E o sufoco de Zverev já começou
Por José Nilton Dalcim
17 de janeiro de 2019 às 12:31

Segunda rodada, e Alexander Zverev já precisou de cinco sets no Australian Open. Não se pode subestimar Jeremy Chardy, um jogador sólido da base, bom sacador e que gosta muito da quadra dura mais veloz. Mas a postura do alemão ainda se mostra um pouco mais defensiva do que se espera de alguém com tanto potencial.

Por sorte, jogou de noite e já num dia em que a temperatura esteve bem amena em Melbourne. Melhor ainda, terá agora um convidado sem qualquer currículo pela frente, o que pode ajudar na recuperação da confiança e das pernas. Se pensar em ter chances lá na frente, Zverev precisa de toda a ajuda possível.

Principalmente porque Novak Djokovic fez outra partida bem tranquila. Perdeu é verdade dois games de serviço, com alguma irregularidade no saque, porém o atual momento de Jo-Wilfried Tsonga não o ameaçou. O francês até que não foi mal,fez belas jogadas e procurou ser agressivo, mas a falta de ritmo lhe custou erros imperdoáveis em momentos cruciais.

Sérvio encara agora o canhoto Denis Shapovalov, num teste muito mais difícil. O canadense tem um grande poder de fogo, mas peca pela irregularidade e a cabeça viaja quando as coisas começam a sair do controle, defeitos que tem tempo de sobra para corrigir mas que tendem a ser fatais diante da consistência de Nole. O duelo é inédito.

A provação de Halep continua
Simona Halep sentiu na pele todo o potencial e bom momento da jovem americana Sofia Kenin e precisou jogar muito tênis na reta final para virar o terceiro set. A romena tinha domínio das ações até abrir 3/0 no segundo set, mas Kenin não se entregou e o que se viu foi um grande duelo de bolas pesadas, anguladas, ataque e contraataque.

Depois de seis sets já disputados, Halep pega agora Venus Williams e, em caso de vitória, deverá ter em seguida Serena Williams, que atropelou Eugénie Bouchard como era de se esperar e cruzará agora com Dayana Yastremska, que tem menos da metade de seus 37 anos. Naomi Osaka e Elina Svitolina também foram muito superiores.

Os jogos do dia
Um festival de tiebreaks marcou a vitória de Milos Raonic sobre Stan Wawrinka, após 4 horas. A primeira quebra só foi aparecer na metade do segundo set. Obviamente foi um jogo de detalhes, decidido em um erro aqui ou acolá. O suíço fez 5/2 no quarto set mas não conseguiu sustentar a vantagem. Destaque para os 89 winners do canadense, sendo 39 aces. E que ele se prepare para mais tiebreaks, já que enfrenta o sacador Pierre Herbert.

Desempates também marcaram o duríssimo jogo em que Kei Nishikori levou 59 aces, mas conseguiu ganhar do veteraníssimo Ivo Karlovic no supertiebreak do quinto set. O japonês conseguiu uma única quebra em toda a partida, mas conseguiu virar um 6-7 para 10-7 quando estava sob grande pressão. Para quem força tanto o saque, Karlovic obteve notáveis 76% de aproveitamento.

Surpresas australianas
Dois convidados da casa estão na terceira rodada masculina. Alexei Popyrin, 19 anos, é um grandão de 1,96m que usou bem o saque para ganhar dois sets e ver um esgotado Dominic Thiem abandonar. A campanha de Alex Bolt, 26 anos, surpreende, já que havia vencido apenas um jogo de nível ATP em toda a carreira. Esteve duas vezes atrás de Gilles Simon e ganhou na consistência. As esperanças australianas de encerrar o jejum que vem desde 1976 ainda contam com Alex de Minaur. E só.


Comentários
  1. Sandra

    Dalcim, vc acha que tem alguém para tirar esse título do Nadal? Descansado, sem correr a seis meses, e como ele dificilmente erra só um milagre , ou alguém disposto a jogar 5 sets

    Responder
  2. Rubens Leme

    Verdasco é outro desta geração que, tivesse cabeça, teria vencido até Slams. O calor que ele está dando no Cilic é incrível. Perdeu a chance de fechar no tie do quarto set. Um desperdício, assim como Tsonga.. Tênis tem e muito. Estou na torcida para que ainda elimine o croata.

    Responder
  3. Fonseca

    Não há como fugir: não haverá um outro top ultra tão cedo. Quando Federer, Nole e Nadal pararem (ou decaírem de vez), o circuito ficará igual na época do Guga , que era o samba do crioulo doido e podia dar qualquer coisa. Tinha Guga, Rafter, Kafelnikov, Rusedski, Corretja, Moya, Ferrero, Korda, Rios, Muster, Safin, Hewitt, Philippoussis, Haas, Thomas Johansson, Courier, Blake, etc…

    Responder
  4. André Barcellos

    Esse De Minaur anda realmente superestimado. O cara não tem um golpe definidor que seja!
    Rafa foi muito consistente, mas o australiano saca igual a uma moça e não pega pesado.
    Só corre muito…
    Contra um cara que enxerga a quadra como Nadal, deu pena.

    Federer jogou bem, mas acho que ele está jogando dentro da quadra demais. Quase de bate-pronto. Permite que ele corra menos, mas acaba pegado muitas bolas sem ser “na veia”.
    No terceiro set fez o que quis contra o americano, que bate pesado e tem um baita saque, mas tem a movimentação comprometida.

    Responder
  5. Luiz Fernando

    Quero parabenizar os “intindidos” aqui do blog, que previram q o jovem De Minaur seria um adversário duríssimo p Rafa, quem sabe um dia minha expertise não se aproxima da deles kkkkkkkkkkkkkkk…

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Bom, quem acompanhou o torneio de Sydney e esse início de Australian Open já sabia que o garotão chegaria em frangalhos pra esse jogo contra o Nadal. Da minha parte, espero que Federer e Nadal se encontrem, pois o resultado do jogo será o mesmo dos últimos 5 anos. rsrs
      Abs

      Responder
  6. Naira

    Dalcim, em uma entrevista ao final da partida Novak Djokovic disse: “Hopefully I will be coming to Australia for 15 more years”. Voce acha isso possível ou foi só uma brincadeira?

    Responder
  7. Rodrigo S. Cruz

    Ótima vitória da Sharapova sobre a Carol Wozniack.

    E assim, a cabeça 30 derruba a cabeça 3 do torneio.

    E pouco a pouco, a russa vai se reposicionando em seu lugar natural.

    Porque vamo combinar, né?

    Ter como número 1 do mundo, essa limitada Simoninha Halep, ninguém merece!

    Acho que até a BIA, se treinar e conseguir ser regular, ganha dessa Halep. kkkkk

    O ranking WTA verdadeiro é de longe Serena em primeiro, e a Sharapova, no mínimo, uma Top 10.

    Espero, em breve, ver as coisas em ordem de novo…

    Responder
  8. Sérgio Ribeiro

    AMANDA ANISIMOVA. O maior Talento que eu vi jogar nascido na Geração 2000 ( apenas 17 anos ) . A Norte – Americana Incrívelmente já executa TODOS os golpes , nesta idade. Levou a N 11 Sabalenka , ao desespero total. É melhor as favoritas correrem rápido para anotar a placa. O Suíço venceu como quis subindo pouquíssimo a rede. Está na hora do Velhinho voltar pra noite rs E Berdych realmente extremamente perigoso na chave. Olho. Abs!

    Responder
  9. Cláudio Bernardo

    Olha, se eu largar minha profissão e treinar um pouquinho mais de tênis, acho que dá para encarar este Taylor Fritz. Rs

    Brincadeiras a parte, Federer faz parecer fácil.

    Fritz foi varrido da quadra.

    Acho que foi mais uma derrota do garotão que uma baita vitoria do Federer. Apenas o segundo set mais equilibrado, com Fritz ensaiando uma possível maior competitividade frente ao também garotão de 37 anos.

    Tsitsipas vai exigir muito mais do Federer.

    Responder
  10. Alice

    Confesso que estou surpresa com a evolução técnica de alguns tenistas da nova geração, é aquele velho ‘dizeres’…sem lesões, os resultados serão uma questão de tempo!

    Alex de Minor, pode sim incomodar Nadal…ele não estará “estreando” diante do espanhol, já se enfrentaram no grande palco de Wimbledon, ano passado. E outra, o atual número #1 australiano, vem em franca ascencão tanto tecnicamente como de resultados. Mais técnico e amadurecido, logo acredito que mais jogo deve dar!

    Agora, sobre Shapovalov….ele está jogando MUITO tênis neste Aberto da Austrália, digno da melhor perfomance da vida dele (contra Nadal em Montreal 2017). Mais que efusivo, está jogando de modo abusadamente perfeito para seus padrões. Penso que não será fácil para o número #1 do mundo, Djokovic. Pois, o tenista de Belgrado ainda não encontrou o ‘fino’ do seu tênis que o fez voltar a ser o melhor tenista da atualidade, mas a gente sabe…ele sempre estará lá, em sua raquete. Juro que penso em *surpresa* nesse jogo, não apostaria claro. Porém, o canadense realmente parece ter evoluído seu jogo…não sei ele (mental/emocional), mas seu jogo sim, está amadurecido.

    Ah, claro..não posso finalizar sem

    😉 hahaha

    Responder
  11. Rodrigo S. Cruz

    O Tsonga é um belíssimo jogador de tênis.

    Quanta plasticidade, quanta beleza nos golpes dele.

    Infelizmente, o francês é muito irregular, e o Djokovic tem um volume de jogo muito maior.

    É até meio injusto, depois de lances tão bonitos, vermos ao final, um placar de uma quebra pra cada set…

    Responder
    1. Viana

      Concordo com tudo o q falou!!
      Como joga bonito o francês!!!
      Mas com o Djoko, se der uma brecha…
      o Tsonga teve algumas chances e falhou!
      Mas é sempre muito legal vê-lo jogar!

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Oi Rodrigo, não entendi a correlação de injustiça entre a beleza do jogo e o placar de uma quebra só para cada set.
      Tivemos alguns belos jogos do passado tão belos quanto e placares assim, como Guga X Federer em RG e Guga X Agassi na Masters Cup Lisboa.

      Responder
  12. João ando

    A Maria sakkari e bonita …e o tipo de mulher que da para apresentar para os amigos os pais …uma beleza da Grécia. ..vamos ver como sai com asheligh barty

    Responder
        1. João ando

          Sônia .eu nao estou no circuito profissional de tênis …então não sou referência falo das tenistas …aqui eu nao estou no ao …pelomenos que eu saiba. Estou trabalhando …infelizmente …eu queria ser teniistA profissional mas e muito dificl vide vc que deve estar no Brasil tb

          Responder
        1. João ando

          Luiz .agora não podemos nem falar da beleza e da feiura dos outros ….tem pessoas que não sabem nem avaliar …eu não estou no circuito atp …estou falando do ao ….caraca.vem me falar se sou asiático …na verdade sou brasileiro ja que que Brasil eum pais multiracial …onde tem nnegros índios filhos e netos de alemães italianos árabes …mas um dia eu creio que o povo brasileiro terá educação

          Responder
        2. EU

          Hehehe….hoji tem muier si aproveitandu da condição de muier…..hehehe…i tudo é mizogenia….visse…….Até axar uma muier feia…..hehehe….e u puliticamnet3 cortetu.

          Responder
  13. Robson Couto

    Boa noite Dalcim,
    Sempre achei o Djokovic muito inteligente taticamente, porém hoje me parecia que ele insistia em atacar o forehand do Tsonga ao invés do backhand. Seria essa a melhor tática? Pergunto porque quando ele sofreu a quebra no segundo set recuperou a vantagem em cima do backhand que me parece o golpe mais fraco do francês, (aliás como voleia esse Tsonga que espetáculo).
    Obrigado!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Na verdade, não adianta você ficar só no backhand de um adversário que tenha deficiência, porque ele não vai se incomodar tanto se bater equilibrado. Por isso, Djokovic forçava o forehand para depois obrigar Tsonga a bater um backhand difícil ou em movimento, o que aí assim gerava erro ou uma bola curta. Tsonga voleia demais!

      Responder
        1. lEvI sIlvA

          Robson, caso não tenha visto, procure os highlights do embate entre Nadal vs Tsonga no AO 2008. Ali sim, verá o francês voleando como nunca!

          Responder
  14. Chetnik

    Esse Zverev não se emenda, kkkk.

    Jogo mais ou menos do Djoko, em que pese os bons números de saque. O Tsonga, infelizmente, é um ex-jogador em atividade.

    Responder
  15. José Alves

    O Nadal vai surpreender muito nesse campeonato,vem jogando melhor a cada rodada e sem dúvidas vai superar o Djokovic ou quem quer que apareça em seu caminho. O nível dele tá muito alto.

    Responder
    1. lEvI sIlvA

      Caro José, não sei se recorda o que ocorreu em Wimbledon 2018. Nadal vinha voando o torneio inteiro e na SF jogou contra Djokovic que vinha tentando a volta por cima. Deu no que deu…!

      Responder
      1. José Alves

        Sim,me recordo bem,assisti ao jogo,foi duro e amargo . Triste derrota,mas em quadras duras o nível dele é muito maior do que nas quadras de grama,na grama de Wimbledon ele perdeu várias vezes seguidas pra muitos azarões.No piso do Australian Open Nadal é muito monstro,perdeu para o Federer sim,mas Federer teve um dia a mais de descanso que certamente pesou nos detalhes do quinto set

        Responder
  16. Marcos RJ

    Se teve uma única partida nessa rodada que me deu grande satisfação (embora NENHUMA surpresa), foi Serena despachando essa canadense pretensiosa, bonitinha-mas-ordinária. A guria teve um começo promissor com 3 semis de GS em um ano e então pirou o cabeção e virou diva: virou modelo de passarela e fotografia, desandou a dar entrevistas agressiva contra colegas de profissão, demitiu o técnico Salviano de longa data com declarações grosseiras entre outra longa fila de técnicos, processou o US Open por tombo no banheiro e criou factóides para atrair atenção da social media (pesquisa Bouchard Super Bowl fan). Nada como uma boa derrota para trazer uma certa dose de realidade.

    Responder
  17. Nando

    E o Thiem hein, o cara fora do saibro “não vai”…aquele jogo q ele fez contra o poka telha no USO enganou td mundo, ao q parece. Tem q mudar seu jogo, e melhorar outras coisas, pra jogar nas hards e na grama (ganhou Stuttgart em 2016, mas parece q ali foi um acaso)
    Ele deve estar contando os dias pra chegar logo a temporada do barro.

    Responder
  18. Nando

    Eu achava q o Pantera iria impor alguma dificuldade ao cotonete…
    Até agora, jogos tranquilos pra cotonete, nadal e a zebra suíça. Vamos ver hoje se De Minaur pode complicar pro poka telha…aliás este irá jogar pela 2° vez seguida à noite né? Mas dá pra entender, pq tem australiano na parada.
    Ahhhhh se fosse Federer…seria a tradicional choradeira kkkkkkkk.

    Responder
    1. Alessandro Sartori

      Choradeira é ficar toda hora dizendo que Federer é zebra, aliás toda hora alguém escreve algo nesse sentido por aqui, aí meu amigo fica fácil torcer…

      Responder
  19. Marcos RJ

    Dalcim, gostei da iniciativa de adicionar os highlights dos jogos de destaque.
    Assisti ao jogo da Halep, uma tenista que admiro pela raça e qualidade, mas que ainda com a confiança em baixa depois da lesão e falta de ritmo. O jogo valeu pelo fim do 3o set quando saiu de um 2×4 complicado com o corpo dando sinal de desgaste, mas foi aí que a cabeça finalmente começou a trabalhar. Colocou a bolinha com categoria próximo das linhas e levando a Kenin ao desespero e virou com duas quebras. Aliás, a Kenin é o espelho da própria Halep tanto no físico compacto, muita perna e a mescla de bolas cruzadas com ataques corajosos. Boa promessa.

    Responder
  20. Jonatas Bruno

    Dalcim, apesar do sufoco, tenho em mente que os dois sets perdidos foi dentro do esperado. Chardy, é um cruzamento ‘espinhoso” para uma segunda rodada, mesmo entre os principais cabeças-de-chave.
    Acredito que Zverev tenha se mostrado passivo em alguns momentos, por acreditar que em algum momento teria o controle do jogo. O que convenhamos, não é nada recomendado oara quem projeta chegar lá na frente.

    Enquanto isso, Djoko segue com a sua eficiência e consistência de sempre. Soma-se a seu preparo físico primoroso, e se constata a receita do sucesso.
    Elementos que esteve em falta ao Tsonga, o que já era esperado. Esperava ao menos, um tie-break e mais jogo de rede do francês. Mérito do sérvio que “brecou” o que era possível.

    Enquanto no setor feminino, a Halep vai embalando e recuperando o terreno.
    Como é bom presenciar a sua aplicação em quadra. E como distribui bem as bolas!
    Bora acompanhar seu jogo contra a Venus.
    Que venha o bom combate!

    Falando nas irmãs Williams, Serena segue demonstrando que ainda tem muito a dar. Impõe pressão o tempo todo. Coube a exuberante Bouchard apenas tentar evitar ficar na defensiva. Não foi o suficiente. Mérito total a multi-campeã!

    Responder
  21. Marcelo-Jacarei

    Até onde eu vi do jogo, Raonic e Wawrinka estavam fazendo um jogão. O canadense teve 4 chances para quebrar o saque do suíço, não aproveitou e perdeu o 1. set. Milos mostrou a mesma vontade de ir à rede que à época da semi alcançada na Austrália.
    E a esquerda de duas mãos estava matadora, até na paralela. Finalmente, conseguiu evoluir e fazer com que o back chapado ficasse mais consistente.
    Cuidado com o Raonic!
    Wawrinka, assim como no último USOpen perdeu para o canadense, mas ontem foi no detalhe pelo que o placar indicou.
    Berdych é outro perigo solto na chave.

    Responder
  22. Miguel BsB

    Tb não vi racismo no comentário anterior sobre a beleza, ou não, da Serena. Aliás, a negra Slone Stephens é, na minha opinião, linda!
    Vou aproveitar e postar o meu ranking de belas jogadoras do circuito, não necessariamente nessa ordem:

    Sharapova
    Kerber
    Camila Giorgi
    Bouchard
    Slone Stephens
    Caroline Garcia (essa não vai ser unanimidade, mas eu acho ela muito bonita e charmosa)

    Responder
  23. Marcos Ribeiro

    Djokovic passará fácil pelo Shapovalov, com 3 x 0.

    Como bem disse o Dalcim, o rapaz tem grande poder de fogo, mas peca pela irregularidade e costuma viajar. Vejo estes seus 2 defeitos interligados por uma causa comum: pouca capacidade concentração. E acho que dificilmente ele conseguirá corrigir este problema, exceto tomando Ritalina, que não sei se é permitida no tênis.

    Responder
  24. Luiz Fernando

    Pra variar começou a sina de Zverev nos jogos de 5 sets, algo q o tem desgastado em todos os GS. Longe de dizer q o Chardy seja medíocre, o próprio texto acima já demonstra o contrário, mas se fosse alguém bem inferior talvez ocorresse o mesmo, basta lembrar dos GS de 2018. Isso desgaste e debilita qualquer um, veja o exemplo de Rafa no USO 2018, ele q tem um físico q dá de 50 no do alemão. Vamos aguardar a próxima rodada…

    Responder
  25. Rubens Leme

    Os jogos estão sendo bons e torço para que Stan volte a ser o Stanimal pós 2014 e não pré, embora ache difícil. Fico imaginando que jogador teria sido Karlovic se tivesse um bom backhand de duas mãos e uma devoluçõ melhor, talvez um herdeiro de Ivanisevic. Ainda assim, gosto de vê-lo fazer saque e voleio, o jogo anda bem tanto que o tie-break do segundo set começou com 1 hora e 10 minutos de partida apenas, tempo que às vezes leva no próprio set quando vai para o desempate com dois baseliners.

    Aliás, tem sido muito curioso ver lesionados se “reinventarem” voleando mais…Raonic, Berdych, até mesmo Delpo… por que não faziam isso antes?

    Responder
      1. Rubens Leme

        Sim, exatamente isso. Me lembro de ter visto algum deles fazendo saque e voleio até em Roland Garros, ano passado!

        Eu não entendo porque tanto medo de ir pra rede, embora entenda o desconforto de muitos ali. Mas, ontem, Nishikori se aventurou na rede várias vezes, com bom resultado. Eu sou favorável aos pisos rápidos, exatamente por oferecer mais alternativas e tirar os atletas de um conforto chato.

        Responder
    1. Jonatas Bruno

      Também curto ver o Karlovic jogar! Além do saque exterminador,voleia com qualidade!
      Rubens, você enfatizou o saque-voleio e eu acrescento o approach com slice quando se encontra disputando o ponto. Aprecio também este tipo de iniciativa, apesar(nesse caso) não ser frequente.

      Até o pupilo do Hewitt está indo um pouco mais a rede, Dalcim. Logo ele! rs
      Que o inspire contra o Nadal, pois vai precisar! rs

      Responder
  26. Renato

    Não vi preconceito nenhum no comentário do Aranha no post anterior. Bouchard é a bela, e Serena, a fera! A questão não é se é amarela, azul, branca ou negra, mas sim bonita ou feia. Na minha opinião, a Serena não é bonita. Qual o problema? Tem tantas mulatas lindas por aí.. ..

    Responder
    1. Enoque

      Concordo com vc. Esta onda do politicamente correto tá ficando chato. Já vi muito comentarista brincar com a feiura do Stepanek e nem ele mesmo fica chateado, rebatendo que é feio mas ganha as bonitanas.

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Assino embaixo, se Serena fosse branca e Bouchard negra esta última seria muito mais bonita, não é uma questão de preconceito, mas de opinião acerca da beleza de uma mulher, e nesse quesito cada um pensa de uma forma. Ou será q a Sharapova e a Soares Navarro, ambas “branquinhas” e europeias, são de beleza similar? Precisamos parar com determinados tipos de patrulhamento, não no blog, mas na sociedade…

      Responder
      1. Enoque

        Boa Luiz Fernando,
        Gostei da lembrança da Soares Navarro, até parece com o Stepanek, como personalidades públicas, estão sujeitas a comentários públicos, sem patrulhamentos. Nesta polémica não vi comentários ofensivos de ninguém, apenas liberdade de expressão.

        Responder
    3. André Barcellos

      Sou solidário ao Aranha, também.
      Sim. Há muitas negras lindíssimas.
      A despeito disso, eu não acho Serena uma delas. Já achei ela bonita, mas a sucessão de atitudes destemperadas tirou seu encanto, pelo menos pra mim.
      Hoje há muitas suscetibilidades e sensibilidades desmedidas, inclusive respostas não proporcionais aos agravos.

      Responder
    4. Marcelo-Jacarei

      Vai chover! Ou melhor está caindo o mundo aqui em São Paulo.
      Vou concordar contigo, Renato, uma única vez.
      Sinceramente, Amanda! O comentário do Aranha foi absolutamente normal.
      O que teve de racista o comentário dele!?
      A Bouchard é linda! A Serena está longe disso. Qual o problema? Além de ser uma grande jogadora, todos são obrigados a acha-lá bonita?
      E por falar nisso acho a Sloane Stephens muito bonita e excelente tenista! Já a Madison Meus prefiro não comentar a beleza, mas joga muito.
      E o Stapenek!? Jogava muito mas é feiooo que poderia estrelar Nosferatu.

      Responder
      1. Marcelo-Jacarei

        Stepanek, corrigindo.

        Agora só falta alguém dizer que o Carlos Ramos foi racista na final do UsOpen-18!
        Assim como foi racista e machista inúmeras vezes advertindo o Nadal, Djokovic…

        Responder
  27. Renato

    A diferença de talento e habilidade, além do jogo de rede a favor de Tsonga em relação a Novak é absurda. Mas o back é horrível, devolução fraca e a lentidão, daí vira um prato cheio pro maratenista.

    Responder
    1. Adriano Souza

      Dalcim, esse Shapovalov me parece perigoso.. Acho ele rápido e bate forte na bola. Pro Nole vencer esse jogo, tera q bater forte na direita, na esquerda, buscando o fundo da quadra, fazendo o Shapovalov correr muito, porq se deixar ele a vontade no jogo,, ele passa por cima. O Nole tera q fazer um ótimo jogo. Oq vc acha?

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Acho que Nole vai apostar na consistência, mas é um duelo inédito e isso traz novidades para os dois lados. Shapovalov, como canhoto, pode explorar algumas coisas valiosas, como o saque alto saindo no forehand de Nole e ir mais à rede. Será interessante, sem dúvida.

        Responder
    2. Marcelo-Jacarei

      Parou de chover.
      Discordo. Tsonga está voltando ao melhor nível. Movimentação, ele irá melhorar com o ritmo de jogo. O maior problema, de fato, é a esquerda flat fraca, infelizmente ele não conseguiu melhorar esse golpe, o mais inusitado é que mesmo tendo o backhand de duas mãos, em vários jogos eu vejo o francês do nada batendo a esquerda com uma mão.
      Por fim, habilidade…
      O francês não tem habilidade alguma no backhand. Tampouco, tem habilidade em fazer devoluções agressivas como o sérvio. Não possui a habilidade da mentalidade forte e resistente à intempéries tenisticas.
      Djokovic não tem a habilidade de volear tão bem como o Tsonga e possui um smash, embora tenha mostrado evolução, ainda é um ponto fraco do jogo.

      Responder
  28. rafael

    O Djoko, mesmo com algumas oscilações, mostrou que está no páreo para levar mais 01 Ausopen! Ele está em plena forma e ganhar em 3 sets poupa físico para as rodadas seguintes. Frente ao Shapovalov eu também não vejo maiores dificuldades para o sérvio. Creio que teremos mais um 3 x 0! Já o Zverev me pareceu um tanto passivo e sem um físico 100%.
    Enfim, vamos que vamos!

    Responder
  29. Tadeu

    Djokovic iniciou bem, mas no segundo set o serviço despencou. Senti certa displicência em alguns pontos. O que acha, mestre? E no duelo com o Shapovalov, arrisca uma porcentagem? Colocaria 70/30 para o sérvio.

    Abcs!!

    Responder
      1. fabio ayres hegg

        O que vc acha do Schwartzman, Dalcim?

        Eu particularmente gosto muito dele… bate firme dos dois lados, ágil, raçudo, sabe volear, precisa melhorar o saque. Lembro do suor que ele deu ao Nadal em RG e Australia no ano passado… ai se a chuva não tivesse interrompido em RG..

        É um dos tenistas que mais torço atualmente. Dá gosto ver ele machucar a bolinha.

        Abraços Dalcim

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Gosto de sua determinação e acho que ele consegue superar bem a falta de altura com vários recursos. O piso veloz complica um pouco sua vida. Acho que ele caiu um pouco de consistência há alguns meses.

          Responder
  30. Mauricio Andrade

    Pra sorte do alemão, pegará uma terceira rodada bem tranquila. Dá pra fazer 3 a 0 e recuperar o fôlego. Se levar para o 5o set aí já fica muito difícil alcançar a semi.

    Responder
  31. Cláudio Bernardo

    E a terceira rodada reservou um belo confronto entre os cachorroes do Big3 e a NextGen.

    Acho que a mulecada dará trabalho sim, mas acredito em três vitórias do Big3.

    E dos três confrontos acho que apenas o Shapovalov dará maior canseira a Novak.

    Nadal e Federer não terão grande dificuldade.

    A conferir.

    Responder
    1. Viana

      Foi preciso em relação ao Fedex e ao Touro.
      Veremos o Djoko!
      Se o Shapovalov estiver num dia inspirado… aí sim, pode dar muito trabalho!!
      Ele não tem medo não! Moleque é abusado!

      Responder
  32. Renato Toniol

    Dalcim,
    Eu sou o único que acha que o Medvedev tem um movimento muito amplo no forehand? rsrs
    Não vejo ninguém comentar isso, e não quero que pareça implicância minha com ele, pois não é, já que aprecio o seu jogo, e o vejo com enorme potencial. Mas por outro lado, esse movimento tão longo, pode gerar atraso no contato com a bola.
    Chardy e Gulbis também possuem movimento bem amplo na direita, assim como o Soderling e o próprio Gonzalez também possuíam.
    O que você acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O problema do movimento existe se o tenista joga muito perto da linha. Um ótimo trabalho de pernas e uma dose de antecipação minimizam isso.

      Responder
  33. Carlos

    Achei a Serena Williams bem abaixo do seu melhor, embora tenha ganhado facilmente – mais por deméritos da Bouchard, que é linda (deveria ser modelo!), porém como tenista é fraquíssima.
    Djokovic consistente. O Tsonga tá beirando a aposentadoria, pelo jeito. Errou uma bola fácil e permitiu a quebra do Djokovic no segundo set – ali vi que era impossível para ele ganhar do Djoker Nole.
    Raonic vem bem, e pode dar muito trabalho pela frente.
    Tem que ser muito otimista para acreditar em título do Zverev. Pouco provável, o jovem ainda tem muito o que melhorar para vencer os ‘tops”.

    Responder
  34. Luigi

    Vi Bjokovic inconsistente hoje. Pegou um adversário vindo de lesão, sem tanta mobilidade, fora de ritmo e que ambos oscilaram várias vezes durante a partida. Foi um jogo morno, sem grandes lances a maior parte do tempo. Talvez seja uma amostra do cansaço, já que pegou vários jogos antes do primeiro Slam da temporada. Percebi ele alongando o ombro com cara dor, discretamente, duas vezes, será que está sentindo dores?

    Responder
  35. Rafa Darvin Ramos

    Mestre,

    Por mais que não aprecie a forma do Canadense (Raonic) de jogar, não se pode negar sua tremenda qualidade – SERVE & VOLLEY like a master. To achando que esse ai vai longe nesse AO.
    Está focado e muito aplicado taticamente, Nole por ser o melhor devolvedor já visto me parece ser o único que poderá derrubá-lo.
    Leve impressão…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *