A velha guarda impõe respeito
Por José Nilton Dalcim
29 de março de 2019 às 23:18

Nos dois duelos entre nova e velha gerações que marcaram as semifinais de Miami, prevaleceu a experiência. Roger Federer, que tem a idade somada dos garotos canadenses, fez outra exibição magnífica, com destaque para seu apuro tático, e John Isner mostrou frieza e confiança num jogo em que poderia ter perdido em dois sets.

A expectativa de um confronto de alta qualidade entre Federer e o canhoto Denis Shapovalov precisou aguardar a metade do segundo set, quando então eles dividiram jogadas espetaculares. O canadense começou tenso, não conseguiu sair do ataque incessante sobre seu backhand e isso se refletiu na instabilidade do serviço.

Mesmo com saque abaixo do ideal – 40% no primeiro set e 49% no total da partida -, Federer foi soberano e outra vez anotou um número ínfimo de erros não forçados: 8 diante de 29. A rigor, só permitiu um 15-40 a Shapovalov, num crucial segundo game do segundo set. O tempo todo se mostrou paciente, aplicadíssimo na ideia de atacar o backhand. Foi oportuno junto à rede e moveu-se muito bem tanto na defesa como no ataque. Flutuou pela quadra como se fosse ele quem tivesse 19 anos. Que show.

Apesar de Isner ter cravado 72% do primeiro saque e somado 20 aces, Felix Auger-Aliassime teve uma enorme chance de causar outra maciça surpresa em Miami. Muito firme na base e aproveitando as raras oportunidades de contragolpear, quebrou duas vezes o serviço do norte-americano – o que por si só já é um feito – e sacou para fechar os dois sets, com 5/4 e depois com 5/3. Veio então o fantasma que mais o atormenta: a dupla falta. Pareceu duvidar um pouco, e isso foi o bastante para Isner agarrar a oportunidade e ganhar os dois tiebreaks. A partida teve apenas sete lances com pelo menos 9 trocas de bola, o que deixa clara a falta de ritmo que Isner impõe.

Shapovalov sai como novo e mais jovem integrante do top 20 do ranking masculino, Felix avança para o 33º e se torna o único tenista de 18 anos entre os 180 primeiros classificados. No ranking da temporada, ou seja desde janeiro, Aliassime é 12º, dois postos à frente do amigo. Se não ganharem mais um único jogo em 2019, ainda deverão terminar entre os 70 mais bem pontuados.

Saques e tiebreaks
Federer ganhou cinco dos sete duelos contra Isner, mas eles não se cruzam desde a vitória do americano nas oitavas de Paris de 2015. E é inegável que o gigante evoluiu muito desde então. Ainda que o saque seja a pedra fundamental, ele voleia melhor, é mais paciente no fundo e até o backhand ficou menos frágil. Todo mundo olha obviamente para o bombástico primeiro serviço, mas ele tem um dos melhores segundos saques que já vi.

Desses encontros entre os dois, apenas um não viu tiebreak e, no geral, cada tenista venceu quatro desempates. Por isso mesmo, o tiebreak desta vez poderá ter influência menor a favor do norte-americano. Entre tenistas que disputaram aos menos 300 na carreira, Federer é disparado o mais eficiente (65%), enquanto Isner é o décimo (60%). Numericamente, o suíço é quem mais venceu tiebreaks na Era Profissional (439), seguido por Isner (agora 411). Em Miami, o suíço não jogou um sequer, Isner foi a nove e levou todos.

Os finalistas também estão entre os cinco tenistas em toda a Era Profissional com melhor aproveitamento nos games de serviço: Isner é o segundo, com 91,7% (atrás de Ivo Karlovic) e Federer está em quinto, com 88,8% (perde para Milos Raonic e Andy Roddick).

O maior título
O sábado verá a maior conquista da carreira, seja para a ex-número 1 do mundo Karolina Pliskova ou para a ascendente Ashleigh Barty. Pode ser outro jogo em que a experiência seja decisiva. Aos 27 anos, a tcheca fará a 24ª final em busca do 13º troféu, enquanto a australiana é três anos mais jovem e soma apenas três títulos.

O histórico entre eles está empatado por 2 a 2, se considerado o torneio menor disputado em 2012 na grama de Nottingham. Desde que Barty voltou ao circuito, em maio de 2016, perdeu dois dos três, mas os placares sempre foram muito apertados, com quatro tiebreaks em sete parciais totais.

Será antes de tudo uma guerra de estilos. Pliskova depende muito do primeiro saque para sair mandando nos pontos, tem um forehand instável e um segundo saque atacável. Barty mexe melhor a bola com efeitos variados e isso parece essencial para tirar a tcheca de cima da linha e fazê-la bater em movimento. Se conseguir, terá uma chance real.

Faltou pouco para Melo
Uma bela partida de duplas marcou a queda de Marcelo Melo e seu parceiro polonês Lukasz Kubot nas semifinais de Miami, diante dos atuais campeões Bob e Mike Bryan. Houve chance para todos, mas é muito doloroso perder uma oportunidade dessas com dupla falta no match-point.

O lance foi até curioso, porque Kubot demorou um século para dar o saque, era evidente seu esforço para soltar a musculatura e aí a bola parou na rede. Paciência. Melo fez lances excelentes e parece enfim totalmente recuperado.


Comentários
    1. José Nilton Dalcim

      Além de os comentários estarem sem conteúdo qualquer, com uma única frase de provocação, ele ainda estava no setor genérico dos comentários. Então não vou incentivar a briguinha de torcida por aqui, Adriano. Comentários bem fundamentados serão sempre bem vindos.

      Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      A falta de Carisma do local é incontestável. Mas o Craque Suíço roubou a cena pra desespero da Nike em pleno Miami. Os Japas enxergam longe rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Carlos Reis

        Recuperou o terreno perdido, pois nos últimos 9 GS, cada um venceu 3, como o DjokoVICE é o mais jovem dos 3 melhores do mundo, ele fez menos que os outros…rsrsrs

        Responder
  1. Luiz Fernando

    Assisti o início da partida, por sinal com vários lugares vagos nas arquibancadas, e era claro q seria um passeio de Federer. Vitoria justa e esperada.

    Responder
    1. Babidi

      Da sua parte não pode faltar uma alfinetada hein.. já quer criar outra condição pra um título valer? Agora além de ter que ganhar de fulano de tal em lugar ciclano de tal em torneio beltrano de tal, tem que ganhar com arquibancada completamente cheia? Calma que sua hora de comemorar tá chegando (saibro), mas vamos parar com essa mania de colocar água no chopp dos outros.

      Responder
  2. Jonas

    Mais um jogo super tranquilo pro Federer. Incrível como vai afiando seu tênis a medida que fica mais velho, isso é pra poucos. Nos próximos torneios se o Nadal e o Djokovic não voltarem a apresentar um tênis no mínimo decente, o suíço vai continuar vencendo.

    Por mais que seus próprios fãs afirmem que ele está velho para o esporte, eu sempre discordei disso. Um cara que vence Wimblendon, Australian Open e masters 1000 com essa idade e apresentando este nível está longe de ser velho.

    Não digo que é fácil se manter em altíssimo nível, é preciso MUITA dedicação e amor ao esporte. Federer além de ter isso tudo, alinha com um estilo de jogo que o preserva demais em relação aos outros jogadores. Ele sabe disso muito bem e enquanto estiver bem fisicamente ainda vai brigar por grandes títulos, mesmo que em melhor de 5 sets a coisa aperte pra ele.

    Responder
  3. Eu

    Viajar de Dubai para eua com 4 crianças, tem de ter muita disposição mesmo! Por mais que tenham babás, avião particular etc, não é fácil. Para eu sair de casa já é quase mudança, imagine pegar voo.
    Por que o fed mora em Dubai?
    Seria um dos últimos lugares do mundo que eu escolheria para morar. .

    Responder
      1. Rodrigues

        Encontrei com ele em Miami alguns anos atrás, durante o torneio. Estavamos no mesmo hotel. Ele estava saindo pra treinar, pedi uma foto com ele e até batemos um papinho de uns 5 minutos. Gente muito boa. Detalhe, tenho 1,75 cm. A foto tá muito engraçada!

        Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E você acha que se fosse o Djoko na final, teriam ido mais pessoas?

      Olha a que ponto chega o anti-federismo desses caras.

      O Federer leva culpa até por esvaziamento de estádios agora.

      kkkkkkkkkkk

      Responder
  4. marcos fernando

    Dalcim , Federer sempre tem a torcida do seu lado em 99% dos jogos , acha que hoje veremos maior apoio ao americano do que ao suiço ? Pode afetar o jogo de algum deles ?

    Responder
  5. João ando

    Roger disse em uma entrevista que não sabe se vai ganhar outro grand slam. …tb acho que a cada ano que passa fica mais difícil…mas para Wimbledon esse ano Roger e favorito. Mas os jovens estão chegando como o Félix e o shapovalov

    Responder
  6. Carlos

    Dalcim , impressionante q muitos tenistas quando passam dos 30 e poucos perdem muito cabelo ! Até os tops , como Nadal , Murray e até msm o Federer teve uma perda significativa ! Vc acha é genética msm deles ou tá ligado com o stress da profissão ??

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pode ter genético, mas pode o desgaste com o sol, pode ter suplementos alimentares. O que definitivamente prejudica o cabelo é o uso do boné.

      Responder
      1. Pieter

        Noto que os europeus, em geral, tem muito mais predisposição genética à calvície. Lá é muito mais comum entre os homens, contrariamente aos japoneses e asiáticos em geral, por exemplo…

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Não notei qualquer perda de cabelo no Nole ou no Federer.

      O Nole gosta de usar curtinho mesmo.

      Já o Federer tem cabelo até demais.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        É.

        Deixa eu corrigir esta grande BOBAGEM que eu falei acima.

        Realmente, o Federer , na parte da frente do cabelo, perdeu um bom tanto mesmo.

        Tá com umas entradas bem visíveis, especialmente porque tem a testa grande.

        Ocorre que aquela faixa que ele usa na cabeça consegue disfarçar bem…

        Responder
      1. Sônia

        Dalcim, aproveitando a pergunta do colega, quando jogadores de simples se unem para jogar duplas, o dinheiro que eles ganham, tem que dar alguma parte também para os técnicos? Beijos.

        Responder
  7. Renato

    Jonas,

    Nadal não temia Federer de jeito nenhum! Mas após levar cinco piabas seguidas, e fugir, amarelar na eminência de um sexta, tenho certeza que ele passou a temer, pelo menos fora do barro.
    A prova que ele realmente amarelou é que já voltou a treinar no saibro como se nada tivesse acontecido. Kkkkk Esse Amarelau…..

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Acho que o Touro não ganha mais nada do Federer, fora do saibro.

      E aqui, nem sequer estou sendo irônico ou provocativo…

      Se jogarem no sintético 20 vezes, o Federer ganha umas 18.

      Responder
    2. Mário Cesar Rodrigues

      Deixa de ser otário em que terra Rafa teme Federer ou algum jogador,que eu saiba ele o F ex éter sim fugiu e ainda só acredito que perdeu mais o medo se ele jogar como está prometido ano passado Rafa falou não entendo.Rafa enfrentou Der -se de em qualquer piso.

      Responder
      1. Renato

        Não entendi quase nada do que vc escreveu, apenas que vc me chamou de otário, algo que vc não faria na minha frente, Pois deve ser tão amarelão quanto o tenista pelo qual torce.

        Responder
    3. uJonas

      Renato, eu concordo com você que o Nadal não tem tanta confiança contra o suíço em torneios Masters.

      Mas com um histórico de 9 x 3 em Major, duvido muito que o Nadal tema o Federer. Falo de qualquer piso, inclusive se jogarem em Wimbledon hoje, aposto no Nadal tranquilo.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Kkkkk

        Para tentar diminuir o Federer, vale tudo.

        Até dizer que o Nadal, que não ganha dele há 5 jogos seguidos, o venceria na grama.

        Putz. (rs)

        Só rindo mesmo….

        Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        UJonas é ótimo kkkkkkk As quatro FINAIS vencidas no Barro já tem tempo meu caro. Vir com papo de h2h depois do Titio vencer CINCO consecutivas, é de quem não conhece nada do Esporte. Aliás parece ser o seu caso. Abs!

        Responder
  8. Sérgio Ribeiro

    Brad Gilbert entrevistando o Craque ao final do jogo sobre John Isner : “ Já sei o que vou enfrentar. Adoro assistir jogos de grandes Sacadores “ . Idem , idem. Na época da diversidade de estilos e superfícies, não dava pra cravar o vencedor antecipadamente. Os torcedores modinha acham um saco, e tem alguns com a cara de pau , de dizer que John é um amarelão. O Post hoje aponta todos os ótimos progressos do Norte-Americano que joga em casa. O Suíço não vai ficar a cem metros da base como Nadal faz com Kyrgios. Vai tentar bloquear , pra que havendo jogo , prevaleça a seu maior arsenal de golpes. Félix chegou a conseguir. Somente não venceu porque o gigante sempre acreditou. No Ranking da ATP 2005 ( época da entressafra segundo seguidores do Léo Gavião rs ) , dois caras de 18 anos, eram respectivamente o TOP 64 e TOP 76 ao final da temporada ( o precoce Rafa Nadal já era TOP 2 ), Sir Andy Murray e Novak Djokovic. É mole ou quer mais rsrsrs Abs!

    Responder
  9. Jerônimo Brito

    Olá Dalcim…estou enganado? Em vencendo amanhã Federer seria o número 1 no ano?
    Fazendo referência ao seu post em outubro quando Federer perdeu para Coric em Xangai numa quadra rápida…vc falava que ele necessitava se reinventar para enfrentar o tênis dito “moderno”…o que vc acha deste momento do Suíço.
    Saudações… parabéns pelo Blog.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele está jogando em Miami da maneira correta, de acordo com o que o torneio exige. E sim, será o líder do ranking da temporada, com pequena margem para Djokovic.

      Responder
  10. Nando

    Mestre, pra vc quem sentiu mais o peso de jogar contra o seu ídolo? O Rublev contra nadal no USO2017 ou Shapo ontem contra o Federer? Fãs declarados dos seus algozes.

    Responder
  11. Marcelo-Jacacity

    Bruno e pessoal,
    Da minha parte não tem nada disso. Só quis repetir o que foi e continua sendo escrito por uma ala tão “moderada e lúcida” (sem generalizar, pois há torcedores do Federer que sabem reconhecer os feitos dos outros Big-3) do reino dos súditos suíços acerca do Nadal, Djokovic e quem ousar incomodar o ídolo de vocês.
    Em resumo, os três são fora de série, não tentem diminuir ninguém, Federer é o melhor até agora.
    E por enquanto. Rafael, Novak, não ameaçam o posto de Roger.

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Por outro lado, é importante salientar que tirar sarro faz parte. Cada um tem suas preferências, o ambiente pode ser de descontração, porém, todos os tenistas podem ser alvos de brincadeiras, certo? Caso contrário, perde a graça, não?
      Não se levem tão a sério: Bangueletes, Cotonetes ou Cuequeletes.

      Responder
  12. Paulo F.

    Isner terá que contar com um dia de muita teimosia de Federer para ganhar amanhã.
    Já tem um M1000 – no ano passado na mesma Miami – ou seja, já não poderá com o “fator desvirginador” que Federer adora ceder contra adversários sem grandes conquistas.
    Nem o “fator tie-break” ,que tanto lhe dá frutos – Federer também é um mestre em tie-breaks e só os outros titãs como Djokovic e Nadal conseguiram fazer frente ao Federer nesse componente do jogo.

    Responder
  13. Rodrigo Azevedo

    DALCIM, o fato de Federer jogar Madri e RG será benéfico para o ritmo de jogo na sequência na grama, concorda? Acho que deveria jogar 1 torneio só (Halle) antes de Wimbledon.

    Responder
      1. Pieter

        Dalcim, penso que no saibro lento de RG Federer precisará de uma chave bastante favorável para ter chances de, ao menos, atingir a segunda semana do torneio. Estou sendo pessimista?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Nem sempre o saibro de Paris é tão lento, Pieter. É bem comum termos uma semana de tempo seco, o que deixa o piso mais veloz.

          Responder
  14. Rafael

    Federer x Shapovalov valeu pelo show de recursos de Federer. Espetacular. Mas o garoto ficou muito conformado, teve uma hora em que abriu os braços, olhando (talvez para o box) como quem diz “Não há o que fazer”. Seus backs fortíssimos não entraram. Por isso prefiro jogos em que o adversário não teme/respeita tanto/fica deslumbrado com Federer, como contra Djoko ou Nadal.

    De qualquer forma, Federer está ótimo.

    Domínio total da next gen mesmo, só quando o big3 parar.

    E um garoto precoce como foi Nadal, só no próximo milênio. Aliassime me parece que vai começar a vencer (grandes torneios) mais ou menos com a idade que Djoko tinha quando começou a faturar. Ele parece ser o que mais tem potencial para desenvolvimento, de todos esses. Mas não acho que reinará sem ser incomodado. Acredito em uma divisão de títulos bem maior.

    Responder
  15. André MÉXICO

    Bom día Dalcim. To de volta, ainda que nunca tenha realmente saido porque acompanho Seu blog religiosamente.
    Sobre o jogo de ontem foi uma surra – Shapovalov entrou nervoso e só entrou no jogo na parte final, Aí sim foi um espetaculo de ambos lados. O nervosismo dele deixou Federer a vontade e confiante e quando isso acontece só existem dois jogadores na Terra que podem ganhar do suiço e todos sabemos quem são eles. Rssss.

    Fora isso, é impresionante a mudança da postura táctica do Federer numa questao de días , jogando com mais paciencia e usando o slice venenoso, alem de uma mobilidade impressionante. Parece ate que começou premeditadamente a preparacao gradual pro saibro. Falar é fácil, más executar essa mudança tatica repentina e radical é incrivel- nenhum outro jogador podería fazer isso num periodo de uma semana. Concorda ? Por isso o cara è inigualavel !!

    Acho bem dificil Isner ganhar amanha se Federer mantiver esse nivel. Talvez o único ponto que ele deve aprimorar mais é o primeiro saque, que será ainda mais crucial. O que vc acha ?

    Indo um pouco mais além, tenho pensado últimamente : nao duvide que Federer esteja competitivo ate os 40. E se realmente estiver, nao duvide que jogue ate la, ate porque a motivacao dele parece altíssima ainda. Concorda?

    Ps. Desculpa os erros de portugues más meu teclado está em outro idioma e é um saco corregir cada palavra ????????????

    Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acredito que Federer não poderá jogar contra o Isner com 40% de primeiro saque. Também vai precisar de apuro tático e de paciência, tanto para levar aces como para fugir do forehand do americano. Quanto a jogar até os 40, acho que tecnicamente ela pode, mas fisicamente será muito difícil. Abs!

      Responder
  16. Jonas

    Jogadores que não tremem pro Fregueser

    Nadal
    Djokovic
    Kyrgios
    Thiem
    Del Potro
    Canãs

    Isner por exemplo arrega pro suíço. Acredito que será massacrado amanhã.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , parceiro. Pede pra sair… Isner já bateu o Craque até no Saibro. Você demonstra a cada comentario um total desconhecimento do Esporte. Antes de Postar estas ” pérolas” , leia ao menos o Post do Blogueiro. Quem sabe aprende alguma coisa. Pra isso , vai precisar tirar um certo Poster do seu quarto rs Abs!

      Responder
      1. uJonas

        Cara você tem alguma dificuldade em entender as coisas, sério. Não falo de retrospecto, o Isner já venceu algumas vezes o Fregueser, nem discuto isso.

        O Wawrinka também já venceu não? Agora, em hards eu acho que o Americano não aguenta..sinceramente, 90-10 de favoritismo pro Federer.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Acho que quem tem dificuldade de entender as coisas aqui é você.

          Seja por esse fanatismo descomunal que nutre pelo Nole, ou por desconhecimento mesmo.

          Porque o exemplo que você deu agora é um desastre!

          O Wawrinka está perdendo do Federer por 21 x 3.

          Não tem o menor cabimento você comparar com o Isner, que perde dele por somente 5 x 2.

          Responder
          1. Jonas

            Não comparei H2H de ninguém.

            Eu afirmo que o Isner treme pro Federer, hoje foi mais do mesmo.

            Isso nada tem a ver com a quantidade de vitórias sobre Wawrinka ou sobre Isner. Agora, se você acha que 5 x 2 Federer é parâmetro pra dizer que Isner faz frente ao mesmo em finais, beleza né.

    2. Nando

      Q faaaaaaase hein…Federer aos quase 38 anos (idade q mtos grandes tenistas estavam em casa) fazendo a 3° final em 4 torneios disputados até agora no ano, e vc acumulando ressentimento pelo sucesso do cara, ainda mais pq cotonete foi eliminado cedo dos 2 masters. Aí não tem o q fazer, a não ser repetir as mesmas ladainhas em tds os posts.

      Responder
      1. Jonas

        Bom, já falei disso várias vezes por aqui mas vamos lá.

        Primeiro: méritos do suíço por jogador até 38 anos, não sou louco em sugerir que Djoko, Nadal chegarão a esta idade neste nível

        Segundo: é fato que o estilo do Fregueser ajuda MUITO ele, afinal quem não gostaria de ficar apenas 1h em quadra por jogo? (não estou dizendo que é fácil, mas é fato que ajuda)

        Terceiro: aí é minha opinião mesmo, pra mim esse Federer de hoje é mais jogador do que era entre 2011-2014, ele tá bem afiado, talvez pouco abaixo de 2017 e se der brecha, ele briga pelo número 1. Hoje ele tem a chance de ouro de levar o título, acho que ele atropela o Isner.

        Responder
  17. henri

    Como esse Senhor, nesta idade, continua proporcionando esses shows ?
    Goste dele ou não, prefira Djokovic ou Nadal, não se pode negar.
    O Tenista mais espetacular da história !

    Responder
    1. Paulo F.

      Sem dúvidas, mas ainda penso que, quando Federer já estava no auge, e Nadal ainda estava nas fraldas, deveria ter tirado alguns M1000 de saibro e pelo menos um RG do aimará careca.

      Responder
      1. Jose Yoh

        Veja bem Paulo, de 2005 a 2010 (6 anos) ele perdeu somente 2 (DUAS) partidas em RG, Monte Carlo e Roma. Sendo que em Monte Carlo ele não perdeu nenhuma.
        O que atesta que só contando com um dia absurdamente inspirado do Federer, ou absurdamente pouco inspirado do Nadal para uma derrota do espanhol.
        Nesse período, o touro era imbatível no saibro. Não é demérito nenhum não tê-lo vencido.

        Responder
        1. José Eduardo Pessanha

          Lembrando também que, nessa época, as finais eram em melhor de 5 sets. Em melhor de 3 sets, provavelmente Federer teria ganho pelo menos uma vez Montecarlo e Roma.
          Abs

          Responder
  18. Pedro MBA

    Dalcim… Tive a impressão que o toss do Shapovalov muda muito de acordo com os diferentes saques que vai fazer. Certa vez li que um dos diferenciais do saque do Rei seria que o lançamento da bola é igual para qualquer tipo de saque e isso dificultaria muito a leitura por parte do adversário. Você também teve essa impressão quanto ao Shapovalov? Acha que isso pode ser uma dificuldade para ele? Abraço!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Essa característica é de todo grande sacaoor. Sim, Shapovalov precisará variar menos. Claro que, como canhoto, ele pode se permitir algumas variações. Ele tem muito a progredir.

      Responder
  19. Renato

    Dalcim, vc nota a diferença de estratégia do Federer entre essa temporada e as duas passadas? Me parece que em 2019 ele aposta muito mais em acelerar bolas com muito spin no fundo de quadra do que buscar sempre a linha como vinha fazendo. Está mais paciente com trocação, abusando das variações de efeito para desastabilizar o adversário quando este começa a jogar muito pesado. Não funcionou contra o Thiem que jogou muito os 2 últimos sets, mas no geral parece que essa estratégia está desgastando menos ele do que a anterior de jogar mais dentro da quadra com golpes angulados no limite e subidas a rede.

    Responder
  20. Felipe Silva

    Bom dia.
    Impressionante o Federer. Surpreende até a gente que é otimista com ele.
    Confesso que depois do segundo semestre do ano passado e o Australian Open deste ano, achei que ele teria uma tendência a baixar o nível.
    O velhinho, no entanto, voltou a voar nas últimas três semanas e se tivéssemos um Slam no período provavelmente faria, com chance de vitória, uma bela final com Djokovic.

    Responder
  21. Fernando Pauli

    “O garoto canadense mal saiu da quadra, pegou uma sacola de bolas e, mesmo sem a companhia do treinador, foi direto treinar saque nas quadras secundárias”. Esse vai longe, diferente de muitos outros por aí.

    Responder
  22. Evaldo Moreira

    Bom dia,
    Primeiro , acordar e ver e ler, saborear esse texto primoroso, suave e bem colocado pelo nosso mestre e paciente Dalcim , segundo , ver Federer jogar , que leveza, desenvoltura, que execuções esplêndidas…….
    E por último, grande abraço para a ala federistas do blog.

    Responder
  23. Willian Rodrigues

    Sei que muitos comentaristas aqui do site/blog detestam a postura de Nick Kyrgios, assim como eu!!! O cara é, muitas vezes anti-ético com os colegas, desrespeita o público, os adversários, solta palavrões, etc. Concordo plenamente que ele destoa um pouco a nobreza do esporte . PORÉM, algo incontestável e sensaaaacionaaalll, é que ele SEMPRE enxerga do outro da quadra um adversário (ou, no melhor sentido da palavra, um “inimigo”) a quem, ele sente vontade de TRUCIDAR!!! Na mente dele passa o seguinte, com certeza: “Foda-se se você é Federer, Djokovic, Nadal ou qualquer outro bebezão da nova geração! O cara aqui sou eu!!!” Pensando, e agindo assim, ele já derrotou os três em grandes torneios!!!
    AMIGOS, ISSO É UMA FACETA DA INTELIGÊNCIA QUE O ATLETA DE PONTA TEM QUE DESENVOLVER! Imprescindível para um multicampeão!
    Foi isso que tornou Djokovic um “pedra-no-sapato” de Nadal e Federer!! Ele pode ter menor torcida, menor carisma, o que seja. Mas os outros dois comem-na-mão dele!! Contra fatos não há argumentos… Ambos estão aquém no H2H. Nunca tremeu diante de ninguém! Quando perdeu foi por deficiência técnica ou física mesmo.
    Avalio o jogo desse garoto canadense e vejo um show de técnica e habilidade. Mas a pior BURRICE que pode existir para um atleta é oferecer esse tipo de entrevista “politicamente correta” e até PIEGAS, declarando-se fã nº 1 do oponente antes da partida!!! Se fosse pai, eu teria vergonha. Pelo amor de Deus! Ideal seria declarar o sonho de aplicar uma bicicleta, aleijar o cara, sei lá! POR ISSO, já escrevi algumas vezes no blog: se alguém dessa geração mais recente teria chances de se tornar um monstro equiparável ao Big3, seria Kyrgios. Que raiva dessa babação-de-ovo por qualquer atleta que seja!! Todos são profissionais! Se eu fosse treinador de um garoto desses eu largaria mão após esse tipo de entrevista. DERROTA POR ANTECIPAÇÃO??!! Só pode dar nisso. Após a primeira derrota para Nadal em Rolland Garros, Djokovic declarou de forma polêmica que o jogo esteve em suas mãos em alguns momentos, que poderia ter vencido, … O que foi aquilo??! Uma termenda demonstração de autoconfiança, de gana, de não aceitação pela derrota!! O mundo inteiro fez chacota (porque ele perdeu feio!! KKKK), debochou, acusou delírio do sérvio, inclusive o próprio Nadal. Alguns anos depois (2011) venceu o espanhol em cinco finais consecutivas e dominou o circuito. É isso, esses meninos têm que se tornar mais agressivos em sua atitude mental!! Casso contrário, Big3 joga até os 60 anos ganhando de todo mundo. Admiração, torcida ou até fanatismo tem que ficar pra nós amadores e apaixonados pelo esporte.

    Responder
    1. Renato

      O primeiro jogo entre Nadal e Novak, em Roland Garros, esteve tanto na mão do sérvio que depois ele levou mais cinco piabas e só venceu o espanhol lá no pior momento da carreira do final.
      Sobre Kyrgios, vc está certo mesmo. É por isso que o sérvio foi humilhado pelo australiano duas vezes e come na mão dele.

      Responder
    2. Ronildo

      Não acredito que meras palavras interfiram tanto assim na motivação de correr e golpear a bolinha. O Tsitsipas se declarou fã do Federer e depois o venceu no AO numa partida que o Federer queria muito a vitória.

      Responder
      1. Willian Rodrigues

        Não foram apenas palavras amigo… Mas, atitudes em quadra! Tsitsipas entrou com sangue-nos-olhos! Acreditando realmente que poderia vencer! Shapovalov tremeu nas bases.

        Responder
  24. Jonatas Bruno

    Logo no primeiro game, foi possível fazer a leitura de que Federer tenderia a prevalecer no jogo e não deu outra! Aliás,tem sido a tônica na carreira do genial suíço que já entra nos jogos determinado a já na primeira martelada a encaixar o prego. No caso,foi na segunda, mas logo de cara já deu mostras que seria uma questão de tempo.
    O que a cada dia me deixa mais “consternado” é a segurança que ele tem no seu jogo, joga na forma ou na tática que bem entender! E acima de tudo, o quanto de gás ainda possui, dando a entender que ainda pode se manter altamente competitivo por ao menos mais dois anos. Simplesmente transcendental e intemporal!!
    Quanto ao Shap.o seu baixo aproveitamento de primeiro saque + voleios titubeantes dizem tudo! Ao menos fez um segundo set condizente com seu talento. Terá tempo para colocar a casa em ordem.

    Responder
  25. Vítor Barsotti

    Dalcim, Federer vem fazendo um torneio magnífico. No entanto, se desperdiçar break points, como tem acontecido, corre sério risco contra Isner (vejo leve vantagem para o americano em eventuais tiebreaks). Concorda? E acha que nesse jogo cabe tática semelhante àquela utilizada contra Anderson?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza, Federer vai ter poucas chances nos games de devolução e vai ter de aproveitá-los. Claro que ele também é um grande sacador e desta vez imagino que ele vá agredir mais.

      Responder
  26. Ronildo

    Agora em Miami Federer atingiu o mesmo nível de 2017. Isto é incrível pois no AO2019 era visível que Nadal estava superior. Inclusive se Federer não tivesse perdido para Tsitsipas, fatalmente perderia para Nadal. Agora não, pelo visto Federer está em um nível nesta semana em que poderia perder apenas para o Djokovic da final do AO2019. Isto é surpreendente e mostra toda a gangorra que é o tênis atualmente. Inclusive no AO, Nadal se mostrou superior à Djokovic nas cinco primeiras partidas. Na semifinal, Djokovic já mostrava igualdade. Na final Djokovic montou no Touro Miúra, dominou-o e o transformou em filhote de unicórnio sem chifre e sem asas. Só que os efeitos do “tratamento” que Djokovic fez em Nadal estão desaparecendo e o barro cura toda enfermidade, feitiço ou sequela emocional nele, renovando-o ano após ano. Será que Nadal chegará a 15RG!!!!
    Toda esta flutuação mostra o quão exigente é estar no topo do tênis fisicamente. O que contribui para a chegada e domínio da nova geração de maneira gradual e natural, já que esta nova geração é bem habilidosa e cada dia mais condicionada fisicamente.

    Responder
  27. Daniel De Oliveira Neto

    Tomara que o Federer não tenha uma já incômoda queda de rendimento na final.
    Sensacional o jogo de ontem.
    A destacar também a alegria com que Shapovalov encarou a partida, sorrindo e interagindo com o público.

    Responder
  28. Alexandre G.

    Dalcim, percebi um Federer errando menos nesses dois últimos jogos ou estou enganado? O que mudou nele nesses jogos? Ele foi mais paciente ou um pouco menos agressivo?

    Responder
  29. HERIVELTO

    BOM DIA DALCIM SOU FÂ INCONDICIONAL DO FEDERER PRA MIM O PELE DAS QUADRAS VAI PASAR OS 40 ANOS TRANQUILO EM QUADRA E UM ATLETA EXEPICIONAL NÃO TENHO MAIS PALAVRAS PARA DESCREVER SE CUIDA NOVAK PORQUE ESTE ANO ELE JA FALOU QUE VAI DISPUTAR O SAIBRO DE MADRI PRA SE PREPARAR PARA ROLANGARROZ UM ABRAÇO DALCIM

    Responder
  30. AlexPicelli

    Olá. vi em um twitter essas estatísticas abaixo. Seria esse o motivo de o Federer ter jogado (falo passado pois, mesmo que perca a final, jogou bem) tão bem esses 2 torneios?

    Court Speed Index for Indian Wells & Miami in 2018:
    – IW: 27.9
    – Miami: 30.4

    Court Speed Index for Indian Wells & Miami in 2019:
    IW: 32.1 (4.2 points faster this year)
    Miami: 36.5 (6.1 points faster this year)
    (2019 numbers based on ATP mid-tournament graphics

    Responder
  31. Marcos

    Dalcim
    Como explicar o fato do sempre tão criticado (a meu ver até com um certo exagero) por se mover mal e depender só de saque, John Isner, jogar seu melhor nível justamente em uma das hards mais lentas do circuito?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Isner vem jogando bem há algum tempo, Marcos. Melhorou muito o jogo de rede e, além do saque, possui um forehand muito eficiente. Ele já fez bons resultados até no saibro com esse conjunto.

      Responder
  32. Anderson Barbosa Paim

    Kubot é um psicopata, fez várias duplas faltas, sendo duas delas uma no match point a FAVOR e outro CONTRA. Cara fechada, saca os 2 saques a 200kmh, não alisa nada. O parceiro que se exploda, parece não se importar. Não possui tática nenhuma, é uma inconsequente, Marcelo perdeu por causa dele. Podia trocar de parceiro.

    Responder
  33. Adriano Souza

    O Shapovalov deixou o lado fã falar mais alto
    Não jogou oq vinha jogando, porq ele na verdade estava psicologicamente emocionado.
    Ele não jogou contra o Frauderer, ele tietou o Frauderer
    é diferente

    Responder
    1. Cid Andrade

      Caramba…numa época de tantos fakes, jamais imaginei que alguém consideraria o Federer um fake…enfim…cada um acredita no fake que merece!

      Responder
      1. Adriano Souza

        Pra vcs Federetes, ele é o maior
        mas pra quemconhece a freguesia dele para o Djokovictory e para o Nadal
        sabemos que ele não é o maior

        Responder
  34. Rafael Brasiliense

    Difícil acreditar que um jogador que vai fazer 38 anos possa apresentar um nível de tênis tão alto com relativa constância, fato que o mantém entre os mais bem ranqueados e sempre um dos grandes favoritos aos títulos dos grandes torneios. É algo inédito e único na história do esporte. Devido ao seu estilo de jogo, técnica absurda e calendário pensando o longo prazo, Federer atingiu essa longevidade histórica. Sem desconsiderar o seu psicológico, que se apresenta estável, tal como sua vida pessoal. Vida longa a esse ícone.

    Responder
  35. Andre

    A jogada postada no video do texto do Dalcim que o Felix rebate um samash com efeito do Isner , o Federer fez exatamente igual num jogo contra o Andy Rodick anos atrás . Mas a do Suiço entrou.

    Responder
    1. Anderson Barbosa Paim

      Dupla falta em DOIS mach points, um a favor e outro contra, sacando inclusive no CHÃO da parte da sua quadra para vc não é suficiente? Fora bater forte e errar um monte de bolas em momentos importantes. Eu estava lá e a cara dele é de quem não liga para o parceiro, se entrar o jogo beleza, se não foda-se.

      Responder
  36. Juninho Fonseca

    Pq vc chama a atenção do segundo serviço do Isner Dalcim??…digo… tecnicamente falando….oq tem de diferente dos outros??pergunto isso pq já vi o Federer elogiando o segundo serviço dele tb…mas confesso que sou um pouco leigo nessa questão….
    Abraço

    Responder
  37. Marcelo-Jacacity

    Menino Federer de 37 anos mais rápido e ágil que menino Shapovalov de 19 anos. Fato até mencionado durante o jogo.
    Pode isso, Golias?
    Ualaaaa! ou Wadaaaa!

    Responder
  38. Jose Carlos

    E o Roger se ganhar domingo,salvo engano,assume a liderança do ano e o 1º jogador a ter dois títulos em 2019.Lembrando apenas que no fim do ano,pouco importa quantos pontos tenham que ser defendidos,os dois rankings SEMPRE vão coincidir.Oxalá umas semaninhas em como número 1 no segundo semestre e quem sabe até terminar pela 6º vez em 1º.

    Responder
  39. Neto

    Vivemos na era das redes sociais, onde tudo que é dito tem uma proporção gigantesca, para o bem ou para o mal, então prefiro deixar de lado a rivalidade e desfrutar do espetáculo que esse suíço de 37 anos proporciona dia após dia durante mais de 20 anos , hje foi mais um dia de agradecer, que bela apresentação, como disse o mestre Dalcim, parecia o Federer o rapaz de 19 anos, tanto a facilidade com que executava os golpes e corria de um lado ao outro, domingo ele pode até nao ganhar, mas isso não vai mudar em nada minha admiração e meu agradecimento eterno, a esse senhor chamado ROGER FEDERER!!!

    Responder
  40. Fabio

    Sempre achei que o Federer iria manter o alto nível por mais tempo que Novak e Nadal, até porque os comentaristas sempre destacavam que os jogos dele eram mais rápidos e decididos com menos esforço e embora ele esteja de certa forma confirmando o que todos previam, eu estou mais impressionado com os outros dois por estarem liderando o ranking enquanto Federer se segura no top 5 jogando poucos torneios, ainda acho que Djokovic vai ter uma queda de rendimento antes do suíço mas Nadal parece não cansar de vencer também e não querer o largar o osso também, nisso acho que Djokovic leva desvantagem porque sempre tem menos torcida e menos apoio dos colegas, ele já fez muito em ter seus períodos de domínio com torcida contra mesmo que os dois estivessem em baixa em alguns desses momentos. Acho que Federer não joga Roland Garros e entra como favorito em Wimbledon depois de uma boa campanha em Madrid.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Não tenha dúvidas de que Federer vai usar bem o saibro pra arrancar pro número 1. Ele vai dar o bote pra tentar impedir a quebra do recorde de semanas na liderança. Indo bem no barro, em Halle e em Wimbledon, ficará em ótima posição para voltar à ponta do ranking.
      Abs

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Não tem o menor nexo, isso que você escreveu…

      Pra que jogaria Madri, e depois e pularia Roland Garros?

      Ou pula os dois, ou não pula nenhum!

      Além disso, ele já afirmou que esse ano jogará mesmo o Aberto da França.

      Responder
    1. Junior

      Nadal ganhou Slam com 19 anos, com 16 já era top 50, com 18 anos ganhou do Federer e conquistou o primeiro ATP, e o cara ainda acha que Shapovalov e Alliasime são mais prodígios, sem nunca terem ganhado nada até agora….

      Responder
      1. Thiago Silva

        O fanatismo cega, a dor de cotovelo por 2008 é tão grande que os fanáticos rezam pra que apareça um prodígio maior que o Nadal. Aliassime até pode ser precoce, mas dificilmente será top 10 esse ano. E Shapovalov ainda precisa aprender a acertar as pancadas dentro da quadra.

        Responder
  41. Renato

    Shapo realmente estava muito nervoso. Parecia se comportar como um aluno, um fã. Tomou uma surra e não viu a cor da bola. O suíço é “O FORA DE SÉRIE”. Não tenho mais adjetivos pra elogiar o melhor e maior da história.
    Dalcim, vc já viu o suíço cometer tão poucos erros assim em quadras duras? Confesso que não me lembro.

    Responder
      1. Alexandre Matuchenko

        Lembro daquele US Open 2007, um dos melhores Grand Slam do Federer, e que é pouco lembrado. As partidas contra o Lopez e o Roddick foram absurdas, o Federer disparava winners de todos os lados e quase não cometia erros, sendo que tanto o espanhol como o americano jogaram um tênis de altíssimo nível.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *