O Big 3 dá espetáculo
Por José Nilton Dalcim
16 de maio de 2019 às 19:12

A chuva permitiu ao Fóro Itálico um momento inédito: assistir aos três maiores tenistas da história jogar duas vezes no mesmo dia, numa rodada que durou mais de 13 horas. E como foi espetacular. Novak Djokovic manteve o embalo de Madri e engoliu os adversários, Rafael Nadal não quis saber de brincadeira e cedeu dois games em quatro sets, Roger Federer brindou sua volta a Roma com máximo empenho numa partida disputada palmo a palmo com o valente Borna Coric, com direito a match-point para os dois lados.

Aliás, outros dois ‘trintões’ brilharam. Aos 35, o canhoto Fernando Verdasco sobreviveu a seis sets, eliminou primeiramente Dominic Thiem, que vinha sendo o destaque da temporada de saibro, e depois virou o jogo contra Karen Khachanov, num total de quase 5 horas de esforço. Quanta vontade de vencer. E Juan Martin del Potro, que se dizia em dúvida sobre sua capacidade de jogar bem outra vez sobre o saibro, passou por David Goffin e Casper Ruud com grande autoridade e uma torcida muito animada.

Djokovic reencontra Delpo no encerramento da rodada de sexta e é favorito, não apenas pelos 15-4 geral e 3-0 no saibro, mas pelo momento incerto do argentino. Pela manhã, Nadal tem vantagem ainda maior sobre Verdasco, de 16-3, mas pode ser um jogo divertido.

Fica a expectativa para ver como Federer irá se recuperar fisicamente – ficou 3h51 em quadra hoje – para encarar Tsitsipas e quanto cada um vai aguentar o duelo lá do fundo de quadra. É o terceiro jogo entre eles, todos em 2019. Por fim, abrindo o dia, Kei Nishikori busca repetir a semi de três anos atrás contra Diego Schwartzman, que enfim mostra sua capacidade sobre a terra. O japonês nunca perdeu, mesmo fazendo dois confrontos no saibro.

A rodada feminina foi um tanto inesperada, com queda de Simona Halep e abandonos de Petra Kvitova e Garbine Muguruza. Assim, as atrações das quartas de final ficam para  a revanche entre Karolina Pliskova e Vika Azarenka (a tcheca venceu apertado em Stuttgart semanas atrás) e a briga direta entre Naomi Osaka e Kiki Bertens, campeã de Madri e já terceira do ranking. A japonesa chega nas quartas pelo terceiro torneio seguido no saibro (fez semi em Stuttgart), o que prova evolução diante das 5 vitórias de 2018.

O triste caso Kyrgios
Mais uma vez, a ATP tem a oportunidade de invocar seu próprio regulamento para dar uma punição exemplar a Nick Kyrgios. Está escrito lá: o tenista está passível de penalidade caso ateste contra a integridade do esporte. Oras, e o que o australiano fez hoje em Roma? No dia em que o Big 3 deu um show de competência, seriedade e qualidade técnica, foi seu comportamento nefasto que virou manchete pelo mundo. Existe algo mais triste para macular a imagem do tênis?

Claro que a ATP tem que mexer também no bolso do rapaz, sempre uma penalidade que atormenta qualquer tenista, que detesta gastar centavos: foram retirados dele os 33 mil euros de premiação, que se soma à multa de outros 20 mil e à perda da gratuidade de hospedagem, o que deve gerar um prejuízo de 55 mil euros. Isso é justo, mas não o bastante.

Li um abalizado comentário que reforça ainda mais a “integridade do esporte” afetada. Kyrgios é adorado pela maioria das crianças e não se pode admitir que tal comportamento em quadra as influencie. Para o bem das futuras gerações, é preciso mostrar a todos que existe um claro limite. Kyrgios já ultrapassou todos.

Como já disse antes aqui, a ATP no fundo é a maior culpada pela situação. Teve inúmeras chances de brecar o australiano, e não o fez. Criticar gratuitamente parceiros de profissão, entre eles o número 1 do mundo, e dizer que venceu um torneio indo para baladas até 4h30 da manhã definitivamente não combinam com a honradez secular do tênis.

Seu estilo genial não recompensa o esporte na mesma proporção que suas atitudes e palavras trazem noticiário tão negativo.


Comentários
  1. Paulo Almeida

    Djokovic tinha vido de uma batalha de mais de 2 horas contra o Cilic e de 3 contra o Fregueser e não teve nem 20 horas pra se recuperar fisicamente. E estava TAMBÉM gripado a semana inteira.
    Claramente só conseguiu jogar de forma razoável no começo do primeiro set e depois passou a se arrastar em quadra, pois não é ROBÔ (como na cabeça de fedtards). O Khachanov não tinha nada com isso, foi lá e venceu o jogo. Ponto.

    Federer não tinha condição de jogo hoje também. Você duvidar das condições do Djoko naquele dia é o mesmo que eu falar que o Jagua da Montanha inventou uma lesão pra fugir de quadra. Percebe?

    Responder
  2. Paulo Almeida

    O GOAT dos fedtards foi entubado com o excelente levantamento do Weslei. Federer é o mais freguês da NextGen com folga, tendo perdido final de M1000 pro Zverev, final na grama pro Coric e partida de GS pro Tsitsipas.
    Da próxima vez é melhor pesquisar primeiro antes de passar vergonha por aqui.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acredito que ninguém esperava a chuva, a rodada dupla, o desgaste excessivo. Acho que faz parte do imponderável do tênis.

      Responder
  3. Luiz Fernando

    Que partida espetacular e q vitoria do Djoko. Delpo teve a vitoria nas mãos, ou melhor, no seu FH mortal e errou, ai ficava claro q no terceiro set seria pedir muito uma vitoria dele. Me arrisco a dizer q se o servio não perdeu hj não perderá nem amanha e nem domingo. Louve-se o gringo, q estava no ostracismo, com contusão atras de contusão e voltou em ótima forma.

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    Jogaço de tênis, esse Djoko x Delpo.

    Um tremendo jogador, esse argentino.

    Não fossem as lesões que o deixaram 3 anos fora do circuito, ele teria mais alguns Slams.

    Ele simplesmente, e quando afiado, joga de igual pra igual com o Djokovic.

    Mas como é RABUDO esse sérvio.

    Que raiva! (rs)

    O delpo teve a direita pra fechar o jogo, e errou uma bola relativamente tranquila.

    E agora, acho que vai custar muito, muito caro, porque no terceiro set, eu sou mais o sérvio.

    Não só pelo cansaço do argentino, mas porque aquela bolha do pé dele, pode fazer a diferença…

    O Delpo deu todo seu GÁS, para fechar o jogo em 2 sets, e quase conseguiu.

    Mas agora, o bicho vai pegar.

    Já vi esse filme muitas vezes.

    E com o Djokovic, tem de atirar no coração. Só o quase, não basta…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pois é, Rodrigo. O Cara parado há um tempão, cheio de lesões, e fez o N 1 suar sangue durante 3 horas. Jogaram Tênis de verdade. Nada de brilharecos como Verdasco, Fognini e Kyrgios. O Espanhol ( muito mal no Ranking) , fez um partidaço contra Thiem. Hoje você já contou a “ graça “ que fez contra Nadal. O Italiano pulou o Estoril , se disse lesionado , e depois de vencer fácil a primeira , levou mais uma surra da “ farsa “ Next Gen . Saiu reclamando dos organizadores. Kyrgios pensa que a quadra e’ um boteco. Sai jogando cadeira na própria e se manda como se estivesse numa briguinha. Na, boa. Novak e Del Potro mostraram que não basta apenas talento nesse maravilhoso Esporte. Abs!

      Responder
  5. Paulo F.

    Delpo deixou de ganhar no tie-break hein?
    Quando poderia ter aberto 2-0, deslocou Djokovic da quadra, deveria ter feito um drop e não o fez.
    Depois sacando com 6-4 errou e feio, por afobação, a sua grande bola que é a pancada de forehand.
    Vamos pro derradeiro set.

    Responder
  6. Luiz Fernando

    Delpo vai fazendo uma partida excelente contra Djoko, me chamou a atenção o desempenho do seu BH, que ate um tempo atras se resumia a slides, mas hj esta batendo, e muito, na bola. O gringo lidera 43 com break na frente.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Forehand do Nadal, sem sombra de dúvida. Mas há vários jogadores que consegue muito spin dos golpes, Renato, como o Thiem, o Sock, o Tiafoe. Observe nos jogos transmitidos que aparecem as estatísticas ao final de set ou do jogo e ali o giro da bola que o tenista consegue em cada golpe. Na casa de 50 rps (3.000 rpm) já é uma excelente rotação.

      Responder
  7. Denis

    Dalcim, quando jogam mais de uma partida no dia os tenistas são consultados em relação ao descanso entre um jogo e outro? Ou existe um padrão utilizado para isso (uma hora, duas horas, etc)?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, existe uma regra com tempo mínimo de descanso. Mas o tenista tem a prerrogativa de antecipar o jogo, se for possível. Alguns não gosta de esfriar e depois ter que aquecer novamente, preferem manter a adrenalina lá em cima.

      Responder
  8. Roberto Léo

    O talento de Kyrgios é inversamente proporcional ao comportamento, infelizmente.

    Durante o jogo com o Coric, pensei que se, e se porque correu o risco de não ganhar, o Federer ganhasse, ele iria desistir do torneio. No início do jogo ele parecia estar incomodado demais, provavelmente com a necessidade de rodada dupla. Feito. Pesou provavelmente se preservar, o que, apesar de inteligente, decepciona todos.

    Responder
  9. neuton

    Se o Mestre Dalcim me permitir, hoje vou postar muito aqui. Pode parecer que é para criar celeuma, mas não é. A intensão é ampliar os horizontes.
    Há jogadores de tenis que recebem suspensão de anos por entregarem jogo para ganhar dinheiro. ESSA ATITUDE É ABOMINÁVEL, deixo logo claro.
    Mas, pensem comigo: será que esse jogador está fazendo mais mal para o tenis que Kyrgios?
    Sei que são coisas diferentes e tal, engloba desonestidade e até crimes. Mas o contexto que ocorrem é complicado. Há jogador que entrega uma partida para poder seguir competido nas duas próximas semana. Isso é terrível, mas acontece muito e pouco se divulga. O tenis é um esporte muito caro.
    Aí eu fico pensando no desespero e na vontade de conseguir algo no tenis que faz um jogador agir assim (com desonestidade e vender um jogo). O cara luta tanto, gasta todos os recursos da família e não consegue o sonho de ser um jogador profissional.
    É essa dor que me toma ao ver um jogador fazer o que Kyrgios faz e sequer ser suspenso. Claro que tudo são negócios, Kyrgios trás público. As pessoas dão valor a uma boa “briga”, é assim desde a época dos impérios grego e romano, vide os gladiadores.
    Por isso fico tão indignado em ver esse talentoso em fazer confusão ser tão valorizado, não porque sou a favor da desonestidade daquele que vendeu um jogo por mil dólares para poder continuar competindo, mas porque acho muito injusta essa valorização. Ele não é digno dela e, sobretudo, não a merece.

    Responder
  10. neuton

    Pensem no seguinte: se Kyrgios fizesse essas “jogadinhas diferentes” mas não aprontasse os “mal feitos” que apronta, será que haveria a mesma quantidade de pessoas querendo ver seus jogos?
    Ele teria a mesma exposição e fama?
    As pessoas vão aos jogos do Kyrgios já esperando para ver ele causando algum tipo de bagunça ou confusão.
    Tenho certeza de que se ele fizesse exatamente as mesmas jogadas, mas não “fizesse confusões”1 não teria a mesma quantidade de pessoas para ver seus jogos e, além disso, não haveria quem o achasse tão bom no tenis, SIMPLESMENTE POR ELE IRIA DESAPARECER. Ou seja, o talento que Kyrgios tem é para arrumar confusões.
    O único crédito que posso dar a ele é porque descobriu esse “nicho de mercado” (desrespeitar tudo e a todos) no mundo do tenis e está explorando com muito talento. Nesse ponto vejo talento no Kyrgios.
    Legenda:
    1=xingar torcida, xingar outros jogadores, xingar Juiz, falar palavrões, quebrar equipamentos e coisas ao redor, fazer corpo mole, jogar objetos em quadra, etc.

    Responder
  11. Adriano Souza

    Como sempre o Kyrgios quando percebe que o adversario ta melhor na partida, ele começa a fazer as presapadas dele

    Parece criança mimada quando tem o doce tomado

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, Adriano, Por incrível que pareça, ele tinha quebra na frente nesse começo de terceiro set e a torcida toda a favor dele. Realmente, é incompreensível seu desequilíbrio.

      Responder
  12. Oswaldo E. Aranha

    Exercício de adivinhação.
    Pensei o que o torcedores dos tenistas que estão nas finais de Roma diriam;
    – do Federer: Nadal tem muita sorte de escapar da surra que daríamos nele
    – do Nadal: Federer escapou de uma boa
    – do Schawartman: o Del Potro não precisa se preocupar que estarei condignamente representando a Argentina
    – do Del Potro: espero reeditar a atuação nas Olimpíadas do Rio
    – do Djokovoc: esperamos que o Del Potro não esteja nas melhores condições físicas
    – do Tstipas: escapei de uma boa.
    Quem tiver melhor ideia que a dê.

    Responder
  13. João Sark

    Dalcim, boa tarde.

    2 perguntas: esta desistência do Federer conta como derrota nas estatísticas? A outra: qual destes Masters 1000/Roland Garros/Barcelona, o torneio Rio Open mais se assemelha?

    Obrigado.

    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não entra nas estatísticas. Em termos de velocidade de piso, está mais para Roma. Mas o clima quente e úmido do Rio é só comparável a Nova York durante o US Open.

      Responder
  14. Salvador Rodrigues de Lima

    Até quando irão usar o ultrapassado argumento de “influenciar as crianças”? As possíveis crianças influenciáveis do mundo do tênis não moram nas ruas ou são órfãos sem noção e desamparados. Se assim fosse, teriamos hoje um exercito de tenistas delinquentes moldados pelos maus modos de Agassi, Connors, McEnroe, Safin, Fognini e Nastase, por exemplo. Por quê essa sanha vingativa para cima de Kyrgios, a ponto de querer bani-lo do tenis e arruiná-lo financeiramente? A ATP parece ser mais lucida e parcimoniosa nesses casos, ao contrário da maioria dos críticos implacáveis e furiosos. Poucos censuram Djokovic pelas suas encenações populistas, que se acha o cara mais carismático e amigão do circuito, seguidas por acessos de fúria e arrogância durante alguns jogos.

    Responder
    1. Angela B.

      Concordo com vc, Salvador. Qdo o Kyrios faz uma cagada, vira uma histeria coletiva, como se o cara fosse o maior ‘carrasco’ ou ‘vilao’ do mundo e que deve ser punido pela inquisicao e queimado numa fogueira. E o pior eh que muitas dessas criticas eh puro falso moralismo, especialmente qdo usam a desculpa esfarrapada de que ele eh “um mau exemplo p/ as criancas’…Ora bolas, mau exemplo sao empresarios gananciosos, politicos corruptos, e tambem sociedades ao redor do mundo que sao cumplices desses mesmos criminosos que provocam as mazelas no planeta ….Vide o presidente que o brasileiros escolheram: um bandido miliciano corrupto e que faz sinal de arminha com os bracos – um suuuuuuuper bom exemplo pra criancas, ne non? kkk… Portanto, esse massacre generalizado em cima do Kyrgios, nao passa de hipocrisia. E ainda bem que o maior de todos (Federer) defendeu o australiano e ainda ironizou essas criticas exageradas – o Federer sim, tem meu respeito.

      Responder
      1. Angela B.

        Mas qto ao Nole, Salvador..nem acho ele arrogante ou antipatico. Gosto bastante dele pra falar a verdade…mesmo sendo torcedora do Federer. Abracos!

        Responder
  15. Gilvan

    Dalcim, é impressão minha ou o piso de Roma está especialmente irregular? Toda hora a bola está espirrando e pegando em montinhos artilheiros.
    Lamentável.

    Responder
  16. Jorge

    Dalcim, o que você acha da ATP acabar com a Walkover pelo menos para rodadas de quarta de final e semifinal visto que para se chegar na rodada anterior a estas tais o tenista tem que trabalhar muito, aonde sugiro que o tenista vencedor da anterior comunicando que não vai jogar ( sendo comum por lesão) a próxima rodada de quarta ou semi deveria entrar o tenista que então sofreu a derrota no jogo, acho que isto seria bom para acabar com muito blá blá, com relação ao tenista que se classifica por Walkover, do tipo: está mais descansado, ser campeão assim é fácil, etc…

    Responder
      1. Eduardo

        Menos o Lucky loser….hehehe

        Acho q poderiam rever….Pelo menos na semi e final….Seria um lucky loser entre os 8 melhores. Fico imaginando quem viajou, comprou ingresso pra uma final De ATP FINALS, única chance de ver o ídolo, que nem aquela que o Federernao jogou contra o Djoko em 2014. O próprio ATP finals da chance pro reserva entrar no grupo com uma desistência, então por que não na chave???

        Responder
  17. Miguel BsB

    Rubens,
    obrigado pela lista de livros, tentarei lê-los, pois sou muito fã de todos esses artistas/bandas que vc mencionou…Aprendi a gostar de rock aos 12 anos com um tio meu que morou uns anos lá em casa. Ele chegou com discos do Led, Lou Reed, Pink Floyd, Stones, Sabbath, Doors, entre vários outros…
    Discordo de vc na questão do “bom mocismo” desses caras…Eram quase todos beemmm loucos, bebiam e se drogavam com força, alucinavam, arrumavam confusão, eram presos, e assim era permitido, pois fazia parte do rock n roll style….O Jimmy Page, na minha opinião o GOAT dos guitarristas de rock, dizem, adorava uma menina bemmm novinha. Hj em dia seria considerado pedófilo.
    Sem falar do movimento punk, ser louco e desbocado, ser totalmente anti mainstream, era pré requisito. Não sabia que o punk tinha surgido em NY….achei que tinha surgido concomitantemente com o Londrino. Provavelmente com os Ramones, banda que adoro, mas a Velvet Underground do Lou Reed acho que tb pode ser considerada precursora do punk, assim como os Stooges do Iggy Pop.
    Voltando e fazendo um paralelo com o tênis, esse esporte, talvez mais do que qualquer outro, não permite esse tipo de comportamento, a etiqueta do tênis é muito estrita, às vezes até demais. O jogador mais rock n roll na minha opinião foi Big mac, alías, roqueiro e guitarrista. Mesmo assim, seu comportamento “selvagem” sempre foi alvo de muitas críticas, várias com razão…
    E pra fechar, sei tb que o Fedex é fãzaço do AC/DC…e grande amigo do Gavin Rossdale, tenista amador, ex vocalista do Bush,uma banda legalzinha estilo grunge anos 90, que fez sucesso na época que o suíço era adolescente…acho que daí vem a admiração e amizade entre eles.

    Responder
    1. Rubens Leme

      O “bom mocismo” é achar que por serem gênios na musica tinham comportamento igual fora dela e, não de que eram bons rapazes.

      Federer, por exemplo, é um cara quase perfeito para a mídia: casado com a mesma esposa desde sempre, dois casais de gêmeos bonitos, famoso, humilde, talentoso, simpático blá blá blá. O mesmo ocorre com Nadal, que sempre teve um comportamento impecável fora das quadras.

      McEnroe não era nem de longe o mais louco. Talvez o mais rock and roll porque casou com uma (Patty Smith, uma cantora pop e não a Patti Smith, musa punk), teve sua bandinha, era divorciado de uma atriz vencedora do Oscar (Tatum O’Neal) etc etc… Mas os bastidores daquela época eram diferentes e Borg era bem mais depravado que ele, por exemplo, assim como Nastase, Gerulaitis, que foi quem introduziu Borg e Big Mac para a noite nova-iorquina, mesmo McEnroe sendo um morador da cidade.

      Enfim, papo de boteco. O livro dos cineastas é mais divertido porque eles focam em cada super produção da época, com detalhes (Poderoso Chefão I e II, Tubarão, Star Wars, Touro Indomável etc…), contando os bastidores de maneiratão minuciosa que você se sente lá dentro. É diversão garantida.

      Responder
    2. Rubens Leme

      Sò para explicar rapidamente, sem entrar no mérito, para não aborrecer o Dalcim. A primeira banda a vislumbrar essa cena punk foi o New York Dolls, em 72/73 e um de seus últimos empresários foi o Malcolm McLaren que depois voltou para Londres e montou o Sex Pistols. Mas Malcolm já tinha aprendido tudo com a cena e roubou o visual podre e alguns riffs do grupo do Richard Hell os Voidoids, que lançaram uma das pedras fundamentais do gênero, Blank Generation.

      Punk era uma gíria nada elogiada para os presos que eram gays. Dirty Harry a usava neste sentido em seus filmes e ela deu nome ao gênero, por causa da revista deste nome, inventada pelos autores do livro. A primeira banda talvez tenha sido os Dead Boys, não os Ramones. Na esteira vieram o Television, Blondie e os próprios Ramones, Talking Heads Suicide, etc, bandas totalmente diferentes uma das outras, mas que cultivavam uma mesma filosofia de liberdade e de odiarem a cena de rock da época. Até mesmo Patti Smith, bem mais velha que todos (tinha quase 30 anos), foi colocada nesse saco.

      O punk nova-iorquino era mais cullto, poético e o punk inglês foi mais programado, mais visual, agressivo. Richard Hell e Patti Smith, por exemplo, eram poetas e flertavam com fotografia e artes plásticas. Uma história longa. O punk inglês como descreveu um antigo músico da geração sessentista foi a “revolução dos feios”.

      O livro é fascinante. Pena que não traga as fotos da edição original, norte-americana, de capa dura, que comprei quando saiu.

      Responder
  18. Rubens Leme

    Dalcim, só para encerrar essa discussão (de minha parte, claro) sobre o Kyrgios, você deve se lembrar que, nos anos 80, uma revista mensal (bons tempos quando elas existiam. não?!) publicava uns quadrinhos sobre os tenistas e o preferido era o João Macarrão (homenagem óbvia a John McEnroe), sempre destemperado, gritando, xingando ou batendo boca com juízes e o mundo todo.

    Em uma delas, aparece um juiz com os ombros caídos, meio que se despedindo de todos e ao perguntarem a um amigo deste juiz porque ele estava tão triste, o outro respondia “é que ele vai ser o juiz de cadeira do João Macarrão”, como se isto fosse o equivalente a uma sentença de morte.

    E como descobrimos o tênis em uma era cheia de badboys – Nastase, Connors, Gerulaitis e o espaguete propriamente dito, apenas para citar os mais talentosos -, acho que devíamos ser mais tolerantes. No fim, quem se estrepará é ele. E não se esqueça: crianças adoram badboys, muito mais do que os bonzinhos. Até mesmo meu ídolo, Bjorn Borg, era um furacão quando criança antes de virar o homem de gelo. E eu idolatrava Jimbo e “adorava odiar” o Macarrão.

    Responder
  19. Rodrigo S. Cruz

    Acho que a única coisa que falta pro Verdasco, depois de hoje, é um sapato número 60, e pintar o nariz de vermelho…

    Porque saiu de quadra como um verdadeiro palhaço!

    Eu fico vendo, e pensando:

    ” COMO É QUE PODE UMA CRIATURA DESSAS?”

    No começo do primeiro set, logo no comecinho, pouco antes de abrir 3 x 1, ele esmagava o Nadal:

    Com uma direita ultra-potente, e muito mais veloz que a do rival, distribua winners a torto e a direito.

    10 winners a 0!

    E continuava acumulando break-points contra um Nadal, praticamente nocauteado…

    Mas eis que de repente, não mais que de repente, ele senta, respira e resolve:

    ” VOU PASSAR A ERRAR TUDO!”.

    Perde o primeiro set, de 6/4, sem que o Nadal tem feito nada diferente do que vinha fazendo.

    E perde, mesmo anotando 15 winners a 5.

    Em seguida, entra no segundo set, sai perdendo o saque, depois tem 4 break points que não converte, por pura incompetência.

    E aí é quando Fernando decide:

    ” Oh céus, ó vida, VOU DESISTIR DO JOGO, buá, buá”.

    Que coisa inacreditável. Que homem sem empenho!

    Mas fecha o jogo ainda com chave não de ouro, mas de LATÃO, ao tomar o merecidíssmo pneu!

    Na boa, Verdasco:

    Aposenta.

    Responder
  20. Luiz Fernando

    Rafa parece ter vencido bem, mas o serviço deve ter deixado a desejar pelo número de breaks cedidos ao adversário. Amanhã nesse piso mais lento tem q se portar melhor do q em Madri, senão será um péssimo indício p RG.

    Responder
  21. André Barcellos

    Puxa, Federer machucado.
    Acho que ontem já era visível seu desgaste no fim do jogo. É que ele não dá bandeira de jeito nenhum.
    Minha preocupação fica com a extensão da gravidade da lesão. Se compromete RG ou até mesmo a grama…
    Tem mais alguma informação, Dalcim?

    Responder
  22. Renan Singer

    Dalcim, entendo a preferência pelo circuito masculino e pelo menos você dá um pequeno espaço pro feminino, mas por favor não dê informações erradas. Quem ganhou em Stuttgart foi a Azarenka e não a tcheca como disse. Dias atrás, já errou a nacionalidade de uma tenista. Longe de dar lição, mas como fã do tênis fico triste em ver que falta um mínimo de pesquisa e/ou revisão pra passar a informação correta pros leitores

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não é uma questão de revisão, mas de excesso de informação, que por vezes acaba confundindo. Mas grato pelas observações.

      Responder
    2. José Eduardo Pessanha

      Ué, e você acha que dá tempo pra ficar revisando? No tênis feminino dá pra fazer confusão, são tantas OVAs, quase todas jogando uma bolinha bem menor que a dos caras do circuito masculino. Jogos inteiros sem aparecer um único slice. Nível bem abaixo do masculino. Ainda bem que aqui não temos o politicamente correto que impregna a sociedade de hoje e podemos criticar à vontade. rsrs
      Abs

      Responder
      1. Renan Singer

        João Eduardo, entendo a preferência pelo masculino, mas tu não deve assistir os jogos femininos. Pega a final de ontem, teve muito rally mas só o Nadal deu uns 3 slices no máximo e ele é o especialista no saibro, dá bola alta se precisa e varia bastante, mas o Djoko, ontem pelo menos, não deu slice, errou quase todas as curtas e ficou na pancadaria. E depois dá uma olhada no jogo da Bertens x Halep na final de Madrid semana passada. Foi um verdadeiro jogo de saibro, slices, bolas altas, saque e FH, principalmente da Bertens que ganhou o título. Só mencionei essas pra ilustrar, pq ainda tem a Kvitova, Barty, Martic, Hercog, que são ótimas no saibro.

        Responder
  23. Renato

    Agora fica claro porque Roger não disputou as últimas temporadas no barro. Deveria ter pulado agora também. Não vale a pena. Deixe o barro para os porcos.

    Responder
  24. Luiz Fernando

    Desde o ano passado já vimos q Federer não resiste a 3 torneios seguidos, óbvio q algum desgaste viria ao jogar duas partidas na sequencia, em especial após a segunda q foi duríssima. Ruim p o público, p o espetáculo e para o tenis, bom apenas p o grego, q já não vem bem das pernas. Se fossem alguns imbecis q parasitam o blog a comentar isso sobre Nadal ou Djoko garanto q haveria troças, risadinhas e outros comentários estúpidos, não podemos rastejar ao nível deles…

    Responder
    1. O LÓGICO

      L Ferdandu kkkkkkk, na verdade, o Rei só deveria jogar com o robozinho das trevas na LAJE se lhe fosse pago uma cachê extra pelo animal kkkkkkkkkkkkk.

      Responder
  25. Renato

    Qualquer criança que largou as fraldas entenderia o que eu escrevi. O h2h com Zverev está empatado? Sim. Porém, na opinião das Djokovetes o que vale são as finais, então, o alemão venceu as duas finais de masters que fez contra o sérvio. 2 x 0. Assim como Stan que entubou o pirulito nas duas finais de slam entre eles.

    Responder
    1. O LÓGICO

      Rest in Peace kkkkkkkk, na verdade o Rei não merece enfrentar o UNIDIMENSIONAL na Laje. Roger é um Lord do tênis, e como falei alhures: suas partidas deveriam ser jogadas em teatros kkkkkkkkkkkkkk

      Responder
    2. Nando

      Essa foi a QUARTA (4°) desistência do Federer em td a carreira dele…4° desistência em 20 anos de carreira. 4° desistência de um tenista q está com quase 38 anos. E mais: NUNCA ABANDONOU 1 ÚNICO JOGO EM TD A CARREIRA.
      O fanatismo permite falar essas merdas né? Agora procura aí o total de jogos abandonados e de desistências de outros tenistas tops e compare.

      Responder
    3. Sérgio Ribeiro

      Lamentável mais uma vez, e’ o seu comentário caríssimo Ruim. Pacas. O jogo de Roger seria contra Tsitsipas . O mesmo que bateu o Espanhol semana passada no MASTERS de Madri. E outra, cada vitória no FINALS vale 200 pontos e U$ 203000. Se a
      alguém se lesiona , tem reserva pra substituí-lo. Só recebe os U$ 2700.000 , o Campeão invicto. Quem quer fazer corpo mole , não vá ou lute pra mudar o Piso. Daí a o porque de ser o Quinto SLAM. Bem mais difícil que um MASTER 1000. Daí a altíssima pontuação. Abs!

      Responder
    4. Rodrigo S. Cruz

      Quanta idiotice e pobreza de espírito a tua.

      O Federer nem sequer ia enfrentar o Nadal, e sim o Tsitsipas.

      Se ele fosse arregão, JAMAIS teria enfrentado o Nadal 15 vezes ali…

      Responder
  26. Renato

    Segundo o fake, o h2h desfavorável contra Kyrgios não pode ser levado em conta porque o australiano não é tenista!? O garoto é o que então, padeiro!? Kkkkkkkkk

    Responder
  27. Luiz

    Concordo totalmente com a punição aplicada em Kyrgios, muito embora sempre lamento pois, tem Jogo para ser o #1 do Mundo. Uma pena !
    Porém, essa “maravilhosa” maratona de jogos da 5a feira, fez muitas “vítimas” entre Desistências e W.O.’s.
    Federer acaba de abandonar o Torneio, entre outros…..

    Responder
  28. Sandra

    Dalcim qual foi a punição do Nalbadian quando ele surtou na quadra,?? E a do shapolov quando acertou o juiz? Apesar de achar os dois santos perto do Kyrgios

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Receberam a pena prevista no regulamento: multa máxima (US$ 15 mil) e, no caso de Nalbandian, perdeu a premiação e os pontos também.

      Responder
  29. Paulo F.

    Uma pena que a dupla jornada de de ontem cobrou seu preço e Federer teve que abandonar por lesão.
    Mas melhor assim, para não comprometer sua participação em Paris.

    Responder
  30. Chileno

    Acho que complicou bem para o Federer. Dois jogos no mesmo dia, e um deles sendo duríssimo… provavelmente não passa do Tsitsipas, e muito mais provavelmente ainda perde para o Nadal se vencer o grego. Maaaaaas… quem sabe né?

    Não tenho nada contra aquela comemoração do Djoko. Acho até bacana. Nada demais também.

    E sobre o Kirgios… bom… complicado mesmo. Uma pena. Tanto talento desperdiçado… tem que ser punido exemplarmente. Enquanto ele “falar besteira” mas agir profissionalmente em quadra, acho que está aceitável. Claro que a besteira que ele disser também é relevante. Não pode extrapolar, como ele fez na entrevista de ante-ontem. Mas até então, era só um cara falando bobagem. Ontem ele ultrapassou qualquer limite aceitável.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Cada um comemora as vitórias de uma forma, também não vejo absolutamente nada demais na do Djoko, o q talvez incomode a alguns é q elas tem se repetido muito nos últimos grandes torneios…

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Pois é, caro Chileno. Não deu mesmo. E outra nota 10 pra seu Staff. Sentiu um desconforto, nada de entrar em quadra. A tão sonhada despedida de Roland Garros ( a última foi em 2015 ) , vai acontecer depois de enfrentar excelentes Saibristas nestes dois MASTERS . Em vez de apenas treinos, 5 jogos competitivos. E sinceramente, Kyrgios adora o Titio Federer que considera tão talentoso quanto o próprio e não precisou treinar tanto ( equívoco do Australiano ) . Morre de inveja da incrível determinação do Sérvio ao longo da carreira ( e do Espanhol também) , e sabe que jamais terá tesao pra supera-lo em Títulos. É baladeiro a lá Safin e Fognini. Já passou da hora de levar um gancho bem grande. Poucos lembram , mas o famoso BigMac foi expulso do AOPEN 89. Depois disso ficou mais bem pianinho… Abs!

      Responder
  31. ricardo de assis mauricio

    Prezados Dalcim e leitores do blog, não sou muito assíduo nos comentários mas leio o blog sempre; não consigo enxergar essa mostruosidade toda no Kyrgios; gosto muito do estilo desbocado dele; não sou desses que pregam o “bomocismos” para atletas; para mim atletas são atletas e nada mais; esse negócio de “exemplo pras crianças” me dá uma preguiça danada; Tiriac, Connors, McEnroe foram grandes tenistas e nunca serviram de exemplo de conduta dentro da quadra; Kyrgios é um desses bad boys que jogam MUITO tênis; pelo que acompanho do circuito o australiano é muito querido pelos tenistas; concordei com quase todos os comentários que ele fez sobre o Federer, Nadal e Djokovic; realmente as atitudes do Djokovic dentro da quadra me soam muito artificiais; não é natural sua atitude, é algo estudado e programa para a mídia e para fazer marketing; por outro lado, as multas e punições devem ser aplicadas quando ha excessos; não vi a cena que desclassificou o australiano, mas vi um comentário do Federer dizendo que talvez tivessem exagerado na punição; abraços.

    Responder
  32. Samuel

    Prezado Dalcim,

    Lamentável as atitudes do Kyrgios.
    Mas em matéria de comportamento decepcionante ele fica em segundo lugar.
    Teve um jogador austríaco, do início deste século, que era pior. Não é tão famoso pois jogava no nível de torneios Challenger.
    Jogou muitos torneios no Brasil. Certa vez quiz brigar com a torcida em Aracaju. Imagine o risco que ele correu.
    Aprontou tanto, que terminou banido do circuito.
    Taí um exemplo para o australiano. Se bem que considero mais difícil ele ser banido, pois é uma atração muito maior que o austríaco e nesse caso ele gera mais dinheiro.

    Saudações

    Samuel

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A diferença é que Daniel Koellerer não estava o tempo todo na tv, não jogava nem metade do que Kyrgios e assim chamava bem pouco a atenção, Samuel.

      Responder
  33. Weslei

    É engraçado isso os caras ignoram o H2H, porque sabem que o Djoko domina tanto o Nadal quanto ao Federer e quando eles acham um brecha ai começam a comparar o H2H dizendo que o Djoko é o que mais perde para os Next Gen, porem eu fiz um pesquisa rápida por aqui e os numero não demonstra isso:

    Djokovic 6×2 Thiem
    Djokovic 2×2 Zverev
    Djokovic 1×1 Tsitsipas
    Djokovic 1×1 Khachanov
    Djokovic 3×1 Medvedev
    Djokovic 3×0 Coric
    Djokovic 3×0 Shapovalov
    Djokovic 4×1 Edmund
    Djokovic 0×2 Kyrgios

    Total 23 Vitorias 10 Derrotas

    Federer 2×4 Thiem
    Federer 3×3 Zverev
    Federer 1×1 Tsitsipas
    Federer 1×0 Khachanov
    Federer 3×0 Medvedev
    Federer 4×2 Coric
    Federer 1×0 Shapovalov
    Federer 1×0 Edmund
    Federer 3×1 Kyrgios

    Total 19 Vitorias 11 Derrotas

    Nadal 8×4 Thiem
    Nadal 5×0 Zverev
    Nadal 3×1 Tsitsipas
    Nadal 6×0 Khachanov
    Nadal 0×0 Medvedev
    Nadal 2×2 Coric
    Nadal 1×1 Shapovalov
    Nadal 1×0 Edmund
    Nadal 3×3 Kyrgios

    Total 29 Vitorias 11 Derrotas

    O Maior fregues em menos jogos é o nosso querido Federer…kkkkkkkkk…pesquisam antes de falar

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Muito bom esse levantamento!!! KKKKKKK
      Contra números, não há argumentos meus amigos! Daqui a pouco alguém diz que isso só ocorre porque Federer é MUITO mais velho.
      Interessante é que, em determinadas circunstâncias, a idade o favorece: “Federer é como vinho, quanto mais velho, melhor”. Ainda ontem, Coric perdeu porque era menos experiente que Federer…

      Responder
    2. Mário Fagundes

      Reiterando o que Sérgio Ribeiro comentou outro dia: “vamos ver como Nadal e Djokovic vão se virar com a Next Gen aos 37 anos”.

      Responder
    3. Renato

      A diferença é que Novak perdeu três finais de masters em três jogos pra garotada.
      Outro ponto: Federer tem 38 anos, longe do auge. Então é normal perder para os novos jogadores.
      Já Novak…..

      Responder
  34. Maurício SP

    Dalcim, e aquela atitude do Kyrgios de ficar de costas pro Medvedev no meio do ponto e empinar o traseiro, não caberia alguma penalização? Me parece muito desrespeito ao adversário!

    Responder
  35. lEvI sIlvA

    Rodrigo S. Cruz, meu caro, gostaria de discordar de algo que postou outro dia. Por conta das palavras (ou seriam meras provocações sem sentido?) de um certo tenista. Não creio que Djokovic seja o Nº 1 menos amado ou coisa do tipo. Visto falar com tanta freqüência de Senna e outros das antigas da F1, nota-se que não é um garoto. Ou seja, deve acompanhar tênis a um bom tempo. Pra mim, o tenistas que foi Nº 1 mais antipático e com atitudes mais sem noção (menos amado, portanto!) foi sem dúvida nenhuma o Lleyton Hewitt. E não digo isso por ele ter “roubado” de nosso Gustavo Kuerten o posto. Veja que, Guga com sua simpatia, despretensão e simplicidade conquistou o mundo e mais ainda os franceses com seu característico estilo de jogo ofensivo mesmo no saibro de RG. Ao ponto que, ainda hoje é reverenciado onde quer que vá, por tenistas e apaixonados pela modalidade. Mas claro, é só minha opinião. Fica o espaço pra que cada um expresse a sua. Abraço!

    Responder
  36. Atilio

    Sobre o australiano encrenqueiro, a ATP o tolera pensando apenas no marketing.
    É uma atitude cínica que só traz prejuízo ao tênis no longo prazo.
    Em relação ao Blog, as análises são em geral muito boas, tanto as suas quanto de vários colaboradores, embora alguns poucos precisem urgentemente de aulas de português já que é quase impossível entender o que escrevem.

    Responder
  37. José carlos

    Dalcin , sabe informar quando foi a última vez que um master 1000 teve um vencedor diferente do Big 3 quando os 3 participaram do torneio?
    Foram muitas vezes nos últimos 10 anos?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acabou de acontecer com o Thiem em Indian Wells, José Carlos. Mas com certeza foram poucos os casos. Murray em Roma de 2016 também.

      Responder
  38. Nando

    Kyrgios é um talento raro no circuito (talento puro, como Federer e Fognini por exemplo), pena q tem uma “cabeça de vento”. Lembro q após a Laver Cup 2017 (q aliás foi um grande torneio) achava q ali seria o ponto da virada na carreira dele, pois se empenhou ao máximo e sentiu a derrota no jogo final…não sei se McEnroe trocou umas palavras (conselhos) com ele, falando por experiência própria (o norte-americano era esquentado tbm).
    Mas infelizmente foi pura ilusão…ainda há tempo pro australiano rever seus conceitos e ser o jogador q a maioria torce e espera q ele seja, só depende dele. Se a ATP tivesse aplicado uma suspensão rígida, acho q seria o bastante pra ele talvez “acordar pra vida”.
    Sobre Federer, GÊNIO.

    Responder
  39. Maurício Luís *

    Longe de mim querer defender o Nick Kyrgios, mas já vi o Jimmy Connors e o John Mckenroe fazerem escândalo e nada aconteceu. Mudaram as regras ou é uma Lei pra cada um, conforme a fama?
    Lembro do Jimmy Connors, no US Open 91, se irritar com uma bola que o juiz deu como fora. Parou o jogo e deu um “show”, dando “ordens” pro juiz se levantar da cadeira e ir embora. Punição? Nenhuma.
    Na verdade, acredito que o Connors tenha feito isto pra descansar um pouco as pernas, já que o jogo se estendeu até o tiebreak do quinto set. Enquanto discutia com o juiz, não tinha que correr…
    ****************************************************************************************************
    Sr. SPOK, dê a sua opinião, por favor.
    – Atitude ilógica do australiano. Agora vai faltar dinheiro pra ele tentar fazer uma operação plástica e ver se fica um pouco menos feio: já quebrou 8 espelhos de 5 hotéis diferentes.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não é bem assim, Maurício. McEnroe geralmente brigava com os juízes, pecava pela vontade excessiva de vencer e não o contrário. Recebeu suspensões pesadas, sendo até desclassificado do Australian Open.

      Responder
  40. Toshiro

    Mestre Dalcim,

    Como sempre, ótima cobertura do Masters de Roma. Parabéns!
    Falando em Roma, lembro que uma vez, você publicou um ótimo texto falando um pouco sobre como o torneio de Roma era tradicional, por muito tempo considerado por alguns como o quinto Slam. Tentei achar o texto, mas não consegui. Ainda existe o link para esse texto, mestre?

    Obrigado!

    Responder
  41. Rafael Brasiliense

    A quadra dura é a que mais prejudica o corpo do tenista. Na prática, no entanto, a de saibro é a mais desgastante, visto que os pontos disputados nessa superfície são consideravelmente maiores, o que exige muito do físico do jogador. Na hard isso acontece de forma bem mais moderada, já que, de forma geral, os pontos são definidos rapidamente.

    Responder
  42. Renato Toniol

    Ainda penso que Federer, com a idade avançada que tem, vai precisar de muita paciência em seus jogos no saibro.
    Coric foi um grande teste, e o suiço obteve uma excelente virada, aonde ele teve de se manter forte mentalmente o tempo todo. O croata devolve tudo e contra ataca com maestria, sendo uma versão menos completa de Djokovic.
    Até acho que ele pode passar pelo Tsitsipas, mas dificilmente fará frente a Rafa neste torneio, ou até mesmo diante de Djokovic, em uma eventual final.
    Hoje ele usou bem o slice, mas esse recurso não machuca o espanhol. Portanto, ele teria de recuperar aquele backhand contundente do começo de 2017, o que não é tão simples assim, levando em consideração o tempo em que ele ficou sem atuar no saibro, e que o quique da bola é mais alto nesse piso.
    Nadal dispensa comentários. Por mais que tenha sofrido derrotas inesperadas na temporada, quem pode apostar contra ele na terra batida?
    Hoje ele não tomou conhecimento dos rivais, e creio que amanhã deva passar o carro também em Verdasco, que precisa contar com alto aproveitamento de saque para ao menos fazer frente.
    Djokovic e Del Potro pode ser um jogo interessante, mas o argentino, assim como Verdasco, também necessita do saque para conseguir se impor. Acredito que Nole avance sem susto, até pelo fato de vir atuando com maestria até aqui.
    Dieguito e Nishikori fazem um jogo imprevisível, mas aposto as minhas fichas no japonês, que tem mais peso de bola.
    Por fim, lamentável a atitude de Nick Kyrgios. Confesso que gostaria muito de escrever algo positivo sobre ele, pelo talento que possui, mas o rapaz não ajuda de jeito nenhum.
    Também não quero me aprofundar para falar sobre esse sujeito. Já fiz um vídeo no meu canal falando tudo o que penso sobre ele. Há assuntos mais pertinentes a serem tratados, e pessoas mal caráter simplesmente merecem desprezo.

    Responder
  43. Márcio

    É preciso torcer para que Federer se mantenha saudável o maior tempo possível!
    Temos sorte de acompanhar mais um belo jogo do suíço, que o diga a torcida ensandecida durante o jogo.
    Sensacional!
    Agradeçamos por isso.

    Responder
  44. Samdra

    Dalcim , será que é mal de australiano ter tanta soberba? , quis dizer mal educado ? O leynton Hewet não esra mal educado também?.

    Responder
  45. Carlos

    Os três maiores tenistas da história Dalcim? Ou os três maiores tenistas da atualidade?
    Federer, sem dúvida, o maior da história, mas tenho muitas reservas sobre os outros. Maiores que Laver, Sampras, Big Mac ou Borg?

    Responder
  46. REGIANE DIAS

    Chegando agora… não pude ver os jogos de hoje… enfermeira ????‍⚕️. Feliz por ver a “terceira” idade jogando muito… esses devem ser exemplo… treino… dedicação… valores.

    Responder
  47. Arthur

    Kyrgios parece que faz parte da Escola Carluxo de doentes mentais, Dalcim.
    É uma pena, porque o talento dele é um dos mais originais do circuito (ao contrário do filho do Bozo, cujo único talento parece ser provocar polêmicas no Twitter).

    Um abraço.

    Responder
  48. AKC

    Gostei dos comentários sobre Kyrgios, Dalcim. Acerca das declarações do australiano na véspera, li em vários lugares pessoas o elogiando, dizendo que “ele só disse a verdade”. Acho que vivemos mesmo uma crise de valores que faz com que as pessoas percam o senso de proporções. Como assim só disse verdades? Disse algumas verdades em meio a monte de tolices, mas o que importa mesmo é o seguinte: quem é você Kyrgios? O que você ganhou? O que você contribuiu para o tênis? Qual o seu lugar na história do tênis? Em suma: quem é você para dizer o que disse? Não passa de um molecão ególatra, que acha que o seu talento desperdiçado já é suficiente para o habilitar a tecer críticas ao léu. Alguém tinha que dizer pra ele: “Fio, ganhe vários Slams em cima dessas lendas todas que você criticou, depois volte aqui”. Apenas palavras de um pândego, nada mais.

    Responder
    1. Sergio

      Paulo, concordo contigo. Mas, particularmente, ele é bem divertido e concordo com o que ele diz do Djoko (embora não seja correto dizer, pois é politicamente impróprio). Mas eu penso que o Djoko é teatral e o sonho dele é ser adorado como o Federer é. Abraço.

      Responder
  49. Paulo F.

    Cabeça oca?
    Tranquilo, não me prestarei a baixar ao teu nível.
    Os outros leitores não merecem e não quero que o Dalcim leia lamúrias de ti do tipo “olhaaaa Dalcim, ele está ofendendoooo”.

    Responder
    1. Paullo

      Boooa! Esse cara xinga e agride muitos colegas do blog, mas qdo fazem muito menos com ele, se ofende (bobo da corte é tão ofensivo Qto “fake de merda”)

      Responder
    2. Victor

      Muito boa resposta.
      Tem gente aqui que pega muito pesado nos xingamentos (fake de merda, por exemplo), mas fica muito ofendido qdo é chamado de bobo da corte, por ex.

      Responder
  50. marcel lima

    Dalcim, vc náo acha um risco o Federer esta jogando em Roma podendo prejudicar ele na grama aonde ele é especialista , lembrando que ele jogará também em Roland Garros no final do mês aonde os jogos são disputados em 5 sets, é certo que ele esta numa fase aonde esta se divertindo mais não seria um risco desnecessário para sua parte física?

    Parabéns pelo blog e forte abc.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que é um risco calculado, Marcel. Ele aparentemente está se sentindo à vontade, mas obviamente a rodada de dupla de quinta-feira não estava nos planos.

      Responder
      1. Paullo

        Além disso, ele mostra muito respeito aos seus fãs em participar da gira no saibro no que parece ser seu ano de despedida do piso. Poderia muito bem dizer “ahh, que se lixe, eu vou é me poupar”.

        Responder
    1. Jonatas Bruno

      Não houve defesa! Convém ressaltar que ele foi enfático ao dizer que o Kyrgios cometeu um erro e que a multa (por sinal onerosa), mais a perda do que acumulou no torneio (money e pontuação), está de bom tamanho.
      Há casos e casos. No caso do Kyrgios não vejo como uma suspensão o coloque nos eixos, ele se sente “injustiçado”, e por ser emocionalmente imaturo, só tende a piorar o espirito das coisas.
      No seu estado, um interventor, ou uma terapia seria a melhor solução.
      Ser radical, custe o que custar, nunca será o melhor caminho.

      Responder
  51. Gabriel Sant'Ana

    Boa noite Dalcim, vi a entrevista que você fez com o João Menezes lá em 2015, quando ele tinha 18 anos e ainda estava começando a jogar qualis de challengers, mas jogando prioritariamente futures. Demorou 4 anos mas parece enfim ter chegado a hora dele alçar vôos mais altos, está nas quartas em um challenger no Uzbequistão, chegou e caiu em vários jogos de oitavas nesse ano, mas no geral jogando muito bem, muito firme e vencendo jogos com autoridade. Torço para que consiga engrenar uma sequencia boa de resultados….Me parece, dos mais jovens, o tenista brasileiro mais preparado para furar a barreira dos 200 melhores, concorda? Lembrando que se vencer esse challenger já entra no top 300. Temos ainda o Thiago Wild, que ainda oscila muito(e é muito estressadinho, diga-se de passagem), o Rafael Matos está muito bem nos futures também e um dos grandes destaques o Felipe Meligeni, esse estou curioso pra saber como se portara nos challengers.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Verdade, Gabriel. Sempre achei que o Menezes tinha um grande futuro. Pena ele ter tido os problemas de joelho. Mas ainda há tempo!

      Responder
      1. Sergio

        Dalcim, não sou entendido em qualidades técnicas, mas acompanho o Menezes desde a sua entrevista e nutro simpatia e uma energia positiva na capacidade dele de avançar. Fiquei triste com a contusão dele, mas ele está mostrando superação. Tem muito de uma carência por alguém que represente o nosso tênis decentemente, mas torço muito por esse jovem. Quanto à entrevista do Kyrgios, sei foi erradíssima, além de politicamente imprópria. Mas, particularmente, me diverti e como sou Fãsaço do Federer, adorei quando ele disse que o sonho do Djoko é ser amado como o Federer, pois concordo com ele e o acho muito teatral. Abraço.

        Responder
  52. Lucas pinheiro

    Dalcim, impressão minha, ou os fakes apareceram exponencial aqui no blog? Quanta paciência !!

    E como foi a preparação do dia hoje’ ? Eu tava vendo tudo marron até agora

    Responder
  53. Marcos RJ

    Fato curioso Federer venceu Coric tendo somado menos pontos que o
    adversário em todos os sets, incluindo o 2o e 3o sets que venceu.

    Responder
  54. Renato Toniol

    Dalcim,
    No texto você escreveu Christian Ruud, mas o correto seria Casper Ruud, não? Você confundiu com o nome do pai dele rs.
    Abraço!

    Responder
  55. JAN DIAS

    Parabéns pelo texto impecável, Delfim, principalmente a parte sobre o KYRGIOS…

    O australiano tem talento, mas não tem paciência, comprometimento (pra treinar e se dedicar) nem
    autocontrole emocional, ou seja, o temperamento
    dele não combina com o TÊNIS…uma pena..

    Responder
  56. Tadeu

    Mestre,

    Acompanhei a todos os jogos do BIG 3 e faço voz as suas colocações. Agora, nem vou me estender aos lendários e ainda ativos Djokovic, Federer e Nadal, mas falar do Kyrgios. Reitero suas palavras em relação ao australiano. Porém, o que mais me intriga é o por que de a ATP ser tão conivente com as atitudes do maluco beleza, no sentido de sempre insistir com punições básicas e que se aplicam no bolso ou na pontuação. Ele já passou, há tempos, desse estágio. Uma suspensão de longos meses ou até de uma temporada, no meu entendimento, seria providencial e justa.

    Abraço!

    Responder
    1. Victor Martins

      Pois eh, eu fico intrigado com isso. Por quê a ATP não pune ele com suspensão? Será que tem haver com os ingressos a mais que eles vendem pro jogo dele, audiência na TV, sei lá. Porquê bem ou mal, lógico que nesse caso é pro mal, as pessoas lotam a quadra quando o kyrgios tá jogando, não é pra vê um jogo normal de Tênis, é pra vê a próxima bobagem que ele vai fazer em quadra. É pra vê esse showzinho que ele faz todo jogo, principalmente quando perde o saque.
      Infelizmente acredito que tem haver com isso. Porquê não existe outra explicação plausível pra ele não ser suspenso.

      Responder
  57. Neuton

    Dalcim,
    Quanto ao Kyrgios, fiz questão de provocar você mesmo. Não por desrespeito, mas porquê eu acho que a imprensa especializada também tem uma parcela de culpa na criação desse monstro Kyrgios ficam superestimando um suposto talento e subestimando as atitudes maléficas do cara. Acho que você superestima o talento talento do Kyrgios. Desculpa, mas é minha opinião. Seu comentário aqui é o primeiro que julgo estar a altura do mal que Kyrgios faz ao tênis. O site é maravilhoso, leio tudo tido dia, bater bolinha entre as pernas e dar curtinhas, os peladeiros lá do clube fazem todo dia. Sei que Kyrgios é um pouco mais que isso, mas também não é essa Coca cola toda.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Se você não reconhece o talento monstruoso que o Kyrgios tem.

      Coisa que até o Nadal, mesmo puto e de cabeça quente, reconheceu há poucas semanas,

      é porque você não entende ABSOLUTAMENTE NADA de tênis.

      Responder
      1. neuton

        Dalcim, fica calmo. Só analise.
        Um dos significado para talento: “Aptidão incomum que, natural ou adquirida, LEVA ALGUÉM A FAZER ALGUMA COISA COM MAESTRIA”. Talento não é o mesmo que aptidão.
        Analisemos>> O que Kyrgios faz de incomum no tenis atual com maestria?
        Entre os 150 primeiros do mundo há vários outros que geram tanto spin ou mais que ele, então não há nada de incomum em suas batidas de forhand.
        Entre os 150 primeiros do mundo , talvez todos tenham um backhand melhor ou igual ao dele. KKK. Convenhamos que o back dele é sofrível.
        Entre os 150 primeiros do mundo, talvez nenhum bata bolas entre as pernas sem necessidade e dão curtinhas o tempo todo. A curtinha bem feita é um golpe bem efetivo e vários jogadores a fazem com maestria, mas não o tempo todo e sem efetividade como o Kyrgios.
        Entre os 150 primeiros do mundo quase nenhum dá saque por baixo.

        O mais importante: das jogadas “diferentes das usuais do tenis moderno” que o Kyrgios faz qual o percentual de efetividade?

        Muito raramente uma batida entre as pernas dele causa “dano” no adversário, muito pelo contrário. Normalmente fica até fácil para o adversário atacar.
        O saque por baixo pode surpreender e até ser efetivo, mas só o primeiro ou segundo, depois o adversário fica esperto.
        O conjunto da obra das “jogadas diferentes” do Kyrgios pode ter algum efeito psicológico no adversário. Mas nada tão efetivo assim.
        É por isso que não vejo tanto talento no Kyrgios. Ele até faz coisas diferentes, mas não vejo maestria nessas coisas. São só diferentes, mas na grande parte do tempo são INEFICAZES e/ou INEFICIENTES.
        Entendeu, Mestre Dalcim?
        Não estou colocando em dúvida seu expertise no tenis, Dalcim. Só estou colocando outros argumentos diferentes dos seus para que pensemos.
        Abraço!

        Responder
  58. Isac Martins

    Dalcim, boa noite!

    Falar da excelente qualidade do seu blog e de suas análises já se tornou algo redundante! Rs.

    Dado o que aconteceu hoje com Nick Kyrios, a pergunta: O que é preciso acontecer na questão comportamental pra que um tenista seja banido do tênis? E diante do que apresentaram até aqui os classificados para as quartas de final, qual é o seu palpite de semifinais para o sábado?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Isac, acho que teria de haver um soco num juiz ou num torcedor, ou algo maluco assim. Acho que teremos o Fedal de um lado e Djoko-Nishikori do outro. E obrigado!

      Responder
  59. Rommel

    Dalcim,

    Perfeito seu comentário sobre a conduta do Kyrgios. A grande culpada é a ATP, que não o pune severamente, o que serve de estímulo a seu comportamento desregrado e desrespeitoso. O que são 60 mil euros para que tem milhões? O que falta o Kyrgios fazer para tomar uma punição de verdade? Agredir fisicamente um adversário, um juiz?

    Parabéns pelo trabalho e pelo blog, Dalcim!

    Responder
  60. Paulo F.

    Adoram se agarrar no Kyrgios, que tem o mano a mano favorável contra Djokovic. Mas com pouquíssimos confrontos.
    Mas do jeito que Djokovic voltou a jogar, como o demonstrado em Madrid e como o já demonstrado em Roma, acham mesmo que Kyrgios ganharia do sérvio?
    Ainda mais no saibro?
    Eu acharia muito pouco provável.
    Mas, Djokovic fez sua parte, está ali, nas quartas, esperando o Kyrgios em Roma.
    Cadê o australiano?

    Responder
  61. ALEXANDRE ADORNO DA CUNHA

    Dalcim, em uma rodada ( alias 2) tão inusitada, já existiu um placar igual ao Nadal ( 24 x2)? curioso pra saber..e torcendo pra um FEDAL!

    Responder
  62. Renato

    Jonas,

    Pode me chamar de Marquinhos, tranquilo. Dei a liberdade para os cabeças de vento e para os que usam fraldas. Mas vou te chamar de Letícia, ok? Abs

    Responder
    1. Jonas

      Que isso Marquinhos, eu entendo que você passou vergonha e acabou mudando de nome. Mas não pare de postar aqui, é sempre divertido ler o seu mimimi quando Djoko ganha algo ou entuba mais uma vez o querido Fregueser.

      Responder
      1. Bruno

        Muito engraçado,quando o Marquinhos postava aqui ,a torcida do Djokovic não passava de uma meia dúzia,não existia nenhum Jonas.
        E aí Robson,como que está lá o sítio?
        Abs

        Responder
    1. LILA MUNIZ

      é principalmente o Federer né eu nem sei porque ele foi a Madrid ou Roma ou vai estar em RG…deve ser hobby? Que problema na carreira e no currículo enfrentar o Nadal e Djokovic e perder! Deve estar tão preocupado.

      Responder
    1. Luiz Fernando

      Foi o Prost mesmo, com a Williams, Schumi foi bi com Benneton em 94/95, em 94 tinha o carro muito inferior a Williams Renault do Senna (venceu as duas primeiras corridas c Senna na pista) e do Hill.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        De jeito nenhum!

        O melhor carro no início da temporada 94, era a Benetton, indiscutivelmente.

        Além de tão rápido quanto, o balanço da Beneton estava anos-luz da Williams, no início.

        A proibição da eletrônica em 94, jogou a Williams na estaca zero de desenvolvimento do carro. Porque ela era muito mais dependente dessa parte e da suspensão ativa, do que a Benetton.

        O próprio Adrian Newey, projetista da Williams, fez esse comentário há poucos anos…

        A única coisa de melhor que a Williams tinha naquele momento, era o motor renault v12, mais potente que o v8, da Benetton…

        E claro, o gigante talento do Senna em classificação, que o permitiu levar um Williams FW-16 arisco e instável ao extremo limite, só pra conseguir andar na frente do Schumacher. E isso, com ele na cola.

        Era difícil achar um bom acerto, depois da retirada brusca da suspensão ativa. Além de muito perigoso, pois nos circuitos com imperfeições na pista, o carro pulava. Qualquer erro podia resultar num acidente grave.

        Newey, que até hoje é considerado o mago da aerodinâmica, precisou de tempo. Mas conseguiu resolver esses problemas estruturais do carro, que aí sim ficou melhor que a própria Benetton.

        Velocidade o carro já tinha de sobra. Faltava equilíbrio.

        E o carro ficou tão bom, que possibilitou até mesmo a um piloto muito inferior ao Schumacher (Hill), disputar palmo-a-palmo com ele, o campeonato de pilotos de 1994.

        Responder
      2. abel Afonso Ribeiro

        meu caro, ledo engano dizer que o B 194 da Benetton era inferior a qualquer outro
        foi um carro que revolucionou o controle de tração. que havia sido proibido de forma eletrônica porém os engenheiros “contornaram” utilizando o próprio motor (coisa bem complicada)
        isso não foi revelado pela equipe á época, não era ilegal porém a equipe que teve o carro revirado pela FIA jamais àquele momento abriu o segredo pois tinha receio que as equipes maiores a imitassem ou mesmo forçassem a proibição do seu engenhoso sistema
        portanto o carro não era inferior, e sim um avanço tecnológico que o fazia mais eficiente que os demais.
        claro que há alguns pontos nebulosos entre 94/95 para a equipe más o carro não era inferior aos Willians

        Responder
      1. Victor

        Se enganar significa não entender nada do assunto?
        Tem um colega aqui do blog que faz isso direto e vc não gosta. Agora tá fazendo igual?

        Responder
      2. Victor

        Não acho que se enganar signifique não entender nada do assunto…
        Qdo fazem isso com vc, vc não gosta. Mas agora ta fazendo igual?

        Responder
  63. Joaquim Saraiva

    De início, registro que, na minha opinião, nem todo mundo está obrigado a seguir o comportamento etiquetado de Federer e Nadal. Acho mesmo que um “bad boy” ao estilo McEnroe entrega ao tênis um tempero diferente. Kyrgios, porém, passa do ponto. Não se trata de personalidade, e sim de falta de respeito e educação. Fico com a impressão de que o australiano, sabendo que não entrará para a história pela conquista de títulos, quer marcar seu nome como o maior babaca que já jogou. Se vc lembra bem, Dalcim, há tempos, aqui mesmo no blog, venho prognosticando as consequências da má influência desse jovem sobre as crianças que o seguem. Por isso, a punição meramente monetária, acha-se provado, não surtirá efeito. É preciso pesar a caneta, pois, do contrário, continuaremos a assistir aos lamentáveis rompantes do natural de Camberra.

    Responder
  64. Rafael

    Excelente post mestre! O big 3 é sensacional mesmo! E Verdasco e Delpo outros craques! Já o Kyrgios…bem merece atenção que ele tanto deseja. Uns 6 meses de suspensão estaria de bom tamanho.

    Responder
  65. Renato

    Novak é o brinquedinho da nova geração sim. Perdeu a final de masters contra Caixa 9 além de ter perdido as duas que jogou contra Zverev, incluindo finals.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Perdeu pro Khachanov porque estava gripado e sem pernas depois de ter demorado muito pra despachar o seu brinquedo suíço.
      Pelo menos nunca perdeu em GS pra nenhum deles e nem final pro Coric.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        (rs)

        O fanatismo desse homem, faz o ar feder…

        Claro que o Djokovic não é patão de ninguém da nextgen. Isso é mera trolagem.

        Mas perdeu do Kachanov porque MERECEU perder. E não por merda de gripe ou falta de pernas.

        Esses caras pensam que o Djoko não pode perder pra ninguém. Que ridículo…

        Responder
    2. R. P.

      Qualquer débil mental q acompanha tênis sabe q são 4 confrontos, 2 a 2. Na boa, não sei qual o prazer sádico q o Dalcim tem em te deixar passar vergonha ao permitir q tuas asneiras sejam lidas por qualquer um.

      Responder
  66. Paulo F.

    Mas, vamos brindar esse evento notável!
    Um grande presente, para o fim que se aproxima da maior era do tênis, ver os 3 titãs disputar cada um dois jogos e no mesmo dia!

    Responder
  67. Renato

    “No momento ” e pelo fato do torneio ser em um saibro lento, tanto Nadal quanto Novak estão jogando em um nível bem superior ao suíço, e são os favoritos. Foi impressionante como o espanhol atropelou seus adversários hj.

    Acho que seria melhor Roger enfrentar o Fognini, mais ganhavel. O grego está embalado, é muito mais jovem, está mais adaptado ao piso e ficou menos tempo em quadra hj, é o favorito. Mesmo Roger ganhe acho tarefa quase impossível passar por Nadal. Vamos aguardar.

    A SporTV agiu com sabedoria ao privilegiar Roger Federer, deixando Rafa como segunda opção e, Novak, que é menos popular e tem um jogo tedioso, por último.

    Responder
  68. Paulo F.

    Chileno só concordou com o Kyrgios pois o grande alvo foi o Djokovic.
    Duvido que ele não o contestaria se foco das críticas fosse o Federer.

    Responder
  69. Paulo Almeida

    Djokovic continuou com o GOD MODE de Madrid ligado: duas apresentações exuberantes no dia de hoje, mostrando novamente todo o seu arsenal. Aquele forehand tirando a bolinha de baixo pra cima é dos golpes de que mais gosto!

    Andaram falando que o sérvio é brinquedinho da garotada, né? Inclusive o cidadão até andou sumido nesses dias…

    Vamos ver se é verdade pegando caras do top 30:

    Djokovic 6×2 Thiem*
    Djokovic 2×2 Zverev
    Djokovic 1×1 Tsitsipas
    Djokovic 1×1 Khachanov (mas venceu jogo exibição no final do ano passado fácil)
    Djokovic 3×1 Medvedev
    Djokovic 3×0 Coric
    Djokovic 2×0 Shapovalov
    Djokovic 4×1 Edmund*

    * = 24/25 anos, mas relativamente jovens ainda.

    Legal, que continue sendo esse tipo de brinquedo. Não estou achando ruim não.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Infelizmente temos que pontuar os dois reveses para o Kyrgios. Gostaria muito que novos encontros ocorressem para que esse quadro fosse revertido.

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Muito conveniente você excluir justamente o cara que o Djokovic nunca venceu!

          Que cara-de-pau.

          Não é jogador de verdade. Essa é ótima! kkkkk

          Responder
    1. Paulo Almeida

      NaDjoko é a maior rivalidade em quadra, seguida por FeDjoko. FeDal foi a maior dos anos 2000, mas foi perdendo espaço pras outras duas na década atual.
      A maior rivalidade de torcidas é claramente FeDjoko e o blog é uma boa amostra disso.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Eu acho um confronto bem inferior ao Fedal.

      E tem outros confrontos no tênis bem mais interessantes do que ver dois homens incansáveis, trocando 50 bolas, até um deles errar.

      Mas gosto é igual bunda.

      Cada um tem a sua, né?

      Responder
    3. Paulo F.

      Para ser sincero, dos confrontos entre o Big-3, em qualidade de tênis, o melhor é Federer x Djokovic.
      Entre outras coisas, Djokovic extrai o melhor tênis de Federer e o suíço, ao menos se comporta como um leão jogando, e não como um gatinho como faz contra Nadal.

      Responder
  70. ANTONIO GABRIEL

    Realmente foi um dia muito legal para o torneio, em especial o jogo Federer x Coric, Nadal e Djoko passearam. Interessante que o feitiço virou contra o feiticeiro, um dia depois de tecer várias criticas a boa parte do circuito (ele esqueceu da autocritica), eis que em mais um show de horrores o talentoso Kyrgios mais uam vez chamou a atenção pelas suas palhaçadas (olha que acusou Djoko de querer aparecer) e desta vez eu acho que ele mais que passou dos limites. Acho ele um dos tenistas mais talentosos do circuito, mas que infelizmente não parece ter quase nada na sua cabecinha, então temos uma excelente oportunidade da ATP dar uma punição de verdade nele, talvez um gancho de uns 6 meses seria uma ótima ou uma redução em 50% dos prêmios recebidos, ou mesmo perder umas 50 posições no ranking, enfim, ele merece alguma punição seria e uma ordem da ATP para que passe a ter acompanhamento psicológica por pelo menos 1 ano inteiro, pois quem sabe assim esse sujeito tenha alguma esperança ainda. Possui um tenis maravilhoso, mas atitudes deploráveis.

    Responder
  71. Rubens Leme

    Então, Kyrgios vai acabar morrendo pela boca. Sobre a história de chegar 4h30 antes dos jogos, vários boleiros adoram dizer o mesmo, não acho que isso seja o fim do mundo, afinal a vida privada é para ser vivida como desejar. Romário cansou de dar entrevistas dizendo que levava duas mulheres pro seu quarto nos tempos de Barcelona. O Coriithians foi campeão brasileiro em 1998 com os jogadores levando prostitutas pro hotel. O mesmo ocorre na NBA, na F-1 etc e tal.

    O que precisa ser punido é seu comportamento dentro de quadra. Já as entrevistas e a vida noturna ele pagará de outra forma, sendo odiado no circuito e tendo uma carreira curta e limitada.

    E acho que faltou comentar as criticas dos tenistas sobre a organização e as quadras. Thiem, Goffin e Federer desceram a boca e com razão. Vi o jogo do belga com Delpo e fiquei assustado ao ver os dois em uma quadra germinada ao lado de outra. Ele estava certíssimo quando disse que parecia um torneio juvenil, ainda mais porque Kyrgios estava na outra.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *