Maré mansa
Por José Nilton Dalcim
30 de maio de 2019 às 19:53

Enquanto liquida adversários rapidamente e vive sua maré mansa, Novak Djokovic observa seus possíveis concorrentes a encarar turbilhões, em batalhas contra o físico ou a cabeça. Juan Martin del Potro deu grande susto ao travar o joelho e parece estar mais comprometido do que nunca. Claro que ainda dá para ganhar, a meia força, de Jordan Thompson e até mesmo de Karen Khachanov, porém fica difícil acreditar em muito mais que isso.

Dominic Thiem só se desgasta. Quase viu seu duelo contra o cazaque Alexander Bublik, um tenista praticamente limitado a forçar saque, ir para um perigoso quinto set. Alexander Zverev enfim ganhou um jogo por 3 a 0 – o primeiro em seus últimos seis no torneio – não antes de perder o serviço bobamente para um frágil Mikael Ymer. E apesar de todo o talento, Fabio Fognini parece sem o físico necessário para qualquer jogo realmente exigente.

Quem está sobrando nessa turma toda é Gael Monfils. Se tivesse que apostar em alguém para ir até a semi contra Nole, neste momento seria ele, porque parece bem menos motivado a dar espetáculo e muito mais a ganhar jogos. Está com postura agressiva e preocupado em não ficar desnecessariamente em quadra. Mas apesar de tudo, é impossível prever se uma daquelas dores repentinas irá acabar com seu embalo.

Djoko? Tranquilo. Oito games perdidos hoje, repetindo a estreia. Dá a nítida impressão de estar experimentando coisas. Curtas seguidas na paralela, forehand bem angulado. Com um saque afiado, devoluções agressivas e velocidade incrível de reação, está pronto para pegar o anônimo Salvatore Caruso e ver o que acontece entre Borna Coric e Jan-Lennard Struff.

O sonho do top 10
Há uma luta particular entre Karen Khachanov, Fognini, Delpo, Coric e um pouco mais distante Monfils por vagas no top 10 do ranking após Roland Garros. Como Del Potro defende a semi, no momento Khachanov ocupa o inédito posto, com vantagem de meros 15 pontos para Fognini e a 90 do argentino. Coric está 185 atrás e Monfils teria de ir pelo menos à final para recuperar o posto que já foi seu.

Façanhas
A ATP divulgou interessante estatística, mostrando que desde 2015 os oito primeiros cabeças de chave em Roland Garros não perderam qualquer uma das 80 partidas feitas entre primeira e segunda rodadas.

Já o tênis sérvio faz história e, pela primeira vez, coloca quatro representantes na terceira rodada de um mesmo Grand Slam: Djokovic, Lajovic, Djere e Krajinovic.

Como número 1
Naomi Osaka obteve uma vitória de autêntica líder do ranking em cima de Vika Azarenka, buscando outro resultado que parecia perdido, quando a bielorrussa tinha um set, 4/2 e break-point. Só que, ao contrário da estreia, as duas jogaram num nível bem alto, forçando sempre, mesmo quando estavam no buraco. Osaka anotou 52 winners e Vika, 35.

Simona Halep deu susto. Não pelo resultado em si, já que jamais correu perigo de derrota, mas pelos 44 erros não forçados, os seis games de saque perdidos e o desperdício de 9 dos 17 breaks colecionados. Isso contra a 87ª do ranking.

Serena Williams, por sua vez, levou rapidamente um duelo em que a diferença de força era brutal. Boa surpresa veio da juvenil Amanda Anisimova em cima da irregular Aryna Sabalenka e a armada americana ainda terá Sofia Kenin, adversária da própria Serena.

Esperança diminui
Não haverá francesas sequer na terceira rodada depois da queda frustrante e de virada de Caroline Garcia para a quali russa Anna Blinkova.

O masculino respira com o duelo marcado entre Monfils e o garoto Antoine Hoang, protagnosta de bela vitória em cima de Fernando Verdasco. A falta de luz adiou o final do jogo de Lucas Pouille, mas ele está em situação ruim diante de Martin Klizan.

Na parte inferior, aparecem mais três da casa: o veterano Nicolas Mahut, o cansado Benoit Paire e o pouco experiente Corentin Moutet. Mas como ter esperança no quadrante de Rafa Nadal?

A sexta-feira
– Nadal e Federer têm uma missão em comum: se atingirem pela 14ª vez as oitavas de Roland Garros, subirão juntos ao primeiro lugar da lista em todos os tempos.
– A tarefa do espanhol é mais dura: 3-1 nos duelos diretos diante de um especialista no piso. Todas as vitórias do espanhol foram no saibro. Federer encara garoto de 20 anos que tem exatas 340 vitórias a menos… só em Grand Slam.
– Inegável o favoritismo de Tsitsipas e Wawrinka diante de Krajinovic e Dimitrov, já que o sérvio e o búlgaro fizeram seus dois jogos iniciais em cinco sets. Aliás, Stan e Dimitrov completarão o quadro de Slam, já que faltava apenas se enfrentarem em Paris. O suíço venceu todas as outras três.
– Mahut tenta feito: se vencer Mayer e for às oitavas, será o tenista que mais vezes jogou o torneio (17) até enfim chegar na quarta rodada.
– Muguruza-Svitolina é o duelo do dia no feminino. A ucraniana tem 5-3, sendo 3 seguidos. Única vitória da espanhola no saibro foi em 2012.
– Pliskova busca oitavo triunfo seguido e revê Martic, que tem 3 vitórias num passando distante. A tcheca ganhou em Miami deste ano.

Desafio Roland Garros: participe, divirta-se e concorra a ótimos prêmios!


Comentários
  1. Renato

    Alessandro,

    Federer é o recordista de slam nas hards e recordista no finals. Não existe dúvidas que é o maior nas quadras duras.

    Fim de papo!

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      Continua falando que uma hora você acredita. Nessa hora terá esquecido a diferença de idade, o aproveitamento efetivo, o h2h e qualquer coisa que possa soar como antítese à sua ideia fixa. Boa sorte

      Responder
  2. Luiz Fernando

    Dois em andamento as 16;12 HS, 21:12 em Paris, e grande chance dos ambos terminarem amanha, o q fatalmente trará desgaste aos jogadores. Isso apenas ratifica o q alguns ja postaram acerca do atraso de RG, e, em menor grau, de W, frente aos outros 2 GS, bem mais modernos sob todos os aspectos.

    Responder
  3. Luiz Fernando

    Assisti ao tape do jg do Rafa, ou melhor, aos 3 últimos sets, pois a transmissão começou com 20 no set2. Rafa fez um segundo set tranquilo, tendencia idêntica a do começo do terceiro, quando teve 3 breaks e não converteu. Se fechasse ali creio q venceria tranqüilamente em 3 sets, mas o belga sacou muito bem e não permitiu. Goffin sem duvida elevou seu nível, arriscou mais e se deu bem nisso, e diante de um Nadal q também jogou bem, o se traduz em méritos do belga. No ultimo set ambos jogaram bem, mas Rafa foi um pouco melhor e saiu com a vitoria. Bom teste, creio q principalmente para o aspecto fisico, pois tive a impressão de um Nadal voando no ultimo set. Vamos pra segunda semana.

    Responder
  4. Miguel BsB

    Safin x Murray
    Guga x Nadal

    É impossível fazer essas previsões de quem ganharia de quem simplesmente porque nunca se enfrentaram.
    São ÉPOCAS DISTINTAS, PREPARACAO distinta e, provavelmente,ESPORTES DISTINTOS que eles praticaram,levando em conta todas as variáveis,inclusive os adversários que tiveram nos seus auges…

    Pior que tem uns que são capazes de afirmar que um atropelaria o outro,ou outro ganharia bem mais etc…trata se de pura e mera especulação

    Responder
  5. Luiz Fernando

    Se ao invés de Federer fosse Rafa em quadra contra o Rudd, a machete seria: Nadal tem saque quebrado uma vez, tem q disputar tiebreak e ainda precisa ser testado…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, você está um tanto irritante com isso, Luiz. Pare de pensar como fanático pelo Nadal e verá que nosso trabalho jornalístico procura sempre ser isento, apenas dando enfoque NOS TÍTULOS para o fato que possa ser mais interessante durante uma partida. Os títulos têm uma limitação de toques (portanto de tamanho) e sua principal função é convidar o leitor para a notícia dando um enfoque diferenciado.

      Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Você pode discordar sem problemas dos títulos ou dos textos, mas é um absurdo imaginar que exista algo tendencioso contra o Nadal. Se fosse o Mário, eu compreenderia. Partindo de você, me entristece.

          Responder
      1. Nando

        Aliás, o q percebo há tempos é q só os torcedores de nadal e djokovic reclamam de “títulos das notícias”, é só eles…incrível. Pessoal deve sentir “mania de perseguição”.
        Faz mal pra saúde isso aí.

        Responder
  6. Sônia

    Rsrsrs… inacreditável, rsrsrsrs… o serzinho ganha trocentas vezes no barro e o nome do Goffin (lindo, maravilhoso) que é ACLAMADO rsrsrs… adoooooro. Realmente, mais do que nunca… JS, NS. Beijos.

    Responder
    1. Athos

      Isso realmente é estranho , Nadal não me parece tão amado quanto “merecia” . Qual seria o motivo ? não sei , mas isso não é normal, afinal todos torcem mais para quem sempre vence , tenho a impressão que nosso Guga tem mais prestígio do que Nadal na França , será que franceses não gostam de espanhóis ?

      Responder
      1. Sônia

        1) “não me parece tão amado quanto “merecia”“, rsrsrs…
        2) “Qual seria o motivo?” Rsrsrs… rsrsrs… rsrsrs… rsrsrs… rsrsrs… rsrsrs… rsrsrs…
        3) Guga é muito mais amado com certeza.
        4) “será que os franceses não gostam de espanhóis?” Rsrsrs… só os franceses? Rsrsrs… rsrsrs… rsrsrs…

        Beijos.

        Responder
  7. Augusto Montenegro

    Título perfeito para Nadal: Maré mansa.

    David Goffin, a que me iludi pensando que arrancaria pelo menos 1 set do Nadal, está levando um passeio. Não me lembro de um torneio tão fácil para um favorito tão gabaritado já como Nadal. Graças a D’us! Ao menos RF está tendo uma vida tranquila até o momento, deve chegar às quartas, e, lá, encontrará um grande desafio. Tomara que o pessoal tenha um jogo de 5 sets, com 12 a 10 no 5 set, para Federer vencer em sets diretos e enfrentar Nadal “bem” fisicamente. Do lado do Djokão, as coisas estão correndo bem. Djoko tem visto possíveis adversários se desgastarem com jogos de 4, 5 sets. A meu ver, só quem pode tirar o título de Rafael Nadal é Federer ou Djokovic. Ainda que Fognini, Thiem e Tsitsipas tenham o vencido. Na Philippe Chatrier a história é outra!

    Responder
  8. Samdra

    Dalcim, por maior a vontade e torcida de ver outro jogador ganhar Roland Garros que não seja o Nadal , está humanamente impossível, não sei a sua opinião, , isso,porque vendo o resultado do Goffin já levou pneu, E o Nadal que está jogando muito bem ou os adversários que estão muito fracos???

    Responder
  9. delei

    respeito a opiniao do blogueiro, mas nao da pra acreditar no monfils, logo quando tiver algum jogo em que se encontrar em situaçao dificil vai fazer o de sempre, usar a raquete como bengala e perďer o jogo…

    Responder
  10. Renato

    Fraquinho o norueguês, não tem nada demais no jogo dele. Apenas um bom jogador de base e nada mais. Não tem saque, back fraco. Roger está atropelando mesmo jogando meia-boca.

    Responder
  11. Jonas Normando

    Dalcim, tive a impressão nas duas primeiras rodadas que o Federer teve dificuldades de devolver saques com profundidade e agressividade — o que pode ser um fiel da balança contra o Rafa, uma vez que os últimos confrontos entre os dois mostraram um Federer letal nas returns.

    O que acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tenho dito já há algum tempo que Federer precisa melhorar a devolução de saque, e isso em qualquer piso e contra qualquer jogador. Acho que o tênis de hoje exige isso. Acho que ele pode adotar o padrão que fez em Indian Wells e Miami, por exemplo.

      Responder
      1. Renato

        E olha que o técnico do suíço sacava muito Dalcim, ótima oportunidade pra treinar devolução. RS.
        Aliás, vc acha que o crota treina junto com o suíço, sacando e Roger devolvendo ou só sparring?

        Responder
  12. Pedro Luis Rodrigues

    Caro Dalcim,

    Alguns posts atrás especulei sobre o quanto as mudanças da atp neste milênio para favorecer os principais cabeças teriam ajudado a turbinar os números do Big 3, deixando claro que eles não deixariam de ser Big 3 por conta disso, apenas teriam números um pouco menos elásticos.

    Entre as mudanças, citei: encurtamento dos torneios com bye em primeiras rodadas até em masters, fim das finais em melhor de 5, maior espaçamento entre alguns torneios e aumento de cabeças de 16 para 32 em slans.

    Pois bem, essa estatística que você mencionou, que nenhum cabeça 8 ou menor caiu nas duas primeiras rodadas em RG em 5 edições seguidas vem ao encontro do que escrevi. Aliás, este torneio tem sido didático neste sentido, nem Federer, depois de quatro anos de ausência, perdeu sets, e as duas primeiras rodadas tiveram, literalmente, zero emoção.

    Aproveitando, quanto a polêmica sobre um hipotético Guga vs Nadal, compartilho do seu palpite, se tivesse que apostar em H2H entre eles em 10 jogos seria 7 a 3 para Nadal.

    Grande abraço,
    Pedro

    Responder
  13. Viana

    Alguém falou q o Slater tá competindo até hoje e por isso o Federer tb poderia…
    Tem razão em alguns aspectos!
    O tênis não é um esporte que exige demais na partida em si.
    Numa melhor de 3 sets se corre em média 2 a 3 km. Pouco para um esporte de elite.
    É obvio que tem a parte de treinamento e etc que desgasta demais.
    Mas, os caras do Big3 podem muito bem reduzir o número de torneios e escolher se preparar melhor para os mesmos.
    Torço para q Federer não se aposente, e ele bem que poderia quando parar de jogar a temporada toda, jogar um ou outro torneio… desde que esteja com preparo físico razoável.
    Slater não tem ganho mais campeonatos (resumo de todas as etapas da temporada), porém, direto está em disputas sensacionais em cada etapa do circuito!! E dando show!
    O BIG 3 não pode parar! Nenhum dos 3. Os 3 são habilidosos, carismáticos e têm sua parcela de fãs espalhadas pelo mundo!

    Responder
    1. Renato

      Não dá pra comparar surf com tênis, ne? Tênis não é só correr e correr, tem o esforço que o tenista faz para bater na bola, desgasta muito. Imagine quanto esforço Nadal faz pra colocar tanto spin na bola e seu adversário pra devolver?

      Responder
  14. Paulo F.

    Nadal, Djokovic e Federer jogaram consecutivamente na Lenglen.
    Por obra, como bem disseram, do politicamente correto apenas.
    Mas tem um aí que não perde a oportunidade para bajular em excesso o suíço e diminuir o sérvia.
    Que coisa obsessiva.

    Responder
  15. Renato

    Federer não é só melhor que Nadal nas hards, é o melhor e maior da história no piso, com folgas. Mais folga ainda é na grama, onde é de outro planeta.
    Nadal é o maior e melhor em um único piso(saibro). Depois vem Roger na grama e Roger nas hards.
    Tecnicamente Safin era melhor que Novak sem dívida alguma! Pecava pela falta de compromisso e mental.

    Responder
  16. Luiz Henrique

    Nadal pode até não estar a frente de federer e djokovic na disputa como Goat, a n ser no saibro, mas com as palavras…o cara é o melhor pra mim.
    Na entrevista pós jogo, na suzane lenglen, perguntaram assim: Rafa, muitas crianças vêm aqui ver vc jogar. Vc ganhou 11 vezes aqui. Muitas crianças sonham em ganhar roland garros 1 vez. O que diria a elas? Resposta: “primeiro, diria para não pensar em ganhar roland garros, porque eu nunca pensei nessas coisas. Pense no próximo dia, no próximo treino, faça seu melhor, desfrute do processo, e o que importa no fim do dia, não é ganhar roland garros ou outra coisa, é seu sentimento pessoal, é finalizar sua carreira ou finalizar SUA VIDA sabendo que você deu tudo o que podia todo os dias. Então a única recomendação é: se divirta, desfrute e faça seu melhor todos os dias.”
    Como não se inspirar para nossos desafios diários após uma fala dessas?
    Ele pode perder em todas as 1º rodadas daqui até o fim da carreira, que n importa, nem os títulos dele importam, pra mim o que vale mesmo, o legado, é essa mentalidade.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Nadal é um exemplo de profissional,atleta e pessoa! Transcende o esporte.
      E um bando de sem noção,em briguinhas ridículas de torcida, desmerecem um ícone desse calibre…triste..
      Fanatismo e cegueira.

      Responder
      1. Augusto Montenegro

        Nós latinos somos assim mesmo. kkkkkkkkkk
        Por mais que a galera aqui seja bem polida, ainda escapa um pouco de clubismo. kkkkkkkkk

        Responder
  17. Maurício Luís *

    O Yoshihito Nishioka, me dá a impressão de “conseguir” ser menor ainda do que o Diego Swartzman. Mesmo se curvando todo, o Delpo ainda ficou maior do que o japa. Grande jogo dos dois. Pequeno no tamanho, mas gigante na luta.
    Hoje não vou tesourar o Nadal. Cansou a beleza. Não a dele, claro.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Cara,vc deve ser apaixonado pelo espanhol…admite aí.
      Todo comentário seu faz alusão à beleza (ou falta de) do cara…
      Coisa estranha…
      Bom, como dizia minha avó,quem desdenha quer comprar…
      Ou, freud explica kkkkkk

      Responder
      1. Maurício Luís "

        Miguel, eu não compro o Nadal nem em promocão de loja de 1,99. Seja pela cara , seja pelo jogo. Uma capivara joga muito mais bonito que ele. Só se ele me pagasse pra vê-lo… Mesmo assim, eu trataria de arranjar uns óculos escuros.

        Responder
  18. Sérgio Ribeiro

    Caso se confirme essa passagem do Rei do Saibro e do Craque para o primeiro lugar em frequência nas Oitavas, não deixa dúvidas sobre o que afirmamos há anos. O Suíço e Novak , são Saibristas que no mínimo teriam os mesmos 3 SLAM em Rolanga, assim como Lendl , Wilander e GUGA . Para se ter uma ideia, mesmo com toda a sua longevidade, Agassi ( também com um Caneco ) , não passou de 10. Sampras , Connors e o BigMac, sem comentários. Mas quem manda os dois serem fregueses de Carteirinha do Espanhol em Paris ? rsrsrs Só que Novak SEIS anos mais jovem que o Craque Suíço, dificilmente não vai chegar lá. Aliás o Sérvio, está pra lá de motivado. A Next Gen vai precisar subir em muito o nível, assim como Dominic, para impedir a sua presença na Final. Sinceramente Del Potro e sua Patada Atômica, parece sem muita gasolina no tanque para impedir. Abs!

    Responder
  19. José Eduardo Pessanha

    Um comediante falou que o Murray era melhor do que o Safin. Numa final de GS, Safin ganharia do Tetrapolar de lavada.
    Abs

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O Safin foi um dos jogadores que eu mais admirei, desde que acompanho tênis…

      No começo, eu MORRIA de raiva dele. kkk

      depois virei fã incondicional. Tinha um carisma absurdo!

      Quando ele tirou o Guga de RG 98, na segunda rodada, alguns já diziam que seria um dos grandes.

      E como foi duro pro Guga começar a vencê-lo!

      Verdadeira pedra no sapato do catarinense.

      Sim, Pessanha.

      Safin era infinitamente melhor do que Murray!

      Esses fakes frangotes, só conhecem tênis de 2009 pra cá.

      Não sabem nada.

      NADA!

      Aquela semifinal de arrepiar do Aus Open, em que o russo derrotou o Federer em 5 sets, está entre os melhores jogos que eu já vi.

      O título do Us Open 2000, quando ele atropelou Pete Sampras, também foi tremendo.

      O então jovem Marat, deixou o americano com cara de BUNDA.

      O Murray é tecnicamente muito bom, mas perde no h2h pra todos do Big 3.

      Sem falar que o placar de 25 x 11 pro Djokovic, é bizarro.

      Só isso mostra que falta algo nele…

      Responder
      1. Rafael Brasiliense

        Não vi Safin jogar. Não sei qual dos dois foi melhor. Mas com seus 45 troféus, 11 finais de GS, 3 títulos, tendo conseguido atingir a final em todos eles, Finals, 14 Masters (além de várias outras finais), único bicampeão olímpico da história do tênis e ainda ter atingido o 1º lugar do ranking na era do Big 3, com certeza ele foi maior que Safin.

        Não acho que H2H seja parâmetro para medir a qualidade de um tenista, mas sim seus títulos e façanhas. Fosse assim, Federer seria apenas um coadjuvante perto de Nadal, coisa que sabemos não ser verdade. Acho Murray muito subestimado. Ele faz muita falta ao tênis. Foi o único a conseguir fazer frente ao big 3 de forma regular. Espero que, a partir de WB, ele possa retornar ao circuito.

        Abraços.

        Responder
      2. Chetnik

        Nossa, o Murray perde no H2H contra todos do Big 3, sendo que com o Federer é bem equilibrado. Que jogadorzinho mequetrefe. Bom é o Safin, que perde no H2H para o Guga – e não por causa do saibro – além dos possantes Robredo, Kiefer, Kucera, Haas, Monfils, Almagro, Juan Mônaco, kkkk.

        Responder
      1. Jonas

        Isso é evidente. Mas a galera viaja na maionese…o Murray é um jogador espetacular. Azar o dele ter competido na era dos 3 maiores de todos os tempos, e mesmo assim chegou a ser número 1.

        Responder
    2. R. P.

      Atropelaria mesmo. Era só deixar o Murray a pé naquela mesma grama que ele entubou o Federer em final olímpica, e dar um carro e uma garrafa de vodka ao Safin.

      Responder
  20. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo Almeida]
    30 de maio de 2019 às 21:15

    “Renatard amigão, todo mundo sabe que Federer entregou o jogo para o Robredo a fim de evitar uma derrota certa para Nadal no US 2013. O espanhol teria uma vantagem de 4×1 em GS no hard court com isso, confirmando que é melhor nessa superfície do que o suíço”.

    Nadal melhor que Federer nas hards?

    OH DÓ.

    Pode pegar quase todos os anos do Nadal, sempre que vem o segundo semestre, ele cai de produção…

    E é o único Big 3, que não ganhou Finals. A maior mácula em sua grande carreira!

    Até o Zé Verev já tem ATP Finals na conta…

    E o Federer é o monstro das hards. Olha quantos títulos ele tem lá.

    Dá de goleada no Nadal.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      R. da Cruz, estava 9×7 até 2017 e continua 3×1 em GS. Nadal é infinitamente melhor no saibro, melhor no hard e pior na grama.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Sabe nada mesmo, heim Paulo Robson Almeida. Veja quantos SLAM Nadal tem nas duras. E o outro , Hexacampeão Campeão no AOPEN e Penta no USOPEN. Já sei. O passador de recibo vem com h2h do seu Clubinho da esquina. Pra ser tão traumatizado, é porque lá deve apanhar muito do grandão kkkkkkk Abs !

        Responder
    2. Paulo Almeida

      E o monstro das hard é o GOAT Djokovic com muita folga. Fregueser não ganha um US há 11 anos e ainda evitou o espanhol e o sérvio no torneio; só voltou a ganhar Aussie devido à lesão do Nole. Cadê monstro?

      Responder
    3. Jonas

      Em Grand Slam não é bem assim. Federer tem apenas 3 vitórias em 12 jogos contra Nadal. No Australian Open venceu apenas 1 jogo (um milagre no 5° set) em 4 jogos.

      Em 2013 Federer perdeu pro Robredo e o Nadal estava voando, tanto é que venceu Djokovic na final, que também estava em ótima forma.

      Não digo que ele fugiu, até porque estava jogando mal…mas é claro que perderia pro Nadal de novo, mais um jogo protocolar pro espanhol.

      Responder
      1. Matias Filho

        Bom dia. H2H é momento, em 2013 não era o momento do Mestre e sim do Nadal. Mas cadê o melhor, que não chegou a uma final no Penta do Mestre no USOPEN + 2009? Não se pode nem de longe falar que Nadal é melhor que Federer nas Hards, no saibro não há dúvida. Não é por que por algum motivo você vence um oponente que se pode afirmar sem sombra de dúvidas que você é melhor. Fatores como diferença de idade, momento, auge contam. Pelo menos é minha opinião. Abs!

        Responder
  21. Jonatas Bruno

    No jogo feminino tão aguardado do dia, a Osaka e a Azarenka fizeram valer a pena, o que delas se esperava! Não deu para acompanhar tudo, mas o suficiente para assimilar o andamento do jogo.
    Um adendo que não poderia passar desapercebido…
    Azarenka perdeu uma chance de ouro de um 5 a 3 no segundo set, ao tirar a Osaka da quadra, ao sacar aberto e pecou na escolha da finalização com a segunda bola, optando em colocar a bola no centro, quando tinha a paralela a inteira disposição, livre “dando risada”.. Enfim, valeu pela intensidade dos lances e o espírito de luta que não deixaram barato.

    Responder
  22. Nando

    Robson está no grupo do whats do Tenisbrasil, ele não é o fake Vovó Mafalda.

    Zverev teve o 1° jogo mais tranquilo em 2 anos (falando de RG), e como vem jogando seguidamente no barro, é importante q ele o faça mais vezes (ganhar jogos rápidos). Porém eu acho q se ele cruzar com Fognini nas oitavas, o alemão sai.
    Cotonete teve uma vitória tranquila…Delpo sofreu mais q o necessário, e Verdasco perdeu pra um francês q nunca tinha ouvido falar.
    Amanhã na teoria serão jogos tranquilos pro siri careca e pro velhote suíço (zebra no torneio), à conferir.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      O que que você quis dizer com o fato de estar ou não no grupo da Whats, Nando ? Varios que estão lá, postam aqui com varios Nicks diferentes. Meu filho morre de rir porque lá eles fingem se comportar rsrsrs Abs!

      Responder
  23. José Eduardo Pessanha

    Rodrigo,

    O lance do Guga sofrer com o Nadal se daria pelo fato de Roland Garros ter 5 sets. Em jogo de 3 sets, no saibro, talvez Guga até vencesse a maioria. Entretanto, em 5 sets, Nadal teria grande vantagem física.
    Abs

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Certo.

      Só não tem como saber o quanto Guga poderia compensar isso, com um melhor trabalho físico.

      Sem falar que ele amava Paris, né…

      Quando chegava ali, parecia que se transformava.

      Responder
    2. Viana

      Mesmo em 3 sets Guga não ganharia a maioria!!!
      Sou fã do Guga, mas quantos masters 1000 o Guga tem em outros torneios de saibro?
      Comparar os 2 é sacanagem com o brasileiro!
      Na minha humilde opinião ele perderia a maioria pro Nadal, mas ganharia algumas em q estivesse bem inspirado!

      Responder
    3. R. P.

      Agora estou entendendo o lance do Murray ser atropelado em final de slam pelo Safin. Pra quem acha que o Guga ganharia a “maioria do Saibral em melhor de 3”, até que a declaração anterior não está tão feia.

      Responder
  24. Paulo Almeida

    Ok, meus caros.

    Safin era bom, mas baladeiro e desinteressado, o que facilitou e muito a vida do suíço na entressafra.

    Uma coisa que tenho notado nos fanáticos pelo Rogério é que basicamente eles definem os caras mais talentosos pela facilidade de dar drop shot e slice e “esquecem” de outros fundamentos bem mais importantes. Fato curioso.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Concordo!
      Se executar bem slices,curtinhas,e Grand Willis definissem capacidade de um tenista,aquele coroa bigodudo (esqueci o nome dele rs) teria 30 Slams na conta hehe

      Responder
  25. Paullo

    Slater com 47 anos e ainda competindo
    Não tem nada demais os 37 do fed
    Aliás, qdo o fed ganha, ohhh, com 37 e ainda ganha
    Qdo perde, tb, com essa idade, é natural perder.

    Responder
    1. Nando

      Hahahahaha claro, no surf o cara corre por horas na onda né? Kkkkkkkkkkkkkk
      Aponte alguém na Era Aberta, q fez ou ainda faz os milagres q Federer (ganhar Slam, masters, estar com ranking alto na idade dele) vêm fazendo.
      Se a idade não fosse um empecilho, mtos outros tenistas grandes do passado teriam prolongado suas carreiras.
      Federer se mantém no topo devido ao seu enorme talento…top3 aos quase 37 anos, quero ver alguém fazer isso.

      Responder
  26. GUSTAVO DE ALMEIDA

    Thiem, apesar das vacinadas iniciais, vai longe em RG
    Cuevas é um especialista, mas vendo os dois, Thiem está agora com todos os itens melhores q Cuevas.
    Os últimos 3 jogos entre eles no saibro forma vencidos pelo Austríaco. E o ápice da carreira de Cuevas foi uma dois anos atrás.
    Thiem leva em três ou quatro sets.

    Responder
  27. GUSTAVO DE ALMEIDA

    STANimal e o Grego prometem um fantástico jogo se confirmarem as passagens pelo próximo jogo. Oxalá!
    King RF é forte favorito contra um dos novos menininhos prodígios no saibro. Fundamental pro veterano é vencer o primeiro set, ficando mais solto pra tentar vencer em sets diretos. Porém, não se espera um jogo fácil, de modo algum.
    Nadal finalmente vai encarar um adversário de verdade. Todos se lembram daquele jogo em que o Goffin iria vencer se não tivesse se lesionado. O belga pode jogar muito, muito bem no saibro: se não fosse tão azarado com lesões (inclusive aquela bolada no olho), já teria provavelmente ganhado um Master 1000 de terra batida, pelo menos.
    Djoko está extremamente firme e só terá um jogo mesmo a partir de do Coric (que vai passar pelo bom, mas instável, Struff).
    Delpo joga muito; contudo, vai ficar sem pernas já, já.
    Monfils está talvez no melhor ano de sua carreira.
    Mestre Dalcim, vc não acha que o Monfils era quem estava melhor jogando o US até sua desistência por problemas físicos???

    Responder
    1. JAN DIAS

      Concordo com você Gustavo, STAN e TSISIPAS tem tudo pra ser um jogão ( se acontecer)..
      Mas fisicamente o grego leva vantagem por ser mais jovem e mais leve.

      Responder
  28. Renato

    Eu disse aqui que seria natural Roger jogar na secundária, pois divide a programação do dia com Nadal.
    Já Novak divide o dia com Thiem, por isso a zueira com o sérvio.
    Duvido que Federer jogaria na secundária se dividisse a programação do dia com o austríaco. Nem Roger nem Nadal.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Renato, isso é derivação do politicamente correto. Não tem sentido o Federer jogar em secundárias, pois 80% do público do torneio está lá por causa dele. Na iminência de Federer e Nadal jogarem no mesmo dia, a solução correta seria colocar ambos na Central.
      Abs

      Responder
  29. Rubens Leme

    Dalcim, mais preocupante é ver Tops 10, como Anderson, Del Potro, Cilic (ok, hoje ele é 13) quase sem pontos este ano e longe de sonhar com o Finals. No momento, Anderson é o 49 do mundo, Cilic 50 e o argentino está fora do Top 100. Ou seja, o topo vai mudar muito ainda este ano, como mudou em 2017, quando Dimitrov acabou na terceira posição.

    Curiosamente, o físico vem cobrando muito alto destes tenistas mais pesados, todos na casa dos 2 metros. Acho que estamos vendo uma troca grande de geração, se somarmos a aposentadoria do Andy Murray e as condições também precárias de Stan Wawrinka, Fognini e a legião francesa. Só não é maior porque os 3 de sempre ainda estão firmes na aeróbica.

    Responder
      1. Gustavo M.

        Dalcim,

        ouso discordar, ainda que moderadamente.

        Em que pese não serem muitos díspares esses golpes, temos de lembrar que o Gasquet tem um saque mediano pra bom, uma movimentação péssima e uma direita das piores e, ainda assim, fez finais de Masters, semis de Slam, foi top10 em vários períodos e tudo o mais. Talvez não seja tão superior aos demais – até pq Federer teve grandes momentos com esse golpe e Thiem gera muita potência ali também -, mas é fato que o francês praticamente vive desse golpe, o que o coloca certamente bem à frente do búlgaro e do grego, a meu ver. Os lances que esse francês já protagonizou com seu revés são absolutamente memoráveis!
        Apesar do textão, entendo que os cinco têm ótimos backhands e cada um tem suas limitações por ali, como o próprio Gasquet, que sofre muito com bolas altas. Talvez vc tenha afirmado que são quase equivalentes pensando nisso, me diga!

        Um abraço!!

        Responder
  30. Renato

    Parabéns para a Sérvia! Fazendo história. Mas é duro de assistir qualquer um dos quatro tenistas. Jogo sonolento, sem variação. Pode juntar os quatro que não dá meio Federer e olhe lá.

    Responder
    1. Jonas

      Se eu fosse torcedor do Federer e tivesse que assistir o cara tomar pau do Djoko em praticamente tudo quanto é torneio, inclusive nos mais importantes…também acharia bem “sonolento” acompanhar seus outros jogos.

      A última vez que Federer derrotou Novak em Grand Slam foi em 2012…entendo a frustração das Federetes.

      Responder
  31. Rafael

    Mestre, definiu bem o que o Djoko vem fazendo. Me impressionou a sua velocidade e um forehand pesado! Sinceramente, o vejo bem favorito ao título! O que acha?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *