Tênis à segunda potência
Por José Nilton Dalcim
17 de maio de 2019 às 21:32

Novak Djokovic venceu nesta sexta-feira um daqueles jogos grandes, que fazem tanta diferença para a carreira e a confiança. O argentino Juan Martin del Potro se saiu muito acima do esperado, porque mostrou um backhand sólido, batido e agressivo, assim como aguentou um batalha fisicamente exigente de 3h, marcada por intensas e qualificadas trocas de bola e emoções constantes. Forçou saque, disparou forehands incríveis, chegou a ter dois match-points no tiebreak.

Nole poderia, é claro, ter perdido, mas no global exibiu um tênis notavelmente consistente, onde se destacaram incríveis devoluções, defesas impossíveis, variações táticas inteligentes e acima de tudo uma enorme vontade de vencer. Faltou talvez buscar mais vezes as paralelas de backhand para desequilibrar Delpo, receita aliás que o argentino adotou com sucesso. Um espetáculo de tirar o fôlego do começo ao fim. O tênis elevado à segunda potência.

A certeza no entanto é que Djokovic saiu de quadra mais fortalecido do que a reação diante de Dominic Thiem e até mesmo do que o título em Madri de uma semana atrás.

– Ao longo de todo o primeiro set, Rafael Nadal encontrou enorme dificuldade para segurar o jogo ousado de Fernando Verdasco. Estava então excessivamente defensivo. Ficou atrás até 1/3 e precisou salvar 0-40 quando estava 4/4. Mas daí em diante tudo mudou. Verdasco perdeu a confiança e Nadal o engoliu, jogando um grande segundo set. Marcou o terceiro 6/0, chega na semi – a quarta seguida na fase de saibro – com seis games perdidos.

– Roger Federer causou a decepção dia, ao desistir com alegada dor na perna direita. Não chega a ser surpreendente. Sem jogar há tanto tempo no saibro, encarou três jogos fisicamente exigentes entre Madri e Roma. A boa notícia é que não perderá o terceiro lugar do ranking e tem grande chance de permanecer no posto ao final de Roland Garros.

– Stefanos Tsitsipas, que tem reclamado de cansaço, ganhou então um valioso dia de descanso após a rodada dupla de quinta. Faz segunda semi seguida no saibro europeu. Se for à decisão, vira top 5 e irá superar Nadal no segundo posto do ranking da temporada. Em caso de título, tira Dominic Thiem do quarto posto e, com 3.400, estará com um pé e meio no Finals de Londres.

– Enfim Diego Schwartzman conseguiu vencer Kei Nishikori, uma vitória que o leva a inédita semi de Masters. O primeiro set do jogo foi maluco: o japonês saiu de 1/5 e sacou para empatar. Daí em diante o argentino foi muito sólido. E garantiu que a rodada de dupla de quinta-feira acabou por ser fundamental: “Precisava de uma injeção de confiança e ela veio num dia inspirado”.

– Nadal e Tsitsipas revivem o duelo de uma semana atrás em Madri, vencido inesperadamente pelo grego. O piso do Foro Itálico no entanto é mais lento e deve favorecer o espanhol. Mas Rafa precisa antes de tudo controlar os nervos e a ansiedade de enfim fazer uma final no saibro europeu, evitando uma angustiante quarta semi perdida no seu ‘habitat’.

– Djoko e Dieguito se enfrentam pela terceira vez e relembram o jogo de Roland Garros-2017, em que o argentino chegou a liderar por 2 sets 1, mas então lhe faltaram forças. Talvez seja o elemento que decida outra vez em favor do sérvio, ainda que ele tenha saído da quadra depois da 1h da manhã, irá dormir bem tarde e assim terá pouco tempo de recuperação para o jogo previsto para as 20h locais (15h de Brasília).

– E a festa grega em Roma também está dobrada. Maria Sakkari marcou incrível virada sobre Kiki Mladenovic, dando sequência a uma semana de surpresas, em que tirou Petra Kvitova e Anett Kontaveit. Enfrentará Karolina Pliskova, a quem venceu justamente em Roma do ano passado. A tcheca virou em cima de Vika Azarenka.

– Não tivemos o duelo entre Naomi Osaka e Kiki Bertens. A japonesa sentiu o braço e nem foi à quadra. Campeã em Madri, a holandesa tem favoritismo sobre Johanna Konta e, se vencer, assumirá o segundo lugar do ranking, rebaixando Simona Halep.


Comentários
  1. Paulo Almeida

    Hahaha, o fake GOAT dos fedtards cometeu outra gafe ao esquecer que o Zverev varreu o freguês de todos no Canadá.
    No mais, o talento do Djokovic é imensurável. Com certeza o mais talentoso da história juntando técnica, tática e mental. Monstro nas mudanças de direção de fore e back, devolução, defesas inacreditáveis, lobs, drops, slice, saque etc.

    Responder
  2. Miguel BsB

    Vi! Tava jogando muito, agressivo, dominando o Nadal, e, de repente, pifa….
    No segundo set, é quebrado logo de cara, dps tem vários BP pra devolver a quebra e voltar pro jogo, não aproveita, ´aí desiste de vez e toma o pneu….
    Gosto muito da técnica do Verdasco, seu forehand é potentíssimo, mas sua cabeça não acompanha. Exemplo clássico que tênis é muito mais que golpes poderosos…

    Responder
  3. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Vc acha que o Djokovic vai aguentar fisicamente outra batalha contra o Nadal amanhã? Acho que ela poderia ter liquidado o jogo de hj em dois sets.

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    [Jonas]
    18 de maio de 2019 às 14:15
    “Eu não disse que Djoko jogou bem. Pra mim ele merecia perder o jogo”.

    Que isso… (rs)

    Falar uma coisa dessa é até “blasfêmia”.

    Depois de um jogão daqueles.

    O próprio Djokovic reconheceu que ninguém o obrigou a jogar tão bem, quanto o Delpo ontem.

    Afirmou até, que em alguns momentos ele contou com a sorte, por não saber mais como deter o argentino.

    Mas, pro fanático-mor, que não aceita que o Djoko é mortal e não divino, foi porque ele jogou mal e mereceu perder.

    kkkkkkk

    É o que eu falo sempre, nem o mais cego federista que JAMAIS existiu, se compara com os “Bots” veneradores do sérvio.

    Nem o tal Marquinhos, de quem tanto reclamam…

    Responder
  5. Rodrigo Alvez

    Dalcim, estava eu acompanhando os seus comentários pelo placar ao vivo da Uol quando fui surpreendido por um comentário do Dassler Marques. O que houve? Era uma transmissão conjunta? Não foi avisado, por isso estranhei. Obrigado por ilustrar o que foi o jogo para quem não pôde assistir. Minha audiência é certa para os comentários do jogo de amanhã. Abraço!

    Responder
  6. Renato

    A final do Austrália Open foi um grande jogo!? Fraquíssimo! Jogo de um tenista só.

    Melhor jogo do ano foi a final em IW.

    Melhor jogo da história, segundo a maioria das pessoas e especialistas, foi Wimbledon 2008, com folgas.

    Responder
  7. Luiz Fernando

    Dieguito surpreendeu nao a mim, mas ao mundo vencendo o segundo set, com muitas quebras seguidas, denotando instabilidade dos dois jogadores. La se vai Djoko pra mais um jogo longo de 3 sets, o q sem duvida desgasta, tanto o fisico quanto a mente. Em um momento quando servia o sérvio me pareceu muito ofegante, mais do q o normal, afinal, não existe jogador de ferro, e ontem ele se desgastou demais. Ainda me parece amplo favorito p hj, mas, se de fato vencer, vai chegar mais desgastado do q imaginava na final de amanhã…

    Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    Olha,

    Tô assistindo aqui Djokovic e Schartzman, e sou obrigado a confessar:

    Falei merda.

    O argentino não é fraco. Pelo menos não nesse saibro lento

    Não apenas é valente, mas consegue jogadas que requer habilidade.

    Também a sua bola é funda, e tem força.

    O Djokovic está jogando muito bem, e mesmo assim tendo trabalho…

    O Diego pode até perder esse jogo, mas já provou que tem qualidades.

    E calou a minha boca.

    Responder
  9. Renato

    Ganhar pontos usando drops contra Delpo, não é mérito pra ninguém, até porque o argentino se movimenta muito mal, principalmente para frente. Fazer deixadinhas contra alguém que corre muito, é outra história. Daí a gente percebe como o sérvio é limitado no quesito.

    Dieguito provavelmente vai perder o jogo, mas está dando uma aula para o pirulito de como fazer um drop.

    Responder
  10. Luiz Fernando

    Melhor partida de Rafa na atual temporada de saibro, e melhor, tomando a iniciativa. Quando triturou Wawrinka, este errou muito, hj Rafa acertou muito, o q é bem mais significativo. Como não vejo Dieguito com poder p aprontar em cima do Djoko, amanha teremos outra final entre ambos, com favoritismo do servio, não ha como negar. Mas Rafa esta na curva ascendente, e como torcer não é proibido…

    Responder
  11. Rafael Brasiliense

    Federer é bom moço. Desfila em quadra. Djokovic é explosivo, grita, quebra raquete, rasga a própria camiseta. Cada um tem sua personalidade. Naturalmente, a preferência da torcida é do Roger. A propósito, pra mim, entre todos do circuito, ele é o jogador mais agradável de assistir. Mas isso não diminui em nada Novak.

    Dana-se a ridícula e constrangedora (ou qualquer adjetivo que você ache apropriado aqui) comemoração dele ao final da partida. Qual a importância disso? É indiferente. O cara joga um tênis de primeira. Ver ele fazer suas devoluções é uma das coisas mais prazerosas de se assistir. Se você diz que gosta de tênis mas que detesta o Djokovic, então você não gosta de tênis. Como você pode dizer que gosta de tal esporte ao mesmo tempo que diz não gostar do cara que o pratica no mais alto nível há pelo menos 8 anos? Em 2015, no seu mais alto nível, o cara simplesmente chegou em todas as finais dos torneios que disputou. Todas. Foram 8 Masters jogados, 8 finais e 6 títulos. Foram 4 Majors disputados, 4 finais e 3 títulos. E ainda venceu o Finals. Nem o Federer de 2006 conseguiu ser tão consistente. Não é por acaso que Novak foi o único a conseguir ganhar de Roger em Wimbledon e Nadal em Roland Garros.

    Quando o assunto é tênis, ele manda bem. Ponto final. Você até pode odiar a pessoa Djokovic, mas jamais o tenista Djokovic.

    Com Federer e Nadal é a mesma coisa: não dá pra odiá-los quando o assunto é tênis.

    Responder
  12. Rodrigo S. Cruz

    [SÉRGIO RIBEIRO] “Pois é, Rodrigo. O Cara parado há um tempão, cheio de lesões, e fez o N 1 suar sangue durante 3 horas. Jogaram Tênis de verdade. Nada de brilharecos como Verdasco, Fognini e Kyrgios”.

    Sérgio,

    Muito injusto você falar em “brilhareco” do Fognini, dessa vez, cara.

    Ele foi campeão de Monte Carlo.

    Um torneio que já tinha até perdido a graça, de tão previsível que se tornou do Nadal vencer.

    Mostrou um tênis de primeiríssima linha, mesmo jogando com dores.

    E desculpe te dizer isso, mas a atuação dele foi superior a qualquer outra coisa que vi do Dominic Thiem.

    Pois por mais que o Thiem contabilize resultados melhores que o Fognini, ele não consegue jogar bonito como ele…

    Mas italiano foi além:

    Só não aplicou um PNEU no rei do saibro em Monte Carlo (veja bem onde), por pura pena.

    O que pra mim, foi a maior mancada dele.

    Pois é justamente nessas horas, que o Nadal se mostra o tenista mais oportunista e sem misericórdia da história.

    Só pensa em como destruir ainda mais o seu adversário!

    Pois sempre que tem chances de humilhar o rival com 6/0, ele o faz!

    Aliás, ele acabou de fazer isso agora em Roma.

    Onde ele já aplicou uns 4 pneus, até agora…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não tem como discordar que vencer um MASTERS 1000 , está muito longe de ser um brilhareco. Há ponto que STANIMAL e Del Potro possuem somente um. Só que o Mundo conhece o enorme talento de Fábio Fognini. E já aos 32 , é maduro demais pra não reconhecer que o físico passou a dominar o Esporte há décadas. Alguns saudosistas dos Bad Böys do passado , esquecem que esse estilo já deu. Fábio se atentasse pra isso seria TOP 10 há muito. É fácil alguns “ intelectuais “ virem com o papinho de sempre. O bom era na minha época que não tinham divindades como Federer , Nadal e porque não Novak Djokovic. Daí torço pra estar errado , e que Kyrgios , Tomic e Gulbis da vida prevaleçam sobre Dominic , Zverev e Tsitsipas. E reconheço também o grande talento de Fernando Verdasco. ABS !

      Responder
  13. Paulo F.

    Agora é esperar pra ver se o Peque não apronta nenhuma “arte” para mais um capítulo do maior confronto da história do Tênis.

    Responder
  14. Rodrigo S. Cruz

    Bom,

    preciso parabenizar o nadal, pela forma com que venceu o grego hoje.

    não foi na base da correria e da auto-defesa.

    Foi na base da agressividade.

    O Nadal atacou muito mais do que o grego.

    E a bola do Tsitsipas não conseguiu machucar o espanhol, em momento nenhum.

    O Nadal fez 21 bolas vencedoras, contra 17 do grego.

    Vai ser uma final dura contra o Djokovic.

    Mas acho que o sérvio ganha.

    Quanto ao FRACO Diego Schwartzman, nem sei o que esse cara está fazendo na semifinal…

    Responder
  15. Rodrigo S. Cruz

    De novo, a mesma decisão burra, jumenta, IRRACIONAL que eu sempre critico aqui.

    1 x 1, segundo set, entre Nadal e Tsitsipas.

    O grego precisa defender um break-point.

    Ele então desloca com perfeição o Nadal, o jogando pra outra extremidade da quadra, e tem a bola curta e na mão.

    A única coisa que esse MANÉ precisa fazer pra ganhar o ponto, é dar um simples INSIDE-IN, jogando a bolinha aonde o Nadal NÃO ESTÁ.

    Acreditem, eu vi o lance, e daquela posição, o espanhol não chegaria de jeito nenhum a tempo, do outro lado.

    Era impossível.

    Mas aí, o que o grego faz?

    Entrega na mão e do lado do Nadal, com toda quadra aberta, rezando um Pai-nosso, pra conseguir um contrapé.

    Antes do ponto acabar, eu já dou um GRITO DE RAIVA da sala de estar:

    Perdeu o ponto e o saque, seu burro!

    Dito e feito. Ele perde o ponto e o saque, com uma passada simples e nem tão forte do Nadal…

    Responder
    1. Miguel BsB

      Tb vi isso…e não foi só uma vez naõ, o Grego diversas vezes, com a quadra aberta do outro lado, resolve atacar o Nadal no canto esquerdo, onde ele está, no forehand do espanhol…Tomou umas 3 passadas assim.

      Responder
  16. Renato

    É sempre bom estar atento quando um fake tenta contar uma mentira por aqui.

    Primeiro: Federer nunca perdeu final de masters pra Zverev, apenas pra Thiem.

    Segunda: Roger perdeu em Slam pra Tsipas. Mas Novak foi atropelado por Thiem em RG. 3 x 0.

    O único do big 3 que perdeu 3 em 3 finais pra garotada é o boneco de posto.

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Boa, meu caro Rafael. Agora não sou somente eu que defendo o Zé Verev. O bom Velhinho é mesmo a alegria da garotada rsrsrs ABS !

        Responder
    1. Jonas

      Perder faz parte. Federer já se tornou até freguês do Thiem pelo seu critério. Isso pouco importa quando de fato os grandes vencem os jogos e torneios mais importantes.

      Novak perdeu de Khachanov e Zverev em finais. No entanto, isso não muda o fato de que o sérvio venceu 3 Slams seguidos, com direito a um atropelo no Nadal. Venceu Federer na final de Cincinnati e doutrinou seu pato Federer em Paris. Pra mim tá ótimo.

      Pelo seu argumento, parece até que essas derrotas do Djokovic são maiores do que as derrotas do Federer pro próprio sérvio e pro Nadal, que o esmagou em Rg 2008 e venceu sem sustos no AO 2012,14. Sugiro que vc pegue o retrospecto do Federer em finais contra Djokovic e Nadal nos torneios mais importantes e pare de chorar tentando diminuir o número 1 do mundo, que neste momento lidera o ranking com folga.

      Responder
    2. Barocos

      Renato,

      De verdade, não consigo entender essa sua implicância com o Djokovic mas, vamos aos fatos:
      – para perder finais, antes é preciso … chegar nelas (uau!), e o Djokovic tem sido extremamente consistente em atingi-las, exceto quando da fase em que teve muitos problemas com o cotovelo. A bem da verdade, Nadal e Federer também experimentaram, em fases distintas das carreiras, problemas físicos e as consequentes quedas de rendimento. Se você se der ao trabalho de analisar os números, verá que Federer dominou a primeira fase quando Novak era ainda muito jovem, a partir de 2011 a situação se inverteu. Assim, tanto Djokovic se beneficiou de um Roger mais velho nestes últimos anos, quanto Federer pode se aproveitar do início de carreira do Novak. Esta pregação recorrente de muitos fãs do Federer (e existem muito motivos para ser fã dele) não se sustenta;
      – O sérvio lidera o H2H contra o Federer, Nadal e Murray que são, sem sombra de dúvida, os melhores tenistas dos últimos 12 anos, quiçá todos não estariam entre os 15 melhores da história. Atrás destes estão Wawrinka e Del Potro (nesta era) na minha opinião e … o sérvio tem retrospecto positivo contra estes também;

      RF tem muitos recordes, impressionais com certeza, mas ND também tem:

      Recordes de todos os tempos
      Evento ……… Desde .. Recorde atingido ………………………………………………. Compartilhado com
      ATP Rankings … 1973 … Maior número de pontos acumulado como no.1 (16,950) ……………….. (isolado)
      Grand Slams …. 1978 … Posse dos 4 “Major titles” em 3 diferentes superfícies ao mesmo tempo .. (isolado)
      Grand Slams …. 1877 … “Year Grand Slam” fora de uma temporada ………………………….. Don Budge
      Grand Slams …. 1877 … 3 sequências consecutivas de 3+ títulos ………………………….. (isolado)
      Grand Slams …. 1877 … 3+ finais consecutivas em cada Grand Slam ………………………… (isolado)
      Grand Slams …. 1877 … 7 títulos do Australian Open ……………………………………. (isolado)
      ATP World Tour . 1970 … Posse dos 4 “Grand Slams” e “Year-End Championship” ao mesmo tempo ….. (isolado)
      ATP World Tour . 1970 … 39 “Top-tier” ganhos em quadras duras ……………………………. Roger Federer
      ATP World Tour . 1970 … 3+ finais em todos os torneios “Top-tier” ………………………… (isolado)
      ATP World Tour . 1970 … 10 “Top-tier” títulos em uma temporada (2015) …………………….. (isolado)
      ATP World Tour . 1970 … 18 “Top-tier” finais em sequência ……………………………….. (isolado)
      ATP World Tour . 1970 … 15 finais consecutivas atingadas em uma temporada (2015) …………… (isolado)
      ATP Masters …. 1970 … “Golden Masters” na carreira ……………………………………. (isolado)
      ATP Masters …. 1970 … 33 títulos ……………………………………………………. Rafael Nadal
      ATP Masters …. 1970 … 24 títulos “Master” em quadras duras …………………………….. (isolado)
      ATP Masters …. 1970 … 6 títulos em uma temporada (2015) ……………………………….. (isolado)
      ATP Masters …. 1970 … 39 vitórias em uma temporada (2015) ……………………………… (isolado)

      Mesmo alguém como você tem que admitir: nada mal para um mero “passador de bolas”.

      Não torço contra Nadal, ou Roger, ou Murray, a não ser quando jogam contra o Djoko e, deixo registrado aqu,i em muitas vezes desejei que no tênis houvesse a possibilidade do empate.

      Sei que vou ter muita saudade desta era para lá de especial quando o último destes gigantes se retirar em definitivo das arenas deste esporte.

      Responder
      1. Renato

        Barrocos, agradeço pela resposta educada. Só acho que vc deveria fazer o mesmo para contra argumentar os torcedores do tenista pelo qual vc torce quando os mesmos escrevem baboseiras sobre Roger.

        Responder
  17. Eduardo

    Dalcim, acredito que você foi excepcionalmente preciso nos últimos posts sobre Djokovic, nos quais ressaltou que o “padrão Djokovic” havia voltado e agora quando comenta sobre o aumento na confiança que a vitória de ontem vai trazer. Na minha opinião, ter vencido esse jogo, e da forma como foi, vai fazer com que Djokovic volte para aquele nível no qual ninguém é capaz de vencê-lo, seja na superfície que for. Posso queimar a língua, mas pra mim ontem pintou o campeão de Roma e de Roland Garros. O cara mostrou que está muito a fim de ganhar e aí complica demais pros outros tenistas. O que acha ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu ainda gostaria de ver um teste dele contra o Nadal, e quem sabe não venha nesta final de Roma. Claro que muda demais em Paris o fato de ser melhor de cinco, onde entra a parte física e muito mais ainda a emocional.

      Responder
      1. Samdra

        Dalcim, por mais que eu torça pelo Djokovic , em se tratando do Nadal, eu nunca consigo achar que Nadal não vai ganhar, não sei a sua opinião , resta saber também se Djokovic vai para final, pois esse argentino parece ser corredor de maratona

        Responder
  18. Renato

    É impressionante o mimimi de alguns chorões quando fazemos críticas ao jogo do sérvio. O drop do cotonete é fraco, mas tem dias que ele acerta. Normal. Mas continua sendo fraco. Já vi alguns jogos dele em que male má ele acertava 2 em 10.

    Não é porque o bagre sérvio é um jogador sem habilidade que ele não possa fazer lances de habilidade. Qualquer top 300 tem seis dias de glória. Mas não está no dna do boneco de posto.

    Responder
    1. Roger Porciuncula

      O sérvio sem habilidade ganhou 15 GS, 33 master 1000, aliás, o único a ganhar todos eles e 5 ATP Finals
      No H2H contra Federer o placar é 25 a 22 favorável ao sérvio e contra Nadal é 28 a 25 também favorável ao sérvio. Tudo isso ele conquistou sem nenhuma habilidade no tênis. Imagina se ele tivesse alguma habilidade, seria imbatível.

      Responder
    2. Miguel BsB

      Bom, se vc se refere a mim, prefiro ficar com o meu conhecimento de Tênis, e, principalmente,com o do dono do Blog, ao de um fánatico mal educadocomo vc…
      Não costumo nem ler os fanatismos que saem do seu teclado, quanto mais responder, mas essa não vou deixar passar…

      Responder
  19. Jonatas Bruno

    O Título do post diz tudo! Ambos produziram lances de encher os olhos! Aliás, Del Potro tem sido protagonista de longas batalhas com os grandes ícones da história e o que é melhor, nos blindando com lances de tirar o fôlego. Jogos esses disputados em Jogos Olímpicos, Copa Davis, Grand Slams, Master 1000. Enfim, é um daqueles tenistas que vale a pena prestigiar, um dos poucos que consegue levar ao limite, os mais nobres deste esporte. Poderia ter vencido, justamente com o seu cartão de visita, mas do outro lado, estava um excepcional competidor, que usou muito bem a sua abençoada devolução e através dela, evitou a sua derrota no match point contra. Ganhou, porque soube vencer!
    Del Potro voltou!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pois é, Miguel.

      Você leu o meu post, na pasta anterior?

      Inacreditável o papelão do Verdasco nesse jogo.

      Pra mim foi mais feio do que o do Kyrgios.

      kkkkk

      Não consigo entender como alguém com tantos recursos técnicos, consegue sair do jogo daquele jeito.

      Nem o Bello faria aquilo!

      A cabeça do cara é uma ERVILHA…

      Responder
  20. Miguel BsB

    Pra quem diz que o Djokovic não tem mão e não sabe executar um drop shot, sugiro que assista o jogo de ontem contra o Delpo…
    Quanto ao Argentino, sempre encarou o Big 3 de igual pra igual. Não fossem as inúmeras lesões, tenho certeza que teria mais conquistas de peso, parecidas com as do Stan e do Murray…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Só um adendo, caro Miguel. Andy tem quase TRÊS vezes mais conquistas que STANIMAL. Agora está passando um Especial de Agassi na SporTV , em que ele dá a dimensão exata do que significa o OURO OLÍMPICO. Tem uns que afirmam que é menos que um SLAM. O Britânico é Bi. Del Potro tirou Novak duas vezes. Acho difícil que alguém repita o feito do cara que tem mais MASTERS 1000 que Pete Sampras. Abs!

      Responder
      1. Miguel BsB

        Sim, Murray tem muito mais Masters, tem Finals, e seus 2 ouros olímpicos, que pra mim são sem dúvida conquistas de 1 nível!
        Acho que o Delpo ficaria num meio termo entre os 2…teria mais Masters que o Stan, que só tem 1, menos que o Escocês, e um número de Slams parecido…

        Responder
        1. lEvI sIlvA

          Sem contar que tanto Wawrinka quanto Del Potro nunca foram Nº 1 em nenhum momento de suas carreiras. Algo que Murray foi e por quase 52 semanas ou 1 ano como queiram. E isso, tendo como diretos concorrentes ao posto Federer, Nadal e Djokovic. Só isso, creio eu, já o credencia acima muito acima dos outros dois!

          Responder
  21. Renan

    Sei não…tá com cara que Djokovic leva Roma e RG e na minha opinião Nadal é o único que pode dete-lo. Novamente eu falo, o sérvio não só passa as 310 semanas de Federer como número 1, como vai ampliar e bem esse número. Quem viu Djokovic ontem, imaginaria que ele perderia e aproveitaria para descansar e pegar RG. O homem voltou a ter aquele olhar de maluco e querer tudo.

    Responder
    1. Jonas

      Já to até vendo. Djokovic vence 22 Slams e chega a 320 semanas como n1.

      “deu sorte”

      “não tem carisma, é falso”

      “passador de bola”

      “deu sorte que Federer tá velho”

      Isso o Djoko com 34, 35 anos, kkkkk.

      Responder
  22. Paulo F.

    Em um match point contra, o que faz Novak Djokovic?
    Um drop shot corajosa e extremamente bem executado.
    Depois ainda tem a ousadia de dizer que esse golpe dele é fraco e que o sérvio é um jogador ruim tecnicamente.
    Imaginem então se Nole fosse bom…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Até comentei aqui em casa, vendo o jogo.

      Que coragem, teve o Djokovic naquele momento!

      Porque foi um drop-shot do fundo da quadra,ou seja, de execução mais exigente.

      E num ponto que ele não podia perder de jeito nenhum.

      Responder
  23. PIETER

    Dalcim, você acha que Federer estará em plena forma física em RG?
    Me ocorreu que a sua desistência em Roma talvez tenha sido mais por cansaço muscular e intenso desgaste físico do que por uma contusão ou algo do tipo. É uma decisão mais prudente também, considerando a idade do GOAT…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, a mim também me pareceu mais um caso de fadiga muscular. O risco da contusão fica maior se forçar, então ele pode ter optado pela desistência para não comprometer as próximas semanas.

      Responder
  24. Alan Guimaraes

    Olá Dalcim,

    Um jogo incrivel e o sérvio foi de uma resiliencia impar.

    O que eu gostaria de perguntar é sobre o estado da quadra, os jogadores estavam muito irritados com isso e tanto o Djoko quanto o Delpo tiveram discussões com o Bernardes sobre isso.

    O que poderia ter feito o Juiz nesse caso?

    Um grande abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não há muito o que Bernardes possa fazer. Ele só pode interromper o jogo e pedir uma nova arrumação da quadra caso os tenistas peçam claramente isso. E, como ele argumentou várias vezes com os dois, eles não pediram.

      Responder
  25. Sérgio Ribeiro

    E Del Potro mostrou pela milésima vez o que todos que amam esse Esporte Maravilhoso, sabemos. Não existe o invencível. Também já trintão, e vindo de graves lesões, fez o N 1 suar sangue outra vez. Assim como fez aqui na Rio 2016 , em que o Sérvio mais uma vez saiu de quadra aos prantos. Já tinha feito em Londres 2012 com o próprio. Hoje , Novak mostrou como se comporta os verdadeiros campeões nestes momentos. Jogadas pra lá de inteligentes nos Matchpoints. Não deixou dúvidas quanto à justiça do Posto que ocupa. E o nosso “ a conferir “ está por um jogo ( com todo respeito a Dieguito ) . Teremos briga de cachorro grande na Final de Roma 2019 rsrsrs Abs !

    Responder
  26. Eu

    Não pude ver a partida do djoko x delpo…

    Muito ruim que o Sport tv só reprisa ad nauseum partida de futebol (até da série c tem replay).

    O bandsports, por outro lado, reprisa!! Muito bom!!!

    Responder
  27. Sandra

    Dalcim , vc acha possível Djokovic ganhar amanhã ? Depois de tanto desgaste, dois jogos no mesmo dia , 3 horas de jogo hoje e mesmo passando o grego ou o Nadal vai estar descansados

    Responder
  28. Rodrigo S. Cruz

    No outro tópico, eu reparei no levantamento feito por um certo Weslei.

    Que se seguiu de outra provocação do Fake adoecido…

    Vou recolocar aqui:

    Federer 2×4 Thiem
    Federer 3×3 Zverev
    Federer 1×1 Tsitsipas
    Federer 1×0 Khachanov
    Federer 3×0 Medvedev
    Federer 4×2 Coric
    Federer 1×0 Shapovalov
    Federer 1×0 Edmund
    Federer 3×1 Kyrgios

    Aí fiquei pensando:

    Uau! Nossa! que vergonhoso pro Federer, não?

    kkkkk

    Dos 9 jogadores listados acima, o Federer aparece com h2h positivo contra 6 deles, empata com outros dois, e amarga um 1 único e solitário h2h negativo!

    Ou seja, o ÚNICO de todos os listados pelo fã do sérvio, e que lidera o confronto contra o suíço, é o Superesthiemado…

    Pois o Federer empata com apenas dois, e ganha de todo resto!

    Responder
    1. Renato

      Muito bom Rodrigo! Números bem parecidos de Novak e Federer nos confrontos com a garotada. Os dois tem h2h negativo contra apenas um tenista. A diferença é que, o pirulito é 5 anos mais jovem que o suíço e perdeu as três finais de masters(incluindo finals) que fez contra os moleques. Contra Zverev perdeu finals e Roma, dois pisos distintos, o que coloca o cotonete na condição de freguês do russo/alemão.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Desculpe, Renato.

        Mas não dá pra dizer que o Djokovic é freguês deles, só porque perdeu nas finais.

        Como o Chileno destacou, brilhantemente, há algum tempo:

        Não tem cabimento criticar o tenista que perde uma final, em detrimento do que nem sequer atinge a final…

        Responder
    2. Weslei

      Kra quer mesmo falar de finais:

      Segue o números:

      Total
      SRB Novak Djokovic 12 : 6 SUI Roger Federer

      Glam Slam
      SRB Novak Djokovic 3 : 1 SUI Roger Federer (2 finais ganha na grama)

      Acho que nem preciso comentar nada….apenas que parem de falar de idade que isso já ta chato

      Responder
  29. Eu

    Salvador Rodrigues Lima e Angela B. do post anterior:

    Não só os empresários gananciosos, os políticos e corruptos que fazem mal e são maus exemplos às crianças e a todos.
    Um pai, uma mãe, uma tia, um tio, um avô, uma avó tb devem dar exemplo e muitas vezes não dao: furam filas, mentem, não respeitam leis do trânsito (param em fila dupla para pegar as crianças as na escola e dane-se o mundo, para ficar num so por exemplo), furtam carrinho de mercado cujo “dono” foi buscar uma mercadoria no corredor ao lado e, qdo volta, o carrinho e suas coisas estão jogadas na prateleira (tudo isso para não ir buscar um carrinho na entrada do mercado, como todo mundo faz, então se acha espertao e tira vantagem. Mas não, isso não é corrupção), estacionam o carro ocupando duas vagas em shoppings, mercados e até na rua, etc

    Então, é fácil apontar o dedo para o kyrgios em vez de olhar para o próprio umbigo. É fácil dar uma de moralista em cima do kyrgios mas querer tirar vantagem na sua vidinha

    Responder
    1. Eu

      … falam alto no celular no ônibus, no restaurante, no mercado (adoro um mercado rsss), no banco, no cinema, na rua até como se estivessem sozinhos em casa; gritam, se enfurecem e xingam (kyrgios??) funcionários nos mercados, nos bancos (na porta giratória por ex), na portaria do predio, no motoboy que traz a pizza; entram na fila preferencial sem ser, conversam alto no cinema, etc etc etc

      Responder
      1. Eu

        … xingam, surtam e tem chiliques nas redes sociais e aqui no blog rsrsre (o kyrgios não pode ser mal educado mas nos, no nosso dia a dia, podemos?!)

        Então, vcs têm razão, Salvador e Angela, é muita hipocrisia!

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Sou um dos que mais defende o Kyrgios aqui, porque gosto demais do jogo dele, e sua personalidade.

          Mas não acho que tua comparação tenha sido justa:

          Essas coisas corriqueiras que as pessoas fazem no dia-a-dia, não se confundem com o comportamento do Kyrgios em quadra…

          O Kyrgios é um profissional. Ele ganha pra jogar!

          Acho que não só pode, como deve ser ele mesmo. Só não pode se exceder.

          E muito menos atirar a cadeira na quadra. Aí já é demais…

          Se não, daqui a pouco ele perde a cabeça de vez e a atira a cadeira no juiz.

          (rs)

          Responder
          1. Ronildo

            Exatamente Rodrigo S. Cruz, o pessoal está misturando as coisas. Não tem nada haver comparar uma coisa com a outra. E aqueles comentários anteriores a respeito dos políticos, achei muito medíocre a forma de pensar. Tanto uma coisa como outra é errada. E o exemplo para as crianças é sim um argumento válido!

            As crianças devem ser ensinadas tanto a não ser estúpidas como o Kirgios como também a não serem corruptas como muitos políticos! A pessoa precisa ser bem insensível com as demandas sociais, para, como adulto, ignorar o exemplo das ações dos mais velhos sobre as novas gerações!

        2. Angela B.

          Ola “Eu”, vc foi perfeito/a em sua explanacao…e falou c/ riquezas de detalhes tudo o que penso qdo critiquei (de maneira mais generica) a hipocrisia da sociedade em geral, especialmente qdo compactua c/ atos corruptos e execraveis quase que diariamente..mas se acha no direito de massacrar comportamentos alheios, ou pessoas como o Kyrgios – incluindo a imprensa, que tb adora um sensacionalismo p/ botar fogo no circo.
          E isso tudo acontece, pq vivemos numa sociedade doente e c/ valores muito distorcidos; da-se mais importancia a futilidades e desejos egoistas, do que p/ questoes mais serias, humanas e profundas. Ou seja, falta muuuito insight, espelho e auto-critica p/ a esmagadora maioria de nohs….O que eh muito desanimador….Mas ainda bem que o Federer deu um “cala boca” sutil e cheio de ironias aos inquisidores de plantao. kkkk O que ele fez, foi realmente demais. Abracos

          Responder
  30. Geailton

    Esse forehand na paralela do argentino é coisa linda de se ver, como a bola anda. Ele faz muito bem ao circuito e é triste vê-lo perder, exceto pro Djoko. A torre de Tandil com certeza é meu segundo jogador favorito.

    Responder
  31. Chetnik

    Que arregada MONSTRA do Covarderer. Dorzinha na perna. Coitadinho.

    Jogo do Djoko foi mais difícil do que eu esperava. Deu sorte no primeiro MP contra. Fez mais winners, com bem menos aces, logo contra o Delpo. E ainda tem IMBECIL – não tem outro termo – que o chama de “passador de bola”, kkkk. E outros IMBECIS que zoam os seus drop shots, kkkk.

    Um dos melhores jogos do ano.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Trolagem parcial e mentirosa…

      Porque se ele fosse do tipo de fugir de jogos por “medinho”de perder, nunca seria tão BURRO de perder 25 vezes pro sérvio.

      E outras 13 vezes do Nadal, só no saibro.

      Responder
  32. Pedro

    Dalcim,

    Delpo perdeu o jogo naquele match point sacando no segundo set, com a direita livre no meio da quadra. Tremeu. E perdeu. Foi até bom porque para ganhar do Nadal, acho que só o Nole mesmo.

    Responder
  33. Rafael

    Jogaço mestre! Como joga esse Del Potro! E como que o Nole segurou a pancadaria e ainda saiu com a vitória fazendo mais winners!! E depois tem gente que fala que ele é passador de bolas. Aff! Apesar do pouco tempo de descanso eu acho que o Nole passa fácil pelo Dieguito e fará a final contra o Nadal. Há tempos não víamos o Nole com aquele olhar matador (eye of the tiger) rs! O que acha mestre?

    Responder
  34. Rodrigo S. Cruz

    Perder chances contra o homem que não cansa nunca, é simplesmente fatal.

    Espero que o Delpo se lembre disto, da próxima vez…

    Responder
  35. Paulo Almeida

    Foi o melhor jogo do ano sem dúvida nenhuma! Dois monstros do tênis jogando um absurdo de bola, haja coração!

    Porém, mais uma vez o GOAT não terá tempo hábil para se recuperar para uma eventual final, mesmo que atropele o Schwartzmann amanhã.
    Nadal e Tsitsipas estão completamente descansados e ainda jogam primeiro. Djokovic é Djokovic, mas não é robô (nessa hora gostaria que fosse mesmo), senão teria ganhado Roma 2016 do Murray e Paris 2018 do Khachanov. Mais uma vez deve bater na trave do PENTA de Roma, pra alegria fedtard e rafatard.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Olha , caro Paulo. A muito não vejo um caso tão sério como o seu. Teu problema é muito maior que fanatismo. Quer dizer que o N 1 em plena forma , não tem mais chances na Final , mesmo que o Espanhol se encrenque de novo com o Grego ? Você pensa mesmo na hora de Postar tanta besteira ? Sei , não. Até mesmo o nosso amigo Léo Gavião deve dar risadas contigo rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Você que não pensou muito para me responder. Ignorar que o Nadal chegará muito melhor fisicamente na final, ainda mais agora, é coisa de quem nso entende nada de tênis.
        O mesmo valeria pro grego.

        Responder
    2. Jonas

      Os dois melhores jogos do ano envolvem o Djokovic, mesmo com ele jogando nada em 3 masters 1000.

      Final do Australian Open contra Nadal e sem dúvidas este jogo absurdo contra o Delpo.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Errado de novo , a meu ver , caríssimo Jonaser. Os dois melhores que você viu … Nem vou botar Federer no meio com seus TRÊS com Match-Point para os dois lados. Ontem foi sem dúvida um grande jogo. Mas Novak ficou muito tempo numa postura CONSERVADORA , trocando cruzadas de back , apostando no erro da Torre. Daí as 3 horas de jogo. Todos sabemos que ele tem capacidade para botar na Paralela. Quase perde neste detalhe. O Hermano ainda tem problemas de movimentação. Abs!

        Responder
  36. José Eduardo Pessanha

    Rodrigo,

    Respeito sua opinião, mas Delpo só teria 1 Slam, mesmo se não tivesse as contusões. Basta ver a carreira dele. Só ganhou 1 Masters por que o Rogério deu aquela amarelada. E no US Open 2009, aconteceu o mesmo. Jogo tranquilo que o Rogério deixou escapar.

    Abs

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Não vejo porque um jogador do nível do Delpo não poderia arrancar ao menos um Grand Slam do Federer, Murray, Djoko ou do Nadal…

      Responder
    2. Willian Rodrigues

      Jogo do US Open 2009 estava tranquilo e Federer deixou escapar??!!!! Até mesmo para fanatismo tem que haver limites!!! Pelo amor de Deus! Delpo jogou demais naquela oportunidade.

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Sim, estava tranquilo. Federer ganhou dois sets fáceis e perdeu dois no tie break. No quinto, o físico apertou. Dava pra ter ganho o jogo de forma bem tranquila, com o uso de slices e deixadinhas. Rogério quis entrar na pancadaria e se deu mal. Considero essa derrota a maior derrota de Federer. Caso você reveja o jogo, verá que eu tenho razão.
        Abs

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Me desculpe , Pessanha. Mas você está tirando todos os méritos do jovem ” Patada Atômica ” com apenas 19. E o Suíço era já experiente demais pra se irritar tanto com o imenso barulho da Torcida Hermana. Deu uma de Novak Djokovic . Abs !

          Responder
        2. Rodrigo S. Cruz

          Pessanha,

          Esse tipo de visão desmerece SOBREMANEIRA o Delpo.

          Pra mim, é quase uma falta de respeito.

          Desculpe, mas eu não engulo isso…

          Assim como eu detesto quando tentam desmerecer os títulos do Federer.

          Pois jamais saberemos se o uso de variação, slice sou drop-shots teriam resultado em um outro deslinde.

          Responder
        3. Chetnik

          Físico apertou? Para vocês, o “Rogério” tá velho desde os 27 anos, kkkk. Pessanha, você é um cara gente boa, mas o fanatismo sempre fala mais alto, kkkk.

          Responder
      1. PIETER

        E muito merecido! Que jogador sensacional que ele é. Aquele forehand dele é uma verdadeira “patada” atômica.
        Jogando apenas o seu terceiro torneio do ano, vindo de fratura no joelho, ele deu um raro espetáculo de tênis.
        Penso que, não fosse o lentíssimo saibro de Roma, Djokovic não teria evitado a derrota.

        Responder
  37. Josh

    Caramba, que jogo em, que eu vi esse ano, foi o melhor. Quero ver a postura de Nadal amanhã, mas é favoritíssimo. Dalcim, vamos ver como Nole vai estar das pernas, acho que ele se recupera, à la segunda potência, hehehe.

    Responder
  38. Marcelo-Jacacity

    Grande Djokiller!
    De novo anotou mais winners que o adversário. Jogou demais, a maior devolução da história aparecendo sempre. E as deixadas e os lobos!? Espetacular!
    Vamos ver amanhã. Dieguito finalmente voltou a jogar bem, e com o cansaço do sérvio, torna-se perigoso.
    E não é que backhand do Del Potro estava andando muito! Da direita nem preciso falar.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Lobby é outro fundamento que Novak executa com maestria, talvez o melhor do circuito, e convenientemente esquecido. Querem falar tanto do smash, então também falem do lobby, já que são fundamentos utilizados com menor frequência.
      Aliás, na verdade torcedores do Federer jamais esquecerão aqueles dois lobbies seguidos que o GOAT executou na final do US Open 2015. Como tem pouco talento esse sérvio, haha!

      Responder
        1. lEvI sIlvA

          Caro Paulo, embora não seja meu jogador favorito, Andy Murray tem sido constantemente apontado aqui mesmo no Tênis Brasil como quem melhor aplica este golpe. Qualquer coisa, basta perguntar ao Dalcim. Abraço!

          Responder
  39. Wilson Rocha

    Dalcim,
    Tomora que o touro miúra não vire um bezerrinho e invente uma desculpa para justificar mais uma derrota na semi ou na final.

    Responder
  40. Filipe Mota

    Djokovic é uma máquina. É claro que nessa discussão de quem é o melhor do Big 3, as opiniões variam conforme o proselitismo e a torcida de cada um. Todos tem qualidades inatas que mesclam virtude, talento, técnica, mental e estratégia. Eu particularmente acho que Nadal está um pouco atrás, porque seu físico colossal já não é o mesmo de outrora. Federer é o maior vencedor de Slams, o que tem o jogo mais ofensivo e uma categoria, uma classe que o tornam singular. Djoko é o maior vencedor de Master (junto com Nadal), o único que venceu todos os Masters, a melhor devolução do mundo, e não obstante não tenha os assombrosos 101 títulos de Federer, é o que mais ganhou premiação em dinheiro nos torneios, tal sua efetividade e constância. Como ainda é um lustro mais jovem do que Federer, mesmo que um tenha mais slams que o outro, a depender do que está por vir, haverá vaticínios bem fundamentados para ambos os lados de quem será o maior da história.

    Responder
  41. Jorge

    A capacidade do Djoko devolver saque e de se defender é muito impressionante, por fim isso vai mexer com a cabeça do adversário.
    A direito do Delpo é incrível.
    Jogaço!

    Responder
  42. Paulo F.

    O típico jogo que tu lamenta não existir o empate no tênis.
    Fica a minha torcida para que tu mantenha e sustente esse nível apresentado em Roma para o resto da temporada e as seguintes, Delpo!
    Que a urucubaca das lesões te aliviem para a reta final da tua carreira! Tu faz muito bem ao tênis!

    Responder
  43. Ricardo Lessa Filho

    E todavia existem pessoas que alegam que Djokovic não é carismático e verdadeiro. Depois de jogadas sensacionais que culminou com um lindo voleio/dropshot do Delpo, o sérvio não somente o aplaudio como fez questão de cumprimentá-lo por entre a rede. Grande jogo. Neste nível somente um Nadal inspirado ou um Federer 2011 para tirar o caneco de RG do Novak.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Realmente…

      Uma coisa que realmente faz o Djokovic ganhar pontos comigo, é ess enegócio dele sempre aplaudir o ponto do adversário.

      E outra coisa:

      Hoje, o Delpo acertou um ace cantado fora, e outra bola duvidosa que triscou a linha, também cantada fora, e o Djokovic foi lá e passou o pé. nas duas ocasiões…

      Ou seja, ele tem fairplay, e é avesso à trapaças.

      Isso eu acho bacana.

      Responder
      1. lEvI sIlvA

        Algo que muito lembra nosso saudoso Guga, Rodrigo. Era uma constante ele corrigir marcações de bola fora que o beneficiariam. Por vezes, penso que Djokovic se inspirou e espelhou no brasileiro nalguns aspectos e os absorveu. Talvez seja por isso que , depois do Guga o escolhi pra torcer.

        Responder
  44. Filipe Mota

    Djokovic é uma máquina. É claro que nessa discussão de quem é o melhor do Big 3, as opiniões variam conforme o proselitismo e a torcida de cada um. Todos tem qualidades inatas que mesclam virtude, talento, técnica, mental e estratégia. Eu particularmente acho que Nadal está um pouco atrás, porque seu físico colossal já é o mesmo de outrora. Federer é o maior vencedor de Slams, o que tem o jogo mais ofensivo e uma categoria, uma classe que o tornam singular. Djoko é o maior vencedor de Master (junto com Nadal), o único que venceu todos os Masters, a melhor devolução do mundo, e não obstante não tenha os assombrosos 101 títulos de Federer, é o que mais ganhou premiação em dinheiro em torneios, tal sua efetividade e constância. Como ainda é um lustro mais jovem do que Federer, mesmo que um tenha mais slams que o outro, a depender do que está por vir, haverá vaticínios bem fundamentados para os ambos os lados de quem será o maior da história.

    Responder
  45. Gilv

    Excelente o ultimo jogo da noite. Del Potro deu mole, pois jogou melhor que o servio, mas falhou no ponto decisivo e entregou uma quebra boba no 3o set.
    Amanha aposto no Nadal e no Schwartzman.

    Responder
  46. Rubens Leme

    Dalcim, fui ver o ranking do Del Potro apenas deste ano e ele é o 275, com 55 pontos, bem atrás do Bellucci, que tem 213. Com os 180 de hoje, volta ao top 100, mas tem que remar novamente um bocado para sonhar com o Finals. Que azar de se machucar bem quando defendia os títulos de Acapulco e Indian Wells!

    E teve a chance de ver hoje, se quebrasse o Djokovic, quando o sérvio sacava em 1×2. Não quebrou e, pior foi quebrado na sequência, deixou Novak abrir 4×2 e aí é um abraço, sem perdão.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *