Que confusão
Por José Nilton Dalcim
16 de agosto de 2018 às 23:45

O mau tempo coloca Cincinnati em xeque. Com seis jogos masculinos e três femininos ainda das oitavas de final não definidos – cinco deles sequer começaram nesta quinta-feira -, as rodadas decisivas prometem ser uma verdadeira loucura. Com um agravante: a previsão para sexta-feira é de pancadas de chuva praticamente o dia todo.

Ou seja, Roger Federer, Simona Halep ou Juan Martin del Potro poderão ter de fazer dois jogos inteiros num só dia, sujeitos ainda a diversas e irritantes paradas. E alguém ainda duvida que Rafa Nadal fez a melhor opção do mundo ao tirar uma semana de descanso?

Claro que chuva é fator sempre difícil para qualquer torneio de tênis e neste caso nem mesmo um teto retrátil no estádio principal resolveria, porque são quatro chaves em andamento. Mas lona ajudaria muito a diminuir o tempo de parada e secagem, o que provavelmente teria colocado o torneio bem mais à frente.

Na verdade, nem sei o que tem sido pior em Cincinnati: o mau tempo ou os juízes de linha. Incrível a quantidade de erros – alguns por cinco dedos – que o pessoal está cometendo, o que só aumenta a irritação geral.

Está tudo tão confuso que é até difícil analisar o que se vê em quadra, mas destaque-se as ótimas atuações de Stan Wawrinka – mexendo-se muito bem pela quadra -, e de Petra Kvitova, que mistura potência e controle para se candidatar a grande campanha no US Open.

Nova Davis aprovada
A Federação Internacional e o parceiro Kosmos, que promete investir US$ 3 bilhões no tênis no contrato de 25 anos, conseguiram os votos necessários para mudar a Copa Davis a partir do próximo ano.

As modificações mais importantes são duas: toda a disputa do título entre os 18 ‘finalistas’ será feita numa única semana, de segunda a domingo, num mesmo local. Esses participantes receberão uma bolada, tanto as federações nacionais como os jogadores, com premiações separadas e atrativas.

A Copa Davis 2019 começará em fevereiro, quando 24 países irão disputar a qualificação para a fase final em dois dias apenas, no sistema antigo, ou seja, mando de sede conforme histórico de duelos e cinco partidas (quatro simples e uma dupla) porém reduzidas a três sets com tiebreak. Os 12 vencedores irão para a fase final de novembro, junto aos quatro semifinalistas de 2018 e a dois convidados.

Esses 18 postulantes ao título jogarão após o ATP Finals de Londres – o que não agradou muito tenista -, em Madri ou Lille, e serão divididos em seis grupos com três países cada um, jogando todos contra todos da chave entre segunda e quinta-feira, sendo duas simples e uma dupla, tudo em três sets com tiebreak.

Os seis campeões de grupo e os dois melhores segundos colocados passam para quartas de final de sexta-feira e as rodadas decisivas serão sábado e domingo. Os quatro semifinalistas se classificam automaticamente para a fase final de novembro de 2020, enquanto os outros 12 mais bem colocados terão direito de disputar o qualificatório de fevereiro de 2020. Os dois piores serão rebaixados para a segunda divisão.

Os grupos I, II, III e IV, que formam o sistema de acesso e descenso, continuam existindo, e serão sempre disputados em rodadas de dois dias em finais de semana programados para abril e setembro de cada ano. Os campeões do grupo I (três da América, três da Ásia e seis da Europa-África) se classificam para o qualificatório de fevereiro e assim terão chance de chegar na disputa do título de novembro.

Espero que tenha dado para entender.


Comentários
  1. Fernando Brack

    Que jogo sensacional os 2 suíços estão fazendo. Wawrinka deixou pra errar 2 bolas lá no finzinho do tiebreak do 2° set. E é a 2a. partida do Mestre hoje.

  2. Renato

    Final do segundo set. Federer fez 5 pontos a mais, fez mais winners, não cedeu chances de quebra e teve cinco, daí vem o Brack dizer que Stan merece a Vitória? Que fanfarrão!

  3. Fernando Brack

    Vamos falar sério: Wawrinka tá fazendo uma partidaça. Já fez por merecer a vitória nesta partida.

        1. Mike

          fernando, não perca tempo com essa galera, pra eles só o federer merece ganhar, porque é mais agressivo, é a divindade deles.

    1. José Eduardo Pessanha

      Brack, como alguém pode merecer vencer uma partida se não consegue nenhuma chance de quebrar o adversário? rs
      Abs

  4. Fernando Brack

    Caraca!! Que sapatada o Wawrinka aplicou no Federer no tiebreak do 1° set. Incrível o que o cara jogou ali. E segue fazendo jogadas espetaculares. Stanimal tá de volta?

    1. Andre Barcellos

      O nível mostrado ontem foi o do Stanimal, veremos se ele mantém.
      Não levou o jogo porque Federer esteve bem também e melevou o nível no terceiro set, enquanto Stan deu uma ligeira caída.

  5. Tiago Castro

    DALCIM, vendo o jogo de Federer, ele me parece displicente e preguiçoso.
    Será que está chegando a desmotivação natural da idade??

    1. José Nilton Dalcim

      Não achei isso, Tiago. Na verdade, um jogo de altíssimo nível técnico nos dois primeiros sets.

  6. Renato

    Caro Pessanha, depois do que vc escreveu não tem como ninguém argumentar. A temporada de 2006 foi a melhor de um tenista na história! Valeu!

    1. José Eduardo Pessanha

      Renato, não dá pra comparar. O nível de 2006 era muito mais alto. rs. E aquele Federer de 2006 ganharia do Djokovic de 2015 em todos os Slams. Ganharia do de 2011 também.
      Quem está vendo esse espetáculo dado pelos suíços em quadra hoje sabe que o tênis perderá 70% de seu atrativo com a aposentadoria de Federer. Tênis é isso: ataque, técnica, habilidade e arrojo.
      Nadal, Serena, Djokovic, Sharapova, Halep, a Next Gen toda, Venus, Ostapenko, etc., todos eles somados talvez cheguem a 30%. Tenho minhas dúvidas. rs
      Longa vida ao Craque Roger Federer.
      Abs

    2. Mike

      A boa e velha prepotência de ALGUNS dos fãs do federer, não sou torcedor do djokovic e se fosse não teria nenhum problema em falar, mas a verdade é que a temporada de 2015 de djokovic já é praticamente uma unanimidade em termos de dominancia e números, dizer que em 2006 o nivel era mais alto que o de 2015 beira a insanidade. Não vou perder nem meu tempo trazendo esses números a tona porque sei que logo em seguida vão colocar variáveis e secundárias como a final de masters ser melhor de 5 em 2006 e outras baboseiras, tudo isso pela eterna negação quando algum recorde do federer é ofuscado, eu quero ver se o recorde de GRAND SLAM(e isso vai ocorrer) e ate mesmo o de número 1 for ofuscado e ultrapassado, repentinamente esses recordes passarão a ser secundários e advinha só? os outros recordes serão mais importantes e virá a baboseira de: a mais o federer não tava no augeeee. Essa aqui vai pra esse RENATO: não é de hoje que se percebe que quando se trata de federer você so usa números quando lhe és conveniente,aqui vai um exemplo: o retrospecto negativo do federer contra NADAL e DJOKOVIC, suas justificativas futeis: pro djokovic, é porque a maioria dos jogos foram apenas no auge de djokovic, sendo que federer ate hoje ganha grand slam, então embora ele não esteja sempre no auge ele está em plena forma e NENHUM TENISTA(inclusive djokovic) esta sempre no auge, já pro nadal sua desculpa é que os jogos foram mais no saibro só que antes de 2017 os jogos eram parelhos também na rápida e você adoraaaaaa citar esses 5 jogos que o federer ganhou do nadal no ultimo ano, mas odeia relembrar TODO o historico de ambos no retrospecto, então dois pesos e duas medidas: quando é retrospecto contra djokovic ele não tá no auge, quando é contra nadal, ganhou as ultimas 5 e tá em plena forma, só que detalhe, ele apanhou muito do nadal nos jogos mais importantes no AUGE dele , ou foi a mononucleose que derrotou ele em WB em 2008( depois disso ganhou wb em 2009,2012 .2017)? não é de hoje que eu vejo que esse RENATO é birrento quando se fala de retrospecto e alguns recordes que o federer já não mais detém ou que alguém está na cola. e federer representar 70% do tenis e TODOS OS OUTROS TENISTAS 30% aqui a gente ver a prepotância em sua essencia, nem discuto que federer tem mais popularidade, mais nadal não está muito atrás, basta ir nas redes sociais , os números são bem similares, djokovic está um pouco atras dos dois em popularidade mas ajuda também, essa historia de 30% pra todos os outros mostra o tamanho da prepotencia e estupidez humana.

  7. Sandra

    Dalcim, porque alguns tenistas tem tanta facilidade para dar Aces??? E treinamento?. E facilidade do,próprio tenista?? Ou o treinamento deles é só dar Aces???

    1. José Nilton Dalcim

      Altura ajuda muito, mas também há um conjunto de habilidades importantes: a técnica de lançamento da bola (em que se tenta esconder a possível direção do saque do adversário), a saída do chão (para ganhar mais altura no impacto) e velocidade de braço (que é na verdade o que define a força).

  8. José Eduardo Pessanha

    Dalcim, estava vendo os números da assombrosa temporada de 2006 de FedEx. Só no AO, em Wimbledon e no US Open desse ano, a criança distribuiu 10 pneus. Inclusive em finais de Slam, contra Nadal e Baghdatis. Mayer, Haas, Kiefer, Blake (três vezes), Clement, Alberto Martín, Berdych, Bjorkman, Tursunov, Wang, Spadea, Nalbandian, González e Garcia-Lopez também levaram pneus do Craque nesse ano.
    Coisa de louco.
    Abs

  9. José Eduardo Pessanha

    É o que eu falo aqui há anos, Sérgio. A melhor temporada de todos os tempos foi a do Federer em 2006. Naquela época os Masters tinham uma rodada a mais do que hoje e as finais desses torneios eram disputadas em melhor de 5 sets. Até Basel tinha final disputada em melhor de 5 sets.
    O Djokovic de 2015 não chega nem perto dessa loucura que foi o ano de 2006 de Federer. 92 vitórias em 97 jogos. 16 finais em 17 torneios. 12 finais vencidas, 4 perdidas pro Nadal (Dubai, Monaco, Roma e RG) e um jogo perdido para o então novato Murray.
    Abs

    1. Bruno Louzada

      Djokovic ganhou 3 slams…ganhou de Federer (2 vezes e Murray. Ganhou 6 masters….chegou na final dos outros 2 e 1 não jogou….ganhou o finals. Djokovic pulou torneios.

      Federer ganhou do poderosissimo Baghdatis na final do australia, pegou um nadal ainda desenvolvendo na grama na final de wimbledon e Rodick no us open. Ganhar 16 titulos jogando monte de atop 250 e 500 …entao vamos botar connors como melhor da história….

      Djokovic ganhou mais titulos de importancia no geral e ganhou de adversarios mais duros. Pode tentar fazer o malabarismo que for…mas a temporada do Djokovic em 2015 é superior. E detalhe…não foi fregues de ninguem…..ja o federer em 2006 foi um grande fregues do seu maior rival.

  10. Renato

    Fedex sendo FedEx! Atropelou o aregentino no primeiro set. Curioso pra ver o jogo com o amigo Stan.

    Sportv preferindo passar Busta x Cilic do que Raonic x Novak?! Que fase do sérvio! A audiência dos jogos de Novak devem estar bem ruins.

    1. Lola

      Como disse o narrador, eles não tem autonomia na transmissão. Não tente desmerecer o melhor de todos. Se não tem o que comentar, fique quieto.

      1. Renato

        Eles não tem autonomia, a TV americana que tem e decidiu! Kkkkk Sem moral lá nos e.u.a. Era melhor ter ficado quieta, poderia ter ido dormir sem essa! Kkkk

        1. Lola

          Claro que a moral deve estar com o Cilic e o outro q nem lembro. Se eles querem perder audiência, problema deles. E 2015 a melhor temporada que se viu no tênis.
          Djoko >>>>>>>Federer.

  11. Luiz Fabriciano

    Mestre, sobre sua última frase no post, vou tentar entender ao longo do próximo ano. De bate-pronto não dá não, rsss.

  12. Fernando Brack

    Com essa confa em Cincy, Nadal ficou um pouco mais favorito do que já era para o US Open. O rabudo acertou na mosca ao pular o torneio.

  13. Adriano Pires Lopes

    Boa tarde Dalcim, tudo bem?
    Vim saber sua opinião sobre um tema não correlacionado com o do post mas que me intriga muito: a estratégia de se poupar jogando menos torneios e sua efetividade. É bem sabido que Federer e Nadal tem se poupado cada vez mais no circuito, e seus resultados tem sido muito bons até o monento, mas, é possível generalizar para mais jogadores? Estive olhando o ranking com os resultados apenas desta temporada de simples no Top 50 (teoricamente podem participar de qualquer, ou quase qualquer torneio que queiram). Separei o Top 50 em 5 substratos de 10 (pela ordem do ranking) e calculei a média de idade (porque jogadores mais velhos tendem a jogar menos, logo, uma associação negativa entre as variáveis é o esperado) e a média de torneio jogados. Isso é o que encontrei pré-Cincinati:
    Ranking 1-10: média de idade: 29,9 anos; média de torneios jogados: 13,3.
    **(excetuando Nadal, Federer e Djokovic): média de idade: 28,4 anos; média de torneios jogados: 14,9.
    Ranking 11-20: média de idade: 24,8 anos; média de torneios jogados: 16,8.
    Ranking 21-30: média de idade: 26,1 anos; média de torneios jogados: 17,6.
    Ranking 31-40: média de idade: 27,3 anos: média de torneios jogados: 18,3.
    Ranking 41-50: média de idade: 28,4 anos: média de torneios jogados: 18,8.
    Correlação entre a média de idade e a média de torneios jogados, considerando a média por estrato (5 observações): -0,4555.
    Correlação entre a média de idade e a média de torneios jogados, considerando cada jogador (50 observações): -0,1586.
    Fiquei curioso e repeti o experimento, só que agora para o ranking de 52 semanas. Isso é o que encontrei:
    Ranking 1-10: média de idade: 29,5 anos; média de torneios jogados: 19,9.
    **(excetuando Nadal, Federer e Djokovic): média de idade: 27,9 anos; média de torneios jogados: 21,6.
    Ranking 11-20: média de idade: 25,5 anos; média de torneios jogados: 24,4.
    Ranking 21-30: média de idade: 26,7 anos; média de torneios jogados: 25,0.
    Ranking 31-40: média de idade: 26,7 anos: média de torneios jogados: 23,3.
    Ranking 41-50: média de idade: 27,5 anos: média de torneios jogados: 26,2.
    Correlação entre a média de idade e a média de torneios jogados, considerando a média por estrato (5 observações): -0,6775.
    Correlação entre a média de idade e a média de torneios jogados, considerando cada jogador (50 observações): -0,1689.
    Me parece claramente que o fator idade explica apenas parcialmente a razão pela qual os jogadores com ranking mais elevado tem jogado menos torneios (correlação é negativa mas, não é muito forte, especialmente considerando cada jogador da amostra, e não o estrato ao qual ele pertence). Isto é, especialmente tirando o Big3, a média de idade é alta mas, não é tão diferente dos outros estratos e o número de torneios jogados é claramente menor. Ademais, a medida que o ranking aumenta dentro do Top50, o número médio de torneios jogados tende a aumentar quase que monotonicamente. Acredito que afastamento por lesão não está correlacionado com a posição no ranking e não o considerei como hipótese para explicar o resultado.
    Claro que as pessoas com ranking mais elevado tendem a ser mais talentosas e precisam jogar menos para obter um certo nível no ranking (e claro que o conjunto de dados não é elevado e é pontual, isto é, feito como uma fotografia da data presente) mas, ainda assim, os dados parecem sugerir que, no mundo altamente competitivo do tênis, menos pode estar se tornando realmente mais (jogar menos de maneira geral parece estar compensando).
    O que acha?
    Abraços e continue o ótimo trabalho!

    1. José Nilton Dalcim

      Muito interessante seu levantamento, mas ainda acho que isso depende do momento de cada jogador e de suas finalidades. Nishikori por exemplo está neste momento jogando mais para tentar recuperar o ritmo, mas historicamente joga menos devido a contusões. Quase o mesmo pode se dizer de Raonic, Del Potro. Os tenistas que obtém grandes resultados – Cilic, Anderson – podem reduzir o calendário porque têm uma pontuação elevada que os empurrará por vários meses. Como sabemos, são 12 torneios obrigatórios para a maciça maioria, então eu acho que a média de torneios para os tenistas de ponta deveria ficar na casa de 22 a 24, para possíveis descartes. Acima disso, aumenta-se o risco de contusão.

    2. Adriano Pires Lopes

      Uma pequena explanação: por ranking mais elevado, me refiro a ranking melhor. Em outra parte, quando disse que o ranking aumenta, quis dizer o contrário (ranking pior). Apesar desta pequena confusão, espero que dê para entender…

  14. Kleber Araujo

    Dalcim, curiosidade sobre as bolinhas que caem nas arquibancadas durante os porntos.

    Tive a oportunidade de assistir in loco somente torneios no Brasil: BR Open, um challenger Finals e os Jogos Olímpicos, onde vi vários jogos, inclusive a final…
    Em nenhum desses torneios recebi nenhuma orientação a respeito das bolinhas que caem na arquibancada. Quando vemos torneios na TV e a bolinha vai pra torcida, algumas pessoas ficam com elas e outras devolvem. Há algum tipo de orientação a respeito disso nos torneios pelo mundo ou fica a critério da torcida mesmo?

    PS: Tenho uma bolinha da Rio 16, mas consegui assistindo o aquecimento do Nishikori para a disputa do bronze contra o Nadal. Ao final, dois ou três torcedores que estavam assistindo (meio que as escondidas rs) foram presentados com bolinhas 😉

    Parabéns pelo blog!
    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Apenas nos EUA é regra que a bola que cai na arquibancada pode ficar com o torcedor, embora alguns até devolvam de livre e espontânea vontade. Nos demais, torneios do mundo, a norma é a bola voltar para se manter no quadro das seis que são utilizadas pelos tenistas. Abraço e obrigado!

  15. Marcelo

    Os musculos do baloeiro foram conquistados a base de muita musculação e suplementação ou testosterona sintética? O baloeiro tem um pulmão fora do comum ou ele usa algo que aumenta o número de células vermelhas? Fala pessoal! Qual é a opinião de vocês?

    1. Roberto

      Se o baloeiro é o Nadal, porque de baloeiro ele não tem nada (é um dos 5 melhores tenistas da história): os músculos e a capacidade atlética são frutos de muito treino e dedicação. Um cara metódico como ele deve sempre ter dado o máximo nos treinos.

  16. Maurício Luís *

    Dalcim, essa nova Davis … algumas coisas eu entendi, outras… boiei mais que analfabeto em aula de Física Quântica.
    Essa fórmula aí, sei lá… acho que caiu um ZERO no chão. Vão ter que fazer uma apostila pros torcedores estudarem em casa. Quando chegarem pra assistir os jogos, tem chamada oral. Quem for aprovado, entra pra ver os jogos. Já os que tomaram “bomba” não saem de mão abanando não. Levam de prêmio de consolação uma foto do Nadal vestido de cueca samba-canção branca estampada com coraçãozinho vermelho.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a parte confusa é na qualificação, Maurício. A fase final, com os 18 participantes, está bem simples e talvez funcione.

  17. Miguel BsB

    Rodrigo, respondendo a um comentário seu no post anterior:
    Não existe fascismo de esquerda. O Fascismo é um ideologia totalitaria de extrema direita, suas diversas características, que não vou elencar aqui pq foge do propósito do blog, a colocam na extrema direita do espectro político.
    Comunismo: ideologia totalitaria de extrema esquerda.
    Assim como não existe comunismo de “direita”, não existe fascismo de “esquerda”. Vc pode chamar a questão do Lula de diversas coisas, menos de fascismo…
    Voltemos ao tênis…
    Abs

  18. Aguinaldo

    Dalcin,
    Se o tempo anda instável em Cincinnati, porque é que os brilhantes organizadores não começam os jogos mais cedo, tipo 09 da manhã?
    Pelo menos teríamos mais partidas disputadas e menos acumuladas para os dias seguintes.

    1. José Nilton Dalcim

      Muito raro torneios de primeira linha começar tão cedo, Aguinaldo. O máximo que já vi foram 10h. Acho absurdo não cobrirem as quadras. A perda de tempo na secagem seria mínimo…

  19. Luiz Totti

    Boas, Dalcim, excelente artigo, como sempre. Eu moro ha aproximadamente 2 horas de Cincinnati e cheguei a cogitar comprar tickets para esse final de semana (so tenho disponibilidade para o Sabado). Porem, aqui ja esta chovendo desde cedo e, pela previsao (que acerta uns 75% das vezes), a chuva so vai parar no Sabado la pelas 5 da tarde. Acho que vai complicar de vez para os organizadores…

    Voce pensa em fazer um novo post qualquer dia desses do tipo “Nova Copa Davis para Dummies?” Acho que so voce conseguiria explicar esse trem direito. Me parece aquelas regras malucas do Campeonato Paulista de Futebol de 2014, em que o mesmo time poderia ser o campeao e o rebaixado ao mesmo tempo… Houve consultoria da FPF nesse tema?

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Luiz, acho que a fórmula é até promissora, mas eu ainda era favorável a um torneio mais amplo, tipo 32 países, e com duas semanas, num formato típico de Grand Slam. A Davis sempre foi um torneio complexo – o sistema de hoje não era muito fácil de entender no começo – e a valorização que a ITF planeja pode dar certo. Teremos de dar um tempo para entender direito a mudança e ver se vai funcionar. Fico na torcida.

  20. Valmir

    Vamos imaginar que um tenista do nível do… Cilic… se associasse a um bilionário e convencesse a direção da UEFA a mudar o sistema da Eurocopa, na promessa de mais ganhos financeiros para as federações.
    Os jogadores em nada seriam consultados ou votariam para aprovar a mudança.

    Foi algo equivalente a isso que fizeram com a Davis.

    Como acontecerá no final do ano e não deverá contar pontos no ranking da ATP, os principais jogadores não deverão dar as caras no torneio.
    Uma consequéncia será a ausência desses tops na olimpíada, já que não cumprirão o ciclo olímpico exigido pela ITT.

  21. Leo

    Cincinatti deveria ter uma quadra com teto e o problema de chaves grandes, é separar o evento masculino do feminino. Dái também acabaria com o mimimi de querer ganhar mais com os tenistas homens. Nessa caso, com eventos masculino e feminino separados, os dois gêneros ganhariam de acordo com os investimentos e audiência que trazem.

  22. Marco Dias

    Olá a todos!

    Dalcim, na lata: você acha que Stan voltará ao nível que apresentou nos Slams que venceu?

    Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      Não sei, mas torço enormemente para isso. Stan tem para mim o golpe mais espetacular do tênis atual.

  23. Carlos Nunes

    Caro Dalcim,
    Com relação aos erros dos juízes, observe que desde o ano passado em quase todos os torneios nos Estados Unidos, principalmente no US Open, a quantidade de erros foi absurda. Até a arbitragem de linha está em crise no tênis americano.

  24. Rafael

    https://www.nytimes.com/2010/12/02/sports/tennis/02iht-SRDCDJOKOVIC.html

    …”It was the dispute over Kosovo that led to NATO’s bombing of Belgrade and other areas of the former Yugoslavia from March to June 1999. Gencic’s sister died in the bombing. But she said that she, Novak and others continued to play tennis in Belgrade, choosing areas that had been bombed the previous night on the assumption that they would not be bombed again so soon.

    Djokovic expresses no bitterness, but plenty of emotion.

    “We remember all these things and we will never forget, because it’s just very strong inside of you and very deep inside of you,” he said. “It’s traumatic experiences and so definitely you do have bad memories about it. We heard the alarm noise about planes coming to bomb us every single day a minimum of three times for two and a half months, huge noise in the city all the time, all the time. So in my case, when I hear a big noise even now, I get a little traumatized.”….

    – Dedico esse artigo, já antigo, às seguintes pessoas:

    – Chet, pelo interesse e conhecimento que demonstra sobre a cultura; a todos os que, por um motivo ou por outro, ficam “ofendidos” com o que chamam de “chiliques” do Djoko, ao Alexander Zverev e aos que tenham interesse em ler, afinal, o link está aí.

    Queria achar um que li e me ajudou a entender esse troço new age que o Djoko experimentou, explicando sobre o povo, o “renascimento” da Sérvia, a identidade cultural, etc, mas esse está perdido por aí, uma hora eu acho. Entendi muita coisa lendo.

    Djoko é perfeito? Óbvio que não. Mas é um cara que eu respeito à beça. Gostaria de ver seus detratores, não passando pelo que ele passou, mas pelo que a região passou, SE eles iam quebrar raquetes e rasgar camisas ou SE iam estar em um hospital, com PSTD, babando e tomando Haloperidol na veia, ou SE iam alugar um caminhão, encher de bombas e jogar contra a sede do Governo de uma região pela qual nutrissem antipatia e julgassem responsável pelo seu sofrimento.

    PS para quem não for ler: O ídolo americano de Djoko era Pete Sampras.

  25. Chetnik

    O que eu vi em quadra contra o Mannarino foi uma das coisas mais pavorosas na minha vida. Esse Mannarino é o MAIOR empurrador de bolas que eu já vi. Inassistível. Espero nunca mais ser “obrigado” a assistir um jogo dele – que nunca mais jogue contra o Djoko.

    Qualquer jogador melhorzinho teria entubado o Djoko por um duplo 6-2, ou pior. Mas o Mannarino ainda conseguir ser varrido de quadra nos segundo e terceiro sets. Haja mediocridade.

    Tive que sair após o segundo set contra o Dimitrov, então não vi o início do terceiro, mas já é outro Djoko. Mesmo o primeiro set, que ele tomou um 6-2, não me desagradou. Jogou com mais agressividade, bola mais veloz. Foi uma combinação de alguns erros bobos e o Dimitrov sacando muito e não errando.

    Deve confirmar a vitória amanhã, mas mesmo que perca, me parece estar evoluindo aos poucos para o USO.

    1. JANAINA DIAS

      Não vi o jogo contra o Mannarino, mas vi todos os outros do DJOKO e fiquei triste de ver como as contusões tiraram a potência e velocidade de seus golpes. Além disso, achei ele bem cansado e sem paciência nas trocas de bola..

  26. Sérgio Ribeiro

    Vai entender. O Velhinho que pula torneios a dar com o pau ( inclusive Copa Davis ) , defendendo a volta de 5 Sets nas Finais de MASTERS 1000 , e Novak 6 anos mais jovem querendo SLAM em 3 Sets. Dito isto , fora a data Pornô escolhida , as mudanças na Davis chegam pra ficar, a meu ver. Quando se cobra mais regularidade da novíssima geração , Dimitrov consegue novamente ( está defendendo o Título ) , praticamente entregar um jogo em que o Sérvio estava pedindo pra perder. Amanhã o bicho vai pegar com tantos fazendo dois jogos. Zebras com certeza ocorrerão. A conferir. Abs!

    1. Miguel BsB

      Pois é, assisti essa entrevista do Federer, e, sinceramente, não consegui entender… Ele quer mais torneios de 5 sets no circuito? O calendário já extremamente extenuante, e voltar com finais de 5 sets? Não concordo. Aí é pra quebrar uma leva de jogadores de vez.

  27. Rodrigo S. Cruz

    Jeremias
    16 de agosto de 2018 às 21:46
    “Isso mesmo, Rodrigo. O pior é justificar isso usando o argumento troncho de que o esporte deve se adaptar a uma tal de geração “Millenium”. Faça-me o favor…Parece que o vírus da intrujice New Age infectou a caixola dele irremediavelmente após anos de contato com aquela figura morgada. Sem contar que ficar jogando coraçõezinhos para a galera não é nadinha “alpha”, não é mesmo? kkk (/quote)

    Olha,

    Em relação aos corações até que não tenho nada contra, Jeremias. (rs)

    Mas a tal justificativa que você citou é “dú-carálhu” mesmo.

    Kkkkk

    1. Valmir

      O Federer pula um monte de torneios para não se cansar tanto e prolongar a carreira… agora quer que as finais dos Masters sejam em melhor de 5 sets.
      Vejo uma proposta… escondida… e safada… aí.

      Como na temporada de saibro ele brinca de … pula-pula… os grandes jogadores de saibro chegariam bem mais cansados a Wimbledon… e facilitariam bastante a vida dele na grama (principalmente Djokovic).

      Se ele jogasse o saibro não faria uma proposta dessa, já que perdeu as finais de Monte Carlo e Roma em 2006, justamente em jogos de melhor de 5 sets.

      1. Miguel BsB

        Ele foi perguntado o que mudaria no circuito. Federer já está no finzinho de carreira. Mesmo que se realizassem essas mudanças, ele já estaria aposentado… Não disse isso em benefício próprio, isso é claro. Mas que é uma proposta descabida, isso é.

      2. Rodrigo S. Cruz

        Safadaza é a tua.

        Que mesmo sabendo ter sido o Djoko a propor bobagem, você ainda torcer tudo para atacar o Federer

        Coerência de clone é mesmo incrível…

Comentários fechados.