Outra final sem o rei do saibro
Por José Nilton Dalcim
11 de maio de 2019 às 21:56

Devido ao longo dia, vamos a tópicos rápidos sobre o que aconteceu hoje nos torneios de Madri.

– O saibro verá sua terceira grande final masculina totalmente diferente, o que contribui para embolar a temporada. E mais: cada Masters 1000 disputado em 2019 terá um campeão diferente, repetindo o ano passado. Antes disso, só em 2004.

– Tsitsipas causou surpresa ainda maior do que Fognini em Monte Carlo ou Thiem em Barcelona, já que é muito menos experiente do que Nadal e sequer havia tirado set do canhoto espanhol. Notável como aguentou as trocas de fundo de quadra. Teve momentos ruins, porém segurou a cabeça e jogou com coragem no terceiro set. Foi 33 vezes à rede e ganhou 24 desses pontos. De seus 32 winners, 21 vieram com o forehand e apenas 5 com o saque.

– Ainda aos 20 anos, o garoto grego tem agora vitórias sobre todo o Big 3, e não foram pouca coisa: Djokovic na quadra dura de Toronto, Federer no sintético veloz do Australian Open e Rafa em pleno saibro. Se conquistar seu primeiro Masters em sua segunda tentativa, chegará ao 6º lugar do ranking.

– Nadal jamais havia chegado a Roma sem um título na temporada de saibro desde sua explosão em 2005. Seu último título de ATP veio em agosto e nesse período só fez uma final, a do Australian Open. Sofreu segunda derrota diante de sua torcida e certamente irá para Roma muito pressionado a mostrar um bom tênis. Ele não disfarçou o nervosismo no começo e no final da partida contra Tsitsipas. Totalizou 31 erros não forçados, 15 deles no terceiro set. Curiosamente, marcou mais pontos na partida (93 a 87).

– Djokovic tem de ser considerado amplo favorito para a final das 13h30 deste domingo. Seu grande mérito na dura partida contra Thiem foi a cabeça. Além de sair atrás nos dois sets, ainda precisou jogar com segundo saque em pontos extremamente delicados, e por duas vezes após punição da arbitragem. Jogou o tempo inteiro em cima da linha, encarando os spins pesadíssimos do austríaco, o que não é tarefa fácil. Busca o tri em Madri e, se vencer, empata de novo com Nadal no total de troféus de Masters (33).

– Deu para perceber em diversos momentos afobação de Thiem para definir pontos muito lá de trás. Também usou deixadinhas em hora muita imprópria. Claro que houve ansiedade e respeito à solidez do sérviio, porém isso geralmente é sinal de falta de pernas. Tanto ele como Schwartzman disputarão título inédito de duplas neste domingo contra Rojer/Tecau.

– Se vencer Tsitsipas, Nole somará 200 vitórias sobre adversários top 10 na carreira. Só Federer tem mais (218), mas o percentual de aproveitamento do sérvio é superior (69% a 65%).

– Bertens ergueu maior troféu da carreira neste sábado em Madri, o segundo de uma ótima temporada, e com isso será quarta do mundo, muito perto da contundida Kerber. Foi a primeira a ganhar o torneio sem perder set, e olha que enfrentou também Kvitova e Stephens.

– Halep, que saiu com 3/1 mas falhou demais nos games de serviço, perdeu o tri e a chance de recuperar a ponta do ranking. Haverá pequena chance em Roma, desde que ganhe o torneio (defende o vice) e a japonesa caia logo (foi 2ª rodada em 2018).


Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    O Sérvio não tem nada a ver com as partidas dificílimas do Grego antes da Final ( já entrou mortinho) . E muito menos com mais uma desistência de Cilic. Venceu com todos os méritos. E mais uma vez derrubando uma tese , a meu ver equivocada , que na terra batida não se deve jogar sobre a linha de base , pegando na subida. Fez o Grego se deslocar pra todos os lados da quadra de maneira inteligente. Em relação ao N 1 , mesmo com muito a defender , já pode entregar o troféu para o Sérvio. Uma curiosidade sobre o Backhand de 2 mãos. Desde 1993 quando Sampras terminou a Temporada como N 1 até o Craque Suíço em 2009 , apenas GUGA conseguiu com o Back de uma mão se intrometer em 2000 terminando a Temporada. Com toda a beleza e plástica do estilo, sinceramente acho muito difícil ( incluindo o excelente jovem Tsitsipas) , que voltemos a ver alguém completar uma temporada como N 1 com esse estilo. Pra desespero de muitos apreciadores. Abs!

    Responder
  2. Renan

    Aliassime, Zverev, Thiem, Tsitspas & CIA são muito bons mas pode ter.certeza que eles ainda vão esperar uns 3 ou 4 anos para reinar. Nadal não está morto e Djokovic na minha opinião vai continuar vencedor no minimo até 2022.

    Responder
  3. Fernando C.

    Dalcim.
    Claro que dificilmente um tenista mantém um nível impecável durante todo um torneio. Mas você já notou um padrão para o Djokovic? Ele joga meia-bomba no início, depois vai passando e voa na reta final. Isso já aconteceu muitas vezes para não dizer a maioria das vezes. É motivação? Tipo, dificuldade de se concentrar com os caras de início e até por isso levar umas sovas estranhas. Veja, não me refiro a ter que ganhar tudo e impecavelmente. Refiro-me a jogar abaixo. Às vezes até ganhando. Dois últimos jogos dele, se chega à final, geralmente são coisa de cinema.

    Responder
  4. Rafael

    Maiúsculas vitórias de Djokovic, sem margem para discussões. Nesse nível, fica difícil para qualquer um batê-lo.

    Mas o favorito à RG é Nadal.

    Responder
  5. Augusto Montenegro

    Eu acho que Djokovic, Federer e Nadal não ganham maia nenhum slam. Essa nova geração pedindo passagem faz tempo. E a partir de Roma não sobra mais nada. Só acho.

    Responder
  6. Samdra

    Dalcim, você já pensou em se mudar para Monte Carlo? rssss, pois cada vez que vejo um jogo de tênis , você vê que alguém já se mudou para lá, agora vendo o jogo até o grego já foi para lá?.. e o canadense Félix também?. Pelaste mande notícias diretamente de lá quando você for

    Responder
  7. Ricardo Lessa Filho

    Djokovic é de outro planeta. O que ele é capaz de jogar quando consegue unir vontade e concentração é sem precedentes. Se os próximos meses confirmarem as últimas semanas, restará somente pro sérvio a tarefa de vencer os mais jovens (Thiem, Zverev, Ttsipas). Nadal disse ontem que não sabe as razões das derrotas. Ora:físico e físico. Ele já não consegue chegar e bater nas bolas como outrora, isso é muito nítido. E com a nova geração cada vez mais alta e mais rápida (reparem na potência e precisão dos serviços do grego ou do zverev ou Thiem) e com um jogo de base sólido, o espanhol, salvo exceções, sentirá uma dificuldade enorme para vencer essa juventude. Mais um ano ano e meio jogando neste nível, djokovic quebrará todos os recordes que ainda pertencem ao Federer ou Nadal. Se ele não se envolver em abraçar árvores ou questões políticas dentro da atp, salvo RG, ele será Franco favorito em todos os Gss.

    Responder
    1. Barocos

      Dos que vi jogar, e acompanho tênis faz um bom tempo, Federer, Nadal e Djokovic me parecem os melhores até aqui. Todos três são jogadores para lá de excepcionais e uma clara indicação disto é que os três ainda são super competitivos apesar deles já terem passado dos trinta. O caso do Federer, particularmente, me deixa perplexo. Vou esperar o final de carreira destes magistrais jogadores para tentar ser o mais imparcial possível, seguindo recomendações já repetidas à exaustão pelo mestre Dalcim, para tentar ter argumentos convincentes sobre qual deles seja o tal GOAT, se é que isto é possível (viu como estou bem mais comedido Dalcim?!).

      Concordo parcialmente com você sobre o caso do Nadal. Vendo ele jogar quando ainda tinha lá os seus 16 aos 22 anos era algo realmente impressionante, tal era sua capacidade atlética, sua agilidade dentro da quadra. Aquele Nadal já não existe mais já faz um bom tempo. As sucessivas lesões e o peso associado ao seu físico avantajado cobraram um preço. Entretanto, ele continua sendo um jogador excepcional e não vejo o por quê de duvidar que ele ainda ganhe grandes títulos.

      Esta época que, infelizmente, está acabando, é para lá de especial. Além dos três, nos brindou também com o Murray, o Wawrinka e o Del Potro. E é muito legal que no final dela sejamos agraciados, finalmente, com uma geração que, mesmo que não venha a ser tão brilhante, ainda é cedo para dizer, parece possuir o talento que manterá a competitividade de alto nível que tanto anima os fãs pelo mundo. Parece que a passagem do bastão será bem realizada.

      No mais, e sem picuinhas, sigo torcendo pelo Djokovic.

      Responder
  8. Leo Gavio

    A discussão sobre quem é o GOAT é muito seria.

    Transformaram Roger Federer em GOAT quando os adversarios do GOAT eram Fernando Gonzalez, Hewitt, Puerta, Baghdatis, Philipoussis, Gaudio, Robredo, Roddick, Blake, Agassi com fraldão, Guga cheio de pinos no quadril, Nadal com fraldas pampers (mesmo assim apanhava do Nadal fora da grama)…

    Ser GOAT nessas condiçoes não é nem facil, é teta, é bater prego em sabão, é espancar um bebado numa ribanceira e dizer que não tem medo de briga.

    Não quero desmerecer o talento do semi-GOAT, mas desses 20 slams ao menos 15 a 18 titulos foram contra pangarés, foram presentes das circunstancias.

    Destaco apenas:
    Wimbledon 2012 (passou por Djokovic na semi e venceu Murray na final)
    Aopen 2017

    agora, quantos slams do DJokovic a gente pode destacar?
    no minimo 12 slams foram com autoridade, com selo de qualidade.

    Mais que a quantidade a gente tem de observar a qualidade dos titulos. Existe uma diferença ABISSAL entre vencer pangarés e vencer ultracampeões.

    Agora imaginem se fosse o contrario, Djokovic ter vencido 20 slams contra esses vira-latas que Federer bateu até 2007 e Federer vencendo os ultracampeões, tendo todos eles como fregueses no h2h. É muito facil derrotar argumentos federistas, é só inverter as coisas.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Engraçado, caríssimo Léo Gavião. Todos que postam com esse Nick , repetem a mesma ladainha há anos. Nem se preocupam com o Português diferente. Mandam ver a mesmíssima coisa com o único intuito de menosprezar o Craque Suíço e seus feitos incontestáveis pelo Mundo do Tênis. Basta o Sérvio vencer ( o Grego já entrou mortinho ) e tome de asneiras do Sabichão. Na , boa. Tá chovendo no Sítio ? kkkkkkk Abs!

      Responder
    2. Jonas

      Djokovic e Nadal são os reis do mental. O Federer tem mais talento que os 2, porém deixa a desejar no aspecto mental. O cara é um patão de Nadal e Djokovic, fato.

      O sérvio tem tudo pra quebrar os maiores recordes do tênis, quando então será maior e melhor que o resto.

      E pra quem adora falar do Roddick, Fregueser acabou de virar freguês do Thiem também, com direito a Mp perdido.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Reparou que você e a sua Turminha repetem com o comandante Chatonik , até os mesmos apelidos babacas. E tome de fregueser , sempre deixando de lado o mais importante. O Tênis como um todo. Disso tá na cara que não apreciam. Quanta medíocridade na corte dos bobões. Abs!

        Responder
    3. Orlando

      Bravo, apoiado, porém se prepara pra levar porrada de toda a mídia sem excessão e também é obvio dos fanáticos do Federer, por vc ter feito esse comentário.

      Responder
  9. Luiz Fernando

    Segundo set mais equilibrado, mas Djoko não foi ameaçado em nenhum momento. Vitória indiscutível do cara, e tudo aponta o ele voltar a ser o cara a set batido. Rafa está em ótima companhia no maior número de M1000 conquistados. Também não há como deixar de louvar o grego, numa campanha espetacular e com uma performance igualmente incrível, está numa curva ascendente após um momento de instabilidade e aparenta ser um futuro campeão.

    Responder
  10. Rodrigo S. Cruz

    Vitória do GOAT do Paraguai, do maior ROBÔ da história do tênis (mais robô que o Nadal).

    Com um tênis de latrina, sem variação, sem criatividade, e apenas solidez nos 2 lados, e um poder de defesa descomunal.

    Mais um dia triste pro tênis.

    Ou seria, um dia feliz pro anti-tênis? (rs)

    Responder
    1. HeitorD

      Vocês não se cansam de ficar falando essas futricagens não? Sério, véi. E alguns, essse parece ser o teu caso, estão nessa há dez anos ou mais neste mesmo espaço, despejando jatos e mais jatos da mesma lorota modorrenta, mentirosa e repetitiva. E estou falando das três facções, só para constar.

      Responder
  11. Luiz Fernando

    Djoko dominou as ações nesse primeiro set, deixando o grego sempre na defensiva. Pelo q vi no jg de ontem, se fosse contra Rafa o placas deveria ser do tipo 62. Vamos p o segundo set.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Claro que tô brincando, né gente. (rs)

      Jamais o Nadal pode ser descartado em RG.

      Mas falando sério: as coisas agora estão mais difíceis pro espanhol.

      Aquela aura de invencibilidade de outrora, fazia boa parte do serviço. O adversário já entrava em quadra derrotado…

      Responder
  12. sandra

    Dalcim, voce não acha que esse momento do Nadal tem mais coisas que só falta de confiança? Como desses caras voce não pode duvidar nada, você anida acha Nadal favorito a Roland Garros? Voce acharia zebra Federer ganhar Roland Garros? Eu não

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, seria um feito absurdo do Federer. Claro que a confiança do espanhol pode ficar abalada, a menos que consiga um grande desempenho em Roma. Mas há muito chão ainda. É preciso ver o sorteio da chave de Paris. Se Nadal tiver uma sequência animadora, fica muito forte em melhor de cinco sets e, a meu ver, sempre será um favorito em Paris.

      Responder
      1. Jonatas Bruno

        Não custa nada relembrar: ‘Jamais duvide de Roger Federer’ rs. Em Madri, fez duas exuberantes apresentações contra dois exímios saibristas (Monfils e Thiem), Sei que em R.G., o desgaste pesa mais, em compensação seu estilo dinâmico de jogar, por muitas vezes se mostra efetivo, vai que…
        Em termos de prognóstico está mais para Djokovic, Nadal ou Thiem, mas enquanto houver Federer no pacote, aí haverá a carta curinga.

        Responder
  13. Luiz Fernando

    Como seria bom ser alienado e dizer q Rafa era Franco favorito, mas não era isso q eu via na quadra. Além disso, e p minha surpresa, o grego jogou demais e venceu oom amplos méritos, embora não creio q faça frente a Djoko hj. Vamos p Roma!

    Responder
      1. Rubens Leme

        Mas vc airmou que ele nunca havia chegado à Roma sem um título no saibro europeu, desde sua explosão desde 2005. Então está incorreto, porque ele já havia feito isto em 2015. Foi isto que eu quis salientar.

        Responder
  14. Anti anti-jogo

    Quantidade de títulos de Robolito Kid fora do saibro desde 2014:

    2014: Doha ATP 250
    2015: Stuttgart ATP 250
    2016: Zero
    2017: US Open
    2018: Masters 1000 do Canadá

    Ainda assim é mais do que 99% dos caras que viram profissionais conseguiram/conseguirão na carreira.

    Responder
  15. Eduardo

    Oi Dalcim, vi muitos comentários seus sobre a falta de confiança do Nadal, como aliás já havíamos visto em outras temporadas. Acredita que o Djokovic seja um jogador mais forte mentalmente que o Nadal ? Não lembro de termos visto Djokovic perdendo jogos por falta de confiança… Quando esteve mal foi mais por questões físicas ou até externas, como motivação etc. Além disso, principalmente quando o “bicho pega”, o homem vira uma máquina de jogar tênis, salvando um BP atrás do outro, metendo ace de 2 saque … Impressionante ! Federer ainda é o tenista mais vencedor, com o jogo que mais impressiona pela beleza e técnica perfeita, mas como nos últimos anos o tênis mudou, inclusive exigindo mais do que nunca do lado mental dos jogadores, acredito que seja forçoso considerar Djokovic realmente como o maior jogador de todos os tempos. Acho que quando ele está a fim, não tem pra ninguém. Simples assim.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Já vimos sim Djokovic perder jogos por falta momentânea de confiança, o que é absolutamente normal numa carreira tão extensa. Mas no geral acho que ele seja um pouco mais forte mentalmente que o Nadal.

      Responder
  16. Anti anti-jogo

    Só faltaria Robolito Kid dizer: “Esta foi minha pior partida em Madrid nos últimos 14 anos”. Ridícula as comemoraçãozinhas com o punhozinho cerrado, os gemidos ridículos, que sujeito….) Na entrevista coletiva em espanhol, nem falando em espanhol os caras entendem ele.

    Agora, eu que tenho Nole no coração por ser responsável por impedir números ainda maiores do desastre espanhol do tênis mundial, nunca pensei que diria: que joguinho HORROROSO que o sérvio vem apresentando pós-Australian Open… chega a ser inacreditável…

    Que o grego passe por cima do sérvio hoje se Zeus e o Olimpo quiserem…

    Responder
    1. R. P.

      ĶĶKKKKKKKKKK….. Zeus é justo. O melhor de todos os tempos sabe q o impotante é elevar o jogo na hora certa. De nada adianta espancapar mendigos e ouvir “nossa, qta habilidafe e talento!” e não ser campeão, ficando pelo caminho por qq superestimado da vida. Queria ver, hj, o grego fazer graça na rede. Não deu certo por quê kkkkkkk?

      Responder
  17. Daniel

    Que sorte do Djokovic. O Thiem teve o controle do jogo o tempo todo, mas se afobou nas horas importantes enquanto o sérvio só precisou ser regular. O Federer já deu muitos títulos de bandeja por causa de afobação. Paciência.

    Mas já é nítido que o Thiem e o Tsitsipas já jogam mais tênis que a dupla Nadal e Djokovic. É questão de tempo para começarem a dominá-los com consistência, mas a experiência menor ainda os atrapalha.

    Acho que a renovação está cada vez mais próximas. Dentro de um ano, o estilo “Maratenis” do sérvio e do espanhol vai ficar ainda mais defasado e perder terreno para os jogadores com um estilo mais arrojado, assim como aconteceu com o Hewitt, que seria uma versão 1.0 do Djokovic rs. Felizmente, o tênis está salvo. Por muitos anos eu achei que o estilo Maratenis iria ser uma tendência que veio para ficar, mas vendo o jeito de jogar dessa garotada, vejo que não. Provavelmente não veremos alguém como o Federer tão cedo, mas vai ter muito jogador interessante pra torcer e acompanhar.

    Estou empolgado e ainda acho que veremos novos campeões de GS ainda este ano, e um novo no1 no final do ano, se os Deuses do Tênis tiverem piedade dos amantes do Tênis bem jogado. O tênis burocrático e de baixo risco já teve muito sucesso na última década (mais do que deveria).

    Responder
    1. Sônia

      Excelente comentário, bons tenistas, lindos e como jogam bonito (graças ao MAESTRO que nos inspira e inspirou esses jovens). Obrigada Deuses do Tênis. Beijos.

      Responder
      1. Daniel

        Pois é né Sônia. Que alívio ver a garotada se afastando dos estilos de Djokovic e Nadal. Isso é garantia de tênis interessante no futuro. A única ameaça ao tênis bem jogado a meu ver é o Coric e o Chung (que inclusive já admitiram que se espelham no Djokovic), mas pelo visto não serão os “grandes”. Que assim seja. Sei que vc acha o Coric bonito rsrsrs, mas o tênis dele dá sono assim como o do Djokovic rs. Bjs

        Responder
    2. R. P.

      ĶķKKKKKKKKKKK…. Sonho de adolescente versus realidade. Na hora H, a realidade separa os homens dos meninos. Saque voleio (vaca loca, anos 90) é tênis superado; pode até funcionar contra uns juvenis, mas qdo pega um cobra criada, só resta preparar o discurso do suporte de pratos contra o levantador de troféus.

      Responder
  18. Luiz Henrique

    Dalcim, só uma correção, essa não é a 1º vez desde 2005 que ele chega a Roma sem um título na gira européia. Isso tb ocorreu em 2015. O que talvez tenha confundido é que 2015 ele já havia ganhado um torneio, mas não na gira européia, e sim o pequeno atp de buenos aires.
    Embora seja nadalista estou curtindo o momento atual mesmo com as derrotas. Legal ver Tsitsipas e Thiem dando um passo adiante. RG está bem em aberto, até Federer tem chances na minha opinião. E Nadal apesar do momento não tão bom, não passa disso, de um momento, pra mim ele ainda está na disputa por muitos anos ainda pra melhorar suas marcas.

    Responder
  19. PIETER

    Dalcim, em quem você apostaria para chegar primeiro à liderança do ranking mundial e lá permanecer de forma consistente: Zverev, Tsitsipas ou Thiem?

    Responder
  20. Rubens Leme

    Dalcim, em 2015 Nadal não venceu Monte Carlo (Djokovic), Barcelona (Noshikori) ou Madrid (Murray). Aliás em 2015 ele passou batido porque Djoovic faturou Roma e Stan Roland Garros.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza, Leme, mas ele foi à final de Madri, onde perdeu para o Murray. A campanha de 2019 portanto é ainda mais fraca do que a de 2015.

      Responder
  21. Luiz Henrique

    É bem nítida a evolução física do Tsitisipas entre Barcelona 2018 e agora, hoje ele tem físico e qualidade de jogo pra encarar os grandes do circuito, o último quesito era o mental. Agora já venceu o big 3, tá no caminho certo pra ser um dos grandes no futuro.

    Responder
  22. Hélio Coelho

    Dalcin…. li que Nadal devido às lesões no punho, mudou sua empunhadura, deixando de utilizar a full eastern.. não seria um dos motivos que seu gancho de forehand não machuca mais como antes o revés de uma mão dos oponentes ?? E ter se tornado mais agressivo … tb vai contra a sua natureza no saibro de ter sido sempre um maratonista que chegava em todas …. essas mudanças em seu estilo, em virtude sobretudo de lesões… pode ter tornado o mesmo não tão fantástico no saibro como outrora ?? O que acha ?

    Responder
  23. Chetnik

    Se o Djokovic é “freguês” do Roddick, imagina o Fregueser do Thiem, kkkkk. Será que o bode aprendeu alguma com a partida de hoje? Aprender pode até ter aprendido, mas para fazer igual, só nascendo de novo, kkkk. Aliás, se bobear, o Fregueser é freguês de metade do top10, kkkk. “GOAT” kkkk.

    Não pude ver o jogo do Miúra, mas fiquei bastante surpreso com o resultado. Ainda mais depois do atropelo do AUSO…melhor para o Djoko rs.

    Nunca vi o Djoko tão calmo. Não teve nenhum roupante com o juiz. As duas “time warning” foram justas. Se estourou o relógio, dane-se, mas aquele ponto que ele deu para o Thiem foi um absurdo. Ele reverteu a chamada do juiz de linha 3 mississipis depois, e não mandou voltar o ponto. Palhaço.

    Responder
      1. Chetnik

        Kkk, ainda dói, né Bruno, tantas humilhações impostas. Deve ser muito chato ficar passando todos os meus textos no corretor para achar algo e mitigar a sua mediocridade, kkkk.

        Você deveria me agradecer, depois de tanto eu zoar os seus erros grotescos, você até que melhorou, kkkk.

        Responder
      2. Chetnik

        Bruno, eu reparo que você escreve cada vez menos, pois quanto mais longos são seus textos, maiores as chances de cometer erros grotescos, e o medo da zoação é grande. Ou seja, a tua mente é o meu parque de diversões. Até pouco eu o faço escrever, kkkk. Mas sabe o que é triste, mesmo nessa frase de SEIS palavras – “O que venha a ser Roupante?” há 3 erros, kkkk. Uma média de UM erro a cada DUAS palavras. Kkkk. Tá parecendo as madeiradas da esquerdinha do Federer, kkkkk.

        Que dó, que dó, kkkk.

        Responder
  24. Miguel Delfes

    Nadal com seu jogo exigente qt ao físico.. notadamente está perdendo potência..creio q entrou em declínio o q é natural..mas..tem tudo p se reinventar assim como o maior de todos o fez..Roger Federer..este tb teve um declínio visível porém fez o q fez..
    Gosto de como Nadal vibra qd consegue um ponto importante..grande jogador dentro e fora das quadras..torço p q ganhe algo mais..inclusive RG..ele ou Thiem..pois acho q p RF não vai dar..
    Federer dispensa qq comentário..por muito pouco não jogou hj c Djokovic..e 37/38 anos de idade..o cara é fd..
    Djokovic..grande jogador qd c a raquete n mão mas.. já o vi fazendo atitudes reprováveis..gritou c catador de bolinhas..encara feio seus adversários em alguns pontos..tem sido advertido c frequência merecidamente.. visivelmente um mau perdedor..apoia pessoas erradas n tênis contrário a RF ou RN..qd tava mal ano passado..se arrastava em quadra qd estava perdendo.. já o vi esfriar jogo com lesões á la Neymar..
    Não vai alcançar RF..talvez RN nem em semanas nem em GS..defende muuuuitos pontos no segundo semestre e Tsitsipas tem apenas 20 anos..chegou p ficar..assim como Zverev.. além de Thiem e outros mais q obviamente vão começar a ganhar dele muito em breve..
    Amanhã serei Tsitsipas sem dúvida..
    Dalcim..com toda a sua experiência neste nobre esporte..se vc fosse o técnico do Tsitsipas..em quais fundamentos ele deveria focar ou melhor..quais os conselhos vc daria ao seu então pupilo ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Talvez pediria que ele mesclasse muito o jogo. As trocas de bola mais altas e sem peso pelo centro da quadra incomodam Djokovic, então poderiam ser tentadas principalmente quando atacado no backhand (e isso provavelmente acontecerá muito). E usar o saque alto aberto no forehand do sérvio.

      Responder
  25. O LÓGICO

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Eu tenho que agradecer duplamente e imensamente ao Tsitsipas. Primeiro, por ele ter destruído a besta, o 666 do tênis kkkkkk. Segundo, porque ele me poupou de gastar uma fortuna com o processo que abriria contra o Titã Prometeu. Isso eu tenho que explicar melhor kkkkkk.

    Todos sabem que segui Karl Marx: abandonei Deus e fiz um pacto com Prometeu. Perdi a confiança no Senhor desde aquele USO 2017, que mui claramente foi um presente divino para o príncipe das trevas do mundo do tênis. Uma contradição que só o demasiado amor de Deus pode explicar. Mesmo magoando pessoas sensíveis como eu, O LÓGICO kkkkkkkkkkkkkk.

    Acontece, entrando na explicação, que meu contrato com Prometeu foi formalizado numa seção espiritual kkkkkkkk, que tenho gravada kkkkkkk. Marx fez tudo de boca com o Titã e todos sabem o resultado: o comunismo implodiu em todo leste europeu e o resto da história os vermelhos do PT já sabem kkkkkkkkkk. E o coitado do filósofo tá até hoje se remoendo no túmulo: puto da cara com o Titã. Nesse pacto celestial kkkkk, ficou acertado que o tourinho com cara de Viado (falo do animal kkkkkkk) teria que ser zoofilado kkkkkkk até no máximo antes da final. Portando, teria que ser derrotado até no máximo na semi. E quando vi o espanhol ganhar o primeiro set outra coisa não passou pela minha cabeça, a não ser uma nova perfídia de Prometeu. Agora contra o Lógico, o mais querido do Blogo do Guru kkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu enlouqueci, e açodadamente liguei para meu advogado e o orientei a preparar uma petição a ser protocolada no STF kkkkk contra Prometeu, por danos morais transcendentais e crime Leso-tênis kkkkkkkkkkkk. No STF? Sim, no STF, diretamente, e aqui me apreço em explicar, pedindo aos torcedores, principalmente às nadalzetes kkkkk, que guardem o devido sigilo das informações que compartilharei com o público leigo kkkkk. Elas são consideradas TOP SECRET kkkkkkkk.
    Todos sabem que existe o direito internacional, que regula as relações entre as nações. Mas pouquíssimos sabem que existem outros dois direitos de maior envergadura: o interestelar kkkkkk e o meta-empírico kkkkkkk. O primeiro, para regular as relações entre humanos e ETs (eles já estão entre nós, acreditem kkkkk); o segundo, para regular a relação entre humanos e entidades supra terrenas, ou transcendentais kkkkkk. Por isso as ações serem endereçadas diretamente ao STF. Estão pensando que brinco? Leiam a República de Platão kkkkkkk.

    Obviamente que solicitei ao meu advogado que endereçasse o pleito para a “segunda turma” do STF kkkk. Por razões óbvias. Como uma vitória do robozinho satânico confirmaria a má-fé do Titã, a quebra do contrato e o crime tipificado no Código Penal Transcendental kkkk, em seu artigo 2, inciso 3 (“permitir que o mal no mundo do tênis seja realizado por entidades malignas e que tenham pacto com o Diabo)”, liquido e certo que o julgamento seria judicioso se ocorresse na turma onde os Ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes estivessem. Com todo o respeito aos demais Ministros, é apenas uma questão de preferência.

    Pouco depois do início do segundo set Prometeu me ligou: chamada do aquém do além, apareceu no display do meu S 10 Plus kkkkkk. Ele me tranquilizou e disse que a vitória no primeiro set estava de acordo com o contrato, bastando que relesse a 10 cláusula, que olvidei, mas declino para que todos tomem ciência do peso do amor que tenho pelo robozinho e pelas nadalzetes. Ela diz: “produzir as derrotas do robozinho primogênito do capeta, de forma a causar dor e sofrimento profundos ao L Ferdandu kkkkk (o kkkk tá no contrato kkkk) e ao M C virgulino kkkkk, passando-lhes, inicialmente, a impressão de que o tourinho em vias de ser zoofilado vencerá, levando-os, pois, a uma dor profunda decorrente da desilusão operada pela derrota”. Pedi desculpas ao Titã, tomei três doses de Bagageira em homenagem a Thanatus kkkkk, e passei a saborear a partida que espelhava mais uma vez o fim do tênis de latrina kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    CHUPA QUE É DE UVA NADALZETES kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk O FIM DO ROBOZINHO CHEGOU KKKKKKK.

    Responder
  26. Thiago

    O djocovick para mim é o tenista mais completo do big3, ele joga muito bem em todos os terrenos, o federer Joga o tênis mais bonito que já vi, mas sempre pecou no lado emocional e na tática se baseando no talento e intuição, já o nadal é um jogador físico e muito competitivo. Concorda Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não totalmente. Dizer que Federer ‘sempre pecou’ me parece exagerado para alguém com um currículo tão espetacular.

      Responder
    2. Anti anti-jogo

      “mas sempre pecou no lado emocional e na tática “… uahuahauhauahsdkkkkkkk

      SEMPRE pecou. Sempre…. sim,… os 20 Slams e 101 títulos vieram só na base da intuição… preparo físico limitado, vontade mole, análise tática zero…. uahahauaha

      É cada uma…

      Responder
  27. Jonas

    Djokovic deixando claro que quando quer mesmo jogar não tem pra ninguém. O sérvio focado é de longe o melhor jogador do mundo, claramente não liga tanto pra torneios ‘menores’. Vai bater o Fregueser em Slams e semanas como n1 doa a quem doer.

    E de quebra ainda venceu Thiem, aquele mesmo que salvou MP contra Federer em IW e Madrid. O famoso ‘GOAT’ realmente se supera no aspecto mental.

    Responder
  28. Paulo Almeida

    Quando o Nole vai smashar fica sempre aquela tensão no ar. Hoje acertou todos felizmente.
    Confesso que até já dei risada quando o Nardini fala “djokosmash”.

    Responder
  29. Thiago

    Dalcim, o nadal perde quantos pontos com está derrota? E você acha que o djocovick batera o recorde de semanas na ponta do ranking de Roger Federer? Abraço Thiago

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele está até somando 180 pontos porque caiu nas quartas no ano passado. Mas agora defende 1.000 em Roma e 2.000 em Roland Garros. Acho que ele tem chance sim, mas tem um mar de pontos a defender no segundo semestre.

      Responder
  30. Fernando

    Olá Dalcim, tudo bem?
    É um pouco fora do assunto do texto, mas reparei por duas vezes no momento que o Tsitsipas foi trocar de raquete que ela estava em uma embalagem da Head, sendo que aparentemente as raquetes eram da Wilson… é normal isso?
    Curiosidade meio boba, mas enfim… Rsrs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O empacotamento das raquetes encordoadas é feito pelo torneio, que provavelmente tem um contrato com a Head. Não é culpa do jogador. Mas tem razão, é um tanto estranho… rsrs

      Responder
  31. George

    Nadal tem demostrado evidente queda de rendimento, inclusive no saibro, sobre o qual reinou absoluto por muitos anos.

    O avançar da idade e a ocorrência de lesões chegam para todos.

    É cada dia mais notável o fim da sua hegemonia nesse piso: atualmente, Thiem já é melhor do que Nadal na terra batida, e outros jogadores mais jovens do que Thiem também mostram que podem competir com chances reais de alcançarem as primeiras colocações nos torneios em saibro.

    Sou torcedor do Federer, mas reconheço os méritos do Nadal e o fato de que o Toro Miúra está na fase do declínio típico de fim de carreira, contrastado pela ascensão de outros tenistas.

    Responder
  32. Maior geração do tênis chegando

    Que orgulho de digitar nesse site com esse meu Nick a mas de um ano ..sim meu Nick tá certo a maior geração de todas está vindo …….nunca antes na história tivemos tantos jovens no top 30 e tirando números a qualidade dessa geração é melhor tbm .. pra quem falar que eles estão demorando pra chegar o Djokovic só chegou ao topo com24 o Federer com 23 ..e não importa se tinham ganhado grand slam antes era mais fácil vencer grand slam até os tenistas dizem isso e oque importa é o ranking .. tsitsipas teem 20 anos com 21 ou no máximo 22 chega no topo zverev tem 21 anos esses caras vão passar por cima do Djokovic ano q vem e quero ver oque vão dizer e o melhor dessa geração ainda tá chegando o Félix auger o novo Federer mas felix será melhor que o rei do tênis

    Responder
    1. HeitorD

      É mas Djokovic já tinha vencido Slam antes de chegar no topo. Da idade de Zverev e até de Tsisipas , Djokovic já era Campeão de Slam. (Djokovic foi campeão com 20 anos e 8 meses. Tsitsipas tem 20 anos e 9 meses.).

      Responder
  33. FLÁVIO VIEIRA BARROSO

    Esse Grego é perigoso. Têm potência nos golpes , é bastante rápido e tem um mental forte. Têm tudo pra ser um jogão. Mas, se Novak jogar perto do seu melhor ele não perde pra ninguém. Todos sabem que quando o Novak tá no modo destruidor ele fica sem adversários. É muito completo. Coloca pressão o tempo todo no adversário. #VamoNole

    Responder
  34. José Alves

    Dalcim,não seria mais útil para Nadal voltar a sacar como sempre fez no saibro já que esse novo movimento de saque o está deixando mais ansioso e menos agressivo com o forehand ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não sei se o problema é unicamente o movimento do saque, José. Ele errou forehands no meio de quadra hoje e não teve muito a ver com o saque.

      Responder
      1. PIETER

        A mim parece que o problema do Nadal na temporada de saibro, este ano, tem mais a ver com uma questão de confiança e exagerada, porém compreensível, pressão por resultados naquela que sempre foi a sua superfície predileta e onde teve os mais espetaculares resultados.
        Não me parece que seja algum problema físico nem declínio por conta da idade.

        Responder
    1. Paulo Almeida

      Chora mais, freguês eliminado. Infelizmente o GOAT não teve a chance de passar o trator no rei da entressafra e dificilmente terá no saibro. Fica pra grama.

      Responder
    2. Geailton

      Kkkkkk o piadista chorão do blog. Quando seu jogador não pode mais competir contra o mais completo da história do tênis, o que sobra é torcer contra

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Exatamente como vocês nolistas sempre fizeram e fazem, não?

        Torcem muito mais contra o Federer, do que a favor do Djokovic.

        Uma inveja corrosiva…

        Responder
  35. Renato

    Infelizmente Thiem sentiu o desgaste da dura semana enquanto Bagrevice venceu por wo, caso contrário o resultado seria outro, com certeza.

    Amanhã Novak vai consolidar mais ainda a já consolidada posição de “brinquedinho preferido da garotada “. Perdeu dois masters pra Zverev, um pra Khakanov e amanhã será o dia de fazer a alegria do grego…..

    Sobre o baloeiro, tá mal, hein? Não está aproveitando a única parte da temporada com reais chances de títulos.

    Responder
    1. Geailton

      Kkkk são sempre assim os comentários do bobo da corte. Se não fosse isso, se não fosse aquilo, o resultado seria diferente. Ainda tem muito SE pra usar, pra seu desespero

      Responder
      1. Renato

        Seu fake de merda! Múmia idiota que saiu da sarcófago. Me desculpe Dalcim, mas parece que vc liberou ofensas pessoais como o rapaz fez acima comigo. Dei o troco!

        Responder
  36. Tiago

    Caramba hein kkkk…errei os dois palpites da semifinal…O tênis essa semana tá parecendo as semifinais da Champions League…Tudo muito louco, resultados inesperados. Na primeira semifinal apesar de Nole ser o número 1 vinha de campanhas irregulares e com um tênis muito instável. Mas pegou um Thiem num dia muito errático e se aproveitou das chances desperdiçadas do austríaco nos dois sets onde teve um break a favor. Gosto e torço para o Djoko mas penso que o Thiem que deixou a oportunidade escapar do que méritos da vitória do sérvio. Espero que com essa vitória e campanha em Madri Djokovic possa voltar a jogar seu melhor. Na outra semifinal…Nossa que espetaculo de jogo do Stef!!! Jogou tremendamente inteligente e ofensivo…surpreendeu o mundo do tênis com a vitória em cima do rei do saibro. Méritos total ao grego…E quanto a Nadal continua o fantasma das semifinais nos torneios de saibro de 2019. Creio que chegará a Roma muito pressionado por melhores resultados e jogo…Quanto a final de amanhã prefiro não palpitar rsrs…Vou apreciar essa final que ao meu ver parece imprevisível rs

    Responder
  37. Arthur

    Nadal sem chegar a uma final no saibro; quarto masters seguido sem repetir final; gente mais jovem fazendo frente com regularidade ao Big 3…

    Será que enfim começou a tão desejada transição no circuito, Dalcim?

    Sei não, mas, pelo andar da carruagem, este Roland Garros vai ser o mais aberto dos últimos anos.

    E, a depender do vencedor, pode ser encarado até como o marco do fim de uma era.

    Vamos ver…

    Um abraço.

    Responder
  38. Samdra

    Dalcim , você acha acha tão zebra assim o grego ganhar, essa garotada de hoje não tem medo de ser feliz, vão para cima, e quando,o grego ganhou do Nole , o Nole está jogando mal..???

    Responder
  39. Felipe Dutra

    Mestre Dalcim, as bolas profundas(perto da linha) de Thiem e Tsitsipas lembram muito as do Guga, principalmente as de backhand.
    Seria interessante uma estatística de jogos perdidos pelo Big 3 após ter match point à favor. E tb jogos ganhos após salvar match point contra.
    Sou torcedor do Federer, mas mentalmente ele está bem abaixo de Djokovic(pra mim o melhor nesse quesito) e Nadal(um pouco, muito pouco, abaixo do Djoko).
    Seria um bom parâmetro para comprovarmos minha tese. O que acha, mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Como diria Zagalo, tudo é relativo. Não gosto muito desse tipo de comparação. Afinal, terão sido os mesmos adversários e nos mesmos torneios? Não fechar um jogo na grama diante de um grande sacador é uma coisa, não aproveitar um match-point no saibro diante de um especialista na terra é outra. Então para se ter uma real avaliação, seria preciso estudar uma série de variantes, Felipe. Mas acho que ninguém duvida que o mental de Djokovic e Nadal sejam superiores ao de Federer quando sob pressão. Eles têm um estilo mais maquinal, o suíço é mais emocional.

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Dalcim, eu tenho uma interpretação diferente da sua nesse sentido. O “mental forte” de Djokovic e Nadal vem, sobretudo, de uma dominância física em relação aos seus adversários. O circuito lentíssimo de hoje facilita o jogo físico desses caras. Não acho o Federer inferior no quesito mental, acho no mínimo igual. Por exemplo, ele nunca abandonou um jogo em andamento. Nadal e Djokovic abandonaram vários. Isso é um aspecto mental, pois com certeza Federer já disputou jogos contundidos e se contundiu em outros jogos…e nunca abandonou.
        Nadal perdeu sua dominância física. Logo, o tal mental infalível que ele tinha antes virou geleia. Outro detalhe que complementa esse raciocínio. Federer é um jogador de ataque. Logo, está mais sujeito a erros. Ele não erra por que tem um mental inferior, erra por que ataca mais.
        O jogo defensivo, reativo e de poucos erros de Djokovic e Nadal causa uma falsa impressão, na minha modesta opinião, de que eles têm um mental superior ao de Federer. É muito mais cômodo se defender calcado numa imensa superioridade física.
        Abs

        OBS: Interessante como os caras jogam o jogo da vida contra o Federer. Thiem foi mal nessa semi, 1 dia após ter feito grande partida contra Federer. Isso ocorre com todos os tenistas que enfrentam o Craque. rsrs

        Responder
        1. Rafael Brasiliense

          Incrível mesmo. Os melhores jogos de Thiem na temporada foram nos dois confrontos com o Federer, o primeiro na final de Indian Wells e agora nas quartas de Madrid. Após perder o primeiro set, em ambos os confrontos, ele jogou um tênis absurdo nos dois sets seguintes, metendo winner pra todo lado, tendo um grande aproveitamento de primeiro saque e errando pouco. Acho que mereceu as vitórias.

          Responder
  40. LEOPOLDO GUILHERME PIO

    mestre, para você qual foi o principal acerto tático do Tsisipas contra o Nadal? E o que levou Federer a decidir jogar Roma (acumular uns pontinhos, preparação para RG ou a chave não tão ruim que pegará)?
    Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tsitsipas soube se manter nos pontos, não se apavorou com o ataque constante no seu backhand, como aconteceu na Austrália, por exemplo. Acho que esse foi o erro do Nadal. Ele apostou nos pontos que viriam de graça, ao invés de tentar decidir mais. Quando fez isso (no segundo set), levou grande vantagem. Acredito que Federer está simplesmente se divertindo, sem pensar em pontos. Claro que ele entra para ganhar. Vejo como sua despedida oficial do saibro, daí ele está indo nos principais torneios.

      Responder
      1. PIETER

        Puxa, que tristeza ler “despedida oficial do saibro” mas concordo com você, este dia está cada vez mais próximo.
        Dependendo dos próximos resultados, penso que pode ser até mesmo ao fim desta temporada…

        Responder
  41. Rafael

    Mestre, ontem eu perguntei se o Nole havia melhorado em relação aos últimos Masters e você falou que eletretos um belo teste hoje. Não só teve como mostrou que se estiver em forma e com “sangue nos olhos” fica difícil alguém ganhar dele. Hoje ele mostrou mais uma vez porque é número 1 do mundo. Já o Nadal mostrou um nervosismo fora do normal. Além de um bando de erros não forcados. O espanhol não está 100%. O que acha mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Djokovic teve altos e baixos, mas com certeza fez seu melhor jogo. Achei que seu maior mérito foi mental. Ele conseguiu superar muitas dificuldades.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *