Quem vai parar Nadal?
Por José Nilton Dalcim
22 de janeiro de 2019 às 12:44

O novo Rafael Nadal jogou um tênis exuberante até agora no Australian Open. Sua tradicional competência nos contraataques e a determinação física se aliaram a um saque mais veloz, que não apenas decide pontos rapidamente a seu favor mas lhe permite jogar de forma bem agressiva, encurtando pontos e enfatizando sua incrível habilidade em trocar direções com bola na subida.

É bem verdade que o espanhol ainda não enfrentou um adversário verdadeiramente ofensivo em seus cinco jogos até aqui, e sempre foi muito difícil alguém derrotá-lo só com um jogo sólido de fundo de quadra, mesmo no piso sintético.

Por isso mesmo, o duelo de sexta-feira contra Stefanos Tsitsipas gera ótima expectativa. O grego de 20 anos joga no risco, usa muito bem o saque, faz excelente transição para a rede e, acima de tudo, tem dominado os nervos e a ansiedade. Depois do emocionante duelo contra o ídolo Roger Federer, achou soluções na vitória diante das bolas retas de Roberto Bautista.

Claro que encarar a força mental, o spin e o novo saque de Nadal são outros 500. Um dos aspectos mais interessantes de seu serviço agora é a dificuldade na leitura, sem falar no efeito de canhoto. O espanhol também devolve muito mais atrás, tentando entrar no ponto com um spin alto e profundo. Se for para as trocas de bola, Tsitsipas sabe que terá de correr muito para os lados e sustentar um golpe venenoso no seu backhand, o que o obrigará a engolir a frustração. É um desafio gigantesco.

Ao menos, Stef já teve essa experiência por duas vezes em pisos mais lentos que Melbourne, o que é um handicap que Frances Tiafoe não tinha. E aí o norte-americano foi sufocado, sequer conseguiu soltar seu poderoso forehand já que a bola constantemente saia de sua linha de cintura. Só não levou surra maior porque conseguiu sacar pesado em boa parte do tempo.

Destaque por fim aos 68 winners de Tsitsipas no gostoso duelo diante de Bautista, sendo 22 deles aces. O grego no entanto terminou com 57% de acerto do primeiro saque, 10% a menos do que fez contra Federer, e isso não me parece o bastante contra Nadal. Mas tem mantido uma média bem aceitável de erros não forçados – na faixa dos 36 em quatro sets -, o que ajuda na confiança.

 A volta de Kvitova
O feminino também já conhece sua primeira semifinal, e se prepara para um duelo de força bruta entre a canhota Petra Kvitova e a surpreendente Danielle Collins. A experiente tcheca não perdeu sets no torneio, mostrou toda sua cabeça forte diante do tênis variado e do apoio da torcida que Ash Barty possuía.

Embora por vezes tenha dias tenebrosos, Kvitova é uma jogadora de muitos recursos. Ficou obviamente emocionada por voltar a uma campanha tão nobre depois da facada que levou em 2016 e que quase acabou com sua carreira. Até hoje, não recuperou sensibilidade total na mágica mão esquerda. Fará sua sexta semi de Slam e já superou Simona Halep no ranking, embora ainda tenha concorrência na luta para recuperar o número 1.

Collins é no entanto um perigo real. A norte-americana de 25 anos e 35ª do mundo, que saiu do circuito universitário e nunca havia vencido uma partida de Slam até 10 dias atrás, levou Kvitova a três sets na primeira rodada de Brisbane semanas atrás. Seu estilo é típico das quadras duras: saca bem, bate forte, é muito feliz nas devoluções de primeiro saque e não pensa duas vezes para tentar um winner. Diante de Anastasia Pavyuchenkova, foram 38.

A quarta-feira
– Desde a inesperada vitória na semi do US Open de 2014, Nishikori nunca mais ganhou de Djokovic, com 13 derrotas consecutivas e placar geral de 15-2.
– Japonês soma 4h a mais de esforço em seus quatro jogos, sendo três que foram ao 5º set e duas viradas de 0-2. Sérvio cedeu apenas 2 sets.
– Djokovic busca 34ª semi de Slam, o que o deixaria 9 atrás do recordista Federer e quatro acima do já classificado Nadal.
– O único japonês a fazer semi no torneio foi Jiro Satoh, em 1932. Nishikori tem três na carreira, mas todas no US Open.
– Raonic nunca perdeu set para Pouille em três confrontos, dois deles na quadra dura e outro na grama.
– Canadense faz campanha notável, com vitórias sobre Kyrgios, Wawrinka e Zverev, enquanto maior feito do francês foi tirar Coric.
– Esta pode ser a quarta semi de Slam de Raonic e a segunda na Austráia (2016, a outra). Pouille, que nunca havia vencido jogos em Melbourne, soma quartas em Wimbledon e US Open de 2016.
– Nishikori já garantiu o 7º lugar do ranking, Raonic será 13º se vencer e Pouille recuperou o 24º.
– Svitolina ganhou três dos cinco confrontos diante de Osaka, incluindo os dois do ano passado. Quem vencer continua na luta pelo número 1, ao lado de Kvitova.
– Serena cruzou apenas três vezes com Pliskova, com 2 a 1 e vitória no US Open do ano passado.
– Ucraniana tem quarta chance de fazer primeira semi de Slam e Osaka busca segunda consecutiva.
– Pliskova tem estado nas quartas de Melbourne nos três últimos anos e ainda sonha com seu primeiro troféu de Slam.
– Serena chegou ao menos na semi em 12 de seus últimos 13 Slam, com 6 títulos e 3 vices.


Comentários
  1. André Barcellos

    ‘Eu só estou tentando pensar como o Federer ganha dele. Tem estilo de jogo parecido com o meu. Estou tentando entender. Quero dizer, eu não quero perder 10 vezes para o Rafa”.
    É hora do grego ir pra Acrópole e meditar um pouco.
    Caracas, o cara tá se comparando mesmo ao Federer? É bom, mas ainda não fez nada expressivo no tênis…

    O problema é que a galera não pode ver um cara com o backhand de uma mão e algum jogo de rede e já acha que é igual ao suíço.
    Perguntem ao Dimitrov, que joga bonito e tudo, o que ele já conseguiu contra o Nadal?

    Perguntem ao próprio Nadal, aliás.
    Federer tem mais jogo de rede, saque melhor, direita melhor, melhor slice e, num dia inspirado, um backhand matador também.
    Foi jogando assim que ele conseguiu ganhar tantas vezes do espanhol, apesar de ter perdido mais.

    Por causa do saibro.

    Responder
  2. Fernando Brack

    Só Djoko mesmo pra parar o Nadal que veio para este AO. Tem uma coisa no sérvio que faz ele subir muito o nível qdo ele enfrenta Federer ou o ogro.

    Agora, vamos convir, Nadal tá jogando um tênis pra não se botar defeito. Ele vem aplicando com muita frequência e perfeição o que o Dalcim apontou e eu não entendo porque os demais não fazem o mesmo: bolas na parela na sequência de uma troca na cruzada. Djoko deu show desse golpe em seu ano mágico de 2011 e Federer o usou magnificamente no AO’17. De uma hora pra outra, eles deixam de lado esta arma valiosíssima, que também nos faz sentir saudades do Guga.

    Fora isso, ele não tá dando absolutamente nada de graça, faturando todos os pontos quando eles se oferecem e uma boa parte daqueles que qualquer outro daria por perdidos.

    Já tô vendo uma batalha na final do mesmo quilate da maratona de 2012.

    Responder
  3. Barocos

    As coisas estão começando a melhorar para o Djokovic. Não acredito que o Pouille cause um desgaste excessivo ao Djokovic e creio que o mesmo não se poderá dizer do Nadal.

    Concordo com o Dalcim quando ele afirma que Djokovic é o favorito e acho que agora ficou ainda um pouco mais mas … vamos ter que esperar para ver o que os deuses do tênis nos reservam.

    Ajde Djokovic.

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    Tá aí a minha paga por haver torcido tanto contra o Pablo Carreno.

    Só pra depois, o “Machu-Key” Nishikori vir e entregar a partida pro sérvio, em 51 minutos.

    Esse cara devia ser apelidado de MISTER GLASS…

    Responder
  5. Luiz Fernando

    Nosso querido japa nunca foi páreo pro Djoko, imagina então ele desgastado por jogos prolongados seguidos. 61 pro sérvio no primeiro set, treino pintando. Em vencendo vai encarar Pouille, q nunca chegou a semi de GS e q nunca primou pela regularidade, ou seja, Djoko estará na final, a não ser q ocorra um desastre…

    Responder
  6. Rossini

    Tenho a impressão de que é a primeira vez que leio, em qualquer coluna, um tom de que o Nadal pode ser campeão do AO deste ano. Tava demorando. Penso que o Tsitsipas não conseguirá lidar com o spin que o Tiafoe confessou sofrer. Contra o Federer ele estava impecável. Não errava uma esquerda. Contra o Nadal, acho difícil ele lidar com o ritmo do espanhol, cheio de gasolina no tanque. Dá Nadal 3×1, com direito a set com 6-2 ou 6-1.
    Já na final, se o Djoko chegar lá, não acho que esse ano é pra ele. Está um pouco sem potência neste AO. Ele não tá pegando a esquerda tão na subida, cortando tanto o tempo dos adversários. Daí perdeu um set do Shapovalov e foi burocrático contra Tsonga e Medvedev que não estão condições de “Wawrinkar” ele como nos AOs recentes. Foi jogando assim que o Nishikori arrumou um jeito de ganhar dele naquela semi do USOpen que o Cilic venceu.
    Acho que vai dar Nadal. Vai sair com título, sendo a surpresa que Federer foi ganhando o AO de 2017 ao voltar de afastamento. Curioso ele esperar para os 32 anos um ajuste de saque que está, pasmem, deixando a vida dele da linha de base – em seus games de serviço – mais fácil ainda. O Moya mais perto foi uma boa, oxigenou. Desde a melhoria no jogo de rede do Nadal, que o jogo dele estava estacionado com o tio Toni como técnico.

    Responder
  7. Enoque

    É impressionante a diferença do nível do tênis masculino para o feminino. A grande Serena, “maior de todos os tempos”, não consegue pegar 3 bolas em lados diferentes no fundo da quadra. Só que não aparece ninguém pra botar estas 3 bolas consecutivas , intercalando os lados da quadra. A Pliskova está tentando fazer isto e se conseguir vai ganhar o jogo, simples assim. Imagina o grau de dificuldade pra fazer o mesmo no tênis masculino.
    Ainda assim, elas reclamam pelas premiações dadas nos torneios. Pura demagogia.

    Responder
  8. Fernando Pauli

    Nesse AO 2019, Nadal tem uma boa chance de chegar aos 18 GS e ser o primeiro na era aberta a vencer pelo menos dois GS em todos os pisos. Como disse o Dalcin, seu saque melhorou muito e está mais agressivo. Não vai querer perder essa oportunidade como a que teve em 2017 contra Federer. Se ele conseguir tal feito, ao chegar a temporada de saibro será o grande favorito, só que o Djoko, também irá fazer de tudo para chegar a ter 2 títulos em todos os pisos, a briga vai ser grande. Quanto ao Federer só vejo a última chance de erguer mais um Major nesse WB 2019, só que para isso terá que estar com o físico em dia, sem problemas de contusão, descansado e com o primeiro serviço no nível de 70 a 80%. Provavelmente quem entre Djoko e Nadal vencerem este AO terá grande chance de encostar em Federer já esse ano e no próximo igualar ou até passar os 20 GS de Federer. Hoje vejo o Nadal com mais possibilidades, a ver.

    Responder
  9. Sérgio Ribeiro

    Não se pode deixar de admirar o excelente trabalho de Carlos Moyá. Rafa Nadal pode estar alongando uma carreira que parecia perto do fim com os acréscimos em seu jogo que Titio Toni dificilmente conseguiria. McEnroe ficou pouquinho com o Canadense, mas Raonic tomou gosto pelo jogo de rede. Me parece crava sua presença nas Semis . A conferir! Abs!

    Responder
  10. Rodrigo S. Cruz

    A boa notícia das quartas-de-final, ficou por conta da eliminação do inexpressivo Roberto Bautista-Agut.

    O homem que consegue ter menos carisma que um poste…

    Aliás, a fisionomia dele me lembra bastante o CAVEIRA VERMELHA, do filme Capitão América.

    Responder
    1. Sérgio Cipriani

      Não consigo gostar e admirar esse cara… Toda vez que olha pra ele, não consigo deixar de pensar que já foi escorraçado por um tal de Thomaz Bellucci… Não há vergonha maior no circuito.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Roberto é o mais jovem Tenista Espanhol a entrar no Top 30 depois de Nadal. O terceiro em Títulos em quadra dura perdendo apenas para Nadal e Ferrer. Avesso a Pitis e conversas com seu Staff DURANTE os jogos , com suas bolas planas , possui mais ATPs que os talentosíssimos e carismáticos Fognini ( apenas 1 título nas duras ) e Verdasco ( apenas 2 ). Deu azar de bater STANIMAL e Novak em sequência e levar Doha. ” Não gosto porque não gosto da cara dele ” kkkkkkkkk Abs!

        Responder
  11. Alexandre G.

    Bom Dalcim, pelo texto que você escreveu, meio que entendi que você acredita que apesar de o Djokovic ter terminado 2018 voando, mesmo que seja por pouca diferença sobre ele, Nadal é o favorito para o AO…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      “Só galinha morta” :

      Federer, o atual campeão.

      E Bautista-Agut, o homem que há poucas semanas derrotou o Djoko.

      Só galinha morta mesmo, claro.

      PS> Manda internar esse daí também…

      Responder
  12. Jonatas Bruno

    Dalcim, é para isso que o Tsitsipas foi escalado! rs

    Nadal segue implacável e tenho em mente que este ritmo forte que está imprimindo, é reflexo das sucessivas lesões que o obrigam a ter que buscar soluções para evitar mais desgastes e tempo de reabilitação. Ainda assim, continua fazendo o que sempre fez de melhor: cobrir bem todos os lados da quadra. Ataque e defesa, muito bem executados. É o grande nome do momento!

    Em relação ao Tsitsipas vai se consolidando como o puxador da turma da nova safra.
    Superou o encardido Bautista Agut, que (raramente) dá ponto de graça, e dificilmente sai de jogo.
    Estou gostando de ver as variações que executa em momentos-chaves. Está usando bem o jogo de rede e fazendo as escolhas certas, sem precipitações. Vai precisar disso e mais um pouco contra o Nadal.
    Passa a ser uma aposta segura a longo prazo. Está demonstrando querer ficar além do seu tempo.

    Responder
  13. Leo Gavio

    Eu achava que o maior classico do tenis era Federer vs Nadal, mas isso tem a ver com o fato de ser um duelo anterior, mas vendo como um todo, Federer só fez frente ao Nadal uma unica vez, e foi Australia 2017. E ponto final.

    Não tem comparação, um é filho do outro, Nadal é o papai do Federer.

    O verdadeiro GRANDE classico do tenis é Nadal vs Djokovic, esse é um duelo de titãs, nas 4 superficies vai ter jogo, se os dois estiverem fisicamente e tecnicmente bem, vai ser enroscado, os dois não se bicam. Existe equilibrio, e os dois dominam o resto do circuito, incluindo Federer.

    Nadal é um ano mais velho e um pouco mais precoce, tambem foi muito favorecido por ter nascido num dos centros mais fortes do tenis que é a Espanha, mas, como eu disse, a grande batalha do tenis é mesmo Nadal vs Djokovic, não vamos discutir beleza do jogo, é logico que tenistas como Federer incrementam muito na beleza do jogo, mas do ponto de vista tatico, fisico e psicologico, Djokovic vs Nadal é o confronto que mudou paradigmas, e eu acho que isso se deve muito ao Nadal. Pra mim é o maior tenista de todos os tempos, o Federer popularizou o esporte, a rivalidade entre os dois ajudou nesse aspecto, mas o Nadal revolucionou a forma de jogar tenis e o resultado foi a subida de nivel de todos os jogadores.

    Tudo caminha para mais uma final entre Nadal e Djokovic, talvez seja o ano mais espetacular desse duelo, pq os dois estão num nivel parecido, Nadal poderia muito bem ter vencido 3 slams ano passado, mas acabou que o DJoko venceu 2, se nao ocorrer contusoes, talvez tenhamos 4 finais de slam entre DJokovic e Nadal.

    Seria realmente magico. Nadal esta jogando num nivel bom pra bater o Djoko, com muita agressividade, mesmo o Djoko sendo o melhor tenista da atualidade e com armas pra vencê-lo, vejo o Nadal num momento forte, atropelando adversarios.

    Djokovic deve vencer o Aopen, mas Nadal tá sobrando até agora. E vai ser bem favorito em RG, mais uma vez.

    Responder
    1. Sérgio Cipriani

      Melhor comentário que li no ano. És o que melhor percebeu o impacto do espanhol no circuito e o que melhor definiu a hierarquia interna do Big 3. Onde assino?

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Nadal “ papai “ do Federer ? Revolucionou o Tênis ? Melhor comentário do ano ? Kkkkkkkk Léo Gavião continua se superando nas bobagens. E ainda tem seguidores kkkkkk Com tanta ‘revolução “ , somente possui 6 Títulos fora do Barro. E head to head negativo contra o “ filho” Suíço ( 5 anos mais velho ) nas outras superfícies que não seja o Saibro. O detentor de 20 SLAM tem ao menos 5 , em todos os Pisos e aina fez CINCO Finais no Barro. 0 Craque só fez frente ao Espanhol uma vez em 2017 mas venceu as CINCO Últimas ? Novak deve vencer o AOPEN mas Nadal está “ sobrando “ ? Há sim , mas deve vencer no Saibro outra vez … kkkkkkk Na boa, tem ido ao Sítio ? Kkkkkkkk Abs!

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Ai, ai. Só rindo mesmo.

        Um dos piores comentários da década…

        ” Nadal papai do Federer”.

        BI-ZAR-RO!

        O “papai”, que tomou 4 lapadas seguidas em 2017.

        Chega a ser tocante, o esforço hercúleo de vocês nolistas pra tentar superestimar o Djoko, em detrimento do Federer.

        Ao ponto até de colocarem o Nadal como o suposto GOAT provisório. kkkkkkk

        Sei não, mas todo esse empenho não é algo normal.

        Começo a achar que o “papai” de vocês deve ser mesmo o suíço.

        (rs)

        Responder
    2. Paulo F.

      Sem sombras de dúvidas! Sempre recusei o rótulo de “rivalidade” ao confronto que na verdade é paternidade! Federer é freguesaço de caderneta de Rafael Nadal.

      Responder
    3. Jonas

      Por mais que você explique mil vezes não adianta. Os fãs do Federer não enxergam o óbvio.

      Ele é sim um tenista genial, no entanto, é freguês de Nadal e está abaixo também de Djokovic.

      Responder
  14. Vítor Barsotti

    Primeira vez que acompanho pra valer um jogo do Tiafoe e fiquei positivamente surpreso. Achava que fosse mais um da escola americana de saque e forehand e só. Que nada, se vira bem com o back de duas mãos e a movimentação é ok pro seu tamanho. Gostei também de vê-lo tentando subidas à rede, uma pena, entretanto, a falta de mão pra executar os voleios.

    Quanto ao Nadal, acho que ele não está tão bestial assim. Se o americano soubesse volear, o jogo poderia ter sido outro (e é aqui que a coisa pode ficar interessante contra Tsitsipas, se este conseguir suportar o bombardeio na sua esquerda). Portanto, esse jogo contra o grego deverá ser um teste definitivo para o espanhol.

    De momento, estou com o Dalcim, ainda acho que o favoritismo para o título é do Djokovic (ainda mais com quartas e semi contra Nishikori e, provavelmente, Raonic, fregueses de carteirinha).

    Responder
  15. Gabriel Tenista

    Em entrevista coletiva após o jogo, Tiafoe resumiu bem quem é o Nadal. Disse o norte-americano que “foi muito duro. É um jogador infernal, a bola dele ganha efeitos incríveis. Pareceu-me uma loucura a forma como batia na bola, tendo em conta que o court estava algo lento e isso não me permitiu criar mais dano com os meus ataques. Sinto que estive bem mas quando ele elevava o nível, demonstrava o quão cómodo estava”.

    Responder
  16. André

    Nadal vai atropelar o Grego… 3 a 0 e continuará sem perder sets… Djoko também faz 3/0 no Japa e no Raonic…. na final tudo pode acontecer…. Djoko perdeu o finals e Paris,mas acho que qdo for GS ele vai entrar focado… apostaria num 3/1

    Responder
  17. Fonseca

    O grego não tem chances, creio… Ainda mais na famigerada partida de cinco sets…

    Quanto a uma eventual final contra Nole (caso o ser´vio chegue lá), é bom lembrar o seguinte:

    Independente da forma de Nadal, desde a derrota no US Open 2013, NOLE NÃO PERDEU MAIS PARA NADAL FORA DO SAIBRO (desculpem a caixa alta). Foram oito vitórias, com 17 sets vencidos e dois perdidos (aqueles dois de Wimbledon 2018). Mas uma hora a casa cai, e o Nole versão que perdeu pra Khachanov, Zverev e Agut (que não são tenistas qualquer, claro, mas que o Nole de 2015 e 2011 não perderia) não entra com favoritismo contra o misterioso Rafael Nadal “Olhem, foquei quatro meses sem jogar, perdi pro Kevin Anderson em exibição, desisti de disputar o terceiro lugar, desisti de Brisbane, perdi pro Kyrgios em exibição, mas vim pra ganhar o Australian Open com pé-nas-costas”.

    Responder
  18. Luis Coelho dos SAntos

    Dalcin, por favor, você não acha que o Federer entrou um pouco demais no jogo do grego? Isto é, ao longo do jogo ele poderia começar a usar mais slices, fazendo um jogo com mais uso de efeitos como ele sabe fazer. Sempre achei que este é um dos únicos pontos fracos do Federer, querer ganhar de uma determinada maneira e evitar as mudanças no meio do jogo, é claro que tenho total respeito por um mágico que ganhou 20 slams e mais um monte de outros títulos, mas como acompanho tênis desde a época do Borg, Connors conheço um pouco da história. Contra o Nadal o grego será testado em diferentes condições de jogo, vamos ver os resultados. Parabéns pelos ótimos comentários.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Até acho que ele tentou sim algumas mudanças, Luís, mas o grego estava sacando muito bem e sempre indo para seu backhand nas trocas.

      Responder
  19. Josh

    Na minha opinião, não vejo o Djoko cansado até o momento. Foi só contra o Medvedev que teve uma partida mais longa, fora isso, tudo normal. Se não acontecer algo fora do script – como uma lesão -, acho difícil a final não ser Djoko x Nadal!

    Responder
  20. Bruno

    Dalcim, alguém já venceu Federer, Nadal e Djokovic no mesmo torneio? Seria legal saber, também, quantas vezes cada um deles venceu os outros dois em um mesmo torneio. Abraço e parabéns pelo blog!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E estas Semanas serão Consecutivas ? Terminará 6 Temporadas Consecutivas como N 1 a lá Pistol Pete Sampras ? Tá chovendo no Stio ? kkkkkkk Abs!

      Responder
      1. Sérgio Cipriani

        Chora, federete… Não use um critério de menor amplitude para zoar algo maior… Pode argumentar o quanto quiser, mas o recorde de semanas consecutivas sempre será subconjunto do número de semanas totais…. Já estudou matemática?! Lembra-se da teoria de conjuntos?? E o sinal de menor igual, vc conhece?? hehehe Chora, porque as 302 semanas vão cair! kkkkk

        Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Já que perguntou , eu sou Engenheiro Mecânico. Acredito que conheço um pouquinho de números rs Qual seria a do burguesao seguidor do glorioso Léo Gavião , e fanático pelo Djokao ? É manjada essa tática de afagar a turminha do Touro para analtecer a quem interessa kkkkkkk Abs!

  21. Gustavo

    Mestre Dalcim,

    Boa tarde!

    Tenho duas questões, por gentileza.

    Qual a % que você atribui a Nadal- Stefanos, na semi?

    E, por fim, numa ainda hipotética final, qual a % que você atribuiria, se fossem jogar Nadal X Djokovic? Seria mais próximo da realidade 50-50%, ou você favoreceria algum deles?

    Um abraço!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Esse Tiafoe não conseguiu nem fazer cócegas no Touro.

      Agora, o Berdych é um caso a ser estudado.

      Borra sempre as calças, quando enxerga alguém do Big 3.

      Responder
  22. Geailton

    Dalcim, já vimos este filme naa semis de WB do ano passado: Djoko cambaleando, Nadal voando e favorito. O resultado todos lembram. Muita calma

    Responder
  23. Carlos Reis

    Ninguém vai parar Rafael Nadal neste AO, o cara é impressionante. O recorde de craque suiço está seriamente ameaçado, já o vejo com 19 GS.

    Responder
    1. Fonseca

      Se não passar agora, passa ao longo da carreira…

      As pessoas acham que ele não vai até a idade do Federer? Por que não? Pelo estilo de jogo? O Federer mudou o paradigma sobre aposentadoria, e com isso ainda está dando exemplos para Nadal seguir. O espanhol já tem pulado torneios (como Federer faz). Foram só nove ano passado. Os recursos médicos desses caras são de outro planeta (os cara fazem um ressonância como quem vai comprar pão na padaria da esquina do bairro – apesar de que às vezes nem isso resolve – vejam o triste caso do Murray). Mas a ambição inacreditável desses três (Federer, Nadal e Nole). Esses caras só vão esfriar se começarem a tomar peia toda hora para números 65 do ranking, etc. Enquanto estiverem ganhando na maioria das vezes da maioria dos Top Ten, não vão parar.

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Nenhuma chance de Djokovic e Nadal chegarem aos 37 anos em alto nível. Disso não há a menor dúvida. Agassi chegou até os 35 em alto nível (em alguns jogos), mas tinha cãibras terríveis após as partidas. Tanto Nadal quanto Djokovic irão parar muito antes disso. Federer é um caso à parte. Econômico no esforço em quadra desde muito jovem, além da imensa facilidade em jogar. O cara se poupava até em algumas finais de Slam nos tempos áureos.
        Abs

        Responder
        1. Sérgio Cipriani

          Quando não tinha adversários vc quer dizer, né? Porque bastou a fazer finais contra Rafa e Novak e nunca pode poupar… Honestamente, com 37 anos, Federer ainda não fez nenhuma campanha decente em Slams… Vai ver por isso ele está caindo no ranking. Seu ranking atual ainda é reflexo de seu desempenho há um ano atrás (AO2018)… Então, meu nobre colega, sente e observe. Federer nunca foi número 1 de temporada com mais de 30 anos.. Rafa e Nole já conseguiram aos 31 e tudo indica que vão aumentar esse recorde.

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Ainda com esse papo de não tinha adversários? Que era o Top 2 no longínquo 2005 ( ano em que venceu DEZ Torneios e SLAM ) ? E qual era o TOP 3 em 2007 ? Kkkkkkkkk Abs!

          2. Sérgio Ribeiro

            Ainda com esse papo de não tinha adversários? Quem era o Top 2 no longínquo 2005 ( ano em que venceu DEZ Torneios e SLAM ) ? E qual era o TOP 3 em 2007 ? Kkkkkkkkk Abs!

  24. Renan Vinicius

    Será que o Nadal estreia quarta no AO? ou será apenas na final contra Djokovic?? Brincadeiras a parte, o grego ta fazendo um grande torneio e em breve se tornará um dos nomes a ser batido no circuito. No entanto, a semifinal ele vai pegar uma máquina destrutiva e precisará muito do saque. O grande problema tbm seria o backhand com uma mão, geralmente o espanhol costuma maltratar jogadores assim.

    Responder
    1. Fonseca

      “Máquina destrutiva”, hihihihi…. Sim…. o adversário pode analisar o que quiser antes da partida…. Mas quando a partida começa e vem aquela avalanche de ultra-mega-hiper top-spins, grunhidos extremos, velocidade estonteante, demora infindável para sacar, nenhuma bola batida com menos que dedicação total… aí a casa cai mesmo…

      Responder
  25. Renan Vinicius

    Será que o Nadal estreia quarta no AO? ou será apenas na final contra Djokovic?? Brincadeiras a parte, o grego ta fazendo um grande torneio e em breve se tornará um dos nomes a ser batido no circuito. No entanto, na semifinal ele vai pegar uma máquina destrutiva e precisará muito do saque. O grande problema tbm seria o backhand com uma mão, geralmente o espanhol costuma maltratar jogadores assim.

    Responder
    1. Andre Toledo

      Já tem tempo que ele na machuca mais, visto que as últimas 05 partidas consecutivas contra o Federer ele perdeu e o suiço não sofreu nada com sua esquerda. O grego ainda tem uma vantagem , como é bem mais alto ele pega a bola no backhand lá em cima que no caso machuca menos.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Eu explico.

        É porque esse senhor vive em função do Federer, ou da torcida do Federer.

        De cada 10 postagens dele, 9 e meia são pra reclamar de um dos dois.

        Sabe aquele tipo de pessoa que vive perseguindo fantasmas? Então…

        (rs)

        Responder
    1. Thiago Silva

      Acredito que não, afinal ele vai se desgastar muito contra o perigosíssimo De Minaur em um jogo de 5 sets, depois ainda vai sofrer contra o Berdych, vai chegar baleado na semi, não, pera…

      Responder
    1. Igor Menezes

      Eu já adoraria um duelo entre os dois espanhóis: rei e súdito. Seria até um bom treino pro jogo com o sérvio, já que o Agut adora ficar da base devolvendo e passando bolas.

      Responder
    2. José Eduardo Pessanha

      Chet, o que mais me incomoda no Bautista é a falta de expressão facial. Parece um fantasma em quadra. Jogador de tênis tem que se envolver com a atmosfera do jogo.
      Abs

      Responder
      1. Chetnik

        Pessanha, ele tem um jeito “afrescalhado” – sem maldade…ou talvez tenha kkkk – que me irrita. Não adianta, tem gente que simplesmente “não bate” rs.

        Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Olha,

      Dessa vez, eu duvido…

      Claro que o Nadal é um adversário muito mais cascudo e perigoso.

      Só que o grego está jogando com agressividade, não está respeitando ninguém, e ganhando muitos pontos fáceis com o saque…

      Conseguiu até superar o Federer, que das últimas 4 vezes tratorou o Nadal, em quadras sintéticas.

      Não sou tolo para afirmar que o Tsitsipas passará por cima. Claro que não…

      Sinceramente, eu nem sei em quem apostar.

      Mas vou torcer por grego. E creio que ele tem boas chances de fazer a final com o Djoko, no domingo…

      Responder
  26. V Mauricio

    Boa tarde Dalcim
    Pela primeira vez neste AO pude assistir um jogo completo de Nadal (já havia assistido de Federer e Djokovic). Achei a atuação dele muito boa no terceiro set, mas achei apenas satisfatória nos outros dois, com um brilhareco aqui e outro ali. Achei estranho, pensei até que ele tinha alguma lesão. A atuação dele nos outros jogos foi parecida com essa? Acho que se ele jogar assim contra Tsitsipas, será varrido da quadra. E, mesmo que passe, nesse nível de tênis, não tem mais de 5% de chance de ganhar de Djokovic numa eventual final. Que porcentagem você daria para essa semifinal entre o espanhol e o grego? Eu daria 70-30 em favor de Tsitsipas.

    Responder
  27. Raimundo Santana

    verdade que o Nadal está jogando bem mas, devemos observar que até agora ele não enfrentou nenhum top ten
    niguém que de fato tivesse exido seus joelhos infiltrados dizem ou sua musculatura abdominal récem lesionada!
    por isso penso que o jogo com o grego vai sticar um pouco mais a corda para ele Nadal
    o cara bateu o Federer que no jogou mal não, e que sacou muito bem . Porém Tstsipas foi obstinado e eficiente.

    Responder
  28. Rodrigo S. Cruz

    Jogo sonolento!

    Como é fraquinho esse tal de Tiafoe! (rs)

    Não tem potência… Não consegue fazer a bola correr. O Nadal fez o pobre, de gato e sapato.

    Acho que até o Belo equilibraria melhor o confronto. kkkkkkkkk

    Responder
    1. julio cesar

      segundo a narrativa, acho que inclusive do TenisBrasil, o Nadal explorou a esquerda mais fraca do Tiafoe e não deu espaço pra ele usar a direita, então ele não foi capaz de fazer nada de diferente e tentar mudar o rumo da partida.

      Responder
  29. Fabrício Freitas Pereira

    Boa Tarde ! DALCIM

    Esse NADAL realmente é um monstro , no começo do ano havia muitas duvidas
    em relação a sua condição física e agora vem sem perder Sets e com um novo saque
    esse NADAL não para de me surpreender.
    Pelo o que você viu entre Djo e Nadal quem leva numa eventual final ?
    Obrigado
    obs: Belas matérias as suas….

    Responder
  30. Barocos

    Este confronto do Nadal contra o Tsitsipas tem tudo para ser realmente muito bom. Também acho que o Nadal vence mas … o jovem grego tem jogado muito bem até aqui, proporcionando um verdadeiro espetáculo de belas jogadas e ousadia. Tudo bem, é contra o Nadal, mas até aqui o Stefanos demonstrou estar com a técnica, a mente e o físico em dia e, não nos esqueçamos, tem 20 anos, vai poder correr para todo o lado.

    Caso se sagre campeão, e eu não apostaria nesta hipótese, Tsitsipas terá batido Federer, Nadal e Djokovic, assumindo que o sérvio chegue lá, o que parece bem provável, numa única competição. Sinceramente, não me lembro de ninguém que tenha feito tal coisa. Aliás, faz muito tempo que os 3 não jogam um Grand Slam em boas condições físicas todos ao mesmo tempo. Este é o tamanho do desafio do grego.

    Deixando as hipóteses de lado, estou torcendo para mais uma final entre os principais adversários do tênis profissional de todos os tempos. Sim, os torcedores do Federer que me perdoem, mas a maior rivalidade entre os membros do seleto grupo de melhores de todos os tempos é mesmo entre Djokovic e Nadal.

    Responder
  31. Romulo

    Apenas uma correção: Kvitova nunca ocupou a posição de número 1; logo ela não pode “recuperar” a posição.
    Espero que ela vença o torneio e seja coroada com o título e a primeira posição do ranking. É uma jogadora talentosa, campeã e merece ocupar essa posição.

    Responder
  32. Sandra

    Não é quadra dura que tanto machuca o joelho do Nadal??? E ele voando desse jeito!! E muito fácil para nós simples mortais entendermos recuperação atrás de recuperação e sempre voando

    Responder
  33. Miguel BsB

    Dalcim, infelizmente, não será o Tsitsipas…. Jogador destro com backhand de uma mão, o Nadal come com farinha… Mesmo assim, estarei na torcida pelo grego. Nada contra o Nadal, sou um grande fã dele, mas sim a favor da troca de guarda e de um tênis mais agressivo.
    Para mim, sem perder sets até aqui, jogando muito, mais agressivo, com um saque melhor, Rafa já é o grande favorito ao título.
    E, para não deixá-lo sem resposta rs, somente Djokiller será capaz de abater o Touro Miura. A espectativa é de mais um superclássico entre o N 1 e 2 do ranking…

    Responder
    1. lEvI sIlvA

      O problema meu caro BsB, nem é só esse. Com o mesmo back one hand Wawrinka e Federer já levaram a melhor frente ao espanhol. E foi aí mesmo no AO. O que realmente dificulta é o menor currículo do grego. Aí fica bem mais difícil, né?

      Responder
      1. Miguel BsB

        Wawrinka, Federer e Thiem, por exemplo, já ganharam do Nadal, claro! Mas o h2h é amplamente favorável ao espanhol. Aliás, naquela vitória do Wawrinka o Nadal tava claramente baleado…
        Experiência é um fator considerável sim, e tb a questão de 5 sets. Ganhar do Nadal descansado e bem em slam, é uma tarefa hercúlea.

        Responder
  34. Roberto Rocha

    O Nadal do primeiro set é realmente temível. Percentual de pontos vencidos quando o primeiro saque entrou foi bem alto. Dominando a partir da segunda bola e distribuindo com autoridade. O Nadal do segundo set já é menos vistoso…o percentual de saque caiu, começou a entrar em ralis maiores, a bola encurtou e precisou enfrentar um game de 10 minutos onde quase teve seu serviço quebrado.
    O Nadal do terceiro set mesclou o Nadal do primeiro e segundo sets.
    Mas sempre esteve no controle da partida. Dominou o jogo e venceu poupando físico (1 hora e 47 minutos de partida, sem ralis monstruosos).
    Se passar pelo jovem e competitivo grego, chegará à final como favorito.

    Responder
  35. rafael

    Mestre, é notório o quanto o espanhol está jogando. Todavia, ainda não vimos ninguém desafiá-lo de verdade. Acho que o grego irá jogar muito, mas ainda assim vejo o Nadal na final. Do outro lado, vejo que o Djoko irá meter 3 x 0 no Japa, para aí sim travar uma batalha com o Raonic. A final deve ser Djoko x Nadal, e aí eu acho que o sérvio leva o 7º troféu! O que acha mestre?

    Responder
      1. Luis Coelho dos SAntos

        Pode ser impressão minha, mas o Djokovic vem dando umas oscilações que podem ser fatais contra um jogador mais regular. Quando ele percebe isto costuma começar a devolver a bola e apostar no erro do adversário, isto pode ser fatal com o Nadal mais agressivo, ou até mesmo com o Nishikori. Se ele tiver de enfrentar o Raonic também vai ter de elevar o nível, pois ele melhorou muito neste início de ano. Sempre é bom lembrar que está 26 a 24 para o Djokovic, isto é, apesar do grande predomínio nos últimos anos, a diferença entre os desempenhos é muito pequena estatisticamente. Parabéns Dalcin pelo ótimo trabalho.

        Responder
  36. stephany raposo

    Torço para o Djokovic, mas acho que ele está jogando muito abaixo do que sabe jogar, Já Nadal está voando e merece levar esse Slan, já Tsitsipas não desce acho marrento, um pouco soberbo , falta a humanidade que o big 3, tem de sobra. ????????????????????????????????

    Responder
  37. samuel

    Prezado Dalcim,

    Kvitova nunca foi número um do ranking da WTA, portanto será impossível recuperar uma posição que nunca foi teve.
    Falhas acontecem!!! É compreensível.
    Estou na torcida por ela, que tem uma belíssima história. Não dá para torcer contra.

    Responder
  38. Renato

    Nadal vai jogar duas ou três bolas na esquerda do grego, abrir a quadra e enfiar a mão na paralela. Fato!
    Está jogando um tênis com volume de jogo impressionante. Está cada vez mais certo e claro que será o vice-campeão mais uma vez! Se Nole chegar na final, as chances de Rafa são quase nulas, pelo histórico de pratos australianos que coleciona.

    Responder
    1. Igor Menezes

      Grande Rafa! Tem um sido um legítimo representante do jogo agressivo e bonito, não é mesmo, Renato?? Nada mal pra quem um dia passou bastante bolinhas…

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Acho q com muito esforço quem sabe Rafa não consegue igualar o numero de pratos de Federer em RG, embora eu ache isso um pouco difícil. Além disso, numa eventual final contra Djoko, será q ele consegue vencer um set? Pergunto a vc pq suas previsões em geral não falham, parece q o Pessanha finalmente encontrou um rival a altura kkkkkkkkkkkkkkk…

      Responder
  39. julio cesar

    Ao que parece, Nadal é o maior favorito, pelo que vem jogando, ao AUS OPEN. Teve uma chave bem favorável e o Djokovic não parece estar com esse físico todo dessa vez. Ano passado, na época do US OPEN e gira do Pacífico Djokovic, estava bem melhor. Não sei se é impressão, se ele pegou uma chave mais difícil e isso teve alguma influência…

    Responder
  40. Babidi

    Olha, se o Tsitsipas vencer o Nadal no nível que o espanhol tá jogando, já vai ser o campeão moral do torneio.. A verdade é que o Nadal joga de um jeito esquisito e super eficiente, sendo que é muito difícil copiar o jogo dele. Bate na bola como se estivesse surrando alguém com aqueles ganchões, aguenta tudo que é troca de fundo, chega em qualquer bola, agora melhora ainda mais o saque. Realmente é plausível ver o ódio que esse cara gera, porque é um desafio até para a ciência explicar como ele consegue fazer o difícil se tornar tão simples. Ele se adapta a qualquer situação, no melhor dele é capaz de atropelar 90% do circuito em qualquer piso. Eu não entendo.. esse cara se lesiona, reclama, pula torneios, faz a gente pensar que a situação física dele está complicada, mas volta como se não tivesse acontecido absolutamente NADA! Nadal também não é desse planeta, meus amigos.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Nadal tem uma capacitada técnica incrível. Hoje, fez um winner com um smash depois de a bola quicar em cima de sua linha de base.
      O adversário nem se mexeu.

      Responder
  41. Marcelo Calmon

    Concordo com a observação que Nadal ainda não pegou nenhum adversário perigoso, incluindo aí o Tiafoe.
    Aliás não entendo muito bem essa discrepância do tênis masculino para o feminino nos EUA. Enquanto surgem vários nomes de peso no feminino, o masculino fica patinando e não sai do lugar. Vive de alguns lampejos.

    Se o Brasil não se classificar na Davis é melhor fechar tudo. A Bélgica vem com uma equipe muito fraca. Mas …

    Esse descaso belga com a Davis seria algo a ver com o novo formato ? Outros países também estão colocando o torneio em 2º plano ?

    PS: Que coisa mais chata os jogos das “Lendas” !!! 10 minutos daquilo já seria suficiente !!!

    abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Alguns times irão fortes, outros não terão os tops. No caso belga, foi um descaso total mesmo. Não quiseram viajar nem encarar o saibro.

      Responder
  42. Renatinho

    O grande problema é que o Nadal tem golpes muitos profundos e devolve tudo no fundo de quadra levando o adversário ao limite e agora com mais esse saque fica mais complicado ainda. Vê alguma chance do TsiTsipas dar trabalho ? Acho que se ele tiver num dia inspirado pode equilibrar a partida, já que é dotado de inúmeros recursos e bate bem na minha opinião tanto de direita como de esquerda.

    Responder
  43. AKC

    O Yakult depois dos 30 tem se mostrado um excelente jogador, muito técnico, não é à toa que vinha de 9 vitórias no hard, mas fisicamente não deu, no terceiro set ele já estava sentindo e no quarto não segurou o grego. Achei o Tsitsipas menos brilhante do que contra o Federer, subiu menos à rede, mas jogou o suficiente e foi um bom desafio. Alguém tem que dar um curso pra ele sobre “quando chamar o eye hawk”, desde o ano passado é engraçado como ele às vezes chama em jogadas nitidamente bem marcadas pelos juízes de linha.

    O Nadal está impressionante, muita intensidade, o Tiafoe é um garotão que respondeu a correria à altura, mas é incrível o poder físico e mental do espanhol. Agora outro jogaço contra o grego. Se o grego ganhar e pegar o Djoko na final, imagina só: vencer Federer, Nadal e Djokovic no mesmo Grand Slam?! Seria incrível. Mas ainda acho o Djoko favorito contra o Nadal e o grego.

    Responder
    1. Alice

      Também me passou pela cabeça, AKC. Vencer Federer, Nadal e Djokovic…seria muito surreal pra acreditar!
      Mas, com certeza não impossível, são “só” mais 2 jogos e mais 2 adversários. Acho que o problema maior para o Tsitsipas seria o físico aguentar…se até pouco tempo atrás nem o melhor da sua geracão, até o momento,(Zverev) aguentava….muitos outros mais experientre também não dão conta, é preciso de físico de “ferro”. O grego já jogou 20 sets se não me engano. Teria que jogar pelos menos mais 6…pensa? Acho que teria que acontecer muitas reviravoltas…

      Responder
  44. Bene Silveira

    Dalcin só uma dúvida!!!!!
    Você fala em duelo na Sexta-feira e pelo que vi o duelo está previsto para sessão noturna de quinta feira e durante o dia as duas semi femininas no horário australiano.
    Estou correto???

    Responder
  45. Evaldo Medeiros

    Dalcim, não quero ser chato…. Mas vou repetir a pergunta 1 rodada após eu ter feito a mesma pergunta. Perguntei se Nadal levará vantagem na final estando bem descansado enquanto que Nole vem se desgastando muito em seus jogos. Nadal fez mais um treino com o Tiafoe e continua economizando energia. Só resta Tsitsipas. E mesmo que vá a 5 sets o que acho difícil, já tem reserva suficiente para chegar bem descansado na final, enquanto que Nole tem Nishikori e Raonic. Quero refazer a pergunta: A essas alturas do campeonato, você considera Nadal favorito contra Nole na final, supondo que dê a lógica???

    Responder
      1. Alice

        É, eu entendo perfeitamente, Dalcim. Por mais que o espanhol seja até o momento o “boom” do A.O, seja aquele que melhor esteja jogando…não se pode esquecer, porque parecem que esquecem. Se trata de Djokovic, aquele que é Hexacampeão do torneio, que ganhou os últimos 2 Majors em quadras ‘rápidas’, é o número #1 e portanto o tenista a ser batido. Pode se dizer que o sérvio está em casa na Austrália, nunca perdeu uma final nesse Major das 6 que disputou e isso é muito difícil de se realizar. Sem contar que ele tem dominado (ganhado/mental) os últimos confrontos contra o Rafa, sendo ele (Djoko) quem manda no confronto em quadras duras contra o espanhol. A lógica manda apostar no sérvio, independente de como estejam jogando, eles são foras de série…no confronto, tudo pode acontecer. Claro, estamos falando na hipótese dos dois confirmarem o favoritismo e fazerem a final.

        Responder
  46. Pedro

    Dalcim,

    O grego vai perder para o Nadal, e acredito que em 3 sets. Pouco vi o espanhol jogar neste AO, mas em alguns lances, não percebi este novo saque. Para mim está igual. Até a Teliana Pereira, comentarista da ESPN não viu também. A velocidade continua na faixa próximo a 200, o que sempre foi. Continua com efeito, o que sempre foi. Tem que perguntar para os adversários, para eles confirmarem esta grande mudança. O jogo do Nadal continua bom, condizente com as vezes em que ele estava bem fisicamente. Deste jeito, acredito que apenas o sérvio pode ganhar dele, e isso naqueles longos jogos. Vamos esperar. Em relação ao que não se confirmou, foi de novo o Zverev. Foi detonado pelo Raonic. Já era para estar tendo resultado da parceria com o Lendl. Tem quanto tempo? Um ano? Ele vai contratar quem depois? Ele tem os golpes, mas ainda falta o mental mais confiante. Deve ir atrás do Moratoglou,

    Responder
    1. Miguel BsB

      Se a Lenda Lendl não conseguir fortalecer o mental do alemão, ninguém mais conseguirá…
      Lembrando que o Boris Becker, outro monstro, faz parte da equipe alemã da Davis. Só não tenho certeza se é o capitão ou não.
      Portanto, apoios de peso não faltam ao Zverev.

      Responder
    2. FSM

      As diferenças são sutis, mas compare as médias de velocidade de saque do último US Open (de 168 a 179 km/h para o primeiro saque, 145 a 148 km/h para o segundo) com as do AUS Open (183 a 191 km/h no primeiro, 151 a 157 km/h no segundo). Tanto o primeiro como o segundo saque estão, em média, mais velozes. Não é que tenha se transformado num Karlovic, mas ajuda a ganhar com mais facilidade seus serviços.

      Responder
    3. Sérgio Ribeiro

      Pesquise primeiro antes de postar bobagens, parceiro. Lendl acaba de completar apenas 5 meses com o garoto. Verique o tempo que Murray demorou até o primeiro SLAM em sua parceria com o Theco. Típico de comentarista de resultados. Abs!

      Responder
  47. Gabriel Vieira

    Espero que ninguém pare o Nadal, ele merece d+ outro título do AO. Teve 3 vices traumáticos, tendo quebra a frente no 5º set em 2012 e 2017 e lesão em 2014. Está em plena forma, e caso seja o Djokovic na final, terá que vencer seus próprios demônios… Dalcim, vc acha que mentalmente Djokovic é a kryptonita do Nadal, assim como o próprio Nadal é do Federer?

    Responder
    1. Fiel Depositario

      Nadal melhorou muito o back no ano passado e esse ano vem com um saque forte que permite ele aumentar a agressividade do Seu estilo. Acho que deu grandes passos para se igualar em nivel com o Djoko. Se acontecer dos dois se encontrarem, vai ser um jogasso.
      Mas ainda acredito que a vantagem seja do servio, porque que o incomoda mesmo i Nadal é a devolucao de saque. Essa bola causa um estrago no seu jogo e no mental do Rafa e é algo que ainda falta melhorar.

      Responder
  48. Carlos

    Com todo respeito, Nadal ainda não jogou com adversário de respeito. Esse Tiafoe é de uma lentidão… Não gosto dele (Tiafoe) como tenista, top 20 já tá de bom tamanho pra ele. Tsitsipas tem muito mais chances , já que tem um jogo mais consistente e um belo saque – não só os aces, mas qualquer saque dele gera dificuldades.
    Djokovic terá problemas mesmo contra Raonic, isso se o último chegar até a semi. Ambos são favoritos nas quartas. Apesar de que, para o Raonic, todo cuidado é pouco contra o Pouille, um bom tenista. Djokovic se machucar perde pro Japa, mas só assim…rsrs
    Na chave feminina, Serenão leva contra qualquer uma na semi (Osaka e Svitolina) e pega Kvitova na final. Essa é minha aposta. Svitolina é uma amarelona de marca maior, se chegar na semi contra Serena toma 6×0 e 6×1.

    Responder
  49. Enoque

    No quesito desgaste físico x período de descanso, Nadal e Tsitsipas levam vantagem em relação ao outro lado da chave que vai fazer as quartas de final na quarta feira. Sendo assim, aquele que chegar à final estará menos desgastado e isto será fundamental no domingo. Ao ponto de ser colocado como favorito ao título. Veremos no domingo.

    Responder

Deixe uma resposta para Luiz Fernando Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *