Especial 20 anos: os maiores brasileiros do tênis
Por José Nilton Dalcim
16 de outubro de 2018 às 19:49

Nesta semana especial para TenisBrasil, em que comemoramos 20 anos de existência, o Blog do Tênis publicará diariamente sua lista ’20+’: as maiores tenistas, os jogos mais espetaculares, os brasileiros, os melhores homens…

Depois das maiores tenistas da história, seguem os mais destacados tenistas brasileiros de todos os tempos. Justificarei sempre o voto nos cinco primeiros. Aguardo como de hábito suas participações!

1. Maria Esther Bueno
Sete títulos de Grand Slam em simples, fechou Slam de duplas em 1960 e foi indicada três vezes como número 1 do mundo. Fechou carreira com mais de 60 títulos de primeira linha.

2. Gustavo Kuerten
Tricampeão de Roland Garros e quadrifinalista em Wimbledon e US Open, liderou o ranking por 43 semanas. Venceu cinco Masters 1000, um deles em quadra rápida além do Finals de 2000.

3. Thomaz Koch
Viveu melhor fase como amador. Fez quartas em Roland Garros, Wimbledon e US Open, semi de duplas em Wimbledon e campeão de mistas em Paris. Apontado como top 20 do tênis antes do ranking da ATP. É um dos maiores vencedores da Copa Davis.

4. Marcelo Melo
Dois títulos e duas finais de Slam em duplas, número 1 da especialidade e duas vezes vice no Finals de Londres. É recordista brasileiro de vitórias e de títulos de duplas (geral e de Masters).

5. Thomaz Bellucci
Segunda posição mais alta do ranking profissional de um brasileiro, soma mais de 140 semanas no top 40. É 2º em vitórias em Masters e 3º em triunfos gerais. Soma 4 títulos e 4 vices de ATP.

Os outros top 10
6. Fernando Meligeni
 7. Bruno Soares
 8. Luiz Mattar
 9. Ronald Barnes
10. Carlos Kirmayr

Os demais top 20
11. Jaime Oncins
12. André Sá
13. Patrícia Medrado
14. Niege Dias
15. Cássio Motta
16. Flávio Saretta
17. Marcos Hocevar
18. Teliana Pereira
19. Ricardo Mello
20. Edison Mandarino


Comentários
  1. O JR7

    Pessoal,

    Vamos considerar que a lista do nobre colunista é essencialmente pessoal e de aspectos subjetivos. Daí alguns postarem que “faltou esse, aquele, ou tenista A foi melhor que B” chega a ser meio infantil justo porque o rol é um entendimento particular. Temos quase consenso em relação a Maria Ester e ao Kuerten, acredito ser ponto pacífico. No mais, os critérios podem ser analisados de diferentes formas. Que, ao invés de se trazer um boletim de ocorrência em resposta ao post em questão, cada participante, educadamente, registre seu top 20. Fica a dica.

  2. Miguel BsB

    Tudo bem, eu sei que o top 20 é do Brasil, mas, na boa, tirando, evidentemente, Guga e Maria Esther, e, já que estão sendo considerados duplistas, Melo e Soares, com boa vontade somente Tomaz Koch, que não vi jogar, mas atingiu 3 quartas de Slam, estes sim sao realmente relevantes pro MUNDO do tênis…
    Belucci, meligeni, oncins, qualquer mulher fora a grandíssima Maria Esther, etc, tds nulos pra história do tênis e somente por sermos tão fracos nesse esporte, apesar de sermos uma das maiores economias do mundo e um país de enorme população, temos que fazer um top 20 tão medíocre…

  3. Eleotério Almeida

    Só não entendi a Teliana Pereira na lista! Uma boa jogadora e nada mais. Pouca representatividade e poucas conquistas no tênis, de maneira geral.

  4. samuel

    Prezado Dalcim,

    Acredito que seja muito difícil elaborar tais listagens. Os tenistas contemporâneos levam ampla desvantagem na comparação com os tenistas antigos.
    Normalmente é levado em consideração, entre outros fatores as conquistas em Grand Slams. Os jogadores podem disputar no máximo 12 GS por ano (4 simples, 4 duplas e 4 mistas), ou seja, o tamanho do bolo sempre foi o mesmo. A quantidade postulantes a repartir esse bolo variou no decorrer do tempo. Por exemplo: No caso do tênis feminino, atualmente existem cerca de 2.000 jogadoras no ranking, enquanto que na década de 1970, eram aproximadamente 150 jogadoras ranqueadas e na primeira metade do século passado, acredito que entre 20 e 30 jogadoras disputavam o circuíto amador, mesmo assim restritas a sua região de origem, devido as dificuldades com o transporte.
    Imaginando jogadoras com o mesmo potencial, certamente as nossas contemporâneas teriam muito mais dificuldade para se destacar em relação aquelas jogadoras do passado. Ou seja, as garotas atuais, certamente ficarão em posição secundária em tais listas, o que de certo modo é injusto.

    Saudações

    Samuel

  5. Denis

    Dalcim, uma pequena correção. O Marcelo tem dois titulos e duas finais nas duplas (perdeu em wimblendon 2013 pros Bryan e esse ano no USOpen).

    PS: desejo muita paciência para vc quando publicar o ranking masculino de todos os tempos. O volume de mensagens sera gigantesco, independente de qual for o resultado…rsrs

    1. José Nilton Dalcim

      Já estava corrigido, mas ainda assim grato pela ajuda, Denis. Ah, mas essa parte vai ser a mais divertida! rsrs

  6. Junior

    Mais uma vez digo que comparação entre atletas de eras distintas é um pouco injusta, e beira a insensatez..enfim sempre comparamos…. Muitos criticaram e a colocação do Thomaz nessa lista, mas faz muito sentido ele estar lá. Não podemos desprezar que ele é contemporâneo do Big 3 e, ainda que não tenha jogado muitas vezes contra eles, ja podemos coloca-lo num estagio acima daqueles que jogaram em tempos atras. O Big 3 elevou o nivel e o ritmo do tenis a um patamar jamais alcancado no passado e, consequentemente, todos dessa geração jogaram num nível elevado tbm..
    Qto ao número 1 a Maria Esther foi a primeira que colocou o nome do Brasil na história, mas o Guga mudou a história do tenis em nosso país. Mesmo com números mais modestos sua representatividade é maior. No cenário mundial ela está a frente do Guga. Seguramente ela é top 10 all time no feminino, ele ja não no masculino… mas no Brasil ele foi mais que ela.
    ABS

  7. Sergio Ribeiro

    Os Duplistas mais vencedores da história, os Gêmeos Bob e Mike Bryan , jamais venceram um Torneio de Simples a nível ATP. Sinceramente fica difícil ver Duplista a frente de Bellucci, Meligeni, Mattar e do grande Kyrmair. Mas novamente o TOP 20 e’ o mesmo que o meu. E justíssima a colocação de Thomaz Koch. O homem que bateu Björn Borg com seu belíssimo Saque-Voleio em pleno Estocolmo. Guillermo Vilas imitava até mesmo seu jeito de andar. A Cirurgia de hérnia de disco não o impediu de atingir o TOP 24. O Sortudo ainda acabou casando com a musa do Vôlei , Isabel rsrsrs. Abs!

  8. Olavo Mudeh

    E aí Dalcin, Beleza!
    Poxa, você é sempre correto mais se esquece em colocar sempre nestas listas os “Bundões” do Monteiro do Demoliner do Coiso e do Dutra.
    Na re4alidade, ultimamente só dá bunda no Tenis, Bunda|

    Mudeh

  9. Jacques

    Vi as duplas Brasil x Romênia no club Pinheiros
    Mandarino e Koch x Nastase e Tiriac
    Na 2a feira, vi numa TV cheia de fantasmas Nastase x Koch
    Acho que imagens do Koch no seu auge devem ser muito raras
    Acho que na época a Davis começava ser disputada no sábado, mas tenho certeza que a simples foi na 2a pois assistimos numa TV na escola
    Então era dia de aula
    Será que não existe nem um pedacinho destes vídeos? A TV já estava na era do video tape há muito tempo

    1. Sergio Ribeiro

      Essa TV cheia de fantasmas Jacques rs , era a eterna TV Cultura . Thomás Koch ( já com problemas de hérnia de disco )abriu os trabalhos batendo Íon Tiriac na Sexta e junto com Mandarino venceram os Romenos nas Duplas no Sábado . Era a Semi Final da famosa Copa Davis de 1971. A chuva botou os jogos finais pra Segunda Feira. O problema foi que o terrível Ilie Nastase cravou os dois pontos de Simples ( 3 x 2 para a Romênia) . Este Cara acabou se tornando o primeiro N 1 do Mundo da ATP em 1973. Também matei aula pra assistir rsrsrs Abs!

  10. Paulo F.

    Discordo, educada mas veementemente, de Bruno Soares atrás de Meligeni.
    Na minha opinião, o maior feito de Fernando Meligeni no tênis é ser atirador de confete para Rafael Nadal.

  11. Chetnik

    Que safado esse Istomin. Deveria ser banido do tênis.

    Pra não perder a oportunidade. Meligeni >>>>>>> abismo >>>>>>>> Bellucci, o atleta com mental mais patético da história do Brasil – e olha que a concorrência é pesada.

    1. Rodrigo S. Cruz

      O mental do Bello é fraco.

      Mas mental forte não seria suficiente pra aplicar PNEU no teu querido Djokovic…

      Kkkkk

  12. Rogerio de Francischi

    Acho que o Luiz Mattar tem mais titulos de ATP que o Bellucci. Não ? ( Engraçado que ele só ganhava ATP aqui no Brasil, se não me engano ) Eu o colocaria na frente do Bellucci. Mas aí vai da preferencia pessoal. O cara foi meu primeiro idolo no Tennis, então posso estar sendo influenciado por isso

    1. João ando

      Era chamado de mister Brasil…começou a jogar profissionalmente com 21 anos …vi o primeiro torneio que ele jogou no country em Ipanema no Rio de janeiro

  13. Mauricio

    Concordo, como muitos, com os nomes da lista. Mas a ordem é controversa mesmo, vai na opinião de cada um. Mas eu não consideraria apenas ranking, mas também a representatividade ao esporte (sim, é subjetivo). E, com este quesito, colocaria junto do Marcelo Melo o Bruno Soares e o André Sá. Depois, Fino..e depois, Bellucci. Realmente não consigo ver Bellucci acima do Bruno Soares, que para mim é um dos maiores duplistas de todos os tempos no mundo.

  14. Eduardo

    Oi Dalcim, se não me engano o Guga também ganhou um Finals em 2000, algo que nem o Nadal conseguiu. Não sei se essa conquista, aliada ao atingimento do N1, não seria suficiente para alçá-lo ao topo da lista…

    1. José Nilton Dalcim

      É um feito extraordinário, sem dúvida, mas ainda assim eu o coloco atrás da Maria Esther com seus 19 títulos de Slam no geral e três indicações como melhor do mundo, Eduardo.

  15. Luis Vinicius Alvaranga

    Boa iniciativa mas Bellucci a frente de Meligeni?? O FIninho influenciou muita gente e o Bellucci nem aparece, Meligeni jogou mais que Bellucci….

  16. MARCELO

    Minha unica ressalva ‘e Fernando Meligeni ‘a frente de Bruno Soares. Com todo respeito ao Meligeni, suas não conquistas, uma vez que nunca ganhou nada, em minha opinião estão bem atras das conquistas de Bruno Soares

  17. Tomas

    Parabéns pela lista! Achei muito coerente, apesar de achar que o Bellucci não merece essa posição (só opinião minha).
    Eu nunca colocaria ele na frente do Bruno Soares.
    O maior problema do Bellucci não é o que ele ganhou, mas o que ele poderia ter ganhado com o tênis que ele tinha (ou ainda tem, sei lá…). Assisti ele jogando inúmeras vezes, e sei que ele joga muito. O problema é que em todas as vezes que eu o assisti, o cara simplesmente desliga no meio da partida. Não dá a menor vontade de torcer por ele.
    E, voltando à lista, eu colocaria o Saretta um pouco mais pra cima também. Mas como eu não vi alguns dos outros jogar, só ouvi falar, não posso opinar direito, né?!
    Abraço

  18. Rubens Leme

    Todo mundo adora opinar em uma lista. Só colocaria Kirmayr à frente de Mattar, pois além de ser mais técnico, ainda foi um duplista espetacular junto de Motta e outros, chegando a ficar entre os cinco do mundo, com 10 títulos e 14 vices.

    De resto, como você entende bem mais do que eu, não opinaria.

  19. Oscar Jr.

    Desculpe amigo mas essa lista poderia ficar resumida a Guga e Maria Esther Bueno, não necessariamente nessa ordem. Colocar os outros na mesma lista destes dois e chamá-los de “maiores” é um exagero absurdo e um desrespeito com ambos. Mas tudo bem, a lista é sua e o comentário é meu! Abraço!

    1. Alexandre Maciel

      São os maiores brasileiros do tênis meu amigo, quem você queria colocar na lista? Federer, Nadal e Djoko??

  20. Eduardo Braga

    Olá Dalcim, parabéns pela coragem e precisão de sempre. Diga-me por favor, é mesmo verdade que Maria Esther ganhou uma final de US Open em apenas… 19min??? Já li isso em vários lugares mas é muito difícil de acreditar,,,,

    1. José Nilton Dalcim

      É o que a maioria dos registros diz sobre esse jogo, embora curiosamente jamais tenha entrado na lista oficial de recordes do torneio. Além do placar (6/1 e 6/0) e do estilo de saque-voleio, a outra explicação é que não havia aquele intervalo na troca de lado à época. Simplesmente se trocava de lado. Abs!

    1. João ando

      Dalcim. Aí seria Celso sacomandi e Carlos Eduardo chabaigoity?.e no feminino …Silvana Campos e…essa pergunta e boa

          1. José Nilton Dalcim

            E o Saliola ganhou do 12º profissional do mundo aos 15 anos… Há um mar de distância entre o circuito juvenil e o profissional.

          1. João ando

            Valdir.acho dos que eu vi o maior talento foi Jaime oncins…uma pena que não tinha saque…agora o saliola ganhou do Emílio Sanches e depois…

          2. Claudio Domingues Raimiundo

            Depois do Guga, também acho que o Marcelo Saliola foi nosso maior talento no tenis brasileiro. Pena que o cara não teve cabeça, e tesão para continuar lutando no circuito.

        1. José Nilton Dalcim

          É uma descrição bem simplificada, assim como a de Maria Esther, porque afinal são muito conhecidos.

  21. Rodrigo S. Cruz

    BELLUCCI vs MELIGENI (apenas aspectos técnicos):

    Forehand> Bello, disparado.

    Saque> Bello, disparado.

    Backhand> Bello ganha também ( não por ter um bom, mas porque o do Fininho era MUITO ruim! )

    Voleio> O de ambos é ruim. Empate, talvez.

    1. Chetnik

      Devolução não conta? Slices e variação – ok, nenhum dos 2 sabe o que é isso.

      De qualquer forma, ainda bem que tênis não re resume a aspectos técnicos.

  22. Guilherme Souza

    Desculpe, Dalcim. Mas onde está Lelé Fernandes? Armando Vieira? Saretta, Ricardo Melo …na frente deles? Sério mesmo? Jura que Meligeni e Barnes estão atrás do Bellucci?

    1. José Nilton Dalcim

      Lelé e Armando tiveram pouca presença internacional apesar das quartas de Vieira em Wimbledon de 1951. Bellucci tem uma grande consistência entre os melhores do mundo.

  23. Marcelo-Jacacity

    Dalcim, e as discussões começaram antes da lista do masculino – geral.

    Ah, parabéns pelo site e pelo blog!
    Merecido e que logo mais faça aniversário de meio século e que estejamos falando dos novos tenistas que ultrapassarão os recordes do Big-3.

  24. Julio C Cosentino

    Jorge Paulo Lemann – O Suiço Naturalizado Brasileiro, que inaugurou o Ginásio da Gávea jogando contra Thomas Koch e até os 47 anos era o tenista número 1 do Rio de Janeiro, na minha visão deveria estar entre os 20 primeiros no lugar do Marcão por exemplo.

    Ele ainda tinha que ser tenista e ao mesmo tempo um empresário de ” relativo sucesso”, o que torna o feito dele ainda mais impressionante.

  25. Mauricio Andrade

    Muito boa a lista, o top 3 não tem o que mudar. Meu único questionamento é o Marcelo Melo em quarto e Bruno Soares em sétimo. Coloco o Melo na frente também, mas não deveria ter tanta distância entre eles. No critério objetivo, não tem como o Bellucci ficar atrás do Meligeni e demais. Bellucci é facilmente o segundo maior tenista brasileiro de simples da era profissional.

  26. Rodrigo

    já que o teu critério é a quantidade de títulos importantes, por qual motivo o Belluci tá na frente do Bruno Soares?

  27. Luiz Evandro

    Concordo totalmente com o Bellucci na frente do Meligeni, Dalcim. Acho que o Soares deveria estar na frente também, assim como o Luiz Mattar. “Ai” se essa galera jogasse hj com rede social e com os “críticos de plantão de tenistas brasileiros”. Essa galera dos anos 80 e 90. Sofreriam um bullying nervoso.
    Porque se o Bellucci ficou mais tempo no top 50 que Mattar, Meligeni, Motta, Kyrmayr, etc, isto quer dizer que estes tenistas eram eliminados antes do que o Bellucci nos torneios ATP. E o pessoal idolatra “os caras do passado” e descem a lenha no Bellucci. Tem lógica?
    Finalizando, Bellucci tem grandes vitórias na carreira, contra Murray, Berdych, Ferrer, Goffin, Nishikori, Cuevas, Agut e bons jogos contra o Big Four.

  28. Roberto Machado

    Prezado Dalcin. Parabéns pelo trabalho feito!
    Uma questão: Lelé Fernandes foi um grande jogador com um estilo muoto próprio. Não caberia aí, não? Se Bellucci está…
    Abraços.

    1. José Nilton Dalcim

      Um tenista de excepcionais recursos, sem dúvida, mas com carreira internacional muito restrita, Roberto. Não dá para comparar com as 140 semanas de Bellucci no top 40 do ranking e com suas oito finais (4 títulos) de nível ATP.

  29. Evair Jorge

    Realmente, Maria Esther Bueno e Gustavo Kurten, nossos maiores representantes. Um esporte para poucos no Brasil. Vi o Koch em final de carreira. Depois Cássio Mota e Luiz Mattar. Mais recentemente, o fininho (Meligeni). Cadê o FERNANDO ROESE???

  30. Rodrigo S. Cruz

    O mais hilariante é que nesta lista eu não vi nenhum ROGERINHO!

    Um certo cabeça-de-bagre deve estar se rasgando agora!

    kkkk

  31. vinicius

    os nomes sao os mesmos, mas na minha lista abaixo mudam as posicoes, pois o meu criterio o que conta GS e Masters,atp,posicao nas olimpiadas e posicao no pan americano,vitorias sobre o n1

    1. Maria Esther Bueno
    2. Gustavo Kuerten
    3. Marcelo Melo
    4. Bruno Soares
    5. Fininho
    6. Koch
    7. Bellucci
    8. Mattar
    9.Kirmayr
    10.Andre Sa
    11.Oncins

    1. José Nilton Dalcim

      Pan-americano não vale absolutamente nada em termos de circuito profissional, Vinicius, mas se valesse também ajudaria Koch, que foi campeão em simples e duplas no Pan de Winnipeg, em 1967. Abs!

      1. vinicius

        Dalcim, obrigado pelo esclarecimento sobre oKoch, pois nao vi ele jogar….
        Eu sei que o pan nao conta no circuito profissional, mas eu considero um grande feito.
        Coloquei o fininho na frente do Koch pois alem de eu gostar do estilo de jogo dele ele quase conseguiu o bronze na olimpiada.

        abraco

  32. Rodrigues

    Dalcim

    Acredito que o Kirmayr foi muito mais jogador que o Belluci, Melligeni e Mattar. Uma vez , nos idos anos 80, assisti uma final do Vat 69 (lembra?) entre Mattar e Kirmayr, vitoria fácil de Kirmayr. No discurso final, Mattar simplesmente perguntou ao Kirmayr, “Qual o preço da aula?”
    Acredito que seu critério tenha sido número de torneios ganhos, no entanto prefiro comparar sómente o aspecto técnico.
    Quanto aos duplistas concordo com as posições, apesar que sempre dependeram também de seus companheiros de duplas.

    1. José Nilton Dalcim

      Você está comparando gerações distintas. Kirmayr foi tutor do próprio Mattar. Quanto aos números, Nico ganhou sete ATPs, um deles fora do Brasil e em piso sintético.

  33. Carlos Eduardo

    Guga é 1 ! A proporção de alcance e a competitividade que enfrentou pra fazer algo inédito o colocam como #1 disparado. Mas em um mundo hipócrita é difícil até conversar isso hoje em dia. Marcelo Melo e Bruno Soares sequer estão entre os #100. Fernando Meligeni, Saretta, Simoni ou qlq outro que se esforçasse no “inócuo” circuito de duplas tb teria números impactantes. E obviamente o Bellucci está no top 5; provavelmente acima do Meligeni, como vc classificou.

  34. Marcelo Gomes

    Respeito sua opinião, Dalcim, mas botar Marcelo Melo em quarto e Bruno Soares em sétimo, com Melligeni e Bellucci na frente é um pouco contraditório.
    E cadê o fundador da Bob’s, que é brasileiro e ganhou Wimbledon????

    1. José Nilton Dalcim

      Ele não era brasileiro quando ganhou Wimbledon, Marcelo. Bob Falkenburg ganhou Wimbledon em 1948 e passou a morar no Rio em 1952. Conseguiu a dupla cidadania mas em 1970 voltou para os EUA, onde mora até hoje.

  35. Luiz Ohara

    Não sei que critério usaram para esta classificação, vai aqui meu protesto, se for por títulos nacionais e internacionais, qual a pontuação usada para classificar
    os tenistas. Fui tenista desde a epoca de fins de 1950, decada de 1960 até 1975, após tudo foi mais recreativo. Nesta minha epoca havia jogadores de grande expressões, mas um que se destacava entre nós chamava se Ronald Barnes, sem duvida o melhor tenista do Brasil, desbancava Thomas Koch, Edson Mandarino, Jorge Paulo Lemann e outros. Fora elogiado por um dos maiores ou maior tenista da epoca, Rod Laver, quando de sua estada com a equipe de Jack Krammer aqui em São Paulo.
    Gostaria de uma resposta, mas tenista de nossa epoca sem duvida diriam que o melhor foi Barnes.
    Atenciosamente. Luiz Ohara

    1. José Nilton Dalcim

      O Barnes está na lista entre os top 10, Ohara, e talvez estaria mais alto se não tivesse tido uma carreira tão curta.

  36. Fernando

    Bellucci na Frente do Fino?? em Número absoluto de Ranking, ok. Mas Bellucci tem uma carreira muito mais oscilante com momentos patéticos, além do mais Fino pegou uma época onde TOP 100 era mais equilibrado,

    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, é controverso. Mas levei em conta que o Fino, depois de ter sido semifinalista de Roland Garros, jamais retornou sequer ao top 50 depois que os pontos caíram. Já o Bellucci passou quase 50 semanas no top 30 e mais de 140 no top 40, algo bem consistente.

  37. Marcelo-Jacacity

    Grande Dalcim!

    Post formidável, e somente discordo de um ponto: Bellucci tinha que estar em primeiro na lista!

    1. Marcelo-Jacacity

      Maria Esther só vi pelo youtube mesmo (jogando) e gostava dos comentários dela no sportv (acho que sou um dos poucos…rs) e os números dela falam tudo além do estilo leve de jogo.

      Kuerten, acompanhei a carreira dele na íntegra (na verdade desde das transmissões históricas do Rui Viotti em RG-97 como muitos aqui, provavelmente. Assisti vários jogos dele ao vivo, lembro que fiquei bravo com a queda abrupta de rendimento dele no segundo semestre de 2001 e não sabia que o problema era gravíssimo. Aí perdeu a liderança do ranking para o Hewitt e nunca mais foi o mesmo tenista fantástico de outrora.

      Thomaz Koch, preciso pesquisar, sempre falam do Koch.

      Melo na frente do Soares. Quem diria hein! Há tempos atrás diziam que o Soares era o cara e o Melo era apenas um bom jogador.

      Bellucci…Bom, vou pular.rs Tenho Dvds com as finais na íntegra em que ele conquistou os títulos de Gstaad e Santiago e assisti mais de uma vez, bons tempos de 2009/10.

      Meligeni, quantas chances ele teve nàquela semifinal contra o Medvedev em RG-99, puxa vida!

      1. Marcelo-Jacacity

        Além de ter quase conquistado o bronze em Atlanta-96. Perdeu para o eternamente jovem, Paes, que fez um pacto com Gandhi.
        Grande Meligeni.

    1. José Nilton Dalcim

      Não se pode esquecer de sua consistência no ranking de simples Marcelo. Foram quase 50 semanas no top 30, o que no tênis de hoje é um tremendo feito.

      1. Marcelo Seri

        Sim, com certeza ele tem seus méritos, e esse é um deles. Mas, na minha opinião, acho que a consistência do Bruno Soares no ranking de duplas também conta muito, além de seus vários títulos de Grand Slam e Masters 1000. Mas, também entendo que simples é mais complicado do que duplas, pode-se dizer.

  38. JOTAT10

    Com todo o respeito ao atleta a qual não se menospreza por opinião, desde que aí jogando porque tem seus méritos, mas podemos discordar, o Bellucci que esta em quinto nessa relação tecnicamente no meu ponto de vista, pelo que vi muitos desses atletas abaixo dele só pra citar alguns foram melhores que ele, concordo até ao Marcelo aquele que faz dupla né, mas na frente do Bellucci está o Meligeni, Oncis, Mattar, Kimayr, Saretta, os outros até concordo nessas posições, a maioria eu vi jogar, agora depois que o Guga parou dificilmente acompanho mais os brasileiros, mas os torneios pelo Mundo sou fã, ainda mais quando estão em disputa os meus ídolos no Tênis O NADAL e a SERENA, não perco um, sem falar em ver Federer e Joko em campo é sensacional, e agora com essa nova geração de grandes tenistas surgindo o TÊNIS é um prato cheio como a LIGA DOS CAMPEÕES do futebol. Aí José Nilton Dacim aonde anda DÁCIO CAMPOS que depois que deixou a SPORTV o charme dos seus comentários estão dando saudade já que perdemos a nossa grande e saudosa MARIA ESTHER BUENO.

  39. Alexandre Maciel

    Perfeita sua lista, Dalcim. Agora, confesso que não sabia das proezas do Thomaz Koch, karaca, quadri-finalista em 3 dos quatro majors… não é do meu tempo mas deve ter sido legal acompanhá-lo…

      1. Rodrigo S. Cruz

        Até que eu venha e diga, você não tem ideia do que eu acho, amiguinho…

        Pra mim, a posição do Bello está certinha!

        Quinto melhor tenista brasileiro de todos os tempos. Engula esta!

        E antes que eu me esqueça:

        Arruma uma LUPA, pra ver se você acha a colocação do teu ídolo…

        kkkkk

  40. Luiz Fernando

    M. Ester e Guga se sobressaem por larga margem sobre os demais, são gigantes do esporte brasileiro e expoentes do tênis mundial, reverenciados, respectivamente em W e RG, embora pouco valorizados em nosso meio. Guga é sem duvida mais reconhecido, pois jogou numa época mais recente, embora MEB seja mais vitoriosa. Koch foi outro excepcional jogador, não o vi jogar mas todos comentam q foi um craque, talvez tenha lhe faltado um grande titulo p coroar sua carreira. A partir dai infelizmente o nível cai muito e eu sinceramente não vejo como o Bello, um jogador apático e sem brio, possa ser quinto, pex na frente do Meligeni, q alem de uma medalha de ouro no Pan fez inclusive semi de GS (RG), algo q não é p qualquer um. Mas sem duvida quando se sai dos 3 primeiros toda opinião é valida e merece respeito…

Comentários fechados.