Presente para Djoko, façanha de Pliskova
Por José Nilton Dalcim
23 de janeiro de 2019 às 13:44

Infelizmente, o prognóstico se confirmou. Com 18 sets disputados, duas viradas de 0-2 e uma maratona de cinco horas no jogo anterior, o frágil físico de Kei Nishikori não aguentou mais do que 52 minutos e 12 games diante do tênis robusto de Novak Djokovic.

Na verdade, o japonês se arrastou em quadra desde o terceiro game. Sempre inteligente, Nole chegou a recuar dois passos atrás da linha para entrar em todos os pontos e voltar o máximo de bolas para o outro lado. Não precisava muito mais do que uma troca de direção.

Lá no fundo, Djokovic não deve ter lamentado tanto assim a falta de competitividade, porque pôde recuperar todo o fôlego eventualmente perdido diante de Daniil Medvedev e entrará com armas afiadas diante de (quem diria) Lucas Pouille, duelo inédito no circuito.

O pupilo de Amélie Mauresmo foi muito feliz nas devoluções diante de Milos Raonic, com 31% de pontos no poderoso saque do canadense, ao mesmo tempo que explorou a conhecida deficiência do adversário como receptor. Raonic, claro, vacilou feio quando teve a chance de fechar o primeiro set e isso encheu Pouille de confiança. Apesar de sua primeira semi de Slam, vale lembrar que o francês já foi top 10 no ano passado.

O grande jogo do dia, outra vez, foi das mulheres. É recomendável no entanto dividir o duelo entre Karolina Pliskova e Serena Williams em três pedaços distintos. Com golpes muito consistentes e excelente movimentação, a tcheca dominou até ter 3/2 e saque no segundo set. Serena vinha errando muito, mas enfim achou o ritmo e anotou uma reação incrível, chegando a 5/1 com match-point. Aconteceu então a leve torção de pé, que talvez tenha tirado a concentração da norte-americana, e Pliskova voltou a jogar um grande tênis para anotar uma virada quase impensável.

Duas coisas essenciais. A primeira é que Serena não usou a torção como desculpa em qualquer momento, enchendo a adversária de elogios. A outra é que a tcheca vem trabalhando muito contra o problema do foco, tendo perdido incríveis chances na carreira, como o 4/2 sobre a mesma Serena no US Open ou o 3/0 em cima de Simona Halep no AusOpen no ano passado.

Sai um finalista
A manhã desta quinta-feira conhecerá o primeiro candidato ao título, e aí podemos ter o experiente Rafael Nadal, que completa 10 anos de sua única conquista em Melbourne, período em que colecionou três vices, ou a grande sensação Stefanos Tsitsipas, candidato a ser tornar o terceiro e também o mais jovem tenista a derrotar Nadal e Roger Federer num mesmo Grand Slam (os outros foram Del Potro e Djokovic).

Impossível não dar favoritismo a Nadal. Não bastassem a diferença gritante de currículo e os 2 a 0 nos confrontos, ele ainda mostrou até aqui em Melbourne um tênis agressivo e eficiente, nenhum problema físico e desgaste muito menor que o do grego (foram 5 horas a menos de quadra). A seu favor também o fato de Stef usar o backhand de uma mão. Mas o grego tem sim armas para incomodar, desde o ótimo saque até o jogo de rede bem tramado, assim como golpes bem sólidos da base. Mais importante, mostrou cabeça no lugar em todos os momentos delicados.

Curiosa estatística da Federação Internacional, Nadal e Tsitsipas estão distantes entre si por 12 anos e 70 dias, o que é a nona maior diferença da Era Profissional para uma semi de Slam. O recorde está também na Austrália, quando Mark Edmondson ganhou de Ken Rosewall em 1976, então 19 anos e 238 dias distantes.

Caso obtenha a façanha, o grego será o mais jovem finalista de um Slam desde Djokovic no US Open de 2007 e do Australian Open desde Carlos Moyá, hoje treinador de Rafa, em 1997. A vitória também valerá o nono lugar do ranking.

A 9ª campeã diferente?
Com a incrível queda de Serena, o tênis feminino tem agora 75% de chance de ver a nona diferente campeã de Slam na sequência, já que Petra Kvitova não vence desde 2014, Pliskova e Danielle Colliins ainda não têm troféus.

Os jogos acontecem na próxima madrugada e são bem interessantes. Kvitova está jogando o melhor tênis entre todas, mas enfrentará a surpreendente Collins, revivendo duelo de dias atrás na estreia de Brisbane em que a canhota venceu após perder o 1º set. Vindo da espetacular e emocionante virada, Pliskova tenta derrubar outra campeã de Slam, a jovem e ousada Naomi Osaka, tendo pequena vantagem de 2 a 1 nos confrontos diretos.

A luta pelo número 1 também segue entre três das quatro postulantes, mas Kvitova e Pliskova precisam do título.

Bruno ainda tenta
A campanha vinha aos trancos e barrancos, e aí um dia pouco inspirado de Jamie Murray determinou a queda para os fortíssimos Henri Kontinen e John Peers nas quartas de final.
Mas Bruno ainda tem boa chance de alcançar mais um troféu em Melbourne, já que disputará a semi de mistas com a confiável parceira Nicole Melichar.


Comentários
  1. jfer

    Com Nadal jogando o que está jogando, com Djoko ainda dando para o gasto, e Federer já em linha descendente, prevejo que levará muitos anos para que três jogadores desta nova geração, ou de outra geração qualquer que virá, conjuntamente, se sobressaiam sobre os demais como estes três o fizeram.
    Ganharão torneios mas não conseguirão estabelecer tamanha supremacia no tênis como temos visto acontecer com estes três, nestes últimos anos.

    Responder
  2. Mike

    Rodrigo S. Cruz

    Acho bem improvável o Nadal meter 3 x 0 no grego…

    ____________________________________________________________________

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
  3. Adriano Souza

    Se o Djokovic não ganhar o jogo em 3 sets a 0, acho quase impossivel que ele ganhe o titulo
    O fisiculturista ta sendo beneficiado pela organização, tera 2 dias de descanso

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na, boa . Esse comentário é inacreditável. Sem nenhum conteúdo e tentando se antecipar aos fatos. Novak é um Tenista espetacular, caro Adriano. O problema é que neste momento o Espanhol sobra na turma. Simples assim. Abs!

      Responder
  4. Adriano Souza

    Ja não bastasse ter pegado uma chave mais facil, agora o fisiculturista tera 2 dias de descanso e o Djokovic caso passe pelo frances, tera apenas 1.
    Parece q os caras não gostam do Djokovic, eles beneficiam o Federer e o Nadal, mas não o Djokovic. Na verdade deveria existir tratamento igual.
    As semi finais teriam que ser no mesmo dia, por uma questão de Justiça.
    (Jogo do Nadal com o Tsitsipas) Hoje o grego Tsitsipas cometeu varios erros e a diferença fisica dele pro Nadal é gritante.
    O Nadal parece mais um lutador de boxe do que um tenista
    Dalcim, os exames antidoping são feitos com frequencia?

    Responder
    1. Eduardo

      Adriano Souza, qual sua intenção ao perguntar sobre a frequência do exame antidoping? Você ficou surpreso com a resposta do Dalcim ou esperava que ele afirmasse algo diferente? Me pergunto porque essa obsessão em desqualificar um jogador tão importante na história do tênis como o Espanhol, chamando-o de fisiculturista, etc. Ter a preferência por Federer, que indiscutivelmente é um gênio, ou Djoko, outro jogador espetacular, tudo bem, mas esse tipo de comentário reduz nosso maravilhoso esporte a algo fútil, vulgar….

      Responder
      1. Viana

        Perfeito Eduardo!
        O cara pode torcer pra quem quiser, agora quando essa torcida faz o cara desqualificar as outras pessoas… aí já vira doença, fanatismo, amor platônico!!
        O cara se mata de treinar pra vir um alguém, q nunca o viu treinar, falar q ele está trapaceando!
        Isso tem um “q” de inveja, raiva, sei lá!!
        Ao invés de estarmos falando de tênis, estamos aqui comentando essa baboseira!

        Responder
  5. Fernando Brack

    Coitado do greguinho empolgado. Não deu nem pro cheiro. Nadal o esmagou com requintes de crueldade. De Tsitsipas para Guga vai uma longa distância.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Permita – me discordar. De “ Greguinho “ , não tem nada . GUGA seria esmagado do mesmo jeito. Você pode crer que as chances de Novak ou Pouille com este nível apresentado pelo Espanhol são próximas a Zero. Assim como seria para o Suíço . Tsitsipas tem futuro certo no Esporte Tênis. A conferir! Abs!

      Responder
  6. Thiago Rodrigues

    Rafael Nadal, você é ridículo!! Já dizia Everaldo Marques (ESPN).
    Que atropelo!! Alguns vão ainda dizer que ainda não foi testado, que não jogou contra ninguém. Pra esses eu digo, mordam os cotovelos, chorem na cama que é mais quentinho.

    Responder
  7. Luiz Fernando

    Que zebra monumental essa vitória do Nadal por 30 sobre o grego, algo totalmente iLógico kkkkkkkkkkk. Vejamos pq: sumidades do blog diziam q Rafa, quando muito, venceria um set de Federer; o grego venceu 3 do suíço, então como um jogador como Nadal poderia vence-lo? Por isso não há como não rotular o resultado como zebra kkk. Falando sério agora, que fenômeno é Rafa Nadal, que gigante, que atleta. O cara se reinventou novamente, sob a tutela do Moya, graças a sua dedicação aos treinos e a carreira. Ele simplesmente triturou todos os adversários nesse AO, e vamos ver se dirão q novamente ganhou de um cara meia boca, um meia boca q venceu Federer. Vai ganhar domingo? Só Deus sabe, mas q tem todas as condições p tal não tenho a menor dúvida, e com o detalhe q será a vez q chegará mais inteiro fisicamente de todas…

    Responder
  8. Barocos

    O jovem grego é habilidoso mas … tomou uma aula de tênis do Nadal, a diferença de nível e de recursos foi colossal. Resta ao Tsitsipas, que de verdade é bem habilidoso, respirar fundo e aprender com a lição. Caso ele possua o mesmo tipo de fibra dos quais são feitos Nadal, Djokovic e Federer, ele usará esta derrota para motivá-lo ainda mais e irá procurar aprimorar seu jogo. Ainda tenho esperança de que ele não seja mais um coadjuvante muito bom.

    Ajde Djokovic !

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Ele é cinco anos mais jovem, caro Andre’. Vai quebrar o recorde de SLAM do Craque Suíço, sem duvidas. De FINALS não dá pois está 0 x 6. Mas reconheçamos que aos 32 , o Espanhol está parecendo um jovem de 20. Primoroso !!! Abs!

      Responder
  9. Paulo F.

    São muito covardes jogando contra o Nadal, tá louco!
    Por isso que admiro o Djokovic – pode perder pro Nadal, mas pelo menos enfrenta-o sem medo.

    Responder
    1. Fernando Pauli

      É Marcos, com o Nadal o buraco é mais em baixo. Toda essa nova geração tem que toma muito nescau para chegar perto do big 3. O grego foi destrçado por um possuido Nadal.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Até tu Fernando? A culpa é da nova geração ? Ou os méritos são TODOS do Espanhol ? Dificilmente Novak terá chances de vitória, a meu ver. Abs!

        Responder
        1. Fernando Pauli

          Acho que vc não entendeu ou interpretou direito o que eu disse , só de falar possuído Nadal, já da para entender que ele está em outra dimensão. Falei da nova geração em relação ao big 3 e não apenas de Nadal. Federer ou Djoko hoje contra esse Nadal teriam respectivamente 10/90 e 25/75. Abs.

          Responder
      2. Marcos Ribeiro

        Com certeza, Fernando! Nadal detonou o Tsipas. Parece que está no auge da sua forma, acho que nunca jogou tanto. Já o Djoko, está abaixo do que já jogou, com menos intensidade e pontaria. Pode até melhorar a pontaria, mas aumentar a intensidade é mais difícil. Meu palpite é Nadal 3 x 0 na final, e não tenho palpite contra quem será.

        Responder
  10. Marcos RJ

    Dalcim, agora que Federer indicou que vai jogar um torneio no $aibro antes de Paris, será que ele joga em…?
    a) Madri que é mais rápido
    b) Roma que é mais parecido com RG
    c) quem quer que pague melhor
    Ps: torço pro Federer até após a aposentadoria dele, mas não engoli essa história de jogar no saibro mais uma vez para se divertir. O negócio dele nessa fase é quase rápida e grama. Pra mim isso é imposição do patrocinador Uniqlo que quer se estabelecer no mercado europeu e americano além da Ásia – por isso esse caminhão de $$$ para o REI já no final de carreira. Bom pro Federer que é o mais popular disparado e tem grande exposição em todos os 4 GS, que por sinal estão em todos os 4 mercados mais importantes: NY, Paris, Londres e Austrália (=China), sem falar a despedida nas Olimpíadas 2020 no Japão.

    Responder
    1. Fernando Brack

      Acho que este será o último RG dele. Ano que vem, sua despedida, ele volta ao foco nas sintéticas e grama, e só em grandes torneios, incluindo Olimpíadas.

      Responder
  11. Rodrigo S. Cruz

    Tô torcendo pro Tsitsipas CHOCAR o mundo, e ganhar esse Grand Slam.

    Mas a tarefa é quase impossível.

    Derrotar num mesmo torneio: Nadal, Federer e Djokovic?

    Quem fizer esta aposta, e acertar, vai ficar milionário…

    Responder
  12. Rodrigo S. Cruz

    E a Serena, hein?

    Deus do céu!

    Gordurinha pouca ali é bobagem…

    Que bunda gigantesca, de tanajura!

    E quando corre, chega balança. (rs)

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    Vi aí alguns falando da Elena Dementieva…

    Essa russa, foi uma das tenistas mais gatas que já passaram pelo circuito.

    Fico vendo uns falarem das pernas da Kerber.

    Pfff. Sabem de nada, inocentes…

    Se tivessem visto as pernas da Dementieva, nunca mais olhariam para a Kerber…

    Responder
  14. Rodrigo S. Cruz

    Ultimamente, umas djokovetes deram para babar ovo do tamanho dum avestruz pro Nadal.

    Que ridículo… (rs)

    Como esses caras são farsescos e oportunistas!

    Depois vem com aquele papinho insuportável de que os federistas são arrogantes, coisa e tal…

    Pelo contrário, eles é que não perdem chance de usar o bom momento do Rafa, para zoar arrogantemente, o Federer.

    Aí, eles vêm e se unem. Sempre contra o MALVADO Roger Federer.

    O Djoko é o Batman. E o Rafa é o Robin deles! kkkkkkkk

    Só imagino o que dirão, pro caso do jovem Tsitsipas derrotar o espanhol, logo mais…

    Esse grego ganhou do Federer, nos detalhes.

    Do mesmo homem que andou dando umas boas lições no Nadal, em quadras iguais ou similares…

    Responder
    1. Sérgio Cipriani

      Federer andou ganhando umas partidainhas aí seguidas do Nadal em época que o espanhol estava mudando e se acostumando com o novo estilo do jogo… Sem contar que o suíço, acovardado, porque essa história de se poupar não cola (um masterszinho e RG não íam lhe fazer mal), passou a evitar jogar contra Rafa no saibro… As partidas entre eles no barro são importantes pro histórico H2H entre eles. Não só pela óbvia vitória de Rafa, mas elas aumentam sua confiança para os embates nos outros pisos, ao passo que, mesmo nos outros pisos, por vir de derrotas no bairro, diminuem a confiança de Roger… Rafa é assim. Podes notar que Rafa só ganhou Wimbledon e US Open nos anos em que venceu RG. Podes notar que a ultrapassagem de Federer sobre Nadal no H2H no piso duro só veio após a ausência de embates no barro. Por isso, fica a expectativa para essa temporada europeia!!

      Responder
      1. André Barcellos

        Aí é viagem, Nadal estava jogando muito em 2017, tanto que arrancou para o número 1.
        Federer que teve uma produção especial contra o espanhol, além de ter voltando jogando muito também.
        Federer começou a atacar com o backhand muito na subida (principalmente as bolas altas do espanhol.), muitas vezes acelerando muito na diagonal, golpe com o qual Nadal não conseguiu jogar em quadras rápidas.

        Responder
      2. Sérgio Ribeiro

        Quanta bobagem num só comentário. A melhor exibição de Federer no Saibro foi exatamente contra o Sérvio na Semi de 2011 , em RG , para enfrentar a seguir o Rei do Saibro . Não arrumou nenhuma lesão que o impedisse de perder 4 FINAIS para o maior Saibrista da História . Aliás seu maior freguês em R.G. é Novak Djokovic que venceu apenas Um em SETE confrontos. Não foram apenas 5 Vitórias e sim TREZE nas outras superfícies contra o Espanhol. Haja dores nas Costas a partir de agora para o Sérvio. Vai apanhar muito do melhor Rafa Nadal que já pisou numa quadra nesta Final do AOPEN 2019. Fique frio , rapaz. Abs!

        Responder
      3. Chileno

        Realmente… Nadal tava num momento ruim em 2017 quando o Federer o venceu 4 vezes seguidas. Ele só era o número 1 do mundo e vencedor de 2 Grand Slams.

        Responder
        1. Sérgio Cipriani

          Ninguém disse momento, ruim. Vamos interpretar melhor o texto. Estava em momento de mudança de estilo de jogo, deixando o jogo defensivo para atuar mais agressivamente… Alguns quilos mais magro, para não sobrecarregar os joelhos e, com menos massa, sua bola estava mais curta e com menos spin.

          Responder
          1. Chileno

            Então seu comentário simplesmente não faz sentido. “Ele tava em mudança”, mas era nº 1 do mundo e ganhou dois Slams, em plena forma e em grande fase. Então qual a relevância disso?

  15. CARLOS UMBERTO

    Gosto muito do jogo do federer. acho que ele por confiar muito no talento, às vezes não se esforça tanto. Mas como pode um jogador ter um h2h vergonhoso frente ao nadal ser considerado o goat? o nadal evoluiu e foi capaz de derrota-lo em WB. Ele náo foi capaz de evoluir no saibro e teve derrotas humilhantes em RG. quando disse que ele não tem um lado mental muito bom, quero dizer que se o tivesse teria muito mais conquistas. como poderiamos considerá-lo maior que o nadal, se ele é fregues?

    Responder
    1. Chileno

      É absurdamente simplista olhar o H2H e ignorar um montão de outras coisas. Ou você vai dizer que H2H é mais importante do que ser o maior vencedor de 3 dos 4 Grand Slams na Era Aberta? Ou de ter o recorde de semanas na liderança?

      E mesmo no H2H há ressalvas. Ok. O Nadal costumava levar boa vantagem nos confrontos contra o Federer. Acho que isso é indiscutível. Mas se você ver com calma, vai ver também que o Nadal leva grande vantagem nos confrontos no saibro 13-2, mas que nas duras e na grama, Federer tem vantagem 11-9 e 2-1 respectivamente. Como seria o H2H se eles tivessem jogado 15 vezes na grama e 3 no saibro? Nunca saberemos. Mas é bem razoável imaginar que assim o fosse, o freguês seria o Nadal.

      Responder
      1. Sérgio Cipriani

        Não dá pra sentar em cima desses números e, baseado neles, dizer que Roger é o melhor. Lembre-se, ele tem anos a mais de circuito e isso lhe possibilita ter um maior currículo. Rafa e Novak ainda têm lenha pra queimar. Rafa pode superar a barreira dos 20 e Nole, a das 310 semanas…

        Responder
      2. Sérgio Cipriani

        Rafa tem vantagem no saibro. (Ponto). Nos outros pisos, o H2H está dentro da margem de erro… Não vem me dizer que 11 a 9 e 2 a 1 é vantagem…. E lembrando que no auge da carreira de ambos, o retrospecto na dura sempre foi favorável ao Nadal, que só recentemente perdeu a liderança… Mas que pode recuperar tranquilamente em um par de jogos nessa temporada, caso venham a se enfrentar…

        Responder
    1. Sérgio Cipriani

      Não tem problema… rs tbm como um bom cachorro… E retribuindo a gentileza, em nossa segunda vez, trago ela a Balneário Camboriú, para um delicioso pastel de vento muito popular por aqui! 😉

      Responder
  16. Maurício Luís *

    ** RECADO para os críticos e as críticas que torcem contra a Serena **
    Ela poderia, mas NÃO pediu atendimento médico, NÃO brigou com o juiz, NÃO perdeu a cabeça por ter levado uma virada histórica… NÃO deu desculpas e foi cortês com a adversária.
    Isto quer dizer que as pessoas aprendem com os erros do passado e, usando da inteligência, melhoram e MUDAM.
    Do jeito que vi alguns comentarem após o US Open do ano passado, eta tipo ” Essa aí não tem jeito… ” Tem jeito sim. Os erros servem pra nos ensinar.
    É isso. E aproveita que eu tô calmo.

    Responder
      1. Miguel BsB

        A Serena não é essa diva louca que aparentou na final do USopen… Ela acabou perdendo a cabeça, acontece…
        Ela foi muito cortes e bacana com a Kerber quando perdeu a final na Austrália alguns anos atrás.

        Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pois é, Maurício. Nos mais de 800 jogos de Serena , muito menos Pitis que grande parte dos marmanjos. Só sua Longevidade já deveria falar por si só. Infelizmente um preconceito preocupante por parte de quem nem jogos da WTA acompanha. A Rainha venceu 10 SLAM após os 30. Fato extraordinário. Abs!

      Responder
    2. Chetnik

      É né, mas o teu argumento cai por terra sob mínimo crivo dos fatos, já que o “show” do USO não foi o primeiro. Foi o 3a ou 4a, sendo que um deles, lá atrás, foi praticamente no mesmo nível. Então por que não aprendeu antes? Pois é…teu comentário é coisa de fã.

      PS: E olha que tô me limitando a “grandes incidentes”. A carreira dela é recheada de coisas bizarras.

      Responder
      1. Maurício Luís *

        Chetnik, uma pessoa pode errar 20 vezes, e na vigésima-primeira aprender e mudar. Assim como um tenista pode perder 10 vezes, e na décima-primeira vencer. E sim, sou fã dela, não nego. Abr.

        Responder
  17. CARLOS UMBERTO

    3/0 fácil para nadal e djoko nos seus jogos. Não tem um jogador atual para vencer estes grandes jogadores. Já não temos big 4, talvez 3, mais eu diria só dois.
    Essa turma nova não tem físico, força mental, talento para se sobressair. Acho que passaremos por uma entressafra. slam só para os gigantes.

    Responder
  18. Bruno

    Dalcim, aproveitando os palpites de porcentagem, qual a chance que você dá para o Djokovic ou o Nadal ultrapassarem o Federer em GS? Eu dou 35% pro Djoko e 40% pro Nadal. Quando o Federer parar (eu acho que no final do ano que vem), poderemos calibrar melhor o chutômetro, mas dá pra brincar por ora…rsrs. Abraço!

    Responder
  19. Leonardo Freitas

    Na minha opinião o Nadal e favorito e esta jogando melhor e mais agressivo que o Djokovic e se fizerem a final e o Djokovic não mudar seu jogo acho que o Nadal vence,porém,todos sabem que o Djokovic e camaleônico e creio que mude de postura e não faça igual Wimbledon que ganhou muito mais se defendendo do que sendo agressivo e todos sabem que o sérvio e mais virtuoso e não precisa se defender tanto como anda desde sua melhora.O melhor Djokovic foi na era Becker onde ele o fez ser mais completo e agressivo nas devoluções no volume de jogo o que o fez vencer o Nadal e o Federer muitas vezes.

    Responder
  20. José Eduardo Pessanha

    Interessante é que chamam a Kvitova de veterana e o Nadal, não. Nem o Djokovic. Quando a Kvitova tinha 11 pra 12 anos, Nadal já estava ganhando de gente boa no saibro. Rs
    Abs

    Responder
    1. Marcos RJ

      Veterana não é demérito Pessanha, não quer dizer que ela é velha, mas que tem história (2 GS em Wimbledon) e experiência, o que lhe fez muito bem.
      Aliás, ela parece muito melhor na quadra agora do que 3 anos atrás, pois perdeu aquela pochete na cintura e tá chegando fácil nas bolas fundas. Abr.

      Responder
  21. Marcos RJ

    Comentei lá atrás que a chave feminina era uma das mais interessantes e depois de algumas surpresas (talvez por causa delas) continua ficando ainda melhor. Temos uma veterana vencedora de 2 slams retornando com força total depois de um incidente que quase terminou sua carreira, uma quase desconhecida de 25 anos com 1 ano no circuito e zero vitórias de GS antes do AO, uma finalista de slam que derrotou a Rainha num jogo dramático e para terminar, a jovem princesa campeã do US Open e maior candidata a herdeira do trono. A qualidade dos jogos e as histórias das personagens fazem que esse seja um AO bem especial.

    Responder
  22. Jonatas Bruno

    Dalcim, acho que também caberia a pergunta que serviu de gancho ao post anterior: Quem poderá parar Naomi Osaka?
    Afinal, são doze vitórias consecutivas em Grand Slam! Impressionante a guinada na carreira da japonesa!
    A meu ver, vem da República Tcheca, essa “responsabilidade”.

    Pliskova venceu, mas não me convenceu. No entanto, a inacreditável reversão da derrota iminente, pode lhe dar o estímulo que faltava para confiar mais em si. E com a confiança em dia, seu poderio de fogo, tende a se encaixar. Acho que Osaka, finalmente será testada de verdade. A conferir!

    Enormes expectativas para as semifinais masculinas! Tsitsipas e Pouille, vivem seus melhores momentos na carreira e produzem um tênis eclético e dinâmico. Gostoso duelo de gerações e estilos distintos, podem proporcionar contra Nadal e Djokovic respectivamente.
    Boa perspectiva. Fica a expectativa.

    Responder
  23. Marcos RJ

    Mesmo na derrota apertada temos que tirar o chapéu para Serena, goste dela ou não. Fora de forma, confiança em baixa, peso alto, falta de ritmo, 37 anos com filho pequeno, tornozelo torcido, adversária jogando muito, mas nada disso importa. Quando tudo parecia perdido achou uma forma de competir e bater winners de todos os lados, acabou perdendo 4 match points numa reação heróica e improvável da Pliskova, com todos os méritos mas também com uma boa dose de sorte. Apesar de tudo, Serena é mesmo incrível. Palmas para as duas.

    Responder
  24. Naira

    Dalcim, voce poderia me explicar para que serve o ranking ITF que foi criado? Pode ter jogador(a) ranqueado tanto no ITF quanto no ATP/WTA? Quais torneios contam para um e para outro? E os SLAMs que são do ITF ? Voce acha que o ranking ITF foi feito para simplificar ou complicar? rsrsrsrs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O ranking envolve jogadores que queiram concorrer a vagas nos challengers. Veja nas chaves desta semana que há vários deles, alguns sem ranking na ATP. Pode dar certo, mas prefiro esperar para ver.

      Responder
  25. Sérgio Cipriani

    Tudo parece indicar que Roger está ensaiando uma retirada do circuito no ano que vem… Mas estou bastante curioso pra saber o que ele vai fazer se Rafa ganhar o Australian Open e já chegar a marca de 18, sabendo que ele ainda continua um monstro no saibro…. Dá pra ver que ele está doido pra se retirar, mas sabemos que o recorde de Slams é algo precioso demais pra ele abrir mão depois de passar a carreira toda na dianteira…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      O brilhante comentarista já se tocou que o Suíço é 5 anos mais velho que o Espanhol e SEIS a mais que o Sérvio. Sem essa de querer ou não. Tem uma hora que você já não é mais competitivo o bastante. Simples assim. Nem precisa saber muito de matemática. A história do Esporte já fala por si só. Abs!

      Responder
      1. Sérgio Cipriani

        Menos, xará… Bem menos… Se escondem atrás da diferença de 4 anos e 10 meses entre eles, o que não é nada, se vc considerar que a diferença de profissionalização entre eles é de apenas 3 temporadas e menos ainda se considerar que a diferença de início do ápice entre os dois (ano em que venceram seu 1° Slam) é de menos de 2 anos (WB 2003 x RG 2005)….

        Responder
  26. Chetnik

    Que dia gostoso. Derrotas de Svitolina e da Serena que, aliás, tá parecendo um mamute. Grotesco. Essa foi a virada mais divertida, engraçada, patética, ridícula, incrível e inacreditável de um jogador top que eu já vi. Não pude acreditar nos meus olhos.

    Torço por uma final Tcheca. Acho que a Kvitova leva o título.

    Nishikori é sempre rodada bônus. Muito sem graça. Ele e o Berdych poderiam sumir do circuito, não fariam falta nenhuma.

    Não consigo ainda avaliar o nível do Djoko. Na semi acho que vai dar para ver bem.

    Acho que a partida de hoje vai ser um jogão. Vejo espaço para surpresa.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O Berdych sim eu acho muito sem-graça.

      O Mr. Glass, não…

      Além disso, ele também deu uma melhoradinha no saque.

      Tenhp quase certeza que dessa vez, ele teria feito um jogo bem decente contra o Djokovic, não fosse a lesão…

      Responder
    2. Marcos RJ

      Serena (goste ou não) tem 23 GS, ninguém mais chegou lá na era profissional. Gorda, velha, enferrujada, mas deu um trabalho danado para uma tenista top, 10 anos mais nova no topo da carreira, que jogou bem, mas teve que salvar 4 matchpoints. Me perdoe a sinceridade mas patético é quem não enxerga a qualidade do jogo dela.
      Ps: não sou fã das atitudes dela, muitas vezes polemica e grosseira, mas joga muito.

      Responder
  27. Marcelo-Jacacity

    Pelo último set que assisti na ao vivo e na íntegra, o Pouille jogou muito contra o Raonic.
    Em que pese que o canadense tenha um estilo totalmente diferente do sérvio, o francês vai vir embalado e jogará solto contra o Djokovic.
    Jogo difícil para Novak.
    E Nadal contra Tsitsipas, será um jogão e muitas dúvidas serão respondidas durante e após o jogo.
    É estranho as semis em dias diferentes.
    No feminino está muito bom, torço para a Svitolina, porém, a Osaka joga demais, bate pesado.
    Só jogão, se a Osaka, Pliskova ou Kvitova ganharem o título estará ótimo!

    Responder
  28. Pedro

    Dalcim,

    Não vi algum comentário aqui, mas, a bola do torneio merece destaque. A Dunlop, como algum jogador profissional falou outro dia, é pesada, e tem feltro grande. Isso ajuda bastante os trocadores de bola. Acredito que o favorito para o título é o Nadal, por toda a campanha. Parece que o sérvio não está tão inteiro. Vamos ver o jogo contra o grego, mas eu acredito ser em 3 sets. Até agora, vejo o grego como uma pessoa com vontade e bons golpes, mas nada extraordinário. Quando as pessoas começarem a analisar o jogo dele, essa vantagem que ele está tendo hoje em dia deve diminuir. A esquerda é de uma mão (cadê o topspin alto na esquerda?), o saque não é de 230 Km/h como o do Zverev. O forehand é bom, mas não é o do Nadal e nem do Djokovic. Somando tudo isso, dá um jogador top 15 ou no máximo top 10. Não é hoje um número 1.

    Responder
  29. André

    Como disse no post anterior, Nadal e Djoko passarão com 3 a 0 sem dificuldade… a final representará muita coisa para os 2… se Djoko ganhar, ficará novamente faltando apenas 1 Slam pra fechar os 4 em sequência – feito enorme, sendo que o Sérvio disse que a meta do ano era ganhar os 4 ao mesmo tempo… enfim, chegando aos 15 e, voando do jeito que está, se terminar o ano com 17 ou 18, estará muito perto dos 20 e do record de semanas como numero 1… para Nadal, chegar aos 18 e tendo o saibro como próximo Slam, tb já se iniciaria uma contagem regressiva… mas vejo o Nadal muito mais como uma incógnita… muitas contusões em 2018 e nunca se sabe como ele está realmente. Só um gênio do esporte para voltar assim com tudo mais uma vez!! A final valerá o posto de real desafiante aos recordes do Federer… e pensar que em 2017, quando ele ganhou do Nadal na final, eu achei que ele tinha conseguido deender o reinado ali!!

    Responder
  30. Sérgio Ribeiro

    E acabou aquele papo de “ farsa “ e outras babaquices de Fognini e seus BlueCaps. Pouille 24 e Tisitsipas 20 anos, nas Semis do primeiro SLAM do ano . Dancei legal com Raonic , mas não cai mas no conto do Samurai, Dimitrov, Goffin e CIA. O Grego dificilmente fará vergonha parecida com a de Berdych. O mesmo serve para o Francês. Incrível o fato do Rei e da Rainha terem a mesma idade , e aprontarem coisas semelhantes. Um perdeu 12 break-Points ( mas somente cedeu uma quebra). E a outra bota 5 x 1 de vantagem e não consegue mais confirmar nenhum Serviço. A Zebra continua fazendo das suas neste SLAM pra lá de interessante. Abs!

    Responder
  31. Marcelo Costa

    Imagine a frustração do carreno busta, ao ver o nishikori desistir? Garanto que o sangue espanhol ” sangraria” muito mais que o frio e apático japones.

    Responder
  32. Fábio

    Incrível Osaka. Ela venceu os últimos 57 jogos em que venceu o primeiro set e não leva uma virada desde as quartas de final do WTA de Tianjin, em 2016. Quando Osaka ganha o primeiro set é difícil perder.

    Responder
    1. Barocos

      Eu já estava torcendo para a Kvitova e agora eu estou torcendo ainda mais para ela. Das mulheres, sempre torci mais por ela, pela Vika e um puco menos pela Sharapova.

      Antes que venham com acusações, sim, eu gosto de louras, mas não é por isso que eu torço por elas, não tem nada a ver com a beleza, se fôsse por isto eu seria torcedor fanático da Elena Dementieva ou da Maria Kirilenko.

      Minha favorita de todos os tempos é a Monica Seles de antes da maldita facada de 1993. Tem que existir um purgatório especialmente feito pelos deuses do Olimpo para aqueles que ousam machucar super atletas.

      Responder
  33. Rubem Corveto

    Tudo leva acres que teremos um confronto Djokovic x Nadal. Até agora Rafael Nadal tem sido o melhor jogador do torneio disparado, embora eu deseje muito que O grego Tsitsipas enfim represente a renovação do tênis. Quanto ao Pouille acho que a sorte lhe deu o máximo que pode pela sua qualidade e força de vontade.

    Responder
  34. José Eduardo Pessanha

    A melhor coisa desse torneio tem sido ver todo mundo indo à rede. É uma ótima alternativa, pois encurta os pontos e desgasta menos os jogadores.
    Abs

    Responder
    1. Chileno

      Fora que cria variações nas jogadas e toques diferentes. É muito chato ver dois baseliners colados no fundo trocando top spin no centro da quadra, e esperando o outro tentar alguma coisa ou errar.

      Responder
  35. abel af

    Dalcim, entre a Bertens e Muguruza que são tenistas que gosto bastante,qual poderia ter mais constância para estar entre as top durante mais tempo pelo jogo que têm?
    e gostaria muito que analisasse: se Djokovic for a final, e fizer os pontos do qual se espera que faça nos torneios pré Roland Garros, acho que ao menos uns mil e duzentos, e onde ele defende muito pouco, você acha que só Nadal poderia evitar que ele termine mais um ano como número um novamente?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Muguruza é bem mais jogadora, tem todos os golpes e recursos. Nadal tem muito ponto a defender, teria de ir muito bem no saibro e depois dele.

      Responder
  36. Naira

    Dalcim, apesar do Djokovic nunca ter enfrentado o Lucas Pouille em um jogo oficial, após o jogo de hoje, Djokovic afirmou: “Treinamos muitas vezes juntos e nos conhecemos muito bem. Espero que nós dois estejamos prontos e preparados para um grande espetáculo”. Voce acredita que pelo fato de se conhecerem tão bem, como afirma o Djokovic, o Pouille possa surpreender o Djoko? Acha que este fato possa mudar o “amplo” favoritismo do Djoko? Diante desta afirmação do Djoko qual o percentual de vitória de cada um?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, acho que Pouille entrará em quadra sabendo o que esperar e o que fazer. O francês é um tenista bem completo, poderia já estar entre os tops. Tomara que jogue solto para termos um bom espetáculo. Djoko 70-30.

      Responder
  37. Carlos

    Dalcim, se o Tsitsipas for o campeão, será a maior façanha de um tenista em todos os tempos? Afinal, para ser campeão terá que vencer Federer (já conseguiu), Nadal e Djokovic em eventual final (Djoko é muito favorito na semi)….

    Responder
  38. Barocos

    Este jogo entre o jovem grego e o Nadal tem tudo para revelar o quão realmente bom o Tsitsipas é, de que material ele é feito. Se o Rafa, 12 anos mais velho e com todo o desgaste que sofreu durante a carreira e, ainda por cima, em uma quadra dura não tomar conhecimento do adversário então, lamentavelmente, haverá grande chance de que o lugar do Stefanos seja mesmo a de muito bom coadjuvante do trio Nadal-Djokovic-Federer, com já ocorreu com inúmeras promessas, enquanto estes fenomenais jogadores estiverem em atividade. Torço muito para que este não seja o caso.

    Ajde Djokovic !

    Responder
    1. abel af

      Barocos, mesmo que perca, este garoto possui mais jogo do que a maioria do circuito
      ele e o KACHANOV, são os que vejo como mais diferentes
      o ruim para avaliar é que nós temos como referência Nadal, Djoko e Federer
      sem falar em Murray e wavrinka
      é um tempo pesado para novatos, más acho que o Tsisipas é um dos mais prováveis cabeças do futuro

      Responder
  39. Marcelo Bragatto

    Mestre…

    Se não me engano, o AO é o único Slam o qual as semi finais masculinas não são disputadas no mesmo dia. Você acha que o finalista vindo da quinta feira tem uma vantagem (mesmo que pequena) em relação ao que joga na sexta feira? O organização nunca pensou em jogar ambas as semis para a sexta feira?

    Forte abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Só vejo uma clara desvantagem se o jogo de sexta for muito exigente. Não gosto desse tipo de programação, mas entendo o lado dos promotores, que precisam faturar nos ingressos.

      Responder
      1. Alessandro Siqueira

        Dalcim, não te parece mais razoável que o cabeça 01 tivesse a primazia de jogar na quinta? Tenho para mim que os organizadores deveriam, desde o sorteio, antever a possibilidade de os cabeças 01 e 02 chegarem à semi. Então, se alguém deve ter um dia a mais de descanso, que seja o cabeça 01.

        Responder
  40. Renan Vinicius

    Preocupa nada, aquela faixa é só por precaução. No AO de 2012 ele usou uma faixa no joelho e mesmo assim jogou 6 horas a final.
    Se for assim, o Djoko preocupa pelas costas, mas tbm acho que não deve ser nada e os dois chegarão à final.

    Responder
  41. rafael

    Se a missão para o Japa já era difícil, “baleado” então… O Djoko agradece! Menos horas em quadra e mais tempo para a fisioterapia e descanso. Acho que ele entrará mais firme do que nunca contra o Pouille e no final veremos um 3 x 0! Torço para o Nadal vencer, pois seria a melhor final possível. Todavia, vejo o grego muito bem e com chances de complicar. Se o jogo se “arrastar”, o Nadal corre muito perigo. O que acha mestre?

    Responder
    1. abel af

      não apostaria em um 3×0, claro que o número um é o favorito
      se for 3×0 acho eu que será de mínimo, poucas quebras e desempenho burocrata
      do lado do Nadal, vai ser interessante.
      não deu para avaliar ainda se o espanhol com o seu tão comentado novo saque será capaz de manter constância se ameaçado
      e o grego, parece estar cada vez mais á cavalheira quando se trata dos grandões e dos grandes palcos…
      na minha visão, se o grego jogar solto e sem receios, entra até( em termos de jogo) com vantagem
      este jogo é aquele onde os primeiros games parecem que serão decisivos
      nadal vai tentar mandar, se conseguir, abafa o jogo do Stefan
      e se o grego pesar o duelo, podemos ter a quebra do jogo novo e ainda não testado ao nível de Slam que Nadal tras
      eu não perco esse jogo, o do Djoko pode ter azarão porém será mais chato

      Responder
  42. Renatinho

    Dalcim, vc acha que e não fosse a questão do tornozelo a Pliskova não teria virado o jogo ? Falo isso não pela questão física, pois a Serena se recuperou fisicamente, mas pela parte mental que no caso da Serena decaiu muito no jogo ao passo que Pliskova voltou para o jogo .

    Responder
  43. Gabriel

    Acho que o desempenho do Nadal dependerá de como ele estiver fisicamente, até aqui parece 100%, mas aquela faixa que usou no jogo contra Tiafoe preocupou um pouco, e ele ainda se esquivou de dar explicações sobre na coletiva…

    Responder
    1. abel af

      gabriel
      o Nadal joga sempre ou quase sempre cheio de parafernalhas…
      ví ontem a final de 2012, e o Nadal estava com um troçolho na perna que dava a entender que tava machucado…
      foi para mim, o maior jogo entre os dois
      e em relação á Djokovic na Austrália só é superado em dificuldade ao jogo contra o Wavrinka em 2013
      esses caras são muito imprevisíveis, estão em outra vibe
      pela fase do torneio, e pela gana está no esperado

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *