Semifinais de peso
Por José Nilton Dalcim
26 de abril de 2019 às 17:57

A reedição da final de Roland Garros de 2018 entre Rafa Nadal e Dominic Thiem já seria suficiente para dar todo o gabarito possível às semifinais do ATP 500 de Barcelona deste sábado. Mas a programação será ainda melhor, com o bicampeão Kei Nishikori e o ascendente Daniil Medvedev, este fazendo sua segunda inesperada campanha sobre o saibro em poucos dias.

Nadal fez uma excelente exibição diante de Jan-Lennard Struff, porque foi pressionado o tempo todo e precisou de todas suas armas para brecar o valente alemão. No seu melhor estilo, cometeu apenas oito erros em 24 games, mas também anotou 19 winners. Thiem brilhou menos, teve altos e baixos no primeiro set, perdeu serviço e demorou para se impor ao também canhoto Guido Pella.

Assim como na semana passada, Nadal está novamente a dois jogos de fazer ainda mais história e se tornar o único profissional com 12 troféus num mesmo torneio. Ele aliás jamais perdeu um título em Barcelona depois de chegar na semifinal.

Thiem é um daqueles raríssimos adversários a ter vencido Nadal ao menos três vezes no saibro e o único a ter cometido tal façanha nas duas últimas temporadas (Roma em 2017 e Madri no ano passado). No placar geral, perdeu outras oito vezes, incluindo a final de Roland Garros de 2018. O duelo mais recente foi aquele jogaço nas quartas do US Open.

Vejo o duelo com relevância dobrada. É o tipo de vitória que Rafa precisa neste momento para superar os resquícios de trauma de Monte Carlo e ter a volta total da confiança. Ao contrário, uma nova derrota na semi, e agora em casa, seria um fardo duro de carregar. E encheria a bola de Thiem, um adversário sempre muito perigoso quando está com a cabeça boa.

Kei brilha de novo
O terceiro grande semifinalista deste sábado é Kei Nishikori, que nos últimos anos conseguiu adaptar muito bem para o saibro seu estilo mais apropriado aos pisos duros. Como se mexe muito bem, chega bem fácil nas bolas e isso permite continuar pegando tudo na subida, imprimindo um ritmo sufocante ao adversário.

Se passar por Daniil Medvedev, fará sua quarta final em Barcelona nos últimos seis anos, tendo sido bicampeão em 2014 e 2015 e vice em 2016. O japonês tem outros dois resultados de peso na terra: a final de Madri em 2014 e a de Monte Carlo, no ano passado.

Medvedev é portanto o ‘patinho feio’ da rodada. O russo superou um confronto duro diante do agressivo Nicolas Jarry, mas se valeu não apenas do evidente cansaço do chileno – 17 sets jogados desde sábado  – como também de seu poderoso jogo de base.

Ele contou que o piso estava muito seco e, com o vento forte, controlar a bola se tornou um desafio e tanto. Mas esta é justamente a sua maior qualidade e não será nada surpreendente se vermos Nishikori indo ainda mais à rede para diminuir seu tempo de reação.

E mais
– Naomi Osaka conseguiu uma virada incrível em Stuttgart, perdendo por 1/5 no terceiro set para Donna Vekic. Atenuou a atuação instável, com 32 winners e 45 erros. Enfrentará agora Anett Kontaveit, que viu Vika Azarenka sacar para o jogo, falhar e depois abandonar no terceiro set com dores no ombro.
– A outra vaga na final está entre Petra Kvitova e Kiki Bertens, um duelo entre sacadoras. A canhota tcheca busca a quarta final da temporada e lidera o ranking do ano.
 – Campeão do Rio, o sérvio Laslo Djere está na semi de Budapeste e com isso é agora o 16º do ranking da temporada. Enfrenta o italiano Matteo Berrettini, dono de um belo primeiro saque.
– A outra semi tem dois tenistas que sonham com seu primeiro ATP: Filip Krajinovic e Pierre Herbert.
– Má notícia: Thomaz Bellucci ficará pelo menos duas semanas sem competir por conta da torção de tornozelo, com pequena chance de voltar no challenger de Lisboa, uma semana antes do quali de Paris.


Comentários
  1. Paulo Almeida

    Nadal será o primeiro do Big Three a se retirar das quadras e com isso o GOAT Djokovic não será mais ameaçado pelo segundo melhor da história.
    Manterá 14 Grand Slams com alto grau de dificuldade contra 12 do espanhol na pior das hipóteses.

    Responder
  2. Rodrigo S. Cruz

    Pouco a pouco, o Nadal tem perdido essa aura de invencibilidade no saibro.

    Isso porque surgiram alguns tenistas que pegam pesado na bola, e não têm medo dele…

    Fognini, Thiem e Djokovic são nomes de respeito, e qualquer um deles pode aprontar.

    Esse Roland Garros, portanto, promete muito.

    Com certeza está mais difícil pro Nadal agora, do que nos últimos anos…

    Responder
  3. Bruno

    Aula de tênis hj do Thiem .
    Dalcim,não sei se vc concorda comigo,mas acho que o austríaco não dosa muito seus golpes,bate com extrema potência na maioria das bolas.
    Não acha que ele deveria dosar um pouco seus golpes,principalmente em jogos de 5 sets?

    Responder
  4. O LÓGICO

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Eu pensei que o robozinho seria STRUFFRADO já no jogo contra o Struff kkkkkk; mas não, quem STRUFFROU ele foi o angelical Thiem kkkkkk. Na verdade, parece que todos os tenistas resolveram praticar zoofilia hard com o tourinho kkkkk, deixando, com certeza, o M C Cocotinha e o L Frívolo enciumados kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    CHUPEM MAIS ESSA UVA, NADALZETES DA SOFRÊNCIA KKKKKKKKK NUNCA SERÃO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
  5. Luiz Fernando

    Thiem venceu de forma irreparável. Nunca vi tanta bola na linha ou próxima dela, e com muita velocidade, bem mais do q os golpes do Rafa. Quantos tenistas conseguiram trocar esquerdas com o espanhol no saibro e saíram vitoriosos? Quase ninguém. E para os q menosprezam o rapaz, quantos, no mesmo ano, venceram Federer na quadra dura e Nadal no saibro? Com certeza bem poucos tembem. Thiem deve ser campeão amanhã. Quanto a Rafa, foi dominado e ficou na defensiva em quase todo o jogo. Serviço péssimo, com varios primeiros a menos de 160 km/h, demonstrando falta de confiança. Recebia o serviço muito mais atras do q de costume, enfim, nada funcionou bem nesses dois primeiros torneios, o q denota perspectivas ruins p o restante da temporada de saibro, tornando-a, pela primeira vez em muito tempo, absolutamente aberta.

    Responder
  6. Pedro

    Dalcim,

    O Nadal foi destruído hoje. Thiem jogou bem melhor. Volto a perguntar o que está acontecendo com o Nadal, porque não parece ser contusão. Parece falta de tênis mesmo.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Thiem jogou num nível espetacular e não achei que Nadal tenha jogado mal. Ele não sacou bem, e isso fez grande diferença.

      Responder
  7. Aurélio Passos

    Tudo uma grande piada….
    Acho legal fazerem homenagens às pessoas qyando elas ainda estão vivas.
    Mas, no csso de Nadal, a organização do torneio de Barcelona poderia esperar ao menos ele se posentar para dar o nome dele pra quadra central!!!! rs
    Pense no buraco psicológico para o oponente: alén de entrar na quadra contra o cara que já venceu o torneio 11 vezes, ainda jogará na quadra com o nome do cara!! rsrs

    Que eu saiba, Halle nãi batizou sua quadra cebtral de “Roger Federer”…

    Não tem jeito: mesmo com seus grunhidos, carrancas, cara de ódio, catimba, banimento de árbitros, depreciação da vitória do oponente, entrevistas vazias/toscas/oontraditórias, o espanhol conseguiu exercer um domínio coletivo sobre imprensa e público.

    Responder
  8. Luiz Fernando

    Thiem venceu o primeiro set de forma incontestável, mas sem duvida Rafa esta jogando bem abaixo do que pode. Quatro duplas faltas, inclusive na q deu o breakpoint ao austríaco. Mesmo assim fez 4 games, ou seja, se jogar um pouco melhor do q isso voltará p a partida, embora me pareça claro q a tendencia de momento é vitoria do Thiem.

    Responder
  9. Luiz Fernando

    Bela partida entre Medvedev e o japa, com vitoria do russo. O detalhe é q perdeu o mais agressivo, pois esse BH do japa quando entra, e hj entrou na maioria das vezes, é um show. Me chamou a atenção a profundidade das bolas de ambos, sempre bem fundas, algo q não tenho visto com Rafa, se ele vencer Thiem, o q não será fácil, terá problemas amanhã…

    Responder
  10. José Eduardo Pessanha

    Craque Dalcim,
    Não dou 2 anos pro Felix assumir o número 1 do ranking.
    E o trio russo Zverev, Tsitsipas e Shapovalov nunca ganhará nenhum Slam. E tenho dito.
    Rsrs
    Abs

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Até tu , caro conterrâneo ? Os citados ainda estão em formação. Lembra o que o amigo dizia de Murray ? Fica frio que mais tarde eu pego no seu pé kkkkkk ABS !

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Sabe muito , o rapaz . E o pior e’ que insiste rsrsrs Quer dizer que no jogo que você assiste o Samurai é mais agressivo que MEDVEDEV ? E quem é mais ? Rafa Nadal ou o SuperEstimado do ” grupinho ” ? Kkkkkk Abs !

        Responder
  11. Sônia

    Esse Mohamed Lahyani errou feio ( se acha, não gosto dele, sempre defende o tenista errado), na frente dele e não disse nada que a bola estava totalmente fora, inacreditável. Com certeza, se fosse o ThieMito já iria para a posição “iguais” receber o saque, tenista tremendo fair play. O alemão “aguardou” uma atitude honrada do adversário mas… nadinha. Bobinho demais esse alemão rsrs. Beijos.

    Responder
  12. Rubem Corveto

    Amanhã serão duas partidas duríssimas. Talvez Thiem 2×1 pois Nadal esse ano tem desempenho bem abaixo d seu histórico, Apesar de ele continuar favorito 80% para RG, mas dificilmente vencerá Como nos anos recentes Barcelona, Madri e Roma, que esse ano terá um renovado Fognini. Acho que Nishikore pode repetir novo título.

    Responder
  13. Sérgio Ribeiro

    Quais resultados pífios meu caro L. Fernando ? Depois de Federer , o TOP 8 ( ainda não tem 100 partidas ATP) perdeu em I.Wells para Shapovalov, em Miami para MEDVEDEV e agora em Barcelona para o experiente Alemão de 29 anos. Aos 20 , já possui um Título e dois Vices a nível ATP. Não cabe , a meu ver , a comparação com uma vencedora de 2 SLAM , 7 Títulos , mais de 500 jogos a nível WTA e 25 anos. Tênis realmente é muito cabeça, o que falta também pra varios Comentaristas de resultados que não assistem a um jogo completo. O TOP 5 SuperEstimado, jogou uma barbaridade num Saibro mais rápido contra um Pella que deu sufoco em Nadal em MC. Parece que vai substituir Fognini a altura nesta Semi em Barcelona. A vida não anda nada fácil pro Touro rs. A conferir. Abs!

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Como sempre vc ao invés de expor sua opinião, que é valida como as dos demais comentaristas, prefere desmerecer o outro comentarista com seus argumentos repetitivos. Veja Sergio, no esporte o q vale é ganhar, ganhar títulos p ser mais exato, é o separa os bons dos ótimos, e o nosso querido grego ganhou algo significante após vencer Federer? Nada, o q não quer dizer q ele nao seja muito talentoso e promissor.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Comentários repetitivos são os seus , L F . Sem nenhum conteúdo. Muguruza não ganhou apenas um SLAM e mais nada. A Ex – N 1 venceu DOIS. Você comenta apenas resultados rsrsrs . Daí ser zoado o tempo todo pelo Lógico kkkk ABS!

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Mas nem por isso os resultados do grego são pifios, Luiz Fernando.

        Dessa vez, o Sérgio tem razão.

        Você tem uma mentalidade muito mal-acostumada de pensar que se o cara não ganha toda hora, não serve.

        Lembre-se que Nadal, Federer e Djokovic são a exceção da exceção no tênis.

        Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Mas já ganharam tanto que nem dá mais para comentar. E a única coisa que acontece com todos, sem exceção, é parar de ganhar.

  14. Marcelo

    Os índices de saque do Nadal melhoraram nas duas últimas partidas. Thiem vem muito bem no torneio, e vai enfrentar o espanhol com mais confiança. Deve ser um jogo equilibrado, com parciais apertadas.
    Na outra semifinal, tendo a apontar Nishikori levemente favorito, devido ao ótimo histórico no torneio. Mas o Medvedev vem jogando surpreendentemente bem no saibro. Fazer final ia animar bastante o russo para o restante da gira.

    Responder
  15. Carlo

    Dalcim, arrisco dizer que o Thiem tem boas chances de superar o Nadal amanhã, mas, se ele vencer, como sempre seu desgaste será muito grande para um bom jogo domingo.

    Responder
  16. Carlos Alberto Alves

    Dalcim, boa noite. Apesar de fazer muito tempo que não escrevo aqui no blog, eu sempre leio suas excepcionais matérias, e claro os comentários, sempre muito bons. Com relação a gira de saibro deste ano, tenho analisado e a percepção que tenho é, mesmo o Nadal sendo o favorito natural neste tipo de piso, vejo que neste ano em especial não há mais aquela diferença abissal com relação aos outros concorrentes, e digo isso nem tanto pela surra que ele levou do Fognini na final de Monte Carlo, mas sim por jogos sofríveis contra o Pella semana passada e também na estréia desta semana contra o Mayer. Dadas essas circunstâncias somadas e suas lesões recentes, amanhã ele terá um jogo dificílimo contra um oponente que sabe muito bem como vencê-lo no saibro. Vejo como um ponto bem vulnerável neste momento o seu saque. Na sua opinião quanto a confiança dele pode ser abalada para Roma, Madri e especialmente para RG? Qual o percentual você daria de chances para ele nestes próximos 3 torneios? Antes eu arriscaria sem medo entre 85 e 90%, Hoje eu ficaria entre 55 e 70%. E você mestre o que pensa?
    Parabéns pelas excelentes postagens de sempre.
    Abs,
    Carlos.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu prefiro aguardar o jogo contra o Thiem e a eventual final de Barcelona antes de fazer essa avaliação, Carlos, mas concordo que um resultado que não seja o título em Barcelona será desgastante no aspecto emocional.

      Responder
  17. Luiz Fernando

    Tenis é um esporte impar, as vezes conquistas ao invés de impulsionar geram problemas. Muguruza venceu um GS e nunca mais foi a mesma; Tsitsipas venceu Federer no AO e a partir dai seus resultados foram pífios, cabeça neste esporte é algo imensurável. Algumas pitonisas aqui do blog tem errado sempre, vou tentar me juntar a elas: o vencedor de Rafa vs Thiem será o campeão do torneio (difícil prognostico kkkk)…

    Responder
    1. Deiner Cesar Pádua Toledo

      Exato. Com a agravante de que a muguruza ganhou 02 Grand slams para os quais teve que ser forte mentalmente; parece que gastou toda a sua força mental. Se não fosse o meldonium acho que o mesmo teria ocorrido com a Sharapova ao ganhar Wimbledon da serena, da qual nunca mais ganhou…

      Responder
  18. PIETER

    Dalcim, na elite do tênis masculino, como em Barcelona e MC, o que você acha que mais motiva os grandes jogadores a vencer: pontuação no ranking, os euros ou a chance de fazer história?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Depende do nível de jogador, Pieter. Alguns pensam muito mais em ranking e em faturamento, mas outros querem história ou grandes marcas. Acho que esse último caso é o de Nadal e Nishikori, como foi para Fognini.

      Responder
      1. Gustavo M.

        Dalcim,

        Aproveitando o gancho, vc não entende que, para jogadores como nishikori, qualquer resultado sempre importa pra fins de chaveamento e classificação pro finals (ranking, em última análise)?

        Abraço!

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *