outros não, pois são repetitivos às vezes.

  53. Augusto Montenegro

    Eu sempre achei um absurdo RG não ter um teto retrátil ou ter jogos suspensos por falta de luz natural. É o fim da picada. A pausa foi ótima para o Zverev que tem 22 anos só e chegará descansado amanhã.

  54. Paulo F.

    Não é por causa do saibro, não é por causa do Nadal.
    É por essa aberração que é, nos dias atuais ter que adiar rodada por causa do clima, que considero RG o atual patinho feio dos Slams.

  55. Fábio

    Concordo, Dalcim.
    Penso também que com um pouco de boa vontade, poderiam deixar o ginásio onde jogam o Paris-Bercy com uma quadra de saibro durante o torneio para alguns jogos e eventual chuva. Ao menos até o teto ficar pronto.

    Poderiam usá-la-lo inclusive para ações promocionais.

    Mas boas ideias e boa vontade nem sempre prevalecem…

    De toda forma, tomara que a chuva impeça jogos na sexta. Assim, efetivamente, haveria um reequilíbrio e a disputa seria em quadra, como todos os fãs (ou ao menos a maioria) almejam.

  56. Renato

    Se não tiver jogo na sexta, Roger tiver que jogar com Nadal no sabado e se por ventura vencer o espanhol, já era! Vai estar no bagaço no domingo
    Por outro lado pode ser que os jogadores optem por um jogo mais agressivo ainda, com poucas trocas de bolas, partindo pra definição rápida dos pontos e querendo se poupar se tiver dois dias seguidos de jogos, o que de certa forma poderá favorecer o suíço.

  57. Paulo F.

    Rodrigo S. Cruz:
    Aiiiii poucos confrontos na grama….
    Agora o Federer não é bom no piso duro?
    hahahahahaha
    Fala sério, a despeito dos confrontos no saibro e sem contar a grama, só contando o piso duro, Federer deveria ter um mano-a-mano superior ao Nadal.
    Assim como Djokovic possui.
    Aceita que dói menos a freguesia ridícula de Federer ante a Nadal.

    1. Paulo Almeida

      Saibro é mais importante do que grama e hard bem mais importante do que os dois. Não tem dessa de SE tivessem jogado mais no pasto.

      Djokovic tem 19×7 contra o Nadal no hard e Federer apenas 11×9, sendo que chegou a perder de 9×6 e ainda perde de 3×1 em Grand Slam.

      Mais um motivo para o sérvio ser o GOAT das hards, fora todos os outros que já expus em tópicos anteriores.

      1. Rodrigo S. Cruz

        ” Saibro é mais importante do que grama”.

        Puta que la merda!

        Mais uma afirmação com selo de qualidade ” Tabajara Almeida”.

        (rs)

        Como é que o piso NATURAL do tênis, a origem, o lugar onde tudo começou para o esporte poderia ser menos importante?

        Existem tenistas que trocariam 2 títulos de RG, por 1 de Wimbledon…

        1. Paulo Almeida

          E daí que é a origem? As coisas mudaram com o tempo e hoje a grama tem míseras cinco semanas no calendário e nenhum Masters 1000, sendo menos relevante que o saibro portanto.

          E pra mim seria mais conveniente menosprezar o saibro, já que o Djoko só tem um GS por lá e quatro na grama.

    2. Rodrigo S. Cruz

      O Federer é bem melhor do que o Nadal no piso duro. Só não vê, quem não quer.

      Lidera no h2h, por margem pequena é verdade. Mas tem 6 ATP Finals, o Nadal não tem nenhum.

      E cansei de discutir essa chatice com você.

      Vá ver se eu tô na esquina…

    1. V Maurício

      Mas aí teríamos que rebaixar os outros 3 Slams também, até o momento que ainda não tinham teto retrátil, pois é uma coisa relativamente recente, de menos de 10 anos pra cá em Wimbledon e no US Open. Como será que ficaria a contagem de Slams se fosse assim??

      1. Bruno

        Óbvio que foi uma brincadeira,mas em questão de estrutura é o pior de todos,isto é bem claro.
        Não evoluiu ao contrário dos outros 3.
        Existem alguns master 1000 com mais estrutura que RG.

    2. Paulo F.

      Madri, que é no saibro e é Masters 1000, tem uma infraestrutura muito melhor que essa porcaria defasada.

Comentários fechados.