Rio adere à renovação
Por José Nilton Dalcim
24 de fevereiro de 2019 às 21:38

A final totalmente inesperada entre Laslo Djere, sérvio de 23 anos, e Felix Auger-Aliassime, revelação canadense que chama a atenção do tênis desde os 14 anos, colocou o Rio Open na rota cada vez mais inevitável da renovação do circuito masculino.

O lugar deles na decisão do Jockey Club foi mais do que merecido. Djere não tomou conhecimento do top 10 Dominic Thiem e Aliassime atropelou Fabio Fognini, ambos logo na estreia. O sérvio chamou menos a atenção ao longo da semana, já que Felix ganhou direito de jogar nas rodadas noturnas do estádio e fez grandes exibições sobre Jaume Munar e Pablo Cuevas. Vestiu a camisa da seleção brasileira e ganhou logo a simpatia da torcida.

Djere no entanto também tem muita qualidade sobre o saibro, onde se destaca a capacidade de explorar paralelas dos dois lados com grande precisão e oportunismo. É bem verdade que o duelo deste domingo não foi um grande espetáculo, já que os erros vieram em quantidade muito grande. Aliassime cometeu nada menos do que 47.

Mas deve-se dar desconto ao lado emocional do momento. Djere perdeu recentemente os pais e  não estava inteiro – logo de cara pediu atendimento para a coxa esquerda -, enquanto o canadense pareceu ter dificuldade no controle da ansiedade, o que não é novidade para quem o acompanha com frequência.

Apesar do desgaste, os dois estarão terça-feira no Brasil Open e já são atração. Agora 37º do mundo, Djere pega um quali italiano e depois o cabeça 2 Jaziri. E pode até reencontrar Aliassime nas quartas. O canadense sobe para 59º e estreia diante de Pablo Cuevas na terça-feira. Imperdível.

O retrato da renovação
Em apenas oito semanas de temporada 2019, o circuito masculino já tem seis tenistas que conquistaram seu primeiro troféu de nível ATP, e três deles da Next Gen: Alex de Minaur (Sydney), com 19; Reilly Opelka (Nova York), de 21; e agora Djere. A lista inclui ainda Tennys Sandgren (Auckland), Juan Ignacio Londero (Córdoba) e Radu Albot (Delray).

Com isso, a chance de superar os 13 debutantes de 2018 é grande. Esse montante igualou a marca de 2004, quando Rafael Nadal, Tomas Berdych, Robin Soderling e Feliciano López erguiam seus primeiros troféus.

Além dos três campeões, mais três outros nomes da nova geração também fizeram suas primeiras finais em 2019: Cameron Norrie, Brayden Schnur e Aliassime.

Mais destaques
– Belinda Bencic conquistou Dubai em grande estilo. Assim como havia feito quatro anos atrás no Canadá, derrotou quatro top 10 para levantar o título. A ex-número 7 irá avançar ao 23º posto do ranking, mas nunca é demais lembrar: tem ainda 21 anos!
– Stefanos Tsitsipas aumenta as façanhas da Next Gen, ao erguer seu segundo troféu de nível ATP, desta vez em Marselha. Está agora a apenas 130 pontos do top 10 Marin Cilic. A façanha fica para Indian Wells ou Miami, torneios que juntos o grego tem apenas 35 pontos a defender.
– Roger Federer estreia às 12h desta segunda-feira contra o ‘freguês’ Philipp Kohlschreiber. Dubai, sua segunda casa, parece lugar perfeito para o 100º troféu. A chave está boa.
– Rafa Nadal por sua vez encabeça Acapulco e, se estiver em forma, deve ir firme até as quartas, quando há chance de um confronto interessante contra Stan Wawrinka. Do outro lado, está Sascha Zverev.


Comentários
  1. Alessandro Sartori

    Uma pena o tenis feminino com a Bia não ser transmitido no Brasil esse ano e ainda tem gente que reclama do Bandsports que se vira pra mostrar 3 torneios ao mesmo tempo em sua grade, aliás não é só o tenis que ta sofrendo com NÃO transmissão, o badalado futebol também, já começamos a sentir o efeito e vai ficar pior quando começar o Campeonato Brasileiro

    Responder
  2. Rodrigo S. Cruz

    Magistral, simplesmente PORTENTO, esse tal de Nick Kyrgios!

    Acho que se formos falar apenas em talento bruto e mais nada, o australiano tem mais do que o Federer, até…

    Foi uma das partidas em 3 sets mais espetaculares que eu já assisti.

    Teve de tudo, amigo:

    Ponto ganho com mergulho na rede, ” alá Pete Sampras”;

    Saque e voleio, bate-pronto e drop-shots (alguns desses últimos, humilhantes);

    Winner por pancada seca de forehand, seja parado, ou na corrida;

    Sim, o Kyrgios estava possuído, e mostrou toda a ARTILHARIA PESADA…

    Porém, tivemos ainda:

    O salvamento de 4 e 5 break-points contra o Nadal, em dois games distintos, no terceiro set; (inacreditável)

    E por fim, o salvamento de nada menos do que 3 MATCHPOINTS que teve Nadal. (inacreditável)

    Que SHOW, que SHOW, teve de engolir o espanhol, pelas mãos do seu oponente…

    Que como bem comentou o narrador da partida, conseguiu algo raríssimo de se ver no tênis:

    ENTROU NA CABEÇA do Nadal.

    A ponto, do Touro cometer uma dupla-falta bem na hora de fechar a partida.

    Meu Deus, nunca vi nada assim…

    Apesar do placar parelho, Nadal mostrou-se frustrado e desanimado, em vários momentos.

    Literalmente irritado com o tremendo poder de fogo do australiano.

    Que ainda conseguiu “furtar” a torcida por seu lado, quase o jogo inteiro!

    E quando o pesadelo dos nadalistas terminou, o Nadal perdeu a partida tendo feito 10 pontos a mais do que o Kyrgios!

    kkkkkk

    Acho que até por isso,o Touro ainda teve uma atitude feia:

    Foi bem mal-educado na hora de cumprimentar o Kyrgios…

    JO-GA-ÇO!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Opa!

      Só corrigindo algo errado que escrevi acima:

      O Nadal não cometeu a dupla-falta na hora dos matchpoints que teve, ele fez PIOR:

      Ele deu uma dupla-falta de presente.E com isso, o Kyrgios foi que obteve o matchpoint.

      …E não perdoou.

      Responder
  3. Sérgio Ribeiro

    Kyrgios joga algo parecido com Tênis. Não vou esperar o Terceiro Set. Rafa e Stan farão um belo jogo amanhã. O Suíço anda surpreendendo nas declarações pós jogo. Está dando vários pontos com erros bisonhos de devoluções. O Back batido de 2017 foi trocado por muitos ENFs. E chegando atrasado pra bater o Forehand assim como seu contemporâneo Ferrer. A meu ver, não bate o atual Monfils. E também outros do Top 5. Não é um final de carreira melancólico pois dá pra torcer. Mas o que vier é lucro até Tóquio. Os lampejos de Genialidade justificam a lotação completa como sempre. Abs !

    Responder
  4. Kennys

    Dalcim, o site não transmitiu o jogo do Federer hoje, só na segunda. Teve algum motivo? Vão ainda transmitir? E Acapulco? Sinto falta da transmissão, principalmente quando não estou em casa; que bom que o placar comentado ajuda acompanhar.

    Responder
  5. Gabi

    Alguém falou em um post que a Espn tem transmitido cada vez menos tênis.
    Ela pertence ao grupo Disney, que anunciou nesta semana interesse em comprar o fox sports, que esta semana transmite o brasil open, mas cujo foco principal tb é o futebol.
    Espero que o bandsports se mantenha firme no ar e no tênis, pois acaba sendo o único canal que o prioriza na sua grade, transmitindo a maioria dos atps 250 e 500, com replays, com o ace bandsports etc e tal.
    Claro, tem muito a melhorar, como alguns comentaristas que deixam a desejar (Luiz Fernando), a falta das estatísticas ao final das partidas (Sérgio Ribeiro) e outros pontos, mas, ainda assim, ele dá muito valor ao tênis.

    O fato de gigantes mundiais como Disney e AT&T estarem dispostos a abrir mão de operações como Fox Sports e EI é mais um sinal da derrocada da TV paga no Brasil –e em outros países, EUA inclusive.

    Então, que venha uma netflix do esportes para todos nós!

    Responder
      1. Gabi

        Exato, porque o CADE só autorizou a compra se o Fox Sports for vendido separadamente para outra empresa – para que nao haja concentração no mercado.
        Ainda assim, o Bandsports continua sendo o que mais transmite tênis no Brasil, apesar de não passar Masters e Grand Slam.
        A Espn dá um show em NBA e demais esportes americanos, então tá perdoada rsrsrs.

        Responder
  6. Sônia

    Bia sacou bem neste primeiro set, mas insistiu demais em bolas no meio (talvez para tirar o ângulo da americana) e no forehand da americana. Stephens ainda não acordou (desanimada e errando muito) pro jogo e estou na torcida para que continue assim. Beijos.

    Responder
  7. Eu

    Dalcim,

    não sei se acontece com mais alguém mas qdo abro o blog no celular, os comentários de todas as pessoas ficam no mesmo plano, então não sei se é resposta de algum colega ou um novo comentário.
    O que tenho de fazer para ver aqui igual como vejo no computador?

    Responder
  8. Renato

    Fosse entre 2003 e 2010, 2014 e 2015, ou 2017, creio que Federer venceria o torneio tranquilamente, mas agora não estou tão otimista assim. Acho que Coric(sempre complica) e Monfis podem complicar pro Mestre.

    Responder
  9. Luiz Fabriciano

    Dalcim, não entendi muito bem o Nadal dizer que está recuperando a forma. Afinal, jogou o AOpen inteirinho e não jogou mais de lá para cá.
    Ou ele está se referindo ao simples fato de não ter atuado desde então?

    Responder
  10. Sônia

    Rsrsrsrs, tiraram o Federer dos “autógrafos” rsrsrs, adoooooro. Algazarra atrapalhando Berdych vs Coric rsrsrs, adoooooro. Só TU meu Lindinho, só TU. Beijos.

    Responder
  11. Sônia

    Iuuuuuuuupi, vitóooooooria, clap clap clap… Dalcim, sumiu a barriguinha de “Moet & Chandon” do Lindinho, preocupada aqui, ELE está magro demais. Mudando de assunto, nova estratégia dos tenistas para desestabilizar o meu Lindinho… combinar com o boleirinho nos momentos cruciais deixar a bolinha cair rsrsrs. Beijos.

    Responder
  12. Paulo F.

    Djokovic está sendo inteligente (na minha opinião) em enxugar o calendário.
    Mas, claro, no Fantástico Mundo dos Unicórnios Alpinos onde uns avoados vivem, ele apenas não está disputando os torneios pois não não receberia um bom cachê devido à falta de popularidade.
    Lógico, não vão pagar um cachê adequado e logo para o número 1!
    Aham…

    Responder
  13. Miguel BsB

    Achei que o Wild ia perder sua 3 partida seguida de atp tomando virada, mas conseguiu colocar a cabeça no lugar no 3 Set.
    O roteiro vinha sendo o msm… Ótimo 1 set, viajada no segundo… Ele tem ótimos golpes de base, mas falta um pouco de cabeça e visão de jogo pra ele, normal, muito jovem e a tendência é evoluir.
    O fraco adversário praticamente só ganhou pontos nos enf do brasileiro, que dps conseguiu entender que não precisava ir para o tudo ou nada sempre pra ganhar o jg e jogou com mais paciência e atacou nos momentos certos…

    Responder
  14. Renato

    Borravice também tem em comum com Agassi a sujeira, o “currículo no crime”. Vejamos:

    – Foi acusado por alguns jogadores(principalmente seu pai Roddick) de simular contusões.
    – agressões verbais contra pegadores de bolas.
    – Suspeito de envolvimento com a máfia das apostas.
    – Procesado no Rio de Janeiro por evasão de divisas, se não me engano( inclusive tem uma cela em Bangu 1 esperando por ele, junto com os mano do CV, mas no Rio acho que ele não pisa mais).

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Cara, há pouco tempo atrás, tu se contentava em dizer que Federer era o maior, melhor, mais cheiroso etc, agora, começa a inventar coisas que faltam com o respeito, principalmente ao espaço disponibilizado aos participantes. Não percebeste ainda que isso não mudará nunca o curso da história?
      Federer é freguês de Djokovic, quer queira ou não. E é a prefeitura do Rio que deve dinheiro ao sérvio (ao menos devia).

      Responder
  15. Luiz Fernando

    Esse Misha Zverev não é teste pra ninguém, pois é um jogador nota 5.5 quando o avaliamos de bom humor, mas Rafa passou sem dificuldades. Vi o primeiro set, bem tranquilo, Kyrgios deve ser um adversário mais duro, embora ele e Kachanov estejam disputando o título de quem é mais desconcentrado em quadra. Agora as manchetes do site me deixam sempre rindo: o tenista A entrega set, oscila e “é testado” o B vence em sets diretos e “supera a falta de ritmo” kkk. Hummm, descobri, quem perde set e vence é testado…

    Responder
  16. Maior grupo do tênis chegando

    Tava sumido mas já escrevo a algum tempo .. meu Nick diz tudo está chegando a hora da nova geração acabar com Djokovic ………. Respeito ele concerteza é o maior atleta do tênis não o melhor jogador mas o melhor atleta . Mas tsitsipas e zverev vão passar por cima dele ano que vem será o ano

    Responder
  17. Nando

    Mestre, assisti in loco o jogo do Wild…e deu gosto de vê-lo jogar.
    Agressivo, bom fh e bh, espero q evolua mais ainda. E esse Ymer é (ou foi ao menos nesse jogo) um tremendo passador de bolinha, seus pts e o set q ganhou foram tds em erros do brasileiro.
    Já o Monteiro…

    Responder
  18. Jonatas Bruno

    Mais um triunfo brasileiro na terra da garoa. O Thiago Wild dessa vezes soube aproveitar as oportunidades que o sueco concedeu..
    Só não acho que seja legal, certas atitudes que poderiam ser ponderadas. Ao menos, demonstra que não se contenta com o comodismo e quem sabe isso o ajude no decorrer da carreira.

    Responder
      1. Jonatas Bruno

        Em termos técnicos!? Aí, não né! O “sueco” do contexto, não tem o DNA de um Borg,Edberg e Wilander. Estes, faziam a bola trabalhar, já o “outro”,a bola passear.
        Respondido!?

        Responder
  19. lEvI sIlvA

    Caro e prezado Sérgio R. essa foi a sequência de jogadores que Guga enfrentou (Roddick, Haas, Ivanesevic, Kafelnikov, Henman e Rafter) para ganhar Cincinnati em 2001. Abraço!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E por ironia , TODOS especialistas e na mais rápida que é Cincy. Novak somente conseguiu vencer agora na última edição. O quê que eu vou dizer lá em casa , caro Levi ???? rsrsrs ABS

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Tem um destaque aí Rodrigo. Guga bateu Roddick na primeira rodada, por esse estar nitidamente contundido, tanto que por várias vezes a TV mostrou seu treinador insistindo para ele deixar o jogo. Guga vinha de uma derrota recente para o Roddick noutro torneio, mas nada tira o mérito dele de ter vencido seu único Masters na dura.

        Responder
      1. Lola

        Quem é fake, babaca.
        Tu que deve ser um fake daquele tal renato, caluniador.
        Que também é o tal marquinhos que sumiu, mas pelo nível dos textos, ve-se que são a mesma pessoa.
        E sim, o Djokovi resolveu dar uma chance pro banguela ver se finalmente ganha num atp 500, o 100°, pq master 1000 já não dá mais pro suíço.

        Responder
  20. Jonatas Bruno

    Nada como um jogo de duplas após o outro!
    Thomaz e Rogerinho já foram tratando de mandar bem o recado. E não é que coube ao Bellucci novamente resolvera parada, desta vez com classe para lavar a alma.
    Uma resposta bem dada, inclusive a este que escreve. Para manter o respeito, o merecido ressarcimento!
    Para

    Responder
  21. paulo

    deu no tenisbrasil que o nadal afirmou nao estar em forma mas que o publico pode ajuda-lo nesse sentido.
    Nao entendi. Como que o publico pode ajudar? torcida ganha partida?

    Responder
  22. Sônia

    “Never knew I could feel like this, like I’ve never seen the sky before. I want to vanish inside your kiss, every day I’m loving you more and more…” rsrs, faz sentido Monfils, faz sentido rsrs. Beijos.

    Responder
  23. Sérgio Ribeiro

    “ Ninguém vence Fernando Verdasco 7 vezes consecutivas “ Está dado o recado ( o Canhoto até hoje somente roubou um Set ) . O enferrujado Suíço bateu Kolsha com 29 Winners e 29 ENFS. Se não for agora, esquece. Saretta afirma que a quadra está rápida, o Heptacampeão afirma que nunca esteve tão lenta… A irregularidade da Next Gen realmente é irritante. Por enquanto, não se salva ninguém. Khashanov , Zverev, Tsitsipas , Medvedev… E da perdida então nem se fala, Berdych , Raonic, Dimitrov, não cansam de apanhar. Dito isto, tá arriscado o Velhinho voltar ao TOP 4 e vencer o Centenario já em Dubai. Os caras tão doidinhos pra entregar … rsrsrs E a Band continua indo pro comercial em vez de mostrar as estatísticas ao FiNAL dos Sets. A SporTV mostrou no RioOpen como se faz. Os telespectadores e Comentaristas agradecem. Abs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Correção: Stefanos Tsitsipas ao vencer o ATP de Marselha como está no Post , e com a derrota precoce de Cilic hoje para o inpiradissimo Monfils, entrou firme na briga pelo TOP 10 . ABS

      Responder
      1. Pedro

        A Dunlop é hoje a bola oficial da ATP. Pelo o que os jogadores falaram, coincide com o que conhecemos da bola. É pesada. Muitos ATP agora usam esta marca. É bom lembrar que a situação de lenta e rápida é uma combinação de quadra e bola. As vezes o jogador se expressa de maneira equivocada dizendo que a quadra é lenta ou rápida, mas esquece da bola. Na partida do Federer vi, no início do jogo que ele não estava tendo tempo de realizar o swing completo para bater na bola, pegando atrasado. Difícil dizer que a quadra estava lenta desta maneira. Outros jogadores dizem que a quadra está rápida. O que foi perceptível é que com os golpes na primeira partida, a bola parecia correr muito rápido depois que tocava no solo, e por isso ele não tinha timing para rebater, então não parecia que a quadra estaria freando a bola. Parecia mais que a bola está pesada. E talvez seja a Dunlop, a novidade de 2019.

        Responder
  24. Luiz Fernando

    Wawrinka jogou um primeiro set (que eu assisti viu Sérgio) excelente, pra variar com seu BH impressionante decidindo vários pontos, o q demonstra q o visto na outra semana não foi casual, ele de fato está recuperado e de volta a disputa. Reitero o q disse antes, nesse nível de jg ele não pode ser descartado nessas quadras rápidas, pois seu serviço é no mínimo bem acima da média.

    Responder
  25. ROGER Fedeiros

    “No passado, Dubai sempre costumava ser um torneio onde você seguia no torneio, mas não tinha certeza se estava jogando tão bem porque as quadras eram muito rápidas e os pontos são decididos um ou dois golpes”, complementou o atual número 7 do ranking mundial.
    Estão vendo como quadras rápidas favorecem os que têm menos técnicas. Não sou eu que estou dizendo, mas sim o Fregueser.Quadras super rápidas, o jogo virá loteria, o cara dá um saque fulminante e o ponto tá ganho.
    É por isso que, muitos especialistas dizem, que o saibro é onde mais se exige a técnica de um tenista.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Acho que o Federer é o segundo maior vencedor de partidas no saibro, dentre os tenistas em atividade…

      O Djoko tem menos do que ele, eu acho.

      Então, estou meio confuso.

      O sérvio não tem técnica também?

      (rs)

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Dá no mesmo, manezão..

          Porque se você considerar que ele é o segundo com mais vitórias, isso já mostra que, no mínimo, joga bem.

          Ou você se esquece que muitos se aposentam sem nunca conseguirem um título de peso no saibro?

          Federer tem 1 Roland Garros.

          Acha pouco?

          Responder
    2. LION

      Sem contar que quadras mais rápidas, em muitas situações, podem muito bem favorecer grandes contra-atacadores, pois são caras especialistas em tomar proveito da velocidade da bola adversária. Talvez, e apenas “talvez”, caras como Djokovic, por exemplo, poderiam ter um pouco mais de dificuldade em devolver o saque(um pouco mais), mas durante os pontos a sua estupenda capacidade de usar a velocidade dos golpes do adverário iria fazer estragos. É ilusório achar que quadras mais ligeiras beneficiariam apenas os jogadores “ofensivos”. Em não poucas vezes o tiro sairia bonitinho pela culatra….Na verdade, após um curtíssimo período de adaptação, os super contra-atacadores iriam engolir os “agressivos”, usando essa “agressividade” contra eles mesmos. Tragam as quadras velozes de novo e Djokovic dominará ainda mais….

      Responder
    3. Sérgio Ribeiro

      O parceiro deveria ter vergonha de ” voltar ” postando tanta besteira. A diversidade nos Pisos sempre distinguia os mais habilidosos. Ao contrário do Saibro. Se o Tenista somente possui um movimento muito Amplo, terá imensa dificuldade nas quadras rápidas como Hale, daí o Espanhol jamais ter passado da segunda rodada. A tradução do que disse o Suíço, fica por sua conta. Este nas mais rápidas é no mínimo Heptacampeão inclusive em Dubai. Mesmo com a padronização conseguiu fazer 10 FINAIS de SLAM consecutivas. Sampras, McEnroe, Edberg, Becker , jamais venceram no Saibro de Paris. Deve ser porque não tinham nenhuma habilidade rsrsrs Abs!

      Responder
  26. José Eduardo Pessanha

    Mestre Dalcim,

    Sou muito fã do Kohlschreiber. Sempre jogou a bola dele, sempre deu o máximo em suas partidas, está na luta há muito tempo. Faltou um pouco mais de altura pra ele, um pouco mais de potência (que é alavancada pela altura) e um pouco mais de físico. Se ele tivesse um pouquinho mais de cada uma dessas valências, possivelmente (arrisco a dizer até “provavelmente”) teria um Grand Slam.
    Abs

    Responder
  27. Luiz Fernando

    Incrível a capacidade da Bandsports encontrar narradores q superam um ao outro no item “ruindade”, esse rapaz q narrou Granollers vs Millmann merece um trofeu…

    Responder
  28. Rafael

    Esse rio open foi terrível!!! Talvez o pior atp 500 do ano! Esse renovação aí foi pura zebra não significando nada! Achei forçada a manchete! Público do Tennis não cai nessa não! Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Uai, Rafael. Seria uma piada se o torneio forçasse a renovação… Como faria isso? Pagando para os favoritos perderem? Claro que a renovação é uma consequência, e isso foi o que salvou o torneio.

      Responder
      1. Rafael

        Não, Dalcim, como assim pagando? Fui claro ao escrever que esse torneio só deu zebra, e das grandes. Os cabeças caírem na 1ª rodada!? Totalmente fora do padrão. Esses novatos jogaram o que podiam mas a verdade é que os melhores olhando do prisma dos rankings decepcionaram muito. Quem desses caras das quartas de final pra frente representa alguma coisa na real?
        Olha só, a cara desse torneio foi o Bellucci numa final de duplas, perdendo o jogo com duas duplas faltas na sequência no tie break! Não posso acreditar que vc tenha achado esse torneio de alto nível! Vc está sendo muito generoso Dalcim! Boa noite. Abs.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Não me lembro de ter dito em qualquer momento ao longo de toda a semana que o torneio tenha sido de alto nível. No texto, aliás, eu disse claramente que a final decepcionou. Mas eu tenho o péssimo hábito de olhar o lado positivo das coisas, ao invés de só procurar as ruins, Rafael.

          Responder
          1. Rafael

            Te entendo, torneio no Brasil, se os jornalistas não olharem o lado bom o barco afunda de vez! Parabéns pelo trabalho Dalcim! Eu que realmente fico puto com o Brasil, pelo Bellucci, pelo piso que esses caras resolvem adotar completamente fora de época, etc! Só a Bia me acalenta no Tennis brasileiro! Abs

          2. José Nilton Dalcim

            Obrigado, Rafael. Lembro que a escolha do puso é da ATP. Rio, Buenos Aires e São Paulo pleiteiam há anos essa mudança.

        1. Marcelo

          Paulo, eu não expus opinião. Talvez te falte perícia em interpretação de texto. Mas não se preocupe… muitos sofrem com essa matéria. Leia alguns livros que talvez vocês melhore.

          Responder
          1. Paulo

            Só qdo se expõe opinião deve se ter respeito?
            Eu só fiz uma pergunta para ver se vc tem consciência de que faz o que critica nos outros.
            E tua resposta mal educada e me atacando provou isso.
            Obs.: não cometi erro algum de português na pergunta que te fiz acima.

          2. Marcelo

            Você que se intrometeu.. eu não tinha falado com você. Mas, no final das contas, sem brigas. Desculpe qualquer mal entendido, Paulo. Abraços.

  29. Renato

    Khachanov Khacanov onde foi parar seu jogo meu filho? Se acomodou depois de não fazer Novak ver a cor da bola em Paris.. Vergonha atrás de vergonha no começo do ano. Se bem que, ganhar Paris não é grande referência. Até o limitado Sock ganhou.

    Responder
  30. Luis

    Dalcim vitória do Federer em Dubai seus comentários parece foi muito bem 3 Set,para admiradores do Suíço torcemos que continue motivado ano passado e na Austrália estava pouco vibrante e tênis abaixo o que acha ? Tomara tenha chance de mais 1 Slam,sobre maior todos tempos acho Suíço pelo que fez pelo tenis

    Responder
  31. Renato

    Creio que o principal motivo pelo qual Chiliquevice não disputa atp- 500 com maior regularidade é que, provavelmente oferecem pra ele menos que a metade que Rafa e Roger recebem, devido à baixa popularidade do sérvio e sua falta de carisma. E olha que ele fez um esforço imenso pra tentar angariar fas, passando até por i… com suas dancinhas forçadas e ridículas. Quem sabe agora não se passando por bobo e sem agredir verbalmente os pegadores de bola não tenha uma pequena melhora?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Aí, Renato:

      Não é por nada, não. Mas, eu achava “da hora” as imitações do Djokovic!

      Teve uma que ele fez do Guga, que eu ri muito.

      Ficou idêntico!

      Sabe um “tique” que o Guga tinha antes de sacar?

      Ele balançava a cabeça de um jeito personalíssimo, e depois colocava o pé esquerdo à frente, dava umas 3 olhadas pro adversário, com o peito ESTUFADO, parecendo um galo?

      Pois é!

      A imitação do Djokovic ali, foi GENIAL…

      Confira aí, e diga se não tenho razão:

      https://www.youtube.com/watch?v=MRfHm5XZK7M

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Lembro-me de ter assistido isso no dia. Hilário.
        Agora, um fato engraçado é que, todos aqui, inclusive eu, acho o Guga extremamente carismático e à distância, me parece um cara super gente boa, inclusive seu livro deixa transparecer bem isso. Como seria possível um cara assim, ter uma relação amigável com o outro – Djokovic – dito por muitos ser exatamente o oposto desse?
        O Chiquinho Leite Moreira escreveu em sua última coluna o quanto ele e Guga se dão bem.

        Responder
  32. Renato

    O melhor, maior e mais completo tenista está em Dubai, e hj desfilou seu exuberante e inigualável tênis. Os holofotes estão voltados para o melhor de todos.

    Responder
  33. Luiz Fernando

    Esse torneio de Dubai é muito exigente, Federer enfrentou PK hj, enfrentará Verdasco depois, Kachanov e Raonic já perderam, estou sinceramente com dó do suíço de ter enfrentar adversários tão gabaritados. O estranho é q nos comentários ao vivo se disse q Federer foi muito instável no segundo set, na manchete do site se diz q foi testado, aparentemente por ele mesmo…

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      LF, achei bem tranquila/fácil a chave do Federer. Achei as duas metades de chave de Acapulco mais ou menos. A melhorzinha, na minha opinião, é a chave encabeçada pelo Nishikori em Dubai. Esse setor, além do Japa, tem Tsitsipas, Cilic, Monfils e Medvedev. Achei esse lado bem forte.
      Abs

      Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Não.

          Não é assim…

          Isso daí é um mantra que você, o Chetnik, o Paulo e a mais alguns outros encucaram, e reproduzem sem base alguma.

          Ou seja, até QUANDO NÃO ACONTECE, vocês dizem que acontece, pra não perder o costume.

          Repare que não teve nem sequer um federista que reclamou de chave alguma, desta vez…

          Vamos trabalhar com fatos aqui.

          Contudo, percebi uma mudança muito positiva de comportamento tua, nos últimos tempos.

          Abs.

          Responder
          1. Luiz Fernando

            Obrigado pelo elogio, minha fase de só vir aqui p replicar besteiras postadas ficou no passado. E aliás sugiro q vc aja da mesma forma, pois está colecionando inimizades aqui no blog, mas cada um age como acha q deve. Achei seu comentário improcedente, tanto q neste ou no outro post o Pessanha discordou mesmo do Renato em relação as eventuais dificuldades da chave do Federer, mas aqui as pessoas leem e interpretam do jeito que lhes interessa…

  34. Sônia

    Iuuuuuuupi, vencemos, vencemos, uau uau uau, caba não mundão, caba não. Te amo Lindinho, “por demais”, começo a ouvir o som de trombetas, show show show. Beijos.

    Responder
  35. Miguel BsB

    Anticlimax esse resultado do Rio… Tds esperando a vitória do garoto revelação Félix…
    Vi os highlights da vitória do tsitsipas, e o adversário dele, kukukishin, coitado, fisicamente lembra muito o galã de praga, Radek Stepanek. Hahaha

    Responder
  36. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, 3 perguntas e já agradeço pelas respostas.
    – O Canadá está se destacando por bons tenistas importados: Montenegro, Rússia e agora Aliassime, sabes qual a origem dele?
    – O Alliassime está se revelando como tenistas, mas não achas que ele precisa melhorar bastante o saque para ir adiante?
    – Por que os balcãs, especialmente Sérvia e Croácia, têm apresentado grandes tenistas, tanto no masculino como no feminino, apesar de serem pequenos países?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Felix nasceu em Montreal e cresceu em Quebec, filho de pai de Togo e mãe canadense. Sim, como qualquer tenista em formação ele precisa calibrar um monte de coisas. O saque é bem pesado, mas falha em alguns momentos importantes. Há uma grande cultura esportiva nos países da região e o tênis sempre foi visto como o esporte que permitiria viajar o mundo e fazer fortuna.

      Responder
  37. Gabi

    Luiz Fernando,

    não acredito que era vc à lá Jason Momoa!
    Eu te imaginava muito diferente hihihihi.

    Aliás, achei que nem te encontraria lá, porque vc teria programa muito melhor…

    Responder
  38. Sandra

    Dalcim, não sei a sua opinião , mas independente do jogo do tênis , os jogadores como pessoas me parecem extremamente sensíveis , não é que nem futebol , que a maioria vai jogar para resolver os problemas financeiros , os tenistas tem uma história de vida diferentes , tanto de futebol como basquete

    Responder
  39. Jonatas Bruno

    A renovação sempre será bem vinda! Ainda que eu ache que essa juventude terá que comer muito arroz com feijão, para poderem encarar os trabalhos mais exigentes.

    Quanto a final do Rio Open, infelizmente ficou a dever, por mais que se saiba que o momento, exigiria equalizar bem as emoções, e não deu outra!

    Sobre a Belinda, começou bem o ano com o Federer, e assim prossegue. Legal demais constatar a sua recuperação passo a passo.
    Carismática, tem um jogo vistoso e condensado.
    Espero que volte logo ao Top 10.

    Responder
  40. Marcelo-Jacacity

    E o melhor canal de tênis no Brasil é o BandSports, disparado.
    Único canal da TV por assinatura a possuir dois programas semanais de tênis.
    Todos os jogos ao vivo e quando possível passam a reprise a noite, pois precisamos trabalhar né! rs
    Hoje teve a final de Delray Beach local que jamais será esquecido por Ricardo Mello.
    Amanhã ao vivo: ATP-500 de Dubai, ATP-250 de São Paulo e mais a noite ATP-500 de Acapulco.

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Infelizmente o tênis sumiu da grade da Espn. Eventos tenísticos cadas vez mais escassos lá.
      A Fox vai passar também o Brasil Open, vez ou outra o canal passa torneio de tênis.

      Responder
      1. Marcelo-Jacacity

        E claro o SporTV passa o Rio-Open exclusivo desde da época dos ATP-500 no Sports+ da Sky. Sem contar os Masters 1000.
        E nos Majors, a única mudança é a saída da Espn de Wimbledon. Acho que no USOpen continuará como está (Espn e Sportv).

        Responder
        1. Jonatas Bruno

          O tênis no SporTV já foi mais prestigiado. Além de ter sido deslocado para o SporTV 3, chegou a ter um programa semanal com o enfoque no esporte denominado: Primeiro serviço (apresentado pelo Dácio Campos).
          Mesmo assim, é o que melhor oferece em termos de qualidade de jogos, assim como o único a seguir no ar, na hora das estatistas do final de cada set, e isso é importante para quem “pegou o bonde andando”. Os Masters 1000 mantém desde a época em que o Guga seguia a nos orgulhar.

          Aproveitando o ensejo, o tal do slogan dito antes do intervalo, já deu né! Repetitivo e tendencioso,pois querem fazer o telespectador comprar a idéia de uma sustentabilidade que não se sustenta. Em termos!
          Bem que poderiam trabalhar um novo conceito e/ colocar no ar em momentos mais espaçados.
          Enfim, bola pra frente.

          Responder
    2. samuel

      Prezado amigo,

      Na verdade o Band Sports gostaria de ter na grade de programação mais futebol, tendo em vista de dá muito mais audiência e consequentemente muito mais dinheiro.
      Como eles não tem cacife para bancar o futebol, eles – para nossa felicidade – ficam com o que sobrou, ou seja, o tênis.
      Gosto muito da programação deles: tênis, automobilismo, atletismo, etc…

      Saudações,

      Samuel

      Responder
    3. paulo

      eu tb gosto do band sports porque passa muito tenis, reprisam em outros horarios algumas partidas e têm o ace bandsports com uma sintonia boa entre os apresentadores e comentaristas.

      Responder
  41. Rubem Corveto

    A final salvou o Rio Open, pois coloca como referência da carreira do Auger-Aliassime, um tenista que certamente terá muito futuro e ocupará as mídias nos próximos anos. O marketing do Rio Open de 2020 já está garantido pela sua inevitável presença.

    Responder
  42. Robson Couto

    Dalcim,
    Já que o valor pago e próximo e ambos são atp 500, não compensaria mais para o Nadal ter jogado no Rio que é saibro do que Acapulco que é sintético e pode desgastar o seu joelho já problemático?

    Responder
  43. Marcelo-Jacacity

    Grande Dalcim,

    Eu tinha duas perguntas…a primeira você já me respondeu…Queria saber quando teríamos o repeteco da semi entre o Cuevas e Aliassime. Sendo assim, terça-feira estarei mais uma vez no Ibirapuera. Provavelmente esse jogão será na rodada noturna, certo?

    A outra pergunta…como pode sair tanto tenista bom da ex- Iugoslávia assim? Mecir, Seles, Ancic, Ivanovic, Cilic, Djokovic e outros. E o mais incrível que eles são uma potência no basquete, no vôlei e no futebol também.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Os países a antiga Cortina de Ferro valorizavam demais o esporte como meio de propaganda política e isso provavelmente explique o investimento pesado. Zagreb, hoje na Croácia, era o principal centro de treinamento de alto rendimento da Iugoslávia.

      Responder
      1. Marcelo-Jacacity

        Realmente, a política impulsionou e quis se impulsionar e foi criada uma cultura no esporte.
        Com o atenuante das severas guerras nàquele pedaço conflituoso da Europa.

        Responder
      2. Neuton

        Igualzinho ao que ocorre no Brasil. kkk. E olha que vai um monte de dinheiro púbico para o bolso da CBT. Imagine o Grau de competência na gestão desses recursos.

        Responder
  44. Bruno Macedo

    Dalcim, duas perguntas:
    Existe algum lugar em que ocorra um ATP 500 ou Master 1000 ou Grand Slam com condições climáticas tão complicadas quanto as daqui do Rio no verão?
    Percebo que os tenistas passam sufoco no Australian Open e tb no US open, mas acho q não é tão quente e úmido quanto o Rio. Hoje o dia estava muito quente aqui, penso até q deveriam ter colocado o jogo para às 19h ou 20h.

    Achei o Rio Open meio esvaziado de tenistas tops. Isso foi só um impressão equivocada minha ou de fato o Rio Open é meio que deixado de lado? Seria pela distância, pelas condições climáticas, pelos problemas da cidade?

    Obs.: espero que um dia o evento aconteça no complexo olímpico e com preços mais acessíveis.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não acho tão diferente de Melbourne ou Nova York. Cada vez temos menos especialistas no saibro, daí para trazer tops é preciso um cachê.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *