Nadal se dá mais uma chance
Por José Nilton Dalcim
24 de janeiro de 2019 às 10:15

Jamais duvide de Rafael Nadal. Dois anos, contusões e muitas dúvidas depois, ai está ele novamente atrás do bicampeonato do Australian Open, algo que já escapou três vezes de maneira um tanto cruel. Mais admirável ainda, o espanhol aperfeiçoou de novo seu tênis, dando-lhe agressividade raramente vista.

Nadal se preparou para este piso veloz e bola diferente, que parece dificultar o uso acentuado do spin. Mudou o saque para ganhar velocidade depois do quique, mas principalmente tem usado com maestria a variação de direção e efeito. Lá da base, é uma máquina de bater na bola, e desta vez busca golpes na subida para ataques fulminantes dos dois lados. Se houver chance, estará na rede para um voleio definitivo e desconcertante.

Não por acaso, Stefanos Tsitsipas foi atropelado nas semifinais desta quinta-feira. Nadal não pareceu ter qualquer dúvida de como se impor ao grego, mas mostrou qualidade técnica, visão tática e precisão num nível assustador. Cuidou sempre do saque, o que permitiu tomar conta do ponto logo na segunda bola, e arriscou no serviço do grego, que só se segurou na base do saque muito arriscado e de alguns voleios espetaculares.

Sem perder set até aqui, terá no domingo sua quarta chance de se tornar o primeiro profissional a somar ao menos dois troféus em cada Grand Slam e, mais ainda, chegar ao 18º título desse quilate e assim vislumbrar a chance real de igualar o recordista Roger Federer ainda em 2019.

Fica é claro a expectativa sobre quem será seu adversário. Se der a lógica e Novak Djokovic superar Lucas Pouille nesta sexta-feira, o desafio de Nadal ganhará também ingrediente emocional. O espanhol não derrota Nole fora do saibro desde a final do US Open de 2013, curiosamente outro momento de sua notável carreira em que incorporou armas diferenciadas para a quadra dura.

Djokovic jamais enfrentou Pouille. A distância de currículos é astronômica. Só em Slam, sérvio venceu quase três vezes mais em Melbourne (66) do que o francês na soma dos quatro (26). Na quadra dura então são 547 vitórias no circuito diante de 71. Para complicar, Pouille se desgastou 5 horas a mais na campanha. Nole aliás venceu todas suas nove semifinais de Slam desde o US Open de 2014.

Osaka e Kvitova, por título e nº 1
Não pode haver final mais interessante para um Grand Slam do que aquela que vale também o número 1. E, melhor ainda, um posto que será inédito tanto para Naomi Osaka, de 21 anos, como para a ‘veterana’ Petra Kvitova, de 28. Para completar o quadro de imprevisibilidade, será o primeiro duelo entre elas.

Sem jamais abrir mão de seu estilo ofensivo, Osaka teve altos e baixos em Melbourne, mas confirma a expectativa de que tem jogo de sobra para dominar o tênis, um feito que a nova geração do masculino nem sonha ainda. Seu estilo casa muito bem com a quadra dura e daí não é surpresa que tenha chance de ser a primeira desde Jennifer Capriati, em 2001, a vencer seus dois primeiros Slam na sequência (US Open e Austrália).

Fato curioso e notável, Osaka não perde uma partida depois de vencer o primeiro set desde outubro de 2016, numa sequência de 58 jogos. No duelo contra Karolina Pliskova, ficou acuada no começo do terceiro set, salvou break-points mas jamais deixou de agredir. Terminou com 56 a 20 nos winners, sendo 15 aces.

Será portanto muito interessante ver como lidará diante da experiência da canhota Kvitova, que continua sem perder set na campanha em Melbourne e busca seu terceiro Grand Slam e o primeiro fora de Wimbledon. Num dia de calor absurdo em Melbourne, que superou os 40 graus, metade do duelo contra Danielle Collins aconteceu sob teto. Estranhamente, foi quando o percentual de primeiro saque da norte-americana despencou para 38%.

Não tenho favorita, nem preferência. Me basta saber que são duas tenistas que desenvolvem um tênis moderno, de risco, com diferentes recursos. Só falta mesmo uma final de tirar o fôlego para o Australian Open se tornar o torneio feminino de mais alto padrão dos últimos 20 anos.

A Austrália das duplas
Sem sucesso nas simples, o tênis australiano colocou ao menos um nome em cada final de duplas, o que merece comemoração. John Peers tentará o título ao lado do excepcional finlandês Henri Kontinen, Samantha Stosur volta a uma decisão em casa depois de 13 anos tendo a chinesa Shuai Zhang a seu lado. E (infelizmente) o dueto de Astra Sharma e John Patrick Smith, que entrou como convidado,  mostrou muita qualidade ao superar Bruno Soares e Nicole Melichar.


Comentários
  1. Luiz Fernando

    Quando eu achava q o Rafa estava voando ecera favorito domingo vem o Djoko hj e massacra o francês cedendo 4 games. Final sem favoritos domingo.

    Responder
  2. José Eduardo Pessanha

    A torcida do Nadal deve ter ido da euforia absoluta ao sofrimento antecipado em menos de 1 dia. O sérvio hoje foi inumano. Dificilmente perderá no domingo.
    Abs

    Responder
  3. Adriano Souza

    Dalcim, caso o Djokovic passe do Poullie, vc ainda aposta que ele sera campeão?
    Eu sou torcedor dele, mas acho q o fisiculturista ganha, porq a bola dele ta voando em quadra

    Responder
    1. Fernando Brack

      Calma, djokovetes! Não se apressem em entregar a taça ao Nadal. Como já apontado por alguns aqui, lembrem-se de WB’18, quando o espanhol estava tinindo e o sérvio vinha oscilante não só no torneio como na carreira. E o Djoko gosta de crescer na hora da onça beber água.

      Responder
  4. Marcel Azevedo

    Dalcim para mim Nadal é favorito, oq ele mudou no seu jogo para o Australian Open ??? E outro pergunta você acha que o Federer conquistará seu título número 100 em Dubai? Abc

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, Marcel, temos discutido toda rodada sobre a melhora no seu jogo, a partir principalmente de um movimento um pouco diferente do saque. Precisamos ver quem vai a Dubai, mas ele certamente está entre os favoritos.

      Responder
  5. Jocelino jr

    Dalcin boa noite.
    Gostaria de colocar um ponto diferente. O Nadal sempre foi a kriptonita do Federer mas em 2017 Federer se reinventou e ganhou 4 x de Nadal. E se vc lembrar tirando 2011 quando Djokovic realmente destruiu o Nadal em WB e no USOpen, os Jogos seguintes foram muito apertados. AO 2012…US 2013…Djoko nunca ganhou c sobras apesar de ganhar na bacia das almas no AO 2012 e WB 2018 e perder US 2013. Nesse cenário com Nadal reinventado vc n acha que ele teria o favoristimo p Domingo contra Nole? O Nadal 2019 contra djoko seria a versão Federer 2017 contra Nadal. Assim q eu penso. E vc mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Dois jogos apertados em Slam, você quer dizer, porque nesses cinco anos Djokovic ganhou jogos bem fáceis em piso rápido e até mesmo em Roland Garros ou num lento Monte Carlo. Mas sim, este Australian Open marca um Nadal modificado e evoluído, para mim sua melhor versão em quadras duras.

      Responder
  6. Jonatas Bruno

    Segue o script: Percorrer os atalhos, frente as maratonas e assim chegar mais rápido, rumo ao destino final. O nobre espanhol natural da ilha de Mallorca, tem pressa, quer chegar logo aos 18 (em games e em G.S.). Novos tempos,senhoras e senhores… Novos tempos!

    O grego até que tentou agregar, se empenhou em buscar soluções, porém Nadal tinha resposta pronta pra tudo.
    Frustrou minha expectativa, mas o tênis tem dessas coisas. Tsitsipas ainda tem um longo caminho a percorrer e essa derrota certamente o faz ganhar em experiência. Que saiba tirar frutos em cima disso.

    Enquanto no feminino, Serena desmontou a minha tese. Nem mesmo o equilíbrio demonstrado em quadra, ajudou-a a capitalizar, nem mesmo os já conhecidos predicados.
    Ainda assim, terei a oportunidade de presenciar uma final decente, entre duas tenistas que demonstram simpatia e principalmente bom volume de jogo. Quem ganhar estará de bom tamanho, ainda que fico um pouco mais pela Kvitova pela vibração e superação. Vale ainda a liderança! Sensacional! Que brilhem!

    Dalcim, Castelo de Osaka ou Castelo de Praga? rs

    Responder
      1. Jonatas Bruno

        Sim,Dalcim,já estava ciente. Em síntese, a intenção não se consistiu em induzi-lo a tomar partido, mas sim eleger o melhor projeto arquitetônico. Pelo menos, neste sentido, fica bem mais fácil optar, não é mesmo?
        Faltou clareza, falha minha.
        Abraço.

        Responder
  7. Cassio

    Vejo o pessoal nessa empolgação com o saque do Nadal, beleza, melhorou! Mas até que ponto isso vai incomodar Djokovic?

    O sérvio sempre lidou muito bem o saque do Roger nos últimos jogos de Slam que fizeram, vai passar apertado com o do Nadal pq?

    Respeitem.

    Responder
    1. Sérgio Cipriani

      Não dá pra vc comparar saque de Roger e Rafa, pois jogam de maneiras muito diferentes. A questão que vc tem que ponderar é a seguinte: se com saque inferior ao atual, Rafa já dava jogo ao Djoko, que efeitos a melhora desse saque capenga terá sobre o confronto entre eles.

      Responder
  8. João ando

    Nao vi o jogo …foi um atropelamento …pelo jeito …agora perguntar para o dalcim ja imaginando qual é a resposta não precisa perguntar ne?…vou ttorcer para o novak ganhar o ao e para a Osaka no feminino

    Responder
  9. mauricio

    Dalcim bem interessante essa entrevista do Tsitsipas não achou? parecido com as entrevistas do Federer né? bem objetivo e claro, responde o que foi perguntado e não usa aquelas frases prontas e padrões kkk
    Com relação ao que ele disse, parece que é bem essa sensação que não só o Federer como Djoko, Murray, etc tinham quando enfrentaram ele das primeiras vezes não acha?

    Responder
  10. Mike

    Rodrigo S. Cruz
    Primeiro, improvável é diferente de impossível.

    E ao contrário de você, eu não falei com arrogância, seu bobo alegre…

    ___________________________________________________________________________________

    Meu querido, o que você quiser abstrair apenas de uma risada ( que foi a minha resposta) é por sua conta, em nenhum momento eu disse que você havia dito que achava impossível, ou falei algo com ”arrogância”, pois nem falar algo eu falei, eu apenas ri da afirmação, você interprete-a como a quiser, problema é seu. Agora querer usar esse ar moralmente superior pra falar de arrogância, vindo de você é piada, pois o que tem comentário debochado e de arrogância seu com outros membros neste blog não está escrito, ninguém é intocável aqui meu filho, ainda mais você que tem um telhado de vidro.

    Responder
  11. Pedro

    Dalcim,

    Como eu disse duas vezes em posts passados, Nadal ganhou em sets diretos pelo grego. Aliás, não sei como as pessoas, e até a imprensa especializada, acharia que ia ter jogo. Resultado foi um massacre, quebrando mentalmente o grego. O jogo com o Federer não serve como parâmetro. O suiço está com golpes lentos, um sinal claro do que sempre foi, e que agora está piorando com a idade e com o nível cada vez mais alto do esporte. Resumindo, para o suiço já é ano de começar a ir embora. Em relação ao forehand, ninguém fala muito, mas este golpe do Nadal, é um dos melhores de todos os tempos, com efeito e colocação raros. Em relação a possível final com o Djokovic, acredito que Nadal seja favorito, ganhando em 4 sets.

    Responder
  12. Roger Fedeiros - O Homem?!

    “… é preciso ser homem. Coisa que você não é… ”

    Santa CRUZ em credo Robin! Pra que tanto stress “homem”???… Que Coiso! Eu hein?

    Vai procurar uma quadra e bater na amarelinha… ou assistir Jovens Titãs… Quem sabe vai te fazer bem! Ah… bater na amarelinha quer dizer jogar tênis… só isso… Não é pra sair batendo em ninguém não hein?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Muito grato, fake…

      Prefiro fazer coisas um “tantinho”mais legais, e que Nerds de cara enfiada no PC não fazem.

      Tipo: trabalhar, curtir uma balada, pegar mulher…

      Experimente algum dia desses, acho que te fará bem.

      (rs)

      Responder
  13. DANILO AFONSO

    Sou torcedor do NOVAK, mas torci hoje para o NADAL. Se a final esperada ocorrer, eventual título do sérvio será mais valorizado, e se perder, NADAL se aproximará dos 20 Slams de FEDERER.

    Valorizo muito a garra, consistencia e mental do sérvio, mas sei que tais atributos também são encontrados no espanhol.

    Quero muito que NOVAK ao final da carreira ultrapasse ou chegue perto dos 20 Slams, mas se não for possível, esse recorde flcairia bem também nas mãos do obstinado NADAL.

    Me contentaria se NOVAK ultrapassasse o recorde de semanas como n.1, o que acredito ser mais atingível, e que ocorrerá em 2020 ou 2021.

    Já pensou NADAL recordista de Slams e NOVAK de semanas na liderança, e os dois colecionando mais um bocado de Masters 1000 e Finals ao final da carreira ?

    Se isso acontecer, a disputa pelo título de GOAT gerará muitos debates entre torcedores e especialistas do tênis, não sendo nenhum absurdo que o suíço viesse a ser citado menos que os outros dois.

    Responder
  14. Maurício Luís *

    *** OUTRO RECADO PROS SECADORES DA SERENA ***
    Sim, de fato, ela tem o traseiro grande. Mas muito pequenininho se comparado com a vossas LÍNGUAS!

    Responder
    1. Chetnik

      Para te responder o outro comentário. Sim, sempre é tempo de mudar, eu só não acho que o fato dela não ter dado outro piti alguns meses após o do USO seja prova, como você deu a entender, que ela “mudou”.

      Aliás, nem acredito nessa mudança, pois acho que a natureza dela é essa mesma.

      Responder
      1. Maurício Luís *

        Pois é, Chetnik. Temos opiniões diferentes. Eu acredito que ela mudou, você não. O tempo vai dizer qual de nós dois estava certo.

        Responder
  15. antonio gabriel

    Nadal foi surreal hoje e apenas Djoko poderá para-lo, mas terá que vencer amanha. esse criterio do AO é meio ridiculo, de jogar as Semi em dias diferentes dando mais tempo de descanso a X ou Y. Honestamente acho Nadal muito favorito pra domingo, mas……

    Responder
  16. Heitor

    Dalcim, não sei se já fizeram essa pergunta, não me lembro, então la vai:
    De maneira bem tosca, poderíamos comparar o BIG 3 e a NextGen pelas características de jg, dessa forma: Tsitsipas corresponderia ao Federer, o Thiem ao Nadal e o Zverev ao Djokovic? Tô viajando ou faz sentido? Seriam eles o BIG 3 do futuro?

    Responder
  17. Marco

    Sou torcedor do Djokovic, mas o que o espanhol está jogando é um absurdo. O cara ganhou 90% de pontos no primeiro saque, não correu qualquer risco no jogo inteiro.
    Nunca vi seu backhand estar tão sólido e poderoso (andando mt a bola) quanto o de hoje (nesse AO). Vejo muito difícil o Djoko vencer o Nadal se eles continuarem jogando o que estão apresentando. Nadal está em sua melhor versão e ainda poupando o físico

    Dalcim, esse saque mais chapado ao invés da bola cheia de efeito não favoreceria, em teoria, a devolução do sérvio?

    Infelizmente, para mim, acho o Nadal o grande favorito ao título.

    Responder
  18. Adriano Souza

    Dalcim, a alguns anos atras, uma jornalista francesa disse q o Nadal ficou 6 meses afastados das quadras, porq sabe que seri pego no antidoping
    Eu acho o fisico do Nadal desproporcional pra um jogador de tenis
    O Djokovic e o Federer não precisam praticar fisiculturismo pra fazer a bola andar mais rápido, são verdadeiros tenistas.

    Responder
  19. Adriano Souza

    As Nadaletes fazem vistas grossas para a parte fisica do Nadal
    Não percebem q os outros adversarios estão em desvantagem fisica quanto a ele
    O cara pratica fisiculturismo

    Sem falar tambem do claro favorecimento da organização a ele, dando-lhe 2 dias de descanso, enquanto o outro só tera 1.

    Porque não colocaram as semi finais no mesmo dia?

    Responder
    1. Chetnik

      As semi lá sempre são em dias diferentes…eu particularmente acho que o número 1 deveria ter essa “vantagem”. Mas o Federer era o “atual campeão”, então dá para defender as chaves.

      Por outro lado, em 2012 foi um escândalo. Djoko era o número 1 do mundo e atual campeão, e ainda “caiu” na chave que joga depois. Foi claramente prejudicado, apesar de ter vencido.

      Responder
  20. Chileno

    Realmente, Nadal está voando. Tsitsipas vinha jogando muito bem e não deu nem pro cheiro. Claro que no provável confronto com o sérvio, é outro esquema. Mas HOJE, considero o espanhol favorito mesmo, e com todos os louros. Veremos o que o sérvio apronta na semi.

    Responder
    1. Chileno

      Digo mais: se Nadal mantiver esse jogo agressivo e ousado, eu torço por ele na final (provavelmente) contra o Djoko. Ah… dá licença!

      Me dá uma raiva de ver os vídeos do Djoko 2011 marretando a amarelinha, e ver ele agora lá correndo pra lá e pra cá e devolvendo até o cara errar…

      Responder
  21. Neto

    Só acompanho tênis pelo seu blog, acho seus comentários perfeitos, sou fã do Federer, mas uma coisa tem que ser dita, Nadal realmente impressiona a gente , sempre busca uma forma de se reinventar, torcendo por ele na final, e vc Dalcim, tem alguma preferência caso a final se concretize entre os dois?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não teria uma preferência porque acho que ambos têm espetaculares façanhas a concretizar. Quero acima de tudo uma grande final, daquelas históricas. Mas aguardemos a outra semi…

      Responder
  22. Chileno

    Ao Sérgio Cipriani:

    Hoje, Federer é maior. Ponto. Detém os maiores e mais relevantes recordes do esporte. Simples assim. Será pra sempre? Não sei. Vai que Rafa ou Novak vencem mais 12 Slams cada um… se um deles igualar ou ultrapassar os Slams, pode virar subjetivo. Digamos que Rafa chegue a 22 Slams e Federer se aposente com os mesmos 20 que tem hoje. Aí acho que pode ficar bem subjetiva a discussão concorda? Existiriam argumentos para se considerar Nadal maior, como o recorde de Slams, maior vencedor de um mesmo Slam, medalha olímpica, mais Masters… e existem outros argumentos para se considerar Federer maior, maior vencedor de 3 dos 4 Grand Slams na Era Aberta, mais semanas consecutivas na liderança, mais semanas na liderança, mais Finals, etc.

    “Sentando em números”. Bom… estou apurando fatos e analisando os números. Números não dizem tanto assim, se você olhar pra eles de maneira simplória. Do contrário você provavelmente cometeria o erro daquele caricato dirigente de time que aparece nos cases que, ao ver que o time dele está sendo rebaixado, tomando uma média de 7 gols por jogo, vai lá e sem pensar duas vezes, demite o goleiro. Vende até as calças, endivida o time por 3 anos e contrata o melhor e mais caro goleiro do mundo. O time passa a tomar 5 gols por jogo, e ainda assim é rebaixado. Será que o problema era o goleiro?

    Voltando a Federer e Nadal. Ok. Nadal tem larga vantagem no saibro. Federer tem pequena vantagem no cimento, e pequena vantagem (numa pequena amostra) na grama. E sim. Federer é freguês de Nadal. Eu concordo com isso. Mas acho que é relevante se perguntar por quê. E nna minha opinião, se eles tivessem jogado menos vezes no saibro, e mais vezes na grama, por exemplo, é muito possível que esse número seria diferente. Te pergunto: se Federer e Nadal tivessem jogado 15 vezes na grama, quantas vitórias você acha que teria pra cada lado?

    Responder
    1. Leo Gavio

      No meu entender DJokovic já é maior que o Federer. Obviamente numericamente Federer está na frente porque o volume de partidas é maior, são 6 temporadas a mais, sendo que essas 6 temporadas a mais foram numeros obtidos na entressafra de 2001 a 2007, quando Agassi, Sampras e Guga ou se aposentaram por idade e desempenho fraco ou por contusão.

      H2H Positivo contra todos os tenistas grandes de sua epoca, incluindo Federer e Nadal.
      14 Grand Slams
      recorde de vitorias consecutivas, 43 incluindo varias vitorias sobre o n1 e n2 do ranking à epoca
      H2H positivo contra Federer em slams
      Unico tenista a obter o Grand Slam em superficies diferentes em sequencia
      Unico tenista que ganhou varias partidas no saibro contra Nadal
      Unico tenista a vencer Federer duas vezes na final de Wimbledon
      Maior vencedor do Aopen
      Tetra campeão em Wimbledon. 2 vitorias contra Federer e 2 contra Nadal

      Só falta ele vencer Nadal na final de RG.

      Ele é o unico tenista do Big 3 que nunca perdeu para um dos outros dois no Aopen, e é o unico do Big 3 que venceu os outros 2 em todos os slams.

      Djokovic venceu Federer e Nadal nos 4 grand slams, Djokovic nunca perdeu para Federer ou Nadal no AOPEN.

      Responder
    2. Miguel BsB

      Concordo com quase todo seu argumento Chileno. Só acho que, se tivessem mais confrontos na grama entre eles, seria mais equilibrado, com vantagem pra Federer, ao contrário da lavada que o espanhol tem no saibro…

      Responder
  23. Gustavo M.

    Dalcim,

    embora torça pro Federer, dois dos meus tenistas favoritos (Pouille e Kvitova) fizeram grandes campanhas, cada um proporcional ao seu currículo, obviamente.

    Com relação à Kvitova, fico muito feliz que ela esteja tão próxima de voltar a vencer um Slam e finalmente chegar ao topo do ranking, posição que, salvo engano, escapou-lhe por um punhado de dois dígitos de pontos, logo após conquistas o Finals de 2011, no ano em que também venceu Slam. Wozniacki ponteava o ranking naquele momento. Quem diria que a talentosa canhota estaria novamente a um jogo do feito, sobretudo, após o incidente com a preciosa mão esquerda.

    Já a campanha do Pouille me cria alguma esperança de ver aquele que, na minha opinião, é um tenista completo e de golpes plasticamente muito bem executados, conseguir resultados sólidos e – quem sabe – grandes conquistas. Não acho que terá chances contra o Djokovic, mas é um início alvissareiro do trabalho com a Mauresmo. Além da confiança que parece ter voltado, ele está claramente mais leve que no ano passado, período em que claramente me pareceu “gordinho”. Vc espera um Pouille se firmando top10 nos próximos anos? Te agrada o tênis do francês?

    Enfim, apesar do início de ano ruim do Federer e do (cômico) novo Brasil que alguns vinha falando, há fatos positivos nesse janeiro.

    Um abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ah, sempre gostei muito do Pouille, lembro de ter escrito algumas vezes que o considero um jogador de grande capacidade, mas que lhe faltavam mental e preparo físico. Tenho muito esperança, Mauresmo já provou sua competência.

      Responder
  24. Chetnik

    Dalcim, diante da performance arrasadora do Nadal, você vê o Djoko pressionado para ter uma performance similar que lhe dê moral equivalente em uma eventual final? Ou você acha que um cara com a experiência, capacidade e curriculum ignora isso? Digo, no sentido de só pensar em fazer o dele na semi e vencer, sem pensar em “mandar mensagem” para ninguém?

    Responder
  25. Rodrigues

    Dalcim

    Tenho 70 anos, acompanho tênis desde a década de 70, assisti grandes jogos e acompanho a evolução desse esporte, tanto na parte material quanto humana e nunca presenciei uma transição de geração tão complicada como a atual.
    Sempre aparecia um , dois ou três moleques “insolentes” para desbancar os líderes e formar uma nova geração.
    Assim foi com Michael Chung, McEnroe, Agassi, Guga , Federer, Nadal, Djoko…
    Agora isso está difícil de acontecer….e se Wawrinka, Murray, Tsonga, Del Potro conseguirem adquirir a antiga forma física, vai ficar mais difícil ainda…
    Passo grande parte do ano nos EUA e a ESPN está transmitindo todos os jogos em diferentes canais. Tenho assistindo desde os cadeirantes até a chave principal. Tenho dado atenção aos jogos dos juvenis e o que vejo é extramente preocupante…um monte de garotos sem personalidades, sem golpes especiais, sem criatividade e, principalmente, passivos. Perdem o primeiro set e desistem.
    E olha que a maioria tem patrocínio das grandes marcas, vejo pelos uniformes. O que significa que o problema não é falta de dinheiro.
    Se um Nadal, um Agassi, um Federer tivessem a oportunidade de jogar uma semi de um Slam contra um dos cachorros grande da época, não iriam tremer como esse tal de Tsitsipas ou outros que tiveram a oportunidade (Sverev, Coric, etc).
    Na minha opinião, falta para essa molecada uma coisa que o Nadal, Djocovick e até o Federer tem de sobra…sangue nos olhos!”
    A continuar dessa maneira, logo logo não haverá mais os torneios de “Master” (muito divertido, por sinal, assistir Leconte, Murani, e outros), porque os “velhinhos continuarão a jogar a chave principal. Alguém duvida que nada, Djoco e companhia ainda jogam por mais uns 7 a 10 anos? Com certez jogarão até quebrar os recordes de Federer….

    Responder
  26. André

    Isso de chegar na final sem perder sets, ou jogando melhor até o jogo final não conta nada… Federer chegou em várias finais com o pé nas costas e depois perdeu do Nadal… Nadal também chegou fazer torneios impecáveis e perder a final pro Djoko… a única certeza, tratando-se dos 2, é sangue nos olhos!! certamente não baixarão a guarda mesmo com um 2×0 contra!

    Acho que o Djoko já conhece bem o “caminho das pedras” e daria 55% a 45% pra ele. Em Wimblendon, Nadal atacou muito… estava bem mais ofensivo que o Sérvio, jogou mais bonito, mas esse “jogo de resultado” que o Djoko faz costuma dar resultado!

    Responder
  27. Vinicius

    Dalcim, a organização do australian open colocou uma semifinal hoje e a outra amanhã. Ou seja o Nadal vai ter um dia a mais de descanso que o outro finalista. Você não acha que seria o mais correto as duas semifinais acontecerem no mesmo dia?

    Responder
  28. Lunard

    Prezado Dalcim,

    Uma pergunta bastidores caso você saiba me responder, tenista TOP assiste jogos de outros rivais, neste caso especifico, será que a galerinha do Djokovic assistiu, comenta entre eles sobre esse retorno agressivo do Nadal? fazem algum treino secreto já visando um possível confronto pra tentar anular as novas armas? ou esse papinho milongueiro que só pensa no próximo adversário é verdade?

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Obs: Pior que ele vai dizer que é o Palestra sem mundial.
      rs.
      É só para descontrair…
      Toda vem um falar que um dos Big-3 é protegido pelo Dalcim…fala sério!

      Responder
  29. Márcio Cerqueira

    Dalcim, eu como praticante da modalidade , fiquei “assustado” e feliz de ver o nível q o Nadal tem jogado nesse AO , é impressionante !! Tá muito agressivo , defendendo como sempre , voleando bem , poucos erros pra quem é agressivo , sacando bem e um leão mentalmente !! Talvez o Melhor Nadal q eu já vi jogar !! Tsitsipas q é um baita jogador com saque e direita excelentes n conseguiu nem brincar com ele , incrível !! Com esse nível do Nadal , embora Djokovic seja talvez o grande jogador em quadra Dura , n acha q pelo nível q tá jogando seja pelo menos 50% pra cada ?? Acho q vai ser nos detalhes , espero outra batalha de 5 sets!!

    Ps: Mesmo sendo torcedor do Federer , um título do Nadal seria merecido !

    Responder
  30. Chetnik

    Esse Osaka joga muito. Uma máquina de winners. Aliás, Dalcim, você não acha que, para uma jogadora de caracterísiticas tão ofensivas, a Pliskova faz “pouco” winners?

    Tchau, Collins. Tem uma cara de americana sonsa e dissimulada. E aquela mania de trocar a raquete no meio de game que tá apanhando, pqp.

    Responder
  31. Valmir

    Depois que o Tsistsipas derrotou o Federer, o site… Tennis.com… fez uma entrevista com Navratilova
    abordando o tema da… passagem da tocha… do Federer para o Tsitsipas.
    Ela concordou, dizendo que, da nextgen, o Tsitsipas é o que mais encarna o espírito do Federer.
    Jogo agressivo… backhand ferino de uma só mão… voleios… subidas à rede… etc.

    Depois do jogo de hoje… dá para acrescentar mais algumas coisas à similaridade…
    a) Trauma do Nadal
    b) Semi 2019 muito parecida com os 6×1 6×3 6×0 da final de RG 2008… até pneu teve novamente.

    Responder
  32. Chetnik

    Que surra. Tô me sentindo um idiota de ter achado que poderia haver uma surpresa no jogo, kkkkk. Uma vergonha a performance do Tsitsipas. Todo borrado, nenhuma estratégia, sem nenhum preparo psicológico na partida, jogo de base nulo. Não conseguia trocar 5 bolas. Mas é sempre bom ver a cara desses bebês chorões da “next gen”, kkkk Esses caras nunca vão “tirar” o Big 3 do circuito. Vão herdar os títulos quando o Big 3 não conseguir mais andar em quadra e se retirar do circuito.

    Nadal precisou de dois saques do Tsitsipas para fazer o que o Federer não conseguiu em 6 jogos, kkkk. Vamos ser sinceros, o Federer, comparado ao Touro, é um mendigo. Não tem nenhum parâmetro de comparação. Os caras crentes que o Federer venceria a semi por conta de 2017, contra aquele Nadal meia bomba, kkkk. O Nadal de hoje arrasa qualquer Federer da história, que teria dificuldades de fazer 10 games no jogo. Federer escapou de uma boa.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Você vinha muito bem, até chegar no segundo parágrafo.

      Mas vamos lá:

      1) Sim, o Federer deste Australian Open 2019, dificilmente venceria o Nadal deste Australian Open 2019.

      Esta é a minha opinião. O momento do Ogro é bem superior, ao meu ver…

      2) Porém, não. O Nadal de 2017 não era meia-bomba droga nenhuma.

      Era número 1 do ranking, ganhou 2 Grand Slams naquele ano; além de Masters, e outros torneios…

      Responder
    2. Carlos

      Queria ser mendigo como o Federer – 20 slams, 110 milhões de dólares em prêmio na carreira, 99 títulos de simples, mais de 300 semanas como número 1 (300 semanas dá 6 anos!), etc, etc.
      O melhor Federer foi um tenista incrível, que dominou o tênis por bons anos…
      Enfim, devemos exaltar os feitos desse tenista histórico.
      E também saber reconhecer os méritos do Nadal, outro grande tenista, também com seu nome na história. Nadal é um dos maiores de todos os tempos, mas como tenista eu prefiro o Roger Federer na carreira como um todo. Eu acho o Federer mais craque e gosto mais de vê-lo jogar. Mas isso não desmerece o Nadal, que é um baita tenista com muitos recursos e, principalmente, um físico invejável, que se impõe como ninguém.

      Responder
    3. André Barcellos

      Kkkkk
      Aí vc foi longe. Se esquecem que o saque do Federer é mais colocado, não da pra o Nadal ficar tão atrás.
      Aliás, foi o que o espanhol fez nas 5 piabas consecutivas que levou do suíço.
      E que o forehand calibrado do suíço, bem como o backhand em dia, andam mais e mais angulados que o grego.
      Enfim, a falta de memória é uma coisa chata…
      Mas Nadal daria trabalho sim pra o Federer.
      O Federer de hoje nessa quadra com essas bolas?
      Não creio que derrotasse o espanhol…

      São por esses e outros comentários, inclusive do próprio Nadal em entrevistas se referindo ao Federer, é que não dá pra torcer pelo espanhol.
      Parece que pra alçarem o Nadal ao posto de fenômeno tem que diminuir o suíço.
      Como se os feitos de uma anulassem os do outro.

      Responder
  33. Felipe Velasquez

    Perfeita análise Dalcim!
    A se confirmar a final entre Nadal e Djokovic, eu gostaria de fazer as seguintes perguntas:

    1. Quem pegou os adversários mais trabalhosos no caminho para a final, neste AO/2019? Nadal ou Djokovic?
    2. Nadal está jogando igual ou melhor do que na semifinal de WB/2018? (naquele jogo ele também apresentou um grande arsenal de golpes ofensivos);
    3. Novamente vou perguntar sobre o novo saque: Dalcim, é a principal arma do jogo agressivo do espanhol?
    4. Apesar de estar arrebentando os adversários, tenho que concordar que o Djokovic é como uma kriptonita para o Nadal (ele abala a confiança do espanhol). Mas, o Nadal só sofreu duas quebras o torneio inteiro. Na sua opinião, quem está jogando melhor e quem leva ligeiro favoritismo na final?

    Abraços e Parabéns pelos excelentes textos (vc devia escrever um livro sobre o BIG4 ou BIG3!rs).

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      1. Em termos de ranking, Djokovic. 2. Sim, com certeza melhor. 3. Sim, porque a partir daí ele tem desenvolvido muito bem, ainda mais se já consegue jogar com o forehand. 4. Vamos esperar a semi do Djoko. E obrigado pela sugestão, mas acho que precisamos esperar a história terminar… rsrs… Abs!

      Responder
  34. Marcelo-Jacacity

    Li agora a íntegra da entrevista do Tsitsipas e basicamente ele disse que parecia outra dimensão de tênis praticado pelo espanhol. O grego ficou atordoado.

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Tsitsipas em entrevista há pouco:
      “Ele não dá ritmo a você. Ele joga um estilo de jogo diferente dos demais jogadores. Ele tem isso, eu não sei, talento que nenhum outro jogador tem. Nunca tinha visto um jogador assim. Ele faz você jogar mal. Não sei. Eu chamaria de talento.”
      “He gives you no rhythm. He plays just a different game style than the rest of the players. He has this, I don’t know, talent that no other player has. I’ve never seen a player have this. He makes you play bad. I don’t know. I would call that a talent.”
      Fonte: https://ausopen.com/articles/interviews/stefanos-tsitsipas-sf-interview

      Responder
      1. Chetnik

        Tsitsipas é Nadalete. Que história é essa de falar que o Nadal tem talento? Todos os especialistas zumbis sabem que ele só tem correria, balão e “açaí”, kkkk.

        Responder
        1. Sérgio Cipriani

          kkkkkkkk Se era nadalete eu não sei… Mas, depois dessa aula grátis no clube, e a entrevista em que abriu o coração, com certeza virou fã de carteirinha… kkkkkk

          Responder
        2. Marcelo-Jacacity

          hehehe.

          Chetnik, que amanhã Djokovic faça o serviço logo e despache o Pouille rapidamente.

          Que beleza, amanhã é feriado em Sampa e poderei acompanhar ao vivo!

          Responder
  35. Miguel BsB

    Dalcim e colegas: O que estamos vendo o Nadal jogar nesse AUSopen é algo fora de qualquer padrão…É um absurdo!
    Vi 3 jogos dele, inclusive o de hj contra o grego, e vou cravar: Para mim, essa é a versão Top de Linha do espanhol. A melhor versão, a definitiva!
    Assim como a versão Federer 2017, principalmente na Austrália, foi sua versão top de linha, (a meu ver), em termos técnicos, agressividade, um backhand matador e afiadíssimo, esse Nadal 19 tá nessa linha Prime. Não tem buraco algum no seu jogo. O backhand tá arrebentando, capaz de gerar diversos winners, e segurar os ataques feitos a ele. Tanto é que ele nem tá mais saindo tanto da “esquerda” pra bater um inside out ou inside in. Nem precisa mais se desgastar tanto.
    O forehand, o tradicional… pesado, desconcertante, capaz de afundar o adversário lá no fundo, fazer winners, angular, um dos melhores forehands da história…
    Jogo de rede, que sempre foi subestimado, calibradíssimo…
    Ele deu um jeito de melhorar o saque que realmente está rendendo muitos pontos de graça e abreviando os games. Nesse jogo, ele fez o msm número de aces que o grego, que é considerado um grande sacador.
    A entrega, a garra, a capacidade física, de defesa e contraataque, à moda da casa!
    Olha, para alguém conseguir tirar esse título do Rafa, vai ter que jogar um tênis sobrenatural, o mais próximo da perfeição. Se for o Djoko, e ele tb elevar seu nível ao qual conhecemos, essa tem tudo pra ser umas das maiores finais de tds os tempos. talvez melhor que a de 2012…

    Responder
    1. Chileno

      O voleio do Nadal sempre foi muito bom. O problema é que ele só ia à rede quando o adversário dele arriscava uma curtinha. Do contrário ele ficava plantadão lá na base batendo spin indefinidamente.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Sim, como eu disse, era subestimado. Acho que o Nadal voleia bem já há alguns bons anos.
        Aliás, ninguém é campeão olímpico de duplas se não souber volear rs

        Responder
  36. Eduardo

    Dalcim
    Vendo a forma como o Nadal passou por cima do Tsitsipas, parece-me que dos tenistas do Big 3 o Nadal é aquele que a NextGen mais tem dificuldade para vencer… não sei se tem uma estatística sobre isso, mas a impressão que dá é de que para ganhar do Nadal esses tenistas ainda vão precisar jogar muito contra ele, como aliás aconteceu com o Djokovic, que com o passar do tempo reverteu esse H2H.
    Sobre os próximos jogos, acredito que o Djokovic vai levar fácil, fazendo seu melhor jogo no torneio, por inclusive estar muito motivado pra vencer o Nadal de novo. Na final acredito que o Djokovic leva apertado, assim como aconteceu em Wimbledon.

    Responder
    1. João

      A vantagem é ele ser canhoto, isso bagunça a cabeça do adversário destro. Posicionamento, estratégia, tática… nesse caso tudo fica diferente. Por outro lado, esse canhoto como só joga com destros, sabe muito bem o que fazer. Note que a diferença física nem abordei pois é um absurdo.

      Responder
  37. Marcelo-Jacacity

    Conversei com três amigos Federistas há pouco e perguntei a eles e agora com Nadal na final?
    Eles disseram quase em uníssono: “somos Djokovic desde criancinha!” rs
    E ainda disseram que apesar de terem ficado pê da vida com o sérvio após derrotas duríssimas do Federer nas finais em Wimbledon-14/15 e USOpen-15, Novak é o único que pode impedir Nadal de ultrapassar o suíço.
    Bom, antes de tudo, Djokovic precisa vencer Pouille.
    Não assisti nenhum jogo desse renovado Nadal…mas já do que eu vi do sérvio, ele não está jogando muito bem.
    Vamos ver…

    Responder
  38. V Mauricio

    Boa tarde Dalcim
    Eu confesso que não esperava que Nadal, a esta altura da carreira, pudesse chegar numa final de Slam fora do saibro sem perder sets. Você sabe se ele já tinha conseguido isso? Acho que não. De qualquer forma, me surpreendeu muito a facilidade desse jogo de hoje. O grego parecia um juvenil iniciando no esporte em um clube perto de casa. Ainda acho que ele podia ter jogado bem melhor, mas reconheço que o Nadal soube anulá-lo muito eficientemente. Curioso que na entrevista pós-jogo, Tsitsipas disse que não consegue entender como Federer já ganhou tantas vezes de Nadal, se tem um estilo parecido com o do grego. Independentemente de 2017, o h2h ainda é muito favorável ao touro.
    Dito tudo isso, ainda vejo Djoko muito favorito Domingo, a não ser que ele nem chegue lá, o que seria uma zebraça sem tamanho.
    Parabéns pelo blog, que considero o melhor na cobertura do nosso amado esporte.

    Responder
  39. Olhar de torcedor

    Dalcim acompanho seu blog ha muito tempo. Fantastico….. trocaria dois titulos do Nadal em RG por esse de 2019 no AO. Ta na hora!!! Vamos pra cima!!! No ultimo WB o que determinou a vitoria de Djokovic foi o saque salvador em break points…. foram vaaariooosss….
    Torcendo amanha pra um jogo de 6 horas na semi e com 5 Tie-breaks……força Rafa!!!

    Responder
  40. Gabriel Tenista

    “Nadal esteve muito agressivo no fundo. Aproximei-me um pouco no segundo set, mas sentia que ele estava em outra dimensão tenística. Não te dá ritmo. Joga em estilo diferente do resto. Ele tem um talento que nenhum outro jogador tem. Ele te faz jogar mal. Diria que isso é um talento”. Tsitsipas em entrevista após a partida.

    Responder
  41. Miguel Ângelo Pereira Delfes

    Perfeito resumo Dalcim..
    Sou torcedor do Federer mas..vejo q em breve..Nadal vai deixar Federer p trás em GS..
    Não duvido tb q o ultrapasse em semanas como número um..
    Dificilmente o ultrapassaria em Finals..
    Sendo assim..creio q..mantendo este nível impressionante de tênis..Nadal passará a ser o melhor tenista de todos os tempos..
    O jogo de hj foi um massacre..
    O q R Federer não conseguiu fazer..Nadal fez com sobras..
    Deixando de ser tão defensivo..passando a ser mais agressivo..seu exuberante tênis vai longe como o melhor..na minha opinião..
    Se tivesse adotado esta postura..ele certamente já teria conquistado campanhas melhores..vc concorda ?
    Djokovic é mestre em ganhar de Nadal..mas..vai ter q jogar muuuuuito p tirar este GS q acho já ter dono..
    Parabéns pelo Blog..

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, é bem possível. Mas você pode dizer o mesmo dos outros, como a demora do Federer em trocar de raquete ou o grande hiato de Djokovic a partir de 2016.

      Responder
    2. Fonseca

      Para passar o Federer em semanas como número 1, primeiro terá de passar Djokovic, que não dá sinais de entregar o osso, já está fazendo calendário mais enxuto e aparentemente deixou para trás contusões no cotovelo e dilemas espirituais com o guru espanhol..

      Responder
    3. Chileno

      Grand Slams eu acho possível mesmo. Mas semanas na liderança eu acho bastante difícil. Nadal teria de ficar mais de dois anos na liderança do ranking ainda, e ele normalmente tem grandes dificuldades no segundo semestre. É bem comum ele encerrar a temporada antes, ou chegar todo baleado nos últimos torneios. No momento, a liderança descansa confortavelmente no colo do Djokovic, e dificilmente mudará de mãos até o US Open, creio eu.

      Responder
  42. André

    Como disse no post anterior, Nadal (FEITO!!!!) e Djoko passarão com 3 a 0 sem dificuldade… a final representará muita coisa para os 2… se Djoko ganhar, ficará novamente faltando apenas 1 Slam pra fechar os 4 em sequência – feito enorme, sendo que o Sérvio disse que a meta do ano era ganhar os 4 em 2019… enfim, chegando aos 15 e, voando do jeito que está, se terminar o ano com 17 ou quiça os 18, estará muito perto dos 20 e do record de semanas como número 1… para Nadal, chegar aos 18 e tendo o saibro como próximo Slam, tb já se iniciaria uma contagem regressiva… mas vejo o Nadal muito mais como uma incógnita… muitas contusões em 2018 e nunca se sabe como ele está realmente!!! Mas só um gênio do esporte para voltar assim com tudo mais uma vez!! A final valerá o posto de real desafiante aos recordes do Federer… e pensar que em 2017, quando Federer ganhou do Nadal na final, eu achei que ele tinha conseguido defender o reinado ali e que todos eles estavam numa queda para os novatos!!

    Responder
  43. PIETER

    Embora o mestre Dalcim ainda aponte o Djokovic como favorito, eu ouso discordar e penso que o Nadal, jogando como tem feito neste AO, não tem adversários à altura. Sua atuação nesta semifinal, em que surrou o garoto Tsistsipas, foi surreal. Ele é, de longe, o melhor competidor do tênis e um dos maiores atletas do circuito.
    Óbvio que espero uma final entre ele e o Djoko no domingo; é o que todos nós, amantes desse esporte, estamos esperando.
    Espetacular, também, tem tudo para ser a final feminina entre as ótimas Kvitova e Osaka. Arriscado fazer um prognóstico considerando o excelente nível técnico de ambas , jogadoras de um tênis bonito de ser ver e que nunca se enfrentaram no circuito. A mim, parece que a japonesa é mais forte mentalmente e oscila menos o que, talvez, lhe confira certa vantagem. Mas, ganhe quem ganhar, o título estará em muito boas mãos.
    Salve o AusOpen 2019!

    Responder
  44. jose augusto

    Dalcim, Com todo o respeito, eu só posso dar risada de alguns comentarios de torcedores fanaticos do Cotonete e Federistas, que morrem de medo que o Nadal supere o recorde de 20 slams do Federer. Estão dizendo que o Nadal pode sentir a pressão psicologica de ter enfrentar o Djokovic. Valha me Deus, Nadal é o jogador mais forte mentalmente de todos os tempos. Estão confundindo….. Quem amarela diante do Djokovic é o Federer.

    Responder
  45. Ernesto

    Dalcim
    Parabéns! Sempre aguardo seu blog. Considerações(espero que sejam críticas construtivas, ou simplesmente opinião):
    1. Eu esperava um título diferente para esse post. Nadal chega sem perder sets!, algo assim.
    2. Era obvio que contra back hand de uma mão o Nadal leva vantagem e sabe utilizar isso muito bem.
    3. Excelentes comentários aqui no blog, concordo com muitos, e acrescendo, quanto de aprendizado podemos levar para nossa vida pessoal, vejamos que Nadal mudou seu estilo, vai mais a rede, ficou agressivo, fez ajustes no saque, trocou de técnico. Ou seja, mudança é a única regra da vida.
    4. Seria possível que esse blog tivesse um formato, onde os comentários tivessem “likes”, pois ai, nós iriamos ler os mais “curtidos” e quando houvesse um comentário seriamos notificados que alguém comentou nosso post. Tipo um “facebook do blog do tênis”. 🙂
    5. O feminino tá realmente sempre mais apetitoso, você podia nos última vez que no masculino uma final valia o número 1, nesse ponto o domínio do big 4 é fora de série, quando um cai outros dois sobem.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Esse seria um título factual, Ernesto. Eu optei por destacar o fato de Nadal ter reencontrado um caminho para evoluir e continuar a busca pelos grandes títulos exclusivamente à base de seu próprio esforço. Obrigado pela sugestão, vou verificar a possibilidade técnica. Abs!

      Responder
  46. André Barcellos

    Não sou torcedor do Nadal. Sou do Federer, como alguns aqui devem saber. Mas não há dúvida que o espanhol está com um poderio espantoso!
    Tudo isso aliado ao ingrediente mental e de determinação que o espanhol possui.
    Ninguém esperava esse nível dele. Nem ele mesmo.
    Tsisipas não desistiu do jogo, mas ele claramente não sabia mais o que fazer. Talvez realmente estivesse fora de seu alcance vencer o espanhol.
    A esquerda de uma mão não ajuda. Ele teria que ir pras linhas e volear com maestria, como Federer fez em 2017.
    Mesmo o Federer de 2017, se fosse com essa bola dunlop, talvez não levasse o título.
    Está muito difícil parar este Nadal. Mesmo o Djokovic, que teria que estar num nível impécável e disposto a suar sangue numa final.
    porque Nadal vai pra matar ou morrer, não tem dúvida.
    Acho que a bola mais dura (e mais lenta..andando menos) acabou favorecendo o estilo do espanhol, apesar de dificultar um pouco o spin. O fato é que o espanhol tem a bola muito pesada e está usando esse braço pra acelerar, não apenas pra gerar RPMs.
    Não sei se ele mantem esse ritmo. Mas já não acho impossível que ele alcance os 20 Slam de Federer, embora ainda ache muito difícil. Mesmo pra ele ou Djokovic. Por n fatores que apenas o tempo poderão esclarecer.
    Pela primeira vez não vou me incomodar se Nadal levar mais um Grand Slam. Está merecendo muito.

    Responder
  47. Fonseca

    Após a final do US Open 2013, Nole não perdeu mais para Nadal fora do saibro, como disse Dalcim.

    Foram oito vitórias, 17 sets vencidos e dois perdidos… Mas Wimbledon ano passado foi no detalhe do detalhe do detalhe… e as derrotas para Khachanov e Zverev no final de 2018 mostram que é um Nole diferente… Dessa vez Nadal leva (se Nole passar por Pouille, claro).

    Quando se trata de Nadal, as pessoas esquecem que não se trata de uma pessoa normal. Não no sentido de atleta (óbvio que não é normal como atleta, pois é um dominante do seu esporte – joga pra caracas), mas no sentido de personalidade. É um cara consumido, totalmente dominado, pela vontade de vencer (e por odiar perder). Reclama de calendário, é cheio de TOC, dá afirmações obscuras sobre suas contusões, atrasa noser serviços, faz o oponente esperar desde o sorteio da moeda, grunhe assustadoramente, tem inglês macarrônico, mas o que mais quer é levantar troféus, dominar, vencer, gritar, pensar apenas tênis, se condicionar, se curar, se tratar, treinar intensivamente, prepara o dinheiro para aposentadoria (academia e tal), etc. Se colocar a avó do outro lado da rede ele mete 60 60 60. O cérebro dele é montado diferente.

    Responder
    1. Vítor Barsotti

      “O cérebro dele é montado diferente.”

      Hahaha…..nem fale. Enquanto todo mundo vai relaxando conforme o jogo anda tranquilo, a “besta” vai ficando cada vez mais possuída. rs

      Esse espanhol é um animal mesmo, refestela-se com o banho de sangue.

      Responder
    2. Chileno

      Hahahahahahahaha! Que comentário genial!

      E é verdade. Eu concordo muito com isso. Na minha opinião, Nadal é o mais determinado e obstinado de todos.

      Responder
  48. Gildokosn

    Vimos mais ou menos o mesmo filme em Wimbledon ano passado, eu sei que agora Nadal esta jogando até melhor… porém que momento era aquele da carreira do sérvio? E mesmo assim, abaixo do seu nível máximo o sérvio venceu. Então não da pra cravar favoritismo para o espanhol ainda não.
    E para a tristeza de alguns nolistas que detestam o Federer, la vai Djokovic disposto a proteger o recorde do suíço de novo kķkk
    Uma dica, torçam contra seu próprio ídolo, essa é a hora do recorde do Federer cair hahahahahaha

    Responder
    1. Sérgio Cipriani

      Olha… Chega num ponto que não tem pra onde correr… Se Nole impedir Rafa de se aproximar do suíço, ele desbanca o suíço como maior vencedor do AO e, de quebra, dá um passo importante pra ameaçar o recorde de semanas como nº 1…

      Responder
  49. José Eduardo Pessanha

    Chet e Alessandro, ainda não experimentei o 365. Vou dar uma olhada. Apostei na Pliskova assim que ela quebrou a Serena. Já dava pra perceber que a movimentação da Serena tinha ido pro saco. rs…..mas gostei muito da atitude dela. A impressão que me deu foi que ela usou todas as forças que restavam pra poder chegar até aquele 5/1. Aí perdeu o saque e logo depois o físico.
    Abs

    Responder
  50. Roger Fedeiros - O Jurássico!

    O que andam dizendo em RG:

    “Se desse uma final Tsitsipas X Pouille seria ótimo para o tênis e pra nextGen engrenar de vez, pois, é muito chato e repetitivo ver sempre os mesmos ganhando tudo” (um pouco depois da “Blue” ser eliminado e um pouco antes do “Indominus” fazer o churrasco grego.)

    “CRUZ credo!… Esse cara (O Nadal) parece uma metralhadora sem filtro. Massacrou o grego… kkkkkkk.”

    “Agora a horda tem um novo dilema: Torcer contra o Mozossauro, significa torcer pra o Indominus aproximar do recorde da Blue. Torcer contra o Indominus significa torcer para o Mozossauro ampliar e aproximar ainda mais o número de semanas como number one. (Ô vida cruel!!)

    Responder
    1. Sérgio Cipriani

      Acho que eles vão ter que ter o pensamento de estancar a sangria primeiro… kkkkk No momento, o título do Ogro ameaça mais o recorde de títulos de Slam… Já que tem RG pela frente… Então, torcer pro sérvio vencer o AO e o Nadal recuperar a liderança no decorrer do ano…. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Só menos jurássica que a covardia de não assinar embaixo do que escreve.

      Porque pra fazer isso, é preciso ser homem. Coisa que você não é…

      (rs)

      E de sumir e só aparecer em momentos como esse.

      Credo em cruz, fakezinho…

      Responder
  51. Alexandre Maciel

    Nossa, Dalcim, Nadal voando em quadra. Muito agressivo e finalizando os pontos muito rapidamente. Bem melhor de assistir a essa versão do espanhol. Torcer pro Djoko ter uma semi tranquila e chegar 100% na final, caso contrário veremos mais um massacre do touro.

    Dalcim, como está magra a Kvitova, vou torcer por ela contra a Osaka, gosto muito da Japa, mas ela ainda é jovem e tem muita estrada pela frente.

    Responder
  52. Thiago Rodrigues

    Caro blogueiro Dalcim,
    Acompanho sempre seu blog, porém, dificilmente faço comentários. Hoje decidi participar! Em sua opinião, você acredita que Nadal e Djoko tem chances de empatar e/ou superar os Slams do Federer, ou este ampliar suas conquistas, considerando que os 3 ainda continuam a jogar e dominar o circuito.

    Grande abraço e belo trabalho.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acredito sim, Thiago. Eu escrevi antes de a temporada começar que 2019 era essencial para que Nadal e Djokovic concretizassem esse ameaça e, ao que tudo indica, isso aconteceu já em Melbourne. Abraço e obrigado!

      Responder
  53. Alexandre

    Dalcim, escrevi na reportagem do Nadal, mas gostaria de escrever aqui também. por anos ouvimos estas “mentiras” sobre Nadal e muitos amigos hater do espanhol aqui então ai vai: As 10 mentiras sobre Nadal dos “amigos”do Tenis Brasil.
    1.Nadal é baloeiro!
    2. Nadal não joga bem em quadra rápida!
    3.Nadal só joga defensivamente!
    4.Nadal já acabou ( desde 2014..)
    5.Nadal só sabe jogar no saibro
    6.Nadal só pega pangaré( esta é sempre uma das piores desculpas)
    7.Nadal é sempre beneficiado nos sorteios!
    8. Nadal nunca vai alcançar Federer nos Slam( a se conferir)
    9.Quando Nole passou Nadal nos M1000, ele nunca mais alcançaria Djoko ( se nao me engano está 2 na frente)
    10. Evaldo não passa o dia inteiro pensando no Nadal, ele não o admira!! kkkkkk

    Responder
    1. Daniel

      Olha, os itens 6 e 7 dessa lista se aplicam a esse AO. Nadal pegou uma chave fácil, onde as maiores ameaças saíram antes. Assim como no US Open 2017, chega na final sem ter enfrentado nenhum top 10….

      E claro, isso sem falar nas “novas gerações” que nunca engrenam….

      Meu palpite é que o Djokovic, se jogar no nível da final do US Open 2018 (e não for surpreendido pelo Pouille), vai dar um choque de realidade em quem acha que o espanhol subiu 3 degraus. A conferir.

      Responder
  54. Ricardo - DF

    Rapaz, mais uma vez Nadal some do circuito para “tratar lesão” e volta jogando um tênis sobrenatural. Meus amigos, Murray teve uma lesão séria. Está se aposentando. Wawrinka teve uma lesão séria no joelho, e tem uma enorme cicatriz lá mostrando que houve uma cirurgia. Del Potro teve várias lesões sérias. A volta é sofrida, leva tempo. Mesmo se a lesão não é tão séria assim, a volta é complicada. Nadal é realmente um fenômeno, pois consegue voltar dos seus tratamentos de “lesão” melhor do que antes.

    Responder
    1. Daniel

      Ricardo, pra mim esse sempre foi um dos maiores mistérios do Tênis. Um cara que se “lesiona” direto e continua jogando anos após anos, abusando do físico e sempre voltando melhor das “lesões”. Mas anota aí. Se o Djokovic começar a dominar o jogo, o espanhol vai chamar o médico e fazer caras e bocas. Ano passado vinha voando no AO tb, até a hora que o Cilic começou a dominar…e as ditas cenas começaram. Aí ficou fora um tempo e no saibro, estava tinindo de novo!

      Responder
    2. Fonseca

      É uma ponderação válida, penso eu… A chamada “carreira atrapalhada por lesões” que tanto vem junto com o nome do grande espanhol exige que se defina o que é lesão. Lesão, lesãozona, ou incômodo? Rsrsr
      a. Lesãozona: Guga, Magnus Norman, Del Potro, Murray, Wawrinka, Soderling (mononucleose acabou carreira), Hewitt, Mario Ancic (mononucleose encerrou carreira), Dolgopolov, Martinia Hingis, Monica Seles (lesão física e psicológica abalou carreira) e vários outros que somem porque tiveram lesões gravíssimas, com recuperações difíceis e às vezes seguidas por outras lesões.
      b. Lesões constantes atrapalhando carreira: Nishikori, Monfils, Nalbandian, Raonic, Blake, Gasquet, Cuevas (dois joelhos operados), etc.

      O fato é que foi um semestre inteiro ausente em 2012 (e voltou papando tudo em 2013), e agora quase um semestre inteiro ausente em 2018 (e volta ignorando os oponentes em 2019).

      Responder
  55. Philip Furtado

    Grande mestre,

    Impressionante como o Nadal tem paixão pelo que faz. Já possui seu nome inscrito entre os maiores da história e continua sempre buscando formas de evoluir seu jogo, superando as lesões, a idade e as desconfianças! Talvez ele não seja o mais técnico dos três, mas com certeza é o mais inteligente taticamente e simplesmente um guerreiro incansável. Procuro sempre levar seu exemplo de humildade, busca pelo aperfeiçoamento e determinação para minha vida pessoal.

    Espero que o Djoko passe pra final, e tenhamos um jogo espetacular, digno desses gênios. Mas torço do fundo do coração, que pelo menos dessa vez, o Nadal saia com o título, rsrs.

    Parabéns pela cobertura dos jogos e pelas opiniões, são de uma qualidade diferenciada!

    Abs!

    Responder
  56. Thiago Rodrigues

    Como diz o excelentíssimo narrador da ESPN Everaldo Marques: “Nadal você é ridículo”!!
    Que monstro, que atropelo!! Se será campeão, não ninguém sabe, mais acredito que estará muito bem preparado técnica, física e a priori, mentalmente, especialmente contra o muito provável vencedor da outra semi, Djoko (outro monstro).
    Caso se confirme, tudo indica para uma grandíssima final no domingo. Minha torcida será para Nadal.

    Responder
  57. Marcos Marinho

    A tal troca de guarda não aconteceu, afinal. Desse jogo entre Tsitsipas e o Nadal, ficou claro algumas coisas: Federer realmente está velho, muito lento de pernas e com bolas lentas. Compare as velocidades de bola do espanhol hoje e do suíço nas oitavas, muito diferentes. Além disso, Federer se viu na defensiva pq chega constantemente mal nas bolas. Isso dá a chance do adversário ataca-lo no backhand com facilidade.

    O tempo parece chegar para todos e acredito que chegou para o suiço. Não a-toa não chega numa semi-final de Slam nos últimos três torneios deste quilate. Quanto ao espanhol, Djokovic é especialista em vence-lo.

    Responder
  58. Renan Vinicius

    Nadal incorporou um estilo de jogo extremamente agressivo, só que ao mesmo tempo cauteloso. Está errando um pouco mais, só que é inevitável e o resultado é devastador para os adversários. Talvez Tsitsipas teria alguma vantagem sobre djokovic, mas o nível que o Nadal está (e ainda vai elevar mais na final) arrasa qualquer adversário. Rumo ao 18! Vamo Rafa!

    Responder
  59. Luis Coelho

    Para muitos de nós serve a sua opinião, é assim que aprendemos nas discussões, aceitar que existem opiniões diferentes da nossa e aprender a ver e entender os argumentos apresentados. O Djokovic tem um backhand de duas mãos que equivale bem a um forehand de canhoto. Existem artigos esportivos que comparam o xadrez e o tênis. No xadrez o comum era o jogador de brancas, que começa o jogo, ter uma vantagem significativa, e o jogador de negras tentava igualar o jogo. Nos anos 50, 60 surgiram jogadores como Tahl e Fischer que quebraram esta lógica e jogavam para ganhar mesmo de negras, jogavam agressivamente desde o início e tinham ótimos resultados assim mesmo. Djokovic faz algo semelhante a isto no tênis. Têm uma devolução fantástica e que amedronta todos os tenistas adversários, incluindo o Nadal. Por isto acho que a melhora no saque do Nadal pode equilibrar melhor esta história, embora mesmo em Wimbledon a disputa foi bem igual. Queremos ouvir a su opinião sempre Dalcin

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Luís. Fico chateado quando algumas pessoas queiram apenas ler elogios ou invés de análises. Claro que podem discordar, é justamente isso que engrandece o Blog, mas deixar o fanatismo um pouco de lado faz muito bem!

      Responder
  60. Claudio Bernardo

    Atropelo? Alguém anotou a placa?
    Ou apenas dar força a famigerada expressão – separar os homens dos meninos?
    McEnroe, cadê a troca de guarda?
    Whatever, vimos uma aula de tênis de Nadal. Palmas para o Touro Miúra – Clap! clap! Clap!
    Gostei. Tem que respeitar. Ok, natural e esperado que a nova geração ascenda e busque seu espaço. Mas o Big3 ainda tem muita lenha pra queimar.
    Agora, tem uma dúvida martelando na minha cabeça. Federer realmente está jogando bem, mas abaixo do mínimo necessário para um top5, ou será que Nadal está uns passos bem acima? Acredito que o Federer não perca outro jogo para o grego, este ano, pelo menos.
    Anyway, torcendo para Djoko chegar a final e termos mais um jogo épico entre a geração de ouro.
    Viva o Big3.
    Ajde Djokovic!

    Responder
    1. André Barcellos

      Acho que o Suíço está melhor que no fim de 2018 e ainda bem abaixo de 2017.
      Só vai se dar bem neste ano se acertar a devolução, que não está boa, e voltar a ter mais confiança na base.
      Está sacando muito e voleando magistralmente.
      Mas isso também precisa precisaria ser aliado a quadras bem velozes (com bolas que andem bem), porque hoje em dia o suíço certamente não tem a velocidade nem a resistência pra ficar se defendendo horas a fio por dias seguidos.
      Torneios sob a feição deste estilo: Quadras rápidas cobertas, grama e talvez Dubai, Cinccinnati e Shangai.
      Madri? Talvez também…

      Responder
  61. Fernando Brack

    O mais incrível a observar neste Nadal do AO’19 são as mudanças feitas em seu jogo, coisa que eu não acreditava que ele fosse capaz de fazer, especialmente a essas alturas da carreira. É de se tirar o chapéu pra ele e pro Moyá.

    Tá atropelando todo mundo numa quadra rápida. Imaginem como vai ser em RG.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Eu acreditava…

      Porque não dá nunca pra duvidar desses três: Nadal, Federer e Djokovic.

      É só lembrar:

      1) o que o Federer fez em 2017. E do fato de com 37 anos, jogar tudo que joga…

      2) o que o Djokovic fez de alguns meses pra cá, ganhando majors e surrando todo mundo.

      A verdade, é que é uma perda de tempo tentar diminuir qualquer um deles, em detrimento do outro.

      Os três têm qualidades incomparáveis… Eles são FORA DA CURVA.

      Ontem, eu me deparei com um comentário inacreditável.

      Teve um dizendo que o Federer não fez nada demais em ganhar 4 jogos seguidos do Nadal em 2017…

      kkkkk

      É mole?

      Responder
      1. Viana

        É isso aí!!
        Esses 3 são monstros.
        Vc pode ter seu preferido, mas não precisa tentar diminuir a importância do outro pra história!
        Eles se reinventam toda hora!

        Responder
      2. Davi Poiani

        Exato!
        Concordo plenamente com o comentário. Estes 3 gênios já se reinventaram inúmeras vezes…
        Como é possível ainda dizerem que o Nadal só ganha no saibro? Diante dos fatos não há argumentos. Na grama já superou até o Federer, o maior de todos neste piso!
        E viva o Big 3! Viva esta era de Ouro do Tênis!

        Responder
  62. Barocos

    Dentre as muitas qualidades do Nadal e do Djokovic, as que mais dificultam para os adversários são a qualidade da recepção do saque, a devolução e a aplicação tática, nem o Federer é tão bom nestes características quanto os dois. O jovem grego tomou uma lição nestes quesitos, com requintes de crueldade, do impressionante Nadal.

    Na torcida por mais um sensacional duelo da maior rivalidade do tênis da era profissional: Djokovic x Nadal !

    Ajde Djokovic !

    Responder
    1. Fonseca

      A aplicação tática deriva em grande parte do condicionamento físico desses “animais”, o que permite que posam executar a tática com intensidade e foco máximo durante quanto tempo for necessário, enquanto os disminliguidos mal aguentam dois sets…

      Responder
      1. Viana

        Permita-me acrescentar Fonseca.
        O Federer, as vezes, não para de seguir fiel sua tática pelo condicionamento físico, simplesmente ele quer mostrar q vai ganhar do adversário na praia do adversário!!
        Me dá esse impressão!
        Concorda?

        Responder
        1. Fonseca

          Sim, concordo. Mas há de se notar que o preparo físico do Federer é absurdo também, apear de chamar menos atenção do que dos outros dois (e do Murray quando estava bem).

          Responder
  63. Orestes Pimentel

    Essa informação da Osaka vencer após ganhar o 1º set é assombrosa, com confiança ela é realmente uma máquina.
    Mas fiquei curioso de onde tira essas informações rs… existe um site/plataforma para consultar???

    Grande Abraço

    Responder
  64. Josh

    Caramba, que atropelo do espanhol. Não sou torcedor do Nadal, mas o cara tá impecável. Espero que aconteça um jogo igual a final de 2012, e com o mesmo resultado, kkkk, aquele foi um jogo memorável. Agora, que top essa final do feminino. Assisti as duas jogando, erram bastante, mas também acertam bastante, até pq são bem agressivas. Enfim, há cada comentário aqui, que os caras sempre acham que o autor do blog está sempre contra a quem eles veneram. Dalcim, mais uma vez um blog bem preciso!!!!

    Responder
  65. Luiz Fernando

    Nadal continua enfrentando pangarés ou fazendo os adversários de pangarés? Com a resposta os experts do blog, sempre isentos em suas análises kkkk…

    Responder
  66. Leo Gavio

    Grande momento do Nadal, o problema pra ele é que quando enfrenta o DJokovic a bola volta sempre mais uma vez e o indice de erros dele tambem aumenta, o que mexe na confiança, anima os fantasmas e, mesmo sendo ele uma rocha do ponto de vista psicologico, tambem sente a pressão e o seu jogo cai nos momentos mais criticos.

    Vendo assim parece que Nadal vai atropelar todo mundo, inclusive o Djoko, mas na pratica o servio sempre afeta o desempenho do adversario.

    O lance do Djoko vs Nadal é que Nadal não tem conforto pra sacar, se sacar forte, aumenta o percentual de erros de primeiro saque e fica vulneravel demais no segundo, se reduz nivel do primeiro saque pra aumentar indice de acerto, acaba permitindo que o Djoko devolva mais primeiros serviços e precise de mais trabalho pra confirmar games de saque.

    Não tem escapatória, acho que pra vencer DJokovic vc tem de jogar como fazem os outros jogadores mal ranqueados, que jogam tudo ou nada contra o servio, se vencer venceu, se perder, era o esperado.

    Responder
  67. Rodrigo S. Cruz

    Fazia tempo que eu não via um domínio tão contundente do Nadal (em quadra dura,claro) diante de um adversário respeitável…

    Que aula! Que massacre!

    Simplesmente, não deixou o cara pisar em quadra. Não deixou o rapaz jogar.

    E aí o grego foi ficando tão intimidado e perdido, que em momentos eu fiquei com pena. Juro…

    Novak Djokovic que se cuide!.

    O Ogro parece “imparável”…

    Responder
  68. Sérgio Cipriani

    Não dá nem pra se surpreender… Alguns falaram que Tsitsipas iria chocar o mundo… Ou desconhecem o Nadal, ou é apenas torcida contra mesmo… Nadal janta esses caras com farofa… Qualquer resquício de dignidade do grego, se existia, foi mandado pro espaço…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Eu não afirmei…

      No mesmo post eu deixei claro que seria muito difícil.

      Que tinha um “SE” gigantesco aí.

      Caso acontecesse, aí sim , ele chocaria o mundo…

      Responder
  69. Roberto Rocha

    Esse Nadal de hoje está mais completo que outras versões muito boas de si mesmo…mudando com mais autoridade a direção dos golpes, evitando os ralis quilométricos, definindo os pontos o mais rapidamente possível, sacando com mais inteligência e eficiência e não exitando em partir para os winners sempre que a bola do adversário encurta…nesse momento do torneio,está em um patamar superior ao do sérvio. Mas Novak é sempre um adversário temível. Ainda mais em quadra dura. Fica a certeza de que assistiremos uma final épica no domingo entre esses 2 monstros sagrados do esporte.

    Responder
  70. rafael

    Realmente o espanhol está jogando demais. Evoluiu no saque e está pegando a bola na subida, sempre que possível. Como você falou mestre, ele está mais agressivo o que é sinal de não querer prolongar os pontos. Se o Djokovic confirmar a vaga na final, teremos o duelo mais interessante e, provavelmente, uma final excepcional. Eu ainda vejo o Djoko favorito, pelo conjunto do jogo. Ele sabe como ninguém como jogar contra o Nadal e não perde em quadras duras há 06 anos. Djoko 60 x 40 Nadal? Concorda mestre?

    Responder
  71. Alan

    Quero deixar uma pergunta pra saber se sou normal.
    Quando algum de vocês pegam um jogo depois de iniciado e olham o placar, vcs “olham errado” o placar?
    Exemplo de ontem, Osaka 1 x 0 no segundo set e sacando (game já havia iniciado quando sintonizei), eu crente que tava 1 x 0 em games pra Pliskova, pois bem, quando a Pliskova quebra a Osaka, mostra 1 x 1 em games.
    E muitas vezes acontece isso comigo, pra não dizer maioria das vezes nessa situação, enfim, espero que aconteça com vcs.

    Como Federete que sou a situação tá feia pra torcer pelo recorde de Slans, se der Nadal aproxima muito, Djoko tbm, negocio é torcer pro Pouille.

    Abcs

    Responder
  72. Sérgio Ribeiro

    A análise da performance do melhor Rafa Nadal que eu vi jogar, está no Post de hoje. Parabéns Dalcim. O Canhoto está pronto para arrasar qualquer oponente. Roger demonstrou que h2h é pro clube da esquina. Vence quem está melhor. E o Espanhol está pronto para bater qualquer um. Kivtova aos 28, deve repetir Seles e levar SLAM no seu retorno contra uma encardida oponente. Saberemos depois se terá mental pra se manter no Posto. Mônica teve a seguir uma série de lesões inerentes ao atentado. Problemas de peso e serias lesões nos pés , o que convenhamos Steffi não tinha nada a ver com isso. ABS !

    Responder
  73. Sérgio Cipriani

    O Massacre da Raquete Elétrica!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Excelente filme… Recomendo! kkkkkkkk
    Mais uma freguesia em formação… 3 a 0 e contando… E tudo começa aonde? No saibro… Aquela surra (6/2 e 6/1) em Roma iniciou o processo de traumatização com o espanhol… rs

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      É.

      Só que dessa vez, acho que não teve nada a ver com trauma, não…

      Assisti o jogo na íntegra, e o Nadal estava mesmo ENDIABRADO.

      Uma apresentação soberba!

      Acho que mesmo que o grego tivesse jogado com a mesma confiança que enfrentou o Federer, não sairia vencedor…

      Ele até tentou algumas soluções no segundo set, como devolver o saque mais atrás, tentar algumas curtinhas, etc.

      Nada, absolutamente nada funcionou.

      O Ogro tinha resposta pra tudo…

      Responder
  74. José Eduardo Pessanha

    Vou cometer uma heresia aqui, Dalcim. kkk. Se Nadal enfrentar algum novato numa futura final de GS, torcerei pro Ogro. Mesma situação se for o Djokovic enfrentado um garoto. Essa geração selfie boy não me desce na garganta. Tiafoe, com sua marra absurda. Shapovalov com aquele ursinho no box. E Tsitsipas com o vício em fazer vídeos na Internet. Pra mim, esses caras deveriam se enclausurar num Grand Slam. Até mesmo pra que um deles possa dizer que ganhou de Nadal, Federer ou Djokovic numa final de Slam.

    Vou olhar com atenção o Pouille, ainda não o vi nesse torneio. Parece que ele deixou de lado seu estilo kamikaze. E teremos uma nova número 1. Discordo que a Osaka seja sem carisma. Ela tem umas tiradas muito boas na entrevista. Ela é tímida, mas com o tempo vai ficar mais solta.

    Abs

    Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        kkk. Como não vai ter nenhum next gen pra torcer contra, vou ficar neutro nessa. Nadal merece ser campeão desse torneio pelo que está jogando e Djokovic merece por que poderá ser o maior campeão desse Slam isoladamente (Federer empatou com ele no total de títulos, mas o Rei da Austrália é o Cotonete, indiscutivelmente rs).
        Nadal poderá ser campeão de cada Slam pelo menos duas vezes, mas, ao mesmo tempo, Djokovic nunca perdeu uma final de Australian Open. Será um jogão, caso o sérvio vença o francês, o que me parece muito provável.
        Abs

        Responder
  75. Tom

    Sou um grande fã do professor suíço, mas não entendo como pode alguém não respeitar esse cara … Pena que o mais velho do Big 3 está em vias de aposentadoria, entretanto os outros 2 gigantes certamente vão continuar enriquecendo a história do tênis. Não assisti nenhum jogo do Australian Open por questões de trabalho, mas esse placar cruel que ele aplicou no grego deixa claro que Touro voltou com tudo. Se tiver uma temporada inteira saudável, vai incomodar demais em todos os pisos. No saibro eu nem comento, pois ali os canecos sempre estão garantidos.

    Responder
  76. Fernando Rodrigo

    Bom dia,

    Dalcim, mesmo com esse Nadal renovado seu favorito continua sendo o Sérvio?

    Uma ótima analise.

    Nadal, merece muito esse segundo título.

    Só que mais uma vez vai ter o seu principal adversário na final de domingo.

    Tenho certeza que o Sérvio vai passar com tranquilidade também.

    Um ótimo feriado prolongado a todos e até Domingo para mais uma final espetacular.

    Responder
  77. Andre

    Mestre,

    O grande fator da final (provável) contra o Djoko é o saque. Se o Nadal tiver 70% de 1o saque (com esse novo aí, 2.0), conseguirá frear o excelente desempenho da melhor devolução da história (Djoko) e aí eu acho que enfim leva essa. Se tiver desempenho de 50% no 1o saque, aí Djoko leva em 3×1.

    Nadal parece que está mais firme, justamente agregando coisas para tentar superar o Djokão.

    Impressionante como os tops trabalharam forte para sempre se inovar e se aperfeiçoar para lidar com seus “fantasmas”. Só ver a evolução de Djoko e Nadal nos últimos anos e como foram se moldando.

    Não sei se concorda com o comentário, mestre.

    Um abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Há outros ingredientes, além do saque. Djokovic raramente se incomoda com o spin alto no backhand e usa essa cruzada para ganhar muitos pontos no forehand do Nadal. Portanto, há um jogo de xadrez interessante pela frente, mas vamos esperar Nole confirmar a vaga.

      Responder
      1. Renan Vinicius

        Pois é Dalcim, só que o forehand cruzado ta longe de ser umas das únicas armas do espanhol. Hoje ele bate FH e BH paralelo ou cruzado de qualquer canto da quadra, muito mais firme, fora o saque. Quanto a Djokovic estar invicto contra o Nadal em quadras duras desde 2013, não significa nada, pois Federer ficou 10 anos sem vencer o espanhol e em 2017 foi la e ganhou. Portanto, é Nadal quem tem 60×40….mas claro, respeito muito a sua opinião.

        Responder
      2. Heitor

        Bom dia Dalcim,

        Vc não acha q o backhand do Rafa q ele tá pegando na subida e está muito profundo, como nunca vi, aliás, inclusive garantindo muitos pontos à ele, é um diferencial, uma nova arma tbm pro confronto?

        Responder
      3. julio cesar

        acredito que tem outros fatores a considerar. Se o jogo for de dia, quadra mais rápida. Pelas informações vistas por aqui, a bola do torneio pega menos spin. Nadal não enfrentou um grande devolvedor, pelo que parece, até o momento. São muitos fatores envolvidos.

        Responder
  78. Leonardo

    Te acompanho há muito tem Dalcim, e você é uma das pessoas que mais duvidam dele. Em todo esse tempo, você sempre tem uma aspas, ou um pé atrás quando vai falar sobre ele. Numa eventual final com Djoko, quem você acha o favorito?

    Responder
      1. David Julio

        Discordo, acompanho o blog, e nunca vi Dalcim duvidar do Miúra, muito pelo contrário, sempre o elogiando pela capacidade de se reinventar.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *